ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECIONAL DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECIONAL DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS"

Transcrição

1 ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECIONAL DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007

2 ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - SECIONAL DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E DE 2007 CONTEÚDO Balanço Patrimonial Demonstração do Superávit do Exercício Demonstração das Mutações do Patrimônio Social Demonstração do Fluxo de Caixa Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis 2

3 BALANÇO PATRIMONIAL SOCIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em Reais) ATIVO CIRCULANTE Caixa e bancos Aplicações financeiras (Nota 4) Valores em cobrança (Nota 5) Provisão para perdas (Nota 6) ( ) ( ) Almoxarifado Despesa Antecipada Folha Contribuições Estatutárias Antecipadas Adiantamentos diversos NÃO-CIRCULANTE Adiantamentos a terceiros Impostos a recuperar Processos judiciais Cheques a recuperar Provisão para perdas ( ) ( ) Investimentos Imobilizado (Nota 7) Intangível TOT AL DO ATIVO As notas explicativas da administração são partes integrantes das demonstrações contábeis. 3

4 BALANÇO PATRIMONIAL SOCIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em Reais) PASSIVO CIRCULANTE Empréstimos Conselho Federal (Nota 9) CAASP (Nota 10) Fundo Cultural (Nota 11) FIDA (Nota 12) Contas a pagar Provisão para férias e encargos sociais Outras obrigações sociais e fiscais a recolher NÃO-CIRCULANTE Empréstimos Provisão para passivos contingentes (Nota 12) Retenções Contratuais (Nota 8) Receitas Diferidas PATRIMÔNIO SOCIAL (Nota 14) Patrimônio social líquido Déficits acumulados ( ) ( ) TOTAL DO PASSIVO As notas explicativas da administração são partes integrantes das demonstrações contábeis. 4

5 DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (Em Reais) RECEITAS RECEITAS ORDINÁRIAS Anuidades pessoas físicas Contribuições de pessoas jurídicas Inscrições Taxas e Emolumentos Multas e Atualizações monetárias de anuidades TOTAL DAS RECEITAS ORDINÁRIAS ( - ) CUSTOS DAS RECEITAS ORDINÁRIAS ( ) ( ) RECEITA ORDINÁRIA LÍQUIDA RECEITAS EXTRAORDINÁRIAS De concursos De serviços Diversas (Nota 14) Financeiras TOTAL DAS RECEITAS EXTRAORDINÁRIAS ( - ) CUSTOS DAS RECEITAS EXTRAORDINÁRIAS ( ) ( ) RECEITA EXTRAORDINÁRIA LÍQUIDA ( - ) DEDUÇÕES DAS RECEITAS (Nota 3 f) Conselho Federal ( ) ( ) CAASP ( ) ( ) Fundo Cultural ( ) ( ) FIDA ( ) - TOTAL DAS DEDUÇÕES DAS RECEITAS ( ) ( ) TOTAL DAS RECEITAS LÍQUIDAS As notas explicativas da administração são partes integrantes das demonstrações contábeis. 5

6 DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (Em Reais) DESPESAS DESPESAS ORDINÁRIAS Pessoal Encargos sociais Ocupações Utilidades e serviços Materiais Serviçõs de terceiros Alimentação Veículos próprios Viagens e locomoções Comunicação Despesas diversas Depreciação TOTAL DAS DESPESAS ORDINÁRIAS ( - ) APROPRIAÇÕES AO FUNDO CULTURAL ( ) ( ) ( - ) APROPRIAÇÕES DE CUSTOS Cobrança de anuidades pessoas físicas e jurídicas ( ) ( ) Taxas e Emolumentos - Confecção de carteirinhas ( ) ( ) Jornal do Advogado e Exame da Ordem ( ) ( ) Copiadoras - Materias ( ) ( ) Copiadoras - Locação de máquinas ( ) ( ) Notas de débito - CAASP ( ) ( ) TOTAL DAS APROPRIAÇÕES DE CUST OS ( ) ( ) RESULTADO LIQUÍDO DAS DESPESAS ORDINÁRIAS DESPESAS EXTRAORDINÁRIAS Outras despesas Financeiras SUPERÁVIT DO EXERCÍCIO As notas explicativas da administração são partes integrantes das demonstrações contábeis 6

7 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO SOCIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em Reais) Patrimônio Reserva de Deficts social Reavaliação acumulados Total Saldos em 31 de dezembro de ( ) Reavaliação do imobilizado Realização da Reserva de Reavaliação (Nota 14) ( ) Ajustes de exercícios anteriores (Nota 15) (56.573) (56.573) Superávit do exercício Saldos em 31 de dezembro de ( ) Reavaliação do imobilizado - Realização da Reserva de Reavaliação (Nota 14) ( ) Ajustes de exercícios anteriores (Nota 15) ( ) ( ) Superávit do exercício Saldos em 31 de dezembro de ( ) As notas explicativas da administração são partes integrantes das demonstrações contábeis. 7

