UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor."

Transcrição

1 UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES Fortaleza - CE

2 Apresentação. O mais famoso tipo de arquitetura utilizada em redes de computadores o cliente-servidor pode ser utilizado para praticamente qualquer tipo de compartilhamento de recurso. Mas o que podemos fazer com esta arquitetura? Nos próximos slides estão descritas algumas características e explicações simples e objetivas de cada uma delas.

3 A arquitetura cliente-servidor possui muitas características, nas quais vamos nos limitar nas básicas que são: Front-end Back-end Componentes principais Camadas ODBC Internet, Intranet e Extranet Servidor de aplicações web (Apache, Tomcat, ISS)

4 Características A característica principal do cliente-servidor é justamente o que lhe dá este nome: Existe em uma ponta da rede o servidor, que gerencia e oferece os recursos para os clientes que estão na outra ponta. Esta é a explicação mais básica que se tem deste tipo de arquitetura. há outros exemplos de como funciona uma rede clienteservidor. Porém vamos colocar em termos técnicos e explicálos de maneira mais simples possível.

5 Front-end Na arquitetura cliente-servidor em termos gerais front-end é a parte da arquitetura perceptível pelo usuário. Normalmente o front-end é uma interface gráfica ou aplicativo que é executado utilizando os recursos do usuário, por exemplo, a linguagem de marcação de hipertexto (HTML) é renderizada (executada) somente no navegador de internet do cliente. Tudo o que é público, onde o usuário pode ver e interagir é chamado de front-end.

6 Back-end Em termos gerais back-end é tudo onde somente o administrador da rede tem acesso, ou seja, é a parte que é executada e modificada pelo servidor. Por exemplo, uma interface de administração pode ser considerada uma frontend, linguagens que são executadas no servidor (PHP,.NET, ASP) e todo e qualquer serviço ou aplicativo que envia e recebe mensagens do front-end. Existem outras características nestes termos, mas em um contexto bem geral podemos dizer que o front-end é tudoo que o usuário vê e manipula e back-end é tudo o que o administrador vê e manipula.

7 Componentes principais Os componentes principais desta arquitetura são: Servidor Equipamento que fornece serviços para os clientes. Podem ser computadores, discos de dados, processadores ou até mesmo outra rede. Os serviços podem ser um diretório, um banco de dados, impressoras, etc. Cliente Computador ou estação de trabalho que está conectada à rede para receber os serviços oferecidos pelo computador. Geralmente os clientes conseguem acessar os recursos do servidor via uma interface(janela). Rede Meio de transporte por onde passam os dados que vão do servidor para o cliente e vice versa. Porém somente há comunicação quando o cliente faz uma solicitação, isto é, o servidor nunca vai realizar nenhum processo se nenhum cliente solicitar.

8 Camadas A arquitetura cliente-servidor nos permite criar aplicativos em vários tipos de camadas. Cada camada corresponde a uma lógica diferente de programação e o cliente e o servidor desempenham papéis diferentes. No início da utilização do modelo Cliente/Servidor, as aplicações foram desenvolvidas utilizando-se um modelo de desenvolvimento em duas camadas. Neste modelo, um programas, normalmente desenvolvido em um ambiente gráfico, como Visual Basic, Delphi ou o Prower Builer, é instalado em cada Cliente. Este programa acede a dados armazenados em um servidor.

9 Camadas A interface visual do programa faz parte da aplicação do cliente contendo menus, formulários e elementos visuais. A Outra camada de dados fica armazenada num servidor de rede. Este modelo é pouco atualmente, sendo omaisutilizadoomodelode 3 ou mais camadas. O modelo de 3 camadas derivado do modelo de 2 camadas, recebe esta denominação quando o sistema cliente-servidor é desenvolvido retirando a camanda de negócio do lado do cliente.

10 Camadas A ideia básica do modelo de 3 camadas é retirar as regras de negócio do cliente e centralizá-las em um determinado ponto, o qual é chamado de Servidor de Aplicação. Assim temos a camada de Cliente, Camada de Aplicação e Camada de Dados. Centralizando as regras de negócio em um único ponto, fica muito mais fácil atualização destas regras. A única desvantagem do modelo de 3 camadas é que uma vez atualizando o programa, todos sofreram o impacto desta atualização. Caso ocorra algum erro, se não houver uma medida de contingencia, afetará todos os cliente servidor da camada de Aplicação. Por outro lado, os problemas de manutenção são reduzidos, pois mudanças às camadas de aplicação e de dados não necessitam de novas instalações em cada cliente.

11 ODBC Este acrônimo significa Open Data Base Connectivity e faz a comunicação entre umalinguagemcomumbancodedados. O ODBC possui uma implementação específica da linguagem SQL com a qual a aplicação pode se comunicar com a base de dados de forma transparente, permitindo, por exemplo, que um mesmo programa possa utilizar simultaneamente o MySQL, o Access e o SQL Server sem a necessidade de mudanças na sua camada de dados. O uso destas interfaces está condicionado à existência de drivers ODBC específicos para as bases de dados que se deseja acessar. ODBC é instalado na máquina do cliente. Para a linguagem JAVA é preciso usar uma ponte que se chama JDBC. Tem os mesmos princípios da ODBC porém é construído para funcionar com esta linguagem.

12 Servidor de aplicações web (Apache, Tomcat, ISS) A melhor vantagem de se usar uma arquitetura de cliente-servidor é a utilização de servidores e aplicações web. Uma aplicação Web nada mais é que uma página de Internet que oferece algum serviço. Porém estes aplicativos que através do navegador de internet possuem linguagens específicas, as chamadas Linguagens Web. Abaixo estão algumas linguagens e marcações que foram construídas para funcionar na grande rede. PHP, ASP, HTML, CSS, jquery, Javascript, Ajax, Action Script, JSF, Ruby, Pearl, CGI, Phyton.

13 Servidor de aplicações web (Apache, Tomcat, ISS) Existem milhares de linguagens de programação para a Web. Mas nenhuma delas faria realmente algum sentido se não houvessem os interpretadores destas linguagens, que as executam e criam a interface no navegador do usuário. Estes interpretadores estão embutidos em servidores de aplicação web. Podemos citar como exemplo o Apache, o Tomcat e o ISS. Estes três são mundialmente conhecidos e utilizados pela sua segurança e facilidade de configuração e aplicação.

14 Servidor de aplicações web (Apache, Tomcat, ISS) Apache O apache sem dúvida é o mais robusto servidor de aplicações web para ambientes TCP/IP da atualidade, ocupando 60% de todos as páginas disponíveis pelo mundo. Se você utilizar este dado verá que em cada 10 páginas de internet, 6 utilizam o Apache. Tomcat O Apache Tomcat mais conhecido por apenas Tomcat é um container de servlets ou de uma maneira mais simples, um servidor web JAVA. A proprietária desta linguagem (Sun que agora pertence a Oracle) permitiu aos desenvolvedores do Apache a construir esta ferramenta.

15 Servidor de aplicações web (Apache, Tomcat, ISS) IIS Internet Information Services ou ISS é um servidor de aplicações web criada pela empresa Microsoft em seus sistemas operacionais para servidores. Se formos fazer uma comparação com o Tomcat que foi criado para o JAVA, o IIS foicriadooaspeasp.net. AssimcomooJSP,oASP.nettambémécompiladoantesdaexecução.Istotraz uma vantagem sobre outras linguagens populares. Porém como o software é proprietário, a maioria dos servidores que utilizam esta linguagem são de empresas que possuem os sistemas operacionais da microsoft como padrão.

16 Conclusão Através da arquitetura cliente-servidor podemos fazer praticamente tudo o que é possível em redes de computadores. Porém como a Internet, este tipo de arquitetura a cada dia cresce e agrega mais e mais componentes e soluções para todos os tipos de problemas computacionais. É imprescindível o estudo da situação e análise do custo/benefício de cada solução antes de implantá-la efetivamente em uma empresa ou qualquer outro ambiente.

17 Referências Fundamentando Informática. BATISTI, Júlio. Criando Aplicações em 3, 4 ou n Camadas. Disponível em: < Acesso em: 07 set GOUVEIA, Luís. Aplicações Multimédia para o Sistema de Informação da Empresa.Tese de Mestrado. FEUP-DEEC. Universidade do Porto, Dezembro, Porto, 1995.Disponível em: < Acesso em: 07 set HÜBNER, JomiFred. Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC).Disponível em: < Acesso em: 07 set MARCELO, A. Apache: Configurando o Servidor WEB para Linux. Brasport, MENDES, Douglas Rocha. Redes de Computadores. São Paulo: Novatec, 2007.Disponível em: < Acesso em: 07 set PINHEIRO, José M, A. Computação em Nuvem. Disponível em: < Acesso em: 07 set ZEMEL, Tárcio. Desenvolvedor Web Parte2: Desenvolvimento Front-End E Back-End. Disponível em: < Acesso em: 07 set

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Introdução a Banco de Dados Aula 03 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Arquiteturas de Banco de Dados Arquiteturas de BD - Introdução Atualmente, devem-se considerar alguns aspectos relevantes

Leia mais

Programação para Web

Programação para Web Programação para Web Introdução Professor: Harlley Lima E-mail:harlley@decom.cefetmg.br Departamento de Computação Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Belo Horizonte, 17 de Fevereiro

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Técnicas Avançadas Desenvolvimento de SOFTWARES Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Tópicos Sistema de Gerenciamento de Conteúdo CMS. Fron-end Back-end Instalando Site e Lojas

Leia mais

SERVIDORES REDES E SR1

SERVIDORES REDES E SR1 SERVIDORES REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ HARDWARE Você pode instalar um sistema operacional para servidores em qualquer computador, ao menos na teoria tudo irá funcionar sem grandes dificuldades. Só

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Exemplos de SD Quais podem ser? Ex. de SD: Internet Internet é um conjunto de redes de computadores, de muitos tipos diferentes,

Leia mais

Tecnologia WEB II. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. Introdução ao PHP. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012.

Tecnologia WEB II. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. Introdução ao PHP. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. 1 Tecnologia WEB II Prof. Erwin Alexander Uhlmann Introdução ao PHP UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. 2 Agradecimentos Agradeço à minha esposa Kátia por entender

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 01 de Novembro de 2013. Revisão aula passada Projeto de Arquitetura Decisões de projeto de Arquitetura

Leia mais

Arquitetura de Banco de Dados

Arquitetura de Banco de Dados Arquitetura de Banco de Dados Daniela Barreiro Claro MAT A60 DCC/IM/UFBA Arquitetura de Banco de dados Final de 1972, ANSI/X3/SPARC estabeleceram o relatório final do STUDY GROUP Objetivos do Study Group

Leia mais

LINGUAGEM DE BANCO DE DADOS

LINGUAGEM DE BANCO DE DADOS LINGUAGEM DE BANCO DE DADOS Gabriela Trevisan Bacharel em Sistemas de Informação Universidade Federal do Rio Grande Pós-Graduanda Formação Pedagógica de Professores (FAQI) Conceito de BD Um banco de dados

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Agenda 1. Arquitetura de Software 1.1.Introdução 1.2.Vantagens da Arquitetura de Software

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES Fortaleza - CE CONCEITOS Cliente x Servidor. Cliente É um programa (software) executado

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Aula 03-04: Modelos de Sistemas Distribuídos

Aula 03-04: Modelos de Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Computação Aula 03-04: Modelos de Sistemas Distribuídos 2o. Semestre / 2014 Prof. Jesus Principais questões no projeto de um sistema distribuído (SD) Questão de acesso (como sist. será acessado)

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO NOVO SISTEMA DE CONSULTA DE DADOS DO GSC- UNIJUÍ 1

DESENVOLVIMENTO DO NOVO SISTEMA DE CONSULTA DE DADOS DO GSC- UNIJUÍ 1 DESENVOLVIMENTO DO NOVO SISTEMA DE CONSULTA DE DADOS DO GSC- UNIJUÍ 1 Eliézer Silveira Prigol 2, Marcos Ronaldo Melo Cavalheiro 3, Sérgio Luís Allebrandt 4, Reneo Pedro Prediger 5, Vinícius Ribas Samuel

Leia mais

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Tabela de endereçamento da rede IP da rede: Mascara Broadcast 192.168.1.0 255.255.255.192 192.168.1.63 Distribuição de IP S na rede Hosts IP Configuração

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 2011 1 1. APRESENTAÇÃO No momento de sua concepção não haviam informações detalhadas e organizadas sobre os serviços de Tecnologia da

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Aula 06: Introdução Linguagem HTML O Desenvolvimento Web O desenvolvimento web é o termo utilizado para descrever atividade relacionada

Leia mais

BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS

BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS 21/11/2013 PET Sistemas de Informação Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 1 BEM-VINDOS AO CURSO DE ORIENTADO A OBJETOS Leonardo Pimentel Ferreira Higor Ernandes Ramos Silva 21/11/2013

Leia mais

Ferramentas de Administração. PostgreSQL

Ferramentas de Administração. PostgreSQL Ferramentas de Administração ao SGBD PostgreSQL Diego Rivera Tavares de Araújo diegoriverata@gmail.com Introdução Mas o que é PostgreSQL? Introdução as ferramentas O PostgreSQL pode ser acessado a partir

Leia mais

O Windows é um software de sistema, que permite ao utilizador interagir com o computador e com os seus periféricos.

O Windows é um software de sistema, que permite ao utilizador interagir com o computador e com os seus periféricos. Sistema Operativo Windows - Ambiente de trabalho - Janelas - Atalhos - Programas - Gestão de pastas e ficheiros - Menu iniciar O Windows é um software de sistema, que permite ao utilizador interagir com

Leia mais

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Desenvolvimento Web III Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Nesta aula iremos trabalhar a manipulação de banco de dados através

Leia mais

Dados. Qualquer elemento (aspecto, fato, medida etc.) representativo, disponível e coletável na realidade. fatos no estado bruto, conforme Platão;

Dados. Qualquer elemento (aspecto, fato, medida etc.) representativo, disponível e coletável na realidade. fatos no estado bruto, conforme Platão; Dados Os Dados são os fatos em sua forma primária, como observamos no mundo. Qualquer elemento (aspecto, fato, medida etc.) representativo, disponível e coletável na realidade. fatos no estado bruto, conforme

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas WEB

Desenvolvimento de Sistemas WEB Desenvolvimento de Sistemas WEB JavaScript - Aula 14 Introdução Arthur Porto - IFNMG Campus Salinas arthur.porto@ifnmg.edu.br arthurporto.com.br JavaScript - Aula 14 Introdução Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.0.0 Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Portabilidade para Servidor de Aplicação... 4 Portabilidade para Servidor de Terminal Services... 5 Portabilidade

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Marabá Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Sistemas Distribuídos Prof.: Warley Junior warleyjunior05@gmail.com Plano de Ensino. Turma SI

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA Profa. Reane Franco Goulart Administrador de banco de dados O Administrador de banco de dados (DBA - DataBase Administrator) é responsável por manter e gerenciar bancos

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Conhecer o funcionamento dos sistemas operacionais para redes de computadores. Aprender como é feito o gerenciamento do

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Disciplina: Redes de Comunicação. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Setembro 2013

Disciplina: Redes de Comunicação. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Setembro 2013 Disciplina: Redes de Comunicação Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. João Oliveira Turma: 10º 13ª Setembro 2013 INTRODUÇÃO Este trabalho apresenta os principais

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Bancos de Dados III Acesso Cliente Servidor Arquiteturas Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br 1 Requisitos de Sistemas Grande competitividade no mercado TI deve apoiar a empresa atendendo com agilidade.

Leia mais

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 615 SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 Guilherme Paulo de Barros 2, Arthur Lemos 3, Heber Fernandes Amaral 4 Resumo: Nos dias atuais, com a popularização

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 SOFTWARE DE CONTROLE DE ARMAMENTO EM QUARTEL MILITAR Kahic Ribeiro de Almeida Rocha 1 ; Montgomery Scofield Ferreira Furletti; Luiz Fernando Ribeiro de Paiva¹ ¹Universidade de Uberaba - UNIUBE, Uberaba

Leia mais

5.5. Software de treinamento da RNA

5.5. Software de treinamento da RNA Como podemos observar na figura 10, os neurônios da camada de entrada (X1,..,X10) são alimentados pelos tópicos de estudo e a saída Y1 libera o próximo tópico sinalizando ao sistema se o aprendiz pode

Leia mais

Web. Professor: Rodrigo Alves Sarmento rsarmento@catolica-es.edu.br rasarmento@gmail.com

Web. Professor: Rodrigo Alves Sarmento rsarmento@catolica-es.edu.br rasarmento@gmail.com Web Professor: Rodrigo Alves Sarmento rsarmento@catolica-es.edu.br rasarmento@gmail.com Objetivos O que é uma aplicação Web? Web x Stand-Alone Web x Cliente Servidor Tradicional Tipos de Aplicação Dois

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 4 Aplicações em camadas

Leia mais

INSTALAÇÃO DO FIREFOX E JAVA PORTÁVEL CUSTOMIZADO PELO TRT DA 13ª REGIÃO

INSTALAÇÃO DO FIREFOX E JAVA PORTÁVEL CUSTOMIZADO PELO TRT DA 13ª REGIÃO Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região INSTALAÇÃO DO FIREFOX E JAVA PORTÁVEL CUSTOMIZADO PELO TRT DA 13ª REGIÃO Por Ericson Benjamim Secretaria de Tecnologia da

Leia mais

Rastreabilidade de requisitos através da web

Rastreabilidade de requisitos através da web Rastreabilidade de requisitos através da web Fernando dos Santos (FURB) fds@inf.furb.br Karly Schubert Vargas (FURB) karly@inf.furb.br Christian Rogério Câmara de Abreu (FURB) crca@inf.furb.br Resumo.

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Obs: Não há necessidade de entregar a lista Questões do livro base (Kurose) Questões Problemas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

Por que Redes? Estamos cercados por redes: supermercados, lojas, bancos, cinemas, farmácias e inúmeros outros lugares; Com a queda do custo de implementação de redes, é praticamente impossível pensar em

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET 2010/2011 1 Introdução às redes e telecomunicações O que é uma rede? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído

Leia mais

Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com. Java API JDBC

Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com. Java API JDBC Prof. Marcelo Heitor Teixeira marceloheitor.com Java API JDBC # Java vs bancos de dados relacionais # JDBC Java Database Connectivity # Arquitetura JDBC # Drivers JDBC # Pool de Conexões JDBC Java Database

Leia mais

CALENDÁRIO ESCOLAR PREVISTO... 3 INSTRUÇÕES... 4

CALENDÁRIO ESCOLAR PREVISTO... 3 INSTRUÇÕES... 4 Sumário CALENDÁRIO ESCOLAR PREVISTO... 3 INSTRUÇÕES... 4 Informática Básica... 5 Excel Avançado... 6 Word Avançado... 7 Montagem e Manutenção de Microcomputadores... 8 Formação Inicial e Continuada Programação

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 6-21/09/2007 1 Ementa Conceitos Básicos de Computação (Hardware, Software e Internet) Softwares Aplicativos Tutorial: Word Tutorial:

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS. Módulo 788- Administração de Servidores Web. Ano letivo 2012-2013. Docente: Ana Batista

CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS. Módulo 788- Administração de Servidores Web. Ano letivo 2012-2013. Docente: Ana Batista CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Curso EFA Sec. Turma C - 2012 / 2013 Módulo 788- Administração de Servidores Web Docente: Ana Batista Ano letivo 2012-2013

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Um computador sem software nada mais é que um conjunto inútil de metal (Tanembaum); É o software que viabiliza

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº UNIDADE 1I: SISTEMA COMPITACIONAL Elementos hardware e periféricos Um sistema computacional consiste num conjunto de dispositivos eletrônicos (hardware) capazes de processar informações de acordo com um

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Open - audit Ferramenta para gerenc iamento de rede

Open - audit Ferramenta para gerenc iamento de rede Faculdade de Tecnologia SENAC GO Ges t ã o de T ecnologia de Informaç ão M ód ulo IV - Matutin o Open - audit Ferramenta para gerenc iamento de rede Alunos : Gab riel da Silva, Matheus Pereira, Rome ro

Leia mais

Programação para Web Artefato 01. AT5 Conceitos da Internet

Programação para Web Artefato 01. AT5 Conceitos da Internet Programação para Web Artefato 01 AT5 Conceitos da Internet Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 24/10/2014 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr Instrutor Hélio Engholm Jr Livros publicados

Leia mais

1 Instalação. 2 Exemplos para Utilização do Componente

1 Instalação. 2 Exemplos para Utilização do Componente O CobreBemX é um componente COM ''não visual'' distribuído sob a forma de DLL, possuindo as seguintes funcionalidades: Impressão de Boletos Bancários em impressoras Laser ou Jato de Tinta para diverso

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 6 EJB Enterprise Java

Leia mais

1. Explicando Roteamento um exemplo prático. Através da análise de uns exemplos simples será possível compreender como o roteamento funciona.

1. Explicando Roteamento um exemplo prático. Através da análise de uns exemplos simples será possível compreender como o roteamento funciona. Aula 14 Redes de Computadores 24/10/07 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber ROTEAMENTO EM UMA REDE DE COMPUTADORES A máscara de sub-rede é utilizada para determinar

Leia mais

Integrantes: Catarino Rodrigues Data: 26/10/2012. Leandro de Matos Pereira. Leandro dos Santos Marciano. Ramon Alves de Souza

Integrantes: Catarino Rodrigues Data: 26/10/2012. Leandro de Matos Pereira. Leandro dos Santos Marciano. Ramon Alves de Souza Integrantes: Catarino Rodrigues Data: 26/10/2012 Leandro de Matos Pereira Leandro dos Santos Marciano Ramon Alves de Souza Disciplina: Banco de Dados para Internet Tema do Trabalho: Tecnologias para acesso

Leia mais

Sistemas Cliente-Servidor

Sistemas Cliente-Servidor Sistemas Cliente-Servidor Disciplina Bancos de Dados II (INE 5616 2006-1) Curso de Sistemas de Informação Prof. Renato Fileto INE/CTC/UFSC 1 1 Cliente - Servidor Arquitetura cliente/servidor: Os servidores

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Versão 1.2.3 27 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://professor.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Prof. Fernando 1 Ementa Instalação e configuração básica do NetBeans e

Leia mais

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas.

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas. Criamos uma pequena lista de ações ligados ao marketing na internet que nem chega a ser um diferencial. Será o mínimo para que você com seu negócio consiga se manter no mercado e continuar a gerar lucros.

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura de um Sistema Operacional Basicamente dividido em shell é a interface entre o usuário e o sistema operacional é um interpretador de comandos possui embutido

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Lógica para a Programação - 1º semestre AULA 01 Prof. André Moraes

Lógica para a Programação - 1º semestre AULA 01 Prof. André Moraes Pág 4 Lógica para a Programação - 1º semestre AULA 01 Prof. André Moraes 1 APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR A unidade curricular de Lógica para a programação tem como objetivo promover o estudo dos principais

Leia mais

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44)

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) 28) A orientação a objetos é uma forma abstrata de pensar um problema utilizando-se conceitos do mundo real e não, apenas, conceitos computacionais. Nessa perspectiva, a adoção

Leia mais

Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux

Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux Introdução Um sistema operacional de rede é simplesmente um sistema operacional com serviços de rede, que chamamos de um modo geral de servidor. Dependendo

Leia mais

Informações importantes

Informações importantes Informações importantes Genexus Web: Marketing e TI alinhados em Aplicativos para Dispositivos móveis DUAS ÁREAS IMPORTANTES... DOIS AMBIENTES... Mais do nunca, marketing e TI precisam estar alinhados

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Banco de Dados Orientado a Objetos

Banco de Dados Orientado a Objetos Banco de Dados Orientado a Objetos MODELAGEM, ANÁLISE, PROJETO e CLASSIFICAÇÃO Interação combinando lógica, através de objetos que contém os dados. Estes divididos conforme seus tipos e métodos (classe),

Leia mais

IIH Introdução à Informática e Hardware

IIH Introdução à Informática e Hardware INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - CAMPUS VOTUPORANGA Técnico em Manutenção e Suporte em Informática IIH Introdução à Informática e Hardware Aula: Linguagens de Programação

Leia mais

Marcos Borges e/ou Adriana Santos (51) 3433-5182 estagios@assespro-rs.org.br. Boa tarde, Candidato!

Marcos Borges e/ou Adriana Santos (51) 3433-5182 estagios@assespro-rs.org.br. Boa tarde, Candidato! Estamos com uma oportunidade de estágio, na área de Desenvolvimento PHP. - Vaga: Cód: 8493 Atividades: Desenvolver sistemas no ambiente Web Requisitos: Conhecimentos Banco de dados MySQL e Oracle, JSE,

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.02.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.02.01.pdf Data: 27/07/2000 STATUS: EM VIGOR A

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Capitulo 1

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Capitulo 1 Capitulo 1 Montagem de duas pequenas redes com a mesma estrutura. Uma é comandada por um servidor Windows e outra por um servidor linux, os computadores clientes têm o Windows xp Professional instalados.

Leia mais

Objetivos Específico

Objetivos Específico Banco de Dados Ementa (DBA) Conceitos Gerais sobre Banco de Dados Instalação e configuração da Ferramenta de Banco de Dados. Elaboração de projeto de Banco de Dados. Implementação do projeto de Banco de

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

ANEXO V Edital nº 03508/2008

ANEXO V Edital nº 03508/2008 ANEXO V Edital nº 03508/2008 Projeto de integração das informações de mandado de prisão e processos dos Tribunais Regionais Federais e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios O objetivo

Leia mais

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Índice Introdução Objetivos Data Warehouse Estrutura Interna Características Principais elementos: ETC, Metadados e Modelagem Dimensional

Leia mais

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0

Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Portabilidade da Linha RM Versão 11.40.0 Data Responsável Versão Doc. Observação 23/11/2012 Camilo Ribeiro da Silva 2 Revisão Conteúdo Portabilidade para Servidor de Banco de Dados... 3 Níveis de Compatibilidade

Leia mais

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Resolução de Problemas de Rede Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Ferramentas para manter o desempenho do sistema Desfragmentador de disco: Consolida arquivos e pastas fragmentados Aumenta

Leia mais

Este artigo abaixo foi produzido originalmente para a Network Core Wiki. Reproduzo-a aqui na íntegra. Publicado originalmente em 07/12/2007.

Este artigo abaixo foi produzido originalmente para a Network Core Wiki. Reproduzo-a aqui na íntegra. Publicado originalmente em 07/12/2007. Vírus no Linux? Este artigo abaixo foi produzido originalmente para a Network Core Wiki. Reproduzo-a aqui na íntegra. Publicado originalmente em 07/12/2007. Interface de uma distribuição Linux Uma das

Leia mais

Ferramenta WEB de Monitoração, Administração e Extração de Informações de um SGBD Oracle

Ferramenta WEB de Monitoração, Administração e Extração de Informações de um SGBD Oracle Ferramenta WEB de Monitoração, Administração e Extração de Informações de um SGBD Oracle Rodrigo Luchtenber (FURB) rodrigo_luchtenberg@elosoft.com.br Alexander Roberto Valdameri (FURB) arv@furb.br Resumo.

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Técnicas de Normalização por Phaser

Técnicas de Normalização por Phaser Técnicas de Normalização por Phaser http://phpbrasil.com/articles/article.php/pagerrow/0/id/146 Dos fatores mais importantes no desenvolvimento de páginas dinâmicas é a definição de banco de dados. Se

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML 1. Conceitos e termos importantes XML Empresarial: é um sistema web (roda em um servidor remoto) de armazenamento e distribuição de documentos

Leia mais

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos :

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos : Atualização de Hiperdocumentos Links Estrutura lógica Estruturas de apresentação Conteúdo (textual, imagens paradas, imagens em movimento e sons) Conclusões O sucesso da WWW Motivos : Facilidade de utilização

Leia mais

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem 1 JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem orientada a objectos. Tal como em ASP e PHP, os ficheiros

Leia mais