RESGATE DA CULINÁRIA DO CERRADO COMO ESTRATÉGIA DE CONSERVAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESGATE DA CULINÁRIA DO CERRADO COMO ESTRATÉGIA DE CONSERVAÇÃO"

Transcrição

1 RESGATE DA CULINÁRIA DO CERRADO COMO ESTRATÉGIA DE CONSERVAÇÃO PAULA, Márcia Maria de1. FIMES; SEAGRO; ASETI. PAULA, Mírian Maria de2. ASETI; UEG: UFG. RESUMO A flora do Cerrado é extremamente rica em espécies comestíveis, medicinais, ornamentais. Com o avanço das fronteiras agrícolas, muitas espécies desse bioma estão desaparecendo, cedendo seu habitat para plantas exógenas, cuja adaptação exige altos custos econômicos e ecológicos. A urgência de ações de conservação da biodiversidade e a valorização do resgate cultural dos povos do Cerrado, contribuiu para que, em 26 de outubro de 2005, a Superintendência de Água e Esgotos (SAE), lançasse o Projeto Escolas do Cerrado, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e a idealizadora do mesmo, a Associação Ecológica Tijuco (ASETI), no município de Ituiutaba-MG. No ano de 2006, o Projeto foi também implantado no município de Mineiros-GO. Situado na região core dos Cerrados, o município de Mineiros, possui uma rica biodiversidade nas suas áreas remanescentes e ainda se encontra em localização estratégica, como região divisora de grandes bacias hidrográficas do continente sul americano. Observa-se que o Cerrado é pouco valorizado, e devido às suas condições naturais, a cada ano, sua área vem perdendo espaço para as atividades agroindustriais. Aliado a isso, com a maioria da população vivendo nas cidades, o pouco conhecimento das comunidades tradicionais que ainda restam sobre a utilização dos recursos do Cerrado deve ser resgatado, e a promoção da valorização do referido bioma deve ser urgente. O Projeto ESCOLAS DO CERRADO MINEIROS-GO teve como proposta envolver as Escolas Rurais do município numa série de ações de Educação Ambiental que promoveram a discussão da necessidade de preservar os remanescentes de vegetação do Cerrado existentes na região. O projeto atuou em 07, das 11 escolas municipais rurais do município, com a proposta de pensar o Cerrado como um ambiente de grande riqueza natural. Palavras Chaves: Resgate Cultural; Cerrado; Escolas Rurais 1 INTRODUÇÃO 1.1 Panorama do Cerrado O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, sendo superado apenas pela Floresta Amazônica. Representando um quarto do território brasileiro, possui, aproximadamente, 200 milhões de hectares. Aliada à sua posição central, compartilha espécies da flora com outros biomas, e ainda com trechos das principais bacias hidrográficas do continente sul 1 Agrônoma. Analista de Desenvolvimento Rural da SEAGRO/U.L. Mineiros. Professora da FIMES/Mineiros. Membro da ASETI/Ituiutaba-MG. 2 Geógrafa. Professora da Universidade Estadual de Goiás UEG/Quirinópolis. Diretora Administrativa daaseti/ituiutaba-mg. Mestranda em Geografia pela Universidade Federal de Goiás UFG/Jataí.

2 americano, concentra cerca de um terço da biodiversidade nacional e 5% da flora e fauna mundial. Nas últimas décadas, o Cerrado tem sido visto como uma alternativa ao desmatamento na Amazônia. Santos (1994), afirma que o desenvolvimento da humanidade está marcado por contatos e conflitos entre modos diferentes de organizar a vida social, de se apropriar dos recursos naturais e transformá-los. Nesse sentido, observa-se que o processo de ocupação do bioma Cerrado chegou a tal ponto que, segundo dados da Conservation International CI (1999), a ocupação humana e a construção de estradas fizeram com que a massa contínua de área com biota natural se transformasse numa paisagem cada vez mais fragmentada, composta por ilhas inseridas numa matriz de agroecossistemas. Apesar da sua importância ambiental, o Cerrado é pouco valorizado. Sendo, os costumes, a tradição a forma de manutenção dos povos, a cultura é uma preocupação contemporânea, bem viva nos tempos atuais (SANTOS, 1994). De acordo com essa concepção, observa-se que as comunidades que vivem neste Bioma não valorizam a sua importância, e o conhecimento que ainda resta nas comunidades tradicionais, têm-se perdido ao longo do tempo. Aliado a isso, o conhecimento da biodiversidade do Cerrado deve ser resgatado e a promoção da valorização desse bioma deve ser urgente. 1.2 Histórico (Fonte: Memória) A Associação Ecológica Tijuco ASETI, foi idealizada e começou a atuar em 1996, inicialmente designada Fundação Ecológica Tijuco. Foi constituída legalmente em 20 de março de É uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede no município de Ituiutaba-MG. No dia 20 de março de 1998, reunidos no auditório do edifício do Instituto Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba ISEPI, foi aprovado o Estatuto da Fundação Ecológica Tijuco, tendo como seu primeiro presidente o Engenheiro Agrônomo, Professor José Paula de Castro (In Memorian), idealizador e fundador. Um sonhador que vislumbrava um futuro melhor para todos os homens a partir de um meio ambiente justo e equilibrado.

3 Enfatizava que os povos deveriam conhecer, entender e preservar, para nós e para as gerações futuras, este belo patrimônio da natureza, o CERRADO. No dia 10 de outubro de 2001 foi realizada uma Assembléia Extraordinária para alteração do Estatuto da Fundação Ecológica Tijuco, que a partir de então constituiu-se em Associação Ecológica Tijuco. A Associação Ecológica Tijuco ASETI, é uma organização não governamental que tem como finalidade a preservação, conservação e defesa do Meio Ambiente, considerando os componentes bióticos e abióticos, realizando ações de educação ambiental visando garantir a continuidade e sustentabilidade do Bioma Cerrado, difundindo conhecimentos ligados à culinária do Cerrado visando ampliar a percepção dos povos que nele habitam do potencial econômico, alimentício e terapêutico de suas espécies. Com finalidade lutar pela criação e afirmação de uma consciência ecológica em todos os segmentos da sociedade, evidenciando a importância e necessidade de preservação, conservação e restauração dos componentes abióticos e bióticos para a perpetuidade de todas as formas de vida do universo, foi certificada pela Secretaria Nacional de Justiça como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público OSCIP, em maio de O Estatuto Social da ASETI (modificado em 2008), Capítulo II, dos Objetivos, assegura: Art. 3º - A Associação Ecológica Tijuco tem por finalidade lutar pela criação e afirmação de uma consciência ecológica em todos os segmentos da sociedade, evidenciando a importância e necessidade de preservação, conservação e restauração dos componentes abióticos e bióticos para a perpetuidade de todas as formas de vida do universo. Art. 4º - Para a consecução dos seus objetivos a Associação, através de sua estrutura orgânica, se propõe: a)- Promover ações de aprimoramento da vida urbana e rural, buscando harmonizar as relações humanas com a natureza. Diante disso, em 26 de outubro de 2005, a SAE lançou o Projeto Escolas do Cerrado, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, Associação Ecológica Tijuco (ASETI) a idealizadora do projeto, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (EMATER) e Instituto Estadual de Florestas (IEF). O projeto foi desenvolvido

4 junto às quatro escolas rurais do município de Ituiutaba-MG, Escola Municipal Agrícola, Escola Municipal Bernardo José Franco, Escola Municipal José da Silva Ramos e Escola Municipal Quirino de Morais, com o objetivo de despertar a consciência crítica das pessoas sobre a problemática ambiental, além de restaurar a percepção da importância de estar dentro do bioma Cerrado, o segundo maior bioma em diversidade de espécies. A SAE manteve o Projeto Escolas do Cerrado, do município de Ituiutaba-MG, até o ano de A Escola Municipal Agrícola finalizou as atividades do projeto com a presença de seus membros, gestores, docentes, discentes e dos familiares do Profº José Paula (In Memorian), prestando-lhe uma honrosa homenagem. 1.3 O Projeto Escolas do Cerrado Mineiros-GO O Projeto ESCOLAS DO CERRADO MINEIROS-GO, foi implantado, tendo como referência uma iniciativa na cidade de Ituiutaba-MG. A implantação do Projeto pautou-se no objetivo de promover ações de Educação Ambiental, com intuito de tornar as Escolas Rurais do município de Mineiros-GO, centros de difusão de conhecimentos para a preservação, conservação e utilização sustentável dos recursos naturais do Cerrado, visando a melhoria da qualidade de vida nas comunidades rurais. Teve como proposta, envolver as Escolas Rurais do município de Mineiros-GO numa série de ações que promovessem a discussão baseada na necessidade de preservar os remanescentes de vegetação de Cerrado existentes na região. O município de Mineiros-GO, localizado na zona do Alto Araguaia, à 420 km da capital, Goiânia. O clima é Tropical, com duas estações bem definidas: uma seca e outra chuvosa; a temperatura anual média deste município é de 22º (dados coletados pelos Monges Beneditinos de Mineiros). Foi colonizado a partir de 1870 por famílias mineiras que vieram atrás de diamante. Posteriormente, houve grande fluxo de nordestinos.

5 A vocação econômica do município está diretamente ligada à atividade agropecuária. Primeiramente com a pecuária extensiva e, posteriormente, a partir de 1970, com a chegada dos sulistas (gaúchos, paranaenses e catarinenses), iniciou-se o desenvolvimento da agricultura de grande escala, mudando o panorama da região (SILVA, 1991). Na região, encontra-se o Parque Nacional das Emas, maior área contínua de Cerrado preservado do Brasil, que abriga os famosos cupinzeiros e suas larvas da bioluminescência, o qual recebeu o título de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2001 (IBAMA/CEBRAC, 2004). A região assume vasta importância no que diz respeito aos recursos hídricos, pois possui uma grande quantidade de nascentes, além de ser considerada divisora de águas, encontram-se nascentes de rios que drenam três grandes bacias hidrográficas do continente Sul Americano: Bacia do Prata, Bacia Amazônica e Bacia do Paraguai (FUNDAÇÃO EMAS, 1998). Lembrando também, que a região é considerada área de carga e recarga do Aqüífero Guarani, o maior aqüífero subterrâneo da América do Sul (GOMES, 2000). O Projeto Escolas do Cerrado, em Mineiros-GO, foi coordenado por um grupo com formação multidisciplinar da Agência Goiana de Desenvolvimento Rural e Fundiário AGENCIARURAL, Secretaria Municipal de Educação, professores e acadêmicos da Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior - FIMES. A proposta do projeto pautou-se no desenvolvimento de uma série de ações, teórico práticas, que objetivaram promover a educação ambiental nas Escolas Rurais de Mineiros para a preservação, conservação e utilização sustentável dos recursos naturais do Cerrado. Entre as ações destacam-se: a realização de oficinas de capacitação, visando discutir questões relacionadas à caracterização do Cerrado; produção de mudas e gastronomia com componentes da flora Cerrado e ainda, a destinação final de resíduos sólidos; a adequação paisagística, nas Escolas Rurais, utilizando-se de espécies nativas do Cerrado; implantação de hortas escolares e viveiros de mudas de caráter didático; e realização de mutirões e encontros com as comunidades rurais.

6 O Projeto Escolas do Cerrado, já foi implantado em dois municípios (já mencionados), Ituiutaba-MG e Mineiros-GO. Essa possibilidade pautou-se no fato de alguns dos membros da ASETI residirem e desempenharem suas funções profissionais em tais municípios. Porém, os métodos e resultados a serem apresentados a seguir, amparam-se no Projeto que foi realizado na cidade de Mineiros-GO. 2 - MATERIAL E MÉTODOS O Projeto ESCOLAS DO CERRADO MINEIROS-GO, teve como cenário as Escolas Municipais Rurais de Mineiros-GO, ( Lat Sul e Long W, coordenadas geográficas), região de planejamento do Sudoeste Goiano. As ações do projeto tiveram início em fevereiro de 2006, com uma parceria institucional da então AGENCIARURAL/Unidade Local de Mineiros, atualmente Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Goiás SEAGRO/Unidade Mineiros, Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior (FIMES) e Prefeitura Municipal de Mineiros, através da Secretaria Municipal de Educação. No primeiro ano, desenvolveu suas atividades em 04 Escolas Rurais, que foram: Farroupilha, Bela Vista, Antônio Messias e Américo Caetano de Rezende. No ano de 2007, trabalhou com as Escolas Municipais Rurais Salto-Jataí e Pinguela e, em 2008, o projeto foi implantado na Escola Municipal Rural Corredeira. Ressaltando-se que as ações continuaram nas escolas que iniciaram o projeto nos anos anteriores (figura 01).

7 Figura 01. Mapa de localização das Escolas Rurais de Mineiros-GO Fonte: Plano Diretor Democrático de Mineiros-GO, setembro de 2006 Como ações específicas, foram propostas: realização de oficinas de capacitação, visando questões relacionadas à caracterização do Bioma Cerrado; destinação de resíduos sólidos; produção de mudas e gastronomia do Cerrado; adequações no currículo das escolas rurais, levando-se em consideração as características de cada região; desenvolvimento de ações para coleta de sementes e frutos do Cerrado, visando a identificação das espécies, produção de mudas (viveiros didáticos) e aproveitamento alimentar; adequação paisagística nas Escolas Rurais, utilizando espécies nativas do Cerrado e implantação de hortas escolares dentro do princípio da produção orgânica. 3 - RESULTADOS E DISCUSSÃO A produção final deste projeto foi a elaboração de um Calendário (2008), com desenhos dos alunos das Escolas Rurais e receitas da culinária do Cerrado coletadas nas comunidades rurais, durante as oficinas e os encontros (anexo). O Projeto ESCOLAS DO CERRADO MINEIROS-GO teve como proposta, envolver as Escolas Rurais do município de Mineiros-GO, numa série de ações que promovessem a

8 discussão no sentido da necessidade de preservar os remanescentes de vegetação de Cerrado existentes na região No que se refere às ações do ano de 2008, as figura 02, 03 e 04 apresentam uma série de atividades realizadas com o envolvimento de toda a comunidade. As ações constaram da realização de oficinas, encontros, mutirões, adequação dos pátios escolares, reformas nos prédios, atividades didáticas com os alunos, entre outras (PAULA, et. al, 2007; PAULA, et. al., 2008) Figura 02 - Escola M. Rural Corredeira Fonte: PAULA, MÁRCIA Maria de. (2008) Figuras 03 e 04 Painéis didáticos e Proteção de nascentes - Escola M. Rural Salto-Jataí. Fonte: PAULA, Márcia Maria de. (2008) 4 - CONSIDERAÇÕES FINAIS Com a realização do presente trabalho pôde-se observar a integração dos moradores das comunidades rurais e com isso a preocupação na busca de melhorias estruturais e

9 pedagógicas para as escolas. Destacando-se ainda, que houve também o envolvimento dos acadêmicos dos cursos de Pedagogia, Engenharia Florestal, Agronomia e Zootecnia da FIMES, vivenciando as atividades práticas. Com as ações realizadas, a escola passa ser um centro de disseminação de conhecimentos do Bioma Cerrado, dando à educação um enfoque de serviço ao desenvolvimento sustentável. Conclui-se ainda, que a comunidade passa a ter um conhecimento maior da utilização das espécies do Cerrado, como ornamentais, alimentícias e medicinais, despertando com isso a necessidade de preservação dessas espécies, no sentido de resgate e manutenção cultural. 5 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, S. P. de, PROENÇA, C. E. B. et al. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMBRAPA/CPAC, CONSERVATION INTERNATIONAL (IC). Ações prioritárias para a conservação da biodiversidade do Cerrado e Pantanal. Belo Horizonte: Ventura Comunicação e Cultura, 1999 FUNDAÇÃO EMAS. Cumeeira do Brasil: Projetos de Preservação Ambiental. Brasília: ABEAS, GOMES, M.A.F.; FILIZOLA, H. F.; DE PAULA, M. M. et al. Áreas críticas nas porções de recarga do Aqüífero Guarani localizado nas nascentes do Rio Araguaia. Jaguariúna: EMBRAPA, (EMBRAPA Meio Ambiente. Documentos, 18) IBAMA/CEBRAC. Plano de Manejo do Parque Nacional das Emas - GO/MS/MT. Brasília: IBAMA/CEBRAC, PAULA, M.M. de, DIOGO, A., CABRAL, K. F., DUTRA, E. M. Utilização de espécies ornamentais nativas do Cerrado nos pátios das Escolas Municipais Rurais de MineirosGoiás. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência de Horticultura Ornamental, v.13, p

10 PAULA, M. M., SILVA, J. B. da; DIOGO, A.; CABRAL, K. F., HIDALGO, A. M. Projeto Escolas do Cerrado Mineiros-GO. In: I CONGRESSO GOIANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Resumos. Goiânia: UFG, SANTOS, J. L. dos. O que é cultura. 14 ed. São Paulo: Brasiliense, SILVA, M.J. Parque das Emas - Última pátria do cerrado: bioma ameaçado. Goiânia: Três Poderes, 1991.

11 ANEXO

12

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO Conciliando Biodiversidade e Agricultura DESAFIO Compatibilizar a Conservação e a Agricultura O crescimento da população global e a melhoria dos padrões de vida aumentaram

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 Institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da Caatinga. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da

Leia mais

Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO

Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO Assunto: Reuniões de Programação de Eventos. 2011. Pessoas que participaram das reuniões: Luiz Carlos Simon Coordenador Geral do Instituto

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001.

LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001. LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001. Cria a Área de Proteção Ambiental (APA) da Pedra Gaforina e define o seu Zoneamento Ambiental (Ecológico-Econômico), no Município de GUANHÃES-MG. Faço saber que a Câmara

Leia mais

Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais)

Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais) Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 16/03/2013 Regulamenta a Lei nº 13.965, de 27 de julho de 2001, que cria o Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo, à Extração, ao Consumo,

Leia mais

Principais características geográficas do estado do Goiás

Principais características geográficas do estado do Goiás Principais características geográficas do estado do Goiás Laércio de Mello 1 Para iniciarmos o estudo sobre o estado de Goiás é importante primeiramente localizá-lo dentro do território brasileiro. Para

Leia mais

Projeto Quintais Amazônicos

Projeto Quintais Amazônicos Projeto Quintais Amazônicos BOLETIM INFORMATIVO DO PROJETO QUINTAIS AMAZÔNICOS - MAIO - Nº.01 CONHEÇA 0 PROJETO QUE IRÁ GERAR NOVAS OPORTUNIDADES ECONÔMICAS, INCLUSÃO SOCIAL E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL PARA

Leia mais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais EXTENSO 2013 Eje 4: Ambiente, Educación Ambiental y Desarrollo Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais Letícia Fernanda Assis¹; Márcio Viera²; Juliana Ferrari³;

Leia mais

www.institutoproterra.org.br

www.institutoproterra.org.br APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Missão O Instituto Pró Terra é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1997 sob o CNPJ: 04728488/0001-29, que reúne amigos, educadores, técnicos e pesquisadores com a missão

Leia mais

A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR

A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR A ECOAR E O DESENVOLVIMENTO FLORESTAL JUNTO À PEQUENA E MÉDIA PROPRIEDADE RURAL Eduardo S. Quartim. João C. S. Nagamura. Roberto Bretzel Martins. Atuação e abordagem dos trabalhos desenvolvidos pela ECOAR

Leia mais

GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF

GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF José Bento da Rocha Farmacêutico graduado pela Universidade Estadual de Goiás UEG,

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga.

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga. O desmatamento, ao longo dos anos, no município de Araras, contribuiu para a redução no suprimento de água potável, devido à formação geológica local, que resulta nos aqüíferos do grupo Passa Dois e Basalto

Leia mais

Ituiutaba MG. Córrego da Piriquita AMVAP 2003. Estrada Municipal 030. Lázaro Silva. O Proprietário. Córrego

Ituiutaba MG. Córrego da Piriquita AMVAP 2003. Estrada Municipal 030. Lázaro Silva. O Proprietário. Córrego SÍTIO NATURAL 01. Município Ituiutaba MG 02. Distrito Sede 03. Designação Córrego da Piriquita 03.1. Motivação do Inventário 04. Localização Coordenadas Geográficas S 19 00 892 WO 49 23 784 05. Carta Topográfica

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES. 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra!

RELATÓRIO DE ATIVIDADES. 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra! RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra! Avenida João Batista Medina, 358 Embu - SP - CEP 06840-000 (11) 4781.6837 - www.seaembu.org SOCIEDADE ECOLÓGICA - SEAE 41 anos cuidando

Leia mais

AGROECOLOGIA E EXTENSÃO DENTRO DO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

AGROECOLOGIA E EXTENSÃO DENTRO DO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Eixo Temático: Ciências Sociais AGROECOLOGIA E EXTENSÃO DENTRO DO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Tomás Mauricio Almeida Carvalho 1 Orientador: Carlos Armênio Kauthonian 2 Resumo: Na

Leia mais

Mineiros. Novo perfil econômico, futuro promissor. Marcelo Cardoso da Silva. Agropecuária dinâmica

Mineiros. Novo perfil econômico, futuro promissor. Marcelo Cardoso da Silva. Agropecuária dinâmica Mineiros Novo perfil econômico, futuro promissor Foto: Divulgação Marcelo Cardoso da Silva Localizado no Sudoeste Goiano, uma das mais prósperas regiões do agronegócio brasileiro, Mineiros destaca-se como

Leia mais

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Indução de reflorestamento no Rio de Janeiro: Das compensações ambientais ao desafio olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Seminário Reflorestamento da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS ESTUDO LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E PROGRAMAS DO GOVERNO FEDERAL PARA O USO SUSTENTÁVEL E A CONSERVAÇÃO DE SOLOS AGRÍCOLAS ESTUDO DEZEMBRO/2014 Rodrigo Hermeto Corrêa Dolabella Consultor Legislativo da Área

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA RELACIONADA NO ÂMBITO DOS TEMAS

Leia mais

B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses

B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses Barbosa-Silva, Denise 1,2 ; Starr, Carolina Rizzi 3 ; Diniz, Janaína Deane de Abreu Sá 1,4 ; Molina, Mônica

Leia mais

OS PAEs COMO POSSIBILIDADE DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL EM ÁREAS RIBEIRINHAS: O CASO DA ILHA CAMPOMPEMA (PA)

OS PAEs COMO POSSIBILIDADE DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL EM ÁREAS RIBEIRINHAS: O CASO DA ILHA CAMPOMPEMA (PA) OS PAEs COMO POSSIBILIDADE DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL EM ÁREAS RIBEIRINHAS: O CASO DA ILHA CAMPOMPEMA (PA) Ana Karolina Ferreira Corrêa Universidade Federal do Pará anageo.correa@gmail.com

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

Reflexões sobre legislação, conservação e a sociobiodiversidade

Reflexões sobre legislação, conservação e a sociobiodiversidade Reflexões sobre legislação, conservação e a sociobiodiversidade Priscila Facina Monnerat Engenheira Florestal Instituto Contestado de Agroecologia - ICA A devastação histórica das florestas no Paraná 1890

Leia mais

2- (0,5) O acúmulo de lixo é um grave problema dos ambientes urbanos. Sobre o lixo responda: a) Quais são os principais destino do lixo?

2- (0,5) O acúmulo de lixo é um grave problema dos ambientes urbanos. Sobre o lixo responda: a) Quais são os principais destino do lixo? Data: /11/2014 Bimestre: 4 Nome: 7 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 9 1- (0,5) Sobre o ecossistema da caatinga do sertão do Nordeste, responda.

Leia mais

III-258 UTILIZAÇÃO DA COMPOSTAGEM NA PRODUÇÃO DE ESPÉCIES PAISAGÍSTICAS DESTINADAS A ARBORIZAÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA - MG

III-258 UTILIZAÇÃO DA COMPOSTAGEM NA PRODUÇÃO DE ESPÉCIES PAISAGÍSTICAS DESTINADAS A ARBORIZAÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA - MG III-258 UTILIZAÇÃO DA COMPOSTAGEM NA PRODUÇÃO DE ESPÉCIES PAISAGÍSTICAS DESTINADAS A ARBORIZAÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA - MG Fabiano de Jesus Ribeiro (1) Técnico em Topografia pela Escola Média

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Zoneamento Ambiental Espaços

Leia mais

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental BR 116/RS Gestão Ambiental Programa de Apoio às Prefeituras Municipais Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental Novo Código Florestal Inovações e aspectos práticos STE Serviços Técnicos de Engenharia

Leia mais

das diversas regiões do Estado. É importante ressaltar, também, a parceria com os

das diversas regiões do Estado. É importante ressaltar, também, a parceria com os das diversas regiões do Estado. É importante ressaltar, também, a parceria com os O projeto de autoria do deputado Antonio Carlos Arantes, que conta com o apoio dos membros da Comissão de Política Agropecuária

Leia mais

ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21

ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21 ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21 Cuidar da Água: Desafio para sociedade Combater: Desmatamento Poluição Desperdício Investir Refloretamento Saneamento Tecnologia e Gestão Integrada 8,5 145 72 70 20

Leia mais

Biodiversidade em Minas Gerais

Biodiversidade em Minas Gerais Biodiversidade em Minas Gerais SEGUNDA EDIÇÃO ORGANIZADORES Gláucia Moreira Drummond Cássio Soares Martins Angelo Barbosa Monteiro Machado Fabiane Almeida Sebaio Yasmine Antonini Fundação Biodiversitas

Leia mais

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Instituto Floresta Viva Título do projeto: Creation and Implementation of Protected Areas in

Leia mais

Formulário 01 - Roteiro para Elaboração de Projeto de Extensão e Cultura

Formulário 01 - Roteiro para Elaboração de Projeto de Extensão e Cultura Formulário 01 - Roteiro para Elaboração de Projeto de Extensão e Cultura Título do projeto: IAMANA Coordenador do projeto: POLLYANA CARDOSO PEREIRA Colaboradores: GOVERNO FEDERAL-FUNARTE-MINISTERIO DA

Leia mais

RELATO DO ENCONTRO DE VIVEIROS DE PLANTAS NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL

RELATO DO ENCONTRO DE VIVEIROS DE PLANTAS NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL RELATO DO ENCONTRO DE VIVEIROS DE PLANTAS NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL O Encontro de Viveiros de Plantas Nativas do Rio Grande do Sul, ocorrido no dia 29 de novembro de 2004, no auditório do Departamento

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR.

USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR. USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR. Ivan Rodrigo Dal-Berti, Marcio Pigosso, Wanessa Suelen

Leia mais

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL 1. DISPENSA AOS PROPRIETÁRIOS DE ÁREAS CONSOLIDADAS DE RECOMPOSIÇÃO DA RESERVA LEGAL Art. 61 a. Área rural consolidada: é a área de imóvel rural com ocupação

Leia mais

Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP

Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP Carta à sociedade referente à participação no Plano de Investimentos do Brasil para o FIP Prezado(a)s, Gostaríamos de agradecer por sua participação e pelas contribuições recebidas no âmbito da consulta

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN.

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN. PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN. Elisângelo Fernandes da Silva (E-mail: elisangelo.silva@bol.com.br);

Leia mais

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste No Brasil as políticas afirmativas tiveram inicio com a Constituição de 1988. A Legislação de Recursos Hídricos avançou em mecanismos de gestão e governança

Leia mais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais Programa 0499 Parques do Brasil Objetivo Ampliar a conservação, no local, dos recursos genéticos e o manejo sustentável dos parques e áreas de proteção ambiental. Indicador(es) Taxa de proteção integral

Leia mais

Recursos Naturais e Biodiversidade

Recursos Naturais e Biodiversidade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Florestas Gestão dos Recursos Hídricos Qualidade e Ocupação do Solo Proteção da Atmosfera e Qualidade

Leia mais

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Fórum sobre Área de Preservação Permanente e Reserva Legal na Paisagem e Propriedade Rural Piracicaba,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA DIVISÃO AGRÍCOLA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA SEMA 1º

Leia mais

A importância do Cerrado

A importância do Cerrado A importância do Cerrado Quem vive no Cerrado mora em uma das regiões mais ricas em espécies de plantas e animais do mundo, muitas delas ainda desconhecidas pela ciência e que só existem ali. É ainda nas

Leia mais

O programa brasileiro de unidades de conservação

O programa brasileiro de unidades de conservação O programa brasileiro de unidades de conservação MARINA SILVA Ministério do Meio Ambiente, Esplanada dos Ministérios, Brasília, Distrito Federal, Brasil. e-mail: marina.silva@mma.gov.br INTRODUÇÃO A Convenção

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO: ESTUDO DA GESTÃO PÚBLICA DESSES ESPAÇOS PRESERVADOS

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO: ESTUDO DA GESTÃO PÚBLICA DESSES ESPAÇOS PRESERVADOS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO: ESTUDO DA GESTÃO PÚBLICA DESSES ESPAÇOS PRESERVADOS José Irivaldo Alves Oliveira Silva, Elizandra Sarana Lucena Barbosa Universidade Federal de Campina

Leia mais

GEOGRAFIA Professores: Ronaldo e Marcus

GEOGRAFIA Professores: Ronaldo e Marcus GEOGRAFIA Professores: Ronaldo e Marcus Comentário Geral Prova com estruturação clássica com divisão entre questões de geografia física, econômica e humana com maior peso para os conceitos envolvendo o

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Carlos Bezerra) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, sugerindo a criação de unidade de pesquisa agropecuária da EMBRAPA na região do Vale do Araguaia, em Mato Grosso. Senhor

Leia mais

ÁREA DO MEIO AMBIENTE E HABITAÇÃO E URBANISMO

ÁREA DO MEIO AMBIENTE E HABITAÇÃO E URBANISMO PLANO GERAL DE ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO PARA O ANO DE 2008 ÁREA DO MEIO AMBIENTE E HABITAÇÃO E URBANISMO Controle e uso do solo urbano e rural: parcelamento irregular/clandestino

Leia mais

Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás

Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás SANTOS, Mariângela Sousa Rodrigues¹ ROSA, Patrícia Cristiane Lins e Freitas 1,3 MENEZES, Andréia Ribeiro Teles

Leia mais

CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE. Prof. Clésio

CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE. Prof. Clésio CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE Prof. Clésio 1 O MEIO NATURAL E OS IMPACTOS AMBIENTAIS A região Centro- Oeste é formada pelos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. Ocupa cerca

Leia mais

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB Roseana Barbosa da Silva Graduada em Geografia, Universidade Estadual do Vale do Acaraú UVA/UNAVIDA E-mail: roseanabsilva@gmail.com.br

Leia mais

REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ

REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 REPRESENTATIVIDADE DO BIOMA CAATINGA NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO PIAUÍ Verônica Maria Pinheiro Pimentel (*), Jéssica Camilla da Silva Vieira de Araújo, Nadya

Leia mais

Curso E-Learning Licenciamento Ambiental

Curso E-Learning Licenciamento Ambiental Curso E-Learning Licenciamento Ambiental Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Objetivos do Curso

Leia mais

Bairro Colégio é o sexto núcleo a participar da Capacitação

Bairro Colégio é o sexto núcleo a participar da Capacitação Bairro Colégio é o sexto núcleo a participar da Capacitação As oficinas do programa de Capacitação de Produtores Rurais de Ibiúna, projeto da SOS Itupararanga, chegaram ao Bairro Colégio. O objetivo é

Leia mais

EDITAL DE APOIO A PESQUISAS REALIZADAS NA RPPN URU, LAPA, PARANÁ

EDITAL DE APOIO A PESQUISAS REALIZADAS NA RPPN URU, LAPA, PARANÁ EDITAL DE APOIO A PESQUISAS REALIZADAS NA RPPN URU, LAPA, PARANÁ I. Informações gerais sobre a reserva particular do Patrimônio Natural (RPPN) URU Em 2003, a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações e normas

Leia mais

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Detalhamento do Projeto Título: Viveiro Florestal de Presidente

Leia mais

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação...

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 2324-00-EIA-RL-0001-01 UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI ÍNDICE 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 3/4 agosto de 2009

Leia mais

O Código Florestal e a contribuição dos trabalhadores de pesquisa e desenvolvimento

O Código Florestal e a contribuição dos trabalhadores de pesquisa e desenvolvimento O Código Florestal e a contribuição dos trabalhadores de pesquisa e desenvolvimento agropecuário Vicente Almeida Presidente do SINPAF O que é o SINPAF? É o Sindicato Nacional que representa os trabalhadores

Leia mais

REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO

REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO Data: 08-06-2011 Horário: 09h10min às 12h00min Local: Sala UEG Município: Mineiros-GO

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE SISTEMAS AGRO- FLORESTAIS 1. IDENTIFICAÇÃO DOS

Leia mais

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Meta brasileira de redução das emissões até 2020 36,1% a 38,9% das 3.236 MM de tonco2eq de emissões projetadas

Leia mais

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais DIRUR Eixo Temático: Sustentabilidade

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management) PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO Proposta para obtenção de recursos do GEF (doação sem encargos de US$7,05 milhões) Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

22o. Prêmio Expressão de Ecologia

22o. Prêmio Expressão de Ecologia 22o. Prêmio Expressão de Ecologia 2014-2015 Vista do corte raso da vegetação sob a rede anterior ao Projeto. Unidade de Conservação e formação dos corredores vegetados após implantação do Projeto. Área

Leia mais

151 - ONG Verdejar: agroecologia e preservação ambiental no subúrbio de uma métropole

151 - ONG Verdejar: agroecologia e preservação ambiental no subúrbio de uma métropole 151 - ONG Verdejar: agroecologia e preservação ambiental no subúrbio de uma métropole GUIA, Eric Vidal Ferreira da. UFRJ, voitakus@hotmail.com. Resumo O trabalho da ONG verdejar surgiu em 1997 por iniciativas

Leia mais

NORMAS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO

NORMAS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS ANEXO À DELIBERAÇÃO Nº 125, DE 06 DE JULHO DE 2006. NORMAS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais

Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Instrumentos Legais de Proteção Ambiental em Propriedades Rurais Uberlândia Minas Gerais Abril de 2015 Índice Introdução... 2 Instrumentos de planejamento e gestão do uso do solo... 2 Zoneamento Ecológico-

Leia mais

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA)

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Produção de alimentos agroecológicos da roça das mulheres Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Ana Celsa Sousa, Carlos Eduardo de Souza Leite e Luciana Rios

Leia mais

CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO

CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Período de realização: 25 a 27 de março de 2015 Local: Brasília, DF (Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada) Realização: 1. Contexto: Os solos constituem

Leia mais

Energia e Desenvolvimento Sustentável:

Energia e Desenvolvimento Sustentável: Energia e Desenvolvimento Sustentável: Encruzilhadas da Era Moderna José Felipe Ribeiro Embrapa DE-TDAS Energia e Envolvimento Sustentável: Encruzilhadas da Era Moderna José Felipe Ribeiro Embrapa SEDE

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE DADOS DA CIDADE Data de fundação: 12 de dezembro de 1897 Área: 331 km 2 Latitude y Longitude 19 55'S, 43 56'W Minas Gerais BH INDICADORES DEMOGRÁFICOS População: 2.375.151

Leia mais

EMENDA AO PLDO/2003 - PL Nº 009/2002-CN ANEXO DE METAS E PRIORIDADES

EMENDA AO PLDO/2003 - PL Nº 009/2002-CN ANEXO DE METAS E PRIORIDADES Emenda Nº: 656 0468 CIENCIA E TECNOLOGIA PARA A GESTÃO DE ECOSSISTEMAS 4134 DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS SOBRE FRAGMENTAÇÃO NA MATA ATLANTICA PESQUISAS REALIZADAS 20 Para conservar biodiversidade precisamos,

Leia mais

PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA

PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA IMPLATAÇÃO DA COLETA SELETIVA REGIÃO DA BACIA LEITEIRA SUMÁRIO

Leia mais

ANÁLISE DA REDE SOCIAL DAS FAMÍLIAS PARTICIPANTES DO PROJETO DE CARBONO NO CORREDOR DE BIODIVERSIDADE EMAS TAQUARI.

ANÁLISE DA REDE SOCIAL DAS FAMÍLIAS PARTICIPANTES DO PROJETO DE CARBONO NO CORREDOR DE BIODIVERSIDADE EMAS TAQUARI. ANÁLISE DA REDE SOCIAL DAS FAMÍLIAS PARTICIPANTES DO PROJETO DE CARBONO NO CORREDOR DE BIODIVERSIDADE EMAS TAQUARI Desenvolvido por: E Data: 26/07/2011 Resumo O presente relatório visa apresentar os resultados

Leia mais

Brasília, 28 de novembro de 2011. O que é o PPCerrado:

Brasília, 28 de novembro de 2011. O que é o PPCerrado: PPCerrado Brasília, 28 de novembro de 2011. 1 O que é o PPCerrado: É um Plano de Ação (tático-operacional) que reúne ações para a redução do desmatamento no Cerrado e a viabilização de alternativas de

Leia mais

MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA

MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA PREFEITURA MUNICIPAL DE BETIM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SEMED DIVISÃO PEDAGÓGICA 2010 MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA 06 ANOS 07 ANOS 08 ANOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 Regulamenta o 4º do art. 225 da Constituição Federal, para instituir o Plano de Gerenciamento da Floresta Amazônica. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ CERES DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DGEO PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA Caicó/RN 2015 UNIVERSIDADE

Leia mais

ESCOLA SUSTENTÁVEL: AÇÕES PARA A CONSCIENTIZAÇÃO EM UMA ESCOLA ESTADUAL ATRAVÉS DO PROJETO ECOLÓGICA

ESCOLA SUSTENTÁVEL: AÇÕES PARA A CONSCIENTIZAÇÃO EM UMA ESCOLA ESTADUAL ATRAVÉS DO PROJETO ECOLÓGICA ESCOLA SUSTENTÁVEL: AÇÕES PARA A CONSCIENTIZAÇÃO EM UMA ESCOLA ESTADUAL ATRAVÉS DO PROJETO ECOLÓGICA Aline Carla dos Santos Moraes Marinho (*), Welinton Coelho da Silva * Secretaria de Estado de Educação

Leia mais

PROJETO EM DEFESA DAS ÁGUAS E PROTEÇÃO DA VIDA RELATÓRIO FINAL I. DADOS BÁSICOS

PROJETO EM DEFESA DAS ÁGUAS E PROTEÇÃO DA VIDA RELATÓRIO FINAL I. DADOS BÁSICOS I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Tereviva Associação de Fomento Turístico e Desenvolvimento Sustentável S/C Título do projeto: Defense of Waters and Protection of Life: Três Picos State Park Parceiros

Leia mais

Criado por iniciativa da Suzano Papel e Celulose em 1999 e qualificado como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

Criado por iniciativa da Suzano Papel e Celulose em 1999 e qualificado como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). FIESP, 28/05/2014 Criado por iniciativa da Suzano Papel e Celulose em 1999 e qualificado como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Campanha pela universalização de bibliotecas em

Leia mais

01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se:

01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se: 01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se: I. Concentração nas baixas latitudes, associadas a elevadas precipitações. II. Distribuição

Leia mais

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas Moacyr Bernardino Dias-Filho Engenheiro Agrônomo, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA www.diasfilho.com.br Conceito

Leia mais

PROGRAMA ZONA FRANCA VERDE

PROGRAMA ZONA FRANCA VERDE PROGRAMA ZONA FRANCA VERDE IDAM INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO FLORESTAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DO AMAZONAS SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL 1 ESTRUTURA DO SETOR PRIMÁRIO NO ESTADO

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Sistema de Cadastro Ambiental Rural Sistema de Cadastro Ambiental Rural XX Simpósio Jurídico ABCE ÂNGELO RAMALHO ASSESSOR MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO DIRETORIA DE FOMENTO E INCLUSÃO FLORESTAL São Paulo, Outubro/2014

Leia mais

ONG VERDENOVO Rio das Velhas

ONG VERDENOVO Rio das Velhas Release de Imprensa ONG VERDENOVO Rio das Velhas Nova Lima, 2011 - A ONG VERDENOVO Rio das Velhas é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 16 de agosto de 2001, que atua no

Leia mais

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo

Leia mais

Esporte. Lei Geral da Copa é aprovada maio/2012

Esporte. Lei Geral da Copa é aprovada maio/2012 SOCIEDADE CXVIII Esporte Lei Geral da Copa é aprovada maio/2012 Os senadores aprovaram, em plenário, o PLC 10/2012, a Lei Geral da Copa, sem alterações que forçassem a volta do projeto para a Câmara dos

Leia mais

RESUMO EXPANDIDO. O Novo Código Florestal: impacto sobre os produtores rurais de Juína e região

RESUMO EXPANDIDO. O Novo Código Florestal: impacto sobre os produtores rurais de Juína e região RESUMO EXPANDIDO O Novo Código Florestal: impacto sobre os produtores rurais de Juína e região Carlos Dutra 1 O novo Código Florestal, diante de uma visão mais restrita e imediatista, afeta sobremaneira

Leia mais

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Conceito de Tecnologia Social aplicada a Municípios Sustentáveis: "Compreende técnicas, metodologias e experiências

Leia mais

Código Florestal. Pantanal. Walfrido Moraes Tomas Pesquisador tomasw@cpap.embrapa.br. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Código Florestal. Pantanal. Walfrido Moraes Tomas Pesquisador tomasw@cpap.embrapa.br. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Código Florestal Pantanal Walfrido Moraes Tomas Pesquisador tomasw@cpap.embrapa.br Ministério da Agricultura, O Código Florestal atual apresenta sérias dificuldades para sua aplicação no Pantanal. A Embrapa

Leia mais