Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes."

Transcrição

1 CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA. Quem tem direito? Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. Quem são os segurados? Os que exercem ou exerceram atividade remunerada, com ou sem vínculo empregatício, de natureza urbana ou rural. Também é filiado àquele que se filia facultativamente à Previdência Social. Quem são os dependentes? 1 / 14

2 Pela legislação: o cônjuge; a companheira; o companheiro e o filho não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 anos e inválido. Na falta destes, são aceitos como dependentes os pais ou irmãos até 21 anos, ou inválido que comprovem dependência econômica. A dependência econômica de companheiros, cônjuges e filhos é presumida. Nos demais casos deve ser comprovada, inclusive no caso da união estável. Das relações homoafetivas geram dependentes? Sim. A partir da ação civil pública ficou assegurado o direito à pensão por morte ou auxílio-reclusão aos dependentes das comprovadas relações homoafetivas. O que é o Benefício Previdenciário? É uma importância em dinheiro que a Previdência Social paga aos seus segurados ou dependentes, afim de garantir renda familiar, sob a forma de aposentadoria, auxílio, pensão, salário-maternidade ou salário-família. O que é Carência? É o tempo mínimo de contribuição que o trabalhador precisa comprovar para ter direito a um benefício previdenciário. A carência varia conforme a espécie do benefício. Por exemplo, para ter direito ao benefício auxílio doença é necessário ter 12 contribuições sem interrupção; para ter direito a aposentadoria por tempo de contribuição, e por idade vai ser levado em consideração o ano em que o segurado implementar todas as condições. Àqueles inscritos a 2 / 14

3 partir de 24/07/1991 é necessário ter 180 contribuições. O que é qualidade de segurado? É a condição necessária para que o segurado ou seus dependentes possam usufruir dos benefícios da Previdência Social. O que é o Período de Graça? É o tempo pelo qual o segurado deixou de contribuir para a Previdência Social e mantém a qualidade de segurado, podendo fazer jus aos seus benefícios. Via de regra, este período é de 12 meses podendo ser estendido para 24 ou 36 meses em caso de desemprego e no caso do segurado ter mais de 120 contribuições para a Previdência. Quem são os segurados obrigatórios? São todos os trabalhadores urbanos e rurais que exercem atividades remuneradas a partir dos 16 anos de idade. São eles: empregados com carteira assinada, domésticos, trabalhadores avulsos, contribuintes individuais (empresários e autônomos) e segurados especiais: trabalhadores rurais ou pescadores artesanais em regime de economia familiar de subsistência. Quem são os segurados facultativos? É aquele que não preenche nenhum dos requisitos mas facultativamente contribui para a Previdência Social e desta forma usufrui de seus benefícios, são eles: dona de casa, estudante, desempregado, etc. 3 / 14

4 Qual o valor a ser contribuído? É o valor pago a previdência para garantir a sua qualidade de segurado. Para os empregados, parte da contribuição é paga pelo empregador e outra descontada da folha de pagamento. A contribuição dos empregados e dos trabalhadores avulsos varia entre 8, 9 e 11%, dependendo do salário recebido. Quem trabalha como autônomo ou contribui facultativamente deverá fazer o recolhimento por conta própria, equivalente a 20% do valor com o qual deseja contribuir entre o salário mínimo e o teto da Previdência Social. Existe contribuição inferior a 20% do salário mínimo? Sim. Para os contribuintes individuais e o segurado facultativo integrantes do SEIPrevnão detentores de direito à aposentadoria por tempo de contribuição, que contribuirão à Previdência Social com alíquota reduzida sobre a menor base de cálculo (de 11% de 1 salário-mínimo). Esses segurados não possuem direito a auxílio-acidente, salário-família e aposentadoria especial. A adesão ao SEIPrev redunda na aceitação de receber benefício de valor igual a 1 salário-mínimo. O SEIPrev inovou em uma alíquota ainda mais reduzida em prol do microempreendedor individual (MEI) e do segurado facultativo sem renda própria que se dedique exclusivamente ao trabalho doméstico no âmbito de sua residência, desde que pertencente a família de baixa renda. Este dispositivo acrescentou aos participantes do SEIPrev, a nova alíquota de 5% (cinco por cento) a incidir sobre 1 salário-mínimo. Importante observar que para ter direito a contribuir na alíquota reduzida é necessário ser 4 / 14

