OBJETOS DISTRIBUÍDOS: CONCEITOS E PADRÕES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OBJETOS DISTRIBUÍDOS: CONCEITOS E PADRÕES"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS INPE-7939-TDI/744 OBJETOS DISTRIBUÍDOS: CONCEITOS E PADRÕES Samira Rachid da Costa Dissertação de Mestrado em Computação Aplicada, orientada pelo Dr. Tatuo Nakanishi, aprovada em 27 de abril de INPE São José dos Campos 2000

2 COSTA, S. R. Objetos distribuídos: conceitos e padrões / S. R. Costa. - São José dos Campos: INPE, p. - (INPE-7939-TDI/744). 1.Processamento distribuído. 2. Programação orientada a objeto. 3 Sistemas cliente servidor. 4.Programação de computador. 5.Objetos distribuídos. I.Título.

3 Aprovado pela Banca Examinadora em cumprimento a requisito exigido para a obtenção do Título de Mestre em Computação Aplicada. Candidato (a) : Samira Rachid da Costa São José dos Campos, 27 de abril de 2000.

4 As nossas realizações são a expressão da nossa vontade.

5 Ao Elcio, Pedro e Bruno.

6 AGRADECIMENTOS Ao Dr. Tatuo Nakanishi que orientou este trabalho de modo seguro, compreensivo e amigo. À Embraer (VPI/DTE/GEN/NSI), na figura do sr. Laerte Jeronimo de Oliveira, que permitiu o desenvolvimento deste trabalho. Ao colega Marcelo José Ruv Lemes pelos conselhos sempre tão pertinentes. A meus pais, pelo amor e sacrifício; e a meus familiares e amigos pelo encorajamento. A meus tão queridos Elcio, Pedro e Bruno pela paciência, compreensão, apoio e amor.

7 RESUMO Ao se decidir distribuir um sistema deve-se considerar tanto o overhead que isto implica quanto o benefício que pode ser alcançado. Tipicamente, após iniciar-se o modelamento de um sistema, determina-se quais objetos precisam ser implementados como locais e quais como distribuídos. A modelagem apresenta um problema quanto à escolha da arquitetura de distribuição. Estas arquiteturas suportam o desenvolvimento de aplicações executando num ambiente heterogêneo e distribuído, dispondo de serviços comuns às aplicações, tais como, comunicação entre cliente e servidor, isolamento das aplicações em relação às plataformas de hardware, sistemas operacionais, protocolos de rede e linguagens de implementação. Cada uma delas apresentará vantagens e desvantagens, isto é, uma melhor adequação para cada sistema em particular. Através de pesquisa bibliográfica, verificou-se que as arquiteturas mais referenciadas são: o Common Object Request Broker Architecture (CORBA) e o Distributed Component Object Model (DCOM). Assim um estudo das similaridades e diferenças entre ambos, levantadas através de seus modelos de objeto, protocolos de comunicação, funcionalidades e abrangência, passa a ser um ponto de partida para obter um panorama do estado da arte da tecnologia de distribuição de objetos, assim como, para o desenvolvimento de aplicações distribuídas que se utilizem dessas arquiteturas de distribuição.

8 DISTRIBUTED OBJETS: CONCEPTS AND PATTERNS ABSTRACT When deciding to distribute a system, it should be taken into account that the distribution implies "overhead". Yet, the benefit it provides should be explored. Typically, after starting the modeling of a system, is necessary to determine which objects must be implemented as locals or as distributed. The modeling presents a problem in relation to the choice of the distribution architecture. These architectures support the development of applications performing in a heterogeneous environment. They also provide common services to the applications such as communication between server and client; isolation of applications concerned to hardware plataforms; operational systems; net protocols; and implementation languages. Each architecture will present advantages and disadvantages. That is, a more suitable architecture for each particular system. Through bibliographic research, it was possible to observe that the most referred architectures are: Common Object Request Broker Architecture (CORBA) and Distributed Component Object Model (DCOM). Thus a disquisition showing the similarities and differences between then could be the first step to obtain an overview of the distributed object technology; and also assist the development of distributed application based on one of this distribution architectures.

9 SUMÁRIO Pág. LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO CAPÍTULO 2 - OBJETOS E DISTRIBUIÇÃO OBJETOS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS ORIENTADOS A OBJETOS CAPÍTULO 3 - MIDDLEWARE ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR DE DUAS CAMADAS ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR DE TRÊS CAMADAS MONITORES DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÃO SERVIDOR DE MENSAGENS OBJECT REQUEST BROKER MIDDLEWARE SERVIÇOS MIDDLEWARE TIPOS DE MIDDLEWARE COM/DCOM CORBA JAVA DCE... 53

