gestão alocado no ativo Cidade onde ocorreu Data da Assembleia em questão no dia da a Assembleia Nome completo da cidade/sigla do

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "gestão alocado no ativo Cidade onde ocorreu Data da Assembleia em questão no dia da a Assembleia Nome completo da cidade/sigla do"

Transcrição

1 DADOS DO FUNDO INVESTIDOR DADOS DO ATIVO DADOS DA ASSEMBLEIA Denominação do Fundo Investidor Fundo Restrito ou Exclusivo? Ativo financeiro de Certificado de Tipo de "ativo/título" % da participação total dos Fundos sob gestão, sujeitos à emissor com sede Depósito de Valores (Ex.: ações, debêntures, Política de Voto, na fração votante na matéria no dia da social fora do Brasil Mobiliários cota de fundos, etc) Assembleia (sim/não) (sim/não) PL FUNDO JPM / A PARTIR DE AUG 14 OUTSTANDING DO ATIVO EM QUESTAO EXPOSURE % do PL do Fundo sob gestão alocado no ativo Cidade onde ocorreu Data da Assembleia em questão no dia da a Assembleia Assembleia Discriminar a(s) Matéria(s) apreciada(s) Resumo do teor dos votos proferidos (Perfil Mensal CVM) Qual o meio de Matérias Relevantes Gestor participou? divulgação aos cotistas Obrigatórias (art. 3º das (sim/não) sobre os votos Diretrizes)? (sim/não) proferidos? Nome completo da cidade/sigla do Incluir a denominação completa do fundo de investimento Informar se é Restrito ou Exclusivo ou N/A Lista de opções Percentual da soma dos valores financeiros do ativo em todos os fundos sujeitos a Política de voto em relação ao PL total dos fundos sujeitos a Política de Voto. Percentual do valor financeiro do ativo em relação ao PL do fundo (individual) dd/mm/aaaa Estado (Ex.: São Paulo/SP). Se ocorrer fora do Brasil, incluir o As matérias apreciadas são aquelas inseridas na convocação. Incluir o resumo dos votos proferidos nas assembleias sobre as matérias informadas na coluna "M". Ver planilha Matérias Relevantes. termo "Exterior" e o nome do país. os Debenturistas representantes de 84,81% (oitenta e quatro inteiros e oitenta e um centésimos por cento) das Debêntures em Circulação da Primeira Série e 87,82% (i) a dispensa temporária de manutenção, pela Emissora, do índice financeiro previsto na línea (oitenta e sete inteiros e oitenta e dois centésimos por cento) das Debêntures em r(iv) da Cláusula VII, item 7.1, da Escritura; (ii) a possibilidade de repactuação das condições Circulação da Segunda Série, sem quaisquer restrições, aprovaram as materias de pagamento e da remuneração das Debêntures; (iii) a possibilidade de outras alterações nos deliberadas mediante a Waiver Fee de 2.50%. termos e condições da Escritura e/ou outros acordos entre os Debenturistas e a Emissora; (iv) a possibilidade de pagamento de prêmio pela Emissora aos Debenturistas; (v) a possibilidade de redução dos prazos previstos na Cláusula 6.1.1, II da Escritura; e (vi) autorização para a celebração de aditamento à Escritura e aos demais documentos relativos à Emissão, caso PREVIDENCIA FIM Restrito Debêntures ples 1,30% ,00 509,00 0,14% 11/09/2015 São Paulo/SP necessário, para refletir eventuais alterações decorrentes desta AGD os Debenturistas representantes de 84,81% (oitenta e quatro inteiros e oitenta e um centésimos por cento) das Debêntures em Circulação da Primeira Série e 87,82% (i) a dispensa temporária de manutenção, pela Emissora, do índice financeiro previsto na línea (oitenta e sete inteiros e oitenta e dois centésimos por cento) das Debêntures em r(iv) da Cláusula VII, item 7.1, da Escritura; (ii) a possibilidade de repactuação das condições Circulação da Segunda Série, sem quaisquer restrições, aprovaram as materias de pagamento e da remuneração das Debêntures; (iii) a possibilidade de outras alterações nos deliberadas mediante a Waiver Fee de 2.50%. termos e condições da Escritura e/ou outros acordos entre os Debenturistas e a Emissora; (iv) a possibilidade de pagamento de prêmio pela Emissora aos Debenturistas; (v) a possibilidade JPM SPECIAL de redução dos prazos previstos na Cláusula 6.1.1, II da Escritura; e (vi) autorização para a celebração de aditamento à Escritura e aos demais documentos relativos à Emissão, caso FIXA CP Restrito Debêntures ples 1,30% ,00 509,00 0,96% 11/09/2015 São Paulo/SP necessário, para refletir eventuais alterações decorrentes desta AGD os Debenturistas representantes de 84,81% (oitenta e quatro inteiros e oitenta e um centésimos por cento) das Debêntures em Circulação da Primeira Série e 87,82% (i) a dispensa temporária de manutenção, pela Emissora, do índice financeiro previsto na línea (oitenta e sete inteiros e oitenta e dois centésimos por cento) das Debêntures em r(iv) da Cláusula VII, item 7.1, da Escritura; (ii) a possibilidade de repactuação das condições Circulação da Segunda Série, sem quaisquer restrições, aprovaram as materias de pagamento e da remuneração das Debêntures; (iii) a possibilidade de outras alterações nos deliberadas mediante a Waiver Fee de 2.50%. termos e condições da Escritura e/ou outros acordos entre os Debenturistas e a Emissora; (iv) a possibilidade de pagamento de prêmio pela Emissora aos Debenturistas; (v) a possibilidade JPM SPECIAL de redução dos prazos previstos na Cláusula 6.1.1, II da Escritura; e (vi) autorização para a INSTITUCIONAL MASTER celebração de aditamento à Escritura e aos demais documentos relativos à Emissão, caso FI RF CREDITO PRIVADO Restrito Debêntures ples 1,30% ,00 509,00 0,82% 11/09/2015 São Paulo/SP necessário, para refletir eventuais alterações decorrentes desta AGD FIXED INCOME CLASS em FIXA Geral Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,04% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ PREVIDENCIA FIM Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,06% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ REFERENCIADO DI Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,02% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ

2 JPM BRAZILIAN CORPORATE BONDS MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,27% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM BRASIL CORPORATIVO FIM CP Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,32% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ ICATU SEG DYNAMIC CRÉDITO PRIVADO ESPECIALMENTE CONSTITUÍDO RENDA FIXA Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,04% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM PLUS FI RF CRED PRIV Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,28% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM PREMIUM FIXA CRÉDITO PRIVADO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,06% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM SPECIAL FIXA CP Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,34% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI RF CREDITO PRIVADO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,21% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ

3 JPM YIELD MASTER FI RF Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,05% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ JP MORGAN MULTIESTRATEGIA MASTER FIM Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 15,8% , ,00 0,11% 11/09/2015 Rio de Janeiro/RJ INNOVATION RF CP FI Exclusivo Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,80% 11/10/2015 Curitiba/PR COTOVIA FI MULTIMERCADO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,38% 11/10/2015 Curitiba/PR PREVIDENCIA FIM Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,40% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM BRAZILIAN CORPORATE BONDS MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 1,10% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM BRASIL CORPORATIVO FIM CP Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 1,07% 11/10/2015 Curitiba/PR

4 ICATU SEG DYNAMIC CRÉDITO PRIVADO ESPECIALMENTE CONSTITUÍDO RENDA FIXA Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,62% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM PLUS FI RF CRED PRIV Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,71% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM PREMIUM FIXA CRÉDITO PRIVADO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,41% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM RATES AND FX MASTER FIM em Geral Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,90% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM SPECIAL FIXA CP Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 1,30% 11/10/2015 Curitiba/PR JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI RF CREDITO PRIVADO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 1,04% 11/10/2015 Curitiba/PR FI RF CRED PRIV JPM HDI BRASIL Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,74% 11/10/2015 Curitiba/PR CITIPREVIDENCIA MULTIMERCADO FI PREVIDENCIARIO Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 53,6% , ,00 0,26% 11/10/2015 Curitiba/PR

