nº 02 Novembro / 2004

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "nº 02 Novembro / 2004"

Transcrição

1 nº 02 Novembro / 2004 Desmistificando os softwares open source A combinação de programas de computador de código aberto com os programas considerados comerciais pode reduzir os custos de informática no laboratório. Guilherme Komel* Quando a revolução da computação chegou aos centros de pesquisas e universidades, há mais ou menos 20 anos, os pesquisadores criavam seus programas e os compartilhavam com outros pesquisadores através do mundo que, por sua vez, podiam melhorar as características desses softwares. Dizia-se que os programas eram livres porque as pessoas podiam fazer aquilo que quisessem com eles, instalar quantas cópias desejassem ou modificá-los para as suas necessidades específicas. Quando as empresas começaram a vender softwares, tomaram providências para que o código fonte desses programas não fosse distribuído livremente. Desta forma, mantinham o controle de cada software produzido. Este foi o início de uma indústria multimilionária, da qual fazem parte Microsoft, Oracle, CA e muitas outras. A resposta do mundo acadêmico para a iniciativa comercial foi a criação da Free Software Foundation (FSF) seu site é Através do projeto GNU, a FSF se propôs a reunir desenvolvedores do mundo inteiro para criar programas com código aberto, chamados open source. Mieloma múltiplo Não existem dados estatísticos confiáveis sobre a incidência e a prevalência do mieloma múltiplo no Brasil. Nos Estados Unidos, ocorrem cerca de 14,5 mil casos novos a cada ano. Ele corresponde a 10% das doenças malignas hematológicas. A convite da SBPC/ML, um documento sobre o mieloma múltiplo, com ênfase no diagnóstico, foi elaborado e está em fase de conclusão pelos médicos patologistas clínicos Angelo Maiolino e Paula Bottini e pela hematologista Vânia Hungria. Nesta entrevista, dois desses especialistas falam sobre a situação da doença no Brasil e seu diagnóstico. Por que não há registros sobre a incidência e a prevalência do mieloma múltiplo no Brasil? Isso ocorre por vários motivos, desde a falta de conhecimento sobre a doença entre os profissionais de saúde até a falta de acesso do paciente aos serviços de saúde. Os hematologistas e oncologistas, geralmente estão atentos ao diagnóstico de mieloma múltiplo, mas muitas vezes o paciente procura inicialmente o clínico geral ou outros especialistas, dependendo da sintomatologia referida. Por não ser uma doença freqüente, na sua prática diária, nem sempre eles levantam inicialmente essa hipótese diagnóstica. Leia o artigo completo na página 2 Leia a entrevista completa na página 3

2 Desmistificando os softwares open source A combinação de programas de computador de código aberto com os programas considerados comerciais pode reduzir os custos de informática no laboratório Foto: Felipe Christ Guilherme Komel* Quando a revolução da computação chegou aos centros de pesquisas e universidades, há mais ou menos 20 anos, os pesquisadores criavam seus programas e os compartilhavam com outros pesquisadores através do mundo, que, por sua vez, podiam melhorar as características desses softwares. Dizia-se que os programas eram livres porque as pessoas podiam fazer aquilo que quisessem com eles, instalar quantas cópias desejassem ou modificá-los para as suas necessidades específicas. Quando as empresas começaram a vender softwares, tomaram providências para que o código fonte desses programas não fosse distribuído livremente. Desta forma, mantinham o controle de cada software produzido. Este foi o início de uma indústria multimilionária, da qual fazem parte a Microsoft, Oracle, CA e muitas outras. A resposta do mundo acadêmico para a iniciativa comercial foi a criação da Free Software Foundation (FSF) seu site é Através do projeto GNU, a FSF se propôs a reunir desenvolvedores do mundo inteiro para criar programas com código aberto, chamados open source. Foi instituído o Copyleft, que é o oposto de Copyright, e a licença General Public License (GPL), que rege uma boa parcela dos softwares livres escritos. Existem outras licenças, como BSD, Mozilla, Apache e MIT, que se diferenciam na forma como o sistema pode ser utilizado. O perfil de empresas que têm o seu modelo de negócio em torno do software open source tende a ser mais voltado para a prestação de serviços, como personalização, instalação e administração. Como o programa está disponível sem restrições, as empresas que prestam serviços usando esse tipo de software precisam ter muito conhecimento e atender bem seus clientes, pois isso faz a diferença com a concorrência. O programa mais famoso da categoria dos open source é o Linux, um sistema operacional que recebe apoio de muitas empresas de software, como IBM, Oracle e Sun. Com o crescimento do Linux, surgiu também uma comunidade mundial muito ativa que desenvolve e propaga o seu uso. A atitude dessa comunidade é, muitas vezes, radical porque coloca a Microsoft e outras companhias no papel de grandes vilãs. Open source no laboratório O Linux não é o único software open source que existe, apesar de ser o mais conhecido. Esse tipo de programa, quando bem aplicado, pode ser um fator importante para reduzir custos em Tecnologia da Informação (TI), bem como reduzir problemas com segurança. O software open source não é a solução para todos os problemas de TI, assim como as empresas que comercializam programas não são entidades malévolas, como muitos entusiastas de open source pregam. As empresas que souberam tirar vantagens de ambos os mundos open source e comercial estão à frente, pelo menos em teoria. É muito difícil descrever objetivamente todas as situações em que os open source podem ser aplicados em um laboratório porque existem muitas variáveis envolvidas, diversos tipos de programa, situações e necessidades em diferentes momentos. Por esta razão, a abordagem deste artigo procura ser bem objetiva, com a descrição de algumas classes de programas e situações onde é factível o seu uso. Os softwares apresentados são uma pequena parcela dos que existem, assim como os casos abordados mostram apenas uma fatia da realidade. Estão longe de serem a palavra definitiva no assunto. Aconselho que cada caso seja estudado criteriosamente porque apresentam situações singulares. Sistema operacional Controla o computador e faz os outros programas funcionarem. Linux (http://www.linux.org) - É o sistema operacional livre

