1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ GP INVESTMENTS, LTD / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 08002-0 GP INVESTMENTS, LTD. 07.857.850/0001-50 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / NIRE SEDE 1 - ENDEREÇO COMPLETO 2 - BAIRRO OU DISTRITO 129 FRONT STREET HAMILTON 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF - BERMUDA BE 6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 1 - TELEX DDD 12 - FAX 13 - FAX 14 - FAX DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES (Endereço para Correspondência com a Companhia) 1 - NOME ALLAN HADID 2 - ENDEREÇO COMPLETO 3 - BAIRRO OU DISTRITO AV. BRIGADEIRO FARIA LIMA, 39 7º ANDAR 4 - CEP 5 - MUNICÍPIO ITAIM BIBI 6 - UF SÃO PAULO SP 7 - DDD 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 1 - TELEFONE 11 - TELEX DDD 13 - FAX 14 - FAX 15 - FAX REFERÊNCIA / AUDITOR EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO 1 - INÍCIO 2 - TÉRMINO TRIMESTRE ATUAL 3 - NÚMERO 4 - INÍCIO 5 - TÉRMINO TRIMESTRE ANTERIOR 6 - NÚMERO 7 - INÍCIO 8 - TÉRMINO 1/1/ NOME/RAZÃO SOCIAL DO AUDITOR 31/12/28 3 1/7/28 3/9/28 2 1/4/28 3/6/ CÓDIGO CVM PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes NOME DO RESPONSÁVEL TÉCNICO Eduardo Rogatto Luque 12 - CPF DO RESP. TÉCNICO /11/28 15:41:42 Pág: 1

2 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / COMPOSIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL Número de Ações (Unidades) Do Capital Integralizado 1 - Ordinárias 2 - Preferenciais 3 - Total Em Tesouraria 4 - Ordinárias 5 - Preferenciais 6 - Total 1 - TRIMESTRE ATUAL 2 - TRIMESTRE ANTERIOR 3/9/28 3/6/ IGUAL TRIMESTRE EX. ANTERIOR 3/9/ CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA 1 - TIPO DE EMPRESA Empresa Comercial, Industrial e Outras 2 - TIPO DE SITUAÇÃO Operacional 3 - NATUREZA DO CONTROLE ACIONÁRIO Estrangeira Holding 4 - CÓDIGO ATIVIDADE Emp. Adm. Part. - Sem Setor Principal 5 - ATIVIDADE PRINCIPAL INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS 6 - TIPO DE CONSOLIDADO Total 7 - TIPO DO RELATÓRIO DOS AUDITORES Sem Ressalva SOCIEDADES NÃO INCLUÍDAS NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 1 - ITEM 2 - CNPJ 3 - DENOMINAÇÃO SOCIAL PROVENTOS EM DINHEIRO DELIBERADOS E/OU PAGOS DURANTE E APÓS O TRIMESTRE 1 - ITEM 2 - EVENTO 3 - APROVAÇÃO 4 - PROVENTO 5 - INÍCIO PGTO. 6 - ESPÉCIE E CLASSE DE AÇÃO 7 - VALOR DO PROVENTO P/ AÇÃO 12/11/28 15:41:52 Pág: 2

3 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM DENOMINAÇÃO SOCIAL GP INVESTMENTS, LTD. 3 - CNPJ / CAPITAL SOCIAL SUBSCRITO E ALTERAÇÕES NO EXERCÍCIO SOCIAL EM CURSO 1- ITEM 2 - DATA DA ALTERAÇÃO 3 - VALOR DO CAPITAL SOCIAL (Reais Mil) 4 - VALOR DA ALTERAÇÃO (Reais Mil) 5 - ORIGEM DA ALTERAÇÃO 7 - QUANTIDADE DE AÇÕES EMITIDAS (Unidades) 8 - PREÇO DA AÇÃO NA EMISSÃO (Reais) 31/1/ Subscrição Particular em Dinheiro , /2/ Subscrição Particular em Dinheiro , /2/ Subscrição Pública , /9/ Subscrição Particular em Dinheiro , DIRETOR DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES 1 - DATA 2 - ASSINATURA 1/11/28 12/11/28 15:41:59 Pág: 3

