Os destinos finais (organogênese) desses folhetos germinativos, na formação dos tecidos e órgãos humanos, são:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os destinos finais (organogênese) desses folhetos germinativos, na formação dos tecidos e órgãos humanos, são:"

Transcrição

1 Aula 01: Introdução, formação e tipos dos tecidos Histologia é o estudo dos tecidos biológicos: forma, estrutura e função. Do grego hydton = tecido + logos = estudos 1. Célula A célula é a menor porção da matéria viva dotada de capacidade de se autoduplicar independente. Basicamente elas são formadas por membrana plasmática, citoplasma e núcleo, porém essas estruturas podem variar de um ser vivo para o outro. As células podem ser classificadas em: - Células incompletas: não apresentam capacidade de autoduplicação sem a ajuda de outra célula. - Procariontes: célula simples, ausência de carioteca e algumas organelas. - Eucariontes: células mais complexas com envoltório nuclear e vários tipos de organelas. 1.1 Célula Eucarionte: Animal Célula animal é eucarionte e se difere da célula vegetal por não possuir parece celular e plastos. 2.1 Formação dos tecidos Todos os tecidos presentes são formados a partir de três tipos de folhetos germinativos: endoderma, ectoderma e mesoderma. Cada um desses, durante o desenvolvimento embrionário, é responsável por um grupo de células especializadas quanto à forma e função. Os destinos finais (organogênese) desses folhetos germinativos, na formação dos tecidos e órgãos humanos, são: Ectoderma Epiderme e anexos cutâneos (pêlos e glândulas mucosas); Todas as estruturas do sistema nervoso (encéfalo, nervos, gânglios nervosos e medula espinhal); Epitélio de revestimento das cavidades nasais, bucal e anal. Mesoderma Forma a camada interna da pele (derme); Músculos lisos e esqueléticos; Sistema circulatório (coração, vasos sangüíneos, tecido linfático, tecido conjuntivo); Sistema esquelético (ossos e cartilagem); Sistema excretor e reprodutor (órgãos genitais, rins, uretra, bexiga e gônadas). Fig Folhetos embrionários. Endoderma Epitélio de revestimento e glândulas do trato digestivo, com exceção da cavidade oral e anal; Sistema respiratório (pulmão); Fígado e pâncreas. Fig.1.1 Célula eucarionte e organelas 2. Tecidos O corpo de um organismo multicelular é constituído por diferentes tipos de células especializadas para realizar diversas funções. As células com determinado tipo de especialização organizam-se em grupos, constituindo os tecidos. Alguns tecidos são formados por células que possuem a mesma estrutura; outros são formados por células que têm diferentes formas e funções, mas que juntas colaboram para o funcionamento do órgão, e consecutivamente sistemas e corpo. 2.2 Tipos de Tecidos Com as células se agrupando e especializando há a formação assim dos tecidos que podem ser classificados de acordo com sua especialidade e função. Assim podemos classificar os tipos de tecidos em 4 grandes grupos: Epitelial: reveste superfícies externas do corpo (pele), os órgãos (fígado, pulmão, rins) e cavidades corporais internas (luz do estômago e intestino). Conjuntivo: preenche (cartilagem), sustenta (osso) e transporta substâncias (sangue). Muscular: Tem células com propriedades de contração. Nervoso: Constitui o sistema nervoso central e periférico. Esses 4 grandes grupos de tecidos também tem subtipos específicos que irão formar os órgãos e sistemas do corpo. Assim fazem proteção, absorção e secreção de substâncias, percepção de sensações, sustentação, locomoção, movimentação de órgãos internos, transmissão de informações, preenchimento, armazenamento, regeneração, defesa, transporte de sustâncias são algumas funções que os tecidos exercem. Referências: ARAGUAI, Mariana. Histologia Animal. Disponível em <http://www.mundoeducacao.com.br/biologia/histologia-animal.htm>. Acesso em 16 março Histologia. Disponível em <http://sobiologia.com.br/conteudos/histologia/epitelio.php>. Acesso em 14 março HUTNER, Mary Lane. Eureka, Biologia e química. ed. Paraná. Departamento Educação Básica e TV Paulo Freire, págs. 13 a 16. CAMARGO, Solange de; INFANTE-MALACHIAS, Maria Elena. Biologia, biologia celular, v.1. ed.são Paulo, Dreampix Comunicação, SANTOS, Leidimeri; LIOTTI, Luciane C. Biologia. ed. São Paulo Ícone Audiovisual, Capitulo 3. Fig.2.1 Diferenciação dos tecidos

2 Aula 02: Tecido Epitelial Os tecidos epiteliais são caracterizados pela proximidade entre suas células para que possam executar as funções primordiais de revestimento, absorção e proteção. Origem Esse tecido pode ser originário dos três folhetos embrionários: Ectoderme: origem dos epitélios de revestimento externos (epiderme; revestimento da boca e nariz; glândulas mamárias, salivares e sebáceas). Mesoderme: endotélio (revestimento de vasos sanguíneos), epitélio urogenital e serosas (pleura, pericárdio e peritônio). Ectoderme: Epitélio de revestimento do tubo digestório e respiratório; epitélio da bexiga e das glândulas tireóide, paratireoide e fígado. Características Apresentam células justapostas (unidas umas às outras), logo com pouca ou nenhuma substância intercelular e poliédricas, com pouco material intercelular. Podemos destacar a grande capacidade coesão entre as células epiteliais, o que tem como consequência a formação de uma seção de continuidade (revestimento continuo) entre elas para revestir tanto a superfície como também as cavidades do corpo. O epitélio apresenta rica enervação, apresentando por isso, função sensorial. Outra característica relevante é que esse tecido não apresenta vascularização. Assim, sua nutrição ocorre por difusão a partir do tecido conjuntivo subjacente, tecido que esse que sustenta e nutre o epitélio. Também se encontra nos epitélios a lâmina basal, está é de espessura variável. Ela separa o tecido epitelial dos tecidos conjuntivos subjacentes. A base das células epiteliais ficam aderidas a essa lâmina por meio de estruturas especiais, hemidemossomos. Função As funções essenciais do tecido epitelial é: Proteção, Revestimento das superfícies do corpo, Absorção Secreção, Função sensorial, Trocas gasosas, Transporte. Fig. 2 Hemidemossomos Os epitélios que revestem internamente os órgãos fazem absorção de água e alimentos, trocas respiratórias e ainda a eliminação de excretas. Há dois critérios para a classificação do tecido epitelial de revestimento: número de camadas celulares e forma das células superficiais. Assim a classificação segue critérios morfológicos. Tecido Epitelial Simples Possui apenas uma camada de células. Podemos encontrar esse tipo de tecido no mesótelio das serosas, epitélio externo do ovário e o epitélio de revestimento do estômago. Tecido Epitelial Estratificado Trata-se do epitélio formado por diversas células, como o epitélio das mucosas oral e anal e também a epiderme dos vertebrados. Tecido Epitelial Pseudo-estratificado. Este é um tecido especial, pois, apesar de ter uma camada de células, tem-se a impressão, ao microscópio óptico, de observar várias camadas de células, pois as células têm tamanhos e formas diferentes. Observa-se este tipo de células nas fossas nasais, na traqueia e nos brônquios. 1.1 Classificação quanto a forma das células Epitélio cilíndrico ou prismático: Células altas. Epitélio Cúbico: Células com dimensões parecidas. Epitélio pavimentoso: Células achatadas que parecem ladrilho. 1. Tecido Epitelial de Revestimento São tecidos que revestem interna e externamente o organismo. Funciona como uma membrana que isola e protege. A epiderme é um epitélio que protege o corpo contra atrito ou traumas, desidratação, substâncias tóxicas do ambiente, penetração de bactérias, vírus e outros agentes nocivos. Também permite o relacionamento do organismo com o meio, recebendo estímulos, ambientais e tornado possíveis as reações adaptativas.

3 Exemplos, hipófise, glândulas da tireóide, glândulas paratireódeas e glândulas adrenais; Glândulas mistas ou anfícrinas: apresentam regiões endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo. É o caso do pâncreas, cuja porção exócrina secreta enzimas digestivas que são lançadas no duodeno, enquanto a porção endócrina é responsável pela secreção dos hormônios insulina e glucagon. Esses hormônios atuam, respectivamente, na redução e no aumento dos níveis de glicose no sangue. Quanto ao número de células Unicelulares: Glândulas formadas por uma célula, como por exemplo a glândula caliciforme do intestino. 2. Tecido epitelial glandular As características são parecidas com o tecido epitelial de revestimento o que difere é a secreção de substâncias. Assim é um tipo especial de tecido epitelial com células especializadas na produção e eliminação secreção de substâncias. Todas as glândulas originam da invaginação do epitélio, ao longo do desenvolvimento embrionário, com a consequente invasão do tecido conjuntivo, que envolve as glândulas. Pluricelulares: Glândulas formadas por muitas células, como as glândulas mamárias ou sebáceas. Tipo de secreção Mucosas: Quando as secreções são espessas e ricas em muco, glândulas das fossas nasais. Serosas: Quando fluidas, aquosas, claras e ricas e proteínas, glândulas secretoras do pâncreas. Mistas: Quando ocorrem secreções mucosas e serosas juntas, glândulas salivares parótidas. Aula 03: Tecido Muscular Os tecidos musculares são responsáveis pelo movimento dos animais e pela contração dos vários órgãos que formam os organismos. Assim são responsáveis pela locomoção e contração dos órgãos. Fig. 3.1 Músculos Origem Suas células têm origem mesodérmica e se diferenciaram pelo alongamento das células e pela produção dos filamentos contráteis. Características As células musculares são especializadas na contração muscular. Elas são geralmente alongadas, recebem o nome de fibra muscular ou miócitos. O citoplasma é rico em moléculas proteicas, filamentosas e contráteis, miofilamentos. Há 2 tipos de miofilamentos: actina, delgados e miosina, espesso. O agrupamento desses filamentos forma as chamadas miofibrilas, que são cilíndricas com até com muitos centímetros de comprimento. Fig.2.1 Formação glandular A glândula é constituída por uma parte funcional, adenômero ou porção secretora, e por um ducto que conduz a secreção. 2.1 Tipos de glândulas Quando a presença do ducto e à forma de secreção Glândulas exócrinas: apresentam a porção secretora associada a dutos que lançam suas secreções para fora do corpo (como as glândulas sudoríparas, lacrimais, mamárias e sebáceas) ou para o interior de cavidades do corpo (como as glândulas salivares); Glândulas endócrinas: não apresentam dutos associados à porção secretora. As secreções são denominadas hormônios e lançadas diretamente nos vasos sanguíneos e linfáticos. Função As funções do Tecido Muscular no geral são: Movimentos; Locomoção; Sustentação. 1. Tecido Muscular Estriado Esquelético Esse tecido está em maior quantidade no corpo. Ele forma os músculos ligados à estrutura óssea, permitindo o movimento do corpo. Apresenta contração voluntária, ou seja, o comando é feito pelo sistema nervoso central, depende da vontade do indivíduo. A contração se caracteriza por ser forte e rápida.

