FACULDADE CARLOS GOMES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE CARLOS GOMES"

Transcrição

1 FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

2 FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º. Artigo 3º. Artigo 4º. Artigo 5º. Artigo 6º. Artigo 7º. O Laboratório de Informática funcionara de 2ª. a 6ª. feira das 9h às 21h e, aos sábados, das 9h às 12h. São USUÁRIOS todos as pessoas que estão autorizadas a utilizar a rede e/ou os equipamentos de informática da FACULDADE CARLOS GOMES, tais como alunos, professores e pessoal técnicoadministrativo, devidamente credenciados. Denomina-se REDE os recursos de rede, como também os elementos que a compõem tais como microcomputadores, impressoras, notebooks entre outros e a utilização do sistema de ERP / TOTVS e coorporativo. Têm direito de uso da rede todos os colaboradores, mediante o preenchimento de formulário próprio, por tempo determinado, cessando quando determinar o vínculo regular ou deixando de fazer parte da instituição, cabendo do Departamento de Recursos Humanos efetuar esta comunicação. Após conclusão do curso, transferência ou trancamento de matrícula, o aluno estará descredenciado como usuário do Laboratório de informática, cabendo à Secretaria Acadêmica proceder à comunicação formal sobre o afastamento do mesmo. O Laboratório deve ser utilizado única e tão somente para atividades acadêmicas da Instituição que necessitem da utilização prática do computador se estiverem ligadas ao trabalho, ao ensino, à pesquisa ou à extensão, devendo seus usuários manterem silêncio e ordem no ambiente. É vedada a utilização dos computadores para fins não relacionados com as atividades acadêmicas. O aluno que incorrer em tal situação pode, a critério do responsável pelo Laboratório, ser suspenso temporária ou definitivamente da utilização do mesmo. 2

3 Artigo 8º. Artigo 9º. O usuário da rede tem as seguintes responsabilidades: a) Respeitar a propriedade intelectual, não copiando, modificando, usando ou divulgando em todo ou em parte, textos, artigos, programas ou qualquer outro material, sem a permissão expressa, por escrito da Presidência ou do autor. b) Zelar pelos equipamentos que utiliza, não sendo permitida qualquer remoção, desconexão de partes, substituição ou qualquer alteração nas características físicas ou técnicas dos equipamentos integrantes da rede. c) Estar ciente de que o código de acesso à rede é pessoal e intransferível, devendo, portando, proceder de forma responsável, garantindo o sigilo de seu código de acesso, trocando-o periodicamente e escolhendo códigos de difícil decodificação. d) Compreender que é vedada qualquer outro tipo de utilização da rede, além do comercial/trabalho. e) Não tomar atitude ou ação que possa direta ou indiretamente disponibilizar recursos da rede. f) Não executar programas que tenham como finalidade a decodificação de senhas e monitoramento da rede, a leitura de dados de terceiros, a propagação do vírus de computador, a destruição parcial ou total de arquivos ou a não disponibilização de serviços. g) Manter seus dados atualizados e devidamente armazenados, evitando a perda de informações. h) Não executar programas, instalar equipamentos ou executar ações que possam facilitar o acesso indevido à rede. i) Não acessar sites de conteúdo improprio, não utilizar sites de conversação. j) Não baixar ou instalar programas transmissores de músicas e afins para tocadores de MP3, MP4, rádios on-line, programas P2P como KAZAA, Emule entre outros. O usuário de corporativo se compromete a usar o correio eletrônico exclusivamente para uso profissional, sendo-lhe vedado: a) Modificar arquivos ou assumir, sem autorização, a identidade de outro usuário. 3