4 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (Reais Mil) 1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3-3/9/28 4-3/6/28 1 Ativo Total Ativo Circulante Disponibilidades Caixa e equivalentes a caixa Aplicações financeiras Créditos Clientes Créditos Diversos Despesas antecipadas e outros Recebíveis de partes relacionadas Despesas antecipadas Estoques Outros Ativo Não Circulante Ativo Realizável a Longo Prazo Créditos Diversos Investimentos em "Private Equity" Créditos com Pessoas Ligadas Com Coligadas e Equiparadas Com Controladas Com Outras Pessoas Ligadas Outros Ativo Permanente Investimentos Participações Coligadas/Equiparadas Participações Coligadas/Equiparadas-Ágio Participações em Controladas Participações em Controladas - Ágio Outros Investimentos Imobilizado Intangível Diferido 12/11/28 15:42:7 Pág: 4

5 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (Reais Mil) 1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3-3/9/28 4-3/6/28 2 Passivo Total Passivo Circulante Empréstimos e Financiamentos Debêntures Fornecedores Impostos, Taxas e Contribuições Dividendos a Pagar Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Outros Bonificações a pagar Salarios e encargos Juros de bônus perpétuos e empréstimos Outros Passivo Não Circulante Passivo Exigível a Longo Prazo Empréstimos e Financiamentos Debêntures Provisões Dívidas com Pessoas Ligadas Adiantamento para Futuro Aumento Capital Outros Bônus Perpétuos Resultados de Exercícios Futuros 2.4 Patrimônio Líquido Capital Social Realizado Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Ativos Próprios Controladas/Coligadas e Equiparadas Reservas de Lucro Legal Estatutária Para Contingências De Lucros a Realizar Retenção de Lucros Especial p/ Dividendos Não Distribuídos Outras Reservas de Lucro Lucros/Prejuízos Acumulados (35.7) (526) Adiantamento para Futuro Aumento Capital 12/11/28 15:42:21 Pág: 5

6 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil) 1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3-1/7/28 a 3/9/28 4-1/1/28 a 3/9/28 5-1/7/27 a 3/9/27 6-1/1/27 a 3/9/ Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços Taxas de Administração e Performance Serviços de Consultoria e Outros Receitas Financeiras Ganho Realizado Equivalência Patrimonial 3.2 Deduções da Receita Bruta 3.3 Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos 3.5 Resultado Bruto Despesas/Receitas Operacionais (38.743) (54.472) Com Vendas Gerais e Administrativas (15.783) (47.577) (7.164) (28.158) Despesas Gerais (15.783) (29.24) (7.164) (28.158) Bonificações Despesas com Oferta Pública de Ações (18.373) Financeiras (6.24) (18.822) (5.356) (7.393) Receitas Financeiras Despesas Financeiras (6.24) (18.822) (7.13) (19.355) Outras Receitas Operacionais Outras Despesas Operacionais Resultado da Equivalência Patrimonial (16.72) Resultado Operacional (38.743) (54.472) Resultado Não Operacional Receitas Despesas 3.9 Resultado Antes Tributação/Participações (35.144) (5.873) /11/28 15:42:26 Pág: 6

7 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária IDENTIFICAÇÃO 1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 82- GP INVESTMENTS, LTD / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Reais Mil) 1 - CÓDIGO 2 - DESCRIÇÃO 3-1/7/28 a 3/9/28 4-1/1/28 a 3/9/28 5-1/7/27 a 3/9/27 6-1/1/27 a 3/9/ Provisão para IR e Contribuição Social (4) 3.11 IR Diferido 3.12 Participações/Contribuições Estatutárias Participações Contribuições 3.13 Reversão dos Juros sobre Capital Próprio 3.15 Lucro/Prejuízo do Período (35.144) (5.913) NÚMERO AÇÕES, EX-TESOURARIA (Unidades) LUCRO POR AÇÃO (Reais) PREJUÍZO POR AÇÃO (Reais) (,22462) (,32541),21649, /11/28 15:42:26 Pág: 7

