TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011"

Transcrição

1 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

2 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º Lisboa Tel.: Fax:

3 Índices ÍNDICE 0 SUMÁRIO EXECUTIVO Alterações estruturais introduzidas no sector eléctrico e que condicionam as tarifas para Principais alterações introduzidas nas tarifas para Tarifas e preços a aprovar para Principais determinantes da variação das tarifas Perspectivas macroeconómicas Custos de aprovisionamento de energia do Comercializador de último recurso Introdução de metas de eficiência a uma gestão mais eficiente das actividades reguladas Lei n.º 12/ Custos decorrentes de medidas de política energética, ambiental ou de interesse económico geral Diferencial de custo da Produção em Regime Especial Novo regime para o cálculo das rendas dos municípios nas concessões de distribuição de electricidade em baixa tensão Custos para a manutenção do equilíbrio contratual Diferencial de custo do Agente Comercial Custos com a convergência tarifária das Regiões Autónomas Défices tarifários Crescimento da procura de energia eléctrica Evolução das tarifas de Venda aos Clientes Finais e das tarifas de Acesso às Redes Proveitos permitidos INTRODUÇÃO TARIFAS E PREÇOS PUBLICADOS PELA ERSE Tarifas Preços de outros serviços Preços previstos no Regulamento de Relações Comerciais Preços previstos no Regulamento da Qualidade de Serviço ENQUADRAMENTO ECONÓMICO Contexto internacional Portugal Crescimento económico Inflação Previsões económicas APLICAÇÃO DA LEGISLAÇÃO SOBRE ESTABILIDADE TARIFÁRIA (DECRETO- LEI N.º 165/2008) ALTERAÇÕES AO REGULAMENTO TARIFÁRIO iii

4 6 PROVEITOS PERMITIDOS PARA CADA ACTIVIDADE Pressupostos Balanço de energia eléctrica Balanço de energia eléctrica para o Continente Balanço de energia eléctrica para a Região Autónoma dos Açores Balanço de energia eléctrica para a Região Autónoma da Madeira Actividade desenvolvida pelo Agente Comercial Actividades desenvolvidas pela entidade concessionária da RNT Actividade de Gestão Global do Sistema Actividade de Transporte de Energia Eléctrica Actividades desenvolvidas pelo operador da rede de distribuição Actividade de Compra e Venda do Acesso à Rede de Transporte Actividade de Distribuição de Energia Eléctrica Actividades desenvolvidas pelo comercializador de último recurso Actividade de Compra e Venda de Energia Eléctrica Actividade de Compra e Venda do Acesso às Redes de Transporte e Distribuição Actividade de Comercialização Proveitos permitidos para 2009 no Continente Actividades desenvolvidas pela concessionária do transporte e distribuição da região autónoma dos açores Proveitos permitidos e parâmetros de regulação da EDA Actividade de Aquisição de Energia Eléctrica e Gestão do Sistema Actividade de Distribuição de Energia Eléctrica Actividade de Comercialização de Energia Eléctrica Proveitos permitidos à EDA para Custos com a convergência tarifária da Região Autónoma dos Açores Actividades desenvolvidas pela concessionária do transporte e distribuidor vinculado da região autónoma da madeira Proveitos da actividade de Aquisição de Energia Eléctrica e Gestão do Sistema da RAM Proveitos da actividade de Distribuição de Energia Eléctrica da RAM Proveitos permitidos na actividade de Comercialização de Energia Eléctrica da RAM Proveitos Permitidos à EEM para Custos com a convergência tarifária da Região Autónoma da Madeira TARIFAS PARA VIGORAR EM Tarifas por actividade da entidade concessionária da RNT Tarifa de Uso Global do Sistema Tarifas de Uso da Rede de Transporte Tarifas por actividade dos operadores de rede de distribuição Tarifa de Uso Global do Sistema Tarifas de Uso da Rede de Transporte Tarifas de Uso da Rede de Distribuição Tarifas por actividade do Comercializador de último recurso Índices iv

5 7.3.1 Tarifa de Energia Tarifas de Comercialização Tarifas de Venda a Clientes Finais em Portugal continental Aditividade tarifária Fornecimentos de Iluminação Pública no Continente Tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso para vigorarem em Tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA Convergência e Aditividade tarifária Tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA para vigorarem em Tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM Convergência e Aditividade tarifária Tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM para vigorarem em Tarifas de Acesso às Redes PARÂMETROS PARA A DEFINIÇÃO DAS TARIFAS Parâmetros a vigorar em Valores a facturar pela REN à EDP Serviço Universal Valores mensais a transferir pela REN Transferências para a Região Autónoma dos Açores Transferências para a Região Autónoma da Madeira Valores mensais a transferir pela EDP Distribuição Défices tarifários 2006 e 2007 e diferencial de custos gerados em Ajustamentos tarifários de 2007 e Factores de ajustamento para perdas nas redes Factores de ajustamento para perdas nas redes de Portugal continental Factores de ajustamento para perdas nas redes da Região Autónoma dos Açores Factores de ajustamento para perdas nas redes da Região Autónoma da Madeira Períodos horários Regra transitória de aplicação do ciclo diário quando os equipamentos de medição não estejam adaptados ao novo horário do ciclo diário PREÇOS DE SERVIÇOS REGULADOS Preços previstos no Regulamento de Relações Comerciais Enquadramento Regulamentar Propostas das Empresas Preços de leitura extraordinária Quantia mínima a pagar em caso de mora Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica Valores a vigorar em Preços de leitura extraordinária Quantia mínima a pagar em caso de mora Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica Índices v

6 9.2 Preços previstos no Regulamento da Qualidade de Serviço Enquadramento regulamentar Proposta das empresas Verificação da qualidade da onda de tensão Visita às instalações de clientes Artigo 35.º - Avarias na alimentação individual dos clientes Valores a vigorar em Monitorização da onda tensão Visita instalação do cliente - (artigo 34.º do RQS) Avarias na alimentação individual do cliente (no artigo 35.º do RQS) ANÁLISE DO IMPACTE DAS DECISÕES PROPOSTAS Impacte no preço médio das tarifas por actividade Evolução do preço médio das tarifas por actividade entre 2008 e Evolução das tarifas por actividade entre 1999 e Impacte no preço médio das tarifas de acesso às redes Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes entre 2008 e Estrutura do preço médio das tarifas de Acesso às Redes em Evolução das tarifas de Acesso às Redes entre 1999 e Impacte no preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso entre 2008 e Estrutura do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso em Evolução das Tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso entre 1990 e Impacte no preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA entre 2008 e Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA entre 1990 e Impacte no preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM entre 2008 e Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM entre 1990 e Análise da Convergência Tarifária Custos de interesse económico geral em ANEXOS ANEXO I SIGLAS ANEXO II DOCUMENTOS COMPLEMENTARES ANEXO III PARECER DO CONSELHO TARIFÁRIO À PROPOSTA DE TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO ANEXO IV COMENTÁRIOS AO PARECER DO CONSELHO TARIFÁRIO À PROPOSTA DE TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS Índices vi