5 cadastrado nos Programas Sociais do Governo (CadUnico), cuja renda mensal seja de até 2 (dois) salários-mínimos. O que é Salário de Contribuição? Para os segurados obrigatórios é o valor de sua renda mensal ou salário e para o segurado facultativo é o valor por ele declarado. Em ambos os casos o valor não pode ser inferior ao mínimo e nem ultrapassar o limite máximo. O que é Salário de Benefício? É o valor utilizado para definir a renda mensal dos benefícios previdenciários e de acidente de trabalho, com exceção do salário-família e salário-maternidade. O salário de benefício será calculado tomando-se por base os salários de contribuição a partir de julho de 1994 até o mês anterior à data do benefício ou do afastamento do trabalho. O que é o Fator Previdenciário? É um elemento de cálculo que considera a idade, a expectativa de vida e o tempo de contribuição do segurado na data da aposentadoria. Quanto mais jovem for o segurado e menor o seu tempo de contribuição, pior será o fator previdenciário, ou seja, mais ele deverá baixar o valor da aposentadoria. O fator previdenciário é aplicado obrigatoriamente nas aposentadorias por tempo de contribuição e voluntariamente nos casos de aposentadoria por idade. Os demais benefícios não tem fator previdenciário no cálculo. TIPOS DE BENEFÍCIOS Benefício é o valor pago mensalmente pela Previdência Social aos seus segurados ou aos seus dependentes, sob a forma de aposentadoria, pensão, auxílio, salário-maternidade ou salário-família. 5 / 14

6 APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO Anteriormente denominado como tempo de serviço, este benefício é pago para as mulheres com 30 anos de contribuição e 35 aos homens. Ao contrário dos que muito pensam não é necessário idade mínima para aposentadoria por tempo de contribuição. Para os filiados à Previdência Social antes de 16 de dezembro de 1998 (EC 20/98), ficou mantido o direito a aposentadoria proporcional. Nesses casos há exigência de idade mínima de 48 para as mulheres e 53 para os homens. A aposentadoria proporcional poderia ser obtida aos 25 anos de contribuição para mulher e aos 30 para os homens. Entretanto com a EC 20/98, além da idade mínima, o segurado terá de cumprir um tempo de contribuição adicional, que ficou conhecido como pedágio, correspondendo a 40% do tempo que faltava em 16/12/1998 para completar os requisitos para aposentadoria proporcional. APOSENTADORIA ESPECIAL É o benefício concedido aos segurados que desenvolvem atividade profissional em condições especiais, ou seja, que prejudique a saúde ou a integridade física. O tempo mínimo de contribuição deve ser 15, 20 ou 25 anos, conforme a atividade desempenhada. Para a concessão deste benefício, é necessário que o segurado prove junto a Previdência Social o tempo de trabalho em condições especiais e sua exposição aos agentes nocivos de forma permanente. Hoje essa comprovação se faz através do Laudo PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário), baseando-se em LTCAT (Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho). O valor do benefício consistirá numa renda mensal de 100% de benefício do segurado, sem aplicação do fator previdenciário. APOSENTADORIA POR IDADE É o benefício pago aos trabalhadores urbanos que cumprida a carência, completam 60 anos se mulher e 65 se homem e aos trabalhadores rurais 60 se homem e 55 se mulher. A carência a ser cumprida aos inscritos após 25/07/1991 é 180 contribuições. A Renda Mensal Inicial da Aposentadoria por Idade é 70% do salário-de-benefício, somando a esse valor 1% a cada 12 6 / 14