8 DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DEDEZEMBRO (Em Reais) Geração de Caixa Resultado do Exercício Depreciações e Amortizações Necessidades de Caixa Investimentos - Imobilizado ( ) ( ) Operações - Longo Prazo ( ) ( ) (Usos)/Fontes de Giro Contas a Receber Cobrança (55.209) ( ) Anuidades 2008 ( ) - Anuidades ( ) Anuidades Anuidades Anuidades Parcelamentos Estoques (16.633) ( ) CAASP ( ) Correção Monetária (Mútuo CAASP) ( ) Conselho Federal ( ) Fundo Cultural ( ) FIDA Contas a Pagar/Outros Créditos ( ) ( ) Provisões F.Pagto. (Obrig. Fiscais/Sociais) ( ) ( ) ( ) Fluxo Líquido de Caixa Disponibilidades: Saldo Inicial Saldo Final Movimentações que não afetam o Caixa: Constituição de Reserva de Reavaliação - Imóveis Ajustes de Exercícios Anteriores Ajustes conciliações diversas ( ) (56.573) Contribuição Conselho Federal (2005/2006) ( ) - Ajuste dos saldos de depreciação As notas explicativas da Administração são partes integrantes das demonstrações contábeis 8

9 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 2007 (Em Reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Ordem dos Advogados do Brasil - OAB constituída através do artigo 17 do decreto número , de 18 de novembro de 1930, possui personalidade jurídica e forma federativa. Tem por finalidade defender a Constituição, a ordem jurídica do estado democrático de direito, os direitos humanos, a justiça e pugnar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas e promover, com exclusividade, a representação, a defesa, a seleção e a disciplina dos advogados em toda a República Federativa do Brasil. NOTA 2 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis são elaboradas de acordo com a Lei das Sociedades por Ações, considerando a continuidade das operações, estando as principais práticas contábeis descritas na Nota 3. As referidas demonstrações contábeis também são elaboradas e apresentadas de acordo com a NBC T - Normas Brasileiras de Contabilidade, número 10.19, do Conselho Federal de Contabilidade, com o Estatuto da Advocacia e da OAB, instituído através da lei 8.906, de 04 de julho de 1994, Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e da OAB e Provimentos do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. NOTA 3 - PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a) Ativos circulantes Os ativos circulantes são registrados pelos seus valores de aquisição e, quando aplicável, são ajustados aos seus valores prováveis de realização. 9

10 b) Aplicações financeiras As aplicações financeiras são registradas ao custo de aquisição, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço (imune da retenção do imposto de renda), ou valor da cota de fundo de investimento. c) Provisão para perdas A provisão para perdas é constituída com base na análise dos créditos e é considerada suficiente para cobrir eventuais perdas de realização dos valores a receber. d) Não-Circulante O realizável a longo prazo está apresentado pelo valor de custo, e a provisão para perdas está constituída em montante suficiente para cobrir eventuais perdas de realização. O Imobilizado e o Intangível estão demonstrados ao custo de aquisição, acrescido das reavaliações espontâneas realizadas nos exercícios de 2004, 2005 e 2007, conforme Nota 7 às demonstrações contábeis. A depreciação e amortização dos bens do imobilizado e intangível são calculada pelo método linear, às taxas anuais mencionadas na Nota 7, que levam em consideração a vida útil estimada dos bens. e) Passivos circulante e não-circulante Os passivos circulante e não-circulante são registrados pelos seus valores conhecidos ou calculáveis e, quando aplicável, acrescidos dos encargos e atualizações monetárias incorridos até a data do balanço. Receitas Diferidas do Passivo não-circulante são constituídas de anuidades e inscrições para o Exame de Ordem, relativas ao exercício de 2009, recebidas antecipadamente, que serão apropriadas no início do exercício social subsequente a 31 de dezembro de f) Contribuições estatutárias As contribuições estatutárias devidas ao Conselho Federal, à Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, ao Fundo Cultural e ao Fundo de Integração e Desenvolvimento Assistencial dos Advogados, são constituídas de acordo com os artigos 56 e 57 do Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil, nos termos da Lei nº /94. 10

11 Nos últimos anos, o Conselho Federal, os Conselhos Secionais e as Caixas de Assistência dos Advogados, discutiram a capacidade contributiva no que tange ao repasse das contribuições estatutárias. Por ocasião desses debates, foi determinado que os percentuais poderiam ser reduzidos, desde que as Secionais cumprissem, efetivamente, com os repasses devidos. As reduções se dariam da seguinte forma: (i) no caso da contribuição destinada ao Conselho Federal, no lugar do percentual de 15%, conforme determina o artigo 56, I, do Regulamento Geral, os repasses seriam feitos à base de 10%; (ii) no caso da contribuição destinada à Caixa de Assistência dos Advogados, no lugar do cálculo prático que resulta num percentual líquido de 27,5%, conforme artigo 57 do Regulamento Geral, os repasses passariam a ser feitos à base de 20% para as anuidades da competência de 2005 em diante. Dessa forma, a OAB SP considerou em todas as suas projeções financeiras, inclusive as orçamentárias para os exercícios de 2005, 2006, 2007 e 2008, os percentuais reduzidos supramencionados, e, em função de ter honrado com os repasses nessas condições, procedeu com os respectivos ajustes, registrando a diferença apurada com a aplicação dos percentuais reduzidos, como receitas diversas no superávit dos respectivos exercícios. Os efeitos decorrentes dessas práticas estão descritos nas Notas 9, 10 e 14. Esses acordos foram homologados, conforme os termos da Resolução nº. 02/2007 do Conselho Federal, que alterou o artigo 56 do Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil, reduzindo os percentuais das contribuições estatutárias retro mencionadas. As alterações promovidas pela referida Resolução, a partir 1º de janeiro de 2008, também reduziram o percentual da contribuição destinada ao Fundo Cultural, de 5% para 3%, além de instituírem a contribuição para o Fundo de Integração e Desenvolvimento Assistencial dos Advogados FIDA, ao percentual de 2% sobre as receitas brutas de anuidades recebidas pelas Secionais. g) Provisão para férias e encargos sociais A provisão para férias é constituída com base nos direitos adquiridos pelos empregados até 31 de dezembro de 2008 (engloba as férias vencidas e proporcionais) e inclui os encargos sociais incidentes. 11