7 SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO I. Generalidade II. Especialidade Anexo Custo de capital A. Actividade de Transporte de Energia Eléctrica I. Sobrestimação do custo de capital da REN, SA II. Subestimação do custo de capital da REN B. Actividade de Distribuição de Energia Eléctrica C. EEM D. Actividade de Comercialização E. Comentários que têm implícito que o custo de capital proposto está subestimado Índices vii

8 ÍNDICE DE FIGURAS Índices Figura Evolução dos preços spot de crude, gás natural e carvão... 4 Figura Preço médio (aritmético) no mercado diário OMIE, em Portugal e em Espanha... 5 Figura Evolução dos custos de interesse económico geral incluídos nas tarifas desde Figura Evolução do PIB, em termos reais Figura Convergência Real (UE-27=100) Figura Evolução do Índice de Preços no Consumidor (taxa de variação média anual) Figura Evolução do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (taxa de variação anual) Figura Evolução do deflator do PIB e do deflator do Consumo Privado (taxa de variação anual) Figura Neutralidade do Decreto-Lei n.º 165/2008 ao nível da concorrência no mercado retalhista Figura Proveitos a recuperar pelas tarifas de Venda a Clientes Finais de 2009 da RAA Figura Proveitos a recuperar pelas tarifas de Venda a Clientes Finais de 2009 da RAM Figura Preço médio da tarifa de Energia 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso Global do Sistema 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso da Rede de Transporte em MAT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso da Rede de Transporte em AT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em AT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em MT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em BT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Comercialização em MAT, AT e MT 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Comercialização em BTE 2009/ Figura Preço médio da tarifa de Comercialização em BTN 2009/ Figura Evolução das tarifas por actividade (preços constantes de 2008) Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes em MAT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes em AT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes em MT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes BTE 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes BTN (com IP) 2009/ Figura Preço médio das tarifas de Acesso às Redes em 2009, decomposto por actividade, sem os efeitos do Decreto-Lei n.º 165/ Figura Estrutura do preço médio das tarifas de Acesso às Redes em 2009, sem os efeitos do Decreto-Lei n.º 165/ Figura Efeitos do Decreto-Lei n.º 165/2008 no preço médio das tarifas de Acesso às Redes em Figura Preço médio das tarifas de Acesso às Redes em 2009, com os efeitos do Decreto-Lei n.º 165/ viii

9 Figura Preço médio das tarifas de Acesso às Redes em 2009 nas componentes de Uso de Redes e Gestão do Sistema e Custos de Interesse Económico Geral, sem os efeitos do Decreto-Lei n.º 165/ Figura Estrutura do preço médio das tarifas de Acesso às Redes em 2009 nas componentes de Uso de Redes e Gestão do Sistema e Custos de Interesse Económico Geral, sem os efeitos do Decreto-Lei n.º 165/ Figura Evolução das tarifas de Acesso às Redes (preços correntes) Figura Evolução das tarifas de Acesso às Redes (preços constantes de 2008) Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em MAT, AT e MT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em BT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em MAT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em AT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em MT 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em BTE 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em BTN (> 20,7 kva) 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em BTN sem IP ( 20,7 kva) 2009/ Figura Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em IP 2009/ Figura Preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso em Figura Estrutura do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso em Figura Preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso em 2009, decomposto nas parcelas Energia e Fornecimento, Uso de Redes e Gestão do Sistema e Custos de Interesse Geral Figura Estrutura do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso em 2009, decomposto nas parcelas Energia e Fornecimento, Uso de Redes e Gestão do Sistema e Custos de Interesse Geral Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, por nível de tensão (preços correntes) Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, por nível de tensão (preços constantes de 2008) Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais na RAA Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em MT na RAA Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BT na RAA Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTE na RAA Índices ix

10 Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTN (> 17,25 kva) na RAA Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTN s/ IP ( 17,25 kva) na RAA Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em IP na RAA Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA (preços correntes) Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA (preços constantes de 2008) Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em MT na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BT na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTE na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTN (> 20,7 kva) na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em BTN s/ IP ( 20,7 kva) na RAM Figura Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais em IP na RAM Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM por nível de tensão (preços correntes) Figura Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM por nível de tensão (preços constantes de 2008) Figura Preços médios das tarifas de Venda a Clientes Finais de Portugal continental, da RAA e da RAM, em 2008 e Figura Preços médios por tipo de fornecimento da RAA e preços médios das tarifas de Venda a Clientes Finais de Portugal continental corrigidos da respectiva estrutura de consumos Figura Preços médios por tipo de fornecimento da RAM e preços médios das tarifas de Venda a Clientes Finais de Portugal continental corrigidos da respectiva estrutura de consumos Figura Preços médios na RAA e na RAM por tipo de fornecimento em 2009, em percentagem dos preços médios das tarifas de Venda a Clientes Finais de Portugal continental, corrigidos da estrutura de consumos Figura Evolução dos custos de interesse económico geral incluídos nas tarifas desde Índices x

11 ÍNDICE DE QUADROS Índices Quadro Pressupostos Quadro Preço médio de aquisição de energia eléctrica no mercado organizado pelo comercializador de último recurso em Quadro Metas de eficiência aplicáveis aos custos operacionais das actividades reguladas para o período de regulação Quadro Custo de capital reconhecido às actividades reguladas de redes e de comercialização para o período de regulação Quadro Custos evitados associados aos contadores pela aplicação da Lei n.º 12/2008 nas tarifas de Quadro Acréscimo de custos associados à facturação pela aplicação da Lei n.º 12/2008 nas tarifas de Quadro Custos de interesse económico geral incluídos nas tarifas para Quadro 0-8 Peso dos custos de interesse económico geral no preço médio da tarifa de Venda a Clientes Finais, em % Quadro Diferencial de custo com a aquisição de energia eléctrica à Produção em Regime Especial em Quadro Redução de custos associados ao Decreto-Lei n.º 230/2008 que define um novo regime para o cálculo das rendas dos municípios nas concessões de distribuição de electricidade em baixa tensão nas tarifas de Quadro Diferencial de custo dos CAE não cessados Quadro Custos com a convergência tarifária das Regiões Autónomas em Quadro 0-13 Custos não recuperados nas tarifas de Quadro Indicadores energéticos Quadro Variação das tarifas de Venda a Clientes Finais de 2008 para 2009 em Portugal Continental Quadro Variação das tarifas de Venda a Clientes Finais de 2008 para 2009 da Região Autónoma dos Açores Quadro Variação das tarifas de Venda a Clientes Finais de 2008 para 2009 da Região Autónoma da Madeira Quadro Convergência das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA e da RAM face às tarifas de Portugal continental em Quadro Impacte do mecanismo de convergência tarifária nas tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA e da RAM e de Portugal Continental Quadro Variação das tarifas de Acesso às Redes de 2008 para 2009 em Portugal continental Quadro Variação das tarifas por actividade de 2008 para 2009 em Portugal continental Quadro Proveitos em Portugal continental, em Quadro Proveitos nas Regiões Autónomas, em Quadro Tarifas Reguladas Quadro Previsões económicas para 2008 e xi