7 contribuições, podendo chegar a 100%. AUXÍLIO DOENÇA Quem tem direito? O segurado empregado que ficar incapacitado para o trabalho por mais de 15 dias consecutivos, observada a carência, quando for o caso; Os segurados, empregado doméstico, trabalhador avulso, contribuinte individual, especial e facultativo que ficarem incapacitados para suas atividades habituais, observada a carência, quando for o caso. Qual é a carência exigida? Doze contribuições mensais; Sem exigência de carência, quando a doença resultar de acidente de qualquer natureza ou causa, ou, ainda, quando o segurado, após a filiação à Previdência Social, contrair alguma das doenças de lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e da Previdência e Assistência Social; Sem exigência de contribuições para os segurados especiais, desde que comprovem o exercício de atividade rural no período de doze meses imediatamente anteriores à data de início da incapacidade. Se o segurado, ao se inscrever na Previdência Social, tiver alguma doença ou lesão, terá direito ao auxílio-doença em decorrência dessa doença ou lesão? 7 / 14

8 Não. Entretanto, se houver agravamento dessa doença ou lesão em decorrência do trabalho realizado, o segurado terá direito ao auxílio-doença. De quem é a responsabilidade pelo pagamento do salário relativo aos primeiros 15 dias consecutivos de afastamento do segurado empregado por motivo de doença? Da empresa. Além disso, se a mesma tiver serviço médico próprio ou em convênio, também se obriga a realizar o exame médico e o abono das faltas correspondentes aos primeiros 15 dias. A partir de quando é devido o auxílio-doença? A contar do 16º dia do afastamento da atividade, para o segurado empregado, exceto o doméstico; A contar da data de início da incapacidade, para os demais segurados; A contar da data de entrada do requerimento, quando requerido após o 30º dia do afastamento da atividade, para todos os segurados. Quando cessa ou encerra o auxílio-doença? Quando o segurado recupera a qualidade para o trabalho; Não recuperando a capacidade para o trabalho, o auxílio-doença é transformado em aposentadoria por invalidez; 8 / 14

9 Ficando alguma sequela decorrente de acidente de qualquer natureza ou causa, que reduza a capacidade para o trabalho que o segurado exercia habitualmente, o auxílio-doença é transformado em auxílio-acidente. Esta hipótese somente se aplica ao segurado empregado, exceto o doméstico, ao trabalhador avulso, ao segurado especial e ao médico residente. Quais os documentos exigidos para o auxílio-doença? Documento de identificação (carteira de identidade, carteira de trabalho ou outro qualquer); Procuração se for o caso; Cadastro de pessoa física (CPF); PIS/PASEP; Requerimento de benefício por incapacidade, preenchido pela empresa, com as informações referentes ao afastamento do trabalho e de dependentes para fins de salário família, somente para empregado. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Benefício devido ao segurado que, comprovadamente esteja incapacitado permanentemente para seu trabalho habitual ou qualquer outro que lhe garanta a subsistência, seja por motivo de doença ou acidente. Para alcançar tal benefício é necessário passar por uma perícia para atestar a incapacidade total e permanente. Geralmente é concedido primeiramente o auxílio-doença para posterior ente ser convertido em aposentadoria por invalidez. 9 / 14

10 O valor da aposentadoria por invalidez corresponde a 100% do salário de benefício e poderá ser acrescido de 25% se o segurado necessitar de ajuda permanente de terceiro, mesmo que o benefício atinja o teto estabelecido pela Previdência Social. AUXÍLIO-ACIDENTE É o benefício concedido ao segurado que tenha sofrido acidente de qualquer natureza e cujas lesões deixem sequelas que impliquem na redução da capacidade laborativa. Trata-se de uma incapacidade parcial e permanente. O valor do benefício corresponde a 50% do salário de benefício e será devido da data de cessação do auxílio-doença, até a concessão da aposentadoria por invalidez quando então o auxílio-acidente cessará. PENSÃO POR MORTE É o benefício pago aos dependentes do segurado por conta do seu falecimento. Tem direito a esse benefício: -o(a) cônjuge; o companheiro(a); o filho(a) não emancipado e menor de 21 anos ou inválido de qualquer idade; - pai ou mãe; irmão menor de 21 anos ou incapaz para o trabalho de qualquer idade. Havendo dependentes do item anterior, os deste item não terão direito. AUXÍLIO RECLUSÃO É o benefício pago aos dependentes do segurado recolhido à prisão e que não esteja 10 / 14

