GESTÃO DE SISTEMAS E REDES SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL (SNMP)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE SISTEMAS E REDES SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL (SNMP)"

Transcrição

1 GESTÃO DE SISTEMAS E REDES SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL (SNMP)

2 OUTLINE SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO PROTOCOLO SNMPV1 SNMPV2 SNMPV3 SNMP NO IOS SNMP NO PACKET TRACER

3 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL O SNMP é um protocol desenhado não para fornecer aplicações aos utilizadores sobre a Internet tal como o SMTP, FTP, HTTP, etc.. mas sim para gerir todos os equipamentos de rede e protocolos que compõem a Internet. A Internet é composta por um vasto leque de equipamentos, entre os quais, bridges, routers de subredes, gateways de acesso, routers/gateways internos, ligações e subsistemas de comunicação, entre outros. Claramente, em qualquer ambiente de rede, se uma falha ocorre e o serviço é interrompido, os utilizadores vão esperar que a falha seja recuperada e que o serviço seja reposto o quanto antes. A este processo denomina- se fault management. (gestão de falhas)

4 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL Do mesmo modo, se a performance da rede por exemplo, o tempo de resposta ou throughput começa a deteriorar- se devido ao aumento de tráfego em determinados troços da rede, os utilizadores vão esperar que esse problema seja detectado e que equipamento adicional seja incluído nesses pontos para aliviar a carga existente. Este é um exemplo de performance management (gestão de performance). Para além disso, todos os protocolos associados ao TCP/IP têm parâmetros operacionais associados, tais como parâmetros TTL associados com o IP e tempos de retransmissão associados com o TCP. Sempre que a rede se expande, tais parâmetros devem ser atualizados ainda enquanto a rede está operacional. Este tipo de operação denomina- se de layer management (gestão de camada). Outros incluem ainda name management, security management e accounting management.

5 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL Relacionado com cada elemento gerível um protocolo, um router, uma bridge, etc... existe um conjunto de informação relacionada com a própria gestão. Esse conjunto incluí variáveis conhecidas como managed objects que podem ser tanto lidos como escritos pelo gestor da rede, através da mesmas. Estes sistemas incluem ainda um conjunto de relatórios de falhas (fault reports) que são enviados por um elemento gerível sempre que ocorre uma falha. No caso do IP, por exemplo, uma variável de leitura pode estar relacionada com o número de datagramas/pacotes descartados quando o TTL expirou, enquanto que uma variável de escrita pode ser o próprio TTL.

6 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL O SNMP é assim um protocolo aplicacional que requer o uso de uma plataforma de comunicação standard que permita que mensagens associadas (PDUs) sejam transferidas concorrentemente com as mensagens relacionadas com os serviços dos utilizadores. Para permitir tal concorrência, o SNMP utiliza os mesmos protocolos TCP/IP que as aplicações dos utilizadores. A figura do próximo slide demonstra o esquema.

7 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL

8 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL O papel do SNMP é permitir que o processo de gestão (manager process) na estação de gestão (manager station) troque mensagens relacionadas com a gestão com os vários processos de gestão referidos como management agents em execução nos vários elementos geríveis (hosts, routers, etc...). O processo de gestão destes elementos é escrito para executar as funções de gestão definidas para aquele elemento. A informação de gestão, associada a uma rede/internet é mantida na estação de gestão da rede (network management station) numa management information base (MIB).

9 SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL Um gestor de rede é equipado com um conjunto de serviços para: questionar a informação contida na MIB, iniciar a entrada e coleção de informação adicional, iniciar modificações à configuração da rede, Claramente, a estação de gestão é o nervo central de toda a rede e, como tal, são nesta implementados fortes mecanismos de segurança e autenticação. Geralmente, existem diferentes níveis de autoridade dependendo da operação a realizar. Em grandes redes como a Internet, múltiplas estações de gestão são utilizadas, onde cada uma é responsável por uma parte da Internet. Exemplos incluem cada rede de acesso a campus/empresas, cada rede regional/nacional, a rede de backbone, etc...

10 OUTLINE SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO PROTOCOLO SNMPV1 SNMPV2 SNMPV3 SNMP NO IOS SNMP NO PACKET TRACER

11 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO O software de gestão existente em cada elemento da rede mantem um conjunto de variáveis objetos geríveis que estão acessíveis pelo processo de gestão da rede utilizando SNMP. Nalgumas instâncias a variável pode apenas ser lida, enquanto noutras pode ser escrita. A MIB contem um conjunto similar de variáveis, refletindo cada um o valor/estado corrente da mesma variável no elemento gerível.

12 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Claramente, numa rede de larga escala, os equipamentos geríveis podem provir de diferentes vendedores, cada um com uma arquitetura distinta. Assim, uma vez que toda a informação de gestão relacionada com cada equipamento é para ser processada por um único processo de gestão, é essencial garantir que a informação de gestão processada tem o mesmo significado na estação de gestão e na máquina onde foi gerada. Arquiteturas distintas podem refletir dados opostos. (ex: big ending, little ending, etc...) Uma forma de alcançar tal homogeneidade é definir um tipo de dados fixo para os objetos geridos. Um exemplo, é a norma ASN.1, globalmente utilizada.