8 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Divulgação Externa CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - Informações Trimestrais Legislação Societária EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Data-Base - 3/9/ GP INVESTMENTS, LTD / NOTAS EXPLICATIVAS GP Investments, Ltd. Balanços patrimoniais interinos condensados e consolidados Em milhares de reais, exceto quando indicado Ativo 3 de setembro de 28 (Não auditado) 31 de dezembro de 27 Circulante Caixa e equivalentes a caixa Aplicações financeiras em títulos mobiliários Valores a receber - instrumentos derivativos Taxas de administração e performance Despesas diferidas com emissão de dívida e pagas antecipadamente Outros ativos Não circulante Investimentos Outros investimentos Despesas diferidas com emissão de dívida e pagas antecipadamente Outros valores a receber Móveis e equipamentos Outros ativos Total do ativo /11/28 15:42:42 Pág: 8

9 GP Investments, Ltd. Balanços patrimoniais interinos condensados e consolidados Em milhares de reais, exceto quando indicado Passivo e patrimônio líquido 3 de setembro de 28 (Não auditado) (continuação) 31 de dezembro de 27 Circulante Empréstimos e financiamentos Juros a pagar Contas a pagar Tributos a pagar Salários e encargos sociais Outros Não circulante Exigível a longo prazo Empréstimos e financiamentos Bônus perpétuos Participação de minoritários Patrimônio líquido Capital social ( ações de Classe A de valor nominal de US$.25 e ações de Classe B de valor nominal de US$.125) (27(*) ações de Classe A de valor nominal de US$.25 cada e ações de Classe B de valor nominal de US$.125 cada) Reserva de capital Lucros acumulados Recebíveis dos acionistas (3.31) (1.824) Resultado abrangente acumulado Total do passivo e do patrimônio líquido (*) O número de ações foi ajustado retrospectivamente em função do desmembramento das ações de Classe A e de Classe B em 7 de abril de 28 (Nota 15). As notas explicativas da administração são parte integrante das informações financeiras. 9

10 GP Investments, Ltd. Demonstrações interinas condensadas e consolidadas do resultado Em milhares de reais, exceto número de ações e informação por ação Período de nove meses findo em 3 de setembro Período de três meses findo em 3 de setembro (Não (Não (Não auditado) auditado) auditado) (Não auditado) Receitas Taxa de administração Taxa de performance Ganhos não realizados em investimentos mantidos pelo "Limited Partnership" (475.54) ( ) (45.844) Ganhos realizados Resultado de equivalência patrimonial (27) 83 (12) 31 Dividendos Total de receitas (433.78) ( ) (4.655) Despesas Gerais e administrativas (65.844) (45.938) (2.79) (17.471) Bonificações (2.471) (5.259) (1.966) 351 Outros, líquidos 39 Total de despesas (68.315) (5.87) (22.45) (17.12) Receitas financeiras Despesas financeiras (68.952) (21.285) (28.636) (7.788) Receitas (despesas) financeiras, líquidas (24.155) (6.66) Lucro líquido (prejuízo) antes de participações minoritárias e impostos ( ) ( ) (16.521) Participações minoritárias (17.416) Lucro líquido (prejuízo) antes dos impostos (256.91) ( ) Despesa com imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido (5.475) (934) (1.933) (193) Lucro líquido (prejuízo) ( ) (49.88) Média ponderada do número de ações - básico (*) (*) Lucro líquido (prejuízo) por ação - básico (1,76) 1,59(*) (3,14),13(*) Média ponderada do número de ações - diluído (*) (*) Lucro líquido (prejuízo) por ação - diluído (1,76) 1,43(*) (3,14),11(*) (*) O número de ações foi ajustado retrospectivamente em função do desmembramento das ações de Classe A e de Classe B em 7 de abril de 28 (Nota 15). As notas explicativas da administração são parte integrante das informações financeiras. 1