10 CAPÍTULO 4 - DCOM OBJETO COM INTERFACES IDENTIFICADOR DE INTERFACE LINGUAGEM DE DEFINIÇÃO DE INTERFACE VTABLE INTERFACE FUNDAMENTAL IUnknown INTERFACE IUnknown::QueryInterface INTERFACE IUnknown::AddRef / IUnknown::Release BIBLIOTECA COM CRIAÇÃO DE OBJETOS COM FÁBRICA DE OBJETOS PERSISTÊNCIA ARMAZENAGEM ESTRUTURADA INTERFACES IPersist MONIKERS COMUNICAÇÃO CLIENTE/OBJETO COM CLIENTE E SERVIDOR DE OBJETOS NO MESMO PROCESSO CLIENTE E SERVIDOR DE OBJETOS LOCAL CLIENTE E SERVIDOR DE OBJETOS REMOTO MARSHALING E UNMARSHALING TYPE INFORMATION INTERFACE IDispatch DCOM CRIAÇÃO DE UM OBJETO REMOTO CRIAÇÃO DE UM OBJETO REMOTO - CoCreateInstance CRIAÇÃO DE UM OBJETO REMOTO - CoCreateInstanceEx CRIAÇÃO E INICIAÇÃO DE UM OBJETO REMOTO CRIAÇÃO DE UM OBJETO REMOTO - Monikers... 95

11 ACESSO A UM OBJETO REMOTO OBJETO RPC OXIDs OBJREFs INTERFACE IRemUnknown PINGING ACESSO SEGURO A UM OBJETO REMOTO SEGURANÇA DE ATIVAÇÃO CHAMADA SEGURA CONSIDERAÇÕES FINAIS CAPÍTULO 5 - CORBA MODELO DE OBJETO COMPUTAÇÃO DISTRIBUÍDA ADIÇÃO DE BROKER ENTRE CLIENTES E SERVIDORES PROCESSOS SERVIDORES SUPORTE À COMUNICAÇÃO SÍNCRONA E ASSÍNCRONA CONCEITOS E TERMOS ASSOCIADOS AO CORBA REQUISIÇÕES IDL INSTÂNCIAS E REFERÊNCIAS DE OBJETOS IMPLEMENTAÇÃO DE OBJETOS ARQUITETURA CORBA INTEROPERABILIDADE CORBA OBJECT MANAGEMENT ARCHITECTURE SERVIÇOS CORBA SERVIÇOS DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÃO SERVIÇO DE PROPRIEDADE SERVIÇO DE RELACIONAMENTO

12 SERVIÇO DE CONSULTA SERVIÇO DE EXTERNALIZAÇÃO SERVIÇO DE PERSISTÊNCIA DE OBJETO SERVIÇO DE COLEÇÃO SERVIÇOS DE GERENCIAMENTO DE TAREFAS SERVIÇO DE EVENTOS SERVIÇO DE CONCORRÊNCIA SERVIÇO DE TRANSAÇÃO SERVIÇOS DE GERENCIAMENTO DE SISTEMA SERVIÇO DE NOMEAÇÃO SERVIÇO DE CICLO DE VIDA SERVIÇO DE LICENCIAMENTO SERVIÇO DE NEGÓCIOS SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA SERVIÇO DE TEMPO SERVIÇO DE SEGURANÇA FACILIDADES CORBA FACILIDADES HORIZONTAIS FACILIDADE DE INTERFACE DE USUÁRIO FACILIDADE DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÃO FACILIDADE DE GERENCIAMENTO DE SISTEMA FACILIDADE DE GERENCIAMENTO DE TAREFA FACILIDADES VERTICAIS OMG CONSIDERAÇÕES FINAIS CAPÍTULO 6 CORBA / DCOM CORBA/DCOM PADRONIZAÇÃO

13 MODELO DE OBJETO INTERFACE DE OBJETO IDL HERANÇA DE INTERFACE REPOSITÓRIO DE INTERFACES CICLO DE VIDA DO OBJETO PROTOCOLO ERROS E EXCEÇÕES PERSISTÊNCIA SERVIÇOS SEGURANÇA CLASSIFICAÇÃO INTEROPERABILIDADE CORBA/DCOM CONSIDERAÇÕES FINAIS CAPÍTULO 7 - JAVA CARACTERÍSTICAS DA LINGUAGEM INTERFACE BIBLIOTECAS JAVA RMI CAMADA STUB / SKELETON CAMADA DE REFERÊNCIA REMOTA CAMADA DE TRANSPORTE APLICAÇÔES UTILIZANDO RMI CARREGAMENTO DINÂMICO DE STUB GARBAGE COLLECTION DE OBJETOS REMOTAS CONSIDERAÇÕES FINAIS

14 CAPÍTULO 8 - CONCLUSÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICE A - EXEMPLO DE APLICAÇÃO

15

16 LISTA DE FIGURAS Pág Arquitetura cliente/servidor de duas camadas Arquitetura cliente/servidor de três camadas Monitores de processamento de transações Funções do ORB Middleware Arquitetura DCE Objeto COM Ponteiros para interfaces de objeto COM Localização de objetos COM Reuso por contenção Reuso por agregação Formato padrão Uso do método QueryInterface da interface IUnknown Criação de uma instância de um objeto COM Criação de um objeto COM utilizando fábrica de objetos Armazenagem Estruturada Objeto COM acessando armazenadores e conjuntos de dados Utilização de Moniker Acesso a objetos COM no mesmo processo do cliente Acesso a objetos COM locais Acesso a objetos COM remotos Type library Interface IDispatch Criação de objeto COM remoto usando CoCreateInstance Criação de objeto COM remoto utilizando CoCreateInstanceEx

