Auxílio estatal N 467/2008 Portugal Programa AWARE P "Advanced water asset rehabilitation in Portugal"

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Auxílio estatal N 467/2008 Portugal Programa AWARE P "Advanced water asset rehabilitation in Portugal""

Transcrição

1 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, C(2009) 211 final Assunto: Auxílio estatal N 467/2008 Portugal Programa AWARE P "Advanced water asset rehabilitation in Portugal" Excelência: A Comissão tem a honra de informar o Governo português de que, após ter examinado as informações prestadas pelas autoridades portuguesas sobre a medida em epígrafe, decidiu não levantar objecções ao auxílio em causa. I. PROCEDIMENTO (1) Em 18 de Setembro de 2008, as autoridades portuguesas notificaram por via electrónica a medida acima referida. Em 29 de Outubro de 2008, teve lugar uma reunião com as autoridades portuguesas. Por cartas de 17 de Novembro e de 1 de Dezembro de 2008, Portugal transmitiu informações adicionais. II. DESCRIÇÃO PORMENORIZADA DO AUXÍLIO (2) Base jurídica: Protocolo n.º 38-A ao Acordo EEE 1 que estabelece um mecanismo financeiro através do qual os Estados da EFTA contribuem para a redução das disparidades económicas e sociais no EEE. (3) Orçamento: O custo total estimado do projecto é de euros. A subvenção do EEE não irá exceder o montante de euros (57,15% de intensidade de auxílio). (4) Duração: até 30 de Abril de (5) Descrição: O objectivo do projecto Aware-P consiste em desenvolver e aplicar uma ferramenta informática para a gestão do abastecimento de água e das infra-estruturas para 1 JO L 130 de , p. 3. Sua Excelência Dr. Luís AMADO Ministro dos Negócios Estrangeiros Largo do Rilvas P Lisboa Commission européenne, B-1049 Bruxelles Europese Commissie, B-1049 Brussel Belgium Telephone: (0)

2 a drenagem das águas residuais, com o objectivo global de racionalizar as operações de manutenção e de reabilitação e de melhorar a gestão das infra-estruturas em geral. (6) Na Europa, muitas das redes de distribuição de água e de drenagem das águas residuais estão a atingir o termo da sua vida útil. As condutas mostram sinais de deterioração, o que provoca um aumento das taxas de ruptura, das fugas, uma diminuição da qualidade da água e um serviço de distribuição de água menos eficiente. Os serviços públicos de abastecimento de água têm de tomar decisões de investimento, a fim de manter níveis de serviço aceitáveis. Essas decisões devem ser bem fundamentadas e basear-se em critérios técnicos, funcionais e socioeconómicos. Uma das dificuldades reside no facto de as infraestruturas da água estarem enterradas no solo, não sendo fácil inspeccioná-las, o que torna difícil e caro tomar decisões sobre a manutenção e os trabalhos a realizar. O projecto AWARE-P destina-se a fornecer aos serviços públicos abastecimento de água ferramentas informáticas, concebidas para apoiar o seu processo de decisão neste domínio, de modo a melhorar a gestão da água e a qualidade do serviço prestado ao público em geral. (7) O projecto basear-se-á nos resultados dos projectos de investigação CARE-S e CARE-W, que receberam financiamentos da Comunidade no âmbito do 5.º Programa-Quadro de Investigação. Estes projectos levaram ao desenvolvimento de uma metodologia e de protótipos de software, concebidos para assistir os serviços públicos de abastecimento água no planeamento das intervenções de reabilitação. Todavia, é ainda necessário um maior desenvolvimento do software, a fim de transformar os protótipos em ferramentas profissionais e mais fáceis de utilizar, que possam ser aplicadas ao sector da água. (8) O projecto AWARE-P irá envolver as seguintes actividades: desenvolvimento de um produto de software profissional para a gestão das infra-estruturas; desenvolvimento de manuais de reabilitação, formação do pessoal dos serviços públicos de abastecimento de água e de drenagem das águas residuais em Portugal, implementação de estudos-piloto de demonstração, criação de uma plataforma de divulgação e de documentos científicos em linha. (9) Foi criada uma parceria técnica e científica entre instituições públicas de investigação, os principais serviços públicos de abastecimento de água portugueses e uma empresa de software. Os membros da parceria AWARE-P incluem o LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil português), o IRAR (Instituto Regulador de Águas e Resíduos português), o SINTEF (laboratório de engenharia civil norueguês), o IST (Instituto Superior Técnico) e a YDREAMS, uma empresa privada portuguesa de software. O LNEC e o SINTEF, como membros do consórcio CARE-W/CARE-S, serão responsáveis pelas componentes técnicas e científicas do projecto, com a assistência do IST (no que se refere à documentação de formação). O IRAR prestará uma colaboração durante a fase de desenvolvimento e promoverá a utilização dos manuais e aplicações produzidos em Portugal. A YDREAMS irá recodificar e produzir versões finais da aplicação informática. (10) Todos os participantes no projecto, incluindo a YDREAMS, serão chamados a cobrir uma parcela do total dos custos elegíveis do projecto, cujas percentagens irão variar entre um mínimo de 3,03 % e um máximo de 8,74%. 2