11 GP Investments, Ltd. Demonstrações das mutações do patrimônio líquido Em milhares de reais, exceto quando indicado Capital social Reserva de capital Lucros acumulados Recebíveis dos acionistas Resultado abrangente acumulado Total Em 31 de dezembro de (1.824) Variações em recebíveis dos acionistas (26) (26) Aporte de capital por meio da bonificação de ações (pagamento de dividendos com ações) (81.32) Subscrição de capital com a Oferta Pública de Ações Despesas com a Oferta Pública de Ações (15.59) (15.59) Plano de compra de opções de ações Exercício de opções do plano de compra de opções de ações Ajuste da conversão para reais para conveniência do leitor (5) (7.3) (5.268) 22 (116) (12.667) Prejuízo do período (12.781) (12.781) Ajuste cumulativo de conversão Ganho não realizado sobre títulos disponíveis para venda Resultado abrangente (11.464) Em 31 de março de 28 (não auditado) (1.828) Variações em recebíveis dos acionistas (2) (2) Despesa com a Oferta Pública de Ações (1.9) (1.9) Plano de compra de opções de ações Ajuste da conversão para reais para conveniência do leitor (55) (97.982) (2.786) 164 (931) (119.59) Lucro do período Ajuste cumulativo de conversão Ganho não realizado sobre títulos disponíveis para venda Resultado abrangente Em 3 de junho de 28 (não auditado) (1.684) Variações em recebíveis dos acionistas (1.285) (1.285) Despesa com a Oferta Pública de Ações (138) (138) Plano de compra de opções de ações Exercício de opções do plano de compra de opções de ações Ganho na diluição de participação Ajuste da conversão para reais para conveniência do leitor (341) ,848 Prejuízo do período (49.88) (49.88) Ajuste cumulativo de conversão (18.84) (18.84) Ganho não realizado sobre títulos disponíveis para venda Resultado abrangente Em 3 de setembro de 28 (não auditado) (3.31)

12 GP Investments, Ltd. Demonstrações interinas condensadas e consolidadas do fluxo de caixa Em milhares de reais, exceto quando indicado Período de nove meses Período de três meses findo em 3 de setembro findo em 3 de setembro (Não auditado) (Não auditado) (Não auditado) (Não auditado) Fluxo de caixa de atividades operacionais Lucro líquido (prejuízo) ( ) (49.88) Ajustes para reconciliar o lucro líquido (prejuízo) com caixa proveniente de atividades operacionais Ganhos não realizados em investimentos (34.33) Participação minoritária ( ) (82.832) (31.896) Ganho realizado na alienação de investimentos (8.151) (21.71) (1.98) Ganho realizado em instrumentos derivativos (6.712) (6.712) Ganho não realizado em instrumentos derivativos (2.711) (2.711) Despesa do plano de compra de opções de ações Ganho cambial não realizado (72.282) (72.282) Juros sobre empréstimos e financiamentos Amortização das despesas diferidas com emissão de dívida e pagas antecipadamente Depreciação Juros sobre outros investimentos (163) (193) (193) Amortização de prêmio sobre a emissão de bônus perpétuo (285) (96) Resultado da equivalência patrimonial 27 (83) 12 (31) Variação nos saldos de ativos/passivos Aplicações financeiras - títulos para negociação (12.871) (115.38) Salários e encargos sociais (14.886) (1.968) Provisão para bonus (2.994) (4.345) Contas a pagar, provisões e outros (7.211) (4.629) (5) Taxa de administração e de performance Outros passivos Outros ativos (3.55) (1.127) (519) (1.456) Caixa utilizado nas atividades operacionais (25.732) (71.335) (33.445) (84.593) Fluxo de caixa de atividades de investimento Aquisição de investimentos - "private equity" ( ) ( ) (319.79) (89.754) Resultado na venda de investimentos - "private equity" Resultado na alienação de aplicações financeiras em títulos mobiliários Aquisição de aplicações financeiras em títulos mobiliários (15.468) (14.47) (9.271) Aquisição de instrumentos derivativos (5.473) Alienação de instrumentos derivativos Outros recebíveis (29.346) (2.219) Aquisição de móveis e equipamentos (429) (2.422) (23) (89) Pagamento à parte relacionada pela aquisição de Investimento (21.147) Caixa utilizado nas atividades de investimento ( ) ( ) ( ) ( ) Fluxo de caixa de atividades de financiamento Aporte de capital - Oferta Pública de Ações Despesas com Oferta Pública de Ações (18.373) 12

13 Período de nove meses Período de três meses findo em 3 de setembro findo em 3 de setembro Aporte de capital pelos "Limited Partners"

