REFERÊNCIAS REFERÊNCIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REFERÊNCIAS REFERÊNCIAS"

Transcrição

1 REFERÊNCIAS As normas e os códigos a seguir contêm condições que, através da referência neste texto, constituem as mesmas do presente Manual de Treinamento. As edições indicadas eram válidas na época da publicação. Todas as normas estão sujeitas à revisão; e as partes integrantes de acordos baseados nestas normas são incentivadas a examinar a possibilidade de aplicar as edições mais recentes das normas indicadas. ANSI/TIA/EIA , Optical Power Loss Measurements of Installed Siglemode Fiber Cable Plant OFSTP-7 (Medições de Perda da Potência Óptica da Planta de Cabo de Fibra Monomodo OFSTP-7). ANSI/TIA/EIA B-2010, Optical Power Loss Measurements of Installed Siglemode Fiber Cable Plant OFSTP-14A (Medições de Perda da Potência Óptica da Planta de Cabo de Fibra Multimodo OFSTP-14A). ANSI/EIA/TIA-598-C-2005, Optical Fiber Cable Color Coding (Codificação de Cores para Cabo de Fibra Óptica). ANSI/EIA/TIA , FOCIS 2 Fiber Optic Connector Intermateability Standard, Type BFOC (ST) (Norma para Casamento de Conectores de Fibra Óptica FOCIS 2). ANSI/EIA/TIA-604-3A-2000, FOCIS 3A Fiber Optic Connector Intermateability Standard, Type SC (Norma para Casamento de Conectores de Fibra Óptica FOCIS 3A) Tipo SC. ANSI/EIA/TIA A-2004, FOCIS 10 Fiber Optic Connector Intermateability Standard, Type LC (Norma para Casamento de Conectores de Fibra Óptica FOCIS 10) Tipo LC. ANSI/EIA/TIA , FOCIS 12 Fiber Optic Connector Intermateability Standard, Type MT-RJ (Norma para Casamento de Conectores de Fibra Óptica FOCIS 12) Tipo MT-RJ. ANSI Z , American Standard for the Safe Operation of Optical Fiber Communication Systems Utilizing Laser Diode and LED Sources (Norma Norte-Americana para a Operação Segura de Sistemas de Comunicação de Fibra Óptica que utilizam fontes de LED e Diodo Laser). ANSI/ICEA S , Communications Wire and Cable for Wiring Premises (Cabos e Fios de Comunicações para Fiação Predial). ANSI/ICEA S , Fiber Optic Premises Distribution Cable - (Cabo de Fibra Óptica para Distribuição Predial). ANSI/ICEA S , Fiber Optic Outside Plant Communications Cable - (Cabo de Comunicações de Fibra Óptica para Planta Externa). ANSI/ICEA S , Filled Telecommunications Cable - (Cabo de Telecomunicações Preenchido). ANSI/TIA-568-C.0 Commercial Building Telecommunications Cabling Generic Telecommunications Cabling for Costumer Premises - (Norma para Cabeamento de Telecomunicações em Edifícios Comerciais Cabeamento de Telecomunicação genérico para usuários locais). ANSI/TIA/ 568-C.1 Commercial Building Telecommunication Cabling Standard - (Norma para Cabeamento de Telecomunicação em Edifícios Comerciais). Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M 2-1

