Índice. (arroba), 3-17 a 3-18, 3-48 / (barra), 3-17, (ponto), 3-17 % (símbolo de porcentagem), 13-20, 13-24

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. Símbolos. @ (arroba), 3-17 a 3-18, 3-48 / (barra), 3-17, 3-47. (ponto), 3-17 % (símbolo de porcentagem), 13-20, 13-24"

Transcrição

1 Índice (arroba), 3-17 a 3-18, 3-48 / (barra), 3-17, (ponto), 3-17 % (símbolo de porcentagem), 13-20, A acrônimo ACID, 1-6, 11-3 ADFs (arquivos de definição do aplicativo) configurações do aplicativo, criando, definidos, 13-3 definindo aplicativos, provedores hospedados, provedores independentes, quanta do gerador, Agente de Serviços arquitetura de conversa, a arquitetura de segurança, a arquitetura do sistema, 12-7 a 12-9 criando contratos, a criando filas, a criando serviços, a criando tipos de mensagem, a enviando mensagens, a habilitando, a recebendo mensagens, a suporte a relatório, 1-13 visão geral, 12-3, 12-5 a 12-6 agregados, 10-22, a agrupamento, 2-19 alinhamento de índices, 4-24 análise inconsistente, aninhando consultas do modo AUTO, 3-12 disparadores, 6-16 a 6-17 exibições, 7-11, 7-28 recuperando dados aninhados, 3-19 a 3-22 tabelas, 3-21 a 3-22 transações, 11-14, ANSI (American National Standards Institute) exibições de esquema, 1-12 regras e padrões, 5-7 restrições, 5-10 tipos de dados, 2-5 API (interface de programação de aplicativo) APIs de eventos, 13-10, objetos do gerenciamento de inscrições, serviços de notificação, 13-7 API de eventos do COM, API de eventos do SQL Server, API de eventos do XML, API de eventos gerenciada, API do COM, API do SQL Server, API do XML, API dos objetos do gerenciamento de inscrições, API gerenciada, APIs de eventos, 13-10, aplicativos definindo, a serviços de notificação, 13-5, a 13-16, armazenamento de dados considerações, 1-4 crescimento potencial, 1-4 eventos, grupos de arquivos, 1-23 índices, 1-23 para inscrições, 13-8 tabelas particionadas, 2-30 tipo de dados xml, 3-50 a 3-51 armazenando em cache planos de execução, 8-25 a 8-26 recuperação de transações, arquivos de configuração, 13-18, a arroba 3-17 a 3-18, 3-48 árvores B índices em cluster, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-10 índices XML, 4-48, 4-50 assemblies.net, a definidos, 10-9, importando, 10-13, a níveis de confiança, a visão geral, assemblies do.net, a assemblies fora do processo, assemblies no processo, assinantes, 13-4, 13-7, assinaturas digitais, 10-18

2 I-2 Índice ataques de inclusão do SQL, 8-4 atomicidade (ACID), 1-6, 11-3 atualizações perdidas, autenticação, autenticadores, 9-25 a 9-26 B backups, 1-23, 2-29 banco de dados de modelo definindo opções, 1-8 banco de dados master, 1-37 banco de dados model configurações da instância, restrições de instantâneos, 1-37 tipos de dados de alias, 2-10 banco de dados tempdb, 1-37, 8-5, 8-8 bancos de dados aplicativos dos serviços de notificação, criando, 1-3 a 1-5, 1-16 a 1-18 criando esquemas, 1-27 a 1-34 criando exibições, 7-11 criando grupos de arquivos, 1-19 a 1-26 criando instantâneos, 1-35 a 1-42 deadlocks, a definindo opções, 1-8 a 1-11 estimando tamanhos, 1-4 executando código gerenciado, 10-9 exibições de catálogo, 1-14 habilitando a comunicação segura, master, 1-37 recuperando informações, 1-12 a 1-15 registro em log de transações, 1-6 a 1-7 segurança do Agente de Serviços, a tempdb, 1-37, 8-5, 8-8 barra (/), 3-17, 3-47 bloco BEGIN...END, 9-5, 9-8, 9-10 bloco de nulos, 2-16 bloco de variáveis, 2-17 bloco TRY...CATCH, 8-31 a 8-35 bloqueio de estabilidade de esquema (Sch-S), 11-26, bloqueio de modificação de esquema (Sch-M), 11-26, bloqueio dinâmico, bloqueios bloqueio dinâmico, controles de simultaneidade, 11-7 definidos, 11-5 exibindo informações sobre, a matriz de compatibilidade, a opções no nível de sessão, a práticas recomendadas, problemas de simultaneidade, a recursos bloqueáveis, a tipos, 11-5, a transações e, 11-4 a 11-6 bloqueios compartilhados compatibilidade de bloqueios, deadlocks, visão geral, bloqueios de atualização, a bloqueios de atualização em massa, bloqueios de esquema, 11-26, bloqueios de gravação, 11-5, bloqueios de leitura, 11-5, bloqueios exclusivos, 11-26, bloqueios intencionais, C cabeçalho de linha, 2-16 cadeias de propriedade para exibições, 7-16 a 7-17 caixa de diálogo New Index, 4-18, 4-21, 4-28 caixa de diálogo New Notification Services Instance, 13-20, caminhos absolutos, 3-47 caminhos relativos, 3-47 canais de distribuição, serviços de notificação, 13-14, cargas de trabalho, 4-37 certificados controlando contexto de execução, 9-26 a 9-27 ligação do serviço remoto, níveis de confiança do assembly, segurança do Agente de Serviços, a chamadas de função, 3-46 a 3-47 chaves de índice, 4-25 chaves de partição, 4-25 chaves estrangeiras, 5-21 chaves mestras, chaves primárias definidas, 5-13 em cluster, 4-48 exclusões em cascata, 5-25 índices exclusivos, 5-13 índices XML, 4-48 integridade da entidade, 5-4 integridade referencial, 5-5 restrições FOREIGN KEY, 5-11, 5-21 restrições PRIMARY KEY, 5-13 restrições UNIQUE, 5-19 chaves primárias em cluster, 4-48 chaves públicas, 12-15

3 Índice I-3 classe Database, classe de evento, classe EventCollector, classe gerenciada EventLoader, classe NSApplication, a 13-35, classe NSInstance, a 13-34, classe Server, classe Subscriber, a classe SubscriberDevice, a classe Subscription, 13-33, classes assemblies do.net, assemblies e, carregando/descarregando, 10-6 evento, inscrição, mapeando agregados, a mapeando objetos de banco de dados, mapeando tipos de dados definidos pelo usuário, a notificação, classes de evento, classes de inscrição, classes de notificação, cláusula AS SNAPSHOT OF, 1-36 cláusula AUTHENTICATION, cláusula AUTHORIZATION, 12-23, cláusula COMPUTE, 7-12 cláusula COMPUTE BY, 7-12 cláusula CONSTRAINT criando restrições CHECK, 5-18 criando restrições FOREIGN KEY, 5-22 criando restrições PRIMARY KEY, 5-14 cláusula DEFAULT_SCHEMA, 1-31 cláusula DISTINCT, 7-22 cláusula EXECUTE AS, 9-22 a 9-25 cláusula EXTERNAL NAME, 10-23, cláusula FOR XML consultas do modo AUTO, 3-6, 3-11 a 3-13, 3-25 consultas do modo EXPLICIT, 3-6, 3-14 a 3-16, 3-25 consultas do modo PATH, 3-6, 3-17 a 3-18, 3-26 consultas do modo RAW, 3-6, 3-8 a 3-10, 3-24 a 3-25 exemplos, 3-7 recuperando XML aninhado, 3-19 a 3-22 sintaxe, 3-5 a 3-6 visão geral, 3-4 a 3-5 cláusula FROM, 9-9 a 9-11 cláusula FROM CERTIFICATE, 9-27 cláusula GROUP BY consultas do modo AUTO, 3-11 consultas do modo RAW, 3-8 funções escalares, 9-6 índices em cluster, 4-6 modificando dados em exibições, 7-22 cláusula HAVING, 7-22, 9-6 cláusula IGNORE_DUP_KEY, 4-17, 4-49 cláusula ON DELETE exclusões em cascata, 5-25 integridade referencial em cascata, 5-23 opção CASCADE, 5-23, 5-25 opção NO ACTION, 5-23, 5-25 opção SET DEFAULT, 5-23, 5-25 opção SET NULL, 5-23, 5-25 cláusula ON QUEUE, cláusula ON UPDATE atualizações em cascata, 5-23 a 5-24 integridade referencial em cascata, 5-23 opção CASCADE, 5-23 a 5-24 opção NO ACTION, 5-23 a 5-24 opção SET DEFAULT, 5-23 a 5-24 opção SET NULL, 5-23 a 5-24 cláusula OPTION, 7-12 cláusula ORDER BY aninhando tabelas, 3-21 consultas do modo AUTO, 3-11 exibições e, 7-12 funções escalares, 9-6 índices em cluster, 4-6 cláusula PERMISSION_SET, a cláusula REBUILD, 4-44 cláusula REFERENCES disparadores e, 6-7 integridade referencial em cascata, 5-23 restrições FOREIGN KEY, 5-21 a 5-22 cláusula REORGANIZE, 4-44 cláusula RETURNS, 9-3, 9-5, 9-8, 9-10 cláusula SENT BY, cláusula SET, 9-6 cláusula SWITCH, 2-36 cláusula TABLESAMPLE, 7-12 cláusula TOP, 7-12 cláusula VALIDATION, cláusula VALUES, 9-6 cláusula WHERE funções com valor de tabela em linha, 9-8 funções definidas pelo usuário, 9-19 funções escalares, 9-6 índices compostos, 4-19 índices que não estão em cluster, 4-11 parâmetros de entrada, 8-13

