Comissão de Estudos sobre Políticas de Avaliação da Pós-graduação em Educação da ANPED. Relatório Final

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comissão de Estudos sobre Políticas de Avaliação da Pós-graduação em Educação da ANPED. Relatório Final"

Transcrição

1 Comissão de Estudos sobre Políticas de Avaliação da Pós-graduação em Educação da ANPED Relatório Final I. Antecedentes: Na 31ª Reunião Anual da ANPED de 2008, o GT-9 "Trabalho e Educação" encaminhou para a Assembléia uma moção solicitando que fosse criada uma Comissão de Avaliação da Avaliação da CAPES. Cabe observar que o GT havia inicialmente sugerido uma moção de repúdio da metodologia de avaliação da área de educação da CAPES. Após discussão, o GT acabou aprovando encaminhamento no sentido de solicitar que a ANPED criasse uma Comissão de Avaliação da Avaliação da CAPES. O texto da moção foi lido na Assembleia Geral e aprovado por unanimidade. Um ano depois, em julho de 2009, na Anpedinha Sudeste, em São Carlos (SP), o Professor Paolo Nosella lembrou essa moção durante as palestras de abertura, lamentando que até então a Comissão não tivesse sido criada. A professora Márcia Ângela Aguiar, então presidente da ANPED, presente no evento, expediu no meu , poucos dias depois, cópia do ofício que a Diretoria da ANPED havia enviado à CAPES em 11 de outubro de O texto do ofício, porém, não correspondia ao texto original da moção aprovada pela Assembléia. Isso foi observado à Presidente que, na 32ª Reunião Anual de Caxambú, 2009, criou esta Comissão por meio de comunicação pública oral. A presidenta atual da ANPEd, professora Dalila Andrade Oliveira, em maio de 2010, após reunião da Diretoria da ANPED, formalizou em ofício a criação da Comissão de Estudos sobre Políticas de Avaliação da Pósgraduação em Educação, composta por cinco associados: 1. Betânia Leite Ramalho 2. Gaudêncio Frigotto 3. Carlos Roberto Jamil Cury 4. João Ferreira de Oliveira 5. Paolo Nosella (presidente). II. Atividades: Na qualidade de presidente, o Prof. Paolo Nosella desejava realizar imediatamente uma reunião presencial com os colegas para definir objetivos e procedimentos da Comissão. Como no momento não havia recursos, 1

2 houve a sugestão de que se trabalhasse a distância, por meio da comunicação eletrônica. Assim, uma regular troca de informações e questionamentos (rodadas) sobre a natureza e objetivos da Comissão deu vida à mesma. Em cada rodada, o Presidente redigia um resumo das manifestações que ocorriam na área a favor ou contra a Avaliação da CAPES. Indicava ou enviava novos textos sobre o assunto acrescentando alguns comentários. A cada rodada, os colegas da Comissão se manifestavam acrescentando informações, citando outros textos (novos ou antigos) e, sobretudo, levantavam dúvidas e perguntas sobre o sentido e os procedimentos da Comissão. De vez em quando, outros pesquisadores (além dos componentes da Comissão) se manifestavam expressando opiniões, sugestões e informações. A 4 de outubro do mesmo ano, pela primeira vez, realizou-se, no Rio de Janeiro, na sede da secretaria da ANPED, uma reunião presencial, graças a um empenho do presidente da Comissão e dos Professores Dalila Andrade Oliveira e João Ferreira de Oliveira. Nessa oportunidade, foi estruturada uma Reunião Aberta (RA), a ser realizada em Caxambú, durante a Reunião anual de outubro de Com efeito, no dia 18 de outubro, segunda feira, às 20 hs., no salão do Hotel Caxambú, sob a coordenação do Prof. João Ferreira de Oliveira, após ampla divulgação, ocorreu a referida Reunião Aberta da Comissão de Estudos sobre Políticas de Avaliação da Pós-graduação em educação. Os Professores Gaudêncio Frigotto e Paolo Nosella fizeram a abertura, expondo a história e os objetivos da Comissão. Os professores Betânia Leite Ramalho (UFRN), Carlos Roberto Jamil Cury (PUC/MG) e Paolo Nosella (UFSCAr e UNINOVE) fizeram, cada um, uma exposição introdutória de cerca de 15 minutos. Betânia falou sobre A trajetória crítica da pós-graduação: a Anped e a avalição da área; Cury falou sobre A Anped e suas relações externas e internas: pós-graduação e avaliação; Nosella falou sobre A diversidade, o ritmo e o tempo da produção: sistema mecanicista ou humanista de avalição. Em seguida foi aberto o debate. Houve várias intervenções, com analises sobre a temática, críticas ao sistema de avalição da CAPES, sugestões e encaminhamentos. As exposições de Betânia, Cury e Nosella poderão ser encaminhadas pelos próprios autores para revistas especializadas. As sugestões mais recorrentes feitas pelos componentes da mesa e pelos debatedores, registradas pela Comissão, foram arroladas no tópico seguinte deste relatório. 2

3 III. Ideias e sugestões: A primeira ideia que desde o início surgiu entre os membros da Comissão e que ainda permanece vigorosamente assentada é que carece de sentido elaborar mais um texto sobre a Avaliação da Avaliação da CAPES, uma vez que não faltam literatura e manifestações de todo tipo sobre novos modelos de avaliação. Oportuno seria fazer um inventário documental dos textos já produzidos por especialistas e pela própria Associação, seguindo a ordem cronológica da elaboração, prefaciá-lo e distribuí-lo aos associados. Considerou-se também que a função desta Comissão não é enfrentar a CAPES, mas ser uma referência pela qual os associados melhor se reconheçam a si mesmo como um conjunto profissional que, no assunto em tela, pensa e age de forma bastante crítica e também heterogênea. A Comissão registrou os seguintes pontos específicos e concretos reiteradamente destacados pelo conjunto dos associados: a) Muitos associados insistem, com razão, na incongruência entre o elevado reconhecimento da produção científica da pós-graduação brasileira e os escassos resultados das avaliações do ensino básico e dos próprios cursos de graduação em geral, sobretudo das licenciaturas. Denunciam com isso a falta de organicidade entre pósgraduação, graduação e educação básica, ou, com outras palavras, o distanciamento entre os educadores da pós-graduação e os do sistema escolar básico e da graduação. Obviamente, sabe-se que a causa principal pela deterioração qualitativa da educação básica e dos cursos de graduação encontra-se nas precárias condições objetivas de vida dos alunos e de trabalho dos docentes do ensino básico e da graduação. Todavia, lembrando que o sistema de pós-graduação foi criado prioritariamente para elevar o nível qualitativo dos cursos de graduação, inclusive das licenciaturas, cabe ao sistema de avaliação da pós-graduação (CAPES) valorizar mais e melhor as atividades e os produtos didáticos que podem elevar o nível de organicidade entre ensino básico, graduação e pós-graduação. b) Outros associados destacam ainda a necessidade de focar mais a avaliação das Instituições que gerenciam os PPGEs (Universidades) e menos os professores/pesquisadores individualmente, evitando-se o chamado assédio moral. c) É frequente também a observação de que é injusto medir com o mesmo critério PPGEs histórica, geográfica e institucionalmente muito diferentes entre si. Considera-se necessário a) estabelecer alguns 3

4 critérios diferenciados para diferentes Programas, b) aumentar a margem de autonomia de cada Programa e c) elevar o nível de solidariedade entre os Programas. d) Na mesma direção, há quem destaca a necessidade de, no processo de avaliação, se considerar mais os diferentes talentos individuais dos pesquisadores, por ser injusto e prejudicial à qualidade acadêmica medir pessoas diferentes com metros idênticos. e) Todos os associados, de alguma forma, observam que as atividades de orientação e de ensino estão sendo prejudicadas pela ênfase absolutamente prioritária dada, neste processo de avaliação da CAPES, às publicações científicas. Assim, é recorrente a crítica ao produtivismo acadêmico e à metodologia de avaliação de caráter tecnicista e quantitativista que força os educadores a entrarem numa corrida, fortemente competitiva e desgastante, pelo grande número de publicações, prejudicando, além da qualidade de vida, a qualidade das pesquisas, do ensino e da orientação. f) Há também muitos educadores que destacam a necessidade de se conferir maior peso à produção acadêmica voltada para a difusão da cultura socialmente qualificada, como textos ou outros produtos de divulgação, pois produzir cultura não é apenas criar idéias novas, mas também difundi-las junto às massas populares (bons livros didáticos, eventos, cursos livres, revistas de divulgação etc.). g) Sugere-se a elaboração e encaminhamento de um projeto de auto avaliação da área (tipo Estado da Arte), financiado pelo CNPq/ CAPES, ou por outras instâncias de fomento, com o propósito de evidenciar os avanços da pesquisa em Educação e, ao mesmo tempo, indicar áreas, temas e necessidades de investimento. h) Finalmente, sugeriram-se mais visitas em loco para acompanhar, de forma dialógica e solidária, os Programas. 4

5 IV. Conclusão: A Comissão está ciente de que sua função não foi fácil. Entende que as sugestões apontadas podem ter importantes desdobramentos práticos se encaminhadas adequadamente. Ao findar sua função, recomenda a participação continuada de todos os associados por meio de mensagens e sugestões sobre a temática enviadas à própria Anped. Atenciosamente, São Carlos, SP. 17 de agosto de Paolo Nosella (presidente) Betânia Leite Ramalho Gaudêncio Frigotto Carlos Roberto Jamil Cury João Ferreira de Oliveira 5

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

CNPJ 30.018.410/0001- - - 20 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA RESOLUÇÃO

CNPJ 30.018.410/0001- - - 20 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA RESOLUÇÃO Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA RESOLUÇÃO DAS REUNIÕES REGIONAIS DA ANPEd A mudança no Estatuto da nossa Associação, ocorrida na Reunião Anual de 2012,

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo)

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Regimento Interno UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Artigo 1º - O NEED, Núcleo de atividades, estudos e pesquisa

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom

Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom Anexo Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom Preâmbulo Os Estatutos da Sopcom são omissos relativamente à criação e funcionamento de Grupos de Trabalho, doravante designados

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARTIGO 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem os seguintes princípios: 1.1 Consolidar o ISEAT na

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN EDITAL N 001/2015 - PROEN, de 19 de Janeiro de 2015. A Pró-Reitora de Ensino

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação

Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação EDITAL n. 06.2012 - FAEL- EAD, 30 de maio de 2012 Edital de Aproveitamento de Estudos e Diplomas de Curso Normal Superior e Pedagogia com habilitação em Supervisão e Orientação A Faculdade Educacional

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA E POLITICAS PÚBLICAS: UMA APROXIMAÇÃO DO CRPRS COM O MEIO ACADÊMICO

Leia mais

Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso Especialização em Acessibilidade Cultural Departamento de Terapia Ocupacional da UFRJ. Rio de Janeiro, 2013 Responsáveis pela elaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) São Carlos 2012 SUMÁRIO Capitulo I Da definição e objetivos... 03 Capítulo II Da

Leia mais

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES SÉCULOS XV A XIX O CEDOPE tem como objetivo central constituir-se em centro de pesquisas relativas à história do universo

Leia mais

I CONGRESSO DE PESQUISA E EXTENSÃO I CONPEX CALENDÁRIO

I CONGRESSO DE PESQUISA E EXTENSÃO I CONPEX CALENDÁRIO ANEXO B II SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO I ENCONTRO DE PÓS-GRADUANDOS DO IFRO II SEMINÁRIO DE DISSERTAÇÕES E TESES De 21 a 23/10/2013 Câmpus Colorado do Oeste No final de 2010, o IFRO iniciou sua trajetória

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MULTIUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA DA UNICAMP

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MULTIUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA DA UNICAMP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MULTIUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA DA UNICAMP EDITAL 02/2015 Curso de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática Esse Edital refere-se ao Curso de Doutorado em

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 062 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº 062 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº 062 CONSUPER/2013 Dispõe sobre a regulamentação de Programa de Extensão e Projeto de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. O Presidente do do Instituto

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. 16\10\14 das 8h30 às 11h30

SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. 16\10\14 das 8h30 às 11h30 Câmpus de Presidente Prudente SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. Presentes: 16\10\14 das 8h30 às 11h30 DOCENTES: Cinthia

Leia mais

Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Ilmo. Sr. Presidente Prof. Glaucius Oliva

Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Ilmo. Sr. Presidente Prof. Glaucius Oliva Campinas, 15 de junho de 2013. Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Ilmo. Sr. Presidente Prof. Glaucius Oliva Em primeiro lugar, antes de argumentar sobre a importância

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS ARTIGO 1 - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um instrumento de iniciação científica

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Regulamento do Registro de Atividades Complementares O presente regulamento normatiza o registro das Atividades Complementares em acordo com o artigo 3º, da Lei

Leia mais

e Inovação Contemporâneas

e Inovação Contemporâneas DOCUMENTO RESULTANTE DO Simpósio Ciências Humanas e Sociais nas Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação Contemporâneas Realizado pelo Fórum de Ciências Humanas, Ciências Sociais e Ciências Sociais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

EDITAL Nº 02 de 21 de novembro de 2012

EDITAL Nº 02 de 21 de novembro de 2012 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO- CAMPUS RIO VERDE DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/IFGOIANO) PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

RETIFICAÇÃO EDITAL Nº 17/2015 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS

RETIFICAÇÃO EDITAL Nº 17/2015 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS RETIFICAÇÃO EDITAL Nº 17/2015 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 09/2014 AUXÍLIO PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS

Leia mais

PROGRAMA DE MESTRADO EM PSICOLOGIA

PROGRAMA DE MESTRADO EM PSICOLOGIA Resolução nº 01 de 12 de março de 2010. Determina as regras para a redação do Trabalho de Qualificação e para o Exame de Qualificação Do objeto Art. 1º. O Exame de Qualificação é uma atividade obrigatória

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado.

de junho de 2007, destinados a profissionais com graduação ou bacharelado. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU posgraduacao@poliseducacional.com.br O QUE É PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU? A pós graduação lato sensu são cursos promovidos pelas faculdades do grupo POLIS EDUCACIONAL com mais de

Leia mais

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Caracterização A elaboração do Trabalho de Curso fundamenta-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição,

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO E REPRESENTAÇÕES LTDA 4ª Oficina Data: 31/07/2012

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA PROPOSTAS

Leia mais

4 4 Ter uma educação básica de qualidade faz toda a diferença para o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Para contribuir com essa

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL DIRETRIZES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA I E II Considerando os problemas

Leia mais

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública para Professores Executores, Orientadores de TCC e Tutores Virtuais do Curso de Bacharelado em Administração Pública e Professores Executores do Curso de Licenciatura

Leia mais

CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE No dia 16 de novembro último, durante o 10o Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, realizado em Porto

Leia mais

Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada

Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada Regulamento dos Cursos da Diretoria de Educação Continuada Art. 1º Os Cursos ofertados pela Diretoria de Educação Continuada da Universidade Nove de Julho UNINOVE regem-se pela legislação vigente, pelo

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015.

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015. CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015. Institui os Programas de Apoio ao Desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação à Pesquisa e à Formação de Recursos Humanos em Ciência

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 001/2011-PPGEd/CE/UFRN Dispõe sobre o processo interno de mudança do nível de Mestrado para o nível de Doutorado no Programa de Pós- Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade

Leia mais

A PESQUISA COMO INSTRUMENTO DE SOCIALIZAÇÃO NA FORMULAÇÃO DO PLANO DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DO MARANHÃO

A PESQUISA COMO INSTRUMENTO DE SOCIALIZAÇÃO NA FORMULAÇÃO DO PLANO DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DO MARANHÃO A PESQUISA COMO INSTRUMENTO DE SOCIALIZAÇÃO NA FORMULAÇÃO DO PLANO DE CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DO MARANHÃO ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO E PREVIDÊNCIA - SEGEP Ceiça

Leia mais

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são:

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são: RESOLUÇÃO Nº 28/08-CEPE Fixa normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO Processo: 23422.003162/2013-67 Assunto: Proposta de minuta da resolução que estabelece as normas gerais da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UNILA Interessado: Prof. Jayme Benvenuto Lima Junior

Leia mais

EDITAL CPG/IE-Nº 01/2016

EDITAL CPG/IE-Nº 01/2016 EDITAL CPG/IE-Nº 01/2016 PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO INSTITUTO DE ECONOMIA 2016 1. INTRODUÇÃO 1.1. O Coordenador da Comissão de Pós-Graduação do Instituto de Economia da

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPITULO I Do Conceito, dos Princípios, das Finalidades e dos Objetivos Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso-TCC

Leia mais

Faculdade de Direito Ipatinga Núcleo de Investigação Científica e Extensão NICE Coordenadoria de Extensão. Identificação da Ação Proposta

Faculdade de Direito Ipatinga Núcleo de Investigação Científica e Extensão NICE Coordenadoria de Extensão. Identificação da Ação Proposta Faculdade de Direito Ipatinga Núcleo de Investigação Científica e Extensão NICE Coordenadoria de Extensão Identificação da Ação Proposta Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas Área Temática:

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/12/2003 (*) Portaria/MEC nº 4.035, publicada no Diário Oficial da União de 24/12/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se atividade

Leia mais

Capítulo II Da Banca

Capítulo II Da Banca A Comissão de Avaliação de Projetos do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola, em reunião realizada em 19/10/2011, aprovou as normas para Defesa de Projeto de Pesquisa, nos seguintes termos:

Leia mais

UNIVERSIDADE VILA VELHA ES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES

UNIVERSIDADE VILA VELHA ES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES REITORIA EDITAL Nº 10/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC / UVV / FAPES O Reitor da Universidade Vila Velha faz saber a todos os interessados que estarão abertas, de 31 de maio a

Leia mais

Programa de Bolsas do Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior -FUMDES

Programa de Bolsas do Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior -FUMDES PROGRAMA DE BOLSAS DO ARTIGO 171 DA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL Programa de Bolsas do Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior -FUMDES Florianópolis abril 2011 1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE MOVE 2015 AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE II CONGRESSO TODOS JUNTOS CONTRA O CANCER MOVE 2015 PRINCIPAIS MENSAGENS 01 AVALIAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA GARANTIR A QUALIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SABOEIRO-CE

CÂMARA MUNICIPAL DE SABOEIRO-CE CÂMARA MUNICIPAL DE SABOEIRO-CE PROJETO DE LEI Nº /2013, de 23 de abril de 2013 DISPOE SOBRE A CRIAÇÃO DO PROGRAMA DE INCENTIVO A CULTURA CINEMA POPULAR EM DISTRITOS, COMUNIDADES E PRAÇAS DO MUNICÍPIO.

Leia mais

Edital nº 05 / 2015. ATIVIDADES DE EXTENSÃO E PESQUISA Programa POLOS de Cidadania

Edital nº 05 / 2015. ATIVIDADES DE EXTENSÃO E PESQUISA Programa POLOS de Cidadania Edital nº 05 / 2015 ATIVIDADES DE EXTENSÃO E PESQUISA Programa POLOS de Cidadania O Programa Polos de Cidadania da Faculdade de Direito da UFMG faz saber que até 16 de junho de 2015 receberá inscrições

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1.Objetivo geral: Apoiar tecnicamente a gestão e implementação das atividades dos Projetos de Fortalecimento da Assistência Farmacêutica (Termo de Cooperação

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES 2011 ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. APRESENTAÇÃO Este documento apresenta um conjunto geral de normas e orientações sobre as Atividades Complementares dos Cursos da FAECE (Faculdade

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Rio de Janeiro, 2003 CAPÍTULO I DOS CURSOS: MODALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º. Em conformidade com o Regimento Geral de nos termos da Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º. define como finalidade

Leia mais

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP A técnica do seminário tem sido usualmente entendida como sinônimo de exposição. O "seminário",

Leia mais

R E S O L V E. Artigo 3º - Esta portaria gera efeitos a partir de 01 de março de 2012, revogadas as disposições em contrário.

R E S O L V E. Artigo 3º - Esta portaria gera efeitos a partir de 01 de março de 2012, revogadas as disposições em contrário. P O R T A R I A N º 0 27/ 2 0 1 5 - P BF A Prof.ª Dr.ª Débora de Mello Gonçales Sant Ana, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Biociências e fisiopatologia, no uso de suas atribuições legais e

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI REGULAMENTO NO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FEATI NUPEFE Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti FEATI SEÇÃO I Da Natureza e Missão Art. 1 O Núcleo de Pesquisa e Extensão da FEATI

Leia mais

RESOLUÇÃO DE ESTÁGIO DOCENTE

RESOLUÇÃO DE ESTÁGIO DOCENTE Resolução ColPPGA 02/2012 RESOLUÇÃO DE ESTÁGIO DOCENTE Estabelece normas para a realização de Estágio Docência do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade do Sul de Santa Catarina. O

Leia mais

EDITAL. Ciência Política UFPE

EDITAL. Ciência Política UFPE VII Seminário de Pós-Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais da e II Seminário de Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais da Local:, CFCH e NIATE CFCH-CCSA Datas: 21 a 25

Leia mais

COMITÊ BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA ARTE CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA ANPUH E AOS COLEGAS HISTORIADORES

COMITÊ BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA ARTE CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA ANPUH E AOS COLEGAS HISTORIADORES CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA ANPUH E AOS COLEGAS HISTORIADORES História Prezado Prof. Benito Bisso Schmidt Presidente da Associação Nacional dos Professores Universitários de Tendo tomado conhecimento

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras

Programa Ciência sem Fronteiras Programa Ciência sem Fronteiras Apresentação Este GUIA foi elaborado pela Diretoria de Relações Internacionais (DRI), Pró-Reitoria de Graduação (PRG) e Pró- Reitoria de Pesquisa (PRP) da UFLA para orientar

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Linha Editorial da Agência de Notícias

Linha Editorial da Agência de Notícias UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Linha Editorial da Agência de Notícias Cruz das Almas BA 2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. RESPONSABILIDADE...3

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO

ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Políticas públicas: a cultura como fator de desenvolvimento econômico

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS NEABI

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS NEABI REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS NEABI TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina a organização, o funcionamento e as atribuições do Núcleo

Leia mais

Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210

Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210 MANUAL DO CANDIDATO Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210 Telefones: (43) 3174-5454 ou 3174-5464 E-mail: secretaria@faculdadecatuai.com.br Horário:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Pró-Reitoria de Pós-Graduação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Pró-Reitoria de Pós-Graduação REQUERIMENTO DE RECONHECIMENTO DE TÍTULO DO EXTERIOR Eu,, nascido(a) aos (nacionalidade) (estado civil) / /, no Estado de residente a CEP - (rua/bairro/apto./nº), tel.: ( ), e-mail: (Cidade) (U.F.) tendo

Leia mais

REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - 2010 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 1 DOS OBJETIVOS GERAIS... 1 CAPÍTULO II... 1 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 1 CAPÍTULO III...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 009/2015 CONSUP DE 01 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 009/2015 CONSUP DE 01 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 009/2015 CONSUP DE 01 DE JUNHO DE 2015 APROVA O PROGRAMA DE APOIO À PESQUISA E INOVAÇÃO DA FACULDADE TERRA NORDESTE - FATENE O DIRETOR GERAL DA FACULDADE TERRA NORDESTE - FATENE, no uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Pesquisa e a Pós-Graduação Stricto Sensu são atividades coordenadas por uma mesma

Leia mais

Gestão de Cursos a Distância Guia do Aluno

Gestão de Cursos a Distância Guia do Aluno Gestão de Cursos a Distância Guia do Aluno Carta da Coordenação Caro aluno, O objetivo desta disciplina é promover a reflexão sobre alguns dos tantos temas incutidos na problemática da Gestão de Cursos

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 PET

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 PET EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 PET Sociologia Jurídica Faculdade de Direito da USP (Largo São Francisco) Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito (DFD) 1. Sobre o PET Iniciado em 1979, na Coordenação

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO 1 Chamada Interna da Pró-reitoria de Pós-Graduação A pró-reitoria lança uma chamada para a apresentação de novas propostas de cursos de pós-graduação stricto sensu. 2 3 Criação

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO CAPÍTULO I DA NATUREZA DO PROGRAMA Art. 1º O Programa

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA PNPD/CAPES 2013

EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA PNPD/CAPES 2013 EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA PNPD/CAPES 2013 A ESPM, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação stricto sensu e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo (PPGCOM),

Leia mais

Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO

Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO Pós graduação em Psicologia Educacional DESCRITIVO DE CURSO 1. Apresentação O curso de Pós Graduação Lato Sensu em Psicologia Educacional da POSGLOGAL visa a formação profissional de graduados que tenham

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Faculdade de Engenharia Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 I RELATÓRIO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 4.106, DE 2012 Regulamenta o exercício da profissão de Supervisor Educacional, e dá outras providências. Autor: Deputado ADEMIR CAMILO Relator: Deputado ARTUR BRUNO

Leia mais

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Artigo 1º - O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas ao Trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE Nº 3.686

RESOLUÇÃO CEPE Nº 3.686 RESOLUÇÃO CEPE Nº 3.686 Aprova o Regimento dos Programas de Iniciação Científica e do Comitê de Pesquisa na UFOP. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Ouro Preto, em sua

Leia mais

FACULDADE TRÊS PONTAS FATEPS RECONHECIDA PELA PORTARIA DO MEC Nº 68/14

FACULDADE TRÊS PONTAS FATEPS RECONHECIDA PELA PORTARIA DO MEC Nº 68/14 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS. O presente regulamento, aprovado pela resolução CONSUP 05/2014, estabelece as normas atinentes ao cumprimento

Leia mais