5 ICATU SEGUROS ESTRATEGIA PREVIDENCIARIO RENDA FIXA CREDITO PRIVADO Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,43% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JP MORGAN MULTIESTRATEGIA MASTER FIM Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,40% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ INNOVATION RF CP FI Exclusivo Debêntures ples 6,5% , ,00 1,29% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM BRASIL RF FI RF CRED PRIV Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,64% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ

6 PREVIDENCIA FIM Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,67% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM BRAZILIAN CORPORATE BONDS MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO Qualificados Debêntures ples 6,5% , ,00 1,37% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM BRASIL CORPORATIVO FIM CP Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,25% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ ICATU SEG DYNAMIC CRÉDITO PRIVADO ESPECIALMENTE CONSTITUÍDO RENDA FIXA Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,33% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ

7 JPM PLUS FI RF CRED PRIV Qualificados Debêntures ples 6,5% , ,00 0,41% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM PREMIUM FIXA CRÉDITO PRIVADO Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,68% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM SPECIAL FIXA CP Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,45% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI RF CREDITO PRIVADO Restrito Debêntures ples 6,5% , ,00 0,89% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ

8 Qualificados Debêntures ples 6,5% , ,00 0,32% 11/11/2015 Rio de Janeiro/RJ JPM YIELD MASTER FI RF Os cotistas representando 90,12% das cotas seniores e mezanino em circulação e 98,94% dos cotistas seniores e mezanino presentes, apresentaram voto favorável à aprovação das seguintes matérias: (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. FIXED INCOME CLASS FIXA (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. em Geral Cotas de FIDC/FICFIDC 0,6% ,00 100,00 0,15% 27/11/2015 Osasco/SP Os cotistas representando 90,12% das cotas seniores e mezanino em circulação e 98,94% dos cotistas seniores e mezanino presentes, apresentaram voto favorável à aprovação das seguintes matérias: (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. PREVIDENCIA FIM Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 0,6% ,00 100,00 0,04% 27/11/2015 Osasco/SP (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. Os cotistas representando 90,12% das cotas seniores e mezanino em circulação e 98,94% dos cotistas seniores e mezanino presentes, apresentaram voto favorável à aprovação das seguintes matérias: (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. JPM RATES AND FX MASTER FIM em Geral Cotas de FIDC/FICFIDC 0,6% ,00 100,00 0,27% 27/11/2015 Osasco/SP Os cotistas representando 90,12% das cotas seniores e mezanino em circulação e 98,94% dos cotistas seniores e mezanino presentes, apresentaram voto favorável à aprovação das seguintes matérias: (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. (i) a liquidação antecipada do Fundo nos termos do Artigo 58 de seu Regulamento, como consequência e condicionada à aprovação e implementação das matérias mencionadas nos itens (ii) e (iii) abaixo; (ii) a possibilidade de recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente durante um período de até 90 dias contados da data da realização da Assembleia Geral de Cotistas, pelo valor necessário para o integral resgate das quotas sêniores e das quotas mezanino do Fundo na data de realização do resgate antecipado, calculado nos termos dos respectivos suplementos; (iii) O resgate da totalidade das quotas Seniores e das quotas mezanino do Fundo, observadas as condições propostas pelo Cedente do Fundo conforme o Item (ii) da ordem do dia, que será condicionada a recompra da totalidade dos direitos creditórios pela Cedente e deverá ocorrer em até 2 (dois) dias úteis contados do pagamento do valor de recompra dos direitos creditórios pelo Cedente; e (iv) os procedimentos a serem adotados pela Administradora em razão das deliberações dos itens anteriores. JPM YIELD MASTER FI RF Qualificados Cotas de FIDC/FICFIDC 0,6% ,00 100,00 0,05% 27/11/2015 Osasco/SP