13 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO A atual versão da MIB para a Internet é a MIB- II e é definida no RFC Os tipos de dados de todas as variáveis na MIB são um subconjunto dos tipos ASN.1, nomeadamente:

14 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO O campo OBJECT IDENTIFIER é utilizado para identificar um objeto gerível, no contexto de uma nomenclatura em árvore internacional.

15 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Como podemos observar, cada ramo da árvore é identificado por um nome e um número. Um nó especifico é depois identificado pela label e pelo número ou simplesmente pelo número, a começar pela root. Deste modo, todos os objetos geríveis, no âmbito da Internet, são unicamente identificados na MIB. Todos esses objetos começam então por: iso(1)org(3)dod(6)internet(1)mgmt(2)mib- 2(1)... Ou, mais comum:

16 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Cada equipamento gerível e os vários objetos geríveis associados a este, são definidos utilizando a árvore de nomes de objetos apresentada anteriormente. O grupo system(1) contém um número de variáveis, entre as quais: o nome do equipamento o fabricante do equipamento o hardware e o software incluído o nome de domínio a localização na internet. Cada objeto gerível pode ser definido tanto como uma entidade individual ou como membro de um grande grupo de objetos relacionados. Grupos de objetos relacionados podem ainda ser agrupados em módulos.

17 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Cada definição de um objeto gerível é apresentada na forma de uma macro com um mínimo de quatro parâmetros definidos. Um exemplo de objeto...

18 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Como se pode verificar, o nome do objeto precede a palavra reservada OBJECT TYPE. Os significados dos quatro parâmetros são: SYNTAX define o tipo de dados do objeto; MAX- ACCESS define se a variável é read- only ou read- write; STATUS indica se a variável está ativa ou obsoleta; DESCRIPTION uma string que descreve para que é usado o objeto.

19 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Quando um número de grupos é definido como um módulo, o mesmo é definido utilizando uma macro que começa com MODULE- IDENTITY. Os parâmetros incluem o nome e o endereço de quem implementou o módulo e o seu histórico de revisões. Esses parâmetros são seguidos por um OBJECT- IDENTITY que identifica onde o módulo está localizado na árvore de objetos, seguido de uma lista de macros OBJECT TYPE.

20 ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO Como mencionado anteriormente, cada elemento da MIB é unicamente identificado e alguns exemplos do groupo ip são mostrados de seguida. Como podemos observar, um objeto pode ser apenas uma simples variável com um simples valor. Atenção que objetos na cauda, mas que não no último nível, levam o sufixo.0, seguindo a nomenclatura do SNMP na Internet.

21 OUTLINE SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO PROTOCOLO SNMPV1 SNMPV2 SNMPV3 SNMP NO IOS SNMP NO PACKET TRACER

22 PROTOCOLO Como podemos deduzir pela secção anterior, a gestão de um item de um elemento gerível (host, router, etc..) envolve o processo de gestão a ler o atual valor de um conjunto de variáveis (objetos geríveis) geridas por um agente e ainda a transmissão de valores a esse mesmo agente para o processo inverso, ou seja, a escrita. O processo envolve ainda a recepção de relatórios de faltas enviado pelo agente do equipamento onde estes ocorrem. Para implementar essas funcionalidades, foi definido um protocolo request- response, suportado pelo SNMP e ainda um comando separado para mensagem de reporte de falhas.

23 PROTOCOLO Cada mensagem SNMP é transferida via Internet como uma entidade separada (datagrama), utilizando UDP. O porto de envio de pedidos SNMP é o 161, enquanto que o porto 162 é utilizado na estação de gestão para a recepção. Como se pode deduzir, a utilização de UDP não oferece quaisquer garantias de entrega. Assim, sempre que necessário, é incluindo um temporizador que despoleta o envio sempre que uma resposta não é obtida.

24 PROTOCOLO SNMPV1 As cinco mensagens do SNMPv1 são as seguintes: Get- request - é utilizado pelo gestor para obter os valores atuais de uma ou mais variáveis de um agente. Get- response é a resposta do agente ao get- request. O nome/identidade de cada variável está na sua forma numérica, enquanto que os valores codificados com ASN.1. Get- next- request é utilizado pelo manager para obter a próxima variável localizada na árvore de nomes da MIB. A resposta segue num Get- response. Set- request é utilizado pelo manager para escrever um determinado conjunto de valores nas variáveis correspondentes. Trap é utilizado pelo agente para notificar o manager de um evento previamente ocorrido. O tipo de evento é identificado no cabeçalho, bem como o valor e o timestamp da ocorrência.

25 PROTOCOLO SNMPV1

26 PROTOCOLO SNMPV1

27 PROTOCOLO SNMPV2 O SNMP tem evoluído, surgindo a v2 e v3. Na versão 2 (RFC 1441) surgiu uma nova mensagem Get- bulk- request. Esta mensagem foi adicionada para permitir obter grandes tabelas com maior eficiência. Na mesma versão foi ainda adicionada uma nova mensagem Inform- request, que permite a troca de informação entre managers. Com base na mensagem anterior foi adicionada uma segunda MIB para gerir as variáveis associadas com a comunicação manager- to- manager. Adiciona ainda a encriptação da password enviada na versão 1, no campo community, em clear text.

28 PROTOCOLO SNMPV3 Na versão v3, não são adicionadas novas funcionalidades ou mensagens. No entanto é reforçada a componente de segurança, nomeadamente em termos de encriptação e autenticação de utilizadores. O SNMPv3 adiciona o módulo User- based Security Model (USM) para incrementar a segurança das mensagens, Adiciona ainda o View- based Access Control Model (VACM) para controlo de acesso. A arquitetura do SNMPv3 suporta o uso concorrente de diferentes modelos de segurança, controlo de acesso e processamento de mensagens.

29 PROTOCOLO SNMPV3 O v3 adiciona ainda a capacidade para configurar dinamicamente um agente SNMP utilizando o SNMP SET nos objetos da MIB desse mesmo agente. O SNMPv3 fornece segurança no acesso aos dispositivos utilizando autenticação e encriptação dos pacotes sobre a rede. O SNMPv3 é um standard interoperável definido nos RFCs 3413 e As características de segurança fornecidas pelo SNMPv3 são: Integridade das mensagens Garante que um pacote não foi alterado. Autenticação Determina que a mensagem é de uma fonte válida. Encriptação Baralha o conteúdo de um pacote para prevenir que o mesmo seja visualizado por fontes não autorizadas.

30 PROTOCOLO O SNMPv3 é assim um modelo de segurança no qual uma estratégia de autenticação é atribuída a um utilizador e ao grupo no qual reside. Um nível de segurança é o nível permitido de segurança num determinado modelo de segurança. A combinação de um modelo de segurança com um nível de segurança determina qual o mecanismo de segurança utilizado no manuseamento dos pacotes SNMP. SNMPV3

31 PROTOCOLO SNMPV3 A tabela seguinte resume a combinação entre os modelos e níveis de segurança do SNMPv3 Nível Autenticação Encriptação O que acontece noauthnopriv Username No Utiliza um username para garantir autenticação authnopriv MD5 ou SHA No Fornece autenticação com base numa hash authpriv MD5 ou SHA DES Fornece autenticação e encriptação.

32 PROTOCOLO SNMPV3 Com base nos nível de segurança anteriores, podem surgir uma série de erros, se o as mensagens SNMP recebidas apresentarem níveis diferentes. Nível Nível de Erro RFC 3414 Erro da CISCO configurado segurança do pacote recebido noauthnopriv noauthnopriv sem erros sem erros authnopriv unsupportedsecuritylevel unknownusername authpriv unsupportedsecuritylevel unknownusername

33 (Continuação da tabela anterior) PROTOCOLO SNMPV3 Nível Nível de Erro RFC 3414 Erro da CISCO configurado segurança do pacote recebido authnopriv noauthnopriv AUTHORIZATION_ERROR unknownusername authnopriv com sem erro sem erro pwd correta authnopriv com wrongdigest unknownusername pwd incorreta authpriv unsupportedsecuritylevel unknownusername

34 (Continuação da tabela anterior) PROTOCOLO SNMPV3 Nível Nível de Erro RFC 3414 Erro da CISCO configurado segurança do pacote recebido authpriv noauthnopriv AUTHORIZATION_ERROR unknownusername authnopriv com AUTHORIZATION_ERROR unknownusername pwd correta authnopriv com AUTHORIZATION_ERROR unknownusername pwd incorreta authpriv com pwd autenticação e encriptação correta sem erro sem erro

35 (Continuação da tabela anterior) Nível Nível de segurança do pacote configurado recebido authpriv authpriv com pwd (continuação) autenticação correta e encriptação incorreta authpriv com pwd autenticação incorreta e encriptação correta authpriv com pwd autenticação incorreta e encriptação incorreta Erro RFC 3414 sem resposta wrongdigest wrongdigest PROTOCOLO SNMPV3 Erro da CISCO sem resposta unknownusernam e unknownusernam e

36 OUTLINE SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO PROTOCOLO SNMPV1 SNMPV2 SNMPV3 SNMP NO IOS SNMP NO PACKET TRACER

37 SNMP NO IOS NOTAS Para configurar um utilizador SNMP, devemos especificar um grupo de SNMP ou uma tabela que mapeie os utilizadores de SNMP para views. De seguida, devemos especificar o endereço IP ou a porta do agente SNMP existente no dispositivo onde o utilizador reside. O ID do agente SNMP é necessário para gerar a computar a autenticação e os digests de privacidade para a password SNMP. Se o SNMP engine ID remoto não for configurado primeiro, o comando de configuração irá falhar. As passwords SNMP são localizadas utilizando o SNMP engine ID do SNMP engine oficial.