4 I-4 Índice cláusula WITH CLEANUP, cláusula WITH PERMISSION_SET, CLR (Common Language Runtime) código gerenciado, 10-3 integração do, 10-9 a recursos, 10-5 a 10-6 código gerenciado criando objetos gerenciados, a importando assemblies, a integração CLR, 10-9 a mapeando objetos de banco de dados, recursos do CLR, 10-3, 10-5 a 10-6 Transact-SQL versus, a vantagens, 10-7 a 10-8 colchetes, 3-48 coleções de esquemas XML, 6-27 a 6-29 coleta de eventos, 13-9 a 13-10, coletor de lixo, 10-6 colocação de dados, controlando, 1-23 coluna Parent, tabelas universais, 3-14 a 3-16 coluna Tag, tabelas universais, 3-14 a 3-16 colunas carimbo de hora, 2-20 computadas, 2-20, 4-22 a 4-23, 9-6, 9-17 criando tabelas, 2-19 identidade, 2-20, 4-6, 5-14 identificador exclusivo, 2-20, 4-6 índices compostos, 4-19 a 4-21 índices e, 4-1 índices em cluster, 4-6, 4-10 índices que não estão em cluster, 4-12 índices XML, 4-48 integridade de dados, 6-3 ligando variáveis e, 3-53 a 3-54 limitações de exibição, 7-11 modificando dados em exibições, 7-22 partes do nome, 3-15 restrição PRIMARY KEY, 4-18, 5-13 a 5-14 restrição UNIQUE, 4-18 a 5-20 restrições, 5-10, 5-12 restrições CHECK, 5-17 restrições DEFAULT, 5-15 restrições FOREIGN KEY, 5-21 suporte a índices, 4-13 tabelas universais, 3-14 a 3-15 tipos, 2-20 tipos de dados aproximados, 2-8 unindo, 7-11 várias, 4-19 a 4-21, 5-17 colunas computadas definidas, 2-20 funções escalares, 9-6 índices em, 4-22 a 4-23, 9-17 colunas de carimbo de hora, 2-20 colunas de identidade, 2-20, 4-6, 5-14 colunas de identificador exclusivo, 2-20, 4-6 COM (Component Object Model), 13-7, COM Marshaler, 10-5 comando KILL, comentários, XQuery, 3-45 compatibilidade com versões anteriores, 7-4, 7-6 compilação de consultas, 8-27 Component Object Model (COM), 13-7, configuração DEADLOCK_PRIORITY, confirmação automática transações, 11-9 a 11-10, considerações sobre desempenho assemblies no processo, bloqueio dinâmico, com exibições, 7-8, 7-27 a 7-32 desabilitando restrições, 5-27 divisões de página, 4-41 encadeamento de propriedades, 7-17 espaço livre em índices, 4-26 grupos de arquivos, 1-22 índices particionados, 2-30, 4-24 índices que não estão em cluster, 4-11 índices XML, 4-48, 4-50 planos de execução, 8-22 procedimentos armazenados, 8-4 relacionadas ao CLR, tabelas particionadas, 2-30 consistência (ACID), 1-6, 11-3 construção if-then-else, 3-45 construtores, 3-46 consultas do modo AUTO descrição, 3-6 recuperando XML, 3-25 retornando XML aninhado, 3-19 a 3-20 visão geral, 3-11 a 3-13 consultas do modo EXPLICIT aninhando tabelas, 3-21 a 3-22 descrição, 3-6 recuperando XML, 3-25 visão geral, 3-14 a 3-16 consultas do modo PATH descrição, 3-6 recuperando XML, 3-26 visão geral, 3-17 a 3-18

5 Índice I-5 consultas do modo RAW descrição, 3-6 recuperando XML, 3-24 a 3-25 retornando resultados XML de vários níveis, 3-20 visão geral, 3-8 a 3-10 consultas/consultando Agente de Serviços, 12-6 exibições e, 7-4, 7-7 fatores que afetam o cache, 8-26 funções escalares, 9-6 gerando tabelas universais, 3-16 índices em cluster, 4-6 índices XML, 4-50 metadados, 1-12 a 1-13 planos de execução, 8-22 a 8-29 subconsultas, 3-20, 5-17 contas guest, contexto de execução cláusula EXECUTE AS, 9-23 a 9-24 estendendo contexto de representação, 9-25 a 9-27 visão geral, 9-21 a 9-22 contexto de representação, 9-25 a 9-27 contratos criando, a serviços e, 12-8 suporte no Agente de Serviços, 12-8 controladores de gravação em cache no disco, controle de simultaneidade níveis de isolamento de transações, problemas de simultaneidade, a visão geral, 11-7 controle de simultaneidade otimista, 11-7 controle de simultaneidade pessimista, 11-7 convenções de nomeação para exibições, 7-10 para tabelas, 7-10 procedimentos armazenados, 8-7 conversa de diálogo arquitetura do Agente de Serviços, a iniciando, a ligação do serviço remoto, processo do Agente de Serviços, a segurança do Agente de Serviços, terminando, visão geral, Criador de Modos de Exibição, 7-10, 7-14 criptografia Agente de Serviços, 12-5, a exibição, 7-20 a 7-21 serviços de notificação, D dados de comprimento fixo, 2-16 dados de comprimento variável, 2-17 Database Engine Tuning Advisor, 4-36 a 4-37 DDL (linguagem de definição de dados), 6-6, 8-26, deadlocks definidos, 11-5, finalizando, minimizando, tabelas particionadas, 2-30 declaração de esquema, 3-34 definição targetnamespace, 6-25, 6-27 dependências, não confirmadas, depuração, 10-6 descriptografia, desfragmentando índices, 4-43 a 4-44 dica TABLOCK, diretiva TYPE, 3-20 disparadores Agente de Serviços, 12-6 aninhados, 6-16 a 6-17 aplicando integridade de dados, 5-7 código gerenciado, a criando, 6-6 mapeando para métodos, a recursivos, 6-18 a 6-19 restrições versus, 6-7 tipos, 6-6 a 6-7 visão geral, 6-5 a 6-6 disparadores AFTER, 6-6 a 6-7, 7-12 disparadores DELETE, 6-10 a 6-11 disparadores gerenciados, a disparadores INSERT, 6-8 a 6-9 disparadores INSTEAD OF exibições e, 7-12 restrições e, 6-7 visão geral, 6-6, 6-14 a 6-15 disparadores recursivos, 6-18 a 6-19 disparadores UPDATE, 6-12 a 6-13 dispositivos de assinante, 13-7 distribuição de dados, 1-22 distribuidores configurações dos serviços de notificação para, definidos, 13-4 geradores dos serviços de notificação, a divisões de página, 4-41

6 I-6 Índice DML (linguagem de manipulação de dados) aplicando integridade de dados, 5-7, 6-3 categorias de disparadores, 6-6 a 6-7 estágio de compilação e, 8-27 XML DML, 3-55 Document Object Model (DOM), 3-28 documentação do arquivo, 13-20, documentos XML fragmentando XML, 3-28 localizando nós, 3-47 namespaces, 3-35 suporte a esquemas XML, 6-25 tabelas universais, 3-14 a 3-16 tipo de dados xml, 3-51 DOM (Document Object Model), 3-28 durabilidade (ACID), 1-6, 11-3 E elemento ApplicationDefinitionFilePath, elemento ApplicationExecutionSettings, elemento ApplicationName, elemento Applications, elemento BaseDirectoryPath, elemento Chronicle, elemento ChronicleRule, elemento Chronicles, elemento ComputedField, elemento ContentFormatter, elemento Database, 13-21, elemento DeliveryChannel, elemento DeliveryChannels, elemento DigestDelivery, elemento Distribuidor, elemento EncryptArguments, elemento EventClasses, elemento EventClassName, elemento EventRules, elemento ExpirationAge, elemento Field, a elemento FileGroup, a elemento Generator, elemento History, 13-20, elemento HostedProvider, elemento IndexSqlSchema, elemento InstanceName, elemento MulticastDelivery, elemento NonHostedProvider, elemento NotificationBatchSize, elemento NotificationClass, elemento NotificationClassName, elemento ParameterDefaults, 13-20, elemento Parameters, elemento Protocol, elemento Protocols, 13-21, elemento Providers, elemento ScheduledRules, elemento Schema, 6-25, a elemento SqlServerSystem, elemento SubscriptionClass, elemento SubscriptionClasses, elemento SubscriptionClassName, elemento Version, 13-20, erros em tempo de compilação, escalabilidade, escalação do bloqueio, 2-30 especificador max (tipos de dados), 2-9, 2-18 a 2-19 esquema dbo, 1-29 a 1-31 esquema sys, 1-13 esquemas atribuindo padrão, 1-31 como namespaces, 1-27 a 1-29 criando, 1-29, 1-32 a 1-34 dbo, 1-29 definidos, 1-28 exemplo, 1-29 exibições indexadas, 7-30 fazendo referência, 6-30 objetos e, 1-28 resolução de nome do objeto, 1-30 a 1-31 esquemas de partição, 2-33 a 2-34, 4-25 esquemas padrão, 1-31 esquemas XML aplicando integridade de dados, 5-8 em coleções de esquemas XML, 6-27 a 6-29 visão geral, 6-25 a 6-26 XML com tipo, 6-30 estágio de análise, 8-27 estágio de compilação, 8-27 estágio de normalização, 8-27 estágio de otimização, 8-27 estruturas, eventos apagando dados obsoletos, armazenamento de dados, definidos, 13-3 práticas recomendadas, exibição de catálogo sys.columns, 1-14 exibição de catálogo sys.database_permissions, 1-14 exibição de catálogo sys.databases, 1-14, exibição de catálogo sys.databases_files, 1-14 exibição de catálogo sys.databases_principals, 1-14 exibição de catálogo sys.databases_role_members, 1-14

