MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO"

Transcrição

1 MANUAL DO PACIENTE ONCOLÓGICO 1

2 2 ÍNDICE 1. Objetivos Algumas doenças graves previstas em Lei Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença) Aposentadoria por Invalidez Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria e Pensão Quitação do Financiamento da Casa Própria (Sistema Financeiro de Habitação S.F.H) Saque do PIS/PASEP Compra de Carro com Isenções de Imposto (Isenção de IPI) Seguro de Vida Previdência Privada Fornecimento de Remédios pelo SUS Isenção do CPMF Cirurgia de Reconstrução Mamária Legislação 15

3 3 1. Objetivos Informar ao paciente oncológico os benefícios previstos na legislação brasileira resgatando desta forma a sua cidadania; Amparar e reintegrar à comunidade os pacientes e os familiares de pacientes oncológicos através do conhecimento de seus direitos; Fornecer informações que possibilitam ao paciente oncológico a reinvidicação dos seus direitos, dependendo do estado da doença e das seqüelas deixadas pela neoplasia; Atender às necessidades gerais do paciente, ao invés de se limitar exclusivamente à questão física ou específica da sua patologia.

4 4 2. Algumas Doenças previstas em Lei Moléstia Profissional Esclerose-múltipla Tuberculose Ativa Hanseníase Neoplasia Maligna (câncer) Alienação Mental Cegueira Paralisia Irreversível e Incapacitante Cardiopatia grave Doença de Parkinson Espondilartrose Anquilosante Nefropatia grave Estado avançado da Doença de PAGET (osteíte deformante) Sindrome de Deficiência Imunológica Adquirida (AIDS) Fibrose Cística (mucoviscidose) Contaminação por Radiação Importante: Sempre é necessário comprovar a existência da doença através de laudos médicos e exames. Alguns direitos só existem quando o câncer causa seqüelas e/ou deficiências que impedem a pessoa de poder trabalhar (invalidez).

5 5 3. Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) Quem tem Direito? Todos os trabalhadores regidos pela CLT (que tem carteira de trabalho assinada) a partir de 05/10/88 têm direito ao FGTS. Quem pode realizar o saque do FGTS? O trabalhador portador de câncer, AIDS e estágio terminal de doenças graves. O trabalhador que possuir dependente com câncer ou AIDS ou estágio terminal de doenças graves que esteja registrado como dependente no INSS ou no Imposto de Renda. Quais os documentos necessários? Carteira de trabalho (original e fotocópia) Comprovante de inscrição no PIS/PASEP Original e cópia do Laudo Histopatológico Atestado médico (a validade é de 30 dias) que contenha: Diagnóstico expresso da doença CID Classificação Internacional de Doenças Estágio clinico atual da doença e do paciente Carimbo legível do médico com o número do CRM (Conselho Regional de Medicina). Importante: Em caso de saque por câncer ou AIDS ou estágio terminal de doenças graves, o trabalhador poderá receber o saldo de todas as suas contas, inclusive a do atual contrato de trabalho. Neste caso, o saque na conta poderá ser efetuado quantas vezes forem solicitadas pelo trabalhador, desde que apresente os documentos necessários. Os valores do FGTS deverão estar a disposição do trabalhador, para serem recebidos, até 5 dias úteis após a solicitação do saque.

6 6 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxilio-Doença) Quem tem Direito? O doente que ficar incapacitado para o seu trabalho ou para sua atividade habitual por mais de 15 (quinze) dias consecutivos. Quem é obrigado a pagar o auxílio-doença ao trabalhador? Primeiros 15 (quinze) dias consecutivos de afastamento da atividade por motivo de doença: a empresa deverá pagar ao doente empregado o seu salário. Após 15 dias de afastamento o pagamento será pelo INSS. Importante: Não existe carência para se requerer o auxílio-doença desde que provado por laudo médico e o doente tenha inscrição no Regime Geral de Previdência Social (INSS). O auxílio-doença consistirá numa renda mensal correspondente a 91% (noventa e um por cento) do salário-de-benefício. O doente em auxílio-doença está obrigado, sob pena de suspensão do benefício, a submeter-se a exame médico a cargo da Previdência Social (INSS), ao processo de reabilitação profissional por ela prescrito e custeado, e ao tratamento dispensado gratuitamente. O auxilio-doença deixa de ser pago quando da recuperação da capacidade para o trabalho ou pela transformação em aposentadoria por invalidez.

7 7 5. Aposentadoria por invalidez Quem tem Direito? A pessoa que não tiver possibilidade de trabalhar (não basta apenas ter uma doença grave). Seja ela trabalhador celetista (são os que tem Carteira Profissional assinada e pagam INSS) ou funcionário público (são os que ingressaram no serviço público, mediante concurso federal, estadual ou municipal). Como é o Processo? Os celetistas portadores de doenças graves quando não tiverem condições de trabalhar (comprovada por laudo médico) receberá do INSS a aposentadoria por invalidez, independente do número de contribuições (sem carência). Se o celetista estiver recebendo auxílio-doença, a aposentadoria por invalidez começará a ser paga a contar do dia imediato ao da cessação do auxílio-doença. Se o celetista não recebe auxílio-doença a aposentadoria por invalidez começará a ser paga a partir do 16º dia de afastamento da atividade ou a partir da data da entrada do requerimento decorrer mais de 30 dias. Para os trabalhadores autônomos a aposentadoria por invalidez começará a ser paga a partir da datado início da incapacidade ou a partir da data da entrada do requerimento, quando requerido após o 30º dia do afastamento da atividade. Os funcionários públicos são regidos por leis especiais, as informações devem ser procuradas nos departamentos pessoais de cada repartição. Importante: Se o segurado do INSS necessitar de assistência permanente de outra pessoa, a critério da perícia médica, o valor da aposentadoria por invalidez será aumentado em 25% a partir da data de sua solicitação. Quando a Aposentadoria por invalidez deixa de ser paga? Quando: O segurado recupera a capacidade para o trabalho; O segurado volta voluntariamente ao trabalho e O segurado solicita e tem concordância da perícia médica do INSS. Para mais informações, consulte os atendentes nas Agências da Previdência Social ou use o PREVfone