2 ANSI/TIA/ 568-C.2 Balanced Twisted Pair Telecommunications Cabling and Components Standard- (Norma para Cabeamento de Telecomunicação de par trançado balanceado e Componentes). ANSI/TIA/ 568-C.3 Optical Fiber Cabling Components Standard- (Norma para Componentes de Cabeamento de Fibra Ótica). ANSI/TIA-569-B, Standard, Commercial Building Standard for Telecommunications Pathways and Spaces - (Norma de Edifício Comercial Padrão para Encaminhamentos e Espaços de Telecomunicações). ANSI/TIA/-570-B -2004, Standard, Residential Telecommunication Cabling Standard (Norma para Cabeamento de Telecomunicações Residencial). ANSI/TIA/EIA-606-A, Administration Standard For Commercial Telecommunications/Infrastructure (Norma para Administração de Infra-Estrutura de Telecomunicações Comerciais). ANSI/TIA/EIA-758-A, Customer-Owned Outside Plant Telecommunications Cabling (Cabeamento de Telecomunicações em Planta Externa de Propriedade do Cliente). ANSI/EIA/TIA-862, Building Automation Cabling Standard for Commercial Buildings - (Norma de Cabeamento para Automação de Edifícios Comerciais). TSB125, Guidelines for Maintaining Optical Fiber Polarity Through Reverse-Pair Positioning (Boletim Técnico: Diretrizes para Uso de Posicionamento de Polaridade Inversa para Cabeamento em Fibras Ópticas). ASTM D , Physical and Environmental Properties of Insulation and Jackets for Telecommunications Wire and Cable (see B 1.7) - (Propriedades Físicas e Ambientais de Isolantes e Capas para Fios e Cabos de Telecomunicações) (veja B 1.7). ASTM D , Standard Test Methods for Electrical Performance of Insulations and Jackets for Telecommunications Wire and Cable - (Norma: Métodos de Testes de Desempenho Elétrico de Isolantes e Capas de Fios e Cabos para Telecomunicações). IEC , Connectors for Frequencies Below 3 MHz for use with Printed Circuit Boards, Part 7: Details Specifications for Connectors, 8-Way Including Fixed and Free Connectors with Common Mating Features (Conectores para Freqüências Abaixo de 3 MHz para uso com Placas de Circuito Impresso, Parte 7: Especificações Detalhadas para Conectores de 8 Vias, Incluindo Conectores Fixos e Livres com Recursos para Casamento Comum). ISO/IEC 11801: 2002 Edition 2, Information Technology - Generic cabling for customer premises- (Tecnologia da Informação Cabeamento genérico para edifícios comerciais). ASTM E , Fire Test of Through Fire Stops - (Teste de Resistência ao Fogo para Corta-Fogo Direto). ABNT-NBR July 2000, Standard: Basic Guidelines for Design of Telecommunications Inside Building Structured Cabling Systems - (Padrão: Diretrizes Básicas para Projeto de Sistemas de Cabeamento Interno para Telecomunicações em Edifícios). J-STD-607-A, Commercial Building Grounding (Earthing) and Bounding Requirements for Telecommunications (Requisitos de aterramento e equipotencialização de terras para edifícios comerciais). 2-2 Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M

3 ANSI/TIA 942, Telecommunications Infrastructure Standard for Data Centers (Padrão da Infraestrutura de Telecomunicações para Data Centers). ANSI/TIA 854, A Full Ethernet Specification for 1000Mbis/s (1000BASE-TX) Operating Over Category 6 Balanced Twisted-Pair Cabling (Uma Especificação Completa Ethernet para 1000Mbis/s (1000BASE-TX) Operando sobre Cabeamento de Par Trançado Balanceado Categoria 6). ANSI/TIA TSB 140, Additional Guidelines for Field-Testing Length, Loss and Polarity of Optical Fiber Cabling Systems (Procedimentos Adicionais para Testes em Campo da Perda, Comprimento e Polaridade de Sistemas de Cabeamento de Fibra Óptica). Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M 2-3

4 CÓDIGOS E PADRÕES INTERNACIONAIS Estados Unidos (NFPA) A Associação Nacional de Proteção Contra Incêndio (NFPA) desenvolve e elabora os seguintes códigos contra incêndio para telecomunicações: Código Elétrico Nacional (NEC): 70 Sistemas de Sinalização de Estação Central: 71 Código Nacional de Alarme Contra Incêndio: 72 Proteção de Equipamentos Eletrônicos de Computadores de Processamento de Dados: 75 Código de Proteção Contra Descargas Elétricas: 780 Código de Segurança Pessoal (Vida): 101 (NESC) O Código Nacional de Segurança Elétrica basicamente estabelece normas para a instalação e manutenção de: Fonte de alimentação elétrica externa Linhas de telecomunicações Austrália ACA/ACIF S 008: (Requerimentos para Produtos de Cabeamento Autorizados) ACA/ACIF S 009: Requisitos de Instalação para Cabeamento para Usuário(regras de Fiação) AS/NZS 3080: 2002: Instalações para Telecomunicações - Instalações Integradas para Telecomunicações - Sistemas de Cabeamento de Telecomunicações Integrado para Edifícios Comerciais AS/NZS 3000: 2000 Instalações Elétricas-(Edifícios e Estruturas). AS 3084: 1993 Instalações para Telecomunicações - Espaços e Encaminhamentos para Telecomunicações em Edifícios Comerciais AS/NZS 3085: Administração 2-4 Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M

5 AS/NZS 3087: Instalações de Telecomunicações Sistema de cabeamento genérico Especificações para teste de cabeamento de comunicações balanceado de acordo com os valores estabelecidos na norma AS/NZS 3080:2000 ) BCA: (Códigos de Edifícios da Austrália) SAA HB29: Práticas de Instalação para Cabeamento de Telecomunicações Brasil NBR-12942: Tecnologia de informação Cabos para utilização em redes locais medição de diafonia em cabos pares Translation: Information Technology Local Area Network Cables Crosstalk measurement for balanced cables NBR-14565: NBR : NBR-14702: Procedimento básico para elaboração de projetos de cabeamento de telecomunicações para rede interna estruturada Translation: Basic procedures for telecommunications structured cabling systems design Sistema de subdutos de polietileno para telecomunicações Parte 1: Requisitos para subduto de parede lisa Translation: Polyethylene pathways for telecommunications Part 1: Subpathyway requirements for wall (indoor distribuition) Cabos coaxiais flexíveis com impedância de 75 ohms Especificação Translation: Flexible 75-ohm coaxial cables Specifications NBR-14703: Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M 2-5