3 (11) Todos os serviços públicos de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais portugueses terão livre acesso aos resultados do projecto após a sua conclusão. Contudo, um certo número de serviços públicos seleccionados participará no processo desde o início. Este utilizadores finais desempenharão um papel de aconselhamento às entidades que irão desenvolver o projecto. Numa fase posterior, irão testar o software através do desenvolvimento de planos de reabilitação no âmbito de casos de estudo seleccionados. (12) Assim que as versões finais dos resultados do projecto estiverem disponíveis, o IRAR irá distribuí-las gratuitamente a todos os serviços públicos de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais portugueses. Paralelamente, as actividades de divulgação e os cursos de formação irão contribuir para uma sensibilização neste domínio e para divulgar o saber-fazer. O projecto irá gerar ganhos de eficiência a nível dos serviços públicos de abastecimento de água. (13) O projecto dirige-se principalmente aos serviços públicos de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais. Todavia, após a finalização do projecto, o consórcio tem por objectivo dar a oportunidade a outros países de utilizar o material desenvolvido. Este resultado será atingido através do fornecimento livre ("open source") do código da aplicação informática, bem como da versão executável. A interface do utilizador será em inglês. Os manuais do utilizador do software serão fornecidos em português e em inglês. O software AWARE será disponível gratuitamente no mercado mundial. O criador do software fornecerá uma garantia do produto aos outros parceiros por um período de 12 meses. (14) Beneficiários: A subvenção será concedida aos parceiros do projecto Aware-P para cobrir os custos do projecto. Contudo, tal como acima explicado, o projecto irá beneficiar os serviços públicos de abastecimento de água, que receberão gratuitamente os resultados concretos do projecto. Consequentemente, esses serviços públicos devem ser considerados os beneficiários finais do projecto. III. APRECIAÇÃO Aplicabilidade das regras relativas aos auxílios estatais (15) O projecto será financiado pelos Estados da EFTA ao abrigo do Protocolo n.º 38-A ao Acordo EEE 2 (Mecanismo financeiro do EEE). Em conformidade com os n. os 2 e 3 do artigo 4.º do Protocolo, as normas aplicáveis em matéria de auxílios estatais devem ser respeitadas e a Comissão das Comunidades Europeias examinará atentamente a compatibilidade dos projectos propostos com os objectivos da Comunidade. (16) O projecto diz respeito a Portugal. Consequentemente, as normas aplicáveis em matéria de auxílios estatais são as estabelecidas nos artigos 87.º a 89.º do Tratado CE. Presença de elementos de auxílio na acepção do n.º 1 do artigo 87.º do Tratado CE (17) O n.º 1 do artigo 87.º do Tratado prevê que "são incompatíveis com o mercado comum, na medida em que afectem as trocas comerciais entre os Estados-Membros, os auxílios 2 Inserido pelo Acordo de alargamento do EEE de 2004 (JO L 130 de , p. 14). 3

4 concedidos pelos Estados ou provenientes de recursos estatais, independentemente da forma que assumam, que falseiem ou ameacem falsear a concorrência, favorecendo certas empresas ou certas produções." (18) Para que uma medida seja considerada um auxílio estatal, deve preencher cumulativamente os critérios fixados no n.º 1 do artigo 87.º; isto é, devem ser concedidos pelo Estado ou ser provenientes de recursos estatais, devem conferir uma vantagem económica aos beneficiários, tal vantagem deve ser concedida selectivamente e a medida deve ameaçar falsear a concorrência e as trocas comerciais entre Estados-Membros. (19) No caso em apreço, a Comissão apreciou se a medida proposta constitui um auxílio estatal a) a favor dos participantes do projecto (os institutos de investigação, o IRAR, o IST, a YDREAMS e os serviços públicos de abastecimento de água participantes) e b) a favor destes serviços públicos, que irão receber gratuitamente os resultados do projecto. Inexistência de um auxílio estatal a favor dos participantes no projecto (20) O Enquadramento comunitário dos auxílios estatais à investigação e desenvolvimento e à inovação 3 (a seguir designado, Enquadramento) estabelece directrizes sobre o carácter de auxílio estatal e a compatibilidade das medidas concebidas para financiar iniciativas no domínio da investigação e desenvolvimento. Deve observar-se que o projecto AWARE-P diz respeito ao desenvolvimento de um novo produto, mas não é abrangido por qualquer das categorias de investigação e desenvolvimento elegíveis para auxílios ao abrigo do Enquadramento 4, uma vez que os resultados do projecto consistem num produto directamente comercializável. Todavia, as orientações estabelecidas no Enquadramento são relevantes para o caso em apreço, na medida em que o Enquadramento codifica os critérios desenvolvidos pela Comissão e pelos tribunais da Comunidade, por forma a aplicar o teste previsto no n.º 1 do artigo 87.º do Tratado CE nas circunstâncias típicas em matéria de investigação e desenvolvimento (em que, por exemplo, os projectos devem realizados por institutos públicos de investigação e existe a necessidade de analisar a presença e a compatibilidade do auxílio a nível dos intermediários de investigação e dos beneficiários finais). Tais circunstâncias estão presentes no projecto AWARE-P. Assim, a Comissão baseou-se no Enquadramento para apreciar a presença de elementos de auxílio no caso em apreço. (21) Em conformidade com a Secção 3 do Enquadramento, o financiamento público das actividades de investigação, desenvolvimento e inovação realizadas por organismos de investigação só podem constituir um auxílio estatal se o organismo de investigação for considerado uma empresa na acepção do n.º 1 do artigo 87.º do Tratado CE. Tal não depende do seu estatuto jurídico (de direito público ou privado) nem da sua natureza económica (isto é, com ou sem fins lucrativos). O elemento decisivo para a sua classificação como empresa é saber se o organismo de investigação público realiza uma actividade económica, isto é, uma actividade que consista em oferecer bens e serviços num determinado mercado. 3 JO C 323 de , p.1. 4 Investigação fundamental, investigação industrial e desenvolvimento experimental (em que os resultados da investigação não são destinados para uso comercial). 4