12 Quadro Previsões da emissão para a rede pública em Portugal continental para 2008 a Quadro Previsões da procura de electricidade na rede pública em Portugal continental para 2008 a Quadro Aquisições do comercializador de último recurso para satisfação da procura Quadro Evolução do número de consumidores no período 2007 a Quadro Evolução dos fornecimentos de energia eléctrica no período 2007 a Quadro Balanço de energia eléctrica da EDA Quadro Balanço de energia eléctrica da EEM Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos na actividade de Compra e Venda de Energia Eléctrica do Agente Comercial Quadro Ajustamentos a facturar pelo agente comercial ao comercializador de último recurso Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível dos proveitos permitidos na actividade de Gestão Global do Sistema Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível dos proveitos permitidos da actividade de Transporte de Energia Eléctrica Quadro Diferencial de custos com a aquisição de energia eléctrica a produtores em regime especial Quadro Défice tarifário de BT afecto ao comercializador de último recurso Quadro Proveitos permitidos na actividade de Compra e Vendo do Acesso à Rede de Transporte Quadro Custos com o plano de reestruturação de efectivos (PAR) Quadro 6-16 Custos com planos de efectivos Quadro Parâmetros do incentivo à melhoria da qualidade de serviço para o período regulatório Quadro Proveitos permitidos à actividade de Distribuição de Energia Eléctrica Quadro Aquisições do comercializador de último recurso para satisfação da sua procura Quadro Preço médio de aquisição de energia eléctrica no mercado organizado pelo comercializador de último recurso em Quadro Custos com a aquisição de energia eléctrica Quadro Ajustamentos do comercializador de último recurso Quadro Custos com a actividade de Compra e Venda de Energia Eléctrica Quadro Proveitos permitidos da actividade de Compra e Venda do Acesso às Redes de Transporte e Distribuição Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos na actividade de Comercialização Quadro 6-26 Custos não recuperados em 2009 ao abrigo do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Proveitos permitidos em 2009, por actividade, no Continente Quadro 6-28 Ajustamentos de 2007 e Quadro 6-29 Ajustamentos de 2007 e 2008 (cont) Quadro Proveitos permitidos das actividades reguladas da EDA Quadro Componente variável unitária dos proveitos das actividades de DEE e de CEE Índices xii

13 Quadro Taxas de remuneração dos activos Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Aquisição de Energia Eléctrica e Gestão do Sistema da EDA Quadro Parâmetros da actividade de Distribuição de Energia Eléctrica da EDA Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Distribuição de Energia Eléctrica da EDA Quadro Custos transferidos da actividade de Comercialização de Energia Eléctrica para a actividade de Distribuição de Energia Eléctrica Quadro Parâmetros da actividade de Comercialização de Energia Eléctrica da EDA Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Comercialização de Energia Eléctrica da EDA Quadro Valor dos contadores de 2008 a devolver à tarifa em Quadro Proveitos permitidos à EDA para Quadro Proveitos permitidos à EDA, para 2009, excluindo ajustamentos Quadro Impacte das decisões da ERSE nos proveitos permitidos da EDA Quadro Custo com a convergência tarifária da RAA Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Aquisição de Energia Eléctrica e Gestão do Sistema da EEM Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Distribuição de Energia Eléctrica da EEM Quadro Variáveis e parâmetros para a definição do nível de proveitos permitidos da actividade de Comercialização de Energia Eléctrica da EEM Quadro Proveitos permitidos da EEM Quadro Custo com a convergência tarifária na RAM Quadro Preços da parcela I (custos de gestão de sistema) da tarifa de Uso Global do Sistema a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador da rede de distribuição em MT e AT Quadro Preços da parcela II (custos decorrentes de medidas de política energética, ambiental ou de interesse económico geral) da tarifa de Uso Global do Sistema a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador da rede de distribuição em MT e AT Quadro Preços da parcela III (custos com o mecanismo de garantia de potência) da tarifa de Uso Global do Sistema a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador da rede de distribuição em MT e AT Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador da rede de distribuição em MT e AT Quadro Custos com a convergência tarifária das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira Quadro Custos com a convergência tarifária das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira a incorporar nas tarifas de 2009 tendo em conta a compensação financeira estabelecida no âmbito da aplicação do Decreto-Lei n.º 226-A/ Quadro Estrutura dos custos incrementais de potência das tarifas de Uso da Rede de Transporte em Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Transporte em MAT a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador de rede de distribuição em MT e AT Índices xiii

14 Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Transporte em AT a aplicar às entregas do operador da rede de transporte ao operador de rede de distribuição em MT e AT Quadro Preços da parcela I (custos de gestão de sistema) da tarifa de Uso Global do Sistema Quadro Preços da parcela II (custos decorrentes de medidas de política energética, ambiental ou de interesse económico geral) da tarifa de Uso Global do Sistema excluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Efeitos directos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/2008 nos preços da parcela II da tarifa de Uso Global do Sistema Quadro Preços da parcela II (custos decorrentes de medidas de política energética, ambiental ou de interesse económico geral) da tarifa de Uso Global do Sistema incluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Preços da parcela III (custos com o mecanismo de garantia de potência) da tarifa de Uso Global do Sistema Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema excluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema incluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema nos vários níveis de tensão e opções tarifárias excluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Efeitos directos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/2008 nos preços da tarifa Uso Global do Sistema nos vários níveis de tensão e opções tarifárias Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema nos vários níveis de tensão e opções tarifárias incluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei. n.º 165/ Quadro Preços da tarifa de Uso Global do Sistema nos vários níveis de tensão e opções tarifárias incluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei. n.º 165/ Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Transporte em MAT Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Transporte em AT Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Transporte em AT nos vários níveis de tensão e opções tarifárias Quadro Estrutura dos custos incrementais de potência das tarifas de Uso da Rede de Distribuição em Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em AT Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em MT Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em BT Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em AT nos vários níveis de tensão e opções tarifárias Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em MT nos vários níveis de tensão e opções tarifárias Quadro Preços da tarifa de Uso da Rede de Distribuição em BT Quadro Custos marginais de energia Quadro Preços da tarifa de Energia Quadro Preços da tarifa de Energia nos vários níveis de tensão e opções tarifárias Quadro Preços da tarifa de Comercialização Índices xiv