11 recebendo remuneração da empresa em que trabalha e nem esteja em gozo de auxílio-doença, aposentadoria de qualquer espécie. Este benefício corresponde a uma renda de 100% do salário de benefício do segurado reclusoe é concedido nos mesmos moldes da pensão por morte, com a ressalva que esse benefício é exclusivo àqueles que tem baixa renda, hoje no valor de R$915,05. Após a concessão os dependentes devem comparecer de 3 em 3 meses à Previdência Social para comprovar que o segurado continua detento. Em caso de fuga o benefício será suspenso, também será suspenso em caso de liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou extinção da pena. Em caso de morte, será convertido em pensão por morte. SALÁRIO MATERNIDADE Benefício concedido a todas as seguradas da Previdência Social por ocasião do parto ou de adoção de menor até 8 anos de idade. Em regra é pago pelo período de 120 dias, mas poderá ser prorrogado por duas semanas se houver necessidade de repouso a segurada. O benefício foi estendido às mães adotivas. A segurada que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção tem direito ao salário maternidade de 120 dias, se a criança tiver até uma ano de idade, 60 dias se a criança tiver de 1 a 4 anos de idade e 30 dias se a criança tiver de 4 a 8 anos de idade. Para as empregadas com carteira assinada, as domésticas e as avulsas não há carência para o gozo do benefício, já para as contribuintes individuais a carência é de 10 meses de contribuição. No caso das seguradas especiais a carência também é de 10 meses de efetivo trabalho em regime de economia familiar. 11 / 14

12 O pagamento do salário maternidade para as empregadas com carteira assinada é feito pela própria empresa empregadora e serão ressarcidas pela Previdência Social. As demais mães devem solicitar o benefício diretamente nas agências da Previdência Social. O valor do benefício é de um salário para as seguradas especiais, pela média das 12 últimas contribuições para a contribuinte individual e segurados em período de graça e no valor da remuneração para a trabalhadora avulsa, mesmo que superior ao teto da Previdência. SALÁRIO FAMÍLIA Tem direito ao salário família o empregado, exceto o doméstico e o trabalhador avulso, no valor de R$31,22 para os filhos de até 14 anos de idade ou inválidos, contando que o salário seja igual ou menor R$608,80 e de R$608,80 à R$915,05 o valor do salário família é de R$22,00 por filho. O salário família é atualizado de tempos em tempos o acima foi firmado pela portaria interministerial 02 de 06 de janeiro de O benefício não dá direito ao 13º salário, e se o pai e mãe tiverem na faixa salarial indicada os dois fazem jus ao benefício. AMPARO ASSISTENCIAL AO IDOSO E AO DEFICIENTE LOAS O valor deste benefício é de um salário mínimo e apesar de ser concedido pelo INSS não é benefício previdenciário e sim Assistencial. Faz jus ao benefício os idosos a partir dos 65 anos de idade que não exerçam atividade remunerada e aos portadores de deficiência, incapacitados para o trabalho e para a vida independente que tenham renda familiar per capita ¼ (um quarto) de salário mínimo. A comprovação da deficiência se fará pela perícia médica do INSS e a idade pela comprovação de documentos. 12 / 14