8 8 6. Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria e Pensão A isenção do Imposto de Renda aplica-se nos proventos de aposentadoria e/ou reforma e pensão aos portadores de doenças graves, mesmo quando a doença tenha sido identificada após a aposentadoria ou concessão da pensão. Quem tem Direito? O aposentado ou pensionista poderá requerer a isenção junto ao órgão competente aquele que paga a aposentadoria (INSS, Prefeitura,etc.) mediante requerimento (duas vias) a ser protocolado. Quais os documentos necessários? Cópia do Laudo Histo-patológico; Laudo oficial, de médico da União, do Estado ou do Município que contenha: Diagnóstico expresso da doença; CID Classificação Internacional de Doenças; Menção às Leis nº 7.713/88, nº 8.541/92 e nº 9.250/95 e Instrução Normativa SRF nº 15/01; Data de início da doença; Estágio clínico atual da doença e do paciente; Carimbo legível do médico com o número do Conselho Regional de Medicina (CRM). Importante: Depois de apresentados os documentos necessários, após o deferimento a isenção é automática. O valor da órtese e prótese compradas pode ser deduzido da declaração anual do Imposto de Renda. Se a isenção for pedida após algum tempo da doença, é possível pedir a restituição do Imposto de Renda pago nos últimos cinco anos.

9 9 7. Quitação do Financiamento da Casa Própria (Sistema Financeiro de Habitação SFH) Como funciona? Quando se adquire uma casa financiada pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), juntamente com as prestações mensais para quitar o financiamento, paga-se um seguro destinado a quitar a casa no caso de invalidez e/ou morte. O seguro quita a parte da pessoa inválida na mesma proporção que sua renda entrou para o financiamento. Se, por exemplo, o inválido entrou com 100% da renda, o imóvel será totalmente quitado. Se na composição da renda contribuiu com 50% terá quitada metade do imóvel e sua família terá de pagar apenas os 50% restantes da prestação mensal. Tratando-se de segurado aposentado por tempo de serviço ou não vinculado a órgão previdenciário, a invalidez será comprovada por questionário específico respondido pelo médico do proprietário da casa e a perícia médica realizada e custeada pela seguradora. Importante: Não aceitando a decisão da seguradora, o doente comprador da casa financiada deverá submeter-se a junta médica constituída por três membros, e deverá levar laudos, exames, atestados médicos, guias de internação e quaisquer outros documentos que comprovem a doença que não permite que exerça seu trabalho. Nos casos de invalidez permanente, cuja documentação tenha sido complementada junto à seguradora, em um mês deverá ter quitado o financiamento ou parte dele. Para os casos de invalidez permanente, o banco ou a COHAB ou a Caixa que fez o financiamento, encaminhará à Seguradora todos os documentos necessários.

10 10 8. PIS/PASEP Quem tem Direito? Poderá efetuar o saque das quotas o trabalhador cadastrado no PIS que for portador de câncer ou AIDS ou que tenha dependente portador destas doenças. Quem pode ser considerado dependente? Cônjuge ou companheiro (a); Filho de qualquer condição, menor de 21 anos ou inválido; Irmão de qualquer condição, menor de 21 anos ou inválido; Pessoa designada menor de 21 anos ou maior de 60 anos ou inválida; Equiparados aos filhos: enteado (a), o menor sob guarda, e o menor sob tutela judicial que não possua bens suficientes para o próprio sustento; Os admitidos no regulamento do Imposto de Renda Pessoa Física, abrangendo as seguintes pessoas: Cônjuge ou companheiro (a); Filha ou enteada, solteira, separada ou viúva; Filho ou enteado até 21 anos ou maior de 21 anos quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; Ao menor pobre até 21 anos, que o contribuinte crie ou eduque e do qual detenha a guarda judicial; O irmão, neto ou bisneto, sem arrimo dos pais, até 21 anos, quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; Os pais, os avós ou bisavós; O incapaz, louco, surdo, mudo que não possa expressar sua vontade, e o prodígio, assim declarado judicialmente; Os filhos, ou enteados, ou irmãos, ou netos, ou bisnetos, se cursando ensino superior, são admitidos como dependentes até completarem 24 anos de idade. Quais os documentos necessários? Os documentos necessários para solicitar o saque na Caixa Econômica Federal são: Comprovante de Inscrição no PIS/PASEP; Carteira de trabalho; Carteira de identidade; Documentos comprobatórios do motivo do saque;