15 Quadro Variações médias por opção tarifária das tarifas de Venda a Clientes Finais de 2008 para Quadro Variações por termo tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais nas opções tarifárias em MAT, AT e MT de 2008 para Quadro Variações por termo tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais nas opções tarifárias em BTE de 2008 para Quadro Variações por termo tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais nas opções tarifárias em BTN > 20,7 kva de 2008 para Quadro Variações por termo tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais nas opções tarifárias em BTN <= 20,7 kva de 2008 para Quadro Preços das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso a vigorar em Quadro Custos com a convergência tarifária da Região Autónoma dos Açores Quadro Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma dos Açores a recuperar nas tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA Quadro Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma dos Açores a recuperar na tarifa UGS Quadro Variações médias nas opções tarifárias de 2008 para 2009 na RAA Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de MT de 2008 para 2009 na RAA Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTE de 2008 para 2009 na RAA Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTN com potência contratada superior a 17,25 kva de 2008 para 2009 na RAA Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTN com potência contratada até 17,25 kva de 2007 para 2008 na RAA Quadro Preços das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA a vigorar em Quadro Custos com a convergência tarifária da Região Autónoma da Madeira Quadro Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma da Madeira a recuperar nas tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM Quadro Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma da Madeira a recuperar na tarifa UGS Quadro Variações médias nas opções tarifárias de 2008 para 2009 na RAM Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de AT e MT de 2008 para 2009 na RAM Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTE de 2008 para 2009 na RAM Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTN com potência contratada superior a 20,7 kva de 2008 para 2009 na RAM Quadro Variações por termo tarifário nas opções tarifárias de BTN com potência contratada até 20,7 kva de 2008 para 2009 na RAM Quadro Preços das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM a vigorar em Quadro Preços das tarifas de Acesso às Redes para vigorar em 2009 excluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Índices xv

16 Quadro Efeitos directos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/2008 nos preços das tarifas de Acesso às Redes Quadro Preços das tarifas de Acesso às Redes para vigorar em 2009 incluindo os efeitos da aplicação do Decreto-Lei n.º 165/ Quadro Valor a facturar pela REN à EDP Serviço Universal Quadro Transferências da REN para o Banco Comercial Português e para a Caixa Geral de Depósitos Quadro Transferências da REN para a EDA Quadro Transferências da REN para o Banco Comercial Português e para a Caixa Geral de Depósitos Quadro Transferências da REN para a EEM Quadro Transferências da EDP Distribuição para a EDP Serviço Universal Quadro Transferências da EDP Distribuição para o Banco Comercial Português e para a Caixa Geral de Depósitos Quadro 8-8 Custos não recuperados nas tarifas de Quadro Valor dos ajustamentos de 2007 e 2008 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da REN Trading Quadro Valor dos ajustamentos de 2007 e 2008 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da REN Quadro Valor dos ajustamentos de 2008 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da EDP Distribuição Quadro Valor dos ajustamentos de 2007 e 2008 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da EDP Serviço Universal Quadro Valor dos ajustamentos de 2007 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da EDA Quadro Valor dos ajustamentos de 2007 incluídos nos proveitos permitidos de 2009 da EEM Quadro Factores de ajustamento para perdas nas redes de Portugal continental Quadro Factores de ajustamento para perdas nas redes da Região Autónoma dos Açores Quadro Factores de ajustamento para perdas nas redes da Região Autónoma da Madeira Quadro Períodos horários Quadro Preços da leitura extraordinária Proposta EDP Distribuição Quadro Valores das tarefas a realizar por empreiteiros da EDP Distribuição em Quadro Preços da leitura extraordinária Proposta EDA Quadro Preços da leitura extraordinária Proposta EEM Quadro Quantia mínima a pagar em caso de mora Proposta EDP Serviço Universal e EEM Quadro Facturação de quantias mínimas pela EDP Serviço Universal Quadro Quantia mínima a pagar em caso de mora Proposta EDA Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica clientes em MAT Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica - Proposta EDP Distribuição Índices xvi

17 Quadro Valores das tarefas associadas aos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica Quadro Número de ordens de serviço relativas a interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica - Proposta EDA Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento do fornecimento de energia eléctrica - Proposta EEM Quadro Preços de leitura extraordinária em Portugal continental para Quadro Preços de leitura extraordinária na RAA para Quadro Preços de leitura extraordinária na RAM para Quadro Valor da quantia mínima a pagar em caso de mora para 2009 em Portugal continental, na RAA e na RAM Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento em Portugal continental para Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento na RAA para Quadro Preços dos serviços de interrupção e restabelecimento na RAM para Quadro Valor das compensações (qualidade comercial - Portugal continental) Quadro Valor das compensações (qualidade comercial - Regiões Autónomas) Quadro Estimativa dos custos das acções de monitorização em MAT, AT e MT para Quadro Variação dos custos unitários na monitorização em MAT, AT e MT Quadro Estimativa dos custos das acções de monitorização em BT para Quadro Variação dos custos unitários na monitorização em BT Quadro Valores limite propostos pela EDP Distribuição (monitorização da qualidade da onda de tensão) Quadro Comparação dos valores limite em vigor com os propostos para Quadro Valor limite previsto no artigo 7.º do RQS Proposta da EDA Quadro Valor limite previsto no artigo 7.º do RQS Proposta da EEM Quadro Quantia prevista no artigo 34.º do RQS Proposta da EDA Quadro Quantia prevista no artigo 34.º do RQS Proposta da EEM Quadro Quantia prevista no artigo 35.º do RQS Proposta da EDA Quadro Quantia prevista no artigo 35.º do RQS Proposta da EEM Quadro Valores limite previstos no artigo 46.º do RQS para 2009 em Portugal continental (monitorização da onda de tensão) Quadro Valores limite previstos no artigo 7.º do RQS para 2009, na RAA (monitorização da onda de tensão) Quadro Valores limite previstos no artigo 7.º do RQS para 2009, na RAM (monitorização da onda de tensão) Quadro Preço previsto no artigo 34.º do RQS para 2009 (visita à instalação do cliente) Quadro Preço previsto no artigo 34.º do RQS para 2009 (visita à instalação do cliente) Quadro Valores da quantia prevista no artigo 35.º do RQS para 2009 (avarias na alimentação individual dos clientes) Índices xvii

18 Quadro Valores da quantia prevista no artigo 35.º do RQS para 2009 (avarias na alimentação individual dos clientes) Quadro Evolução das tarifas por actividade Quadro Evolução do preço médio das tarifas de acesso às redes 2009/ Quadro Evolução das tarifas de Acesso às Redes, por nível de tensão Quadro Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso 2009/ Quadro Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em MAT, AT e MT 2009/ Quadro Evolução do preço médio das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, em BT 2009/ Quadro Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais do comercializador de último recurso, por nível de tensão Quadro Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais na RAA Quadro Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAA, por nível de tensão Quadro Evolução do preço médio de Venda a Clientes Finais na RAM Quadro Evolução das tarifas de Venda a Clientes Finais da RAM, por nível de tensão Quadro Preços médios na RAA e na RAM por tipo de fornecimento em 2009, em percentagem dos preços médios das tarifas de Venda a Clientes Finais de Portugal continental, corrigidos da estrutura de consumos Quadro Custos de interesse económico geral incluídos nas tarifas para Quadro Preço médio dos custos de interesse económico geral em Índices xviii

19 0 SUMÁRIO EXECUTIVO TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 Sumário Executivo O presente documento Tarifas e Preços para a Energia Eléctrica em 2009 e Parâmetros para o Período de Regulação 2009 a 2011 fundamenta as tarifas e preços aprovadas para vigorarem durante o ano de Este documento é integrado pelos seguintes anexos: (i) Cálculo dos proveitos permitidos das empresas reguladas do sector eléctrico para 2009, (ii) Parâmetros de regulação e do Custo de capital para o período 2009 a 2011, (iii) Estrutura tarifária em 2009, (iv) Caracterização da procura de energia eléctrica em 2009, (v) Ajustamentos referentes a 2007 e 2008 a repercutir nas tarifas de 2009, (vi) Novos períodos horários a vigorarem em 2009, (vii) Análise do desempenho e das previsões das empresas reguladas, (viii) Breve caracterização dos investimentos nas redes de transporte e distribuição de energia eléctrica e (ix) Relatório da qualidade de serviço do transporte e distribuição de energia eléctrica em A aprovação das tarifas e preços foi, de acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário, precedida de proposta submetida em Outubro de 2008 à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade da Concorrência e dos serviços competentes das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. Esta proposta foi complementada por um conjunto de outros documentos que lhe serviram de base e de enquadramento e que dela fazem parte integrante. As tarifas ora aprovadas têm em consideração o parecer do Conselho Tarifário, que se torna público. O parecer do Conselho Tarifário e a resposta da ERSE são apresentados em anexos do presente documento. O quadro legal do sector eléctrico sofreu, desde 2006, uma profunda reestruturação. Procedeu-se através dos Decretos-Lei n.º 29/2006, de 15 de Fevereiro e n.º 172/2006, de 23 de Agosto à transposição da Directiva n.º 2003/54/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Junho, que estabelece regras comuns para o mercado interno da electricidade. Através do Decreto-Lei n.º 264/2007, de 24 de Julho aprofundou-se a integração e operacionalização do mercado ibérico da energia eléctrica (MIBEL). A Lei n.º 12/2008, de 26 de Fevereiro, relativa aos serviços públicos essenciais veio estabelecer um conjunto de disposições com incidência em especial nos contadores e custos inerentes, na periodicidade de facturação e na leitura dos contadores (prescrição e caducidade). O Decreto-Lei n.º 165/2008, de 21 de Agosto, introduziu mecanismos de estabilização tarifária aplicáveis em períodos de excepcionais circunstâncias de custos, com impactes tarifários elevados, definindo as regras aplicáveis ao reconhecimento de ajustamentos tarifários referentes à aquisição de energia eléctrica pelo comercializador de último recurso, e bem como, à repercussão tarifária dos custos de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral. Posteriormente, por Despacho de 3 de Outubro de 2008 do Ministro da Economia e da Inovação, foi determinado que o montante de do valor do equilíbrio económico-financeiro pago pelos centros electroprodutores hídricos, previsto no artigo 92.º do Decreto-Lei n.º 226-A/2007,deverá ser afectado à estabilização das tarifas de energia eléctrica através do pagamento de parte dos custos com 1

20 Sumário Executivo a convergência tarifária de 2009 entre as Regiões Autónomas e o Continente, com repercussão directa na redução da tarifa de Uso Global do Sistema paga por todos os consumidores. Por fim, foi publicado o Decreto-Lei n.º 230/2008, de 27 de Novembro, que define um novo regime para o cálculo das rendas dos municípios nas concessões de distribuição de electricidade em baixa tensão. 0.1 ALTERAÇÕES ESTRUTURAIS INTRODUZIDAS NO SECTOR ELÉCTRICO E QUE CONDICIONAM AS TARIFAS PARA 2009 TRANSPOSIÇÃO DA DIRECTIVA N.º 2003/54/CE, DE 26 DE JUNHO, QUE ESTABELECE REGRAS COMUNS PARA O MERCADO INTERNO DA ELECTRICIDADE O Decreto-Lei n.º 29/2006, de 15 de Fevereiro, veio estabelecer as bases da organização e do funcionamento do sector eléctrico, remetendo para legislação complementar um conjunto de matérias que concretizam essas bases. O Decreto-Lei n.º 172/2006, de 23 de Agosto, surge como parte dessa legislação complementar, definindo, entre outros, os procedimentos para atribuição da concessão da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT) e das concessões de distribuição de electricidade em alta e média tensão e em baixa tensão. APROFUNDAMENTO DA INTEGRAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DO MERCADO IBÉRICO DA ENERGIA ELÉCTRICA (MIBEL) O Decreto-Lei n.º 264/2007, de 24 de Julho, estabelece um conjunto de disposições destinadas a promover o aprofundamento do Mercado Ibérico de Electricidade (MIBEL), sendo de destacar as seguintes: (i) Cessação antecipada dos Contratos de Aquisição de Energia (CAE) por opção dos produtores e sua participação no mercado, (ii) Introdução dos Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) na tarifa de Uso Global do Sistema, paga por todos os consumidores e (iii) Aprovisionamento do comercializador de último recurso (EDP Serviço Universal) para satisfação dos consumos dos seus clientes no mercado de energia eléctrica. LEI DOS SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS No início do ano de 2008 é aprovada a Lei n.º 12/2008, de 26 de Fevereiro, relativa aos serviços públicos essenciais, que vem proibir a cobrança aos utentes de qualquer importância a título de preço, aluguer, amortização ou inspecção periódica de contadores ou qualquer outra taxa de efeito equivalente independentemente da designação utilizada. Tanto no sector eléctrico como no sector do gás natural, desde há muitos anos que o fornecimento e instalação dos contadores constitui encargo dos operadores das redes, os quais não podiam cobrar directamente aos consumidores qualquer quantia a título de aluguer ou indemnização pelo uso daqueles aparelhos. No entanto, esses custos por integrarem as infra- 2

21 Sumário Executivo estruturas de distribuição eram considerados para efeitos de cálculo de tarifas. Com a entrada em vigor da Lei n.º 12/2008, os custos com os contadores deixam de ser considerados no cálculo das tarifas de electricidade e de gás natural. Adicionalmente a Lei n.º 12/2008 estabelece a regra da facturação mensal a qual assume uma natureza supletiva, ou seja, a facturação será mensal se as partes não acordarem outra periodicidade. A possibilidade de escolha da periodicidade de facturação por parte dos consumidores, permite preservar a existência de acordos celebrados entre os prestadores dos serviços e os consumidores, que vão de encontro às suas necessidades e preferências, como por exemplo as modalidades de facturação que asseguram estabilidade e previsibilidade de pagamentos periódicos, o que tem sido considerado pelos aderentes um elemento positivo na gestão dos orçamentos das famílias. Por último, a Lei n.º 12/2008 em resultado de uma clarificação das regras de prescrição e de caducidade aplicáveis aos serviços públicos essenciais, que conduzem à necessidade das exigências do pagamento das facturas terem lugar dentro do prazo de 6 meses, obriga à realização de leituras da responsabilidade dos operadores das redes de 3 em 3 meses. Todas as disposições referidas têm incidência tarifária. ESTABILIDADE TARIFÁRIA Mais recentemente foi aprovado o Decreto-Lei n.º 165/2008, de 21 de Agosto, que prevê mecanismos de estabilização tarifária aplicáveis em períodos de excepcionais circunstâncias de custos, com impactes tarifários elevados. Este Decreto-Lei define as regras aplicáveis, nas situações excepcionais de custos, ao reconhecimento de ajustamentos tarifários referentes à aquisição de energia eléctrica pelo comercializador de último recurso, entidade titular de licença de comercialização de energia eléctrica sujeita a obrigações de serviço universal, bem como à repercussão tarifária dos custos de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral. No âmbito do Decreto-Lei n.º 165/2008 e por se verificarem condições que a ERSE considerou de modo fundamentado, excepcionais e susceptíveis de provocar variações e impactes tarifários significativos para os consumidores de energia eléctrica em 2009, a ERSE: (i) Propôs ao ministro responsável pela área da energia o diferimento da repercussão nas tarifas eléctricas dos ajustamentos referentes a custos decorrentes da actividade de aquisição de energia eléctrica pelo comercializador de último recurso; (ii) Informou o ministro responsável pela área da energia dos impactes tarifários associados a diferentes cenários para repercussão nas tarifas eléctricas dos custos decorrentes de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral. Os preços dos combustíveis fósseis nos mercados internacionais observaram um elevado crescimento, em particular desde o final do ano de Este crescimento, motivado por diversos factores à escala 3

