Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A"

Transcrição

1 Coordenação Geral de Processamento e Preservação do Acervo Coordenação de Documentos Escritos Equipe de Documentos do Executivo e do Legislativo Fundo Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A AGEF (EK) INVENTÁRIO SUMÁRIO DOS DOCUMENTOS TEXTUAIS E IMPRESSOS 1

2 Coordenação Geral de Processamento e Preservação do Acervo Coordenação de Documentos Escritos Equipe de Documentos do Executivo e do Legislativo Fundo Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A AGEF (EK) INVENTÁRIO SUMÁRIO DOS DOCUMENTOS TEXTUAIS E IMPRESSOS Rio de Janeiro, junho de 2012

3 Copyright 2012 Arquivo Nacional 1ª edição, 2011 Praça da República, CEP Rio de Janeiro RJ Brasil Coordenação de Consultas ao Acervo: Coordenação de Atendimento a Distância: Presidente da República Dilma Vana Rousseff Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo Secretário-Executivo do Ministério da Justiça Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto Diretor-Geral do Arquivo Nacional Jaime Antunes da Silva Arquivo Nacional (Brasil). Coordenação de Documentos Escritos. Equipe de Documentos do Poder Executivo e Legislativo. Fundo Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (EK): inventário sumário dos documentos textuais e impressos / Equipe de Documentos do Poder Executivo e Legislativo; Sátiro Ferreira Nunes. 1ª. ed. rev. - Rio de Janeiro : o Arquivo, p.; Revisada por Sátiro Ferreira Nunes, em Equipe de Documentos do Executivo e Legislativo - Inventários. 2. Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A, Arquivos Guias, inventários, etc. I. Nunes, Sátiro Ferreira. II. Nunes, Sátiro Ferreira. III. Título. 3

4 Coordenadora-Geral de Processamento e Preservação do Acervo Carmen Tereza Coelho Moreno Coordenador de Documentos Escritos Mauro Lerner Markowski Supervisor da Equipe de Documentos do Executivo e Legislativo Sátiro Ferreira Nunes Equipe Técnica Primeiro tratamento: relação de recolhimento e plano de destinação elaborados pela AGEF com supervisão do Arquivo Nacional Segundo tratamento: processamento das unidades de arquivamento Maria do Rosário Peixoto (supervisão) Terceiro tratamento: Marcello Lago (Inventário Topográfico das Unidades de Arquivamento) Sátiro Ferreira Nunes (supervisão, índices e formatação final) Capa Concepção: Sátiro Ferreira Nunes Foto: Flavio Ferreira Lopes Tema: Detalhe de cabeça de leão. Guarda do edifício sede do Arquivo Nacional, Rio de Janeiro Coordenadora-Geral de Acesso e Difusão Documental Maria Aparecida Silveira Torres Copidesque e formatação digital José Ivan Calou Filho 4

5 Sumário Descrição do Fundo 6 Apresentação 8 Descrição do Conteúdo 9 Índice Temático 33 Índice Geográfico 60 Índice Cronológico 67 Siglas 72 5

6 Descrição do Fundo Código BR RJ AN,RIO EK Título Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (AGEF) Nível de descrição Fundo Natureza jurídica Pública Datas Dimensão e suporte 30,10 metros lineares Textual Nome do produtor Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (AGEF) Histórico A Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (AGEF), foi criada com base no artigo 30 da lei nº 3.115, de 16 de março de 1957, e no decreto nº , de 30 de julho de 1959, como uma sociedade de economia mista, com sede no Rio de Janeiro, e controlada pela Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA). Tinha como objetivos a construção, instalação e operação, em âmbito nacional, de terminais, armazéns gerais, frigoríficos e silos, destinados a complementar, auxiliando e incentivando o transporte ferroviário; bem como auxiliar no escoamento de safras, principalmente em regiões servidas por ferrovias; na exploração de atividades conexas ou complementares dos serviços ferroviários em geral, tais como operação de terminais, transbordos, carga e descarga, manuseio, embalagem de mercadorias, transportes complementares à ferrovia; e nas operações de armazéns alfandegários. Ao longo dos anos, a AGEF, que recebera de sua controladora, a RFFSA, um considerável patrimônio em instalações de armazenagem geral e especializada, expandiu significativamente seu patrimônio, que incluía armazéns gerais, graneleiros e terminais especializados, ampliando suas operações, em âmbito nacional, tornando-se uma empresa de médio porte. A partir de 1990, especialmente no período de 1990 a 1992, pelo decreto nº 473, de 10 de março de 1992, efetivou-se uma drástica diminuição na escala de operações da empresa, culminando, por orientação governamental, na sua inclusão no Programa Nacional de Desestatização (PND), com o objetivo de propiciar 6

7 a sua extinção. Para tanto, realizou-se, em 17 de dezembro de 1999, uma assembleia geral extraordinária quando, por indicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, foram nomeados a liquidante e o conselho fiscal, fixando-se o prazo de 180 dias, a partir daquela data, para o término de suas atividades. Para atingir este objetivo, foi elaborado um cronograma do processo de liquidação, prevendo-se o levantamento do balanço patrimonial, dos bens, dos direitos, bem como de suas obrigações. A maior parte das suas unidades operacionais foi transferida para a RFFSA, constituindo-se a AGEF remanescente de poucas unidades operacionais, que teria o seu controle acionário vendido em hasta pública. A AGEF foi extinta em 16 de abril de 2001 e o recolhimento de sua documentação ao Arquivo Nacional foi a conclusão do processo liquidatário. Conteúdo Documentação dos armazéns da AGEF; documentos diversos referentes aos imóveis da AGEF; avaliação de volumes e armações; documentação referente aos escritórios; plantas diversas; relatórios de auditoria interna; certificados de auditoria; resoluções da presidência e da liquidante da AGEF; atos, resoluções e decisões da diretoria; relatórios anuais da diretoria; processos; atas de reuniões da diretoria; atas e documentos do conselho fiscal; atas das assembléias gerais ordinárias e extraordinárias; relatórios de auditorias internas; documentos diversos, incluindo contratos de financiamento, autorizações, cartas e memorandos, processos de alienação de armazéns, correspondências diversas, tomadas de contas, ações nominativas, livros de atas, etc. O fundo também é composto por 27 títulos e 131 folhas de documentos cartográficos. Estão divididos em 24 títulos sobre construção, reforma, instalação elétrica e hidráulica de armazéns para a estocagem de grãos, situados na rodovia Presidente Castelo Branco, com referências também ao Instituto Brasileiro do Café, ao Moinho Santista e a fazenda e haras Tamboré. Um título refere-se à construção da rodoviária de Paraíba do Sul (RJ), e outros dois, respectivamente, à Indústria Gaúcha de Embalagens (IGESA) e ao pátio alfandegário de Uruguaiana, ambos situados no Rio Grande do Sul. Procedência O acervo da AGEF foi recolhido ao Arquivo Nacional, após a sua extinção em 16 de abril de 2001, através de listagem documentada no processo /2003, de junho de De acordo com os termos de recolhimento constantes no citado processo, o acervo foi recolhido em duas etapas. Na primeira, em 16 de junho de 2003, ingressaram 26 metros lineares de documentos relativos às atividades de organização e funcionamento: material, patrimônio, orçamento, finanças e operações técnicas, compreendendo o período de 1959 a Desse material foram transferidas, em 17 de setembro de 2003, dez caixas-arquivo para a Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos contendo plantas, ampliações fotográficas, slides e fitas de vídeo, para receberem tratamento especifico, em razão de seu suporte. Na segundo etapa, em 13 de outubro de 2003, foram recolhidos 5,5 metros lineares de documentos contábeis e financeiros, referentes ao período de 1963 a

8 Unidades Responsáveis Seção do Poder Executivo e Legislativo Condição de acesso: sem restrições Estágio de tratamento: identificado Seção de Documentos Iconográficos Condição de acesso: restrito Estágio de tratamento: em tratamento Seção de Documentos Cartográficos Condição de acesso: sem restrições Estágio de tratamento: organizado / SIAN Apresentação Destina-se o presente instrumento a ser uma ferramenta de pesquisa do acervo recolhido ao Arquivo Nacional, oriundo da Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (AGEF), após a sua extinção em 16 de abril de A construção desta ferramenta teve por objetivo fornecer ao usuário base material de acesso às informações contidas nos documentos produzidos pela AGEF, a partir de um levantamento sumário do conteúdo, em cada unidade de arquivamento do acervo, recolhido entre junho e outubro de Assim é que, a partir da listagem do acervo recolhido, procedemos à sistematização das informações de modo a propiciar, não apenas o reconhecimento direto do conteúdo de cada unidade de arquivamento, como também, a identificação, através de referencias cruzadas em formato de índices, das informações sistematizadas de nomes de pessoas, lugares, assuntos e datas referenciadas nos documentos, para agilizar o acesso. Ao implementar a elaboração de instrumentos sumários de identificação de acervos acumulados e, até então indisponíveis à consulta, buscamos fornecer aos usuários ferramentas através das quais possam lançar luz sobre as políticas publicas, no caso da AGEF, daquelas de implementação e manutenção de controle do armazenamento, da produção e distribuição de bens agroindustriais, que utilizavam a malha ferroviária existente no país, entre os anos de 1957 a Por outro lado, este instrumento permite ao corpo técnico, conhecendo o acervo, propor um quadro de arranjo e descrição de seu conteúdo, de forma a subsidiar a próxima etapa de sua organização e descrição, com a inserção daquelas informações no Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN), uma base de dados que permitirá cruzar os dados dos demais conjuntos documentais do Arquivo Nacional, materializando o conceito de acesso democrático da informação como um dos principais atributos de um arquivo público. Sátiro Ferreira Nunes Supervisor da Equipe do Executivo e do Legislativo 8

9 Descrição do Conteúdo Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 1 Armazém do terminal Carlos Antônio Filgueiras (TECAF), Contagem (MG) Armazém de Água Branca (SP) Armazém de Água Branca (SP) Armazém de Alvorada do Sul (PR) Armazém de Anápolis (GO) Armazém de Anápolis (GO) Armazém de Apucarana (PR) Armazém de Arapongas (PR) Armazém de Arará (RJ) Armazém de Arcos (MG) Armazém de Astorga (PR) Armazém de Avaré (SP) Armazém de Baixa do Fiscal (RJ) Armazém de Bandeirantes (PR) Armazém de Barreiros (MG) Armazém de Barro Preto (PR) Armazém de Barueri (SP) Armazém de Bela Vista do Paraíso (PR) Armazém de Belo Horizonte (MG) Armazém de Bernardo Sayão (DF) Armazém de Cachoeira Paulista (SP) Armazém de Cambé (PR) Armazém de Candeias (BA) Armazém de Canoas (RS) Armazém de Capuava (SP) Armazém de Carapicuíba (SP) Armazém de Colorado (PR) Armazém de Carreira Comprida (MG) Armazém de Cinco Pontas (PE)

10 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 8 Armazém de Centenário do Sul (PR Armazém de Cianorte I (PR) Armazém de Cianorte II (PR) Armazém de Contagem (MG) Armazém de Contorno (MG) Armazém de Cruzeiro (SP) Armazém de Docas (RJ) Armazém de Engenheiro Beltrão (PR) Armazém de Externo (RJ) Armazém de Fortaleza (CE) Armazém de Goiânia (GO) Armazém de Goio Erê (PR) Armazém graneleiro de Curitiba (PR) Armazém de Guapuruvu (PR) Armazém de Henry Ford (SP) Armazém de Ipiranga (SP) Armazém de Itatinga (SP) Armazém de Jaguapitã (PR) Armazém de Jandaia do Sul (PR) Armazém de Jundiaí (SP) Armazém de Livramento (RS) Armazém de Londrina (PR) Armazém de Lupionópolis (PR) Armazém de Mandaguari (PR) Armazém de Maringá (PR) Armazém de Marítima (RJ) Armazém de Massuí (BA) Armazém de Mooca (SP) Armazém de Mucuripe (CE) Armazém de Niterói (RJ) Armazém de Nova Esperança (PR)

11 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 14 Armazém de Nova Londrina (PR) Armazém de Paraíso do Norte (PR) Armazém de Paranacity (PR) Armazém de Paranavaí (PR) Armazém de Porecatu (PR) Armazém de Praia Formosa (RJ) Armazém de Presidente Wilson (SP) Armazém de Prudente de Morais (MG) Armazém de Raul Braga (CE) Armazém de Rolândia (PR) Armazém de Santa Izabel do Ivaí (PR) Armazém de Santos (SP) Armazém de São João do Caiuá (PR) Armazém de São José do Rio Preto (SP) Armazém de Sertaneja (PR) Armazém de Sertanópolis (PR) Armazém de Terra Rica (PR) Armazém de Três Rios (RJ) Armazém de Uruguaiana (RS) Armazém de Utinga (SP) Armazém de Volta Redonda (RJ) Armazém graneleiro do DAIA (GO) Escritório de Brasília (DF) Escritório de São Paulo (SP) Armazém graneleiro do Rio Grande (RS) Documentos diversos referentes aos imóveis da AGEF, doação em pagamento. Data: 10/04/1987. Outorgante: José Alexandre Joaquim e sua mulher. Outorgado: Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários S/A (AGEF) Alienação do imóvel da rua Visconde de Inhaúma, nº 38. Alienado em Avaliação de volumes e armações 1975 Obra do Paraná 1975 Escritório de Utinga (SP), 31/12/ Escritório do Ipiranga (SP), 16/04/ Escritório de Capuava (SP), 16/04/

12 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite Escritório de Santos (SP), 16/04/ Escritório de Carapicuíba (SP), dezembro de Escritório de Utinga (SP), Escritório da Mooca (SP), Escritório de Água Branca (SP), 31/07/ Relatórios de auditoria interna nos 01, 03, 06 e Relatórios de auditoria interna n os 08 ao Relatórios de auditoria interna n os 01 ao Relatórios de auditoria interna n os 05 ao Relatórios de auditoria interna n os 01 ao Relatórios de auditoria interna n os 07 ao Relatórios de auditoria interna n os 01 ao Relatórios de auditoria interna n os 01 ao Certificado de auditoria n os 01 ao Certificado de auditoria n os 01 ao Certificado de auditoria n os 05 ao 07/ Certificado de auditoria n os 01 ao 02/ Resoluções da Presidência 1988 Resoluções da liquidante 2000 Atos da Presidência 1985 Decisões da Diretoria 1992 Decisões da Diretoria, 1987 a Resoluções da Diretoria, 1962 a Resoluções da Diretoria Relatório anual da Diretoria Relatório anual da Diretoria Relatório anual da Diretoria Relatório anual da Diretoria Processo AGEF versus ENEFER nº 254/87, partes 01 a Contrato ENEFER nº AC / 87l 1987 Processo AGEF X ENEFER nº 254/87, partes 07 e Processo AGEF X ENEFER nº 343/87, partes 01 a

13 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 44 Dossiê, ação ordinária cível e documentos avulsos. Referente: ENEFER X AGEF Processo AGEF X ENEFER nº 343/87, partes 05 e Atas de reuniões da Diretoria Atas de reuniões da Diretoria Atas de baixa de armazéns diversos Processo nº 258/79, alteração valor nominal ações AGEF Correspondências expedidas e recebidas Manual de organização da AGEF Atas de reuniões da Diretoria Atas de reuniões da Diretoria Executiva Atas de reuniões da Diretoria, criação e extinção de filiais Atas de reuniões das áreas comercial e financeira Composição do Conselho de Administração (CONSAD) Composição do Conselho Fiscal 1984, Livro de presença do Conselho de Administração Relatório da Comissão Conjunta RFFSA/AGEF Relatório de grupo de trabalho, RP 002/ Relatório de grupo de trabalho, RP 51/ Relatório mensal de atividades do Conselho de Administração, janeiro de 1988 abril de Atas de reuniões do Conselho Fiscal 1986, Conselho Fiscal - Pedidos de desligamento dos conselheiros Rubem Sérgio da Silveira Lucas e Luiza Maria Aguiar de Moura Conselho Fiscal, parecer do Conselho Fiscal Conselho Fiscal, termos de posse Conselho Fiscal, indicações e declarações de desimpedimento Conselho Fiscal, correspondência expedida e recebida Assembleias gerais ordinárias e extraordinárias, livro de atas das assembleias gerais ordinárias e extraordinárias (AGO/AGE) Assembleias gerais ordinárias e extraordinárias, livro de atas das assembleias gerais ordinárias e extraordinárias (AGO/AGE) Assembleias gerais ordinárias e extraordinárias, convocações e credenciamentos

14 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 52 Assembleias gerais ordinárias e extraordinárias, proposições da Diretoria Assembleias gerais ordinárias e extraordinárias, proposição nº 001/Presidência Plano anual de atividades de auditoria, 1988 a1991 e 97 A Relatórios de auditoria, setores Controle e Faturamento Relatórios de auditoria, setor de Seguros Relatórios de auditoria, divisão de Recursos Humanos Relatórios de auditoria, Administração Central, balanço patrimonial Relatórios de auditoria geral, Regulamento de pessoal Regimento interno Normas para controle de documentos da AGEF Normas de controle patrimonial Estatuto social da AGEF Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA), dossiê sobre a dívida do IAA, referente à armazenagem de açúcar no armazém de Cabanga, Recife (PE), processo nº 001/ IAA, crédito da AGEF junto ao extinto IAA, IAA, relatório da comissão de sindicância no graneleiro do DAIA RP nº 043/97 Auditoria interna, relatório, Administração Central Auditoria interna, relatório, Superintendência Regional de Minas Gerais e /1989/1990 e 1991 Auditoria interna, relatório, Superintendência Regional do Nordeste Auditoria interna, relatório, Superintendência Regional de São Paulo Auditoria interna, relatório, armazém de Utinga (SP) 1991 Auditoria interna, relatório, armazém de Carapicuíba (SP) Auditoria interna, relatório, armazém de Água Branca (SP) 1991 Auditoria interna, relatório, armazém de Capuava (SP) 1991 Auditoria interna, relatório, armazém de Ipiranga (SP)

15 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite Auditoria interna, relatório, armazém de Mooca (SP) 1991 Auditoria interna, relatório, Escritório Regional da Bahia 1988 Auditoria interna, relatório, Escritório Regional do Rio Grande (RS) Auditoria interna, relatório, Escritório Regional de Uruguaiana (RS) 1989 Auditoria interna, processo nº 103/96, convite DMT/012/96, Contratação de serviço de auditoria, exercício de 1996 Auditoria interna, relatório, processo nº 104/93, convite DMT/005/93, contratação de serviço de auditoria, exercício de Auditoria interna, relatório, Superintendência Regional do Paraná 1988/1989/1991 Auditoria interna, relatório, armazém de Londrina (PR) Auditoria interna, relatório, Paraíso do Norte (PR) Auditoria interna, relatório, Paranavaí (PR) Auditoria interna, relatório, Paranacity (PR) Auditoria interna, relatório, Mandaguari (PR) Auditoria interna, relatório, São João do Caiuá (PR) Auditoria interna, relatório, Rolândia (PR) Auditoria interna, relatório, Santa Isabel do Ivaí (PR) Auditoria interna, relatório, Nova Londrina (PR) Auditoria interna, relatório, Maringá (PR) Auditoria interna, relatório, Jandaia do Sul (PR) Auditoria interna, relatório, Engenheiro Beltrão (PR) Auditoria interna, relatório, Terra Rica (PR) Auditoria interna, relatório, Cambé (PR) Auditoria interna, relatório, Cianorte (PR) Auditoria interna, relatório, Arapongas (PR) Auditoria interna, relatório, Apucarana (PR) Auditoria interna, processo nº 039/94, convite DMT/010/94, contratação de auditoria externa, exercício de 1994 Auditoria interna, processo nº 035/95, convite DMT/012/95, contratação de auditoria externa, exercício de

16 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 59 Relatórios de auditoria nº 31/92, CISET Prestação de contas, Contrato de financiamento entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários (AGEF)/88 Termos resilitórios de contratos entre a Rede Ferroviária Federal S/A e a Rede Federal de Armazéns Gerais Ferroviários/96 Termo resilitório de contrato da AGEF com a empresa Área Livre Armazenagem Ltda/março de Autorizações, cartas e memorandos referentes às alienações de imóveis da RFFSA/AGEF / Processo nº 013/99, alienação de bens do ER/SP 1999 Diversos, decretos e editais Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Salvador (BA) X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Belo Horizonte (MG) X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR São Paulo X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Juiz de Fora (MG) X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, AC X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Porto Alegre (RS) X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Recife (PE) X AGEF Diversos, Rede Ferroviária Federal S/A, SR Curitiba (PR) X AGEF Diversos, RFFSA, Cooperativa dos Ferroviários do ramal do Paraopeba (MG) X AGEF Diversos, serviço de terraplanagem e pavimentação de terminal graneleiro (PR) Diversos, construção de dreno (AC) Diversos, construção de armazém graneleiro e demais obras complementares em Carapicuíba, município de Barueri (SP) 1975 Diversos, serviço de estaqueamento terminal graneleiro de Curitiba (PR) 1975 Diversos, serviços topográficos realizados no pátio de Iguaçu, Curitiba (PR) 1975 Processo nº 025/93, alienação do armazém de Santa Izabel do Ivaí (PR) 1993 Processo nº 026/93, alienação de área em Barueri (SP) Processo nº 028/93, alienação do armazém de Paranavaí (PR) 1993 Processo nº 029/93, alienação do armazém de Paraíso do Norte (PR) 1993 Processo nº 030/93, alienação do armazém de São João do Caiuá (PR)

17 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite 62 Processo nº 031/93, alienação de terreno em Prudente de Moraes (MG) 1993 Processo nº 032/93, alienação de benfeitoria em Arapongas (PR) 1993 Processo nº 048/93, alienação do armazém de São João do Caiuá (PR) 1993 Processo nº 047/93, alienação do armazém de Paraíso do Norte (PR) 1993 Processo nº 069/93, alienação do armazém de Engenheiro Beltrão (PR) Processos nos 053/93 e 071/93, alienação do armazém de Alvorada do Sul (PR) Processo nº 058/93, alienação de terreno em Prudente de Moraes (MG) Processo nº 059/93, alienação do pátio de Barreiros (PR) Processo nº 060/93 e processo nº 070/93, alienação do armazém de Terra Rica (PR) Processo nº 063/93, alienação do armazém de Paranavaí (PR) Processo nº 067/93, alienação da estrutura metálica do armazém de Barro Preto (PR) Processo nº 072/93, alienação do armazém de Bela Vista do Paraíso (PR) 1993 Processo nº 073/93, alienação de benfeitoria do armazém de Maringá (PR) 1993 Cartas expedidas e recebidas pelo gabinete da presidência, referentes a contratos Parecer e cartas emitidas pela Superintendência de Auditoria (SUPAI), Conselho Fiscal, auditores independentes e Ministério dos Transportes Relatório anual de auditoria Tomada de contas especial, processo nº TC / Pareceres diversos da Superintendência de Auditoria Interna (AUDIN) sobre contratos e licitações Notas e pareceres CONJUR, Ministério dos Transportes Parecer da Superintendência de Auditoria Interna (AUDIN) e Conselho Fiscal relativo à prestação de contas Relação dos programas de auditoria aprovados pela Presidência da AGEF Processo nº 020/97, relatório de inspeção de auditoria na unidade de Utinga (SP), Armazéns Gerais Relatórios da CISET E GRCI sobre as contas dos exercícios Relatório nº , da Delegacia Federal de Controle, sobre acompanhamento da gestão 1998 Inventário físico AGEF, Administração Central Inventário físico AGEF, Terminal Carlos Antônio Filgueiras (TECAF) (MG)

18 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite Inventário físico AGEF, graneleiro do DAIA (GO) Inventário físico AGEF, EFAU (RS) Inventário físico AGEF, Escritório Regional de São Paulo Inventário físico AGEF, Administração Central Inventário físico AGEF, graneleiro de Curitiba Inventário físico AGEF, Escritório Regional do Rio Grande do Sul Inventário físico AGEF, EFIL (RS) Inventário físico AGEF, Escritório Regional de São Paulo Inventário físico AGEF, graneleiro do DAIA (GO) Dossiê Eletropaulo, AGEF, contratos diversos Processo nº 013/94, contrato operacional entre AGEF e a RFFSA, EFAU Processo nº 015/94, termo de acordo para armazenagem, armazém de Cruzeiro do Oeste (PR) Contrato de prestação de serviços de auditoria, AGEF e GWM Auditores e Consultores S/A Processo nº 100/76, aprovação dos estatutos da AGEF Processo nº 222/76, ata de constituição, lei nº Estatutos, regimento e decreto nº Processo nº 198/89, alterações estatutárias da AGEF Processo nº 004/78, estudo referente à construção de um armazém graneleiro em Rio Grande (RS), 1ª e 2ª partes Processo nº 170/78, instalação do armazém de Fortaleza (CE) Processo nº 061/85, criação do escritório de Praia Formosa (RJ) Processo nº 297/85, extinção do armazém de Anápolis (GO) Processo nº 175/81, convênio entre Fepasa e AGEF, concessão de uso particular Memorandos referentes ao relatório sintético da área de patrimônio Processo nº 009/83, referente à prestação de contas de 1982, 1a e 2 a partes, auditoria, Inspetoria Geral de Finanças Processo nº 297/80, sobre terreno localizado na estação de Maringá (PR), cedido pela RFFSA para construção de uma balança rodoviária Processo nº 158/81, Carreira Comprida, Santa Luzia (MG), trata de doação desta área para construção armazém graneleiro

19 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite Processo nº 037/82, 1ª e 2ª partes, Terminal Rodoferroviário Engenheiro Carlos Antônio Filgueiras - TECAF (MG) Processo nº 180/83, reforma do armazém da Marítima (J.Torquato) Docas Processo nº 360/83, implantação da bitola mista no desvio ferroviário do armazém de Água Branca (SP) Processo nº 177/89, reparo na ponte rolante de Praia Formosa (RJ) Processo nº 095/93, tomada de preços 38/90 para pavimentação asfáltica e implantação de rede de água para combate a incêndio no pátio de Utinga (PR) Processo nº 097/93, revestimento em concreto asfáltico usinado a quente com espessura média de 3 cm no armazém de Água Branca (SP) Processo nº 023/97, transferência de bens da AGEF para a RFFSA, Grupo IV, PND Carta referente à privatização da AGEF Processo nº 327/88, relatório anual de 1988 Processo nº 036/86, relatório anual de 1986 Processo nº 037/89, relatório anual de 1987 Processo nº 218/89, relatório especial de , resoluções da Presidência e da Diretoria sobre tabelas de valores de diárias e passagens Processo nº 088/82, estudo sobre a criação de entreposto aduaneiro em Bauru (SP) Processo nº 128/82, transferência para a AGEF de operações rodoferroviárias pelas superintendências regionais da RFFSA Processo nº 081/89, modificação do regimento interno da AGEF, 1ª e 2ª partes Processos nos 002 e 003/90, SR/SP, projeto de regularização das normas de segurança do armazém de Ipiranga (SP) Processo nº 055/98, reavaliação e renegociação de compras e contratos, decreto nº de 21/11/1997 Processo nº 059/98, subsídios para a consolidação da legislação sobre transportes Processo nº 001/98, inventário físico ER/SP, Processo nº 075/98, inventário físico ER/SP, Processo nº 008/00, inventário físico SEARM/SP, Processo nº 304/82, estudo para aquisição de área do terminal Calsete, Sete Lagoas (MG) Processo nº 117/89, norma de controle patrimonial Processo nº 091/96, bens móveis de propriedade da AGEF localizados na malha sul da RFFSA

20 Caixa Conteúdo / Tipologia documental Datas limite Processo nº 037/93, doação em pagamento, pátio de Barreiros (MG) Processo nº 089/93, certificado e laudo de avaliação de terreno, edificações, benfeitorias e armazém de Utinga (SP) Processo nº 090/93, certificado e laudo de avaliação do armazém de Água Branca (SP) Processo nº 091/93, certificado e laudo de avaliação do armazém de Carapicuíba (SP) Processo nº 092/93, certificado e laudo de avaliação da unidade de Curitiba (PR) Processo nº 093/93, certificado e laudo de avaliação da unidade de Londrina (PR) Processo nº 094/93, certificado e laudo de avaliação, armazém de Rio Grande (RS) Processo nº 018/99, certificado e laudo de avaliação, armazém de Londrina (PR) e armazém de Alvorada do Sul (PR) Processo nº 096/93, Comissão Interna de Conservação de Energia CICE AGEF - Resolução nº 013/ Processo nº 130/82, alienação do armazém de Alvorada do Sul (RS) Processo nº 004/83, aquisição imóvel do terminal de Barreiros (MG) Processo nº 016/99, alienação de bens alocados em Londrina (PR) Processo nº 004/00, concorrência CPL/AGEF 001/2000, alienação do armazém de Londrina (PR) Processo nº 005/00, concorrência CPL/AGEF 002/2000, alienação do armazém de Alvorada do Sul (PR) Processo nº 264/86, alienação de terreno do antigo armazém G II e do armazém G I de Anápolis (GO), 1ª e 2ª partes Processo nº 400/87, concorrência pública nº 001/87, alienação de imóvel situado na rua Visconde de Inhaúma (RJ) Processo nº 083/83, cessão de uma área no pátio de transbordo em Londrina (PR) Processo nº 096/85, rescisão do termo particular de permissão de uso de Patrocínio SR (MG) Processo nº 111/90, cessão ao Expresso Sul Fluminense de área no TECAF (MG) Processo nº 003/94, contrato de permissão de uso do armazém de Cruzeiro do Oeste (PR) (Cancelado) Processo nº 120/96, termo de permissão de uso e ocupação do 8º andar do prédio da RFFSA Processo nº 015/2000, licitação Leilão público para alienação do armazém de Água Branca (SP) Processo nº 018/2000, licitação

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA)

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) 1 COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO FISCAL ATA DA 452ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) Às 09 horas do dia 23 de janeiro do ano de 2015, na Sala de Reunião na Sede do Conselho

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

Instituto Nacional do Sal (3G) Fundo INVENTÁRIO SUMÁRIO DOS DOCUMENTOS TEXTUAIS E IMPRESSOS

Instituto Nacional do Sal (3G) Fundo INVENTÁRIO SUMÁRIO DOS DOCUMENTOS TEXTUAIS E IMPRESSOS Coordenação Geral de Processamento e Preservação do Acervo Coordenação de Documentos Escritos Equipe de Documentos do Executivo e Legislativo Fundo Instituto Nacional do Sal (3G) INVENTÁRIO SUMÁRIO DOS

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 496, DE 19 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre o limite de endividamento de Municípios em operações de crédito destinadas

Leia mais

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL Programa: 0569 - PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NA JUSTIÇA FEDERAL Objetivo: Garantir pleno exercício do direito por meio da prestação dos serviços jurisdicionais, observando o disposto

Leia mais

DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013

DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013 Regulamenta a Lei nº 11.483, de 31 de maio de 2007, no que se refere à avaliação da vocação logística

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto 550 de 19/09/2007. ATRIBUIÇÕES: 10 - SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA 10.010 - COORDENAÇÃO GERAL

Leia mais

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010:

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010: DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: Extinção de dívidas do contrato Compra do imóvel com base no art. 12 da Lei nº 11.483/2007 Substituição do beneficiário do contrato de compra e venda ou cessão de direitos Emissão

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS -

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Brasília, 11 de junho de 2014. SISTEMÁTICA ATUAL Desde 01/01/2010, o INSS direciona os benefícios para o vencedor do Lote, desde que

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência Administrativa do Tribunal de Justiça e estabelece seu Regulamento. A CORTE SUPERIOR DO TRIBUNAL

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

ESTATUTO DA EMPRESA BAIANA DE ALIMENTOS S/A EBAL

ESTATUTO DA EMPRESA BAIANA DE ALIMENTOS S/A EBAL ESTATUTO DA EMPRESA BAIANA DE ALIMENTOS S/A EBAL CAPITULO I NATUREZA, SEDE, FORO E DURAÇÃO ART. 1º - A EMPRESA BAIANA DE ALIMENTOS S/A - EBAL, sociedade por ações de capital autorizado, com personalidade

Leia mais

faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 663 DE 02 DE JULHO DE 1996. Cria o Programa Estadual de Desestatização, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

Portos Secos. DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8. MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0

Portos Secos. DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8. MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0 Portos Secos RF UF Cidade 1 Unidade de Municípios abrangidos DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8 MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0 GO Anápolis DRF/Anápolis Anápolis 1.30.32.01-0

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2013 Exmo. Sr. Presidente Tenho a honra de encaminhar a V.Exa. o Relatório Anual das Atividades desenvolvidas por esta Coordenadoria de Controle Interno, no exercício de

Leia mais

Concepção do Complexo Portuário da EMBRAPS em Santarém

Concepção do Complexo Portuário da EMBRAPS em Santarém Concepção do Complexo Portuário da EMBRAPS em Santarém Objetivo Elaborar o projeto conceitual do Terminal Portuário da EMBRAPS em Santarém, para exportação de granéis sólidos (soja e milho). O projeto

Leia mais

Dirceu Quintanilha (FW)

Dirceu Quintanilha (FW) Coordenação Geral de Processamento e Preservação do Acervo Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos Equipe de Documentos Sonoros Fundo Dirceu Quintanilha (FW) CATÁLOGO DOS DOCUMENTOS SONOROS

Leia mais

CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA

CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA CODIGO DA LISTA SERVIÇOS CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF DESCRIÇÃO DO CÓDIGO DE TRIBIBUTAÇÃO DESIF ALÍQUOTA 101 10100001 Análise e desenvolvimento de sistemas 5,00% 102 10200001 Programação 5,00% 103 10300001

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

- A necessidade de um maior controle estatístico e operacional das cargas movimentadas pelo Porto de Paranaguá;

- A necessidade de um maior controle estatístico e operacional das cargas movimentadas pelo Porto de Paranaguá; ORDEM DE SERVIÇO Nº 046/2006 ARMAZENAGEM O Superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, no uso de suas atribuições conferidas pelos itens V e X do artigo 16 do Regulamento aprovado

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE ALAGOAS

SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE ALAGOAS SERVIÇOS PRESTADOS PELA DO DO F 1. EMPRESÁRIO (213-5) 1.1. Inscrição (registro inicial) 080 080 02 dias úteis R$ 88,00 R$ 10,00 1.2 Alteração (exceto para filiais) Alteração de nome empresarial (código

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O :

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 662, DE 31 DE MARÇO DE 2009 Aprova o Regimento dos Órgãos Executivos da Administração Superior. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Como prefeituras e câmaras podem criar e gerenciar os seus Diários Oficiais Eletrônicos próprios

Como prefeituras e câmaras podem criar e gerenciar os seus Diários Oficiais Eletrônicos próprios Como prefeituras e câmaras podem criar e gerenciar os seus Diários Oficiais Eletrônicos próprios 1 A maioria dos Prefeitos e Presidentes de Câmaras de Vereadores não sabe que podem criar o Diário Oficial

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. Disciplina o recebimento, a armazenagem, a estocagem e a distribuição de materiais pelos almoxarifados da UDESC. O Pró-Reitor de Administração

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.914, DE 18 DEZEMBRO DE 2013 (publicada no DOU de 19/12/13, Seção 1, página 21) Abre ao Orçamento Fiscal da União, em favor

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO Artigo 1º Artigo 2º Artigo 3º I II COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET, é uma sociedade por ações, de economia mista, que se regerá

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 260, de 8 de julho de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 260, de 8 de julho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 260, de 8 de julho de 2004. Regulamenta os atos societários, a constituição, a transferência do controle acionário e a reavaliação periódica dos imóveis das sociedades seguradoras, das

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO AN EXO II I DE SCRI ÇÃO DOS CARGOS 1. DF - DIRETORIA FERROVIÁRIA 1.1 Analista Ferroviário (Expediente / Assistência Jurídica) Atividades de nível superior relacionadas com a preparação de correspondência

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

Leia mais

NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE

NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE As presentes Normas aplicam-se ao acompanhamento de beneficiário de colaboração financeira, objetivando manter o Sistema

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO 530 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL - CONSOLIDADA RELATÓRIO Nº : 189892 UCI EXECUTORA : 170961 EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO

Leia mais

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA Reunião dos Conselheiros eleitos, com o fim de deliberação.- O Plenário do Conselho Regional reunirse-á ordinariamente, pelo menos, uma vez por ano e, extraordinariamente

Leia mais

Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético

Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético Caracterização da obra Ano orçamento: 2002 UF: RS Nome do programa de trabalho: Construção do Edifício-Sede do TRF da 4ª Região em Porto Alegre

Leia mais

Imprensa Eletrônica. Caderno 02: CONTAS PÚBLICAS

Imprensa Eletrônica. Caderno 02: CONTAS PÚBLICAS Neste veiculo podem ser lidos todos os atos oficiais do Prefeitura de Conceição do Almeida-BA ano vi edição extraordinária Documento assinado digitalmente conforme MP no- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui

Leia mais

Departamento Nacional do Café

Departamento Nacional do Café Coordenação Geral de Processamento e Preservação do Acervo Coordenação de Documentos Escritos Equipe de Documentos do Executivo e Legislativo Fundo Departamento Nacional do Café DNC (T6) INVENTÁRIO DOS

Leia mais

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal.

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal. Nossa Empresa Criada em, a Estrela do Mar administra condomínios baseada em diretrizes humanas e modernas. Trata, de forma diferenciada, questões administrativas, contábeis e jurídicas, para maior tranqüilidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 2º O SESF terá em sua estrutura organizacional os seguintes órgãos:

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 2º O SESF terá em sua estrutura organizacional os seguintes órgãos: PROJETO DE LEI Dispõe sobre a criação do Serviço Social do Transporte Ferroviário - SESF e altera a redação do art. 3º da Lei nº 8.706, de 14 de setembro de 1993. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º

Leia mais

CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE

CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE PATRIMÔNIO CONCEITO: Compreende o conjunto de bens, direitos e obrigações avaliáveis em moeda corrente, das entidades que compõem a Administração Pública.

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013 Programa 2101 - Programa de Gestão e Manutenção da Presidência da República 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 121 Esfera: 10 - Orçamento Fiscal Função:

Leia mais

ANO XXI - 2010-1ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 06/2010 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - BA

ANO XXI - 2010-1ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 06/2010 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - BA ANO XXI - 2010-1ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 06/2010 ASSUNTOS DIVERSOS LEI DO INQUILINATO - ALTERAÇÕES PROMOVIDAS PELA LEI Nº 12.112/2009 Introdução - Fiador - Demais Alterações -

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO - FND (Administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES)

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO - FND (Administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES) FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO - FND Econômico e Social - BNDES) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E DE 2001 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO - FND Econômico e Social - BNDES) DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

www.mda.gov.br MANUAL DE REGULARIZAÇÃO DE ÁREAS URBANAS

www.mda.gov.br MANUAL DE REGULARIZAÇÃO DE ÁREAS URBANAS Patrocínio: www.mda.gov.br MANUAL DE REGULARIZAÇÃO DE ÁREAS URBANAS Realização: Secretaria do Patrimônio da União Ministério do Planejamento Ministério das Cidades Ministério do Desenvolvimento Agrário

Leia mais

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4483, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013. Aprova o Regimento Interno da Comissão de Avaliação Imobiliária de Goiânia e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2211. Art. 1º Aprovar o estatuto e o regulamento anexos, pertinentes ao Fundo Garantidor de Créditos - FGC.

RESOLUÇÃO Nº 2211. Art. 1º Aprovar o estatuto e o regulamento anexos, pertinentes ao Fundo Garantidor de Créditos - FGC. RESOLUÇÃO Nº 2211 Aprova o estatuto e o regulamento do Fundo Garantidor de Créditos - FGC. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o Presidente do

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS OPERACIONAL

MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS OPERACIONAL DOCUMENTO CONFIDENCIAL USO RESTRITO DA UNICAFES-PR MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS OPERACIONAL Execução: Nézio José da Silva Gestor de Projetos Agricultura Familiar e Agroindústrias Regional Sudoeste

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 94/2012 Poder Executivo

PROJETO DE LEI Nº 94/2012 Poder Executivo DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, segunda-feira, 7 de maio de 2012. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 94/2012 Poder Executivo Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES ESTATUTOS TÍTULO I DO NOME, DA NATUREZA, DO OBJETO, DA SEDE e DO FORO Art. 1º - O INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015

COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015 COLETA DE PREÇOS - CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE CP 003/2015 1. OBJETO GERAL Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de contabilidade pública e privada, pagamento de

Leia mais

Parágrafo Único: O Conselho Municipal de Política Habitacional Popular CMPHP é vinculado diretamente ao Gabinete do Prefeito Municipal.

Parágrafo Único: O Conselho Municipal de Política Habitacional Popular CMPHP é vinculado diretamente ao Gabinete do Prefeito Municipal. GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL N.º 1170/2007 DE 19 DE ABRIL DE 2007. CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICA HABITACIONAL POPULAR CMPHP E INTITUI O FUNDO MUNICIPAL HABITACIONAL POPULAR FUNDHAPO, E DÁ

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Publicação D.O.U nº 242, de 19/12/2011 Seção 1 pág. 790 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Aprova a Tabela de Temporalidade de Documentos do Sistema CFA/CRAs, e dá outras providências.

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 03 de julho de 2012. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO Regulamenta os procedimentos para movimentação física dos bens patrimoniais,

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS-CEMIG COMPANHIA ABERTA CNPJ 17.155.730/0001-64 - NIRE 31300040127 ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Ficam os senhores acionistas convocados para se reunirem

Leia mais

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA 1. Conceito: Para Bezerra Filho (2006, p.131), a Contabilidade pública pode ser definida como o ramo da ciência contábil que controla o patrimônio público, evidenciando as variações

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O GERENCIAMENTO DE PATRIMÔNIO DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO PARANÁ - Orientações Básicas

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O GERENCIAMENTO DE PATRIMÔNIO DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO PARANÁ - Orientações Básicas GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED GRUPO ADMINISTRATIVO SETORIAL - GAS SETOR DE PATRIMÔNIO - SPT MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O GERENCIAMENTO DE PATRIMÔNIO DA REDE ESTADUAL

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 353, DE 22 DE JANEIRO DE 2007. Dispõe sobre o término do processo de liquidação e a extinção da Rede Ferroviária

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CÓDIGOS DE OPERAÇÕES DE ENTRADAS 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO Classificam-se, neste grupo, as operações ou prestações em que o estabelecimento

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU

PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU ANEXO I PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU nº 47, de 2004, DN/TCU nº 81, de 2006, e NE/CGU nº 03, de 2006, instituída pela Portaria CGU nº 555, de 2006 Discriminação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica

REGIMENTO INTERNO ÍNDICE. CAPÍTULO I Da Sede. CAPÍTULO II Dos objetivos e finalidades. CAPITULO III Da estrutura organizacional básica REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião dos Conselhos de Administração e Fiscal da ASSOCIAÇÃO DE TRANSPORTE DO NORTE CATARINENSE ASTRAN, inscrita no CNPJ n 10.437.997/0001-03, realizada em São Bento do Sul,

Leia mais

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Banca: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/RJ Edital SMA Nº 84/2010 (data da publicação: 27/09/2010) Carga horária (aulas presenciais): 126 horas

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS Calendário de Eventos Corporativos - 2012

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS Calendário de Eventos Corporativos - 2012 COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS Calendário de s Corporativos - 2012 Informações sobre a Companhia Denominação Social: Endereço da Sede: Endereço na Internet Diretor de Finanças e Relações com Investidores

Leia mais

Ministério da Saúde Conselho Nacional de Saúde/CNS

Ministério da Saúde Conselho Nacional de Saúde/CNS Ministério da Saúde Conselho Nacional de Saúde/CNS Ministério da Saúde Conselho Nacional de Saúde/CNS Comissão Nacional de Ética em Pesquisa 256ª Reunião Ordinária CNS Jorge Alves de Almeida Venancio 09/04/2014

Leia mais

PROJETO DE LEI. Autoriza a criação da empresa pública Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. - CEITEC.

PROJETO DE LEI. Autoriza a criação da empresa pública Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. - CEITEC. PROJETO DE LEI Autoriza a criação da empresa pública Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada S.A. - CEITEC. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o Fica a União autorizada a criar empresa

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 1 - INTRODUÇÃO As exposições sujeitas ao risco de crédito são grande parte dos ativos da COGEM. Por isso, o gerenciamento do risco dessas exposições é fundamental para que os objetivos da Cooperativa sejam

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3.

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3. ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Denominação e Regime Jurídico 1 - A empresa adota a denominação de RESIALENTEJO TRATAMENTO E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS, E.I.M., adiante designada por RESIALENTEJO,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.502. III - exercício de cargos em órgãos estatutários; V - cancelamento da autorização para funcionamento.

CIRCULAR Nº 3.502. III - exercício de cargos em órgãos estatutários; V - cancelamento da autorização para funcionamento. CIRCULAR Nº 3.502 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas cooperativas de crédito para instrução de processos referentes a pedidos de autorização e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

Ver artigo sobre as Especializações em Contabilidade e as Considerações sobre a Especialização em Contabilidade. Ver ainda a Resolução CFC 560.

Ver artigo sobre as Especializações em Contabilidade e as Considerações sobre a Especialização em Contabilidade. Ver ainda a Resolução CFC 560. - IMPRESSÃO DE PÁGINA - http://www.cosif.com... Page 1 of 6 Cosif Eletrônico - http://www.cosif.com.br/ Documento impresso a partir de http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=especializ2, em 12:34:42

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas Superintendência Regional Alagoas PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas ALTERNATIVAS DE SOLUÇÕES PARA

Leia mais

LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE

LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE PUBLICADO DOC 29/06/2012, p. 1, 3 c. 3-4, todas LEI Nº 15.608, DE 28 DE JUNHO DE 2012 (Projeto de Lei nº 595/11, do Executivo) Dispõe sobre a criação do Arquivo Histórico de São Paulo, na Secretaria Municipal

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DO PATRIMÔNIO DA UNIÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DOMÍNIO PÚBLICO SOBRE A ORLA MARÍTIMA TERRENOS DE MARINHA TERRENOS ALODIAIS TERRENOS DE MARINHA ACRESCIDOS DE MARINHA PRAIA LLTM LPM TERRENOS DE MARINHA DL

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

TABELA DE ATOS E EVENTOS

TABELA DE ATOS E EVENTOS TABELA DE ATOS E EVENTOS CÓDIGO DESCRIÇÃO DO ATO (O ATO CORRESPONDE AO DOCUMENTO A SER ARQUIVADO) DO ATO CÓDIGO DESCRIÇÃO DO EVENTO (O EVENTO CORRESPONDE A FATO QUE REQUER DO TRATAMENTO PARTICULARIZADO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE ALAGOAS

SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE ALAGOAS SERVIÇOS PRESTADOS PELA 1. EMPRESÁRIO (213-5) DO F 1.1. Inscrição (registro inicial) 080 080 02 dias úteis R$ 85,00 R$ 10,00 1.2 Alteração (exceto para filiais) Alteração de nome empresarial (código de

Leia mais

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS.

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. Art. 1º - A Fundação Desenvolvimento Ambiental - Fundamental é pessoa jurídica de direito

Leia mais

Gerenciamento Total da Informação

Gerenciamento Total da Informação INSTRUÇÕES NORMATIVAS MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ARQUIVO NACIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA AN/Nº 1, DE 18 DE ABRIL DE 1997 Estabelece os procedimentos para entrada de acervos arquivísticos no Arquivo Nacional O

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS www.nwadv.com.br NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS CNPJ UF Cidade CNPJ SP São Paulo 03.584.647/0001-04 PR Londrina 03.584.647/0002-87 RJ Rio de Janeiro 03.584.647/0003-68 DF Brasília 03.584.647/0004-49

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA

ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA Em conformidade com o Novo Código Civil,o processo de baixa de registro de empresas,possui uma ordenação para retirada de certidões negativas e verificação de regularidade

Leia mais

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 MANUAL DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA VULCABRAS AZALEIA S. A. DE 31 DE JANEIRO DE 2011. O

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012

GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012 GAS NATURAL SERVIÇOS S.A. ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 27.04.2012 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO DE DURAÇÃO E OBJETO SOCIAL. Artigo 1º - Sob a denominação

Leia mais

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS (Anexo 1- Entendimentos) ENTENDIMENTOS E106 E107 E108 E109 E110 E111 E112 E113 Spe- Prazo de duração O prazo de duração deve ser limitado ao término de empreendimento de objeto específico e determinado,

Leia mais

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos.

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos. Apresentação da Empresa Sumário 02 Quem Somos 03 Urbanismo e Infraestrutura 04 Arquitetura e Paisagismo 05 Área de Estruturas 06 Proteção contra Incêndio 07 Área de Hidráulica 08 Instalações Elétricas

Leia mais