14 GP Investments, Ltd. Demonstrações interinas condensadas e consolidadas do fluxo de caixa Em milhares de reais, exceto quando indicado Período de nove meses findo em 3 de setembro (continuação) Período de três meses findo em 3 de setembro (Não auditado) (Não auditado) (Não auditado) (Não auditado) Exercício de opções do plano de compra de opções de ações Recursos provenientes de empréstimos e financiamentos, líquido Distribuição de recursos para os "Limited Partners" (8.967) (25.673) (138) Recursos provenientes da emissão do bônus perpétuo (111) Custos de emissão do bônus perpétuo (5.987) (111) Aporte de capital dos minoritários da GP Participações S.A Resgate de aporte de capital pelo GPCP para os "Limited Partners" (465) Pagamento de dividendos (11.962) Outros (163) 118 (21) (114) Caixa proveniente das atividades de financiamento Efeitos de variações cambiais em caixa e equivalentes a caixa (2.23) (759) (3.17) (528) Aumento (diminuição) líquido em caixa e equivalentes a caixa (31.184) (76.947) ( ) Caixa e equivalentes a caixa no início do período, convertidos utilizando-se a taxa de câmbio vigente no fim do período Caixa e equivalentes a caixa no fim do período Informações suplementares Juros pagos Impostos pagos As notas explicativas da administração são parte integrante das informações financeiras. 14

15 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado 1 Contexto operacional (a) Estrutura da operação GP Investments, Ltd. ("Companhia" ou "GP") é uma companhia domiciliada nas Ilhas das Bermudas ("Bermudas") e suas operações abrangem o negócio de "private equity", que inclui a administração dos "Limited Partnerships", e a gestão de ativos financeiros ("asset management"), as quais são exercidas direta ou indiretamente por meio de suas controladas, GP Investments III (Cayman), Ltd. ("GP3"), GP Investments IV (Cayman), Ltd. ("GP4"), GP Investments V (Cayman), Ltd. ("GP5"), GP Holdings, Inc. ("GP Holdings"), GP Investimentos S.A. ("GP Inv"), BRZ Asset Management, Inc. ("BRZ Asset"), BRZ Investimentos Ltda. ("BRZ") (anteriormente denominada BRZ Administração de Recursos S.A.), BRZ Investimentos S.A. ("BRZ Investimentos"), GP Private Equity Ltd. (''GPPE''), GP Cash Management, Ltd. (''GPCM''), GP Capitales Privados de México S de RL de CV ("GP México") e GP New III, Ltd ( GP New III ). Em 28 de fevereiro de 28, a Companhia concluiu uma oferta pública ("Oferta Pública") com a emissão de ações de Classe A ( ações após o desdobramento das ações ocorrido em 7 de abril de 28). As ações são listadas na Bolsa de Valores de Luxemburgo e negociadas no mercado Euro MTF e, no Brasil, as ações são negociadas na forma de "Brazilian Depositary Receipts" ("BDR") na Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Em 6 de março de 28, o Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. exerceu integralmente sua opção de colocar 81.7 ações ( ações após o desdobramento das ações ocorrido em 7 de abril de 28) ("Green Shoe Option"), na forma de BDR. Adicionalmente, o acionista controlador da GP subscreveu ações de Classe B ( ações após o desdobramento das ações ocorrida em 7 de abril de 28) pelo total de US$ 25 milhões ("Subscrição Privada"). Os recursos líquidos da Oferta Pública, incluindo o Green Shoe Option e a Subscrição Privada, totalizaram US$ 23 milhões (equivalente a R$ ). (b) "Private equity business" O negócio de "private equity" é conduzido, primordialmente, no mercado brasileiro por meio da GPPE, direta ou indiretamente por meio dos fundos de "private equity" administrados pela Companhia, a citar, GP Capital Partners III, LP ("GPCP3"), GP Capital Partners IV, LP ("GPCP4") e GP Capital Partners V, LP ("GPCP5"). Em 19 de junho de 26, o GPCP3 finalizou sua captação total de recursos, com compromissos de subscrição que totalizaram US$ 25 milhões, sendo US$ 117 milhões 15