7 Índice I-7 exibição de catálogo sys.events, 1-14 exibição de catálogo sys.index_columns, 4-31 exibição de catálogo sys.indexes, 1-14, 4-31, 4-43 exibição de catálogo sys.schemas, 1-14 exibição de catálogo sys.sql_dependencies, 7-19 exibição de catálogo sys.stats, 4-31 exibição de catálogo sys.stats_columns, 4-31 exibição de catálogo sys.tables, 1-14 exibição de catálogo sys.views, 1-14, 7-19 exibição de catálogo sys.xml, 4-31 exibição de catálogo sys.xml_schema_collections, 6-29 exibição de catálogo sys.xml_schema_components, 6-29 exibição de catálogo sys.xml_schema_namespaces, 6-29 exibição de esquema check_constraints, 5-26 exibição de esquema referential_constraints, 5-26 exibição de esquema table_constraints, 5-26 exibição de gerenciamento dinâmico sys.dm_tran_locks, a exibições alterando, 7-14 a 7-15 aninhando, 7-11, 7-28 cadeias de propriedade, 7-16 a 7-17 convenções de nomeação, 7-10 criando, 7-10 a 7-11, 7-24 a 7-25 criptografando, 7-20 a 7-21 de filas, 12-8 definidas, 7-3 descartando, 7-15 disparadores DELETE, 6-10 disparadores INSERT, 6-8 disparadores INSTEAD OF, 6-6, 6-14 disparadores UPDATE, 6-12 exemplos de, 7-3 fontes de informações, 7-18 a 7-19 funções com valor de tabela com várias instruções, 9-10 índices e, 4-1 limitações de coluna, 7-11 modificando dados em, 7-22 a 7-23 otimizando o desempenho, 7-27 a 7-32 padrão, 7-5, 7-28 particionadas, 7-6 requisitos para, 7-11 a 7-12 tipos, 7-5 a 7-6 usos para, 7-4 vantagens, 7-7 a 7-8 exibições de catálogo consultando metadados, 1-12 exibindo componentes XML, 6-29 exibindo informações sobre esquemas XML, 6-29 habilitando o Agente de Serviços, obtendo informações sobre exibições, 7-19 obtendo informações sobre índices, 4-31 recuperando namespaces XML, 6-29 visão geral, 1-13 a 1-14 exibições de esquema, 1-12, 1-14, 5-26 exibições indexadas benefícios de desempenho, 7-29 considerações sobre uso, 7-30 definidas, 7-6, 7-29 requisitos, 7-30 exibições padrão, 7-5, 7-28 exibições particionadas, 7-6, 7-31 a 7-32 exibições particionadas distribuídas, 7-31 a 7-32 exibições particionadas locais, 7-31 exportando dados, exibições, 7-4, 7-8 expressões CASE, 9-6 expressões de item de contexto, 3-46 expressões de predicado, 3-48 expressões de XQuery caminho, 3-47 filtrando resultados, 3-48 índices XML, 4-51 método query, 3-52 método value, 3-53 primárias, 3-46 a 3-47 seqüência, 3-47 a 3-48 expressões de XQuery de caminho, 3-47 expressões de XQuery de seqüência, 3-47 a 3-48 expressões de XQuery primárias, 3-46 a 3-47 extensão.ldf, 1-21 extensão.mdf, 1-20 extensão.ndf, 1-20 Extensible Stylesheet Language (XSLT), 3-6 a 3-7, F fechamentos transitivos, 6-19 federação de servidores de banco de dados, 7-32 filas conversas de diálogo, criando, a suporte no Agente de Serviços, 12-8 filtrando, 3-48, formatando em HTML, fragmentação de índice, 4-41 a 4-42 fragmentação externa, 4-42 fragmentação interna, 4-41 fragmentação, índice, 4-41 a 4-42

8 I-8 Índice fragmentando XML função OPENXML, 3-32 a 3-34 gerenciando árvores de nós, 3-30 a 3-31 namespaces XML, 3-35 a 3-36 visão geral, 3-28 a 3-29 função 9-17 função 9-17 função ABS, 9-3, 9-17 função AVG, 9-3, função CAST, 9-17 função CHECKSUM, 9-17 função CONVERT, 9-17 função COS, 9-3 função COUNT, 9-3 função DATEDIFF, 9-17 função db_ddladmin, 7-11 Função DB_ID, 1-15 Função DB_NAME, 1-15 função db_owner, 4-36, 7-11 função ERROR_LINE, 8-35 função ERROR_MESSAGE, 8-32, 8-35 função ERROR_NUMBER, 8-32, 8-36 função ERROR_PROCEDURE, 8-36 função ERROR_SEVERITY, 8-36 função ERROR_STATE, 8-36 Função FILE_ID, 1-15 Função FILE_NAME, 1-15 Função FILEGROUP_ID, 1-15 Função FILEGROUP_NAME, 1-15 função GETDATE, 9-17 função INDEX_COL, 4-31 função INDEXKEY_PROPERTY, 4-31 função INDEXPROPERTY, 4-31 função ISDATE, 9-17 função ISNULL, 9-17 função MAX, 9-3 função NEWID, 2-20 função OBJECTPROPERTY, 4-22, 5-28 função OPENROWSET, 3-33 função OPENXML fragmentando XML, 3-28 a 3-29 sintaxe, 3-32 a 3-34 suporte a namespaces, 3-36 função RAND, 9-17 função SCOPE_IDENTITY, 8-16 função SQUARE, 9-3 função SUM, 9-3, função sys.dm_db_index_operational_stats, 4-31 função sys.dm_db_index_physical_stats, 4-31, 4-42, 4-44 função sys.dm_db_index_usage_stats, 4-31 função sysadmin, 7-11 função XACT_STATE, 8-35 funções cadeias de propriedade, 7-17 código gerenciado, a com valor de tabela, 9-3 a 9-4, 9-8 a 9-11, 9-19 contexto de execução, 9-20 a 9-27 criando, 9-18 definidas, 9-2 a 9-3 definidas pelo usuário, 7-30, 9-17, 9-19, a determinísticas, 9-16 a 9-17 disparadores aninhados, 6-16 escalares, 9-3, 9-5 a 9-7 exibições indexadas, 7-30 metadados, 1-15 não-determinísticas, 9-16 a 9-17 obtendo informações sobre índices, 4-31 partição, 2-31 a 2-32 reescrevendo procedimentos armazenados como, 9-19 sistema, 4-31 tipos, 9-3 a 9-4 funções com valor de tabela com várias instruções, 9-4, 9-10 a 9-11 em linha, 9-3, 9-8 a 9-9 reescrevendo procedimentos armazenados como, 9-19 funções com valor de tabela com várias instruções, 9-4, 9-10 a 9-11 funções com valor de tabela em linha, 9-3, 9-8 a 9-9 funções de metadados, 1-15 funções de partição esquemas de partição, 2-33 a 2-34 índices particionados, 4-25 visão geral, 2-31 a 2-32 funções definidas pelo usuário exibições indexadas, 7-30 indexando resultados, 9-17 instrução SELECT, 9-19 mapeando para métodos, a funções determinísticas, 9-16 a 9-17 funções do sistema, 4-31 funções escalares, 9-3, 9-5 a 9-7 funções gerenciadas, a funções não-determinísticas, 9-16 a 9-17 G Generate Scripts Wizard, 2-23 gerenciamento de inscrições, 13-7 a 13-8, gerenciamento de memória, 8-25, 10-6 grupo de arquivos principal, 1-20

9 Índice I-9 grupos de arquivos considerações sobre desempenho, 1-22 controlando colocação, 1-23 criando, 1-22 a 1-26 definidos, 1-20 definidos pelo usuário, 1-20 esquemas de partição, 2-33 a 2-34 fazendo backup, 1-23 índices particionados, 4-24 logs de transações, 1-21 principais, 1-20 tipos, 1-20 vários, 1-21 grupos de arquivos definidos pelo usuário, 1-20 a 1-21 grupos de conversas, a GUIDs (identificadores exclusivos globalmente), 2-20 H heaps, 4-8 a 4-9 HTTP (Hypertext Transfer Protocol), I IAM (Index Allocation Map), 4-8 identificação do processo do servidor (SPID), identificadores exclusivos globalmente (GUIDs), 2-20 importando assemblies, 10-13, a exibições, 7-4 Index Allocation Map (IAM), 4-8 Index Tuning Wizard, 4-36 índices adicionando a tabelas de narração, caminho, 4-50 colunas computadas, 4-22 a 4-23 com várias colunas, 4-19 a 4-21 compostos, 4-19 a 4-21 controlando colocação, 1-23 criando, 4-13 a 4-16 definidos, 4-1 desfragmentando, 4-43 a 4-44 em cluster, 4-5 a 4-7 exclusivos, 4-17 a 4-18 exibições indexadas, 7-5 exibições particionadas e, 7-32 funções definidas pelo usuário, 9-17 heaps, 4-8 a 4-9 incorporando espaço livre, 4-26 a 4-28 obtendo informações, 4-29 a 4-31 otimizando, 4-35 a 4-44 particionados, 2-28, 2-30, 4-24 a 4-25 planejando, 4-3 a 4-4 propriedade, 4-50 que não estão em cluster, 4-10 a 4-12 recompilando, 4-43 a 4-44 reorganizando, 4-43 a 4-44 restrições FOREIGN KEY, 5-21 resultados de funções, 9-18 tipo de dados xml, 3-51 valor, 4-50 XML, 4-47 a 4-51 índices compostos, 4-19 a 4-21 índices em cluster colunas, 4-6, 4-10 exibições indexadas, 7-30 heaps, 4-8 índices particionados, 4-24 índices que não estão em cluster e, 4-12 índices XML primários, 4-50 visão geral, 4-5 a 4-7 índices exclusivos restrições PRIMARY KEY, 5-13 restrições UNIQUE, 5-19 visão geral, 4-17 a 4-18 índices particionados alinhamento de índices, 4-24 benefícios de desempenho, 2-30, 4-24 benefícios de gerenciabilidade, 2-30 chaves de partição, 4-25 criando, 4-25 definidos, 2-28 visão geral, 4-24 índices que não estão em cluster colunas não-chave, 4-20 índices particionados, 4-24 índices XML secundários, 4-50 visão geral, 4-10 a 4-12 índices XML, 4-47 a 4-51 índices XML de caminho, 4-50 a 4-51 índices XML de propriedade, 4-50 a 4-51 índices XML de valor, 4-50 a 4-51 índices XML primários, 4-50 a 4-51 índices XML secundários, 4-50 a 4-51 InfoSet XML, 3-51 inscrições criando, a definidas, 13-4, 13-8 gerador dos serviços de notificação, a 13-12

