CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA"

Transcrição

1 Fiscalização e autorregulação Principais Intermediários Outros Intermediários Sistema de Liquidação e Custódia CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA-10 Copyright BMI Brazilian Management Institute 1

2 Fiscalização e autorregulação Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 Principais Intermediários Outros Intermediários Sistema de Liquidação e Custódia Módulo I Copyright BMI Brazilian Management Institute 2

3 Olá, Você foi convidado a participar do programa de estudo preparatório para a prova que permitirá a você conquistar a Certificação Profissional ANBIMA (antiga ANBID) série 10 (CPA-10). A ANBIMA é a principal entidade certificadora dos profissionais do mercado financeiro brasileiro. O Programa de Certificação Continuada da ANBIMA tem por finalidade promover o aumento da capacitação dos profissionais do mercado de capitais que têm contato, presencial ou a distância, com os investidores na comercialização de produtos de investimento. A conquista da certificação profissional colocará você em posição de destaque perante seus colegas e seus clientes. Representa um atestado da sua qualificação profissional para exercer a função comercial de produtos de investimentos e consiste em uma estratégia legítima para acelerar seu plano de carreira. O programa definido pela ANBIMA que será exigido na prova de certificação é composto de 6 (seis) módulos, cada qual com seu peso relativo. Observe abaixo a importância de cada tema para sua certificação e planeje seus estudos. Módulo Tema Proporção na prova 1 5% a 10% 2 Ética, Regulamentação e Análise do Perfil do Investidor 10% a 15% 3 Noções Economia e Finanças 10% a 15% 4 Princípios de Investimento 10% a 20% 5 Produtos de Investimento 15% a 25% 6 Fundos de Investimento 25% a 40% Você poderá ser inscrito no exame impresso ou no exame online de acordo com a política da sua instituição financeira. Em ambos os casos, serão aprovados os candidatos que obtiverem aproveitamento igual ou superior a 70% das questões de múltipla escolha com 4 alternativas. No exame impresso o candidato terá 3 horas para responder 80 questões e no exame online terá 2 horas para responder 50 questões. O objetivo deste curso é ajudar você a conquistar sua Certificação Profissional. Faça um planejamento para estudar todo o programa, realize todos os exercícios e simulados que estão a sua disposição, esclareça suas dúvidas e... Boa Sorte! Ao longo das apostilas você vai encontrar 2 ícones para orientar seus estudos: O PROFESSOR O professor introduz um novo assunto, traz algum esclarecimento ou aponta os principais aspectos de cada tema apresentado. FIQUE LIGADO! Chama sua atenção para temas que frequentemente são solicitados na prova. Copyright BMI Brazilian Management Institute 3

4 Índice 5% a 10% da prova Definição dos intermediários e intermediação financeira 5 2. Estrutura Fiscalização e Autorregulação Conselho Monetário Nacional - CMN Banco Central do Brasil - BACEN Comissão de Valores Mobiliários CVM ANBIMA Principais Intermediários Financeiros Bancos Múltiplos Bancos Comerciais Bancos de Investimento Outros Intermediários ou Auxiliares Financeiros Bolsa: BM&F Bovespa Sociedade Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Sociedade Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Sistemas e Câmaras de Liquidação e Custódia SELIC - Sistema Especial de Liquidação e Custódia CETIP Balcão Organizado de Ativos e Derivativos CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia SPB - Sistema de Pagamentos Brasileiro Avalie seu Conhecimento Resumo 23 Copyright BMI Brazilian Management Institute 4

5 Fiscalização e autorregulação Principais Intermediários Outros Intermediários Sistema de Liquidação e Custódia 1. Meta de aprendizado: função dos intermediários financeiros e definição de intermediação financeira. Agentes Econômicos Superavitários Emprestam dinheiro para o intermediário financeiro Intermediário Financeiro Agentes Econômicos os Deficitários Tomam dinheiro emprestado do intermediário financeiro Intermediação financeira é o processo pelo qual tomadores e doadores de recursos encontram-se em um ambiente organizado, fiscalizado e controlado por vários órgãos, visando o perfeito funcionamento desta importante missão do. A intermediação financeira oferece uma espécie de ponte entre os agentes deficitários e superavitários. O mercado financeiro é composto por instituições especializadas em conciliar os interesses de poupadores e tomadores de recursos. As principais funções dos intermediários financeiros são: Intermediação Financeira: garante maior agilidade e rapidez ao processo, ao permitir tanto que o agente poupador invista seus recursos quanto que o tomar a qualquer tempo obtenha recursos sem a necessidade de que os interesses ocorram simultaneamente. Redução do risco de não pagamento: o acesso simultâneo de um grande número de agentes tomadores e doadores de recursos dilui o risco do poupador não receber seus recursos de volta. Isto ocorre porque o risco de vários tomadores de recursos não pagarem suas dívidas simultaneamente é menor do que o de apenas um. Redução do Risco por meio da especialização: Os poupadores não sabem analisar o risco de crédito dos tomadores. As empresas do mercado financeiro possuem profissionais especializados e alta tecnologia obtendo uma análise de crédito mais eficiente e a criação de produtos sofisticados que atendam a necessidade específica dos agentes econômicos. Definição mais clara do preço do dinheiro: representada pela taxa de juros, o que torna o processo mais eficiente à medida que concilia a maior remuneração possível para o agente superavitário e o menor custo possível ao tomador. Copyright BMI Brazilian Management Institute 5