13 O benefício assistencial não dá direito a gratificação natalina, nem gera direito a pensão. O benefício assistencial concedido a um idoso não integra o cálculo da renda familiar per capita menor que ¼ (um quarto) de salário mínimo. O amparo deixará de ser pago quando houver recuperação da capacidade para o trabalho ou ainda com o falecimento do beneficiário. COMO FAÇO PARA SER FILIADO À PREVIDÊNCIA SOCIAL? Qualquer cidadão maior de 16 anos de idade pode ser filiado à Previdência Social. Em caso de empregado a filiação é automática, no momento da formalização do contrato na Carteira de Trabalho e Previdência Social. Para os demais podem se filiar como contribuinte individual ou facultativo, para tanto é necessário dirigir-se a uma agência da Previdência Social ou pelo endereço eletrônico, através do site: e fazer o NIT número de inscrição do trabalhador. É necessário apresentar os seguintes documentos: Carteira de Identidade ou Certidão de Nascimento/Casamento ou Carteira de Trabalho e CPF. Após sua filiação, basta dar início às contribuições para ter direito aos benefícios da Previdência Social. COMO FAÇO PARA REQUERER OS BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL? 13 / 14

14 Para facilitar a Previdência Social criou o agendamento, este pode ser feito pelo telefone 135 ou pelo site Após o agendamento é necessário comparecer no horário agendado com os documentos exigidos conforme o benefício requerido à agência escolhida. Uma vez concedido o benefício o mesmo será deferido desde a data do agendamento. Importante salientar que a Previdência Social tem abrangência nacional e o segurado pode ser atendido em qualquer Agência do Brasil, podendo solicitar informações, requerer benefícios, realizar perícias ou qualquer outro serviço prestado pela Previdência Social. Esta Cartilha foi organizada pela Comissão de Direito Previdenciário da 15ª Subseção da OAB de Balneário Camboriú/SC Gestão 2010/ com o propósito de levar informação útil aos leitores. 14 / 14

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social CÂMARA DOS DEPUTADOS GUIA DO SEGURADO da Previdência Social Conheça os direitos do seu seguro social. ANTONIO BULHÕES Deputado Federal PRB/SP BRASÍLIA Abril/2009 GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário 2º Encontro Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários do RGPS Requisitos para a concessão de benefícios previdenciários 1) Requisitos Genéricos a) Adquirir

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDO E DEFESA DAS RELAÇÕES DE CONSUMO CARTILHA DA PREVIDÊNCIA EDIÇÃO ESPECIAL: Aposentadoria do INSS Tudo que o Trabalhador e o Aposentado precisa saber sobre seus direitos junto

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Categorias de Segurados

Categorias de Segurados INSTITUTO NACIONAL DA SEGURALIDADE SOCIAL - INSS A Previdência Social é o seguro social para a pessoa que contribui. É uma instituição pública que tem como objetivo reconhecer e conceder direitos aos seus

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

19/02/2015. Auxílio Doença

19/02/2015. Auxílio Doença Lei 8213/91 (alterada pela MP 664) Auxílio Doença Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para seu trabalho ou sua atividade habitual, desde que cumprido, quando for o

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia

PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia 50 PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia Joinville SC, 2009 Elaboração: Prof. Airton Nagel Zanghelini 1 PREVIDÊNCIA: O QUE É ISSO?

Leia mais

Previdência Social sob a forma de Regime Geral

Previdência Social sob a forma de Regime Geral Previdência Social sob a forma de Regime Geral Estrutura do Sistema Previdenciário no Brasil Regime Geral de Previdência Social (RGPS) Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); Obrigatório,

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015 ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/215 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/215 1. Na Lei n.º 8.213/1991 foi alterada a definição dos dependentes da 3.ª Classe: Art. 16. São beneficiários do Regime

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL 55 No Brasil, há benefícios devidos ao segurado e àqueles que dependem do segurado. Para ter direito aos benefícios, é preciso estar inscrito no INSS e manter suas contribuições em dia. Na maior parte

Leia mais

Realização. Idealização. Coordenação. Redação. Colaboração. Revisão e edição

Realização. Idealização. Coordenação. Redação. Colaboração. Revisão e edição Realização Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania Idealização Lúcia Helena Bibiano de Melo Coordenação Mauro Rogério Bittencourt Redação Lúcia Helena Bibiano de Melo Colaboração Rosana Amaral