6 Cabos de Telemática de 100 ohms para redes internas estruturadas Especificação Translation: 100-ohms data and voice cables for structured cabling systems - Specifications NBR-14705: Classificação dos cabos internos para telecomunicações quanto ao comportamento frente à chama Especificação Translation: Classification of indoor telecommunications cables due to fire protection Specifications NBR-14770: Cabos coaxiais rígidos com impedância de 75 ohms Especificações Translation: 75-ohm rigid coaxial cables - Specifications Canadá CSA T527-94: Aterramento e Aglutinação (Bonding) para Telecomunicações em Edifícios Comerciais CAN/CSA-T528-93: Diretrizes de Projeto para a Administração de Infra-Estrutura de Telecomunicações em Edifícios Comerciais CSA T529-95: Sistemas de Cabeamento para Telecomunicações em Edifícios Comercia CAN/CSA-T530-M90: Instalações do Edifício, Diretrizes de Projeto para Telecomunicações CSA C : Código Elétrico Canadense, Parte I Norma de Segurança para Instalações Elétricas CAN/CSA C22.2 No. 0.7: Código Elétrico Canadense, Parte II Equipamento Conectado Eletricamente a Redes de Telecomunicações 2-6 Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M

7 CAN/CSA C22.2 No. 214: Código Elétrico Canadense, Parte II Cabo para Comunicações CAN/CSA C22.2 No. 226: Código Elétrico Canadense, Parte II Protetores em Rede de Telecomunicações CAN/CSA C22.2 No. 233: Código Elétrico Canadense, Parte II Cordões e Conjuntos de Cordões para Sistemas de Comunicações China JGJ/T : Código para Projeto Elétrico de Edifícios Civis GB/T : Código para Projeto de Engenharia de Sistema de Cabeamento Genérico para Edifícios e Campus GB/T : Código para Aceitação de Engenharia de Sistema de Cabeamento Genérico para Edifícios e Campus Europa BS 6701: 1994: BS 7671:1992: Código para Prática de Instalações de Equipamentos Utilizados para a Conexão de Certos Sistemas de Telecomunicações Adição da Emenda No. 1,1994 e Emenda No.2, 1997: Requisitos para Instalações Elétricas CENELEC EN 50173: 2002: Tecnologia da Informação - Sistemas de Cabeamento Genérico Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M 2-7

8 CENELEC EN : 2001: Instalação de Cabeamento para Tecnologia da Informação - Parte 1: Especificação e Garantia da Qualidade CENELEC EN : 2001: Instalação de Cabeamento para Tecnologia da Informação - Parte 2: Planejamento da Instalação e Práticas dentro dos Edifícios. México NMX-I NYCE: Telecomunications-Cabling Structured Cabling-Generic Cabling for Customer Premisses-Specifications and Test Metods (Telecomunicações- Cabeamento - Cabeamento Estruturado - Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais - Especificações e Métodos de Teste). NMX-I-279-NYCE-2001: Telecommunications - Cabling - Structured cabling - Commercial Building for Telecommunications Pathways and Spaces) (Telecomunicações- Cabeamento- Cabeamento Estruturado- Encaminhamentos e Espaços para Cabeamento de Telecomunicações em Edifícios Comerciais) NOM-001-SEDE-1999: Instalações Elétricas (Utilização) Rússia GOST R (IEC ): Instalações Elétricas em Edifícios GOST : Segurança em Construções Elétricas GOST : Segurança Elétrica: Requisitos Gerais e Nomenclatura de Proteção GOST : 2-8 Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M

