NORMA PROCEDIMENTAL USO DA REDE DE COMPUTADORES E INTERNET NA UFTM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMA PROCEDIMENTAL USO DA REDE DE COMPUTADORES E INTERNET NA UFTM"

Transcrição

1 /07 1. FINALIDADE Regulamentar o uso apropriado da rede de computadores da Internet na Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todos os setores da Instituição e, em especial, no Departamento de Sistemas e Métodos - DSIM. 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Não existe legislação específica. 4. CONCEITOS BÁSICOS - Back Up Cópia de dados e informações em meio magnético externo ao equipamento em uso, como CD s, DVD s, pen drive, zip drive, discos e fitas magnéticas entre outros. - corporativo Endereço eletrônico de domínio da UFTM. - Conta de uso Restrita ou Privilegiada São aquelas diretamente supervisionadas pelo administrador da rede, para monitorar e registrar dados relativos aos recursos utilizados, tais como: tempo de conexão à rede, endereços acessados via Internet, utilização de disco e correlatas. - Usuário É qualquer pessoa dos corpos docente, discente e técnico-administrativo, explicitamente autorizada ou não, que utiliza algum recurso computacional da Universidade. - Firmware São todos os softwares armazenados sob a forma de memória de leitura, não voláteis (permanentes): ROM, EPROM, EEPROM, que preservam os conteúdos, mesmo se faltar eletricidade, com o objetivo de controlar o hardware diretamente.

2 /07 - Software Parte lógica do computador representada pelos programas e sistemas. - Hardware Parte física (equipamentos) representada pelos computadores, periféricos, (impressoras, scanners, reguladores de tensão), equipamentos de rede (hubs, switches, roteadores), entre outros. - Malwares Programas com código malicioso especificamente desenvolvido para executar ações danosas em um computador. Dentre eles se destacam os vírus: cavalos de tróia, spywares, backdoors, keyloggers, worms, bots e rootkits. - Download É o processo de se transferir uma cópia de um arquivo em um computador remoto para outro computador, por meio de rede, geralmente, via Internet. O arquivo recebido é gravado em disco no computador local. - Recursos computacionais São os equipamentos, as instalações ou bancos de dados direta ou indiretamente administrados, mantidos ou operados pelo DSIM e demais setores da UFTM, tais como: computadores e terminais de qualquer espécie, incluídos seus equipamentos e acessórios; impressoras; redes de computadores e de transmissão de dados; arrays de discos, de fitas, de juke boxes e equipamentos afins; modem e equipamentos afins; bancos de dados ou documentos residentes em disco, fita ou outros meios;

3 /07 leitoras de código de barras, scanners, equipamentos digitalizadores e afins; manuais técnicos; salas de computadores; serviços / informações disponibilizados, via arquitetura de informática da UFTM; softwares adquiridos ou desenvolvidos; equipamentos de rede, tais como: hubs, switch, roteadores e outros assemelhados. 5. NORMAS 5.1. DAS PROIBIÇÕES a) É terminantemente proibido o acesso a sites cujos conteúdos não sejam úteis e indispensáveis à atividade laboral, tais como: sites de pornografia, jogos, filmes, músicas, bem como download de arquivos de músicas, jogos, filmes e softwares aplicativos, desde que não sejam softwares livres; entre outros, sob pena de advertência. Obs: O DSIM mantém um sistema de monitoramento da utilização da Rede de Dados da UFTM e da Internet. b) Nenhum usuário pode, em quaisquer circunstâncias, usar a rede da UFTM para difamar, caluniar ou molestar outras pessoas. Qualquer ato neste sentido será passível de punição. Entende-se por molestamento o uso intencional da rede para perturbar, amedrontar, ameaçar e ofender pessoas, ou mesmo causar danos e/ou prejudicar as atividades da UFTM ou de outros órgãos ou empresas. c) Não é permitido ao usuário servir-se dos recursos de informática da Universidade para usar, examinar, copiar, armazenar ou instalar programas ou qualquer outro material protegido por direito autoral (copyright), sem que possua licença ou autorização específica para tal. d) Nenhum software pode ser instalado, copiado ou usado na UFTM sem a permissão do portador da licença de uso. Todo software deverá ser devidamente licenciado e todas as medidas necessárias (instalação, uso, cópia, número de usuários simultâneos, termos de licença, dentre outros) devem ser rigorosamente cumpridas, sob orientação do DSIM. e) É proibido o uso de computadores e redes da Instituição em campanhas políticas ou propagandas comerciais.

