Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes"

Transcrição

1 Economia de Energia com Eficiência nos Accionamentos Eficientes 1 João Pratas SEW-EURODRIVE EURODRIVE PORTUGAL Departamento de Engenharia

2 Apresentação da SEW-EURODRIVE Portugal Introdução 2 Sistemas de accionamentos Potencial de economia em sistemas de accionamentos Motores de alto rendimento Redutores de velocidade Conversores de frequência Elementos de transmissão de potência Accionamentos mecatrónicos Conclusão

3 SEW-EURODRIVE Líder mundial na produção de engenharia de accionamentos - Aprx trabalhadores - V. de negócios aprx milhões 3-12 centros de produção - 63 estabelecimentos de montagem - Presença em 46 países

4 SEW-EURODRIVE PORTUGAL 4 Fundada em Junho de 1990 Estabelecimento industrial de montagem inaugurado do em Outubro de 1992 Sede na Mealhada e escritórios técnicos em Lisboa e Porto

5 SEW-EURODRIVE PORTUGAL 5 Número de empregados: 40 Capacidade de produção: 1 linha e 10 ilhas de montagem unid/ano Grandes stocks de electrónica e sobresselentes

6 Gama de produtos MOTION STUDIO software de operação Nível mestre 6 PLC Controlo do movimento Operação Visualização PLC de segurança Nível controlo MOVIDRIVE B Redutores Industriais Servo accionamentos Accionamentos Standard Tecnologia de accionamentos descentralizada MOVIAXIS Protecção de superfície e corrosão MOVITRAC B Comunicarão IP66 Nível campo Nível quadro eléctrico

7 Introdução Numa altura em que as questões ambientais, como a poluição e o aquecimento global (e consequente degelo dos glaciares) estão na ordem do dia, os aspectos associados à energia adquirem especial destaque. As fontes de energia fóssil (petróleo, gás natural e carvão) estão a reduzir drasticamente e a constante instabilidade nos seus locais de exploração está a influenciar substancialmente os seus custos, o que obriga a uma séria reflexão acerca dos limites de consumo energético. 7

8 Introdução Não menos importante que a forma de produzir energia, em que o papel das renováveis se exige cada vez mais preponderante, é como esta se consome. As exigências económicas e ambientais são no sentido da racionalização e da eficiência do consumo, optimizando ao máximo a eliminação de desperdícios. Nesta complexa equação energética, a produção e o consumo são apenas duas das muitas variáveis.. 8 O gráfico seguinte mostra a evolução do consumo de energia primária em Portugal, a qual cresceu 7,1% no período Fonte: Direcção Geral de Energia

9 Introdução Consumo energético por sector 9 Em 2005, o peso do consumo dos principais sectores de actividade económica relativamente ao consumo final de energia, foi de 28,4% na Indústria, 35,4% nos Transportes, 16,5% no Doméstico, 13,0% nos Serviços e 6,7% nos outros sectores (onde se inclui a Agricultura, Pescas, Construção e Obras Públicas). Constata-se assim uma forte incidência dos sectores de Indústria e Transportes no consumo de energia final. Fonte: Direcção Geral de Energia

10 Sistemas de accionamentos Os accionamentos são responsáveis por mais de 60% do consumo de energia eléctrica na indústria. 10 Os sistemas de accionamentos têm que ser abordados como um todo, já que a existência de um componente de baixo rendimento influencia drasticamente o rendimento global.

11 Sistemas de accionamentos Um sistema de accionamento consiste no seguinte: 11 um conversor de frequência, que converte a energia eléctrica da rede de uma forma controlada. Esse controlo pode ser em malha aberta ou em malha fechada; o motor eléctrico, que converte energia eléctrica em energia mecânica; redutores, que ajustam a potência mecânica do motor ao ponto de trabalho da maquina accionada (reduz a velocidade e aumenta o binário); e elementos de transmissão de potência.

12 Potencial de economia em sistemas de accionamentos Aumento da utilização de motores de alto rendimento 10% 2. Utilização de controlo electrónico de velocidade 30% 3. Optimização do sistema mecânico 60% Fonte: ZVEI brochura Abril 2006 Saving energy with electric drives

13 Motores de alto rendimento 13 Os motores eléctricos são o tipo de máquina mais usado na indústria em virtude da sua grande versatilidade, gama de potências, robustez, duração, reduzida manutenção, baixa poluição, facilidade de produção e custos de aquisição relativamente baixos. Como qualquer máquina, o motor eléctrico, responsável pela conversão de energia eléctrica em energia mecânica, apresenta perdas. O rendimento é definido como sendo a razão entre a potência de saída (ao nível do veio de saída do accionamento) e a potência eléctrica absorvida à entrada.

14 Motores de alto rendimento Estado actual na União Europeia 14 O acordo voluntário obtido em 1999 entre a CEMEP (Associação Europeia de Fabricantes de Motores Eléctricos) e a Comissão Europeia sobre o rendimento de motores de 2 e 4 pólos, na gama de potências 1,1 a 90 kw, foi revisto em Os motores foram classificados de acordo com o seu rendimento: - EFF1 Motores de alto rendimento; - EFF2 Motores de rendimento aumentado; - EFF3 Motores sem qualquer requisito especial.

15 Motores de alto rendimento Situação futura na União Europeia 15 O lote 11 da Directiva EUP Produtos que consomem energia (Energy Using Products) descreve as orientações de design, a compatibilidade ambiental, o impacte ambiental e o consumo de energia de máquinas / motores eléctricos rotativos. A directiva irá abranger os motores de 2, 4 e 6 pólos, na gama de potências de 0,75 a 200 kw. Os motores passam a ser classificados por: - IE1 (= EFF2) com utilização proibida; - IE2 (= EFF1) com utilização obrigatória; - IE3 (= Premium) com utilização voluntária; - IE4 (ainda não aplicável a accionamentos assíncronos). Nota: A Directiva EUP só entrará em vigor quando for transposta para o direito nacional

16 Motores de alto rendimento Acordo Voluntário Os motores estão divididos em três classes de rendimento: Eficiência em % EFF1 EFF2 EFF P N em kw

17 Motores de alto rendimento Directiva EUP Motores estão também divididos em três classes de rendimento, mas 100 Wirkungsgradgrenzen Verfahren A Classes de rendimento Eficiência em % Wirkungsgrad eta EFF1 Premium , EFF2 EFF3 Pn P N in [kw] Premium Efficiency High Alto rendimento Efficiency (eff1) Standard Rendimento (eff2) melhorado (eff2)

18 Motores de alto rendimento O principio do novo sistema modular de motores EFF2 Potencial economia de energia 18 Potência EFF1 Premium Rendimento mais >

19 Motores de alto rendimento Formas de melhorar o rendimento Realizáveis com 19 Material de melhor qualidade com menor resistência Gaiolas em cobre em vez de alumínio Aumentar as dimensões das partes activas (P ~ D²) Motor de maiores dimensões para a mesma potência P i P o P i Perdas

20 Motores de alto rendimento Evolução da aquisição de motores na Europa 20 Fonte: ZVEI

21 Motores de alto rendimento 21 Ferramenta de cálculo do tempo de amortização no SEW-Workbench

22 Redutores de velocidade A velocidade dos motores eléctricos trifásicos é aproximadamente entre 750 e rpm, dependendo do número de pólos e da frequência de alimentação. Contudo, a maioria das aplicações requerem velocidades muito mais baixas (tipicamente entre 15 e 300 rpm). Nesses casos, são utilizados redutores em separado ou o ideal seria, como um moto-redutor, i.e. uma unidade integrada combinando um motor eléctrico e um redutor. 22

23 Redutores de velocidade Na mesma razão que uma caixa redutora reduz a velocidade aumenta o binário. Tornando o redutor o sistema ideal para adaptar a velocidade do motor ao ponto de trabalho da máquina, em termos de velocidade e binário. 23 Uma solução mais económica, comparando com um motor sobre - dimensionado a rodar a baixas frequências. Nota: Os conversores de frequência reduzem a velocidade até zero rpm mantendo o binário nominal, mas não o multiplicam como fazem os redutores.

24 Redutores de velocidade Potencial de economia de energia nos redutores A eficiência dos redutores é influenciada pela ligação entre o motor e o redutor e as perdas no interior do redutor 24 O engrenamento ideal, seria uma ligação aço / aço; Quanto maior a velocidade de entrada, maiores as perdas nos rolamentos e as perdas por chapinagem no óleo; A quantidade correcta de óleo e o estado do óleo garantem a redução das perdas e longa operação livre de desgaste. Valor característico por estágio Tipo de engrenagem Engrenagem cilíndrica Engrenagem cónica Engrenagem sem-fim Redução máxima Eficiência aprox. 7 aprox. 5 aprox. 50 aprox. 98 % aprox. 98 % aprox % Fonte: ZVEI brochura Abril 2006 Saving energy with electric drives

25 Conversores de frequência 25 Os conversores de frequência convertem a tensão da rede de 50 Hz numa tensão contínua e em seguida sintetizam uma frequência variável sob controlo externo do utilizador consoante o tipo de aplicações.

26 Conversores de frequência Os accionamentos de velocidade variável (motor CA + CF) têm as seguintes efeitos: Os processos são melhorados com a introdução de parâmetros de processo variáveis que tornam todo o processo mais flexível; Velocidade optimizada para cada aplicação especifica; Função de economia de energia dinâmica; A magnetização do motor assíncrono é controlada, dependendo da carga, com adaptação da relação tensão / frequência; O desgaste mecânico é reduzido por rampas; Em caso de operação com frenagem, a energia retorna ao circuito intermédio (DC link) ou para o sistema de alimentação (módulo regenerativo de alimentação); Desliga quando não está a ser utilizado. 26

27 Conversores de frequência Vantagens da utilização de conversores de frequência: Elevado rendimento 96-98% e elevada fiabilidade; Elevado factor de potência; Dimensão reduzida, não oferecendo problemas de implantação; O ajustamento/programação fácil; Possibilidade de controlo de vários tipos de motores; Motores de indução com resposta dinâmica comparável aos motores DC (no caso do controlo vectorial); Adaptação do motor à carga (binário e velocidade); Arranques suaves (poupanças de energia!) e frenagem controlada; 27

28 Conversores de frequência Vantagens da utilização de conversores de frequência : Protecção do motor contra curto-circuitos, sobre-intensidades, sobretensões, falta de fase, etc. (vantagem técnica e económica!); Poupança substancial de energia e tempo de retorno do investimento reduzido, particularmente quando aplicados ao controlo de caudais de bombas, ventiladores e compressores centrífugos; Possibilidade de integrarem módulos de regeneração, que poderão ser muito vantajosos para cargas com uma elevada frequência de travagens; Diminuição do ruído acústico e melhoria do controlo dos processos, da produtividade e da qualidade dos produtos; Menor desgaste dos componentes/equipamentos mecânicos. 28

29 Conversores de frequência Exemplo de aplicação: Sistema de ventilação industrial 29 Estado inicial : Motor CA de duas velocidades P = 16/4 kw Potencia instalada na máquina: 1 MW

30 Conversores de frequência Exemplo de aplicação: Sistema de ventilação industrial 30 Alteração: Motor de alto rendimento eff1 P = 16 kw Controlado por um conversor de frequência com a Função Economia de energia

31 Conversores de frequência Função economia de energia 250 Lastmoment Motormoment (High) Motormoment (Low) 150 Estado inicial: accionamento de duas velocidades Função carga Carga parcial Cada processo tem um perfil de carga, que não é normalmente constante durante a operação. O diagrama apresenta a característica de carga de um sistema de ventilação industrial. A antiga instalação tentava adoptar um perfil de carga com accionamento de duas velocidades. Se a aplicação for regulada para o ponto de operação óptimo do motor ele rodará à carga parcial o grau de eficiência só é bom num ponto de operação. Em todos os outros pontos de funcionamento o grau de eficiência é mau.

32 Conversores de frequência Função economia de energia 250 Aumento da frequência Aumento da velocidade = aumento da carga Se a mesma aplicação for accionada com conversor de frequência pode ser executado do seguinte modo normalmente a velocidade adoptada é a requerida para o sistema. Através da regulação da velocidade da aplicação, reduz-se as perdas de energia o qual leva a um menor consumo. Mas: Com diferentes cargas o motor tem uma óptima eficiência apenas num ponto operacional - em todos os outros pontos de funcionamento o grau de eficiência é menor que o óptimo.

33 Conversores de frequência Função economia de energia 250 Aumento da frequência Ao usar a Função economia de energia ( disponível nos conversores de frequência) o motor terá um elevado grau de eficiência em toda velocidade. A carga adoptada e o escorregamento são regulados para optimizar o valor - portanto, a eficiência energética dos motores obtêm um óptimo resultado. Apenas as combinação de motor de alto rendimento e a Função economia de energia juntos são capazes de proporcionar óptimos benefícios!

34 Função economia de energia Conversores de frequência Optimização do sistema: 34 Sistema actual: Accionamento de duas velocidades Consumo médio de potência: Energia utilizada por accionamento: Custos da energia por accionamento: Todos os accionamentos (96 unidades.): 11, kw kwh Consumo de energia: - 14 % A mesma instalação com motores de alto rendimento conversores de frequência com a Função economia de energia activa Consumo médio de potência: Energia utilizada por accionamento: Custos da energia por accionamento: Todos os accionamentos (96 unidades.): Economia anual (total): Economia anual por accionamento: 10, kw kwh Amortizarão: apr. 2 anos Efeito adicional: Melhoria da funcionalidade

35 Elementos de transmissão de potência 35 A transmissão de potência entre o motor e o redutor, ou entre um destes e a máquina, tais como polias, correias, cremalheiras e correntes, cujo rendimento influência o rendimento global do sistema.

36 Elementos de transmissão de potência Potencial de economia relacionado com a transmissão de potência 36 A) A transmissão ideal é através de um acoplamento rígido, como a solução moto-redutor e/ou a solução de redutor com veio oco: As perdas por transmissão são praticamente eliminadas; Fonte: ZVEI brochura Abril 2006 Saving energy with electric drives

37 Elementos de transmissão de potência B) No entanto, em muitos casos, são utilizadas correias ou correntes: 37 As correias em V devem ser evitadas por causa do seu baixo nível de eficiência; Se utilizar correntes, assegurar uma correcta lubrificação. Valor característico Tipo de correia Redução máxima Correia plana Correia - V Correia dentada Corrente Eficiência Fonte: ZVEI brochura Abril 2006 Saving energy with electric drives

38 Accionamentos mecatrónicos Observámos as vantagens de um accionamento ser constituído por um motor directamente acoplado a um redutor e o primeiro ser controlado por um conversor de frequência. Então a solução ideal será ter uma unidade de accionamento mecatrónico constituído por esses três elementos - motor, redutor e conversor de frequência. 38

39 Accionamentos mecatrónicos O conversor de frequência integrado na caixa de terminais tem particularidade de se adaptar a motores de qualquer classe de rendimento (eff2, eff1 ou Premium). O motor por sua vez também se adapta a qualquer redutor e em qualquer posição de montagem. Este sistema para além das poupanças de energia, não ocupam espaço nos quadros eléctricos e tem uma forte redução de custos em termos de cablagens e manutenção. 39

40 Accionamentos mecatrónicos Potencial de economia com accionamentos mecatrónicos 40 Elevada eficácia global: - novo conceito de motor; - nova electrónica de potência e método de controlo inteligente; O grau de eficácia global (redutor, motor e conversor de frequência) entre 10 e 25% superior, comparado com os accionamentos standard; Com o accionamento mecatrónico podemos obter uma economia de energia entre 15 e 30%; Os custos adicionais podem ser amortizados em 1 a 2 anos. O accionamento mecatrónico da figura é equipado de série com motor de classe de rendimento Premium

41 Conclusão Quando seleccionamos um accionamento, para além do seu correcto dimensionamento em termos de binário e velocidade, também temos de ter em conta o seu rendimento, pois não é apenas o custo de aquisição do accionamento que influencia a economia do sistema. Os custos relacionados com um accionamento podem ser comparados com um Iceberg em que o valor da compra do accionamento é apenas a parte visível, a quando da aquisição. 41

42 Conclusão Custos de investimento 42 Arranque Formação Equipamento opcional Peças sobressalentes Manutenção Pessoal Controlo Segurança Energia Reposição de sistemas Reconversão Reciclagem

43 Obrigado 43 pela Vossa atenção Esta apresentação teve como base alguns trabalhos do Investigador Fernando J. T. E. Ferreira - TM: Contactos João Pratas Departamento de Engenharia SEW-EURODRIVE PORTUGAL Tel / Tlm / FAX Serviço de Emergência 24/24H:

Economia de Energia através de Accionamentos Eficientes

Economia de Energia através de Accionamentos Eficientes Engenharia Accionamentos \ Drive Automation \ Integração Sistemas \ Serviços 1 Economia Energia através Accionamentos Eficientes Rui Costa SEW-EURODRIVE EURODRIVE PORTUGAL Departamento Engenharia SEW-EURODRIVE

Leia mais

Variação de velocidade

Variação de velocidade Variação de velocidade Variação de velocidade A indústria é responsável pelo consumo de cerca de 50% da electricidade produzida a nível mundial, sendo que cerca de 2/3 é consumida por motores eléctricos.

Leia mais

L04 - L22. Compressores de Parafuso com Injecção de Óleo. Intelligent Air Technology

L04 - L22. Compressores de Parafuso com Injecção de Óleo. Intelligent Air Technology L04 - L22 Compressores de Parafuso com Injecção de Óleo Intelligent Air Technology L04 - L22 Compressores de Parafuso com Injecção de Óleo O principal objectivo do desenvolvimento dos compressores de parafuso

Leia mais

Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias. Oportunidades de Eficiência Energética em

Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias. Oportunidades de Eficiência Energética em Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias Oportunidades de Eficiência Energética em Sistemas acionados por motores elétricos e frio industrial Humberto Jorge 30/04/2014 Escola

Leia mais

Mais flexibilidade e controlo com a nova geração HYDROVAR

Mais flexibilidade e controlo com a nova geração HYDROVAR Mais flexibilidade e controlo com a nova geração HYDROVAR Uma nova geração dos grupos de pressurização de velocidade variável HYDROVAR eleva a bombagem para um novo patamar em flexibilidade e eficiência.

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Ricardo Figueiredo - ABB ISEP 29 de Abril de 2010 Eficiência Energética May 4, 2010 Slide 1 Eficiência Energética ISEP ABB Gama de Variação de velocidade Novidades Variação de velocidade Vantagens na aplicação

Leia mais

de limpeza frontal com corrente

de limpeza frontal com corrente GRELHA MECÂNICA DE BARRAS de limpeza frontal com corrente tipo GV ou GSV Aplicações As águas de descarga civis podem conter vários lixos. Tudo o que puder ser deitado no esgoto, e mesmo o que não se puder,

Leia mais

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração -

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração - Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração - 4 1 Micro-Turbinas a gás 5 1.1 Descrição da tecnologia O termo micro-turbina refere-se em geral a um sistema de

Leia mais

Arrefecimento solar em edifícios

Arrefecimento solar em edifícios Arrefecimento solar em edifícios Introdução A constante procura de conforto térmico associada à concepção dos edifícios mais recentes conduziram a um substancial aumento da utilização de aparelhos de ar

Leia mais

EDP Serviços. Colégio de Engenharia Geológica e de Minas. Optimização energética na indústria extrativa

EDP Serviços. Colégio de Engenharia Geológica e de Minas. Optimização energética na indústria extrativa EDP Serviços Colégio de Engenharia Geológica e de Minas Explorações a Céu Aberto:Novos desenvolvimentos Optimização energética na indústria extrativa Lisboa, 23 de Março de 2011 Agenda Contexto Consumos

Leia mais

Montagem por Interferência de Rodas Dentadas em Veios de Redutores Industriais

Montagem por Interferência de Rodas Dentadas em Veios de Redutores Industriais Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial por de Rodas Dentadas em Veios de Redutores Industriais Professora Doutora Helena V. G. Navas UNIDEMI, DEMI-FCT/UNL Mestre David F. N. Braga SEW-EURODRIVE

Leia mais

COMPRESSORES DE PARAFUSO ROTATIVO DE INJECÇÃO DE ÓLEO. GA 7-37 VSD+ (7-37 kw/10-50 hp)

COMPRESSORES DE PARAFUSO ROTATIVO DE INJECÇÃO DE ÓLEO. GA 7-37 VSD+ (7-37 kw/10-50 hp) COMPRESSORES DE PARAFUSO ROTATIVO DE INJECÇÃO DE ÓLEO GA 7-37 VSD+ (7-37 kw/10-50 hp) O NOVO COMPRESSOR REVOLUCIONÁRIO DA ATLAS COPCO Com o seu inovador design vertical, o compressor GA 7-37 VSD+ da Atlas

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

Engenharia de Accionamentos \ Accionamentos Electrónicos \ Integração de Sistemas \ Serviços. CDS Complete Drive Service A gama modular de serviços

Engenharia de Accionamentos \ Accionamentos Electrónicos \ Integração de Sistemas \ Serviços. CDS Complete Drive Service A gama modular de serviços Engenharia de Accionamentos \ Accionamentos Electrónicos \ Integração de Sistemas \ Serviços CDS Complete Drive Service A gama modular de serviços 2 Overline CDS Complete Drive Service A estratégia de

Leia mais

Refrigeração e Climatização. SmartPower Motoventiladores

Refrigeração e Climatização. SmartPower Motoventiladores Refrigeração e Climatização Motoventiladores Índice Páginas 3 Motores de Comutação Eletrónica 4-5 Motores de Polos Sombreados 6-7 Hélices de Alta Eficiência de Sucção 8 Hélices de Sucção 9 - Grelhas de

Leia mais

BOMBAS DE CALOR AR/ÁGUA CLIMAECO

BOMBAS DE CALOR AR/ÁGUA CLIMAECO BOMBAS DE CALOR AR/ÁGUA CLIMAECO SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor Ar/Água. Uma tecnologia de futuro Sistema de climatização integrado e eficiente 03 Serviços de Apoio ao Cliente 04 Princípio

Leia mais

sistema sp fiabilidade resistência e eficiência

sistema sp fiabilidade resistência e eficiência SISTEMA GRUNDFOS SP SP, MS/MMS, controlos e monitorização Meet the energy challenge N W www.grundfos.com/energy sistema sp fiabilidade resistência e eficiência be think innovate Sistema de Bombeamento

Leia mais

Poupe até 60% no consumo eléctrico. Soluções para o sector de alimentação e bebidas.

Poupe até 60% no consumo eléctrico. Soluções para o sector de alimentação e bebidas. Discrete Automation and Motion Poupe até 60% no consumo eléctrico. Soluções para o sector de alimentação e bebidas. www.abb.pt Descubra as chaves para reduzir o custo da sua factura eléctrica. A ABB quer

Leia mais

Transformadores a seco. Indutores e reatores (chokes) a seco Para aplicações de componentes eletrônicos de potência, transmissão e distribuição

Transformadores a seco. Indutores e reatores (chokes) a seco Para aplicações de componentes eletrônicos de potência, transmissão e distribuição Transformadores a seco Indutores e reatores (chokes) a seco Para aplicações de componentes eletrônicos de potência, transmissão e distribuição 2 Indutores e reatores (chokes) a seco Reatores ABB para requisitos

Leia mais

Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável

Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável Campo de rendimentos hidráulicos extra efficient: extra eficiente A hidráulica recentemente concebida da e-sv TM, combinada com um

Leia mais

ÁREAS DE ACTUAÇÃO MISSÃO VISÃO VALORES. Packaging. Logística. Produtos e Soluções Industriais. Cerâmica

ÁREAS DE ACTUAÇÃO MISSÃO VISÃO VALORES. Packaging. Logística. Produtos e Soluções Industriais. Cerâmica www.gesticer.pt A Gesticer SA Industrial Technologies, está sedeada no centro de Portugal e tem como core business a importação, exportação, comercialização, concepção e fabrico de equipamentos e soluções

Leia mais

Edifícios. Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção.

Edifícios. Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção. Edifícios Variação de Velocidade com o PumpDrive. Eficiência em Acção. 2 Vantagens Bombas controladas - planeamento controlado. Com o PumpDrive da KSB. Nos anos mais recentes as exigências profissionais

Leia mais

VarioSynergic 3400 / 4000 / 5000 VarioSynergic 3400-2 / 4000-2 / 5000-2. Soldadura MIG/MAG PERFEIÇÃO EM SOLDADURA

VarioSynergic 3400 / 4000 / 5000 VarioSynergic 3400-2 / 4000-2 / 5000-2. Soldadura MIG/MAG PERFEIÇÃO EM SOLDADURA VarioSynergic 3400 / 4000 / 5000 VarioSynergic 3400-2 / 4000-2 / 5000-2 Soldadura MIG/MAG PERFEIÇÃO EM SOLDADURA Elevado desempenho com todo o conforto GENERALIDADES CAMPO DE APLICAÇÃO Contém todo o equipamento

Leia mais

Atlas Copco Compressores portáteis

Atlas Copco Compressores portáteis Atlas Copco Compressores portáteis A proteger o seu investimento. HardHat XA(T,H)S 37-97 32-89 l/s, (1,9-5,3 m 3 /min) 7-12 bar HardHat ideal para situações difíceis Em todo o mundo, as pessoas que trabalham

Leia mais

Filtros para compressores MANN+HUMMEL

Filtros para compressores MANN+HUMMEL Filtros para compressores MANN+HUMMEL Filtros MANN+HUMMEL: económicos e fiáveis Num sistema de ar comprimido os separadores de ar-óleo, os filtros de ar e os filtros de óleo trabalham em conjunto. Quando

Leia mais

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO SISTEM DE TRNSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO Paulo ntonio dos Santos 1 Francisco José Grandinetti 1 (grandi@unitau.br) Marcio bud Marcelino 2 (abud@feg.unesp.br) Heitor Giovanelli Carlesimo 2 1 Universidade

Leia mais

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE ESQUENTADORES Sensor Compacto SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Sensor Compacto O novo grau de exigência Tecnologia, conforto e poupança Há um novo grau de exigência na gama de esquentadores Vulcano: o Sensor Compacto.

Leia mais

Compressores Portáteis MOBILAIR M 80/M 100

Compressores Portáteis MOBILAIR M 80/M 100 www.kaeser.com pressores Portáteis MOBILAIR / o mundialmente reconhecido PERFIL SIGMA Caudal: /. Made in Germany Os MOBILAIR compressores portáteis da KAESER COMPRESSORES são fabricados no complexo industrial

Leia mais

Critérios CPE da UE para aquecedores a água

Critérios CPE da UE para aquecedores a água Critérios CPE da UE para aquecedores a água Os critérios CPE da UE têm como objetivo ajudar os organismos públicos na aquisição de produtos, serviços e obras com impacto ambiental reduzido. A utilização

Leia mais

Controlo de iluminação local multifuncional

Controlo de iluminação local multifuncional Controlo de iluminação local multifuncional I Controlo de iluminação local multifuncional A nível mundial, sensivelmente 20 % do consumo total de energia diz respeito à iluminação. Dependendo do tipo de

Leia mais

Calibradores de Minerais

Calibradores de Minerais uma Companhia Astec Industries Calibradores de Minerais Calibradores de Minerais/Calibradores de Rolos para Aplicações Primárias/Secundárias e Terciárias A gama Osborn de Calibradores de Rolos de Eixo

Leia mais

Temos algo contra a corrosão: Protecção de Superfície e Anti-Corrosão

Temos algo contra a corrosão: Protecção de Superfície e Anti-Corrosão Motoredutores \ Redutores Industriais \ Accionamentos Electrónicos \ Drive Automation \ Serviços Temos algo contra a corrosão: Protecção de Superfície e Anti-Corrosão 2 Protecção de Superfície e Contra

Leia mais

Compressores de parafuso Série BSD

Compressores de parafuso Série BSD www.kaeser.com Compressores de parafuso Série BSD Com o mundialmente reconhecido PERFIL SIGMA Caudal de,0 a, m³/min., pressão de, a bar O que espera de um compressor? Como utilizador, espera sobretudo

Leia mais

Acionamento de Motores CA

Acionamento de Motores CA Fundação Universidade Federal ACIONAMENTOS de Mato Grosso do CA Sul 1 Acionamentos Eletrônicos de Motores Acionamento de Motores CA Prof. Márcio Kimpara Prof. João Onofre. P. Pinto Universidade Federal

Leia mais

herborner. F 100 % REVESTIMENTO = 0 % CORROSÃO! Bomba centrífuga revestida em construção monobloco

herborner. F 100 % REVESTIMENTO = 0 % CORROSÃO! Bomba centrífuga revestida em construção monobloco herborner. 1 % REVESTIMENTO = % CORROSÃO! Bomba centrífuga revestida em construção monobloco PT herborner. Uma novidade mundial estabelece referências A herborner., com o seu revestimento 1 % único, adaptase

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

Atlas Copco Compressores de ar portáteis

Atlas Copco Compressores de ar portáteis Atlas Copco Compressores de ar portáteis XA(T,H)S 37-97 32-89 l/s, 1,9-5,3 m 3 /min, 67-190 cu.ft/min a 7-12 bar(e), 102-175 psig Série 7 Uma gama completa, concebida para obter os maiores níveis de satisfação

Leia mais

BOGE AIR. THE AIR TO WORK. CONTROLADORES

BOGE AIR. THE AIR TO WORK. CONTROLADORES BOGE AIR. THE AIR TO WORK. CONTROLADORES Mais de 100.000 utilizadores da indústria, exigem mais quando se trata do fornecimento de ar comprimido. Ar Boge é o ar que utilizam para trabalhar. Ao longo da

Leia mais

Catálogo de Serviços de Assistência. Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos

Catálogo de Serviços de Assistência. Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos Catálogo de Serviços de Assistência Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos ABB em Portugal A nossa organização Power Products Power Systems Discrete Automation & Motion Low Voltage Products

Leia mais

Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento

Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento Colégio de Engenharia Geológica e de Minas LISBOA 23-03-2011 0 Aplicações eficientes com motores eléctricos de Elevado Rendimento Carlos Ribeiro da Costa Gestor de Projectos carloscosta@weg.net Tel: 229

Leia mais

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Aplicação Posicionador de simples efeito ou duplo efeito para ligação a válvulas de comando pneumáticas. Auto-calbragem, adaptação automática à válvula

Leia mais

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores Robótica Industrial Projeto de Manipuladores Robôs são os típicos representantes da Mecatrônica. Integram aspectos de: Manipulação Sensoreamento Controle Comunicação 1 Robótica e Mecatrônica 2 Princípios

Leia mais

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dimensões Máquina básica com carro inferior R 9760 3650 10000 5480 3675 2445 1810 3950 1610 1700 7945 9360 3975 1720 R 6360 1100 6800 620 17380 Peso operacional

Leia mais

SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Bombas de Calor para A.Q.S. AQUAECO SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor para A.Q.S. Uma tecnologia de futuro Sistema eficiente de aquecimento de águas 03 Serviços de Apoio ao Cliente 04 Bomba

Leia mais

IE3. Série S da BOGE, modelo S-3. Motor. BOGE Competence

IE3. Série S da BOGE, modelo S-3. Motor. BOGE Competence Série S da BOGE, modelo S-3 Premium IE3 Efficiency BOGE Competence A melhor qualidade ada de novo: A nova geração da Série S da BOGE 6 Detalhes da nova geração: 4 A B C Novo bloco compressor BOGE effilence

Leia mais

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1.

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1. WIN-SOFT STARTER Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW Versão: 1.1-BR Edição: 08/2011 www.siemens.com.br/sirius Agosto 2011 Página 1 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Soft Starters

Leia mais

Todas as unidades são testadas na fábrica antes de serem vendidas! (Possibilidade de assistir aos testes)

Todas as unidades são testadas na fábrica antes de serem vendidas! (Possibilidade de assistir aos testes) 1 Todas as unidades são testadas na fábrica antes de serem vendidas! (Possibilidade de assistir aos testes) ISO 9001 Quality Management System ISO 14001 Environmental Management System 2 Sazonalidade das

Leia mais

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS 8.1 - Motores de Corrente Contínua 8.2 - Motores de Corrente Alternada 8.3 - Motores Especiais 8.4 - Exercícios Propostos Na natureza a energia se encontra distribuída sob

Leia mais

UNIÕES DE ACOPLAMENTO

UNIÕES DE ACOPLAMENTO UNIÕES DE ACOPLAMENTO Cat 012 - Out 2015 1 / 11 "GIFLEX" GE-T A aplicação industrial de acoplamentos elásticos tem por objectivo absorver ou atenuar eventuais irregularidades de rotação originadas pelo

Leia mais

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Séries-R 55-75 kw/75-100 hp Compressores Rotativos 3 Um Novo Nível de Confiabilidade, Eficiência e Produtividade Os compressores de ar de parafuso

Leia mais

Lavacontentores. Assim, na concepção e construção deste equipamento teve-se em consideração os seguintes elementos relevantes:

Lavacontentores. Assim, na concepção e construção deste equipamento teve-se em consideração os seguintes elementos relevantes: BASRIO Lavacontentores Introdução Memória descritiva Assunto: Cisterna e Câmara de Lavagem Aspecto geral do Lavacontentores Pontos de interesse especiais: Lavagem interna e externa através de jactos de

Leia mais

Fontes de Alimentação

Fontes de Alimentação Fontes de Alimentação As fontes de alimentação servem para fornecer energia eléctrica, transformando a corrente alternada da rede pública em corrente contínua. Estabilizam a tensão, ou seja, mesmo que

Leia mais

Sensores e Atuadores (2)

Sensores e Atuadores (2) (2) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Atuadores São componentes que convertem energia elétrica, hidráulica ou pneumática em energia mecânica. Através dos sistemas

Leia mais

EWAD~C. série para aplicações. de grandes dimensões COMFORTO. Todo o ano. Aquecimento. Ar condicionado. Sistemas Hidrónicos.

EWAD~C. série para aplicações. de grandes dimensões COMFORTO. Todo o ano. Aquecimento. Ar condicionado. Sistemas Hidrónicos. EWAD~C série para aplicações COMFORTO Todo o ano de grandes dimensões Aquecimento Ar condicionado Sistemas Hidrónicos Refrigeração EWAD~C- Concebida para exceder os requisitos da indústria HVAC relativamente

Leia mais

Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas. Unidade Energi Savr NodeTM. Painel de parede seetouch QSR.

Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas. Unidade Energi Savr NodeTM. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON LUTRON R Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas Controlador do Grupo do Motor QS O controlador do grupo do motor QS consiste numa interface que disponibiliza

Leia mais

MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO

MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO B E T Ã O P R É - E S F O R Ç A D O T E C N O L O G I A MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO Versão de quatro mangueiras hidráulicas pt PAUL-Info B 131.14/21 L I D E R A N Ç A M U N D I A L Mais de

Leia mais

Compressores de Parafuso 2,2-7,5 kw

Compressores de Parafuso 2,2-7,5 kw INDUSTRIALS GROUP Compressores de Parafuso 2,2-7,5 kw KA - KA Plus Inteligentes e confiáveis CHAMPION TECNOLOGIA DO AR COMPRIMIDO KA - KA Plus Nova série tecnologicamente avançada graças a um processo

Leia mais

Como utilizar a energia do sol da forma mais eficiente?

Como utilizar a energia do sol da forma mais eficiente? Como utilizar a energia do sol da forma mais eficiente? Inversores SINVERT e componentes para sistemas fotovoltaicos: rendimento máximo maior durabilidade e fiabilidade. Answers for the environment. Tornamos

Leia mais

Série RB-J. Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático

Série RB-J. Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático Série RB-J Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático EXPERIÊNCIA No GRUPO BETICO, líder nacional no fabrico e na comercialização de compressores desde 925, concebemos e fabricamos compressores

Leia mais

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Artigo publicado na revista Lumiere Electric edição nº 166 Aplicações de investimentos dentro das empresas sempre são questionadas

Leia mais

Conjunto de motor de relutância síncrono de potência aumentada e conversor de frequência Custo de propriedade otimizado para aplicações de bombagem e

Conjunto de motor de relutância síncrono de potência aumentada e conversor de frequência Custo de propriedade otimizado para aplicações de bombagem e Conjunto de de relutância síncrono de potência aumentada e conversor de frequência Custo de propriedade otimizado para aplicações de bombagem e ventilação Po Novo conjunto de de relutância síncrono e conversor

Leia mais

Estudo Comparativo Implementação de IMOP

Estudo Comparativo Implementação de IMOP SIMULAÇÃO ENERGETICA ANUAL Estudo Comparativo Implementação de IMOP Elaborado por Pedro Mimoso Março, 2012 Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Agos Set Out Nov Dez SIMULAÇÃO ENERGETICA Para a elaboração desta

Leia mais

Motores eléctricos em sistemas de controlo

Motores eléctricos em sistemas de controlo Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Engenharia Electrotécnica Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores SISEL - Sistemas Electromecânicos Exercícios de 26 1. Considere

Leia mais

... Altamente eficiente. Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada

... Altamente eficiente. Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada ... Altamente eficiente Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada A nova fatiadora totalmente automática A 510, combina apresentações apelativas de porções de produtos fatiados

Leia mais

CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS

CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS 2.1 INTRODUÇÃO O objetivo do presente trabalho é estudar o funcionamento em regime permanente e em regime dinâmico da Máquina Assíncrona Trifásica

Leia mais

Proposta Nº. Unidade de ar comprimido ROTAR BSC R-EVO 10 V/ph 400/3 50Hz funcionamento contínuo refrigeração a óleo e a ar DIMENSÕES E PESO

Proposta Nº. Unidade de ar comprimido ROTAR BSC R-EVO 10 V/ph 400/3 50Hz funcionamento contínuo refrigeração a óleo e a ar DIMENSÕES E PESO rev.4 02.07 Proposta Nº. data: Unidade de ar comprimido ROTAR BSC R-EVO 10 V/ph 400/3 50Hz funcionamento contínuo refrigeração a óleo e a ar DIMENSÕES E PESO Instalação no solo Em depósito Em depósito

Leia mais

Compressores de parafuso

Compressores de parafuso Construídos para toda a vida Compressores de parafuso SÉRIE SM Capacidade: 0.45 a 1.20 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os consumidores

Leia mais

MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO

MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO MFPINTO IMPORT. EXPORT. DE PEÇAS, S.A. CMT - 47 Tr Polimer A CMT - 47 Tr Polimer, é uma máquina de equilíbrio de última geração. Esta máquina possibilita o equilíbrio de um elevado

Leia mais

Gestão Inteligente e Individualizada da Iluminação. Apresentação. SmartLi v1.01 Janeiro de 2010

Gestão Inteligente e Individualizada da Iluminação. Apresentação. SmartLi v1.01 Janeiro de 2010 Gestão Inteligente e Individualizada da Iluminação Apresentação. SmartLi v1.01 Janeiro de 2010 Percentagens a determinar para cada ponto de luz Visualizar filme em: www.smartli.net Introdução O sistema

Leia mais

Bomba de calor para produção de água quente sanitária

Bomba de calor para produção de água quente sanitária água quente para toda a família, disponível a qualquer momento. Bomba de calor para produção de água quente sanitária bombas de c alor O especialista da bomba de calor Água quente e qualidade de vida,

Leia mais

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor -

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor - Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor - 53 7 - Chillers de Absorção 54 7.1 Descrição da tecnologia Um chiller de água é uma máquina que tem

Leia mais

Motores de tração em corrente alternada: Estudo do desempenho na CPTM. Introdução

Motores de tração em corrente alternada: Estudo do desempenho na CPTM. Introdução Motores de tração em corrente alternada: Estudo do desempenho na CPTM Introdução Os motores de tração são os equipamentos responsáveis pela propulsão dos trens. Sua falha implica na diminuição do desempenho

Leia mais

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower No caso de derating de temperatura, o inversor reduz a sua potência para proteger os componentes contra sobreaquecimento. Este

Leia mais

1 ATUADORES HIDRÁULICOS

1 ATUADORES HIDRÁULICOS 1 ATUADORES HIDRÁULICOS Danniela Rosa Sua função é aplicar ou fazer atuar energia mecânica sobre uma máquina, levando-a a realizar um determinado trabalho. Aliás, o motor elétrico também é um tipo de atuador.

Leia mais

Soluções para instalações de piso radiante

Soluções para instalações de piso radiante Soluções para instalações de piso radiante Sistemas e produtos para gerir instalações de aquecimento e arrefecimento por piso radiante 16 C 17 C 18 C 20 C 22 C Temperatura ambiente num local com aquecimento

Leia mais

Capítulo 3 Documento Rascunho Eurico Ferreira S.A. 23 de Fevereiro de 2012. António Luís Passos de Sousa Vieira 070503362 ee07362@fe.up.

Capítulo 3 Documento Rascunho Eurico Ferreira S.A. 23 de Fevereiro de 2012. António Luís Passos de Sousa Vieira 070503362 ee07362@fe.up. Capítulo 3 Documento Rascunho Eurico Ferreira S.A. 23 de Fevereiro de 2012 António Luís Passos de Sousa Vieira 070503362 ee07362@fe.up.pt Capítulo 3 Baterias Solares As baterias solares, também conhecidas

Leia mais

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS O que é a armazenagem? A armazenagem é constituída por um conjunto de funções: - de recepção, - descarga, - carregamento, matérias-primas, - arrumação produtos acabados ou semi-acabados

Leia mais

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos para Todas as Necessidades da Sua Usina A Solução Perfeita para Qualquer Aplicação Com suas duas fortes marcas, INA e FAG, a qualidade

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável para controlo da população humana.

Desenvolvimento Sustentável para controlo da população humana. Desenvolvimento Sustentável para controlo da população humana. O aumento da população humana é frequentemente citado como a principal causa de problemas para o planeta. De facto a humanidade está a crescer

Leia mais

GEOTERMIA. a energia sustentável

GEOTERMIA. a energia sustentável GEOTERMIA a energia sustentável FUROS GEOTÉRMICOS A Terra oferece-nos o calor para o aquecimento e arrefecimento central e AQS num só sistema. Venha conhecer! PORQUÊ PAGAR POR ALGO QUE A NATUREZA LHE DÁ?

Leia mais

PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3

PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3 PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3 PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU 19 CAPÍTULO 3 ÍNDICE 3. PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO

Leia mais

Motores elétricos Siemens e a Economia de Energia

Motores elétricos Siemens e a Economia de Energia Jornadas Técnicas Novas perspectivas Drive Technology Mundo em Motores elétricos Siemens e a Economia de Energia Tópicos Instalando o motor elétrico com inversor de freqüência Princípio de funcionamento

Leia mais

Nova Geração de Britadores. Britadores cônicos HP3

Nova Geração de Britadores. Britadores cônicos HP3 Nova Geração de Britadores Britadores cônicos HP3 2 2 Apresentação do produto Britadores cônicos HP3 Desempenho Produtivo Não há escolha melhor que um britador cônico quando se trata de... Elevada produtividade,

Leia mais

GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220

GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220 Sede Rua G - Lote 51 Zona Industrial Tomar 2305-127 Asseiceira - Tomar Tel.: 249310540 Fax: 249310549 afrizal@afrizal.pt GAMA DE TURBINAS EÓLICAS COMFORT 220 N O V E M B R O 2 0 0 7 DADOS TÉCNICOS Principio

Leia mais

ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES RADIANTES PRODUTOS E ACESSÓRIOS. www.rehau.com. Construção Automóvel Indústria

ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES RADIANTES PRODUTOS E ACESSÓRIOS. www.rehau.com. Construção Automóvel Indústria ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES RADIANTES PRODUTOS E ACESSÓRIOS www.rehau.com Construção Automóvel Indústria ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES RADIANTES UMA GRANDE INOVAÇÃO PARA O MÁXIMO CONFORTO GAMA DE PRODUTOS

Leia mais

MEDIAR. Centrais de Ar Comprimido Medicinal

MEDIAR. Centrais de Ar Comprimido Medicinal MEDIAR Centrais de Ar Comprimido Medicinal Centrais MEDIAR As centrais de ar comprimido medicinal, MEDIAR, são dispositivos médicos da classe IIb. Destinam-se á produção e fornecimento contínuo de ar comprimido

Leia mais

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior.

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Reboques para comboios logísticos Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Soluções de transporte desde a recepção dos produtos até à área de distribuição/produção. Com capacidades

Leia mais

Série V-500. Unidades de controle de temperatura para caminhões

Série V-500. Unidades de controle de temperatura para caminhões Série V-500 Unidades de controle de temperatura para caminhões Mais ecológico Rendimento superior Capacidade de aquecimento melhorada Confiabilidade garantida Versão Spectrum disponível Série V-500: satisfaz

Leia mais

GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL

GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL Unidades de negócios GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Unidades de negócios Motores Automação Energia

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof.

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof. DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica Prof.: Hélio Henrique INTRODUÇÃO IFRN - Campus Mossoró 2 MOTORES TRIFÁSICOS CA Os motores

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA M422 - SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ENSAIO DE UMA MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA

Leia mais

MICROGERAÇÃO. DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO.

MICROGERAÇÃO. DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO. MICROGERAÇÃO DL 363/2007 de 2 de Novembro PRODUZA E VENDA ENERGIA ELÉCTRICA À REDE ALTA RENTABILIDADE ALTA RENTABILIDADE DO INVESTIMENTO. As energias renováveis constituem uma fonte de energia inesgotável

Leia mais

Coluna de Elevação Hidráulica

Coluna de Elevação Hidráulica Coluna de Elevação Hidráulica Manual de Instruções SPOT JET Serviços de Manutenção Industrial, Sociedade Unipessoal, Lda. Rua D. Luís de Noronha 22, 4 Dto. 1050-072 Lisboa Portugal Tel / Fax. (+351) 217

Leia mais

Transmissões de Potência

Transmissões de Potência Transmissões de Potência PMR 2201 Transmissões O emprego de transmissões torna-se necessário para compatibilizar a velocidade angular ou conjugado da máquina motriz com a necessidade da máquina acionada,

Leia mais

Domitop MISTA INSTANTÂNEA. Domitop H SÓ AQUECIMENTO MEMBRO DE FEGECA

Domitop MISTA INSTANTÂNEA. Domitop H SÓ AQUECIMENTO MEMBRO DE FEGECA Domitop MISTA INSTANTÂNEA Domitop H SÓ AQUECIMENTO MEMBRO DE FEGECA CALDEIRA MURAL DOMITOP R A Férroli desenvolveu e lança uma nova gama de caldeiras murais a gás DOMITOP. Caldeiras mistas para e produção

Leia mais

EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade

EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade EPS 617 Bancada de teste Diesel Eficiência e versatilidade Características e vantagens da bancada EPS 617 Acessórios necessários para o uso da bancada. A nova bancada de teste Diesel Bosch EPS 617 apresenta

Leia mais

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 16 SOFT START

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 16 SOFT START AULA 16 SOFT START 1- Introdução Soft-starters são utilizados basicamente para partidas de motores de indução CA (corrente alternada) tipo gaiola, em substituição aos métodos estrela-triângulo, chave compensadora

Leia mais

O Solar- Térmico na Melhoria da Eficiência Energética. www.kleanenergie.c om www.selfenergysolu tions.eu 1

O Solar- Térmico na Melhoria da Eficiência Energética. www.kleanenergie.c om www.selfenergysolu tions.eu 1 O Solar- Térmico na Melhoria da Eficiência Energética www.kleanenergie.c om www.selfenergysolu tions.eu 1 Áreas de Actividade Fornecedor Equipamentos de Energias Renováveis a Escolas. Fornecedor Equipamento

Leia mais

ESQUENTADORES SENSOR ATMOSFÉRICO

ESQUENTADORES SENSOR ATMOSFÉRICO ESQUENTADORES SENSOR ATMOSFÉRICO SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE SENSOR ATMOSFÉRICO Controlo total da temperatura. Conforto e Ecologia O esquentador Sensor Atmosférico é uma grande evolução para o seu conforto.

Leia mais

Oilon ChillHeat. Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento

Oilon ChillHeat. Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento Oilon ChillHeat Desempenho otimizado na refrigeração e aquecimento As bombas de calor oferecem energia econômica e ecologicamente correta Calor residual de baixa temperatura contém energia valiosa A indústria

Leia mais