9 SPDS. Fiação para Sistema de Automação Geral. Símbolos Gráficos para Plantas e Diagramas Esquemáticos GOST : SPDS. Comunicações e Sinalização. Desenhos de Trabalho (Plantas) GOST : SPDS. Hardware Elétrico e Símbolos Gráficos de Fiação para Plantas NPB : NPB : NPB : PUE: RD : Capas de Cabos Retardantes a Chamas. Requisitos Técnicos Gerais e Métodos de Testes Hardware de Montagem Elétrica. Requisitos para Proteção Contra Incêndio Fios e Cabos Elétricos.Classificação de Resistência ao Fogo Requisitos de Instalações Elétricas Sistemas Automáticos de Extinção de Fogo, Alarme de Incêndio, Segurança Sistemas de Alarme e Segurança contra Fogo. RD : Diretrizes de Instalação e Proteção contra Descargas Elétricas em Edifícios SN : Salas de Equipamentos de Informática e Diretrizes de Projeto de Edifícios SNIP : Sistemas Automáticos para Proteção Contra Incêndio em Edifícios VSN 60-89: Sistemas de Comunicação, Sinalização e Controle em Edifícios Comerciais e Residenciais. Requisitos de Projeto Manual de Treinamento do Sistema de Cabeamento Siemon IS Rev. M 2-9

TIA/EIA TSB72, Centralized Optical Fiber Cabling (Cabeamento Centralizado de Fibra Óptica).

TIA/EIA TSB72, Centralized Optical Fiber Cabling (Cabeamento Centralizado de Fibra Óptica). NORMAS DO SETOR Atualização de Normas Nos últimos tempos estamos vendo uma rápida atualização de normas quando falamos de cabeamento estruturado. A maioria das pessoas que estão vivem o dia-a-dia com estas

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

TESTES E CERTIFICAÇÃO

TESTES E CERTIFICAÇÃO PROFESSOR NORBERTO - CABEAMENTO ESTRUTURADO TESTES E CERTIFICAÇÃO Para garantir a qualidade das instalações e a performance desejada é necessário que tenha-se certeza que a obra foi realizada dentro das

Leia mais

Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado

Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado Projeto e Instalação Prof. Deivson de Freitas Introdução Nenhuma área de tecnologia cresceu tanto como a de redes locais (LANs) A velocidade passou de alguns

Leia mais

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Normas e Padrões Prof. Marciano dos Santos Dionizio Devido à falta de padronização para cabeamento de redes, em 1991 a EIA (Electronics Industries Alliance) e a TIA (Telecomunications Industry Association)

Leia mais

Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado

Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista Infraestrutura de TI e sites de missão crítica pmarin@paulomarin.com 2013 1 Resumo

Leia mais

Norma TIA/EIA 568-A Um Guia de Referência sobre as Normas de Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais

Norma TIA/EIA 568-A Um Guia de Referência sobre as Normas de Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais Norma TIA/EIA 568-A Um Guia de Referência sobre as Normas de Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais #175675 4M 3/96 1996, Anixter Inc. ÍNDICE A Anixter atua como uma provedora de valor

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Norma 568

Cabeamento Estruturado. Norma 568 Cabeamento Estruturado Norma 568 1 Resumo Evolução da Norma; Onde e como utilizar a norma; Conhecer como a norma ANSI/EIA/TIA 568B está dividida em subsistemas; D e s c r e v e r a s c a r a c t e r í

Leia mais

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto Padrão TeraLan RoHS Compliant Descrição Os kits de adaptadores ópticos são compostos por adaptadores ópticos, monofibra ou duplex,

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto TeraLan Descrição Cordão Óptico é o cabo óptico monofibra ou duplex com conector óptico nas duas extremidades Aplicação

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO FINALIDADE

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO FINALIDADE INTRODUÇÃO O presente manual define um sistema de cabeamento de telecomunicações para edifícios comerciais. A metodologia aqui definida abrange os princípios do projeto e as práticas de instalação do Sistema

Leia mais

Normalização Conceitos & Atualização

Normalização Conceitos & Atualização Normalização Conceitos & Atualização Prof. Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista marin@paulomarin.com São Paulo 17/10/2013 Minhas Credenciais Prof. Dr. Paulo Marin, Engº. Estudos de pós-doutorado

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

Automação residencial: visão geral e aplicações

Automação residencial: visão geral e aplicações Automação residencial: visão geral e aplicações Paulo Sérgio Marin, Dr. Engº. paulo_marin@paulomarinconsultoria.eng.br Resumo- A automação residencial é um segmento relativamente novo na indústria de infraestrutura

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada é composta, (1) normalmente, por dois itens principais : Extensão Óptica:

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet, Gigabit Ethernet e 10Gigabit Ethernet

Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet, Gigabit Ethernet e 10Gigabit Ethernet Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet, Gigabit Ethernet e 10Gigabit Ethernet Especificação do interface Cliente -Rede MEO Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. 26 de agosto de 2015

Leia mais

Cabeamento residencial não estruturado

Cabeamento residencial não estruturado 58 Capítulo II Cabeamento residencial para dados, voz e imagem Por José Roberto Muratori e Paulo Henrique Dal Bó* Atualmente, as aplicações encontradas nas residências demandam diferentes tipos de cabos.

