REDE INDUSTRIAL ETHERNET/IP. Prof.: Claudio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDE INDUSTRIAL ETHERNET/IP. Prof.: Claudio"

Transcrição

1 REDE INDUSTRIAL ETHERNET/IP Prof.: Claudio 1

2 Fluxo de Informações Sistemas Corporativos Integração da Cadeia de suplimentos Operações Flexíveis Sistemas de Produção 2

3 Necessidade da Rede Industrial 3

4 Pilares da Rede Industrial Nível supervisório Computador Industrial segundos Nível de controle 10 a 60ms Nível de automação Nível de campo até 10ms CLPs p.ex.: SIMATIC S7 Aparelhos de baixa tensão c/ comunicação Ex.: SIMOCODE-DP / ET200S Chaves de partida, sensores, atuadores, etc. Diversos niveis,diferentes redes, respostas e volume de informação 4

5 Convergência da Rede Rede Corporativa Rede Corporativa Back-Office Mainframes e Servidores (ERP, MES, etc.) Interfaces (HMI) Back-Office Mainframes Office e Controle da Servidores Rede (ERP, Internetworking, MES, etc.) Gateway Data Servers, Armazenamento Controle e Supervisão Controller Office Internetworking, Data Servers, Armazenamento Telefone Controladores Camera Controle e Supervisão Controladores De Segurança Robotics Motores, Drives Robotics Atuadores I/O Sensores Interfaces e Outros (HMI) Dispositivos de Input/Output Motors, Drives Actuators Safety I/O Sensores e Outros Dispositivos de Input/Output Rede Industrial Rede Industrial Modelo de Rede Industrial Modelo de Rede Industrial de Tradicional em 3 camadas Convergência EtherNet/IP proporciona a convergência do Controle e Informação 5

6 Infraestrutura Unificada Estações de Operação FireWall (DNZ) Estações de Operação Estações de Operação Impressoras Sevidor de domínio Sevidores redundantes Estação de Engenharia Ethernet Clientes Logística ERP / DB Coorporativo PROFIBUS-PA Foundation Fieldbus SIL 3 6

7 O que é Ethernet/IP LAYER 6/7 Layers 5-7 LAYER 5 LAYER 4 LAYER 3 Layer 4 APPLICATION SOFTWARE (PLC/DRIVE/CONTROLLER/OIT) APPLICATION PROTOCOLS CIP ETERNET/IP, MODBUS/IP, PROFINET FTP HTTP OPC SNMP USER DATAGRAM PROTOCOL (UDP) TCP TRANSMISSION CONTROL PROTOCOL (TCP) UDP INTERNET PROTOCOL (IP) BOOT DHCP LAYER 2 OSPF ICMP IGMP ETHERNET DRIVER LAYER 1 Layer 3 ARP HARDWARE ETHERNET INTERFACE RARP IP Layer 1-2 IEEE Ethernet NETWORK 7

8 O que é Ethernet/IP EtherNet/IP (Ethernet/Industrial Protocol) é um tipo de Tráfego num ambiente de controle. CIP: Controle de tráfego ( Implicit tráfego) Controle de I/O, Controle de Driver, Tags Produtores e Consumidores Utiliza Protocolo UDP (multicast e unicast) CIP: Informação do Tráfego ( Explicit tráfego) HMI, MSG s, Programas upload/download Utiliza protocolo TCP Outos Tráfegos Comuns HTTP, , SNMP, etc. Vantagens do EtherNet/IP Ethernet Padrão e Protocolo IP Utilização Mas de150 Empresas Registradas que adotam Futuro Opera no padrão não Modificado da Ethernet Suporte Todo Produto EtherNet/IP requer Testes de Conformidade 8

9 Ambiente Industrial 9

10 Ambiente Industrial Segurança Intrínseca: foco nas normas A Segurança Intrínseca é também conhecida por proteção por projeto, visto que tem por objetivo limitar a energia nos circuitos elétricos do equipamento, fazendo com que os mesmos não apresentem energia suficiente com capacidade de causar a ignição de atmosferas potencialmente explosivas mesmo nas ocorrências de falhas que venham a ocasionar centelhas ou superfícies aquecidas que estejam em contato com a atmosfera potencialmente explosiva. Norma IEC

11 Ambiente Industrial Princípios Básicos da Segurança Intrínseca Os circuitos intrinsecamente seguros atingem um estado de segurança mantendo níveis de energia muito baixos, de modo que não sejam produzidos superfícies aquecidas e centelhas elétricas, e caso ocorra, não haverá energia suficiente para ignição de mistura inflamável. Consegue-se isso, limitando-se a tensão e a corrente fornecidas ao equipamento na área classificada. Para manter a segurança é de fundamental importância que esses níveis de tensão e corrente não sejam excedido em condições normais ou até mesmo de falha. A rede Ethernet não é uma rede intrinsecamente segura. 11

12 Ambiente Industrial Princípios Básicos da Segurança Intrínseca Os parâmetros de circuito, ou seja, tensão, corrente, resistência, indutância e capacitância, são fatores que precisam ser considerados durante o projeto de um circuito IS (Intrinsecamente Seguro). A consulta às curvas características de ignição, fornecida na norma de construção e a aplicação de fatores de segurança apropriados garantirão que os valores de segurança sejam estabelecidos para esses parâmetros durante a etapa de projeto. 12

13 Diferenças TI e TA Diferenças culturais e organizacionais entre a TI e a TA Políticas Rede de TI Rede de TA Prioridades Dados de tráfego típicos Controle de acesso Implicações de uma falha de dispositos Proteção contra ameaças Melhorias Segurança Integridade Disponibilidade Rede multiproposito: dados, Voz e Vídeo Políticas restritas de autenticação e de acesso a rede Continua operando normalmente Interrupção do acesso da ameaça detectada O mais rápido possível Durante Operação Disponibilidade Integridade Segurança Rede de dados específicos voltada para aplicações Políticas restritas de acesso físico Acesso simples para os dispositivo Possibilidade de interrupção da operação Provável continuidade da operação mesmo com a detecção da ameaça. Programada Durante Parada 13

14 Estrutura Integrada Rede TI Sistemas de Gestão Corporativos Nivell 4 Centro de Dados Rede Industrial Nivel 3 Centro de Operações FactoryTalk aplicativos FactoryTalk Services Platform Servidor de Dados I/O HMI Rockwell Automation Stratix 8000 Layer 2 Access Switch Safety Controller HMI Drive HMI I/O Drive Drive Controller Enchedora- Célula Níveis 0-2 Topologia em Anel Device Level Ring Drive Controller Camera Fabricação - Célula Níveis 0-2 Topologia em Anel Resilient Ethernet Protocol (REP) Safety I/O Embalagem - Célula Níveis 0-2 Topologia Estrela ou Barramento 14

15 Comparativo das Estruturas Star/Redundant Star Ring Linear Cisco Catalyst 3750 Stackwise Switch Stack Cisco Catalyst 3750 Stackwise Switch Stack Cisco Catalyst 3750 Stackwise Switch Stack Cisco Catalyst 2955 HMI HMI Controllers HMI HMI Controllers Cisco Catalyst 2955 Controllers Cisco Catalyst 2955 Controllers, Drives, and Distributed I/O Cell/Area Zone Cell/Area Zone Controllers, Drives, and Distributed I/O Cell/Area Zone Controllers, Drives, and Distributed I/O Cell/Area Zone Quantidade de cabo Complexidade de configuração Custo de instalação Aproveitamento da banda de comunicação Confiabilidade operacional Redundância Redundant Star Ring Linear 15

16 Hardware TI para TA Melhor da Cisco Integração segura com a rede corporativa Cisco internetworking operating system (IOS TM ) Conjunto de funções e arquiteturas do switch Cisco Catalyst TM t Ferramentas familiares para profissionais de ITs: command line interface (CLI), Cisco Network Assistant (CNA) e Device Manager + Melhor da Rockwell Automation Premier interface com a Arquitetura Integrada RSLogix 5000 para configuração (AOP) Tags predefinidos para diagnóstico FactoryTalk View Faceplates + Melhor para o Ambiente de chão de Fábrica Fácil de integrar e manter Configurações padrões para o mercado de Automação Industrial (Globais e Smartports) Compact Flash removível para reposição fácil do dispositivo 16

17 Profissional da Automação + TI Cisco Network Assistant Web tool Command Line Interface RSLogix 5000, Add-on Profile 17

18 Segurança na Rede Segurança Física limitar o acesso físico a pessoas autorizadas: areas, paineis de controle, dispositivos, cabeamentos e sala de controle acompanhamento e monitoração de visitantes Segurança de Rede infra-estrutura utilização de firewalls com detecção de intrusos e sistema de prevenção de intrusos (IDS/IPS) e proteção da integridade dos equipamentos de redes como Switchs e Roteadores Manuseio de Computadores gerenciamento de patch, utilizar software antivirus e remoção de aplicativos, protocolos e serviços não utilizados Segurança de Aplicação utilizar software de controle de acesso, autenticação e auditoria Manuseio de dispositivos utilizar gerenciamento de mudanças e restringir o acesso Múltiplas camadas de proteção Physical Network Computer Application Device Defense in Depth 18

19 Segurança na Rede 19

20 Rede Wireless Configuração da Wireless e outros Softwares (e.g., FactoryTalk AssetCentre) Mobile Station, Hand Held Fabricação Inteligente e Integração Corporativa Integração com Gateway e outras Redes Discrete networks HART, FF, or PA hardwired networks EtherNet/IP EtherNet/IP para Dispositivos Wireless CBM Future? Dispositivos Wireless Network Instrumentos ou Sensores Dispositivos Wireless Network Instrumentos ou Sensores Dispositivos Wireless Network Instrumentos ou Sensores Dispositivos Wireless Network Instrumentos ou Sensores IEEE n Technology ISA a or IEEE Wireless Device Network 20

21 Ferramentas de Auxilio 21

22 PERGUNTAS? 22

23 Bibliografia 23

T01 - Connected Enterprise Integrando Controle e Informação

T01 - Connected Enterprise Integrando Controle e Informação T01 - Connected Enterprise Integrando Controle e Informação PUBLIC PUBLIC - 5058-CO900H É um monte de coisas PUBLIC 2 3 The Internet of Things Billions of devices 50 40 50 Billion Smart Objects 30 20 10

Leia mais

L12 - Fundamentos de EthernetIP e Switches Stratix

L12 - Fundamentos de EthernetIP e Switches Stratix L12 - Fundamentos de EthernetIP e Switches Stratix Alexandre Lobo & Weltron de Oliveira Area Manager A&S - Rockwell Automation Thiago Marques Domain Expert Leader A&S - Intereng 26/05/2015-5058-CO900H

Leia mais

T22 Virtualização, Computação em nuvem e Mobilidade. Quais os benefícios destas tecnologias para a Manufatura?

T22 Virtualização, Computação em nuvem e Mobilidade. Quais os benefícios destas tecnologias para a Manufatura? T22 Virtualização, Computação em nuvem e Mobilidade. Quais os benefícios destas tecnologias para a Manufatura? Rev 5058-CO900D 1 E hoje a Internet das coisas 2 Gordon E. Moore Moore's law is the observation

Leia mais

CE02 Mobilidade e Conectividade na indústria, as informações na palma da sua mão

CE02 Mobilidade e Conectividade na indústria, as informações na palma da sua mão CE02 Mobilidade e Conectividade na indústria, as informações na palma da sua mão Jorge Rosa Rev 5058-CO900D Copyright 2013 Rockwell Automation, Inc. All Rights Reserved. 1 2 O início da Jornada 3 E na

Leia mais

Connected Enterprise Integrando o Corporativo ao chão de fábrica

Connected Enterprise Integrando o Corporativo ao chão de fábrica Connected Enterprise Integrando o Corporativo ao chão de fábrica Jorge Rosa PUBLIC INFORMATION 1 É um monte de coisas 2 The Internet of Things 3 Things Coisas 4 5 Oportunidade IoT INFORMATION TECHNOLOGY

Leia mais

Fundamentos da EtherNet/IP

Fundamentos da EtherNet/IP Fundamentos da EtherNet/IP - 5058-CO900H Operações de Manufatura Prioridades e Requisitos de Mercado Principais Prioridades para Operações de Manufatura Iniciativas Estratégicas para Atingir os Objetivos

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

L13 - Aplicação do NAT (Network Address Translator)

L13 - Aplicação do NAT (Network Address Translator) L13 - Aplicação do NAT (Network Address Translator) PUBLIC Alexandre Lobo & Weltron de Oliveira Area Manager A&S - Rockwell Automation Thiago Marques Domain Expert Leader A&S - Intereng 26/05/2015 PUBLIC

Leia mais

HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus )

HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus ) HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus ) Disciplina: Redes de Alta Velocidade Jean Willian de Moraes 782 Odemil Camargo 971 PAUTA DA APRESENTAÇÃO Evolução dos

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

L10 - Introdução ao RSLogix Designer

L10 - Introdução ao RSLogix Designer L10 - Introdução ao RSLogix Designer PUBLIC Alexandre Lobo & Weltron de Oliveira Area Manager A&S - Rockwell Automation Thiago Marques Domain Expert Leader A&S - Intereng 26/05/2015 PUBLIC - 5058-CO900H

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

Rede Profibus. Process. Manufacturing PLC PROFIBUS-PA. Internet PROFINET IEC 61158-2 RS-485/FO PROFIBUS-DP IPC. AS-Interface

Rede Profibus. Process. Manufacturing PLC PROFIBUS-PA. Internet PROFINET IEC 61158-2 RS-485/FO PROFIBUS-DP IPC. AS-Interface Rede Profibus OS OS Internet PLC Manufacturing IPC PROFINET Process RS-485/FO PROFIBUS-DP IEC 61158-2 PROFIBUS-PA AS-Interface Rede Profibus PROFIBUS desenvolvido na Alemanha, inicialmente pela Siemens

Leia mais

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Sistemas Supervisórios são sistemas digitais de monitoração e operação da planta que gerenciam as

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Características: Switch Industrial Ethernet: Cisco Secure Agent: É isolado de todas as outras redes por um firewall ou por uma lista de acesso

Características: Switch Industrial Ethernet: Cisco Secure Agent: É isolado de todas as outras redes por um firewall ou por uma lista de acesso O switch Industrial Ethernet Cisco Catalyst 2955 garante a confiabilidade o determinismo e a segurança fundamentais para uma rede de controle de produção. A confiabilidade é obtida evitando que PLCs e

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Os três pilares da Empresa Conectada. José Carlos de Aguiar Automação & Software 22/06/2016

Os três pilares da Empresa Conectada. José Carlos de Aguiar Automação & Software 22/06/2016 Os três pilares da Empresa Conectada José Carlos de Aguiar Automação & Software 22/06/2016 Smart Things Mobility Big Data Analytics Cloud Security R&D/Innovation $503B THE CONNECTED ENTERPRISE Workforce

Leia mais

L11 - ICS - Segurança de Sistemas de Controle Industrial

L11 - ICS - Segurança de Sistemas de Controle Industrial L11 - ICS - Segurança de Sistemas de Controle Industrial Alexandre Lobo & Weltron de Oliveira Area Manager A&S - Rockwell Automation Thiago Marques Domain Expert Leader A&S - Intereng 26/05/2015-5058-CO900H

Leia mais

Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015

Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015 Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015 Engenharia de Controle e Automação Sistema de Controle Baseado e PC versus Controladores Industriais Formas de apresentação:

Leia mais

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1 Redes de Computadores e Teleinformática Zacariotto 4-1 Agenda da aula Introdução Redes de computadores Redes locais de computadores Redes de alto desempenho Redes públicas de comunicação de dados Computação

Leia mais

Solução de Acesso Remoto Seguro Escalável

Solução de Acesso Remoto Seguro Escalável Solução de Acesso Remoto Seguro Escalável PUBLIC PUBLIC - 5058-CO900H PUBLIC 2 Agenda Impacto para o cliente Acesso Remoto Seguro Demonstração Solução escalavél PUBLIC Impacto para o cliente Você provavelmente

Leia mais

Migrando das clássicas tecnologias Fieldbus

Migrando das clássicas tecnologias Fieldbus EtherCAT simplifica a arquitetura de controle Exemplo: Arquitetura de controle de uma prensa hidráulica, Schuler AG, Alemanha Arquitetura de controle com Fieldbus clássicos Desempenho dos Fieldbus clássicos

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

Usina Totalmente Integrada, Solução para Operação e Gestão Inteligente do Processo Industrial

Usina Totalmente Integrada, Solução para Operação e Gestão Inteligente do Processo Industrial Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 Usina Totalmente Integrada, Solução para Operação e Gestão Inteligente do Processo Industrial Christian Marcatto Fabio Elias Fluxograma geral do processo produtivo

Leia mais

GRUPO DISICPLINAR - Informática

GRUPO DISICPLINAR - Informática Curso: Tecnológico de Informática ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/8 1ª UNIDADE DE ENSINO-APRENDIZAGEM: Fundamentos de Transmissão CARGA HORÁRIA: 10 UNIDADES LECTIVAS 1º PERÍODO Noções Básicas de Transmissão

Leia mais

I. Dados Identificadores Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação

I. Dados Identificadores Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação Plano de Ensino 2013 I. Dados Identificadores Curso Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação Disciplina Redes de Computadores Módulo Organização da Informação Carga Horária Semanal: 04 ha

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Ø Computador Ø Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Ø Arquiteturas físicas e lógicas de redes de

Leia mais

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas Alexandre M. Carneiro Liderando aplicações Ex Experiência comprovada e de longo termo Certificação Internacional Grande variedade de produtos

Leia mais

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Tecnologia Revisão 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Comunicação de Dados As redes de computadores surgiram com a necessidade de trocar informações, onde é possível ter acesso

Leia mais

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL

Introdução ao Protocolo TCP/IP. Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Prof. Gil Pinheiro UERJ/FEN/DETEL Introdução ao Protocolo TCP/IP Protocolo Inter Redes Histórico Estrutura do Protocolo TCP/IP Equipamentos de Interconexão Endereçamento

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS BREVE HISTÓRICO A década de 60 Surgiram os primeiros terminais interativos, e os usuários podiam acessar o computador central através de linhas de comunicação.

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Firewalls. O que é um firewall?

Firewalls. O que é um firewall? Tópico 13 Firewall Ferramentas de defesa - Firewall. Princípios de projeto de firewall. Sistemas confiáveis. Critérios comuns para avaliação de segurança da tecnologia da informação. 2 Firewalls O que

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Cunha Parte 5 www.marcelomachado.com Criado em 1974 Protocolo mais utilizado em redes locais Protocolo utilizado na Internet Possui arquitetura aberta Qualquer fabricante pode adotar a sua

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PROFIBUS www.profibus.org.br

ASSOCIAÇÃO PROFIBUS www.profibus.org.br Fundamentos e tecnologia do protocolo PROFIBUS Infra-estrutura de comunicação em Indústrias WORKSTATIONS Workstations Rede Industrial Fieldbus Ethernet Ethernet corporativa Rede corporativa LAN LAN Linking

Leia mais

AULA 03 MODELO OSI/ISO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 03 MODELO OSI/ISO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 03 MODELO OSI/ISO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação INTRODUÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 PROTOCOLOS Protocolo é a regra de comunicação usada pelos dispositivos de uma

Leia mais

PlantStruxure. Sistema de Automação de Processos. Tadeu Oliveira Di Fiori Consultor Técnico em Soluções de Automação

PlantStruxure. Sistema de Automação de Processos. Tadeu Oliveira Di Fiori Consultor Técnico em Soluções de Automação PlantStruxure Sistema de Automação de Processos Tadeu Oliveira Di Fiori Consultor Técnico em Soluções de Automação Andre Luiz de Moraes Consultor de negócios filial RJ Marcas da Schneider Electric Tour

Leia mais

Panorama da Tecnologia Profinet

Panorama da Tecnologia Profinet Panorama da Tecnologia Profinet Conteúdo 1. Organização 2. História 3. Tecnologia 4. Suporte 5. Outlook Conteúdo 1. Organização 2. História 3. Tecnologia 4. Suporte 5. Outlook Organização - Panorama da

Leia mais

Soluções de controle distribuído de motores. Soluções ArmorStart para suas necessidades de aplicação industrial leves e pesadas

Soluções de controle distribuído de motores. Soluções ArmorStart para suas necessidades de aplicação industrial leves e pesadas Soluções de controle distribuído de motores Soluções ArmorStart para suas necessidades de aplicação industrial leves e pesadas VANTAGENS DA: ARQUITETURA ON-MACHINE FABRICANTE DE MÁQUINAS AUMENTE A PRODUTIVIDADE

Leia mais

sustentável Atualização tecnológica 18 e 19 de maio de 2011 São Paulo SP Contamos com a sua presença! Caro cliente

sustentável Atualização tecnológica 18 e 19 de maio de 2011 São Paulo SP Contamos com a sua presença! Caro cliente Atualização tecnológica sustentável Caro cliente É sempre possível melhorar o desempenho de pessoas e equipamentos, bem como desenvolver uma solução sob medida para cada desafio industrial. Tudo isso com

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado GE Intelligent Platforms Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado Na vanguarda da evolução da automação industrial. Acreditamos que o futuro da automação industrial seguirá o mesmo

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

Protocolos Industriais PROFIbus & PROFINET Redes Industriais Semestre 01/2015

Protocolos Industriais PROFIbus & PROFINET Redes Industriais Semestre 01/2015 Protocolos Industriais PROFIbus & PROFINET Redes Industriais Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução O PROFIBUS é um padrão aberto de rede de comunicação industrial, utilizado em

Leia mais

Infraestrutura e segurança de redes Ethernet Industriais garantindo a integridade e segurança dos dados

Infraestrutura e segurança de redes Ethernet Industriais garantindo a integridade e segurança dos dados 1 Infraestrutura e segurança de redes Ethernet Industriais garantindo a integridade e segurança dos dados RSTechEd Leandro Costa Territory Account Manager +55 11 97404-3244 bra-lp@panduit.com Visão Geral

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - I

Componentes de um sistema de firewall - I Componentes de um sistema de firewall - I O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um único elemento de software instalado num

Leia mais

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1 1 Sinopse do capítulo Problemas de segurança para o campus. Soluções de segurança. Protegendo os dispositivos físicos. Protegendo a interface administrativa. Protegendo a comunicação entre roteadores.

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Segurança de Redes Firewall Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução! O firewall é uma combinação de hardware e software que isola a rede local de uma organização da internet; Com ele é possível

Leia mais

Industrial Data Center Construindo uma solução física para uma infraestrutura virtualizada

Industrial Data Center Construindo uma solução física para uma infraestrutura virtualizada Industrial Data Center Construindo uma solução física para uma infraestrutura virtualizada PUBLIC PUBLIC - 5058-CO900H PUBLIC 2 Agenda Introdução O que é Virtualização? O que é o Industrial Data Center?

Leia mais

Novidades em Wireless Eduardo Lima

Novidades em Wireless Eduardo Lima Novidades em Wireless Eduardo Lima Regional Manager - Brazil elima@prosoft-technology.com Quais as novidades em Wireless? 802.11abgn Fast Industrial Hotspot Radiating Cable Wireless System Industrial Cellular

Leia mais

Arquiteturas de Redes Industriais Redes Industriais Semestre 01/2015

Arquiteturas de Redes Industriais Redes Industriais Semestre 01/2015 9/18/15 Arquiteturas de Redes Industriais Redes Industriais Semestre 01/015 Engenharia de Controle e Automação Introdução A arquitetura dos sistemas de automação vem evoluindo da arquitetura local para

Leia mais

Freelance Sistema de controlo distribuído para aplicações de processo. 91.3 m3/h 92.0 m3/h 81.6 % 7.23 MW 44.6 % 45.0 % 50.7 m3/h 50.0 m3/h 7.

Freelance Sistema de controlo distribuído para aplicações de processo. 91.3 m3/h 92.0 m3/h 81.6 % 7.23 MW 44.6 % 45.0 % 50.7 m3/h 50.0 m3/h 7. No Filter 81.6 % Auto 249.1 m3/h 250.0 m3/h Auto 91.3 m3/h 92.0 m3/h Auto Auto 99.7 m3/h 100.0 m3/h 40.0 m3/h 7.23 MW Auto 50.7 m3/h 50.0 m3/h 7.2 % Auto 44.6 % 45.0 % Freelance Sistema de controlo distribuído

Leia mais

O Modelo OSI Open Systems Interconection Redes Industriais Semestre 02/2015

O Modelo OSI Open Systems Interconection Redes Industriais Semestre 02/2015 O Modelo OSI Open Systems Interconection Redes Industriais Semestre 02/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Dentro de uma rede, a comunicação entre controladores e estações é possível pela

Leia mais

PROFINET. O padrão em Ethernet Industrial para Automação

PROFINET. O padrão em Ethernet Industrial para Automação PROFINET O padrão em Ethernet Industrial para Automação O que é PROFINET? É um padrão aberto baseado no Industrial Ethernet É desenvolvimento da PROFIBUS & PROFINET International (PI) Utiliza padrões TCP/IP

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

O que é automação? SENAI / RJ. Julho / 2011

O que é automação? SENAI / RJ. Julho / 2011 O que é automação? SENAI / RJ Julho / 2011 O que é automação? Automação industrial é o uso de qualquer dispositivo mecânico ou eletro-eletrônico para controlar máquinas e processos. Entre os dispositivos

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Rede Industrial Fieldbus ModBus Redes Industriais Semestre 01/2014

Rede Industrial Fieldbus ModBus Redes Industriais Semestre 01/2014 Rede Industrial Fieldbus ModBus Redes Industriais Semestre 01/2014 Engenharia de Controle e Automação Histórico do Fieldbus Fabricantes, na maioria americanos passaram a usar o MODBUS da MODICON como padrão.

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

SYSTEM302V7 STUDIO SYSTEM302 SYSTEM302 ARQUITETURA. O System302 é a solução da SMAR para Sistemas de Automação em industrias de transformação.

SYSTEM302V7 STUDIO SYSTEM302 SYSTEM302 ARQUITETURA. O System302 é a solução da SMAR para Sistemas de Automação em industrias de transformação. SYSTEM302V7 STUDIO ARQUITETURA 1 SYSTEM302 O System302 é a solução da SMAR para Sistemas de Automação em industrias de transformação. 2 SYSTEM302 O System302 é o pioneiro em Sistema de Controle Distribuído

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Soluções inteligentes industriais: conectando a fábrica à empresa

Soluções inteligentes industriais: conectando a fábrica à empresa Soluções inteligentes industriais: conectando a fábrica à empresa White Paper de fabricação da Cisco Preparação para a revolução na fabricação Os setores de fabricação do mundo continuam a avançar e mudar

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Controle e Automação

Controle e Automação Controle e Automação Sistemas Supervisórios rios e Comunicação OPC Prof. Carlos Conceitos Iniciais Informação Dado Modelos de Redução de Dados Sistemas Supervisórios rios Sistemas SCADA Supervisão e Controle,

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Segurança de Redes. Aula 3 Elementos de Segurança de Redes Prof. Fred Sauer, D.Sc. fsauer@gmail.com

Segurança de Redes. Aula 3 Elementos de Segurança de Redes Prof. Fred Sauer, D.Sc. fsauer@gmail.com Segurança de Redes Aula 3 Elementos de Segurança de Redes Prof. Fred Sauer, D.Sc. fsauer@gmail.com 1 Sumário Conceitos básicos de Segurança (proteção, contramedidas) Firewall Filtros de Pacotes Stateful

Leia mais

Foundation Fieldbus HSE

Foundation Fieldbus HSE Foundation Fieldbus HSE Diego Silva Eduardo Coelho Plínio Altoé Professor Luiz Affonso Introdução HSE: High Speed Ethernet Conjunto de especificações criado pela Fieldbus Foundation Especificações Foundation

Leia mais

Premier Integration com Drives PowerFlex. Copyright 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved.

Premier Integration com Drives PowerFlex. Copyright 2012 Rockwell Automation, Inc. All rights reserved. Premier Integration com Drives PowerFlex Rev 5058-CO900C Agenda Revisão Integração Add-On Profiles (AOPs) Ferramentas de Produtividade IA Configuração Automática dos Dispositivos (ADC) Motion Integrado

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL)

Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) 56 Capítulo IV Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) As atuais soluções de automação de subestações um relé de proteção 99,9945%

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Tecnologia Ethernet/IP & WirelessHART

Tecnologia Ethernet/IP & WirelessHART Products Solutions Services Tecnologia Ethernet/IP & WirelessHART Facilidade na aplicação com baixo custo de implementação Slide 1 Arquitetura Ethernet/IP Endress+Hauser Estação de engenharia Estação de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: DSI Sistemas de Informação DISCIPLINA: Redes I PROFESSOR: Ademar

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

Solução Integrada para Automação em Usinas de Açúcar e Álcool. Usina Alto Alegre Unidade Santo Inácio/PR

Solução Integrada para Automação em Usinas de Açúcar e Álcool. Usina Alto Alegre Unidade Santo Inácio/PR Solução Integrada para Automação em Usinas de Açúcar e Álcool Usina Alto Alegre Unidade Santo Inácio/PR Grupo Lincoln Junqueira Grupo Alto Alegre Unidade Central Presidente Prudente/SP Unidade Floresta

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch)

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Soluções de Automação e Segurança Predial. Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br

Soluções de Automação e Segurança Predial. Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br Soluções de Automação e Segurança Predial Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br Veículo de Emergência A Telemont Overview Automação Predial Vídeo Monitoramento Controle de Acesso Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br

Leia mais

Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação

Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação Estudo de caso do cliente Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação A First Wind implementou vigilância por vídeo com base em IP, controles de acesso físicos e soluções de grade conectadas.

Leia mais

Totally Integrated Automation (TIA) Portal Siemens AG 2015. All Rights Reserved. siemens.com/tia-portal

Totally Integrated Automation (TIA) Portal Siemens AG 2015. All Rights Reserved. siemens.com/tia-portal 20 Maio 2015 Totally Integrated Automation (TIA) Portal siemens.com/tia-portal Indústria - Tendências Tendências Comunicação de campo baseada em Ethernet Funcionalidades IT Aumento de capacidade e flexibilidade

Leia mais

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio ESTRUTURA E ASPECTOS 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio A 3S Networks surgiu com a proposta de oferecer as mais avançadas soluções tecnológicas a empresas dos setores privado e público, atuamos

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

System302-7. 1 2008-2010 Copyright Smar

System302-7. 1 2008-2010 Copyright Smar System302-7 Ferramentas Studio302 1 2008-2010 Copyright Smar Ferramentas Gerenciamento da Planta Studio302 - Aplicativo que visualiza a estrutura de todas as ferramentas integradas no sistema. Sistema

Leia mais

Definição de Rede. BASED Network. Modelo WEB-BASED. Podemos definir rede quando dois ou mais computadores partilham informação entre si.

Definição de Rede. BASED Network. Modelo WEB-BASED. Podemos definir rede quando dois ou mais computadores partilham informação entre si. Definição de Rede Podemos definir rede quando dois ou mais computadores partilham informação entre si. Uma rede pode estar fisicamente colocada numa sala e resumir-se se somente a dois PC s, ou espalhada

Leia mais