6 Fiscalização e autorregulação Principais Intermediários Outros Intermediários Sistema de Liquidação e Custódia 2. Estrutura do Meta de aprendizado: conhecer quais são os órgãos de regulação, autorregulação e fiscalização do mercado. O Sistema Financeiro Brasileiro pode ser entendido como o conjunto de instrumentos, mecanismos e instituições que asseguram a canalização da poupança para o investimento, ou seja, dos setores que possuem recursos financeiros superavitários para os que desejam ou necessitam de recursos (deficitários). O Sistema Financeiro Brasileiro é segmentado em quatro grandes "mercados em que são realizadas diversos tipos de operações: Mercado monetário: é o mercado onde se concentram as operações para controle da oferta de moeda e das taxas de juros de curto prazo a fim de garantir a liquidez da economia. O Banco Central do Brasil atua neste mercado praticando a chamada Política Monetária. Mercado Monetário: onde são realizadas as operações de curto e curtíssimo prazos a fim de que os agentes econômicos e os próprios intermediários financeiros supram suas necessidades momentâneas de caixa. A liquidez desse mercado é regulada por operações abertas, realizadas pelo Banco Central, via colocação, recompra e resgate de títulos da dívida pública. Mercado de crédito: atuam neste mercado diversas instituições financeiras e não financeiras prestando serviços de intermediação de recursos de curto e médio prazo para agentes deficitários que necessitam de recursos para consumo ou capital de giro. O Banco Central do Brasil é o principal órgão responsável pelo controle, regulação e fiscalização deste mercado. Mercado de capitais: tem como objetivo canalizar recursos de médio e longo prazo para agentes deficitários, através das operações de compra e de venda de títulos e valores mobiliários, efetuadas entre empresas, investidores e intermediários. A Comissão de Valores Mobiliários é o principal órgão responsável pelo controle, regulação e fiscalização deste mercado. Mercado de câmbio: mercado onde são negociadas as trocas de moedas estrangeiras por reais. O Banco Central do Brasil é o responsável pela administração, fiscalização e controle das operações de câmbio e da taxa de câmbio atuando através de sua Política Cambial. Copyright BMI Brazilian Management Institute 6

7 Vamos conhecer os principais órgãos de regulação, autorregulação e fiscalização do. 2.1 Autorregulação e Fiscalização Conselho Monetário Nacional - CMN O Conselho Monetário Nacional (CMN) é o órgão superior do. Foi criado pela Lei 4.595, de 31 de dezembro de 1964, e sofreu algumas alterações em sua composição ao longo dos anos. O CMN tem a responsabilidade de formular a política da moeda e do crédito, objetivando a estabilidade da moeda e o desenvolvimento econômico e social do País. Sua composição atual é: Ministro da Fazenda, como Presidente do Conselho Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Presidente do Banco Central do Brasil Os seus membros reúnem-se periodicamente para deliberar sobre assuntos relacionados com as competências do CMN. As matérias aprovadas são regulamentadas por meio de Resoluções, normativo de caráter público, sempre divulgado no Diário Oficial da União e na página de normativos do Banco Central do Brasil, na Internet. As principais atribuições do Conselho Monetário Nacional são: Normatizar a constituição e regulamentos das instituições financeiras; Estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos; Disciplinar todos os tipos de crédito; Estabelecer a meta anual da inflação. FIQUE LIGADO! O Conselho Monetário é um órgão normativo. Ele não é um órgão executor. Exemplo: ele regula o funcionamento das instituições financeiras. Mas quem fiscaliza, na prática, é o Banco Central. É o Conselho Monetário Nacional que define a meta de inflação anual. Copyright BMI Brazilian Management Institute 7

8 2.1.2 Banco Central do Brasil - Bacen O Banco Central do Brasil foi criado em 1964 pela Lei da Reforma Bancária (Lei 4595 de 31/12/64). Sua sede é em Brasília e possui representações regionais em outros estados. É uma autarquia federal que tem como principal missão institucional assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda nacional e da solidez do SFN. A partir da Constituição de 1988, o Bacen passou a ter o exercício exclusivo para emissão de moeda. O presidente do BC e os seus diretores são nomeados pelo Presidente da República após a aprovação prévia do Senado Federal, que é feita por uma argüição pública e posterior votação secreta. As principais atribuições do Banco Central são: Autorizar o funcionamento e fiscalizar as instituições financeiras; Emitir moeda; Controlar crédito e capitais estrangeiros; Executar a política monetária e cambial. Fique Ligado! O Banco Central é um órgão executor. Exemplo: ele fiscaliza as instituições financeiras e cumpre a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional. O Conselho Monetário manda. O Banco Central executa! Meta de inflação O Conselho Monetário Nacional define a meta de inflação anual. O Banco Central cumpre a meta de inflação. Copyright BMI Brazilian Management Institute 8

9 2.1.3 Comissão de Valores Mobiliários É responsável por regulamentar, desenvolver, controlar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários do país, promovendo medidas incentivadoras para a canalização de poupança de investimentos ao mercado de capitais. Suas principais atribuições são: Promover medidas incentivadoras da canalização da poupança ao mercado de capitais; Estimular o funcionamento das bolsas e das instituições operadoras do mercado de capitais; Proteger os investidores do mercado de capitais. É competência da CVM tudo que diz respeito a valores mobiliários. Exemplos de valores mobiliários mais negociados no mercado brasileiro: ações, debêntures e cotas de Fundos de Investimento. Portanto, a CVM regula e fiscaliza todos os Fundos de Investimento. Valor mobiliário Definição segundo a Lei , artigo IX. Quando ofertados publicamente, quaisquer títulos ou contratos de investimento coletivo, que gerem direito de participação, de parceria ou de remuneração, inclusive resultante de prestação de serviços, cujos rendimentos advêm do esforço do empreendedor ou de terceiros". Nenhuma emissão pública de valores mobiliários poderá ser distribuída, no mercado, sem prévio registro na CVM, entendendo-se por atos de distribuição a venda, promessa de venda, oferta à venda ou subscrição, aceitação de pedido de venda ou subscrição de valores mobiliários ANBIMA Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (antiga ANBID - Associação Nacional dos Bancos de Investimento) A ANBIMA - Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais é a principal representante das instituições que atuam no mercado de capitais brasileiro, e tem por objetivo buscar seu fortalecimento como instrumento fomentador do desenvolvimento do país. Atuando de forma inovadora, a ANBIMA é a única entidade de classe que, além de representar os interesses de seus associados, auto-regula suas atividades com a adoção de normas geralmente mais rígidas do que as impostas pela legislação. A ANBIMA também é a principal provedora de informações do mercado de capitais do país e promove ainda amplas iniciativas voltadas para a educação dos investidores e dos profissionais deste mercado. Seus associados são Bancos de Investimento, Bancos Múltiplos com carteiras de investimento, que atuam na gestão e administração de fundos de investimento, ofertas públicas de valores mobiliários, fusões e aquisições, private banking, custódia, entre outros serviços prioritários relacionados ao mercado de capitais, empresas de asset management, e de consultoria financeira. Copyright BMI Brazilian Management Institute 9