10 I-10 Índice instâncias arquitetura dos serviços de notificação, 13-5 configurando, a criando, a gerenciando, a habilitando, iniciando, registrando, 13-18, instantâneos de banco de dados criando, 1-40 a 1-42 definidos, 1-36 modificação de dados, 1-38 recuperação de dados, 1-39 restrições, 1-37 instrução ADD SIGNATURE, 9-26 instrução ALTER APP ROLE, 8-26 instrução ALTER DATABASE ativando o Agente de Serviços, cache de planos de execução, 8-26 definindo opções de banco de dados, 1-8 desativando o Agente de Serviços, disparadores recursivos, 6-19 manipulando grupos de arquivos, 1-21 restrições, instrução ALTER FUNCTION, 9-6 instrução ALTER INDEX, 4-44 instrução ALTER LOGIN, 8-26 instrução ALTER PARTITION FUNCTION, 2-37 instrução ALTER PROCEDURE, 8-9 instrução ALTER QUEUE, instrução ALTER SCHEMA, 7-11 instrução ALTER TABLE cláusula REFERENCES, 5-23 cláusula SWITCH, 2-36 exemplo, 2-21 índices exclusivos, 4-18 índices XML, 4-49 iniciando transações implícitas, modificando restrições, 5-12 opção WITH NOCHECK, 5-27 restrições CHECK, 5-18 restrições DEFAULT, 5-16 restrições FOREIGN KEY, 5-22 restrições PRIMARY KEY, 5-14 restrições UNIQUE, 5-20 instrução ALTER USER, 1-31 instrução ALTER VIEW, 7-14 a 7-15, 7-20 instrução ALTER XML SCHEMA COLLECTION, 6-28 instrução BACKUP LOG, instrução BEGIN CATCH, 8-33 instrução BEGIN DIALOG CONVERSATION, a 12-34, instrução BEGIN TRANSACTION iniciando transações, modo de confirmação automática, revertendo transações, 8-34 transações aninhadas, variável global instrução CHECKCONSTRAINTS (DBCC), 5-17 instrução CHECKCONSTRAINTS do DBCC, 5-17 instrução COMMIT TRANSACTION confirmando transações, finalizando transações implícitas, revertendo transações, 8-34 transações aninhadas, variável global instrução CREATE, instrução CREATE APP ROLE, 8-26 instrução CREATE ASSEMBLY importando assemblies, a mapeando agregados, mapeando objetos de banco de dados, a instrução CREATE CERTIFICATE, 9-26, instrução CREATE CONTRACT, instrução CREATE DATABASE cache de planos de execução, 8-26 cláusula AS SNAPSHOT OF, 1-36 criando bancos de dados, 1-5 criando grupos de arquivos, 1-21 restrições, instrução CREATE ENDPOINT, instrução CREATE FUNCTION, 9-23, instrução CREATE INDEX cláusula IGNORE_DUP_KEY, 4-17 exibições indexadas, 7-30 índices compostos, 4-20 opções WITH, 4-15 sintaxe, 4-14 a 4-16 instrução CREATE LOGIN, 8-26 instrução CREATE MESSAGE TYPE, a instrução CREATE PARTITION FUNCTION, 2-32 instrução CREATE PARTITION SCHEME, 2-33 instrução CREATE PRIMARY XML INDEX, 4-51 instrução CREATE PROCEDURE chamando procedimentos armazenados, 8-14 código gerenciado, parâmetros de entrada, 8-12 parâmetros de saída, 8-15 recompilando procedimentos armazenados, 8-29 visão geral, 8-5 a 8-6

11 Índice I-11 instrução CREATE QUEUE, a instrução CREATE SCHEMA, 1-29 instrução CREATE SERVICE, a instrução CREATE TABLE cláusula REFERENCES, 5-23 criando restrições, 5-12 exemplo, 2-21 índices exclusivos, 4-18 opção ANSI_NULLS, 4-22 opção NONCLUSTERED, 4-18 restrições CHECK, 5-18 restrições DEFAULT, 5-16 restrições FOREIGN KEY, 5-22 restrições PRIMARY KEY, 5-14 restrições UNIQUE, 5-20 instrução CREATE TRIGGER, 6-6, instrução CREATE TYPE, 2-11 instrução CREATE USER, 1-31, 9-27 instrução CREATE VIEW, 7-10 a 7-11, 7-14, 7-20 instrução CREATE XML SCHEMA COLLECTION, 6-27 a 6-28 instrução DBREINDEX (DBCC), 4-44 instrução delete (método modify), 3-56 instrução DELETE (Transact-SQL) aplicando integridade de dados, 5-7 bloqueios exclusivos, colunas computadas, 4-22 considerações sobre transações, disparadores AFTER, 6-6 disparadores aninhados, 6-16 disparadores DELETE, 6-10 a 6-11 disparadores recursivos, 6-18 a 6-19 exclusões em cascata, 5-25 índices que não estão em cluster, 4-12 índices XML, 4-49 iniciando transações implícitas, modificando dados em exibições, 7-22 suporte a disparadores, 6-5 instrução DROP, instrução DROP ASSEMBLY, instrução DROP DATABASE, instrução DROP FUNCTION, 9-6 instrução DROP PROCEDURE, 8-10, 8-26 instrução DROP TABLE, 2-21, 8-26 instrução DROP TYPE, 2-11 instrução DROP VIEW, 7-15 instrução DROP XML SCHEMA COLLECTION, 6-28 instrução END CATCH, 8-33 instrução END CONVERSATION, instrução END TRY, 8-33 instrução EXECUTE, 8-13, 8-15, 8-29 instrução FETCH, instrução for (XQuery), 3-42 instrução GRANT, instrução IF UPDATE, 6-12 instrução INDEXDEFRAG (DBCC), 4-44 instrução insert (método modify), 3-55 a 3-56 instrução INSERT (Transact-SQL) aplicando integridade de dados, 5-7 blocos TRY...CATCH, 8-32 bloqueios exclusivos, colunas computadas, 4-22 considerações sobre transações, disparadores AFTER, 6-6 disparadores aninhados, 6-16 disparadores INSERT, 6-8 a 6-9 disparadores recursivos, 6-18 a 6-19 erros em tempo de compilação, função OPENXML, 3-32 funções escalares, 9-6 índices que não estão em cluster, 4-12 índices XML, 4-49 iniciando transações implícitas, modificando dados em exibições, 7-22 opção FILLFACTOR e, 4-27 restrições CHECK, 5-17 restrições DEFAULT, 5-15 suporte a disparadores, 6-5 valores de retorno, 8-16 instrução let (XQuery), 3-42 instrução OPEN, instrução order by (XQuery), 3-42 instrução PRINT, 6-17, 9-6 instrução RECEIVE, a instrução RECONFIGURE, instrução replace (método modify), 3-56 instrução RESTORE, instrução RETURN (Transact-SQL), 8-16, 9-7 instrução return (XQuery), 3-42 instrução REVERT, 9-24 instrução REVOKE, instrução ROLLBACK TRANSACTION finalizando transações implícitas, revertendo transações, 8-34, salvando transações, variável global instrução SAVE TRANSACTION, instrução SELECT cláusula FOR XML, 3-5 a 3-6 cláusula UNION ALL, 7-31 disparadores para, 6-6 exibições e, 7-4, 7-10 a 7-12, 7-28 função OPENXML, 3-32 a 3-34

12 I-12 Índice funções com valor de tabela, 9-3 a 9-4, 9-8 a 9-9, 9-19 funções definidas pelo usuário, 9-19 funções escalares, 9-6 a 9-7 iniciando transações implícitas, ligando colunas e variáveis, 3-53 limitando atualizações em exibições, 7-23 instrução SET definindo modo de transação implícita, definindo níveis de isolamento de transações, exibindo planos de execução, 8-23 a 8-24 instrução SET OPTIONS, 8-26 instrução TRUNCATE, instrução TRUNCATE TABLE, 6-10 instrução UPDATE aplicando integridade de dados, 5-7 atualizações em cascata, 5-23 a 5-24 bloqueios exclusivos, colunas computadas, 4-22 considerações sobre transações, disparadores AFTER, 6-6 disparadores aninhados, 6-16 disparadores recursivos, 6-18 a 6-19 disparadores UPDATE, 6-12 a 6-13 função OPENXML, 3-32 funções escalares, 9-6 índices que não estão em cluster, 4-12 índices XML, 4-49 iniciando transações implícitas, modificando dados em exibições, 7-22 opção FILLFACTOR e, 4-27 restrições CHECK, 5-17 suporte a disparadores, 6-5 instrução UPDATE STATISTICS, instrução UPDATE STATS, 8-26 instrução USEROPTIONS (DBCC), a instrução where (XQuery), 3-42 instrução WHILE, instruções FLOWR, 3-42 instruções restritas, integridade da coluna, 5-4, 5-6, 5-10 integridade da entidade aplicando, 5-7, 5-10 definida, 5-4 disparadores de DML, 6-4 integridade da tabela, 5-4, 5-7, 5-10 integridade de dados aplicando, 5-3, 5-6 a 5-9 definida, 6-3 implementando disparadores, 6-4 a 6-19 implementando esquemas XML, 6-24 a 6-31 tipos, 5-4 a 5-5 integridade do domínio aplicando, 5-6, 5-10 definida, 5-4 disparadores de DML, 6-4 restrições DEFAULT, 5-15 integridade referencial aplicação, 5-7 aplicando, 5-10 definida, 5-5 disparadores de DML, 6-4, 6-7 em cascata, 5-23 a 5-25 restrições FOREIGN KEY, 5-21 integridade referencial em cascata disparadores e, 6-5, 6-7 visão geral, 5-23 a 5-25 interface IContentFormatter, interface IDeliveryProtocol, interface IEventProvider, 13-9, interface IHTTPProtocolProvider, interface IScheduledEventProvider, 13-10, International Organization for Standardization (ISO), 2-10 interoperabilidade, 10-8 ISO (International Organization for Standardization), 2-10 isolamento (ACID), 1-6, 11-3 itens, 3-43 J janela Activity Monitor, janela Properties (Object Explorer), 4-30 Janela Properties (Object Explorer), 1-13 L leituras fantasmas, leituras que não podem ser repetidas, leituras sujas, ligação esquema, 7-30 serviço remoto, 12-12, ligação de esquemas, 7-30 ligação do serviço remoto, 12-12, ligando colunas e variáveis, 3-53 a 3-54 linguagem de definição de dados (DDL), 6-6, 8-26, linguagem de programação, 10-7 linhas organizando dados em, 2-16 a 2-17 organizando valores de dados grandes, 2-18 literais, 3-46

13 Índice I-13 literais de cadeias de caracteres, 3-46 local do arquivo, 1-4, 1-7 lógica condicional, 8-4 lógica de looping, 6-19 logs de transações em grupos de arquivos, 1-21 pontos de verificação, recuperação de transações, a visão geral, 1-6 a 1-7, 11-4 M marcador BEGIN TRANSACTION, 1-7 marcador COMMIT TRANSACTION, 1-7 marcadores de transação, 1-7 matriz de compatibilidade, bloqueio, a mensagem nº 1205, mensagens arquitetura de conversa do Agente de Serviços, a arquitetura de segurança do Agente de Serviços, a arquitetura do sistema do Agente de Serviços, 12-7 a 12-9 criando contratos, a criando filas, a criando serviços, a criando tipos de mensagem, a enviando, a habilitando o Agente de Serviços, a processando, a processo de conversa do Agente de Serviços, a recebendo, a visão geral, a mensagens EOIO (exactly-once-in-order), a mensagens exactly-once-in-order (EOIO), a metadados assemblies e, consultando, 1-12 a 1-13 exibições de catálogo, 1-13 exibindo, 1-12 a 1-15 suporte no CLR, 10-6 método Add (assinante), método EnumLocks, método exist, 3-51, 3-53 método Initialize classe NSApplication, classe NSInstance, classe Subscriber, método modify, 3-51, 3-55 a 3-56 método nodes, 3-57 a 3-58 método query, 3-51 a 3-52 método SetFieldValue (inscrição), método value, 3-51, 3-53 métodos assemblies do.net, assemblies e, mapeando objetos de banco de dados, a Microsoft Intermediate Language (MSIL), 10-5 a 10-6 modo Evaluate, 4-37 modo Tune, 4-37 Monitor do Sistema do Windows, a MSIL (Microsoft Intermediate Language), 10-5 a 10-6 N namespace fn, 3-44 namespace sqltypes, 3-44 namespace xdt, 3-44 namespace xml, 3-44 namespace xs, 3-44 namespace xsi, 3-44 namespaces assemblies do.net, definidos, 1-27 em código gerenciado, em QNames, 3-44 esquemas como, 1-27 a 1-29 esquemas XML, 5-8, 6-27 XML, 3-35 a 3-36 namespaces XML, 3-35 a 3-36.NET Framework ambiente de código gerenciado, 10-7 a 10-8 biblioteca de classes básica, serviços de notificação, 13-7 suporte no CLR, 10-5 nível de isolamento de transações, a Nó Logins (Object Explorer), 1-13 Nó Management (Object Explorer), 1-13 nó raiz, 4-5 Nó Server (Object Explorer), 1-13 nós folha definidos, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-10, 4-12 opção FILLFACTOR, 4-26 opção PAD_INDEX, 4-27 reorganizando índices, 4-43 nós intermediários, 4-5 notificações de resumo, 13-14, notificações multicast, 13-14, nulidade de tabelas, 2-20

14 I-14 Índice O Object Explorer configurando espaço livre no índice, 4-28 criando esquemas, 1-29 criando índices, 4-14 descrição, 1-13 exibições de catálogo, 1-13 gerando scripts do Transact-SQL, 2-22 janela Properties, 1-13, 4-30 nó Database, 1-13 obtendo informações sobre índices, 4-29 relatórios com suporte, 1-13 objetos esquemas e, 1-28 exibições de catálogo, 1-14 gerenciados, 10-9, a gerenciamento de inscrições, resolução de nome, 1-30 a 1-31 serviço, 12-8 objetos de banco de dados cadeias de propriedade, 7-17 criptografia, 7-20 descartando assemblies, esquemas, 1-28 gerenciados, a mapeando para código gerenciado, 10-22, mapeando para métodos, a opções de script, 2-22 objetos de banco de dados gerenciado, a objetos de serviço, 12-8 objetos do gerenciamento de inscrições, objetos gerenciados, 10-9, a OLAP (processamento analítico online) armazenamento de dados, 1-4 configuração DEADLOCK_PRIORITY, fatores de preenchimento de índices, 4-27 suporte no SQL Server, 1-3 a 1-4 OLTP (processamento de transações online) armazenamento de dados, 1-4 bloqueando transações, 11-4 configuração DEADLOCK_PRIORITY, fatores de preenchimento de índices, 4-27 índices que não estão em cluster, 4-12 suporte no SQL Server, 1-3 a 1-4 opção ALLOW_PAGE_LOCKS, 4-15 opção ALLOW_ROW_LOCKS, 4-15 opção ANSI_NULL_DEFAULT, 1-11, 2-20 opção ANSI_NULLS, 1-11, 4-22 opção ANSI_PADDING, 4-22 opção ANSI_WARNINGS, 4-22 a 4-23 opção API CURSOR FETCH, 8-26 opção ARITHABORT, 4-23, 4-49 opção AUTO_CLOSE, 1-9 opção AUTO_CREATE_STATISTICS, 1-8 opção AUTO_SHRINK, 1-9 opção AUTO_UPDATE_STATISTICS, 1-8 opção BINARY BASE64, 3-6 opção CALLER, 9-23 opção CASCADE cláusula ON DELETE, 5-23, 5-25 cláusula ON UPDATE, 5-23 a 5-24 restrições FOREIGN KEY, 5-23 opção CONCAT_NULL_YIELDS_NULL, 4-22 opção CURSOR SELECT, 8-26 opção CURSOR_CLOSE_ON_COMMIT, 1-9 opção CURSOR_DEFAULT, 1-9 opção de banco de dados ALLOW_SNAPSHOT ISOLATION, opção de banco de dados READ_COMMITTED_SNAPSHOT, opção ELEMENTS consultas do modo AUTO, 3-11 a 3-12, 3-19 a 3-20 consultas do modo RAW, 3-8 a 3-10 descrição, 3-6 opção EMERGENCY, 1-9 opção EXTERNAL_ACCESS, a opção FILLFACTOR, 4-26 a 4-27 opção LOCK_TIMEOUT, 11-37, opção MULTI_USER, 1-9 opção NO ACTION, 5-23 a 5-25 opção NOCHECK, 5-27 opção NONCLUSTERED, 4-18 opção NUMERIC_ROUNDABORT, 4-23 opção OFFLINE, 1-9 opção ONLINE índices XML, 4-49 instrução CREATE INDEX, 4-16 opção de banco de dados, 1-9 opção OWNER, 9-23 opção PAD_INDEX, 4-27 a 4-28 opção PAGE_VERIFY, 1-10 opção QUOTED_IDENTIFIER, 4-23 opção READ COMMITTED, opção READ UNCOMMITTED, opção READ_ONLY, 1-9 opção READ_WRITE, 1-9 opção RECOVERY, 1-10 opção RECURSIVE_TRIGGERS, 1-11, 6-19 opção REPEATABLE READ, opção RESTRICTED_USER, 1-9

15 Índice I-15 opção ROOT consultas do modo AUTO, 3-12 consultas do modo RAW, 3-10 descrição, 3-6 Opção SAFE, opção SCHEMABINDING, 7-30 opção SELF, 9-23 opção SERIALIZABLE, opção SET ANSI_NULLS, 8-8, 8-26 opção SET DEFAULT cláusula ON DELETE, 5-23, 5-25 cláusula ON UPDATE, 5-23 a 5-24 opção SET LOCK_TIMEOUT, opção SET NULL, 5-23 a 5-25 opção SET QUOTED_IDENTIFIER, 8-8 opção SET SHOWPLAN_TEXT ON, 8-24 opção SET SHOWPLAN_XML ON, 8-24 opção SET STATISTICS PROFILE ON, 8-24 opção SET STATISTICS XML ON, 8-24 opção SINGLE_USER, 1-9 opção SNAPSHOT, opção table lock on bulk load, opção TRUSTWORTHY, 9-26, opção TYPE, 3-6 opção UNSAFE, a opção WITH CHECK, 6-14, 7-23 opção WITH ENCRYPTION, 7-20 a 7-21, 8-9 opção WITH MARK, opção WITH NOCHECK, 5-27 opção WITH RECOMPILE, 8-29 opção XACT_ABORT, 8-34 a 8-35 opção XMLDATA, 3-6 opção XMLSCHEMA, 3-6 opções de bloqueio no nível de sessão, a operações JOIN colunas em tabelas, 7-11 consultas do modo AUTO, 3-11, 3-19 exibições e, 7-4 exibições indexadas, 7-30 tabelas particionadas, 2-30 operador APPLY, 3-58 operador de vírgulas, 3-47 operador UNION, 3-22, 7-4 operador UNION ALL, 3-22, 7-31 operadores aritméticos, 3-44 atribuição, 9-6 comparação, 3-44 índices em cluster, 4-6 lógicos, 3-44 suporte a XQuery, 3-44 vírgula, 3-47 operadores aritméticos, 3-44 operadores de atribuição, 9-7 operadores de comparação, 3-44 operadores JOIN índices em cluster, 4-6 operadores lógicos, 3-44 otimizador de consultas bloqueio dinâmico, colunas computadas, 4-23 definições de restrição, 5-7 exibições indexadas, 7-29 índices que não estão em cluster, 4-11 a 4-12 P padrões, aplicando integridade de dados, 5-7 palavra-chave CONTENT, 6-31 palavra-chave DEFAULT, 8-14, 9-6 palavra-chave DOCUMENT, 6-31 palavra-chave INTO, 7-12 palavra-chave OUTPUT, 8-15 palavra-chave UNIQUE, 4-6 parâmetros ADFs, arquivos de configuração, entrada, 8-12 a 8-14, 9-3 saída, 8-15 a 8-16, 9-3 parâmetros de entrada funções, 9-3 procedimentos armazenados, 8-12 a 8-14 parâmetros de saída funções, 9-3 procedimentos armazenados, 8-15 a 8-16 parte de dados (linhas), 2-16 a 2-17 passagem de valores por posição, 8-13 passagem por nome de parâmetro, 8-13 permissão AUTHENTICATE, 9-26 a 9-27 permissão AUTHENTICATE SERVER, 9-26 a 9-27 permissão EXECUTE, 9-21 permissão EXTERNAL ACCESS ASSEMBLY, permissões autenticadores, 9-26 cadeias de propriedade, 7-16 a 7-17 contexto de execução, 9-21 Database Engine Tuning Advisor, 4-36 esquemas, 1-29 exibições e, 7-8, 7-11 níveis de confiança do assembly, a procedimentos armazenados, 8-4

16 I-16 Índice planos de execução armazenando em cache, 8-25 a 8-26 des, 8-22 desempenho e otimização, 8-22 exibindo, 8-23 a 8-24 ponto (.), 3-17 ponto final (.), 3-17 pontos de extremidade, criando, pontos de restauração, 1-36 pontos de salvamento, pontos de verificação, procedimento armazenado NSEventBeginBatch, procedimento armazenado NSEventFlushBatch, procedimento armazenado NSEventWrite, procedimento armazenado sp_configure, 4-27, 6-16 procedimento armazenado sp_databases, 1-15 procedimento armazenado sp_dboption, procedimento armazenado sp_depends, 8-10 procedimento armazenado sp_help obtendo informações sobre índices, 4-30 restrições, 5-26, 5-28 procedimento armazenado sp_helpconstraint, 5-26 procedimento armazenado sp_helpindex, 4-30 procedimento armazenado sp_helptext, 7-19 descrição, 1-15 procedimento armazenado sp_lock, procedimento armazenado sp_recompile, 8-29 procedimento armazenado sp_stored_procedures, 1-15 procedimento armazenado sp_tableoption, 2-18 procedimento armazenado sp_xml_preparedocument, 3-28, 3-30 a 3-31, 3-35 procedimento armazenado sp_xml_removedocument, 3-29, 3-31 procedimentos armazenados alterando, 8-9 a 8-10 código gerenciado, a convenções de nomeação, 8-7 criando, 8-5 a 8-8 definidos, 8-2 a 8-3 descartando, 8-9 a 8-10 forçando a recompilação, 8-28 a 8-29 funções com valor de tabela com várias instruções, 9-10 funções e, 9-6, 9-17 gerenciando árvores de nós, 3-30 a 3-31 mapeando para métodos, a parâmetros de entrada, 8-12 a 8-14 parâmetros de saída, 8-15 a 8-16 reescrevendo como funções, 9-19 sistema, 1-15, 4-30 valores de retorno, 8-16 vantagens, 8-4 procedimentos armazenados gerenciados, a processamento em lotes, 12-6, processo de conversa do Agente de Serviços, a processos do gerador (serviços de notificação), a 13-12, produtividade de transações, 1-4 programas de serviço, 12-9 projeções, exibições e, 7-4 propriedade CnstlsDisabled, 5-28 propriedade DeliveryChannelName, propriedade DeviceAddress, propriedade DeviceName, a propriedade DeviceTypeName, propriedade IDENTITY, 2-20, 5-15 propriedade IsAnsiNullsOn, 4-22 propriedade SubscriberId, a propriedade SubscriberLocale, Protocolo TCP/IP, 12-5 provedor de eventos FileSystemWatcher, 13-9, provedor de eventos SQL Server, 13-9, provedores de eventos configurações dos serviços de notificação para, definindo, a personalizados, visão geral, 13-9 a Q QNames (XQuery), 3-44 quanta, R RAID (redundant array of independent disks), 1-22 RDBMS (sistema de gerenciamento de banco de dados relacional), 1-3 recompilando índices, 4-43 a 4-44 recuperação de transações, a recursão direta, 6-18 recursão indireta, 6-18 recurso bloqueável ALLOCATION_UNIT, recurso bloqueável APPLICATION, recurso bloqueável DATABASE, recurso bloqueável EXTENT, recurso bloqueável FILE, recurso bloqueável HOBT, recurso bloqueável KEY, recurso bloqueável METADATA, recurso bloqueável PAGE, recurso bloqueável RID, recurso bloqueável TABLE, 11-23

17 Índice I-17 referências variáveis, 3-46 a 3-47 registros de bloqueio, 2-30 regra agendada de inscrições, regra de eventos de inscrição, regra de narração de eventos, regras aplicando integridade de dados, 5-7 criando exibições, 7-11 serviços de notificação, a relação de confiança, 9-25 a 9-26 relações auto-referenciadas, 6-19 relatórios obtendo informações sobre índices, 4-30 sobre bloqueios ativos, SQL Server Management Studio, 1-13 reorganizando índices, 4-43 a 4-44 resolução de nome para objetos, 1-30 a 1-31 restrições aplicando integridade de dados, 5-7, 5-9 considerações sobre verificação, 5-26 a 5-28 criando, 5-12 definidas, 5-10 desabilitando, 5-27 a 5-28 disparadores versus, 6-7 nomeando, 5-26 restrições CHECK considerações, 5-26 desabilitando, 5-27 descrição, 5-10 a 5-11 disparadores para, 6-5 funções escalares, 9-6 visão geral, 5-17 a 5-18 restrições DEFAULT, 5-10, 5-15 a 5-16 restrições FOREIGN KEY cláusula ON DELETE, 5-25 cláusula ON UPDATE, 5-23 a 5-24 considerações, 5-26 desabilitando, 5-27 descrição, 5-11 disparadores e, 6-7 opção CASCADE, 5-23 visão geral, 5-21 a 5-22 restrições NULL, 5-11 restrições PRIMARY KEY descrição, 5-11 índices exclusivos, 4-9, 4-18 integridade referencial em cascata, 5-23 visão geral, 5-13 a 5-14 restrições UNIQUE descrição, 5-11 índices exclusivos, 4-18 integridade referencial em cascata, 5-23 visão geral, 5-19 a 5-20 revertendo alterações disparadores para, 6-7, 6-16 mensagem nº 1205, para transações, 8-34, para transações aninhadas, rotas, rotas padrão, S segurança arquitetura de segurança do Agente de Serviços, a código gerenciado, 10-8 diálogo, a exibições de catálogo, 1-14 habilitando a comunicação segura, ligação do serviço remoto, melhorando através de exibições, 7-4 níveis de confiança do assembly, a procedimentos armazenados, 8-4 suporte no CLR, 10-6, transporte, a segurança de diálogo, a segurança de diálogo anônima, segurança de transporte, a senhas, seqüências (XQuery), 3-43 service-oriented architecture (SOA), 12-3 serviços contratos, 12-8 conversas de diálogo, criando, a definidos, 12-5 enfileirando mensagens, 12-8 grupos de conversas, ligação do serviço remoto, 12-12, rotas, suporte no Agente de Serviços, 12-8 serviços de notificação canais de distribuição, coleta de eventos, 13-9 a configurando instâncias, a criando inscrições, a definidos, 13-1