16 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado assumidos pela GP e US$ 133 milhões pelos "Limited Partners" do GPCP3. O período de investimento terminará em 7 de junho de 21, com previsão de encerramento de suas atividades em 7 de junho de 215, com possibilidade de extensão de seu prazo de encerramento condicionada à aprovação do Comitê Consultivo do GP3. GP3 é o "General Partner" responsável pelas decisões de investimento e desinvestimento do GPCP3. Os direitos e obrigações do "General Partner" e dos "Limited Partners" do GPCP3 estão descritos no "Partnership Agreement". Em 6 de julho de 27, a Companhia anunciou o GPCP4, com um compromisso de captação de US$ 1.25 milhões, sendo US$ 4 milhões da GP e US$ 625 milhões dos "Limited Partners" do GPCP4. Em 22 de outubro de 27, a Companhia anunciou o aumento do compromisso de captação para US$ 1.3 milhões, sendo US$ 4 milhões de compromisso da GP e US$ 9 milhões dos "Limited Partners" do GPCP4. GP4 é o "General Partner" responsável pelas decisões de investimento e desinvestimento do GPCP4. Os direitos e obrigações do "General Partner" e dos "Limited Partners" do GPCP4 estão descritos no "Partnership Agreement". As atividades do GPCP4 serão encerradas em 1o. de julho de 217, podendo ser estendidas a critério do Comitê Consultivo do GP4. Em 21 de agosto de 28, a Companhia constitui um novo fundo de private equity, GPCP5, com um compromisso de captação de US$ 884 milhões, sendo US$ 5 milhões da GP e US$ 384 milhões dos "Limited Partners" do GPCP5. Em 3 de setembro de 28, nenhum recurso havia sido captado pelo GPCP5. GP5 é o "General Partner" responsável pelas decisões de investimento e desinvestimento do GPCP5. Os direitos e obrigações do "General Partner" e dos "Limited Partners" do GPCP5 estão descritos no "Partnership Agreement". As atividades do GPCP5 serão encerradas em 4 de abril de 218, podendo ser estendidas a critério do Comitê Consultivo do GP5. A GP Inv presta serviços de consultoria local para a Companhia, GPCP3, GPCP4 e GPCP5, relacionados às decisões de aquisição, gerenciamento e alienação dos investimentos, conforme contratos de consultoria celebrados entre GP Inv, GP3, GPCP3, GP4, GPCP4, GP5 e GPCP5. GP México é a nossa subsidiária de "private equity" sediada no México e será o consultor local da Companhia no México. (c) Gestão de ativos financeiros BRZ Asset é uma companhia regulada pelas leis do Panamá e é o administrador e gestor de um fundo de terceiros sediado nas Ilhas Cayman. 16

17 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado A Companhia conduz as atividades de gestão de ativos financeiros, principalmente, no mercado brasileiro, através de nossas controladas e pela BRZ. Atualmente, os produtos oferecidos pela BRZ incluem os fundos de renda fixa, renda variável e multimercado, com foco em diferentes perfis de risco e de investidores. Em julho de 28, com resultado da emissão de novas ações da BRZ Asset para os sócios dessa subsidiárias, a Companhia reduziu sua participação na BRZ de 6% para 56%. Essa diluição gerou um ganho de diluição na participação de R$ 3.599, que foi registrado como um ajuste na conta de reserva de capital. (d) Controladas em 3 de setembro de 28 Em 3 de setembro de 28, a Companhia detinha 1% da GPPE, GPCM, GP3, GP4, GP5, GP México, GP New III e GP Holdings, que, por sua vez, detinha 99,99% do capital social da GP Inv. Adicionalmente, a Companhia detinha 56% da BRZ, uma Companhia domiciliada no Brasil. 2 Principais práticas contábeis (a) Base de apresentação e conversão para reais As informações financeiras interinas condensadas e consolidadas, expressas em dólares dos Estados Unidos da América, moeda funcional da Companhia, foram originalmente elaboradas de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos nos Estados Unidos da América ("US GAAP") ("Informações Financeiras Primárias"). As Informações Financeiras Primárias não se encontram apresentadas em conjunto com estas informações financeiras expressas em reais. Na elaboração das Informações Financeiras Primárias é necessário utilizar estimativas que afetam os montantes demonstrados de ativos, passivos, receitas e despesas e respectivas divulgações. Os resultados efetivos podem diferir das estimativas. Essas estimativas incluem, mas não estão limitadas, à valorização dos investimentos feitos pelo GPCP3 e GPCP4. As Informações Financeiras Primárias incluem todos os ajustes, incluindo os ajustes normais recorrentes que, na opinião da administração, são necessários para uma adequada apresentação da posição financeira consolidada da Companhia, dos resultados de suas operações e dos fluxos de caixa para os períodos apresentados. 17

