Diretrizes para escrever um trabalho de pesquisa para publicação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diretrizes para escrever um trabalho de pesquisa para publicação"

Transcrição

1 Diretrizes para escrever um trabalho de pesquisa para publicação John P. Fisher, PhD John A. Jansen, DDS, PhD Peter C. Johnson, MD Antonios G. Mikos, PhD Co-Editores-Chefe Engenharia de Tecidos Parte A, Comentários Parte B, e Métodos Parte C A principal tarefa do pesquisador é a comunicação de resultados técnicos à comunidade científica mais geral. Seja na forma escrita ou oral, a comunicação científica é um passo crítico no método científico e é o principal impulsionador do movimento dentro de um campo científico. Portanto, a construção de um manuscrito científico escrito não deve ser tomada de maneira fácil. Como parte de nosso serviço para a comunidade científica em geral, pensamos que pode ser benéfico identificar alguns dos aspectos comuns de um manuscrito científico bem construído. Estes pontos são brevemente discutidos abaixo. Deve notar-se que os manuscritos que foram submetidos com êxito à uma revista para publicação tem três componentes principais: (1) a ideia geral (2), a execução do trabalho, e (3) a apresentação do trabalho. Enquanto cada um deles é crucial, as orientações apresentadas abaixo falam principalmente para o terceiro componente, ou seja, a apresentação do trabalho científico. Assim, uma ideia fraca ou uma investigação mal concebida não pode ser salva por uma apresentação excelente do trabalho, e igualmente uma excelente ideia que é bem investigada ainda poderá ser condenada por uma apresentação pobre. Esperamos que os conceitos descritos abaixo ajudem a minimizar a última situação.

2 Estrutura e Abordagem A investigação científica deve começar com uma questão de pesquisa definida, que resulte em um protocolo de pesquisa bem projetado que planeja a abordagem em geral. Esta base deve conduzir a um conjunto de dados a partir dos quais o manuscrito pode ser construído. Os manuscritos submetidos a revistas para consideração da publicação normalmente têm os seguintes componentes: Página Inicial Resumo Introdução Métodos Resultados Discussão Conclusões Agradecimentos Referências Tabelas e legendas das tabelas Figuras e legendas das figuras Uma abordagem razoável para escrever um manuscrito científico pode ser a seguinte. Primeiro escrever a seção de Métodos, em grande parte derivada de seu protocolo de pesquisa inicial, e talvez durante a fase experimental do próprio trabalho, para que todos os detalhes sejam incluídos. Construir todas as figuras e tabelas que contêm os dados incluídos no trabalho e, em seguida, escrever a seção de Resultados. Dependendo do tipo de estudo, pode haver alguma iteração na apresentação dos dados e redação do texto. Reconsiderar as questões científicas que o manuscrito irá abordar, mais uma vez referindo-se ao seu protocolo de pesquisa e, em seguida, escrever a Introdução. Em seguida, use a Introdução e os Resultados para orientar a escrita da Discussão. Sumariar tudo em um Resumo e, em seguida, condensar e reorientar o Resumo para uma seção de Conclusões. Abaixo segue uma breve discussão de cada uma das seções. Estas são apenas sugestões de como um manuscrito científico pode ser escrito. Outras estratégias podem também ser utilizadas, mas a clareza deve ser o princípio orientador. Em geral, o propósito de um artigo científico é a construção de um documento claramente escrito que descreve uma pergunta e, em seguida, logicamente, apresenta uma resposta a esta pergunta que se baseia nos resultados teóricos ou experimentais. Um manuscrito científico é feito para transmitir informações técnicas para o leitor. Portanto, é geralmente concebido para ser uma apresentação e discussão simples. Parágrafos e frases devem ser simplesmente construídos. Um ponto de vista que sustenta este conceito é que o aspecto científico do manuscrito pode ser bastante difícil para o leitor compreender, portanto, o texto em si deve ajudar no empenho a transmitir a informação científica, em vez de agir para confundir ainda mais os conceitos e resultados.

3 Pagina Inicial Uma página inicial deve ser incluída. Declare o título do manuscrito, que deve ser curto e simples, bem como autores e afiliações de autores. Indique a revista para a qual o manuscrito está sendo submetido. Fornecer cerca de 5 palavras-chave, bem como um título curto (por vezes referido como um título corrido) para o manuscrito. Finalmente, fornecer informações completas de contato para o autor correspondente. Resumo O resumo é tipicamente um único parágrafo. O resumo deve ser considerado um documento independente, de modo que o resumo não dependa de qualquer material no corpo do relatório e, de forma semelhante, que o corpo do relatório não dependa de qualquer material no resumo. A primeira frase deve indicar claramente o objetivo do experimento. Se o experimento for baseado numa hipótese, o que é grandemente preferido, a hipótese deve ser declarada e seguida com declarações descrevendo a sua base e avaliação. As frases seguintes descrevem a forma como a investigação foi realizada. As frases seguintes descrevem, com o máximo de precisão possível, sem serem prolixas, os resultados da experiência. As frases finais descrevem o significado dos resultados e do impacto desse trabalho no campo geral do estudo. Introdução A introdução requer uma breve revisão da literatura referente ao tópico de pesquisa. A introdução é então melhor construída como um funil descritivo, começando com temas gerais e focando lentamente no trabalho em questão. Talvez de três a quatro parágrafos sejam necessários. Uma abordagem pode ser começar com um ou dois parágrafos que introduzam o leitor para o estudo de campo geral. Os parágrafos subsequentes então descrevem como um aspecto deste campo poderia ser melhorado. O parágrafo final é essencial. Ele afirma claramente, provavelmente na primeira frase do parágrafo, qual questão experimental será respondida pelo estudo. A hipótese é então indicada. Em seguida, descreve brevemente a abordagem que foi feita para testar a hipótese. Finalmente, uma frase de resumo pode ser adicionada informando como a resposta da sua pergunta vai contribuir para o campo geral de estudo. Métodos Esta seção deve ser uma descrição simples dos métodos utilizados em seu estudo. Cada método deve ser descrito em uma seção separada. Comece, em uma única seção, com uma indicação dos materiais utilizados no estudo, indicando o vendedor e as informações de contato do vendedor para cada material. Esta informação é vital para que os leitores tenham a capacidade de reprodução do trabalho nas suas próprias instituições. Em seguida, descrever, em seções separadas, cada procedimento chave e técnica utilizada no estudo. Mantenha explicações breves e concisas. Se um projeto experimental específico for utilizado, descrever este projeto na segunda seção de Métodos, após a seção de materiais. Do mesmo modo, se um componente teórico ou de modelagem for utilizado, deve também ser incorporado na porção inicial dos Métodos. Finalmente, lembre-se de descrever os métodos de análise estatística que foram utilizados para analisar os resultados, provavelmente na parte final da seção de Métodos. Embora normalmente não seja recomendado, o uso da voz passiva é provavelmente apropriado na seção de Métodos.

4 Resultados A seção de Resultados apresenta os dados experimentais para o leitor, e não é um lugar para discussão ou interpretação dos dados. Os dados em si devem ser apresentados em tabelas e figuras (veja abaixo). Apresente cada grupo de tabelas e figuras em um parágrafo separado, onde as tendências globais e pontos de dados de interesse particular são anotados. Você pode querer indicar a colocação de uma tabela ou figura particular no texto. Para estudos experimentais, as principais estatísticas, como o número de amostras (n), o índice de dispersão (SD, SEM), e o índice de tendência central (média, moda e mediana) deve ser indicado. Incluir qualquer análise estatística que foi realizada, e certifique-se de indicar dados estatísticos específicos, tais como os valores de p. Note que cada tabela e figura no papel devem ser referidas na seção de Resultados. Seja sucinto. Discussão A seção de Discussão, muitas vezes a mais difícil de escrever, deverá ser relativamente fácil se as sugestões anteriores forem seguidas. Em particular, olhar para o último parágrafo da introdução. Se o trabalho caracterizou um fenômeno ao estudar os efeitos específicos, usar os resultados para descrever cada efeito em parágrafos separados. Se o trabalho apresentou uma hipótese, usar os resultados para construir um argumento lógico que apoia ou rejeita sua hipótese. Se o trabalho identificou três objetivos principais para o trabalho, usar os resultados para abordar cada um desses objetivos. Um estudo bem definido, que é descrito na Introdução, juntamente com o apoio de resultados que são apresentados na seção de Resultados, deverá aliviar a construção da seção de Discussão. Comece a seção de Discussão com um breve parágrafo que novamente dará uma visão geral para o trabalho. Resumir os resultados mais importantes e, se for o caso, aceitar ou rejeitar a hipótese proposta. Em seguida, identificar os mais interessantes, significativos resultados notáveis que foram apresentados na seção de Resultados e contrastar estes resultados à luz de outros estudos relatados na literatura. É frequentemente informativo se uma discussão sobre os possíveis pontos fracos da interpretação também estiver incluída. Finalmente, no final da seção de Discussão, considere os outros trabalhos na literatura que abordam este tema e como este trabalho contribui para o campo geral do estudo. Conclusões Mais uma vez, primeiro apresentar o trabalho e, em seguida, de forma sucinta, os principais resultados. Então declarar os principais pontos da discussão. Por fim, terminar com uma declaração de como este trabalho contribui para o campo geral de estudo. Agradecimentos Forneça uma breve declaração reconhecendo os esforços de todos os participantes ou consultores que não são incluídos como autores do manuscrito. Declare todas as fontes de financiamento para o trabalho, assegurando que a declaração adere às orientações fornecidas pela instituição de financiamento.

5 Referências Incluir todas as referências que foram citadas no texto. As referências devem ser bem consideradas, de modo que elas contenham todas as fontes-chave no campo, bem como estudos anteriores que apoiam ou motivam o presente trabalho. No entanto, não inclua referências estranhas em um esforço para simplesmente citar determinados autores ou revistas. Pode ser apropriado citar publicações anteriores de seu próprio laboratório, mas isso deve ser feito criteriosamente. Você deve usar o formato de referência que está mandatado pela revista para a qual você está enviando o manuscrito. Os pacotes de software tornam citar a literatura particularmente fácil. Tabelas e legendas das tabelas As tabelas devem geralmente ser incluídas em uma seção separada após a seção de Referências. As tabelas devem ser nomeadas com uma legenda e título em negrito (ou seja, a Tabela 1: Propriedades de Materiais), seguidos de uma ou duas frases que descrevam o conteúdo e o impacto dos dados incluídos na tabela. A tabela em si deve ser formatada de modo que os dados sejam apresentados de forma clara e facilmente interpretados pelo revisor, no entanto, a tabela está suscetível a ser reformatada pela revista para estar em conformidade com os seus padrões. Certifique-se de que cada tabela é referida no texto manuscrito, o que provavelmente irá ocorrer na seção de Resultados, mas também pode ocorrer nas seções de Introdução, Métodos, ou Discussão. Figuras e legendas das figuras Tal como acontece com as tabelas, as figuras também podem ser colocadas numa seção separada após a seção de Referências. Mais uma vez, a clareza é o fator-chave, especialmente com imagens e gráficos. Todas as imagens devem ser tão grandes quanto possível, e incluir barras de escala precisas. Os gráficos devem ser grandes, com pontos de dados e rótulos de eixo em uma fonte grande. Legendas podem ser incluídas dentro do gráfico ou no título. Todas as figuras precisam de uma legenda. A legenda deve identificar a figura em negrito (ou seja, a Figura 3), dar um breve título à figura, de forma sucinta apresentar o resultado significativo ou interpretação que possa ser feita a partir da figura (isso pode ser modificado a partir do texto da seção de Resultados ou de Discussão) e, finalmente, indicar o número de repetições no experimento (isto é, n = 5), bem como o que o ponto de dados representa na verdade (isto é, os dados são médias e as barras de erro associadas representam os desvios de padrão). Tal como acontece com as tabelas, certifique-se de que cada figura é referida no texto manuscrito. Autoria e originalidade Finalmente, reunimos alguns pontos a considerar no que diz respeito à autoria e originalidade dos manuscritos submetidos à publicação. O plágio é, infelizmente, uma grande preocupação entre os editores e publicadores. Portanto, tenha certeza de todas as fontes de dados e texto. Se o artigo é baseado em trabalho anterior, não se esqueça de referenciar o trabalho anterior corretamente. Um trabalho de pesquisa original não pode conter dados publicados anteriormente de nenhuma forma sem a devida citação. A autoria e a ordem de autoria devem ser acordadas por todos os autores e quaisquer outros profissionais que participaram do trabalho mas que não estão incluídos como um autor. Não é permitida a entrega de um trabalho que é uma tradução de um artigo publicado anteriormente. BE ORIGINAL!

6 About the Authors Dr. John P. Fisher is Professor and Associate Chair for Graduate Studies in the Fischell Department of Bioengineering at the University of Maryland. Fisher completed a BS in chemical engineering at The Johns Hopkins University (1995), MS in chemical engineering at the University of Cincinnati (1998), PhD in bioengineering at Rice University (2003), and postdoctoral fellowship in cartilage biology and engineering at the University of California Davis (2003). Fisher, the Director of the Tissue Engineering and Biomaterials Laboratory, investigates biomaterials, stem cells, and bioreactors for the regeneration of lost tissues, particularly bone, cartilage, vasculature, and skeletal muscle. His research focuses on the development of novel, implantable, biocompatible materials that can support the development of both adult progenitor and adult stem cells, and particularly examines how biomaterials affect endogenous molecular signaling among embedded cell populations. Fisher is the author of over 65 publications, 120 scientific presentations, and 4 patents. Fisher has mentored 3 MS students and 10 PhD students. In addition, Fisher has mentored over 40 undergraduate researchers in his own lab, including 2 who were named University of Maryland Outstanding Undergraduate Researchers, 4 who have received Howard Hughes Medical Institute Undergraduate Research Fellowships, and 18 supported by Maryland Technology Enterprise Institute ASPIRE Awards. In 2012 Fisher was elected Fellow of the American Institute for Medical and Biological Engineering. In addition, Fisher has received a NSF CAREER Award (2005), the Arthritis Foundation s Investigator Award (2006), the University of Maryland Invention of the Year Award (2006), the Outstanding Graduate Alumnus Award from the Department of Bioengineering at Rice University (2007), the Engalitcheff Award from the Arthritis Foundation (2008), the University of Maryland Professor Venture Fair Competition (2009), and the Teaching Excellence Award from the Fischell Department of Bioengineering at the University of Maryland (2011). Since 2007 Fisher has directed NSF supported Molecular and Cellular Bioengineering Research Experiences for Undergraduates Site. Fisher has served as editor of several works, and is currently the Editor-in-Chief of the journal Tissue Engineering, Part B: Reviews. Fisher has edited 2 books, and was the tissue engineering editor for the third edition of The Biomedical Engineering Handbook (2006). John A. Jansen, DDS, PhD studied Dentistry at Radboud University Nijmegen and graduated in In the same year he started a part-time dental practice in Maassluis, the Netherlands. He completed his PhD dealing with the adhesion of epithelial cells to dental implant materials in 1984 at the Radboud University Nijmegen. After working as assistant professor in Amsterdam and Leiden he returned to Nijmegen in 1991 to become associate professor of Biomaterials and Implantology before being appointed Full in April In April 2008, he was elected as full member of the Royal Netherlands Academy of Arts and Sciences (Section Medicine). In 2009, he was appointed Honorary Professor, Sichuan University, Sichuan, China and in 2010 hired as Research Professor, Dental Implant and Osseointegration Research Chair (DIORC), College of Dentistry, King Saud University Riyadh, Saudi-Arabia. He has contributed to over 500 publications, is the owner of seven patents and editorial board member/editor of eight international scientific journals, including Tissue Engineering, Part C: Methods.

7 Peter C. Johnson, MD is a University of Notre Dame and SUNY Upstate Medical University graduate. After General and Plastic Surgery training, Dr. Johnson practiced reconstructive surgery for ten years at University of Pittsburgh where he founded and was the first President of the Pittsburgh Tissue Engineering Initiative. Subsequent roles were co-founder/ceo of TissueInformatics, EVP of Life Sciences, CMO and CBO of Icoria, and EVP, Entegrion, Inc. He presently serves as the VP, Research and Development and Medical Affairs of Vancive Medical Technologies, an Avery Dennison business. He Chaired the Plastic Surgery Research Council, was President of the Pennsylvania Biotechnology Association and the Tissue Engineering Society, International and is presently the Co-Editor-in-Chief of the three-part journal, Tissue Engineering. He serves on the Industry Committee of TERMIS, Board of Trustees of the Pittsburgh Tissue Engineering Initiative and the University of North Carolina Medical Foundation. He is an Adjunct Professor of Surgery, Bioengineering and Business at the University of North Carolina at Chapel Hill, of Bioengineering at NC State and of Regenerative Medicine at Wake Forest University School of Medicine. Antonios G. Mikos, PhD is the Louis Calder Professor of Bioengineering and Chemical and Biomolecular Engineering at Rice University. His research focuses on the synthesis, processing, and evaluation of new biomaterials for use as scaffolds for tissue engineering, as carriers for controlled drug delivery, and as non-viral vectors for gene therapy. He is the author of over 460 publications and 25 patents. He is a Fellow of the American Association for the Advancement of Science, American Institute for Medical and Biological Engineering, Biomedical Engineering Society, Controlled Release Society, International Union of Societies for Biomaterials Science and Engineering, and Tissue Engineering and Regenerative Medicine International Society. He is also a Member of the National Academy of Engineering and the Institute of Medicine of the National Academies. Dr. Mikos is Co-Editorin-Chief of the three-part journal Tissue Engineering.

GUIA DE REDAÇÃO PARA TRABALHO DE EM974

GUIA DE REDAÇÃO PARA TRABALHO DE EM974 GUIA DE REDAÇÃO PARA TRABALHO DE EM974 CONSIDERAÇÕES GERAIS O objetivo deste documento é informar a estrutura e a informação esperadas num texto de Trabalho de Graduação. O conteúdo do texto deverá ser

Leia mais

COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA

COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA O I Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência e Tecnologia/FACIT oportunizará a apresentação de Trabalhos Científicos sob a forma de Comunicação Oral para professores, profissionais

Leia mais

COMO AVALIAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO AVALIAR UM ARTIGO CIENTÍFICO COMO AVALIAR UM ARTIGO CIENTÍFICO ARTIGO CIENTÍFICO Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas

Leia mais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais 4.1. Confecção de um Relatório 4.1.1. Organização do relatório Um relatório é uma descrição detalhada, clara e objetiva de

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

Projetos e pesquisas: Como escrever um artigo original em ciências da vida. Walter Lilenbaum Universidade Federal Fluminense

Projetos e pesquisas: Como escrever um artigo original em ciências da vida. Walter Lilenbaum Universidade Federal Fluminense Projetos e pesquisas: Como escrever um artigo original em ciências da vida Walter Lilenbaum Universidade Federal Fluminense Etapas da construção de um projeto 1.Identificação do problema Coerência com

Leia mais

Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar

Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Helena McDonnell e Magda Gabriel Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Cambridge Institute Página 1 Especialistas em Consultoria

Leia mais

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Os artigos e os relatos de experiência devem ser enviados exclusivamente

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Traduzido e adaptado livremente pelo Prof. Dr. Eloi L. Favero (favero@ufpa.br)

Traduzido e adaptado livremente pelo Prof. Dr. Eloi L. Favero (favero@ufpa.br) Como organizar sua Tese, Dissertação, Monografia ou Artigo [A pesar do texto falar sobre uma tese de doutorado (ou dissertação de mestrado), a forma de estruturar logicamente um artigo técnico segue este

Leia mais

Chamada conjunta para trabalhos. 3rd AMVEBBEA International Congress 7 th Latin American Meeting of the AVLZ 2nd International Meeting of the CLEVe

Chamada conjunta para trabalhos. 3rd AMVEBBEA International Congress 7 th Latin American Meeting of the AVLZ 2nd International Meeting of the CLEVe Chamada conjunta para trabalhos 10 th International Veterinary Behaviour Meeting em associação com 3rd AMVEBBEA International Congress 7 th Latin American Meeting of the AVLZ 2nd International Meeting

Leia mais

NOME DO AUTOR TÍTULO DO TRABALHO.

NOME DO AUTOR TÍTULO DO TRABALHO. NOME DO AUTOR TÍTULO DO TRABALHO. Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção de???? no Curso de Graduação em?????, das Faculdades??????. Orientador:?????????????????. LOCAL Ano EXATAMENTE

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

Como redigir artigos científicos SÉTIMA AULA 03/10/11. Resultados. Apresentando dados numéricos. Tabela ou gráfico

Como redigir artigos científicos SÉTIMA AULA 03/10/11. Resultados. Apresentando dados numéricos. Tabela ou gráfico Como redigir artigos científicos Antônio Augusto Moura da Silva SÉTIMA AULA e Conclusões Resumo e título Apresentando dados numéricos Só reportar resultados que respondam à sua questão Não há necessidade

Leia mais

NORMAS ARTIGOS COMPLETOS PARA DEFESA DO TRABALHO DE CURSO

NORMAS ARTIGOS COMPLETOS PARA DEFESA DO TRABALHO DE CURSO NORMAS ARTIGOS COMPLETOS PARA DEFESA DO TRABALHO DE CURSO 1 NORMAS GERAIS Pesquisas realizadas em humanos devem apresentar o número de protocolo do Comitê de Ética em Pesquisa no item "Material e Método"

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

SAÚDE NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NORMAS

SAÚDE NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NORMAS NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA 1. INFORMAÇÕES GERAIS A submissão dos manuscritos deverá ser efetuada pelo envio do material para o e-mail revista.saude@uscs.edu.br, sob a responsabilidade

Leia mais

SciDev.Net na América Latina: Notícias de ciência, tecnologia e desenvolvimento via Internet

SciDev.Net na América Latina: Notícias de ciência, tecnologia e desenvolvimento via Internet SciDev.Net na América Latina: Notícias de ciência, tecnologia e desenvolvimento via Internet Luisa Massarani Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz Brasil Introdução É sabido que uma parcela importante

Leia mais

Como escrever um artigo científico

Como escrever um artigo científico Como escrever um artigo científico Baseado no texto de C. S. Lyra (2006), Como escrever um Artigo Científico ou Técnico. Infinite Thecnicals Translations http://www.freewebs.com/infinitetrans/artigo.html

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Dar Crédito a Quem Merece:

Dar Crédito a Quem Merece: Série de Melhores Práticas da AJE Dar Crédito a Quem Merece: Melhores Práticas de Atribuição de Autoria Michaela Panter, PhD Sobre a autora A Dra. Panter é editora da AJE desde 2008. Ela se formou na Yale

Leia mais

COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES

COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES Por que os protocolos foram criados? O comitê de publicação de ética (COPE) foi fundado em 1997 para tratar da questão

Leia mais

Desenvolvendo Capacidades de PDSA

Desenvolvendo Capacidades de PDSA Desenvolvendo Capacidades de PDSA Karen Martin Como com qualquer habilidade, desenvolver as capacidades do PDSA (planejar fazer estudar agir) tem tudo a ver com a prática. Para conquistar a disciplina

Leia mais

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Nome do autor: principais atividades acadêmicas em no máximo 3 linhas, colocar e-mail. 1. Se estudante de direito colocar apenas: Acadêmico

Leia mais

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Gerenciamento de Carreira pelo Bluesteps.com Contents: Introdução: O recrutamento de Executivos de Nível Sênior Page 1-2: O que é Retained Executive Search?

Leia mais

P2CEM. Pesquisa 2015/1. Elaboração de trabalho escrito. Profa. Dra. Zélia Soares Macedo Departamento de Física

P2CEM. Pesquisa 2015/1. Elaboração de trabalho escrito. Profa. Dra. Zélia Soares Macedo Departamento de Física P2CEM Pesquisa 2015/1 Elaboração de trabalho escrito Profa. Dra. Zélia Soares Macedo Departamento de Física Tipos de trabalho escrito: - monografia (1º semestre); - projeto (1º ou 2º semestre); - relatório

Leia mais

EN1002 Engenharia Unificada I. FORMAÇÃO DE EQUIPES Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas

EN1002 Engenharia Unificada I. FORMAÇÃO DE EQUIPES Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas EN1002 Engenharia Unificada I FORMAÇÃO DE EQUIPES Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas Conteúdo da Apresentação Formas de comunicação em Projetos de Engenharia (PE) Interpretação

Leia mais

Universidade Católica de Santos

Universidade Católica de Santos Universidade Católica de Santos Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Ciência da Computação/Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso TCC-II (2010) Trabalho Completo Este documento visa

Leia mais

Projetos de TI. Orientações. Metodologia para Trabalho de Formatura

Projetos de TI. Orientações. Metodologia para Trabalho de Formatura Orientações FATEC-Itú 1 Metodologia para Trabalho de Formatura Definição: O texto científico é um texto escrito para ser publicado num periódico especializado e tem o objetivo de comunicar os dados de

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS

REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS REGULAMENTO EDITORIAL Uma das missões do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Pernambuco (CRMV-PE)

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03.

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03. ARTIGO CIENTÍFICO Texto com autoria declarada que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados de diversas áreas do conhecimento (ABNT/NBR 6022:2003). 2.1.1 Modelo de artigo COMO

Leia mais

ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO 1. Os Arquivos Brasileiros de Cardiologia (Arq Bras Cardiol) são uma publicação mensal da Sociedade Brasileira de Cardiologia, indexada no Cumulated

Leia mais

Desafios na Publicação e na Escrita Acadêmica RESEARCH SQUARE

Desafios na Publicação e na Escrita Acadêmica RESEARCH SQUARE Desafios na Publicação e na Escrita Acadêmica RESEARCH SQUARE DESAFIOS DESAFIOS Número de publicações Qualidade das publicações Gerência de periódicos Revisão por pares DESAFIOS Número de publicações Qualidade

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS Instituto Adus Tutorial de acesso e publicação na Última atualização: 9 de agosto de 05 Conteúdo Sobre o Projeto Wiki Adus... 3 Login e Acesso... 4 Editando conteúdo... 6 Dicas Avançadas... REFÊNCIAS DE

Leia mais

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O CELLA A Flórida utiliza o CELLA (Comprehensive English Language Learning Assessment, Avaliação Abrangente do Aprendizado de Língua Inglesa)

Leia mais

Estabelecendo um Escritório de Projetos

Estabelecendo um Escritório de Projetos Estabelecendo um Escritório de Projetos Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP ricardo.vargas@macrosolutions.com.br Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP Ricardo Vargas é especialista em gerenciamento

Leia mais

MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ

MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ MOSTRA DE CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM DO DOSSIÊ Prezada Equipe, É com grande prazer que recebemos sua proposta de participação na I Mostra de Cultura, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DOS ARTIGOS. Revista Interdisciplinaridade

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DOS ARTIGOS. Revista Interdisciplinaridade NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DOS ARTIGOS Revista Interdisciplinaridade INTERDISCIPLINARIDADE é uma revista de periodicidade anual, cujo volume de cada ano será publicado em outubro e poderão ser realizadas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO DO V CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ITAJUBÁ - FEPI Período de submissão de resumos expandidos: 06/06/2014 a 22/08/2014 (até às 21

Leia mais

FACULDADE BATISTA BRASILEIRA NOME DO AUTOR TÍTULO

FACULDADE BATISTA BRASILEIRA NOME DO AUTOR TÍTULO FACULDADE BATISTA BRASILEIRA NOME DO AUTOR TÍTULO Salvador 2008 NOME DO AUTOR TÍTULO Relatório Técnico Científico de Estágio Supervisionado apresentado ao Curso de Administração, Faculdade Batista Brasileira,

Leia mais

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica :: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica José Mauricio Santos Pinheiro em 21/04/2005 Os princípios indispensáveis à redação científica podem ser resumidos em quatro pontos fundamentais: clareza,

Leia mais

Dicas para elaborar um relatório científico

Dicas para elaborar um relatório científico Dicas para elaborar um relatório científico Prof. Dr. Jean Jacques Bonvent Laboratório de Física Geral Universidade de Mogi das Cruzes A elaboração de um relatório científico é um exercício bastante importante

Leia mais

NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA ELETRÔNICA SALA DE AULA EM FOCO

NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA ELETRÔNICA SALA DE AULA EM FOCO 1 NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA ELETRÔNICA SALA DE AULA EM FOCO Sumário 1. POLÍTICA EDITORIAL... 1 1.1. FOCO E ESCOPO... 1 1.2. PÚBLICO ALVO... 2 1.3. SUBMISSÃO DOS ARTIGOS... 2 1.4. AVALIAÇÃO POR PARES...

Leia mais

Prof. Carlos Ruberto Fragoso Jr.

Prof. Carlos Ruberto Fragoso Jr. Prof. Carlos Ruberto Fragoso Jr. Essa modalidade é muito mais prática e objetiva que o modelo de dissertação tradicional Propicia uma divulgação mais prática e rápida dos resultados obtidos Maior visibilidade

Leia mais

Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial

Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial A. Introdução Declaração de Helsinque Associação Médica Mundial Princípios éticos para as pesquisas médicas em seres humanos Adotado pela 18ª Assembléia Médica Mundial Helsinque, Finlândia, junho do 1964

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Versão Preliminar Quatro artigos fundamentais Aldemar Araujo Castro

Versão Preliminar Quatro artigos fundamentais Aldemar Araujo Castro Recomendações Vancouver, resumos estruturados, recomendações CONSORT e QUOROM: quatro itens fundamentais para melhorar a qualidade de publicações na área da saúde A literatura científica estará sujeita

Leia mais

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E NED Núcleo de Estudos Dirigidos ED 2/ED Comunicação e Expressão /2012/2 Prof. Cleuber Cristiano de Sousa ATIVIDADE DISCURSIVA 2 Habilidade: ED 2: Compreender e expressar Temáticas

Leia mais

Renato Luiz Della Volpe

Renato Luiz Della Volpe Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001. Examinador do PNQ em 1997,

Leia mais

Redação Científica. Título, Resumo e Palavras-chave. Curso de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente FCM - 2012

Redação Científica. Título, Resumo e Palavras-chave. Curso de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente FCM - 2012 Redação Científica Título, Resumo e Palavras-chave Aline Santarem Ernesto Carina Caires Gazini Sobrino Luiz Carlos de Barros Ramalho Maria Isabel Ramos do Amaral Curso de Pós-Graduação em Saúde da Criança

Leia mais

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia)

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia) Repositório.UL Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia) Marta Nogueira; Cristina Domingues Universidade de Lisboa - Grupo de trabalho do Repositório.UL http://repositorio.ul.pt / repositorio@reitoria.ul.pt

Leia mais

Realização. Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil. www.fsc.org.br

Realização. Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil. www.fsc.org.br C e rtificação gr u p o em Realização Apoio Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil www.fsc.org.br 28 01 C er t ifi ca çã o emgrupo em Realização Apoio Conselho Brasileiro de Manejo Florestal

Leia mais

Conteúdo. Como ler artigos científicos... 2

Conteúdo. Como ler artigos científicos... 2 Comol era r t i gos c i ent íc os Conteúdo Como ler artigos científicos... 2 Dicas de como ler o artigo... 4 Guia de como ler um artigo:... 5 Atividade 1... 7 Etapa 1... 7 Etapa 2... 8 Etapa 3... 8 Etapa

Leia mais

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras;

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras; Introdução Tópicos Especiais em E.S.: Surveys Cleidson de Souza LABES - DI - UFPA cdesouza@ufpa.br! Um dos principais exemplos de pesquisa empírica:! Pesquisas de votos;! Pesquisas de opinião pública;!

Leia mais

Como ler um artigo científico

Como ler um artigo científico Como ler um artigo científico Baseado no texto Leitura Eficiente de Artigos Científicos Dra. Renata Fortes (USP São Carlos) (http://www.cse.ogi.edu/~dylan/efficientreading.html) Disciplina: Metodologia

Leia mais

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Sumário 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências normativas...2 3.

Leia mais

SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE

SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE Nome Completo: Lino Manuel Martins Gonçalves. Local e Data de Nascimento: Loulé - Portugal, 23 de Setembro de 1960. Estado civil: Casado Nacionalidade: Portuguesa Morada: Rua

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

INSTRUÇÕES AOS AUTORES - DIVUGAÇÃO EM SAÚDE PARA DEBATE

INSTRUÇÕES AOS AUTORES - DIVUGAÇÃO EM SAÚDE PARA DEBATE INSTRUÇÕES AOS AUTORES - DIVUGAÇÃO EM SAÚDE PARA DEBATE A revista Divulgação em Saúde para Debate é uma publicação do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes). Aceita trabalhos inéditos sob forma

Leia mais

NPG Site Licenses: nature.com: a melhor ciência do mundo no seu desktop

NPG Site Licenses: nature.com: a melhor ciência do mundo no seu desktop NPG Site Licenses: nature.com: a melhor ciência do mundo no seu desktop David Paredes Junho 2005 Índice: O Catálogo da NPG Nature e as suas revistas associadas: Research journals SérieNature Reviews SérieNature

Leia mais

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health Minneapolis - MN OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html AGENDA A CONFIRMAR* OptumLabs é o primeiro centro aberto e colaborativo de pesquisa e inovação da indústria de Healthcare. Através dos mais

Leia mais

COMO ELABORAR UM RELATÓRIO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM RELATÓRIO CIENTÍFICO COMO ELABORAR UM RELATÓRIO CIENTÍFICO 1. O que é um relatório? Um relatório de uma actividade prática, é uma exposição escrita de um determinado trabalho ou experiência laboratorial. Não é apenas uma descrição

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Etapas do Trabalho de Pesquisa Escolha do

Leia mais

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia

Normas ISO 14000. Jonas Lucio Maia Jonas Lucio Maia Agenda Origem das normas Normas ISO 14000 Similaridades GQ e GA Benefícios Críticas Bibliografia Origens das normas Quatro origens relacionadas: Padrões do Business Council for Sustainable

Leia mais

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos 1 www.tecnologiadeprojetos.com.br Instituto de Pesquisas e Inovações Educacionais www.educativa.org.br A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos (Publicação interna) Maria Elasir S.

Leia mais

DIRETRIZES E MODELO DE ARTIGO PARA O COLÓQUIO DE MODA E O CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM DESIGN E MODA

DIRETRIZES E MODELO DE ARTIGO PARA O COLÓQUIO DE MODA E O CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM DESIGN E MODA 1 º Colóquio de Moda ª Edição Internacional º Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda 201 DIRETRIZES E MODELO DE ARTIGO PARA O COLÓQUIO DE MODA E O CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

Normas de Publicação de Artigos para a Acta Urológica

Normas de Publicação de Artigos para a Acta Urológica Normas de Publicação de Artigos para a Acta Urológica A Acta Urológica Portuguesa publica artigos originais sobre todos os temas relacionados com Urologia. São também publicados artigos de revisão, casos

Leia mais

Calendário CBNA 2015 Envio de Trabalhos Científicos

Calendário CBNA 2015 Envio de Trabalhos Científicos Calendário CBNA 2015 Envio de Trabalhos Científicos Evento - Data envio do trabalho comprovação da inscrição do 1º autor resposta sobre aceitação ou recusa do trabalho Tema dos Trabalhos XIV CONGRESSO

Leia mais

Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013

Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013 Instruções para Submissão de Trabalhos ao EPETUSP 2013 O trabalho deverá ser submetido em formato PDF e não serão feitas correções após o envio. Portanto, solicitamos o máximo cuidado e atenção na elaboração

Leia mais

Tipo de apresentação:apresentação oral ou Banner(indicar qual será o tipo de apresentação)

Tipo de apresentação:apresentação oral ou Banner(indicar qual será o tipo de apresentação) NORMAS PARA TRABALHOS ESCRITOS QUE SERÃO SUBMETIDOS À XI SEMANA DE ESTUDOS ACADÊMICOS DA FAMA (TÍTULO: CENTRALIZADO, TIMES NEW ROMAN, MAIÚSCULA, NEGRITO, TAMANHO 14) Nome do orientador (Times New Roman,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 3 Planejamento e Aula 8 do Projeto Aula 08 do Projeto SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACOMPANHAMENTO DO PROJETO... 3 1. do Progresso...

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL. Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos

DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL. Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos DECLARAÇÃO DE HELSINKI DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL Princípios Éticos para Pesquisa Clínica Envolvendo Seres Humanos Adotado da 18ª Assembléia Médica Mundial Helsinki, Finlândia, Junho 1964 e emendas da

Leia mais

ACTA REUMATOLÓGICA PORTUGUESA SPR Sociedade Portuguesa de Reumatologia

ACTA REUMATOLÓGICA PORTUGUESA SPR Sociedade Portuguesa de Reumatologia ACTA REUMATOLÓGICA PORTUGUESA SPR Sociedade Portuguesa de Reumatologia Normas de publicação Objectivos e âmbito A Acta Reumatológica Portuguesa (ARP) é uma publicação científica internacional, revista

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões. ! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações. ! Primeiro Trabalho!

! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões. ! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações. ! Primeiro Trabalho! Agenda! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões Entrevistas Cleidson de Souza Departamento de Informática Universidade Federal do Pará! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações! Primeiro

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA

PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS SIA MPR/SIA-006-R01 PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA Ed. Parque Cidade Corporate, Torre A Setor Comercial

Leia mais

Objetivo do trabalho 4

Objetivo do trabalho 4 CC-226 Introdução à Análise de Padrões Prof. Carlos Henrique Q. Forster Instruções para Trabalho 4 Objetivo do trabalho 4 Relatar os resultados obtidos no trabalho 3 e estendidos na forma de escrita científica

Leia mais

PROJETO DE LIVRO ALOCAÇÃO DE ATIVOS EM PRIVATE BANKING. Ney Roberto Ottoni de Brito (Organizador)

PROJETO DE LIVRO ALOCAÇÃO DE ATIVOS EM PRIVATE BANKING. Ney Roberto Ottoni de Brito (Organizador) PROJETO DE LIVRO ALOCAÇÃO DE ATIVOS EM PRIVATE BANKING Ney Roberto Ottoni de Brito (Organizador) Julho 2005 NEY ROBERTO OTTONI DE BRITO CURSOS: Ph. D. em Finanças, Graduate School of Business, Stanford

Leia mais

Relatório de: Empresa ABC. Gerentes. Preparado por: Consultor Caliper 05/08/14

Relatório de: Empresa ABC. Gerentes. Preparado por: Consultor Caliper 05/08/14 Relatório de: Gerentes Preparado por: Consultor Caliper 05/08/14 Rua Eça de Queiroz, 1272 Ahu - Curitiba - PR - Cep: 80.540-140 Telefone: 41-3075-3400 Sobre o relatório O relatório Caliper Perfil de Equipe,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA EDITAL N 01/ 2015 PARA PUBLICAÇÃO DA FADIVA - REVISTA JURIDICA

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA EDITAL N 01/ 2015 PARA PUBLICAÇÃO DA FADIVA - REVISTA JURIDICA FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA EDITAL N 01/ 2015 PARA PUBLICAÇÃO DA FADIVA - REVISTA JURIDICA A Faculdade de Direito de Varginha através da Coordenação

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES Ao organizar um trabalho escolar é necessário que algumas normas sejam observadas pelo aluno. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) encarrega-se

Leia mais

1 Edital para submissão de materiais para o Congresso

1 Edital para submissão de materiais para o Congresso DIGICONGRESS 2014 Congresso de Comunicação e Marketing Digital 1 Edital para submissão de materiais para o Congresso 1.1 Informações gerais - O DIGICONGRESS (Congresso de Comunicação e Marketing Digital)

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

ORIENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Prof. Dr. Eduardo Braga 1 ORIENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Trabalhos acadêmicos usam 3ª pessoa do singular ou infinitivo. Em vez de: Nesta pesquisa demonstramos a importância... Use: Nesta

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE

BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE 1 REVISTA BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE Uma publicação da (SBRAFH) A () publica artigos nos idiomas Inglês, Espanhol, Português; e a partir de 2010 substituirá a Revista SBRAFH

Leia mais

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Slides criados com base no livro Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS COORDENAÇÃO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS COORDENAÇÃO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS COORDENAÇÃO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OFICINA DE PRODUÇÃO ACADÊMICA Material de apoio à construção do TCC Prezados,

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Inglês 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Continuação bienal Prova 0/2.ª Fase Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO 1. Os Arquivos Brasileiros de Cardiologia (Arq Bras Cardiol) são uma publicação mensal da Sociedade Brasileira de Cardiologia, indexada no Cumulated

Leia mais

Pesquisas Google - O Essencial

Pesquisas Google - O Essencial Pesquisas Google - O Essencial Para fazer uma consulta no Google, basta digitar algumas poucas palavras de descrição e pressionar a tecla "Enter" (ou clicar no Botão de Busca do Google) para a sua lista

Leia mais