38 SNMP NO IOS NOTAS Para as notificações SNMP, tais como inform requests, o agente SNMP oficial é o agente remoto. O utilizador SNMP não pode ser removido se o engine ID for modificado depois de configurar o utilizador SNMP. Não existem valores por defeito para autenticação ou algoritmos de privacidade. Também não existem passwords por defeito. O tamanho mínimo para uma password é um caractere, sendo recomendado pelo menos 8. Se a password for perdida a mesma não pode ser recuperada e será necessário configurar novo utilizador.

39 SNMP NO IOS CONFIGURAÇÃO Para configurar o SNMP no Packet Tracer é necessário criar um SNMP server group e depois um utilizador a esse grupo. Resumindo os passos: 1. enable 2. config t 3. snmp- server group [op] 4. snmp- server engineid {op} 5. snmp- server user 6. end

40 Passo 1 Passo 2 Passo 3 Passo 4 Comando Objetivo SNMP NO IOS CONFIGURAÇÃO DETALHADA enable Ativa o modo privilegiado Ex: Device> enable config t Entra em modo de configuração Ex: Device# configure terminal global snmp- server group [group- name {v1 v2c v3 Configura o SNMP server group [auth noauth priv]}] [read read- view] [write ativando autenticação para write- view] [notify notify- view] [access access- list] membros de determinada lista de acesso. Ex: Device(config)# snmp- server group gsr1 v3 auth access lmnop snmp- server engineid {local engine- id remote Configura o SNMP engine ID ip- address [udp- port udp- port- number] [vrf vrf- - Neste exemplo é configurado name] engine- id- string} um engine ID remoto. Ex: Device(config)# snmp- server engineid remote udp- port 120 1a2833c0129a

41 Passo 5 Passo 6 Comando Objetivo SNMP NO IOS CONFIGURAÇÃO DETALHADA snmp- server user user- name group- name [remote Adiciona um novo utilizador ao ip- address [udp- port port]] {v1 v2c v3 grupo SNMPv3 e configura uma [encrypted] [auth {md5 sha} auth- password]} password para o mesmo. [access access- list] Ex:Device(config)# snmp- server user user1 gsr1 v3 auth md5 password123 end Sai do modo de configuração global Ex: Device(config)# end

42 SNMP NO IOS CONFIGURAÇÃO DETALHADA Para verificar a configuração SNMPv3 é possível executar os seguintes comandos: enable config t show snmp group show snmp user [username] show snmp engineid

43 SNMP NO IOS OUTROS EXEMPLOS Para permitir que o SNMP manager aceda a todos os objetos com permissões read- only: Device(config)# snmp- server community public Configurar um utilizador remoto para receber traps no modo noauthpriv: Device(config)# snmp- server group group1 v3 noauth Device(config)# snmp- server user remoteuser1 group1 remote Device(config)# snmp- server host informs version 3 noauth remoteuser config Configurar um utilizador remoto para receber traps no modo authnopriv: Device(config)# snmp- server group group2 v3 auth Device(config)# snmp- server user AuthUser group2 remote v3 auth md5 password1 Configurar um utilizador remoto para receber traps no modo priv: Device(config)# snmp- server group group3 v3 priv Device(config)# snmp- server user PrivateUser group3 remote v3 auth md5 password1 priv access des56

44 OUTLINE SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO DE GESTÃO PROTOCOLO SNMPV1 SNMPV2 SNMPV3 SNMP NO IOS SNMP NO PACKET TRACER

45 SNMP NO IOS Como já é normal, o Packet Tracer apresenta algumas limitações. No SNMP não é exceção. No entanto, é possível configurar os diversos dispositivos SNMP agents, consultando a informação através de qualquer MIB Browser, instalado nos clientes. Como tal, execute os seguintes comandos: No router 2 entre em modo de configuração global e crie uma comunidade para read- only e read- write. Device(config)# snmp- server community gsr1 ro Device(config)# snmp- server community gsr2 rw Device(config)# end Device# write

46 De seguida, num PC da mesma rede, entre em Desktop - > MIB Browser Selecione Advanced e configure com os dados inseridos anteriormente. SNMP NO IOS

47 Configurado o servidor SNMP, no MIB Browser selecciona- se o OID pretendido, nomeadamente: MIB Tree - > router_std MIBs- >.iso- >.org- >.dod- >.internet- >.mgmt- >.mib- 2- >.system Clique em GO. SNMP NO IOS

48 THE CUTTING EDGE COURSE RMSILVA AT UAL DOT PT Capítulo 8 secção 8.7: FRED HALSALL, Computer Networking and the Internet, Fifth Edition, ADDISON WESLEY, xml/ios/snmp/configuration/xe- 3se/3850/snmp- xe- 3se book/nm- snmp- snmpv3.html

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES CISCO DISCOVERY PROTOCOL (DCP)

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES CISCO DISCOVERY PROTOCOL (DCP) GESTÃO DE SISTEMAS E REDES (DCP) OUTLINE CDP EM IOS O CDP é um protocolo da camada 2, independente de qualquer meio ou rede, que corre nos dispositivos CISCO e permite às aplicações de rede conhecer os

Leia mais

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão AS ou SA; IGP e EGP; Vetor de Distância,

Leia mais

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES 1 INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES Parte 7 Introdução à Gerência de Redes Prof. Pedro S. Nicolletti (Peter), 2013 Resumo 2 Conceitos Básicos de SNMP Introdução Arquitetura MIB Segurança SNMPv1, SNMPv2

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM OUTLINE CONFIGURAR O SETUP CONFIGURAR O DNS O obje0vo passa por criar um cenário com as seguintes redes: Uma rede para 6 servidores (Rede 0-172.16.0.0/29);

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Gestão de redes. Protocolo SNMP. Maio de 2010 1 Gestão de redes Gestão de redes refere-se neste contexto às actividades relacionadas com a manutenção do bom funcionamento de um conjunto

Leia mais

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA O Protocolo SNMP Por Lécia de Souza Oliveira Índice Página 2... O que é SNMP? Histórico Página 3 e 4... Estrutura Geral do Sistema

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL OUTLINE DHCP PROTOCOLO RELAY AGENT EXEMPLO LINUX EXEMPLO IOS DHCP Dynamic Host Configuration Protocol, ou DHCP, é um dos protocolos de suporte

Leia mais

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES 1 Resumo 2 INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES Parte 7 Introdução à Gerência de Redes Introdução Segurança SNMPv1, SNMPv2 Segurança SNMPv3 Prof. Pedro S. Nicolletti (Peter), 2013 Introdução 3 4 Com o

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 SNMPv1 Limitações do SNMPv1 Aspectos que envolvem segurança Ineficiência na recuperação de tabelas Restrito as redes IP Problemas com SMI (Structure Management Information)

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 OUTLINE INTERNET PROTOCOL V6 NEIGHBOR DISCOVERY PROTOCOL DYNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL V6 INTERNET PROTOCOLO O rápido crescimento da Internet

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Slide 1 Gerenciamento de Redes Gerenciamento de redes inclui o fornecimento, a integração e a coordenação de hardware, software e elementos humanos para monitorar, testar, configurar,

Leia mais

3. O protocolo SNMP 1

3. O protocolo SNMP 1 3. O protocolo SNMP 1 Veicula informações de gerência transporte de valores das MIBs Interações sem conexão Mensagens em UDP/IP portas 161 e 162 pacotes de tamanho variável Mensagens auto-contidas formato

Leia mais

O que são DNS, SMTP e SNM

O que são DNS, SMTP e SNM O que são DNS, SMTP e SNM O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade

Leia mais

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. A MIB é o conjunto dos objetos gerenciados. Basicamente são definidos três tipos de MIBs: MIB II, MIB experimental

Leia mais

Lista 3 Exercícios de Gestão de Redes

Lista 3 Exercícios de Gestão de Redes 1. Quais os fatores que contribuem para o sucesso de uma operação de gerenciamento? O sucesso de uma operação de Gerenciamento depende dos seguintes fatores: O sistema de gerenciamento invocador deve ter

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Gerenciamento de Redes Prof. Thiago Dutra Agenda n Introdução n O que Gerenciar? n Definição n Modelo de Gerenciamento n Infraestrutura de Gerenciamento

Leia mais

Monitorização da Rede. Simple Network Management Protocol (SNMP).

Monitorização da Rede. Simple Network Management Protocol (SNMP). Capítulo 15 Monitorização da Rede. Simple Network Management Protocol (SNMP). Uma das mais importantes tarefas de um administrador de uma rede informática é monitorizar o tráfego na rede, Detectar perdas

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC s - Evolução 1970s 1970s 1980s 1980s Dispositivos 1990s 1990s Browser A Web Server Mainframe Estação Gerenciadora Browser C Browser B NOC (Network( Operation Center) Conjunto de atividades para manter

Leia mais

Interconexão de Redes. Aula 03 - Roteamento IP. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Interconexão de Redes. Aula 03 - Roteamento IP. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Interconexão de Redes Aula 03 - Roteamento IP Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão Repetidor Transceiver Hub Bridge Switch Roteador Domínio de Colisão Domínio de Broadcast

Leia mais

The Simple Network Management Protocol, version 1

The Simple Network Management Protocol, version 1 SNMPv1 The Simple Network Management Protocol, version 1, 2007 1 O Protocolo A versão original do SNMP derivou do Simple Gateway Monitoring Protocol (SGMP) em 1988 RFC1157, STD0015 A Simple Network Management

Leia mais

Anderson Alves de Albuquerque

Anderson Alves de Albuquerque SNMP (Simple Network Management Protocol) Anderson Alves de Albuquerque 1 Introdução: O que é SNMP (Basicamente): Através de variáveis ou estruturas certos acontecimentos podem ser contabilizados (contados).