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR ELÉCTRICO Julho 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 Tarifas e preços para a energia elétrica e outros serviços em 2015 e parâmetros para o período de regulação 2015-2017 Nos termos dos seus

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉCTRICA EM 2006

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉCTRICA EM 2006 CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉCTRICA EM 2006 Novembro 2005 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01

Leia mais

DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL

DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL DOCUMENTO JUSTIFICATIVO DA ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.:

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 7253/2010

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 7253/2010 Diário da República, 2.ª série N.º 80 26 de Abril de 2010 21945 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Despacho n.º 7253/2010 O artigo 276.º do Regulamento de Relações Comerciais (RRC), aprovado

Leia mais

40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012

40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012 40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012 Diretiva n.º 20/2012 Tarifas e preços para a energia elétrica e outros serviços em 2013 As tarifas e preços regulados para a energia

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015 CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Eliminado: Maio REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Junho 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Nos termos regulamentarmente previstos, o Conselho de Administração da ERSE apresenta, a 15 de outubro de cada ano, uma proposta

Leia mais

TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008

TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008 TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008 12 de Dezembro de 2007 1 Agenda 1. Qual é o enquadramento legal que condiciona a fixação das tarifas para 2008? 2. O que mudou no sector eléctrico que condiciona

Leia mais

Ligações às redes de energia eléctrica. Setembro de 2011

Ligações às redes de energia eléctrica. Setembro de 2011 Ligações às redes de energia eléctrica Setembro de 2011 Índice Competências da ERSE Princípios e conceitos gerais Potência requisitada Procedimentos para ligação de uma instalação à rede Ponto de ligação

Leia mais

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013)

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Novembro de 2012 Índice Competências da ERSE Princípios e conceitos gerais Potência requisitada

Leia mais

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Jorge Esteves, XI Reunião Ibero-Americana de Reguladores de Energia Madrid, 18 de Junho de 2007 Entidade Reguladora dos Serviços

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303

Leia mais

Relatório de Actividades 2003

Relatório de Actividades 2003 Relatório de Actividades 2003 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Março 2004 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Telefone: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 Email: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS REGULAMENTO TARIFÁRIO PARA PERMITIR A SUA APLICAÇÃO NAS REGIÕES

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Nos termos regulamentarmente previstos, designadamente no artigo 185.º do Regulamento Tarifário, o Conselho de Administração da ERSE

Leia mais

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009 AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009 Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SETOR ELÉTRICO Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2011

TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2011 TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2011 Despacho nº 15/2010 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, RT Regulamento tarifário RRC Regulamento de Relações comerciais Tarifário

Leia mais

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom

Leia mais

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc:

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc: Ana Oliveira De: Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: erse@erse.pt Cc: anacris@isr.uc.pt Assunto: Comentarios Anexos: ERSE-Revisão dos Regulamentos.doc;

Leia mais

tomadas na revisão regulamentar Julho 2008

tomadas na revisão regulamentar Julho 2008 Justificação das principais pa opções tomadas na revisão regulamentar Julho 2008 Agenda Processo de consulta pública Principais decisões e sua justificação Incentivos à melhoria dos serviços prestados

Leia mais

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006 ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural Lisboa, 26 de Julho de 2006 O ponto de vista de uma Distribuidora Modelo proposto a Distribuidora apresenta um plano de desenvolvimento

Leia mais

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI Análise da proposta de condições gerais do Contrato de Uso das Redes - RARI Junho de 2006 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

Seminário Mercado Liberalizado de Energia

Seminário Mercado Liberalizado de Energia Seminário Mercado Liberalizado de Energia A EDP Comercial no Mercado Liberalizado Carlos Neto Lisboa, 26 de Outubro de 2012 As cadeias de valor da electricidade e do gás têm grandes semelhanças A convergência

Leia mais

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Ponto de situação em 31 de Outubro de 2007 As listas de consumidores com direito à restituição de caução foram

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2012 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE ELETRICIDADE

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2012 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE ELETRICIDADE RECOMENDAÇÃO N.º 1/2012 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE janeiro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2013 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE GÁS NATURAL

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2013 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE GÁS NATURAL RECOMENDAÇÃO N.º 1/2013 INFORMAÇÃO DO IMPOSTO ESPECIAL DE CONSUMO NA FATURA DE GÁS NATURAL Janeiro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

E os consumidores economicamente vulneráveis? O que lhes acontece?

E os consumidores economicamente vulneráveis? O que lhes acontece? " opte pela melhor proposta não esquecendo de analisar, também, as condições contratuais apresentadas; " celebre o contrato com o novo comercializador que deverá tratar de todas as formalidades relativas

Leia mais

COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS

COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS 1. INTRODUÇÃO O presente documento pretende transmitir a posição da ELECPOR Associação Portuguesa

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO RESPOSTA ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Directiva n.º 6/2011. Alteração ao Regulamento Tarifário do Sector Eléctrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Directiva n.º 6/2011. Alteração ao Regulamento Tarifário do Sector Eléctrico Diário da República, 2.ª série N.º 244 22 de Dezembro de 2011 49883 PART NTIDAD RGULADORA DOS SRVIÇOS NRGÉTICOS Directiva n.º 6/2011 Alteração ao Regulamento Tarifário do Sector léctrico A presente revisão

Leia mais

Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia

Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia Situação em Portugal: A Estratégia Nacional para a Energia No âmbito da Estratégia Nacional para a Energia, aprovada no passado mês de Outubro, foram agora publicados os diplomas que estabelecem os novos

