Comandos TOP, PS e PSTREE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comandos TOP, PS e PSTREE"

Transcrição

1 Comandos TOP, PS e PSTREE Todos estes comandos são responsáveis por mostrar os processos existentes em execução no sistema. Porém com suas diferenças, conforme os slides a seguir.

2 Comando TOP O comando top é usado como um monitor do sistema que mostra a atividade do processador em tempo real. Exibindo as tarefas que estão sendo executadas na CPU e fornecendo uma interface amigável para o gerenciamento de processos. Sintaxe: top [opções] -d [tempo] - Atualiza a tela após o tempo especificado. -s - Executa o top em modo seguro -i - Executa o top ignorando processos zumbis. -c - Mostra a linha de comando ao invés do nome do programa.

3 STATS PID (Identificador do processo): A identificação do processo (identificador único). USUÁRIO (USER): Usuário proprietário do processo. PR (Prioridade): A prioridade de agendamento do processo. Alguns valores neste campo são RT. Isso significa que o processo está sendo executado em tempo real (Real Time). NI : Os valores mais baixos significam maior prioridade. VIRT : A quantidade de memória virtual usada pelo processo. RES : O tamanho da memória usada. Residente na memória física e não na área de troca (swap). SHR (Share compartilhada): SHR é a memória compartilhada usada pelo processo. S (State estado): Este é o estado do processo. Ele pode ter um dos seguintes valores : % CPU: É a porcentagem de tempo de CPU que a tarefa tem usado desde a última atualização. % MEM: Percentagem de memória física disponível usada pelo processo. TEMPO +: O tempo total de CPU que a tarefa tem usado desde o início (precisão de centésimo de segundo) COMANDO: Descrição do comando que foi utilizado para iniciar o processo.

4 Exemplo: 1- Fonte:

5 Exemplo: 2- Fonte:

6 Comando PS O comando ps gera um instantâneo dos processos atuais no terminal e permite mostrar informações sobre uma seleção dos processos ativos. O comando top coleta as informações, mas as atualiza regularmente. Geralmente essa atualização ocorre a cada 10 segundos. O comando PS, por sua vez, trabalha como se tirasse uma fotografia da situação dos processos naquele momento. Sintaxe: ps [opções]

7 Comando PS Há três estilos de opções disponíveis: 1. Opções padrão do Unix: podem ser agrupadas e são precedidas por um hífen. # ps -ax 2. Opções BSD: podem ser agrupadas e não são precedidas por um hífen. # ps ax 3. Opções longas GNU: Não são agrupadas e são precedidas por dois hífens. # ps --all Podemos misturar opções de tipos diferentes livremente, porém tomando cuidado pois conflitos podem ocorrer.

8 Opções principais do comando ps: -a Mostra processos de propriedade de outros usuários e vinculados a um terminal -e Selecionar todos os processos. Idêntico a -A -l Formato longo, incluindo prioridade, PPID, etc. -r Mostrar apenas processos em execução -u Formato de usuário, com nomes de usuário e hora de início dos processos -x Inclui processos sem terminal de controle (daemons, GUI.) -U usuário Exibe processos de propriedade do usuário. -L Lightweight Process / LWP, mostra os threads associados a um processo específico. -T Mostrar threads, com coluna SPID

9 Campos comuns exibidos nas saídas do comando: USER: Usuário proprietário do processo. PID: Número de identificação do processo. UID: Número de identificação do usuário dono do processo. PPID: Número de identificação do processo pai de cada tarefa. GID: Número de identificação do grupo do processo. %CPU: % dos recursos de CPU que o processo está usando %MEM: % da memória real que o processo está usando VSZ: Tamanho virtual do processo em KiB (KiloBytes) RSS: Resident Set Size (Total de memória usada pelo processo e seus arquivos) TTY: Identificador do terminal de controle STAT: Estado de processo atual START: Horário em que o processo foi iniciado COMMAND: Nome do comando e argumentos. PRI: Prioridade dos processos. WCHAN: Função do kernel no qual o processo esta dormente.

10 Estado dos processos retornados por ps: R = Executável S = Dormente Z = Zumbi D = Espera no disco T = Rastreado ou interrompido Flags adicionais: W = Processo paginado em disco < = O processo tem uma prioridade maior que a normal N = O processo tem uma prioridade menor que a normal L = Algumas páginas são bloqueadas no núcleo (kernel) Sendo que: Executável: O processo pode ser executado (quando houver tempo de CPU disponível) Dormente: O processo está aguardando algum recurso Zumbi: O processo está tentando se destruir Parado: O processo é suspenso (não há permissão para ser executado).