10 Objetivos Permanentes Fortalecer o mercado de capitais como instrumento de financiamento do desenvolvimento Apoiar o fortalecimento da CVM como órgão regulador do mercado de capitais Aperfeiçoar os arcabouços legal, regulatório e tributário do mercado de capitais Incentivar a adoção de melhores práticas entre os associados e o respeito aos direitos dos investidores Aprimorar a infra-estrutura de serviços e a racionalização das práticas operacionais do mercado de capitais Dotar o mercado brasileiro de mecanismos de autorregulação Contribuir para a ampliação do conhecimento dos investidores e agentes relevantes do mercado sobre os produtos de investimento disponíveis no mercado de capitais Dotar o mercado de informações relevantes sobre os segmentos da indústria financeira representados pela entidade Autorregulação A atividade de autorregulação da ANBIMA teve início em Desde então, a entidade tem criado e instituído Códigos de Regulação e Melhores Práticas em que os próprios participantes deste mercado estabelecem normas muitas vezes mais rígidas para regular suas atividades. A atividade de regulação e melhores práticas contribui para a elevação do padrão das práticas operacionais do mercado e proporciona maior transparência ao investidor. A área de autorregulação conta com Conselhos de Regulação, compostos em sua maioria por membros externos à Associação, garantindo assim sua total independência. São eles: Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para as Ofertas Públicas de Distribuição e Aquisição de Valores Mobiliários Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para os Serviços Qualificados ao Mercado de Capitais Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Private Banking no Mercado Doméstico Os Códigos de Regulação e Melhores Práticas Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Com este código, os administradores de fundos passaram a ter de elaborar e colocar à disposição dos investidores prospectos atualizados com um conjunto mais amplo de informações para a tomada de decisões de investimento. O código também estabelece regras para a publicidade dos fundos, para a divulgação de resultados por parte dos administradores, além de normas e diretrizes acerca da marcação a mercado dos fundos. Copyright BMI Brazilian Management Institute 10

11 Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para as Ofertas Públicas de Distribuição e Aquisição de Valores Mobiliários Estabelece princípios de melhores práticas a serem adotados pelo mercado, além de um conjunto de informações adicionais ao exigido pela legislação brasileira. A partir de sua última revisão, em setembro de 2005, regras mais rígidas foram estabelecidas para que as ofertas públicas de valores mobiliários no Brasil fossem compatíveis com os mais elevados padrões internacionais. Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para os Serviços Qualificados ao Mercado de Capitais Estabelece as atividades relacionadas ao serviço de custódia qualificada e determina que as instituições observem um conjunto de exigências mínimas, superiores às exigidas pela legislação. Tem por objetivo elevar os padrões do serviço de custódia prestado no mercado brasileiro, com o estabelecimento de parâmetros que envolvem os seguintes aspectos: existência de segregação de posições de ativos; sigilo das informações; segregação de funções; sistemas apropriados para processamento, controle, segurança e comunicação; plano de continuidade de negócios; cláusulas contratuais mínimas, entre outros. Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada Estabelece os princípios e regras para o Programa de Certificação Continuada ANBIMA (CPA - 10 e CPA - 20). Tem como objetivo instituir normas de ética e padrões de conduta, elevando o nível de capacitação técnica dos profissionais, a concorrência leal e a adoção de práticas eqüitativas e uniformes. Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Private Banking no Mercado Doméstico Estabelece para as Instituições Participantes os parâmetros relativos a atividade de Private Banking no mercado doméstico com as seguintes finalidades: manter os mais elevados padrões éticos e consagrar a institucionalização das práticas eqüitativas no mercado; estimular o adequado funcionamento da atividade de Private Banking no mercado doméstico; manter transparência no relacionamento com os clientes; promover a qualificação das instituições e de seus profissionais envolvidos na atividade de Private Banking; e comprometer-se com a qualidade da recomendação na distribuição de produtos e serviços. Os Códigos Anbima de Regulação e Melhores Práticas contribuem para a elevação do padrão das práticas operacionais do mercado e proporcionam maior transparência ao investidor. Copyright BMI Brazilian Management Institute 11

12 EXERCÍCIO 1 Quem sou eu? Com base nas características indicadas descubra quem é o personagem oculto. 1 Executo as diretrizes determinadas pelo Conselho Monetário Nacional. Compro e vendo títulos públicos no mercado. Autorizo o funcionamento e fiscalizo as instituições financeiras. 2 Corrijo desequilíbrios econômicos, quando necessário. Estabeleço as diretrizes gerais das políticas econômicas. Estabeleço a meta da inflação. 3 Sou paga para executar ordens de compra e venda de ações. Posso administrar e distribuir fundos de investimentos. Sou a instituição financeira auxiliar que opera no recinto da Bolsa. 4 Posso captar depósitos à vista e a prazo. Posso organizar, administrar e vender Fundos de Investimento. Tenho no mínimo duas carteiras e uma delas é comercial ou de investimento. Meu dever é proteger o interesse dos participantes do mercado de capitais. 5 Sou órgão fiscalizador, as Companhias Abertas devem contar tudo para mim. Supervisiono tudo o que diz respeito a Valores Mobiliários, inclusive Fundos de Investimento. Gabarito: (1) Banco Central, (2) Conselho Monetário Nacional, (3) Corretora de Valores, (4) Banco Múltiplo, (5) Comissão de Valores Mobiliários. Copyright BMI Brazilian Management Institute 12