Leia mais

Comunicado. Tarifas de gás natural de julho de 2013 a junho de 2014

Comunicado. Tarifas de gás natural de julho de 2013 a junho de 2014 Comunicado Tarifas de gás natural de julho de 2013 a junho de 2014 Para efeitos da determinação das tarifas e preços de gás natural a vigorarem entre julho de 2013 e junho de 2014, o Conselho de Administração

Leia mais

METODOLOGIAS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE INVESTIMENTO NAS INFRAESTRUTURAS DE ELETRICIDADE E DE GÁS NATURAL

METODOLOGIAS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE INVESTIMENTO NAS INFRAESTRUTURAS DE ELETRICIDADE E DE GÁS NATURAL METODOLOGIAS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE INVESTIMENTO NAS INFRAESTRUTURAS DE ELETRICIDADE E DE GÁS NATURAL (ARTIGO 13(6) DO REGULAMENTO 347/2013 1 ) Setembro 2015 1 Regulamento (UE) N.º 347/2013

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 5/2010 O Regulamento Tarifário do Sector do Gás Natural (RT), com a última redacção que lhe foi dada pelo Despacho n.º 4 878/2010, publicado no

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 218 12 de novembro de 2012 36849 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Regulamento n.º 468/2012 Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor

Leia mais

A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade. 26 de Outubro de 2012

A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade. 26 de Outubro de 2012 A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade 26 de Outubro de 2012 A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade 1. A ERSE na proteção dos consumidores e na promoção da concorrência Missão

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016 CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016 Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO RESPOSTA ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES Agosto 2006 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA

TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA REVISÃO EXTRAORDINÁRIA PARA VIGORAR ENTRE SETEMBRO E DEZEMBRO DE 2007 10 de Agosto de 2007 1 Agenda 1. O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico? 2. O

Leia mais

O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico

O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico Breves notas O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico O aprofundamento dos esforços de criação do Mercado Eléctrico de Electricidade (MIBEL) prevê a necessidade de compatibilizar o quadro

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes.

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes. CONDIÇÕES GERAIS Cláusula 1ª Definições e siglas No âmbito do presente Contrato de Uso da Rede de Transporte, entende-se por: a) «Contrato» o presente contrato de uso da rede de transporte; b) «Agente

Leia mais

Proposta de protocolo Benefícios aos associados

Proposta de protocolo Benefícios aos associados Proposta de protocolo Benefícios aos associados A LUZBOA A LUZBOA Comercialização de Energia Lda é uma empresa de comercialização de electricidade no mercado liberalizado sedeada em Viseu, que opera para

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA O ANO GÁS 2015-2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR DO GÁS NATURAL

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA O ANO GÁS 2015-2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR DO GÁS NATURAL PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA O ANO GÁS 2015-2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR DO GÁS NATURAL Junho 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão

Leia mais

LEI N.º 23/96, DE 26 DE JULHO, ALTERADA PELA LEI N. O 12/2008, DE 26 DE FEVEREIRO, E PELA LEI N. O 24/2008, DE 2 DE JUNHO Serviços públicos essenciais

LEI N.º 23/96, DE 26 DE JULHO, ALTERADA PELA LEI N. O 12/2008, DE 26 DE FEVEREIRO, E PELA LEI N. O 24/2008, DE 2 DE JUNHO Serviços públicos essenciais LEI N.º 23/96, DE 26 DE JULHO, ALTERADA PELA LEI N. O 12/2008, DE 26 DE FEVEREIRO, E PELA LEI N. O 24/2008, DE 2 DE JUNHO Serviços públicos essenciais Artigo 1.º Objecto e âmbito 1 A presente lei consagra

Leia mais

A Qualidade da Regulação e os Serviços do Sector Eléctrico Angolano

A Qualidade da Regulação e os Serviços do Sector Eléctrico Angolano A Qualidade da Regulação e os Serviços do Sector Eléctrico Angolano VI Conferência RELOP Per : José Quarta Luanda, 30 31 de Maio de 2013 1 Interacção entre actores do Sistema Eléctrico 2 3 Projectos de

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL Abril 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005

Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005 Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER Braga, 26 de Outubro de 2012 Luis Alexandre Silva Porquê a presença no Mercado Elétrico? Expansão de Negócios Estratégia de diversificação (novos mercados) Crescimento nos

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

Revisão Regulamentar 2011

Revisão Regulamentar 2011 Revisão Regulamentar 2011 21 Junho 2011 Comentário Síntese Na generalidade: A quase totalidade t d das preocupações e sugestões apresentadas pela EDA nos últimos anos foram contempladas. No entanto, algumas

Leia mais

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural Perguntas e respostas frequentes Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural 1. O que significa a extinção das tarifas reguladas? A extinção de tarifas reguladas significa que os preços de

Leia mais

SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS

SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS (ELETRICIDADE E GÁS NATURAL) Contexto Regulamentar O enquadramento legal decorre da implementação do designado "Terceiro Pacote Energético", da União Europeia, do qual fazem

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010

INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010 INFORMAÇÃO SOBRE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS RECOMENDAÇÃO N.º 1/2010 Julho 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa

Leia mais

MODELO DE CÁLCULO DE GANHOS DE PRODUTIVIDADE NO SECTOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS EM PORTUGAL

MODELO DE CÁLCULO DE GANHOS DE PRODUTIVIDADE NO SECTOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS EM PORTUGAL MODELO DE CÁLCULO DE GANHOS DE PRODUTIVIDADE NO SECTOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS EM PORTUGAL Projecto de Mestrado em Finanças João Carlos Silva APDA, 24 de Maio de 2011 AGENDA 1 A questão em análise 2 O modelo

Leia mais

f) Processamentos de dados em baixa tensão, designadamente estimativas de consumo e metodologia de aplicação de perfis de consumo.

f) Processamentos de dados em baixa tensão, designadamente estimativas de consumo e metodologia de aplicação de perfis de consumo. NOTA INFORMATIVA RELATIVA AO DESPACHO N.º 2/2007 QUE APROVA O GUIA DE MEDIÇÃO, LEITURA E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS O Regulamento de Relações Comerciais (RRC) aprovado através do despacho da Entidade Reguladora

Leia mais

ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA

ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA Parecer interpretativo da ERSE (ao abrigo do artigo 290.º do Regulamento de Relações Comerciais) Julho de 2005 ACERTOS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA Parecer

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 08/2011

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 08/2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO N.º 08/2011 O Regulamento Tarifário do Sector do Gás Natural estabelece que os métodos e os parâmetros para o cálculo das tarifas sejam desenvolvidos

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE OPERAÇÃO INFRA-ESTRUTURAS DAS. Documento Justificativo ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS.