17 Criação de objeto COM remoto utilizando Monikers OXID resolver Interface IRemUnknown Relacionamentos clientes e servidores Múltiplos clientes e servidores com ORB Exemplo de IDL CORBA mapeada para C Exemplo de uma definição de interface Um cliente associado a uma implementação no servidor Arquitetura CORBA Invocação via stubs e DII Estrutura típica do Adaptador de Objeto Relacionamento entre Repositórios de Interface e Implementação Relacionamento entre os protocolos inter-orb Arquitetura de Gerenciamento de Objeto (OMA) Exemplo de um Serviço de Relacionamento Exemplo de um Serviço de Persistência de Objeto Exemplo de um gráfico de nomes Interação entre o negociante e seus clientes Arquitetura de Gerência de Objetos Número de interfaces necessárias para integração entre objetos Mapeamento do IDL CORBA Herança de interface CORBA e DCOM Ciclo de vida de um objeto CORBA Windows DNA Esquema geral de um gateway entre CORBA e DCOM Ambiente Java RMI Aplicações de objetos distribuídos com RMI

18 LISTA DE TABELAS Pág Capacidades da facilidade de Interface de Usuário Capacidades da facilidade de Gerenciamento de Informação Capacidades da facilidade de Gerenciamento de Sistema Capacidades da facilidade de Gerenciamento de Tarefa Capacidades das facilidades Verticais Similaridades e diferenças entre CORBA e DCOM A.1 Interfaces IDL A.2 Implementação do cliente A.3 Implementação do objeto servidor A.4 Programa principal

19 LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS ACID ACL ANSI API ASCII BNF BOA CDR CDS CLSID COM CORBA DBMS DCE DCE ESIOP DCE RPC DCOM DFS DHTML DII DLL DNA DSOM DSPID DOT DTS EBCDIC EJB FTP - Atomic, Consistent, Isolated, Durable - Access Control List - American National Standards Institute - Application Programming Interface - American Standard Code for Interchange of Information - Backus-Naur Form - Basic Object Adapter - Common Data Representation - Cell Directory Service - Class Identifier - Component Object Model - Common Object Request Broker Architecture - Data Base Management System - Distributed Computing Enviroment - DCE Especific Environment Inter-ORB Protocol - Distributed Computing Enviroment Remoto Procedure Call - Distributed Component Object Model - Distributed File Service - Dynamic Hipertext Markup Language - Dynamic Invocation Interface - Dynamic Link Library - Windows Distributed internet Applications - Distributed Object Model - Dispatch Identifier - Distributed Object Technology - Distributed Time Service - Extended Binary-Coded Decimal Interchange Code - Enterprise JavaBeans - File Transfer Protocol

20 GIOP GUI GUID HTML HTTP IDL IID IIOP IP ISO JDK JIT JRMP JVM LAN LDAP MIDL MS MSQM MS RPC MTS NDR OA Object RPC OMA OMG ORB OSF OSI POA QoS - General Inter-ORB Protocol - Graphic User Interface - Globally Unique Identifier - Hipertext Markup Language - Hiper Text Transfer Protocol - Interface Definition Language - Interface Identifier - Internet Inter-ORB Protocol - Internet Protocol - International Standards Organization - Java Developer s Kit - Just-in-Time - Java Remote Method Protocol - Java Virtual Machine - Local Area Network - Lightweight Directory Access Protocol - Microsoft Interface Definition Language - Microsoft - Microsoft Message Queue Server - Microsoft Remoto Procedure Call - Microsoft Transaction Server - Network Data Representation - Object Adapter - Object Remoto Procedure Call - Object Management Architecture - Object Management Group - Object Request Broker - Open Software Foundation - Open System Interconnect - Portable Object Adapter - Quality of Service

21 RFC - Request for Comment RFP - Request for Proposal RMI - Remote Method Invocation RPC - Remote Procedure Call SQL - Structured Query Language TIO - Time Interval Object TP - Transaction Processing TCP - Transmission Control Protocol TCP/IP - Transmission Control Protocol / Internet Protocol UDA - Universal Data Access UDP - User Datagram Protocol UDP/IP - User Datagram Protocol / Internet Protocol UML - Unified Modeling Language URL - Uniform Resource Locators ou Universal Resource Locators UTO - Universal Time Object UUID - Universally Unique Identifier VM - Virtual Machine WEB - World Wide Web

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO... 27 CAPÍTULO 2 - SISTEMAS DISTRIBUÍDOS BASEADOS EM OBJETOS... 33

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO... 27 CAPÍTULO 2 - SISTEMAS DISTRIBUÍDOS BASEADOS EM OBJETOS... 33 SUMÁRIO Pág. LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS LISTA DE SÍMBOLOS CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO... 27 CAPÍTULO 2 - SISTEMAS DISTRIBUÍDOS BASEADOS EM OBJETOS... 33 CAPÍTULO 3 - SUPORTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE

Leia mais

CAPÍTULO 3 MIDDLEWARE. Para entender-se o aparecimento da tecnologia middleware é descrita a seguir, e, brevemente, a sua evolução.

CAPÍTULO 3 MIDDLEWARE. Para entender-se o aparecimento da tecnologia middleware é descrita a seguir, e, brevemente, a sua evolução. CAPÍTULO 3 MIDDLEWARE Para entender-se o aparecimento da tecnologia middleware é descrita a seguir, e, brevemente, a sua evolução. 3.1 ARQUITETURA CLIENTE/SERVIDOR Primeiramente, surgiu a arquitetura centralizada

Leia mais

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Princípios de Sistemas Distribuídos Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Conceitos de comunicação entre processos Interprocess Communication (IPC) Sistemas distribuídos são construídos

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO 19 CAPÍTULO 2 - CONCEITOS 25

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO 19 CAPÍTULO 2 - CONCEITOS 25 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS Pág. CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO 19 CAPÍTULO 2 - CONCEITOS 25 2.1 A tecnologia de orientação a objetos 25 2.1.1 Projeto de software

Leia mais

CORBA. Common Object Request Broker Architecture. Unicamp. Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br

CORBA. Common Object Request Broker Architecture. Unicamp. Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br CORBA Common Object Request Broker Architecture Unicamp Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br Objetivos Apresentação Tecnologia CORBA Conceitos Básicos e Terminologia Considerações

Leia mais

Componentes para Computação Distribuída

Componentes para Computação Distribuída Componentes para Computação Distribuída Conceitos Foi a partir do fenômeno da Internet (WWW), no início dos anos noventa, que a computação distribuída passou a ter relevância definitiva, a ponto de a Internet

Leia mais

O modelo de arquitetura CORBA e suas aplicações

O modelo de arquitetura CORBA e suas aplicações ABR. MAI. JUN. 2004 ANO X, N º 37 157-163 INTEGRAÇÃO 157 O modelo de arquitetura CORBA e suas aplicações ANA PAULA GONÇALVES SERRA* Resumo Nos últimos anos, os sistemas de informação nas empresas têm evoluído

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Faculdades SENAC Análise e Desenvolvimento de Sistemas 28 de abril de 2010 Principais suportes de Java RMI (Remote Method Invocation), da Sun Microsystems DCOM (Distributed Component Object Model), da

Leia mais

Capítulo VI CORBA. Common Object Request Broker Architecture. [Cardoso2008] Programação de Sistemas Distribuídos em Java, Jorge Cardoso, FCA, 2008.

Capítulo VI CORBA. Common Object Request Broker Architecture. [Cardoso2008] Programação de Sistemas Distribuídos em Java, Jorge Cardoso, FCA, 2008. Common Object Request Broker Architecture [Cardoso2008] Programação de Sistemas Distribuídos em Java, Jorge Cardoso, FCA, 2008. From: Fintan Bolton Pure CORBA SAMS, 2001 From: Coulouris, Dollimore and

Leia mais

Cliente/Servidor. Objetos Distribuídos. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1

Cliente/Servidor. Objetos Distribuídos. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1 Cliente/Servidor Objetos Distribuídos Graça Bressan Graça Bressan/LARC 2000 1 Objetos São entidades de software que encapsulam dados, ou atributos, e código e que são acessados através de funções ou métodos.

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos 11 Objetivos Este capítulo apresenta uma introdução aos sistemas distribuídos em geral Arquiteturas de cliente servidor Características das arquiteturas de 2 e 3 camadas Ambiente

Leia mais

CAPÍTULO 6 CORBA / DCOM

CAPÍTULO 6 CORBA / DCOM CAPÍTULO 6 CORBA / DCOM Após determinar quais objetos precisam ser implementados como locais e quais como distribuídos, é difícil optar por uma arquitetura de distribuição. Por exemplo, num caso hipotético,

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS

SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1 2 Caracterização de Sistemas Distribuídos: Os sistemas distribuídos estão em toda parte. A Internet permite que usuários de todo o mundo acessem seus serviços onde quer que possam estar. Cada organização

Leia mais

Usando Borland DELPHI para implementar aplicações CORBA

Usando Borland DELPHI para implementar aplicações CORBA Página 1 de 10 USANDO BORLAND DELPHI PARA IMPLEMENTAR APLICAÇÕES CORBA por Simone Vey Dutra e César Bridi Introdução A Arquitetura CORBA Criando uma Aplicação CORBA em Delphi Criando um Servidor CORBA

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Soquetes Um soquete é formado por um endereço IP concatenado com um número de porta. Em geral, os soquetes utilizam uma arquitetura cliente-servidor. O servidor espera por pedidos

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Camadas de Software - o Middleware. Sistemas Distribuídos Capítulo 2: Modelos e Arquitecturas. Aplicações. Middleware.

Camadas de Software - o Middleware. Sistemas Distribuídos Capítulo 2: Modelos e Arquitecturas. Aplicações. Middleware. Camadas de Software - o Middleware Sistemas Distribuídos Capítulo 2: Modelos e Arquitecturas Modelos de Arquitecturas para sistemas distribuidos Interfaces e Objectos Requerimentos para Arquitecturas Distribuídas

Leia mais

Sistemas Distribuídos Arquiteturas Middlewares

Sistemas Distribuídos Arquiteturas Middlewares Sistemas Distribuídos Arquiteturas s Arquitetura Arquitetura de um sistema é sua estrutura em termos dos componentes e seus relacionamentos Objetivo: garantir que a estrutura satisfará as demandas presentes

Leia mais

Middleware. Camada Intermediária de Suporte a Sistemas Distribuídos

Middleware. Camada Intermediária de Suporte a Sistemas Distribuídos Middleware Camada Intermediária de Suporte a Sistemas Distribuídos Alternativas de comunicação entre processos (IPC) Mecanismos de IPC tradicionais (ou de baixo nível) Memória compartilhada, filas de mensagens,

Leia mais

INE5380 - Sistemas Distribuídos

INE5380 - Sistemas Distribuídos INE5380 - Sistemas Distribuídos Object Request Broker e CORBA Por: Léo Willian Kölln - 0513227-4 Novembro de 2006 ORB Object Request Broker ORB aqui será tratado como um Middleware que permite a construção

Leia mais

Trabalho de Sistemas Distribuídos

Trabalho de Sistemas Distribuídos Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Petrópolis 2015, v-1.0 Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Trabalho sobre sistemas distribuídos e suas tecnologias. Universidade

Leia mais

A utilização do JSWDP para construção de Web Services

A utilização do JSWDP para construção de Web Services A utilização do JSWDP para construção de Web Services Fabiana Ferreira Cardoso 1, Francisco A. S. Júnior 1, Madianita Bogo 1 1 Centro de Tecnologia da Informação Centro Universitário Luterano de Palmas

Leia mais

Sistemas Distribuídos Comunicação entre Processos em Sistemas Distribuídos: Middleware de comunicação Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Comunicação em sistemas distribuídos é um ponto fundamental

Leia mais

Cliente/Servidor. Conceitos Gerais. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1

Cliente/Servidor. Conceitos Gerais. Graça Bressan. Graça Bressan/LARC 2000 1 Cliente/Servidor Conceitos Gerais Graça Bressan Graça Bressan/LARC 2000 1 Forças de marketing que conduzem à arquitetura cliente/servidor "Cliente/Servidor é um movimento irresistível que está reformulando

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

Computational viewpoint. Engineering Viewpoint

Computational viewpoint. Engineering Viewpoint Processamento Paralelo RM-ODP Prof. João Paulo A. Almeida (jpalmeida@inf.ufes.br) 2007/0 - INF02799 RM-ODP Reference Model for Open Distributed Processing Contém conceitos para a especificação de sistemas

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Exemplos de SD Quais podem ser? Ex. de SD: Internet Internet é um conjunto de redes de computadores, de muitos tipos diferentes,

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Objetos Distribuídos - Programação Distribuída Orientado a Objetos. Luiz Affonso Guedes

Objetos Distribuídos - Programação Distribuída Orientado a Objetos. Luiz Affonso Guedes Objetos Distribuídos - Programação Distribuída Orientado a Objetos Luiz Affonso Guedes Introdução Conceitos básicos programação distribuída + programação orientada a objetos = Objetos distribuídos Motivação

Leia mais

Web Technologies. Tópicos da apresentação

Web Technologies. Tópicos da apresentação Web Technologies Tecnologias de Middleware 2004/2005 Hugo Simões hsimoes@di.fc.ul.pt 1 A Web Tópicos da apresentação Tecnologias Web para suporte a clientes remotos (Applets,CGI,Servlets) Servidores Aplicacionais

Leia mais

CORBA Common Object Request Broker Architecture. Carolina de Oliveira Cunha Lenita Martins Ambrosio Victor da Fonseca Santos

CORBA Common Object Request Broker Architecture. Carolina de Oliveira Cunha Lenita Martins Ambrosio Victor da Fonseca Santos CORBA Common Object Request Broker Architecture Carolina de Oliveira Cunha Lenita Martins Ambrosio Victor da Fonseca Santos Introdução OMG (Object Management Group): uma organização formada por empresas

Leia mais

CAPÍTULO 7 JAVA 7.1 CARACTERÍSTICAS DA LINGUAGEM

CAPÍTULO 7 JAVA 7.1 CARACTERÍSTICAS DA LINGUAGEM CAPÍTULO 7 JAVA Java é uma linguagem orientada a objeto cujo projeto foi desenvolvido pela Sun Microsystems no início de 1991. Ela foi originalmente concebida para ser utilizada na programação de dispositivos

Leia mais

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1 Desenvolvimento Cliente- 1 Ambiienttes de Desenvollviimentto Avançados Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Alexandre Bragança 1998/99 Ambientes de Desenvolvimento Avançados

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

UMA ARQUITETURA DE USO DE AGENTES MÓVEIS PARA CONFIGURAÇÃO DE SERVIÇOS EM CLUSTERS

UMA ARQUITETURA DE USO DE AGENTES MÓVEIS PARA CONFIGURAÇÃO DE SERVIÇOS EM CLUSTERS FACULDADE 7 DE SETEMBRO Curso de Graduação em Sistemas de Informação UMA ARQUITETURA DE USO DE AGENTES MÓVEIS PARA CONFIGURAÇÃO DE SERVIÇOS EM CLUSTERS RUBENS SOARES DE CASTRO JÚNIOR FORTALEZA 2008 RUBENS

Leia mais

Adriano Reine Bueno Rafael Barros Silva

Adriano Reine Bueno Rafael Barros Silva Adriano Reine Bueno Rafael Barros Silva Introdução RMI Tecnologias Semelhantes Arquitetura RMI Funcionamento Serialização dos dados Criando Aplicações Distribuídas com RMI Segurança Exemplo prático Referências

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

Distributed Systems Principles and Paradigms

Distributed Systems Principles and Paradigms Distributed Systems Principles and Paradigms Maarten van Steen VU Amsterdam, Dept. Computer Science (Tradução e Adaptação Ricardo Anido - IC/Unicamp) Capítulo 04: Comunicação Versão: 20 de março de 2014

Leia mais

SISTEMA DISTRIBUÍDO COM O PADRÃO DE ARQUITETURA CORBA

SISTEMA DISTRIBUÍDO COM O PADRÃO DE ARQUITETURA CORBA LEONARDO LINCOLN BIANCHETTI SISTEMA DISTRIBUÍDO COM O PADRÃO DE ARQUITETURA CORBA Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Curso de Ciência da Computação. UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS Orientador:

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

INTEROPERABILIDADE EM SISTEMAS UTILIZANDO WEB SERVICES COMO MIDDLEWARES

INTEROPERABILIDADE EM SISTEMAS UTILIZANDO WEB SERVICES COMO MIDDLEWARES INTEROPERABILIDADE EM SISTEMAS UTILIZANDO WEB SERVICES COMO MIDDLEWARES Bruno B. Boniati 1, Agner Q. Olson 1, Ms. Edson Luiz Padoin 2 2 Departamento de Tecnologia - 1 Curso de Informática: Sistemas de

Leia mais

Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS

Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS Prof. Marcelo de Sá Barbosa SISTEMAS DISTRIBUIDOS Objetos distribuídos e invocação remota Introdução Comunicação entre objetos distribuídos Chamada de procedimento remoto Eventos e notificações Objetos

Leia mais

Antônio Carlos Theóphilo Costa Júnior. Soluções para a Travessia de Firewalls/NAT usando CORBA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Antônio Carlos Theóphilo Costa Júnior. Soluções para a Travessia de Firewalls/NAT usando CORBA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Antônio Carlos Theóphilo Costa Júnior Soluções para a Travessia de Firewalls/NAT usando CORBA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Programa de Pós graduação em Informática Rio de Janeiro

Leia mais

CAPÍTULO 5 CORBA 5.1 MODELO DE OBJETO

CAPÍTULO 5 CORBA 5.1 MODELO DE OBJETO CAPÍTULO 5 CORBA Um dos grandes problemas das empresas é, utilizando seus recursos de hardware e o software, integrar vários elementos de trabalho diferentes de maneira a resolver problemas de negócios

Leia mais

COMPUTAÇÃO DE OBJETOS DISTRIBUÍDOS NA ERA DA INTERNET

COMPUTAÇÃO DE OBJETOS DISTRIBUÍDOS NA ERA DA INTERNET COMPUTAÇÃO DE OBJETOS DISTRIBUÍDOS NA ERA DA INTERNET DÉSIRÉ NGUESSAN Mestre em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina e Professor do Curso de Ciências da Computação na UNINOVE CARLOS

Leia mais

Centralizado Distribuído

Centralizado Distribuído Universidade Federal de Alagoas Curso de Ciência da Computação O Ambiente Jade: uma introdução ao framework de desenvolvimento para sistemas multiagentes Inteligência Artificial Prof. Rômulo Nunes Motivação

Leia mais

Laboratório de Computação VI JAVA IDL. Fabricio Aparecido Breve - 981648-9

Laboratório de Computação VI JAVA IDL. Fabricio Aparecido Breve - 981648-9 Laboratório de Computação VI JAVA IDL Fabricio Aparecido Breve - 981648-9 O que é Java IDL? Java IDL é uma tecnologia para objetos distribuídos, ou seja, objetos em diferentes plataformas interagindo através

Leia mais

Aspectos Estratégicos da Computação Distribuída Aula 2

Aspectos Estratégicos da Computação Distribuída Aula 2 Aspectos Estratégicos da Aula 2 Mudanças no Ambiente de Negócios Reengenharia Padrões e Sistemas Abertos Framework para Discussão Processos e Ambientes de Negócios Padronização Introdução à Infra-Estrutura

Leia mais

Sumário. Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Paradigmas. Objetos Distribuídos. Tecnologias e Motivações

Sumário. Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Paradigmas. Objetos Distribuídos. Tecnologias e Motivações Sumário Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Tecnologias e Motivações Paradigmas e Tecnologias para Desenvolvimento de SDs Sistemas Distribuídos x Tecnologia da Informação

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Object Brokers. Tecnologias de Middleware 2004/2005 André Santos

Object Brokers. Tecnologias de Middleware 2004/2005 André Santos Object Brokers Tecnologias de Middleware 2004/2005 André Santos Resumo O que são Object Brokers? Como surgiu o conceito? CORBA Exemplos de utilização Comparação com Java RMI Actualidade (J2EE,.NET) O que

Leia mais

Emails: ajdsouza@dca.ufrn.br, salesfilho@cefetrn.br, adauto6@netscape.net, lipecouto@gmail.com, rodrigop@dca.ufrn.br, affonso@dca.ufrn.

Emails: ajdsouza@dca.ufrn.br, salesfilho@cefetrn.br, adauto6@netscape.net, lipecouto@gmail.com, rodrigop@dca.ufrn.br, affonso@dca.ufrn. SUPERVISÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS USANDO WEB SERVICE Alessandro J. de Souza, Francisco Sales de L. Filho, Adauto L. T. B. da Fonseca, Felipe C. Alves do Couto, Rodrigo P. R. dos Santos, Luiz Affonso

Leia mais

COMUNICAÇÃO INTER-PROCESSOS JAVA RMI e RPC. Prof. Cesar Augusto Tacla http://www.dainf.ct.utfpr.edu.br/~tacla

COMUNICAÇÃO INTER-PROCESSOS JAVA RMI e RPC. Prof. Cesar Augusto Tacla http://www.dainf.ct.utfpr.edu.br/~tacla PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COMUNICAÇÃO INTER-PROCESSOS JAVA RMI e RPC Prof. Cesar Augusto Tacla http://www.dainf.ct.utfpr.edu.br/~tacla 1 1. Conceitos Básicos a. Invocação remota (RPC/RMI)

Leia mais

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor SCP Pandora Tech Soluções em Software Livre Versão Atual 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 24/02/2010 1.0 Criação do Documento Fernando Anselmo Parte Conceito O uso de tecnologias

Leia mais

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes

Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Especificação de um Sistema Gerenciador de Workflow de Acordo com a Abordagem de Desenvolvimento Baseado em Componentes Edson Alves de Oliveira Junior 1, Itana Maria de Souza Gimenes 1 1 Departamento de

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Definições Características Desafios Vantagens Desvantagens 2 Definições DEFINIÇÕES Um sistema distribuído é uma coleção

Leia mais

OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces. Domain Interfaces. Domain. Interfaces. Object Request Broker (ORB) Object Services

OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces. Domain Interfaces. Domain. Interfaces. Object Request Broker (ORB) Object Services 1 Copyright 1998, 1999 Francisco Reverbel OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces Domain Domain Interfaces Interfaces Object Request Broker (ORB) Object Services 2 Copyright 1998,

Leia mais

Sistema centralizado O Paradigma Cliente/Servidor

Sistema centralizado O Paradigma Cliente/Servidor centralizado O Paradigma Cliente/Servidor Computador central (mainframe) + conjunto de terminais + recursos centralizados recursos mainframe terminais 2 distribuído Relações entre entidades Grupo de computadores

Leia mais

Maestro: Um Middleware para Suporte a Aplicações Distribuídas Baseadas em Componentes de Software

Maestro: Um Middleware para Suporte a Aplicações Distribuídas Baseadas em Componentes de Software Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Cláudio Luís Pereira Ferreira Maestro: Um Middleware para Suporte a Aplicações Distribuídas Baseadas em Componentes de Software Dissertação apresentada à

Leia mais

JAVA MESSAGE SERVICE, UMA ALTERNATIVA ENTRE COMUNICAÇÃO DE SISTEMAS: uma abordagem prática. Lucas Yokowo dos Santos 1 RESUMO

JAVA MESSAGE SERVICE, UMA ALTERNATIVA ENTRE COMUNICAÇÃO DE SISTEMAS: uma abordagem prática. Lucas Yokowo dos Santos 1 RESUMO JAVA MESSAGE SERVICE, UMA ALTERNATIVA ENTRE COMUNICAÇÃO DE SISTEMAS: uma abordagem prática Lucas Yokowo dos Santos 1 RESUMO Mesmo com a consolidação de protocolos de comunicação via rede no mercado, como

Leia mais

1 a. Sumário. 1. Conceitos Básicos a. Invocação remota (RPC/RMI) b. Semântica de invocação remota c. Invocação remota de métodos (RMI)

1 a. Sumário. 1. Conceitos Básicos a. Invocação remota (RPC/RMI) b. Semântica de invocação remota c. Invocação remota de métodos (RMI) PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COMUNICAÇÃO INTER-PROCESSOS JAVA RMI e RPC Prof. Cesar Augusto Tacla http://www.dainf.ct.utfpr.edu.br/~tacla 1. Conceitos Básicos a. Invocação remota (RPC/RMI)

Leia mais

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos Explicar as vantagens e desvantagens das arquiteturas de sistemas distribuídos

Leia mais

RMI: Uma Visão Conceitual

RMI: Uma Visão Conceitual RMI: Uma Visão Conceitual Márcio Castro, Mateus Raeder e Thiago Nunes 11 de abril de 2007 Resumo Invocação de Método Remoto (Remote Method Invocation - RMI) trata-se de uma abordagem Java para disponibilizar

Leia mais

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2)

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2) R/3 e SAP WAS O R/3 é um ERP Enterprise Resource Planning Um ERP é o sistema empresarial que disponibiliza módulos para os processos de negócio - de uma empresa Um ERP permite aumentar a eficiência dos

Leia mais

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos Web Services Integração de aplicações na Web Integração de Aplicações na Web Interoperação entre ambientes heterogêneos desafios diversidade de componentes: EJB, CORBA, DCOM... diversidade de linguagens:

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB Deusa Cesconeti e Jean Eduardo Glazar Departamento de Ciência da Computação Faculdade de Aracruz UNIARACRUZ {dcescone, jean}@fsjb.edu.br RESUMO

Leia mais

Desenvolvimento em CORBA. Novos Desenvolvimentos em CORBA

Desenvolvimento em CORBA. Novos Desenvolvimentos em CORBA Desenvolvimento em CORBA Onde utilizar CORBA? CORBA é uma arquitetura para sistemas distribuídos, tipicamente utilizada em: novos desenvolvimentos; integração de produtos e sistemas legados ; hooks e gateways

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes

Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes Arquiteturas e Modelos de sistemas Arquitetura Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes Localização dos componentes e relação entre eles Objetivo: garantir que

Leia mais

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML.

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. Web services Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. XML é utilizado para codificar toda a comunicação de/para um web service. Web services

Leia mais

CORBA (Common Object Request Broker Architecture)

CORBA (Common Object Request Broker Architecture) CORBA (Common Object Request Broker Architecture) Sistemas Distribuídos Desafios para a realização de sistemas Distribuídos Exemplos de Sistemas Distribuídos CORBA Evolução Histórica OMA (Object Management

Leia mais

Considerações no Projeto de Sistemas Cliente/Servidor

Considerações no Projeto de Sistemas Cliente/Servidor Cliente/Servidor Desenvolvimento de Sistemas Graça Bressan Graça Bressan/LARC 2000 1 Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor As metodologias clássicas, tradicional ou orientada a objeto, são aplicáveis

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Comunicação em Sistemas Distribuídos Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Comunicação em Sistemas Distribuídos Protocolos regras que os processos que estão se comunicando tem de seguir Protocolos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP Décio Jr. Novatec Editora www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP de Décio Jr. Copyright 2001 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É proibida

Leia mais

IBM. Instalação e Uso. IBM SecureWay Policy Director. Versão 3 Release 0

IBM. Instalação e Uso. IBM SecureWay Policy Director. Versão 3 Release 0 IBM SecureWay Policy Director IBM Instalação e Uso Versão 3 Release 0 IBM SecureWay Policy Director IBM Instalação e Uso Versão 3 Release 0 Nota Antes de utilizar estas informações e o produto suportado

Leia mais

Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional

Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional

Leia mais

Computação Distribuída, Web Service - um estudo de caso

Computação Distribuída, Web Service - um estudo de caso CENTRO UNIVERSITÁRIO VILA VELHA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Diogo Francisco Sales da Silva Flávio Rodrigo Lovatti Computação Distribuída, Web Service - um estudo de caso VILA VELHA 2009 Diogo Francisco

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE TIPOS DE ALGORITMOS DE DISPATCHER PARA WEB CLUSTERS

UM ESTUDO SOBRE TIPOS DE ALGORITMOS DE DISPATCHER PARA WEB CLUSTERS REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 04, FEVEREIRO DE 2006.

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ARQUITETURA PARA DISTRIBUIÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS MULTIDISCIPLINARES ORIENTADOR: EDGARD LAMOUNIER

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Serviços Web: Arquitetura

Serviços Web: Arquitetura Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Departamento de Informática Unidade Curricular Generalidades sobre Serviços de Comunicação na Internet Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação Cap. 1 - Sumário

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Sistemas Distribuídos. Alexandre Augusto Giron

Sistemas Operacionais 2014 Sistemas Distribuídos. Alexandre Augusto Giron Sistemas Operacionais 2014 Sistemas Distribuídos Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Conceitos Hardware/Software para Sistemas Distribuídos Estrutura de Rede Objetos Distribuídos Sistemas de Arquivos Distribuídos

Leia mais

OBJETOS DISTRIBUÍDOS E INVOCAÇÃO REMOTA

OBJETOS DISTRIBUÍDOS E INVOCAÇÃO REMOTA OBJETOS DISTRIBUÍDOS E INVOCAÇÃO REMOTA SUMÁRIO Introdução Comunicação entre objetos distribuídos Eventos e Notificações 1.INTRODUÇÃO Middleware oferece: Transparência de localização Independência de protocolos

Leia mais

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ Agenda Caché Server Pages Uma Aplicação Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Salgado Mestrado Profissional 2 SGBD de alto desempenho e escalabilidade Servidor de dados multidimensional Arquitetura

Leia mais

Objectos Distribuidos. Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto

Objectos Distribuidos. Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Objectos Distribuidos Siisttemas Diisttriibuiidos Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Alexandre Bragança 2000/2001 1 Objectos Distribuidos 1.1 Desenvolvimento Cliente/Servidor

Leia mais

PROPOSTA E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO SEGURO DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS

PROPOSTA E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO SEGURO DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS INPE-7508-TDI/722 PROPOSTA E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO SEGURO DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS Eduardo Gomes de Barros Dissertação

Leia mais

Questão 1. Benefícios. Benefícios. Desafios. Desafios. 1. Quais são os desafios e benefícios em potencial da computação distribuída?

Questão 1. Benefícios. Benefícios. Desafios. Desafios. 1. Quais são os desafios e benefícios em potencial da computação distribuída? Questão 1 1. Quais são os desafios e benefícios em potencial da computação distribuída? Processamento Paralelo Correção Simulado Prof. João Paulo A. Almeida (jpalmeida@inf.ufes.br) 2008/01 - INF02799 Com

Leia mais

Uma Introdução ao CORBA

Uma Introdução ao CORBA Uma Introdução ao CORBA Eduardo Link, Everton Batista Petró Alexandre, Joe Luiz Wolf, Marcelo da Silva Strzykalski Resumo. A heterogeneidade dos ambientes de hardware e software empregados em sistemas

Leia mais

Objetos Distribuídos CORBA. Sumário... Comunicação entre processos. Sockets RPC RMI. Arquitetura OMA Vantagens IDL. Eduardo Nicola F.

Objetos Distribuídos CORBA. Sumário... Comunicação entre processos. Sockets RPC RMI. Arquitetura OMA Vantagens IDL. Eduardo Nicola F. Objetos Distribuídos CORBA Sumário... Comunicação entre processos Sockets RPC RMI Arquitetura OMA Vantagens IDL Eduardo Nicola F. Zagari CORBA 2 Sumário... Arquitetura CORBA Interoperabilidade Processo

Leia mais