4 b) Prejudicar intencionalmente usuários da internet, através do envio de programas e acesso não autorizado a computadores, ou de alterações de arquivos de programas. c) Utilizar-se do serviço de propriedade da Instituição, desvirtuando sua finalidade com o intuito de cometer fraude. d) Utilizar o serviço de correio eletrônico de qualquer forma a participa em atividades de pesquisa comerciais, concursos, correntes, ou quaisquer mensagens periódicas ou abusivas. e) Utilizar para participação em campanhas eleitorais, cívico-sociais e vincular informações de caráter eleitoral, seja dele próprio ou de terceiros. f) Difamar, ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros. g) Usar materiais ou informações, incluindo imagens de propriedade do grupo UNIESP, de modo a infringir quaisquer direitos autorais, marcas registradas, patentes ou outros direitos. h) Enviar arquivos com vírus ou quaisquer outros softwares ou programas semelhantes que possam danificar a operação de outros computadores e/ou sistemas, bem como materiais impróprios, como pedofilia, pornografia entre outros. Artigo 10º. O acesso à rede e a internet poderá ser realizado por todos os usuários que obtiveram permissão através do termo devidamente assinado. Fica vedado o acesso a todos os usuários a sites que contenham: a) Material Pornográfico, e similares. b) Propaganda de ideologias contrárias ao regime democrático, bem como façam a apologia ao uso da violência. c) Apologia a atividades criminosas; d) Material inconveniente e/ou impróprio ao ambiente de trabalho. e) Fica proibida a utilização de técnicas ou problemas para invasão, aquisição de senhas ou qualquer operação que coloque emrisco a segurança da instituição. Artigo 11º. Caso seja disponibilidade o serviço de impressão de documentos, isto somente poderá ser feito com autorização do técnico do laboratório ou professor. 4

5 Artigo 12º. Os colaboradores devem ter os seguintes cuidados no uso da rede: a) Os servidores da instituição devem ser utilizados somente para armazenamento dos arquivos de trabalho. b) O usuário deverá efetuar logoff sempre que terminar o uso da estação de trabalho e ao se ausentar do posto de trabalho bloquear a estação (Ctrl+Alt+Delete). c) O usuário é o único responsável, pelo uso da sua identificação (login e senha) na rede e na internet, quaisquer ações que possam ocorrer que prejudiquem outros usuários serão de total responsabilidade do usuário. d) Com o objetivo de aumentar a segurança, o usuário deverá altear sua senha a cada 90 dias. Artigo 13º. O Laboratório adota procedimento diário de backup, sendo que a Faculdade não se responsabiliza pela integridade dos arquivos gravados, devendo cada usuário ser responsável pela cópia de segurança dos seus arquivos. Artigo 14º. Os Softwares executados nos equipamentos da rede deverão ser devidamente licenciados. É vedada a utilização de softwares que não estejam devidamente licenciados pelo Grupo UNIESP. O uso de softwares de licença livre (denominados freewares) e de licenças temporária (denominados sharewares) deverão ser solicitados à TI por escrito e, se aprovado o uso, o procedimento de instalação e de remoção do software no vencimento da licença provisória deverá ser efetuado/orientado pela área de TI/Sede. O uso de softwares não licenciados pode acarretar ao seu usuário pena previstas na lei. O Grupo UNIESP não será responsável pelas consequências de uso deste tipo de programa. Artigo 15º. Todos os participantes da rede do Grupo UNIESP estão sujeitos a auditoria de redes. Os procedimentos de auditoria e de monitoramento de uso serão realizados periodicamente pela área de TI, ou profissional contratado para este fim, com o objetivo de observar o cumprimento das normas deste regulamento pelos usuários da rede e com vistas à gestão de performance da rede, havendo evidencias de atividade que possa comprometer a segurança da rede será permitido aos administradores da rede auditar e monitorar as aditividades de um usuário. 5

6 Artigo. 16º. Aos infratores das normas presentes neste regulamento aplicar-se-á as sanções de simples advertência por escrito ou bloqueio de parte dos recursos disponibilizados como acesso à internet (total ou parcial). Artigo 17º. Qualquer assunto não contemplado no presente regulamento deverá ser decidido pelo Diretor Geral, com base no Regimento da FACULDADE CARLOS GOMES. 6

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA O Campus Passo Fundo do Instituto Federal Sul-rio-grandense, através do Centro de Informática,

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet)

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) A Universidade Federal de Pelotas (UFPel), através de seu Comitê de Tecnologia da Informação (PORTARIA

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

Autores: Regina Mainente Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015

Autores: Regina Mainente  Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015 Autores: Regina Mainente Superintendente Ricardo Pereira da Silva Controlador Interno Ano de 2015 Índice 1. Apresentação... 03 2. Introdução... 04 3. Para que serve a Segurança da Informação... 05 4. Pilares

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Política de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Segurança da Informação Prof. Dinailton Junho 2015 Goiânia

Leia mais

Normas de Utilização dos Serviços de Tecnologia da Informação da Unitins

Normas de Utilização dos Serviços de Tecnologia da Informação da Unitins Normas de Utilização dos Serviços de Tecnologia da Informação da Unitins Confidencialidade, Integridade e Disponibilidade Janeiro / 2006 Normas de Utilização dos Serviços de Tecnologia da Informação Pág.