3 mais conhecido e mais utilizado na atualidade. FreeBSD (http://www.freebsd.org) e OpenBSD (http:// - A família BSD deriva de uma linhagem de sistemas Unix que foi produzida pela gigante AT&T. São extremamente confiáveis e cada um tem uma característica específica. O FreeBSD é muito estável e rápido. O OpenBSD é conhecido como o sistema operacional mais seguro do mundo. Banco de dados Sua função é armazenar dados MySQL (http://www.mysql.com) - Banco de dados extremamente conhecido e rápido. É desenvolvido por uma comunidade em conjunto com uma empresa sueca que vende suporte e licenças especiais. PostgreSQL (http://www.postgresql.org) - Criado na Universidade Berkeley, na Califórnia, é um sistema bastante robusto e semelhante ao Oracle. Desktop Permite ao usuário utilizar seu computador como estação de trabalho. KDE (http://www.kde.org) - O K Desktop Enviroment é composto por uma série de programas. Sua interface é bastante semelhante à do Windows. OpenOffice (http://www.openoffice. org.br) - Aplicativo similar ao Office, da Microsoft, que permite criar planilhas (como o Excel), textos (semelhante ao Word) e apresentações (similar ao PowerPoint). É possível ler e criar arquivos nos formatos doc (Word), xls (Excel) e ppt (PowerPoint). Wine (http://www.codeweavers.com e new.linuxjournal.com/node/2788) - Permite rodar aplicações feitas para Windows em ambiente Linux. Existem versões comerciais fáceis de utilizar. Workflow Programa para gerar fluxos de ações, conhecidos como workflows, que indicam e, em certas situações, automatizam tarefas. Xflow (http://xflow.sourceforge.net) - Utilizado para criar workflows e automatizar tarefas. Linguagem de programação Sua função é possibilitar a criação de sistemas. PHP (http://www.php.net) - É muito utilizada na construção de aplicativos na internet. Perl (http://www.perl.org) - Muito flexível e usada para gerar relatórios e aplicações na internet. GCC (http://gcc.gnu.org) - É o compilador para linguagem C, entre outras, que foi criado pelo projeto GNU. Servidor de internet Conhecidos como servidores web, têm como função servir páginas na internet Apache (http://www.apache.org) - Extremamente confiável e seguro, é o servidor web mais utilizado no mundo. Tomcat (http://jakarta.apache.org) - Servidor para aplicativos Java (programa que contém a lógica do site) e permite criar aplicações na internet que utilizam esta tecnologia. O Java não é considerado open source pois o seu código fonte não está disponível. Porém, por ser um padrão aberto, suas especificações são abertas para qualquer pessoa. Servidor de Workflows são programas que automatizam tarefas no laboratório A combinação adequada de programas reduz custos na compra de softwares Envia e recebe s Qmail (http://www.qmail.org/top.html)- Solução bastante robusta e segura. Sendmail (http://www.sendmail.org) - O mais utilizado no mundo. Postfix (http://www.postfix.org)- É simples, rápido e seguro. Exemplos de aplicações Caso 1 Acesso à internet Determinado laboratório decide fornecer acesso à internet aos seus funcionários Solução: Através de um firewall programa que impede o acesso, pela internet, de usuários não autorizados desenvolvido em Linux, OpenBSD ou FreeBSD, é possível compartilhar uma conexão de internet com vários usuários e manter um grau confortável de segurança, restringir o acesso a endereços e manter um histórico de navegação. Caso 2 corporativo É possível que o laboratório mantenha s internos para a troca de informações no ambiente de trabalho. Ou, ainda, através de um link de internet, é possível que o servidor de s esteja localizado nas instalações da empresa. Quando a troca de s dentro da empresa é intensa, esta situação específica é aconselhável porque economiza banda de internet. Solução: Ao utilizar um servidor de (Qmail, Sendmail ou Postfix), é possível fornecer este serviço dentro da empresa. Pode ser utilizado também webmail, empregando um conjunto formado por um sistema de webmail (escrito nas linguagens PHP ou Perl), um servidor web e um banco de dados. Caso 3 Redução de licenças Windows Em muitos casos, a compra do sistema Windows pode ser substituída por uma solução mais barata. Solução 1: Utilizando a combinação Linux + KDE + OpenOffice ou Linux + Gnome + OpenOffice, é possível fornecer aos usuários a possibilidade de realizar normalmente suas tarefas do dia-a-dia.