13 2.2 Principais Intermediários Financeiros Bancos Múltiplos Os bancos múltiplos são instituições financeiras que realizam operações ativas (operações de crédito), passivas (operações de captação) e serviços diversos, por intermédio das seguintes carteiras: Comercial; De investimento; De desenvolvimento (exclusiva para bancos públicos); De crédito imobiliário; De crédito, financiamento e investimento (financeiras); De arrendamento mercantil (leasing). O banco múltiplo deve ser constituído por, no mínimo, duas carteiras, sendo uma delas, obrigatoriamente, comercial ou de investimento. O banco múltiplo com carteira comercial pode captar depósitos à vista. Um banco múltiplo deve ter, no mínimo, 2 carteiras e uma delas deve ser, necessariamente: a) Carteira comercial b) Carteira de investimento Banco Comercial Os bancos comerciais têm como objetivo principal proporcionar suprimento de recursos necessários para financiar, a curto e a médio prazos, o comércio, a indústria, as empresas prestadoras de serviços, as pessoas físicas e terceiros em geral. Bancos comerciais captam depósitos à vista (conta corrente) e depósitos a prazo (CDB). Suas operações de crédito são de curto/médio prazos. Copyright BMI Brazilian Management Institute 13

14 2.2.3 Bancos de Investimento Os bancos de investimento são instituições financeiras especializadas em: financiamento de capital fixo e capital de giro, a médio e longo prazos; administração de recursos de terceiros (administração e venda de fundos de investimento); intermediação de títulos e valores mobiliários. Bancos de Investimento captam somente depósitos a prazo NÃO podem captar depósitos à vista em conta corrente, produto que ele não oferece Outros Intermediários ou Auxiliares Financeiros Bolsa: BM&FBovespa A Bolsa mantém ambiente adequado à realização de transações de compra e venda de títulos e valores mobiliários, em mercado livre e aberto, especialmente organizado e fiscalizado pelos seus próprios membros e pela Comissão de Valores Mobiliários. A BM&FBOVESPA S.A. - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros foi criada em 2008 com a integração entre Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) e Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA). Os mercados da BM&FBOVESPA abrangem a negociação de títulos e valores mobiliários, de renda variável e renda fixa, nos mercados de bolsa e de balcão organizado. BOLSA O Mercado de Bolsa é um segmento de negociação de ativos administrado pela BVSP, com regras específicas, onde os negócios e os participantes diretos são supervisionados pela Bolsa de Valores de São Paulo - BVSP. Formas de Negociação Mercado a Vista Mercado a Termo Mercado de Opções Mercado Futuro de Ações BALCÃO ORGANIZADO O Mercado de Balcão Organizado é um segmento de negociação de ativos administrado pela BVSP, em que há a presença da entidade auto-reguladora exercendo a supervisão dos negócios. Entretanto, os parâmetros de negociação e as regras de listagem são menos exigentes do que os do Mercado de Bolsa. Formas de Negociação Mercado a Vista Na Bolsa, as Corretoras de Valores são as principais intermediárias. Na Balcão Organizado, atuam como intermediárias: as Corretoras de Valores, as Distribuidoras de Valores e os Bancos de Investimento. Copyright BMI Brazilian Management Institute 14

15 Embora a Bovespa e a BM&F tenham se transformado em uma única empresa, os mercados de atuação de cada uma delas são muito distintos. Somente alguns dos títulos e valores mobiliários listados abaixo serão objeto de estudo na Certificação CPA-10. Você os conhecerá em detalhes na apostila de Produtos de Investimento. Mercados BOVESPA Valores Mobiliários Passíveis de Negociação em BOLSA Ações BDRs Patrocinados CRIs (Certificado de Recebíveis Imobiliários) FIDC (Fundos de Invest. em Direitos Creditórios) FII (Fundos de Investimento Imobiliário) PIBB (Papéis Índice Brasil Bovespa - 50) Debêntures Notas Promissórias Direitos de Subscrição RCSA - Recibo de Carteira Selecionada de Ações PIP - Proteção de Investimento com Participação Warrants (Opções Não Padronizadas) Valores Mobiliários Passíveis de Negociação em BALCÃO ORGANIZADO Ações CRIs (Certificado de Recebíveis Imobiliários) FIDC (Fundos de Invest. em Direitos Creditórios) FII (Fundos de Investimento Imobiliário) Debêntures Notas Promissórias Direito de Subscrição Recibo de Subscrição Mercados BM&F Derivativos agropecuários Açúcar cristal Algodão Bezerro Boi gordo Café arábica Café robusta conillon Etanol Milho Soja Derivativos financeiros Ouro Índices de ações (Ibovespa, IBrX-50) Índices de inflação (IGP-M, INPC, IPCA) Taxas de câmbio Taxas de juro Títulos da dívida soberana Mercados de balcão Termo Swaps Opções flexíveis Copyright BMI Brazilian Management Institute 15

16 2.3.2 Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Instituição auxiliar do sistema financeiro, que opera no mercado de capitais com títulos e valores mobiliários, em especial no mercado de ações. É a intermediária entre os investidores nas transações em bolsas de valores. São instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central e são também fiscalizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por conta de suas operações com valores mobiliários. As corretoras estão habilitadas a executar operações de compra e venda de ações ou de derivativos na BM&FBovespa. Dentre seus objetivos estão: operar em bolsas de valores, subscrever emissões de títulos e valores mobiliários no mercado; comprar e vender títulos e valores mobiliários por conta própria e de terceiros; encarregar-se da administração de carteiras e da custódia de títulos e valores mobiliários; exercer funções de agente fiduciário; instituir, organizar e administrar fundos e clubes de investimento; intermediar operações de câmbio e praticar operações no mercado de câmbio de taxas flutuantes; realizar operações compromissadas; praticar operações de compra e venda de metais preciosos, no mercado físico, por conta própria e de terceiros operar em bolsas de mercadorias e de futuros por conta própria e de terceiros. Atua como intermediária das transações de compra e venda de ativos e contratos negociados em Bolsa Sociedades Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários Instituição auxiliar do sistema financeiro, que opera no mercado de capitais com títulos e valores mobiliários. São supervisionadas pelo Banco Central. Algumas de suas atividades: intermediar a oferta pública e distribuição de títulos e valores mobiliários no mercado; administrar e custodiar as carteiras de títulos e valores mobiliários; instituir, organizar e administrar fundos e clubes de investimento; operar no mercado acionário, comprando, vendendo e distribuindo títulos e valores mobiliários, por conta de terceiros; fazer a intermediação com as corretoras para transações em bolsas de valores e de mercadorias; efetuar lançamentos públicos de ações; operar no mercado aberto e intermediar operações de câmbio. Atua como intermediária das transações de mercado de Balcão Organizado Copyright BMI Brazilian Management Institute 16