9 JPM SPECIAL FIXA CP Restrito Cotas de FIDC/FICFIDC 0,9% 1.595,00 13,60 0,19% 30/11/2015 Rio de Janeiro/RJ i. Atualização pelo prestador de serviço do status dos processos de novação dos FCVSs que O item I da ordem do dia não possui cunho deliberativo, enquanto os itens 2 e 3 compõe a carteira do fundo.ii. aprovação de proposta para contratação do auditor do fundo, foram aprovados por unanimidade dos presentes. para o exercício social iniciado em 01 de dezembro de 2014 e findo em 30 de novembro de iii. autorizar o administrador a alterar o regulamento do fundo para fazer constar o prestador dos serviços de auditoria que vier a ser contratado.

Nome completo da cidade/sigla do Estado (Ex.: São Paulo/SP). Se ocorrer fora do Brasil, incluir o termo "Exterior" e o nome do país.

Nome completo da cidade/sigla do Estado (Ex.: São Paulo/SP). Se ocorrer fora do Brasil, incluir o termo Exterior e o nome do país. Denominação do Fundo Investidor DADOS DO FUNDO INVESTIDOR Fundo Restrito ou Exclusivo? Tipo de "ativo/título" (Ex.: ações, debêntures, cota de fundos, etc) % da participação total dos Fundos sob gestão,

Leia mais

sob gestão alocado no ativo em questão no dia da Cidade onde ocorreu a Data da EXPOSURE Assembleia Assembleia Assembleia

sob gestão alocado no ativo em questão no dia da Cidade onde ocorreu a Data da EXPOSURE Assembleia Assembleia Assembleia DADOS DO FUNDO INVESTIDOR Denominação do Fundo Investidor s realizadas Nome da empresa emissora dos ativos ou títulos (ações, debêntures, etc) ou Nome do fundo de investimento (cotas) Tipo de "ativo/título"

Leia mais

gestão alocado no ativo em questão no dia da Data da Assembleia EXPOSURE Assembleia

gestão alocado no ativo em questão no dia da Data da Assembleia EXPOSURE Assembleia DADOS DO FUNDO INVESTIDOR Denominação do Fundo Investidor Assembleias realizadas Nome da empresa emissora dos ativos ou títulos (ações, debêntures, etc) ou Nome do fundo de investimento (cotas) Tipo de

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITORIOS JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITORIOS JPM SPECIAL INSTITUCIONAL MASTER FI DADOS DO FUNDO INVESTIDOR DADOS DO ATIVO DADOS DA ASSEMBLEIA Denominação do Fundo Investidor Assembleias realizadas Nome da Tipo de "ativo/título" (Ex.: empresa emissora dos ativos ou ações, debêntures,

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 3.0 - Julho/2014) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS Versão: Setembro/2014 1 - Introdução e Objetivo A MV Capital adere ao Código de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento da ANBIMA,

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS OMNI VEÍCULOS VIII ( AGC )

ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS OMNI VEÍCULOS VIII ( AGC ) ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS OMNI VEÍCULOS VIII ( AGC ) No dia 03.08.2015, a Western Asset, na qualidade de representante dos fundos de investimento abaixo

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014 Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014 1. OBJETIVO O objetivo da Política de Voto (ou simplesmente Política ) é determinar as regras que deverão ser observadas pelos Fundos

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto Setembro de 2012 Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 50 13º andar 04543-000 Itaim Bibi - São Paulo - SP Tel 55 11 3318-9400 - Fax 55 11 3318 9403 Esta Política estabelece

Leia mais

(b) Ativos financeiros de emissor com sede social fora do Brasil; e

(b) Ativos financeiros de emissor com sede social fora do Brasil; e POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES IMOBILIARIOS E FUNDOS DE INVESTIMENTO CUJAS COTAS INTEGREM AS CARTEIRAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO ADMINISTRADOS

