BICICLETA ARANHA. De bicicleta vou andando Morro acima, morro abaixo Tem montanhas, ai que duro Pra descer vai mais depressa (bis)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BICICLETA ARANHA. De bicicleta vou andando Morro acima, morro abaixo Tem montanhas, ai que duro Pra descer vai mais depressa (bis)"

Transcrição

1 BICICLETA De bicicleta vou andando Morro acima, morro abaixo Tem montanhas, ai que duro Pra descer vai mais depressa (bis) TARTARUGA Eu sou a tartaruga. Eu ando devagar. Eu sou a tartaruga. Eu quero é descansar. Acorda tartaruga! BOLINHA Uma bolinha pequenininha Foi crescendo devagar. Foi crescendo, foi subindo Foi se enchendo de ar. Depois que cresceu Virou um bolão. Pulou, pulou, pulou E depois caiu no chão. TODO MUNDO VAI RODAR Todo mundo vai rodar Vai rodar, vai rodar. Balançando a cabecinha De um lado para o outro Põe a mão na cabecinha Cabecinha, cabecinha (outras partes do corpo) GIGANTÃO O gigantão pra ser maior Pôs-se a inchar Tanto inchou o valentão Que estourou, caiu no chão! Um caracol Eu vou fazer Enrolando assim Sem encolher CARACOL ARANHA A Dona aranha Subiu pela parede Veio a chuva forte E a derrubou. Já parou a chuva O sol já vai surgindo E a dona aranha Continua a subir. Ela é teimosa E desobediente Sobe, sobe, sobe E nunca está contente BARQUINHO Um barquinho Ligeiro andava Ligeiro andava no mar Veio a onda E balança o barquinho E o barquinho Balança no mar O vento soprou (soprar) O mar se agitou (agitar os pés) Veio a onda E balança o barquinho E o barquinho Balança no mar SAPO O sapo não lava o pé Não lava porque não quer Ele mora na lagoa Não lava o pé Porque não quer SAPO NA LAGOA O sapo, o sapo Que mora na lagoa Não tem, não tem Rabinho, nem orelha Ua, quá-quá Ua, quá- quá Ua-quá-quá-quá-quá

2 Pedala, pedala, Pedala, pedalinho Me leva pra longe Bem devagarzinho PEDALINHO O mar está bonito Está cheio de caminho Pedala, pedala Pedala, pedalinho JACARÉ NA LAGOA Jacaré está na lagoa Com preguiça de nadar Deixa estar seu jacaré Que a lagoa há de secar Sim, sim, sim Não, não, não Pegou fogo papelão. FORMIGUINHA Fui ao mercado Comprar mamão Veio a formiguinha E subiu na minha mão Eu sacudi, sacudi, sacudi Mas a formiguinha Não parava de subir (jerimum / bum bum espiga / barriga café / pé batata roxa / coxa lombo / ombro ) JANELINHA A janelinha fecha Quando está chovendo A janelinha abre Se o sol está aparecendo CHOVE CHUVINHA Chove, chuvinha Pra terra molhar E todas as plantinha Contentes vão ficar Plim, plim, plim, plim Faz a chuva assim Plim, plim, plim, plim Seu barulho é assim Abre a mão Fecha a mão Levanta o dedão E abaixa pro chão ABRE À MÃO Balança, balança, balança Balança, balança e mostra As mãos ou o linguão! ABÓBORA De abóbora faz melão De melão faz melancia De abóbora faz melão De melão faz melancia Faz doce sinhá Faz doce sinhá Faz doce, sinhá Maria (BIS) TETÊ Tetê olhou prá cá Tetê olhou prá lá Quando viu Zezinho bochecha Começou logo a cantar Bochecha, bochecha Batam palmas pra acabar Abriu, fechou Abriu, fechou, abriu Viva o sol!

3 AVIÃO Inventei um avião Que é um sucesso verdadeiro Para dar a volta ao mundo Sem gastar muito dinheiro Não precisa gasolina Não precisa de motor É puxado por pombinhas E a hélice é uma flor. PEIXINHO PEQUENININHO Um peixinho pequenininho Quando abre a boca faz assim (beijinhos) Mas o tubarão Quando abre Abre um bocão A!!!! Eu sou um peixinho E vivo no mar E vivo a nadar, A nadar, a nadar. E saio correndo Fazendo tibum Tibum, tibum Chá-lá,lá,lá,lá,lá PEIXINHO NO MAR CAVALINHO Galopando, galopando Aí vem meu cavalinho Galopando, galopando Bem feliz pelo caminho Ploc, ploc, ploc, ploc Aí vem meu cavalinho Ploc, ploc, ploc, ploc Bem feliz pelo caminho PALMINHAS FOGUETE Vai subindo um foguetinho vai Vai levando um astronauta vai Ai que lindo o espaço deve ser Astronauta me leva com você. Quero ver a lua de pertinho Que emoção! Quero ver se uma estrelinha Cabe aqui na minha mão. MAMUTE O pequeno mamute Queria voar Bateu as orelhinhas E não saiu do lugar Ele queria voar, pra ver o mar O mar, o mar, o mar (bis) PÉ ESPALHADO Pé espalhado Quem foi que te espalhou-ô-ô Foi um espirro Que o jacaré mandou A A Atchim! A CARROCINHA A carrocinha pegou Três cachorros de uma vez A carrocinha pegou Três cachorros de uma vez Trá-lá-lá-lá que gente é essa Trá-lá-lá-lá que gente má Trá-lá-lá-lá que gente é essa Trá-lá-lá-lá que gente má Tra-lá-lá-lá-lá-lá Palminhas, palminhas Nós vamos bater Depois as mãozinhas Pra trás esconder

4 CASA TORTA Quem mora na casa torta Sem janelinha e sem porta Quem mora na casa torta Sem janelinha e sem porta Um gato que usa sapato E tem retrato no quarto Uma florzinha pequenininha De sainha curtinha Um elefante com rabinho de barbante Um papel de óculos e chapéu Um botão que toca violão, essa não E um pente com dor de dente. Quem mora na casa torta, quem? Inventa depressa alguém Desenhe a janela e porta Na sua casinha torta CASINHA Encontrei uma casinha, nha, nha Bem cheinha, nha, nha De cupim, pim, pim Saiu de dentro, tro A lagartixa, xá xá Olhou pra mim Olhou pra mim E fez assim (uma careta) MINHOCA FILOMENA A minhoca Filomena Fez a maior confusão Resolveu fazer barulho E entrou dentro do balão O balão foi subindo Foi subindo lá pro céu Coitadinha da minhoca Fez o maior escarcéu aí! Aí me tira daqui Ai me tira daqui O balão está subindo To ficando com medo Não posso cair. Caí! PULGUINHA Estava dormindo Quando algo aconteceu. Era uma pulguinha E a danada me mordeu aí! Pula pulguinha Pula danada Pula pulguinha Essa pulguinha É assanhada. PIÃO O pião entrou na roda, ó pião O pião entrou na roda, ó pião Roda pião, bambeia pião Roda pião, bambeia pião O pião entrou na roda, ó pião O pião entrou na roda, ó pião Bate palma pião, bambeia pião Bate palma pião, bambeia pião (bater pés, pular, etc...) ELEFANTE O elefante é gordão Por isso não pode pular Vamos chamar o grilinho Pra pular no seu lugar JACARÉ O jacaré, o jacaré, o jacaré É amigo do Dedé, é O jacaré, vem cá compadre Que a lagoa não dá pé O jacaré Tem os olho s muito grandes A boca muito grande? Mas as pernas bem curtinhas. ENROLA Enrola, enrola, enrola, enrola E puxa, puxa, 1,2, 3

5 INDIO O indiozão tocou seu tamborzão O indiozão tocou seu tamborzão E todos fizeram assim aí! O indio tocou o seu tambor O indio tocou o seu tambor E todos fizeram assim mais ou menos O indiozinho tocou seu tamborzinho O indiozinho tocou seu tamborzinho E todos fizeram assim muito bem! A CANOA A canoa virou Por deixar ela virar Foi por causa Do Maternal Que não soube remar Aí se eu fosse um peixinho E soubesse nadar Eu tirava o Maternal Lá do fundo mar Abre a mão Fecha a mão Levante o dedão E abaixa pro chão Balança, balança Balança, balança E mostre o linguão (e mostre as mãos) ABRE A MÃO MACACO FOI À FEIRA O macaco foi à feira Não sabia o que comprar Comprou uma cadeira Para a macaca se sentar A macaca se sentou A cadeira escorregou Coitada da macaca Foi parar no corredor. Nós somos Dois passarinhos. Eu sou o Bill E eu sou o Jack. Voa Bil, voa Jack Volta Bill, volta Jack Dorme Bill, Dorme Jack. Acorda Bill, Acorda Jack. BILL E JACK BOSQUE Vamos passear no bosque Enquanto seu lobo não vem - O seu lobo está aí? Está. - O que ele está fazendo? - Escovando os dentes! Vamos passear no bosque Enquanto seu lobo não vem - O seu lobo está aí? Está. - O que ele está fazendo? - Pegando a chave! MARINHEIRO Eu sou um marinheiro No meu barco a vapor Lá vou eu, eu, eu, eu As águas vão passando E eu vou ver o meu amor Lá vou eu eu, eu, eu, eu Tchu, tchu!!! GATINHO Eu tenho um gatinho Chamado Mimi É tão bonitinho Igual nunca vi. Ele pula, pula, pula Ele pula sem parar Ele roda, roda, roda Roda, roda sem parar

6 PAPAGAIO Louro papagaio Quando está contente Solta gargalhada Fala como gente Currupaco, Currupaco A MARÉ A maré encheu, ú, u, ú, A maré vazou, ú, ú, ú E os cabelos da morena O riacho carregou Tra-lá-lá-lá-lá Pedala, pedala, Pedala, pedalinho. Me leva prá longe, Bem devagarinho. PEDALINHO O mar está bonito Está cheio de caminho Pedala, pedala Pedala, pedalinho Pica-pau Pica-pau É um passarinho Pica-pau Pica-pau Muito bonitinho PICA-PAU BOLA A GIRAR Lá vai a bola a girar na roda Rodando sempre sem demora No fim desta canção Depressa pule fora CABEÇA, OMBRO, JOELHO E PÉ Cabeça, ombro, joelho e pé Joelho e pé Cabeça, ombro, joelho e pé Joelho e pé Olhos, ouvidos, boca e nariz Cabeça, ombro, joelho e pé Joelho e pé CHAMINÉ Eu vi a Lá na chaminé Tão pequenina Fazendo café É de chá, chá, chá É de trá-lá-lá PEZINHO Pezinho, vem cá Não vou, não vou, não vou (balançar os pés) Ah! Pezinho vem! Não vou, não vou, não vou Ah!Por favor! Ah! Agora vou. FLORES As flores já não crescem mais Até o alecrim murchou O lambari morreu O sapo se mudou Depois que o ribeirão secou O trá-lá-lá-lá-lá-lá-ô O trá-lá-lá-lá-lá-lá-ô CACHORRINHO Cachorrinho está latindo Lá no fundo do quintal. Cala a boca, cachorrinho, Deixa o meu benzinho entrar. Ô esquindô lê, lê! Ô esquindô lê, lê, lá, lá! Ô esquindô lê, lê! Não sou eu que caio lá! PIPOQUINHA Pula, pula pipoquinha Pula, pula sem parar Pula, pula bem quentinha Para a festa alegrar.

7 O CRAVO E A ROSA O cravo brigou com a rosa, Debaixo de uma sacada, O cravo saiu ferido, E a rosa despedaçada O cravo ficou doente, A rosa foi visitar, O cravo teve um desmaio, E a rosa pôs-se a chorar. PERIQUITINHO MARACANÃ Periquito maracanã Cadê a sua iaiá (bis) Faz um dia, faz um ano Que eu não vejo ela passar(bis) Ora vai chegando, Ora vai chegando Ora vai chegando até chegar (vai pulando, rodando, dançando, etc) LANCHE Meu lanchinho, meu lanchinho Vou comer, vou comer Pra ficar fortinho, pra ficar fortinho E crescer, e crescer. A mulher do sapo Foi quem me contou Que o marido dela Quer ser doutor. DÓ, RÉ, MI Dó é ter pena de alguém. Ré que anda para trás. Mi pronome que não tem. Fá a falta que nos faz. Lá distante que nem sei. Si decide sim ou não. E afinal voltei ao dó. Dó, dó, dó, dó. BIBBIDI-BOBBIDI-BOO Salagadula, mexicabula, bibidi-bobodi-bu Junte isso tudo e teremos então Bibidi-Bobodi-Boo Salagadula, mexicabula, bibidi-bobodi-bu Isso é magia, acredite ou não Bibidi-Bobidi-Bu AUTOMÓVEL Automóvel, automóvel Como é bom, como é bom Tocar a buzina, tocar a buzina Bi, fom, fom. PAI FRANCISCO Pai Francisco entrou na roda Tocando seu violão Balalan ban ban ban ban balalan ban ban Vem de lá seu delegado E Pai Francisco foi pra prisão Como ele vem todo requebrando Parece um boneco desengonçado. Polegares Polegares Onde estão? Aqui estão Eles se saúdam Eles se saúdam E se vão E se vão TODOS OS DEDOS SAPO Eu vi um sapo Na beira do rio De camisa verde Sentido frio

8 MENININHA BICHO PAPÃO Bicho papão não tem educação Bicho papão não tem educação Almoça e janta sem lavar as mãos Não escova o dente hoje está doente Eu não, eu não, eu não sou Bicho papão ESCADA Sobe esta escada Com muito cuidado Senão você pode cair E ao descer Preste muita atenção Senão você pumba no chão pom, pom (com as mãos) LANCHE (CIRANDA, CIRANDINHA) Caí a água da biquinha Faz espuma com sabão Pra comer o meu lanchinho Lavarei as minhas mãos INVENTANDO OS GESTOS Faço assim, faço assim Todo mundo faz também Faça assim, faço assim E agora é o (inventar os gestos) (imitar o comandante bater os pés...) Estou vendo uma menininha Sentada na linha Olha só que bonitinha O nome dela é. TARTARUGA Eu sou uma tartaruga e ando muito devagar Passo a passo, um dia eu chego lá Pra onde é que vai? Sei lá Pra onde é que vai? Sei lá Eu só sei que ainda vai demorar Pra onde é que vai? Sei lá Pra onde é que vai? Sei lá Eu só sei que ainda vai demorar CARACOL O caracol, o caracol Não gosta de chuva, o caracol gosta de sol E quando chove o bichinho nem se move É só reclamação (bate o pé) Ai, ai, ai Ai, ai, ai Eu não vou sair de casa não Ai, ai, ai Ai, ai, ai Eu não vou sair de casa não CHEGADA Se você está contente bata palmas Se você está contente bata palmas Se você está contente E que mostrar a toda gente Se você está contente bata palmas. (bata o pé, dê gargalhadas, faz atchim...) OS OLHOS DO CHINÊS 1, 2, 3 4, 5, 6 Olha os olhos do chinês O seu nome é Ching-chang-cheng Veja como ele dança bem!

9 O SONO DOS BICHOS O canguru estava dormindo do O canguru estava acordando do O canguru ficou no seu lugar (estatua de canguru) Pula, pula, pula canguru Pula, pula, pula sem parar Pula, pula, pula canguru Pula, pula, pula até cansar A dona cobra estava dormindo do A dona cobra estava acordando do A dona cobra ficou no seu lugar Arrasta, arrasta, arrasta cobrinha Arrasta, arrasta, arrasta sem parar Arrasta, arrasta, arrasta cobrinha Arrasta, arrasta, arrasta até cansar O passarinho estava dormindo do O passarinho estava acordando do O passarinho ficou no seu lugar Voa, voa, voa passarinho Voa, voa, voa sem parar Voa, voa, voa passarinho Voa, voa, voa até cansar... Cacau Vargas CA CA CARANGUEJO Ca Ca Ca caranguejo Ta do do do do doido por um beijo Mas ele é ga ga ga ga ga gago de mais Demora muito pra falar não satisfaz Fala caranguejo JACARÉ Jacaré tava dormindo Acordou muito zangado Com o seu bocão bem grande E o dentão bem afiado É, é toma cuidado com o bocão do jacaré É, é toma cuidado com o bocão do jacaré A CASA DO SEU CARACOL A casa do seu caracol Vai com ele a tudo que é lugar Pode fazer chuva ou pode fazer sol Ta sempre em casa o seu caracol Pode fazer chuva ou pode fazer sol Ta sempre em casa o seu caracol A casa do seu caracol Vai com ele a tudo que é caminho Ele vai alegremente, pacientemente Andando bem devagarinho Pode fazer chuva ou pode fazer sol Ta sempre em casa o seu caracol Pode fazer chuva ou pode fazer sol Ta sempre em casa o seu caracol

DONA ARANHA ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE NUNCA ESTÁ CONTENTE

DONA ARANHA ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE NUNCA ESTÁ CONTENTE DONA ARANHA A DONA ARANHA SUBIU PELA PAREDE VEIO A CHUVA FORTE E A DERRUBOU JÁ PASSOU A CHUVA E O SOL JÁ VAI SURGINDO E A DONA ARANHA NA PAREDE VAI SUBINDO ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE

Leia mais

APÊNDICE A - Músicas

APÊNDICE A - Músicas APÊNDICE A - Músicas Músicas 1 GUT GUT SEM PARAR Adaptação ao meio líquido Bebeu a água da piscina toda Fui ver quem era, era o João Ele bebia a água da piscina Ele fazia gut gut gut gut gut sem parar

Leia mais

O Sabão. Leia a Bíblia. Dê Um Sorriso

O Sabão. Leia a Bíblia. Dê Um Sorriso O Sabão O sabão, lava o meu rostinho Lava os meus pezinhos, lava as minhas mãos Mas Jesus, prá me deixar limpinho Quer lavar meu coração Quando o mal, faz uma manchinha Eu sei muito bem, quem pode me limpar

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Laranja-fogo. Cor-de-céu

Laranja-fogo. Cor-de-céu Laranja-fogo. Cor-de-céu Talita Baldin Eu. Você. Não. Quero. Ter. Nome. Voz. Quero ter voz. Não. Não quero ter voz. Correram pela escada. Correram pelo corredor. Espiando na porta. Olho de vidro para quem

Leia mais

PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público

PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público Pedro, Tiago, João no barquinho Os três no barquinho no mar da Galiléia Jogaram a rede Mas não pegaram nada Tentaram outra vez E nada

Leia mais

MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE

MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE Prefeitura da Estância Balneária de Praia Grande Estado de São Paulo SECRETARIA DE EDUCAÇÃO NOME DO ALUNO: MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE ESCOLA MUNICIPAL NOME: INFANTIL I PROFESSOR (A):

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

NATAÇÃO PARA BEBÊS DE 0 A 2 ANOS - ATIVIDADES PRÁTICAS NA PISCINA. Profa.Ms. Linda Denise Fernandes Moreira

NATAÇÃO PARA BEBÊS DE 0 A 2 ANOS - ATIVIDADES PRÁTICAS NA PISCINA. Profa.Ms. Linda Denise Fernandes Moreira NATAÇÃO PARA BEBÊS DE 0 A 2 ANOS - ATIVIDADES PRÁTICAS NA PISCINA Profa.Ms. Linda Denise Fernandes Moreira A maior parte dos profissionais da Educação Física que ministram aulas de natação para bebês de

Leia mais

SEGREDO NO CAIR DA TARDE

SEGREDO NO CAIR DA TARDE SEGREDO NO CAIR DA TARDE Ele chegou a galope, num alazão que eu não conhecia. Depois o alazão ergueu-se em duas patas e desapareceu e meu irmão também desapareceu. Fazia tempo que eu o chamava e ele não

Leia mais

PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas)

PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas) PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas) Professora: Juceli Pola Competências Objetivo Geral Objetivos Específicos Leitura; oralidade; memória; raciocínio; ritmo; dramatização. * Proporcionar

Leia mais

1. A ESTRELA E A LUA

1. A ESTRELA E A LUA 1. A ESTRELA E A LUA A ESTRELA E A LUA ERAM DUAS IRMÃS COSME E DAMIÃO TAMBÉM SÃO DOIS IRMÃOS OXALÁ E OGUM GUIA NOSSOS PASSOS SOMOS FILHOS DE UMBANDA QUE BALANÇA MAIS NÃO C 2. CADE DOUM COSME E DAMIÃO,

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Sugestões de Rotina. Educação Infantil

Sugestões de Rotina. Educação Infantil Sugestões de Rotina Educação Infantil Pauta: 16/02/2013 Boas Vindas; - Acolhida com música: "Que bom que você veio". > Roda de Conversa- Questionar com as crianças se estão gostando, se já tem algum coleguinha

Leia mais

SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO.

SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO. SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO. A DONA SAPA, SAPA, SAPA, LHE EMPRESTOU UM ROUPÃO, ROUPÃO,

Leia mais

Capítulo 1. A Família dos Mumins.indd 13 01/10/15 14:17

Capítulo 1. A Família dos Mumins.indd 13 01/10/15 14:17 Capítulo 1 No qual o Mumintroll, o Farisco e o Sniff encontram o Chapéu do Papão; como aparecem inesperadamente cinco pe quenas nuvens e como o Hemulo arranja um novo passatempo. Numa manhã de primavera

Leia mais

Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO. Primeiras palavras. Vamos acompanhar

Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO. Primeiras palavras. Vamos acompanhar Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO Primeiras palavras. Vamos acompanhar 1 Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO > 1.1. Vamos acompanhar 01. Aproxima-se de 50 palavras?

Leia mais

O galo e a coruja cupinzeira Celeste Krauss 2

O galo e a coruja cupinzeira Celeste Krauss 2 E-livro FICHA CATALOGRÁFICA Celeste, Krauss O galo e a coruja cupinzeira/celeste Emília Krauss Guimarães Antônio Carlos Guimarães [organização e revisão] Lambari: Edição do Autor; Belo Horizonte: Antônio

Leia mais

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 )

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 ) O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. Isso o Ricardo me disse quando a gente estava voltando do enterro do tio Ivan no carro da mãe, que dirigia de óculos escuros apesar de não fazer sol. Eu tinha

Leia mais

Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos

Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos Brincadeiras são peças fundamentais na engrenagem da Educação Infantil. Não se trata de apenas distrair as crianças. Brincar contribui para o desenvolvimento

Leia mais

LOUVOR DOS PEQUENINOS Cânticos Cifrados

LOUVOR DOS PEQUENINOS Cânticos Cifrados 2015 LOUVOR DOS PQUNINOS Cânticos Cifrados Louvai ao Senhor todos os povos! Conteúdo arca de Noé... 2 CD MOMNTO... 2 MIGO... 3 Barquinho... 3 BOM DI... 3 Cantai Cantai... 4 Dê a sua vida para Jesus...

Leia mais

Cartilha das Brincadeiras

Cartilha das Brincadeiras Cartilha das Brincadeiras Amarelinha (academia, escada, macaca, sapata) Primeiro desenhe no chão um diagrama como este aí ao lado. Quem for jogar fica no inferno e lança uma pedra, mirando no número 1.

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA

O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA C. S. LEWIS O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA ILUSTRAÇÕES DE PAULINE BAYNES Martins Fontes São Paulo 1997 CAPÍTULO I Uma estranha descoberta ERA uma vez duas meninas e dois meninos: Susana, Lúcia,

Leia mais

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL 1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL LUGAR: EUNÁPOLIS(BA) DATA: 05/11/2008 ESTILO: VANEIRÃO TOM: G+ (SOL MAIOR) GRAVADO:16/10/10 PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL VOCÊ É O BERÇO DO NOSSO PAIS. PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

24 Questionário para Meses

24 Questionário para Meses De 23 meses e 0 dia até 25 meses e 15 dias 24 Questionário para Meses Por favor, preencha o formulário abaixo. Use caneta preta ou azul e escreva em letra de forma. Data do preenchimento: D D M M A A A

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia CD 02 Bom Jesus da Cana Verde [ai bom Jesus da Cana Verde é nosso pai, é nosso Deus (bis)] ai graças a Deus para sempre que tornamos a voltar ai com o mesmo Pombo Divino da glória celestial ai Meu Divino

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling.

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling. CABOCLO D AGUA. Por Andre Rohling. (47)8818-2914. andrerohling@hotmail.com www.facebook/andre.rohling 1 CENA-EXT-CAMPO-NOITE-19H10MIN. Noite de lua cheia, era bastante claro devido à luz da lua, faróis

Leia mais

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU MULHER SOLTEIRA REFRÃO: Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir (Essa música foi feita só prás mulheres

Leia mais

A Cigarra e a Formiga (versão Carla Flores)

A Cigarra e a Formiga (versão Carla Flores) A Cigarra e a Formiga (versão Carla Flores) CRÉDITO: Carla Cavichiolo Flores/Positivo Informática O verão terminava, e as folhas das árvores já começavam a amarelar, anunciando a chegada do outono. E lá

Leia mais

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol)

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol) CD EU QUERO DEUS 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) EU QUERO DEUS \ EU QUERO DEUS SEM DEUS EU NÃO SOU NADA EU QUERO DEUS Deus sem mim é Deus \ Sem Deus eu nada sou Eu não posso viver sem Deus \ Viver longe

Leia mais

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha um verde que saía da metade do casco e se espalhava manso até a beirada. Viviam dizendo que ela era lerda, preguiçosa até. É preciso reconhecer

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons.

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons. Olá, você esta acessando um dos materiais vencedores no concurso InternÉtica 2011, realizado pela SaferNet Brasil e o Instituto Childhood Brasil. Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS)

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA, YEMANJA...(BIS) RAINHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR...BIS É BONITO O CANTO DE YEMANJA SEMPRE

Leia mais

Iracema estava na brinquedoteca

Iracema estava na brinquedoteca Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema estava na brinquedoteca com toda a turma quando recebeu a notícia de que seu sonho se realizaria. Era felicidade que

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS COPYRIGHT MIKAEL SANTIAGO mikael@mvirtual.com.br RUA ITUVERAVA, 651/305 JACAREPAGUÁ RIO DE JANEIRO - RJ (21)9879-4890 (21)3186-5801

Leia mais

Blog Cantinho do Saber

Blog Cantinho do Saber Blog Cantinho do Saber BRINCADEIRAS PARA A VOLTA ÀS AULAS 1) Onça Dorminhoca Educação infantil Formar com os alunos uma grande roda. Cada criança fica dentro de um pequeno círculo desenhado sob os pés,

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente De todas as cores Eu sempre ouço dizer Que as cores da pele são diferentes Que uns são brancos Outros negros e amarelos Mas na verdade Há outras cores na pele dessa gente Tem gente que fica branca de susto

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano O Menino do Futuro Dhiogo José Caetano 1 Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno inventor que

Leia mais

Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias

Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias 1/35 Pai, Estou Te Esperando Uma Conexão Visual entre Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar, no Brasil, e Suas Famílias Fotos de Emma Raynes, 2007 2/35 Retratos dos Trabalhadores da Lavoura de Cana-de-Açúcar

Leia mais

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história O Menino do futuro Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Por uma janela, vemos o sol nascendo ao fundo de uma série de casas

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA letreiro 1: Sem o modernismo dos tempos atuais, o samba sertanejo era uma espécie de baile rústico, que ia noite à dentro até o raiar do dia, com seus matutos dançando e entoando

Leia mais

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados.

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. 1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. É bonita a história que acabaste de contar. Vou dar este livro ao Daniel, no dia do seu aniversário. Ele adora

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se A VOZ DAS COISAS Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se Marta, naquela noite, a sós na cama. Há as línguas que as pessoas falam: francês, alemão, espanhol, chinês, italiano. Para indicar a mesma

Leia mais

verdenovo ESTUDOS ATIVIDADES PRÁTICAS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

verdenovo ESTUDOS ATIVIDADES PRÁTICAS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA verdenovo ESTUDOS ATIVIDADES PRÁTICAS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA BRUXINHA E AS BRANCAS DE NEVE Faixa etária: 2 a 6 anos Materiais: Chapéu de bruxa Desenvolvimento: Uma criança será escolhida para ser

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA 1 Mês: Sucção vigorosa Levanta a cabeça e rasteja as pernas, se deitado de frente Sustenta a cabeça momentaneamente Preensão de objetos que vão à mão Aquieta-se com

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

ASSOCIAÇÃO SUL MATOGROSSENSE EPAD ENCONTRO PARA AVENTUREIROS E DESBRAVADORES CURSO DE RECREAÇÃO FEVEREIRO/2014 Prof. Márcio Rogério Gossler

ASSOCIAÇÃO SUL MATOGROSSENSE EPAD ENCONTRO PARA AVENTUREIROS E DESBRAVADORES CURSO DE RECREAÇÃO FEVEREIRO/2014 Prof. Márcio Rogério Gossler ASSOCIAÇÃO SUL MATOGROSSENSE EPAD ENCONTRO PARA AVENTUREIROS E DESBRAVADORES CURSO DE RECREAÇÃO FEVEREIRO/2014 Prof. Márcio Rogério Gossler Atividades Recreativas Músicas, Brincadeiras e Jogos MÚSICAS

Leia mais

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Texto: Warley di Brito A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Personagens: Zico, Zefinha, Paulinha e sua mãe Bastiana Cenário: A esquete acontece no quintal da casa da mãe de Zico, para a montagem do

Leia mais

UNIFORMES E ASPIRINAS

UNIFORMES E ASPIRINAS SER OU NÃO SER Sujeito desconfiava que estava sendo traído, mas não queria acreditar que pudesse ser verdade. Contratou um detetive para seguir a esposa suspeita. Dias depois, se encontrou com o profissional

Leia mais

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO MARIA DE NAZARETH MACHADO DE BARROS VASCONCELLOS COORDENADORIA

Leia mais

Tenho Sede - Gilberto Gil

Tenho Sede - Gilberto Gil Tenho Sede - Gilberto Gil Traga-me um copo d'água, tenho sede E essa sede pode me matar Minha garganta pede um pouco d'água E os meus olhos pedem teu olhar A planta pede chuva quando quer brotar O céu

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR

PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR ANO LETIVO 2012/2013 Era uma vez um peixinho azul muito pequenino, que nadava no fundo

Leia mais

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Ilustrações: Santiago Arte: www.espartadesign.com.br Contatos

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa. Nome: ARTE NA CASA

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa. Nome: ARTE NA CASA 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa Nome: ARTE NA CASA Certo domingo, meus donos saíram e eu passeava distraidamente no jardim, quando vi que tinham esquecido uma janela aberta.

Leia mais

O LOBO E OS SETE CABRITINHOS. Irmãos Grimm

O LOBO E OS SETE CABRITINHOS. Irmãos Grimm O LOBO E OS SETE CABRITINHOS Irmãos Grimm Era uma vez uma velha cabra que tinha sete cabritinhos, e os amava como as mães amam os filhos. Certo dia, ela teve de ir à floresta em busca de alimento e recomendou

Leia mais

Anexo II - Guião (Versão 1)

Anexo II - Guião (Versão 1) Anexo II - Guião (Versão 1) ( ) nº do item na matriz Treino História do Coelho (i) [Imagem 1] Era uma vez um coelhinho que estava a passear no bosque com o pai coelho. Entretanto, o coelhinho começou a

Leia mais

COLÉGIO NACIONAL DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO

COLÉGIO NACIONAL DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO COLÉGIO NACIONAL DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Harmonia no lar Duas regras infalíveis na santa escola do bem Quem não estuda não sabe, quem não trabalha não tem A alegria de uma casa tem esse preço em comum

Leia mais

PROJETO BICHOS DE JARDIM T3A E T3B - 2010

PROJETO BICHOS DE JARDIM T3A E T3B - 2010 PROJETO BICHOS DE JARDIM T3A E T3B - 2010 PROFESSORAS: PAULA TRES ARAUJO E PRISCILA SILVA ESTAGIÁRIAS: CAROLINA E LEILA COMPREENDENDO O ESTUDO APRESENTAÇÃO DO PROJETO ESTES BICHOS PEQUENINOS, QUE FICAM

Leia mais

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa?

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa? Primeiro eu gostaria de saber.. eh se você tem namorado? Namorado, tenho não. Já tive muito mais agora faz treis meses que eu moro com um rapaz é um argentino qui qui primeiro quando eu conheci estava

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito Era uma vez um boneco de neve chamado Bonifácio, que vivia numa terra distante onde fazia muito frio. Ele era um boneco especial, porque podia

Leia mais

Pág. 1. Painel Descrição Diálogo

Pág. 1. Painel Descrição Diálogo Mico Leão Dourado Pág. 1 1.1 (PG) Visão geral da árvore onde Chico mora, com os barracos nos galhos, a pequena comunidade na base, com o campinho onde as crianças jogam futebol. Todos estão assistindo

Leia mais

Tenda de Umbanda Caboclo Ubirajara e Vovó Tereza PONTOS CANTADOS DE YORI COSME E DAMIÃO

Tenda de Umbanda Caboclo Ubirajara e Vovó Tereza PONTOS CANTADOS DE YORI COSME E DAMIÃO PONTOS CANTADOS DE YORI COSME E DAMIÃO 2012 Saravá Cosme, Damião e Doum! Amibejá PONTOS CANTADOS DE YORI Têm festa na rua e no coração; Crianças correndo com balas na mão; Daí me sua graça e devoção; É

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis)

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) 01- NA CACHOEIRA Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) Colhendo lírio, lírio ê... Colhendo lírio, lírio a... Colhendo lírios, P'ra enfeitar nosso congá. (bis) 02- BRADO DE MAMÃE

Leia mais

JORNAL ANIMAL TIRINHAS

JORNAL ANIMAL TIRINHAS JORNAL ANIMAL 26 DE SETEMBTO DE 2011 ESTE JORNAL FOI PRODUZIDO PELOS ALUNOS DOS 2os ANOS DA ESCOLA MUNICIPAL 25 DE MARÇO COM AUXÍLIO DAS PROFESSORAS MÁRCIA E LUCIANE. O OBJETIVO DESTE TRABALHO É INCENTIVAR

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais

A ovelhinha que veio para o jantar

A ovelhinha que veio para o jantar A ovelhinha que veio para o jantar Oh não! OUTRA VEZ sopa de legumes! queixou-se o lobo, que já era velhinho. Quem me dera ter uma ovelhinha aqui à mesa. Fazia já um belo ensopado de borrego! Eis senão

Leia mais