17 EXERCÍCIO 2 Verdadeiro ou Falso Assinale se a afirmativa relacionada ao é Verdadeira ou Falsa. AFIRMATIVA F V 1. O Conselho Monetário Nacional é um órgão normativo, responsável por expedir as principais diretrizes econômicas. 2. O funcionamento e as atividades dos bancos comerciais são regulamentados pela CVM, Comissão de Valores Mobiliários. 3. Somente os bancos comerciais e bancos múltiplos com carteira comercial podem manter contas de depósitos à vista, de livre movimentação em conta corrente. 4. Um banco múltiplo deve operar no mínimo duas carteiras, sendo uma delas obrigatoriamente a de banco comercial ou a de banco de investimento. 5. Tanto uma Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários quanto um Banco de Investimento podem administrar, organizar e vender Fundos de Investimento. 6. As operações de compra e venda de ações negociadas na BM&FBovespa são liquidadas e custodiadas pelo Selic Sistema Especial de Liquidação e Custódia 7. Os bancos de investimento podem captar depósitos à vista e a prazo. 8. O SPB é o conjunto de procedimentos, regras e sistemas operacionais integrados usados para transferir recursos, bem como para o processamento, a compensação e a liquidação de pagamentos em qualquer de suas formas. 9. O SELIC é um sistema eletrônico que custodia e liquida as operações com títulos públicos federais. 10. A BM&FBovespa é uma entidade auto-reguladora que opera sob a supervisão do Banco Central. 11. A CVM regulamenta e fiscaliza todos os Fundos de Investimento. 12. Um dos objetivos da ANBIMA é incentivar a adoção de melhores práticas entre os associados e o respeito aos direitos dos investidores. Gabarito: (1) Verdadeiro; (2) Falso; (3) Verdadeiro; (4) Verdadeiro; (5) Verdadeiro; (6) Falso; (7) Falso; (8) Verdadeiro; (9) Verdadeiro; (10) Falso; (11) Verdadeiro; (12) Verdadeiro. Copyright BMI Brazilian Management Institute 17

18 EXERCÍCIO 3 Quem sou eu? Com base nas características indicadas descubra quem é o personagem oculto: mercado de Bolsa ou mercado de Balcão. Segmento de negociação de ativos administrado pela BVSP, com regras específicas, onde os negócios e os participantes diretos são supervisionados pela Bolsa de Valores de São Paulo - BVSP. As corretoras são as principais intermediárias nesse ambiente. 1 As formas de negociação nesse ambiente são: Mercado a Vista Mercado a Termo Mercado de Opções Mercado Futuro de Ações 2 Segmento de negociação de ativos administrado pela BVSP, em que há a presença da entidade auto-reguladora exercendo a supervisão dos negócios com parâmetros de negociação e regras de listagem menos exigentes. Corretoras de Valores, Distribuidoras de Valores e Bancos de Investimento atuam como intermediários financeiros. A forma de negociação nesse ambiente é: Mercado a Vista Gabarito: (1) Mercado de Bolsa; (2) Mercado de Balcão Organizado. Copyright BMI Brazilian Management Institute 18

19 2.4 Sistemas e Câmaras de Liquidação e Custódia Agora que você já sabe quais são as principais instituições financeiras e operadoras do mercado, vai aprender como são liquidadas as operações realizadas por esses diversos agentes, ou seja, como se processa o pagamento e o recebimento dos recursos financeiros e a custódia dos títulos e valores mobiliários transacionados SELIC Sistema Especial de Liquidação e Custódia O SELIC é um sistema eletrônico que processa o registro, a custódia e a liquidação financeira das operações realizadas com títulos públicos federais, garantindo segurança, agilidade e transparência nos negócios CETIP S.A. Balcão Organizado de Ativos e Derivativos A CETIP é um sistema eletrônico que processa o registro, a custódia e a liquidação financeira das operações realizadas com títulos privados, garantindo segurança, agilidade e transparência nos negócios. Principais títulos e contratos custodiados no CETIP: CDB, contratos de swap, debêntures e letras hipotecárias CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia A CBLC atua como Contraparte Central para todos os Agentes de Compensação. Sua principal função é colocar-se entre todos os compradores e vendedores, assumindo o risco das contrapartes entre o fechamento do negócio e sua liquidação. Embora a CBLC possa custodiar diversos títulos e valores mobiliários, os principais valores mobiliários custodiados na CBLC são as ações de companhias abertas negociadas na Bovespa Clearings Câmaras de Liquidação e Compensação As Câmaras de Liquidação e Compensação (Clearing Houses) funcionam de forma integrada com o Sistema de Pagamentos Brasileiro-SPB. Uma das condições necessárias ao perfeito funcionamento dos mercados financeiro e de capitais é a crença de seus participantes de que seus ganhos serão recebidos e de que suas operações de compra e venda serão liquidadas nas condições e no prazo estabelecidos. Isso é proporcionado, pelas câmaras de registro, compensação e liquidação, ou Clearings, mediante um sistema de compensação que chama para si a responsabilidade pela liquidação dos negócios, transformando-se no comprador para o vendedor e no vendedor para o comprador, com estruturas adequadas ao gerenciamento de risco de todos os participantes. No Brasil temos a Clearing de Pagamentos (CIP); Clearing de Câmbio e Clearing de Derivativos (BMF&Bovespa) e a CBLC. FIQUE LIGADO! Importante fixar os ativos de cada central de liquidação e custódia: SELIC - Títulos públicos (LFT, LTN e NTNs) CETIP - Títulos privados (CDB, Letra Hipotecária, CDI, Debênture, Swap) CBLC - Ações e títulos públicos negociados pelo Tesouro Direto Copyright BMI Brazilian Management Institute 19