Leia mais

POLÍTICA DO EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

POLÍTICA DO EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS POLÍTICA DO EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS I. DISPOSIÇÕES GERAIS 1. A PLANNER CORRETORA DE VALORES S.A., na qualidade de administradora e/ou gestora de fundos de investimento, adota, como

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DTVM S.A. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Art. 1º. A presente política, em conformidade com o Código de Auto-Regulação

Leia mais

P O L Í T I C A D E E X E R C Í C I O D E D I R E I T O D E V O T O E M AS S E M B L E I AS

P O L Í T I C A D E E X E R C Í C I O D E D I R E I T O D E V O T O E M AS S E M B L E I AS P O L Í T I C A D E E X E R C Í C I O D E D I R E I T O D E V O T O E M AS S E M B L E I AS V e r s ã o : 0 1 / 2014 01 d e o u t u b r o d e 2 0 1 4 V i g ê n c i a : A p a r t i r d e 07. 10. 2014 1

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. CAPÍTULO I Do Objetivo

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. CAPÍTULO I Do Objetivo POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Do Objetivo 1.1 Esta política tem por objetivo estabelecer os requisitos e os princípios que nortearão a Finacap Consultoria Financeira

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA BACOR CCVM. Página: 1 Título: Exercício de Direito de Voto em Assembleia

POLÍTICA CORPORATIVA BACOR CCVM. Página: 1 Título: Exercício de Direito de Voto em Assembleia Sumário: 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. ABRANGÊNCIA:... 2 04. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01. Responsáveis pela execução das atribuições desta política:... 2 04.02. Responsáveis

Leia mais

Aos Fundos exclusivos ou restritos, que prevejam em seu regulamento cláusula que não obriga a adoção, pela TRIAR, de Política de Voto;

Aos Fundos exclusivos ou restritos, que prevejam em seu regulamento cláusula que não obriga a adoção, pela TRIAR, de Política de Voto; Política de Exercício de Direito de Voto em assembleias gerais de fundos de investimento e companhias emissoras de valores mobiliários que integrem as carteiras dos fundos de investimento geridos pela

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Julho/2010 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA...3 3. PRINCÍPIOS GERAIS...3 4. MATÉRIAS RELEVANTES OBRIGATÓRIAS...3 5. DOS CASOS FACULTATIVOS...4

Leia mais

HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. São Paulo, novembro de 2014

HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. São Paulo, novembro de 2014 HIGHLAND BRASIL GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS São Paulo, novembro de 2014 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO

Leia mais

ASK GESTORA DE RECURSOS LTDA.

ASK GESTORA DE RECURSOS LTDA. ASK GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias ( Política

Leia mais

VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII)

VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII) VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII) I) OBJETO: A presente política de voto trata do exercício

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ENTIFICAÇÃO Versão Publicado em A revisar em 06 13/02/2016 1 DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA RESUMO DESCRITIVO Princípios e diretrizes utilizados

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto 1.1. Pelo presente documento, a INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. ( Gestora ), vem,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO DEX CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO DEX CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO DEX CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. 1 Definição e Finalidade O objetivo desta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ) é estabelecer os princípios

Leia mais

GARDEN CITY PARTICIPAÇÕES E GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS DEZEMBRO/2013

GARDEN CITY PARTICIPAÇÕES E GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS DEZEMBRO/2013 GARDEN CITY PARTICIPAÇÕES E GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS DEZEMBRO/2013 1 A presente Política de Voto encontra-se: (i) registrada na ANBIMA (Associação

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO 1.1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

POLÍTICA DE VOTO 1.1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO POLÍTICA DE VOTO 1.1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO A BRAM Bradesco Asset Management S.A DTVM ( BRAM ) aderiu ao Código de Auto Regulação de Fundos de Investimento ( Código ) da Associação Nacional de Bancos de

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. ABRANGÊNCIA:... 2 04. RESPONSABILIDADES:... 3 04.01. Responsáveis pela