Leia mais

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 8 FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL As fontes do Direito da Seguridade Social podem ser material e formal. As fontes formais são as formas

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

Ministério da Previdência Social - MPS Gabinete do Ministro - GM Assessoria de Comunicação Social - ACS Secretaria de Previdência Social - SPS Coordenação-Geral de Legislação e Normas - CGLN Previdência

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

www.adrianamenezes.com.br www.facebook.com/profadrianamenezes DICAS DE OUTUBRO / 2014

www.adrianamenezes.com.br www.facebook.com/profadrianamenezes DICAS DE OUTUBRO / 2014 DICAS DE OUTUBRO / 2014 DICA 01 É de dez anos o prazo de decadência de todo e qualquer direito ou ação do segurado ou beneficiário para a revisão do ato de concessão de benefício, a contar do dia primeiro

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social. 2 edição

Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social. 2 edição Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social a 2 edição Ministério da Previdência e Assistência Social MPAS Secretaria Executiva SE Secretaria de Previdência Social SPS Assessoria de Comunicação

Leia mais

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS Professor Italo Romano DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). DICA 2 São 6 os segurados da Previdência Social (CADES F). DICA 3 Os beneficiários do sistema

Leia mais

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário.

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. 1) Cálculo de Benefícios - Continuação 1.1) Aposentadoria por tempo de contribuição Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. Fator Previdenciário

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

1. Segurados do Regime Geral continuação:

1. Segurados do Regime Geral continuação: 1 DIREITO PREVIDENCIÁRIO PONTO 1: Segurados do Regime Geral continuação PONTO 2: Alíquotas de Contribuição dos Segurados Obrigatórios PONTO 3: Requisitos para Concessão do Beneficio PONTO 4: Dependentes

Leia mais

A Previdência Social oferece:

A Previdência Social oferece: POPULAÇÃO BRASILEIRA Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas sticas de 2010, a população brasileira era de 191 milhões de habitantes, sendo o 5º 5 País s mais populoso do mundo (china,

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária Todo(a) brasileiro(a), a partir de 16 anos de idade, pode filiar-se à Previdência Social e pagar mensalmente a contribuição para assegurar os seus direitos e a proteção à sua família. Vejamos com isso

Leia mais

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição?

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição? Aposentadoria por Tempo de Contribuição Quem tem direito? Para ter direito à aposentadoria integral o trabalhador homem deve comprovar pelo menos 35 anos de contribuição e a trabalhadora mulher, 30 anos.

Leia mais

Guia do Trabalhador. Previdência Social. Saiba como utilizar o seu seguro social

Guia do Trabalhador. Previdência Social. Saiba como utilizar o seu seguro social PREVMóvel e PREVBarco Unidades móveis de atendimento que percorrem as regiões que não possuem agências da Previdência Social. As visitas dessas unidades são agendadas pela Gerência Executiva do INSS da

Leia mais

Francisco Luiz de Andrade Bordaz Advogado. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho.

Francisco Luiz de Andrade Bordaz Advogado. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho. Att. Consulta Formulada. Quesitos: 1) Quais são os direitos que os cooperados e seus dependentes, como segurados da Previdência Social, possuem?

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

Guia do Trabalhador. Previdência Social. Saiba como utilizar o seu seguro social

Guia do Trabalhador. Previdência Social. Saiba como utilizar o seu seguro social MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS Gabinete do Ministro GM Assessoria de Comunicação Social ACS Previdência Social Guia do Trabalhador Saiba como utilizar o seu seguro social Brasília DF Maio/2003 Ministério

Leia mais

INFORMATIVO PREVIQUAM.