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA SUMÁRIO 1 - DOS HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO... 3 2 - DOS USUÁRIOS... 3 3 - DAS RESERVAS... 4 4 - DA UTILIZAÇÃO... 5 5 - DA SEGURANÇA... 6 6 - DA DISCIPLINA... 7

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA 1. DOS HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO 1.1 O Laboratório de informática pode ser utilizado das 7:30 às 22:30

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI 1 ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 2. PROPÓSITO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 5. DAS DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS... 6 6. DOS COMPROMISSOS... 8 7. DOS

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos profissionais e usuários de informática da FECAP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Ricardo Machado Torres Ricardo Ariel Correa Rabelo Renata Azevedo Santos Carvalho Everton Gonçalves Dias ARACAJU JANEIRO DE 2012 TÍTULO I - DOS HORÁRIOS

Leia mais

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 01, Amparo, 09 abril de 2013. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMÁTICA E REDES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE AMPARO, VISANDO ESTABELECER UMA POLÍTICA DE

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR 1. INTRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR Este documento pretende descrever como deverá ser o uso apropriado dos recursos de computação

Leia mais

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi 1. FINALIDADES E OBJETIVOS 1.1. Esta política tem a finalidade de estabelecer as regras e orientar as ações e procedimentos na utilização da rede sem fio da

Leia mais

INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07

INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07 INSTRUCAO NORMATIVA Nr. 003/07 Disciplina e normatiza os Uso dos Recursos Computacionais, no âmbito do Departamento de Obras e Serviços Públicos do Estado de Rondônia -DEOSP. O Diretor Geral do Departamento

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/7 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Estabelecer as normas de uso e segurança de recursos de Tecnologia da Informação; 1.2) Orientar os usuários para a melhor utilização dos recursos computacionais; 1.3) Definir

Leia mais

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR GETAD/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1-OBJETIVO Esta norma estabelece os critérios e procedimentos relacionados à utilização da REDE SETUR por todos os servidores, estagiários

Leia mais

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO Departamento de Tecnologia da Informação Públicado em julho de 2014 Cachoeiro de Itapemirim ES Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições 5. Condições gerais 6. Condições de Acesso aos Recursos 7. Autenticação de Usuários 8. Recursos de Hardware e Software

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 19 DE MAIO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 19 DE MAIO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 19 DE MAIO DE 2015 A DIRETORA-GERAL PRO TEMPORE, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais conferidas

Leia mais

PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PORTARIA 028/2006 REGULAMENTA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DA FESP E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Presidente do Conselho Curador da FESP, no uso de suas atribuições, faz regulamentar o uso da rede de computadores

Leia mais

PORTARIA N O 02/2008 1 O /02/2008. CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

PORTARIA N O 02/2008 1 O /02/2008. CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PORTARIA N O 02/2008 1 O /02/2008. Normas para utilização e segurança dos recursos de informática na área administrativa. O Reitor, no uso de suas atribuições conferidas pelo Regimento da Universidade

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na FK EQUIPAMENTOS, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e

Leia mais

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação Código: PN.GITI.001 Data: 20/09/2010 Versão: 1 Página: 1 de 7 1. Conceituação A Unimed João Pessoa considera a informação como um dos principais ativos da organização, devendo por isso, ser protegida de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO FACERB. Localização. Serviços DA ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO FACERB. Localização. Serviços DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO FACERB Localização 2º andar do prédio da FACERB, ao lado do Auditório. Serviços O Laboratório de Informática é um

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados Coordenação de Redes Regras de Acesso à Rede Sem Fio da UFS 1. DESCRIÇÃO A rede sem fio do projeto Wi-Fi UFS foi concebida para complementar

Leia mais

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS...

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... PÁGINA: 1 SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... 02 IV. CONCEITO... 02 1. Recursos computacionais... 02 2. Usuário... 03 V. ATRIBUIÇÕES... 03 VI. POLÍTICA

Leia mais

Ementa: Propõe os termos da Norma de Utilização de Recursos Computacionais da Universidade Federal Fluminense.

