3B SCIENTIFIC PHYSICS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3B SCIENTIFIC PHYSICS"

Transcrição

1 3B SCIENTIFIC PHYSICS Conjunto para microondas 9,4 GHz (230 V, 50/60 Hz) Conjunto para microondas 10,5 GHz (115 V, 50/60 Hz) (115 V, 50/60 Hz) (230 V, 50/60 Hz) Instruções de operação 10/15 ERL/ALF Aparelho operacional 1 Conexão receptor 2 Saída do amplificador 3 Saída do amplificador (massa) 4 Conexão para emissor 5 Entrada de modulação (Massa) 6 Entrada de modulação 7 Comutador seletor para modulação (intern/off/extern [interno, desligado, externo]), 8 Comutador para alto-falante interno 9 Regulador para amplificação de sinal do receptor 10 Tomada para fonte de alimentação de 12 V AC (parte traseira da armação) Acessórios 11 Emissor com antena cônica 12 Placa de montagem para prisma 13 Prisma de parafina 14 Placa do refletor 15 Placa de tampa para fenda dupla 16 Placa com fenda dupla 17 Placa de absorção 18 Grade de polarização 19 Receptor com antena cônica 20 Banco de microondas 21 Sonda de microondas 22 Banco articulado de microondas com suporte para placas 1

2 1. Indicações de segurança Campos de AF podem penetrar o tecido biológico e aquecê-lo. O emissor de microondas incluído no fornecimento é de um desempenho tão reduzido que não há perigo em caso de operação apropriada do aparelho. Em caso de utilização adequada do aparelho, a operação segura do mesmo está garantida. A segurança não está garantida caso ocorra uma utilização indevida ou que a operação não seja cuidadosa. Antes de iniciar a operação, deve-se verificar a integridade da armação e das conexões à rede elétrica. Caso não se possa mais garantir uma operação segura do aparelho, (por exemplo, em caso de danos visíveis), deve-se retirar imediatamente o aparelho de circulação. A conexão do emissor só é permitida com um aparelho operacional 3B-ELWE. Em escolas e institutos de formação, a operação do aparelho deve ser monitorada por pessoal instruído para tal. Deve-se evitar olhar diretamente para o cone da antena do emissor assim como para o feixe de raios refletidos. Só permitir a abertura do aparelho por um técnico especializado. 2. Descrição Com o conjunto de aparelhos podem ser produzidas e recebidas microondas. Com os componentes e aparelhos recebidos é possível a realização de numerosas experiências, que permitem resultados tanto qualitativos quanto quantitativos. O feixe de ondas eletromagnéticas fortemente convergidas e limitadas com precisão, emitido pelo emissor na faixa dos cm pode ser recebido por uma antena cônica (19) ou uma sonda (21). A modulação do sinal do receptor pode ser feito audível através do alto-falante interno, no qual a intensidade do sinal acústico aumenta ou diminui com a potência do sinal recebido. O aparelho de microondas é alimentado sobre uma fonte de alimentação de. O aparelho de microondas 10,5 GHz ( ) está equipado para trabalhar com uma tensão de rede de 115 V (±10 %) e o aparelho de microondas 9,4 GHz ( ) para 230 V (±10 %). 3. Fornecimento 1 aparelho operacional 1 emissor com antena cônica 1 receptor com antena cônica 1 sonda de microondas 1 banco de microondas, 800 mm 1 banco articulado de microondas, 400 mm com suporte para placas 1 Placa do refletor 180 x 180 mm² 1 grade de polarização, 180 x 180 mm² 1 placa de absorção de tecido de fibras, 180 x 180 mm² 1 prisma de parafina 1 Placa de montagem para prisma 1 placa com fenda dupla 1 placa de tampa para fenda dupla 1 manual de instruções 4. Dados técnicos Emissor com antena cônica: Freqüência do oscilador: 9,5 GHz ( ) 10,5 GHz ( ) Potência de emissão: 10 mw - 25 mw Tipo de modulação: AM Sinal de modulação: através do comutador seletor Interno /desligado /externo Modulação interna: aprox. 3kHz aprox. 80% AM Modulação externa: 100 Hz bis 20 khz máx. 1 V Sinal acústico: interno (variável) Tensão de saída: máx. 10 V Receptor com antena cônica: díodo de silício com ressonador Sonda de microonda: díodo de silício com ressonador Tensão de alimentação: 12 V AC através de Fonte de alimentação Dimensões do aparelho operacional: 170 x 200 x 75 mm³ 5. Utilização 5.1 Montagem do sistema de trilhos (ajuste básico) Inserir o parafuso central debaixo do disco de escala angular na perfuração do trilho longo. A posição de partida é com o sistema de trilhos estirado (a seta no trilho longo indica para o 0 da escala angular). Colocar o pé articulado no ponto zero da escala empurrando a ponta do indicador. A ponta do indicador aponta em direção ao prumo do suporte de placas e permite assim a leitura direta ou o ajuste do ângulo de incidência (leitura da escala de cifras exterior). 2

3 5.2 Montagem do sistema Conectar com a rede. Conectar o receptor com a antena cônica ou com a sonda de receptor no conector para o receptor (1). Conectar o emissor com a antena cônica no conector para o emissor (4). Colocar o volume de som com o regulador para a potência de sinal (9) sobre a posição do médio. Ligar o alto-falante com o comutador (8). Ligar o modulador com o comutador (7) em INT. O sinal de microondas refletido será modulado em forma de retângulo, a freqüência de modulação pode ser feita audível através do alto-falante embutido. Nas tomadas (2) e (3) o sinal amplificado do receptor pode ser captado como tensão contínua (após desligada a modulação), como tensão de retângulo (com modulação interna) ou como sinal NF (através de modulação externa). A modulação é desativada com o posicionamento médio do comutador (7). No par de tomadas (3)(4) encontra-se uma tensão contínua proporcional ao prumo e da amplificação, que pode ser exibida, por exemplo, através de um instrumento indicador (p. e. Multímetro analógico AM Se for selecionado o posicionamento EXT com o comutador (7), podem-se reproduzir sinais NF (por exemplo, de um reprodutor MP3) acoplado sobre as tomadas (5) e (6) e o alto-falante do aparelho base. (necessário adaptador P2 sobre tomada de 4-mm). A transmissão de informações resulta com isto através do sinal de microondas entre o emissor e o receptor. 6. Exemplos de experiências 6.1 Propagação retilínea das microondas Colocar o emissor (9) e o receptor (17) um em frente do outro. Mover o receptor fora do trilho perpendicularmente a esta. A recepção é máxima quando as aberturas estão diretamente frente a frente. Conclusão: as microondas se propagam de forma retilínea (em meio homogêneo e também no vácuo). 6.2 Poder de penetração Fixar a placa de absorção (15) (isolante elétrico) no suporte de placa entre o emissor e o receptor. Ajustar a amplificação (7) na faixa média. Conclusão: as microondas atravessam isolantes, devido que o sinal de recepção é comprobatório. 3

4 6.3 Reflexão e absorção Fixar a placa do refletor (12) entre o emissor e o receptor (condutor elétrico). Ajustar a amplificação num nível baixo. Conclusão: condutores elétricos refletem as microondas (Placa de metal), devido que nenhum sinal de recepção é comprobatório. Engatar a placa de absorção com os dois lados umedecidos. Conclusão: em caso de penetração de materiais de pouca condutibilidade, as microondas são reduzidas, ou seja, parcialmente absorvidas. 6.4 Reflexão Efetuar ajustes básicos (5.1). Ajustar a placa do refletor em ângulo de aprox. 30, 40, 50, 60 por meio do trilho indicador; O indicador indica em direção do prumo de incidência. Alterar o ângulo do trilho longo até atingir a recepção máxima. Efetuar a medição do ângulo afastando do prumo (seta). Conclusão: as microondas são refletidas por condutores elétricos. A lei da reflexão é comprovada. 6.5 Ondas paradas, determinação do comprimento de onda Colocar o emissor e placa do refletor frente a frente, aprox. 50 cm distantes um do outro (Ângulo de incidência 0 ). A onda emitida e a refletida se sobrepõem em uma onda parada. Com a sonda de microondas (21) (A marcação da ponta da sonda indica para cima) determinar a distancia a de duas mínimas vizinhas (nó) ou máximas (barrigas) (corresponde a meio cumprimento de onda). Averiguar a freqüência f = c/ do comprimento de ondas. Resultado: a = 2 1,6 cm, f 9,4 GHz 4

5 6.6 Difração Efetuar os ajustes básicos (5.1). Inserir a placa de montagem para o prisma (10) no lado afastado da seta. Colocar o prisma (11) sobre a placa de montagem e alinhar. Girar axialmente o trilho longo até atingir a recepção máxima. Conclusão: as microondas atravessam a parafina. Na passagem da onda do ar ambiente para a parafina e da parafina para o ar ambiente a sua velocidade de propagação se altera e assim também a sua direção de propagação (difração). 6.7 Principio de Huygens Colocar o emissor (11) aprox. 20 cm distante do suporte de placa e o receptor (19) numa distância de aprox. 80 cm do suporte de placa sobre o trilho. Por meio do trilho sobre a órbita mover o emissor tanto para fora do feixe de ondas até o sinal esteja nitidamente enfraquecido. Inserir a fenda única no suporte de placas e fixar levemente (alinhar o centro da fenda centralmente sobre o suporte de placa). Conclusão: a microonda é difratada na fenda, e é outra vez comprovável como onda elementar após da fenda (aumento audível do volume de som do sinal de modulação). 6.8 Refração Atrelar a placa de cobertura (13) no suporte de placa do banco articulado. Alinhar o emissor aprox. 20 cm diante d placa de metal. Mover a sonda (19) horizontalmente por detrás da placa. Conclusão: A sonda se encontra na área de recepção resguardada. A difração permite a comprovação do sinal de recepção na área resguardada. 5

6 6.9 Interferência Atrelar a placa com diafragma duplo (14) no suporte de placa centralmente no banco articulado. Posicionar o emissor aprox. 12 cm diante da placa. Mover a sonda do receptor numa distancia aprox. 6 cm por detrás do diafragma duplo paralelamente a este. Conclusão: sendo que o número de máximas atingidas supera o número de fendas, a interferência está demonstrada Polarização Fixar a grade de polarização (16) no suporte de placa. Verificar a possibilidade de recepção em posição horizontal da grade de polarização. Verificar a possibilidade de recepção em posição vertical da grade de polarização. Conclusão: sendo que já foi comprovada uma recepção e ao girar 90 nenhum sinal atinge o receptor, então fica demonstrado que a antena cônica produz um campo alternado, que só oscila numa direção, que está portanto polarizado. Com a experiência é proporcionada a demonstração da existência de uma onda transversal. Caso o emissor e o receptor sejam posicionados frente a frente horizontal e verticalmente, então a recepção é possível. Caso a grade de polarização seja levada para o percurso do feixe e a superfície apresentada seja girada em 45, então recebe-se um enfraquecido sinal. O plano de polarização é girado. 3B Scientific GmbH Rudorffweg Hamburg Deutschland Technische Änderungen vorbehalten Copyright B Scientific GmbH

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio Transmissão das Ondas Eletromagnéticas Prof. Luiz Claudio Transmissão/Recebimento das ondas As antenas são dispositivos destinados a transmitir ou receber ondas de rádio. Quando ligadas a um transmissor

Leia mais

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes

DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS. Descrição de componentes DH 406A SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS Descrição de componentes 2 1 INTRODUÇÃO O sistema de treinamento em microondas DH-0406A foi desenvolvido para permitir explorar experimentalmente alguns conceitos

Leia mais

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro 1 INTRODUÇÃO A interferência sonora consiste em um recebimento de duas ou mais ondas de fontes diferentes. Neste caso, teremos uma região do espaço na

Leia mais

PRÉ-VESTIBULAR Física

PRÉ-VESTIBULAR Física PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: Exercícios Fenômenos Lista de sites com animações (Java, em sua maioria) que auxiliam a visualização de alguns fenômenos: Reflexão e refração:

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Kit de ótica laser de demonstração U17300 e kit complementar Manual de instruções 1/05 ALF Índice de conteúdo Página Exp - N Experiência Kit de aparelhos 1 Introdução 2 Fornecimento

Leia mais

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem Lista de exercícios -Fenômenos Física Dudu 1-Pedro está trabalhando na base de um barranco e pede uma ferramenta a Paulo, que está na parte de cima (ver figura). Além do barranco, não existe, nas proximidades,

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

Física IV. Interferência

Física IV. Interferência Física IV Interferência Sears capítulo 35 Prof. Nelson Luiz Reyes Marques Interferência Arco-íris = Bolha de sabão refração interferência Princípio da superposição Quando duas ou mais ondas se superpõem,

Leia mais

Camada Física. Bruno Silvério Costa

Camada Física. Bruno Silvério Costa Camada Física Bruno Silvério Costa Sinais Limitados por Largura de Banda (a) Um sinal digital e suas principais frequências de harmônicas. (b) (c) Sucessivas aproximações do sinal original. Sinais Limitados

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Osciloscópio didático U8481350 Instruções para o uso 01/08 CW/ALF Entradas: 1 Tensão anódica 2 Tensão catódica 3 Tensão de Wehnelt 4 Tensão de aquecimento (0) 5 Tensão de aquecimento

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA x = Como pode cair no enem (ENEM) Os radares comuns transmitem micro-ondas que refletem na água, gelo e outras partículas na atmosfera. Podem, assim,

Leia mais

MECÂNICA ONDULATÓRIA - IGL

MECÂNICA ONDULATÓRIA - IGL 1. (Enem 2011) Ao diminuir o tamanho de um orifício atravessado por um feixe de luz, passa menos luz por intervalo de tempo, e próximo da situação de completo fechamento do orifício, verifica-se que a

Leia mais

ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO

ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO 1 Introdução O osciloscópio é basicamente um dispositivo de visualização gráfico que mostra sinais elétricos no tempo. O osciloscópio pode ser

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DISCIPLINA: FÍSICA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» 1 mais intensa que F» 2

são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» 1 mais intensa que F» 2 Física Unidade Movimentos na Terra e no spaço QUSTÕS PROPOSTS 4. Duas forças F» e F» 2 são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» mais intensa que F» 2. s forças podem atuar na mesma direção

Leia mais

Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP

Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP 1 Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP Alguns experimentos de óptica básica Este item é composto por um conjunto de peças avulsas que permitem

Leia mais

Laboratório de Estrutura da Matéria I

Laboratório de Estrutura da Matéria I Laboratório de Estrutura da Matéria I Interferência e difração com microondas PRINCÍPIO E OBJETIVOS Fenômenos óticos de interferência e difração são investigados com uso de feixes de microondas e objetos

Leia mais

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Porque é importante comunicar? - Desde o «início dos tempos» que o progresso e o bem estar das sociedades depende da sua capacidade de comunicar e aceder

Leia mais

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada 9V RMS Tweeter CH Crossover /octave 2K, 4K, 6K, 8K Mid CH Crossover /octave Low: 0, 0, 0Hz em Flat High:,, 1,Hz Mid Bass Crossover /octave

Leia mais

EXTERNATO MATER DOMUS. RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825

EXTERNATO MATER DOMUS. RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 EXTERNATO MATER DOMUS RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 MATÉRIA: FÍSICA PROFESSORA: RENATA LEITE QUARTIERI ALUNO: Nº Série: 3º TURMA: Única DATA: / /2015 ASSINATURA DO PAI/RESP.

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER)

RESOLUÇÃO DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER) DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER) 01)Um veículo está se movendo ao longo de uma estrada plana e retilínea. Sua velocidade em função do tempo, para um trecho do percurso, foi registrada e

Leia mais

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização Polarização: Propriedade das ondas transversais Ondas em uma corda Oscilação no plano vertical. Oscilação no plano horizontal. Onda

Leia mais

Antena Escrito por André

Antena Escrito por André Antena Escrito por André Antenas A antena é um dispositivo passivo que emite ou recebe energia eletromagnéticas irradiada. Em comunicações radioelétricas é um dispositivo fundamental. Alcance de uma Antena

Leia mais

MANUAL DE ACTIVIDADES EXPERIMENTAIS DO SISTEMA BÁSICO DE ÓPTICA MODELO WA-9314B

MANUAL DE ACTIVIDADES EXPERIMENTAIS DO SISTEMA BÁSICO DE ÓPTICA MODELO WA-9314B MANUAL DE ACTIVIDADES EXPERIMENTAIS DO SISTEMA BÁSICO DE ÓPTICA MODELO WA-9314B J. ROMA, Lda. INTRODUÇÃO Existem muitas vantagens no estudo de fenómenos ópticos na frequência das microondas. Usando um

Leia mais

Realizando o ensaio de ultra-som

Realizando o ensaio de ultra-som Realizando o ensaio de ultra-som A UU L AL A Na aula anterior, você ficou sabendo que o ultra-som é uma onda mecânica que se propaga de uma fonte emissora até uma fonte receptora, através de um meio físico.

Leia mais

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 E s c o l a S e c u n d á r i a d e A l c á c e r d o S a l Ano letivo 201 2/2013 Física e Química A Bloco II (11ºano) Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 1. Suponha que um balão de observação está em

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA

ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA, CAMPUS DE JI-PARANÁ, DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DE JI-PARANÁ DEFIJI 1 SEMESTRE 2013-2 ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA Prof. Robinson

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

SENSOR INFRAVERMELHO ATIVO DUPLO FEIXE

SENSOR INFRAVERMELHO ATIVO DUPLO FEIXE SENSOR INFRAVERMELHO ATIVO DUPLO FEIXE duoiva-3010 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO Esta página foi intencionalmente deixada em branco. INTRODUÇÃO

Leia mais

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD )tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD Óptica Geométrica ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD Exercício 1: Um feixe de luz cujo comprimento de onda é 650 nm propaga-se no vazio. a) Qual é a velocidade da luz desse feixe ao propagar-se num

Leia mais

Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido

Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido 1 INTRODUÇÃO As ondas podem sofrer o efeito de diversos fenômenos, dentre eles estão a difração e a interferência. A difração

Leia mais

Amplificador Analógico Tipo VT 3015

Amplificador Analógico Tipo VT 3015 RP 29 892/05.02 Substitui: 29 893 Amplificador Analógico Tipo VT 305 Série X Índice Conteúdo Características Dados para pedido Página Diagrama de funcionamento, ajustes 2 Dados técnicos Diagrama de blocos

Leia mais

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra Cabeamento Óptico Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Vantagens de utilização Total imunidade às interferências eletromagnéticas; Dimensões reduzidas; Maior segurança no tráfego

Leia mais

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Atenção: Antes de operar o equipamento, leia o manual do usuário, qualquer dano causado decorrente de utilização errônea do mesmo implicará na perda imediata

Leia mais

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão Comunicação de Dados Aula 9 Meios de Transmissão Sumário Meios de Transmissão Transmissão guiada Cabo par trançado Coaxial Fibra ótica Transmissão sem fio Ondas de rádio Micro ondas Infravermelho Exercícios

Leia mais

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE SOM 2.0 CANAIS HI-FI ÍNDICE Prefacio...2 Conteúdo da Embalagem...2 Informações de segurança...3 Funções do Painel Frontal...4 Funções Painel Traseiro...4 Conexões do

Leia mais

Física IV. Difração. Sears capítulo 36. Prof. Nelson Luiz Reyes Marques. Capítulo 36 Difração

Física IV. Difração. Sears capítulo 36. Prof. Nelson Luiz Reyes Marques. Capítulo 36 Difração Física IV Difração Sears capítulo 36 Prof. Nelson Luiz Reyes Marques Difração e a Teoria Ondulatória da Luz Difração e a Teoria Ondulatória da Luz A difração é um fenômeno essencialmente ondulatório, ou

Leia mais

Primeira lista de física para o segundo ano 1)

Primeira lista de física para o segundo ano 1) Primeira lista de física para o segundo ano 1) Dois espelhos planos verticais formam um ângulo de 120º, conforme a figura. Um observador está no ponto A. Quantas imagens de si mesmo ele verá? a) 4 b) 2

Leia mais

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação LENTES E ESPELHOS INTRODUÇÃO A luz é uma onda eletromagnética e interage com a matéria por meio de seus campos elétrico e magnético. Nessa interação, podem ocorrer alterações na velocidade, na direção

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Transmissão sem Fio Pessoas cada vez mais dependente das redes; Alguns especialistas afirmam

Leia mais

CX-DAB1. DAB antenna unit INSTALLATION MANUAL. Antenne DAB. Bluetooth-Antennengerät. DAB-antenne. Unità antenna DAB. Unidad de antena DAB

CX-DAB1. DAB antenna unit INSTALLATION MANUAL. Antenne DAB. Bluetooth-Antennengerät. DAB-antenne. Unità antenna DAB. Unidad de antena DAB CX-DAB1 DAB antenna unit INSTALLATION MANUAL Antenne DAB MANUEL D INSTALLATION Bluetooth-Antennengerät INSTALLATION-HANDBUCH DAB-antenne INSTALLATIEHANDLEIDING Unità antenna DAB MANUALE PER L INSTALLAZIONE

Leia mais

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência ISCTE Ano Lectivo 2005/2006 Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática Física Frequência / 2º Teste Duração: Frequência 3h, Teste 1h 30min. Não é permitido o uso de telemóveis durante

Leia mais

Laboratório Virtual Kit Óptico

Laboratório Virtual Kit Óptico Laboratório Virtual Kit Óptico Reflexão A luz nem sempre se propaga indefinidamente em linha reta: em algumas situações eles podem se quebrar, como acontece quando um espelho é colocado em seu caminho.

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950 SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: DESCRIÇÃO O sistema de treinamento em comunicação apresenta experimentos planejados para desenvolver comunicações eletrônicas fundamentais. O é

Leia mais

Colégio Jesus Adolescente

Colégio Jesus Adolescente olégio Jesus dolescente Ensino Médio 2º imestre Disciplina Física Setor Turma 1º NO Professor Gnomo Lista de Exercício Mensal ulas 1 à 15 1) Um raio de luz monocromático se propaga no com velocidade 200.000

Leia mais

Existe uma serie de nomenclatura e parâmetros que caracterizam e diferenciam as ondas eletromagnéticas.