Leia mais

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento de Rede Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento Cabo Coaxial; Cabo Par Trançado; Cabo de Fibra Óptica. Cabo Coaxial Um dos primeiros cabos utilizados em

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011

Cabeamento Estruturado. Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011 Cabeamento Estruturado Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011 1 Roteiro da Apresentação Cabeamento Estruturado Evolução Histórico da Padronização Definição Projeto

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 6 NORMA ANSI EIA/TIA 606

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 6 NORMA ANSI EIA/TIA 606 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 6 NORMA ANSI EIA/TIA 606 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida Administration Standard

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO III PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO PARA REDE LOCAL DE MICROCOMPUTADORES 1.Objetivo Este projeto tem por objetivo descrever a instalação de cabeamento de rede lógica no edifício-sede da

Leia mais

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira Infraestrutura de Redes Locais Edmilson Carneiro Moreira Sumário Introdução Histórico Cabeamento Estruturado Conceitos Categorias e Classes de desempenho ANSI/TIA-568-C Referências [1] Paulo Sérgio Cabeamento

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Infra-estrutura de cabeamento metálico ou óptico, capaz de atender a diversas aplicações proporcionando flexibilidade de layout, facilidade de gerenciamento, administração e manutenção

Leia mais

1. CABEAMENTO ESTRUTURADO

1. CABEAMENTO ESTRUTURADO 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO O gabinete de fiação é um ponto muito importante para um sistema de cabeamento de rede, apesar de muitas redes bem sucedidas não o utilizarem. Um gabinete de fiação pode ser do

Leia mais

INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO

INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3

CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3 CABEAMENTO ESTRUTURADO Arquitetura - Padrão Ethernet IEEE 802.3 1 2 Cabeamento Estruturado Padrão Ethernet - Evolução O padrão ETHERNET surgiu com 1972 nos laboratórios da Xerox com Robert Metcalfe. Com

Leia mais

TRABALHO SOBRE CABEAMENTO ESTRUTURADO

TRABALHO SOBRE CABEAMENTO ESTRUTURADO TRABALHO SOBRE CABEAMENTO ESTRUTURADO UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR MATÉRIA: TELEPROCESSAMENTO E REDES ALUNO: TAIRONE PEDREIRA ALVES DATA: 13/05/2001 OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo a pesquisa

Leia mais

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site :

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site : Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Cidade: CEP: Telefone : FAX: E-mail : Site : Assinatura Local e Data IMPORTANTE: Preencher os dados completos e em letra legível pois, em caso de aprovação, as informações

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida Já imaginou a bagunça...

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 04. Meios Físicos de Transmissão Prof. Ronaldo Introdução n

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

Cabos internos para telecomunicações - Classificação quanto ao comportamento frente à chama

Cabos internos para telecomunicações - Classificação quanto ao comportamento frente à chama MARÇO:2010 Cabos internos para telecomunicações - Classificação quanto ao comportamento frente à chama APRESENTAÇÃO 1) Este 1º Projeto de Revisão foi elaborado pela CE-03:046.01 - Comissão de Estudo de

Leia mais

Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências

Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências Dr. Paulo Sérgio Marin, EE/BSc, MSc. Engenheiro Eletricista Infraestrutura de TI, Telecom & Missão Crítica São Paulo, 20 de agosto

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

Sistemas de Cabeação Estruturada EIA/TIA 568 e ISOC/IEC 11801

Sistemas de Cabeação Estruturada EIA/TIA 568 e ISOC/IEC 11801 Autores: Messias B. Figueiredo André Oliveira Silveira Sistemas de Cabeação Estruturada EIA/TIA 568 e ISOC/IEC 11801 Com o crescimento do uso das redes locais de

Leia mais

FUTURAS MUDANÇAS NOS PADRÕES DE CABEAMENTO

FUTURAS MUDANÇAS NOS PADRÕES DE CABEAMENTO FUTURAS MUDANÇAS NOS PADRÕES DE CABEAMENTO A indústria de redes muda muito rapidamente. Um fato que tem contribuído para o crescimento explosivo das LANs, WANs e da Internet tem sido os padrões de cabeamento

Leia mais

TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO Ethernet - Interface Utilizador-Rede 1/9 3.0. Versão.

TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO Ethernet - Interface Utilizador-Rede 1/9 3.0. Versão. 1/9 TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica Designação VERSÃO 30 de Julho de 2009 2/9 Índice 1 ÂMBITO... 3 2 SEGURANÇA... 3 3 COMPATIBILIDADE ILIDADE ELECTROMAGNÉTICA (EMC)... 4 4 CARACTERÍSTICAS FÍSICAS... 4 4.1

Leia mais

02/05/2011. O Sistema estruturado. O Sistema estruturado. Pós-Graduação em Redes de Computadores e Telecomunicações. O Sistema estruturado

02/05/2011. O Sistema estruturado. O Sistema estruturado. Pós-Graduação em Redes de Computadores e Telecomunicações. O Sistema estruturado Pós-Graduação em Redes de Computadores e Telecomunicações Disciplina: Redes Locais Prof. Josafá de Jesus Silva O Sistema estruturado Interligação entre redes de computadores e os diversos sistemas de comunicação

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabos Metálicos de Cobre (Norma ANSI/TIA-568-C.2) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Meio de Transmissão Meio de transmissão é o caminho físico (enlace)

Leia mais

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão Tecnologia em Jogos Digitais Mídias (meios) de transmissão DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES Mídias físicas: composta pelo cabeamento e outros elementos componentes utilizados na montagem

Leia mais

Projeto de Cabeamento Estruturado

Projeto de Cabeamento Estruturado Projeto de Cabeamento Estruturado Sistema de Cabeamento Estruturado Subsistemas 1 Subsistema Cabeamento Horizontal 2 Subsistema Cabeamento Vertical 3 - Área de Trabalho - ATR 4 - Armário de Telecomunicações

Leia mais

FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e

FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e FICHA TÉCNICA JACK RJ-45 C5e 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, em conformidade com os requisitos estabelecidos na Norma ANSI/TIA/EIA-568B.2

Leia mais

ANSI/TIA/EIA 568 B...

ANSI/TIA/EIA 568 B... Memorial Descritivo Projeto elétrico e Cabeamento Estruturado CAT 5e TRE TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL Campo Grande Mato Grosso do Sul 1 ÍNDICE 1 Objetivo... 3 2 Dados Gerais... 3 3 Infra-estrutura... 4

Leia mais

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Roteiro Parâmetros elétricos Cuidados com cabos metálicos Normas 568 / 606 Elementos do cabeamento estruturado Cabeamento Embora pareça uma questão simples, um

Leia mais

Self-Supporting MaxCell : : Inside Solução Plant de Instalação Solution Interna. Manual Técnico e Guia de Instalação

Self-Supporting MaxCell : : Inside Solução Plant de Instalação Solution Interna. Manual Técnico e Guia de Instalação Self-Supporting MaxCell : : Inside Solução Plant de Instalação Solution Interna Manual Técnico e Guia de Instalação Self-Supporting MaxCell : : Inside Solução Plant de Instalação Solution Interna O Self-Supporting

Leia mais

Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado. Prof. Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista

Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado. Prof. Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista Atualização de normas e desenvolvimentos em cabeamento estruturado Prof. Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista O que você vai aprender? Retrospectiva histórica dos desenvolvimentos em cabeamento

Leia mais

Interferências Eletromagnéticas em Data Centers

Interferências Eletromagnéticas em Data Centers Interferências Eletromagnéticas em Data Centers Dr. Paulo S. Marin, Engº. www.paulomarin.com 1 Objetivo avaliar o nível de emissões dentro do data center a interferência eletromagnética ambiente proveniente

Leia mais

Módulo 03 - Meios Físicos de Transmissão Página 1. Tecnologia de Redes. Volnys B. Bernal & Edson T. Midorikawa

Módulo 03 - Meios Físicos de Transmissão Página 1. Tecnologia de Redes. Volnys B. Bernal & Edson T. Midorikawa Módulo 0 - Meios Físicos Transmissão Página Volnys B. Bernal (c) Volnys B. Bernal (c) Tecnologia Res: Meios Físicos Transmissão Meios Físicos Transmissão Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Cabeamento Estruturado Prof. Marciano dos Santos Dionizio Norma ANSI/EIA/TIA 568B Divide um sistema de cabeamento em subsistemas: 1. Facilidades de Entrada (pela NBR14565: Sala de Entrada de Telecomunicações

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 02 Cabeamento

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit Ethernet

Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit Ethernet Interface de Acesso a Circuitos Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit Ethernet Especificação do interface Cliente-Rede Data: 2014-12-30 Página 1 / 6 Versão: 4.0 MEO Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A.