4 /07 f) Computadores, redes e outros serviços não podem ser usados para trabalhos particulares ou em benefício de organizações que não tenham relação com a Universidade, exceto quando estes trabalhos se referirem a atividades acadêmicas. Esses e outros usos (tais como mensagens eletrônicas ou armazenamento de dados em computadores pessoais) não devem ser excessivos e não podem interferir no acesso de outros usuários a estes recursos. g) Não é permitida a utilização dos recursos computacionais da UFTM para benefício financeiro direto ou indireto, próprio ou de terceiros fora da instituição, sujeitando-se o infrator à imediata suspensão de sua conta, sem prejuízo da aplicação das demais penalidades cabíveis previstas no Serviço Público Federal. h) Sem uma autorização específica, os usuários não podem ligar ou desligar fisicamente os recursos computacionais da UFTM, especialmente as estações de trabalho e componentes externos, como cabos, impressoras, discos ou sistemas de vídeo e equipamentos de rede. i) Não é permitido o uso de material de consumo de informática da Instituição para fins particulares UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS Os recursos da rede de dados da Universidade deverão ser utilizados exclusivamente para fins de atividades laborais relativas à Instituição UTILIZAÇÃO DE USO RESTRITO O acesso especial a informações ou outros privilégios só pode ser usado para o exercício de tarefas oficiais. Informações obtidas por meio de direitos especiais e privilégios devem ser tratados como privativas e totalmente confidenciais pelos administradores, que responderão por qualquer uso indevido. 5.4 RESPONSABILIDADE DO USUÁRIO SEGURANÇA a) O usuário é responsável pela segurança e integridade das informações da UFTM armazenadas nos computadores sob sua responsabilidade ou em sua área de disco na rede. Tal responsabilidade inclui fazer regularmente cópias de segurança de seus dados (BACK-UP s), controlar o acesso à rede, às máquinas e usar programas de proteção contra malwares. b) Em se tratando de segurança no uso dos recursos computacionais da UFTM, os usuários não podem efetuar ou tentar efetuar os seguintes procedimentos: - passar por outra pessoa ou camuflar sua identidade ao utilizar os recursos computacionais da UFTM;

5 /07 - efetuar qualquer tipo de acesso não autorizado a dados ou tentar alterá-los, como por exemplo, ler mensagens pessoais de terceiros ou acessar arquivos confidenciais; - violar ou tentar violar os sistemas de segurança, como quebrar ou tentar decodificar identificação ou senhas de terceiros; - interceptar transmissão de dados não destinados ao seu próprio acesso, seja monitorando barramentos de dados, ou através da rede; - efetuar interferência em serviços de outros usuários ou o seu bloqueio provocando, por exemplo, congestionamento da rede, inserindo malware ou tentando a apropriação de mais recursos do que os alocados à sua conta. c) Os usuários, a menos que tenham uma autorização específica para esse fim, não podem tentar, permitir ou causar qualquer alteração ou destruição de ambientes operacionais, dados ou equipamentos de processamento ou comunicação instalados na Instituição, de sua propriedade ou de qualquer outra instituição ou pessoa. Essas alterações incluem, mas não se limitam, às alterações de dados, reconfiguração de parâmetros de controle ou mudanças no firmware OUTRAS RECOMENDAÇÕES a) Nenhum usuário pode acessar, copiar, alterar ou remover arquivos pessoais de terceiros sem autorização explícita. b) O usuário é inteiramente responsável pelo uso de sua conta, senha e outros tipos de autorização, que são de uso individual e não podem ser compartilhados com outros. c) O usuário autorizado não pode executar ou configurar software ou hardware com a intenção de permitir o acesso a usuários não autorizados. d) Todos os usuários e Unidades têm o dever de denunciar qualquer tentativa de acesso não autorizado ou qualquer outro uso indevido de computadores e redes da UFTM. Ao testemunhar ou tomar conhecimento (por quaisquer meios) de problemas relacionados à segurança ou ao uso abusivo de computadores e redes da Universidade, incluindo o desrespeito a este regulamento, o usuário deve tomar imediatamente as providências necessárias, que estiverem a seu alcance, para garantir a segurança e a conservação dos recursos de informação. Na ocorrência destes eventos, o usuário deverá avisar, imediatamente, ao DSIM. e) É de responsabilidade do usuário manter os CD s, DVD s, discos, fitas magnéticas e disquetes sempre nas suas respectivas embalagens protetoras, quando não estiverem em uso, protegendo-os das grandes variações de temperatura e umidade.

6 /07 f) O usuário não deve manipular líquidos ou substâncias que possam danificar os equipamentos/materiais de informática, segurando-os sempre de maneira a não tocar na sua superfície magnética ou ótica. g) O usuário deve manter fora do alcance de equipamentos, peças que possuam campo magnético, tais como: tubos de imagem, motores, ventiladores, tesouras, ferramentas metálicas, entre outros RESPONSABILIDADE DO DSIM SEGURANÇA a) Os responsáveis pela administração da rede têm autorização para utilizarem os sistemas de segurança que julgarem adequados à manutenção da normalidade dos trabalhos. Serão consideradas nocivas ao sistema, as seguintes atividades: - uso de qualquer dispositivo para interceptar ou decodificar senhas, ou acesso similar ao controle de informações; - criar ou propagar malwares, danificar serviços e arquivos; - destruir ou danificar intencionalmente equipamentos, software ou dados pertencentes à Universidade ou a outros usuários; - obter acesso a recursos não autorizados; - utilizar os recursos de computação para o monitoramento não autorizado de mensagens eletrônicas ou qualquer transmissão de dados. c) Os agentes de administração dos recursos da rede são responsáveis pelas medidas de segurança necessárias para garantir o uso adequado e a integridade de informações relativas à Universidade e a cada usuário OUTRAS RECOMENDAÇÕES a) Compete ao DSIM, a gestão dos sistemas de informação e dos recursos computacionais de processamento, armazenamento e de transmissão de dados da UFTM. b) É de responsabilidade do DSIM manter um cadastro atualizado de todos os usuários dos recursos computacionais da Instituição, bem como a regulamentação da concessão de acessos, seja internamente ou a partir de pontos externos à Universidade. c) O DSIM defenderá os direitos autorais (copyright), as leis que regulamentam o acesso e o uso de informações, as regras de organizações que fornecem informações aos membros da comunidade (por exemplo, regras e/ou convenções gerais para o uso da Internet).

7 /07 d) Cuidar da administração dos recursos da rede de computadores da UFTM e designar colaboradores para tal função. c) Garantir a segurança de suas áreas e controlar o acesso físico aos equipamentos sob sua responsabilidade. d) Adotar medidas apropriadas de segurança em relação aos recursos da rede e informações sob sua responsabilidade. e) Preservar informações confidenciais como, por exemplo, arquivos de usuário e códigos de acesso ao sistema. f) Administrar devidamente as permissões de acesso. g) Monitorar os recursos da rede para controlar tentativas de violação das normas de uso e impedir acessos não autorizados de usuários externos à comunidade da UFTM. h) Caberá ao DSIM auxiliar a comissão editorial na análise e aprovação do conteúdo de quaisquer publicações oficiais da UFTM, via Internet e Intranet, tais como home pages, notícias, entre outras. i) Sempre que julgar necessário à preservação da integridade dos recursos computacionais, dos serviços aos usuários ou dos dados, o DSIM poderá suspender, temporariamente, qualquer conta de uso restrito ou privilegiada, sendo ou não o responsável pela conta suspeito de alguma violação SANÇÕES A UFTM poderá impor sanções e penas aos que violarem o regulamento relativo ao uso de computadores e redes, cabendo ao DSIM a análise das ocorrências e a determinação das sanções DIVERSOS a) A utilização de softwares de comunicação instantânea, tais como: MSN e Skype, somente será permitida mediante justificativa (ex. contato on line com o fornecedor), obstante liberação do DSIM. A utilização de software de relacionamento, Orkut, somente será permitido nos horários próprios e divulgados pelo DSIM. b) A comunicação digital corporativa sobre as diversas áreas e colaboradores da Instituição será empreendida, via Intranet, implantada e gerenciada pelo DSIM, mediante a disponibilização de serviço on line de mensagens, agenda eletrônica e recursos de workgroup e teleconferência. c) Os arquivos de dados que dizem respeito aos sistemas corporativos, destinados à automação dos processos operacionais, terão cópias de segurança executadas e

8 /07 controladas pelo DSIM. 6 PROCEDIMENTOS GERAIS 6.1. DO USUÁRIO a) Todo usuário interessado em utilizar a rede de computadores da Instituição, deverá solicitar o seu cadastramento ao DSIM, que tomará as providências necessárias. b) Assinar um termo de compromisso manifestando conhecimento, concordância e comprometendo-se a respeitar esta Norma Procedimental. c) Diariamente, o usuário deverá fazer o Back-Up dos arquivos e programas sob sua responsabilidade. Obs: Caso o usuário não saiba como fazê-lo, deverá solicitar treinamento junto ao DSIM. d) Em caso de dúvidas e/ou dificuldades em utilizar os recursos da rede de computadores da Instituição, o usuário deverá consultar o DSIM. 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS 7.2. Esta Norma Procedimental substitui a NP nº (Uso da Rede de Computadores e Internet na UFTM) de Esta Norma entra em vigor em 28 / 09 / 07.

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet)

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) A Universidade Federal de Pelotas (UFPel), através de seu Comitê de Tecnologia da Informação (PORTARIA

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET 1 REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET Ricardo Machado Torres Ricardo Ariel Correa Rabelo Renata Azevedo Santos Carvalho José Albérico Gonçalves Ferreira Fábio Severo da Silva ARACAJU

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR 1. INTRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR Este documento pretende descrever como deverá ser o uso apropriado dos recursos de computação

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Faculdade de Filosofia e Ciências REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Versão 1.0 Abril de 1998 REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP Portaria UNESP - 385, de 25-06-2012 Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP O Vice-Reitor no Exercício da Reitoria da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE Capítulo I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins desta Norma,

Leia mais

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS...

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... PÁGINA: 1 SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... 02 IV. CONCEITO... 02 1. Recursos computacionais... 02 2. Usuário... 03 V. ATRIBUIÇÕES... 03 VI. POLÍTICA

Leia mais

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0 POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE Versão 1.0 Versão 1.0 Pág. 1 Considerações Gerais 1 - A Tecnologia da Informação fica definida como a responsável pela gestão dos Sistemas de Informação e dos Recursos de

Leia mais

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná;

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; ATO EXECUTIVO N 09/10 Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; uso de suas atribuições legais, O Reitor da Universidade

Leia mais

Normas e procedmentos de utilização de laboratórios de informática, salas de multimeios e multimeios móvel

Normas e procedmentos de utilização de laboratórios de informática, salas de multimeios e multimeios móvel Normas e procedmentos de utilização de laboratórios de informática, salas de multimeios e multimeios móvel Ficam definidas as seguintes normas e procedimentos de utilização dos recursos de informática

Leia mais

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 01, Amparo, 09 abril de 2013. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMÁTICA E REDES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE AMPARO, VISANDO ESTABELECER UMA POLÍTICA DE

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI 1 ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 2. PROPÓSITO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 5. DAS DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS... 6 6. DOS COMPROMISSOS... 8 7. DOS

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados Coordenação de Redes Regras de Acesso à Rede Sem Fio da UFS 1. DESCRIÇÃO A rede sem fio do projeto Wi-Fi UFS foi concebida para complementar

Leia mais

RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002

RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002 RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002 Define políticas, normas e procedimentos que disciplinam a utilização de equipamentos, recursos e serviços de informática do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA O Campus Passo Fundo do Instituto Federal Sul-rio-grandense, através do Centro de Informática,

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores da Faculdade Cenecista

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS Versão 2.0 Referência: RG AI.00.01.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/rg-ai.00.01.01.pdf Data: 25/08/2009

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/7 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Estabelecer as normas de uso e segurança de recursos de Tecnologia da Informação; 1.2) Orientar os usuários para a melhor utilização dos recursos computacionais; 1.3) Definir

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA

REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA REGULAMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PO - PSI 1ª 1/9 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. CONCEITOS/CRITÉRIOS GERAIS... 2 5. DIRETRIZES... 3 6. RESPONSABILIDADES... 3 6.1 Todos

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS

Leia mais

INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07

INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07 INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07 Disciplina e normatiza os Uso dos Recursos Computacionais, no âmbito do Departamento de Obras e Serviços Públicos do Estado de Rondônia -DEOSP. O Diretor Geral do Departamento

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

Título I Dos laboratórios de Informática

Título I Dos laboratórios de Informática Título I Dos laboratórios de Informática Capítulo I - Da Organização Artigo 1 o O Centro de Processamento de Dados - CPD, ao qual os laboratórios de Informática da FAPAN estão subordinados, tem como principal

Leia mais

Autores: Regina Mainente Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015

Autores: Regina Mainente  Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015 Autores: Regina Mainente Superintendente Ricardo Pereira da Silva Controlador Interno Ano de 2015 Índice 1. Apresentação... 03 2. Introdução... 04 3. Para que serve a Segurança da Informação... 05 4. Pilares

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO PORTARIA Nº 018/DIAT/ASTEC/SEMAD Porto Velho, 17 de dezembro de 2007. Normatiza os procedimentos e critérios para uso e segurança dos equipamentos de informática e banco de dados da Prefeitura de Porto

Leia mais

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO Departamento de Tecnologia da Informação Públicado em julho de 2014 Cachoeiro de Itapemirim ES Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARUJA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARUJA ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARUJA INSTRUÇÃO NORMATIVA N' 001. - DE 26 DE FEVEREIRO DE 2008. 1 Estabelece as Normas de Uso Aceitável dos Recursos Computacionais da Prefeitura Municipal de Arujá e todos os estabelecimentos

Leia mais

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi 1. FINALIDADES E OBJETIVOS 1.1. Esta política tem a finalidade de estabelecer as regras e orientar as ações e procedimentos na utilização da rede sem fio da

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR GETAD/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1-OBJETIVO Esta norma estabelece os critérios e procedimentos relacionados à utilização da REDE SETUR por todos os servidores, estagiários

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA 1. OBJETIVO. A implantação de uma Política de Utilização de Rede, objetiva assegurar aos usuários da rede da FEA, não somente a prestação de serviços de alta qualidade,

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS

Leia mais

NORMA GERAL DE SEGURANÇA E USO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDE - INTERNET

NORMA GERAL DE SEGURANÇA E USO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDE - INTERNET 02/IN02/CGSIC/IFTM 00 - / /2013 29/08/2013 1/10 ORIGEM Esta é uma norma complementar à Política de Segurança da Informação e Comunicação (POSIC), a qual foi elaborada pela Diretoria de Tecnologia de Informação

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos profissionais e usuários de informática da FECAP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DO PPGEQ

REGULAMENTO INTERNO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DO PPGEQ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA Endereço: BR. 465, km 7, Centro

Leia mais

FACULDADE CARLOS GOMES

FACULDADE CARLOS GOMES FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º.

Leia mais

Normas para o Administrador do serviço de e-mail

Normas para o Administrador do serviço de e-mail Normas para o Administrador do serviço de e-mail Os serviços de e-mails oferecidos pela USP - Universidade de São Paulo - impõem responsabilidades e obrigações a seus Administradores, com o objetivo de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo )

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) A Política de segurança da informação, na A EMPRESA, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e serviços, incluindo trabalhos executados

Leia mais

Centro de Processamento de Dados REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO

Centro de Processamento de Dados REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º O centro de processamento de dados (CPD), ao qual o laboratório de Informática e Laboratório de Gestão

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Título I Dos laboratórios de Informática Capítulo I - Da Organização Artigo 1º A área de Help Desk de TI executa a organização dos laboratórios de Informática

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES Sumário Sumário 1. DO OBJETIVO.................................... 3 2. DO PRINCÍPIO BÁSICO............................... 3 3. DAS DEFINIÇÕES..................................

Leia mais

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente,

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente, PORTARIA Nº 7876 Dispõe sobre a Norma PSI/N.0001 - Utilização da Estação de Trabalho, nos termos dos arts. 20 e 24, da Resolução nº 041/2010-SPDE. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que

Leia mais

REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTFPR

REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTFPR REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTF Art. 1º O presente Regulamento estabelece as diretrizes, normas de gestão e de utilização dos recursos de Tecnologia

Leia mais

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação Código: PN.GITI.001 Data: 20/09/2010 Versão: 1 Página: 1 de 7 1. Conceituação A Unimed João Pessoa considera a informação como um dos principais ativos da organização, devendo por isso, ser protegida de

Leia mais

USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL

USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL 1. OBJETIVO Estabelecer responsabilidades e requisitos básicos de uso dos serviços de Correio Eletrônico, no ambiente de Tecnologia da Informação da CREMER S/A. 2. DEFINIÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na FK EQUIPAMENTOS, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Publicada no Boletim de Serviço Nº 4, em 7/4/2009. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Disciplina o uso dos recursos de tecnologia da informação do Supremo Tribunal Federal e dá outras providências.

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Índice 1 Introdução... 3 2 Política de cadastro e senhas... 5 3 Política de Utilização da Internet... 7 4 Política de Utilização de

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 015/2010

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 015/2010 DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 015/2010 Aprova o Regulamento para Políticas de Uso de Recursos de Tecnologia da Informação (TI) da Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do disposto

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E DE REDES DE COMPUTADORES

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E DE REDES DE COMPUTADORES REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E DE REDES DE COMPUTADORES Cursos: Superior de Tecnologia/Sistemas de Informação Título I Dos Laboratórios de Informática e Redes de Computadores Capítulo I

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE

RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE Aprova o Regimento Geral para Uso e Administração do Laboratório de Informática e Redes do Campus Deputado Estadual Rene Barbour. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições 5. Condições gerais 6. Condições de Acesso aos Recursos 7. Autenticação de Usuários 8. Recursos de Hardware e Software

Leia mais

ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011

ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011 ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011 DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS RELATIVOS A MANUTENÇÃO, AQUISIÇÃO E USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS, NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE MIRASSOL

Leia mais

WEBMAIL Política de Uso Aceitável

WEBMAIL Política de Uso Aceitável WEBMAIL Política de Uso Aceitável Bem-vindo ao Correio Eletrônico da UFJF. O Correio Eletrônico da UFJF (Correio-UFJF) foi criado para ajudá-lo em suas comunicações internas e/ou externas à Universidade.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE CABECEIRAS DE BASTO INTRODUÇÃO O presente Regulamento tem como objetivo estabelecer diretrizes e regular a utilização dos

Leia mais

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ [Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ Coordenadoria de Tecnologia da Informação 2013 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS I - DA NATUREZA (da finalidade) Artigo 1 O Laboratório de Práticas Digitais (LPD) caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo

Leia mais

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA ELABORAÇÃO / REVISÃO APROVAÇÃO Marcelo Costa 16/05/2013 Fernando Matias 16/05/2013 NOME DATA NOME DATA Introdução: A segurança é um dos assuntos mais importantes dentre as preocupações de nossa empresa.

Leia mais

Resolução Nº 27/2011 PGJ

Resolução Nº 27/2011 PGJ Resolução Nº 27/2011 PGJ O PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Estadual nº 85, de 27 de dezembro de 1999, considerando o contido no Protocolo

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA Dos Laboratórios Art 1º O objetivo dos laboratórios de informática é suprir necessidades laboratoriais, de informática, nas áreas de ensino, pesquisa, extensão,

Leia mais

Laboratórios de Informática e Salas Internet

Laboratórios de Informática e Salas Internet -= Público =- Laboratórios de Informática e Salas Internet versão 2.4 10/06/2011 Sumário 1. Introdução... 4 2. Laboratórios de informática... 4 2.1. Objetivos... 4 2.2. Horário de funcionamento... 5 2.3.

Leia mais

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação Política de segurança da Informação. Metodologia de levantamento da política de segurança. Objetivos e responsabilidades sobre a implementação. Métodos

Leia mais

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 O DIRETOR DO CENTRO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RENATO ARCHER CTI, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, nomeado por meio da Portaria

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO. Seção I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO. Seção I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CAMPUS IV: LITORAL NORTE RIO TINTO CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS

REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS CAPÍTULO I DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS GERAIS Art. 1 - Este Regulamento

Leia mais

PORTARIA N. TC-0614/2011

PORTARIA N. TC-0614/2011 PORTARIA N. TC-0614/2011 Dispõe sobre a política de segurança e utilização dos recursos de tecnologia da informação e política de governança do sítio e intranet do Tribunal de Contas do Estado de Santa

Leia mais

Leia com cuidado e procure respeitá-la!

Leia com cuidado e procure respeitá-la! Páginas: 1 de 5 Leia com cuidado e procure respeitá-la! Introdução: A Tecnologia da Informação, TI, está cada dia mais presente nas empresas, mudando radicalmente os hábitos e a maneira de comunicação,

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Informática da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

Regulamento dos Laboratórios de Informática da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º. Os Laboratórios de Informática visam atender: I. alunos dos cursos, das áreas de Graduação,

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador

Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador Regulamento dos Laboratórios de Informática UNIFACS - Universidade Salvador 1) Objetivos Os Laboratórios de informática da UNIFACS se destinam à prática do ensino, pesquisa e à elaboração de trabalhos

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Informática da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

Regulamento dos Laboratórios de Informática da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º. Os Laboratórios de Informática visam atender: I. alunos dos cursos, das áreas de Graduação,

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Departamento: Tecnologia da Informação Faculdade Adventista da Bahia 1 P á g i n a Normas de Utilização dos Laboratórios de Informática Da Faculdade Adventista

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA. Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INDICE DE REVISÕES

POLÍTICA DE SEGURANÇA. Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INDICE DE REVISÕES Título: Data: Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 de 6 INDICE DE REVISÕES REVISÃO DESCRIÇÃO DAS ALTERAÇÕES E/OU PÁGINAS ALTERADAS 0 Primeira Edição da Instrução de Trabalho. 1 Nova nomenclatura

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Revisado em agosto de 2010

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Revisado em agosto de 2010 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Revisado em agosto de 2010 A. Propósito O propósito desta Política de Uso da Tecnologia da Informação ("Política") é oferecer diretrizes

Leia mais

SINERGIA SISTEMA DE ENSINO LTDA FACULDADE SINERGIA Portaria Recredenciamento MEC nº 1.424 D.O.U, de 10/10/2011.

SINERGIA SISTEMA DE ENSINO LTDA FACULDADE SINERGIA Portaria Recredenciamento MEC nº 1.424 D.O.U, de 10/10/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º O laboratório de Informática constitui-se em espaço de apoio técnico pedagógico da Faculdade Sinergia. Art. 2º O Laboratório

Leia mais

PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Presidente do Conselho Curador da FESP, no uso de suas atribuições, faz regulamentar o uso da rede de computadores

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Normatiza o uso e aproveitamento dos recursos computacionais dos Laboratórios de Informática, visando os recursos disponíveis e as necessidades dos usuários.

Leia mais

Faculdade AlfaCastelo

Faculdade AlfaCastelo Faculdade AlfaCastelo REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BARUERI - 2015 REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA A Faculdade AlfaCastelo possui dois laboratórios de informática composto por uma

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1. O uso e o funcionamento do Laboratório de Informática da Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce (FADIVALE) obedecerá às normas constantes deste regulamento.

Leia mais

Fatec Jundiaí. Confidencialidade: Garantia do limite de acesso à informação somente por pessoas autorizadas;

Fatec Jundiaí. Confidencialidade: Garantia do limite de acesso à informação somente por pessoas autorizadas; PORTARIA FATEC / JUNDIAÍ Nº 04/2010 DE 28 DE JULHO DE 2.010 Estabelece Normas Internas para Segurança de Informações O Diretor da Faculdade de Tecnologia de Jundiaí, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS - NOR 701

NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS - NOR 701 MANUAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COD. 700 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE COMPUTACIONAIS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 527, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA "Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais dos Laboratórios de Informática, satisfazendo ao máximo as necessidades de seus

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Política de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Segurança da Informação Prof. Dinailton Junho 2015 Goiânia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 Normatiza a utilização dos recursos de tecnologia da informação e comunicação da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, na forma do Anexo. O PRESIDENTE

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE COMPUTAÇÃO I. APRESENTAÇÃO O presente documento trata da regulamentação de acesso, permanência e uso dos Laboratórios de Computação vinculados ao Curso de Bacharelado em Ciência da Computação (BCC) do Campus Jataí

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais