PROCESSOS COMPONENTES DE UM PROCESSO. A execução de um processo possui vários componentes. PID e PPID

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCESSOS COMPONENTES DE UM PROCESSO. A execução de um processo possui vários componentes. PID e PPID"

Transcrição

1 PROCESSOS Um processo é um canal de comunicação entre os programas que estão sendo executados no sistema operacional e o usuário, ou seja um processo é um programa que está sendo executado. No Linux / Unix os processos utilizam os recursos de forma inteligente diminuindo o uso do processador (CPU), ou seja quando processo de um programa tentar ler ou escrever informações no HD, este processo entrará na fila de espera até finalizar a entrada e saída dados, enquanto isso ocorre, outro processo pode ser executado diminuindo o tempo de uso e acesso do processador, memória RAM e periféricos. Cada processo que está sendo executado armazena um subdiretório com o mesmo número do processo (PID) em /proc, e dentro desses subdiretórios é armazenado informações sobre cada processo nos arquivos cmdline, environ e status. Para exibir os processos são utilizados os comandos ps, pstree e top e para mudar a ordem de prioridade dos processos são usados os comandos nice e renice. Os processos tem prioridades alternando entre -20 (prioridade (maior) e 19 (prioridade menor), o comando nice pode executar um programa com prioridade específicas sendo o seu padrão 10. O comando renice modifica a prioridade de um processo em execução, sendo que somente o usuário root pode executar processos com prioridade negativa e modificar a ordem de execução de processos positivos para negativos. COMPONENTES DE UM PROCESSO A execução de um processo possui vários componentes. PID e PPID A execução de um processo possuem vários componentes PID e PPID O PID (Process Identification - indentificador de processo) é um número de identificação que o sistema exibe a cada processo. Nenhum PID pode existir para dois ou mais processos ao mesmo tempo, devendo ser gerado um novo numero a cada um novo processo. Quando isso ocorre, o processo "copiado" recebe o nome de "processo pai", enquanto que o novo é denominado "processo filho". É justamente nesse momento que o PPID (Parent Process Identification - indentificador de processo pai) passa a ser usado, sendo gerado em função do processo pai, o PID. UID e GID Lembrando que cada processo necessita de um proprietário, ou seja, um usuário que seja considerado seu dono. Nesse ponto, o sistema irá identificar, quem pode ou não executar o processo em questão, isso de acordo com as permissões do usuário. Para lidar com os donos, o sistema utiliza os números UID e GID.

2 No Linux os usuários e os grupos são gerenciados através dos números UID (User Identifier) e GID (Group Identifier). Como podemos perceber, que UID são números de usuários e GID são números de grupos. No processo podemos visualizar os usuários e grupos, facilitando a sua visualização e somente o usuário root pode finalizar processos criados por outros usuários CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS Abaixo podemos distinguir a classificação dos processos utilizados no sistema Linux / Unix. Foreground (primeiro plano) Os comandos quando executados em primeiro plano no terminal de comandos, passam a interagir junto com o usuário, exibindo a sua execução na tela do computador. Esses processos ficam fixos no prompt, impedindo que outros processos sejam inicializados no terminal. Background (segundo plano) Os processos executados em background podem ser inicializados no terminal de shell, não há interação com o usuário e nenhuma execução visível na tela do computador. Esses processos não seguram o prompt de comandos, permitido assim que outros processos sejam inicializados no terminal. TIPOS DE PROCESSOS Processos dinâmicos A partir de uma sessão de usuário, os processos dinâmicos são executados inicialmente em um terminal de comandos e gerenciado por ele. Quando se executa um comando no terminal, geralmente ele é processado em modo foreground (primeiro plano). Para interromper um processo utiliza-se as teclas <CTRL> + <Z>, onde automaticamente será exibido a mensagem "Stopeed" e o número do job entre colchetes [ ] desse processo, e para cancelar um processo utiliza-se as teclas <CTRL> + <C>. Para controlar o gerenciamento de processos são utilizados os comandos fg, bg e jobs. $ xeyes <CTRL> + <Z> [1]+ Stopped xeyes $ xeyes <CTRL> + <C>

3 GERENCIAMENTO DE TAREFAS (JOBS) É a maneira pelo o qual os processos são finalizados e retornados ao seu estado inicial, os processos são executados no terminal de comandos através de comandos de shell pelo usuário, podendo um job armazenar um ou mais processos que podem ser visualizados pelo comando jobs. No exemplo abaixo é executado o programa xeyes em backgroung &. $ xeyes & [1] 3480 $ jobs -l [1] Running xeyes & Acima é exibido o número do job [1] e o PID do processo COMANDOS DE GERENCIAMENTO DE PROCESSOS CTRL + C (finaliza um processo) CTRL + Z (interrompe um processo) & - Executa um comando(processo) em background (segundo plano) $ firefox & bg - Põe um comando(processo) em background (segundo plano) %id Número do job colocado em segundo plano. $ xeyes CTRL + Z [1] + Stopped xeyes $ bg %1 [1]+ xeyes & fg - Coloca um processo em primeiro plano (background) %id - Número do job colocado em primeiro plano. $ top &

4 [1] 3004 $ fg %1 CTRL + C jobs - Exibe os jobs em execução -l Exibe o nome e o numero de cada processo -s Exibe o nome de cada processo -p Exibe o numero de cada processo $ firefox & $ jobs $ jobs -l $ jobs -p ps - Mostra informações sobre processos em execução -A Mostra todos os processos -a Mostra informações de outros usuários -u Mostra o nome do usuário e o horário de início do processo -x Mostra processos do terminal corrente e de outros terminais -p Mostra o número do processo PID $ firefox & $ ps -aux $ ps -aux grep firefox Abaixo seguem as opções exibidas na saída dos comandos: USER PID Nome do usuário dono do processo ID do processo

5 %CPU %MEM VSZ RSS TTY STAT Porcentagem do consumo de CPU Porcentagem do consumo de memória Tamanho virtual do processo Número de páginas na memória(resident Set Size) TTY do terminal Estado processo: R (executável), S (Dormente (< 20 segundos)), Z (Zumbi), D (espera no disco(curto prazo)), T (rastreado ou interrompido) Outras opções adicionais: W (processo paginado em disco), < (prioridade do processo maior que o normal), N (prioridade do processo menor que o normal), L (páginas bloqueadas no kernel do sistema) START TIME COMMAND Horário de início do processo Tempo de consumo do processador (CPU) consumido pelo processo Nome do comando e opções pstree - Mostra informações sobre processos em execução em forma de árvore -a Mostra opções de comandos no terminal. -c Não compacta subárvores. -l Mostra linhas de forma detalhada -n Classifica os processos pelo PID -p Exibe o PID dos processos. $ pstree -p $ pstree -nap pidof - Exibe o PID do processo informado -s Exibe apenas o PID -x Exibe o PID do script que está sendo executado $ top & $ pidof top

6 top - Visualiza os processos com o maior uso do processador (CPU) -u Mostra processos de um usuário específico -U Não mostra processos de um usuário específico -d (n) Atualiza a tela do monitor a cada n segundos $ top $ top -u aluno1 $ top -u aluno1 -d 3 (atualiza os processos do usuário aluno1 a cada 3 segundos) free - Visualiza a quantidade de memória livre e usada pelo sistema -b Mostra informações em bytes (Bytes) -k Mostra informações em kbytes (KB) -m Mostra informações em megabytes (MB) -g Mostra informações em gigabytes (GB) -o Mostra os dados de memória sem exibir a memória utilizada como buffer -s (n) Mostra os dados de memória a cada n segundos $ free - -help $ free $ free -m $ free -s 3 (atualiza os processos do usuário aluno1 a cada 3 segundos) vmstat - Exibe estatística de utilização da memória swap -n Mostra as informações de uma só vez -V Exibe a versão do comando $ vmstat - -help $ vmstat $ vmstat -n $ vmstat 1 3 (atualiza o comando a cada 1 segundo 3 vezes)

7 kill - Finaliza um processo pelo PID -V Exibe a versão -l Lista todos os nomes e números de sinais. O sinal padrão para o kill é TERM(encerramento por hardware), usando a opção -l no comando kill são exibidos todos os sinais, como HUP (suspender), INT (interromper), KILL (destruir), STOP (parar), QUIT (sair) e etc. Para mais detalhes sobre os sinais use o comando man kill. Para matar um processo são utilizadas 3 maneiras usando os sinais negativos: -9, -SIGKILL e -KILL. $ kill -l $ kill -l KILL 9 $ top & [1] 3357 $ kill ou $ kill -KILL 3357 ou $ kill -SIGKILL 3357 killall - Finaliza processos pelo nome -V Exibe a versão -l Lista todos os nomes e números de sinais. $ kill -l $ xeyes & [1] 3409 $ killall xeyes [1]+ Terminado $ top & [1] 3357

8 $ killall -9 top ou $ killall -KILL top ou $ killall -SIGKILL top nohup - Continua executando um comando mesmo que o usuário saia do sistema $ nohup find /usr grep adduser & nice - Executa um processo com prioridade de execução --help --version (prioridade) Mostra uma mensagem de ajuda Mostra a versão do comando Valor da prioridade do processo, sendo que quanto maior o valor, menor será a prioridade de escalonamento do processo, variando entre os valores -20 a +19, sendo -10 o valor padrão de prioridade. $ nice -1 firefox renice - Modifica a prioridade de um processo em execução opção (prioridade) Valor que deve ser atribuído à prioridade do processo -p (número) Processo -u (usuário) Nome do usuário -g (grupo) Grupo do usuário $ firefox & [2] 3429 $ renice (modifica a prioridade do processo 3429 para +19) 3429: prioridade antiga = 0; prioridade nova = 19

9 $ renice -1 -p 3429 (modifica a prioridade do processo 3429 para -1) 3429: prioridade antiga = 19; prioridade nova = -1 # renice -20 -u aluno1 (modifica a prioridade para -20 de todos os processos do usuário aluno1) 3429: prioridade antiga = -1; prioridade nova = -20

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Abertos Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Comando free Gerência de Memória exibe a quantidade de memória livre e utilizada pelo sistema Usage: $ free

Leia mais

Laboratório de Sistemas Operacionais

Laboratório de Sistemas Operacionais Laboratório de Sistemas Operacionais Módulo 1 Gerência de Memória e de Processos Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Comandos para gerenciamento de processos: top, htop, ps, kill,

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 PS... 3 Atributos de ps... 3 Exemplos de ps... 3 TOP... 4 Atributos... 5 KILL... 5 Exemplos

Leia mais

Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves 1 Conceito de Multiprogramação Se existirem vários programas carregados na memória ao mesmo tempo, a CPU pode

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA 5. Gerência de memória, processamento e hardware Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 1 SUMÁRIO 1. Comandos para gerência

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Gerenciamento de Memória no Linux O Linux é um sistema operacional com memória virtual paginada, isto quer dizer que

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá SISTEMAS OPERACIONAIS CONCEITOS INICIAIS Terminal de Comandos INTRODUÇÃO PROCESSOS: Nos sistemas operacionais, um processo é a forma de representar um programa

Leia mais

Administração de sistemas Linux. Administração de processos.

Administração de sistemas Linux. Administração de processos. Administração de sistemas Linux Administração de processos. Programas e processos Programas são arquivos em disco contendo instruções para execução pelo processador, enquanto processos são as execuções

Leia mais

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Objetivo: Instalar e configurar o sistema operacional Linux CentOS e efetuar suas configurações iniciais. 1- Abra o Virtuabox e clique em novo, e configure conforme

Leia mais

Descrição. Termos e utilitários. Áreas em foco. Processos. Processos. Comandos GNU e Linux

Descrição. Termos e utilitários. Áreas em foco. Processos. Processos. Comandos GNU e Linux Descrição 2 Os candidatos devem ser capazes de gerenciar os do sistema Comandos GNU e Linux 103.5 Iniciar, monitorar e encerrar Peso 4 Instrutor: Charles Hallan Áreas em foco 3 Termos e utilitários 4 Executar

Leia mais

Comandos TOP, PS e PSTREE

Comandos TOP, PS e PSTREE Comandos TOP, PS e PSTREE Todos estes comandos são responsáveis por mostrar os processos existentes em execução no sistema. Porém com suas diferenças, conforme os slides a seguir. Comando TOP O comando

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Objetivos: Laboratório 1 1. Usar comandos básicos para visualização e manipulação de processos 2. Entender o escalonamento

Leia mais

7 Processos. 7.1 Introdução

7 Processos. 7.1 Introdução 1 7 Processos 7.1 Introdução O conceito de processo é a base para a implementação de um sistema multiprogramável. O processador é projetado apenas para executar instruções, não se importando com qual programa

Leia mais

IFPE. Disciplina: Sistemas Operacionais. Prof. Anderson Luiz Moreira

IFPE. Disciplina: Sistemas Operacionais. Prof. Anderson Luiz Moreira IFPE Disciplina: Sistemas Operacionais Prof. Anderson Luiz Moreira SERVIÇOS OFERECIDOS PELOS SOS 1 Introdução O SO é formado por um conjunto de rotinas (procedimentos) que oferecem serviços aos usuários

Leia mais

Relembrando. Em nossas primeiras aulas discutimos o conceito do que seria um processo! Quem lembra?

Relembrando. Em nossas primeiras aulas discutimos o conceito do que seria um processo! Quem lembra? Relembrando Em nossas primeiras aulas discutimos o conceito do que seria um processo! Quem lembra? Processos Essencialmente podemos dizer que é uma aplicação em execução. Um processo consome memória, disco,

Leia mais

Módulos...2 Shell...3

Módulos...2 Shell...3 Cesar Kállas cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 2 O Kernel...2 Módulos...2 Shell...3 Scripts...3 Bourne Shell sh...3 Bourne-Again Shell bash...3 Korn Shell

Leia mais

Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos

Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos João Eriberto Mota Filho Rio de Janeiro, Eriberto RJ, 03 dez. dez. 2011 2011 Sumário Modelo von Neumann Causas de esgotamento da memória

Leia mais

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record)

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record). Master Boot Record Primeiro setor de um HD (disco rígido) Dividido em duas áreas: Boot loader

Leia mais

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Introdução ao Linux Comandos Ubuntu/Linux Michelle Nery Agenda Comandos do Sistema Comandos para Processos

Leia mais

A D M I N I S T R A Ç Ã O D E S I S T E M A S / P E D R O B R A N D Ã O REFERÊNCIAS DOS SLIDES

A D M I N I S T R A Ç Ã O D E S I S T E M A S / P E D R O B R A N D Ã O REFERÊNCIAS DOS SLIDES P R O C E S S O S A D M I N I S T R A Ç Ã O D E S I S T E M A S 2 0 1 7 / 2 0 1 8 P E D R O B R A N D Ã O 2 REFERÊNCIAS DOS SLIDES O conteúdo destes slides é baseado no livro da disciplina: Unix and Linux

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Departamento de Ciência da Computação. Sistemas Operacionais II. 25/10/2016 Profª Valeria Menezes Bastos 1

UFRJ IM - DCC. Departamento de Ciência da Computação. Sistemas Operacionais II. 25/10/2016 Profª Valeria Menezes Bastos 1 UFRJ IM - DCC Departamento de Ciência da Computação Sistemas Operacionais II 25/10/2016 Profª Valeria Menezes Bastos 1 UNIX Filtros Comando diff Compara dois arquivos (ou duas estruturas de diretórios)

Leia mais

Gerenciamento de processos

Gerenciamento de processos Introdução Processo é definido como porções de programas ou programa inteiro em funcionamento na memória do computador. É o processo que utiliza os recursos do computador processador, memória para a realização

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto

Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Laboratório - Linux 2/16 Linux Controlando Processos Um processo é uma abstração usada pelo Linux para representar um programa

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

Processos e Threads (partes I e II)

Processos e Threads (partes I e II) Processos e Threads (partes I e II) 1) O que é um processo? É qualquer aplicação executada no processador. Exe: Bloco de notas, ler um dado de um disco, mostrar um texto na tela. Um processo é um programa

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Yoshimi Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Apresentação Carga horária: 2 horas-aula/semana 2/11 Objetivos Possibilitar ao aluno: Entendimento

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Objetivos: Laboratório 1 1. Entender o escalonamento de processos no Linux 2. Entender aspectos do uso de memória por processos

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Processos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 02-002 Processos

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Processos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 02-002 Processos Processos Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007 1 Processos Programa em execução: processos do próprio sistema (SYSTEM no gerenciador de tarefas); processos do usuário; Sistemas multiprogramáveis: muitos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS Trabalhando com cotas Usando o Gerenciador de Recursos de Servidor de Arquivos para criar uma cota em um volume ou uma pasta, você pode limitar o espaço em disco

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Faculdade Pitágoras - Segundo semestre de 2012 Professor Ugo Caputo ugo.caputo@pitagoras.com.br Programa em execução - processos do próprio sistema (SYSTEM no gerenciador

Leia mais

Gerência de processos Estudos de caso - BSD Unix

Gerência de processos Estudos de caso - BSD Unix Gerência de processos Estudos de caso - BSD Unix Escalonamento preemptivo com prioridades dinâmicas Prioridades entre 0 e 127 0 a 49 kernel 50 a 127 usuário 32 filas de pronto Processos executando em modo

Leia mais

Processos. Adão de Melo Neto

Processos. Adão de Melo Neto Processos Adão de Melo Neto 1 EXECUTE O SEGUINTE Baixa a aula dos dias 20 MAR 15 e 08 MAI 15 e salve no computador. Feche o browser Inicialize o vmware player e inicialize a máquina virtual ubuntu Inicialize

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Introdução a microinformática William S. Rodrigues HARDWARE BÁSICO O hardware é a parte física do computador. Em complemento ao hardware, o software é a parte lógica, ou seja,

Leia mais

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto Sistemas Operacionais Aula 4 Comandos Básicos Linux Prof.: Roberto Franciscatto Prompt Ao iniciar o GNU/Linux, a primeira tarefa a ser executada é o login no sistema, o qual deve ser feito respondendo

Leia mais

Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama

Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama 2 Conteúdo 1 Introdução 6 2 Usando o System Monitor 7 2.1 Iniciando........................................... 7 2.2 Tabela

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 08 Processos Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Introdução Conceitos já vistos em aulas anteriores: Definição de Sistemas Operacionais Funções: máquina virtual

Leia mais

Comandos básicos do Linux

Comandos básicos do Linux Comandos básicos do Linux Comandos básicos do Linux Introdução Alguns comandos que você verá nesta página, equivalem aos utilizados no DOS. No entanto, saiba que conhecendo ou não o DOS, você poderá estranhar

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Conceitos básicos de informática O que é informática? Informática pode ser considerada como significando informação automática, ou seja, a utilização de métodos

Leia mais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais Sistema Operacional Processo e Threads Introdução a Processos Todos os computadores modernos são capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Enquanto executa um programa do usuário, um computador pode

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. George Gomes Cabral

SISTEMAS OPERACIONAIS. George Gomes Cabral SISTEMAS OPERACIONAIS George Gomes Cabral COMPONENTES GENÉRICOS DE UM SISTEMA COMPUTACIONAL Hardware Recurso básicos (memória, dispositivos de E/S, CPU) Sistema operacional Controla e coordena o uso do

Leia mais

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA 1 - Em um determinado servidor Linux, a saída do comando "df" aponta 100% de uso no "/". Isso significa que a(o): a) rede atingiu sua capacidade máxima de recepção.

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Lista de exercícios - P2

Lista de exercícios - P2 Lista de exercícios - P2 1 - Sabemos que o arquivo /etc/inittab possui algumas linhas que definem eventos capturados pelo sistema de inicialização. Pensando em um servidor de produção, estável e que não

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 01

Sistemas Operacionais Aula 01 1 Defina Hardware e Software. 2 O que é Software Livre? 3 O que é Sistema Operacional? Dê Exemplos. 4 O que são Distribuições Linux? Dê exemplos. Aula 01 5 Onde podemos conseguir uma cópia do Linux Ubuntu?

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

GNU/Linux/Bash. Aula 2

GNU/Linux/Bash. Aula 2 GNU/Linux/Bash Aula 2 O que é? Ubuntu GNU Linux Ubuntu 12.04 Ubuntu é um sistema operacional baseado em Linux desenvolvido pela comunidade e é perfeito para notebooks, desktops e servidores. Ele contém

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operacionais

Arquitetura de Sistemas Operacionais Arquitetura de Sistemas Operacionais Francis Berenger Machado / Luiz Paulo Maia Processo Profº Antonio Carlos dos S. Souza Estrutura do Processo Contexto de Software Contexto de Hardware Programa Espaço

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

Processamento com SPOOL. Utilização do CPU e periféricos. Perfis dos programas. Exemplo IBM 1460 (1963) Problemas no escalonamento.

Processamento com SPOOL. Utilização do CPU e periféricos. Perfis dos programas. Exemplo IBM 1460 (1963) Problemas no escalonamento. Processamento com SPOOL Utilização do e periféricos disco Spool de entrada Spool de saída Computador Puramente sequencial Leitor de cartões operador utilizador impressora resultados 28-02-2007 ASC II -

Leia mais

Gestão de processos. Processos. Processo Comando ps Comando top Comando nice Comando kill. José Pedro Oliveira (jpo@di.uminho.pt)

Gestão de processos. Processos. Processo Comando ps Comando top Comando nice Comando kill. José Pedro Oliveira (jpo@di.uminho.pt) Conteúdo (jpo@di.uminho.pt) Grupo de Sistemas Distribuídos Departamento de Informática Escola de Engenharia Universidade do Minho Sistemas Operativos 2005-2006 1 2 s s Identificador de processo pid - process

Leia mais

Soluções de Acessibilidade. VLibras - Desktop. Manual de Instalação da Ferramenta. Microsoft Windows R. Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD

Soluções de Acessibilidade. VLibras - Desktop. Manual de Instalação da Ferramenta. Microsoft Windows R. Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD Soluções de Acessibilidade VLibras - Desktop Manual de Instalação da Ferramenta Microsoft Windows R Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD 2015 INTRODUÇÃO Objetivo Este manual contém introdução e informações

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Conceitos Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Arquitetura de Sistema Operacional Chamadas de sistema. Processos Basicamente, um

Leia mais

Administração de Redes I Linux Prof: Frederico Madeira <fred@madeira.eng.br> Lista de Exercícios 3

Administração de Redes I Linux Prof: Frederico Madeira <fred@madeira.eng.br> Lista de Exercícios 3 Administração de Redes I Linux Prof: Frederico Madeira Lista de Exercícios 3 1. Qual dos seguintes comandos linux não inclui a capacidade de listar o PID das aplicações que estão

Leia mais

Manual de Instalação (TEF LOJA)

Manual de Instalação (TEF LOJA) Este documento não deve ser reproduzido sem autorização da FCDL/SC Aprovação: Representante da Direção Ademir Ruschel Elaboração: Supervisor da Qualidade Sílvia Regina Pelicioli Manual de (Neste documento

Leia mais

Aprendendo. Unix no OS X. Mountain Lion. Mergulhando no Terminal e no Shell. Dave Taylor. Novatec

Aprendendo. Unix no OS X. Mountain Lion. Mergulhando no Terminal e no Shell. Dave Taylor. Novatec Aprendendo Unix no OS X Mountain Lion Mergulhando no Terminal e no Shell Dave Taylor Novatec Authorized Portuguese translation of the English edition of titled Learning Unix for OS X Mountain Lion, ISBN

Leia mais

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.)

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.) Infra-Estrutura de Software Introdução (cont.) O que vimos Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como

Leia mais

Principais Comandos do Terminal no LINUX

Principais Comandos do Terminal no LINUX Principais Comandos do Terminal no LINUX Estes comandos não visam ser um compêndio completo de operação, haja vista que se possui mais comandos que esses aqui que serão listados, logo os comandos são:

Leia mais

Processos em Unix. Conteúdo: Definição de Processos em Unix Estrutura, tipo e escalonamento de processos em Unix Processos, Pai, Filho e Zumbi.

Processos em Unix. Conteúdo: Definição de Processos em Unix Estrutura, tipo e escalonamento de processos em Unix Processos, Pai, Filho e Zumbi. Processos em Unix Conteúdo: Definição de Processos em Unix Estrutura, tipo e escalonamento de processos em Unix Processos, Pai, Filho e Zumbi. O que é um Processo em Unix? É um espaço de endereçamento

Leia mais

Ciclo de Vida de um Processo

Ciclo de Vida de um Processo Nas aulas anteriores Ciclo de Vida de um Processo Marcelo Johann Conceito de Processo Mecanismo de Programação em C/UNIX Continuando Interrupções TRAP Chaveamento de Contexto Chamadas de Sistema INF01142

Leia mais

Instalação. Descompactando. O sistema V&SPague é fornecido para instalação através de um arquivo compactado, autoextraível

Instalação. Descompactando. O sistema V&SPague é fornecido para instalação através de um arquivo compactado, autoextraível Manual do Usuário O conteúdo desse documento destina-se exclusivamente ao seu destinatário, não podendo ser revelado fora de sua organização, não podendo ser duplicado, usado ou publicado, no total ou

Leia mais

Sistema Operacional Ex: Complexo Computador multiusuário com vários terminais Tem que administrar todos os pedidos de usuários e assegurar que eles

Sistema Operacional Ex: Complexo Computador multiusuário com vários terminais Tem que administrar todos os pedidos de usuários e assegurar que eles Sistema Operacional Conjunto de programas que inicializam o hardware do computador; Fornece rotinas básicas para o controle de dispositivos; Fornece gerência, escalonamento e interação de tarefas; Mantém

Leia mais

Soluções de Acessibilidade. VLibras - Desktop. Manual de Instalação da Ferramenta. Microsoft Windows R. Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD

Soluções de Acessibilidade. VLibras - Desktop. Manual de Instalação da Ferramenta. Microsoft Windows R. Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD Soluções de Acessibilidade VLibras - Desktop Manual de Instalação da Ferramenta Microsoft Windows R Núcleo de Pesquisa e Extensão / LAViD 2016 INTRODUÇÃO Objetivo Este manual contém introdução e informações

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Conteúdo Programático Login e Logout Iniciando e Desligando o Sistema Tipos de arquivo Texto Binário Arquivos e Diretório Manipulação de

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS 1 Objetivos do Capítulo Descrever a seqüência e a importância da inicialização do IOS nos roteadores

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

Capítulo 4 Gerenciamento de Memória

Capítulo 4 Gerenciamento de Memória Capítulo 4 Gerenciamento de Memória 4.1 Gerenciamento básico de memória 4.2 Troca de processos 4.3 Memória virtual 4.4 Algoritmos de substituição de páginas 4.5 Modelagem de algoritmos de substituição

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Simulado LPI 101. 5. Qual o comando que exibe a última vez em que o sistema de arquivos foi verificado. dumpe2fs

Simulado LPI 101. 5. Qual o comando que exibe a última vez em que o sistema de arquivos foi verificado. dumpe2fs Simulado LPI 101 1. Quais comandos exibem os processos no Linux? Escolha uma. a. ls e df b. ps e top c. ps e df d. df e top e. du e df 2. O que representa o dispositivo /dev/hdb6? Escolha uma. a. Um partição

Leia mais

Aula 02. Introdução ao Linux

Aula 02. Introdução ao Linux Aula 02 Introdução ao Linux Arquivos Central de Programas do Ubuntu A Central de Programas do Ubuntu é uma loja de aplicativos integrada ao sistema que permite-lhe instalar e desinstalar programas com

Leia mais

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Curso UNIX Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Universidade Federal de Santa Catarina 25 de Setembro de 2010 CHAMADA Objetivos Instalação do sistema Ubuntu 10.04 Conhecer a origem do sistema

Leia mais

Conceitos e Chamadas de Sistema

Conceitos e Chamadas de Sistema Sistemas Operativos Conceitos e Chamadas de Sistema 3º ano - ESI e IGE (2011/2012) Engenheiro Anilton Silva Fernandes (afernandes@unipiaget.cv) Chamadas de Sistema Conjunto de chamadas ao sistema pode

Leia mais

Fique craque com estas dicas para o Gerenciador de tarefas do Windows

Fique craque com estas dicas para o Gerenciador de tarefas do Windows Fique craque com estas dicas para o Gerenciador de tarefas do Windows Se você usa o Windows, provavelmente já acessou esta ferramenta. Até o Windows XP ela era acessada pelo famoso atalho Ctrl + Alt +

Leia mais

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com

Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Disciplina: Sistemas Operacionais Professor: Cristiano Mariotti procrismar@globo.com Equivalente a inicializar um computador ; Durante o bootstrapping, o kernel é carregado na memória principal e começa

Leia mais

Minicurso Básico de Linux

Minicurso Básico de Linux Minicurso Básico de Linux PET Computação 15 de março de 2017 GNU/Linux (a) Linux (b) GNU Linux: Kernel GNU/Linux: Sistema Operacional Distro (c) Arch (d) Debian (e) Fedora (f) Gentoo (g) Manjaro (h) opensuse

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Gerenciamento de usuários e grupos

Gerenciamento de usuários e grupos Gerenciamento de usuários e grupos Todo sistema de gerência de usuário possui um id registrado no sistema. Com as informações de registro o Linux pode gerenciar o acesso aos usuários e as suas permissões

Leia mais

DISPOSITIVOS DE BLOCO. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves

DISPOSITIVOS DE BLOCO. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves DISPOSITIVOS DE BLOCO Professor: João Paulo de Brito Gonçalves INTRODUÇÃO Periférico Dispositivo conectado a um computador de forma a possibilitar sua interação com o mundo externo. Conectados ao computador

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 2.1 CONCEITO DE BIT O computador só pode identificar a informação através de sua elementar e restrita capacidade de distinguir entre dois estados: 0

Leia mais

Programação Concorrente Processos e Threads

Programação Concorrente Processos e Threads Programação Concorrente Processos e Threads Prof. Eduardo Alchieri Processos O conceito mais central em qualquer sistema operacional é o processo Uma abstração de um programa em execução Um programa por

Leia mais

Planeamento. Introdução ao Sistema Operativo UNIX. Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções. Threads e Semáforos. Problemas de Sincronização

Planeamento. Introdução ao Sistema Operativo UNIX. Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções. Threads e Semáforos. Problemas de Sincronização Planeamento Introdução ao Sistema Operativo UNIX Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções Threads e Semáforos Problemas de Sincronização Jantar dos Filósofos, Leitores/Escritores,... Sockets Stream

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Cronologia 1. 1969 Univ Berkeley, Califórnia, cria-se o SO UNIX para uso geral em grandes computadores 1. Década de 70

Leia mais

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado)

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Índice Instruções de Instalação....... 1 Requisitos do sistema........... 1 Código de autorização.......... 1 Instalando...............

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores. 05 Gerência de Hospedeiros (Hosts)

Gerência de Redes de Computadores. 05 Gerência de Hospedeiros (Hosts) Gerência de Redes de Computadores 05 Gerência de Hospedeiros (Hosts) UFCG / DSC / JPS * 05 GERÊNCIA DE HOSPEDEIROS 1 TIPOS DE HOSPEDEIROS DOIS TIPOS DE HOSPEDEIROS o Servidores o Estações Clientes HÁ GRANDE

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA

INTRODUÇÃO AO SISTEMA MANUAL DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Nome do Software: Guarux Versão do Software: Guarux Educacional 4.0 INTRODUÇÃO AO SISTEMA O Guarux Educacional 4.0 é uma distribuição idealizada pela

Leia mais

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955 O que vimos Infraestrutura de Software Introdução (cont.) Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como uma

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO APLICATIVO CADASTRAMENTO ÚNICO ENTRADA E MANUTENÇÃO DE DADOS VERSÃO 6.0.3

MANUAL DE INSTALAÇÃO APLICATIVO CADASTRAMENTO ÚNICO ENTRADA E MANUTENÇÃO DE DADOS VERSÃO 6.0.3 MANUAL DE INSTALAÇÃO APLICATIVO CADASTRAMENTO ÚNICO ENTRADA E MANUTENÇÃO DE DADOS VERSÃO 6.0.3 Manual de Instalação da V. 6.0.3 1. Apresentação...3 2. Conceitos...4 2.1. Rede...4 2.2. Servidor...4 2.3.

Leia mais

O Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: José Pires

O Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: José Pires Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 6 2 Usar o System Monitor 7 2.1 Introdução.......................................... 7 2.2 Tabela

Leia mais