4 Solução 2: As combinações Linux + KDE + Wine ou Linux + Gnome + Wine permitem que os usuários que exigem o Microsoft Office utilizem uma solução mais barata para a empresa, sem perder o poder que o programada da Microsoft oferece. Também possibilita rodar outros aplicativos, como o Photoshop. Esta solução não isenta a empresa de adquirir a licença do Microsoft Office ou do Photoshop. Solução 3: É possível rodar o Linux através de um único disquete em cada estação de trabalho e instalar os aplicativos em um servidor que atende a rede (servidor remoto). Esta solução é particularmente interessante pois retira o HD (Hard Disk ou disco rígido) das estações de trabalho, o que diminui bastante os custos de manutenção com os equipamentos os HDs são a principal fonte de problemas. As cópias de segurança (back-up) da empresa ficam centralizadas em poucos servidores, o que aumenta a segurança geral. Caso 4 Website do laboratório O laboratório decide oferecer, através de seu site na internet (website), informações para clientes e parceiros juntamente com resultados de exames. Solução 1: O uso de Linux + Apache + PHP + MySQL ou Linux + Apache + PHP + PostgreSQL permite construir um website que satisfaça as necessidades de clientes e parceiros. Solução 2: Com Linux + Java + Tomcat + MySQL ou Linux + Java + Tomcat + PostgreSQL é possível construir aplicativos sofisticados que conseguem, inclusive, se comunicar com o sistema administrativo do laboratório para mostrar resultados de exames e outras informações relevantes. Caso 5 Automatização de processos O laboratório deseja automatizar tarefas internamente. Por exemplo, verificar os dados de interface com um determinado equipamento e interagir com o sistema de billing interno ou determinar a compra de suprimentos. Solução: Através de uma ferramenta de workflow, é possível automatizar inúmeras tarefas. Caso 6 Interface com equipamentos O laboratório pretende fazer o interface entre computadores e os equipamentos. Solução: A utilização do compilador GCC permite escrever programas em que os computadores se comunicam com os equipamentos além de interagir com outros sistemas do laboratório, como ERP (Enterprise Resource Planning) ou workflow. Código fonte e código de máquina Software ou programa é um conjunto de instruções que, ao serem executadas pelo computador, geram um determinado resultado. Um exemplo é um programa para cálculos. Ao ser alimentado com dados, que são processados por instruções do programa, ele fornece o resultado a partir de ações definidas na codificação. Os computadores são baseados em uma lógica binária ( 0 e 1 ou sim e não ), o que torna a sua linguagem interna diferente da que nós, seres humanos, usamos. Por esta razão, foram criadas diversas linguagens para programação que se aproximam da linguagem humana. Através de um programa especial chamado compilador, é possível transformar o código fonte (programa escrito) em código de máquina (executado pelo computador). Os programas devem ser compilados, isto é, transformados em código de máquina para poderem ser interpretados e realizados pelo computador. *Guilherme Komel é analista de sistemas e trabalha com open source desde 1993 Mercado Probac - O Sistema Hemobac Trifásico, para detecção de bactérias e fungos, com dois indicadores de crescimento (crescimento em meio de cultura sólido e indicador de CO2) foi validado pela Fundação Pró-Sangue, para o controle microbiológico dos hemocomponentes, com o trabalho apresentado no Congresso Hemo É um sistema automatizado que permite a rápida visualização da possível contaminação bacteriana existente nos hemocomponentes. Para mais detalhes do sistema e conhecer trabalhaos publicados, veja