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai Nível 3 Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai 1 ÍNDICE 1. Definição e Finalidade... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Matérias Relevantes Obrigatórias... 4

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Skopos Investimentos Ltda. 1 Ficha Técnica: Título: Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais. Área responsável: Compliance

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PERFIN ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PERFIN ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PERFIN ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. 1 CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS LANX CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS LANX CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS LANX CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS METODO ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS METODO ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS METODO ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. 1. OBJETIVOS 1.1. OBJETIVO A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias ( Política de

Leia mais

Política de Direito de Voto

Política de Direito de Voto Política de Direito de Voto Abril/2013 1 de 5 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES MOBILIÁRIOS QUE INTEGREM AS CARTEIRAS

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS 1. Finalidade 1.1 A finalidade desta Política de Exercício de Voto em Assembleias é estabelecer e comunicar princípios e regras para o exercício

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto Versão 1 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO...3 2. EXCLUSÕES... 3 3. PRINCÍPIOS GERAIS...3 4. POTENCIAIS SITUAÇÕES DE CONFLITO DE INTERESSE...3 5. DA POLÍTICA DE

Leia mais

JSL S.A. CNPJ sob o nº 52.548.435/0001-79 NIRE 35.300.362.683

JSL S.A. CNPJ sob o nº 52.548.435/0001-79 NIRE 35.300.362.683 JSL S.A. CNPJ sob o nº 52.548.435/0001-79 NIRE 35.300.362.683 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DE DEBENTURISTAS DA 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, EM TRÊS

Leia mais

Política de exercício de direito de voto em Assembleias

Política de exercício de direito de voto em Assembleias Política de exercício de direito de voto em Assembleias Data Criação: Ago/11 Data última revisão: Jun/13 1 Sumário 1. Objetivos e aplicação da política de voto... 3 2. Princípios gerais... 3 3. Política

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS KRON GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS KRON GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS KRON GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. Versão Maio/2013 1 CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais 1. Objeto 1.1. Esta Política tem por objetivo estabelecer os princípios gerais, em matérias relevantes obrigatórias, os critérios e os procedimentos

Leia mais

Índice POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. Página. Data de Publicação. Versão. Área responsável 03/11/2015

Índice POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS. Página. Data de Publicação. Versão. Área responsável 03/11/2015 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS Índice 1. Objetivo... 2 2. Princípios Gerais... 2 2.1. Presença Facultativa... 2 2.2. Exceções... 3 3. Matérias Relevantes Obrigatórias...

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PAINEIRAS INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PAINEIRAS INVESTIMENTOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS PAINEIRAS INVESTIMENTOS I Aplicação e Objeto 1.1. A Paineiras Investimentos ( Gestor ), vem por meio desta, em conformidade com o Código de

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MÁXIMA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MÁXIMA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MÁXIMA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO ESTRUTURADOS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO ESTRUTURADOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO ESTRUTURADOS DO OBJETO A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, na qualidade de gestora e/ou instituição administradora de Fundos de

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE VOTO

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE VOTO 1/8 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADOR REVISOR APROVADOR Ana Bezerra Diretora Corporativa Carolina Vilela Analista de Controles Internos e Compliance Luiz Eduardo Franco de Abreu Diretor-Presidente Antonio

Leia mais

Comunicado aos Cotistas

Comunicado aos Cotistas Rio de Janeiro, 05 de setembro de 2014. Comunicado aos Cotistas A Administradora, BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM, instituição financeira com sede na Praia de Botafogo, n. º 501, 5º andar (parte),

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O ALFAPREV RF PRIVATE - Fundo de Investimento

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS Índice 1. Objetivo... 2 2. Regulação e Autoregulação CVM e Anbima... 2 3. Princípios Gerais... 3 4. Tratamento dos assuntos que fazem parte

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO. (Política de Voto para FII) SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Leste Administração

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto 1.1. O objeto desta Política de Voto é estabelecer as regras a serem observadas pela INFRA

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS Versão 02 Início de Vigência: 24/04/2015 PARATY CAPITAL LTDA., com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Francisco Leitão, 339,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Rua Amauri, 255 6º andar 01448-000 São Paulo SP Brasil T (+55 11) 3019 3400 F (+55 11) 3019 3414 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição e Finalidade De acordo

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GAP GESTORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GAP GESTORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GAP GESTORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

Política de Exercício de Direito de voto. Proxy Voting. XP Gestão de Recursos Ltda.