Leia mais

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado Prof. Alexandre Beletti Ferreira Cabo Coaxial COMPOSTO POR: Fio de cobre rígido que forma o núcleo Envolto por um material isolante, O isolante, por

Leia mais

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 4 - Testes de Cabos 1 Fundamentos - Ondas As ondas são importantes no estudo das redes, pois são elas que transmitem as informações, utilizando meios de cobre, fibra óptica ou o ar. As ondas são

Leia mais

Certificação de redes ópticas de 10GbE

Certificação de redes ópticas de 10GbE CABEAMENTO ESTRUTURADO Certificação de redes ópticas de 10GbE 70 RTI DEZ 2008 JDSU (Brasil) As redes ópticas baseadas em 10GbE exigem um bom processo de certificação. O artigo a seguir detalha os principais

Leia mais

Cabeamento Estruturado (CBE)

Cabeamento Estruturado (CBE) Cabeamento Estruturado (CBE) Prof. Tiago Semprebom Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José tisemp@sj.ifsc.edu.br 09 de Março de 2010 Prof. Tiago (IFSC) Cabeamento

Leia mais

4. Página 20 item 2.8-c. Conforme indicado, a única norma ABNT a ser seguida é a ABNT-NBR-5410:1997?

4. Página 20 item 2.8-c. Conforme indicado, a única norma ABNT a ser seguida é a ABNT-NBR-5410:1997? MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP COORDENAÇÃO-GERAL DE LICITAÇÕES, CONTRATOS E CONVÊNIOS. Esplanada dos Ministérios Bloco L Anexo I 4º

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 2 INTERFACE E CABEAMENTO DE REDES - Parte física da rede - Cabeamento - Placas de rede (interfaces)

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 4. CABEAMENTO ESTRUTURADO- PARTE II Cada nível do subsistema estudado no capítulo anterior foi regulamentado por normas que visam padronizar

Leia mais

Valores Normalizados dos Parâmetros de Cabeamento Estruturado Metálico na Certificação de Redes

Valores Normalizados dos Parâmetros de Cabeamento Estruturado Metálico na Certificação de Redes Valores Normalizados dos Parâmetros de Cabeamento Estruturado Metálico na Certificação de Redes Auder Nardi Bonora (1), Edson Josias Cruz Gimenez (2), Eduardo Garcia Pina (2), Luis Fernando Chaves da Silva

Leia mais

Top-Down Network Design

Top-Down Network Design Top-Down Network Design Chapter Ten Selecting Technologies and Devices for Campus Networks Copyright 2010 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Selecionando Tecnologias e Dispositivos Neste ponto do projeto

Leia mais

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Avaya Networking Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Programação 1. Introdução (02/set - 10:00) 2. Conceitos básicos I (16/set - 10:00) 3. Conceitos básicos II (07/out - 10:00) 4. Conhecimento

Leia mais

Aula 2 Cabeamento Metálico

Aula 2 Cabeamento Metálico Aula 2 Cabeamento Metálico Prof. José Mauricio S. Pinheiro - 2010 1 Cada meio de transmissão possui características próprias que o tornam adequado para tipos específicos de serviço. Os cabos metálicos

Leia mais

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO OBJETIVO DA SEÇÃO I. Lembrar-se dos requisitos de equipamentos de testes para cabos de pares trançados balanceados e fibras ópticas e seu uso adequado. II. Lembrar-se dos requisitos de testes de enlace

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida ...rede interna estruturada

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 04 Sistemas

Leia mais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento estruturado - definição Sistema de cabeamento capaz de prover tráfego de gêneros de informações diferenciadas dentro de um mesmo sistema

Leia mais

O Padrão Ethernet. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br

O Padrão Ethernet. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br O Padrão Ethernet Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br Origens O início do desenvolvimento da tecnologia Ethernet ocorreu nos laboratórios da Xerox PARC,

Leia mais

Tecnologia de Redes: Meios Físicos de Transmissão

Tecnologia de Redes: Meios Físicos de Transmissão Volnys B. Bernal (c) 1 Tecnologia de Redes: Meios Físicos de Transmissão Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Meios Físicos de Transmissão Volnys B. Bernal (c) 2 Volnys

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS CONCEITUAÇÃO Norma Prática tornada obrigatória por entidades técnicas e/ou regulamentadoras. Padrão Prática recomendada e de ampla aceitação

Leia mais

Tec. Em Redes de Computadores Aula04 Cabeamento estruturado Parte 01

Tec. Em Redes de Computadores Aula04 Cabeamento estruturado Parte 01 Superint. CENTROOESTE Centro Universidade Anhanguera de Campo Grande Unidade 1 Tec. Em Redes de Computadores Aula04 Cabeamento estruturado Parte 01 Perguntas Defina Atenuação, impedância e Diafonia. Qual

Leia mais

Infraestrutura de Redes

Infraestrutura de Redes Infraestrutura de Redes Apresentação 01: Conceitos de Cabeamento Estruturado Prof. João Paulo Just - http://just.pro.br 1 Conceitos de Cabeamento Porque? Anteriormente: serviços como sistemas de alarmes,

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I 8. O SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 8.1. Introdução Neste capítulo será visto, mais detalhadamente, os seis elementos que compõem o cabeamento estruturado. É necessário o entendimento destes elementos

Leia mais

Sistema de Cabeamento Estruturado

Sistema de Cabeamento Estruturado Sistema de Cabeamento Estruturado 1 - O QUE É UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO?... 3 2 - UM POUCO DE HISTÓRIA DO SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO...4 3 - O PORQUÊ DA PADRONIZAÇÃO DO SISTEMA DE CABEAMENTO

Leia mais

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Tipo do Produto Cabo Óptico Pré-Conectorizado Descrição Cabo Óptico de construção tipo " tight buffer" (indoor ou indoor/outdoor) ou cordão multifibra (somente indoor)

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 381, DE 1º DE OUTUBRO DE 2004.

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 381, DE 1º DE OUTUBRO DE 2004. ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 381, DE 1º DE OUTUBRO DE 2004. NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE CABOS COAXIAIS FLEXÍVEIS DE 75 OHMS COM MALHA DE FIOS DE ALUMÍNIO 1. Objetivo Esta norma estabelece os requisitos

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO PARA TELECOMUNICAÇÕES

CABEAMENTO ESTRUTURADO PARA TELECOMUNICAÇÕES CTAI Centro de Tecnologia em Informática e Automação CABEAMENTO ESTRUTURADO PARA TELECOMUNICAÇÕES Organizador: FAIAL VARELLA KRAUSER Seta Tecnologia, Consultoria, Estudo e Planejamento Ltda Florianópolis

Leia mais

Meios físicos Os meios físicos

Meios físicos Os meios físicos Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Se encarregam daquilo que diz respeito à representação física são bits (por exemplo, voltagem ou pulsos de luz). 1 Representação

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E DE TELEFONIA DA SALA TÉCNICA (D) E NOVA SALA DO CENTRO DE OPERAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Leia mais

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Tipo do Produto Descrição Cabo Óptico Pré-Conectorizado Cabo óptico de construção tipo tight buffer (indoor ou indoor/outdoor) pré-conectorizado em fábrica com conectores

Leia mais

"TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS "TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS I - OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em serviços de Infraestrutura com manutenção corretiva, manutenção preventiva, instalações, desinstalações,

Leia mais

Elementos ativos de rede e meios de transmissão. Eduardo Max A. Amaral Aula 5

Elementos ativos de rede e meios de transmissão. Eduardo Max A. Amaral Aula 5 Elementos ativos de rede e meios de transmissão Eduardo Max A. Amaral Aula 5 Hub Os hubs são dispositivos concentradores, responsáveis por centralizar a distribuição dos quadros de dados em redes fisicamente

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir ADAPTER CABLE M8v CATEGORIA 5 ENHANCED Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, incluindo o adendo 5 (Categoria 5e), para

Leia mais

REQUISITOS TÉCNICOS E PROCEDIMENTOS DE ENSAIOS APLICÁVEIS À CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÃO DE CATEGORIA I - INDICE -

REQUISITOS TÉCNICOS E PROCEDIMENTOS DE ENSAIOS APLICÁVEIS À CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÃO DE CATEGORIA I - INDICE - REQUISITOS TÉCNICOS E PROCEDIMENTOS DE ENSAIOS APLICÁVEIS À CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS PARA TELECOMUNICAÇÃO DE CATEGORIA I OBSERVAÇÃO: Os itens destacados em VERMELHO no indice e nas Notas indicam as últimas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Departamento de Compras e Licitações - DCL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88.040-900 CNPJ/MF n 83.899.526/0001-82 Telefone

Leia mais

Cabeamento estruturado. Norma Padrão 568B e 569A

Cabeamento estruturado. Norma Padrão 568B e 569A Cabeamento estruturado Norma Padrão 568B e 569A Cabeamento Estruturado O padrão 568B O objetivo desta norma é: especificar um sistema de cabeamento genérico para edificios comerciais que suporte um ambiente

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 4 Cabeamento Estruturado Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado 1 Conteúdo Cabeamento Não Estruturado Normas Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO CABOS E CONECTORES. Professor Carlos Muniz

CABEAMENTO ESTRUTURADO CABOS E CONECTORES. Professor Carlos Muniz CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO Nos últimos anos muito se tem discutido e falado sobre as novas tecnologias de hardware e software de rede disponíveis no mercado. Engana-se, porém, quem pensa que estes

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Saul Silva Caetano São José - SC, versão 2011 1) Índice de Figuras Figura 1: Sinal formado por duas senoides...5 Figura 2: BW de um sinal...5 Figura 3: BW do sinal de TV analógico...6

Leia mais