Existe uma serie de nomenclatura e parâmetros que caracterizam e diferenciam as ondas eletromagnéticas. Teoria básica das ondas eletromagnéticas Geração de ondas eletromagnéticas Um condutor elétrico que esteja sobre a influência dum campo magnético variável gera uma corrente elétrica. Esta corrente elétrica

Leia mais

ZJ20U93 Montagem e Operacional

ZJ20U93 Montagem e Operacional www.zoje.com.br ZJ20U93 Montagem e Operacional ÍNDICE 1. Aplicação...2 2. Operação segura...2 3. Cuidados antes da operação...2 4. Lubrificação...2 5. Seleção da agulha e do fio...3 6. A Inserção da agulha...3

Leia mais

5 - especificação TÉCNiCA

5 - especificação TÉCNiCA 5 - especificação TÉCNiCA ESPECIFICAÇÕES DO REPETIDOR RP-860 Frequência UL DL 824-849 MHz 869-894 MHz Especificações elétricas Potência de saída (dbm) DL: 10dBm, 15dBm, 17dBm UL: 10dBm Ganho máximo (db)

Leia mais

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br) Sensores

Leia mais

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1

RECEPTOR AM DSB. Transmissor. Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 RECEPTOR AM DSB Transmissor Circuito Receptor AM DSB - Profº Vitorino 1 O receptor super-heteródino O circuito demodulador que vimos anteriormente é apenas parte de um circuito mais sofisticado capaz de

Leia mais

EXTERNATO MATER DOMUS

EXTERNATO MATER DOMUS EXTERNATO MATER DOMUS RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 MATÉRIA: FÍSICA PROFESSORA: RENATA LEITE QUARTIERI ALUNO: Nº Série: 3º TURMA: Única DATA: 02 /03/2015 ASSINATURA DO

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A L 0 H mola apoio sem atrito B A figura acima mostra um sistema composto por uma parede vertical

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

Seleção de Produtos. Sensor Fotoelétrico. Como especificar. TECNI-AR Ltda - Tel: 31 3362-2400 w.tecni-ar.com.br

Seleção de Produtos. Sensor Fotoelétrico. Como especificar. TECNI-AR Ltda - Tel: 31 3362-2400 w.tecni-ar.com.br Seleção de Produtos Sensor Fotoelétrico Como especificar Saída coletor PNP aberto Saída coletor NPN aberto Temporizador embutido Tipo padrão Tipo relflexivo (Tipo Difuso) Tipo feixe estreito Emissor Receptor

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA É a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com a luz e sua interação com meios materiais quando as dimensões destes meios é muito maior que o

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ ANEXO I RELAÇÃO DO MATERIAL PARA REVITALIZAÇÃO DOS LABORATORIOS DE CIENCIAS em favor da EEEP JOAQUIM NOGUEIRA, NE: 15.134, Valor Limite: R$5.580,88 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS DOS MATERIAIS ITEM DESCRITIVO

Leia mais

Tópicos de Física Moderna ano 2005/2006

Tópicos de Física Moderna ano 2005/2006 Trabalho Prático Nº 3 ESTUDO DA DIFRAÇÃO Tópicos de Física Moderna ano 005/006 Objectivos: Familiarização com os fenómenos de interferência e difracção da luz, com utilização de uma rede de difracção para

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas Instituto de Física Gleb Wataghin. Medida do comprimento de onda das ondas de rádio

Universidade Estadual de Campinas Instituto de Física Gleb Wataghin. Medida do comprimento de onda das ondas de rádio Universidade Estadual de Campinas Instituto de Física Gleb Wataghin Medida do comprimento de onda das ondas de rádio Aluna: Laura Rigolo Orientador: Prof. Dr. Pedro C. de Holanda Coordenador Prof. Dr.

Leia mais

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( )

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( ) Aula Óptica Luz visível A luz que percebemos tem como característica sua freqüência que vai da faixa de 4.10 14 Hz ( vermelho) até 8.10 14 Hz (violeta). Esta faixa é a de maior emissão do Sol, por isso

Leia mais

Óptica Geométrica 3. Questões do ENEM 7. Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15. Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23

Óptica Geométrica 3. Questões do ENEM 7. Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15. Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23 1 3º Unidade Capítulo IX Óptica Geométrica 3 Questões do ENEM 7 Capítulo X Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15 Capítulo XI Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23 Capítulo XII Ondas 26 Questões do

Leia mais

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Estudo de micro-ondas I Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431

Leia mais

Física Experimental - Ondulatória - Conjunto para ondulatória em meios mecânicos - EQ066A.

Física Experimental - Ondulatória - Conjunto para ondulatória em meios mecânicos - EQ066A. Índice Remissivo... 4 Abertura... 6 Guarantee / Garantia... 7 Certificado de Garantia Internacional... 7 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

Física experimental - Ondulatória - Conjunto para ondas mecânicas II, adaptador para osciloscópio com sensor e software - EQ181F.