5 Mieloma múltiplo Não existem dados estatísticos confiáveis sobre a incidência e a prevalência do mieloma múltiplo no Brasil. Nos Estados Unidos, ocorrem cerca de 14,5 mil casos novos a cada ano. Ele corresponde a 10% das doenças malignas hematológicas. A convite da SBPC/ML, um documento sobre o mieloma múltiplo, com ênfase no diagnóstico, foi elaborado e está em fase de conclusão pelos patologistas clínicos Angelo Maiolino e Paula Bottini e a hematologista Vânia Hungria. Nesta entrevista, dois desses especialistas falam sobre a situação da doença no Brasil e seu diagnóstico. Fotos: Lizimar Dahlke maior precisão, a doença? No início a doença é assintomática e a suspeita diagnóstica pode surgir em exame de rotina, identificando o aumento de determinadas proteínas no sangue. Dentre esses sintomas, qual é o mais freqüente? Vânia Hungria Por que não há registros sobre a incidência e a prevalência do mieloma múltiplo no Brasil? Isso ocorre por vários motivos, desde a falta de conhecimento sobre a doença entre os profissionais de saúde até a falta de acesso do paciente aos serviços de saúde. Os hematologistas e oncologistas geralmente estão atentos ao diagnóstico de mieloma múltiplo, mas muitas vezes o paciente procura inicialmente o clínico geral ou outros especialistas, dependendo da sintomatologia referida. Por não ser uma doença freqüente na sua prática diária, nem sempre eles levantam inicialmente essa hipótese diagnóstica. Quais são as conseqüências da falta de informação adequada? Uma das conseqüências é o diagnóstico tardio, já com a doença avançada. Em uma avaliação de 541 pacientes com mieloma múltiplo de seis centros brasileiros, 83% se apresentavam em estado avançado da doença ao diagnóstico. Quais são os sintomas que podem sugerir, com Quando os sintomas surgem, são mais freqüentes os relacionados à anemia como cansaço e fraqueza - e dores ósseas, principalmente lombalgia. Os laboratórios no Brasil, de um modo geral, Paula Bottini estão preparados para auxiliar no diagnóstico do mieloma múltiplo? Paula Bottini: Uma das maiores dificuldades enfrentadas é a falta de fornecimento de mais informações pelos clínicos sobre a história e os dados clínicos dos pacientes, bem como sua hipótese diagnóstica. De uma maneira geral, quando o laboratório está ciente da possibilidade de se tratar de um mieloma múltiplo,

6 ele pode fornecer informações acuradas, através da realização de exames mais específicos e mais indicados para esses casos. Além disso, até o momento, não existe uma padronização de consenso para investigação laboratorial do mieloma múltiplo. Quais exames devem ser realizados para esse diagnóstico? Paula Bottini: A investigação laboratorial do mieloma múltiplo inclui uma variedade de exames de vários níveis de complexidade. Esta avaliação inicialmente tem o objetivo de demonstrar a presença e a quantidade de uma proteína anormal no soro e na urina, através de técnicas de eletroforese em gel de agarose. A definição do tipo de proteína anormal é feita identificando as cadeias leves e pesadas envolvidas, utilizando-se preferencialmente técnicas de imunofixação. A dosagem das imunoglobulinas e de cadeias leves livres define o grau de envolvimento da proteína identificada. A pesquisa da proteína de Bence Jones, através de técnicas de precipitação e turvação, deve ser abandonada porque ela apresenta uma porcentagem muito elevada de resultados falso-negativos, podendo atingir até 50% dos casos. Não se deve utilizar tiras reagentes na avaliação da proteinúria porque elas detectam apenas a albumina. Recomenda-se realizar a dosagem da proteinúria através de métodos colorimétricos. A falta de conhecimento sobre a doença dificulta o diagnóstico precoce Quais são os critérios para o diagnóstico da doença? Os critérios mínimos para diagnosticar o mieloma múltiplo consistem de medula óssea com mais de 10% de plasmócitos ou plasmocitoma, e pelo menos um dos seguintes achados: (1) proteína monoclonal no soro (geralmente > 3 g/dl); (2) proteína monoclonal na urina, e (3) lesões ósseas líticas. Esses achados não podem estar associados a carcinoma metastático, doença do tecido conjuntivo, infecção crônica ou linfoma. O que a SBPC/ML está fazendo para difundir as informações sobre a doença e seus métodos de diagnóstico? Paula Bottini: Durante o 38 o Congresso Brasileiro de Patologia Clínica, em setembro de 2004, em Florianópolis, foi realizada uma mesa redonda sobre diagnóstico e monitorização do mieloma múltiplo, onde foram discutidos seus aspectos clínicos e laboratoriais, os fatores prognósticos, os aspectos analíticos e várias recomendações e controle de qualidade. Além disso, encontra-se em fase final de elaboração um documento que reúne todas informações relativas ao mieloma múltiplo, com especial ênfase no seu diagnóstico. Gestão Estratégica em Medicina Laboratorial Jornal eletrônico da SBPC/ML Periodicidade mensal Rua Dois de Dezembro, 78 Salas 909 e 910 CEP Rio de Janeiro - RJ Tel. (21) Fax (21) Presidente Biênio 2004/2005 Ulysses Moraes de Oliveira Diretor de Comunicação Alvaro Rodrigues Martins Criação, Arte e Diagramação Design To Ltda Valéria Monteiro Jornalista Responsável Roberto Duarte Reg.Prof. MTb 14987

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre Conteúdo SOFTWARE LIVRE SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Histórico de Software Livre Terminologia Fases do Licença de Software Livre

Leia mais

São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário. Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1

São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário. Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1 Softwares São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário Tipos : Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1 Licenciados São software autorizados, cedidos