Política de Exercício de Direito de voto. Proxy Voting. XP Gestão de Recursos Ltda. Política de Exercício de Direito de voto XP Gestão de Recursos Ltda. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA E ESCOPO... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. EXERCÍCIO

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia Trinus Capital

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia Trinus Capital Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia Trinus Capital Página 1 de 7 Índice Geral 1. Objetivo e Escopo... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Potenciais Situações de Conflito de Interesses...

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Elaboração: Estruturação Código: CPP-010 Aprovação: Diretoria Vigente Desde: 06/2008 Versão: 03 Última Versão: 08/2011 Classificação do Documento:

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto I Aplicação e Objeto 1.1. A ARSA INVESTIMENTOS LTDA. ( ARSA ) vem por meio desta, nos termos do Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS...

Leia mais

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DE DEBENTURISTAS DA 6ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES REALIZADA EM 10

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais Capítulo I: Aplicação e Objeto 1.1. Pelo presente documento, a ARBITRAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( Gestora ) vem, nos termos do Código ANBIMA

Leia mais

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 MATERIAL PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP, A

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO A BRAM Bradesco Asset Management S.A DTVM ( BRAM ) aderiu ao Código de Autorregulação de Fundos de Investimento ( Código ) da Associação Brasileira das Entidades

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBIMA para os Fundos de Investimento, disciplina os princípios

Leia mais

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO Superintendência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Introdução e Objetivo... 3 2. Exclusões... 3 3. Vigência... 4 4. Princípios Gerais... 4 5. Conflito de Interesse...

Leia mais

MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF Nº. 27.093.558/0001-15 NIRE: 33.3.0028974-7

MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF Nº. 27.093.558/0001-15 NIRE: 33.3.0028974-7 MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. CNPJ/MF Nº. 27.093.558/0001-15 NIRE: 33.3.0028974-7 ATA DA ASSEMBLEIA DE DEBENTURISTAS DA SEGUNDA SÉRIE DA SEGUNDA EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES SIMPLES,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PETRA ASSET GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. Publicação 30/12/2015 - versão 001 Responsável: PETRA Asset Gestão de Investimentos Ltda. Documento - PÚBLICO

Leia mais

EMERALD Gestão de Investimentos Ltda - Gestão de fundos de Investimento

EMERALD Gestão de Investimentos Ltda - Gestão de fundos de Investimento EMERALD Gestão de Investimentos Ltda Gestão de fundos de Investimento DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ENTIFICAÇÃO Versão Publicado em A revisar em 02//25 1 DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING)

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) Documento: Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais (Política de Proxy Voting) POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) A, doravante

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS Agosto de 2012 A Exploritas Administração Financeira Ltda ( Gestora ), gestora de Fundos de Investimento

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR 1 ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento PLATINUM é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

LISTAGEM DE FUNDOS DISTRIBUÍDOS

LISTAGEM DE FUNDOS DISTRIBUÍDOS LISTAGEM DE FUNDOS DISTRIBUÍDOS ÍNDICE Absolute Alpha FIC FIM... 4 Absolute Hedge FIC FIM... 6 BNY Mellon Arx FI Ref DI LP... 8 BNY Mellon Arx FI Ref DI LP II... 10 BNY Mellon Arx FI Ref DI LP III... 12

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00 FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS REALIZADA EM 04 DE MAIO DE 2012 I. Data, Hora e Local da Reunião: Aos 03 de maio,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Versão 10-Set-15 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO, constituído por número limitado de membros

Leia mais

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF Nº 06.082.980/0001-03 NIRE 33.3.0028176-2

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF Nº 06.082.980/0001-03 NIRE 33.3.0028176-2 ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF Nº 06.082.980/0001-03 NIRE 33.3.0028176-2 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DOS TITULARES DE DEBÊNTURES DA 1ª (PRIMEIRA) EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO I Denominação e Objetivo Artigo 1º - O Clube de Investimento IMPACTO constituído por número limitado de membros que tem por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE ATIVOS FINANCEIROS QUE CONTEMPLEM O DIREITO DE VOTO E INTEGREM AS CARTEIRAS DOS FUNDOS

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA Conformidade ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Versão 2015/2 Editada em novembro de 2015 SUMÁRIO 1.

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS GRADIUS GESTÃO DE CARTEIRAS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Page 1 of 8 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva responsabilidade

Leia mais

BSI CAPITAL SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF N 11.257.352/0001-43 NIRE 35.300.461.827

BSI CAPITAL SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF N 11.257.352/0001-43 NIRE 35.300.461.827 BSI CAPITAL SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF N 11.257.352/0001-43 NIRE 35.300.461.827 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE TITULARES DOS CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 1ª E 2ª SÉRIES DA 1ª

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA 1. OBJETIVO O objetivo desta Política de Exercício de Direito de Voto é estabelecer regras no que diz respeito ao exercício do direito de voto em

Leia mais

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A

ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF n.º 02.387.241/0001-60 NIRE n.º 41.300.019.886 Companhia Aberta Categoria A ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DE DEBENTURISTAS DA 5ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES REALIZADA EM 10

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013

INSTRUÇÃO CVM Nº 531, DE 6 DE FEVEREIRO DE 2013 Altera dispositivos da Instrução CVM nº 356, de 17 de dezembro de 2001 e da Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado,

Leia mais

BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA

BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO Brasil Plural Gestão de Recursos Ltda. Setembro de 2015 I. Definição e Finalidade 1. A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais de

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE VOTO DTVM

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE VOTO DTVM Página 1/6 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: FINALIDADE: ELABORADOR: POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS NORMA ESTRATÉGICA Promover as orientações para o exercício do direito de voto em assembleias

Leia mais

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUCAO 3.308 --------------- Altera as normas que disciplinam a aplicação dos recursos das reservas, das provisões e dos fundos das sociedades seguradoras, das sociedades de capitalização e das entidades

Leia mais

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento LUCIANA BARBOSA SILVEIRA Superintendente de Jurídico e Compliance Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento Sumário A partir de out/2015, novas normas passarão a reger a indústria de fundos

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

SUL AMÉRICA S.A. CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87 NIRE 33.3.0003299-1 Companhia Aberta de Capital Autorizado CVM Nº 02112-1

SUL AMÉRICA S.A. CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87 NIRE 33.3.0003299-1 Companhia Aberta de Capital Autorizado CVM Nº 02112-1 SUL AMÉRICA S.A. CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87 NIRE 33.3.0003299-1 Companhia Aberta de Capital Autorizado CVM Nº 02112-1 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DE DEBENTURISTAS DA 1ª EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES SIMPLES,

Leia mais

Exercício do Direito de Voto

Exercício do Direito de Voto Procedimento Exercício do Direito de Voto Data de Efetivação: 01/08/2014 ÍNDICE 1. Sumário... 2 2. Alterações das versões anteriores... 2 3. Escopo... 2 4. Responsabilidades... 2 5. Previsão Regulatória

Leia mais

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

BRASIL TELECOM S.A. CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 53 3 0000622-9

BRASIL TELECOM S.A. CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 53 3 0000622-9 BRASIL TELECOM S.A. (COMPANHIA ABERTA) CNPJ/MF Nº 76.535.764/0001-43 NIRE 53 3 0000622-9 Ata de Assembleia Geral de Debenturistas da 5ª Emissão de Debêntures Simples e Não Conversíveis em Série Única da

Leia mais