Física experimental - Ondulatória - Conjunto para ondas mecânicas II, adaptador para osciloscópio com sensor e software - EQ181F. Índice Remissivo... 5 Abertura... 7 Guarantee / Garantia... 8 Certificado de Garantia Internacional... 8 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Fig. 1: Arranjo do experimento P2510502 O que você vai necessitar: Fotocélula sem caixa 06779.00 1 Rede de difração, 600 linhas/mm 08546.00 1 Filtro

Leia mais

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA 1 INTRODUÇÃO As Furadeiras de Base Magnética Merax caracterizam-se por serem robustas, porém leves e de fácil transporte. Utilizam qualquer tipo de broca, preferencialmente as brocas anulares. Trabalham

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

Material Extra de Física

Material Extra de Física Material Extra de Física ONDAS 01. (F. M. Triângulo Mineiro MG) ENTÃO MAFALDA, O QUE ESTÁ ACHANDO DO MAR? ATÉ AGORA, UM INDECISO f (10 14 m) λ (10-7 m) 6,7 Violeta Azul 4,8 5,6 Verde x Amarelo 5,8 5,0

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM Os sistemas de cabeamento estruturado foram desenvolvidos

Leia mais

Instrução de Montagem e de Regulagem

Instrução de Montagem e de Regulagem Instrução de Montagem e de Regulagem A ser guardada pelo usuário! Indicadores de posição da nova geração ÍNDICE DO CONTEÚDO Legenda 3 Indicações de Segurança 4 SWITCHmaster -Montagem e Regulagem dos Cames

Leia mais

SENSORES INDUSTRIAIS. Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01

SENSORES INDUSTRIAIS. Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01 SENSORES INDUSTRIAIS Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01 Tópicos 1. Chaves fim de curso 2. Sensores de proximidade indutivos 3. Sensores de proximidade capacitivos 4. Sensores fotoelétricos 5. Seleção de

Leia mais

5 - Antenas LINHAS DE TRANSMISSÃO. Antenas, Cabos e Rádio-Enlace. Componentes essenciais para uma comunicação Wireless ONDAS ELETROMAGNÉTICAS -OEM-

5 - Antenas LINHAS DE TRANSMISSÃO. Antenas, Cabos e Rádio-Enlace. Componentes essenciais para uma comunicação Wireless ONDAS ELETROMAGNÉTICAS -OEM- Antenas, Cabos e Rádio-Enlace Componentes essenciais para uma comunicação Wireless Uso permitido por Luciano Valente Franz luciano@computech.com.br Rádio Transmissor (Tx) Linha de Transmissão (LT) Antena

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

Ondas II F-228 UNICAMP

Ondas II F-228 UNICAMP Ondas II F-228 UNICAMP http://thenonist.com/index.php/thenonist/permalink/stick_charts/ Superposição de ondas Resumo de ondas mecânicas Superposição de ondas Exemplos Representação matemática Interferência

Leia mais

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma.

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA CURSO DE FÍSICA LABORATÓRIO ÓPTICA REFLEXÃO E REFRAÇÃO OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a

Leia mais

Grupo: Ederson Luis Posselt Fábio Legramanti Geovane Griesang Joel Reni Herdina Jônatas Tovar Shuler Ricardo Cassiano Fagundes

Grupo: Ederson Luis Posselt Fábio Legramanti Geovane Griesang Joel Reni Herdina Jônatas Tovar Shuler Ricardo Cassiano Fagundes Curso: Ciências da computação Disciplina: Física aplicada a computação Professor: Benhur Borges Rodrigues Relatório experimental 06: Ondas longitudinais e ondas transversais; Medida do comprimento de uma

Leia mais

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR. No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas. independentemente de sua frequência.

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR. No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas. independentemente de sua frequência. PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: ONDAS Física Dudu 01. F.M. Triângulo Mineiro MG. III) No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas caminham com uma mesma velocidade, independentemente

Leia mais

Circuitos de Comunicação Introdução

Circuitos de Comunicação Introdução Circuitos de Comunicação Introdução Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Circuitos de Comunicação Objetivo: Estudar os blocos funcionais eletrônicos e de processamento digital de sinais que são utilizados nas comunicações

Leia mais

Física Experimental - Óptica - luz policromática e laser - EQ045B.

Física Experimental - Óptica - luz policromática e laser - EQ045B. Índice Remissivo... 5 Abertura... 8 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos algarismos 199 são destinadas ao professor.... 8 All of the basic

Leia mais

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria Manual de consulta rápida Obrigado por escolher este produto da JBL O alto-falante de barra de som energizado JBL Cinema SB100 é um sistema

Leia mais

MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro

MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro Geração: equipe técnica Metalfrio. Revisão: Alexandre Mendes, Fernando Madalena, Gustavo Brotones e Rafael Atílio. http://treinamento.metalfrio.com.br treinamento@metalfrio.com.br

Leia mais

Física. Resolução das atividades complementares. F11 Ondulatória

Física. Resolução das atividades complementares. F11 Ondulatória Resolução das atividades complementares 4 Física F11 Ondulatória p. 3 1 (UFPB) Considere o texto: São ondas aquelas em que a direção de propagação é perpendicular à direção de vibração, enquanto ondas

Leia mais

3B SCIENTIFIC FÍSICA. Conjunto de aparelhos Audição Espacial 1018551. Instruções de uso. 3. Dados técnicos Dimensões

3B SCIENTIFIC FÍSICA. Conjunto de aparelhos Audição Espacial 1018551. Instruções de uso. 3. Dados técnicos Dimensões 3B SCIENTIFIC FÍSICA Conjunto de aparelhos Audição Espacial 1018551 Instruções de uso 03/15 TL/UD 1 mangueira 1 m mangueira 0,5 m (2) 2 sonda estetoscópica 3 mangueira do estetoscópio 4 estetoscópio com

Leia mais

GABARITO DO GUIA DE ESTUDO 3 POLARIZAÇÃO

GABARITO DO GUIA DE ESTUDO 3 POLARIZAÇÃO GABARTO DO GUA DE ESTUDO POLARZAÇÃO GE.) Placas polarizadoras. GE..) Um vendedor alega que os óculos de sol que ele deseja lhe vender possuem lentes com filtro polaróide; porém, você suspeita que as lentes

Leia mais

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco 1. Considere um objeto luminoso pontual, fixo no ponto P, inicialmente alinhado com o centro de um espelho plano E. O espelho gira, da posição E 1 para a posição E 2, em torno da aresta cujo eixo passa

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO CAVALCANTI SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

Leia mais

Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X

Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X BR-Ex ia IIC T6 0044 38674 Índice 1 Validade 3 2 Geral 3 2.1 Instrumentos da zona 0 3 2.2 Instrumentos

Leia mais

Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura:

Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura: PROVA DE FÍSICA QUESTÃO 0 Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura: Essa lente é mais fina nas bordas que no meio e a posição de cada um de seus focos está indicada

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 2004 / 05. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 2004 / 05. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 004 / 05 Eercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA Ondas (EE) Eercícios TP Índice ÍNDICE I DERIVADAS E INTEGRAIS

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS MT-9000. Manual de Operação Versão 1.0

SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS MT-9000. Manual de Operação Versão 1.0 SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS MT-9000 Manual de Operação Versão 1.0 SISTEMA DE TREINAMENTO EM MICROONDAS MT-9000 CONTEÚDO 1. Sistema de Treinamento em Microondas MT-9000 3 Introdução 3 Descrição

Leia mais

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Introdução: Muito obrigado por adquirir este produto. Ele foi projetado de forma a oferecer a melhor performance possível dentro de sua aplicação. Fornecemos

Leia mais

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: Exercícios: Doppler, cordas e tubos sonoros. 01. Observe as afirmações referentes às ondas sonoras: I) Sons de maior frequência têm maior velocidade.

Leia mais

Espelhos Planos. Parte I. www.soexatas.com Página 1. = 3 m e entre os espelhos fixo e giratório é D = 2,0 m.

Espelhos Planos. Parte I. www.soexatas.com Página 1. = 3 m e entre os espelhos fixo e giratório é D = 2,0 m. Parte I Espelhos Planos 1. (Unesp 2014) Uma pessoa está parada numa calçada plana e horizontal diante de um espelho plano vertical E pendurado na fachada de uma loja. A figura representa a visão de cima

Leia mais

Transmissor EXT-240 de áudio e vídeo sem fio

Transmissor EXT-240 de áudio e vídeo sem fio Transmissor de áudio e vídeo sem fio Manual de operação Índice I. Introdução... 1 II. Informações de segurança... 1 III. Especificações... 1 IV. Instruções de instalação... 2 1. Opções de posicionamento...

Leia mais

Guia do usuário. Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22

Guia do usuário. Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22 Guia do usuário Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22 Introdução O seu novo sistema sem-fio foi desenvolvido para lhe dar o melhor do mundo da sonorização: a liberdade de um sistema sem-fio, com excelente

Leia mais

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA PCS 2476 Introdução - 1 Meios Físicos e Suas Características PCS 2476 Introdução - 2 Linhas Físicas Linhas Bifilares Par de fios Cabo de Pares Linha Aberta Linha de Alta Tensão

Leia mais