Ementa: Propõe os termos da Norma de Utilização de Recursos Computacionais da Universidade Federal Fluminense. Ementa: Propõe os termos da Norma de Utilização de Recursos Computacionais da Universidade Federal Fluminense. A Norma de Utilização de Recursos Computacionais da Universidade Federal Fluminense tem seus

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET 1 REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET Ricardo Machado Torres Ricardo Ariel Correa Rabelo Renata Azevedo Santos Carvalho José Albérico Gonçalves Ferreira Fábio Severo da Silva ARACAJU

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PO - PSI 1ª 1/9 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. CONCEITOS/CRITÉRIOS GERAIS... 2 5. DIRETRIZES... 3 6. RESPONSABILIDADES... 3 6.1 Todos

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUPERMERCADO COMPRE BEM

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUPERMERCADO COMPRE BEM POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUPERMERCADO COMPRE BEM 1. Abrangência A política de segurança se aplica aos ativos do Supermercado Compre Bem e está relacionada aos colaboradores da empresa que prestam

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

Política de Utilização da Rede

Política de Utilização da Rede Política de Utilização da Rede Complexo Unimed Chapecó CRIADO EM: 14/08/2006 ATUALIZADO EM: 16/08/2012 1 OBJETIVOS O objetivo deste documento é deixar clara a política de utilização da rede de informática

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES DA UNESP CAMPUS EXPERIMENTAL DE OURINHOS Versão 2.0 Referência: RG AI.00.01.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/rg-ai.00.01.01.pdf Data: 25/08/2009

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

Normas e Procedimentos de Utilização da Rede

Normas e Procedimentos de Utilização da Rede Normas e Procedimentos de Utilização da Rede Setor Laboratório de TI Objetivo O objetivo maior do estabelecimento desta política é garantir a prestação de um serviço de rede de boa qualidade aos nossos

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA SUMÁRIO

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA SUMÁRIO SUMÁRIO CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO... 1 CAPÍTULO II - DOS USUÁRIOS... 2 CAPÍTULO III - DO DIRETÓRIO PESSOAL... 2 CAPÍTULO IV - DO USO DOS LABORATÓRIOS... 2 CAPÍTULO V - DO DESCUMPRIMENTO DAS REGRAS E PENALIDADES...

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1. O uso e o funcionamento do Laboratório de Informática da Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce (FADIVALE) obedecerá às normas constantes deste regulamento.

Leia mais

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Introdução A PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL-CHILE, através de seu setor de Tecnologia da Informação, tem como objetivo o provimento de um serviço de qualidade,

Leia mais

ASTC Autarquia de Segurança, Trânsito e Transportes de Criciúma Departamento de Tecnologia da Informação ANEXO ÚNICO

ASTC Autarquia de Segurança, Trânsito e Transportes de Criciúma Departamento de Tecnologia da Informação ANEXO ÚNICO ANEXO ÚNICO POLÍTICA DE SEGURANÇA E USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA DA ASTC O presente texto visa informar a todos os usuários dos recursos de informática, a política de segurança

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, e tendo em vista o que consta do Processo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA "Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais dos Laboratórios de Informática, satisfazendo ao máximo as necessidades de seus

Leia mais

TERMO DE USO WEBMAIL ANFIP

TERMO DE USO WEBMAIL ANFIP 1 CONDIÇÕES GERAIS TERMO DE USO WEBMAIL ANFIP 1.1. A ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ANFIP, por meio da presente regulamentação, doravante denominada TERMO DE USO,

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores da Faculdade Cenecista

Leia mais

ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011

ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011 ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 392/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 012/2011 DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS RELATIVOS A MANUTENÇÃO, AQUISIÇÃO E USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS, NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE MIRASSOL

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS

REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS REGULAMENTO DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA BIBLIOTECA DIGITAL FEDERAÇÃO DE ESCOLAS FACUDADES INTEGRADAS SIMONSEN FEFIS CAPÍTULO I DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS GERAIS Art. 1 - Este Regulamento

Leia mais

TERMO DE USO DA ÁREA RESTRITA, REQUISIÇÃO DE SERVIÇOS E WEB MAIL

TERMO DE USO DA ÁREA RESTRITA, REQUISIÇÃO DE SERVIÇOS E WEB MAIL TERMO DE USO DA ÁREA RESTRITA, REQUISIÇÃO DE SERVIÇOS E WEB MAIL TERMO DE USO DA ÁREA RESTRITA, 'REQUISIÇÃO DE SERVIÇOS E SOLUÇÃO DE WEB MAIL DA CONTÁBIL ESTORIL 1. CONDIÇÕES GERAIS Este termo de disponibilização

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE CABECEIRAS DE BASTO INTRODUÇÃO O presente Regulamento tem como objetivo estabelecer diretrizes e regular a utilização dos