11 11 Atestado médico fornecido pelo médico que acompanha o tratamento do portador da doença, contendo as seguintes informações: Diagnóstico expresso da doença; Estágio clinico atual da doença/paciente; Classificação Internacional da Doença CID; Menção à Resolução 01/96 do Conselho Diretor do Fundo de Participação PIS/PASEP; Carimbo que identifique o nome / CRM do médico; Cópia do exame histopatológico ou anatomopatológico que comprove o diagnóstico; Comprovação da condição de dependência do portador da doença, quando for o caso. Importante: Se o PIS não tiver cadastrado na Caixa Econômica Federal, o trabalhador deverá verificar junto ao Banco do Brasil se o mesmo não está cadastrado como PIS/PASEP, pois o saque será efetuado da mesma maneira. O trabalhador poderá receber o total de quotas depositadas.

12 12 9. Compra de Carro com Isenções de Impostos (isenção de IPI) Quem tem Direito: Não basta ter doença grave, é preciso que esta doença ocasione deficiência física nos membros superiores e/ou inferiores, que impossibilite a pessoa de dirigir automóveis comuns. A deficiência deve ser comprovada por Laudo Médico descrevendo a deficiência, acompanhado de exame que comprove o fato. Quais os documentos necessários? Obter, junto ao Departamento de Trânsito do Estado onde residir, os seguintes documentos: Laudo de perícia médica, atestando o tipo de deficiência física e a total incapacidade para conduzir veículos comuns, indicando o tipo de veículo, com as características especiais necessárias, que está apto a dirigir; Carteira Nacional de Habilitação com a especificação do tipo do veículo, com suas características especiais, que está autorizado a dirigir, conforme o laudo da perícia médica. (Se o deficiente físico não tiver carta de motorista deverá tirá-la no prazo de 180 dias); Apresentar requerimento em três vias, dirigido ao Delegado da Receita Federal, ao Inspetor da Receita Federal da Inspetoria de Classe A, do local onde resida o deficiente, com cópias dos documentos acima; Não ter pendências junto à Secretaria da Receita Federal relativas aos impostos federais, como por exemplo, Imposto de Renda. Importante: O veículo adquirido pelo deficiente, com isenção de IPI, só poderá ser vendido após três anos. Antes deste prazo é necessária a autorização do Delegado da Receita Federal e o imposto só não será devido se o veículo for vendido a outro deficiente físico.

13 Seguro de Vida Ao fazer um seguro de vida pode-se escolher fazer junto um seguro de invalidez permanente total ou parcial. Se o seguro que o doente tiver inclui a cobertura de invalidez permanente total ou parcial, uma vez tendo conseguido o Laudo médico oficial que ateste esta condição, deve-se acionar o seguro para recebêlo. Importante: As informações sobre os documentos necessários podem ser obtidas junto às seguradoras ou com o corretor que tiver feito o seguro. 11. Previdência Privada Se o doente possui um plano de Previdência Privada, que consta opção pela modalidade de RENDA POR INVALIDEZ PERMANENTE TOTAL OU PARCIAL, se ocorrer a invalidez permanente total ou parcial durante o período de cobertura e após cumprido o período de carência estabelecido no Plano, o doente terá direito a uma renda mensal. Importante: Ocorrendo a invalidez desde que constatada por laudo médico oficial, a Previdência deve começar a pagar a aposentadoria devida.

14 Fornecimento de Remédios pelo SUS Quem tem Direito? A Constituição Federal assegura a todos os cidadãos do direito à vida, sendo o direito à saúde conseqüência constitucional indissociável do direito à vida. O artigo 196 da Constituição determina: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visam à redução do risco de doença e de outros agravos ao acesso universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Como proceder? A Justiça tem determinado ao Estado através do SUS (Sistema Único de Saúde) que compre remédios para os doentes sem possibilidade financeira de adquiri-los; É necessário entrar com ação judicial (Mandado de Segurança); Pode ser solicitado um pedido para Liminar, o processo tende a andar rápido e, em mais ou menos 20 dias, o doente já pode obter o remédio, caso a Liminar seja concedida. Importante: O Supremo Tribunal Federal tem decidido reiteradamente que é obrigação do Estado, fornecer medicamentos aos pacientes carentes, que não possuam recursos para a aquisição dos medicamentos que necessitam. 13. Isenção de CPMF O que é? Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira. São todas as transações bancárias como transferências e aplicações. Quem tem Direito? Aposentados por invalidez causada pelo câncer. Como proceder? Ir à agência bancária onde tem conta e verifique no setor de atendimento qual o procedimento e os documentos necessários. Importante: O paciente estará isento da CPMF nas transações bancárias, inclusive ao sacar o saldo do FGTS e PIS/PASEP.

15 Cirurgia de Reconstrução Mamária Quem tem Direito? Toda mulher que teve uma ou ambas as mamas mutiladas ou amputadas, em decorrência da técnica do tratamento do câncer, quando recomendada pelo protocolo médico. Importante: Esta paciente pode realizar a cirurgia plástica reconstrutora da mama pelo SUS ou pelo seu convênio. 15. Legislação Doenças Graves Previstas em Leis Decreto Federal nº de 26/03/1999, artigo 39, inciso XXXIII Lei nº de 23/12/1992, artigo 47 Lei Federal nº de 26/12/1995, artigo 30, 2º Instrução Normativa SRF nº 15 de 06/02/2001, artigo 5º, inciso XXII Lei Federal nº de 24/07/1991, artigos 151 e 26, inciso II Medida Provisória nº de 24/08/2001, artigo 9º Fundo de Garantia por Tempo de Serviço Lei Federal nº de 25/07/1994 FGTS, artigo 1º Lei Federal nº de 11/05/1990 FGTS, artigo 20, incisos XIII e XIV Medida Provisória nº de 24/08/2001, artigo 9º Licença para Tratamento de Saúde Auxílio-Doença Constituição Federal, artigos 201 e Lei Federal nº de 24/07/1991, artigo 26, inciso II e artigo 151 Aposentadoria por Invalidez Constituição Federal, artigos 201 e seguintes Lei Federal nº de 24/07/1991, artigos 26,II e 151 Lei Federal nº de 08/05/2003, artigo 3º Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria ou Pensão Constituição Federal, artigos 5º e 150, II Lei Federal nº de 22/12/1988, artigo 6º, XIV e XXI Lei Federal nº de 23/12/1992, artigo 47 Lei Federal nº de 26/12/1995, artigo 30 Instrução Normativa SRF nº 15/01, artigo 5º, XII Decreto Federal nº de 26/03/1999, artigo 39, XXXIII PIS/PASEP Resolução 01/96 do Conselho Diretor do Fundo de Participação PIS/PASEP Compra de Carro com isenções de impostos (IPI, ICMS, IPVA)

16 16 Lei Federal nº de 23/09/1997 Código de Trânsito Brasileiro, artigos 140 e 147 4º Lei Federal nº de 12/02/2001 (IPI) Lei Federal nº de 16/06/2003 (IPI) artigos 2º, 3º, 4º e 5º Lei Federal nº , de 31/10/03, artigos 1º e 2º Instrução SRF nº 293 de 03/02/2003 Convênio nº 35 de 03/02/2003, do CONFAZ Resolução CONTRAN nº 734/89, artigo 56 Decreto do Estado de São Paulo nº de 30/11/2001 ICMS Portaria CAT Nº56/96 e CAT 106/97 Lei Federal nº de 30/12/1991 IOF artigo 72, IV Instrução Normativa SRF nº 442 de 12/08/2004 Fornecimento de Remédios pelo SUS Constituição Federal, artigos 5º inciso LXIX, 23 inciso II, 196 e 200 Constituição do Estado de São Paulo, artigos 219 a 231 Lei Federal nº de 30/12/1991 IOF artigo 72, IV Instrução Normativa SRF nº442 de 12/08/2004 Isenção de CPMF Lei nº de 24/10/1996 Cirurgia de Reconstituição Mamária Lei nº de 06/05/1999 Lei nº de 15/05/2001 Lei nº de 03/06/1998 A Legislação citada nesta cartilha pode ser encontrada no site

ÍNDICE. 1. Objetivos. 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença)

ÍNDICE. 1. Objetivos. 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença) ÍNDICE 1. Objetivos 3. Saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) 4. Licença para Tratamento de Saúde (Auxílio-Doença) 5. Aposentadoria por Invalidez 6. Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria

Leia mais

GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE

GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE GUIA DOS DIREITOS DO PACIENTE Direitos e Responsabilidades Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas duvidas, elaboramos este guia com as informações

Leia mais

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA Instrução Normativa SRF 15, de 6/2/2001 O que é? Os portadores de câncer (neoplasia maligna) estão isentos do Imposto de Renda relativo aos rendimentos de

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Saque do FGTS O trabalhador com câncer pode realizar o saque do FGTS na fase sintomática da doença, o trabalhador cadastrado no FGTS que tiver neoplasia maligna (câncer)

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Sumário Introdução...4 Nosso Serviço Social...7 Amparo Assistencial ao Idoso e ao Deficiente...7 Aposentadoria por Invalidez...9 Auxílio-Doença...9 Isenção de ICMS na Compra

Leia mais

Nutrição e Quimioterapia

Nutrição e Quimioterapia Cartilha de direitos do paciente com câncer Nutrindo a vida Desde ÍNDICE 1. A SAÚDE COMO DIREITO DE TODOS 2. ACESSO AOS DADOS MÉDICOS 3. DOCUMENTOS 4. DOENÇAS GRAVES PRESCRITAS EM LEIS 5. FUNDO DE GARANTIA

Leia mais

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA)

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) Recebi o diagnóstico de ELA e agora? Orientações básicas sobre direitos previdenciários Esta cartilha surgiu com a intenção de esclarecer dúvidas frequentes, quando

Leia mais

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho A. Aposentadoria por invalidez Decreto Federal nº 3.048, de 06 de maio de 1999 (Regulamento da Previdência Social), que regulamentou a Lei Federal nº 8.122, de 24 de julho de 1991 (Lei Orgânica da Seguridade

Leia mais

Elaboração: Divisão de Comunicação Social

Elaboração: Divisão de Comunicação Social Orientações aos pacientes MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Elaboração: Divisão de Comunicação Social Primeiro Semestre / 2004 nº 049 Agenda Anotações Importantes Apresentação Caro paciente,

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

LIVRETO CÂNCER: Lei, Direito e Cidadania.

LIVRETO CÂNCER: Lei, Direito e Cidadania. LIVRETO CÂNCER: Lei, Direito e Cidadania. 1 COMO USAR A LEI PARA BENEFICIAR PACIENTES E FAMILIARES. Yemeene Caliel de Oliveira Mendonça 2 A SAÚDE COMO DIREITO DE TODOS A Constituição Federal, a Lei maior

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO 1 CONCEITO O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa.

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa. PASEP Conceito O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público PASEP é um programa criado pelo Governo Federal em 1970 para propiciar aos servidores públicos civis e militares a participação na

Leia mais

DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER. Palestra CION/2014

DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER. Palestra CION/2014 DIREITOS DOS PACIENTES COM CÂNCER Palestra CION/2014 nagilasauaia@hotmail.com FGTS a) direito de levantar FGTS: 1) trabalhador com neoplasia maligna (câncer) e 2) qualquer trabalhador que tenha dependente

Leia mais

DIREITOS DO PACIENTE

DIREITOS DO PACIENTE DIREITOS DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre a rotina de atendimentos

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

7. Fonte de Recursos

7. Fonte de Recursos 7. Fonte de Recursos 7.1. FGTS - Fundo de Garantia por Tempo de Serviço Todos os trabalhadores regidos pela CLT (que tem Carteira Profissional assinada) a partir de 05/10/88, têm depositado o FGTS - Fundo

Leia mais

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Isenção do Imposto de Renda para Portadores De Doenças Graves. Marcelle Moreira Pizzo

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Isenção do Imposto de Renda para Portadores De Doenças Graves. Marcelle Moreira Pizzo Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro Isenção do Imposto de Renda para Portadores De Doenças Graves Marcelle Moreira Pizzo Rio de Janeiro 2014 MARCELLE MOREIRA PIZZO Isenção do Imposto de

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo INSS - DIRETORIA DE BENEFÍCIOS XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo Filomena Maria Bastos Gomes Coordenadora Geral de Benefícios por Incapacidade

Leia mais

Direitos Sociais da pessoa com câncer

Direitos Sociais da pessoa com câncer Direitos Sociais da pessoa com câncer SUMÁRIO 1. O Serviço Social...................... 04 2. Saque do FGTS....................... 06 3. Saque do PIS/PASEP..................... 07 4. Auxílio-doença......................

Leia mais

!"! # $% &" % " ) * &"!"! + % ), # % - "., "", (

!! # $% & %  ) * &!! + % ), # % - ., , ( !"! # $% &" % '( " ) * &"!"! + % ), *--% ( # % - "., "", ( Índice FGTS PIS ICMS IPVA DISPENSA DE RODIZIO DE AUTOMÓVEIS QUITAÇÃO DO FINANCIAMENTO DE IMÓVEL JUNTO À CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CPMF IMPOSTO DE

Leia mais

Informações sobre Aposentadoria

Informações sobre Aposentadoria MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral do Serviço Exterior Departamento do Serviço Exterior Informações sobre Aposentadoria Departamento do Serviço Exterior Divisão de Pagamentos Esplanada

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA ESTUDO LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA Sandra Cristina Filgueiras de Almeida Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO JUNHO/2003 Câmara dos Deputados

Leia mais

Processo nº 13854.720271/2014-90 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015

Processo nº 13854.720271/2014-90 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015 Processo nº 13854.720271/201490 Parecer SARAC/DRF/DOU/MS nº 31/2015 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM DOURADOS MS Seção de Arrecadação

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE SEGURIDADE SOCIAL SAÚDE PREVIDÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Definição de Seguridade Social É um conjunto de ações destinado

Leia mais

Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá)

Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá) Projeto de Lei N.º, de 2012 (do Sr. Arnaldo Faria de Sá) Altera o art. 186, da Lei 8.112/90 e o art. 151 da Lei 8.213/91 O Congresso Nacional decreta: Art. 1º - O 1º, do art. 186, da Lei 8.112/90, passa

Leia mais

Nossos agradecimentos à Dra. Mariinha, autora do texto.

Nossos agradecimentos à Dra. Mariinha, autora do texto. A SBOC - Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica tem como uma de suas constantes missões sociais o fornecimento de informações ao paciente oncológico. A legislação nacional garante aos portadores de

Leia mais

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André,

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André, PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DE SANTO ANDRÉ 26ª Subseção da Seção Judiciária do Estado de São Paulo Av. Pereira Barreto, nº 1.299, Paraíso Santo André SP CEP 09190-610 PORTARIA Nº 025/2009

Leia mais

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR A Lei n.º 11.053, de 29 de dezembro de 2004, trouxe

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 10 - Data 14 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: Imposto sobre a Renda de Pessoa Física - IRPF Os valores recebidos

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS

DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS DIREITOS DOS PORTADORES DE DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS A Constituição Brasileira de 1988 é a mãe de todas as leis, ou seja, é aquela que nunca poder ser desrespeitada por ninguém em nenhum caso. Todas as legislações

Leia mais

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE Ano Calendário/ 2010 Quer entender um pouco mais sobre este documento? Conheça as informações que devem constar em cada quadro

Leia mais

Cartilha Direitos do Paciente

Cartilha Direitos do Paciente Cartilha Direitos do Paciente MARIA CECÍLIA MAZZARIOL VOLPE FAÇA VALER OS SEUS DIREITOS ÍNDICE 1. AGRADECIMENTOS 2. INTRODUÇÃO 3. A SAÚDE COMO DIREITO DE TODOS 4. ACESSO AOS DADOS MÉDICOS 5. DOCUMENTOS

Leia mais

Guia de Direitos do Paciente Oncológico

Guia de Direitos do Paciente Oncológico Guia de Direitos do Paciente Oncológico 1 Apresentação Apesar de garantidos pela legislação brasileira, muitos pacientes com câncer e outras doenças incapacitantes simplesmente não utilizam ou desconhecem

Leia mais

Direitos sociais da pessoa com câncer. Orientações aos pacientes

Direitos sociais da pessoa com câncer. Orientações aos pacientes Direitos sociais da pessoa com câncer Orientações aos pacientes 2009 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 21.000 exemplares Criação,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários APRESENTAÇÃO DE ATESTADO À CHEFIA IMEDIATA As licenças

Leia mais

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos.

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. LEI Nº 0881/1998 Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. A Câmara Municipal de Vereadores aprovou, e eu, Jaime Guzzo, Prefeito de Dois Vizinhos, sanciono a seguinte,

Leia mais

Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social

Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social Gorete Pereira, a Deputada Federal do Social Informações sobre benefícios sociais garantidos por lei Gorete Pereira Deputada Federal Câmara dos Deputados Gorete Pereira Deputada Federal Informações sobre

Leia mais

CARTILHA DOS DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER

CARTILHA DOS DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER CARTILHA DOS DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER 1 CARTILHA DOS DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER ÍNDICE Capítulos: I FGTS (FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO) II PIS/PASEP III COMPRA DE VEÍCULOS ADAPTADOS

Leia mais

2 - DOENÇA ATESTADA - ORDEM DE PREFERÊNCIA

2 - DOENÇA ATESTADA - ORDEM DE PREFERÊNCIA 1 - FINALIDADE 2 - DOENÇA ATESTADA - ORDEM DE PREFERÊNCIA 2.1 - ORDEM DE PREFERÊNCIA - NÃO OBSERVÂNCIA EFEITO 2.2 - ORDEM DE PREFERÊNCIA - NÃO OBSERVÂNCIA - POSSIBILIDADE 3 - ATESTADO MÉDICO - FORNECIMENTO

Leia mais

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM MACAPÁ SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA - SAORT PROCESSO Nº PARECER x INTERESSADO CNPJ/CPF

Leia mais

MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA

MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA MANUAL DE TRIBUTAÇÃO DO PARTICIPANTE FAELBA Apresentação Este material tem o propósito de informar, orientar e instruir o participante no que tange à tributação dos benefícios de aposentadoria e resgates

Leia mais

www.cuiaba.mt.gov.br

www.cuiaba.mt.gov.br www.cuiaba.mt.gov.br COLABORADORES DA PERÍCIA MÉDICA SETOR MÉDICO: Dr. george salvador brito alves lima - assessor téc. em perícia médica dr. jaime pereira frank - assessor téc. em perícia médica SETOR

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

Batendo um papo. Você sabia que em nosso país existem hoje três grandes regimes previdenciários? São eles:

Batendo um papo. Você sabia que em nosso país existem hoje três grandes regimes previdenciários? São eles: Apresentação A cartilha é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Administração, aprovada pelo Conselho Curador do Fundo Municipal de Assistência e Previdência - Fumap. O objetivo da produção deste material

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Rio de Janeiro, outubro de 2012 Depois de tanto trabalho, enfim um tempo para organizar as coisas da vida... Por onde começar? Regularizando a papelada sucessão hereditária

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

GUIA DE DIREITOS DO PACIENTE

GUIA DE DIREITOS DO PACIENTE GUIA DE DIREITOS DO PACIENTE GUIA DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre

Leia mais

C Â N C E R. Maria Cecília Mazzariol Volpe. Entidade Camiliana F A Ç A V A L E R S E U S D I R E I T O S

C Â N C E R. Maria Cecília Mazzariol Volpe. Entidade Camiliana F A Ç A V A L E R S E U S D I R E I T O S C Â N C E R F A Ç A V A L E R S E U S D I R E I T O S Entidade Camiliana Maria Cecília Mazzariol Volpe Somos uma Instituição dedicada ao tratamento, prevenção e pesquisa sobre os diversos tipos de câncer.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IFC 02/2015, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA IFC 02/2015, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA IFC 02/2015, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre a regulamentação de critérios para fins de análise socioeconômica aos estudantes inscritos no Programa de Assistência Estudantil

Leia mais

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA *Juliana de Oliveira Xavier Ribeiro **Cibeli Espíndola dos Santos 1- Introdução O governo anunciou no final do mês de março um pacote de medidas, cujas principais

Leia mais

CARTILHA DOS PACIENTES

CARTILHA DOS PACIENTES CARTILHA DOS PACIENTES IMPRESSÃO: CNPJ: 68.070.432/0001-02 - CONTRATANTE: CNPJ.: 20.569.585/0001-72 (20.000 IMPRESSOS) Lutando pelos direitos dos pacientes 30 ANOS ATENDENDO PACIENTES DO SUS E HOSPITAL

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

Apresentação. O exercício dos direitos não cura, mais pode aliviar!

Apresentação. O exercício dos direitos não cura, mais pode aliviar! Apresentação Acredito que o choque de se saber portador de uma doença grave abala qualquer pessoa. Porém, posso garantir que, logo, logo, o choque tem que passar e as coisas práticas têm que ser pensadas

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Deve-se redigir ação declaratória, cumulada com ação de repetição de indébito, endereçada à justiça federal. Fundamento de mérito: art. 6.º, inciso XIV, da Lei n.º 7.713/1988, com a redação

Leia mais

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 7.4 AUXÍLIO-DOENÇA ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO,

Leia mais

direitos do portador de câncer

direitos do portador de câncer Os direitos do portador de câncer Cristina Stringari Pasqual Direitos do portador de câncer 2 Direitos do portador de câncer Os direitos do portador de câncer Cristina Stringari Pasqual Direitos do portador

Leia mais

EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015

EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015 EDITAL N.º 083/15 DE 24 DE ABRIL DE 2015 CHAMAMENTO PÚBLICO O Município de Não-Me-Toque, através da Secretaria Municipal de Habitação, em consonância com o Edital de Seleção Nº 001/2014, a Lei N.º 4.489/2014

Leia mais

Direitos dos Pacientes

Direitos dos Pacientes Direitos dos Pacientes A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e

Leia mais

SUMÁRIO. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3. SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6. SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág.

SUMÁRIO. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3. SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6. SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág. CONHECENDO SEUS DIREITOS Pág. 3 SAQUE DO FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO (FGTS) Pág. 6 SAQUE DAS COTAS DO PIS E PASEP Pág. 9 AUXÍLIO DOENÇA Pág. 11 APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Pág. 14 BENEFÍCIO

Leia mais

Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013

Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013 Centro Universitário Senac MANUAL PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS INCENTIVO ACADÊMICO 2º SEMESTRE 2013 1. O QUE É 1.1. O Programa de Bolsas de Estudo do Centro Universitário Senac, na modalidade Bolsa Incentivo

Leia mais

Subchefia de Assuntos Parlamentares SUPAR

Subchefia de Assuntos Parlamentares SUPAR Quadro Comparativo Medida Provisória nº 670, de 10 de março de 2015 Tabela do Imposto de Renda Publicada em 11 de março de 2015. LEGISLAÇÃO TEXTO DA MP TRECHO DA EM Nº 00045/2015 MF Altera a Lei nº 11.482,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DIRBEN. Corpo funcional: 39 mil servidores CGRD CAINTER DIRSAT SUP REGIONAL GEX APS

PRESIDÊNCIA DIRBEN. Corpo funcional: 39 mil servidores CGRD CAINTER DIRSAT SUP REGIONAL GEX APS ACORDO BRASIL/JAPÃO ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - INSS PRESIDÊNCIA DIRSAT DIRBEN DIRAT DGP DIROFL PFE AUDGER CORREG SUP REGIONAL CGAIS CGRD CGGPB GEX CAINTER APS Corpo funcional: 39 mil servidores ESTRUTURA

Leia mais

ACORDO BRASIL/JAPÃO 1

ACORDO BRASIL/JAPÃO 1 ACORDO BRASIL/JAPÃO 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - INSS PRESIDÊNCIA DIRSAT DIRBEN DIRAT DGP DIROFL PFE AUDGER CORREG SUP REGIONAL CGAIS CGRD CGGPB GEX CAINTER APS Corpo funcional: 39 mil servidores 2 ESTRUTURA

Leia mais

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS Professor Italo Romano DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). DICA 2 São 6 os segurados da Previdência Social (CADES F). DICA 3 Os beneficiários do sistema

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA DIREITO PREVIDÊNCIÁRIO JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS LINHARES-ES 2011 CÉLIA PANTALEÃO DE PAULA DIREITO

Leia mais

ISENÇÃO DE IMPOSTOS DEFICIENTES FÍSICOS OU PESSOAS COM DOENÇAS GRAVES

ISENÇÃO DE IMPOSTOS DEFICIENTES FÍSICOS OU PESSOAS COM DOENÇAS GRAVES ISENÇÃODEIMPOSTOSDEFICIENTESFÍSICOSOU PESSOASCOMDOENÇASGRAVES Em nosso país existem muitas garantias de direitos hoje em dia, mas os cidadãosnãoexigemessesdireitos.istoocorre,namaioriadasvezespelagrande

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE BOLSA SOCIAL. Data de Nascimento: / / Idade: anos Sexo: Masculino Feminino. Responsável Legal: CPF:

SOLICITAÇÃO DE BOLSA SOCIAL. Data de Nascimento: / / Idade: anos Sexo: Masculino Feminino. Responsável Legal: CPF: SOLICITAÇÃO DE BOLSA SOCIAL Protocolo de Solicitação: Beneficiário: Data de Nascimento: / / Idade: anos Sexo: Masculino Feminino Ensino: Infantil Nível: Médio: Ano Fundamental Ano Profissionalizante: Ano

Leia mais

Chat com a Dra. Andrea Dia 09 de outubro de 2014

Chat com a Dra. Andrea Dia 09 de outubro de 2014 Chat com a Dra. Andrea Dia 09 de outubro de 2014 Tema: Direitos do Paciente Total atingido de pessoas na sala: 28 usuários Limite permitido na sala: 40 usuários Duração: 1h30 (17h às 18h30) Perguntas respondidas:

Leia mais

PALAVRAS -CHAVE: auxílio-doença, incapacidade, trabalho.