20 2.4.5 SPB Sistema de Pagamentos Brasileiro Sistema de pagamentos é o conjunto de regras, procedimentos, instrumentos e sistemas operacionais integrados que são utilizados para pagamentos e transferências de fundos entre os diversos agentes econômicos. O sistema de pagamentos compreende, de um lado, os bancos e os instrumentos de pagamento (dinheiro em espécie, cheque, cartões de débito e de crédito, etc.) e, do outro lado, os sistemas de compensação e de liquidação de obrigações. Falhas na cadeia de pagamentos podem causar perda de confiança nas instituições bancárias e, no limite, desestabilizar todo o sistema financeiro. Para reduzir o risco sistêmico, isto é, a possibilidade de quebra em cadeia de instituições financeiras (efeito dominó), os bancos centrais procuram atuar para assegurar robustez e segurança aos sistemas de pagamentos. Uma das mais importantes mudanças foi a implantação do Sistema de Transferência de Reservas (STR). Com esse sistema, operado pelo Banco Central, as transferências de fundos interbancárias passaram a contar com a opção de liquidação em tempo real, em caráter irrevogável e incondicional. Esse fato, por si só, já assegurou a redução dos riscos de liquidação nas operações interbancárias. ATENÇÃO! A principal função do SPB é reduzir o risco sistêmico no. Copyright BMI Brazilian Management Institute 20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 E Solange Honorato Facilitadora Certificação Profissional ANBIMA - CPA-10 Destina-se aos profissionais que desempenham

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais Relações Internacionais Finanças Internacionais Prof. Dr. Eduardo Senra Coutinho Tópico 1: Sistema Financeiro Nacional ASSAF NETO, A. Mercado financeiro. 8ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2008. Capítulo 3 (até

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012

GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012 GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo na tomada de decisões antes da realização

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Programa 2012 OBJETIVO: Habilitar os candidatos à Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 a participarem do exame reunindo os conhecimentos necessários.

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA JUROS PAGOS PELOS TOMADORES - REMUNERAÇÃO PAGA AOS POUPADORES SPREAD

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

O Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional 1 O Sistema Financeiro Nacional Foi constituído com base nas leis: 4595 de 31-12-64 Estrutura o Sistema Financeiro Nacional 4728 de 14-7- 65 Lei do Mercado de Capitais O Sistema

Leia mais

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III AULA 04 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo III SCTVM As sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários (SCTVM) são pessoas jurídicas auxiliares do Sistema Financeiro

Leia mais

ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS O Sistema Financeiro O sistema financeiro pode ser definido como o conjunto de instituições, produtos e instrumentos que viabiliza a transferência de recursos

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I

Administração Financeira e Orçamentária I Administração Financeira e Orçamentária I Sistema Financeiro Brasileiro AFO 1 Conteúdo Instituições e Mercados Financeiros Principais Mercados Financeiros Sistema Financeiro Nacional Ações e Debêntures

Leia mais

ÓRGÃOS NORMATIVOS. Conselho Monetário Nacional CMN:

ÓRGÃOS NORMATIVOS. Conselho Monetário Nacional CMN: ÓRGÃOS NORMATIVOS Conselho Monetário Nacional CMN: Instituído pela Lei 4.595/64, é o órgão responsável por expedir diretrizes gerais do SFN. Suas principais funções definidas por lei são adaptar o volume

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Sistema Financeiro Nacional 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Conceito 3.2 Subsistema de Supervisão 3.3 Subsistema Operativo 6/7/2006 2 3.1 - Conceito de Sistema Financeiro Conjunto de instituições financeiras

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Sistema Financeiro Nacional Professor: Roberto César SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O Sistema Financeiro Nacional pode ser definido como o conjunto de instituições e orgãos que

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Programa 2011 PROGRAMA: 1) Sistema Financeiro Nacional Funções Básicas: Função dos intermediários financeiros e definição de intermediação financeira. Estrutura

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas.

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. BRB 2011 Cespe Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. A respeito da estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN),julgue os itens a seguir. 1. Ao Conselho Monetário

Leia mais

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; O QUE É A CVM? A CVM - Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10 - Versão 5.4 OBJETIVOS DA CPA-10 A CPA 10 é uma importante parte do Programa

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Índice Pg. Sistema Financeiro Nacional... 02 Dinâmica do Mercado... 05 Mercado Bancário... 09 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão 0 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10-3º

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 Obs.: Para aprofundar os conhecimentos no Sistema Financeiro Nacional, consultar o livro: ASSAF NETO, Alexandre.

Leia mais

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 Segmentação do Mercado MERCADO MONETÁRIO MERCADO DE CRÉDITO MERCADO FINANCEIRO MERCADO DE CAPITAIS MERCADO CAMBIAL Conceito de Sistema Financeiro Conjunto

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.06 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB)

Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) Conceito e panorama geral O Sistema de Pagamentos Brasileiro é o conjunto de procedimentos, regras, instrumentos e operações integradas que dão suporte à movimentação

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 5: Sociedades de crédito ao microempreendedor As sociedades de crédito ao microempreendedor, criadas pela Lei 10.194, de 14 de fevereiro de 2001, são entidades que têm por

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 3: O ambiente operacional do administrador financeiro e da própria empresa Qualquer que seja o tipo de empreendimento empresa industrial, comercial, prestadora de serviços

Leia mais

LISTA DE TABELAS. Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços...