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

Sistema de informática laboratorial

Sistema de informática laboratorial Foto de divulgação Sistema de informática laboratorial A difícil escolha Prof. Dr. Murilo Melo* Uma das decisões estratégicas mais difíceis no laboratório clínico é a escolha de um (novo) SIL (Sistema

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática Curso Conexão Noções de Informática Aula 2 Arquitetura de Computadores (Software) Agenda Introdução; Tipos de Software; Básico; Aplicativo; Livre; Proprietário. Pirataria de Software; Demos, Freewares

Leia mais

Software Livre Introdução ao Linux

Software Livre Introdução ao Linux Software Livre Introdução ao Linux Instituto Granbery 06/03/2004 Carlos de Castro Goulart Departamento de Informática-UFV goulart@dpi.ufv.br Parte I - Software Livre O que é Software Livre? Vantagens da

Leia mais

Software livre em ambiente corporativo

Software livre em ambiente corporativo Software livre em ambiente corporativo Cleuton Sampaio Cleuton Sampaio Número: 1/45 $ whoami Cleuton Sampaio, M.Sc., PMP, SCEA Cleuton.sampaio@gmail.com Número: 2/45 $ whoami Participante e desenvolvedor

Leia mais

Uma proposta de solução para EDI (Eletronic Data Interchange), utilizando Software Livre para pequenas empresas.

Uma proposta de solução para EDI (Eletronic Data Interchange), utilizando Software Livre para pequenas empresas. Uma proposta de solução para EDI (Eletronic Data Interchange), utilizando Software Livre para pequenas empresas. Marco Aurélio Claudiano da Silva (UNIMEP) m-aurelio@onda.com.br Nivaldo Lemos Coppini, Dr.

Leia mais

Conteúdo. Uma visão social. O que é? Dá certo? Custos. Recomendações. Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems. Software Livre Junho de 2011

Conteúdo. Uma visão social. O que é? Dá certo? Custos. Recomendações. Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems. Software Livre Junho de 2011 Conteúdo Uma visão social O que é? Dá certo? Custos Recomendações Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems Página 2 Uma visão social História da computação: o começo de tudo 1936 década de 40 Máquina

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação 08 - Licenças, Tipos de Softwares, Tradutores. Linguagens de Máquina, de Baixo Nível e de Alto Nível Márcio Daniel Puntel marcio.puntel@ulbra.edu.br Software Livre GPL BSD Software

Leia mais

Quais os principais pacotes de softwares aplicativos para automação de escritório, quais os seus mantenedores e qual a sua participação no mercado?

Quais os principais pacotes de softwares aplicativos para automação de escritório, quais os seus mantenedores e qual a sua participação no mercado? Quais os principais pacotes de softwares aplicativos para automação de escritório, quais os seus mantenedores e qual a sua participação no mercado? Professor: Luciano Matéria: Informática Trabalho apresentado

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 06/10/2009 10:21 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 06/10/2009 10:21 Leite Júnior ÍNDICE SOFTWARE LIVRE / OPEN SOURCE...2 PROPRIEDADE INTELECTUAL...2 GRAUS DE RESTRIÇÃO EM LICENÇAS DE SOFTWARE...2 LICENÇAS DE SOFTWARE...2 OPEN SOURCE...2 SOFTWARE LIVRE...2 GNU GPL...4 GNU LGPL...4 SOFTWARE

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Introdução a Computação - CSTA. Classificação / Licenciamento de Software

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Introdução a Computação - CSTA. Classificação / Licenciamento de Software Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Introdução a Computação - CSTA Classificação / Licenciamento de Software MATERIAL PARA ESTUDO PRIMEIRO BIMESTRE Componentes de um Sistema Computacional

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre O que é software livre Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 17:12. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos

Leia mais

Software Livre e Inovação Tecnológica

Software Livre e Inovação Tecnológica Software Livre e Inovação Tecnológica Fábio Olivé (fabio.olive@gmail.com) Tópicos O que significa Livre em Software Livre? De onde veio e quem usa Software Livre? A qualidade diferenciada do Software Livre

Leia mais

Aula 01. Introdução ao Linux

Aula 01. Introdução ao Linux Aula 01 Introdução ao Linux Introdução Objetivos aprender a usar um novo sistema aprender a usar uma nova interface Como no Windows navegar pela internet (e-mails, facebook, etc) criar pastas e arquivos

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Confrontada com o gabarito oficial e comentada. 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral)

Confrontada com o gabarito oficial e comentada. 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral) Prova Preambular Delegado São Paulo 2011 Módulo VI - Informática Confrontada com o gabarito oficial e comentada 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral) a) Garante

Leia mais

Paulo Trezentos (Paulo.Trezentos@iscte.pt) 29/9/2005

Paulo Trezentos (Paulo.Trezentos@iscte.pt) 29/9/2005 Open-Source na Administração Pública Accenture Paulo Trezentos (Paulo.Trezentos@iscte.pt) 29/9/2005 Agenda / Terminologia / Contexto open source Modelos de desenvolvimento Estratégia Empresarial Razões

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

Informática Instrumental

Informática Instrumental 1º PERÍODO.: GRADUAÇÃO EM REDES DE COMPUTADORES :. Madson Santos madsonsantos@gmail.com 2 Unidade I Unidade I Software 3 Software o é uma sentença escrita em uma linguagem de computador, para a qual existe

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre CAMPOS, Augusto. O que é software livre. BR-Linux. Florianópolis, março de 2006. Disponível em . Consultado em 16 de Dezembro de 2008. O que é software livre

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta

Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta Dailson Fernandes www.dailson.com.br contato@dailson.com.br Facebook: dailson.fernandes Twitter: @dailson_ Habilidades Instalar o sistema operacional; Instalar

Leia mais

1 - Introdução. 1.1 - Motivação

1 - Introdução. 1.1 - Motivação 1 - Introdução 1.1 - Motivação Software livre é um tipo de programa desenvolvido por um grupo de pessoas que além de disponibilizar o software gratuitamente, ainda coloca a disposição seu código fonte

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Capítulo 1. Exército Brasileiro. Exército Brasileiro. 1.1 Plano de Migração para Software Livre no Exército. www.exercito.gov.br. 1.1.

Capítulo 1. Exército Brasileiro. Exército Brasileiro. 1.1 Plano de Migração para Software Livre no Exército. www.exercito.gov.br. 1.1. Capítulo 1 Exército Brasileiro Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: Exército Brasileiro www.exercito.gov.br Plano de Migração para Software Livre no Exército Brasileiro Coronel Carlos

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

Licenças Livres. Terry Laundos Aguiar

Licenças Livres. Terry Laundos Aguiar Licenças Livres Terry Laundos Aguiar "Quando nos referimos a software livre, estamos nos referindo a liberdade e não a preço." Licença GPL Licenças de Softwares Comprar um software, geralmente, é como

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre.

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. O modelo Bazar de Produção de Softwares O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. Por Vicente Aguiar Fonte: Lucas Rocha Feced/2005 Sobre esta apresentação 2008 Vicente Aguiar

Leia mais

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede.

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Aula 2 Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Sistema Operacional de Rede Definição: Conjunto de módulos que ampliam as tarefas dos sistemas operacionais locais, complementando-os

Leia mais

Software de sistema Software aplicativo

Software de sistema Software aplicativo SOFTWARE O que é Software? Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redireccionamento ou modificação de um dado/informação

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE

CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE Reinaldo Candido da Costa 1 * Rosaria Ferreira Otoni dos Santos* Resumo O presente artigo busca instigar a reflexão dos usuários dos meios de comunicação e disseminação da informação

Leia mais

AULA 3 Introdução ao Software

AULA 3 Introdução ao Software AULA 3 Introdução ao Software Disciplina: Introdução à Informática Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Introdução ao Software Conteúdo: Conceito de Software Classificação de Softwares

Leia mais

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Software e Suas Licenças O que é um Software Livre? Software Livre x Software Proprietário Software e Suas Licenças

Leia mais

Fundamentos de Software Livre

Fundamentos de Software Livre Fundamentos de Software Livre 01 de Agosto de 2011 Augusto Vinhaes Agenda 1) Software Conceitos básicos Tipos: Software básico e aplicativos 2) Sistemas Operacionais Conceitos básicos Estrutura Alguns

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2 AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA CONTEÚDO DA AULA Tipos de Software Serviços Web Tendências 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Estudo sobre o Uso de Software Livre no Núcleo Gerador de Empresas Incubadas.

Estudo sobre o Uso de Software Livre no Núcleo Gerador de Empresas Incubadas. Estudo sobre o Uso de Software Livre no Núcleo Gerador de Empresas Incubadas. O projeto software livre, de iniciação cientifica, desenvolveu um estudo no GTEC/UNIDAVI (Núcleo Gerador de Empresas Incubadas

Leia mais

Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do

Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do OBJETIVOS Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do Exército Brasileiro. SUMÁRIO 1. Introdução 2.

Leia mais

Solução de correio eletrônico com Software Livre implantada no CEFET-MG, vantagens e adaptações

Solução de correio eletrônico com Software Livre implantada no CEFET-MG, vantagens e adaptações Solução de correio eletrônico com Software Livre implantada no CEFET-MG, vantagens e adaptações Clever de Oliveira Júnior*, Paulo E. M. Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização - Bug Wisard Report

Manual de Instalação e Utilização - Bug Wisard Report FAPEG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA PAPPE INTEGRAÇÃO Manual de Instalação e Utilização - Bug Wisard Report Goiânia 2013 Esta obra está licenciada sob uma Licença

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

A EMPRESA. www.ngrnetwork.com.br

A EMPRESA. www.ngrnetwork.com.br A EMPRESA Desde a sua função, em 2003, a NGR Network vem desenvolvendo e implantando projeto de automação de escritórios em ambientes Multi plataforma integrando servidores, e soluções abertas nos ambientes

Leia mais

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI SOFTWARE LIVRE E SOFTWARE PROPRIETARIO Software Livre. O software livre foi desenvolvido,

Leia mais

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna PLANO DE AULA 1. Sistema operacional Unix 2. Sistema operacional Linux 3. Utilização dos sistemas operacionais 1 - Sistema Operacional UNIX História 1964 sistema operacional MULTICS (Multiplexed Information

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 42.15 sob contratação em regime

Leia mais

Planejamento Estratégico para as PMEs. Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs

Planejamento Estratégico para as PMEs. Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs Planejamento Estratégico para as PMEs Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs Maio/2007 Rio Quente- Goiás Nivaldo Cleto Na era da tecnologia da informação, o mercado exige um empresário dinamicamente

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Mistificando o Software Livre

Mistificando o Software Livre Marcelo de Gomensoro Malheiros mgm@univates.br UNIVATES Roteiro Apresentação Constatações Gratuidade Novidade Indústria Usuários Futuro Conclusão Apresentação Da platéia... Apresentação Do palestrante...

Leia mais

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções.

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Esse box destina-se ao cliente que já efetuou o seu primeiro acesso e cadastrou um login e senha. Após

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE

COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE COMPARAÇÃO ENTRE OS SERVIDORES DE E-MAILS MAIS UTILIZADOS ATUALMENTE Mayara Dos Santos Marinho¹, Julio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR - Brasil mayara-marinho@hotmail.com

Leia mais

Treinamento em PHP com MySQL - Fundamental

Treinamento em PHP com MySQL - Fundamental Treinamento em PHP com MySQL - Fundamental Sobre PHP PHP é uma linguagem interpretada livre, usada originalmente apenas para o desenvolvimento de aplicações presentes e atuantes no lado do servidor, capazes

Leia mais

Orientações aos docentes

Orientações aos docentes MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Orientações aos docentes Este manual tem por objetivo informar o docente a respeito dos recursos tecnológicos disponíveis na Escola

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

TALENTEDGE. Ofertas diversificadas QUEM SOMOS

TALENTEDGE. Ofertas diversificadas QUEM SOMOS TALENTEDGE QUEM SOMOS A C.T.I.C., Colégio de Tecnologias de informação e Comunicação representa a marca TALENTEDGE em Angola. A TALENTEDGE Angola é o resultado de uma franchise com a TALENTEDGE Índia,

Leia mais

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES Página 1 de 6 Este sistema automatiza todos os contatos com os clientes, ajuda as companhias a criar e manter um bom relacionamento com seus clientes armazenando e inter-relacionando atendimentos com informações

Leia mais

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Projecto SDAC 2010 Sistema Operativo Open Source Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Disciplina: Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Professores: Catarina Santos/Paulo Guimarães

Leia mais

Pré-Requisitos do Software Themis Pré-Requisitos do Software Themis

Pré-Requisitos do Software Themis Pré-Requisitos do Software Themis Pré-Requisitos do Software Themis Pré-Requisitos do Software Themis 1. Pré-requisitos para Servidores - até 2 licenças: 1.1 Plano Básico: Processador: 3.0 GHz ou superior. Recomenda-se 3.2 GHz Dual-Core.

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4 Índice Introdução Librix...3 Software Livre...3 Manual Eletrônico...3 Opções de Suporte...3 Dicas para a Instalação Configuração de Dispositivos Básicos...4 Teclado...4 Mouse...5 Vídeo...5 Rede...6 Configuração

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE III: Infraestrutura de Tecnologia da Informação Atualmente, a infraestrutura de TI é composta por cinco elementos principais: hardware, software,

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

SISTEMA PARA AUTOMATIZAÇÃO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS : BIOEXAME. Guilherme Vansuita Rosa Orientador: Wilson Carli

SISTEMA PARA AUTOMATIZAÇÃO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS : BIOEXAME. Guilherme Vansuita Rosa Orientador: Wilson Carli SISTEMA PARA AUTOMATIZAÇÃO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS : BIOEXAME Guilherme Vansuita Rosa Orientador: Wilson Carli Sequência da Apresentação Introdução e Objetivos Fundamentação teórica Especificações

Leia mais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Professor: Roberto Franciscatto Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos

Leia mais

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Introdução A PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL-CHILE, através de seu setor de Tecnologia da Informação, tem como objetivo o provimento de um serviço de qualidade,

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL LINUX Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL Para que o computador funcione e possibilite a execução

Leia mais

Introdução ao Linux Desktop

Introdução ao Linux Desktop UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Introdução ao Linux Desktop Autor: Carlos de Castro Goulart Viçosa, Fevereiro de 2004 Introdução ao Linux

Leia mais

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Raphael Celuppi Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Setembro 2009 Sumário

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

Guia de vendas Windows Server 2012 R2

Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Por que Windows Server 2012 R2? O que é um servidor? Mais do que um computador que gerencia programas ou sistemas de uma empresa, o papel de um servidor é fazer com

Leia mais

software livre: a tecnologia que liberta!

software livre: a tecnologia que liberta! software livre: a tecnologia que liberta! conteúdo original de www.cachorrosurtado.blogspot.com www.escolaep.blogspot.com copyleft 2010 (((SLIDE 01))) RELEMBRANDO O CONCEITO DE SOFTWARE SOFTWARE é o mesmo

Leia mais

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO PORTFOLIO 2014 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas de terceirização, infra-estrutura, suporte,

Leia mais

SCO UNIX. conhecida por vender três variantes de Unix para os processadores Intel x86: Xenix, SCO UNIX, e o UnixWare.

SCO UNIX. conhecida por vender três variantes de Unix para os processadores Intel x86: Xenix, SCO UNIX, e o UnixWare. SCO UNIX Corporação Tarantella foi empresa norte americana sede da Santa Cruz, Califórnia que desenvolveu e vendeu o Secure Global Desktop conjunto de aplicações de "terminal services". conhecida por vender

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. MURILO NUNES ELIAS FLORIANÓPOLIS SC 2007/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE

Leia mais

ISHIFT: Informação em Movimento

ISHIFT: Informação em Movimento ISHIFT: Informação em Movimento Contato: www.ishift.com.br +55 51 32798159 contato@ishift.com.br Somos uma empresa completa de produtos e serviços ligados à tecnologia, que procura apresentar soluções

Leia mais

SERVIDORES REDES E SR1

SERVIDORES REDES E SR1 SERVIDORES REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ HARDWARE Você pode instalar um sistema operacional para servidores em qualquer computador, ao menos na teoria tudo irá funcionar sem grandes dificuldades. Só

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar.

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. Quais são eles? Vários outros programas 1 Sistema Básico

Leia mais

Alfresco Content Management

Alfresco Content Management Alfresco Content Management Alfresco é um sistema ECM (Enterprise Content Management) também conhecido como GED (Gestão Eletrônica de Documentos) em nosso mercado de porte corporativo para atender a empresas

Leia mais

Service Appliance IVETIME. Disponibilidade de serviço instantânea! Plug and Play. Segurança. Tolerância a falhas. Manutenção zero. Elevada Performance

Service Appliance IVETIME. Disponibilidade de serviço instantânea! Plug and Play. Segurança. Tolerância a falhas. Manutenção zero. Elevada Performance IVETIME Service Appliance Disponibilidade de serviço instantânea! Aumentar a produtividade Transformar o serviço a Clientes Proteger o capital intelectual Plug and Play Segurança Tolerância a falhas Manutenção

Leia mais

Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo. Novatec

Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo. Novatec Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo Novatec Copyright 2015 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Arquitetura Cliente/Servidor. Uma visão. analítica sobre Bancos de Dados. Banco de Dados. Prof. Enzo Seraphim

Arquitetura Cliente/Servidor. Uma visão. analítica sobre Bancos de Dados. Banco de Dados. Prof. Enzo Seraphim Arquitetura Cliente/Servidor Uma visão Banco de Dados analítica sobre Bancos de Dados Prof. Enzo Seraphim Modelo Cliente Servidor Protocolo Cliente Faz pedido de serviços ao Servidor Servidor Processa

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO PARA CAIXA ECONÔMICA

PREPARATÓRIO RIO PARA CAIXA ECONÔMICA PREPARATÓRIO RIO PARA CAIXA ECONÔMICA O que é Software Livre? Software Livre (Free Software) é o software disponível com a permissão para qualquer um usá-lo, copiá-lo, e distribuí-lo, seja na sua forma

Leia mais

KeeP Desenvolvimento e Tecnologia

KeeP Desenvolvimento e Tecnologia KeeP Desenvolvimento e Tecnologia Transformar Necessidade em Realidade! KeeP Integrando Soluções: Conectando pessoas, processos e dados. KeeP-Backup Nós da KeeP desenvolvemos uma solução de backup/clonagem

Leia mais

CA Protection Suites. Proteção total dos dados para as pequenas e médias empresas

CA Protection Suites. Proteção total dos dados para as pequenas e médias empresas CA Protection Suites Proteção total dos dados para as pequenas e médias empresas Desafios das SMBs As ameaças crescem em número e gravidade - Spywares e adwares - Vírus, worms, cavalos de Tróia e ataques

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 CONCEITOS DE SOFTWARE

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 CONCEITOS DE SOFTWARE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 CONCEITOS DE SOFTWARE Profª Danielle Casillo SUMÁRIO O que é software? Software x Hardware

Leia mais

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel?

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel? O que é o GNU/LINUX? Muita gente confunde Linux com sistema operacional. Digamos que parcialmente não esteja errado. O Linux(núcleo, coração do sistema), ele e responsável pelo funcionamento do computador,

Leia mais