PALAVRAS -CHAVE: auxílio-doença, incapacidade, trabalho. AUXÍLIO-DOENÇA Robson Seino Bier dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem como objeto a análise o benefício previdenciário Auxílio- Doença. Discorre sobre o seu conceito, as suas características e à comprovação

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Direitos sociais da pessoa com câncer

Direitos sociais da pessoa com câncer Direitos sociais da pessoa com câncer Orientações aos pacientes 3ª Edição 2006 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva / Ministério da Saúde Todos os direitos reservados. É permitida a

Leia mais

Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte:

Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte: Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte: Observação: Como exemplo, será utilizado o Demonstrativo de Pagamento fictício apresentado abaixo, cuja competência é de junho de

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

Faculdade Luterana de Teologia FLT. Entidade Mantenedora: UNIÃO CRISTÃ Associação Social e Educacional PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DE ESTUDO 01/2016

Faculdade Luterana de Teologia FLT. Entidade Mantenedora: UNIÃO CRISTÃ Associação Social e Educacional PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DE ESTUDO 01/2016 Faculdade Luterana de Teologia FLT 1 Entidade Mantenedora: UNIÃO CRISTÃ Associação Social e Educacional PROCESSO SELETIVO DE BOLSAS DE ESTUDO 01/2016 REQUERIMENTO DE BOLSA DE ESTUDO Eu..., CPF... RG...,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005)

PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 5.258, DE 2005 (Apenso o Projeto de Lei nº 5.365, de 2005) Acrescenta incisos ao 8º do art. 6º da Lei nº 10.999, de 15 de dezembro de 2004, para

Leia mais

Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1

Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1 Cartilha Direitos do Paciente com Câncer 1 Conheça seus direitos Enfrentar um câncer é uma batalha e tanto, mas em momentos difíceis é preciso manter a calma e procurar os melhores caminhos. Além das preocupações

Leia mais

Acordo Brasil/Japão Instituto Nacional do Seguro Social 2

Acordo Brasil/Japão Instituto Nacional do Seguro Social 2 ACORDO 2 Acordo Brasil/Japão Instituto Nacional do Seguro Social Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro da Previdência Social Garibaldi Alves Filho Presidente do Instituto Nacional do Seguro Social

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel.

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de IPI As pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, ainda

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

Introdução ------------------------------------------------------------ 04. A questão da Saúde no Brasil ----------------- -------------------- 05

Introdução ------------------------------------------------------------ 04. A questão da Saúde no Brasil ----------------- -------------------- 05 Introdução ------------------------------------------------------------ 04 Centro Universitário Vila Velha - UVV Reitor: Manoel Ceciliano Salles de Almeida Vice-Reitoria: Luciana Dantas da Silva Pinheiro

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA INVALIDEZ PERMANENTE LIVRO II

MANUAL DE APOSENTADORIA INVALIDEZ PERMANENTE LIVRO II ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIRETORIA DE PREVIDÊNCIA GERÊNCIA DE

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MPR-008/SGP Revisão 00 Assunto: Aprovada por: LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE E LICENÇA POR MOTIVO DE DOENÇA EM PESSOA DA FAMÍLIA Portaria nº 2531, de 19 de novembro de 2012,

Leia mais

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade Desde o dia 02/03/2015 iniciamos o período de entrega da declaração de imposto de renda pessoa física de 2015 com base nos fatos ocorridos no ano de 2014, a declaração poderá ser transmitida até o dia

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 663, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 663, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 663, DE 2011 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, que dispõe sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, e dá outras

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

Prof. Alexsandro C Cruz Direito Previdenciário

Prof. Alexsandro C Cruz Direito Previdenciário Prof. Alexsandro C Cruz Direito Previdenciário BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Resumo para Prova AFRF 1. Beneficiários Segurados Obrigatórios Facultativos Empregado Empregado Doméstico Trabalhador Avulso Segurado

Leia mais

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INDICE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> INTRODUÇAO... OBRIGATORIEDADE... NOVAS REGRAS... DESPESAS DEDUTIVEIS... DECLARAÇÃO DE BENS E DÍVIDAS... DOENÇA GRAVE... PRAZO

Leia mais

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 Art. 5 o Os órgãos da administração pública direta, indireta e fundacional, as empresas prestadoras de serviços públicos e as instituições financeiras deverão

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015 ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/215 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/215 1. Na Lei n.º 8.213/1991 foi alterada a definição dos dependentes da 3.ª Classe: Art. 16. São beneficiários do Regime

Leia mais

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI AUXÍLIO-DOENÇA Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI Lei nº. 8.213/91, art. 59 à 63 e RPS, art. 71 à 80. Contingência: incapacidade temporária do segurado para o seu trabalho habitual. Porém, somente será

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

Auxílio doença: período de carência e as distorções do benefício refletidas no Direito do Trabalho

Auxílio doença: período de carência e as distorções do benefício refletidas no Direito do Trabalho Este texto foi publicado no site Jus Navigandi no endereço http://jus.com.b r/artigos/17634 Para ver outras publicações como esta, acesse http://jus.com.b r Auxílio doença: período de carência e as distorções

Leia mais