4 A musculatura estriada esquelética é formada por células cilíndricas, alongadas (chegam até 30cm) e delgadas, multinucleadas com estrias longitudinais e transversais, dando a característica do músculo. 4. Contração muscular As fibras musculares apresentam inúmeras miofibrilas contráteis, entre as quais, existem muitas mitocôndrias com função energética. Fig. 3.2 Localização, estrutura e corte transversal e longitudinal do tecido muscular estriado esquelético. O mecanismo de contração da miofibrila decorre da modificação das ligações entre o miofilamentos de actina e de miosina. Na musculatura estriada, as miofibrilas organizam-se em feixes, conferindo a este tipo de musculatura uma característica estriada. Através da observação microscópica de um músculo estriado, é possível verificar que as miofibrilas apresentam, alternadamente, faixas claras e escuras. A imagem Fig.3.5 ilustra a organização da fibra muscular: 2. Tecido Muscular Liso Esse tecido está presente em órgãos internos (tubo digestivo, bexiga, útero) e também nas paredes dos vasos sanguíneos. Responsável pelos movimentos dos órgãos, como o peristaltismo (movimento do tubo digestivo). Possui contração involuntária, logo independe da vontade e o comando é feito pelo sistema nervoso visceral (autônomo), também pode ser espontânea, contração miogênica. O músculo liso tem contração lenta e geralmente fraca. As fibras musculares lisas são uninucleadas e os filamentos de actina e miosina estão dispostos aleatoriamente, sem formar padrão estriado como nos demais tecidos musculares. As células tem forma fusiforme, alongada e afilada nas extremidades. Fig.3.5 Organização da fibra muscular Fig.3.3 Localização, estrutura e corte transversal e longitudinal do tecido muscular liso. 3. Tecido Muscular Estriado Cardíaco Encontrado formando o coração, e apenas o miocárdio é formado por tecido estriado, os outros órgão são formados pela musculatura lisa. Apresenta contração involuntária, com contração moderadamente forte e rápida. Assim como o músculo esquelético, o cardíaco possui células longas, cilíndricas e estriadas, porém são ramificadas e com um núcleo central. Estas ramificações unem uma célula à outra através de uma estrutura permeável ao impulso elétrico chamada disco intercalar. Estes possuem como função, aumentar a coesão entre as células, permitindo que o estímulo necessário à contração passe rapidamente de uma célula para outra. Essas ramificações permite uma contração do músculo cardíaco uniforme, essencial para o bom funcionamento do coração. Os filamentos de miosina formam bandas escuras, chamadas anisotrópicas (banda A), e os de actina, bandas claras, chamadas isotrópicas (banda I). No centro de cada banda I aparece uma linha mais escura, chamada linha Z. O intervalo entre duas linhas Z consecutivas constitui um miômetro ou sarcômero e correspondem à unidade contrátil da célula muscular. No centro de cada banda A existe uma faixa mais clara, chamada banda H, bem visível nas células musculares relaxadas e que vai desaparecendo à medida que a contração muscular ocorre. A contração muscular ocorre no seguinte modo: Ocorre um pulso nervoso, por meio do mediador químico acetilcolina, há a despolarização da membrana plasmática. Assim libera Ca ++ e Mg ++ que reage com a troponinatropomiosina (complexo de proteínas que estão no sítio de ligação da miosina) e libera o sítio de ligação da miosina. Isso induz a contração da fibra muscular pelo deslizamento das moléculas de actina sobre as de miosina, provocando o encurtamento da fibra, representação na figura Fig Fig.3.4 Localização, estrutura e corte longitudinal e transversal do tecido muscular estriado cardíaco. Fig. 3.6 Contratação

5 Aula 04: Tecido Conjuntivo Propriamente dito e Cartilaginoso. Há diferentes tipos de tecido conjuntivo e estão amplamente distribuídos pelo corpo e tem as mais diversas funções que serão tratadas a seguir. Origem Tem origem mesenquimática, este pode ser considerado um quarto tecido embrionário. O mesênquima deriva da mesoderme e se espalha pelo interior do embrião para envolver e penetrar nos órgãos. Características É o tecido mais abundante no organismo e assume variadas funções. Portanto apresentam as mais diferentes morfologias celulares imersas em grande quantidade de material extracelular e também tem grande quantidade de material intercelular dando consistência variável. São altamente vascularizadas (exceção do tecido cartilaginoso) facilitando a nutrição de outros tecidos. Função A sua função primordial é o preenchimento de espaços. Mas também exerce sustentação mecânica, proteção, armazenamento, transporte de substâncias, defesa, nutrição e atuação nos processos regenerativos e cicatrizantes. promove o primeiro combate aos microrganismos invasores do nosso organismo. Plasmócitos Célula ovóide, rica em retículo endoplasmático rugoso (ou granular). Pouco numeroso no conjunto normal, mas abundante em locais sujeitos à penetração de bactérias, como intestino, pele e locais em que existem infecções crônicas. Produtor de todos os anticorpos no combate a microorganismos. É originado no tecido conjuntivo a partir da diferenciação de células conhecidas como linfócitos B. Mastócitos Célula globosa, grande, sem prolongamentos e repleta de grânulos que dificultam, pela sua quantidade, a visualização do núcleo. Os grânulos são constituídos de heparina (substância anticoagulante) e histamina (substância envolvida nos processos de alergia). Esta última substância é liberada em ocasiões de penetração de certos antígenos no organismo e seu contato com os mastócitos, desencadeando a consequente reação alérgica. Adipócitos Células armazenadoras de lipídios (gorduras), contém grande vacúolos. Fibras colágenas São constituídas de colágeno, talvez a proteína mais abundante no reino animal. São grossas e resistentes, distendendo-se pouco quando tensionadas. As fibras colágenas presentes na derme conferem resistência a nossa pele, evitando que ela se rasgue, quando esticada. Fibras elásticas Longos fios de uma proteína chamada elastina. Elas conferem elasticidade ao tecido conjuntivo frouxo, completando a resistência das fibras colágenas. Quando você puxa e solta à pele da parte de cima da mão, são as fibras elásticas que rapidamente devolvem à pele sua forma original. A perda da elasticidade da pele, que ocorre com o envelhecimento, devese ao fato de as fibras colágenas irem, com a idade, se unindo umas às outras, tornando o tecido conjuntivo mais rígido. Fig. 4.1 Esquema de especialização do tecido conjuntivo 1. Tecido conjuntivo propriamente dito Esse é encontrado abaixo dos epitélios e envolvendo os órgãos. Este tipo de tecido envolve nervos, músculos, vasos sanguíneos e preenche os espaços entre dois órgãos diferentes além de nutrir os tecidos que não possuem vasos sanguíneos. Fibras Reticulares Ramificadas e formam um trançado firme que liga o tecido conjuntivo aos tecidos vizinhos. Abaixo representação das células e fibras mais comuns. Seguir as principais células e fibra encontradas nesse tecido. Fibroblastos Célula metabolicamente ativa, contendo longos e finos prolongamentos citoplasmáticos, apresenta uma forma estrelada. Sintetiza o colágeno e as substâncias da matriz (substância intercelular). Macrófagos Célula ovoide e grande, podendo conter longos prolongamentos citoplasmáticos e inúmeros lisossomos. Responsável pela fagocitose e pinocitose de partículas estranhas ou não ao organismo. Remove restos celulares e Fig. 4.2 Sistema conjuntivo frouxo e seus constituintes. 1.1 Tecido conjuntivo frouxo O tecido conjuntivo frouxo preenche espaços não-ocupados por outros tecidos, apoia e nutre células epiteliais, envolve nervos, músculos e vasos sanguíneos linfáticos. Além disso, faz parte da estrutura de muitos órgãos e desempenha importante papel em processos de cicatrização. É a forma mais comum do tecido conjuntivo.

6 Fig. 4.3 Tecido conjuntivo frouxo Há poucas fibras na substância intercelular. Assim, a substância fundamental amorfa predomina sobre as fibras. Encontram-se todos os tipos de células conjuntivas. 1.2 Tecido conjuntivo denso ou fribroso A composição desse tecido são basicamente os elementos do tecido conjuntivo. Nesse tipo de tecido há pouca quantidade de células e uma alta concentração de fibroblastos e fibras de colágenos. Por causa da grande concentração de fibra oferece grande resistência à tração. Formam os tendões e ligamentos e podem formar também envoltórios fibrosos para os órgãos. Podem ser classificados em: Não modelado: Formado por fibras colágenas entrelaçadas, dispostas em feixes que não apresentam orientação fixa, o que confere resistência e elasticidade. Esse tecido forma as cápsulas envoltórias de diversos órgãos internos, e forma também a derme, tecido conjuntivo da pele. Fig Tecido conjuntivo denso não-modelado. Modelados: Formado por fibras colágenas dispostas em feixes com orientação fixa, dando ao tecido características de maior resistência à tensão do que a dos tecidos nãomodelados e frouxo; ocorre nos tendões, que Fig. 4.5 Tecido conjuntivo denso modelado. ligam os músculos aos ossos, e nos ligamentos, que ligam os ossos entre si. 1.3 Tecido Adiposo Nesse tecido a substância intracelular é reduzida, e as células, ricas em lipídios, são denominadas células adiposas. Ocorre principalmente sob a pele, exercendo funções de reserva de energia, proteção contra choques mecânicos e isolamento térmico. Ocorre também ao redor de alguns órgãos como os rins e o coração. As células adiposas possuem um grande vacúolo central de gordura, que aumenta ou diminui, dependendo do Fig.4.6 Célula adiposa metabolismo. O tecido adiposo atua como reserva de energia para momentos de necessidade. 2. Tecido cartilaginoso Esse tecido também é conhecido por cartilagem e sua função é de sustentação e preenchimento das superfícies articulares (aqui ele age como um amortecedor de choque mecânicos e facilita os movimentos). A cartilagem é caracterizada por conter fibras de colágenas e elásticas. Estas duas fibras proporcionam ao tecido cartilaginoso uma consistência firme e flexível, permitindo sustentar diversas partes do corpo, proporcionando, ao mesmo tempo, flexibilidade de movimento. Fig. 4.7 Esquema do tecido cartilaginoso Não há vascularização e nervos e sua regeneração é muito lenta. A parte cartilaginosa e revestida por uma membrana do tecido conjuntivo denso não-modelado, o pericôndrio. Células responsáveis pela formação da cartilagem são: Condroblastos: Células formadoras. Encontradas na parte interna do pericôndrio, são jovens e estão em intensa atividade metabólica. Condrócitos: Células adultas. São células volumosas com núcleo arredondado. Ocorrem agrupamentos de 2, 3 ou 4 células por lacuna, pois estão presentes no condroplastos. O tecido cartilaginoso é classificado em 3 tipos de acordo com a quantidade de fibras: Cartilagem hialina Tecido mais abundante. Fibras: colágenas em quantidade moderada. Ocorrência: nariz, anéis da traqueia e dos brônquios, laringe, articulação de ossos longos, liga costelas com o esterno. Cartilagem elástica Mais resistente à tensão. Fibras: colágenas e grandes quantidades de fibras elásticas dão maior elasticidade. Ocorrência: pavilhão auditivo, trompa de Eustáquio, epiglote, algumas cartilagens da laringe. Cartilagem fibrosa Associada a articulações e locais de fixação de tendões e ligamentos. Fibras: colágenas em grande quantidade; é a mais resistente. Ocorrência: articulações, discos intervertebrais e pontos onde tendões e ligamentos fixam-se aos ossos. Aula 05: Tecido conjuntivo Ósseo e Sanguíneo 3. Tecido Ósseo Representa o mais rígido e resistente dos tecidos conjuntivo, é ele que forma o esqueleto humano e de muitos vertebrados. Sua função é de sustentação, proteção dos órgãos internos, armazenamento de lipídios e cálcio; e também tem função hematopoiética.

7 Os ossos têm muitos vasos sanguíneos e nervos, por esse motivo, os ossos apresentam sensibilidade, alto metabolismo e capacidade de regeneração. 3.1 Características Matriz óssea (orgânica): Rica em fibra de colágeno (flexibilidade aos ossos), escassa substância fundamental. Componentes inorgânicos: São constituídos por sais minerais (dá a dureza do tecido ósseo). Essencialmente a constituição é feita de cristais de hidroxiapatita, que é formado por fosfato de cálcio cristalino. Também se encontra carbonato de cálcio e fosfato de magnésio. 3.2 Células As células ósseas ficam localizadas em pequenas cavidades existentes nas camadas concêntricas de matriz mineralizada. Osteoblastos Células jovens, quando entram em atividade, secretam a substância intercelular (parte orgânica), quando adultas serão denominadas osteócitos. Fig.5.1 Osteoblasto após a puberdade. Esse forma os ossos longos, os ossos curtos e alguns ossos chatos. 4. Tecido conjuntivo Sanguíneo Este é um tecido altamente especializado. Responsável pela produção do sangue que é formado por uma porção figurada (vários tipos de células) dispersa num meio líquido, plasma. A função desse tecido é o transporte e distribuição de substâncias; também participa do sistema de defesa. Assim contribui para o equilíbrio interno do corpo. As células sanguíneas se originam da medula óssea vermelha (esta encontrada nos ossos chatos e curtos). 4.1 Porção figurada Plaquetas Ou também conhecidas como trombócitos: são anucleados, contém a tromboplastina - coagulação do sangue. Estas são fragmentação das células gigantes da medula óssea, megacarióticos. Glóbulos vermelhos São conhecidos também como hemácias ou eritrócitos. É a célula do tecido conjuntivo em com maior quantidade no corpo humano. Sua origem é da medula óssea vermelha. Sua forma é bicôncava, chata e anucleada e rica em hemoglobinas (proteína responsável pelo transporte do oxigênio). Osteócitos Células adultas situadas no interior dos osteoplastos (lacunas). Mantém os constituintes da matriz e metabolismo ósseo. Fig, 5.2 Osteócitos Glóbulos brancos Também chamados de leucócitos. A sua função é a defesa do corpo, por meio da fagocitose ou produção de anticorpos. Eles são formados no baço, timo, linfonodos e medula óssea. Há diversos tipos de glóbulos brancos e eles são classificados de acordo com a presença ou não de grânulos específicos: Osteóclastos Permitem a regeneração do osso e relacionam-se com a reabsorção da matriz e a renovação óssea. Granulócitos (grânulos presentes) Neutrófilos: Fazem a fagocitose de microorganismo, especializados. Aparecem em maior quantidade em infecções agudas. Eosinófilos: Grande quantidade de grânulos de histamina. Atuam nas alergias e verminoses. Basófilos: São células raras, tem grandes granulócitos. Sintetizam histamina e heparina, relacionado em processos alérgicos. Fig.5.3 Esquema de remodelação do osso, osteoclasto 3.3 Formação do Tecido Ósseo Quando as células mesenquimatosas se diferenciam em osteoblastos, elas secretam matriz orgânica que a seguir é mineralizada. Os ossos podem ser de originar do tecido cartilaginoso ou conjuntivo e conforme isso podem serem classificados em ossos membranosos ou ossos de cartilagem. Os ossos de membrana são formados a partir dos tecidos conjuntivos. Esse tipo forma os ossos chatos do crânio e a maioria dos ossos pequenos da face. Já os ossos cartilaginosos resultam da transformação de um modelo cartilaginoso embrionário. A sua formação completa é Agranulócitos (sem grânulos) Linfócitos: Células pequenas e responsáveis pelas respostas imunológicas das células. Os linfócitos podem ser produzidos em diferentes órgãos do corpo (medula óssea, timo, baço, glânglios linfáticos, paredes intestinais e amígdalas). Monócitos: Leucócitos com maior tamanho, são precursoras dos macrófagos, que realizam a limpeza e defesa do organismo. Plaquetas Também conhecidas por trombócitos. São células originadas da fragmentação de células gigantes da medua óssea, megacariócitos, Possuem atividade no processo de coagulação.

8 comprimento, como nos neurônios que se estendem desde nossas costas até o pé. São células formadas por um corpo celular ou pericário, de onde partem dois tipos de prolongamento: dendritos e axônio. Fig. 5.4 Tipos de células sanguíneas 4.2 Coagulação Fig. 6.1 Estrutura de uma célula neural Corpo celular Representa o centro trófico do pericário, ou seja, é onde contém o núcleo e outras organelas. Danos nessa região são irreversíveis. Dendritos São prolongamentos ramificados e curtos da célula especializado em receber estímulos, que também podem ser recebidos pelo corpo celular. Axônios É uma expansão celular fina, alongada e de diâmetro constante, com ramificações em sua porção final, de modo que o impulso pode ser transmitido simultaneamente a vários destinos. É uma estrutura especializada na transmissão de impulsos nervosos para outros neurônios ou para outros tipos celulares, como as células de órgãos efetores. Aula 06: Tecido Nervoso e Exercícios Esse tecido forma o sistema nervoso. Tem células altamente especializadas. O sistema nervoso, juntamente com o sistema endócrino, são responsáveis pela manutenção da homeostasia. Origem Sua origem é do folheto embrionário ectoderme, a partir de sua invaginação que formara o tubo neural. Características Constituido por neurônios e células da glia e capilares sanguíneos. Substância intercelular praticamente não existe. Função As células neurais são especializadas na recepção, condução e transmissão do impulso nervoso. 6.1 Neurônios Também chamadas de células nervosas, recebem e transmitem os impulsos nervoso, permitindo que o organismo responder a alteração do meio. Os neurônios são alongados, podendo atingir, em alguns casos, cerca de 1 metro de Nos axônios podem ter especializações como a bainha de mielina e nódulos de Ranvier.que formam as células de Schwann Que serve para aumentar a velocidade do pulso nervoso. 6.2 Células da glia Ou neuróglias que são células auxiliares que dão suporte ao funcionamento do sistema nervoso. São encontradas ao longo do tecido nervoso, tanto na substância cinzenta quanto na branca. Suas principais funções são: sustentar, nutrir e defender os neurônios. Tipos de células da glia Astrócitos São as maiores células neuroglias. Dão suporte mecânico e fornecem alimento à complexa e delicada rede de circuitos nervosos. Formam uma camada localizada abaixo da piamater, separando o tecido conjuntivo das células neurais. Oligodendrócitos Desempenham função equivalente à das células de Schwann, formando bainhas protetoras (bainha de mielina) sobre os

9 neurônios que ficam no encéfalo e na medula espinhal, sistema nervoso central. Micróglia São um tipo especializado de macrófago cuja função é fagocitar detritos e restos celulares presentes no tecido nervoso. Possivelmente originam os macrófagos do sistema nervoso central. Possui corpo alongado e pequenos com prolongamentos curtos e finas saliências, dando aparência de espinhos. Fig. 6.2 Tipos de células da glia Referências Tecido Epitelial. Disponível em < Acesso em 18 março Tecido Epitelial. Disponível em < Acesso em 18 março THIEMANN, Otavio H. Elementos de Histologia. Disponível < Acesso em 18 março 2012.Capitulo 1 a 7. MONTEIRO, Hebert S.; CARDOSO, Geraldo. Biologia,apostila Energia, vol.3.ed. Florianopolis,SC Pagina 113a130. Histologia. Disponível em < Acesso em 16 março Tecido Muscular. Disponível em < Acesso em 19 março DUARTE, Marcos. Tecido Muscular. Disponível em < Acesso em 19 março DANTAS, Patricia L. Tecido Muscular. Disponível em < Acesso em 19 março Exercícios Tecido Epitelial 01) (UFPR/2010) O esquema ao abaixo é representativo de um epitélio de revestimento estratificado. Pode-se observar que as camadas superiores, em contato com o meio externo, são compostas por células cada vez mais achatadas. Além disso, essas células achatadas geralmente estão mortas e descamam do tecido. Um exemplo desse tipo de epitélio é encontrado no esôfago de animais carnívoros. Qual o principal motivo que leva essas células a morrerem e descamarem do epitélio? a) O atrito causado pelos componentes de meio externo que entram em contato com o epitélio. b) A justaposição das células, que cria uma falta de espaço para que todas se acomodem na superfície do epitélio. c) O contato com o meio externo, que leva a uma hiperoxigenação das células. d) A distância dessas células em relação às fontes de oxigênio e alimento, trazidos pelos tecidos adjacentes ao epitélio. e) O deslocamento da posição das organelas intracelulares, por conta do achatamento promovido pelo citoesqueleto. 02) (UEL/2009) Apesar de sua grande complexidade, o organismo humano é constituído por apenas quatro tipos básicos de tecidos: epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso. Com base nos conhecimentos sobre a histologia dos tecidos, considere as afirmativas a seguir. I. Os tecidos epiteliais são estruturas dinâmicas cujas células são continuamente renovadas por atividade mitótica. A taxa de renovação é variável, podendo ser rápida em tecidos como o epitelial intestinal, que é totalmente substituído a cada semana, ou lenta, como no fígado e no pâncreas. II. Além de desempenhar uma função estrutural, a grande variedade de moléculas do tecido conjuntivo desempenha importantes papéis biológicos, como, por exemplo, o de ser importante reserva para muitos fatores de crescimento que controlam a proliferação e a diferenciação celular. III. O tecido muscular é constituído por células cúbicas mononucleadas, que contêm pequena quantidade de filamentos citoplasmáticos de proteínas contráteis, geradoras das forças necessárias para a contração desse tecido, oriunda do metabolismo anaeróbico. IV. Quando cortados, o cérebro, o cerebelo e a medula espinhal mostram regiões de substância branca e regiões de substância cinzenta. Os principais constituintes da substância branca são axônios mielinizados, oligodendrócitos e outras células da glia. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são correta 03) (UEDESC/2009) Assinale a alternativa incorreta a respeito do tecido epitelial glandular. a) A paratireóide é um exemplo de glândula endócrina. Esse tipo de glândula não possui uma comunicação com o epitélio por meio de um ducto ou canal. A secreção dessa glândula é liberada para os vasos sanguíneos. b) As glândulas são agrupamentos de células especializadas na produção de secreções. c) Glândulas sudoríparas são exemplos de glândula exócrina. Esse tipo de glândula mantém uma comunicação com o epitélio por meio de um ducto ou canal, que permite a liberação da secreção. d) A tireóide é um exemplo de glândula endócrina. Esse tipo de glândula não possui uma comunicação com o epitélio por meio de um ducto ou canal. A secreção dessa glândula é liberada para os vasos sanguíneos. e) A hipófise é uma glândula mista, ou seja, ela apresenta uma parte endócrina que libera o hormônio antidiurético, e outra exócrina que libera oxitocina (ocitocina). 04) (UFSC/2011) Sobre os tecidos epiteliais, é correto afirmar que: 01) o tecido epitelial glandular é formado por agrupamento de células especializadas na produção de secreção. 02) o tecido epitelial de revestimento é classificado de acordo com o número de camadas e com a morfologia de suas células. 04) os tecidos epiteliais são vascularizados na epiderme e no intestino. 08) o tecido epitelial se origina, embriologicamente, da ectoderme.

10 16) no intestino é encontrado o tecido epitelial do tipo pseudo estratificado ciliado. Tecido Muscular 05) (UEM/2010) No que se refere à estrutura da fibra muscular estriada esquelética, assinale o que for correto. 01) As fibras musculares estriadas esqueléticas se formam durante o desenvolvimento embrionário a partir de células precursoras denominadas mioblastos. 02) Uma fibra muscular estriada esquelética apresenta um padrão bem definido de faixas (ou estrias) transversais claras e escuras alternadas, decorrente do arranjo peculiar das proteínas actina e miosina nas miofibrilas. 04) Cada fibra muscular estriada esquelética é revestida por um envoltório, o sincício. 08) Os músculos de cor avermelhada têm essa coloração devido à presença da fibroxantina, uma proteína sintetizada pelo perimísio. 16) Os vasos sanguíneos nutrem e oxigenam as fibras e removem dos espaços entre elas o gás carbônico e as excreções geradas no metabolismo celular. 06) (UFG/2010) Leia o texto e observe a figura a seguir. BRASIL NA COPA DA ÁFRICA A seleção brasileira de futebol é a única a participar de todas as copas mundiais. Sua estreia na copa da Africa do Sul será no dia 15 de junho contra a Coreia do Sul. Como um dos esportes símbolos nacionais, o futebol promove um elevado desgaste físico aos seus atletas, pois é uma modalidade esportiva intermitente e de longa duração, exigindo movimentos com elevadas ações de contração muscular durante a partida, como esquematizado na figura. Disponível em: <passeioweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/biologia/imagens>. Acesso em: 16 mar Considerando o exposto, explique como ocorre, no atleta, o movimento de contração da unidade representada na figura durante uma partida de futebol. 07)(UDESC/2010) O bolo alimentar passa do esôfago para o estômago com o auxílio de movimentos peristálticos. No estômago ele sofre a quimificação e, no intestino delgado, transforma-se em quilo (produto final da digestão), quando a maior parte dos nutrientes começa a ser absorvida pelas células que revestem o intestino. Assinale a alternativa correta que contém o tecido responsável pelos movimentos peristálticos e o tecido das células absortivas do intestino, respectivamente. a) tecido epitelial estratificado pavimentoso e tecido epitelial simples prismático b) tecido muscular esquelético e tecido epitelial estratificado cúbico c) tecido muscular liso e tecido epitelial simples prismático d) tecido muscular liso e tecido epitelial estratificado pavimentoso e) tecido muscular esquelético e tecido epitelial simples prismático 08) (UFSC/2010) Para o alto e avante! Mecanismo único permite que um inseto salte mais de cem vezes sua própria altura. Um inseto de apenas seis milímetros de comprimento é capaz de pular proporcionalmente mais alto que qualquer outro animal na natureza. O salto da cigarra da espuma (Philaenus spumarius) pode chegar a 70 centímetros mais de 100 vezes sua própria altura. Isso seria o equivalente a um homem que saltasse uma altura de 200 metros, ou um prédio de cerca de 70 andares. A execução dos enormes saltos da cigarra da espuma requer uma grande quantidade de energia, que não pode ser obtida pela contração direta dos músculos em um curto espaço de tempo. A força muscular do inseto é gerada lentamente antes do pulo e é estocada. Assim que os músculos da cigarra geram força suficiente para o salto, ela solta suas pernas, que disparam como um gatilho e a projetam no ar. Disponível em: <http://www.cienciahoje.uol.com.br/3819> Acesso em: 15 set (Adaptado) Sobre o assunto do texto, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. A energia necessária para o movimento descrito é gerada pela musculatura do tipo lisa, já que o movimento é lento e contínuo. 02. A fonte primária de energia dos músculos provém da molécula de adenosina trifosfato (ATP), presente nas células. 04. A cigarra mencionada no texto (Philaenus spumarius) é um artrópode, pertencente ao grupo dos aracnídeos. 08. Os mecanismos de produção de energia na célula envolvem a participação direta de organelas celulares, como os lisossomos. 16. O exemplo de movimento citado no texto (salto) é incomum e pode parecer desnecessário entre os insetos, já que todos possuem asas e podem voar. 32. Em geral uma contração muscular é resultado da interação entre filamentos contráteis que deslizam em direções contrárias. Tecido Conjuntivo 09) (UNICAMP/2012) A osteoporose, principal causa de quedas entre idosos, é resultado da perda gradual da densidade da matriz óssea, que é remodelada por osteoblastos e osteoclastos. Segundo os especialistas, a prevenção contra a osteoporose deve começar na infância, com alimentação rica em cálcio e em vitamina D, exposição diária ao sol e exercícios físicos. Sobre os vários fatores envolvidos na formação do osso, é correto afirmar que: a) A fixação do cálcio no tecido ósseo depende da presença de vitamina D, cuja síntese é diminuída em

11 indivíduos que têm o hábito de tomar sol. b) O excesso de vitamina C pode levar à diminuição da densidade óssea, pois essa vitamina causa degradação das moléculas de colágeno. c) Os osteoblastos e os osteoclastos são células responsáveis, respectivamente, pela captura de cálcio e pela absorção de vitamina D. d) Os osteoblastos e os osteoclastos são células responsáveis, respectivamente, pela produção e pela degradação de componentes da matriz óssea 10) (ENEM/2011) Um paciente deu entrada em um prontosocorro apresentando os seguintes sintomas: cansaço, dificuldade de respirar e sangramento nasal. O médico solicitou um hemograma ao paciente para deficir um diagnóstico. Os resultados estão dispostos na tabela: Relacionando os sintomas apresentados pelo paciente com os resultados de seu hemograma, constata-se que A) o sangramento nasal é devido à baixa quantidade de plaquetas, que são responsáveis pela coagulação sanguínea. B) o cansaço ocorreu em função da quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pela coagulação sanguínea. C) a dificuldade respiratória decorreu da baixa quantidade de glóbulos vermelhos, que são responsáveis pela defesa imunológica. D) o sangramento nasal é decorrente da baixa quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pelo transporte de gases no sangue. E) a dificuldade respiratória ocorreu pela quantidade de paquetas, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue. 11) (UDESC/2010) Para montar um simulador de modelos anatômicos é necessário conhecer a anatomia dos seres vivos. O organismo humano é constituído de vários sistemas que desempenham funções importantes para a manutenção da vida. A respeito do sistema esquelético humano, cite: a) duas funções do sistema esquelético; b) onde está localizada a medula óssea no organismo humano; c) três células produzidas pela medula óssea. 12) (UDESC/2010) No quadro abaixo é demonstrada a característica geral dos leucócitos e a sua função. Assinale a alternativa correta que completa o quadro acima na sequência 1, 2, 3 e 4. a) 1. Linfócito, 2. Neutrófilo, 3. Núcleo trilobulado e 4. Produção de anticorpos. b) 1. Monócito, 2. Neutrófilo, 3. Núcleo em forma de rim e 4. Produção de anticorpos. c) 1. Monócito, 2. Eosinófilo, 3. Núcleo em forma de rim e 4. Libera heparina. d) 1. Linfócito, 2. Basófilo, 3. Núcleo em forma de rim e 4. Libera heparina. e) 1. Basófilo, 2. Neutrófilo, 3. Núcleo trilobulado e 4. Produção de anticorpos. 13) (UFRGS/2010) Um individuo adulto se submeteu a uma lipoaspiração para a retirada de 700mL de gordura. A respeito da gordura retirada no procedimento, é correto afirmar que ela é (A) armazenada no tecido muscular, rico em mitocôndrias que metabolizam as reservas de gorduras. (B) composta de ácidos graxos capazes de liberar mais energia que a glicose, em reações de oxidação nas mitocôndrias. (C) estocada nos adipócitos sob a forma de glicogênio. (D) utilizada pelas células do sistema nervoso para produção de ATP. (E) removida do tecido conjuntivo denso modelado. 14) (UEPG/2010) Os tecidos animais têm uma relação forma- função marcante, pois as suas principais características revelam a adaptação para a execução de suas principais funções. Eles são classificados em epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso. Sobre esses tecidos, assinale o que for correto. 01) O tecido epitelial tem células justapostas de várias formas, unidas por uma fina camada de substância cimentante. Eles recobrem todo o corpo dos animais. 02) O tecido muscular é composto de apenas um tipo de célula, de forma alongada, a fibra muscular. As fibras musculares são células muito especializadas, com a propriedade de contração. Na fibra muscular há uma fina membrana plasmática, denominada sarcolema e relativamente pouco citoplasma, denominado sarcoplasma, onde se distribuem um retículo endoplasmático muito desenvolvido, muitas mitocôndrias, sistema golgiense, ribossomos e inclusões de glicogênio. 04) O tecido conjuntivo é de estrutura complexa, sendo formado por vários tipos de células e fibras, em diferentes proporções, mergulhadas numa substância intercelular de consistência gelatinosa. As fibras são organizadas de forma homogênea e são de composição mineral (cálcio e fósforo). 08) O tecido nervoso garante a homeostase do organismo, isto é, a propriedade de manter o meio interno constante, mesmo com variações ambientais, visto que por intermédio de conexões celulares diretas, envia prontamente impulsos de natureza elétrica a todos os órgãos, para uma regulação imediata. 16) O tecido nervoso é formado por células altamente especializadas, os neurônios, responsáveis pelos mecanismos de regulação interna e coordenação. Os neurônios são alongados, com um corpo celular e muitas ramificações. A ramificação principal denomina-se axônio e as mais curtas e numerosas denominam-se dendritos. 15) (UFSC/2008) Os tecidos conjuntivos derivam do mesoderma do embrião e caracterizam-se por apresentar diversos tipos de células imersas em material extracelular sintetizado por elas. Com relação aos tecidos conjuntivos, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

12 01. Dentre as várias funções dos tecidos conjuntivos, podemos citar a absorção e a secreção de substâncias através de glândulas. 02. Entre os vários tipos de células existentes nos tecidos conjuntivos encontramos os fibro-blastos, adipócitos, melanócitos e neurônios. 04. Em indivíduos adultos, os elementos figurados do sangue se originam do tecido conjuntivo encontrado na medula óssea vermelha, a qual apresenta células-tronco pluripotentes (ou multipotentes) que após se multiplicarem ativamente se diferenciam em leucócitos, hemácias e plaquetas. 08. O tecido conjuntivo denso modelado, também chamado de tecido tendinoso, é formado por fibras grossas orientadas paralelamente, especialmente fibras colágenas, o que confere grande resistência a estruturas como tendões e ligamentos. 16. Os condrócitos, após formarem a matriz cartilaginosa, sofrem uma pequena retração de volume e passam a ser chamados de condroblastos. 32. Os ossos de uma criança são mais flexíveis que os ossos de um adulto pois apresentam maior quantidade de osteoblastos, os quais produzem muitas fibras colágenas. 16) (UFPR/2006) Células e outras estruturas com funções especializadas formam os diferentes tecidos do organismo. A esse respeito, numere a coluna da direita com base nas informações da coluna da esquerda. 1.Síntese de fibras colágenas. ( ) Macrófagos 2.Capacidade fagocitária. ( ) Plaquetas 3.Produção de anticorpos. ( ) Fibroblastos 4.Coagulação sangüínea. ( ) Plasmócitos 5.Percepção de cores. ( ) Células da glia 6.Sustentação dos neurônios. ( ) Cones Assinale a alternativa que apresenta a seqüência correta da coluna da direita, de cima para baixo. A)2, 4, 1, 3, 6, 5. B)1, 4, 6, 2, 3, 5. C)3, 2, 1, 4, 5, 6. D)4, 2, 3, 5, 6, 1. E)1, 3, 4, 2, 5, 6. Tecido Nervoso (001) O axônio constitui parte do neurônio especializado na transmissão do impulso nervoso. (002) A medula espinal (espinhal) é classificada como sistema nervoso periférico (SNP). (004) A bainha de mielina (estrato mielínico), encontrada em axônios mielínicos, proporciona uma condução não saltatória e uma redução da velocidade de condução do impulso nervoso. (008) O encéfalo é classificado como sistema nervoso central (SNC). (016) Neurônios multipolares possuem um único axônio e muitos dendritos. (032) A sinapse química é caracterizada pelo contato físico entre neurônios com ausência de neurotransmissores (mediadores químicos). 19) (UFMG/2008) Sabe-se que o chocolate contém muitas substâncias psicoativas, que chegam ao cérebro através do sangue, logo após sua digestão. Elas atuam sobre os neurônios e os neurotransmissores, provocando todas aquelas sensações de bem-estar, euforia, prazer, tranqüilidade, concentração e diminuição da ansiedade e da dor, que fazem a gente querer mais um pedacinho de chocolate. GUERRA, L.B, Chocolate é uma festa para o cérebro. Química do chocolate. CDC, UFMG, (Adaptado) Considerando essas informações e outros conhecimentos sobre o assunto, assinale a alternativa que apresenta células ou estruturas que NÃO estão diretamente envolvidas na percepção das sensações induzidas pelo chocolate. A) Alvéolos pulmonares B) Células absortivas do intestino C) Células endoteliais D) Substância cinzenta do cérebro 20) (UECE/2010) Sabe-se que a deficiência na produção de serotonina pode ser uma das causas do estado depressivo dos adolescentes, conforme indicam pesquisas no campo da psiquiatria. Esta substância é um neurotransmissor, sendo liberada na seguinte região do neurônio, para que o impulso nervoso se propague: A) terminal sináptico do axônio. B) corpo celular. C) terminal sináptico do dendrito. D) bainha de mielina do axônio. 17) (UDESC/2009) Para montar uma animação sobre o sistema nervoso é necessário saber que as informações nervosas são enviadas do cérebro à medula espinhal e são distribuídas para o corpo pelos nervos periféricos. Diante disso: a) Quais são os dois nervos constituintes do sistema nervoso central? b) Qual a função do sistema nervoso central? c) Cite dois constituintes do sistema nervoso periférico. 18) (UFMS/2008) Sobre o tecido nervoso, assinale a(s) proposição(ões) correta(s). Respostas 01) D 02) D 03)B 04)07 05)12 07)C 08)34 09)D 10)A 12)B 13)B 14)27 15)44 16) A 18)25 19)A 20)A

Histologia Animal. - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais.

Histologia Animal. - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais. Histologia Animal - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais. - Tecidos: Grupamento de células harmonizadas e diferenciadas que realizam uma determinada função. - Principais

Leia mais

Histologia animal. Equipe de Biologia

Histologia animal. Equipe de Biologia Histologia animal Equipe de Biologia Tipos de tecidos animais Tecidos epiteliais Tecidos conjuntivos Tecidos musculares http://www.simbiotica.org/tecidosanimal.htm Tecido nervoso Tecidos epiteliais Apresenta

Leia mais

Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS. HISTOLOGIA = estudo dos tecidos

Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS. HISTOLOGIA = estudo dos tecidos Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS HISTOLOGIA = estudo dos tecidos TECIDOS Grupos de células especializadas, semelhantes ou diferentes entre si, e que desempenham funções específicas. Num

Leia mais

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade COLÉGIO JARDINS Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade TECIDO CONJUNTIVO I São aqueles que atuam nas funções de preenchimento de espaços entre órgãos, sustentação, defesa e nutrição.

Leia mais

Níveis de. Organização do. Corpo Humano

Níveis de. Organização do. Corpo Humano Níveis de Organização do Corpo Humano No corpo humano existem vários grupos de células semelhantes entre si. Cada grupo constitui um TECIDO Semelhança de forma: todas destinam-se a uma função específica.

Leia mais

Biologia - 3ª Série Histologia Data: 13 de junho de 2007

Biologia - 3ª Série Histologia Data: 13 de junho de 2007 HISTOLOGIA Conceito: Ciência que estuda os tecidos. Tecido: Conjunto de células semelhantes que juntas anatomicamante, desempenham a mesma função. TECIDO EPITELIAL Características: células muito coesas

Leia mais

28.03. As plaquetas são os elementos figurados do sangue responsáveis pela coagulação sanguínea.

28.03. As plaquetas são os elementos figurados do sangue responsáveis pela coagulação sanguínea. BIO 10E aula 28 28.01. Para fazer a defesa do organismo, alguns leucócitos podem atravessar a parede dos vasos sanguíneos e atuar no tecido conjuntivo. Este processo é denominado diapedese. 28.02. A coagulação

Leia mais

Histologia animal (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Histologia animal (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Histologia animal (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Anteriormente... Tecido Epitelial Revestimento Uniestratificado Pseudoestratificado Estratificado Pavimentoso Cúbico Colunar

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA

TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA CARACTERÍSTICAS GERAIS: - Unem e sustentam outros tecidos - Não apresentam células justapostas - Possuem vários tipos de células - Possuem matriz intercelular material gelatinoso

Leia mais

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS Tipos de tecidos: Tecido Epitelial Tecido Conjuntivo Tecido Muscular Tecido Nervoso Tecido Epitelial Funções: Tecido Epitelial Revestimento Proteção Absorção de impacto Secreção

Leia mais

20/10/2014. TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO

20/10/2014. TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO Poucas células, encontram-se separadas; Presença de grande quantidade de substância intercelular; Substância intercelular ou matriz extracelular Substância fundamental amorfa:

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão TECIDO CONJUNTIVO derme tendão Tecido adiposo cartilagem sangue osso http://medinfo.ufl.edu/~dental/denhisto/lecture_materials/conntiss1_07_nxpowerlite_1.ppt Tecido Conjuntivo Característica: vários tipos

Leia mais

INSTITUTO DOM FERNANDO GOMES APOSTILA DE BIOLOGIA (IV UNIDADE)

INSTITUTO DOM FERNANDO GOMES APOSTILA DE BIOLOGIA (IV UNIDADE) INSTITUTO DOM FERNANDO GOMES ALUNO (A): PROFESSOR (A): Rubiana SÉRIE: 9ºano APOSTILA DE BIOLOGIA (IV UNIDADE) Histologia é a ciência que estuda os tecidos do corpo humano, sua anatomia microscópica e sua

Leia mais

Histologia Animal. multicelularidade. tecido. parazoários eumetazoários. conjunto de células afins que atuam no desempenho de uma determinada função.

Histologia Animal. multicelularidade. tecido. parazoários eumetazoários. conjunto de células afins que atuam no desempenho de uma determinada função. Histologia Animal multicelularidade parazoários eumetazoários tecido conjunto de células afins que atuam no desempenho de uma determinada função. Histologia Animal Nos vertebrados, quatro tipos principais:

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO 28/07/2015. Origem mesodérmica; Grande quantidade de substância intercelular: Profº Fernando Teixeira @biovestiba. Vascularizado.

TECIDO CONJUNTIVO 28/07/2015. Origem mesodérmica; Grande quantidade de substância intercelular: Profº Fernando Teixeira @biovestiba. Vascularizado. TECIDO CONJUNTIVO Origem mesodérmica; Profº Fernando Teixeira @biovestiba Grande quantidade de substância intercelular: o Substância fundamental; o Proteínas colágenas ou elásticas; Vascularizado. Preenchimento;

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecidos Conjuntivos

HISTOLOGIA. Tecidos Conjuntivos HISTOLOGIA Tecidos Conjuntivos TECIDOS CONJUNTIVOS Características: Vários tipos de células separadas por muito material intercelular. Funções diversas como: Sustentação estrutural; Preenchimento; Defesa

Leia mais

ESTUDO BASE 8 ANO. Prof. Alexandre

ESTUDO BASE 8 ANO. Prof. Alexandre ESTUDO BASE 8 ANO Prof. Alexandre FORMA E FUNÇÃO Natureza FORMA E FUNÇÃO Artificiais FORMA E FUNÇÃO Todos os objetos apresentam uma relação intíma entre sua forma e função Relação = FORMA/FUNÇÃO BIOLOGIA

Leia mais

DISCIPLINA BIOLOGIA APLICADA ESCOLA NOVAERENSE

DISCIPLINA BIOLOGIA APLICADA ESCOLA NOVAERENSE DISCIPLINA BIOLOGIA APLICADA ESCOLA NOVAERENSE Prof. Thais Regina Silva Domingues DISCIPLINA BIOLOGIA APLICADA ESCOLA NOVAERENSE Thais Regina Silva Domingues Enfermeira da Estratégia Saúde da Família Pós-Graduanda

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecidos Conjuntivos Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecidos Conjuntivos Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecidos Conjuntivos Prof. Enrico Blota Biologia Moléculas, células e tecidos - Tecidos animais Tecidos conjuntivos São constituídos predominantemente por material

Leia mais

TECIDOS. 1º ano Pró Madá

TECIDOS. 1º ano Pró Madá TECIDOS 1º ano Pró Madá CARACTERÍSTICAS GERAIS Nos animais vertebrados há quatro grandes grupos de tecidos: o muscular, o nervoso, o conjuntivo(abrangendo também os tecidos ósseo, cartilaginoso e sanguíneo)

Leia mais

Histologia Animal. Prof. Milton

Histologia Animal. Prof. Milton Histologia Animal Prof. Milton Origem: Ectoderme Tecido Epitelial Características Gerais: Células justapostas Células poliédricas Células lábeis ( E! ) Ausência de substância Intersticial ( Matriz ) Avascular

Leia mais

BIO E EXTENSIVO AULA 30

BIO E EXTENSIVO AULA 30 BIO E EXTENSIVO AULA 30 30.01 - Uma célula nervosa (neurônio) é constituída basicamente por: corpo celular, onde se encontram as organelas e o núcleo; dendritos, que são ramificações que recebem o estímulo

Leia mais

substância intercelular sólida, dura e resistente.

substância intercelular sólida, dura e resistente. Tecido ósseo É um dos tecidos que formam o esqueleto de nosso corpo, tendo como função principal a sustentação. Além disso: serve de suporte para partes moles; protege órgão vitais; aloja e protege a medula

Leia mais

Tecido conjuntivo 1º ano Pró Madá Componentes da matriz extracelular A matriz é uma massa amorfa, de aspecto gelatinoso e transparente. É constituída principalmente por água e glicoproteínas e uma parte

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO 9º ano

TECIDO CONJUNTIVO 9º ano TECIDO CONJUNTIVO 9º ano O tecido conjuntivo apresenta células separadas por matriz intercelular. É quase sempre vascularizado. (exceção tecido cartilaginoso) TIPOS DE TECIDO CONJUNTIVO TCP D TCP D Frouxo

Leia mais

EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA. 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo:

EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA. 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo: EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo: 1) Tecido Ñsseo compacto 2) Tecido Ñsseo esponjoso 3) Cartilagem hialina 4) Cartilagem elöstica 5) Cartilagem fibrosa

Leia mais

CAPÍTULO 6 TECIDO MUSCULAR

CAPÍTULO 6 TECIDO MUSCULAR CAPÍTULO 6 TECIDO MUSCULAR 1 Características Histológicas O tecido muscular é constituído por células alongadas que possuem grande quantidade de filamentos citoplasmáticos com proteínas contráteis. Esse

Leia mais

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br. Histologia

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br. Histologia Histologia O que é Histologia? É a parte da Biologia que estuda os tecidos Mas o que é Tecido? "Tecido é uma especialização morfológica, físico-químico e fisiológica de células"(grasse). "Tecido é um conjunto

Leia mais

Tecido Muscular e Contração

Tecido Muscular e Contração Tecido Muscular e Contração Aula ao Vivo Características gerais: Constitui os músculos Originado do mesoderma; Relacionado à locomoção e movimentação de substâncias internas do corpo em função da capacidade

Leia mais

RESUMO TECIDOS ÓSSEO, HEMATOPOÉTICO E SANGUÍNEO, SANGUÍNEO E IMUNIDADE, MUSCULAR E NERVOSO

RESUMO TECIDOS ÓSSEO, HEMATOPOÉTICO E SANGUÍNEO, SANGUÍNEO E IMUNIDADE, MUSCULAR E NERVOSO RESUMO TECIDOS ÓSSEO, HEMATOPOÉTICO E SANGUÍNEO, SANGUÍNEO E IMUNIDADE, MUSCULAR E NERVOSO TECIDO ÓSSEO - Características: apresenta matriz calcificada e atua como o principal depósito de cálcio e fósforo

Leia mais

Citologia. Estudo das células. Luceni Bortolatto

Citologia. Estudo das células. Luceni Bortolatto Citologia Estudo das células Luceni Bortolatto Propriedades da células Membrana plasmática Proteínas Citoplasma, constituído por organóides e hialoplasma (ou citosol) núcleo Membrana Plasmática Pequena

Leia mais

EPITELIAL CONJUNTIVO MUSCULAR NERVOSO

EPITELIAL CONJUNTIVO MUSCULAR NERVOSO www.iaci.com.br BIOLOGIA Iaci Belo EPITELIAL CONJUNTIVO MUSCULAR NERVOSO Células justapostas com pouco material intercelular Ausência de vasos sanguíneos ou nervos Funções de revestimento e secreção NARINAS

Leia mais

TECIDOS EPITELIAIS HISTOLOGIA

TECIDOS EPITELIAIS HISTOLOGIA TECIDOS EPITELIAIS HISTOLOGIA Tecidos: Células justapostas, nas quais o material intersticial é escasso ou inexistente. TECIDOS EPITELIAIS FUNÇÕES: PROTEÇÃO ABSORÇÃO E SECREÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PERCEPÇÃO

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ==============================================================================================

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== PROFESSOR: Mônica Narciso BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Questões Discursivas 01-

Leia mais

ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: UltiResumos - Biologia

ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: UltiResumos - Biologia ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: - FROUXO Finalidade: - DENSO + Unir os espaços localizados entre a pele e os órgãos + Apoio aos epitélios + Formam camadas

Leia mais

COMO SURGEM OS TECIDOS

COMO SURGEM OS TECIDOS TECIDO EPITELIAL COMO SURGEM OS TECIDOS Nos seres de reprodução sexuada, que constituem a maioria dos organismos, todas as células surgem a partir de uma única célula, a célula-ovo. Esta sofre divisões

Leia mais

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Anteriormente... Zigoto Mórula Blástula Gástrula Neurula Organogênese Anexos embrionários Gêmeos Dos

Leia mais

Características: Células alongadas e grande quantidade de filamentos contráteis; Origem mesodérmica;

Características: Células alongadas e grande quantidade de filamentos contráteis; Origem mesodérmica; Características: Células alongadas e grande quantidade de filamentos contráteis; Origem mesodérmica; Características: Tipos: Músculo estriado esquelético; Músculo estriado cardíaco; Músculo liso; Músculo

Leia mais

II.4 - Histofisiologia dos Epitélios Glandulares:

II.4 - Histofisiologia dos Epitélios Glandulares: Capítulo 1: Parte 3 1 II.4 - Histofisiologia dos Epitélios Glandulares: O epitélio que participa principalmente da secreção está geralmente disposto em estruturas denominadas glândulas. As substâncias

Leia mais

fibras musculares ou miócitos

fibras musculares ou miócitos Os tecidos musculares são de origem mesodérmica e relacionam-se com a locomoção e outros movimentos do corpo, como a contração dos órgãos do tubo digestório, do coração e das artérias. As células dos tecidos

Leia mais

HISTOLOGIA TECIDOS BÁSICOS: TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO TECIDO EPITELIAL GLANDULAR

HISTOLOGIA TECIDOS BÁSICOS: TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO TECIDO EPITELIAL GLANDULAR HISTOLOGIA TECIDOS BÁSICOS: TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO TECIDO EPITELIAL GLANDULAR TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO TECIDO CONJUNTIVO DE PROPRIEDADES ESPECIAIS TECIDO CONJUNTIVO ESPECIALIZADO TECIDO

Leia mais

Tecido Conjuntivo. Histologia Geral Msc. Rafael Quirino Moreira

Tecido Conjuntivo. Histologia Geral Msc. Rafael Quirino Moreira Tecido Conjuntivo Histologia Geral Msc. Rafael Quirino Moreira Tecido Conjuntivo Estabelecimento e manutenção da forma do corpo Papel conferido pela Matriz Extracelular MEC principal constituinte do Tecido

Leia mais

CÉLULAS MUSCULAR Fibra Muscular. Membrana celular- SARCOLEMA Citoplasma- SARCOPLASMA REL RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO Mitocôndrias- SARCOSSOMAS

CÉLULAS MUSCULAR Fibra Muscular. Membrana celular- SARCOLEMA Citoplasma- SARCOPLASMA REL RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO Mitocôndrias- SARCOSSOMAS CÉLULAS MUSCULAR Fibra Muscular Membrana celular- SARCOLEMA Citoplasma- SARCOPLASMA REL RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO Mitocôndrias- SARCOSSOMAS Diâmetro fibra muscular: músculo considerado; idade; sexo; estado

Leia mais

ESTUDO DOS TECIDOS ANIMAIS

ESTUDO DOS TECIDOS ANIMAIS TECIDO CONJUNTIVO células pouco numerosas e bastante espaçadas Substância intercelular composição varia de acordo com o tipo de tecido, ex: derme: há uma substância gelatinosa que dá resistência e elasticidade

Leia mais

Sistema Nervoso. Divisão Anatômica e Funcional 10/08/2010. Sistema Nervoso. Divisão. Funções gerais. Sistema nervoso central (SNC)

Sistema Nervoso. Divisão Anatômica e Funcional 10/08/2010. Sistema Nervoso. Divisão. Funções gerais. Sistema nervoso central (SNC) Sistema Nervoso Divisão Anatômica e Funcional Sistema Nervoso Divisão Sistema nervoso central (SNC) Sistema nervoso periférico (SNP) Partes Encéfalo Medula espinhal Nervos Gânglios Funções gerais Processamento

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 ANATOMIA E FISIOLOGIA Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 2 DEFINIÇÕES Anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento

Leia mais

As células formam os tecidos

As células formam os tecidos As células formam os tecidos Sabemos que células com formas e funções semelhantes se organizam em tecidos. Anote Os tecidos são agrupamentos de células que se diferenciam e se especializam para realizar,

Leia mais

Nome: _. Turma: 1º módulo _. CEDUP Curso Técnico em Análises Clínicas Disciplina: Histologia Módulo I Professora Giseli Trento Andrade e Silva

Nome: _. Turma: 1º módulo _. CEDUP Curso Técnico em Análises Clínicas Disciplina: Histologia Módulo I Professora Giseli Trento Andrade e Silva 1 Histologia CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ABÍLIO PAULO CRICIÚMA SC CURSO: TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS DISCIPLINA: HISTOLOGIA - MÓDULO I OBJETIVO GERAL Conhecer os tecidos para estabelecer relações

Leia mais

Ciências/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / /

Ciências/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / Ciências/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / 8ºcie301r Projeto-síntese de Ciências 8º ano 1º trimestre Caros alunos, O 1º trimestre de Ciências é essencial para a compreensão do funcionamento

Leia mais

Prof. Rita Martins rita.martins@ibmr.br

Prof. Rita Martins rita.martins@ibmr.br Prof. Rita Martins rita.martins@ibmr.br Classificação: A. Tecidos conjuntivos embrionários: 1- Tecido Conjuntivo Mesenquimal (mesênquima) 2- Tecido Conjuntivo Mucoso B. Tecidos conjuntivos propriamente

Leia mais

TECIDO MUSCULAR CARACTERÍSTICAS

TECIDO MUSCULAR CARACTERÍSTICAS TECIDO MUSCULAR CARACTERÍSTICAS O tecido muscular é formado por células alongadas ricas em filamentos (miofibrilas), denominadas fibras musculares. Essas células tem origem mesodérmica e são muito especializadas

Leia mais

Ciências/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / Projeto-síntese de Ciências 8º ano 2º trimestre

Ciências/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / Projeto-síntese de Ciências 8º ano 2º trimestre Ciências/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / 8ºcie302r Caros alunos, Projeto-síntese de Ciências 8º ano 2º trimestre No 2º trimestre nos dedicamos ao estudo do funcionamento do corpo humano,

Leia mais

Biologia 1 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS TECIDOS CONJUNTIVOS I

Biologia 1 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS TECIDOS CONJUNTIVOS I Biologia 1 aula 11 TECIDOS CONJUNTIVOS I 1. T.C.D. modelado: fibras colágenas dispostas em feixes ordenados paralelamente, dando-lhe enorme resistência e pouca elasticidade. Esse tecido forma os tendões

Leia mais

Sistema Nervoso. Msc. Roberpaulo Anacleto

Sistema Nervoso. Msc. Roberpaulo Anacleto Sistema Nervoso Msc. Roberpaulo Anacleto Tecido nervoso Anatomicamente o sistema nervoso esta dividido em: Sistema nervoso central (SNC) encéfalo e espinal medula Sistema nervoso periférico (SNP) nervos

Leia mais

Professora: Ms Flávia

Professora: Ms Flávia Professora: Ms Flávia Sua principal função é: Transporte de nutrientes necessários à alimentação das células; Transporte de gás oxigênio necessário à respiração celular; Remoção de gás carbônico produzido

Leia mais

C O NJUNTIVO D I C E T

C O NJUNTIVO D I C E T C NJUNTIVO TECIDO ORIGEM EMBRIONÁRIA Mesoderma OBS.: Os tecidos conjuntivos da cabeça se originam das células das cristas neurais (neuroectoderma). CARACTERISTICAS MORFOLÓGICAS Formado por inúmeros tipos

Leia mais

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais (tecido elástico, reticular, adiposo, mielóide,

Leia mais

Vasconcelos, DFP. Roteiro para Aula Prática de Histologia Básica. www.institutododelta.com.br

Vasconcelos, DFP. Roteiro para Aula Prática de Histologia Básica. www.institutododelta.com.br Como citar este documento: Vasconcelos, DFP. Roteiro para Aula Prática de Histologia Básica. Disponível em:, acesso em: (coloque a data aqui). ROTEIRO PARA AULA PRÁTICA DE HISTOLOGIA BÁSICA Roteiro de

Leia mais

Histologia do Tecido Muscular

Histologia do Tecido Muscular Histologia do Tecido Muscular Vera Regina Andrade, 2014 Células ou fibras alongadas possuem proteínas contráteis Com capacidade de contração e distensão, proporcionando os movimentos corporais Três tipos

Leia mais

Prof Thiago Scaquetti de Souza

Prof Thiago Scaquetti de Souza Prof Thiago Scaquetti de Souza SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO Funções e anatomia O sistema respiratório humano possui a função de realizar as trocas gasosas (HEMATOSE). Esse sistema é composto pelas seguintes

Leia mais

Tecidos Nervoso e Muscular

Tecidos Nervoso e Muscular Material de apoio para Monitoria Questão 1 (Feio-Lemos, 2014) No esquema abaixo está representada a anatomia geral de um neurônio. Acerca da mesma, responda o que se pede. a b c d e f Meio intracelular

Leia mais

Colégio Planeta EXERCICIOS DA PASCOA

Colégio Planeta EXERCICIOS DA PASCOA Colégio Planeta Prof.: Olívia Lista de Biologia Data: 16 / 04 / 2014 Aluno(a): Terceirão Turma: 01 - (UFJF MG) Analise as seguintes afirmativas sobre tecido epitelial: EXERCICIOS DA PASCOA Pascoa Turno:

Leia mais

Diversas funções no organismo: revestimento, absorção, secreção. Tecido epitelial e tecido conjuntivo. Prof. Mauro. Quanto ao formato da célula:

Diversas funções no organismo: revestimento, absorção, secreção. Tecido epitelial e tecido conjuntivo. Prof. Mauro. Quanto ao formato da célula: TECIDO EPITELIAL Diversas funções no organismo: revestimento, absorção, secreção. Tecido epitelial e tecido conjuntivo Característica principal: Células justapostas, permitindo a existência de pouco material

Leia mais

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014.

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA PARCIAL ORIENTAÇÃO DE ESTUDO DISCIPLINA: Biologia (2ª série) PROFESSOR: Priscila Temas/Capítulos - Cap 12 Núcleo, divisões

Leia mais

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi Fisiologia Animal Sistema Nervoso Sistema Nervoso Exclusivo dos animais, vale-se de mensagens elétricas que caminham pelos nervos mais rapidamente que os hormônios pelo sangue. Mantido vivo pela eletricidade,

Leia mais

AULA PRÁTICA 11: SANGUE E HEMATOPOIESE

AULA PRÁTICA 11: SANGUE E HEMATOPOIESE AULA PRÁTICA 11: SANGUE E HEMATOPOIESE O sangue é um tecido conectivo especializado constituído por diferentes tipos celulares em suspensão em um meio líquido denominado de plasma. Funciona primordialmente

Leia mais

. Hematos = sangue + poese = formação.