18 I-18 Índice definindo aplicativos, a definindo provedores de eventos, a desenvolvendo soluções, a exemplo de aplicativo, a formatando, gerenciamento de inscrições, 13-7 a 13-8 gerenciando instâncias, a práticas recomendadas, processos do gerador, a visão geral, 13-3 a 13-4 visão geral da arquitetura, 13-5 a 13-6 Short Message Service (SMS), símbolo de porcentagem (%), 13-20, Simple Mail Transfer Protocol (SMTP), sintaxe de sql_statement, 8-31 sintaxe de statement_block, 8-31 sistema de arquivos FAT32, 1-37 sistema de gerenciamento de banco de dados relacional (RDBMS), 1-3 SMS (Short Message Service), SMTP (Simple Mail Transfer Protocol), SOA (service-oriented architecture), 12-3 SPID (identificação do processo do servidor), SQL Profiler, 4-37 SQL Server Management Studio configurando espaço livre no índice, 4-28 detectando a fragmentação, 4-42 exibindo informações sobre bloqueios, ferramentas visuais, 1-13 funções escalares, 9-6 janela Activity Monitor, obtendo informações sobre exibições, 7-18 obtendo informações sobre índices, 4-29 a 4-30 suporte a instantâneos de banco de dados, 1-37 SQL Server Profiler, 8-23, a subconsultas, 3-20, 5-17 suporte a threads, 10-5 a 10-6 T tabela de sistema sys.partitions, 4-8 tabela de sistema sys.syscomments, 7-20 tabela de sistema syscomments, 5-26 tabela de sistema sysconstraints, 5-26 tabela de sistema sysindexes, 4-27 tabela deleted, 6-10, 6-12, 6-19 tabela inserted, 6-8, 6-12, 6-19 tabelas aninhando, 3-21 a 3-22 base, 7-3, 7-22, 7-30 cadeias de propriedade, 7-16 a 7-17 controlando colocação, 1-23 convenções de nomeação, 7-10 criando, 2-15, 2-19 a 2-21, 2-24 a 2-27, 2-42 deleted, 6-10, 6-12, 6-19 disparadores AFTER, 6-6 disparadores DELETE, 6-10 disparadores INSERT, 6-8 disparadores INSTEAD OF, 6-6, 6-14 disparadores recursivos, 6-18 disparadores UPDATE, 6-12 divisões de página e, 4-41 exibições e, 7-4 exibições indexadas, 7-30 exibições padrão, 7-5 exibições particionadas, 7-6 funções escalares, 9-6 gerando scripts do Transact-SQL, 2-22 a 2-23 heaps, 4-8 índices compostos, 4-20 índices e, 4-1 índices em cluster, 4-5 a 4-6 índices particionados, 4-24 índices que não estão em cluster, 4-11 inserted, 6-8, 6-12, 6-19 integridade referencial em cascata, 6-7 modificando, 2-21 narração, narração de inscrições, 13-8 opção FILLFACTOR, 4-27 organizando dados em linhas, 2-16 a 2-17 organizando valores de dados grandes, 2-18 particionadas, 2-28 a 2-37, 2-43 a 2-44 procedimentos armazenados e, 8-4 removendo, 2-21 restrições, 5-10 a 5-12, 5-27 restrições CHECK, 5-17 restrições FOREIGN KEY, 5-22 restrições PRIMARY KEY, 4-9, 5-13 restrições UNIQUE, 5-19 universais, 3-14 a 3-16 tabelas base, 7-3, 7-22, 7-30 tabelas de narração, tabelas de narração de inscrições, 13-8 tabelas particionadas benefícios de desempenho, 2-30 benefícios de gerenciabilidade, 2-29 a 2-30 criando, 2-43 a 2-44 definidas, 2-28 a 2-29 esquemas de partição, 2-33 a 2-34 executando operações em, 2-36 a 2-37 exibições para, 7-4 funções de partição, 2-31 a 2-32

19 Índice I-19 tabelas universais, 3-14 a 3-16 tempos limite de bloqueio, 11-33, a tempos limite, bloqueio, 11-33, a tipo de dados bigint, 2-5 tipo de dados binary, 2-6 tipo de dados bit, 2-6 tipo de dados char, 2-6 tipo de dados cursor, 2-6, 9-3 tipo de dados datetime, 2-6, 2-8, 2-31, 9-17 tipo de dados decimal, 2-5 tipo de dados float, 2-5, 2-8, 4-22 tipo de dados image, 2-6, 2-9 tipo de dados int, 2-5 tipo de dados money, 2-6 tipo de dados nchar, 2-6, 2-8 tipo de dados ntext, 2-6, 2-9 tipo de dados numeric, 2-5 tipo de dados nvarchar especificador max, 2-18 índices em cluster, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-11 suporte a índices, 4-13 visão geral, 2-6, 2-8 a 2-9 tipo de dados real, 2-5, 2-8, 4-22 tipo de dados rowversion, 5-15, 5-17 tipo de dados smalldatetime, 2-6, 2-8, 9-17 tipo de dados smallint, 2-5 tipo de dados smallmoney, 2-6 tipo de dados sql_variant, 2-6, 9-17 tipo de dados sysname, 2-6 tipo de dados table, 2-6, 9-3 tipo de dados text, 2-6, 2-9 tipo de dados timestamp, 2-6, 2-8 a 2-9, 9-3 tipo de dados tinyint, 2-5 tipo de dados uniqueidentifier, 2-6, 12-32, tipo de dados varbinary assemblies, especificador max, 2-18 índices em cluster, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-11 mensagens, suporte a índices, 4-13 visão geral, 2-6, 2-9 tipo de dados varchar especificador max, 2-18 índices em cluster, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-11 suporte a índices, 4-13 visão geral, 2-6, 2-9 tipo de dados xml aplicando integridade de dados, 5-8 descrição, 2-6 índices em cluster, 4-5 índices que não estão em cluster, 4-11 índices XML, 4-47 a 4-51 método exist, 3-51, 3-53 método modify, 3-51, 3-55 a 3-56 método nodes, 3-57 a 3-58 método query, 3-51 a 3-52 método value, 3-51, 3-53 retornando em subconsultas, 3-20 suporte a índices, 4-13 suporte a LOB, 4-47 suporte a XQuery, 3-41 visão geral, 3-49 a 3-51 XML com tipo, 6-24, 6-30 XML sem tipo, 6-24 tipo de segurança, 10-7 tipos atômicos, 3-43 tipos de dados alias, 2-4, 2-10 a 2-11 aplicando integridade de dados, 5-6 cláusula REFERENCES, 5-21 criando, 2-12 a 2-14, 2-41 definidos, 2-4 a 2-5 fornecidos pelo sistema, 2-5 a 2-6 funções de partição, 2-31 sintaxe nome_do_método, 3-52 tipos de dados de alias, 2-4, 2-10 a 2-11 tipos de dados de caractere Unicode, 2-6 tipos de dados de caracteres, 2-6, 2-8 tipos de dados de data e hora, 2-6, 2-8 a 2-9 tipos de dados de identificador global, 2-6 tipos de dados de números inteiros, 2-6 tipos de dados especiais, 2-6 tipos de dados LOB, 2-9, 4-47 tipos de dados monetários, 2-6 tipos de dados numéricos aproximados, 2-5, 2-7 a 2-8 tipos de dados numéricos exatos, 2-5, 2-7 a 2-8 tipos de mensagem contratos, 12-8, criando, a suporte no Agente de Serviços, 12-7 verificando, a tipos definidos pelo usuário, 10-22, a tráfego de rede, 8-4

20 I-20 Índice transações aninhando, 11-14, bloqueando, 11-4 a 11-6 características, 1-6 confirmando, considerações sobre uso, a controle de simultaneidade, 11-7, a 11-22, deadlocks, a definidas, 11-3 disparadores aninhados, 6-17 disparadores como, 6-5 explícitas, a implícitas, a iniciando, instruções armazenáveis em cache em, 8-26 níveis de isolamento, a práticas recomendadas, propriedades ACID, 11-3 revertendo, 8-33 a 8-34, 11-11, salvando, transações de confirmação automática, 11-9 a 11-10, transações explícitas instruções restritas, visão geral, a transações implícitas, a Transact-SQL código gerenciado versus, a configurando espaço livre no índice, 4-28 Database Engine Tuning Advisor, 4-37 fragmentando XML, 3-32 funções, 9-3 funções escalares, 9-6 gerando scripts, 2-22 a 2-23, 2-27 obtendo informações sobre exibições, 7-19 procedimentos armazenados, 8-4 resolução de nome do objeto, 1-30 suporte a disparadores, 6-5 a 6-7 suporte no SQL Server, 1-3 transações de confirmação automática, 11-9 tratamento de erros diretrizes, 8-33 a 8-36 disparadores e, 6-7 erros em tempo de compilação, estruturado, 8-31 a 8-32 importância do, 8-30 suporte no CLR, 10-5 U usuário dbo, 9-25 a 9-26, utilitário dta.exe, 4-36 utilitário NSControl, 13-18, V valor booleano false, 3-45, 5-17 valor booleano true, 3-45, 5-17 valor do sistema CURRENT_TIMESTAMP, 5-15 valor do sistema CURRENT_USER, 5-15 valor do sistema SESSION_USER, 5-15 valor do sistema SYSTEM_USER, 5-15 valor do sistema USER, 5-15 valores booleanos, 3-45, 5-17, 9-6 valores de limite, funções de partição, 2-31 valores de retorno, procedimentos armazenados, 8-16 várias colunas, 4-19 a 4-21, 5-17 variáveis globais, 11-18, 11-33, identificador de diálogo, ligando colunas e, 3-53 a 3-54 locais, variáveis globais, 11-18, 11-33, variáveis locais, variável do identificador de diálogo, variável global variável global variável global verificação de término, 6-19 Visual Basic, 8-31, 10-7 Visual C#, 8-31, 10-7 W W3C (World Wide Web Consortium), 3-40, 6-25 World Wide Web Consortium (W3C), 3-40, 6-25 X XML com tipo, 3-51 consultas do modo AUTO, 3-11 consultas do modo EXPLICIT, 3-14 consultas do modo PATH, 3-17 consultas do modo RAW, 3-8 fragmentando, 3-27 a 3-39 recuperando aninhado, 3-19 a 3-22 suporte a ADF, suporte no SQL Server, 1-3

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

Módulo 13: Usando os serviços de notificação (opcional)

Módulo 13: Usando os serviços de notificação (opcional) Módulo 13: Usando os serviços de notificação (opcional) Sumário Visão geral do módulo 13-1 Lição 1: Introdução aos serviços de notificação 13-2 Lição 2: Desenvolvendo soluções para os serviços de notificação

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro !"#$ Excepção: condição de erro; quando ocorre o erro é levantada uma excepção que interrompe o fluxo normal de execução do programa e o direcciona para uma rotina de tratamento

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9 Bases de Dados 2007/2008 Aula 9 1. T-SQL TRY CATCH 2. TRATAMENTO ERROS RAISERROR 3. TRIGGERS 4. EXERCÍCIOS Sumário Referências http://msdn2.microsoft.com/en-us/library/ms189826.aspx (linguagem t-sql) http://www.di.ubi.pt/~pprata/bd/bd0405-proc.sql

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 03 AT03 Diversos II Page 1 of 25 Indice EXEMPLOS COM GROUP BY E COM A CLÁUSULA HAVING - TOTALIZANDO DADOS... 3 GROUP BY... 3 Cláusula HAVING com GROUP BY... 5 ENTENDENDO

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 GERALDA SILVIA DE VASCONCELOS JARDIM 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo descreve a importância do mecanismo

Leia mais

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito)

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) 8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) Nos itens anteriores vimos transações do tipo explícitas, ou seja, aquelas que iniciam com BEGIN TRANSACTION. As outras