5 (22) No caso em exame, o desenvolvimento de um produto de software directamente comercializável no domínio da gestão da água constitui uma actividade económica. Consequentemente, as subvenções do EEE concedidas aos organismos de investigação envolvidas no projecto AWARE-P, incluindo os organismos integralmente pertencentes ao Estado (LNEC, IRAR e o SINTEF) é susceptível, potencialmente, de incluir auxílios estatais. (23) Contudo, de acordo com o ponto do Enquadramento, se o organismo de investigação puder comprovar que a totalidade do financiamento estatal recebido para a prestação de certos serviços foi transferido para o beneficiário final, e que o intermediário não beneficiou de qualquer vantagem, o organismo intermediário não pode ser o beneficiário de auxílios estatais. (24) A Comissão considera que isto mesmo se verifica no caso do projecto AWARE-P. As condições estabelecidas para a utilização dos resultados do projecto, em especial a exigência de distribuir tais resultados gratuitamente a serviços públicos de abastecimento de água portugueses e de disponibilizar livremente fora de Portugal o código-fonte e os manuais de funcionamento, garantem que os benefícios do projecto serão totalmente transmitidos aos beneficiários finais da medida, isto é, aos serviços públicos de abastecimento de água. Por outro lado, os parceiros não detêm a exclusividade dos direitos de propriedade intelectual, não beneficiando, por conseguinte, de uma vantagem económica directa da participação no projecto. A Comissão pode excluir igualmente a presença de um elemento indirecto de auxílio estatal a favor dos participantes, sob a forma de um acesso privilegiado aos resultados concretos de projecto ou da possibilidade de definir o âmbito do projecto: por um lado, os resultados do projecto serão colocados directamente à disposição de qualquer pessoa após a finalização dos ensaios e, por outro, o âmbito do projecto foi definido no interesse geral de todos os serviços públicos de abastecimento de água de modo a melhorar a sua eficiência e reduzir as fugas. (25) O mecanismo financeiro exclui igualmente a presença de um elemento de auxílio a favor da empresa de software YDREAMS, que actua na qualidade de mero prestador de serviços e recebe uma remuneração pela sua actividade de desenvolvimento da aplicação em condições de mercado. No que se refere à participação de serviços públicos de abastecimento de água seleccionados durante a execução do projecto, a Comissão observa que a contribuição destes serviços públicos consiste no aconselhamento dos participantes no projecto e no ensaio dos produtos. Tal participação não confere uma vantagem económica aos serviços públicos envolvidos. (26) Consequentemente, a Comissão conclui que o projecto AWARE-P não inclui elementos de auxílio estatal a favor dos organismos envolvidos na execução do projecto. Elementos de auxílio estatal a favor de serviços públicos de abastecimento de água (27) Quanto à presença de elementos de auxílio a favor dos serviços públicos de abastecimento de água, a Comissão observa que, em Portugal, embora a maioria destes serviços pertença ao sector público (municípios), a propriedade privada também é possível e estão presentes no mercado português empresas privadas (como a Veolia). Em termos gerais, é concebível que a utilização do software do AWARE-P determine uma poupança, em razão da racionalização dos processos de manutenção e de reabilitação. Essas poupanças podem beneficiar o proprietário das redes (o Estado) e/ou os serviços públicos de 5

6 abastecimento de água vinculados por contrato a realizar a manutenção das redes, em conformidade com as condições específicas do contrato de prestação de serviços. Assim, não se pode excluir a existência de uma vantagem económica a favor destes serviços, pelo menos a curto prazo (até o contrato de prestação de serviços ser renegociado). (28) Esta vantagem potencial é concedida mediante recursos públicos (é o mecanismo financeiro do EEE que o subvenciona). A vantagem é concedida de forma selectiva a empresas activas no sector da água. (29) Muito embora todos os serviços públicos de abastecimento de água da UE poderão ter acesso gratuito ao software do AWARE-P, a Comissão considera que o impacto sobre as trocas comerciais e as potenciais distorções da concorrência não podem ser totalmente excluídas. Em primeiro lugar, o sector da água está aberto à concorrência a nível da UE e os serviços de abastecimento de água prestados por empresas privadas como a Veolia já exercem as suas actividades em mais de um Estado-Membro. Aliás, os resultados do projecto AEARE-P não estarão disponíveis nas mesmas condições em Portugal e nos outros países. Em Portugal, a divulgação dos resultados será mais activa, com actividades de demonstração e cursos de formação fornecidos gratuitamente aos serviços públicos. (30) Por conseguinte, o projecto AWARW-P constitui um auxílio estatal na acepção do n.º 1 do artigo 87.º do Tratado CE. Compatibilidade do auxílio (31) A Comissão observa, em primeiro lugar, que a medida proposta não está abrangida pelo âmbito das orientações ou enquadramentos existentes, que estabelecem critérios para a apreciação da compatibilidade das medidas de auxílio estatal com o mercado comum. Em especial, o Enquadramento comunitário dos auxílios estatais à investigação e desenvolvimento e à inovação não abrange este tipo de projectos pelas razões explicadas no ponto 20. (32) Consequentemente, a Comissão baseou a sua apreciação na interpretação directa do n.º 3, alínea c), do artigo 87.º do Tratado CE, que autoriza "auxílios destinados a facilitar o desenvolvimento de certas actividades ou regiões económicas, quando não alterem as condições das trocas comerciais de maneira que contrariem o interesse comum." (33) Mesmo que nalguns Estados-Membros a prestação de serviços de abastecimento de água tenha sido privatizada, um número significativo destes serviços na UE são de propriedade do Estado. Em geral, os municípios detêm participações nos serviços públicos de abastecimento de água e as infra-estruturas são em grande parte públicas. (34) Em Portugal, as infra-estruturas são públicas, ainda que os serviços de abastecimento e de tratamento de águas residuais possam ser prestados por entidades privadas. As autoridades públicas são, por conseguinte, os maiores investidores em infra-estruturas e têm interesse em assegurar que estas sejam bem geridas, a fim de garantir um serviço com uma qualidade aceitável (em especial, em termos de alta qualidade da água potável), bem como a segurança pública e a sustentabilidade ambiental (impedimento de fugas de águas poluídas, fugas de água ou escoamento de águas residuais não tratadas em superfícies aquáticas). (35) A falta de investimento nas infra-estruturas hídricas é um fenómeno comum. De acordo com as autoridades portuguesas, não existem actualmente incentivos para melhorar a rede 6

7 hídrica, que é um monopólio natural, uma vez que o seu funcionamento é considerado um dado adquirido e tem uma escassa visibilidade social e política. Aliás, a reabilitação implica investimentos significativos e é difícil tomar decisões fundamentadas sobre quanto, onde, quando e como reabilitar, visto que o abastecimento de água e as infraestruturas de águas residuais estão situadas na sua maior parte no subsolo. A adopção de tais decisões com base num programa informático que integre critérios científicos e técnicos sofisticados irá contribuir para uma melhor relação custos-eficácia das despesas públicas. (36) Em Portugal, a reabilitação da rede é particularmente urgente, dado que a qualidade dos serviços de abastecimento de água é bastante inferior à média na UE. As estatísticas fornecidas pelas autoridades portuguesas assinalam uma taxa de ruptura média das condutas de água cerca de 10 vezes superior à de outros países europeus (superior a 200 por 100 km por ano). Nos sistemas de águas residuais, as taxas médias de obstrução apresentam valores 8 vezes superiores aos de outros países (acima de 150 por 100 km por ano). (37) Pode assim considerar-se que o desenvolvimento e a divulgação de ferramentas para a gestão sustentável de infra-estruturas hídricas é um objectivo válido de uma política pública. A decisão de financiar a investigação preliminar neste domínio, no quadro dos projectos CARE-W e CARE-S, testemunha a importância que a UE atribui a uma gestão de recursos hídricos mais eficiente e sustentável do ponto de vista ambiental. Os resultados destes projectos, com base nos quais o Aware-P tenciona desenvolver o seu próprio projecto, recebeu uma avaliação favorável a nível da UE, tendo sido reconhecido o seu potencial em termos de aplicações práticas. (38) O principal benefício a longo prazo do projecto Aware-P assenta, por conseguinte, na melhoria da rede de abastecimento de água e de drenagem das águas residuais, com efeitos positivos esperados para a sociedade em geral. Contudo, tal como sublinhado no ponto 27, a utilização do software Aware-P pode, em certas circunstâncias, gerar ganhos a curto prazo a favor dos serviços públicos de abastecimento de água. Consequentemente, a Comissão apreciou se as consequentes distorções da concorrência seriam susceptíveis de afectar as trocas comerciais numa medida contrária ao interesse comum. (39) Em primeiro lugar, deve observar-se que a existência e a dimensão de qualquer vantagem económica a favor dos serviços públicos de abastecimento de água dependerá dos termos dos contratos celebrados com o proprietário da infra-estrutura. Em especial, a natureza precisa das obrigações de reabilitação assumidas pelos serviços públicos e o método de cálculo da sua remuneração irá determinar se os ganhos de eficiência obtidos através do Aware-P serão repercutidos nos serviços públicos ou se manterão no proprietário das infra-estruturas. (40) Aliás, estes ganhos eventuais a favor dos serviços públicos portugueses não conduzirá a uma vantagem concorrencial significativa face aos serviços públicos de abastecimento de água que operam nos outros Estados-Membros, uma vez que todos os serviços públicos de água da UE terão acesso à fonte aberta do programa informático ("open-source") e aos manuais de funcionamento gratuitos, embora em condições ligeiramente diferentes das aplicadas em Portugal. Assim, as actuais distorções da concorrência provocadas pelo 7

8 auxílio serão mínimas e não irão afectar as condições das trocas comerciais numa medida contrária ao interesse comum. (41) Consequentemente, a Comissão chegou à conclusão de que o auxílio a favor dos serviços públicos de abastecimento de água portugueses pode ser considerado compatível com o mercado comum nos termos do n.º 3, alínea a), do artigo 87.º do Tratado CE. IV. CONCLUSÃO (42) Com base nas considerações acima expostas, a Comissão considera que a medida notificada por Portugal não constitui um auxílio estatal na acepção do n.º 1 do artigo 87.º do Tratado CE a favor das entidades que realizam o projecto. No que se refere aos serviços públicos de abastecimento de água de Portugal, a medida constitui um auxílio estatal compatível com o mercado comum, ao abrigo do n.º 3, alínea c), do artigo 87.º do Tratado CE. Caso a presente carta contenha elementos confidenciais que não devam ser publicados, a Comissão deve ser informada desse facto, no prazo de quinze dias úteis a contar da data de recepção da mesma. Se não receber um pedido fundamentado nesse sentido no prazo indicado, a Comissão presumirá que existe acordo quanto à divulgação a terceiros e à publicação do texto integral da carta, na língua que faz fé, no seguinte sítio Internet: O pedido deve ser enviado por carta registada ou fax para: Comissão Europeia Direcção-Geral da Concorrência Registo dos auxílios estatais B-1049 Bruxelas Fax: Queira Vossa Excelência aceitar os protestos da minha mais elevada consideração. Pela Comissão Neelie KROES Membro da Comissão 8

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico.

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.07.2002 C (2002) 2943 Assunto: Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. Excelência, PROCEDIMENTO Por carta n.º

Leia mais

Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME)

Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME) COMISSÃO EUROPEIA Bruselas, 16.11.2011 C(2011)8317 final Assunto: Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME) Excelência, Procedimento

Leia mais

Assunto: Auxílio estatal notificado N 254/2005 Portugal Auxílio à formação a conceder à Blaupunkt Auto - Rádio Portugal, Lda.

Assunto: Auxílio estatal notificado N 254/2005 Portugal Auxílio à formação a conceder à Blaupunkt Auto - Rádio Portugal, Lda. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 08.II.2006 C(2006) 241 final Assunto: Auxílio estatal notificado N 254/2005 Portugal Auxílio à formação a conceder à Blaupunkt Auto - Rádio Portugal, Lda. Excelência, I. Procedimento

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 20-08-2003 C (2003) 3103 Objecto: Auxílio estatal n.º NN 173/01 - Portugal - Prorrogação do dispositivo de cobertura dos riscos inerentes ao transporte aéreo com a garantia

Leia mais

Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288

Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288 Assunto: Auxílio estatal N 360/2005 Portugal Alteração do regime de auxílios existente Auxílios estatais a favor do desenvolvimento regional dos Açores

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 25.04.2001 SG (2001) D/ 288171 Assunto: Auxílio estatal N 563/2000 Portugal Sistema de incentivos para o desenvolvimento regional dos Açores (SIDER). Excelência: I. Por carta

Leia mais

Auxílio estatal N 80/2010 Portugal Prorrogação do regime de recapitalização português

Auxílio estatal N 80/2010 Portugal Prorrogação do regime de recapitalização português COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.3.2010 C(2010)1733 final Assunto: Auxílio estatal N 80/2010 Portugal Prorrogação do regime de recapitalização português Excelência, I. ASPECTOS PROCESSUAIS 1. Em 20 de Maio

Leia mais

Processo n COMP/M. 6773 - CANON/ IRIS. REGULAMENTO (CE) n. 139/2004 SOBRE AS FUSÕES. Artigo 22(3) data: 26.11.2013

Processo n COMP/M. 6773 - CANON/ IRIS. REGULAMENTO (CE) n. 139/2004 SOBRE AS FUSÕES. Artigo 22(3) data: 26.11.2013 PT Processo n COMP/M. 6773 - CANON/ IRIS O texto em língua portuguesa é o único disponível e que faz fé. REGULAMENTO (CE) n. 139/2004 SOBRE AS FUSÕES Artigo 22(3) data: 26.11.2013 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas,

Leia mais

Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR).

Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR). COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.07.2004 C (2004) 2950 Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR). Excelência:

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11.XII.2007 C(2007) 5979 final

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11.XII.2007 C(2007) 5979 final COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.XII.2007 C(2007) 5979 final Assunto: Auxílio estatal N 471/2007 Portugal Auxílios sociais aos passageiros residentes na Região Autónoma e aos estudantes, nas ligações aéreas

Leia mais

C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009

C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009 C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009 Comunicação da Comissão Critérios para a análise da compatibilidade dos auxílios estatais a favor de trabalhadores desfavorecidos e com deficiência sujeitos

Leia mais

Reapreciação da Comunicação relativa ao seguro de crédito à exportação em operações garantidas a curto prazo. Documento de consulta

Reapreciação da Comunicação relativa ao seguro de crédito à exportação em operações garantidas a curto prazo. Documento de consulta Reapreciação da Comunicação relativa ao seguro de crédito à exportação em operações garantidas a curto prazo 1. Introdução Documento de consulta Em alguns Estados-Membros, as agências oficiais de crédito

Leia mais

1. PROCESSO COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11.06.2014 C(2014) 3576 final

1. PROCESSO COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11.06.2014 C(2014) 3576 final COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.06.2014 C(2014) 3576 final VERSÃO PÚBLICA O presente documento é um documento interno da Comissão disponível exclusivamente a título informativo. ASSUNTO: AUXÍLIO ESTATAL

Leia mais

ENQUADRAMENTO COMUNITÁRIO DOS AUXÍLIOS ESTATAIS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO E À INOVAÇÃO

ENQUADRAMENTO COMUNITÁRIO DOS AUXÍLIOS ESTATAIS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO E À INOVAÇÃO 30.12.2006 PT Jornal Oficial da União Europeia C 323/1 I (Comunicações) COMISSÃO ENQUADRAMENTO COMUNITÁRIO DOS AUXÍLIOS ESTATAIS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO E À INOVAÇÃO (2006/C 323/01) Página 1.

Leia mais

L 129/52 Jornal Oficial da União Europeia 28.5.2010

L 129/52 Jornal Oficial da União Europeia 28.5.2010 L 129/52 Jornal Oficial da União Europeia 28.5.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 461/2010 DA COMISSÃO de 27 de Maio de 2010 relativo à aplicação do artigo 101. o, n. o 3, do Tratado sobre o Funcionamento da União

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 06.03.2013 C(2013) 1164 final. Auxílio estatal SA.32817 (2011/N) Portugal Aquiseguro. Excelência, 1.

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 06.03.2013 C(2013) 1164 final. Auxílio estatal SA.32817 (2011/N) Portugal Aquiseguro. Excelência, 1. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 06.03.2013 C(2013) 1164 final Assunto: Auxílio estatal SA.32817 (2011/N) Portugal Aquiseguro Excelência, 1. PROCEDIMENTO (1) Por ofício de 4 de abril de 2011, as autoridades

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

MERCADO DO SEGURO DE CRÉDITO À EXPORTAÇÃO DE OPERAÇÕES GARANTIDAS A CURTO PRAZO EM PORTUGAL

MERCADO DO SEGURO DE CRÉDITO À EXPORTAÇÃO DE OPERAÇÕES GARANTIDAS A CURTO PRAZO EM PORTUGAL COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 27.10.2010 C(2010)7275 final Na versão publicada da presente decisão foram omitidas algumas informações em conformidade com o disposto nos artigos 24.º e 25.º do Regulamento

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU PROJECTO DE PARECER. Comissão dos Orçamentos PROVISÓRIO 2002/0211(COD) 13 de Janeiro de 2003. da Comissão dos Orçamentos

PARLAMENTO EUROPEU PROJECTO DE PARECER. Comissão dos Orçamentos PROVISÓRIO 2002/0211(COD) 13 de Janeiro de 2003. da Comissão dos Orçamentos PARLAMENTO EUROPEU 1999 Comissão dos Orçamentos 2004 PROVISÓRIO 2002/0211(COD) 13 de Janeiro de 2003 PROJECTO DE PARECER da Comissão dos Orçamentos destinado à Comissão da Indústria, do Comércio Externo,

Leia mais

MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS

MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS Objectivo do presente documento O presente documento descreve a actual situação no que se refere ao comércio electrónico e serviços

Leia mais

L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052. Anúncio de concurso.

L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052. Anúncio de concurso. 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:20052-2013:text:pt:html L-Luxemburgo: PE-ITEC-DIT-ITIM-2012/03-CLAVIS Software de gestão de documentos 2013/S 015-020052

Leia mais

circular ifdr Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública SÍNTESE: ÍNDICE

circular ifdr Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública SÍNTESE: ÍNDICE N.º 01/2008 Data: 2008/07/16 Noção de Organismo de Direito Público para efeitos do cálculo de despesa pública Elaborada por: Núcleo de Apoio Jurídico e Contencioso e Unidade de Certificação SÍNTESE: A

Leia mais

Orientações sobre a definição e a notificação de «medida de caráter fiscal ou financeiro» para efeitos da Diretiva 98/34/CE

Orientações sobre a definição e a notificação de «medida de caráter fiscal ou financeiro» para efeitos da Diretiva 98/34/CE Orientações sobre a definição e a notificação de «medida de caráter fiscal ou financeiro» para efeitos da Diretiva 98/34/CE As presentes orientações representam exclusivamente o ponto de vista da Direção-Geral

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Alojamento do sítio Internet do Comité das Regiões (CR) 2015/S 086-154249. Anúncio de concurso. Serviços

Bélgica-Bruxelas: Alojamento do sítio Internet do Comité das Regiões (CR) 2015/S 086-154249. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:154249-2015:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Alojamento do sítio Internet do Comité das Regiões (CR) 2015/S 086-154249

Leia mais

Parte I: As modalidades de aplicação e de acompanhamento do Código voluntário;

Parte I: As modalidades de aplicação e de acompanhamento do Código voluntário; ACORDO EUROPEU SOBRE UM CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO SOBRE AS INFORMAÇÕES A PRESTAR ANTES DA CELEBRAÇÃO DE CONTRATOS DE EMPRÉSTIMO À HABITAÇÃO ( ACORDO ) O presente Acordo foi negociado e adoptado pelas

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo A Bolsa de Ideias CAIE (BI) é uma iniciativa desenvolvida pelo Projecto CAIE Centro de Apoio à Inovação e ao Empreendedorismo, financiado pela Iniciativa Comunitária EQUAL. Esta iniciativa

Leia mais

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010

L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 L 306/2 Jornal Oficial da União Europeia 23.11.2010 Projecto DECISÃO N. o / DO CONSELHO DE ASSOCIAÇÃO instituído pelo Acordo Euro-Mediterrânico que cria uma associação entre as Comunidades Europeias e

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:331932-2013:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:331932-2013:text:pt:html 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:331932-2013:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Estudo sobre cibersegurança nos transportes terrestres, que desenvolve orientações

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO relativa a um procedimento simplificado de tratamento de certas operações de concentração nos termos do Regulamento (CEE) n 4064/89 do Conselho (Texto relevante para efeitos do

Leia mais

(Actos não legislativos) REGULAMENTOS

(Actos não legislativos) REGULAMENTOS 23.4.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 102/1 II (Actos não legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO (UE) N. o 330/2010 DA COMISSÃO de 20 de Abril de 2010 relativo à aplicação do artigo 101. o, n. o

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:265083-2015:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Estudo relativo ao papel da digitalização e da inovação para a criação de

Leia mais

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:163950-2012:text:pt:html B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio

Leia mais

FICHA INFORMATIVA ISPA

FICHA INFORMATIVA ISPA FICHA INFORMATIVA ISPA Nº: 2000/PL/16/P/PE/015 Designação da medida: Tratamento de águas residuais e abastecimento de água em Poznan Autoridades responsáveis pela execução (definidas na Secção II (2) do

Leia mais

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de Regulamento (CEE) nº 1768/92 do Conselho, de 18 de Junho de 1992, relativo à criação de um certificado complementar de protecção para os medicamentos Jornal Oficial nº L 182 de 02/07/1992 p. 0001-0005

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

Código de Conduta Voluntário

Código de Conduta Voluntário O Banif, SA, ao formalizar a sua adesão ao Código de Conduta Voluntário do crédito à habitação, no âmbito da Federação Hipotecária Europeia, e de acordo com as recomendações da Comissão Europeia e do Banco

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.8.2005 COM(2005) 361 final 2005/0147 (COD) Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que revoga a Directiva 90/544/CEE do Conselho relativa

Leia mais

CAPÍTULO I- Recomendação da Comissão aos mediadores de seguros REQUISITOS PROFISSIONAIS E REGISTO DOS MEDIADORES DE SEGUROS

CAPÍTULO I- Recomendação da Comissão aos mediadores de seguros REQUISITOS PROFISSIONAIS E REGISTO DOS MEDIADORES DE SEGUROS ÍNDICE CAPÍTULO I- Recomendação da Comissão aos mediadores de seguros ANEXO REQUISITOS PROFISSIONAIS E REGISTO DOS MEDIADORES DE SEGUROS Artigo 1º.- Definições Artigo 2º.- Âmbito de aplicação Artigo 3º.-

Leia mais

de 9 de Março de 2005

de 9 de Março de 2005 24.3.2005 PT Jornal Oficial da União Europeia L 79/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) DECISÃO N. O 456/2005/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 9 de Março de 2005 que

Leia mais

Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de um analisador termogravimétrico (TGA) 2014/S 051-084398. Anúncio de concurso. Fornecimentos

Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de um analisador termogravimétrico (TGA) 2014/S 051-084398. Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:84398-2014:text:pt:html Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de um analisador termogravimétrico (TGA) 2014/S 051-084398 Anúncio

Leia mais

B-Bruxelas: Estudo comparativo relativo a contratos de computação em nuvem 2013/S 084-140907. Anúncio de concurso. Serviços

B-Bruxelas: Estudo comparativo relativo a contratos de computação em nuvem 2013/S 084-140907. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:140907-2013:text:pt:html B-Bruxelas: Estudo comparativo relativo a contratos de computação em nuvem 2013/S 084-140907

Leia mais

Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento de discussão)

Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento de discussão) COMISSÃO EUROPEIA DG Mercado Interno INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Seguros MARKT/2517/02 PT Orig. EN Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento

Leia mais

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EACEA 32/2014 : Projetos de cooperação europeia Execução das ações do subprograma «Cultura»: projetos de cooperação

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. o reforço de capacidades das organizações de acolhimento e a assistência técnica às organizações de envio,

COMISSÃO EUROPEIA. o reforço de capacidades das organizações de acolhimento e a assistência técnica às organizações de envio, C 249/8 PT Jornal Oficial da União Europeia 30.7.2015 COMISSÃO EUROPEIA CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS EACEA 25/15 Iniciativa Voluntários para a Ajuda da UE: Destacamento de Voluntários para a Ajuda

Leia mais

Bruxelas, 3 de Dezembro de 1980. Sr. Vice-Primeiro-Ministro:

Bruxelas, 3 de Dezembro de 1980. Sr. Vice-Primeiro-Ministro: Decreto n.º 143-A/80 Acordo, por troca de cartas, entre a República Portuguesa e a Comunidade Económica Europeia Relativo à Implementação de Uma Ajuda Pré-Adesão a Favor de Portugal O Governo decreta,

Leia mais

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde Legislação da União Europeia Legislação nacional Jurisprudência TJUE Diretiva 2011/24 Proposta de Lei 206/XII Direitos e deveres

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 19.06.2013 C(2013) 3546 final. Auxílio estatal SA.36197 (N/2013) Portugal Privatização da ANA Aeroportos de Portugal

COMISSÃO EUROPEIA. Bruxelas, 19.06.2013 C(2013) 3546 final. Auxílio estatal SA.36197 (N/2013) Portugal Privatização da ANA Aeroportos de Portugal COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 19.06.2013 C(2013) 3546 final Na versão publicada da presente decisão foram omitidas algumas informações em conformidade com o disposto nos artigos 24.º e 25.º do Regulamento

Leia mais

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS L 115/12 Jornal Oficial da União Europeia 27.4.2012 II (Atos não legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) N. o 363/2012 DA COMISSÃO de 23 de fevereiro de 2012 respeitante às normas processuais

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Recurso a informações públicas sobre sistemas de restrição de acesso 2013/S 138-239089. Anúncio de concurso.

Bélgica-Bruxelas: Recurso a informações públicas sobre sistemas de restrição de acesso 2013/S 138-239089. Anúncio de concurso. 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:239089-2013:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Recurso a informações públicas sobre sistemas de restrição de acesso 2013/S

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

Guia prático. Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial

Guia prático. Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial Utilização da videoconferência para obtenção de provas em matéria civil e comercial, ao abrigo do Regulamento (CE) n.º 1206/2001 do Conselho, de 28 de Maio de 2001 Guia prático Rede Judiciária Europeia

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º, REGULAMENTO (CE) Nº 1082/2006 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 5 de Julho de 2006 relativo aos agrupamentos europeus de cooperação territorial (AECT) O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. Auxílio estatal N 564/2006 Portugal EMS 2002 - Auxílio individual à About the Future

COMISSÃO EUROPEIA. Auxílio estatal N 564/2006 Portugal EMS 2002 - Auxílio individual à About the Future COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 04-IV-2007 C(2007) 1416 final Assunto: Auxílio estatal N 564/2006 Portugal EMS 2002 - Auxílio individual à About the Future Excelência, 1. PROCEDIMENTO (1) Por notificação electrónica

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

Parte III. 12.j PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS DE QUALIDADE

Parte III. 12.j PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS DE QUALIDADE Parte III. 12.j PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS DE QUALIDADE Esta ficha de informações complementares (FIC) deve ser utilizada para a notificação de qualquer medida destinada a incentivar

Leia mais

Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação)

Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação) L 271/38 ANEXO IV Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação) Representação esquemática do princípio do empréstimo

Leia mais

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 1259/2010 DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 2010 que cria uma cooperação reforçada no domínio da lei aplicável em matéria de divórcio

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Prestação de serviços em nuvem a favor da ECHO 2014/S 148-265392. Anúncio de concurso. Serviços

Bélgica-Bruxelas: Prestação de serviços em nuvem a favor da ECHO 2014/S 148-265392. Anúncio de concurso. Serviços 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:265392-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Prestação de serviços em nuvem a favor da ECHO 2014/S 148-265392 Anúncio de

Leia mais

GR-Heráclio: Segurança em nuvem «Nuvens» governamentais e notificação de incidentes 2012/S 249-411669. Anúncio de concurso.

GR-Heráclio: Segurança em nuvem «Nuvens» governamentais e notificação de incidentes 2012/S 249-411669. Anúncio de concurso. 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:411669-2012:text:pt:html GR-Heráclio: Segurança em nuvem «Nuvens» governamentais e notificação de incidentes 2012/S 249-411669

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO. que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento (CE) n.

Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO. que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento (CE) n. PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 31.8.2010 COM(2010) 459 final 2010/0240 (NLE) Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento

Leia mais

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA ACQUALIVEEXPO Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA Lisboa, 22 de Março de 2012 1 1. Introdução A diplomacia económica é um

Leia mais

ANTEPROJECTO DE COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EXEMPLO DE DECLARAÇÃO RELACIONADA COM AS INFORMAÇÕES RELATIVAS

ANTEPROJECTO DE COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EXEMPLO DE DECLARAÇÃO RELACIONADA COM AS INFORMAÇÕES RELATIVAS ANTEPROJECTO DE COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EXEMPLO DE DECLARAÇÃO RELACIONADA COM AS INFORMAÇÕES RELATIVAS AO ESTATUTO DE PME DE UMA EMPRESA A presente comunicação tem por objectivo incentivar a aplicação

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:378383-2013:text:pt:html Polónia-Varsóvia: Contrato-quadro para desenvolvimento de Intranet com base em SharePoint, sistema

Leia mais

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro)

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) O sistema de avaliação e autorização de introdução no mercado de medicamentos, que tem vindo

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000, de

Leia mais

I-Ispra: Fornecimento e manutenção de um sistema automatizado de imagiologia celular 2013/S 093-157518. Anúncio de concurso.

I-Ispra: Fornecimento e manutenção de um sistema automatizado de imagiologia celular 2013/S 093-157518. Anúncio de concurso. 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:157518-2013:text:pt:html I-Ispra: Fornecimento e manutenção de um sistema automatizado de imagiologia celular 2013/S

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível comercial sustentável 2013/S 248-431845

Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível comercial sustentável 2013/S 248-431845 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:431845-2013:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:260109-2015:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:260109-2015:text:pt:html 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:260109-2015:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Estudo de viabilidade sobre um «portal europeu de mobilidade em matéria de

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) PARA UTILIZAÇÃO CIVIL ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E O REINO DE MARROCOS, POR

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:213931-2013:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:213931-2013:text:pt:html 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:213931-2013:text:pt:html B-Bruxelas: Serviços de apoio à promoção de talento Web na Europa através do incentivo à utilização

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013

CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013 CÓDIGO DE CONDUTA Julho de 2013 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 I. Âmbito de Aplicação e Princípios Gerais...4 Artigo 1.º Âmbito Pessoal...4 Artigo 2.º Âmbito Territorial...4 Artigo 3.º Princípios Gerais...4 Artigo

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA O Sistema de Certificação de Entidades Formadoras, consagrado na Resolução do Conselho de Ministros nº 173/2007, que aprova

Leia mais

Medidas específicas para as PME Concessão de verbas na fase exploratória (Etapa 1)

Medidas específicas para as PME Concessão de verbas na fase exploratória (Etapa 1) Comissão Europeia Investigação Comunitária Brochura informativa QUINTO PROGRAMA-QUADRO DE ACÇÕES DA COMUNIDADE EUROPEIA EM MATÉRIA DE INVESTIGAÇÃO, DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E DE DEMONSTRAÇÃO PROPOSTA

Leia mais

Programa EDP SOLIDÁRIA

Programa EDP SOLIDÁRIA Programa EDP SOLIDÁRIA REGULAMENTO I. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1. A Fundação EDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade e inovação social, promove uma iniciativa anual o Programa EDP

Leia mais

Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de geradores de alta frequência e separadores para soldadura de placas de plástico 2014/S 224-395007

Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de geradores de alta frequência e separadores para soldadura de placas de plástico 2014/S 224-395007 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:395007-2014:text:pt:html Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de geradores de alta frequência e separadores para soldadura

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DOS COLABORADORES DA FUNDAÇÃO CASA DA MÚSICA

CÓDIGO DE CONDUTA DOS COLABORADORES DA FUNDAÇÃO CASA DA MÚSICA CÓDIGO DE CONDUTA DOS COLABORADORES DA FUNDAÇÃO CASA DA MÚSICA Na defesa dos valores de integridade, da transparência, da auto-regulação e da prestação de contas, entre outros, a Fundação Casa da Música,

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Estudo sobre a legislação aplicável aos contratos de seguro 2014/S 149-267125. Anúncio de concurso. Serviços

Bélgica-Bruxelas: Estudo sobre a legislação aplicável aos contratos de seguro 2014/S 149-267125. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:267125-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Estudo sobre a legislação aplicável aos contratos de seguro 2014/S 149-267125

Leia mais

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III.1 Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local de trabalho na UE 2014/S 039-063712

Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local de trabalho na UE 2014/S 039-063712 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:63712-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local

Leia mais

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares

Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DAS EMPRESAS E DA INDÚSTRIA Bruxelas, 1.2.2010 - Documento de orientação 1 Aplicação do Regulamento «Reconhecimento Mútuo» a suplementos alimentares 1. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR. 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência

AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR. 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência RECURSOS HUMANOS Recrutamento e evolução de carreira AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência SOMOS O Tribunal de Contas Europeu

Leia mais

V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO)

V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO) V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO) Março 2015 V A L E INO V A Ç Ã O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3 2. Objetivo Específico... 3 3. Tipologia de Projetos...

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o, 25.6.2003 L 156/17 DIRECTIVA 2003/35/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 26 de Maio de 2003 que estabelece a participação do público na elaboração de certos planos e programas relativos ao ambiente

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 29.1.2004 L 24/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 139/2004 DO CONSELHO de 20 de Janeiro de 2004 relativo ao controlo das concentrações de empresas («Regulamento

Leia mais

I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516. Anúncio de concurso. Fornecimentos

I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516. Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:306516-2012:text:pt:html I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516 Anúncio de concurso

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito REGULAMENTO O presente regulamento estabelece os procedimentos associados à medida «Passaporte para o Empreendedorismo», regulamentada pela Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, estabelecida

Leia mais

Nota 2014-07-22. Enquadramento

Nota 2014-07-22. Enquadramento Nota Reg (CE) 1407/2013 da Comissão, de 18 de dezembro, relativo à aplicação dos artigos 107º. e 108º. do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia aos auxílios de minimis Conceito de empresa única

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Serviços bancários S2R/BANK/2015/02 2015/S 149-274501. Anúncio de concurso. Serviços

Bélgica-Bruxelas: Serviços bancários S2R/BANK/2015/02 2015/S 149-274501. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:274501-2015:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Serviços bancários S2R/BANK/2015/02 2015/S 149-274501 Anúncio de concurso

Leia mais

Política de Concorrência na Europa

Política de Concorrência na Europa Comissão Europeia Política de Concorrência na Europa As regras da concorrência aplicáveis aos acordos de fornecimento e de distribuição Política de Concorrência na Europa As regras da concorrência aplicáveis

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 09.03.2001 COM(2001) 128 final 2001/0067 (ACC) VOLUME IV Proposta de DECISÃO DO CONSELHO Relativa à posição da Comunidade no Conselho de Associação sobre a

Leia mais

(85/577/CEE) Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º,

(85/577/CEE) Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º, DIRECTIVA DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 1985 relativa à protecção dos consumidores no caso de contratos negociados fora dos estabelecimentos comerciais (85/577/CEE) O CONSELHO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS,

Leia mais

4. Este processo insere-se no contexto da restruturação da TAP e da primeira fase de reprivatização interrompida em 2000.

4. Este processo insere-se no contexto da restruturação da TAP e da primeira fase de reprivatização interrompida em 2000. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 14.XII.2004 C (2004)4749 fin Assunto: Auxílio estatal NN 63/2004 (ex N 472/2003) Portugal Reprivatização (primeira fase) dos serviços de assistência em escala da TAP Excelência,

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE)

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça, da Liberdade e da Segurança Unidade B/4 Fundo Europeu para os Refugiados B-1049 Bruxelas Estado-Membro: PORTUGAL

Leia mais

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO CVGARANTE SOCIEDADE DE GARANTIA MÚTUA PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO 14 de Outubro de 2010 O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às empresas,

Leia mais