LISTA DE TABELAS. Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços... BANCOS MÚLTIPLOS LISTA DE TABELAS Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços... RESUMO Neste trabalho serão apresentadas as principais características e serviços disponibilizados pelos

Leia mais

CAIXA. Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO. Errata 001 de 30 de março de 2012

CAIXA. Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO. Errata 001 de 30 de março de 2012 Edição 4ª 7 8 9 8 4 8 1 9 2 4 5 6 3 CAIXA Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO Errata 001 de 30 de março de 2012 Conhecimentos bancários com atualizações e complementos que ocorreram nas páginas citadas.

Leia mais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A Lei nº 6.385/76 define os mandatos legais da CVM: Desenvolvimento do Mercado (art 4º. Incisos I e II); Eficiência e Funcionamento do Mercado (art. 4º,

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Prof. Rodrigo O. Barbati

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Prof. Rodrigo O. Barbati CONHECIMENTOS BANCÁRIOS Prof. Rodrigo O. Barbati AULA 01 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema normativo Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional (SFN) pode ser entendido

Leia mais

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados.

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados. Faculdades Integradas Campos Salles Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Aplicada às Instituições Financeiras Professor: Adeildo Paulino Aula: 12/05/2012 Matéria: Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

Capítulo 3 Aspectos Institucionais

Capítulo 3 Aspectos Institucionais Capítulo 3 Aspectos Institucionais 3.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar os conceitos básicos e as instituições do Sistema Financeiro Nacional (SFN), do Sistema de Pagamento

Leia mais

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade III Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Lembrando da aula anterior Conceitos e Funções da Moeda Política Monetária Política Fiscal Política Cambial

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Sistema Financeiro Nacional-Aula 22.10.14 22/10/2014. Ciências Contábeis. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Financeiro Nacional. Prof.

Sistema Financeiro Nacional-Aula 22.10.14 22/10/2014. Ciências Contábeis. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Financeiro Nacional. Prof. -Aula 22.10.14 22/10/2014 UNIVERSIDADE COMUNITARIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Contábeis Conceitos e Estrutura Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br Surgimento e Finalidade: Cronograma

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Paulo Berger SIMULADO ATIVOS FINANCEIROS E ATIVOS REAIS. Ativo real, é algo que satisfaz uma necessidade ou desejo, sendo em geral fruto de trabalho

Leia mais

Exercício para fixação

Exercício para fixação Exercício para fixação Quando o Banco Central deseja baratear os empréstimos e possibilitar maior desenvolvimento empresarial, ele irá adotar uma Política Monetária Expansiva, valendo-se de medidas como

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

A empresa e o Ambiente de. Negócios

A empresa e o Ambiente de. Negócios Centro Universitário Franciscano Curso: Administração Disciplina: Gestão Financeira I A empresa e o Ambiente de 00 000 00 0 000 000 0 Negócios Profª. Juliana A. Rüdell Boligon Santa Maria, março de 202.

Leia mais

Módulo 11 Corretora de Seguros

Módulo 11 Corretora de Seguros Módulo 11 Corretora de Seguros São pessoas físicas ou jurídicas, que se dedicam a angariar e promover contratos entre as Sociedades Seguradoras e seus clientes. A habilitação e o registro do corretor se

Leia mais

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur 1 - Sobre as atribuições do Banco Central do Brasil, é incorreto afirmar: a) Exerce o controle de crédito b) Estimula a formação de poupança e a sua aplicação

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional Capítulo Sistema Financeiro Nacional Bibliografia básica Todo o conteúdo dos slides deve ser acompanhado com o livro Mercados Financeiros, publicado pela Editora Atlas. Objetivos do capítulo Distinguir

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

Evolução do SFN. 1. Primeiro Período: 1808-1914 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS. 3. Terceiro Período: 1945-1965. 2. Segundo Período: 1914-1945

Evolução do SFN. 1. Primeiro Período: 1808-1914 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS. 3. Terceiro Período: 1945-1965. 2. Segundo Período: 1914-1945 Evolução do SFN MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Profa. Dra. Andréa Paula Segatto-Mendes apsm@ufpr.br 1. Primeiro Período: 1808-1914 Abertura dos portos - acordos comerciais diretos Criação do Banco do

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP)

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP) UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP) Daiane Cerencovich - RA 0106118998 Dyane Caroliny Marques - RA: 0108100863 Fernando Sousa do Nascimento - RA 0106117989 Juliana Ramos -

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº. 140, DE 2004. Dispõe sobre as instituições de mercado de capitais, e dá outras providências. AUTOR: Deputado EDUARDO VALVERDE RELATOR:

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Banco Central Bacen Conhecimentos Bancários

Banco Central Bacen Conhecimentos Bancários Banco Central Bacen Conhecimentos Bancários BANCO CENTRAL DO BRASIL O Banco Central do Brasil, criado pela Lei 4.595, de 31.12.1964, é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Fazenda, que tem

Leia mais

valores Sociedades de capitalização Entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão)

valores Sociedades de capitalização Entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão) CONHECIMENTOS BANCÁRIOS PROFESSOR RODRIGO O. BARBATI 1 ESTRUTURA DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto de um conjunto de instituições

Leia mais

PARTE. 1. AC- 1 Prof. Odair Ferreira AC- 2. Prof. Odair Ferreira AC- 4. AC- 3 Prof. Odair Ferreira. Prof. Odair Ferreira

PARTE. 1. AC- 1 Prof. Odair Ferreira AC- 2. Prof. Odair Ferreira AC- 4. AC- 3 Prof. Odair Ferreira. Prof. Odair Ferreira Risco e Mercado de Capitais Risco E Mercado De Capitais PARTE 1 AC- 1 AC- 2 l EMENTA: Estudar a gestão de risco no mercado de capitais, financeiro e de derivativos, por meio dos principais ativos negociados,

Leia mais

2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos: a) CMN b) Bacen c) CVM d) Anbima

2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos: a) CMN b) Bacen c) CVM d) Anbima Caderno de Exercícios CPA-10 Módulo I 1) Responsável pela fiscalização dos Fundos de Investimento: a) Anbima b) CVM c) CMN d) Bacen 2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.05 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 14/05/2015 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

Sou a instituição financeira auxiliar que opera no recinto da Bolsa. Posso organizar, administrar e vender Fundos de Investimento.