12 h) Apuração do superávit do exercício As receitas e despesas são apropriadas segundo a sua natureza, com observância ao regime de competência. No exercício de 2004 a OAB SP alterou a prática contábil para registro das cobranças a receber com anuidades, conforme Nota 5, passando a registrar as receitas de anuidades de pessoas físicas com base naquele princípio. Tal critério foi mantido para os exercícios de 2005, 2006, 2007 e Até o exercício de 2003, as receitas eram reconhecidas com base no regime de caixa. i) Imposto de renda e contribuição social sobre o lucro O imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro não são calculados, em virtude da OAB SP gozar de imunidade tributária em relação aos seus bens, rendas e serviços, conforme disposto no artigo 150, parágrafo 2, da Constituição Federal, combinado com o parágrafo 5º do artigo 45 da Lei Federal 8.906/94, de 4 de julho de j) Reserva de reavaliação Constituída com base nas reavaliações espontâneas dos imóveis próprios da OAB SP, conforme mencionado na Nota 7 às demonstrações contábeis. NOTA 4 - APLICAÇÕES FINANCEIRAS Em 31 de dezembro, as aplicações financeiras são compostas conforme a seguir:. Fundo de investimento Certificado de Depósito Bancário Poupança Outras aplicações Total

13 NOTA 5 - VALORES EM COBRANÇA Em 31 de dezembro, os valores em cobrança são compostos conforme a seguir: Multa disciplinar Cobrança de parcelamento Cobrança de parcelamento Cobrança de parcelamento Cobrança a receber com anuidades de Cobrança a receber com anuidades de Cobrança a receber com anuidades de Cobrança a receber com anuidades de Cobrança a receber com anuidades de Cartões de crédito Anúncio jornal do advogado Outros valores a receber Total Os saldos de cobrança de parcelamentos de 2002, 2003 e 2004, se referem aos valores remanescentes das anuidades em atraso, que foram compostas em parcelamento de adesão junto aos profissionais inscritos na OAB SP. NOTA 6 - PROVISÃO PARA PERDAS Em 31 de dezembro, a provisão para perdas é composta conforme a seguir: Provisão para perdas com:. Multa disciplinar ( ) ( ). Cobrança de parcelamento 2002 ( ) ( ). Cobrança de parcelamento 2003 ( ) ( ). Cobrança de parcelamento 2004 ( ) ( ). Cobrança a receber com anuidades de 2004 ( ) ( ). Cobrança a receber com anuidades de 2005 ( ) ( ). Cobrança a receber com anuidades de 2006 ( ) ( ). Cobrança a receber com anuidades de 2007 ( ) ( ). Cobrança a receber com anuidades de 2008 ( ) - Total ( ) ( ) As provisões para perdas provocaram reduções nas contribuições estatutárias e nas receitas de anuidades dos respectivos exercícios. 13

14 Os saldos das provisões para perdas com cobrança a receber das anuidades referem-se à estimativa contábil de perda dos saldos de valores em cobrança dos referidos exercícios, conforme Nota 5. NOTA 7 - IMOBILIZADO Em 31 de dezembro, o ativo imobilizado está composto conforme a seguir: corrigido Depreciação Líquido Líquido depreciação Terrenos E difícios ( ) (i) Instalações ( ) Móveis/E quipamentos/periféricos ( ) /20 V eículos ( ) Direitos de uso de software ( ) Direito de uso de linha telefônica Marcas e patentes Imobilizado em curso Total ( ) (i) os edifícios são depreciados de acordo com a vida útil econômica estimada apontada nos laudos de reavaliação dos mesmos. No exercício de 2004, a OAB SP procedeu à reavaliação de seu edifício, situado na Praça da Sé, 385 e 389, pelo valor de R$ , e registrou uma mais valia desse imóvel no valor de R$ , a qual foi suportada por laudo de perito independente, citamos a empresa LVN Engenharia e Avaliações S/C Ltda. No exercício de 2005, a OAB SP procedeu à reavaliação do edifício, situado na Rua Sapetuba, 159, pelo valor de R$ , e registrou uma mais valia desse imóvel no valor de R$ , a qual foi suportada por laudo de perito independente, citamos a empresa BESP Consultoria de Imóveis S/C Ltda. No exercício de 2007, a OAB SP procedeu às reavaliações de diversos imóveis (edifícios e terrenos), situados no Estado de São Paulo, no valor de R$ , e registrou uma mais valia no valor total de R$ , a qual foi suportada por laudos de perito independente, citamos a empresa GPO Engenharia S/C. Dessa forma, a OAB SP realizou a reavaliação de todos os imóveis de sua propriedade, exceção feita apenas ao edifício situado na Rua Rotariano Antonio Vicente dos Reis, 159, Paraguaçu Paulista, que não foi reavaliado por ter sido adquirido por R$ em agosto de