18 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado Para a conveniência do leitor, as presentes informações financeiras interinas condensadas e consolidadas em 3 de setembro de 28 expressas em reais ("Informações Financeiras em reais"), resultam da conversão das correspondentes Informações Financeiras Primárias, conforme Deliberação CVM no. 28 de 5 de maio de 1986 ("Investimentos Societários no Exterior e Critérios de Conversão Contábeis de Outras Moedas"), utilizando-se a taxa de câmbio vigente ao fim do período em 3 de setembro de 28 (US$ 1,: R$1,9143); as cifras comparativas foram convertidas utilizando-se as taxas de câmbio vigentes ao fim de cada um dos respectivos períodos apresentados (31 de dezembro de 27 - US$ 1,: R$ 1,7713); (3 de setembro de 27 - US$ 1,: R$ 1,8389). O saldo de caixa e equivalentes no início do período para fins de demonstração do fluxo de caixa foi convertido utilizando-se a taxa de câmbio vigente no fim do período. O efeito de variações de taxas de câmbio nos saldos dos balanços patrimoniais de abertura é registrado em "Ajuste de conversão para reais para conveniência do leitor" no patrimônio líquido. Esta tradução não deve ser interpretada como se os montantes em dólares dos Estados Unidos da América representassem, tivessem representado ou pudessem ser convertidos em reais. As Informações Financeiras em reais devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras em reais referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 27. Nossos resultados do período de nove meses findo em 3 de setembro de 28 não constituem, necessariamente, uma indicação dos resultados a serem divulgados por nós referentes ao exercício a findar em 31 de dezembro de 28. Exceto pelo disposto na Nota 2(f), as políticas contábeis adotadas na elaboração destas Informações Financeiras em reais são consistentes com aquelas utilizadas na elaboração das demonstrações financeiras consolidadas da Companhia referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 27. O balanço patrimonial consolidado em 31 de dezembro de 27, apresentado para fins de comparação, foi derivado de nossas demonstrações financeiras auditadas àquela data, mas não incluem todas as informações e notas explicativas requeridas pelos princípios contábeis geralmente aceitos para uma apresentação completa de nossas demonstrações financeiras. 18

19 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado O Conselho de Administração autorizou a publicação das Informações Financeiras Primárias, preparadas de acordo com os US GAAP e expressas em dólares dos Estados Unidos da América em 1 de novembro de 28. (b) Consolidação As Informações Financeiras Primárias de 3 de Setembro de 28, incluem as contas da Companhia e de suas subsidiárias integrais GP Holding, GP3, GP4, GP5, GPPE, GPCM, GP México, GP New III e sua subsidiária BRZ. Todos os saldos e as transações entre a controladora e suas controladas, e entre estas, foram eliminados na consolidação. Em 3 de setembro de 28, a GP, direta e indiretamente, detinha 46,86% do GPCP3 e 31,56% do GPCP4. Conforme o disposto no "Emerging Issues Task Force (EITF) 4-5 Determining Whether a General Partner, or the General Partner, as a Group, Controls a Limited Partnership or Similar Entity When the Limited Partners Have Certain Rights", a Companhia determinou que os Limited Partners do GPCP3 e GPCP4 não detêm outros direitos de participação substancial nas Limited Partneships. Como resultado, o GP3 consolida as contas do GPCP3 e o GP4 consolida as contas do GPCP4, os quais são consolidados pela Companhia. Em 3 de setembro de 28, os Limited Partners possuíam 53,14% (31 de dezembro de 27-53,14%) do GPCP3 e 68,44% do GPCP4 (31 de dezembro de 27-68,44%), que são classificados como participações minoritárias. GPCP3 e GPCP4 não consolidam seus investimentos, que são registrados pelo seu valor justo de mercado. Como parte de sua atividade de private equity, a Companhia é o general partner de outras determinadas Partnerships, mas sem qualquer tipo de participação. Essas Partnerships são consideradas Entidades de Propósito Específico (''SPE'') ou Entidades de Participação Variável (''VIE''), que não requerem consolidação de acordo com o FIN46(R) - Consolidation of Variable Interest Entities e interpretação do ARB no. 51" ("FIN46R"), uma vez que a GP não é considerada beneficiária primária dessas Partnerships. Como parte de sua atividade de gestão de ativos financeiros, a Companhia não possui VIEs que deveriam ser consolidadas nos períodos apresentados. Durante o período de nove meses findo em 3 de setembro de 28, os "Limited Partners" do GPCP3, GPCP4 e GPCP5, excluindo a GP, pagaram taxas de administração para o GP3, GP4, GP5 de R$ 3.86, R$ e R$ 2.464, respectivamente (período de nove meses findo em 3 de setembro de 27 - R$ 3.655, R$ e nil). Nas Informações Financeiras Primárias, estes montantes aparecem como redução da participação de minoritários. 19