. Hematos = sangue + poese = formação. Marco Biaggi - 2015 . Hematos = sangue + poese = formação. transporte de nutrientes, gases respiratórios, hormônios e excretas Sangue participa da defesa do organismos, juntamente com a linfa e o sistema

Leia mais

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões:

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: Recuperação Capítulo 01 - Níveis de organização Células tecidos órgãos sistemas - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: A- Membrana Plasmática - Revestimento da célula;

Leia mais

BIOLOGIA HISTOLOGIA ANIMAL

BIOLOGIA HISTOLOGIA ANIMAL ANIMAL Módulo 12 Página 15 à 36 FECUNDAÇÃO -Mórula = células iguais (células tronco) DIFERENCIAÇÃO TECIDOS FECUNDAÇÃO -Mórula = células iguais (células tronco) DIFERENCIAÇÃO TECIDOS TECIDOS = Conjunto

Leia mais

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. 1 O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. Note essa organização na figura abaixo. - Átomos formam

Leia mais

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Composto de ossos, músculos, cartilagem, ligamentos e fáscia, proporcionando ao corpo, com sua armação estrutural uma caixa

Leia mais

Tecido Epitelial Glandular

Tecido Epitelial Glandular Tecido Epitelial Glandular Revestimento Glandular Tecido epitelial É constituído por células epiteliais especializadas na atividade de secreção As moléculas a serem secretadas são armazenadas em grânulos

Leia mais

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução à Anatomia e Fisiologia EN2319-Bases Biológicas para Engenharia I Reginaldo K Fukuchi Universidade Federal do ABC Por que

Leia mais

Histofisiologia Tecido epitelial

Histofisiologia Tecido epitelial Histofisiologia Tecido epitelial Profª Marília Scopel Andrighetti Origem ectoderma: epiderme, epitélios do nariz, boca e glândulas sebácea, mamária e salivar. mesoderma: endotélio (tecido que reveste os

Leia mais

Nome: Nº: Classificação: 4. Muitos epitélios de revestimento desempenham uma importante função de protecção através da produção de:

Nome: Nº: Classificação: 4. Muitos epitélios de revestimento desempenham uma importante função de protecção através da produção de: HistoVet 2005_2006 Histologia e Embriologia Medicina Veterinária Frequência Teórica 3 de Fevereiro de 2006 Nome: Nº: Classificação: 1. Um epitélio típico está separado do seu suprimento sanguíneo através:

Leia mais

BIOLOGIA SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO

BIOLOGIA SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO BIOLOGIA Prof. Helder SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO 1. Anatomia do Sistema Respiratório O oxigênio do ar deve chegar aos alvéolos e passar para o sangue, fazendo o gás carbônico o caminho inverso. O caminho

Leia mais

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens Biologia - revisão 301 1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens a) Cite o nome do substrato digerido pela principal

Leia mais

Fisiologia Humana. Prof. Ms.Sandro de Souza

Fisiologia Humana. Prof. Ms.Sandro de Souza Prof. Ms.Sandro de Souza Existem 3 tipos de Tecido Muscular Liso Forma a parede de diversos órgãos. São constituídos de fibras fusiformes, mas muito mais curtas do que as fibras musculares esqueléticas:

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Glandular. Prof. André Maia

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Glandular. Prof. André Maia HISTOLOGIA Na estrutura dos tecidos, cada célula é apenas uma individualidade. Mas o que importa mesmo é o todo. É uma lei da Natureza. O próprio indivíduo só subsiste não em função da sua individualidade,

Leia mais

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi Fisiologia Animal Sistema Nervoso Sistema Nervoso Exclusivo dos animais, vale-se de mensagens elétricas que caminham pelos nervos mais rapidamente que os hormônios pelo sangue. Mantido vivo pela eletricidade,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE TECIDOS PROF. CLEUBER

EXERCÍCIOS DE TECIDOS PROF. CLEUBER EXERCÍCIOS DE TECIDOS PROF. CLEUBER 1. (PUC Rio - 2008 - Grupos 1, 3 e 4) O tecido epitelial tem como função fazer o revestimento de todos os órgãos do corpo. Neste sentido, pode-se afirmar que: (A) é

Leia mais

Organismo. Sistemas. Órgãos. Tecidos. Células

Organismo. Sistemas. Órgãos. Tecidos. Células Organismo Sistemas Órgãos Tecidos Células Histologia animal O ramo da ciência que estuda os tecidos é a Histologia (histo= tecido; logia=estudo). A célula-ovo contém toda a informação genética do futuro

Leia mais

BIOLOGIA. Lista Recuperação 2º Bimestre SÉRIE: 1º ANO DATA: 29 / 06 / 2015

BIOLOGIA. Lista Recuperação 2º Bimestre SÉRIE: 1º ANO DATA: 29 / 06 / 2015 Lista Recuperação 2º Bimestre Professor: STUART SÉRIE: 1º ANO DATA: 29 / 06 / 2015 CONTEÚDO RECUPERAÇÃO TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO E GLANDULAR + T.C. PROPRIAMENTE DITO + TECIDO ADIPOSO Livro Camaleão

Leia mais

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS CITOPLASMA Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: Biologia e Histologia São dotadas de membrana plasmática; Contêm citoplasma

Leia mais

2. (G1 - ifsc 2015) Disponível em:http://www.boasaude.com.br/artigos-de saude/5321/-1/obesidade-infantilcausas-e-complicacoes.html

2. (G1 - ifsc 2015) Disponível em:http://www.boasaude.com.br/artigos-de saude/5321/-1/obesidade-infantilcausas-e-complicacoes.html 1. (Ufrgs 2015) O tecido ósseo é o principal constituinte dos ossos. Em relação a esse tecido, é correto afirmar que a) os compostos minerais do tecido ósseo são responsáveis por sua flexibilidade. b)

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais PROFESSORA NAIANE A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais de alguns poucos minutos. Você sabe

Leia mais

ATLAS DE CITOLOGIA E HISTOLOGIA VETERINÁRIA I. Dra. Madalena Monteiro Doutor Pedro Faísca

ATLAS DE CITOLOGIA E HISTOLOGIA VETERINÁRIA I. Dra. Madalena Monteiro Doutor Pedro Faísca ATLAS DE CITOLOGIA E HISTOLOGIA VETERINÁRIA I Dra. Madalena Monteiro Doutor Pedro Faísca EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO 1- PARTICULARIDADES DO TECIDO EPITELIAL 1.1- Membrana basal 1.2- Especializações da membrana

Leia mais

II. TECIDOS CONJUNTIVOS (CONECTIVOS) OU DE NATUREZA CONJUNTIVA

II. TECIDOS CONJUNTIVOS (CONECTIVOS) OU DE NATUREZA CONJUNTIVA Capítulo 2: Parte 1 1 II. TECIDOS CONJUNTIVOS (CONECTIVOS) OU DE NATUREZA CONJUNTIVA O termo conjuntivo ou conectivo significa "que une", "que associa", "que liga". O tecido conjuntivo caracteriza-se pela

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS RECUPERAÇÃO SEMESTRAL 3º Ano do Ensino Médio Disciplina: Biologia 1. Para os estudiosos, a manifestação de "... vida..." deve-se a características, tais como: ( ) uma composição química

Leia mais

Tecido sanguíneo. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto

Tecido sanguíneo. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto Tecido sanguíneo Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto Transporte Regulação Proteção Funções do Sangue Sangue É um tecido conjuntivo especializado pois apresenta sua matriz extracelular totalmente fluida. O sangue

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA

ANATOMIA E FISIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA SITEMA DIGESTÓRIO Enfª Renata Loretti Ribeiro 2 3 SISTEMA DIGESTÓRIO Introdução O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo

Leia mais

O sistema nervoso esta dividido em duas partes:

O sistema nervoso esta dividido em duas partes: 1 FISIOLOGIA HUMANA I Neuromuscular Prof. MsC. Fernando Policarpo 2 Conteúdo: Estrutura do Sistema Nervoso Central (SNC) e Periférico (SNP). Elementos do Tecido Nervoso. Mecanismos de Controle Muscular.

Leia mais

HISTOLOGIA. Colégio IDEIA 1º Ano Biologia Profº André Maia. Tecidos Animais: São quatro tipos de tecidos fundamentais animal:

HISTOLOGIA. Colégio IDEIA 1º Ano Biologia Profº André Maia. Tecidos Animais: São quatro tipos de tecidos fundamentais animal: Colégio IDEIA 1º Ano Biologia Profº André Maia Tecidos Animais: São quatro tipos de tecidos fundamentais animal: O corpo humano é constituído por diversos tipos de tecidos. O termo tecido designa conjuntos

Leia mais

T e c i d o M u s c u l a r. T e c i d o M u s c u l a r Músculo Esquelético. T e c i d o M u s c u l a r. T e c i d o M u s c u l a r Características

T e c i d o M u s c u l a r. T e c i d o M u s c u l a r Músculo Esquelético. T e c i d o M u s c u l a r. T e c i d o M u s c u l a r Características Características Origem: mesodérmica; Tipos (todos com lâmina basal): - Muscular estriado esquelético tico: contração vigorosa, rápida r e voluntária; - Muscular estriado cardí : : contração vigorosa, rítmica

Leia mais

Curso: Biologia. Histologia. Disciplina: Biologia I. Professora: Ivanéa Vasques Cruz

Curso: Biologia. Histologia. Disciplina: Biologia I. Professora: Ivanéa Vasques Cruz Curso: Biologia Histologia Disciplina: Biologia I Professora: Ivanéa Vasques Cruz Página 2 de 14 Conteúdo O que é Histologia? 2 TECIDO EPITELIAL 2 TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO OU EPITÉLIO DE REVESTIMENTO

Leia mais

Trabalho Online 1-6 2. ENFISEMA EM FUMANTES É PROVOCADA POR UMA ENZIMA

Trabalho Online 1-6 2. ENFISEMA EM FUMANTES É PROVOCADA POR UMA ENZIMA Trabalho Online NOME: Nº.: DISCIPLINA: BIOLOGIA I PROFESSOR(A):LEANDRO 2ª SÉRIE TURMA: 210_ 2º Bimestre Nota: DATA: / / 1. Faça uma comparação entre músculo esquelético e músculo liso exemplificando sua

Leia mais

III. 4 - Tecido Ósseo

III. 4 - Tecido Ósseo Capítulo 2: Parte 4 1 III. 4 - Tecido Ósseo É um tecido conjuntivo resistente em virtude da impregnação da sua substância fundamental pelos sais de cálcio, principalmente o fosfato e o carbonato de cálcio.

Leia mais

Resumo de fisiologia. Sistema Nervoso. Nome: Curso: Data: / /

Resumo de fisiologia. Sistema Nervoso. Nome: Curso: Data: / / Resumo de fisiologia Sistema Nervoso Nome: Curso: Data: / / 1 - Organização dos tecidos biológicos CÉLULA TECIDO ORGÃO SISTEMA - SER 2 - Estrutura Do Sistema Nervoso Características a. Apresenta-se com

Leia mais