15 Após o registro de todas as reavaliações, os imóveis da OAB SP, no total de R$ , estão compostos entre R$ de Terrenos e R$ de Edifícios. Ainda no exercício de 2007 a OAB SP deu em garantia, por meio de hipotecas, os imóveis situados na Rua Quatro de Março, nº Taubaté, e na Avenida das Flores, nº Osasco, pelos valores de R$ e de R$ , respectivamente. Essas garantias foram necessárias para obtenção de financiamentos destinados às construções de novos imóveis (casas), em No exercício de 2008, com os recursos provenientes do financiamento, a OAB SP realiza a construção de 07 (sete) novos imóveis nas cidades de Guaratinguetá, Franco da Rocha, Itapeva, Valinhos, Socorro, Mauá e Itatiba, todos, em fase de conclusão. NOTA 8 - RETENÇÕES CONTRATUAIS Os créditos diversos se referem ao saldo do Instrumento particular de Consolidação, Novação, Mútuo e Confissão de Dívida, firmado em 23 de setembro de 2003 e aditado em 03 de julho de 2008, incorporando o saldo residual de 2003 na monta de R$ ao referido Instrumento, com a Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, correspondente às contribuições estatutárias não repassadas nos anos de 2002 e 2003, corrigidas monetariamente. Não ocorreram pagamentos das parcelas vencidas em 2004 e 2005, respectivamente, procedimento este negociado entre as Diretorias das Entidades. No entanto, no final do exercício de 2006, foram feitos pagamentos de valores referentes a esse mútuo, no total de R$ , de R$ em 2007 e no curso do exercício de 2008, foram pagos mais R$ Até junho de 2008, o Contrato Mútuo era corrigido mensalmente pelos índices inflacionários: IPC-FIPE, IGPM/FGV ou INPC/IBGE, entre esses, o de menor variação. A partir de julho/2008, através do aditamento deste instrumento, passou a ser praticado para fins de atualização monetária o IPC-FIPE. Em 31 de dezembro, as retenções contratuais estão compostas conforme a seguir: CAASP mútuo 2002 e Atualização monetária Outros Total A atual Diretoria vem honrando com os repasses das contribuições devidas relativas aos exercícios de sua gestão. 15

16 NOTA 9 - CONSELHO FEDERAL Em 31 de dezembro, o valor provisionado, a pagar, ao Conselho Federal é composto conforme a seguir: Provisões do Conselho Federal referentes às cobranças:. A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de Do exercício de Do exercício de 2005 e Do exercício de Do exercício de Outros Total O saldo residual da contribuição devida do exercício de 2008 (R$ ) será quitado no início de As provisões das contribuições estatutárias para o Conselho Federal, foram constituídas de acordo com o descrito na Nota 3f, tomando como base, respectivamente, os saldos de valores de cobranças a receber descritos na Nota 5 e suas provisões para perdas a eles correspondentes, conforme Nota 6. O montante de R$ (R$ R$ ), se refere ao resíduo da Contribuição Estatutária do exercício de 2003, que será convertido em auxilio financeiro por parte do Conselho Federal. Este pedido foi efetuado pela OAB SP ao Conselho Federal, no exercício de O montante de R$ , se refere ao resíduo sobre os custos de cobrança dos exercícios de 2005 e A quitação deste saldo vem sendo pago em parcelas (12x) conforme acordo com o Conselho Federal celebrado em No exercício de 2008, em acordo assinado pelo Conselho Federal foi constituída assistência financeira, no montante de R$ , decorrente do auxilio financeiro para aquisição da nova sede do Conselho Secional, representada por desconto de 30% do valor do repasse das contribuições estatutárias mensais devida. O valor acima descrito foi reconhecido como receita diversa no superávit de 2008, conforme Nota

17 NOTA 10 - CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO - CAASP Em 31 de dezembro, o valor provisionado, a pagar, para a CAASP é composto conforme a seguir: Provisões da CAASP referente às cobranças:. A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de Do exercício de Do exercício de Do exercício de Do exercício de Total O saldo residual da contribuição devida do exercício de 2008 (R$ ) será quitado no início de As provisões das contribuições estatutárias para o CAASP, no exercício de 2008, foram constituídas de acordo com o descrito na Nota 3f, tomando como base, respectivamente, os saldos de valores de cobranças a receber descritos na Nota 5 e suas provisões para perdas a eles correspondentes, conforme Nota 6. O montante de R$ , se refere à diferença de estimativa de cálculos de repasses, correspondente ao período de agosto a dezembro de 2003, inserido no Instrumento particular de Consolidação, Novação, Mútuo e Confissão de Dívida, firmado em 23 de setembro de 2003 e aditado em 03 de julho de 2008, com a Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, conforme Nota 8. NOTA 11 - FUNDO CULTURAL Em 31 de dezembro, o valor provisionado para o Fundo Cultural é composto conforme a seguir: Provisões ao Fundo Cultural, referente às cobranças:. A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de Total

18 As provisões das contribuições estatutárias para o Fundo Cultural, no exercício de 2008, foram constituídas de acordo com o descrito na Nota 3f, tomando como base, respectivamente, os saldos de valores de cobranças a receber descritos na Nota 5 e suas provisões para perdas a eles correspondentes, conforme Nota 6. NOTA 12 - FUNDO DE INTEGRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ASSISTENCIAL DOS ADVOGADOS -FIDA Em 31 de dezembro, o valor provisionado para o Fundo de Integração e Desenvolvimento Assistencial dos Advogados é composto conforme a seguir: Provisões ao FIDA, referente às cobranças:. A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de A receber com anuidades de Do exercício de Total O saldo residual da contribuição devida do exercício de 2008 (R$ ) será quitado no início de As provisões das contribuições estatutárias para o FIDA, no exercício de 2008, foram constituídas de acordo com o descrito na Nota 3f, tomando como base, respectivamente, os saldos de valores de cobranças a receber descritos na Nota 5 e suas provisões para perdas a eles correspondentes, conforme Nota 6. NOTA 13 - PROVISÃO PARA PASSIVOS CONTINGENTES A provisão para passivos contingentes, prática adotada desde o exercício de 2004, é decorrente de ações judiciais, cíveis e trabalhistas, e foram constituídas com base na opinião dos assessores jurídicos da OAB SP em montante suficiente para absorver perdas decorrentes de desfecho desfavorável. Em 31 de dezembro, o valor registrado para passivos contingentes é composto conforme segue: Processos cíveis Processos trabalhistas Total

19 NOTA 14 - RECEITAS DIVERSAS Em 31 de dezembro, o valor registrado como receitas diversas é composto conforme segue: Assistência Financeira Conselho Federal (Nota 9) Assistência Financeira CAASP Redução das Provisões de Contribuições CAASP Redução das Provisões de Contribuições CF Anúncios publicados no jornal do advogado Patrocínios Diversos Recuperação de Despesas Outros Total NOTA 15 - PATRIMÔNIO SOCIAL O patrimônio social em 31 de dezembro de 2008, de R$ (R$ em 2007), é composto por superávit dos exercícios, déficits acumulados e ajustes de exercícios anteriores, apurados nos últimos exercícios sociais, conforme demonstrado no quadro das Mutações do Patrimônio Social. A realização da reserva de reavaliação dos imóveis da Entidade, conforme Nota 7, refletiram, expressivamente, no aumento do Patrimônio Social da OAB-SP, com a constituição de Reservas de Reavaliação, nos montantes de R$ , R$ e R$ , respectivamente correspondentes aos exercícios sociais findos em 2007, 2005 e A realização da reserva de reavaliação dos ativos retro-mencionados, por depreciação, no decorrer dos exercícios sociais de 2008 e 2007, produziu a seguinte redução dos Déficits acumulados: Depreciação A redução de R$ nos déficits acumulados ocorrida nos exercícios de 2007 e 2008, (R$ , em 2007), foi resultado de várias ações de gestão, como a cobrança de anuidades vencidas, a redução das cotas estatutárias junto ao Conselho Federal e junto a CAASP, ampliação de serviços, como a implantação das Intimações Online, disponível aos inscritos adimplentes. 19

20 As despesas ordinárias líquidas do exercício de 2008 tiveram um acréscimo de R$ (11,18%) superior ao exercício de 2007, ao passo que as receitas líquidas do exercício de 2008 tiveram um acréscimo de R$ (7,58%) superior ao exercício de 2007 (12,17% em 2007/2006). NOTA 16 - AJUSTES DE EXERCÍCIOS ANTERIORES No exercício de 2008 se referem a ajustes oriundos de pequenas inconsistências apuradas após o encerramento do exercício de No exercício de 2008 são representados, basicamente, pelo repasse da Contribuição sobre custos dos exercícios de 2005 e 2006, devido ao indeferimento do pedido de reversão dos custos em auxilio financeiro. Este valor vem sendo honrado por esta OAB SP, conforme acordo com o Conselho Federal Nota 9. Foram ajustadas, também, pequenas inconsistências apuradas após o encerramento do exercício de Em 31 de dezembro, o valor dos ajustes de exercícios anteriores é composto conforme a seguir: Contribuição Conselho Federal (2005/2006) ( ) - Ajuste dos saldos de depreciação - - Outros ajustes relativos a conciliações diversas ( ) (56.573) Total ( ) (56.573) NOTA 17 - COBERTURA DE SEGUROS É política da administração manter cobertura de seguro para os bens do ativo imobilizado, por montantes considerado suficientes para cobrir eventuais sinistros, com base em informações de consultores especializados. Luiz Flávio Borges D Urso Presidente Márcia Regina Machado Melaré Vice-Presidente Arnor Gomes da Silva Júnior Secretário - Geral José Maria Dias Neto Secretário Geral Adjunto Marcos da Costa Luiz Carlos Camargo Duarte Tesoureiro Contador CRC 01SP

CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (valores em milhares de reais) 01 Contexto Operacional

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM

Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM Demonstrações Financeiras Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2015 (Em Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2015 (Em Reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2015 (Em Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, Autarquia Federal nos termos da

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

2.1 Apresentação e elaboração das Demonstrações Contábeis

2.1 Apresentação e elaboração das Demonstrações Contábeis NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO 1. Contexto Operacional O Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso, criado pelo Decreto-Lei nº 9.295, publicado no Diário Oficial

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 ATIVO 31/12/2010 31/12/2009 PASSIVO 31/12/2010 31/12/2009 CIRCULANTE 2.067.853,08 1.156.034,03 CIRCULANTE 1.444.697,99 375.899,34 DISPONIBILIDADES 1.284.699,22

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais

GAIDAS & SILVA AUDITORES INDEPENDENTES

GAIDAS & SILVA AUDITORES INDEPENDENTES RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores do GRÊMIO RECREATIVO BARUERI Examinamos as demonstrações contábeis do GRÊMIO RECREATIVO BARUERI, que compreendem

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE 2012

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE 2012 NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES 1. BREVE HISTÓRICO DO CLUBE CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE 2012 O Esporte Clube Vitória, fundado na cidade do Salvador, onde tem foro e sede,

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e Mantenedores da FUNDAÇÃO PRÓ RIM JOINVILLE SC Examinamos as demonstrações financeiras da Fundação Pró Rim, que compreendem

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 48.622 31.823 Disponibilidades 684 478 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 24.600 15.766 Operações de Crédito 6 22.641 15.395 Outros

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 SUR - REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Nota Nota ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes

Leia mais

INSTITUTO SÃO PAULO CONTRA A VIOLÊNCIA. Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2012 e 2011

INSTITUTO SÃO PAULO CONTRA A VIOLÊNCIA. Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 INSTITUTO SÃO PAULO CONTRA A VIOLÊNCIA Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 JSL/TMF/AB/APM 1294/13 Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2004 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 03 de fevereiro

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

DR - Empresa de Distribuição e Recepção de TV Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Setembro de 2009 para fins de

DR - Empresa de Distribuição e Recepção de TV Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Setembro de 2009 para fins de Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Setembro de 2009 1. Globalconsulting Assessoria Contábil Ltda., empresa devidamente inscrita no Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 15 Rendimentos a distribuir 412 366 Aplicações financeiras de renda fixa 28 8

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. - CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 39.466 27.437 Disponibilidades 221 196 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 27.920 18.274 Operações de Crédito 6 11.138

Leia mais

Fundação Amazonas Sustentável Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes

Fundação Amazonas Sustentável Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2008 Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio social Circulante

Leia mais

Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis MAA/MFD/YTV 2547/15 Demonstrações contábeis Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis Balanços patrimoniais

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. ÍNDICE 1. Relatório dos Auditores Independentes 03

Leia mais

PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA. Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis. Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011

PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA. Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis. Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011 PAULISTA FUTEBOL CLUBE LTDA Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Em 31 de dezembro de 2011 AudiBanco - Auditores independentes SS Rua: Flores da

Leia mais

Esc 90 Telecomunicações Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Junho de 2010 para fins de incorporação

Esc 90 Telecomunicações Ltda. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Junho de 2010 para fins de incorporação Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil em 30 de Junho de 2010 1. Globalconsulting Assessoria Contábil Ltda., empresa devidamente inscrita no Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo sob

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil) COOPERATIVA CENTRAL DE CRÉDITO URBANO - CECRED CNPJ: 05.463.212/0001-29 Rua Frei Estanislau Schaette, 1201 - B. Água Verde - Blumenau/SC NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil)

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 Explicativas CIRCULANTE 4.414 Disponibilidades 26 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 2.566 Operações de Crédito 5 1.800 Outros Créditos

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 1. CONTEXTO OPERACIONAL O, criado pelo Decreto-Lei nº 9.295/46 publicado no Diário Oficial da União em 28/05/1946, com alterações

Leia mais

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional

a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional a) Notas explicativas às demonstrações contábeis 1 Constituição, objetivo social e contexto operacional O Conselho Regional de Administração de São Paulo, vinculado ao Conselho Federal de Administração,

Leia mais

Companhia Brasileira de Alumínio. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes

Companhia Brasileira de Alumínio. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e Parecer dos Auditores Independentes 24 de março de 2003 Companhia Brasileira de Alumínio Parecer dos Auditores Independentes 24 de março

Leia mais

Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini

Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte

Leia mais

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Índice Relatório dos auditores independentes sobre as

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08)

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Aprova a Orientação OCPC - 01 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata de Entidades de Incorporação Imobiliária. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

INSTITUTO RIO - PONTE PARA O INVESTIMENTO SOCIAL

INSTITUTO RIO - PONTE PARA O INVESTIMENTO SOCIAL INSTITUTO RIO - PONTE PARA O INVESTIMENTO SOCIAL DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 E RELATÓRIO DE REVISÃO DOS AUDITORES INDEPENDENTES INSTITUTO RIO

Leia mais

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397 BANCO CENTRAL DO BRASIL FUNDO DE GARANTIA DOS DEPÓSITOS E LETRAS IMOBILIÁRIAS - FGDLI BALANÇO PATRIMONIAL DE ENCERRAMENTO - EM 29 DE ABRIL DE 2005 A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil

Ordem dos Advogados do Brasil EXCELENTÍSSIMOS SENHORES: PRESIDENTE, DIRETORES E MEMBROS DO EGRÉGIO CONSELHO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECÇÃO DE SÃO PAULO. Para os devidos fins, apresentamos as Demonstrações Contábeis referentes

Leia mais

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

Ref.: Demonstrações Contábeis de 2013

Ref.: Demonstrações Contábeis de 2013 Ao Morro do Chapéu Golfe Clube Belo Horizonte, 28 de fevereiro de 2014. Ref.: Demonstrações Contábeis de 2013 Anexamos às seguintes demonstrações: 1. Balanço Patrimonial: apresenta a situação patrimonial

Leia mais

Avaí Futebol Clube Fundado em 1º de Setembro de 1923

Avaí Futebol Clube Fundado em 1º de Setembro de 1923 AVAÍ FUTEBOL CLUBE Balanços Patrimoniais Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Em Reais) 31.12.2012 31.12.2011 ATIVO CIRCULANTE 5.329.334,04 2.054.062,38 Disponibilidades 151.877,42 115.555,45.

Leia mais

Notas explicativas às Informações Financeiras Trimestrais em 30 de setembro de 2002 Em milhares de reais

Notas explicativas às Informações Financeiras Trimestrais em 30 de setembro de 2002 Em milhares de reais 1 Apresentação das Informações Trimestrais - IFT Apresentadas conforme norma do Banco Central do Brasil BACEN. 2 Práticas contábeis As Informações Financeiras Trimestrais - IFT s são de responsabilidade

Leia mais

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010.

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. À Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Membros do Ministério Público de São Paulo PROMOCRED. Diretoria-Executiva São Paulo SP Assunto: Auditoria

Leia mais

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS

SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 SUR REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CONTEÚDO

Leia mais

Demonstrativos Contábeis OCB/RJ

Demonstrativos Contábeis OCB/RJ Demonstrativos Contábeis OCB/RJ Balanço Patrimonial (em R$) ATIVO Circulante Caixa Bancos Creditos a Receber Adiantamento a Terceiros Não Circulante Comodatos Investimentos Imóveis 10.887,19 738,37 3.548,82

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS NO GELO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS NO GELO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS NO GELO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 e 2014 13 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores da Confederação

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária Índice Objetivo e alcance 1 Formação do custo do imóvel, objeto da incorporação imobiliária 2-9 Despesa

Leia mais

Parecer da Auditoria - Primeiro semestre 2001

Parecer da Auditoria - Primeiro semestre 2001 Parecer da Auditoria - Primeiro semestre 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2001 E DE 2000 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES * REPRODUZ DOCUMENTO DA

Leia mais

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Honda 1 Conteúdo Relatório dos auditores independentes

Leia mais

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE SOFTEXRECIFE CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE DO RECIFE RELATÓRIO SOBRE O EXAME DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO SOCIAL FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011.

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Instituição Comunitária de Crédito de Londrina Casa do Empreendedor, em operação desde 18/11/1997, é uma

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.)

FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.) FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2006 (Em milhares de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Atenção: Esta folha deverá acompanhar o trabalho e não deverá ser destacada do mesmo. Controle do DPT-RJ/WORD/EXCEL 97 Dados do trabalho

Atenção: Esta folha deverá acompanhar o trabalho e não deverá ser destacada do mesmo. Controle do DPT-RJ/WORD/EXCEL 97 Dados do trabalho Atenção: Esta folha deverá acompanhar o trabalho e não deverá ser destacada do mesmo Controle do DPT-RJ/WORD/EXCEL 97 Dados do trabalho Cliente - NTE-Nordeste Transmissora de Energia S.A. CÓDIGO - 02012697/0001

Leia mais

CETIP - Câmara de Custódia e Liquidação. Laudo de avaliação. Em 31 de março de 2008

CETIP - Câmara de Custódia e Liquidação. Laudo de avaliação. Em 31 de março de 2008 CETIP - Câmara de Custódia e Liquidação Laudo de avaliação Em 31 de março de 2008 KPMG Auditores Independentes Av. Almirante Barroso, 52-4º 20031-000 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil Caixa Postal 2888 20001-970

Leia mais

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SANTO AMARO

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SANTO AMARO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SANTO AMARO CNPJ/MF: 57.038.952/0001-11 Demonstrações financeiras consolidadas correspondentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Conteúdo: Páginas: Relatório

Leia mais

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO CIRCULANTE Notas 6.637.617 7.393.842 Disponibilidades 1.048.777 742.707 Créditos a receber de clientes 4.1 1.832.535 2.646.556 Créditos a receber - outros

Leia mais

Embratel Participações S.A.

Embratel Participações S.A. Embratel Participações S.A. Laudo de avaliação de acervo líquido formado por determinados ativos e passivos apurados por meio dos livros contábeis para efeito de cisão Em 30 de setembro de 2014 Índice

Leia mais

TKL SERVIÇOS CONTÁBEIS LTDA. Contabilidade. Auditoria. Consultoria. Perícia Contábil

TKL SERVIÇOS CONTÁBEIS LTDA. Contabilidade. Auditoria. Consultoria. Perícia Contábil MISSÃO RAMACRISNA Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis Exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Missão Ramacrisna é uma associação, sem fins lucrativos e de caráter

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Safra Petrobras - Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de (Administrado pelo Banco Safra de Investimento S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2007 e ao Período

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

Leia mais

Instituto Odeon - Filial Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório de revisão dos auditores independentes

Instituto Odeon - Filial Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório de revisão dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de e relatório de revisão dos auditores independentes Relatório de revisão dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores

Leia mais

UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223

UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223 UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Cumprindo determinações legais

Leia mais

RELATÓRIO FINANCEIRO

RELATÓRIO FINANCEIRO RELATÓRIO FINANCEIRO 2013 Demonstrações Financeiras Confederação Brasileira de Judô 31 de dezembro de 2013 Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

AMÉRICAS AMIGAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES

AMÉRICAS AMIGAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES AMÉRICAS AMIGAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES AMERICAS AMIGAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 CONTEÚDO Relatório dos auditores

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I

GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I BALANÇO PATRIMONIAL 2 CONCEITO É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, o Patrimônio e o Patrimônio Líquido

Leia mais

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes

Agência Estado Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO BASE DE 2011 ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS EMPREGADOS DA COPASA COPASS SAÚDE

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA REGIÃO DE JOINVILLE FURJ NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ENCERRADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 (Em Reais) NOTA 1 - INFORMAÇÕES GERAIS A Fundação

Leia mais

a) O resultado é apurado segundo o regime de competência e inclui:

a) O resultado é apurado segundo o regime de competência e inclui: 1 - A INSTITUIÇÃO E SUAS OPERAÇÕES. A ASSOCIAÇÃO DE POUPANÇA E EMPRÉSTIMO POUPEX, organizada sob a forma de sociedade civil, de acordo com as Leis nº. 6.855, de 18.11.1980, e 7.750, de 13.04.1989, e demais

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil)

NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil) 1. CONTEXTO OPERACIONAL NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERÍODO 01/01/2011 a 31/12/2011 (Em Reais, Mil) O Instituto Nordeste Cidadania é uma organização sem finalidade lucrativa, considerada

Leia mais

8.2. Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2013 e 2012

8.2. Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 EletrosSaúde ELETROS 8.2. Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 (Em milhares de reais) 8.2.1. Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31/12/2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31/12/2014 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ENCERRADAS EM 31/12/2014 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Psicologia 7ª Região CRPRS, criado pela Lei 5.766/71, constitui uma Autarquia Federal

Leia mais

Balanço Patrimonial e Notas Explicativas 2014 Sicredi Rio. Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Médicos do Rio de Janeiro - Sicredi Rio

Balanço Patrimonial e Notas Explicativas 2014 Sicredi Rio. Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Médicos do Rio de Janeiro - Sicredi Rio Balanço Patrimonial e Notas Explicativas 2014 Sicredi Rio Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Médicos do Rio de Janeiro - Sicredi Rio BALANÇO PATRIMONIAL EM 31/12/2014 (Em milhares de Reais) Cooperativa

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23 COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO ALIANÇA COOPERNITRO C.N.P.J. n.º 52.935.442/0001-23 ATIVO BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em Milhares de Reais) CIRCULANTE 2.239 2.629 DISPONIBILIDADES

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12 Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com fundamento no disposto na

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 3 DE DEZEMBRO DE 204 NOTA 0 CONTEXTO OPERACIONAL A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados do Sul do Estado de Santa Catarina Sicredi Sul

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 Fevereiro/2012 1 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos

Leia mais

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes 18

Leia mais

SOCIEDADE DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FISSURADO LÁBIO- PALATAL - PROFIS

SOCIEDADE DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FISSURADO LÁBIO- PALATAL - PROFIS 1 Lins (SP), 16 de Março de 2012 À SOCIEDADE DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FISSURADO LÁBIO- PALATAL - PROFIS Rua Silvio Marchione 3-55 Bauru SP. Ilmo.Sr. Diretor - Presidente Encaminhamos em anexo, o Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 (Em milhares de reais) NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A - SANASA é uma sociedade

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

LMPG Auditores e Consultores

LMPG Auditores e Consultores LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA FINS DE SUPORTAR PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL GALVÃO ENGENHARIA S.A. Em 29 de maio de 2015 MAIO DE 2015 Rua México, nº 11 13º andar Rio de Janeiro RJ Brasil

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais