Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME. Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME. Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC"

Transcrição

1 Contributo do CENTRO 2020 para a COMPETITIVIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO das PME Ana Abrunhosa - Presidente CCDRC

2 O PO Regional Centro por EIXOS 9,79% 2,48% Eixo 9 Reforçar a rede urbana Eixo 8 Reforçar a capacitação institucional das entidades regionais Eixo 7 Afirmar sustentabilidade dos territórios (CONSERVAR) 5,88% (CIDADES) 2,52% (CAPACITAR) Eixo 10 Assistência Técnica ,75% Eixo 6 Eixo 1 Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) Afirmar sustentabilidade dos recursos (SUSTENTAR) 7,83% Eixo 2 Competitividade e Internacionalização da Economia Regional Eixo 5 (COMPETIR) Fortalecer a Coesão Social e Territorial (APROXIMAR e CONVERGIR) 37,97% Eixo 3 Desenvolver o Potencial Humano Eixo 4 (APRENDER) 13,36% Promover e Dinamizar a Empregabilidade (EMPREGAR e CONVERGIR) 8,20% 7,21%

3 Empresas enquanto beneficiárias do POR Centro Eixo 1: Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDEIAS) PI 1.1. Reforço de investigação e inovação (I&I) PI 1.2. Investimento das empresas na I&D e sinergias entre empresas, ensino superior e centros de investigação em redes e clusters através de especialização inteligente Eixo 2: Competitividade e Internacionalização da Economia Regional (COMPETIR) PI 3.1. Promoção do espírito empresarial e incentivar a criação de novas empresas PI 3.2. Novos modelos empresariais para PME, especialmente no que respeita à internacionalização PI 3.3. O apoio à criação e alargamento de capacidades avançadas de desenvolvimento de produtos e serviços Eixo 3: Desenvolver o Potencial Humano (APRENDER) PI Prevenção e redução do abandono escolar PI Melhoria do ensino superior e equivalente para aumentar as habilitações PI Melhoria da pertinência do ensino e da formação ministrados para o mercado de trabalho PI Investimentos na educação, formação e formação profissional Eixo 4: Promover e Dinamizar a Empregabilidade (EMPREGAR E CONVERGIR) PI 8.1. Acesso ao emprego e apoio à mobilidade dos trabalhadores PI 8.3. Criação de emprego por conta própria, empreendedorismo e criação de empresas PI 8.5. Adaptação dos trabalhadores, das empresas e dos empresários à mudança PI 8.8.Apoio aos viveiros de empresas e à atividade por conta própria, microempresas e criação de empresas PI 8.9. Apoio ao emprego através do potencial endógeno Eixo 5: Fortalecer a Coesão Social e Territorial (APROXIMAR e CONVERGIR) PI 9.1. Inclusão ativa PI 9.6. Estratégias de desenvolvimento local de base comunitária PI 9.7. Investimentos na saúde e nas infraestruturas sociais, culturais e recreativas PI Estratégias de desenvolvimento local de base comunitária Eixo 6: Afirmar sustentabilidade dos recursos (SUSTENTAR) PI 4.2. Eficiência energética e energias renováveis nas empresas PI 4.3. Eficiência energética e energias renováveis nas infraestruturas públicas e no setor da habitação PI 4.5. Estratégias de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios Eixo 7: Afirmar sustentabilidade dos territórios (CONSERVAR) PI 6.3. Conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do património natural e cultural PI 6.5. Melhorar o ambiente urbano, revitalizar as cidades Eixo 8: Reforçar a capacitação institucional das entidades regionais (CAPACITAR) PI 2.3. Reforço das TIC na administração pública PI Investimento nas capacidades institucionais e na eficiência das administrações e dos serviços públicos PI Capacitação no domínio da educação, aprendizagem ao longo da vida, formação, emprego e políticas sociais Eixo 9 Reforçar a rede urbana (CIDADES) PI 4.5. Estratégias de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios PI 6.5. Melhorar o ambiente urbano, revitalizar as cidades PI 9.8. Apoio à regeneração física, económica e social das comunidades desfavorecidas em zonas urbanas e rurais Empresas, associações empresariais, X X X X X X X X X X

4 Programa Operacional Regional do Centro OT 1 Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação PI 1.2. Aumentar o investimento das empresas na I&D e sinergias entre empresas, ensino superior e centros de investigação em redes e clusters através de especialização inteligente Aumentar o investimento empresarial em I&I Elevar a intensidade de I&I nas empresas e a sua valorização económica Promover a cooperação empresarial com as entidades do sistema de I&I Incentivar o desenvolvimento de novos produtos e serviços, em especial em atividades de maior intensidade tecnológica e de conhecimento Reforçar as ações de valorização económica dos projetos de I&D Elevar a participação nacional nos programas e iniciativas internacionais de I&D Aumentar o investimento empresarial em ações inovadoras de Não PME Promover a produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico Contribuir para a internacionalização e orientação transacionável da economia portuguesa e para a criação de emprego qualificado, bem como gerar um efeito de arrastamento em PME

5 Programa Operacional Regional do Centro OT 1 Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação PI 1.2. Aumentar o investimento das empresas na I&D e sinergias entre empresas, ensino superior e centros de investigação em redes e clusters através de especialização inteligente Reforçar as parcerias e a cooperação, visando a inovação e a internacionalização de empresas e das cadeias de valor (clusterização) Aumentar as ações de demonstração do potencial económico dos resultados da I&DT Dinamizar as atividades dos clusters, no âmbito dos domínios da RIS 3 Facilitar os clusters na concretização de parcerias internacionais geradoras de valor acrescentado nos domínios da inovação da RIS3 Promover a vigilância tecnológica e a prospeção de mercados Dinamizar as atividades de transferência de tecnologia para a atividade económica

6 Programa Operacional Regional do Centro OT 3 Reforçar a Competitividade das PME PI 3.1. Promoção do espírito empresarial e incentivo à criação de novas empresas Promover o Empreendedorismo qualificado e criativo Estimular e apoiar a criação de novas empresas e novos negócios, intensivos em conhecimento, tecnologia e criatividade Alavancar pequenas iniciativas empresariais de PME recém criadas Capacitar infraestruturas de incubação e aceleração de empresas de base tecnológica PI 3.2. Novos modelos empresariais para PME, em termos de Internacionalização Reforçar a capacitação empresarial para a internacionalização Promover a presença das PME em mercados internacionais Estimular o conhecimento e a prospeção de novos mercados Incrementar a competitividade de PME através de Projetos Simplificados de aquisição de serviços de consultoria na área da prospeção de mercados Incentivar a cooperação interempresarial através de Redes ou de Ações Coletivas para Internacionalização

7 Programa Operacional Regional do Centro OT 3 Reforçar a Competitividade das PME PI 3.3. Apoio à criação e alargamento de capacidades avançadas de desenvolvimento de produtos e serviços Reforçar a capacitação empresarial das PME para o desenvolvimento de bens e serviços Alavancar projetos de Investimento Produtivo de natureza inovadora, que se traduzam na produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis diferenciadores e de qualidade, com elevado nível de incorporação nacional Reforçar o Investimento em Fatores Imateriais de Competitividade, visando a qualificação de processos, organizações e produtos, a economia digital, ganhos de produtividade industrial, novos materiais, design, desenvolvimento e engenharia de produtos Incrementar a competitividade de PME através de Projetos Simplificados de aquisição de serviços de consultoria de inovação a entidades acreditadas Apoio a Ações Coletivas de demonstração, sensibilização, difusão de boas práticas, visando o desenvolvimento das capacidades estratégicas e de gestão competitiva das PME, bem como o apoio a redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços Apoio ao investimentos em infraestrutura e equipamento para criação ou expansão de Infraestruturas de Localização Empresarial

8 Programa Operacional Regional do Centro OT 4 Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono PI 4.2. Eficiência energética e energias renováveis nas empresas Aumento da eficiência energética nas empresas, apoiando a implementação de medidas de eficiência energética e de racionalização dos consumos Promover medidas de consciencialização das empresas, relacionadas com o consumo de energia e as emissões (CO2, PM e NO2) Incentivar Auditorias Energéticas e apoio à elaboração de Planos de Racionalização dos Consumos de Energia Incentivar a eficiência energética que inclua medidas tecnológicas de baixo carbono Estimular as renovações ou conversões de frotas de veículos de transporte de mercadorias, em termos de energias menos poluentes Promover as tecnologias de produção energia renovável para autoconsumo

9 Programa Operacional Regional do Centro OT 8 Promover o emprego e apoiar a mobilidade laboral PI 8.5. Adaptação dos trabalhadores, das empresas e dos empresários à mudança Intensificar a valorização das competências profissionais dos empresários e quadros superiores, visando melhorias organizacionais e o reforço da capacidade de gestão nas temáticas associadas à inovação e à mudança Promover a qualificação dos trabalhadores em temáticas específicas associadas a projetos de investimento Promover a integração de recursos altamente qualificados nas empresas PI 8.3 Criação do Próprio Emprego, Empreendedorismo e criação de empresas PI 8.8. Apoio a viveiros de empresas a à atividade por conta própria, microempresas e criação de empresas Aumentar a criação de empresas e empregos sustentáveis por desempregados, através do apoio à criação do próprio emprego e da contratação de terceiros (microempreendedorismo) Estimular a criação de emprego de base local, especialmente em territórios da coesão, o empreendedorismo social e a economia social

10 TIPOLOGIA DE INVESTIMENTOS Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização das PME

11 TIPOLOGIA DE INVESTIMENTOS Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Tipologia de Projetos Modalidade Natureza do Incentivo I&D Empresas Projetos Demonstradores Núcleos de I&D Proteção de Direitos de Propriedade Industrial (DPI) Internacionalização I&D Programas Mobilizadores Vale I&D Projetos Individuais Projetos em Copromoção Projetos em Copromoção Regime Simplificado Empresas: Incentivo até 1 milhão Não Reembolsável Excedente a 1 Milhão 25% Reembolsável S/ Juros 75% Não Reembolsável (7 anos com 3 de carência) Núcleos, DPI e Internacionalização de I&D e Outras Não Empresas: Não Reembolsável

12 TIPOLOGIA DE INVESTIMENTOS Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Tipologia de Projetos Duração I&D Empresas Núcleos de I&D Programas Mobilizadores Programas Demonstradores Proteção de Direitos de Propriedade Industrial (DPI) Internacionalização I&D Vale I&D Projetos Individuais - 24 meses Projetos Copromoção - 36 meses Máximo 36 meses Máximo 18 meses Máximo 36 meses Máximo 24 meses Regime Simplificado - 12 meses

13 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção TAXAS GERAIS (empresas) Taxa Base - 25% Majorações: 10 p.p. (Médias Empresas) ou 20 p.p. (Pequenas Empresas) 15 p.p. (projetos em Cooperação ou Divulgação Ampla de Resultados) 25 p.p. (Investigação Industrial mais afastada do mercado) TAXAS ESPECÍFICAS Vale I&D 75% do Custo do Serviço e até ao Máximo de 15 mil euros Núcleos I&D - 50 % PME e 15% Não PME Proteção de DPI e Internacionalização I&D 50% (Não PME minimis) Despesas em Feiras e Exposições 50% (Não PME minimis) Entidades SCT Taxa Média ou 75% (exceto incentivo em Auxílios de Estado) Formação Profissional - Até 70% dos Custos Elegíveis de F. Profissional Base 50 % + 10% (Média) ou 20% (Pequena Empresa) + 10% (Formandos Def. ou Desf.) A taxa máxima a cada entidade para as atividades de Investigação Industrial e de Desenvolvimento Experimental não pode exceder, respetivamente, os limites máximos, expressos em ESB, de 80% e 60% das despesas elegíveis

14 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Despesas Elegíveis (I&D empresas, Demonstradores e Mobilizadores) Despesas com pessoal técnico do beneficiário Aquisição de patentes a fontes externas ou por estas licenciadas Matérias-primas, materiais consumíveis e componentes necessárias Aquisição de serviços a terceiros, incluindo assistência técnica, científica e consultoria Aquisição de instrumentos e equipamento científico e técnico imprescindível ao projeto, afetos em exclusividade, durante o período de execução do projeto Aquisição de software específico para o projeto durante a execução do mesmo Despesas com a promoção e divulgação dos resultados Viagens e estadas no estrangeiro diretamente imputáveis ao projeto e comprovadamente necessárias à sua realização, excluindo deslocações para contactos e outros fins de natureza comercial Despesas com o processo de certificação segundo a NP 4457:2007 Despesas com a intervenção de TOC ou ROC (limite de 5 mil por projeto) Contribuições em espécie, em condições a definir Imputação de custos indiretos (Imputação Real ou por Custos Simplificados)

15 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Despesas Elegíveis a adicionar às anteriores (Projetos Demonstradores) Adaptação de edifícios e instalações na medida em que forem utilizados no projeto, e durante a execução do mesmo Transporte, seguros, montagens e desmontagens de equipamentos e instalações específicas do projeto Despesas inerentes à aplicação real no setor utilizador, até ao limite máximo de 15% das despesas elegíveis do projeto Modelos computacionais dos protótipos com funções de simulação, quando adequados à demonstração dos resultados

16 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Despesas Elegíveis (Núcleos de I&D) Despesas com pessoal técnico, incluindo bolseiros contratados pelo beneficiário, sendo que no caso de projetos individuais somente é elegível a contratação de um máximo de três novos quadros técnicos Custos do pessoal, relativos a formadores e a formandos, para as horas em que estes participam na formação profissional, acrescida dos custos indiretos Aquisição serviços a terceiros, incluindo assistência técnica, científica e consultoria Aquisição de instrumentos e equipamento científico e técnico imprescindível ao projeto, afetos em exclusividade, durante o período de execução do projeto Aquisição de software específico para o projeto durante a execução do mesmo Adaptação de edifícios e instalações na medida em que forem utilizados no projeto, e durante a execução do mesmo Despesas com o processo de certificação segundo a NP 4457:2007 Despesas com a intervenção de TOC ou ROC Contribuições em espécie, em condições a definir Imputação de custos indiretos (Imputação Real ou por Custos Simplificados)

17 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Despesas Elegíveis (projetos de proteção de DPI) Custos com a obtenção e validação de pedidos de patente, modelos de utilidade, desenhos ou modelos, incluindo taxas, honorários e outras despesas relacionadas Despesas Elegíveis (projetos internacionalização I&D) Aquisição de serviços de consultoria com a preparação de proposta de candidatura aos Programas Internacionais de IDI do Horizonte 2020 Viagens e estadas ao estrangeiro diretamente imputáveis ao projeto e comprovadamente necessárias à sua realização Despesas Elegíveis (Vales I&D) Serviços de consultoria em atividades de investigação e desenvolvimento tecnológico, bem como serviços de transferência de tecnologia Despesas Não Elegíveis (além das gerais usualmente consideradas) Transações entre beneficiários nos projetos Custos referentes a investimentos diretos no estrangeiro Construção, adaptação ou remodelação de edifícios, à exceção das previstas para Núcleos de I&D e Projetos Demonstradores

18 Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresas Entidades Não Empresariais do SCT na Copromoção Condições para a comparticipação das despesas elegíveis: Serviços e outras Despesas adquiridos a terceiros em condições de mercado e não relacionados com o beneficiário Bens e software de utilização produtiva ou comercial após conclusão do projeto: só serão elegíveis as amortizações correspondentes ao período de utilização Exclusivamente utilizadas no estabelecimento onde se desenvolve (específica do Vale I&DT) Aquisição de serviços no Vale I&DT a entidades públicas ou privadas acreditadas REDUÇÕES POR INCUMPRIMENTO DE PRAZOS DE EXECUÇÃO Vale I&DT Outras Tipologias 20 % de Redução do valor das despesas A partir da data aprovada e até ao final do 3º mês A partir da data aprovada e até ao final do 6º mês 40 % de Reduçãodo valor das despesas Entre o 4º mês e até ao final do 6º mês Entre o 7º mês e até ao final do 12º mês de prorrogação

19 Inovação Empresarial e Empreendedorismo Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME Prioridades de Investimento Tipologia de Projetos Modalidades de Candidatura Inovação Produtiva Não PME Inovação Produtiva PME Empreendorismo Qualificado e Criativo Vale Empreendedorismo Novos Bens e Serviços ou Melhorias Significativas da Produção através da Transferência de Conhecimento Adoção de Novos, ou Significativamente Melhorados, Processos ou Métodos de Fabrico Novos Bens e Serviços ou Melhorias Significativas da Produção através da Transferência de Conhecimento Adoção de Novos, ou Significativamente Melhorados, Processos ou Métodos de Fabrico, de Logística e Distribuição, bem como Métodos Organizacionais ou de Marketing Projetos das PME, com menos de dois anos, em setores com fortes dinâmicas de crescimento, incluindo as integradas em indústrias criativas e culturais, e/ou setores com maior intensidade de tecnologia e conhecimento ou que valorizem a aplicação de resultados de I&D Aquisição de serviços de consultoria na área do empreendedorismo imprescindíveis ao arranque de empresas recém-criadas (até 2 anos). Projetos Individuais Vale Empreendedorismo (Regime Simplificado)

20 Inovação Empresarial e Empreendedorismo Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME Prioridades de Investimento Modalidades de Candidatura Natureza do Incentivo Duração Inovação Produtiva Não PME Inovação Produtiva PME Empreendorismo Qualificado e Criativo Projetos Individuais Incentivo Reembolsável, com eventual Prémio, em função da Superação dos Resultados, até ao máximo de 50% (2015 e 2016) e 45% (a partir de 2017) Não cumprimento - antecipação reembolsos Reembolso sem Juros ou Outros Encargos Prazo de 8 anos com Carência de 2 anos Novos Hóteis 10 anos, Carência de 3 anos Despesas c/ Formação - Não Reembolsáveis Máximo de 24 meses Vale Empreendedorismo Vale Empreendedorismo (Regime Simplificado) Incentivo Não Reembolsável Até ao máximo de 15 mil Máximo de 12 meses

21 Majorações Regulamento Específico do Sistema de Incentivos às Empresas Inovação Empresarial e Empreendedorismo TAXAS GERAIS Taxa Base - 35% Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME 15 p.p. (Médias Empresas) ou Projetos > 5 Milhões de Pequenas Empresas 25 p.p. (Pequenas Empresas) ou Projetos < 5 Milhões de Pequenas Empresas 10 p.p. Projetos na tipologia Empreendedorismo Qualificado e Criativo 10 p.p. Projetos na tipologia Empreendedorismo Feminino ou Jovem 10 p.p. Projetos em Territórios de Baixa Densidade 10 p.p. Projetos que promovam a sustentabilidade e Eficiência dos Recursos 10 p.p. Projetos com ações de «demonstração e disseminação» TAXAS ESPECÍFICAS Vale Empreendedorismo 75% Incentivo Máximo de 15 mil Formação Profissional - Até 70% dos Custos Elegíveis de F. Profissional Base 50 % + 10% (Média) ou 20% (Pequena Empresa) + 10% (Formandos Def. ou Desf.) A taxa máxima global não pode ultrapassar 75% dos Custos Elegíveis

22 Inovação Empresarial e Empreendedorismo Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME Despesas Elegíveis (à exceção do Vale Empreendedorismo) Ativos Corpóreos constituídos por: Aquisição de máquinas e equipamentos e os custos diretamente atribuíveis para os mesmos serem capazes de funcionar Projetos dos setores do turismo e da indústria, em casos devidamente justificados, podem incluir, a construção de edifícios, obras remodelação e outras construções Custos de aquisição de equipamentos informáticos e software Ativos incorpóreos constituídos por: Transferência de tecnologia através da aquisição de direitos de patentes Licenças, «saber-fazer» ou conhecimentos técnicos não protegidos por patente Software standard ou desenvolvido especificamente para determinado fim Outras despesas de investimento, até ao limite de 20%, ou 35% (casos de projetos do Empreendedorismo Qualificado) do total das despesas elegíveis: Despesas com TOC ou ROC até ao limite de Serviços de engenharia relacionados com a implementação do projeto Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia Serviços de execução de cadastro predial em que incide a operação ou o projeto Despesas com Formação Profissional, relativas a formadores e a formandos, para as horas em que estes participam na formação, acrescida dos custos diretos e indiretos

23 Inovação Empresarial e Empreendedorismo Despesas Elegíveis (Vale Empreendedorismo) Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME Despesas com serviços de consultoria na área do empreendedorismo, nomeadamente a elaboração de planos de negócios, bem como serviços de consultoria imprescindíveis ao arranque de empresas recém-criadas Condições para a comparticipação das despesas elegíveis: Exclusivamente utilizadas no estabelecimento onde se desenvolve o projeto Ativos tangíveis e intangíveis, serem amortizáveis e incluídos nos ativos do beneficiário e permanecerem durante pelo menos 5 anos em Não PME e 3 anos em PME Aquisições em condições de mercado Ativos intangíveis e outras despesas adquiridos a terceiros não relacionados com o beneficiário Não serem adquiridas a empresas sedeadas em países, territórios e regiões com regimes de tributação privilegiada

24 Inovação Empresarial e Empreendedorismo Empresas PME Empresas Não PME só elegíveis na Inovação Não PME Despesas Não Elegíveis (além das gerais usualmente consideradas) Publicidade corrente; Custos de investimento correspondentes às unidades de alojamento exploradas em regime de direito de habitação periódica, de natureza real ou obrigacional. REDUÇÕES POR INCUMPRIMENTO DE PRAZOS DE EXECUÇÃO 20 % de Redução do valor das despesas Vale Empreendedorismo A partir da data aprovada e até ao final do 3º mês Outras Tipologias A partir da data aprovada e até ao final do 6º mês 40 % de Reduçãodo valor das despesas Entre o 4º mês e até ao final do 6º mês Entre o 7º mês e até ao final do 12º mês de prorrogação

25 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME Prioridades de Investimento Internacionalização das PME Qualificação das PME Tipologia de Projetos Conhecimento de Mercados Externos Presença na WEB, através da Economia Digital Desenv. e Promoção Internacional de Marcas Prospeção e Presença em Mercados Internacionais Marketing Internacional Novos métodos de organização nas práticas comerciais ou nas relações externas Certificações Específicas para os mercados externos Inovação Organizacional e Gestão Economia Digital e TIC Criação de Marcas e Design Des. e Engenharia Produtos, Serviços e Processos Propriedade Industrial Qualidade Transferência de Conhecimento Distribuição e Logística Ecoinovação - ecoeficiência e economia circular Formação Profissional Contratação de RH altamente qualificados, associada a estratégias de inovação Modalidades de Candidatura Projetos Individuais Projetos Conjuntos Vale Internacionalização (Regime Simplificado) Projetos Individuais Projetos Conjuntos Vale Inovação (Regime Simplificado)

26 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME Prioridades de Investimento Natureza do Incentivo Duração Internacionalização das PME Qualificação das PME Incentivo Não Reembolsável Limites de incentivo de acordo com as modalidades de candidatura: para projetos individuais; por empresa beneficiária para Projetos Conjuntos Vale Internacionalização ou Vale Inovação até máximo de Projetos Individuais ou em Conjuntos 24 meses Vales - 12 meses

27 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME TAXAS GERAIS Projetos Individuais - 45% Projetos Conjuntos Despesas das Empresas - 50% Despesas do Promotor Líder - 85% TAXAS ESPECÍFICAS Vales Internacionalização e Inovação 75% Incentivo até 15 mil Formação Profissional - Até 70% dos Custos Elegíveis de F. Profissional Base 50 % + 10% (Média) ou 20% (Pequena Empresa) + 10% (Formandos Def. ou Desf.) Contratação Rec. Humanos Altamente Especializados - 50% Custos Salariais

28 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME Despesas Elegíveis (Projetos Individuais ou Conjuntos) Aquisições para aplicação de novos métodos organizacionais Equipamentos na medida em que forem utilizados no projeto e durante a execução do mesmo Software relacionado com o desenvolvimento do projeto Custo com contratação até dois novos quadros técnicos/projeto (até 2 anos) Participação em feiras e exposições no exterior Custos com o aluguer, conceção, construção e funcionamento do stand Custos indiretos de funcionamento do stand (ex: deslocações e alojamento) Serviços de consultoria especializados, prestados por consultores externos Prospeção e captação de novos clientes Ações de promoção realizadas em mercados externos, designadamente assessoria de imprensa, consultoria de mercado e assistência técnica à preparação de eventos Campanhas de marketing nos mercados externos, que compreende a contratação de serviços nas áreas de mailing e telemarketing, publicidade Estudos, diagnósticos e auditorias, custos com a entidade certificadora Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas

29 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME Despesas Elegíveis (Projetos Individuais ou Conjuntos) Obtenção, validação e defesa de patentes e outros custos de registo de propriedade industrial Formação de recursos humanos com as seguintes despesas elegíveis Custos do pessoal, relativos a formadores e a formandos, para as horas em que estes participam na formação acrescidos dos Custos Diretos e Indiretos gerais Custos salariais com a contratação RH, mediante contrato até 36 meses Despesas Elegíveis Específicas do Promotor (Projetos Conjuntos) Ações de divulgação e sensibilização, visando a participação de PME Ações de acompanhamento e desenvolvimento do projeto, designadamente a realização de estudos, catálogos e campanhas de promoção e imagem A avaliação dos resultados nas PME participantes, com base nos indicadores de acompanhamento e de resultados Ações de divulgação e disseminação de resultados Custos com pessoal da entidade promotora afetos às atividades atrás descritas, até ao limite de 5% dos outros custos elegíveis As despesas específicas do Promotor não podem ultrapassar 15% dos custos elegíveis totais do Projeto Conjunto

30 Qualificação e Internacionalização das PME Empresas PME Entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos com competências específicas dirigidas às PME Despesas Não Elegíveis (além das gerais usualmente consideradas) Publicidade corrente Transações entre entidades, beneficiários e promotores Custos na área produtiva ou operacional REDUÇÕES POR INCUMPRIMENTO DE PRAZOS DE EXECUÇÃO Vale Inovação ou Vale Internacional Projetos Individuais ou Projetos Conjuntos 20 % de Redução do valor das despesas 40 % de Reduçãodo valor das despesas A partir da data aprovada e até ao final do 3º mês Entre o 4º mês e até ao final do 6º mês A partir da data aprovada e até ao final do 6º mês Entre o 7º mês e até ao final do 12º mês de prorrogação

31 tipologia: Apoio à integração de pessoal altamente qualificado nas empresas PI 8.5 Adaptação dos trabalhadores, das empresas e dos empresários à mudança Elevado potencial, quer ao nível do n.º de diplomados do ensino superior (69,4 por mil habitantes, em 2010/11, o segundo maior valor do país, posição que aumenta para 1º lugar quando se consideram apenas as áreas científicas e tecnológica), quer ao nível dos doutorados (em 2012, foram concluídos ou reconhecidos 196 doutoramentos nas instituições de ensino superior) Muitos dos recursos humanos altamente qualificados não se fixam nas empresas da Região, não se capitalizando o esforço que se fez na sua formação Apoio à integração de doutorados, mestres e licenciados com mais de 5 anos de experiência nas empresas Custo médio unitário por doutorado de cerca de /ano (considerou-se a remuneração mensal de euros + 23,75% de encargos sociais + 2% de custos de seleção), três anos para cada apoio e admitindo uma dotação total de cerca de 15 milhões de euros com uma taxa de comparticipação de 50%, será possível apoiar cerca de 260 trabalhadores

32 tipologia: Apoio à formação de quadros superiores e empresários PI 8.5 Adaptação dos trabalhadores, das empresas e dos empresários à mudança A maioria das empresas da Região são micro e pequenas empresas (96,1% das empresas têm menos de 10 pessoas ao serviço), sendo a apetência para a promoção da formação, quer ao nível da gestão, quer ao nível dos colaboradores, reduzida. Esta realidade tem repercussões no que respeita à produtividade do trabalho na Região Centro que, em 2011, era apenas de 24,5 milhares de euros por trabalhador, representando cerca de 80% do total nacional e cerca de 60% da produtividade do conjunto dos 27 países da União Europeia. Desde 1995, que a Região Centro se mantém como a região portuguesa com a mais baixa produtividade do trabalho. Ações de apoio à formação de quadros superiores e empresários: - Apoio ao desenvolvimento de ações de formação/coaching de empresários para a inovação, internacionalização, gestão empresarial, conhecimento de aspetos legais e regulamentares - Apoio ao desenvolvimento do potencial humano das empresas e das suas competências - Apoio ao desenvolvimento de capacidade de previsão, prospetiva, antecipação e identificação de tendências de evolução relevantes - Apoio a projetos de reforço das capacidades de organização e gestão

33 Gabinete de Apoio ao Promotor Missão INFORMAR, SIMPLIFICAR PARA INVESTIR Disponibilizar informação aos investidores Facilitar a interacção entre os agentes regionais Fomentar o investimento no Centro de Portugal

34 Gabinete de Apoio ao Promotor Objectivos Melhorar a informação relativa aos programas operacionais, comunitários e instrumentos financeiros; Intensificar a utilização dos apoios disponíveis com génese na União Europeia e demais Organizações; Posicionar a Região Centro na rede de financiamento de projectos de elevado interesse internacional; Dinamizar o envolvimento do poder local, empresas, rede científica e tecnológica e associações, na consolidação dos objectivos que assistem à ambição, estratégia regional e RIS3.

35 Gabinete de Apoio ao Promotor Domínios GABINETE DE APOIO AO PROMOTOR Componente Operacional Apoio ao Investimento Informação e Promoção Captação de Investimento Componente de Suporte Base de Informação sobre programas (operacionais/comunitários); fomento de parcerias;apoio à intermediação; estabelecimento de redes; suporte informativo

36 Para mais informação Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro Rua Bernardim Ribeiro, COIMBRA

NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas. Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016

NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas. Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016 NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016 SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INOVAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICAÇÃO DE PME INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa INOVAÇÃO e I&DT Lisboa Prioridades, Impactos, Próximo Quadro MIGUEL CRUZ Aumentar a capacidade competitiva no mercado internacional Reforçar as competências estratégicas Apoiar as PME no reforço das suas

Leia mais

Apoio à Competitividade e. Internacionalização (SI - Empresas)

Apoio à Competitividade e. Internacionalização (SI - Empresas) Apoio à Competitividade e Internacionalização (SI - Empresas) Portugal 2014-2020 Acordo de Parceria, julho 2014 As regiões menos desenvolvidas, onde se inclui a Região Centro, vão receber 93% dos cerca

Leia mais

O investimento empresarial apoiado pelo Portugal 2020 na Região Centro

O investimento empresarial apoiado pelo Portugal 2020 na Região Centro Comemoração do Dia da Europa 9 de maio de 2016 O investimento empresarial apoiado pelo Portugal 2020 na Região Centro Jorge Brandão Vogal Executivo da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 MAIS CENTRO 2007-2013

Leia mais

Aveiro 4 de Junho de 2015

Aveiro 4 de Junho de 2015 Aveiro 4 de Junho de 2015 Enquadramento e âmbito Territorial: Todo o território do continente Setores: Todas as atividades económicas Especial incidência para a produção de bens e serviços transacionáveis

Leia mais

QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande.

QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande. QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande Carlos Castro 1 SI I&DT Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 FICHA TÉCNICA INOVAR 2020 Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 Introdução O INOVAR 2020, Sistema de Incentivos

Leia mais

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015 Apoios às empresas no Norte 2020 Eunice Silva Valença 30.06.2015 SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INOVAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICAÇÃO DE PME INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME I&D Produção de

Leia mais

Projectos de I&DT Empresas Individuais

Projectos de I&DT Empresas Individuais 1 Projectos de I&DT Empresas Individuais Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (SI I&DT) Projectos de I&DT Empresas Dezembro de 2011 2 s Enquadramento Aviso n.º 17/SI/2011

Leia mais

Fiapal Informa. Candidaturas QREN

Fiapal Informa. Candidaturas QREN Foram publicados no passado mês de Dezembro 5 Avisos para Apresentação de Candidaturas ao QREN. Destes, três integram a região de Lisboa. Fiapal Informa Aviso de Abertura de Concurso - AAC 17/SI/2011 Sistema

Leia mais

PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO!

PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO! Candidaturas abertas até 18 de Setembro QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO PREPARE O SEU PROJETO FALE CONNOSCO! Tel./Fax: 22 600 71 20 projectos@advancedway.pt www.advancedway.pt Qualificação e internacionalização

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 16 de Novembro de 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA

Leia mais

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Hugo Barros UALG Universidade do Algarve Albufeira, 12 de Março 2015 INOVAÇÃO PAPEL CRUCIAL NO CRESCIMENTO ECONÓMICO DOS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

Sistema de Incentivos às Empresas 2020

Sistema de Incentivos às Empresas 2020 Sistema de Incentivos às Empresas 2020 Investigação, Inovação e Empreendedorismo, Qualificação e Internacionalização 19 de Fevereiro INIAVl Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt O presente conteúdo é válido

Leia mais

Prazos para a Apresentação de Candidaturas Entre o dia 23 de Dezembro de 2011 e o dia 11 de Abril de 2012 (24 horas).

Prazos para a Apresentação de Candidaturas Entre o dia 23 de Dezembro de 2011 e o dia 11 de Abril de 2012 (24 horas). SI INOVAÇÃO [Projectos PROVERE] Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 15/SI/2011 Aberto concurso para a implementação dos PROVERE Programas de Valorização Económica de Recursos Endógenos que pretendem

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020 Dotação financeira: 2.155 M FEDER: 1.751

Leia mais

CIRCULAR. N.Refª: 98/2015 Data: 02/12/15. ASSUNTO: ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 2/2015 Projetos de Formação-Ação Modalidade Projetos Conjuntos

CIRCULAR. N.Refª: 98/2015 Data: 02/12/15. ASSUNTO: ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 2/2015 Projetos de Formação-Ação Modalidade Projetos Conjuntos CIRCULAR N.Refª: 98/2015 Data: 02/12/15 ASSUNTO: ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 2/2015 Projetos de Formação-Ação Modalidade Projetos Conjuntos Exmos. Senhores, No seguimento da publicação do Aviso 34/SI/2015 e

Leia mais

Apoio à Competitividade e. Internacionalização

Apoio à Competitividade e. Internacionalização Apoio à Competitividade e Internacionalização Portugal 2014-2020 Acordo de Parceria, julho 2014 As regiões menos desenvolvidas, onde se inclui a Região Centro, vão receber 93% dos cerca de 21 mil milhões

Leia mais

Calendário de Concursos

Calendário de Concursos Calendário de Concursos Resumo dos Principais Programas Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Inovação Empresarial Qualificação e Internacionalização PME s Promoção da Eficiência Energética e da Utilização

Leia mais

24/05/2015. Índice. Portugal 2020 : Objectivos e Prioridades. Estrutura Operacional. ISQ e Portugal 2020. Oportunidades

24/05/2015. Índice. Portugal 2020 : Objectivos e Prioridades. Estrutura Operacional. ISQ e Portugal 2020. Oportunidades 24/05/2015 Índice Portugal 2020 : Objectivos e Prioridades Estrutura Operacional ISQ e Portugal 2020 Oportunidades 1 ( ) Portugal 2020 é o conjunto de políticas, estratégias de desenvolvimento, domínios

Leia mais

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010)

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) Foi prorrogado o prazo para apresentação de candidaturas no âmbito do Aviso N.º 03/SI/2010,

Leia mais

Qualificação e Internacionalização das PME

Qualificação e Internacionalização das PME Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos

Leia mais

Novos Fundos Comunitários. Portugal 2020

Novos Fundos Comunitários. Portugal 2020 Novos Fundos Comunitários Portugal 2020 1. Apresentação 2. Portugal 2020 Enquadramento Geral 3. Sistemas de incentivos: DLBC Compete 2020 PDR 2020 Outros Apoios / incentivos PAECPE Investe Jovem Passaporte

Leia mais

PORTUGAL 2020. Novo Banco em Ação

PORTUGAL 2020. Novo Banco em Ação PORTUGAL 2020 Novo Banco em Ação ÍNDICE PORTUGAL 2020 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. ENQUADRAMENTO CONDIÇOES GERAIS DO PROGRAMA PO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PDR 2020 OS 6 PASSOS DE UMA CANDIDATURA

Leia mais

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas Sistemas de incentivos às empresas ACIBTM/In.Cubo 6 de julho 2015 P. O. financiadores Domínio Competitividade e OBJETIVO: Criação de riqueza e de emprego através da melhoria da competitividade das empresas

Leia mais

http://www.iapmei.pt/iapmei-leg-03p.php?lei=7886

http://www.iapmei.pt/iapmei-leg-03p.php?lei=7886 IAPMEI - Legislação - Legislação Nacional - Incentivos-Portaria 1102/2010 de 25 de... Page 1 of 24 Portaria nº 1102/2010 de 25 de Outubro de 2010 DR 207 - SÉRIE I Emitido Por Ministério da Economia, da

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 20/2014/A de 23 de Setembro de 2014

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 20/2014/A de 23 de Setembro de 2014 GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 20/2014/A de 23 de Setembro de 2014 Subsistema de Incentivos para o Desenvolvimento Local Na prossecução da política de crescimento, de emprego

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

O Apoio à Investigação e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno

O Apoio à Investigação e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno O Apoio à Investigação e Inovação no Portugal 2020 Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno Lisboa, 02 de outubro de 2014 Tópicos: 1. Portugal 2020: Objetivos e prioridades 2. Nova Lógica

Leia mais

Inovação Empresarial e Empreendedorismo

Inovação Empresarial e Empreendedorismo Inovação Empresarial e Empreendedorismo Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos Na

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SI À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SI À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Data: 13 de Outubro

Leia mais

VALE EMPREENDEDORISMO

VALE EMPREENDEDORISMO V A L E E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1 VALE EMPREENDEDORISMO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE EMPREENDEDORISMO) Março 2015 V A L E E M P R E E N D E D O R I S M O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3

Leia mais

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Objetivos Promover o empreendedorismo qualificado e criativo Tipologias de Projetos 1. São suscetíveis de financiamento os projetos das PME, com menos de

Leia mais

Mecanismos de apoio e incentivo à Eficiência energética

Mecanismos de apoio e incentivo à Eficiência energética Mecanismos de apoio e incentivo à Eficiência energética Victor Francisco CTCV - Responsável Gestão e Promoção da Inovação [victor.francisco@ctcv.pt] Workshop Setorial da Cerâmica e do Vidro CTCV 14.12.12

Leia mais

O FOCO NOS RESULTADOS

O FOCO NOS RESULTADOS O FOCO NOS RESULTADOS Uma análise aplicada ao Programa Operacional Regional do 2014- O FOCO NOS RESULTADOS Uma análise aplicada ao Programa Operacional Regional do 2014- Os programas operacionais para

Leia mais

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1 Incentivos ao EMPREENDEDORISMO Abril 2015 I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3 2. Criação

Leia mais

Inovação Produtiva PME

Inovação Produtiva PME Inovação Produtiva PME Objetivos Promover a inovação no tecido empresarial, traduzida na produção de novos, ou significativamente melhorados, bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis diferenciadores

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Investir no Atlântico

Investir no Atlântico Investir no Atlântico Domínio Competitividade e Internacionalização Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento UALG 17 novembro de 2015 Sistemas

Leia mais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Novos PO detêm um valor global de quase 12,2 mil M de financiamento comunitário Alerta de Cliente Dezembro de 2014 Temas/Assuntos: Numa cerimónia realizada

Leia mais

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC)

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Eixo Prioritário I Competitividade, Inovação e Conhecimento Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Impulso Jovem Aviso de Abertura de Convite Público para Apresentação de Candidaturas Sistema de Apoio

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País

Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País CARLOS NEVES VICE-PRESIDENTE DA CCDR-N 12.MARÇO.2015 norte2020.pt Estrutura da apresentação 1. O Acordo de Parceria - Portugal 2020 2. NORTE 2020 Programa

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

S. I. Inovação Produtiva

S. I. Inovação Produtiva S. I. Inovação Produtiva Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos Na área de Inovação

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Dotação financeira reforçada: 2.155 M

Leia mais

CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS SISTEMA DE APOIO ÀS AÇÕES COLETIVAS TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO Índice 1. Objetivo temático, prioridade de investimento e objetivo

Leia mais

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE Versão do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização adotada em dezembro de 2014. 1. Estrutura do Programa e Indicadores de Resultado

Leia mais

Sistemas de Incentivos às Empresas

Sistemas de Incentivos às Empresas Programa Temático Competitividade e Internacionalização - POCI Compete 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas 1. Qualificação e Internacionalização das PMEs 2. Inovação Empresarial e Empreendedorismo

Leia mais

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV Financiamento Regional e Portugal 2020 Alexandra Rodrigues Seminário CTCV 9 abril 2015 Foco Temático no conjunto dos FEEI Sustentabilidade e eficiência no Uso de Recurso 6.259 M 25% Competitividade e Internacionalização

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 INOVAÇÃO PRODUTIVA SECTOR TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE PÁGINA OBJECTO

Leia mais

VALORIZAR 2020. Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 UNIÃO EUROPEIA

VALORIZAR 2020. Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 UNIÃO EUROPEIA VALORIZAR 2020 Sistema de Incentivos à Valorização e Qualificação Empresarial da Região Autónoma da Madeira 03-06-2015 Objetivos Promover a produção de novos ou significativamente melhorados processos

Leia mais

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Projetos Conjuntos de Internacionalização: Natureza dos beneficiários Os beneficiários são empresas PME de qualquer natureza

Leia mais

IAPMEI Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. A importância das TIC na inovação e na internacionalização Miguel Cruz miguel.cruz@iapmei.

IAPMEI Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. A importância das TIC na inovação e na internacionalização Miguel Cruz miguel.cruz@iapmei. IAPMEI Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. A importância das TIC na inovação e na internacionalização Miguel Cruz miguel.cruz@iapmei.pt Aveiro, 17 de setembro de 2015 Grandes objetivos da economia

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE 07 de abril de 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Foi publicada no passado dia 27 de fevereiro a Portaria n.º 57-A/2015 que aprova o Regulamento Específico

Leia mais

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Guimarães, 10 de abril de 2015 AGENDA 1 Portugal 2020 Enquadramento Geral 2 Sistema de Incentivos às Empresas 3 Concursos 1 2020 Enquadramento Geral PORTUGAL 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015 14 de Janeiro de 2015 O que é o Portugal 2020? O Portugal 2020 é um Acordo de Parceria assinado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 fundos estruturais e de investimento europeus

Leia mais

Especialização Inteligente e ciclo de programação 2014-2020

Especialização Inteligente e ciclo de programação 2014-2020 Especialização Inteligente e ciclo de programação 2014-2020 CARLOS NEVES VICE-PRESIDENTE DA CCDR-N 30 DE MAIO DE 2014 ccdr-n.pt/norte2020 Índice 1.Principais conceitos 2. Metodologia da RIS 3 da Região

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

Princalculo Contabilidade e Gestão. Comércio Investe"

Princalculo Contabilidade e Gestão. Comércio Investe Comércio Investe" A medida "Comércio Investe", estruturada no âmbito do Fundo de Modernização do Comércio, representa uma nova fase de apoio à atividade comercial, marcada pela Simplificação de processos

Leia mais

Soluções de Financiamento FINICIA

Soluções de Financiamento FINICIA Projetos, Financiamento e Empreendedorismo Soluções de Financiamento FINICIA Cascais, 28 de Outubro de 2011 andre.marco@iapmei.pt Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros no IAPMEI. Soluções

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS A REGIÃO CENTRO DIAGNÓSTICO DA REGIÃO AMBIÇÃO DA REGIÃO 5 OBJETIVOS: Ser Innovation Follower de acordo com o

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA LEADER PRORURAL +

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA LEADER PRORURAL + DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA LEADER PRORURAL + Estratégia de Desenvolvimento Local Eixos Estratégicos Qualificação e diversificação da Economia Rural através da valorização do potencial económico

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA - PROVERE Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE Fomento da competitividade

Leia mais

Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território.

Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. TAGUS, 20 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e abandono da activiade agro- Combater o exodo

Leia mais

Sistema de Incentivos Internacionalização das PME

Sistema de Incentivos Internacionalização das PME Sistema de Incentivos Internacionalização das PME Objetivos e prioridades: Conceder apoios financeiros a projetos que reforcem a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, com vista a

Leia mais

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 + competitivo + inclusivo + sustentável Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Santarém, 26 de setembro de 2014 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Objetivos Contribuir para o incremento de uma nova cultura empresarial, baseada no conhecimento e na inovação, introduzindo uma cultura de risco e vontade empreendedora, através do estímulo ao aparecimento

Leia mais

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades Bragança, 16 de Outubro 2014 1 A Inovação em Portugal - Alguns dados recentes Em relação à média da União

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575 Artigo 20.º Oferta formativa e monitorização 1 A oferta formativa destinada aos activos desempregados é assegurada através de cursos de educação

Leia mais

Inovação e Competitividade Incentivos às Empresas 2020

Inovação e Competitividade Incentivos às Empresas 2020 Inovação e Competitividade Incentivos às Empresas 2020 Investigação, Inovação, Empreendedorismo Miguel Cruz miguel.cruz@iapmei.pt Setúbal 16 Setembro 2015 O presente conteúdo é válido no contexto do evento

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Cluster Habitat Sustentável

Cluster Habitat Sustentável Seminário Mercado de Tintas Associação Portuguesa de Tintas Luso - 26.03.2015 Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME Destinatários do projeto Micro, Pequenas e Médias empresas com: Dimensão até 250 trabalhadores Localizadas nas regiões Norte, Centro e Alentejo Estatuto PME

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO Alentejo 2020 Desafios Borba 17 de Dezembro de 2014 ALENTEJO Estrutura do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020 1 - Competitividade e Internacionalização

Leia mais

Av. da Cooperação. Ed. Inditrans, Lote A1, n.º2. 5400-673 Outeiro Seco. Tel. 276340920 Fax. 276340929. E-mail: geral@adrat.pt Site: www.adrat.

Av. da Cooperação. Ed. Inditrans, Lote A1, n.º2. 5400-673 Outeiro Seco. Tel. 276340920 Fax. 276340929. E-mail: geral@adrat.pt Site: www.adrat. Av. da Cooperação. Ed. Inditrans, Lote A1, n.º2. 5400-673 Outeiro Seco. Tel. 276340920 Fax. 276340929. E-mail: geral@adrat.pt Site: www.adrat.pt A é uma associação de desenvolvimento que trabalha no meio

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters. Resposta à nova ambição económica

Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters. Resposta à nova ambição económica Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters Resposta à nova ambição económica Resposta à nova ambição económica 02-07-2012 Novo Modelo para o Ecossistema

Leia mais

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 ECONOMIA DIGITAL E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO - ENTRADA EM VIGOR

Leia mais

tgs Resumo do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização think global. think tgs Qualificação e Internacionalização das PME

tgs Resumo do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização think global. think tgs Qualificação e Internacionalização das PME think global. think Resumo do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Qualificação e Internacionalização das PME TGS Março 2015 O que é? O Regulamento Específico do Domínio da Competitividade

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos Miguel Mendes Turismo de Portugal, I.P. Albufeira, 7 abril 2015 AGENDA 1 Portugal 2020 Enquadramento Geral 2 Sistema de Incentivos às Empresas 3 Concursos 1 1 2020 Enquadramento Geral PORTUGAL 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade»

QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade» QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade» SI I&D SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 1 O Quadro de Referência Estratégico Nacional

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 19 JUNHO DE 2015 Página 1 de 9 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa. Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados

A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa. Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados O desafio nacional A criação de emprego virá do círculo virtuoso

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020

Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020 Compromisso para o Crescimento Verde e Perspetivas do Alentejo 2020 Financiamentos Comunitários na Área do Ambiente e da Eficiência Energética Auditório António Chainho Santiago do Cacém 22/07/2015 Programa

Leia mais

CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º 02/SI/2016

CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º 02/SI/2016 CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º 02/SI/2016 SISTEMA DE INCENTIVOS EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO E CRIATIVO 15 DE JANEIRO DE 2016 Página 1 de 17 Índice Preâmbulo... 3 1. Objetivos e prioridades

Leia mais

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS O Município de Oliveira do Hospital entende como de interesse municipal as iniciativas empresariais que contribuem para o desenvolvimento e dinamização

Leia mais

Apoios ao Investimento em Portugal

Apoios ao Investimento em Portugal Apoios ao Investimento em Portugal AICEP Abril 2015 FINANÇAS Índice Investimento Produtivo Auxílios Estatais Máximos Incentivos Financeiros Incentivos Fiscais Investimento em I&D Empresarial Incentivos

Leia mais

Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro

Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro O PRODESCOOP - Programa de Desenvolvimento Cooperativo, criado pela Portaria n.º 52-A/99, de 22 de Janeiro, partindo do reconhecimento da especificidade do sector

Leia mais

agricultura TAGUS, 22 de Janeiro de 2015

agricultura TAGUS, 22 de Janeiro de 2015 agricultura TAGUS, 22 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e abandono da activiade agro-

Leia mais

Sistema de incentivos às empresas

Sistema de incentivos às empresas www.finaccount.com Sistema de incentivos às empresas Prestação de Serviços de Consultoria Empresarial e Formação Índice 1. Enquadramento 3 2. Inovação empresarial e 5 3. 11 4. Investigação e desenvolvimento

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 26/2007/A de 19 de Novembro de 2007 Regulamenta o Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento da Qualidade e Inovação O Decreto Legislativo Regional

Leia mais

Guimarães, 27 de maio de 2014. ccdr-n.pt/norte2020

Guimarães, 27 de maio de 2014. ccdr-n.pt/norte2020 Sustentabilidade das Finanças Públicas Nova Lei das Finanças Locais e Documento de Estratégia Orçamental 2014-2018 Política Regional e Sustentabilidade das Finanças Públicas Emídio Gomes, Presidente da

Leia mais