11 Exemplos: 1. Mostrar todos os processos: # ps ax Fonte: A listagem continua, apenas uma parte é mostrada na figura acima. As opções ax nos trazem o PID, TTY, Status, Tempo de Execução e Comando que originou o processo. 2. Mostrar todos os processos com informações detalhadas: # ps aux Fonte:

12 Exemplos: 3. Mostrando apenas os processos do usuário fabio: # ps -f -u fabio 4. Mostrar os processos com informações técnicas adicionais, como PPID (PID do processo pai), Flags associadas (F), Valor Nice (NI), prioridade do processo (PRI) e função do kernel no qual o processo está dormente (WCHAN): # ps lax Fonte: Fonte:

13 Exemplos: 5. Classificar os processos em ordem de utilização da CPU ( pcpu ): # ps aux --sort=-pcpu Fonte: 6. Mostrar o PID, usuário e tempo de execução do processo - que não é exibido por padrão. Usaremos o parâmetro etime (Elapsed Time / Tempo Decorrido): # ps -e -o pid,user,etime Fonte:

14 Comando PSTREE O comando pstree permite exibir uma lista hierárquica de processos no formato de árvore. Sintaxe: pstree [opções]

15 1. pstree -p Inclui PIDs na saída Exemplos Fonte: Fonte: 2. pstree 3670 Exibe a sub-árvore de processos sob o processo de PID 3670:

16 Bibliografia s-com-os-comandos.html ux-dominando-o-comando-top.html

Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto

Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Laboratório - Linux 2/16 Linux Controlando Processos Um processo é uma abstração usada pelo Linux para representar um programa

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 7.2 Gerenciamento de Processos Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 PS... 3 Atributos de ps... 3 Exemplos de ps... 3 TOP... 4 Atributos... 5 KILL... 5 Exemplos

Leia mais

PROCESSOS COMPONENTES DE UM PROCESSO. A execução de um processo possui vários componentes. PID e PPID

PROCESSOS COMPONENTES DE UM PROCESSO. A execução de um processo possui vários componentes. PID e PPID PROCESSOS Um processo é um canal de comunicação entre os programas que estão sendo executados no sistema operacional e o usuário, ou seja um processo é um programa que está sendo executado. No Linux /

Leia mais

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Abertos Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Comando free Gerência de Memória exibe a quantidade de memória livre e utilizada pelo sistema Usage: $ free

Leia mais

Gerenciamento de processos

Gerenciamento de processos Introdução Processo é definido como porções de programas ou programa inteiro em funcionamento na memória do computador. É o processo que utiliza os recursos do computador processador, memória para a realização

Leia mais

Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Processos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves 1 Conceito de Multiprogramação Se existirem vários programas carregados na memória ao mesmo tempo, a CPU pode

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Controlando Processos Fabricio Breve Noções Básicas Processo: abstração usada pelo Linux para representar um programa em execução Objeto através

Leia mais

Laboratório de Sistemas Operacionais

Laboratório de Sistemas Operacionais Laboratório de Sistemas Operacionais Módulo 1 Gerência de Memória e de Processos Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Comandos para gerenciamento de processos: top, htop, ps, kill,

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais ANHANGUERA Sistemas Operacionais Prof. Esp. Rafael Gross Processos Sumário Introdução Conceito de processo Estrutura do processo Estados do processo Mudanças de estado do processo Criação e eliminação

Leia mais

Prof. Kleber R. Rovai

Prof. Kleber R. Rovai Msn: klrovai@hotmail.com E-mail: Skype: klrovai 2 1 Programa: sequência de instruções com diferentes fluxos de execução comandos condicionais e interativos (entidade passiva); Processo: um programa em

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA 5. Gerência de memória, processamento e hardware Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 1 SUMÁRIO 1. Comandos para gerência

Leia mais

Linux Essentials. Managing Package and Process

Linux Essentials. Managing Package and Process Linux Essentials Managing Package and Process Tópicos abordados: 4.3 Onde os dados são armazenados Prof. Pedro Filho 1 Objetivo O objetivo deste curso é lhe fazer familiar com o sistema operacional Linux.

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Sistemas Operacionais Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Processador INTRODUÇÃO Projetado apenas para executar instruções Não é capaz de distinguir qual programa está em execução Processo

Leia mais

Este documento não é de forma alguma exaustivo, nem pretende ser um manual, apenas uma referência aos pontos nele abordados.

Este documento não é de forma alguma exaustivo, nem pretende ser um manual, apenas uma referência aos pontos nele abordados. - Explicação Sucinta Controlo de Processos Este documento não é de forma alguma exaustivo, nem pretende ser um manual, apenas uma referência aos pontos nele abordados. Background vs Foreground Com o processamento

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta. CST em Redes de Computadores

Fundamentos de Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta. CST em Redes de Computadores Fundamentos de Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta CST em Redes de Computadores Introdução Computadores Computadores são compostos, basicamente, de CPU, memória e dispositivos de entrada e saída

Leia mais

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz Informática Sistemas Operacionais Aula 5 Cleverton Hentz Sumário Introdução Fundamentos sobre Sistemas Operacionais Gerenciamento de Recursos Interface Com Usuário Principais Sistemas Operacionais 2 Introdução

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Gerenciamento de Memória no Linux O Linux é um sistema operacional com memória virtual paginada, isto quer dizer que

Leia mais

Processos. Prof. Gustavo Leitão

Processos. Prof. Gustavo Leitão Processos Prof. Gustavo Leitão Campus Natal Central Disciplina Programação para Ambiente de Redes Baseada na Aula do Prof. Ricardo Valentim 5/3/2010 Objetivo da Aula 5/3/2010 PLANO DE AULA Processos Processos:

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 103

Preparatório LPIC-1 Tópico 103 Preparatório LPIC-1 Tópico 103 Professor M.Sc. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Tópico 103 Visão Geral Trabalhar em linha de comandos Processar arquivos e fluxos de textos Gestão básica de arquivos

Leia mais

Sistemas Distribuídos Capítulo 3 - Aula 3

Sistemas Distribuídos Capítulo 3 - Aula 3 Sistemas Distribuídos Capítulo 3 - Aula 3 Aula passada Arquitetura de SDs Estilo Arquitetônico Arquitetura de Sistemas Sistemas Autogerenciáveis Aula de hoje Threads Threads em SDs Processos Clientes Processos

Leia mais

Capítulo 2. Multiprogramação. Conteúdo. Objetivo. Recordando. Recordando. DCA-108 Sistemas Operacionais

Capítulo 2. Multiprogramação. Conteúdo. Objetivo. Recordando. Recordando. DCA-108 Sistemas Operacionais DCA-108 Sistemas Operacionais Capítulo 2 Luiz Affonso Guedes www.dca.ufrn.br/~affonso affonso@dca.ufrn.br Multiprogramação Luiz Affonso Guedes 1 Luiz Affonso Guedes 2 Conteúdo Caracterização de um SO Moderno

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Aula 01

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Aula 01 Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Aula 01 Sistemas Operacionais Livres Prof. Gleison Batista de Sousa Aula 01 Objetivos - Ter conhecimento sobre os diversos módulos que compõem um

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL

IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL IMPLEMENTAÇÃO E RESOLUÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL 1. INTRODUÇÃO Este tutorial apresenta, passo-a-passo, o processo de implementação e resolução de modelos matemáticos na planilha

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

Estrutura dos Sistemas Operacionais. Sérgio Portari Júnior

Estrutura dos Sistemas Operacionais. Sérgio Portari Júnior Estrutura dos Sistemas Operacionais Sérgio Portari Júnior - 2016 1 Sistema Operacional - Formas de acessar o KERNEL do SISTEMA OPERACIONAL (SO) - A linguagem de comandos faz parte do SO O Sistema Operacional

Leia mais

Processos e Threads e em sistemas distribuídos. Prof. Me. Hélio Esperidião

Processos e Threads e em sistemas distribuídos. Prof. Me. Hélio Esperidião Processos e Threads e em sistemas distribuídos. Prof. Me. Hélio Esperidião Processos Sistemas operacionais modernos criam vários processadores virtuais, cada um para executar um programa. Para monitorar

Leia mais

Gerência de Recursos. Gerência do Processador

Gerência de Recursos. Gerência do Processador Gerência de Recursos Gerência do Processador Introdução Com o surgimento dos sistemas multiprogramáveis, onde múltiplos processos poderiam permanecer na memória principal compartilhando o uso da CPU, a

Leia mais

Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos

Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos Gerenciamento de memória virtual no Kernel Linux conceitos básicos João Eriberto Mota Filho Rio de Janeiro, Eriberto RJ, 03 dez. dez. 2011 2011 Sumário Modelo von Neumann Causas de esgotamento da memória

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE Conceitos Básicos A Informática é a informação automática, ou seja, é a utilização de algumas técnicas para o tratamento de informações por meio de um computador.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Apresentação Inst tit ormátic ca - UF FRGS i Introdução Aula 0 INF042 Plano de ensino conforme resolução CEPE /203 Prof. Alexandre CARISSIMI (asc at inf.ufrgs.br) Turma A Objetivos da disciplina Prof.

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Objetivos: Laboratório 1 1. Usar comandos básicos para visualização e manipulação de processos 2. Entender o escalonamento

Leia mais

Técnicas Avançadas de Programação

Técnicas Avançadas de Programação Sumário Técnicas Avançadas de Programação Prof. João Marcos M. da Silva Departamento de Engenharia de Telecomunicações Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Agosto de 2011 Prof. João Marcos

Leia mais

Everson Santos Araujo

Everson Santos Araujo Administrando Servidores Linux Everson Santos Araujo Esta apresentação O que esperar: Dicas para uma boa administração de O que não esperar: Como fazer passo a passo; sistemas; Monitoramento; Everson Santos

Leia mais

Shell Script. Rafael Silva Guimarães

Shell Script. Rafael Silva Guimarães Shell Script Rafael Silva Guimarães O que é Shell O Shell é o "prompt" da linha de comando do Linux, que recebe os comandos digitados pelo usuário e os executa. Mas o Shell é muito mais poderoso que seu

Leia mais

Gerenciamento de Processos

Gerenciamento de Processos - Um Processo é um Programa em Execução com todos os recursos necessários para este fim. - Cada Processo, quando em execução, enxergar como sendo possuidor de todos os recursos do sistema. - O Linux é

Leia mais

Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama

Manual do System Monitor. Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama Chris Schlaeger John Tapsell Chris Schlaeger Tobias Koenig Tradução: Marcus Gama 2 Conteúdo 1 Introdução 6 2 Usando o System Monitor 7 2.1 Iniciando........................................... 7 2.2 Tabela

Leia mais

Instruções de operação. Site de aplicativos

Instruções de operação. Site de aplicativos Instruções de operação Site de aplicativos CONTEÚDO Como ler este manual... 2 Símbolos usados nos manuais... 2 Isenção de responsabilidade... 3 Notas...3 O que você pode fazer no Site de aplicativos...

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais ESCALONAMENTO DE PROCESSOS Processos e Recursos Conceito de Escalonamento O S.O. gerencia recursos computacionais em benefício dos diversos processos que executam no sistema. A questão

Leia mais

TUTORIAL CARTA DE CORREÇÃO ELETRÔNICA

TUTORIAL CARTA DE CORREÇÃO ELETRÔNICA Sumário Apresentação... 2 1. Procedimentos iniciais... 2 2. Configuração do Servidor NF-e... 6 3. Emissão da Carta de Correção... 10 Todos os direitos reservados. PC Sistemas v. 1.0 - Data: 16/05/2013

Leia mais

Processos. Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa. Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos,

Processos. Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa. Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos, Processos Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Objetivos da aula Introduzir a noção de processo um programa em execução que é a base de toda a computação Descrever as várias

Leia mais

Bem-vindo ao curso delta Efetuar picking e embalar para o SAP Business One, versão 9.1. Você deve ter bons conhecimentos do processo de picking e

Bem-vindo ao curso delta Efetuar picking e embalar para o SAP Business One, versão 9.1. Você deve ter bons conhecimentos do processo de picking e Bem-vindo ao curso delta Efetuar picking e embalar para o SAP Business One, versão 9.1. Você deve ter bons conhecimentos do processo de picking e embalagem para compreender integralmente o conteúdo deste

Leia mais

Gestão de processos. Processos. Processo Comando ps Comando top Comando nice Comando kill. José Pedro Oliveira (jpo@di.uminho.pt)

Gestão de processos. Processos. Processo Comando ps Comando top Comando nice Comando kill. José Pedro Oliveira (jpo@di.uminho.pt) Conteúdo (jpo@di.uminho.pt) Grupo de Sistemas Distribuídos Departamento de Informática Escola de Engenharia Universidade do Minho Sistemas Operativos 2005-2006 1 2 s s Identificador de processo pid - process

Leia mais

Samsung Auto Backup Guia do Usuário da Ferramenta de Atualização

Samsung Auto Backup Guia do Usuário da Ferramenta de Atualização Samsung Auto Backup Guia do Usuário da Ferramenta de Atualização Informações Preliminares As versões posteriores ao Samsung Auto Backup v4.2.7140.404 não já suportam o backup compactado/criptografado.

Leia mais

Symantec IT Management Suite 8.0 powered by Altiris technology

Symantec IT Management Suite 8.0 powered by Altiris technology Symantec IT Management Suite 8.0 powered by Altiris technology Para instalar ou desinstalar o Deployment Package Server Component O Deployment Solution instala um Deployment Package Server Component nos

Leia mais

Este curso pretende dotar os participantes dos conhecimentos e conceitos básicos envolvidos na operação dos sistemas operativos Linux (GNU/Linux).

Este curso pretende dotar os participantes dos conhecimentos e conceitos básicos envolvidos na operação dos sistemas operativos Linux (GNU/Linux). Linux Fundamentos Tecnologias de Informação - Redes e Sistemas Localidade: Lisboa Data: 05 Jun 2017 Preço: 420 ( Os valores apresentados não incluem IVA. Oferta de IVA a particulares e estudantes. ) Horário:

Leia mais

SOP - TADS Threads. Revisão Ultima aula. Programa em execução Cada processo têm sua própria CPU

SOP - TADS Threads. Revisão Ultima aula. Programa em execução Cada processo têm sua própria CPU SOP - TADS Threads Prof. Ricardo José Pfitscher dcc2rjp@joinville.udesc.br Material cedido por: Prof. Rafael Rodrigues Obelheiro Prof. Maurício Aronne Pillon Revisão Ultima aula Processos [1/3] Conceito:

Leia mais

Exercícios Cap I. 1.1, 1.2, 1.3 (somente letras (a), (b) e (c)) , 1.8 e 1.12 IC - UFF

Exercícios Cap I. 1.1, 1.2, 1.3 (somente letras (a), (b) e (c)) , 1.8 e 1.12 IC - UFF Exercícios Cap I 1.1, 1.2, 1.3 (somente letras (a), (b) e (c)) 1.5 1.7, 1.8 e 1.12 Sistemas Operacionais Visão geral e evolução dos SOs Sistema Operacional? Um programa que controla a execução dos programas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS Trabalhando com cotas Usando o Gerenciador de Recursos de Servidor de Arquivos para criar uma cota em um volume ou uma pasta, você pode limitar o espaço em disco

Leia mais

Função Fundamental do SO

Função Fundamental do SO Função Fundamental do SO Gestão do Hardware Uma das funções fundamentais do sistema operativo é gerir os recursos do hardware de um modo o mais transparente possível ao utilizador Recursos principais a

Leia mais

Memória virtual. Sistemas de Computação

Memória virtual. Sistemas de Computação Memória virtual Fundamentos Memória virtual separação da memória lógica do usuário da memória física somente uma parte do programa precisa estar na memória para execução espaço de endereçamento lógico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice Índice Capítulo 11 Formatação... 2 Guias e Réguas... 2 Definindo ações a objetos... 2 Botões de ação... 4 Inserindo Cabeçalho e Rodapé... 4 Propriedades... 5! Informações Gerais... 5! Informações de Resumo...

Leia mais

Curso: Redes de Computadores

Curso: Redes de Computadores Curso: Redes de Computadores Cadeira de Introdução a Sistemas Operacionais. Bibliografia Sistemas Operacionais Modernos Andew S. Tanembaum Sistema Operacionais Abraham Silberchatz, Peter Galvin e Greg

Leia mais

Como usar o P-touch Transfer Manager

Como usar o P-touch Transfer Manager Como usar o P-touch Transfer Manager Versão 0 BRA-POR Introdução Aviso importante O conteúdo deste documento e as especificações deste produto estão sujeitos a alterações sem aviso prévio. A Brother se

Leia mais

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1

Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 Método dos Elementos Finitos Aplicado à Engenharia de Estruturas Página 1 INICIANDO O ANSYS VERSÃO ED 9.0 I. Iniciando o Programa: INTRODUÇÃO No Windows, o grupo de programa do ANSYS contém os ícones que

Leia mais

IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP

IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP Conceitos relativos a um Sistema Operacional Sistema Operacional O Sistema Operacional é um programa especial que gerencia todos os recursos

Leia mais

Banco de Dados II. Administração do SGBD Oracle. Tablespaces, usuários, privilégios, papéis e perfis. Gustavo Dibbern Piva

Banco de Dados II. Administração do SGBD Oracle. Tablespaces, usuários, privilégios, papéis e perfis. Gustavo Dibbern Piva Banco de Dados II Administração do SGBD Oracle. Tablespaces, usuários, privilégios, papéis e perfis. Gustavo Dibbern Piva 1 Tablespace Um tablespace é uma unidade lógica onde os dados são armazenados.

Leia mais

ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares. Campus: Data: / / Nome: Questão 1:

ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares. Campus: Data: / / Nome: Questão 1: ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Questão 1: Silberschatz, Galvin e Gagne (c) 2007 Os alunos

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. Andrique Amorim

Sistemas Operacionais. Prof. Andrique Amorim Sistemas Operacionais Prof. Andrique Amorim A disciplina Conceitos básicos Arquitetura e organização dos computadores Evolução dos sistemas operacionais Estruturas de sistemas operacionais Gerência de

Leia mais

Analisador de Energia. Manual do usuário do Software

Analisador de Energia. Manual do usuário do Software Analisador de Energia Manual do usuário do Software Índice Título Página 1. Requerimentos de hardware e sistema operacional... 1 2. Instalação do Software... 1 3. Protocolo RS-232... 1 4. Seleção de Idioma...

Leia mais

Tarifone WEB SOLUÇÃO DE TARIFAÇÃO. digitro.com

Tarifone WEB SOLUÇÃO DE TARIFAÇÃO. digitro.com Tarifone WEB SOLUÇÃO DE TARIFAÇÃO digitro.com O TariFone WEB é um aplicativo para tarifação e análise de bilhetagem, que permite ao operador efetuar consultas e gerar relatórios das chamadas efetuadas

Leia mais

Noções de Processos. Plano da aula. Serviços oferecidos. Definição & Objetivos. Definição & Objetivos. Sistemas Operacionais : introdução

Noções de Processos. Plano da aula. Serviços oferecidos. Definição & Objetivos. Definição & Objetivos. Sistemas Operacionais : introdução Plano da aula Noções de Processos Marcelo Johann Introdução Histórico Multiprogramação Noção de processo Definição Ciclo de vida do processo Suporte de Hardware para multi-programação Mecanismo de interrupção

Leia mais

16/8/2010. A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização e funcionamento de um sistema de processamento

16/8/2010. A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização e funcionamento de um sistema de processamento Arquitetura de es Organização de um Sistema Computacional Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense P.U.R.O. Introdução A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização

Leia mais

Sistemas Operativos. Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread

Sistemas Operativos. Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread Sistemas Operativos Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread Resumo O SO necessita de código/software para gerir a memória - Gestão

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES COMANDOS E FORMATOS DE ENTRADA E SAÍDA 1 COMANDOS E FORMATOS DE ENTRADA E SAÍDA Os comandos de entrada e saída, na sua forma mais simplificada, possuem a seguinte estrutura:

Leia mais

Utilitário de Configuração do Computador Guia do Usuário

Utilitário de Configuração do Computador Guia do Usuário Utilitário de Configuração do Computador Guia do Usuário Copyright 2008 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações

Leia mais

Processos. Adão de Melo Neto

Processos. Adão de Melo Neto Processos Adão de Melo Neto 1 EXECUTE O SEGUINTE Baixa a aula dos dias 20 MAR 15 e 08 MAI 15 e salve no computador. Feche o browser Inicialize o vmware player e inicialize a máquina virtual ubuntu Inicialize

Leia mais

APLICATIVO E PAINEL DE CONTROLE. Instruções de uso e funcionalidades

APLICATIVO E PAINEL DE CONTROLE. Instruções de uso e funcionalidades APLICATIVO E PAINEL DE CONTROLE Instruções de uso e funcionalidades APLICATIVO Descrição de Funcionalidades e Utilização do Aplicativo. TELA INICIAL / LISTA. Tela inicial do app ao logar/iniciar o aplicativo.

Leia mais

Lsof List Open Files. O que é o Lsof? Opções Conclusão

Lsof List Open Files. O que é o Lsof? Opções Conclusão Lsof List Open Files O que é o Lsof? Opções Conclusão O que é o Lsof? Lsof é um comando UNIX que lista informações sobre qualquer arquivo aberto. Um arquivo aberto pode ser um arquivo comum, um diretório,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA AULA 01 APRESENTAÇÃO DO LINUX Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática Roteiro Introdução Linux Históriado Linux

Leia mais

Planejamento de Produção

Planejamento de Produção Planejamento de Produção 1 Conteúdo 1. Propósito 3 2. Descrição e Utilidades do Planejamento de Produção 4 3. Criação de Lote de Produção 5 4. Informações a serem consideradas 10 4.1. Acompanhamento 11

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Yoshimi Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Apresentação Carga horária: 2 horas-aula/semana 2/11 Objetivos Possibilitar ao aluno: Entendimento

Leia mais

Sistemas Distribuídos Aula 3

Sistemas Distribuídos Aula 3 Sistemas Distribuídos Aula 3 Aula passada Processos IPC Características Ex. sinais, pipes, sockets Aula de hoje Threads Kernel level User level Escalonamento Motivação: Servidor Web Considere Servidor

Leia mais

FERRAMENTA DE CONFIGURAÇÃO DE PAINEL SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO

FERRAMENTA DE CONFIGURAÇÃO DE PAINEL SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO MONITOR LCD FERRAMENTA DE CONFIGURAÇÃO DE PAINEL SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Modelos aplicáveis (a partir de março de 2014) PN-L703A/PN-L703/PN-L603A/PN-L603/PN-70TA3/PN-70T3/PN-60TA3/PN-60T3

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2)

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2) Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Sistemas Operacionais (SOP A2) Visão Geral Referências: Sistemas Operacionais Modernos. Andrew S. Tanenbaum. Editora Pearson. 3ª ed. 2010. Seção: 1.1

Leia mais

é usado para fechar a janela do são telas que podem conter textos, imagens, vídeos, sons e efeitos visuais.

é usado para fechar a janela do são telas que podem conter textos, imagens, vídeos, sons e efeitos visuais. ATIVIDADES - CAPÍTULO 1 1 Caça-palavras - Localize as seguintes palavras: aplicativo apresentações efeitos imagens powerpoint slides sons vídeos textos F O R S L I D E S T E N D U T A B F O R T R U D O

Leia mais

Sistemas Operacionais II

Sistemas Operacionais II Sistemas Operacionais II Windows Conceitos Básicos Geraldo Braz Junior Departamento de Informática - UFMA 2 Introdução Job Coleção de um ou mais processos gerenciados como uma unidade; Define cotas e limites

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operativos

Fundamentos de Sistemas Operativos Fundamentos de Sistemas Operativos Sistema Operativo é um conjunto de ficheiros contendo instruções que permitem explorar de forma transparente os recursos que o computador coloca à disposição do utilizador,

Leia mais

Workshop Certificação Fase 9 Cálculo e Funcionalidades de Administração de Risco e Transferência de Posição

Workshop Certificação Fase 9 Cálculo e Funcionalidades de Administração de Risco e Transferência de Posição Workshop Certificação Fase 9 Cálculo e Funcionalidades de Administração de Risco e Transferência de Posição Outubro de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de

Leia mais

Lista de Exercícios Escalonamento de CPU. 1. Considere o seguinte conjunto de processos, com o tamanho do tempo de burst de CPU dado em milissegundos:

Lista de Exercícios Escalonamento de CPU. 1. Considere o seguinte conjunto de processos, com o tamanho do tempo de burst de CPU dado em milissegundos: Lista de Exercícios Escalonamento de CPU 1. Considere o seguinte conjunto de processos, com o tamanho do tempo de burst de CPU dado em milissegundos: Tempo de Serviço Prioridade 10 3 1 1 P3 2 3 P4 1 4

Leia mais

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I CURSO: ENG CIVIL PROFESSOR: ANDRÉ LUÍS DUARTE PERÍODO 1º BIMESTRE 1 1) Identifique as afirmações como verdadeira (V) ou falsa (F): a) Existem três tipos

Leia mais

Planeamento. Introdução ao Sistema Operativo UNIX. Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções. Threads e Semáforos. Problemas de Sincronização

Planeamento. Introdução ao Sistema Operativo UNIX. Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções. Threads e Semáforos. Problemas de Sincronização Planeamento Introdução ao Sistema Operativo UNIX Java: Ferramentas, Entradas/Saídas, Excepções Threads e Semáforos Problemas de Sincronização Jantar dos Filósofos, Leitores/Escritores,... Sockets Stream

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Processos Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br 1 - Processos Conceito originado do campos de sistemas operacionais no qual, em geral, são definidos como programas em execução

Leia mais

Conceito de Processo. Estados de Processos. Diagrama de Estados de Processos

Conceito de Processo. Estados de Processos. Diagrama de Estados de Processos Conceito de Processo Módulo 4: Processos Um Sistema Operacional executa uma variedade de programas: Sistemas de processamento em lotes (batch) processa jobs Sistemas de tempo partilhado (time shared) roda

Leia mais

Manual de Procedimentos para Cadastro do Plano de Ensino via Portal AVA - Moodle Versão 1.0. Sumário

Manual de Procedimentos para Cadastro do Plano de Ensino via Portal AVA - Moodle Versão 1.0. Sumário Sumário Informações Iniciais Login no Portal AVA e acesso a disciplina Plano de Ensino Perfil Professor (AVA) Cadastro do Plano de Ensino Correção do Plano de Ensino Plano de Ensino Perfil Coordenador

Leia mais

Introdução a shell scripts

Introdução a shell scripts Introdução a shell scripts O que é? O que é Windows e Linux Shell script Um script é um arquivo que guarda vários comandos e pode ser executado sempre que preciso. Os comandos de um script são exatamente

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Educação GUIA DE REFERÊNCIA. CRIAÇÃO DE TURMAS - SIGEDUC

Sistema Integrado de Gestão da Educação  GUIA DE REFERÊNCIA. CRIAÇÃO DE TURMAS - SIGEDUC http://sigeduc.rn.gov.br GUIA DE REFERÊNCIA CRIAÇÃO DE TURMAS - SIGEDUC http://sigeduc.rn.gov.br Resumo Este documento apresenta instruções de como realizar a criação de turmas e alocação de estudantes

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA COMANDO GERAL DE APOIO CENTRO DE COMPUTAÇÃO DA AERONÁUTICA DO RIO DE JANEIRO

COMANDO DA AERONÁUTICA COMANDO GERAL DE APOIO CENTRO DE COMPUTAÇÃO DA AERONÁUTICA DO RIO DE JANEIRO COMANDO DA AERONÁUTICA COMANDO GERAL DE APOIO CENTRO DE COMPUTAÇÃO DA AERONÁUTICA DO RIO DE JANEIRO Tutorial de configuração da lista interna de contatos INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo orientar

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS - UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO TICOMIA COMERCIAL FRANQUEADO MP CL UN 02-00

MANUAL DE PROCEDIMENTOS - UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO TICOMIA COMERCIAL FRANQUEADO MP CL UN 02-00 Objetivo... 3 Procedimentos... 4 1. ipad... 4 1.1. Instruções Gerais... 4 1.2. Informações sobre as telas... 4 2. Android... 6 2.1. Instruções Gerais... 6 2.2. Informações Sobre as Telas... 6 Departamento

Leia mais

Laboratório de Informática. Leopoldo Teixeira

Laboratório de Informática. Leopoldo Teixeira Laboratório de Informática Leopoldo Teixeira leo@leopoldomt.com Até agora vimos A história dos computadores Como informação é armazenada memória, armazenamento em massa representada sistemas binários,

Leia mais

Utilitário de configuração do computador Guia do usuário

Utilitário de configuração do computador Guia do usuário Utilitário de configuração do computador Guia do usuário Copyright 2008 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Bluetooth é uma marca comercial de seu proprietário e utilizada sob licença pela Hewlett-Packard

Leia mais

2- Carregar o código executável para o testbed e configurar o experimento

2- Carregar o código executável para o testbed e configurar o experimento Lição 2 Como executar uma aplicação no testbed e receber logs de execução na máquina do usuário? Para mostrar como executar uma aplicação no testbed CéuNaTerra e receber o log da execução na máquina do

Leia mais

LSOF - LiSt Open Files

LSOF - LiSt Open Files LSOF - LiSt Open Files Descrição Como o nome indica, LSOF lida com arquivos abertos em um sistema UNIX. Um arquivo aberto pode ser um arquivo comum, um diretório, uma biblioteca, um stream, ou um soquete

Leia mais

Guia de ajuda on-line FAQ V1.2

Guia de ajuda on-line FAQ V1.2 Guia de ajuda on-line FAQ V1.2 P: Como faço para encontrar voos no mapa? Clique em um ponto no mapa para iniciar uma pesquisa. A seguir, selecione a opção desejada no menu da tela para visualizar a informação

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO TERMINAL VIRTUAL - AVPOS

GUIA DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO TERMINAL VIRTUAL - AVPOS GUIA DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO TERMINAL VIRTUAL - AVPOS Bem vindo ao CDL-CARD, este guia tem como finalidade básica auxiliar o usuário na instalação e operação do software AVPos, Terminal Virtual de

Leia mais

- Manual tocou.com - Anunciantes

- Manual tocou.com - Anunciantes - Manual tocou.com - Anunciantes Este manual se destina aos anunciantes que utilizam ou desejam utilizar o tocou.com. 2009 SUMÁRIO Apresentação... 2 Tipos de contas de usuários do tocou.com... 3 Requisitos

Leia mais

Processos e Threads. Ciclo 2 AT3. Prof. Hermes Senger

Processos e Threads. Ciclo 2 AT3. Prof. Hermes Senger Processos e Threads Ciclo 2 AT3 Prof. Hermes Senger Nota O presente material foi elaborado com base no material didático do livro Sistemas Operacionais, 3ª edição, de H.M.Deitel, P.J. Deitel, D.R. Choffnes,

Leia mais

Brasil. Introdução. Guia Rápido. Cabo de Vídeo

Brasil. Introdução. Guia Rápido. Cabo de Vídeo Introdução Visão geral dos Recursos Resolução do Display TFT LCD 7 pol.: 480(L) x 234(A) Modo Display: 4:3 e 16:9 Suporta formatos de arquivo: JPEG & Motion-JPEG (320x240 QVGA 15 fps; 640x480 VGA 6 fps.)

Leia mais