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE OPERAÇÃO INFRA-ESTRUTURAS DAS. Documento Justificativo ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. PROPOSTA DE REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS Documento Justificativo Fevereiro de 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel:

Leia mais

Atributos da Proposta e Preço Contratual

Atributos da Proposta e Preço Contratual Atributos da Proposta e Preço Contratual António José da Silva Coutinho, portador do cartão de cidadão nº. 08419828, com domicílio profissional na Rua Castilho, 165, 4º, 1070-050 Lisboa, na qualidade de

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013 34305 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 20/2013 Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

Leia mais

Newsletter de Outubro de 2014 DIREITO PÚBLICO, AMBIENTE & URBANISMO

Newsletter de Outubro de 2014 DIREITO PÚBLICO, AMBIENTE & URBANISMO Newsletter de Outubro de 2014 DIREITO PÚBLICO, AMBIENTE & URBANISMO Fevereiro de 2013 Novidades Legislativas ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA LOCAL Portaria n.º 209/2014 - Diário da República n.º 197/2014, Série

Leia mais

Uma Janela sobre o Futuro

Uma Janela sobre o Futuro CCB 26 Julho 2006 Uma Janela sobre o Futuro "Make everything as simple as possible, but not simpler." - Albert Einstein (1879-1955) Proposta de Regulamentação O papel das infra-estruturas Liberalização

Leia mais

COMENTÁRIOS AO PARECER DO CONSELHO TARIFÁRIO À PROPOSTA DE TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014

COMENTÁRIOS AO PARECER DO CONSELHO TARIFÁRIO À PROPOSTA DE TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 COMENTÁRIOS AO PARECER DO CONSELHO TARIFÁRIO À PROPOSTA DE TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão

Leia mais

MECANISMO DE ATRIBUIÇÃO DA CAPACIDADE NO ARMAZENAMENTO

MECANISMO DE ATRIBUIÇÃO DA CAPACIDADE NO ARMAZENAMENTO MECANISMO DE ATRIBUIÇÃO DA CAPACIDADE NO ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL FEVEREIRO 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA -

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - 1. ENQUADRAMENTO Na sequência da consulta pública acima mencionada, promovida conjuntamente pelos reguladores português e espanhol, vem

Leia mais

do Orçamento Familiar

do Orçamento Familiar Iniciativa Sessões de esclarecimento para consumidores Parceria Gestão MUDAR DE COMERCIALIZADOR DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL do Orçamento Familiar Susana Correia Olhão 4, Fevereiro de 2013 Liberalização

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS

ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS O setor de serviços de águas compreende: as atividades de abastecimento de água às populações urbanas e rurais e às atividades

Leia mais

PPDA PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTA DESEMPENHO AMBIENT L

PPDA PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTA DESEMPENHO AMBIENT L PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL EEM Maio - 2008 PPDA 2006-20082008 Medidas propostas e aprovadas: 2006 2007 2008 Total Fomação em ambiente 2.500 0 1.500 4.000 Integração paisagística de

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 10/2015. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 10/2015. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016 16618 Diário da República, 2.ª série N.º 119 22 de junho de 2015 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 10/2015 Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016 Nos termos

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA

RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA Julho 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Telefone: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 Email: erse@erse.pt

Leia mais

(in CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGAS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE, Novembro de 2007).

(in CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGAS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE, Novembro de 2007). COMENTÁRIOS REN CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGÁS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE A. INTRODUÇÃO Na sequência do compromisso assumido, a CNE e a ERSE

Leia mais

Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização

Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização Eduardo Teixeira ERSE 1 de junho de 2012 Agenda 1. A experiência do MIBEL 2. Renováveis e PRE 3. MIBEL, Renováveis e PRE 4. Os desafios

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento SETEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

III Conferência Anual da RELOP

III Conferência Anual da RELOP Energias Renováveis, Regulação e Sustentabilidade III Conferência Anual da RELOP Rio de Janeiro 4 Novembro 2010 Vítor Santos Agenda 1. A Política Energética Europeia e Nacional 2. Remuneração e alocação

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL «MAIOR FLEXIBILIDADE TARIFÁRIA»

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL «MAIOR FLEXIBILIDADE TARIFÁRIA» Comunicado de Imprensa PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL «MAIOR FLEXIBILIDADE TARIFÁRIA» Nesta data submete-se a Consulta Pública (28.ª Consulta Pública da ERSE) proposta

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL Entre EDP Serviço Universal, S.A., com sede na Rua Camilo Castelo Branco, 43, em Lisboa, com o capital social de 10 100 000 (dez

Leia mais

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis LEGISLAÇÃO BÁSICA Especificações GPL Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis Portaria nº 348/96, de 8 de Agosto Estabelece as

Leia mais

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador no Sector Eléctrico Agenda 1. Enquadramento e objectivos 2. Descrição dos trabalhos do auditor 3. Conclusões do trabalho do auditor 4. Recomendações

Leia mais

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO QUALIDADE DE SERVIÇO TÉCNICA A qualidade de serviço de natureza técnica no sector eléctrico está associada à análise dos seguintes aspectos: Fiabilidade do fornecimento da energia eléctrica (continuidade

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2012 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2012 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2012 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2012-2014 dezembro 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

O REGIME ECONÓMICO DA COGERAÇÃO (Produção em Regime Especial)

O REGIME ECONÓMICO DA COGERAÇÃO (Produção em Regime Especial) O REGIME ECONÓMICO DA COGERAÇÃO (Produção em Regime Especial) Diferencial de custos com a aquisição de energia eléctrica e impacto na Tarifa de Venda a Clientes Finais Julho 2009 Regime económico das instalações

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRECTIVA N.º 3/2011

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRECTIVA N.º 3/2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRECTIVA N.º 3/2011 Condições gerais dos contratos de uso das redes de distribuição e de transporte de gás natural e procedimentos para a interrupção e o restabelecimento

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Directiva n.º 3/2011

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Directiva n.º 3/2011 39846 Diário da República, 2.ª série N.º 193 7 de Outubro de 2011 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Directiva n.º 3/2011 Condições gerais dos contratos de uso das redes de distribuição

Leia mais

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PERSPECTIVA DOS CONSUMIDORES DA INDÚSTRIA CERÂMICA Artur Serrano Fernando Cunha ERSE 1 5 de Fevereiro

Leia mais

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Sumário No sentido de aprofundar o MIBEL - Mercado Ibérico de Electricidade, e em linha com o Acordo de Santiago de Compostela e

Leia mais

CONFERÊNCIA. Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA. Lisboa, 7 de Julho de 2010

CONFERÊNCIA. Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA. Lisboa, 7 de Julho de 2010 CONFERÊNCIA Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA Lisboa, 7 de Julho de 2010 Luís Sousa Santos lsantos@besinv.pt Financiamento de Centrais de Biomassa

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO N.º 1/2015. Regulamento da Mobilidade Elétrica

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO N.º 1/2015. Regulamento da Mobilidade Elétrica ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO N.º 1/2015 Regulamento da Mobilidade Elétrica O Decreto-Lei n.º 90/2014, de 11 de junho que alterou o Decreto-Lei n.º 39/2010, de 26 de abril, aprovou

Leia mais

Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública

Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública Audição Pública Lisboa, 12 de Dezembro de 2012 Acreditamos que as propostas em Consulta Pública contribuirão para a melhoria do sistema de gás natural

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS DO SECTOR DO GÁS NATURAL Fevereiro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 213 033 200 Fax:

Leia mais