Leia mais

Replicação de servidores de banco de dados

Replicação de servidores de banco de dados Replicação de servidores de banco de dados Cresce cada vez mais dentro das organizações a necessidade de garantir a alta disponibilidade das informações. Como a base de dados de qualquer empresa é seu

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

SQL. Structured Query Language

SQL. Structured Query Language SQL Structured Query Language Construções básicas Junção de Tabelas Join O uso da operação JOIN numa cláusula FROM especifica como se deseja que as tabelas sejam vinculadas. Use INNER JOIN para associar

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) Structured Query Language (SQL) SQL-Breve Histórico : # CREATE, ALTER e DROP; # BEGIN TRANSACTION, ROLLBACK e COMMIT; # GRANT, REVOKE e DENY; 1 Structured Query Language (SQL) Desenvolvida pelo departamento

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 10 PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 QUESTÃO 21 Analise as seguintes afirmativas: I. Uma das funções de um DBA é gerenciar os mecanismos de segurança de acesso aos dados armazenados em um SGBD (Sistema Gerenciador

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22 Sumário Agradecimentos... 19 Sobre o autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL... 22 1.1 O que é o MySQL?...22 1.1.1 História do MySQL...23 1.1.2 Licença de uso...23 1.2 Utilizações recomendadas...24

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

Desenvolvendo com XML

Desenvolvendo com XML José Antônio da Cunha IFRN Disciplina:ADM Banco de Dados Desenvolvendo com XML Tópicos: O tipo de dados XML O suporte XQuery Os métodos Data Type XML Índices XML Usando a cláusula For XML OPENXML XML Bulk

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

MER e Conceitos gerais

MER e Conceitos gerais MER e Conceitos gerais IBGE 1)O Modelo de Entidades Relacionamentos, segundo Paulo Cougo, descreve o mundo como:... cheio de coisas que possuem características próprias e que se relacionam entre si. Essas

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

André Milani. Novatec

André Milani. Novatec André Milani Novatec Sumário Agradecimentos...19 Sobre o autor...21 Prefácio...23 Capítulo 1 Bem-vindo ao PostgreSQL...25 1.1 O que é o PostgreSQL?...25 1.1.1 História do PostgreSQL...26 1.1.2 Licença

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Formação em Banco de Dados

Formação em Banco de Dados Formação em Banco de Dados Sobre a KTEC A KTEC Escola de Tecnologia oferece uma série de cursos, para os que procuram uma base sólida no aprendizado, com foco nas boas práticas que fazem a diferença no

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados. PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.ºH CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO MULTIMÉDIA ANO LECTIVO 2013/2014 6. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO IV Pré-requisitos: - Planificar e estruturar bases

Leia mais

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela Certamente você já ouviu falar muito sobre triggers. Mas o quê são triggers? Quando e como utilizá-las?

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER Gerenciando Tabelas: DDL - DATA DEFINITION LANGUAG Criando uma tabela: CREATE TABLE CLIENTES ID VARCHAR4 NOT NULL, NOME VARCHAR30 NOT NULL, PAGAMENTO DECIMAL4,2 NOT NULL;

Leia mais

A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a

A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a Transações A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a base de dados d servir várias clientes simultaneamente. Em SQL é possível definir explicitamente os limites de uma transação.

Leia mais

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis.

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis. UNISA Universidade de Santo Amaro http://www.unisa.br Material de Estudo Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server http://www.unisa-sis.info Junho/2010 Objetivo do Workshop Compartilhar e apresentar

Leia mais

PostgreSQL. www.postgresql.org. André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br

PostgreSQL. www.postgresql.org. André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br PostgreSQL www.postgresql.org André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br Características Licença BSD (aberto, permite uso comercial) Multi-plataforma (Unix, GNU/Linux,

Leia mais

Formação de DBAs SQL Server 2008

Formação de DBAs SQL Server 2008 Formação de DBAs SQL Server 2008 Parte 2: Instalação e Configuração Material Cedido pelo Professor Leandro Coelho Correia Planejamento da Instalação Avaliação de requisitos: Configuração mínima do hardware:

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes SQL Hélder Antero Amaral Nunes 2 Introdução Desenvolvida pelo departamento de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R); Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor

SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor MS - SQL Server Índice SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor... 3 SQL Server - Arquitectura da Base de Dados... 4 SQL Server - SQL Server Enterprise Manager... 8 SQL Server - Criar uma base de dados...

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que a IBM desenvolvia

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Gerenciamento de um Sistema de

Gerenciamento de um Sistema de SBD Gerenciamento de um Sistema de Banco de Dados Prof. Michel Nobre Muza ua michel.muza@ifsc.edu.br Prof. Marcos Antonio Viana Nascimento Por que é importante: Motivação Participar na organização e no

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Modelagem e Projeto de Banco de Dados Especialização em Tecnologia da Informação - Ênfases Março- 2009 1 Modelo Físico Introdução

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Conceitos sobre a versão ANSI da SQL, a sublinguagem de definição de dados (DDL) e a sublinguagem de manipulação de dados (DML) Prof. Flavio Augusto C. Correia 1

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

Base de Dados II. Relatório do 2º Trabalho. Curso de Engenharia de Informática (regime nocturno) Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja

Base de Dados II. Relatório do 2º Trabalho. Curso de Engenharia de Informática (regime nocturno) Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja Curso de Engenharia de Informática (regime nocturno) Base de Dados II Relatório do 2º Trabalho Alunos: Miguel Bilro Murta Soares nº2863 José Afonso Esteves

Leia mais

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language)

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language) SQL BÁSICO Prof. Suelane Garcia Introdução 2 Linguagem SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada padrão para acesso a Banco de Dados. Usada em inúmeros Sistemas de Gerenciamento

Leia mais

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33 Preço R$ 129.00 Compre aqui SUPER PACOTÃO 3 EM 1: 186 Vídeoaulas - 3 dvd's - 10.5 Gybabyte. 1) SQL 2) Banco de Dados (Oracle 10g, SQL Server 2005, PostgreSQL 8.2, Firebird 2.0, MySQL5.0) 3) Análise e Modelagem

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Unidade III - BD Relacional

Unidade III - BD Relacional Structured Query Language (SQL) Conceitos Iniciais Álgebra Relacional - muito formal Cálculo Relacional de Tupla SEQUEL (Structured English QUEry Language) IBM - Sistema R SQL-86 SQL-92 SQL-3 102 Structured

Leia mais

Um objeto de estatística contém informações de distribuição de valores de uma ou mais colunas de uma tabela ou view indexada

Um objeto de estatística contém informações de distribuição de valores de uma ou mais colunas de uma tabela ou view indexada Desvendando Estatísticas do SQL Server Parte 1 Nesta série de artigos vamos dar um mergulho profundo nas Teorias Probabilísticas (mais conhecido como estatísticas) do SQL Server. Introdução Estatísticas

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37 7 Sumário Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio... 13 Capítulo 1 Instalação e Configuração... 15 Instalação em Linux... 15 Instalação e Customização do Red Hat Advanced Server 2.1... 16 Preparativos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 06 AT06 Índices 1 Indice INTRODUÇÃO... 3 CLUSTERED INDICES... 4 NONCLUSTERED INDICES... 5 TRANSACT-SQL AND INDICES... 6 COMPOSITE INDEX... 8 ALTERING INDICES...

Leia mais

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional e as Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional Conceitos do Modelo Relacional Representa o banco de dados como uma coleção de relações. Comparação

Leia mais

PL/pgSQL por Diversão e Lucro

PL/pgSQL por Diversão e Lucro PL/pgSQL por Diversão e Lucro Roberto Mello 3a. Conferência Brasileira de PostgreSQL - PGCon-BR Campinas - 2009 1 Objetivos Apresentar as partes principais do PL/pgSQL Apresentar casos de uso comum do

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO.

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO. Curso: SQL Básico Glauco Luiz Rezende de Carvalho glauco.rezende@banese.com.br Este material foi baseado e adaptado pelo material do Prof. MSc. Fábio Soares Silva da Universidade Tiradentes - UNIT SQL

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As Exemplos de Vistas SQL Considere-se a vista (com o nome todososconsumidores) contento os nomes das agências e seus clientes CREATE VIEW todososclientes As Π nomebalcao,nomecliente (temconta conta) Π nomebalcao,nomecliente

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

BANCO DE DADOS Parte 4

BANCO DE DADOS Parte 4 BANCO DE DADOS Parte 4 A Linguagem SQL Introdução Desenvolvida pelo depto de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R) Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

PostgreSQL 8.0. Diogo Biazus

PostgreSQL 8.0. Diogo Biazus PostgreSQL 8.0 Diogo Biazus PostgreSQL 7.X Totalmente ACID MVCC Tipos e operadores customizáveis Diversas linguagens procedurais Hot backup Código aberto (BSD) Facilidade de extensão PL/pgSQL, PL/Python,

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

FAPLAN - Faculdade Anhanguera Passo Fundo Gestão da Tecnologia da Informação Banco de Dados II Prof. Eder Pazinatto Stored Procedures Procedimento armazenados dentro do banco de dados Um Stored Procedure

Leia mais

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso):

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso): TRANSAÇÕES 1. Visão Geral Uma transação é uma unidade lógica de trabalho (processamento) formada por um conjunto de comandos SQL cujo objetivo é preservar a integridade e a consistência dos dados. Ao final

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

Operação de União JOIN

Operação de União JOIN Operação de União JOIN Professor Victor Sotero SGD 1 JOIN O join é uma operação de multi-tabelas Select: o nome da coluna deve ser precedido pelo nome da tabela, se mais de uma coluna na tabela especificada

Leia mais

SQL - Criação de Tabelas

SQL - Criação de Tabelas SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto February 24, 2012 André Restivo (FEUP) SQL - Criação de Tabelas February 24, 2012 1 / 25 Sumário 1 Introdução 2 Tabelas

Leia mais