CODERN TERMO DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CODERN TERMO DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 CODERN TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA EXECUÇÃO DO SERVIÇO DE ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS E SISTEMAS ELÉTRICOS E MECÂNICOS DO TERMINAL SALINEIRO DE AREIA BRANCA. 1. OBJETIVO O presente Termo de Referência tem por objetivo estabelecer as Especificações Técnicas e demais diretrizes para a execução do SERVIÇO DE ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM EQUIPAMENTOS E SISTEMAS ELÉTRICOS E MECÂNICOS DO TERMINAL SALINEIRO DE AREIA BRANCA, cujo escopo contempla os Descarregadores de Barcaças 02 (DB-02) e 04 (DB-04), Transportadores de Correia 04 (TR-04), 05 (TR-05) e do Carregador de Navios (TR-CN) bem como o Sistema de Proteção Catódica do Terminal Salineiro de Areia Branca. 2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Serviço de engenharia referente à execução de manutenções preventivas e corretivas em equipamentos e sistemas do Terminal Salineiro de Areia Branca, o qual será desenvolvido por intermédio de mão de obra especializada, sob a supervisão e responsabilidade técnica de profissional de engenharia devidamente habilitado, demandando necessariamente a emissão de uma Anotação de Responsabilidade Técnica específica para o serviço em questão. O serviço deve contemplar a manutenção preventiva e corretiva de estruturas, trucks, trolleys, grabes, roletes, cavaletes, cabos de aço, CLP's, motores, cabos de força e comando, além da inspeção e medição do sistema de proteção catódica, dentre outros equipamentos e dispositivos. Serão executadas análises de desempenho, testes e ensaios visando a prevenção dos equipamentos e, quando for o caso, a recuperação e/ou substituição de estruturas, peças e componentes eletromecânicos além de alinhamento, ajustes e regulagens diversos, de forma que os equipamentos e sistemas envolvidos estejam integralmente aptos para operação em plena carga. Os serviços serão executados em 03 (três) etapas, cada uma com duração prevista de 14 dias ininterruptos interpolados por 14 dias de repouso para a equipe técnica responsável, com os trabalhadores da CONTRATADA embarcados no Terminal Salineiro em regime de confinamento. Em cada uma das etapas, a equipe técnica Página l de 13

2 l CODERN responsável pela execução dos serviços deve ser composta por, no mínimo, 01 (um) Técnico ou Engenheiro especializado em Elétrica, Mecânica ou Eletromecânica que atuará como supervisor de campo, 01 (um) Eletricista, 02 (dois) Mecânicos de Manutenção e 1 (um) Soldador. Os serviços serão conduzidos por profissionais capacitados e devidamente habilitados. Todos os serviços executados devem ser registrados em Relatório Diário (RDO), informando as ações desenvolvidas ao longo do dia bem como as observações da equipe técnica da CONTRATADA. Os Relatórios Diários devem ser apresentados ao Engenheiro de Plantão no Terminal Salineiro para que este notifique sua ciência e apresente suas observações e comentários. Ao final de cada etapa, a CONTRATADA deverá apresentar à fiscalização da CODERN um Relatório Técnico referente aos serviços executados durante o período. Caberá à CONTRATADA total responsabilidade pela qualidade e desempenho das intervenções, reparos, substituições e instalações executadas durante a manutenção. Todas as intervenções devem ser aprovadas e autorizadas pela CODERN, através do Engenheiro de Plantão no Terminal Salineiro. Caberá à CODERN analisar e aprovar previamente os procedimentos estabelecidos pela CONTRATADA para a execução dos serviços de manutenção dos sistemas e equipamentos. A CONTRATADA deverá providenciar o emprego de equipamentos adequados ao manuseio, carga e descarga dos equipamentos e materiais, devendo haver previamente a comunicação e aprovação da CODERN. O manuseio deverá ser feito conforme as instruções de segurança de operação da CODERN, a fim de se evitar quaisquer danos a equipamentos e pessoal da CODERN ou de terceiros. Página 2 de 13

3 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Os serviços necessários para cada um dos equipamentos/sistemas contemplados neste Termo de Referência são apresentados, de forma sucinta, na sequência Descarregador de Barcaças n" 02 (DB-02) Manutenção Mecânica: Inspeção e limpeza de motores, redutores e acoplamentos mecânicos; Alinhamento de Motores, trucks e redutores com substituição de peças e componentes danificados, com material de reposição disponibilizado pela CODERN; Lubrificação de motores, conjuntos motrizes, redutores e acoplamentos, com fornecimento de insumos pela CODERN; Substituição de roletes de carga e retorno danificados, com material de reposição disponibilizado pela CODERN, Substituição ou montagem de auto alinhadores, raspadores e tambores de tração e alinhamento, com material de reposição disponibilizado pela CODERN; Alinhamento de esteiras, TR-G, TR-E e TR-F com correções na fixação de tambores e auto alinhadores; Correções de acesso para segurança da execução de serviço, com fornecimento de materiais de aplicação pela CODERN; Teste de funcionamento dos elementos mecânicos, com acompanhamento e aprovação da CODERN no Relatório Diário correspondente; Elaboração de Plano de manutenção preditiva e preventiva para o Descarregador, o qual será apresentado para análise, revisão e aprovação da CODERN; ART do serviço executado, bem como relatório fotográfico Manutenção Elétrica Inspeção visual e teste de isolação de todos os motores elétrtcos instalados no Descarregador; Página 3 de 13

4 Testes de sensores, chaves de acionamentos, bloqueio, e sinalizadores instalados no Descarregador; Testes de isolação de cabos de força e comando com emissão de relatório de testes e de lista de cabos para substituição; Manutenção preventiva em painéis elétricos, com correção de vedação do painel; Verificação e teste de placas, componentes e funcionalidades dos inversores de frequência CFW-09 WEG, com laudo técnico de para reposição de peças, caso necessário, ou durabilidade do sistema instalado; Teste e verificação do Controlador Lógico Programável (CLP) Bosch NT200- ze200dp, funcionalidades e durabilidade dos componentes instalados; Substituição de Rede Profibus-DP-RS485, cabos e conectores, item de fornecimento da CONTRATADA, com exceção de placas de comunicação instaladas nos inversores ou modulo de comunicação instalado no CLP; Teste de isolação de cabo de alimentação principal; Teste operacional do sistema, após execução de todas as correções eletromecânicas, com acompanhamento da CODERN e registro em RDO; Elaboração de Plano de manutenção preditiva e preventiva para o sistema elétrico do Descarregador, o qual será apresentado para análise, revisão e aprovação da CODERN; ART do serviço executado bem como relatório fotográfico Descarregador de Barcaças n 04 (DB-04) Manutenção Mecânica: Inspeção e limpeza de motores, redutores e acoplamentos mecânicos; Alinhamento de Motores, trucks e redutores com substituição de peças e componentes danificados, com material de reposição disponibilizado pela CODERN; Lubrificação de motores, conjuntos motrizes, redutores e acoplamentos, com fornecimento de insumos pela CODERN; Substituição de roletes de carga e retorno danificados, com material de reposição disponibilizado gela CODERN, Página 4 de 13

5 * - CODERN AiíTo*nf>íD[ fifníàtj, Substituição ou montagem de auto alinhadores, raspadores e tambores de tração e alinhamento, com material de reposição disponibilizado pela CODERN; Alinhamento de esteiras, TR-G, TR-E e TR-F com correções na fixação de tambores e auto alinhadores; Correções de acesso para segurança da execução de serviço, com fornecimento de materiais de aplicação pela CODERN; Teste de funcionamento dos elementos mecânicos, com acompanhamento e aprovação da CODERN no Relatório Diário correspondente; Elaboração de Plano de manutenção preditiva e preventiva para o Descarregador, o qual será apresentado para análise, revisão e aprovação da CODERN; ART do serviço executado, bem como relatório fotográfico Manutenção Elétrica Inspeção visual e teste de isolação de todos os motores elétricos instalados; Testes de sensores, chaves de acionamentos, bloqueio, e instalados; sinalizadores Manutenção no sistema de iluminação de acesso e serviço; Teste de isolação de cabos de força e comando com emissão de relatório de testes e lista de cabos para substituição; Manutenção preventiva em painéis elétricos, com correção de vedação do painel; Verificação e teste de placas, componentes e funcionalidades dos inversores de frequência, com laudo técnico de para reposição de peças, caso necessário, ou durabilidade do sistema instalado; Teste e verificação do Controlador Lógico Programável (CLP) Schneider, funcionalidades e durabilidade dos componentes instalados; Teste de isolação de cabo de alimentação principal; Teste operacional do sistema, após execução de todas as correções eletromecânicas, com acompanhamento da CODERN e registro em RDO; Página 5 de 13

'Ç? CODERN. Inspeção e limpeza de motores, redutores e acoplamentos mecânicos;

'Ç? CODERN. Inspeção e limpeza de motores, redutores e acoplamentos mecânicos; 'Ç? CODERN do Descarregador, o qual será apresentado para análise, revisão e aprovação da 3.3. Transportador de Correia n 04 (TR-04) 3.3.1. Manutenção Mecânica: danificados, com material de reposição disponibilizado

Leia mais

Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de precisão.

Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de precisão. CatÁlogo de cursos Eixo tecnológico - Controle e Processos Industriais Ajustador Mecânico Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO 1 PRODUTOS 1.1 Serviço de manutenção preventiva mensal e corretiva, quando necessário, para o elevador da Unidade Operacional da Anatel no Estado de Santa Catarina UO031, situada à Rua Saldanha Marinho,

Leia mais

Wander Samuel Maass. Edson Basquiroto ORIENTADOR NA EMPRESA. Antônio Carlos Tavares SUPERVISOR NA FURB

Wander Samuel Maass. Edson Basquiroto ORIENTADOR NA EMPRESA. Antônio Carlos Tavares SUPERVISOR NA FURB AUTOMAÇÃO DE UM FORNO PARA TRATAMENTO DE CHAPAS COM CONTROLE VIA CLP E SISTEMA SUPERVISÓRIO RIO Trabalho de Estágio Supervisionado WEG INDÚSTRIAS LTDA. DIVISÃO AUTOMAÇÃO Wander Samuel Maass ACADÊMICO Edson

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO O objeto de Termo de Referência consiste na contratação de empresa especializada na prestação de serviços de reforma e modernização do sistema de transporte vertical

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Grua

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Grua 1) OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO TECNOLOGIA, QUALIDADE E ENERGIA A SERVIÇO DA ECONOMIA. Engelétrica Indústria, Comércio e Serviços Elétricos Ltda. Rua Xavier da Rocha, 10 Vila Prudente

Leia mais

Consultoria e Tecnologia em Automação

Consultoria e Tecnologia em Automação ARTH ENGENHARIA - Consultoria em Engenharia, Controle e Tecnologia de Automação. Empresa Com a filosofia de associar inovação e experiência em seus projetos, a ARTH engenharia sempre contou com uma equipe

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ALIMENTOS SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos 1. TÍTULO ALINHAMENTO E BALANCEAMENTO DE RODAS Preparar profissionais para identificar os ângulos

Leia mais

SOLUÇÕES INTEGRADAS PARA PROCESSOS ININTERRUPTOS DE PRODUÇÃO

SOLUÇÕES INTEGRADAS PARA PROCESSOS ININTERRUPTOS DE PRODUÇÃO SOLUÇÕES INTEGRADAS PARA PROCESSOS ININTERRUPTOS DE PRODUÇÃO Quem Somos Missão: Ser reconhecida como referência em sistema de adequação de energia com responsabilidade social e ambiental e alto grau de

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS ELEVADOR A CABO ELEVADOR DE CREMALHEIRA Elevador de cremalheira e pinhão Maior custo compra / aluguel; Maior padrão de segurança;

Leia mais

www.pratil.com.br Infraestrutura Elétrica AT (69kW) UNIFOR PROPOSTA COMERCIAL Fortaleza, 16 de Abril de 2014

www.pratil.com.br Infraestrutura Elétrica AT (69kW) UNIFOR PROPOSTA COMERCIAL Fortaleza, 16 de Abril de 2014 Infraestrutura Elétrica AT (69kW) UNIFOR PROPOSTA COMERCIAL Fortaleza, 16 de Abril de 2014 Eduardo Guimarães E-mail.: eduguimarães@pratil.com.br Cel.: (85) 9635-2993 Tel.: (85) 3133-9404 Rua Vicente Linhares,

Leia mais

SPDA (Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas) É PROIBIDA a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização.

SPDA (Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas) É PROIBIDA a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização. SPDA (Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas) Desenvolvimento de projetos Instalação de sistema de proteção (SPDA) Manutenção do sistema de SPDA Laudo Técnico Medição da resistividade do solo

Leia mais

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES Objetivo: Analisar as condições de funcionamento e segurança dos seus equipamentos 19/06/2015 Autor: LUIZ BARATTA - SENGE / RJ 1 HISTÓRICO Estima-se que no Brasil

Leia mais

GUIA DE MANUTENÇÃO BARRAMENTOS ELÉTRICOS CANALIS CANALIS

GUIA DE MANUTENÇÃO BARRAMENTOS ELÉTRICOS CANALIS CANALIS GUIA DE MANUTENÇÃO BARRAMENTOS ELÉTRICOS CANALIS CANALIS OBJETIVO Estabelecer uma seqüência de manutenção preventiva e corretiva dos Barramentos Blindados, KB Iluminação, KU Média Potência, KGF/KLF Forte

Leia mais

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO 1-Objetivo da Cotação: Elaboração do Laudo Técnico do Para Raio e Aterramento seguindo as orientações das norma da

Leia mais

PROJETO DE LEI PREFEITURA xxxxxx

PROJETO DE LEI PREFEITURA xxxxxx PROJETO DE LEI PREFEITURA xxxxxx Dispõe sobre instalação, funcionamento, manutenção e emissão de laudo de inspeção periódica de Aparelhos de Transporte Vertical, e dá outras providências. I. Disposições

Leia mais

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo Balanceadora Manual de Instruções São Paulo 2013 ÍNDICE Ao Proprietário... 3 Ao Operador... 3 Trabalho com Segurança... 4 Cuidados Especiais... 4 Especificações Técnicas... 6 Dados Técnicos... 6 Dimensões

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção.

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. MODELO: BYG AR 1533 Índice 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. 7. Diagrama elétrico. 8. Diagrama hidráulico. 9. Peças

Leia mais

AÇÕES, PROGRAMAS E PROJETOS

AÇÕES, PROGRAMAS E PROJETOS 1 de 6 Estudos e Projetos para infraestrutura portuária - Nacional Estudos e Planejamento para o Setor Portuário - Nacional Elaboração de Estudos de viabilidade econômica para construção de um cais com

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc.

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc. GRUAS Os modernos Canteiros de Obras se utilizam de GRUAS para reduzirem o número de operários, auxiliar no cumprimento de prazos apertados e viabilizar a implantação de diversos sistemas de pré-moldados

Leia mais

Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção. 17 de agosto de 2012

Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção. 17 de agosto de 2012 Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção 17 de agosto de 2012 Capacitação Habilitação O que é previsto nas normas e requisitos de segurança no trabalho

Leia mais

1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3

1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3 1 - HISTÓRICO E OBJETIVO DA EMPRESA 1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3 2 DIVISÃO DE SERVIÇOS 2.1 MONTAGENS 2.1.1 Montagens elétricas em média e baixa tensão;... 4 2.1.2 Sistemas de proteção contra descargas

Leia mais

Melhorar a qualificação dos serviços de montagem, desmontagem, instalação e manutenção dos equipamentos.

Melhorar a qualificação dos serviços de montagem, desmontagem, instalação e manutenção dos equipamentos. Texto atual Texto proposto Motivo da alteração Movimentação e Transporte de materiais e pessoas novo Este item aplica-se a instalação, montagem, desmontagem, operação, teste, manutenção e reparos em elevadores

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA Montagem Estrutura Metálica Em uma obra de estruturas metálicas, a montagem é considerada uma das fases mais importantes por representar uma

Leia mais

Rede Cabeada UTP. Manual do Usuário. ccntelecom.com.br

Rede Cabeada UTP. Manual do Usuário. ccntelecom.com.br Rede Cabeada UTP Manual do Usuário ccntelecom.com.br www.ccntelecom.com.br USUÁRIO, PARABÉNS PELA SUA ESCOLHA Você adquiriu um produto projetado com a qualidade e garantia CCN. A partir de agora, você

Leia mais

TE25 Transpalete Elétrico Manual de Uso e Operação Página 1

TE25 Transpalete Elétrico Manual de Uso e Operação Página 1 Página 1 ÍNDICE 1. ALERTAS... 03 2. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 04 3. DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA... 04 4. TIMÃO DE COMANDO... 05 5. PAINEL INFORMATIVO... 06 6. ADESIVOS E PLAQUETAS... 07 7. IÇAMENTO...

Leia mais

ESTUDO DE CASO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PRODUTO: RODIZIO

ESTUDO DE CASO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PRODUTO: RODIZIO ESTUDO DE CASO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PRODUTO: RODIZIO 1 OBJETIVO Apresentar processos automatizados Evidenciar melhoria de processo através da automação Aumento da produção/produtividade em função da automação

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

Assistente Financeiro, Assistente de TI e Técnico em Manutenção. Os. Descrição e Requisitos

Assistente Financeiro, Assistente de TI e Técnico em Manutenção. Os. Descrição e Requisitos Vitória, 07 de Maio de 2014. A Selecta, empresa de Recrutamento e Seleção, divulga as vagas de emprego em aberto, com destaque para: Encarregado Societário, Recepcionista, Assistente Financeiro, Assistente

Leia mais

Associação Brasileira das Empresas Locadoras de Bens Móveis

Associação Brasileira das Empresas Locadoras de Bens Móveis Texto atual Texto proposto Motivo da alteração Movimentação e Transporte de materiais e pessoas Este item aplica-se a instalação, montagem/desmontagem, operação, teste, manutenção e reparos em elevadores

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: MECÂNICO DE AR CONDICIONADO AUTOMOTIVO - PRONATEC 200 horas ÁREA: AUTOMOTIVA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CT PALMAS Plano de Curso

Leia mais

DAD-50 APLICADOR DE OZÔNIO

DAD-50 APLICADOR DE OZÔNIO DAD-50 APLICADOR DE OZÔNIO MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA www.deox.com.br Página 1 de 7 SUMÁRIO 1 APLICADOR DE OZÔNIO... 2 2 INSTRUÇÕES GERAIS... 2 3 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO... 3 4 INSTALAÇÃO...

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO: 100 ADMINISTRADOR ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Reportar-se ao Diretor de Gestão, de quem recebe orientação e supervisão; Redigir documentos e ter domínio de ferramentas de informática; Efetuar

Leia mais

PLANILHA DE MANUTENÇÃO

PLANILHA DE MANUTENÇÃO Andaime Suspenso Elétrico PLANILHA DE MANUTENÇÃO A inspeção inicial deve ser realizada antes da entrada em operação do guincho, após uma nova montagem, pelos responsáveis pela manutenção do equipamento.

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 9 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

Plano de curso Operação de Plataforma Aérea

Plano de curso Operação de Plataforma Aérea PLANO DE CURSO MSOBROPPTA08 PAG1 Plano de curso Operação de Plataforma Aérea Justificativa do Curso As plataformas aéreas geralmente são utilizadas para fins de acesso flexível e temporários, tais como

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos A UU L AL A Manutenção eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há uma máquina muito sofisticada. Certo dia essa máquina apresentou um defeito e parou. Imediatamente foi acionada a equipe

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

T.L.C - Cronograma Plano de Execução. Logística de Montagem Carros Torpedo

T.L.C - Cronograma Plano de Execução. Logística de Montagem Carros Torpedo T.L.C - Cronograma Plano de Execução Logística de Montagem Carros Torpedo Logística de Montagem Carros Torpedo Identificação das Áreas e Zonas de Montagem T.L.C ASSEMBLY Escolha da Área de Montagem do

Leia mais

Manual de funcionamento Esteira transportadora

Manual de funcionamento Esteira transportadora Manual de funcionamento Esteira transportadora Sumário 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 2 2. ITENS DO SISTEMA... 3 2.1. PLACA DE COMANDO... 3 2.1.1. Sinalizador... 3 2.1.2. Botão pulsador... 3 2.1.3. Chave comutadora...

Leia mais

BATERIAS ESTACIONÁRIAS CHUMBO-ÁCIDAS REGULADAS POR VÁLVULA

BATERIAS ESTACIONÁRIAS CHUMBO-ÁCIDAS REGULADAS POR VÁLVULA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS BATERIAS ESTACIONÁRIAS CHUMBO-ÁCIDAS REGULADAS POR VÁLVULA Especificação Técnica 02.112 - TI/SI 917a GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela:

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA COM REPOSIÇÃO PARCIAL DE PEÇAS ORIGINAIS DOS EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO

Leia mais

Manutenção DSPTI II. Porque fazer Manutenção. Manutenção. Porque fazer Manutenção. Porque fazer Manutenção

Manutenção DSPTI II. Porque fazer Manutenção. Manutenção. Porque fazer Manutenção. Porque fazer Manutenção Manutenção DSPTI II Manutenção Preventiva e Corretiva Prof. Alexandre Beletti Utilizada em todo tipo de empresa, procurando evitar falhas e quebras em um determinado maquinário Prolongar a vida útil de

Leia mais

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Coordenadoria de Manutenção Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Sumário 1. INTRODUÇÃO 3 2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E FUNCIONAL 3 3. ORGANOGRAMA: 3 4. ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

Regras para Usuários. Proposta de Texto

Regras para Usuários. Proposta de Texto NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Regras para Usuários Proposta de Texto 12.1 Princípios Gerais 12.1.1. Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios

Leia mais

Manual de instruções. Prezado Proprietário,

Manual de instruções. Prezado Proprietário, 1 Manual de instruções Prezado Proprietário, Parabenizamos pela escolha na aquisição de um dos nossos produtos. Robustez e simplicidade de operação foi nosso critério primordial para o projeto desse produto

Leia mais

Abaixo, todas as vagas disponíveis: Descrição e Requisitos

Abaixo, todas as vagas disponíveis: Descrição e Requisitos Vitória, 03 de Abril de 2014. A Selecta, empresa de Recrutamento e Seleção, divulga as vagas de emprego em aberto, com destaque para: Assistente Administrativo, Operador de Produção, Engenheiro de Processos

Leia mais

,DE PORTUÁRIA COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE - CODERN

,DE PORTUÁRIA COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE - CODERN PROC. o 31 FOLHA,DE PORTUÁRIA COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE - CODERN SEDE: Av. Eng. Hildebrando de Gois, 220 - Ribeira - CEP: 59010-700 CNPJ: 34.040.345/0001-90- Insc. Estadual: 20.061.797-4 Natal/RN

Leia mais

JUSTIFICATIVA 1. DO OBJETO. Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro. Tel: +55 (21) 2532-2661

JUSTIFICATIVA 1. DO OBJETO. Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro. Tel: +55 (21) 2532-2661 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA RELATIVA À MANUTENÇÃO DE ELEVADORES, PLATAFORMAS DE CADEIRANTES E MONTA- CARGA A SEREM EXECUTADOS

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP 1 INDÍCE 1 - OBJETIVO 2 - NORMAS APLICÁVEIS 3 - GENERALIDADES

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10 Características & Interligação Módulo APGV Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada Revisão 00 de 13/05/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em manutenção preventiva e corretiva, com reposição de peças originais, sem ônus adicional para a CONTRATANTE, em aparelhos

Leia mais

ÍNDICE MANUTENÇÃO PREVENTIVA COMO PEDIR PEÇAS DE REPOSIÇÃO

ÍNDICE MANUTENÇÃO PREVENTIVA COMO PEDIR PEÇAS DE REPOSIÇÃO Este manual ajudará você a familiarizar-se com a sua Empilhadeira Manual BYG. Facilitará também, possíveis manutenções periódicas. Recomendamos uma atenção especial para utilização do equipamento, antes

Leia mais

ANEXO II (RES. CONJ. N.º 00001/2007-SEAP/SETI) cont. Ficha de Perfil Profissiográfico do Cargo de Agente Universitário - IEES FUNÇÃO: MOTORISTA

ANEXO II (RES. CONJ. N.º 00001/2007-SEAP/SETI) cont. Ficha de Perfil Profissiográfico do Cargo de Agente Universitário - IEES FUNÇÃO: MOTORISTA FUNÇÃO: MOTORISTA Código da Função: 2011 Carga horária: 40 horas semanais CBO: 782305 Ensino Médio completo Descrição sumária das tarefas Dirigir e manobrar veículos e transportar pessoas, cargas, valores

Leia mais

Manual do Usuário - NKPROX

Manual do Usuário - NKPROX Manual do Usuário NKPROX Manual do Usuário - NKPROX Neokoros TI - Biometric Technology Índice 1 - Apresentação e Características Gerais...3 2 - Placa BMC - Especificações...4 2.1 - Conectores (pinagem

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS DEFINIÇÃO DE GRUA: GUINDASTE UNIVERSAL DE TORRE PARA TRANSPORTE DE CARGAS, TANTO NA HORIZONTAL COMO NA VERTICAL SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO

Leia mais

Contratação de empresa para adequação do Sistema de Proteção de Incêndio Chuveiros Automáticos (Sprinkler).

Contratação de empresa para adequação do Sistema de Proteção de Incêndio Chuveiros Automáticos (Sprinkler). SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS OBJETO: Contratação de empresa para adequação do Sistema de Proteção de Incêndio Chuveiros Automáticos (Sprinkler). O serviço visa contratar uma empresa para manutenção

Leia mais

ANEXO 04 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO 04 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 04 TERMO DE REFERÊNCIA CONCESSÃO DE USO DE 02 (DUAS) ÁREAS, TOTALIZANDO 71.400,00 M², LOCALIZADAS NA ÁREA EXTERNA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SALVADOR/BA DEPUTADO LUIS EDUARDO MAGALHÃES, DESTINADAS

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 10 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária AEROPORTO INTERNACIONAL DE RECIFE/GUARARAPES-GILBERTO FREYRE TERMO DE REFERÊNCIA

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária AEROPORTO INTERNACIONAL DE RECIFE/GUARARAPES-GILBERTO FREYRE TERMO DE REFERÊNCIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE RECIFE/GUARARAPES-GILBERTO FREYRE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE PLATAFORMAS ELEVATÓRIAS ARTICULADAS PARA USO NO AEROPORTO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO CECIERJ TERMO DE REFERÊNCIA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO CECIERJ TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Prestação de serviço de retífica e instalação de 4 (quatro) compressores marca Worthington, reforma de 2 (duas) torres de resfriamento marca Alpina, manutenção de 5 (cinco)

Leia mais

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 APLICADO EM ACIONAMENTO DE TRANSPORTADORES DE CORREIA TMPM SÃO LUÍS - MA SAT 1260 Localidade,

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Portifólio Informe Técnico de Projeto

Portifólio Informe Técnico de Projeto Portifólio Informe Técnico de Projeto Ponte Rolante de Aciaria Cliente Área de Negócio Ano de Execução Ficha Técnica Sinobras Turn Key 2011 Tecnologia em Sistemas Industriais e Serviços Fornecimento de

Leia mais

CAD-300. Cabine de Aplicação MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA. DEOX MÁQUINAS LTDA www.deox.com.br

CAD-300. Cabine de Aplicação MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA. DEOX MÁQUINAS LTDA www.deox.com.br CAD-300 Cabine de Aplicação MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA www.deox.com.br Página 1 de 7 SUMÁRIO 1 INSTRUÇÕES GERAIS... 2 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO... 2 3 INSTALAÇÃO... 3 3.1 SOLICITAÇÕES

Leia mais

CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 007/2006 1 ANEXO 3 MODELOS DE RELATÓRIOS DE MANUTENÇÃO

CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 007/2006 1 ANEXO 3 MODELOS DE RELATÓRIOS DE MANUTENÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 007/2006 1 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES ANEXO 3 MODELOS DE RELATÓRIOS DE MANUTENÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 007/2006 2 TAG Condição esperada / Atividade IL Quantidade de luminárias

Leia mais

Didática Bosch Rexroth

Didática Bosch Rexroth Didática Bosch Rexroth 2 Introdução A Divisão Service da Bosch Rexroth oferece ao mercado a sua linha didática. Sempre preocupada com a qualificação técnica do profissional brasileiro, oferece à indústria

Leia mais

PROBATEC Comércio e Reparação de Baterias Tracionarias LTDA

PROBATEC Comércio e Reparação de Baterias Tracionarias LTDA PROBATEC Comércio e Reparação de Baterias Tracionarias LTDA A EMPRESA A Probatec se impõe no mercado como uma empresa que oferece recursos inovadores para a manutenção, restauração e soluções em baterias

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 197, de 17 de dezembro de 2010 17 de outubro 2011 Eng João Baptista Beck Pinto REVISÃO NR-12 Art. 2º Criar a Comissão Nacional Tripartite

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

www.agais.com Armazenagem: Transporte de Grãos 1 Figura 1 Unidade Armazenadora Cortesia CASP

www.agais.com Armazenagem: Transporte de Grãos 1 Figura 1 Unidade Armazenadora Cortesia CASP 1 Armazenagem: Transporte de Grãos 1 Por: Luís César da Silva Figura 1 Unidade Armazenadora Cortesia CASP Unidades armazenadoras de grãos apresentam constituídas por: (a) estruturas físicas: moegas, silos-pulmões,

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE OS MOTORES DE INDUÇÃO DE PEQUENO PORTE NO ACIONAMENTO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS, SOB O ENFOQUE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

UMA REFLEXÃO SOBRE OS MOTORES DE INDUÇÃO DE PEQUENO PORTE NO ACIONAMENTO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS, SOB O ENFOQUE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA UMA REFLEXÃO SOBRE OS MOTORES DE INDUÇÃO DE PEQUENO PORTE NO ACIONAMENTO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS, SOB O ENFOQUE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Dinoel Henrique Silveira de Oliveira, Sérgio Ferreira de Paula

Leia mais

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18 Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Cestos aéreosa GT- Cesto Aéreo(em discussão no CPN) É proibido a utilização de equipamentos de guindar

Leia mais

Manutenção e Reforma. Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias. Ricardo Santaliestra Pina

Manutenção e Reforma. Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias. Ricardo Santaliestra Pina Manutenção e Reforma Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias Ricardo Santaliestra Pina Norma ABNT NBR 5674 Manutenção Edificações Requisitos

Leia mais

Monitoramento Online de Máquinas e Equipamentos www.preditivaonline.com.br marceloterra@preditivaonline.com.br Tel. 15-997741518

Monitoramento Online de Máquinas e Equipamentos www.preditivaonline.com.br marceloterra@preditivaonline.com.br Tel. 15-997741518 Principais Conceitos Definição de manutenção : ato ou efeito de manter; cuidar de algum objeto ou bem. Conservação. Podemos entender manutenção como o conjunto de tratativas e cuidados técnicos, indispensáveis

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE. Assistência Técnica Transformadores / Secionadores

ATENDIMENTO AO CLIENTE. Assistência Técnica Transformadores / Secionadores ATENDIMENTO AO CLIENTE Assistência Técnica Transformadores / Secionadores No presente documento, iremos apresentar a atual estrutura e principais atividades desenvolvidas pela Seção de Assistência Técnica

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBJETO...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA REFORMA DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DOS PAVILHÕES 1 E 2 EVENTOS...CENTRO DE

Leia mais

Atuador rotativo. Série 8604/1. Manual de instruções BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR

Atuador rotativo. Série 8604/1. Manual de instruções BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR Atuador rotativo Manual de instruções Additional languages www.stahl-ex.com Índice 1 Informações Gerais...3 1.1 Fabricante...3 1.2 Informações relativas ao manual de instruções...3 1.3 Outros documentos...3

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

FÁBRICA DE MÁQUINAS PARA A INDÚSTRIA MADEIREIRA DESEMPENADEIRA 320 LINHA LEVE

FÁBRICA DE MÁQUINAS PARA A INDÚSTRIA MADEIREIRA DESEMPENADEIRA 320 LINHA LEVE FÁBRICA DE MÁQUINAS PARA A INDÚSTRIA MADEIREIRA DESEMPENADEIRA 320 LINHA LEVE ÍNDICE NORMAS DE SEGURANÇA... 3 ÁREAS DE RISCOS E POSICIONAMENTO BÁSICO DE OPERAÇÃO... 4 MANUTENÇÃO... 5 DADOS DA MÁQUINA...

Leia mais

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Este anexo aplica-se às certificações cujas quais não apresentam critérios específicos para definição de laboratórios no Programa de Avaliação da Conformidade. Nestes casos,

Leia mais

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial.

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. A trabalha dentro de normas. Como: NBR, ASME, DIN, API e etc. Nosso galpão industrial comporta

Leia mais

4 Resultados Gerais para Pontes Rolantes e seus Componentes

4 Resultados Gerais para Pontes Rolantes e seus Componentes 3 Resultados Gerais para Pontes Rolantes e seus Componentes Este capítulo apresenta os resultados gerais obtidos para duas pontes rolantes de áreas distintas da empresa, a ponte rolante 6 e a 2 (risco

Leia mais

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES Objetivo: Analisar as condições de funcionamento e segurança dos seus equipamentos 09/11/2014 Autor: LUIZ BARATTA - SENGE / RJ 1 NORMAS ABNT ABNT NBR 5665:1983 ERRATA

Leia mais

Introdução. Sistemas. Tecnologia. Produtos e Serviços

Introdução. Sistemas. Tecnologia. Produtos e Serviços Introdução Apresentamos nosso catálogo técnico geral. Nele inserimos nossa linha de produtos que podem ser padronizados ou de projetos desenvolvidos para casos específicos. Pedimos a gentileza de nos contatar

Leia mais

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5- TESM5P Manual de Operação Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P . DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL Modelo: Velocidade sem carga: Pressão de ar: Entrada de ar: Disco de lixa: Consumo de ar: TESM5P

Leia mais