TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR"

Transcrição

1 TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito, entre dois corpos ou sistemas, devido a diferença de temperatura entre eles. Essa energia se transfere sempre do corpo de maior para os de menor temperatura, até que se alcance o equilíbrio térmico. TERMOMETRIA ESCALAS TERMOMÉTRICAS Conjunto de valores numéricos de temperaturas, associados a um determinado estado térmico preestabelecido, denominados pontos fixos da escala. TC TF 32 T K No que diz respeito às variações de temperatura, temos que: TC 100 TF 180 TK 100 QUESTÕES DE VESTIBULAR 1. (UFRGS 1992) Um termômetro está à temperatura ambiente. O que ocorre com esse termômetro quando ele é introduzido em um líquido com temperatura superior à do ambiente? (A) Aumenta sua energia interna mas sua temperatura permanece constante. (B) Aumenta sua temperatura mas sua energia interna permanece constante. (C) Sua energia interna e sua temperatura aumentam. (D) Aumenta sua temperatura mas diminui sua energia interna. (E) Aumenta o calor do termômetro mas sua energia interna diminui. INSTRUÇÃO: Para responder à questão, leia o texto e relacione as propriedades termométricas (Coluna A) aos respectivos tipos de termômetros que as utilizam (Coluna B), numerando os parênteses. Termômetro é um instrumento utilizado para medir a temperatura de um sistema físico. Seu funcionamento baseia-se em algumas propriedades termométricas desse sistema, ou seja, em propriedades que variam com a temperatura. 1

2 Coluna A Coluna B 1. pressão de gases ( ) termômetro de gás a volume constante 2. dilatação de fluidos ( ) termômetro bimetálico 3. dilatação de sólidos ( ) termômetro de líquido-em-vidro 2. (PUC 2008 / Verão) A seqüência correta, de cima para baixo, é (A) (B) (C) (D) (E) (FURG 2001) Analise cada uma das seguintes afirmativas relacionadas à termodinâmica e indique se são verdadeiras (V) ou falsas (F). ( ) Átomos ou moléculas de um corpo, seja no estado sólido, líquido ou gasoso, estão em constante movimento. ( ) O limite inferior para a temperatura de um corpo, já obtido em laboratório, é de 273 C (zero absoluto), situação em que os átomos cessam seus movimentos. ( ) Uma lâmina bimetálica, constituída de duas lâminas de metais diferentes, que é plana na temperatura ambiente, entorta ao ser aquecida. ( ) Quando dois corpos distintos são colocados em contato, isolados de influências externas, após um certo tempo eles atingem uma situação de mesma energia interna. Quais são, respectivamente, as indicações corretas? (A) F - F - V V (B) F - V - F- V (C) V - V - F F (D) V - F - V F (E) V - F - V V 4. (FFFCMPA 2006) A temperatura de um paciente aferida por um termômetro na escala Celsius foi de 40 C. A quantos graus essa temperatura corresponderia na escala termométrica Fahrenheit? (A) 72 F (B) 96 F (C) 104 F (D) 132 F (E) 140 F 5. (UERGS ) Ao visitar os Estados Unidos, um estudante, em um determinado dia, constatou que a temperatura era de 30 ºF. Essa temperatura corresponde a um valor (A) entre 20 e 30 ºC. (B) entre 10 e 20 ºC. (C) entre 0 e 10 ºC. (D) entre 0 e 10 ºC. (E) abaixo de 10 ºC. 6. (FURG 2004) Um termômetro mal calibrado indica 10 para a temperatura de fusão do gelo e 90, para a temperatura de ebulição da água. A leitura nesse termômetro, para a temperatura de 50 C é (A) 44. (B) 45. (C) 48. (D) 50. (E) 52. 2

3 COMPORTAMENTO TÉRMICO DOS SÓLIDOS DILATAÇÃO LINEAR Dilatação em uma única dimensão. L = L o.. T L = L o (1 +. T) DILATAÇÃO SUPERFICIAL Dilatação em duas dimensões. S = S o.. T S = S o (1 +. T) DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA Dilatação em três dimensões. V = V o.. T V = V o (1 +. T) RELAÇÕES ENTRE OS COEFICIENTES: DILATAÇÃO DOS LÍQUIDOS 3

4 A dilatação real de um líquido é sempre a soma da dilatação aparente do líquido com a dilatação volumétrica do recipiente. V real = V ap + V recip real = ap + recip DILATAÇÃO ANÔMALA DA ÁGUA 0 C 4 C V máx d mín V mín d máx QUESTÕES DE VESTIBULAR 7. (UFRGS ) Uma barra retilínea e uniforme, feita de um material cujo coeficiente de dilatação linear é positivo e independente da temperatura, recebe calor de uma fonte térmica. Entre os gráficos abaixo, qual o que melhor representa a variação ΔL do comprimento da barra como função da variação ΔT de sua temperatura? 8. (PUC 2007 / Inverno) Um termostato é um dispositivo utilizado para controlar a temperatura em diversos equipamentos elétricos. Um dos tipos de termostato é construído com duas lâminas metálicas 1 e 2, firmemente ligadas, conforme a Figura 1. Quando a temperatura aumenta, o conjunto se curva em forma de arco (Figura 2), fazendo com que, a partir de certa temperatura, o circuito seja aberto, interrompendo a passagem de corrente elétrica. Supondo que a lâmina seja constituída de ferro e cobre, cujos coeficientes de dilatação linear médios são, respectivamente, 1,2 X 10-5 C -1 e 1,7 X 10-5 C -1, para produzir-se o efeito descrito, a lâmina deve ter coeficiente de dilatação do que a outra, correspondendo, portanto, ao. As informações que preenchem correta e respectivamente as lacunas estão reunidas em (A) 1 - menor - ferro (B) 1 - menor - cobre (C) 1 - maior - cobre (D) 2 - menor - ferro (E) 2 - maior - ferro 4

5 9. (UFRGS 1994) O fato de as barras de ferro contidas em uma viga de concreto não provocarem rachaduras no concreto explica-se pela semelhança que existe entre os valores do (A) calor específico desses materiais. (B) calor de fusão desses materiais. (C) coeficiente de condutividade térmica desses materiais. (D) coeficiente de dilatação linear desses materiais. (E) coeficiente de atrito desses materiais. 10. (UFRGS ) Os respectivos coeficientes de dilatação linear, α A e α B, de duas hastes metálicas, A e B, guardam entre si a reação α B = 2 α A. Ao sofrerem um aquecimento de 20ºC, a partir da temperatura ambiente, as hastes exibem a mesma variação L no seu comprimento. Qual é a relação entre os respectivos comprimentos iniciais, L A e L B, das hastes? (A) L B = 2 L A. (B) L B = 4 L A. (C) L B = L A. (D) L B = L A /4. (E) L B = L A /2. Para responder à questão 23 considere a figura abaixo que representa duas vigas de concreto de 5,0 m de comprimento, fixas em uma das extremidades, com uma separação de 1,2 mm entre as outras duas extremidades, à temperatura de 15 ºC. 11. (FFFCMPA ) Sabendo-se que o coeficiente de dilatação linear do concreto é 1, ºC - 1, as duas vigas ficarão encostadas quando a temperatura atingir (A) 12º C. (B) 15º C. (C) 20º C. (D) 25º C. (E) 35º C. 12. (UFRGS 2006) Uma barra de aço e uma barra de vidro têm o mesmo comprimento à temperatura de 0 C, mas, a 100 C, seus comprimentos diferem de 0,1 cm. (Considere os coeficientes de dilatação linear do aço e do vidro iguais a 12 x IO -6 C -1 e 8 x IO -6 C -1, respectivamente.) Qual é o comprimento das duas barras à temperatura de 0 C? (A) 50 cm. (B) 83 cm. (C) 125 cm. (D) 250 cm. (E) 400 cm. 13. (UFRGS ) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto abaixo, na ordem em que aparecem. A figura que segue representa um anel de alumínio homogêneo, de raio interno Ra e raio externo Rb, que se encontra à temperatura ambiente: Se o anel for aquecido até a temperatura de 200 C, o raio Ra e o raio Rb. (A) aumentará aumentará (B) aumentará permanecerá constante (C) permanecerá constante aumentará (D) diminuirá aumentará (E) diminuirá permanecerá constante 5

6 CALORIMETRIA Ao receber ou ceder calor, um corpo pode sofrer dois tipos de transformações: ou variar sua temperatura ou mudar de estado físico. Quantidade de Calor Sensível: É a quantidade de calor cedido ou absorvido por um corpo, sendo responsável por uma variação de temperatura deste corpo, sem mudar seu estado físico. Pode ser expressa como: Q S c. m. T SÍMBOLOGIA SIGNIFICADO FÍSICO UNIDADE Q S quantidade de calor sensível calor específico c m T massa variação de temperatura Capacidade Térmica de um Corpo: É a quantidade de calor necessária para variar a temperatura de um corpo em 1 C. QS C T OU C m. c SÍMBOLOGIA SIGNIFICADO FÍSICO UNIDADE C Capacidade térmica Quantidade de Calor Latente: É a quantidade de calor cedido ou recebido responsável por mudar o estado físico da substância, sem variar sua temperatura. Pode ser expressa como: Q L m. L 6

7 SÍMBOLOGIA SIGNIFICADO FÍSICO UNIDADE Q L quantidade de calor latente massa m L calor latente DIAGRAMA DAS MUDANÇAS DE FASE: QUESTÕES DE VESTIBULAR (PUC 2003 / Verão) INSTRUÇÃO: Responder à questão 37 com base nas afirmativas a seguir. Muitas pessoas, ao cozinharem, se preocupam com a economia de gás e adotam algumas medidas práticas, como: I. deixar o fogo baixo do início ao fim, pois assim se obtém cozimento mais rápido; II. baixar o fogo quando a água começa a ferver, pois a temperatura permanece constante durante a ebulição; III. deixar o fogo alto do início ao fim, obtendo uma constante elevação de temperatura, mesmo após o início da ebulição. 14. (PUC 2003 / Verão) Pela análise das afirmativas, conclui-se que somente (A) está correta a I. (B) está correta a II. (C) está correta a III. (D) estão corretas a I e a III. (E) estão corretas a II e a III. 15. (FURG 2008 / Inverno) Para aquecer certa massa de água de 10 C a 30 C, foi gasta uma quantidade Q 1 de calor. Para aquecer a metade desta massa de 28 C a 38 C, seria necessária uma quantidade de calor igual a (A) 4Q 1 (B) Q 1 / 4 (C) Q 1 / 2 (D) 2Q 1 (E) Q (UFPEL 2006) Um bloco de chumbo está sendo fundido. Durante esse processo, à pressão constante, é correto afirmar que (A) ele recebe calor e sua temperatura aumenta. (B) ele cede calor e sua temperatura aumenta. (C) ele recebe calor e sua temperatura permanece constante. (D) o calor evidenciado é sensível, pois há mudança de temperatura. (E) ele cede calor e sua temperatura diminui. 7

8 17. (UERGS ) No estudo da calorimetria, são comuns os termos calor específico e capacidade térmica. Considerando esse tema, assinale a afirmativa correta. (A) Calor específico é uma característica de um corpo. (B) Calor específico é uma característica de uma substância. (C) Capacidade térmica é uma característica de uma substância. (D) Quanto maior a capacidade térmica de um corpo, maior é a sua temperatura. (E) Quanto maior o calor específico de um corpo, maior é a sua temperatura. 18. (FURG 2000) A tabela a seguir mostra os pontos de ebulição e os calores de vaporização (à pressão de 1 atm) para 7 substâncias diferentes. Substância Ponto de Ebulição Calor de Vaporização ( C) (cal / g) Mercúrio Iodo Água Álcool Etílico Bromo Nitrogênio Hélio Analisando a tabela podemos concluir que (A) o bromo passa de líquido para vapor em 44 C. (B) para passar para vapor, um grama de nitrogênio requer o dobro de calorias que um grama de iodo. (C) para vaporizar 50 g de hélio, são necessárias 600 calorias. (D) na temperatura em que a água ferve, o álcool etílico é líquido. (E) na temperatura ambiente, o mercúrio é vapor. 19. (FURG 2001) Dois blocos de mesma massa, um de cobre e outro de chumbo, inicialmente a 20 C, são aquecidos por chamas idênticas. Após um determinado tempo de aquecimento, constata se que o bloco de cobre atinge a temperatura de 120 C, enquanto o de chumbo chega a 320 C. Essa diferença nas temperaturas finais ocorre porque o cobre apresenta maior (A) calor específico. (B) massa. (C) densidade. (D) temperatura inicial. (E) coeficiente de dilatação. 20. (UFRGS ) A mesma quantidade de energia que é necessária para derreter 200g de gelo a 0º C é transferida a um corpo de outro material, com massa de 2 kg, fazendo sua temperatura aumentar 40ºC. Sabendo-se que o calor latente de fusão do gelo é L = 334 kj / kg, pode-se afirmar que o calor específico do material do segundo corpo é (A) 0,835 J / (kg K) (B) 1,670 J / (kg K) (C) 0,835 kj / (kg K) (D) 1,670 kj / (kg K) (E) 835,0 kj / (kg K) 21. (UFRGS 2006) À temperatura ambiente, que volume de ferro apresenta a mesma capacidade térmica de um litro de água? (Considere que, à temperatura ambiente, a capacidade térmica de um litro de água é J/ C, o calor específico do ferro é 0,5 J/g. C e a massa específica do ferro é 8 g/cm 3.) (A) 0,95 l. (B) 1,00 l. (C) 1,05 l. (D) 1,25 l. (E) 1,50 l. 8

9 IGUALDADE DAS TROCAS DE CALOR (LEI ZERO DA TERMODINÂMICA) Quando dois ou mais corpos com temperaturas diferentes são colocados em contato, trocam calor entre si até atingirem o equilíbrio térmico. Q RECEBIDO Q CEDIDO 0 QUESTÕES DE VESTIBULAR 22. (PUC 2002 / Verão) Colocam-se 420 g de gelo a 0 C num calorímetro com água a 30 C. Após atingida a temperatura de equilíbrio térmico, verifica-se que sobraram 20 g de gelo. Sendo de 80 cal/g o calor de fusão da água, é correto afirmar que a temperatura final de equilíbrio térmico e a quantidade de calor ganho pelo gelo são, respectivamente, (A) 30 C e 50 kcal (B) 30 C e 45 kcal (C) 15 C e 40 kcal (D) 0 C e 38 kcal (E) 0 C e 32 kcal 23. (PUC 2004 / Verão) Numa garrafa térmica a 20 C, contendo água também a 20, é colocado um pedaço de gelo com 200 g a 0 C. Na situação final de equilíbrio térmico, verifica-se uma mistura de água e 100 g de gelo. Sendo de 80 cal/g o calor de fusão do gelo, o calor absorvido (da garrafa térmica e da água que nela se encontrava) pelo gelo e a temperatura final são, respectivamente, (A) 1,6 kcal e 20 C (B) 3,0 kcal e 10 C (C) 6,0 kcal e 10 C (D) 6,4 kcal e 0 C (E) 8,0 kcal e 0 C 24. (FFFCMPA 2006) Uma garrafa térmica, cuja capacidade térmica não pode ser desprezada, contém 280 g de água. A temperatura do sistema garrafa-água é de 30 C. Uma massa de 70 g de gelo d água a 0 C é colocada na garrafa. Sabe-se que o calor específico da água no estado líquido é de 1 cal/g. C e que o calor latente de fusão da água é de 80 cal/g. Considerando que o sistema garrafa-água-gelo é adiabático, que a pressão é de 1 atm e que a temperatura de equilíbrio é de 10 C, qual é a capacidade térmica da garrafa? (A) 5 cal/ C (B) 10 cal/ C (C) 20 cal/ C (D) 25 cal/ C (E) 35 cal/ C 25. (UFRGS ) Uma mistura de gelo e água em estado líquido, com massa total de 100 g, encontra-se à temperatura de 0 C. Um certo tempo após receber J de calor, a mistura achase completamente transformada em água líquida a 20 C. Qual era, aproximadamente, a massa de gelo contida na mistura inicial? [Dados: Calor de fusão do gelo = 334,4 J/g; calor específico da água = 4,18 J/(g. C)]. (A) 22,8 g (B) 38,3 g (C) 47,8 g (D) 72,8 g 9

10 (E) 77, (UFRGS 1995) Em um recipiente fechado, misturam-se duas porções iguais de água com capacidade térmica de 2 kj/ C cada e a temperaturas iniciais diferentes. Se não ocorresse transferência de energia para o recipiente e para o meio, a temperatura de equilíbrio da mistura seria 30 C, mas o resultado obtido foi de 28 C. Quanta energia foi transferida da água para a sua vizinhança, na forma de calor? (A) 4 kj. (B) 8 kj. (C) 20 kj. (D) 56 kj. (E) 60 kj. PROPAGAÇÃO DO CALOR Processo Característica Meio CONDUÇÃO CONVECÇÃO IRRADIAÇÃO Energia passa de partícula para partícula, sem se deslocarem. Movimento de massas de fluido, trocando de posição entre si. Transmissão de calor através de ondas eletromagnéticas. QUESTÕES DE VESTIBULAR Necessita de um meio material. Ocorre nos sólidos. Ocorre nos fluidos. Ocorre no vácuo e em meios materiais. 27. (PUC 2003 / Verão) Numa cozinha, é fácil constatar que a temperatura é mais elevada próximo ao teto do que próximo ao chão, quando há fogo no fogão. Isso é devido ao fato de o (A) calor não se propagar para baixo. (B) calor não se propagar horizontalmente. (C) ar quente subir, por ser menos denso do que o ar frio. (D) ar quente subir, por ser mais denso do que o ar frio. (E) ar frio descer, por ser menos denso do que o ar quente. 28. (UFRGS ) Considere as afirmações abaixo, referentes aos três processos de transferência de calor. I. Radiação pode ser refletida pelo objeto que a recebe. II. Condução ocorre pela propagação de oscilações dos constituintes de um meio material. III. A convecção ocorre apenas em fluidos. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas III. (C) Apenas I e II. (D) Apenas II e III. (E) I, II e III. ESTUDO DOS GASES PERFEITOS TEORIA CINÉTICA DOS GASES OS POSTULADOS DA TEORIA CINÉTICA DOS GASES ESTABELECEM QUE AS MOLÉCULAS DO GÁS IDEAL OU PERFEITO... 10

11 1 : MOVEM-SE DESORDENADAMENTE (CAOS MOLECULAR) E, EMBORA APRESENTEM VELOCIDADES VARIÁVEIS UMA PARA A OUTRA, ADMITE-SE QUE SE MOVIMENTEM COM MESMA VELOCIDADE MÉDIA V. 2 : NÃO EXERCEM AÇÃO MÚTUA, ISTO É, NÃO INTERAGEM POR MAIS PRÓXIMAS QUE ESTEJAM, EXCETO DURANTE AS COLISÕES. 3 : CHOCAM-SE ELASTICAMENTE ENTRE SI E COM AS PAREDES DO RECIPIENTE, NÃO HAVENDO PORTANTO PERDA ENERGÉTICA NESSAS COLISÕES. 4 : APRESENTEM VOLUME PRÓPRIO DESPREZÍVEL, EM COMPARAÇÃO COM O VOLUME OCUPADO PELO GÁS. OBS: O COMPORTAMENTO DOS GASES REAIS SE APROXIMA DO PREVISTO PARA O MODELO IDEAL QUANDO EM ALTAS TEMPERATURAS E BAIXAS PRESSÕES!! EQUAÇÃO DE CLAPEYRON P. V n. RT. onde: R = 0,082 atm.l/mol.k OU 8,31 J / mol.k LEI GERAL DOS GASES PERFEITOS TRANSFORMAÇÕES GASOSAS P. V PO. V T T O O Transformação O que é? Relação Isotérmica (Lei de Boyle) Transformação a temperatura constante Isobárica (Lei de Charles e G. Lussac) Transformação a pressão constante Isométrica (Lei de Charles e G. Lussac) Transformação a volume constante QUESTÕES DE VESTIBULAR 29. (UFSM 2000) As variáveis que podem definir os estados possíveis para 1 mol de gás ideal são (A) calor, massa e volume. 11

12 (B) temperatura, densidade e pressão. (C) temperatura, pressão e volume. (D) densidade, pressão e calor. (E) densidade, massa e calor. 30. (FURG 2000) Uma certa quantidade de gás ideal, inicialmente a pressão P 0, volume V 0 e temperatura T 0, é submetida à seguinte seqüência de transformações: I. É aquecida a pressão constante até que sua temperatura atinja o valor 3T 0. II. É resfriada a volume constante até que a temperatura atinja o valor inicial T 0. III. É comprimida a temperatura constante até que atinja a pressão inicial P 0. Ao final destes três processos, podemos afirmar que o volume final do gás será igual a (A) V 0 /9 (B) V 0 /3 (C) V 0 (D) 3V 0 (E) 9V (FURG 2001) Certa massa de gás ideal sofre as transformações AB e BC, representadas no gráfico p x V (pressão x volume) da figura abaixo. Sobre esse gás, é correto afirmar que (A) a temperatura do gás em B é maior do que em A. (B) a temperatura do gás em C é menor do que em B. (C) a temperatura do gás em C é maior do que em A. (D) a transformação AB é isotérmica. (E) a transformação BC é isobárica. 32. (FURG 2003) Um gás ideal, inicialmente no estado 1, com pressão P 1, volume V 1 e temperatura T 1, sofre uma compressão isotérmica e, posteriormente, uma expansão isobárica até atingir um volume igual ao inicial. Ao final desse processo, a pressão P f e a temperatura T f serão, respectivamente (A) P f = P 1 e T f = T 1. (B) P f = P 1 e T f > T 1. (C) P f > P 1 e T f = T 1. (D) P f > P 1 e T f > T 1. (E) P f > P 1 e T f < T (UFRGS 1997) Uma amostra de gás ideal realiza o ciclo termodinâmico representado no diagrama pv da figura abaixo. No ponto I, a temperatura do gás é T I. Em que ponto a temperatura do gás é 4T I? (A) J (B) K (C) L (D) M (E) N 12

13 TERMODINÂMICA Estuda as relações entre o calor trocado e o trabalho entre um gás e o meio externo. TRABALHO EM UMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA: p. V PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA: Quando um gás encerrado em um cilindro recebe uma determinada quantidade de calor, parte deste calor pode ser responsável por aumentar sua energia interna e a outra parte responsável para empurrar o pistão. CALOR TRABALHO ENERGIA INTERNA ESTUDO DOS SINAIS: Recebe calor Q> Cede calor Q< Não troca calor Q=0 Transformação adiabática Realiza trabalho >0 Volume aumenta Recebe trabalho <0 Volume diminui Não realiza trabalho =0 Volume constante; Transformação isométrica Aumenta energia interna U>0 Temperatura aumenta Diminui energia interna U<0 Temperatura diminui Energia interna não varia U=0 Temperatura constante; Transformação isotérmica PARTICULARIDADES DA PRIMEIRA LEI: Isobárica = p. V Q = + U Isotérmica T=0, logo: Q = U = 0 Isométrica V=0, logo: = 0 Q = U Adiabática Q = 0 = - U Cíclica U = 0 Q = 13

14 QUESTÕES DE VESTIBULAR INSTRUÇÃO: Responder à questão 69 com base nas afirmativas sobre termologia feitas a seguir. I. A energia interna de um sistema não depende da quantidade de partículas do mesmo. II. Calor é a quantidade de energia trocada entre dois sistemas devidos unicamente à diferença de temperatura entre ambos. III. Na transformação adiabática de um gás, a pressão do mesmo permanece constante. IV. A temperatura absoluta de um sistema é diretamente proporcional à energia cinética média das partículas que o compõem. 34. (PUC 2002 / Verão) Pela análise das afirmativas, conclui-se que estão corretas as da alternativa (A) I e II (B) I e III (C) I e IV (D) II e III (E) II e IV 35. (PUC 2001 / Inverno) Um gás, que segue a equação de estado do gás ideal, contido num cilindro com êmbolo móvel, sofre uma expansão isotérmica. É correto concluir que, durante essa expansão, (A) o gás recebe calor e aumenta sua energia interna. (B) o gás recebe calor e diminui sua energia interna. (C) o gás cede calor e diminui sua energia interna. (D) o gás não cede e nem recebe calor, mantendo constante sua energia interna. (E) o gás recebe calor e mantém constante sua energia interna. 36. (PUC 2003 / Inverno) Uma certa quantidade de ar contido num cilindro com pistão é comprimida adiabaticamente, realizando-se um trabalho de 1,5 kj. Portanto, os valores do calor trocado com o meio externo e da variação de energia interna do ar nessa compressão adiabática são, respectivamente, (A) 1,5 kj e 1,5 kj. (B) 0,0 kj e 1,5 kj. (C) 0,0 kj e 1,5 kj. (D) 1,5 kj e 1,5 kj. (E) 1,5 kj e 0,0 kj. 37. (UFRGS 2006) Em uma transformação termodinâmica sofrida por uma amostra de gás ideal, o volume e a temperatura absoluta variam como indica o gráfico abaixo, enquanto a pressão se mantém igual a 20 N/m 2. Sabendo-se que nessa transformação o gás absorve 250 J de calor, pode-se afirmar que a variação de sua energia interna é de (A) 100 J. (B) 150 J. (C) 250 J. (D) 350 J. (E) 400 J. 38. (PUC 2005 / Verão) INSTRUÇÃO: Responder à questão 73 com base nas afirmações a seguir. I. Na transformação isotérmica de um gás que segue a equação de estado do gás ideal, sua energia interna permanece constante. II. A energia interna de um sistema é a soma das energias cinéticas e potenciais de suas partículas e, por isso, depende do número de partículas do sistema. III. A temperatura absoluta de um sistema depende da energia cinética média de suas partículas, e também da quantidade de partículas. IV. Quando uma onda sonora se propaga num gás, as compressões e rarefações que ocorrem na passagem da onda são tão rápidas que podem ser consideradas adiabáticas. 14

15 Pela análise das afirmações, conclui-se que somente estão corretas (A) I e II. (B) I e III. (C) I, II e IV. (D) II e III. (E) II, III e IV. 39. (PUC 2000 / Verão) Um gás contido em um cilindro com pistão, ao ser comprimido adiabaticamente, I. necessariamente aquece. II. necessariamente muda de fase. III. diminui de volume isotermicamente. Analisando essas afirmativas pode-se concluir que (A) somente I é correta. (B) somente II é correta. (C) somente III é correta. (D) I e II são corretas. (E) II e III são corretas. 40. (PUC 2005 / Inverno) A temperatura de um gás é diretamente proporcional à energia cinética das suas partículas. Portanto, dois gases A e B, na mesma temperatura, cujas partículas tenham massas na proporção de m A / m B = 4 / 1, terão as energias cinéticas médias das suas partículas na proporção Ec A /Ec B igual a (A) 1 / 4 (B) 1 / 2 (C) 1 (D) 2 (E) (PUC 2007 / Inverno) Um cilindro de metal dotado de um êmbolo móvel, em cujo interior se encontra um gás em equilíbrio termodinâmico, é semelhante a uma bomba de encher pneus de bicicleta com a saída de ar bloqueada. Ao fazer-se uma força sobre o êmbolo, resultando na compressão muito rápida do gás, o que caracteriza uma transformação adiabática, I. ocorre um aumento na temperatura do gás. II. o trabalho realizado pela força aumenta a energia interna do gás. III. o trabalho realizado pela força é igual ao calor liberado para o meio externo. Está(Estão) correta(s) apenas (A) I. (B) II. (C) III. (D) I e II. (E) I e III. 15

16 SEGUNDA LEI DA TERMODINÂMICA: Enunciado de Clausius: O calor só pode passar espontaneamente de um corpo de maior temperatura para outro de menor temperatura. MÁQUINAS TÉRMICAS: Dispositivos que convertem calor em trabalho. Enunciado de Kelvin: É impossível construir uma máquina térmica que, operando em ciclo, extraia calor de uma fonte e o transforme integralmente em calor. Q 1 = calor retirado da fonte quente Q 2 = calor rejeitado à fonte fria = trabalho útil Q 1 Q 2 RENDIMENTO DA MÁQUINA: Q 1 ou Q 1 2 Q 1 CICLO DE CARNOT: É o ciclo teórico que permite o maior rendimento entre as máquinas térmicas. O rendimento de Carnot depende exclusivamente das temperaturas absolutas das fontes quente (T 1 ) e fria (T 2 ), independendo da natureza do sistema que percorre o ciclo. T T 1 T 1 2 ou 1 T T 2 1 QUESTÕES DE VESTIBULAR 16

17 42. (PUC 2000 / Verão) O Segundo Princípio da Termodinâmica pode ser enunciado da seguinte forma: Nenhuma máquina térmica, operando em ciclo, pode transformar em todo o a ela fornecido. (A) calor, trabalho (B) trabalho, calor (C) força, calor (D) força, impulso (E) trabalho, impulso 43. (FURG 2008) Assinale a alternativa que apresenta o segundo princípio da termodinâmica (A) A energia total de um sistema isolado é constante. (B) É impossível transformar calor em trabalho, operando com duas fontes de calor em temperaturas diferentes. (C) Uma máquina térmica possui rendimento de 90% no máximo. (D) O rendimento máximo de uma máquina térmica depende da substância com que ela funciona. (E) Uma máquina térmica não pode funcionar sem queda de temperatura e nunca restitui integralmente, sob forma de trabalho, a energia que lhe foi cedida sob forma de calor. 44. (UFRGS ) A cada ciclo, uma máquina térmica extrai 45 kj de calor da sua fonte quente e descarrega 36 kj de calor na sua fonte fria. O rendimento máximo que essa máquina pode ter é de (A) 20 %. (B) 25 %. (C) 75 %. (D) 80 %. (E) 100 %. 45. (UFRGS ) Uma máquina térmica ideal opera recebendo 450 J de uma fonte de calor e liberando 300 J no ambiente. Uma segunda máquina térmica ideal opera recebendo 600 J e liberando 450 J. Se dividirmos o rendimento da segunda máquina pelo rendimento da primeira máquina, obteremos (A) 1,50. (B) 1,33. (C) 1,00. (D) 0,75. (E) 0, (UFRGS ) Um jornal noticia que um inventor excêntrico e desconhecido está anunciando um motor térmico que opera segundo um novo ciclo, no qual a totalidade do calor extraído de uma fonte de calor é transformada em trabalho. O jornal também informa que a comunidade científica recebeu com ceticismo essa notícia, uma vez que a existência de tal mecanismo violaria uma lei física bem estabelecida. Que lei estaria sendo frontalmente violada, caso o motor anunciado funcionasse de fato com o desempenho divulgado? A lei física está sendo frontalmente violada, caso o motor anunciado funcionasse de fato com o desempenho divulgado? (A) A lei da conservação da quantidade de movimento. (B) A segunda lei de Newton. (C) A primeira lei da Termodinâmica. (D) A segunda lei da Termodinâmica. (E) A lei que traduz a equivalência entre massa e energia. INSTRUÇÃO: Para responder à questão 96, considere o texto e o gráfico, o qual relaciona o rendimento de uma máquina de Carnot e a razão T 2 /T 1 das temperaturas em que opera a máquina. O ciclo de Carnot é um ciclo termodinâmico especial, pois uma máquina térmica que opera de acordo com este ciclo entre duas temperaturas T 1 e T 2, com T 1 maior do que T 2, obtém o máximo rendimento possível. O rendimento r de uma máquina térmica é definido como a razão entre o trabalho líquido que o fluido da máquina executa e o calor que absorve do reservatório à temperatura T 1. 17

18 47. (PUC 2010 / Verão) Pode-se concluir, pelo gráfico e pelas leis da termodinâmica, que o rendimento da máquina de Carnot aumenta quando a razão T 2 /T 1 diminui, (A) alcançando 100% quando T 2 vale 0 C. (B) alcançando 100% quando T 1 é muito maior do que T 2. (C) alcançando 100% quando a diferença entre T 1 e T 2 é muito pequena. (D) mas só alcança 100% porque representa o ciclo ideal. (E) mas nunca alcança 100%. GABARITO XXX C A D C D D D B A 1 C B A B D D B C A E 2 A D E D D A A A E E 3 A C B D E C E B B C 4 B B A C C C D C D D 5 D C D E E E A B C C 6 E D C D C C E D E E 7 E C B C A C D B D D 8 A D D A D C E C B D 9 C B E A D D E XXX XXX XXX 18

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA Ensino Médio Nome:...N o...turma:... Data: / / Disciplina: Física Dependência Prof. Marcelo Vettori ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA I- ESTUDO DOS GASES 1- Teoria Cinética dos Gases: as moléculas constituintes

Leia mais

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t TERMOMETRIA TERMOLOGIA Temperatura grandeza escalar associada ao grau de vibração térmica das partículas de um corpo. Equilíbrio térmico corpos em contato com diferentes temperaturas trocam calor, e após

Leia mais

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Física Questão 1 (Unirio 2000) Um aluno pegou um fina placa metálica e nela recortou um disco de raio r. Em seguida, fez um anel também de raio r com um fio

Leia mais

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB FÍSICA Aprofundamento Profº. JB LISTA DE RECUPERAÇÃO MENSAL 2º. ANO EM DILATAÇÃO 1) 1. (Unesp 89) O coeficiente de dilatação linear médio de um certo material é e a sua massa específica a 0 C é. Calcule

Leia mais

Professores: Moysés/Abud

Professores: Moysés/Abud LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 1 a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés/Abud 01. Se dois corpos, A e B, estão em equilíbrio térmico, então: a) as massas de A e B são iguais. b) as capacidades térmicas de

Leia mais

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA:

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: NOME: Nº 2 o ano do Ensino Médio TURMA: Data: 11/ 12/ 12 DISCIPLINA: Física PROF. : Petrônio L. de Freitas ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: INSTRUÇÕES (Leia

Leia mais

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico.

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico. 4. CALORIMETRIA 4.1 CALOR E EQUILÍBRIO TÉRMICO O objetivo deste capítulo é estudar a troca de calor entre corpos. Empiricamente, percebemos que dois corpos A e B, a temperaturas iniciais diferentes, ao

Leia mais

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura.

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura. LISTA 04 ONDAS E CALOR 1) A 10 C, 100 gotas idênticas de um líquido ocupam um volume de 1,0cm 3. A 60 C, o volume ocupado pelo líquido é de 1,01cm 3. Calcule: (Adote: calor específico da água: 1 cal/g.

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ C) O calor contido em cada um deles é o mesmo. D) O corpo de maior massa tem mais calor que os outros dois.

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ C) O calor contido em cada um deles é o mesmo. D) O corpo de maior massa tem mais calor que os outros dois. Exercícios de Termometria 1-Calor é: A) Energia que aumenta em um corpo quando ele se aquece. B) Energia que sempre pode ser convertida integralmente em trabalho. C) O agente físico responsável pelo aquecimento

Leia mais

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada.

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada. 1. (Uerj 2015) No mapa abaixo, está representada a variação média da temperatura dos oceanos em um determinado mês do ano. Ao lado, encontra-se a escala, em graus Celsius, utilizada para a elaboração do

Leia mais

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite.

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite. COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão.

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão. Atividades Adicionais Física Módulo 4 1. Qual é a intensidade da força de atração elétrica entre um núcleo de um átomo de ferro (Q = 26 e) e seu elétron mais interno (q = e), sabendo-se que este possui

Leia mais

Termologia. Calor: É uma forma de energia em transito de um corpo de maior temperatura para outro de menor temperatura.

Termologia. Calor: É uma forma de energia em transito de um corpo de maior temperatura para outro de menor temperatura. Página 1 de 35 Termologia 1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria. Ela é o resultado de um acúmulo de descobertas

Leia mais

CAPÍTULO 6 Termologia

CAPÍTULO 6 Termologia CAPÍTULO 6 Termologia Introdução Calor e Temperatura, duas grandezas Físicas bastante difundidas no nosso dia-a-dia, e que estamos quase sempre relacionando uma com a outra. Durante a explanação do nosso

Leia mais

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC.

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC. Exercícios calorimetria 1.Dona Maria do Desespero tem um filho chamado Pedrinho, que apresentava os sintomas característicos da gripe causada pelo vírus H1N1: tosse, dor de garganta, dor nas articulações

Leia mais

1 a QUESTÃO Valor 1,0

1 a QUESTÃO Valor 1,0 1 a QUESTÃO Valor 1,0 Um esquimó aguarda a passagem de um peixe sob um platô de gelo, como mostra a figura abaixo. Ao avistá-lo, ele dispara sua lança, que viaja com uma velocidade constante de 50 m/s,

Leia mais

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes.

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 12R Ensino Médio Equipe de Física Data: FÍSICA CALORIMETRIA Calor Quando colocamos dois corpos com temperaturas diferentes em contato, podemos observar que a temperatura

Leia mais

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB Revisão para o PSC (UFAM) 2ª Etapa Nas questões em que for necessário, adote a conversão: 1 cal = 4,2 J Questão 1 Noções de Ondulatória. (PSC 2011) Ondas ultra-sônicas são usadas para vários propósitos

Leia mais

Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia

Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA TRABALHO DE PROGRESSÃO PARCIAL ENSINO MÉDIO - 2012 ESCOLA REFERENCIA Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia

Leia mais

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico 01 De acordo com o enunciado: na etapa I do processo de liofilização, a água contida no alimento é solidificada. Sendo assim, ela passa do estado líquido ao estado sólido, representado no diagrama de fases

Leia mais

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões Cap 24 Gases perfeitos 21 questões 357 Gases perfeitos 01 UFFRJ 1 a Fase 20 Nas cidades I e II não há tratamento de água e a população utiliza a ebulição para reduzir os riscos de contaminação A cidade

Leia mais

TD DE FÍSICA/DATA: 10/05/2014

TD DE FÍSICA/DATA: 10/05/2014 Fundação Universidade Estadual do Ceará - FUNECE Curso Pré-Vestibular - UECEVest Fones: 3101.9658 / E-mail: uecevest_itaperi@yahoo.com.br Av. Doutor Silas Munguba, 1700 Campus do Itaperi 60714-903 Fone:

Leia mais

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C Colégio Santa Catarina Unidade XIII: Termodinâmica 89 Exercícios de Fixação: a) PV = nr T b)pvn = RT O gráfico mostra uma isoterma de uma massa c) PV = nrt d) PV = nrt de gás que é levada do e) PV = nrt

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 2006 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um corredor de 100 metros rasos percorre os 20 primeiros metros da corrida em 4,0 s com aceleração constante. A velocidade

Leia mais

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações.

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. Questão 01 - (UFPel RS/2009) De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. I. A equação de estado de um gás ideal, pv = nrt, determina que a pressão, o volume, a massa e a temperatura podem

Leia mais

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado:

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado: 1 TEXTO DE REVISÃO Termodinâmica e Gases Ideais Caro aluno (a) : Este texto de revisão é uma continuação do texto de revisão Termologia e Calorimetria. A melhor forma de abordá-lo seja sugerir que ele

Leia mais

A velocidade escalar constante do caminhão é dada por:

A velocidade escalar constante do caminhão é dada por: 46 c Da carroceria de um caminhão carregado com areia, pinga água à razão constante de 90 gotas por minuto. Observando que a distância entre as marcas dessas gotas na superfície plana da rua é constante

Leia mais

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p Química Termodinâmica Exercícios de Fixação 06. Um gás ideal, com C p = (5/2)R e C v = (3/2)R, é levado de P 1 = 1 bar e V 1 t = 12 m³ para P 2 = 12 bar e V 2 t = 1m³ através dos seguintes processos mecanicamente

Leia mais

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA -

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA - 1. (Fuvest 2005) Características do botijão de gás: Gás - GLP Massa total - 13 kg Calor de combustão - 40 000 kj/kg Vestibulando Web Page Um fogão, alimentado por um botijão de gás, com as características

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Ufrgs 2013) Um projeto propõe a construção de três máquinas térmicas, M 1, M 2 e M 3, que devem operar entre as temperaturas de 250 K e 500 K, ou seja, que tenham rendimento ideal igual a 50%. Em cada

Leia mais

Questão 46 Questão 47

Questão 46 Questão 47 Questão 46 Questão 47 Um estudante que se encontrava sentado em uma praça, em frente de um moderno edifício, resolveu observar o movimento de um elevador panorâmico. Após haver efetuado algumas medidas,

Leia mais

CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CADERNO 9 PROF.: Célio Normando CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

Leia mais

FÍSICA SETOR A. Prof. Cazuza e Raphael

FÍSICA SETOR A. Prof. Cazuza e Raphael FÍSICA SETOR A Prof. Cazuza e Raphael 1. (Unifesp 2013) O gráfico representa o processo de aquecimento e mudança de fase de um corpo inicialmente na fase sólida, de massa igual a 100g. Sendo a quantidade

Leia mais

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE LICEU DE ESUDOS INEGRADOS Aluno:... Data:... Série: º ano do ENSINO MÉDIO Professor: Marcos Antônio APOSILA DE FÍSICA II BIMESRE ERMODINÂMICA É a ciência que estuda as relações entre o calor o trabalho,

Leia mais

Lista de exercícios 15 Transformações gasosas

Lista de exercícios 15 Transformações gasosas Lista de exercícios 15 Transformações gasosas 01. Desenhe a curva correspondente (numa dada temperatura) para a transformação isotérmica, explique o porquê desta denominação. 02. Desenhe a curva correspondente

Leia mais

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial.

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial. Exercícios de termodinâmica Para as questões 01 e 02: Em uma transformação isotérmica, mantida a 127 C, o volume de certa quantidade de gás, inicialmente sob pressão de 2,0 atm, passa de 10 para 20 litros.

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que:

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que: DILATAÇÃO TÉRMICA Uma variação de temperatura pode alterar o valor das grandezas de um corpo, tais como: a pressão de um gás, cor e um metal, a resistência elétrica de um condutor de eletricidade, a altura

Leia mais

Física. INSTRUÇÃO: Responder às questões 28 e 29 com base na figura e nas informações abaixo.

Física. INSTRUÇÃO: Responder às questões 28 e 29 com base na figura e nas informações abaixo. Física INSTRUÇÃO: Responder às questões 26 e 27 com base no gráfico e nas informações A velocidade escalar V, em m/s, de um móvel é representada no gráfico, em função do tempo t, em segundos. INSTRUÇÃO:

Leia mais

Exercícios de Termodinâmica

Exercícios de Termodinâmica Exercícios de Termodinâmica 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica

Leia mais

Folhas de exercícios de Termodinâmica

Folhas de exercícios de Termodinâmica DEF-FEUP Física MIEC - 2012/2013 Termodinâmica - 1 Folhas de exercícios de Termodinâmica Temperatura; lei dos gases perfeitos; calorimetria; 1 a lei da termodinâmica Admita os valores seguintes para a

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria. Pré Universitário Uni-Anhanguera

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria. Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria 01 - (MACK SP) Um estudante no laboratório de física, por

Leia mais

FISICA PARA ENSINO MÉDIO EJA educação de Jovens e Adultos PARTE-3: TERMOLOGIA: Termometria, Dilatometria, Calorimetria

FISICA PARA ENSINO MÉDIO EJA educação de Jovens e Adultos PARTE-3: TERMOLOGIA: Termometria, Dilatometria, Calorimetria FISICA PARA ENSINO MÉDIO EJA educação de Jovens e Adultos PARTE-3: TERMOLOGIA: Termometria, Dilatometria, Calorimetria 1. TERMOMETRIA: 1.1 Calor e temperatura a) Temperatura: Intuitivamente a temperatura

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

TIPO-A FÍSICA. x v média. t t. x x

TIPO-A FÍSICA. x v média. t t. x x 12 FÍSICA Aceleração da gravidade, g = 10 m/s 2 Constante gravitacional, G = 7 x 10-11 N.m 2 /kg 2 Massa da Terra, M = 6 x 10 24 kg Velocidade da luz no vácuo, c = 300.000 km/s 01. Em 2013, os experimentos

Leia mais

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA MEDIÇÃO DE TEMPERATURA 1 INTRODUÇÃO Temperatura é sem dúvida a variável mais importante nos processos industriais, e sua medição e controle, embora difíceis, são vitais para a qualidade do produto e a

Leia mais

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão.

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão. Máquinas Térmicas INTRODUÇÃO Dando continuidade ao nosso material, vamos trazer aplicações para tudo que a gente viu até agora na termodinâmica. A máquina térmica revolucionou o mundo a partir dos estudos

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ B) 593 kcal C) 771 kcal D) 829 kcal E) 1000 kcal

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ B) 593 kcal C) 771 kcal D) 829 kcal E) 1000 kcal Exercícios de Calorimetria 1-Num calorímetro, contendo 185 g de água a 26 C, jogase um bloco de 150 g de prata a 120 C, obtendo-se o equilíbrio térmico em temperatura de 30 C. Determinar o equivalente

Leia mais

FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica

FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica TERMODINÂMICA 1. Definiçoes: Parte da Física que estuda as relações entre calor e trabalho em dado sistema.

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ º Exame de Qualificação 011 Questão 6 Vestibular 011 No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo II Aula 05 1. Introdução A mecânica dos gases é a parte da Mecânica que estuda as propriedades dos gases. Na Física existem três estados da matéria

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

Unidade 8 - Calorimetria. Conceitos, definições e Calorimetria.

Unidade 8 - Calorimetria. Conceitos, definições e Calorimetria. Unidade 8 - Calorimetria Conceitos, definições e Calorimetria. CALOR Calor é energia térmica em trânsito entre corpos de diferentes temperaturas. Considere dois corpos A e B em diferentes temperaturas

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido.

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. EXERCÍCIOS PREPARATÓRIOS 1. (G1) Explique o significado das palavras a seguir. Observe o modelo. Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. Vaporização:

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN FÍSICA 1 Estude nas apostilas: Física Térmica e Termodinâmica Curiosidade: a unidade de temperatura no SI (Sistema Internacional de Unidades) é o Kelvin. Na tabela seguinte, alguns valores importantes

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica

Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica Segunda Lei da Termodinâmica 1. (UECE 2009) Imagine um sistema termicamente isolado, composto por cilindros conectados por uma

Leia mais

Resolução Vamos, inicialmente, calcular a aceleração escalar γ. Da figura dada tiramos: para t 0

Resolução Vamos, inicialmente, calcular a aceleração escalar γ. Da figura dada tiramos: para t 0 46 a FÍSICA Um automóvel desloca-se a partir do repouso num trecho retilíneo de uma estrada. A aceleração do veículo é constante e algumas posições por ele assumidas, bem como os respectivos instantes,

Leia mais

LISTA DE FÍSICA A. Corumbá, 12 de março de 20 15 Aluno (a): Série: 2º Turma: Professor (a): KLEBER G. CAVALCANTE. Nota/Visto:

LISTA DE FÍSICA A. Corumbá, 12 de março de 20 15 Aluno (a): Série: 2º Turma: Professor (a): KLEBER G. CAVALCANTE. Nota/Visto: Corumbá, 2 de março de 20 5 Aluno (a): Série: 2º Turma: Professor (a): KLEBER G. CAVALCANTE LISTA DE FÍSICA A Nota/Visto: 0 - (UFG GO/204) Uma longa ponte foi construída e instalada com blocos de concreto

Leia mais

Questão 46. Questão 47. Questão 49. Questão 48. ver comentário. alternativa D. alternativa C

Questão 46. Questão 47. Questão 49. Questão 48. ver comentário. alternativa D. alternativa C Questão 46 Um casal de namorados passeia, de braços dados, com velocidade escalar constante de 80 cm/s. O passo da menina mede 40 cm e o do rapaz, 60 cm. Se, em certo instante, ambos tocam o pé direito

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL SELEÇÃO PARA A TURMA 2014

PROVA ESCRITA NACIONAL SELEÇÃO PARA A TURMA 2014 PROVA ESCRITA NACIONAL SELEÇÃO PARA A TURMA 2014 Caro professor, cara professora Esta prova é composta por 25 questões de escolha múltipla, com quatro alternativas, e resposta única. Cada questão respondida

Leia mais

TERMODINÂMICA Exercícios

TERMODINÂMICA Exercícios Escola Superior de Tecnologia de Abrantes TERMODINÂMICA Exercícios Professor: Eng. Flávio Chaves Ano lectivo 2003/2004 ESCALAS DE PRESSÃO Problema 1 Um óleo com uma massa específica de 0,8 kg/dm 3 está

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa D. alternativa E

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa D. alternativa E Questão 46 Correndo com uma bicicleta, ao longo de um trecho retilíneo de uma ciclovia, uma criança mantém a velocidade constante de módulo igual a,50 m/s. O diagrama horário da posição para esse movimento

Leia mais

SÉRIE DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA CURSO DE ENSAIOS EM VOO (CEV)

SÉRIE DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA CURSO DE ENSAIOS EM VOO (CEV) SÉRIE DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA CURSO DE ENSAIOS EM VOO (CEV) 1) As vezes, um fator de conversão pode ser deduzido mediante o conhecimento de uma constante em dois sistemas diferentes. O peso de um pé cúbico

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

4. Introdução à termodinâmica

4. Introdução à termodinâmica 4. Introdução à termodinâmica 4.1. Energia interna O estabelecimento do princípio da conservação da energia tornou-se possível quando se conseguiu demonstrar que junto com a energia mecânica, os corpos

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 9 Calor e Energia A 1ª Lei da Termodinâmica

Lista de Exercícios - Unidade 9 Calor e Energia A 1ª Lei da Termodinâmica Lista de Exercícios - Unidade 9 Calor e Energia A 1ª Lei da Termodinâmica 1ª Lei da Termodinâmica 1. (UEL 2012) O homem utiliza o fogo para moldar os mais diversos utensílios. Por exemplo, um forno é essencial

Leia mais

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A FÍSICA. Para um corpo em MHS de amplitude A, que se encontra incialmente na posição A/, com velocidade positiva, a fase inicial é, em radianos, a) b) c) d) e). O planeta Terra possui raio R e gira com

Leia mais

EXERCÍCIOS PROPOSTOS RESUMO. ΔH: variação de entalpia da reação H R: entalpia dos reagentes H P: entalpia dos produtos

EXERCÍCIOS PROPOSTOS RESUMO. ΔH: variação de entalpia da reação H R: entalpia dos reagentes H P: entalpia dos produtos Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 04 Termoquímica Entalpia (H) e Fatores que Alteram o ΔH RESUMO Entalpia (H) é a quantidade total de energia de um sistema que pode ser trocada na

Leia mais

CALOR SENSÍVEL: CALORIMETRIA

CALOR SENSÍVEL: CALORIMETRIA CALOR SENSÍVEL: CALORIMETRIA Experimento!!! O estudo deste assunto inicia-se com a realização de um experimento. O guia experimental utilizado está disponível em: http://www.cefetrs.tche.br/~denise/caloretemperatura/caloretemp_atividade.pdf

Leia mais

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor Um mol de um gás ideal é levado do estado A para o estado B, de acordo com o processo representado no diagrama pressão versus volume conforme figura abaixo: a)

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade udwig Maximilian de Munique, Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

Questão 46. alternativa A

Questão 46. alternativa A Questão 46 Um garoto, brincando com seu autorama, resolve analisar o movimento do carrinho durante um ciclo, ao longo da trajetória pontilhada ABDEFA. Os trechos AB, D, DE e FA medem 40,00 cm cada um e

Leia mais

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 HTTP://COMSIZO.BLOGSPOT.COM/ Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 Engenharia Física 09 Universidade Federal de São Carlos 10/31/2009 *Conseguimos algumas resoluções

Leia mais

TERMOLOGIA. Parte da Física que estudar a relação de troca de calor entre os corpos.

TERMOLOGIA. Parte da Física que estudar a relação de troca de calor entre os corpos. TERMOLOGIA Parte da Física que estudar a relação de troca de calor entre os corpos. DIVISÕES TERMOMETRIA CALORIMETRIA TERMODINÂMICA TERMOMETRIA Estuda a temperatura dos corpos Temperatura: Agitação das

Leia mais

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada.

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada. TERMOMETRIA ESCALAS TERMOMÉTRICAS 1. (Uerj 2015) No mapa abaixo, está representada a variação média da temperatura dos oceanos em um determinado mês do ano. Ao lado, encontra-se a escala, em graus Celsius,

Leia mais

FÍSICA. Exatas/Tarde Física e Matemática Prova A Página 1

FÍSICA. Exatas/Tarde Física e Matemática Prova A Página 1 FÍSICA 01 - A figura a seguir representa um eletroímã e um pêndulo, cuja massa presa à extremidade é um pequeno imã. Ao fechar a chave C, é correto afirmar que C N S (001) o imã do pêndulo será repelido

Leia mais

Calorimetria (calor sensível e calor latente)

Calorimetria (calor sensível e calor latente) Calorimetria (calor sensível e calor latente) A calorimetria é a parte da física que estuda os fenômenos relacionados à transferência de calor. Na natureza encontramos a energia em diversas formas. Uma

Leia mais

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1)

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1) Capítulo 20 Entropia e a Segunda ei da ermodinâmica Neste capítulo, vamos introduzir a segunda lei da termodinâmica. Os seguintes tópicos serão abordados: Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot

Leia mais

Unidade XII: Termologia

Unidade XII: Termologia Colégio Santa Catarina Unidade XII Termologia 163 Unidade XII: Termologia 12.1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria.

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Gabarito dos Exames para o 1º e 2º Anos 1ª QUESTÃO Movimento Retilíneo Uniforme Em um MRU a posição s(t) do móvel é dada por s(t) = s 0 + vt, onde s 0 é a posição

Leia mais

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 =

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 = PROVA DE FÍSIA 2º ANO - AUMULATIVA - 1º TRIMESTRE TIPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as seguintes afirmativas. (F) Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem,

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA AULA 07 ERMODINÂMICA GASES 1- INRODUÇÃO As variáveis de estado de um gás são: volume, pressão e temperatura. Um gás sofre uma transformação quando pelo menos uma das variáveis de estado é alterada. Numa

Leia mais

Calorimetria e Mudança de fases

Calorimetria e Mudança de fases Parte I Calorimetria e Mudança de fases 1. (Uerj 2014) A energia consumida por uma pessoa adulta em um dia é igual a 2 400 kcal. Determine a massa de gelo a 0 C que pode ser totalmente liquefeita pela

Leia mais

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02 Quando necessário considere: g = 10 m/s 2, densidade da água = 1 g/cm 3, 1 atm = 10 5 N/m 2, c água = 1 cal/g. 0 C, R = 8,31 J/mol.K, velocidade do som no ar = 340 m/s e na água = 1500 m/s, calor específico

Leia mais

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa A. alternativa D. alternativa D

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa A. alternativa D. alternativa D Questão 46 Um automóvel desloca-se a partir do repouso num trecho retilíneo de uma estrada. A aceleração do veículo é constante e algumas posições por ele assumidas, bem como os respectivos instantes,

Leia mais

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com A condição necessária para que haja propagação do calor de um ponto para outro é que exista diferença de temperatura entre os pontos. O calor pode se propagar de três maneiras: condução, convecção e irradiação.

Leia mais

Documentos do Projecto Redução do consumo energético de um equipamento de frio

Documentos do Projecto Redução do consumo energético de um equipamento de frio Documento nº: 0 Informações do documento Titulo: Resumo da teoria de refrigeração Descrição: Conhecimento básico necessário para compreender e implementar um sistema de refrigeração. Versão Data Autor

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Retomada de Conteúdo 1º

Leia mais

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que QUESTÃO 29 QUESTÃO 27 Uma escada de massa m está em equilíbrio, encostada em uma parede vertical, como mostra a figura abaixo. Considere nulo o atrito entre a parede e a escada. Sejam µ e o coeficiente

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração.

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. (A) O movimento de energia de frio dentro de um espaço onde ele é necessário. (B) A remoção de calor

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO 23. Leia o seguinte texto: Considere que esse grande espelho, acima da camada da atmosfera, estará em órbita geoestacionária. Com base nessas informações,

Leia mais

Prova 3 Física QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3

Prova 3 Física QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado FÍSICA 01 O diagrama abaixo mostra um brinquedo

Leia mais

Gás Ideal ou Perfeito

Gás Ideal ou Perfeito Leituras Complementares Gás Ideal ou Perfeito Um gás ideal ou perfeito é aquele que segue a ecuação: PV = nrt Onde: R = 8,314 J mol -1 K -1 R = 8,205 10-2 atm L mol -1 K -1 R = 8,314 10-2 bar L mol -1

Leia mais