Leia mais

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP Portaria UNESP - 385, de 25-06-2012 Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP O Vice-Reitor no Exercício da Reitoria da Universidade

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL USO DA REDE DE COMPUTADORES E INTERNET NA UFTM

NORMA PROCEDIMENTAL USO DA REDE DE COMPUTADORES E INTERNET NA UFTM 70.01.002 1/07 1. FINALIDADE Regulamentar o uso apropriado da rede de computadores da Internet na Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todos os setores da Instituição

Leia mais

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná;

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; ATO EXECUTIVO N 09/10 Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; uso de suas atribuições legais, O Reitor da Universidade

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES Sumário Sumário 1. DO OBJETIVO.................................... 3 2. DO PRINCÍPIO BÁSICO............................... 3 3. DAS DEFINIÇÕES..................................

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre critérios de uso e segurança dos recursos de Tecnologia da Informação do Conselho Nacional

Leia mais

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA ELABORAÇÃO / REVISÃO APROVAÇÃO Marcelo Costa 16/05/2013 Fernando Matias 16/05/2013 NOME DATA NOME DATA Introdução: A segurança é um dos assuntos mais importantes dentre as preocupações de nossa empresa.

Leia mais

COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores.

COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores. COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores. O AfroReggae, por meio da Gerência de Informações e Monitoramento (GIM), torna pública a Política

Leia mais

Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB

Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB Com o objetivo de prover a segurança, a disponibilidade e a integridade

Leia mais

Leia com cuidado e procure respeitá-la!

Leia com cuidado e procure respeitá-la! Páginas: 1 de 5 Leia com cuidado e procure respeitá-la! Introdução: A Tecnologia da Informação, TI, está cada dia mais presente nas empresas, mudando radicalmente os hábitos e a maneira de comunicação,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na empresa Agiliza Promotora de Vendas, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA São Carlos - SP 2013 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO... 1 CAPÍTULO II: HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO... 1 CAPÍTULO III - DOS USUÁRIOS... 1 CAPÍTULO IV - DO USO

Leia mais

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO O objetivo desta política de uso é prestar esclarecimentos sobre os recursos disponíveis na rede local UFAL.MACEIO e no servidor SAMBA-MACEIO, informando

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Faculdade de Filosofia e Ciências REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Versão 1.0 Abril de 1998 REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record).

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record). 1. OBJETIVOS Regulamentar o processo a ser seguido pelos usuários para liberação de ferramentas e recursos de Tecnologia da Informação, visando otimizar e agilizar as solicitações de forma que não gere

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito Universidade de São Paulo Faculdade de Direito Política de Segurança de Informação Classificação: Normas internas - Manual de Procedimentos Rev. 2.0 Data: 06/08/2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Correio

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 839/2008 (publicada no DOAL nº 9263, de 28 de maio de 2008) Dispõe sobre as normas e procedimentos

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA. Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INDICE DE REVISÕES

POLÍTICA DE SEGURANÇA. Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INDICE DE REVISÕES Título: Data: Contrato/Unidade/Seção: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 de 6 INDICE DE REVISÕES REVISÃO DESCRIÇÃO DAS ALTERAÇÕES E/OU PÁGINAS ALTERADAS 0 Primeira Edição da Instrução de Trabalho. 1 Nova nomenclatura

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE Capítulo I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins desta Norma,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo )

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) A Política de segurança da informação, na A EMPRESA, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e serviços, incluindo trabalhos executados

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA NORMAS DE USO I - DA NATUREZA (da finalidade) art 1 - O Laboratório caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo de complemento aos

Leia mais

Fatec Jundiaí. Confidencialidade: Garantia do limite de acesso à informação somente por pessoas autorizadas;

Fatec Jundiaí. Confidencialidade: Garantia do limite de acesso à informação somente por pessoas autorizadas; PORTARIA FATEC / JUNDIAÍ Nº 04/2010 DE 28 DE JULHO DE 2.010 Estabelece Normas Internas para Segurança de Informações O Diretor da Faculdade de Tecnologia de Jundiaí, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS - NOR 701

NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS - NOR 701 MANUAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COD. 700 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE COMPUTACIONAIS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 527, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 NORMA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS

Leia mais

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente,

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente, PORTARIA Nº 7876 Dispõe sobre a Norma PSI/N.0001 - Utilização da Estação de Trabalho, nos termos dos arts. 20 e 24, da Resolução nº 041/2010-SPDE. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA

REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA REGIMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES DO CAMPUS DE TANGARÁ DA SERRA REGULAMENTO GERAL PARA USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas

Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas 1. OBJETIVO Esta cartilha define normas para preservar a confidencialidade, integridade e a disponibilidade das informações e recursos

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

Regulamento LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA. 1 regimento interno - faculdade de artes dulcina de moraes

Regulamento LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA. 1 regimento interno - faculdade de artes dulcina de moraes Regulamento LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA 1 regimento interno - faculdade de artes dulcina de moraes Regulamento LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA I - DA NATUREZA Art. 1º. Este documento regulamenta e normatiza

Leia mais

Política de Segurança da Informação do CREA MT

Política de Segurança da Informação do CREA MT Política de Segurança da Informação do CREA MT Art.1º A Gerência de Tecnologia da Informação é a Unidade competente para dirimir eventuais dúvidas, aplicar e orientar quanto à aplicação da Política de

Leia mais

Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis

Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis Amambai-MS 2010 Regulamento do uso do laboratório de informática da Faculdade de Amambai para

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICA CONTÁBIL E GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICA CONTÁBIL E GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICA CONTÁBIL E GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA Responsável: Professor M Sc. Antonio Carlos Pereira GUAXUPÉ/MG Abril/2009 LABORATÓRIO

Leia mais

Código de Ética Revisão 00. Apresentação

Código de Ética Revisão 00. Apresentação Apresentação A Starlog Operador Logístico é uma empresa que preza pelos princípios éticos e morais em suas relações de trabalho e na condução dos seus negócios. Como profissionais, defrontamonos todos

Leia mais

USO DO CORREIO ELETRÔNICO (e-mail)

USO DO CORREIO ELETRÔNICO (e-mail) Normativas de Segurança referente a utilização, deveres e responsabilidades do usuário quanto ao acesso a Rede, Correio Eletrônico e Internet no Governo do Estado do Ceará, conforme Decreto 29.227 do Diário

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional POLÍTICA DE SEGURANÇ A DA INFORMAÇÃO PO. 11 04 1 / 10 1. OBJETIVO Estabelecer normas aplicáveis à utilização da Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Crea-GO, de forma a possibilitar o cumprimento

Leia mais

POLÍTICA DE USO E DE NAVEGAÇÃO NA REDE INTERNA DA DBC E DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES INTERNET

POLÍTICA DE USO E DE NAVEGAÇÃO NA REDE INTERNA DA DBC E DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES INTERNET POLÍTICA DE USO E DE NAVEGAÇÃO NA REDE INTERNA DA DBC E DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES INTERNET Esta Política dispõe sobre as normas de utilização relativas ao acesso aos recursos disponíveis da rede

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Índice 1 Introdução... 3 2 Política de cadastro e senhas... 5 3 Política de Utilização da Internet... 7 4 Política de Utilização de

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DA REDE/FEA 1. OBJETIVO. A implantação de uma Política de Utilização de Rede, objetiva assegurar aos usuários da rede da FEA, não somente a prestação de serviços de alta qualidade,

Leia mais

PSI Política de Segurança da Informação Documento Normas Educacionais

PSI Política de Segurança da Informação Documento Normas Educacionais PSI Política de Segurança da Informação Documento Normas Educacionais V.1.0 Índice APRESENTAÇÃO... 3 1. ABRANGÊNCIA E APLICAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. TERMOS E DEFINIÇÕES... 3 4. REGRAS DE APLICAÇÃO

Leia mais

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇ Ã O E CULTURA REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓ RIO DE INFORMÁ TICA

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇ Ã O E CULTURA REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓ RIO DE INFORMÁ TICA FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇ Ã O E CULTURA REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓ RIO DE INFORMÁ TICA Goiânia 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCACAO E CULTURA S/S LTDA REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓ RIO DE

Leia mais

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida.

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida. Segurança da Informação é a proteção das informações contra os vários tipos de ameaças as quais estão expostas, para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio, maximizar o retorno

Leia mais

POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ

POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ 1. OBJETIVO Definir os requisitos e as regras de segurança para o uso do correio eletrônico (e-mail) no âmbito da SESA (Secretaria

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Departamento: Tecnologia da Informação Faculdade Adventista da Bahia 1 P á g i n a Normas de Utilização dos Laboratórios de Informática Da Faculdade Adventista

Leia mais