Leia mais

Application Notes: SNMP. Configuração do protocolo SNMP

Application Notes: SNMP. Configuração do protocolo SNMP Application Notes: SNMP Configuração do protocolo SNMP Application Notes: SNMP Configuração do protocolo SNMP. Data 10/05/2010, Revisão 1.1 Introdução Desenvolvimento Configurando o Protocolo SNMP Traps

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES. VIRTUAL LANs & VTP

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES. VIRTUAL LANs & VTP GESTÃO DE SISTEMAS E REDES VIRTUAL LANs & VTP OUTLINE VIRTUAL LAN IEEE802.1Q FORMATO DA FRAME ENCAMINHAMENTO DE FRAMES INTERNETWORKING VLAN TRUNKING PROTOCOL DOMÍNIOS MODOS ANÚNCIOS PRUNING VTP- CDP IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

Laboratório Configuração do SNMP

Laboratório Configuração do SNMP Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 192.168.2.1 255.255.255.252 N/A R2 S0/0/0 192.168.2.2

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM OUTLINE DOMAIN NAME SYSTEM NOMES DE DOMINIO CONSULTAS DNS SERVIDORES DE NOMES NAVEGAÇÃO E CONSULTA REGISTO DE RECURSOS O DNS é um serviço de nomes, normalizado

Leia mais

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015 TE090 - Prof. Pedroso 17 de junho de 2015 1 Questões de múltipla escolha Exercício 1: Suponha que um roteador foi configurado para descobrir rotas utilizando o protocolo RIP (Routing Information Protocol),

Leia mais

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Camada de Transporte, protocolos TCP e UDP Conhecer o conceito da camada de transporte e seus principais protocolos: TCP e UDP. O principal objetivo da camada de transporte é oferecer um serviço confiável,

Leia mais

Desafios de Gerência e Segurança de Redes

Desafios de Gerência e Segurança de Redes Desafios de Gerência e Segurança de Redes Elias Procópio Duarte Jr. DInfo /UFPR Itaipu - Julho de 2003 E.P. Duarte Jr. - UFPR Roteiro Sistemas Integrados de Gerência de Redes Funcionalidade O Desafio da

Leia mais

Nível de rede - Tópicos

Nível de rede - Tópicos Nível de rede - Tópicos Introdução: Revisão do modelo de camadas Serviços genéricos do nível de rede IP: Serviços e endereçamento NAT, ICMP, IPv6 Encaminhamento 4 30 Como se obtém um endereço IP? P: Como

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Obs: Não há necessidade de entregar a lista Questões do livro base (Kurose) Questões Problemas

Leia mais

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Pedro M. M. Marques pedromarques.eng@gmail.com 1 OBJECTIVOS Compreender a importância da manutenção na conservação do bom estado de uma rede de comunicação;

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 4 Ferramentas de Gerência de Redes Sistema de Gerência

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

Relató rió. Gestão de equipamento activo de rede

Relató rió. Gestão de equipamento activo de rede Relató rió INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Gestão de equipamento activo de rede Trabalho realizado por: Tiago Conceição Nº 11903 Tiago Maques Nº 11904 Paulo Martins

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 Disciplina Fundamentos de Redes Introdução ao Endereço IP 1 Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 PROTOCOLO TCP - ARQUITETURA Inicialmente para abordamos o tema Endereço IP, é necessário abordar

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre ARP

Trabalho de laboratório sobre ARP Trabalho de laboratório sobre ARP Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC - Tagus Park Semana de 3 a 7 de Dezembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS

PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS Acadêmico: Luciano Waltrick Goeten Orientador: Prof. Sérgio Stringari

Leia mais

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes FIREWALLS Firewalls Definição: Termo genérico utilizado para designar um tipo de proteção de rede que restringe o acesso a certos serviços de um computador ou rede de computadores pela filtragem dos pacotes

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c

Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c Prof.: Helcio Wagner / Iguatemi Eduardo Agosto de 2009. p.1/50 Gerência Internet = Introdução Nos primórdios da Internet, as únicas ferramentas utilizadas

Leia mais

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.1

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.1 Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.1 Módulo 10: Monitoração de Ambientes Autor: Rodrigo Hjort SERPRO / Coordenação Estratégica de Tecnologia / Curitiba www.frameworkdemoiselle.org.br

Leia mais

Transferência de Arquivos FTP

Transferência de Arquivos FTP FPROT FTP e DHCP FTP Arquitetura Transferência de Arquivos FTP Transferência de arquivos em sistemas remotos Utiliza o protocolo FTP sobre uma conexão TCP Estabelece conexão TCP com um servidor. Serviço

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Ferramentas de gestão de rede Adriano Lhamas, Berta Batista, Jorge Pinto Leite Maio de 2007 Ferramentas de gestão de rede Necessidade O Internet Activities Board recomenda que todas as implementações IP

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador.

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador. Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede que disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários. Este

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Introdução à Camada de Aplicação. Prof. Eduardo

Introdução à Camada de Aplicação. Prof. Eduardo Introdução à Camada de Aplicação RC Prof. Eduardo Introdução Você sabe que existem vários tipos de programas na Internet? - Talvez você já tenha notado que existem vários programas diferentes para cada

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre ARP

Trabalho de laboratório sobre ARP Trabalho de laboratório sobre ARP Redes de Computadores I - 2005/2006 LEIC - Tagus Park Semana de 5 a 9 de Dezembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Nível de Aplicação Responsável por interagir com os níveis inferiores de uma arquitetura de protocolos de forma a disponibilizar

Leia mais

Capítulo 9. Gerenciamento de rede

Capítulo 9. Gerenciamento de rede 1 Capítulo 9 Gerenciamento de rede 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!! Datas

Leia mais

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Guia de Rede 1 2 3 4 Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Leia este manual cuidadosamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o

Leia mais

ZyXEL ZyWALL 5/35/70 e PRT662HW: VPN IPSec IPs públicos dinâmicos

ZyXEL ZyWALL 5/35/70 e PRT662HW: VPN IPSec IPs públicos dinâmicos ZyXEL ZyWALL 5/35/70 e PRT662HW: VPN IPSec IPs públicos dinâmicos Sumário Como estabelecer uma ligação segura entre duas redes locais através da Internet usando ZyXEL ZyWALL e PRT662HW com IPs públicos

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas. Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. TCP/IP x ISO/OSI

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas. Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. TCP/IP x ISO/OSI Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas TCP/IP x ISO/OSI A Internet não segue o modelo OSI. É anterior a ele. Redes de Computadores

Leia mais

Registo de resultados 1:

Registo de resultados 1: Licenciaturas em Informática e Gestão de Empresas, Engenharia de Telecomunicações e Informática e Engenharia Informática Redes Digitais III Relatório do 1º Guião Laboratorial para avaliação: Gestão de

Leia mais

Gerência e Segurança de Redes

Gerência e Segurança de Redes Gerência e Segurança de Redes Modelos filipe.raulino@ifrn.edu.br SNMP e CMIP SNMP x CMIP O ambiente de gerenciamento OSI é composto por gerentes, agentes e objetos gerenciados. Um gerente transmite operações

Leia mais

3. O protocolo SNMP. Managed system. Management system. resources. management application. MIB objects. SNMP manager UDP IP. IP link.

3. O protocolo SNMP. Managed system. Management system. resources. management application. MIB objects. SNMP manager UDP IP. IP link. 3. O protocolo SNMP Veicula informações de gerência transporte de valores das MIBs Interações sem conexão Mensagens em UDP/IP portas e 162 pacotes de tamanho variável Mensagens auto-contidas formato Type

Leia mais

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Segurança de Sistemas na Internet Aula 10 - IPSec Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Slide 2 de 31 Introdução Há inúmeras soluções de autenticação/cifragem na camada de aplicação

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet.

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet. Origem: Surgiu na década de 60 através da DARPA (para fins militares) - ARPANET. Em 1977 - Unix é projetado para ser o protocolo de comunicação da ARPANET. Em 1980 a ARPANET foi dividida em ARPANET e MILINET.

Leia mais

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães A virtualização de processadores é uma tecnologia que foi inicialmente

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT

NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE E TECNOLOGIA DA NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT 1/10 CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE E TECNOLOGIA

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos e as características do protocolo SNMP.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos e as características do protocolo SNMP. Simple Network Management Protocol (SNMP) Este tutorial apresenta os conceitos básicos e as características do protocolo SNMP. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 25/04/2005).

Leia mais

CAMADA DE TRANSPORTE

CAMADA DE TRANSPORTE Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede CAMADA DE TRANSPORTE Professora: Juliana Cristina de Andrade E-mail: professora.julianacrstina@gmail.com Site: www.julianacristina.com

Leia mais

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1 1 Sinopse do capítulo Problemas de segurança para o campus. Soluções de segurança. Protegendo os dispositivos físicos. Protegendo a interface administrativa. Protegendo a comunicação entre roteadores.

Leia mais

Network Services Location Manager. Guia para os administradores de rede

Network Services Location Manager. Guia para os administradores de rede apple Network Services Location Manager Guia para os administradores de rede Este documento descreve o software Network Services Location (NSL) Manager e fornece informações sobre como configurar uma

Leia mais

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos seu proprietários. A sua rede deve está rigorosamente

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 09/2013 Cap.3 Protocolo TCP e a Camada de Transporte 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica. Os professores

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior - ihtraum@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento

Leia mais

Guia de iniciação Bomgar B400

Guia de iniciação Bomgar B400 Guia de iniciação Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio de 2010 Guia de iniciação Bomgar B400 Documento: 043010.15 Publicado: maio 2010 Obrigado por utilizar a Bomgar. Na Bomgar, o atendimento

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

FieldLogger. Apresentação

FieldLogger. Apresentação Solução Completa Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um módulo de leitura e registro de variáveis analógicas,

Leia mais

SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP. Professor Leonardo Larback

SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP. Professor Leonardo Larback SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP Professor Leonardo Larback Protocolo SMTP O SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) é utilizado no sistema de correio eletrônico da Internet. Utiliza o protocolo TCP na camada

Leia mais

Principais protocolos da Internet. Alexandre Gonçalves Xavier

Principais protocolos da Internet. Alexandre Gonçalves Xavier Principais protocolos da Internet Servidor x Serviço O que é um serviço em uma rede? Servidores Cliente x Servidor Rede Serviços Visualização de Páginas É um serviço baseado em hipertextos que permite

Leia mais

Capítulo 1 PROTOCOLOS FUNDAMENTAIS DA INTERNET

Capítulo 1 PROTOCOLOS FUNDAMENTAIS DA INTERNET Capítulo 1 PROTOCOLOS FUNDAMENTAIS DA INTERNET protocolos TCP/IP são um conjunto de standards que permitem que computadores de todas marcas e feitios comuniquem entre si Algumas datas históricas: 1968

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula)

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2013.09 v2 2013.09.10 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Arquiteturas

Leia mais

Camada de Aplicação. Prof. Eduardo

Camada de Aplicação. Prof. Eduardo Camada de Aplicação RC Prof. Eduardo Introdução Você sabe que existem vários tipos de programas na Internet? - Talvez você já tenha notado que existem vários programas diferentes para cada um desses tipos.

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO TÉCNICO DE INFORMÁTICA/INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES 2008/2009 INSTALAÇÃO REDES CLIENTE SERVIDOR WINDOWS SERVER 2003 Após a instalação Instalação de serviços de

Leia mais

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Arquitetura de Gerenciamento filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistema de Gerência Conjunto de ferramentas integradas para o monitoramento e controle. Possui uma interface única e que traz informações

Leia mais

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu. Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 05 - Protocolos de Roteamento Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão Roteamento; Gateway; Tabelas de Roteamento; Slide 2 de 82 Rotas?!

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

ROUTER BANDA LARGA SEM FIOS 11N 300MBPS

ROUTER BANDA LARGA SEM FIOS 11N 300MBPS ROUTER BANDA LARGA SEM FIOS 11N 300MBPS Manual de Instalação Rápida DN-70591 INTRODUÇÃO DN-70591 é um dispositivo conjunto de rede com fios/sem fios destinado especificamente para as necessidades de pequenas

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

Apostila do Material da Cisco Gerenciamento de Redes

Apostila do Material da Cisco Gerenciamento de Redes Apostila do Material da Cisco Gerenciamento de Redes 7.1.1 Com o que se parece uma rede? A visualização de uma rede é importante. Uma rede é um conjunto de dispositivos que interagem entre si para fornecer

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education Redes de computadores e a Internet Capítulo 9 Gerenciamento de rede 9-3 Gerenciamento de rede Objetivos do capítulo: Introdução ao gerenciamento de redes Motivação Componentes principais Ambiente de gerenciamento

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas A opção avançada de Port Forwarding permite que você defina uma única porta pública ou Range de portas em seu roteador para redirecionar a

Leia mais

Endereço Físico (cont.)

Endereço Físico (cont.) O Protocolo ARP Endereço Físico Cada interface de rede (NIC network interface card) vem com um identificador único de fábrica. Este identificador é o endereço físico ou endereço de hardware da interface.

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com ENLACE X REDE A camada de enlace efetua de forma eficiente e com controle de erros o envio

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Universidade Federal do Rio Grande do Norte Redes de Computadores - Camada de Aplicação Curso de Engenharia de Software Prof. Marcos Cesar Madruga/Thiago P. da Silva Material basedado em [Kurose&Ross 2009]

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DO ACESSO REMOTO PARA HS-DHXX93 E HS-DHXX96

CONFIGURAÇÃO DO ACESSO REMOTO PARA HS-DHXX93 E HS-DHXX96 CONFIGURAÇÃO DO ACESSO REMOTO PARA HS-DHXX93 E HS-DHXX96 1 CONFIGURAR PARÂMETROS DE REDE DO DVR Para maior fiabilidade do acesso remoto é recomendado que o DVR esteja configurado com IP fixo (também pode

Leia mais