INFORMATIVO PREVIQUAM. INFORMATIVO PREVIQUAM. INSTITUIDO PELA LEI Nº. 480 DE 24/03/1994 O QUE É PREVIQUAM? É uma autarquia com personalidade jurídica própria que destina-se a assegurar aos Servidores públicos Municipais de São

Leia mais

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS A Proteção Social no Brasil Seguridade Social ART. 194 da CRFB/88 A SEGURIDADE SOCIAL COMPREENDE UM CONJUNTO INTEGRADO DE AÇÕES DE INICIATIVA DOS PODERES PÚBLICOS

Leia mais

Curso Plano de Benefícios da Previdência Social. Prof. Roberto de Carvalho Santos

Curso Plano de Benefícios da Previdência Social. Prof. Roberto de Carvalho Santos Curso Plano de Benefícios da Previdência Social Prof. Roberto de Carvalho Santos FILIAÇÃO/INSCRIÇAO DO BENEFICIÁRIO AO RGPS 2 FILIAÇÃO DO SEGURADO Afiliaçãoéovínculoqueseestabelece entre pessoas que contribuem

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

20 QUESTÕES DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO elaboradas e COMENTADAS PELA PROFESSORA KARINA JAQUES, da Academia do Concurso - Inspiradas na banca FCC

20 QUESTÕES DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO elaboradas e COMENTADAS PELA PROFESSORA KARINA JAQUES, da Academia do Concurso - Inspiradas na banca FCC 20 QUESTÕES DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO elaboradas e COMENTADAS PELA PROFESSORA KARINA JAQUES, da Academia do Concurso - Inspiradas na banca FCC 01. Dentre as proposições que se seguem, assinale a correta:

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Passo Fundo - RS 2010 Serviços e Seguridade Social Registro Civil Endereço: Morom, 1120 Centro Horário: 9h às 17h sem fechar ao meio-dia Telefone:

Leia mais

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2015. CIRCULAR 01/2015 JURÍDICO PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Publicadas no Diário Oficial da União de 30/12/2014,

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Cuida o presente trabalho de parecer cujo objeto consiste na análise da situação jurídico-previdenciária do consulente com o objetivo de lhe

Leia mais

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Profª. Msc. Iza Amélia de C. Albuquerque Outubro/2015 AUXÍLIO-DOENÇA Carência 12 contribuições. Evento - incapacidade para o seu trabalho ou para a sua atividade

Leia mais

Carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o segurado tenha direito aos benefícios do INSS.

Carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o segurado tenha direito aos benefícios do INSS. Apresentação A Cartilha das Aposentadorias tem o objetivo de ajudar os segurados a compreender os direitos e as regras previstas nas leis que regem as APOSENTADORIAS do Regime Geral de Previdência Social-INSS.

Leia mais

1/7. Prof. Wilson Roberto

1/7. Prof. Wilson Roberto 1/7 5. Contrato individual de trabalho: Contribuição Sindical, INSS, Salário-família, IRRF trabalho assalariado, PIS/PASEP, e CAGED Contribuição Sindical A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Cenário Aumentou o emprego e a formalização: 15,5 milhões no setor privado de 2003 a 2013 Base de segurados da previdência aumentou em 30 milhões

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários Requisitos específicos g) Aposentadoria por idade Art. 48 da Lei 8.213/91: A aposentadoria por idade será devida

Leia mais

CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 1. Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com.

CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 1. Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com. CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 1 Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com.br Institutos Período básico de cálculo BPC Salário-de-contribuição SC

Leia mais

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda.

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda. SALÁRIO-FAMÍLIA - Considerações Gerais Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 07/05/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Salário-Família 3 - Beneficiários 3.1 - Filho - Equiparação 3.2 - Verificação

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário Benefícios Previdenciários em Espécie Benefícios a serem estudados no dia: 1) Benefícios decorrentes de sinistros: a) Auxílio-doença b) Auxílio-acidente c) Aposentadoria

Leia mais

www.unifeb.edu.br PROJETO CUIDA DIREITO do Idoso

www.unifeb.edu.br PROJETO CUIDA DIREITO do Idoso www.unifeb.edu.br Cartilha do Idoso APRESENTAÇÃO OS DIREITOS DOS IDOSOS NO MUNICÍPIO DE BARRETOS ASSISTÊNCIA SOCIAL PENSÃO ALIMENTÍCIA PLANO DE SAÚDE PREVIDÊNCIA SOCIAL INFORMAÇÕES ÚTEIS APRESENTAÇÃO Essa

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 665, de 30 de dezembro de 2014

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 665, de 30 de dezembro de 2014 Quadro comparativo da 1 Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990 Art. 3º Terá direito à percepção do segurodesemprego o trabalhador dispensado sem justa causa que comprove: I - ter recebido salários de pessoa

Leia mais

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015 DIÁLOGOS SOCIAIS Resumo das regras das Leis nºs 13.135/2015 (MP nº 664/2014) e 13.134/2015 (MP nº 665/2014) relativas ao Ministério da Previdência Social Junho de 2015 Diálogos Sociais I. Benefícios Relacionados

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

SEGURADO FACULTATIVO - Contribuição à Previdência Social - Novas Regras

SEGURADO FACULTATIVO - Contribuição à Previdência Social - Novas Regras SEGURADO FACULTATIVO - Contribuição à Previdência Social - Novas Regras Matéria atualizada com base na legislação vigente em 07/10/2011. Sumário 1 - Introdução 2 - Segurado Facultativo 2.1 - Filiação 2.1.1

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA APRESENTAÇÃO A equipe do Instituto de Previdência Municipal de São Gonçalo do Amarante - IPREV apresenta a

Leia mais

2 Lei 13.134/2015. 2.3 Alterações no Abono Salarial: 2.3.1 Quanto ao período de tempo e valor

2 Lei 13.134/2015. 2.3 Alterações no Abono Salarial: 2.3.1 Quanto ao período de tempo e valor 2 Lei 13.134/2015 2.2 Conteúdo da Lei 13.134/2015: Altera as Leis no 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa do Seguro-Desemprego e o Abono Salarial e institui o Fundo de Amparo ao Trabalhador

Leia mais

Aposentadoria: quem tem direito?

Aposentadoria: quem tem direito? Aposentadoria: quem tem direito? M uitas dúvidas dos diretores regionais do SINTEA/PR referente à aposentadoria e ao tempo de aprendizado profissional foram sanadas durante o 35º Encontro Estadual de Técnicos

Leia mais

DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE. Exemplos reais nos RPPS e no RGPS

DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE. Exemplos reais nos RPPS e no RGPS Os RPPS e as alterações nas regras de concessão do benefício de pensão por morte 1 DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE Exemplos reais nos RPPS e no RGPS 2 Caso 1 Homem nascido em 1920 que se aposentou

Leia mais

PREVIDÊNCIA NO JAPÃO

PREVIDÊNCIA NO JAPÃO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO DO JAPÃO 53 PREVIDÊNCIA NO JAPÃO Todas as pessoas maiores de 20 anos de idade residentes no Japão têm obrigação de contribuir à previdência, independentemente da nacionalidade. Os

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

Material disponibilizado pela Professora:

Material disponibilizado pela Professora: Material disponibilizado pela Professora: 01) (TRF 3ª REGIÃO - JUIZ FEDERAL SUBSTITUTO - 19/03/2006) Podem beneficiar-se do auxílio-acidente: a) o estrangeiro domiciliado e contratado no Brasil para trabalhar

Leia mais

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre Realização: Apoio: O Previmpa e o Cadastro Previdenciário Palestrante: Dalvin Gabriel José de Souza Atuário Previmpa Finalidade: Mediante

Leia mais

Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07

Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07 Acordo de Previdência Social entre a República Federativa do Brasil e a República Portuguesa Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07 1

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO 1 CONCEITO O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77 FILIAÇÃO É o vínculo que as pessoas estabelecem com a Previdência Social a partir do momento em que passam a exercer uma atividade remunerada ou a recolher as contribuições previdenciárias. Com a filiação,

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício?

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício? Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criamos este material para ajudar você com

Leia mais