Sou a instituição financeira auxiliar que opera no recinto da Bolsa. Posso organizar, administrar e vender Fundos de Investimento. Exercícios SFN: 1 Com base nas características indicadas descubra quem é o personagem oculto: Banco de palavras: Conselho Monetário Nacional, Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários, Banco Múltiplo,

Leia mais

Mercado Financeiro Samantha Broman

Mercado Financeiro Samantha Broman Samantha Broman sambroman@hotmail.com Bibliografia Básica: Autor: Eduardo Fortuna Editora: Qualimark Autor: Virginia l. Oliveira Editora: Campus Metodologia de Ensino: Slides com os temas do capítulo que

Leia mais

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras.

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras. Câmbio Uma operação de câmbio envolve a negociação de moeda estrangeira através da troca da moeda de um país pela de outro. Uma pessoa que pretende viajar para o exterior precisa fazer uma operação de

Leia mais

S B U SI S ST S E T M

S B U SI S ST S E T M 2.1 - Estrutura do SFN Análise de Mercado Financeiro Cap. II Sistema Financeiro Nacional Conjunto de instituições financeiras e instrumentos financeiros que visam transferir recursos dos agentes econômicos

Leia mais

Sumário. Unidade I. cad_00.indd 15 08/12/2011 10:53:48

Sumário. Unidade I. cad_00.indd 15 08/12/2011 10:53:48 Sumário Unidade I O Sistema Financeiro Nacional: Composição, Funcionamento e Regulação Capítulo 1 Sistema Financeiro Nacional...3 1.1. Introdução...3 1.2. A Intermediação Financeira...4 1.3. Estrutura

Leia mais

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes Agenda 1. Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) 2. Papeis do Banco Central do Brasil no SPB 3. Sistema Especial de Liquidação

Leia mais

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários Mercado de capitais Mercado de capitais Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br www.marcoarbex.wordpress.com O mercado de capitais está estruturado para suprir as necessidades de investimento

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SFN. Instituições Financeiras Captadoras de Depósitos à Vista. Bolsas de Mercadorias e Futuros

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SFN. Instituições Financeiras Captadoras de Depósitos à Vista. Bolsas de Mercadorias e Futuros SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SFN SUBSISTEMA NORMATIVO SUBSISTEMA OPERATIVO OU DE INTERMEDIAÇÃO Órgãos Normativos Entidades Supervisoras Operadores CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL (CMN) Banco Central do Brasil

Leia mais

Módulo III Noções de Economia e Finanças

Módulo III Noções de Economia e Finanças Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 Módulo III Copyright 2011-2012 BMI Brazilian Management Institute 1 Índice 10% a 15% da prova 1. 4 1.1 Indicadores econômicos 4 1.1.1 PIB 4 1.1.2 Índices de Inflação:

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Caixa Econômica Federal

Caixa Econômica Federal Turma Exercícios 01) Em relação ao Sistema Financeiro Nacional, analise as afirmativas a seguir: I - Compete ao Conselho Monetário Nacional Regular o valor externo da moeda e o equilíbrio do balanço de

Leia mais

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC CMN ORGAO MAXIMO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA FAZENDA, MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, BACEN COMOC RESOLUÇÕES COPOM DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL Leonardo B. Pupo Analista de Mercado de Capitais Gerência de Acompanhamento de Mercado 2 Superintendência de Acompanhamento de Mercado Agenda Intermediação Financeira

Leia mais

3.3.2.2. O objetivo do FRONT é proporcionar ganhos de capital de longo prazo aos seus cotistas, através de um portfolio diversificado de aplicações.

3.3.2.2. O objetivo do FRONT é proporcionar ganhos de capital de longo prazo aos seus cotistas, através de um portfolio diversificado de aplicações. 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG GLOBAL CURRENCIES HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Mercado Financeiro Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 5ª aula Início da aula Instituições Operadoras Livro Como esticar seu dinheiro Ricardo

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário)

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1) As Entidades Abertas de Previdência Privada são reguladas e fiscalizadas: a) Pelo Banco Central do Brasil, Superintendência de Seguros Privados SUSEP

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Santos, 30 de setembro de 2009

Santos, 30 de setembro de 2009 Santos, 30 de setembro de 2009 Estas são nossas primeiras impressões, comentário e observações quanto a Resolução 3790/09 que regula as aplicações financeiras dos RPPS: Valorização da elaboração da política

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL. Programa de Qualificação Operacional

GUIA DE ESTUDOS CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL. Programa de Qualificação Operacional GUIA DE ESTUDOS CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL Programa de Qualificação Operacional Apresentação A Certificação de Profissionais, inserida no Programa de Qualificação Operacional (PQO) tem por objetivos atestar

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Gestão Financeira Aula 2 Contextualização Prof. Esp. Roger Luciano Francisco Segmentos do Mercado Financeiro Mercado monetário Mercado de crédito Mercado de capitais Mercado de câmbio Mercado Monetário

Leia mais

3.1 - Estrutura do SFN

3.1 - Estrutura do SFN 1 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Estrutura do SFN 3.2 Subsistema normativo 3.3 Subsistema de intermediação 3.4 Títulos públicos negociados no MF 3.5 Principais papéis privados negociados no MF 3/4/2012

Leia mais

Regulação do Sistema Financeiro Nacional

Regulação do Sistema Financeiro Nacional Regulação do Sistema Financeiro Nacional Sergio Odilon dos Anjos Chefe do Departamento de Normas do Sistema Financeiro Brasília 18 de julho de 2011 1 Regulação do Sistema Financeiro Banco Central do Brasil

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais