ACORDO DE COLABORAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACORDO DE COLABORAÇÃO"

Transcrição

1 ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE: Primeira outorgante: ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS AGÊNCIAS DE VIAGEM E TURISMO, pessoa colectiva nº com sede na Rua Duque de Palmela, nº 2 1º Dtº LISBOA, doravante designada por APAVT; Segunda Outorgante: COMPANHIA DE SEGUROS ALLIANZ PORTUGAL, S.A., pessoa colectiva nº , com sede na Rua Andrade Corvo, 32 em Lisboa, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o número dois mil novecentos e setenta e sete, com o capital social de sete milhões novecentos e nove mil e oitenta contos, doravante designada por ALLIANZ; É ajustado e reciprocamente aceite o presente Acordo de Colaboração, nos termos constantes das definições, cláusulas e anexos seguintes. CLAUSULA PRIMEIRA (Definições) No contexto do presente acordo, serão considerados: 1. Associados: as pessoas colectivas que sejam sócios da APAVT. Aderentes: os Associados que celebrem ao abrigo do presente acordo, contratos de seguro com a Allianz Portugal. 2. Os seguros abrangidos pelo presente acordo bem como as condições especiais proporcionadas pela Allianz Portugal aos Associados da APAVT encontram-se descritas no Anexo ao presente acordo, que se junta e deste passa a fazer parte integrante. CLAUSULA SEGUNDA (Objecto) 1. A APAVT compromete-se a divulgar junto dos seus Associados a existência deste acordo de colaboração, o programa de seguros e as condições descritas no Anexo I, salientando o interesse dos associados efectuarem a sua adesão.

2 2. A APAVT compromete-se a colaborar com a ALLIANZ PORTUGAL, sem custos para aquela, na realização de acções de promoção e comercialização quer dos produtos abrangidos pelo presente Acordo, quer de outros produtos comercializados pela ALLIANZ PORTUGAL. 3. Sem prejuízo das disposições legais aplicáveis, a APAVT compromete-se a fornecer anualmente à ALLIANZ PORTUGAL, a base de dados actualizada dos seus associados que servirá de suporte a contactos comerciais e a eventuais acções de Marketing Directo. Para suportar os custos administrativos deste trabalho, a ALLIANZ PORTUGAL pagará o valor de $00 + IVA. 4. A APAVT vincula-se ainda a comunicar à ALLIANZ PORTUGAL a identificação de qualquer associado que, por qualquer razão, perca essa qualidade. CLAUSULA TERCEIRA (Programa de Seguros) 1. A ALLIANZ PORTUGAL compromete-se a proporcionar aos associados da APAVT o seguinte programa de seguros, nas condições referidas nos Anexo I a V De Adesão Mínima Obrigatória - Seguros de Responsabilidade Civil a) cobertura conforme apólice uniforme de seguro obrigatório para as Agências de Viagens e Turismo, estabelecida pela Norma Regulamentar nº 4/99-R do Instituto de Seguros de Portugal. b) para a Assistência aos Clientes. - Seguro de Multirriscos Comercial cobertura base - Seguro de Acidentes de Trabalho nos termos da Lei 100/ De Adesão Facultativa e Complementar aos seguros de Adesão Obrigatória - Seguro de Assistência em Viagem opções Normal e VIP - Seguro de Acidentes Pessoais Viagem Aérea - Seguro de Automóveis - Seguro de Saúde HospitALL - Seguro de Cauções a favor da Direcção Geral de Turismo CLAUSULA QUARTA (Condições dos Contratos de Seguro) 1. As condições económicas dos contratos de seguro celebrados entre a ALLIANZ PORTUGAL e os associados da APAVT ao abrigo do presente Acordo serão, para o primeiro ano de vigência deste último, as constantes do Anexo I.

3 2. Além das revisões anuais, sempre que as tarifas da ALLIANZ PORTUGAL sejam objecto de alterações, os prémios e restantes condições aplicáveis aos contratos de seguro celebrados ao abrigo do presente acordo, sofrerão automaticamente idênticas alterações. 3. Em tudo o que não for expressamente alterado pelo presente Acordo serão aplicáveis aos contrato de seguros as Condições Gerais e Especiais em vigor para os produtos em exploração pela ALLIANZ PORTUGAL. CLAUSULA QUINTA (Celebração de Contratos com Associados) 1. Para terem acesso às condições especiais de contratação resultantes do presente Acordo, os associados da APAVT, deverão apresentar à ALLIANZ PORTUGAL o comprovativo dessa condição. 2. A ALLIANZ PORTUGAL reserva-se o direito de recusar a celebração de contratos de seguros com os associados da APAVT em relação aos quais, por antecedentes conhecidos ou em virtude de razões técnico-comerciais, se torne desaconselhável a celebração desses contratos. CLAUSULA SEXTA (Perda da Qualidade de Associado ) Sempre que um Aderente tenha celebrado um ou mais contratos de seguro continuados e perca a qualidade de Associado da APAVT, a ALLIANZ PORTUGAL obriga-se a aplicar as condições normais de tarifação a vigorar na data de vencimento do contrato. CLAUSULA SÉTIMA (Participação no Newsletter ) A ALLIANZ PORTUGAL participará numa página das Newsletters a publicar pela APAVT, cujo custo anual será de $00. Este valor será liquidado em duas prestações semestrais. CLAUSULA OITAVA (Vigência e Duração) O presente Acordo entra em vigor na data da sua assinatura e é válido até 31 de Dezembro de 2001, sendo automaticamente renovável por um ano, salvo denúncia por qualquer um dos Outorgantes. CLAUSULA NONA (Denúncia) 1. Os Outorgantes poderão denunciar livremente o presente Acordo, em qualquer momento, mediante carta registada com aviso de recepção expedida com 60 (sessenta) dias de antecedência sobre a data em que a denúncia produzirá os seus efeitos.

4 2. A denuncia do Acordo não afectará as condições de contratos de seguro validamente celebrados entre a ALLIANZ PORTUGAL e os Associados da APAVT que se mantenham em vigor na data em que a denuncia produza os seus efeitos, e até ao vencimento seguinte dos mesmos, data em que passarão a vigorar as condições normais de tarifação da ALLIANZ PORTUGAL. CLAUSULA DÉCIMA (Renegociação) 1. Em alternativa à denúncia do Acordo prevista na clausula antecedente, qualquer um dos Outorgantes poderá, com o mesmo prazo de antecedência, comunicar ao outro que pretende renegociar, no todo ou em parte, as condições quer do presente acordo, quer dos contratos de seguro a celebrar ao seu abrigo. 2. Na comunicação prevista no número anterior, o Outorgante que solicitar a renegociação das condições do Acordo deverá ainda indicar se, frustada a renegociação, é sua intenção que o acordo se mantenha relativamente às condições que não forem abrangidas pela renegociação ou se a frustração da renegociação implicará a denúncia do acordo na sua totalidade. 3. Se os Outorgantes não chegarem a um acordo sobre as condições a renegociar, considerar-se-à que a comunicação enviada equivaleu a uma denúncia oportuna do presente acordo na parte em que não foi possível a renegociação ou no seu todo se tal intenção tiver sido manifestada na comunicação prevista no número anterior. 4. Se ocorrer a denúncia, total ou parcial, do acordo aplicar-se-à o regime previsto no nº2 da clausula anterior aos contratos de seguro que tenham sido celebrados entre a ALLIANZ PORTUGAL e os Associados da APAVT e que sejam abrangidos pela denúncia. CLAUSULA DÉCIMA PRIMEIRA (Alterações ) Qualquer alteração ao presente acordo só será válida e eficaz desde que seja reduzida a escrito e conste de documento escrito e assinado pelos representantes de ambos os Outorgantes que será junto ao presente acordo como aditamento. CLAUSULA DÉCIMA SEGUNDA (Comunicações) 1. Todas as comunicações realizadas entre os Outorgantes no âmbito do presente Acordo, serão realizadas por escrito, expedidas por via postal e sujeitas a aviso de recepção para os seguintes endereços: COMPANHIA DE SEGUROS ALLIANZ PORTUGAL Exmo. Senhor Dr. Patrick Stefan Schwarz ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO Exmo. Senhor João António Pires Pombo

5 2. As comunicações previstas no número anterior só se tornarão efectivas e produzirão os seus efeitos após a respectiva recepção. CLAUSULA DÉCIMA TERCEIRA (Lei e Foro) O presente Acordo fica sujeito à Lei Portuguesa e para a resolução de litígios dele emergentes fica estabelecido o foro de Lisboa com expressa renúncia a qualquer outro. Feito em Lisboa, no dia...de Novembro de 2000, em duas vias de igual conteúdo e valor. Companhia de Seguros ALLIANZ PORTUGAL, SA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS Entre: Companhia de Seguros Tranquilidade S.A., com o capital social de 95.000.000 (noventa

Leia mais

PROTOCOLO SEGUROS 2014/2015

PROTOCOLO SEGUROS 2014/2015 PROTOCOLO SEGUROS 2014/2015 PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre: GIANT UNDERWRITING, LDA. com morada na Avenida do Parque, Lote 137, Loja B, 2635-298 Rio de Mouro, contribuinte n.º 510084923, adiante designada

Leia mais

PROTOCOLO. 1. A Fidelidade Mundial é uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal;

PROTOCOLO. 1. A Fidelidade Mundial é uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal; PROTOCOLO Entre Sindicato dos Educadores e Professores Licenciados pelas Escolas Superiores de Educação e Universidades, pessoa colectiva número 503 902233, com sede em Lisboa, na Avenida de Paris, nº

Leia mais

ENTRE CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS AVS CORRETORES DE SEGUROS COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE BANCO ESPIRITO SANTO

ENTRE CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS AVS CORRETORES DE SEGUROS COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE BANCO ESPIRITO SANTO PROTOCOLO D ACORDO NTR CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS D CONTAS AVS CORRTORS D SGUROS COMPANHIA D SGUROS TRANQUILIDAD BANCO SPIRITO SANTO NTR: CTOC - CÂMARA D TÉCNICOS OFICIAIS D CONTAS, com sede na

Leia mais

representada por Henrique Amorim Faria de Araújo, Administrador e Dídia Sónia dos

representada por Henrique Amorim Faria de Araújo, Administrador e Dídia Sónia dos PROTOCOLO Entre COSTA DUARTE - Corretor de Seguros, SA, inscrito no Instituto de Seguros de Portugal sob o n.º 607084984/3, com sede na Av. António Augusto de Aguiar, 130, 4º, 1050-020 Lisboa, matriculada

Leia mais

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal;

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal; ~ ~~ PROTOCOLO Entre, Exercito Portugues, pessoa colectiva numero 600 021 610, devidamente representado neste acto pelo Exmo. Senhor Tenente-General Eduardo Manuel de Lima Pinto, na qualidade de Comandante

Leia mais

PROTOCOLO. 1ª - REPSOL PORTUGAL COMERCIO DE PETROLEOS E DERIVADOS, LDA, sociedade

PROTOCOLO. 1ª - REPSOL PORTUGAL COMERCIO DE PETROLEOS E DERIVADOS, LDA, sociedade PROTOCOLO Entre: 1ª - REPSOL PORTUGAL COMERCIO DE PETROLEOS E DERIVADOS, LDA, sociedade por quotas, com o capital social de 43.450.000,01, com sede na Rua Mario Dionisio, nº 2, 2º e 3º andares, 2799-558

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO Considerando que: O voluntariado está a crescer no nosso país, ganhando cada vez mais expressão e importância, tanto para quem o pratica

Leia mais

ACORDO DE COLABORAÇÃO

ACORDO DE COLABORAÇÃO ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE: Primeira outorgante: ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS AGÊNCIAS DE VIAGEM E TURISMO, pessoa colectiva nº 500 910 839 com sede na Rua Duque de Palmela, nº 2 1º Dtº - 1250 098 LISBOA,

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO Entre: Policarpo Viagens e Turismo, Lda., pessoa colectiva n.º 503 969 052, sito na Rua

Leia mais

CONTRATO DE UTILIZADOR

CONTRATO DE UTILIZADOR CONTRATO DE UTILIZADOR Entre: a) Ecopilhas Sociedade Gestora de Resíduos de Pilhas e Acumuladores, Lda., sociedade comercial por quotas, com sede na Praça Nuno Rodrigues dos Santos, n.º 7, 1.º andar sala

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A.

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos associados da ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC

CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC Aos.., dias do mês de... do ano de 200.. Entre: PRIMEIRO: CONSELHO DA FILEIRA FLORESTAL PORTUGUESA, designado por CFFP, pessoa colectiva número, com sede na Rua

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL 3 DEFINIÇÕES DISPOSIÇÕES FUNDAMENTAIS

Leia mais

Condições Gerais + POUPANÇA. Produto comercializado por: IMGV71 (CAP_POU/12/2012)

Condições Gerais + POUPANÇA. Produto comercializado por: IMGV71 (CAP_POU/12/2012) Condições Gerais + POUPANÇA Produto comercializado por: IMGV71 (CAP_POU/12/2012) Generali Vida S.A. Sede: Rua Duque de Palmela, n.º 11 I 1269-270 Lisboa Tel. 213 112 800 I Fax. 213 563 067 I Email: generali@generali.pt

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE, ORDEM DOS ADVOGADOS, pessoa colectiva n.º 500 965 099, com sede em Lisboa, no Largo de S. Domingos, n.º 14-1.º, neste acto representada pelo senhor Dr. António Marinho e

Leia mais

PORTARIA Nº 265/99/M. Nestes termos; Considerando a proposta da Autoridade Monetária e Cambial de Macau; Ouvido o Conselho Consultivo;

PORTARIA Nº 265/99/M. Nestes termos; Considerando a proposta da Autoridade Monetária e Cambial de Macau; Ouvido o Conselho Consultivo; PORTARIA Nº 265/99/M DE 14 DE JUNHO As condições gerais e particulares da apólice uniforme do seguro de responsabilidade civil profissional das agências de viagens foram aprovadas pela Portaria nº 263/99/M,

Leia mais

Acordo de Voluntariado (minuta)

Acordo de Voluntariado (minuta) Acordo de Voluntariado (minuta) Considerando que: a) O IMC é o organismo do Ministério da Cultura responsável pela definição de uma política museológica nacional e pela concretização de um conjunto de

Leia mais

(Montante do empréstimo) Cláusula Segunda. (Finalidade do Empréstimo)

(Montante do empréstimo) Cláusula Segunda. (Finalidade do Empréstimo) CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) ENTRE O ESTADO PORTUGUÊS, representado pela Senhora Diretora-Geral do Tesouro e Finanças, Elsa Roncon Santos, de acordo com o disposto no

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO Entre: CONTRATO DE ARRENDAMENTO, com o NUIT:,, natural de, de nacionalidade, residente na, nº, em, titular do B.I. nº, emitido em _, aos de de e válido até de de, doravante designado por Locador, E, com

Leia mais

Regulamento de Bolsas. do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas

Regulamento de Bolsas. do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas Regulamento de Bolsas do Instituto Politécnico de Lisboa e Unidades Orgânicas CAPITULO I DISPOSIÇÕES GENÉRICAS Artigo primeiro Âmbito 1. O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e

Leia mais

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES Considerando que: nos termos legais e regulamentares aplicáveis, o FUNDO DE GARANTIA AUTOMÓVEL, entre outras atribuições,

Leia mais

MILINHA VITOR P. GOMES, UNIPESSOAL, LDA

MILINHA VITOR P. GOMES, UNIPESSOAL, LDA CONDIÇÕES GERAIS E PARTICULARES DE VENDA ON-LINE As presentes CONDIÇÕES GERAIS E PARTICULARES DE VENDA ON-LINE são acordadas livremente e de boa-fé entre Vitor Pereira Gomes, Unipessoal, Lda. com sede

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Minuta I CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta O PRESENTE CONTRATO FOI APROVADO PELO INSTITUTO DAS COMUNICAÇÕES DE PORTUGAL, NOS TERMOS E PARA OS EFEITOS DO ARTIGO 9/2 DO DECRETO

Leia mais

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE PROSPECTO SIMPLIFICADO ICAE INSTRUMENTO DE CAPTAÇÃO DE AFORRO ESTRUTURADO (NÃO NORMALIZADO) Os elementos constantes deste Prospecto Simplificado reportam-se a 30 de Abril de 2009

Leia mais

Condições Gerais +RENDA. Produto comercializado por:

Condições Gerais +RENDA. Produto comercializado por: Condições Gerais +RENDA Mod. IMGV - 82CH (06/2012) Generali Vida S.A. Sede: Rua Duque de Palmela, n.º 11 I 1269-270 Lisboa Tel. 213 112 800 I Fax. 213 563 067 I Email: generali@generali.pt I www.generali.pt

Leia mais

Fidelity Poupança. Condições Gerais e Especiais

Fidelity Poupança. Condições Gerais e Especiais 1. DEFINIÇÕES 1.1. Para os efeitos do presente Contrato, entende-se por:» I.C.A.E.: Instrumento de Captação de Aforro Estruturado ;» Seguradora: ;» Tomador de Seguro: a Entidade que celebra o Contrato

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre Primeira Contraente: Fundação de Serralves, pessoa colectiva de direito privado nº 502266643, instituída pelo Decreto-Lei nº 240-A/89, de 27 de Julho, com sede na

Leia mais

A C O R D O. a) A APAVT é uma Associação representativa dos interesses de 557 agências de viagens e turismo com sede em Portugal;

A C O R D O. a) A APAVT é uma Associação representativa dos interesses de 557 agências de viagens e turismo com sede em Portugal; ENTRE GRUPO SATA E APAVT A C O R D O CONTRATANTES: A) SATA Air Açores - Sociedade Açoriana de Transportes Aéreos, S. A., pessoa colectiva nº 5122005095 e SATA Internacional - Serviços e Transportes Aéreos,

Leia mais

o empréstimo referido no número anterior destina-se ao pagamento de dívidas do de Apoio à Economia Local (PAEL)" ENTRE

o empréstimo referido no número anterior destina-se ao pagamento de dívidas do de Apoio à Economia Local (PAEL) ENTRE CONTRATO DE EMPRÉSTIMO "Programa de Apoio à Economia Local (PAEL)" ENTRE o ESTADO PORTUGUÊS, representado pela Senhora Diretora-Geral do Tesouro e Finanças, Eisa Roncon Santos, de acordo com o disposto

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A. Considerando que:

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A. Considerando que: PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A ADMINISTRAÇÃO DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO TEJO Considerando que: Compete ao Conselho Distrital de Lisboa da Ordem

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA Considerando: A importância do sector do Cinema como vector de dinamização das expressões artísticas e de contribuição para o desenvolvimento

Leia mais

CONTRATO DE BOLSA Entre FUNDAÇÃO BIAL . Considerando I. II. III. IV. Primeira

CONTRATO DE BOLSA Entre FUNDAÇÃO BIAL . Considerando I. II. III. IV. Primeira CONTRATO DE BOLSA Entre FUNDAÇÃO BIAL, instituição de utilidade pública, com o número de identificação de pessoa colectiva 503 323 055, com sede na Avenida da Siderurgia Nacional, S. Mamede do Coronado,

Leia mais

BASES DO CONTRATO...3

BASES DO CONTRATO...3 UNIT LINKED DB VIDA Condições Gerais...2 1. DEFINIÇÕES...2 2. BASES DO CONTRATO...3 3. INÍCIO E DURAÇÃO DO CONTRATO...4 4. ÂMBITO DA COBERTURA...4 5. GESTÃO DAS UNIDADES DE PARTICIPAÇÃO...4 6. PRÉMIOS...6

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio

Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio Entre Olivertek, LDA, pessoa colectiva n.º 507827040, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Gondomar, sob

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO "Programa de Apoio à Economia Local (PAEL)"

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) CONTRATO DE EMPRÉSTIMO "Programa de Apoio à Economia Local (PAEL)" ENTRE O ESTADO PORTUGUÊS, representado pela Senhora Diretora-Geral do Tesouro e Finanças, Elsa Roncon Santos, de acordo com o disposto

Leia mais

Contrato de Mediação Imobiliária

Contrato de Mediação Imobiliária Contrato de Mediação Imobiliária (Nos termos da Lei n.º 15/2013, de 08.02) Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., com sede na Av. Defensores de Chaves, n.º 6 4.º, em Lisboa, matriculada na Conservatória

Leia mais

Condições Gerais do Serviço BIC Net Empresas

Condições Gerais do Serviço BIC Net Empresas Entre o Banco BIC Português, S.A., Sociedade Comercial Anónima, com sede na Av. António Augusto de Aguiar, nº132 1050-020 Lisboa, pessoa colectiva nº 507880510, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE

OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE AGAP Condições em vigor para a rede Comercial Tranquilidade Agosto 2008 Rectificação dos procedimentos operacionais para os MONITORES DE FITNESS, SÓCIOS E COLABORADORES INTRODUÇÃO

Leia mais

Endereço Internet: www.millenniumbcp.pt. Cartão de crédito.

Endereço Internet: www.millenniumbcp.pt. Cartão de crédito. FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartões de Crédito Gémeos TAP Gold VISA/American Express A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação

Leia mais

CONTRATO DE PRODUTOR N.º [...]/11

CONTRATO DE PRODUTOR N.º [...]/11 CONTRATO DE PRODUTOR N.º [...]/11 Entre: G.V.B. - GESTÃO E VALORIZAÇÃO DE BATERIAS, LDA., sociedade comercial por quotas, com sede na Rua da Junqueira, n.º 39, 2.º Piso, Edifício Rosa, 1300-307 Lisboa,

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES PARTES: 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS E 2., com sede em, com o capital social de, Pessoa Colectiva número, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA ENTRE REN - GASODUTOS, S.A., na qualidade de concessionária da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural

Leia mais

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal Ficha Técnica Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Contrato de Seguro Edição Instituto de Seguros de Portugal Coordenação editorial Direcção de Comunicação e Relações com os Consumidores

Leia mais

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Dezembro de 2004 1/6 Parte I Informações sobre a empresa de seguros 1. Denominação ou firma da empresa de seguros: Companhia de Seguros

Leia mais

CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP

CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP CONVÊNIO DE PARCERIA PARA CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DE PAGAMENTO QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ E O BANCO GERADOR S.A. O, com sede em Macapá, Capital

Leia mais

Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades

Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades PROTOCOLO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE SEGURO Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades Entre a Companhia de Seguros AÇOREANA, S.A. com sede no Largo da Matriz,

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., pessoa colectiva número 503152544, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com sede na Av. Defensores

Leia mais

Regulamento do Passatempo Fula- Sonae Ganhe por dia 1 Máquina Fotográfica Canon

Regulamento do Passatempo Fula- Sonae Ganhe por dia 1 Máquina Fotográfica Canon Regulamento do Passatempo Fula- Sonae Ganhe por dia 1 Máquina Fotográfica Canon A Sovena Portugal - Consumer Goods, S.A., com sede na Rua General Ferreira Martins, 6 8º andar, Miraflores, 1495-137 Algés,

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC ACORDO INSTITUIÇÃO / VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC Acordo de Voluntariado

Leia mais

PROTOCOLO. Cooperação para a formação financeira de empreendedores, gestores e empresários das micros, pequenas e médias empresas

PROTOCOLO. Cooperação para a formação financeira de empreendedores, gestores e empresários das micros, pequenas e médias empresas PROTOCOLO Cooperação para a formação financeira de empreendedores, gestores e empresários das micros, pequenas e médias empresas Entre: IAPMEI Agência para a Competitividade e Inovação I.P., ora representado

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MUNICIPIO DE SETÚBAL E A CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DAS COLECTIVIDADES DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO Considerando: a) As atribuições da Câmara Municipal de Setúbal, conferida

Leia mais

Condição Especial. Responsabilidade Civil Profissional. Farmacêuticos

Condição Especial. Responsabilidade Civil Profissional. Farmacêuticos Condição Especial Responsabilidade Civil Profissional Farmacêuticos 1. Objectivo Esta Condição Especial destina-se a acompanhar e a clarificar as coberturas e funcionamento dos Certificados de Seguro emitidos

Leia mais

CONTRATO DE TRANSFERÊNCIA DA RESPONSABILIDADE PELA GESTÃO DE ÓLEOS USADOS PARA SISTEMA INTEGRADO, NOS TERMOS DO DECRETO-LEI N

CONTRATO DE TRANSFERÊNCIA DA RESPONSABILIDADE PELA GESTÃO DE ÓLEOS USADOS PARA SISTEMA INTEGRADO, NOS TERMOS DO DECRETO-LEI N (rubricar) CONTRATO DE TRANSFERÊNCIA DA RESPONSABILIDADE PELA GESTÃO DE ÓLEOS USADOS PARA SISTEMA INTEGRADO, NOS TERMOS DO DECRETO-LEI N.º 153/2003, DE 11 DE JULHO Entre: Por uma parte, Sogilub - Sociedade

Leia mais

AXA PORTUGAL AHETA EG SEGUROS

AXA PORTUGAL AHETA EG SEGUROS PROTOCOLO DE COMERCIALIZAÇÃO AXA PORTUGAL e AHETA e EG SEGUROS Entre AXA PORTUGAL, COMPANHIA DE SEGUROS, S.A., Pessoa Colectiva N.º 503.454.109, com sede na Rua Gonçalo Sampaio, 39, na cidade do Porto,

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS

APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO PRELIMINAR Entre a Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A., adiante designada por Tranquilidade e o Tomador de Seguro mencionado nas Condições Particulares

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE CONTENTOR MÓVEL

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE CONTENTOR MÓVEL 1/7 CONTRATO DE LOCAÇÃO DE CONTENTOR MÓVEL ENTRE: SWEDPORT INVEST S.A., com sede no Lugar de Fontainhas, nº 189, 2950-548 Quinta doanjo, como NIPC 508 430 313, capital social no montante de 450.000,00,

Leia mais

Protecção Vida Empresas

Protecção Vida Empresas C ONDIÇÕES G ERAIS E E SPECIAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO MISTO CONDIÇÕES GERAIS PROTECÇÃO VIDA EMPRESAS 2 Condições Gerais Artigo 1.º DEFINIÇÕES 1.1. Para efeitos do presente contrato de

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO "Programa de Apoio à Economia Local (PAEL)"

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) CONTRATO DE EMPRÉSTIMO "Programa de Apoio à Economia Local (PAEL)" ENTRE O ESTADO PORTUGUÊS, representado pela Senhora Díretora-Geral do Tesouro e Finanças, Elsa Roncon Santos, de acordo com o disposto

Leia mais

Não existe garantia de capital nem rendimento.

Não existe garantia de capital nem rendimento. 91-67 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Operação de Capitalização Série Nº 67 (I.C.A.E - Não normalizado) Data início de Comercialização: 07/05/2009 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE Prospecto Informativo TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE ICAE NÃO NORMALIZADO Os elementos constantes deste prospecto informativo reportam-se a 31 de Dezembro de 2009 (actualização dos ns.8, 9 e 10 da Parte III)

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO (Artigo 9.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro)

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO (Artigo 9.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro) PROGRAMA DE VOLUNTARIADO (Artigo 9.º da Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro) (Este modelo pretende ser apenas um instrumento auxiliar na elaboração do programa a que se refere o artigo 9.º da Lei n.º71/98,

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "CASA DE REPOUSO JARDIM DO ÉDEN" 1. Preâmbulo

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A CASA DE REPOUSO JARDIM DO ÉDEN 1. Preâmbulo PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "CASA DE REPOUSO JARDIM DO ÉDEN" 1. Preâmbulo A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos militares e aos trabalhadores do mapa de pessoal

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO CONTRATO DE ARRENDAMENTO Entre:, com o NUIT:,, natural de, de nacionalidade, residente na, nº, em, tular do B.I. nº, emitido em, aos de de e válido até de de, doravante designado por Locador, E, com o

Leia mais

Protecção Vida 55-85. Coberturas Base

Protecção Vida 55-85. Coberturas Base PROTECÇÃO VIDA Protecção Vida 55-85 Coberturas Base 1/10 T E M P O R Á R I O A N U A L R EN O V Á V E L Ramo Vida - Grupo C O N D I Ç Õ E S G E R A I S 2/10 Artigo 1º - DEFINIÇÕES Artigo 2º - DISPOSIÇÕES

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS 1/5 Cláusula 1.ª Objecto contratual Cláusula 2.ª Serviços incluídos na prestação de

Leia mais

PASSO 1 a) Para participar na Campanha, os clientes OK! teleseguros devem registar-se no sítio www.okamigos.pt indicando o seu número de apólice.

PASSO 1 a) Para participar na Campanha, os clientes OK! teleseguros devem registar-se no sítio www.okamigos.pt indicando o seu número de apólice. REGULAMENTO OK! amigos 1. Introdução A Campanha OK! amigos, doravante Campanha, premeia os Clientes que recomendam amigos para se tornarem clientes da OK! teleseguros, bem como os amigos que adiram por

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre, PRIMEIRA: AJEM ASSOCIAÇÃO DE JOVENS EMPRESÁRIOS MADEIRENSES, pessoa coletiva número 511 043 686, com sede na Rua da Nazaré n.º 2, 9000 Funchal, aqui representada pelo seu

Leia mais

Entre: rua dos Bombeiros Voluntários 5370-206 Mirandela. Largo do Município 5379-288 Mirandela. Em conjunto designadas por Partes,

Entre: rua dos Bombeiros Voluntários 5370-206 Mirandela. Largo do Município 5379-288 Mirandela. Em conjunto designadas por Partes, PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO COM VISTA AO MELHORAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO COM VISTA AO MELHORAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS Entre: DELEGAÇÃO

Leia mais

SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA

SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA O seguro que paga a conta do seu cartão emitido pela Unicre nos momentos em que mais precisa, com todo o conforto e segurança. Quando se pergunta porquê ter um plano

Leia mais

Protocolo de colaboração entre a ANESPO Associação Nacional do Ensino Profissional e a DBG Gabinete de Aplicações Informáticas, Lda

Protocolo de colaboração entre a ANESPO Associação Nacional do Ensino Profissional e a DBG Gabinete de Aplicações Informáticas, Lda Protocolo de colaboração entre a ANESPO Associação Nacional do Ensino Profissional e a DBG Gabinete de Aplicações Informáticas, Lda Entre: ANESPO Associação Nacional do Ensino Profissional, com sede na

Leia mais

Quais as principais diferenças entre um seguro de vida individual e um seguro de vida de grupo?

Quais as principais diferenças entre um seguro de vida individual e um seguro de vida de grupo? SEGURO VIDA Que tipo de seguros são explorados no ramo vida? A actividade do ramo Vida consiste na exploração dos seguintes seguros e operações: Seguro de Vida, Seguro de Nupcialidade /Natalidade, Seguro

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "VILA GALÉ- SOCIEDADE DE EMPREENDIMENTOS TURíSTICOS, S.A. 1. Preâmbulo

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A VILA GALÉ- SOCIEDADE DE EMPREENDIMENTOS TURíSTICOS, S.A. 1. Preâmbulo G~ Vila Galé HOTÉIS PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "VILA GALÉ- SOCIEDADE DE EMPREENDIMENTOS TURíSTICOS, S.A." 1. Preâmbulo A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre: Município da Nazaré, pessoa colectiva nº 507 012 100, com sede na Avenida Vieira Guimarães, n.º 54, Nazaré, através do seu órgão executivo, Câmara Municipal da Nazaré, representado

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE PUBLICIDADE DA PORTUGAL SCOUT

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE PUBLICIDADE DA PORTUGAL SCOUT CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE PUBLICIDADE DA PORTUGAL SCOUT REBELOPPORTUNITY-SERVIÇOS DE PUBLICIDADE,LDA, pessoa coletiva nº 513 173 374, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Tavira sob

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio.

CONDIÇÕES GERAIS. Tomador do seguro A entidade que celebra o contrato de seguro com a VICTORIA e que assume a obrigação de pagamento do prémio. CONDIÇÕES GERAIS 1 Definições Para efeitos deste Contrato, entende-se por: 1.1 Partes envolvidas no contrato Empresa de seguros VICTORIA - Seguros de Vida, S.A., entidade que emite a apólice e que, mediante

Leia mais

Contrato de Aquisição de Conhecimentos. Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular

Contrato de Aquisição de Conhecimentos. Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular Contrato de Aquisição de Conhecimentos Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular Aveiro, 29 de Abril de 2010 Entre: Brisa Inovação e Tecnologia, S.A., com sede na Quinta

Leia mais

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn)

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn) proposta de adesão ao facturação repartida (vpn) postal - Entre a TMN - Telecomunicações Móveis, S.A., e o cliente vigora um acordo de prestação de telefónico móvel, a que corresponde o cartão do plano

Leia mais

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt Ocidental Companhia Portuguesa de Seguros de Vida, SA. Sede: Avenida Dr. Mário Soares (Tagus Park), Edifício 10, Piso 1, 2744-002 Porto Salvo. Pessoa coletiva n.º 501 836 926, matriculada sob esse número

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Identificação dos Serviços Objecto de Concurso

CADERNO DE ENCARGOS. Identificação dos Serviços Objecto de Concurso CADERNO DE ENCARGOS Objecto O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato a celebrar na sequência do procedimento pré-contratual que tem por objecto principal a selecção

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO DE RAPTO E RESGATE

PROPOSTA DE SEGURO DE RAPTO E RESGATE PROPOSTA DE SEGURO DE RAPTO E RESGATE INTERNATIONAL COMMERCIAL AND ENGINEERING ICE SEGUROS S.A. 141A Rua José Craveirinha Bairro de Polana Cidade de Maputo Moçambique INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO Preencher

Leia mais

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 Entre a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, Pessoa Colectiva nº 500948470, com sede em Lisboa, na Rua Dr. António Cândido, nº 8, 2º andar,

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE. Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma

CONTRATO DE SOCIEDADE. Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma CONTRATO DE SOCIEDADE de Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO Tipo e Firma A sociedade é constituída segundo o tipo de sociedade anónima e adopta a firma Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO

Leia mais

Programa de Voluntariado

Programa de Voluntariado Programa de Voluntariado Considerando que a AIDGLOBAL é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), sem fins lucrativos, com sede em Loures, que promove Acções nos domínios da Integração

Leia mais

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, aprovou um vasto conjunto de medidas de simplificação da vida dos cidadãos e das empresas. Destas, destacam-se a

Leia mais

Associação Portuguesa para a Qualidade, adiante designada por APQ com sede no Pólo

Associação Portuguesa para a Qualidade, adiante designada por APQ com sede no Pólo UVl ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA A UALlOAOE I r ACORDO ENTRE A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA A UALIDADE E A SERVILUSA, AGÊNCIAS FUNERÁRIAS, SA. PARA PRESTAÇÃO DE SERViÇOS A ASSOCIADOS NA ÁREA DA PROTECÇÃO SOCIAL.

Leia mais

Condições Gerais EUROVIDA PROTECÇÃO. Artigo Preliminar

Condições Gerais EUROVIDA PROTECÇÃO. Artigo Preliminar Artigo Preliminar Entre a EUROVIDA, Companhia de Seguros S.A. e o Tomador de Seguro identificado nas Condições Particulares celebra-se o presente contrato de seguro individual que se regula pelas presentes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS

ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS Estatutos aprovados em Acta de fundação em 4 de Janeiro de 2012 Alterações estatutárias aprovadas em 28 de Fevereiro de 2012 Publicados e disponíveis no site publicacoes.mj.pt

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual A. Elementos de Identificação 1. Identificação da instituição de crédito Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral Informação pré-contratual

Leia mais

Condições Gerais. Cláusula Preliminar. Cláusula 1ª - Definições. Página 2.9

Condições Gerais. Cláusula Preliminar. Cláusula 1ª - Definições. Página 2.9 Condições Gerais... 2 Cláusula Preliminar... 2 Cláusula 1ª - Definições... 2 Cláusula 2ª Regime e Lei Aplicável... 3 Cláusula 3ª Objecto do Contrato... 3 Cláusula 4ª Início e Duração do Contrato... 3 Cláusula

Leia mais

PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado

PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado entre o Ministério da Cultura (MC) e a Radiotelevisão

Leia mais

FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA

FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA AGÊNCIA Nº DE CLIENTE/CONTA DENOMINAÇÃO SOCIAL CONDIÇÕES DE MOVIMENTAÇÃO Individual: Solidária: Conjunta: Mista: ENTIDADE TIPO DOC IDENTIFICAÇÃO Nº DOC IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar.

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar. CONTRATO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES 1ª CONTRATANTE FILIPA JUNQUEIRA ARQUITECTA, LDA., sociedade por quotascom sede na Rua do Centro Cultural, nº 10, 1º andar, freguesia de S. João de Brito,

Leia mais

Deliberação 20141108.11 Aprovação do protocolo com a AMA

Deliberação 20141108.11 Aprovação do protocolo com a AMA Deliberação pública Deliberação 20141108.11 Aprovação do protocolo com a AMA Considerando que: a) Constituem, entre outras, atribuições da Câmara dos Solicitadores colaborar na administração da justiça,

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO. entre UNIVERSIDADE DO MINHO ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DO MINHO BANCO ESPÍRITO SANTO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO. entre UNIVERSIDADE DO MINHO ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DO MINHO BANCO ESPÍRITO SANTO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO entre UNIVERSIDADE DO MINHO e ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DO MINHO e BANCO ESPÍRITO SANTO O presente Protocolo insere-se no desenvolvimento das relações do Banco Espírito

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE Entre: 1º BANCO SANTANDER TOTTA, S.A., com sede na Rua Áurea, nº 88, 1100-063 Lisboa e com o Capital Social de 656.723.284,00,

Leia mais

Condições de Gerais de Utilização

Condições de Gerais de Utilização Condições de Gerais de Utilização O presente contrato estabelece condições de relacionamento comercial acordadas entre Marinartes - Artes Decorativas Online, doravante designado por Marinartes e por pessoas

Leia mais