20 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado (c) Moeda funcional e base de conversão das controladas estrangeiras nas Demonstrações Financeiras Primárias O dólar norte-americano é a moeda funcional e base para preparação das Informações Financeiras Primárias uma vez que a maioria das transações dos negócios da Companhia são nessa moeda. As controladas brasileiras usam o real como moeda funcional. As informações financeiras de controladas estrangeiras são reavaliadas de acordo com o SFAS no. 52 "Foreign Currency Translation". Dessa forma, todos os ativos e passivos de controladas que não utilizam o dólar norte-americano como moeda funcional para preparação das Informações Financeiras em reais são convertidos para dólares dos Estados Unidos da América pela taxa de câmbio vigente na data do balanço. Os saldos das demonstrações do resultado e dos fluxos de caixa das controladas brasileiras que usam o real como moeda funcional, componentes integrantes das Informações Financeiras Primárias, são convertidos pelas taxas de câmbio médias de cada período. Os respectivos ajustes de conversão são registrados diretamente na conta "Ajuste cumulativo de conversão" no patrimônio líquido. (d) Reconhecimento de receita com as taxas de administração e de performance e outras receitas De forma geral, as taxas de administração do "private equity" são recebidas antecipadamente, semestral ou trimestralmente, sendo diferidas e apropriadas ao resultado no período em que os respectivos serviços são prestados. As taxas de administração do negócio de "gestão de ativos financeiros" são determinadas pelos valores dos patrimônios líquidos dos fundos que são geridos por essa linha de negócio. Tais receitas são registradas pelo regime de competência à medida que os serviços são prestados e são recebidos mensalmente. As taxas de performance são reconhecidas como receitas apenas quando de seu pagamento, ou por regime de competência no período em que for assegurado, de maneira incondicional, o montante a ser recebido pela Companhia. Outras receitas, sobretudo serviços de consultoria, são registradas pelo regime de competência à medida que os serviços são prestados. 2

21 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado (e) Caixa e equivalentes a caixa Caixa e equivalentes a caixa são apresentados pelo seu valor justo de mercado. A Companhia considera praticamente todas as aplicações de liquidez imediata e de vencimentos de até 9 dias ou menos, incluindo fundos de investimentos, como sendo equivalentes a caixa. (f) Aplicações financeiras e investimentos - valor de mercado (i) Aplicações financeiras - títulos mobiliários para negociação Títulos mobiliários adquiridos e detidos sobretudo para serem negociados no curto prazo são classificados como títulos para negociação em aplicações financeiras e apresentados pelo seu valor justo de mercado. Ganhos e perdas realizados e não realizados são reconhecidos em receitas quando tais títulos são mantidos para negociação como parte do negócio de "private equity" e no resultado financeiro quando estes títulos são mantidos para negociação como parte das operações de tesouraria. (ii) Aplicações financeiras - títulos mobiliários disponíveis para venda Os títulos mobiliários são classificados na data de aquisição como disponíveis para venda, quando, na opinião da administração, podem ser vendidos em resposta ou em antecipação a mudanças nas condições de mercado, sendo os ganhos e perdas não realizados, líquidos, registrados pelo valor justo de mercado e incluídos no patrimônio líquido. Os títulos mobiliários são classificados com base na intenção da administração. Após a venda ou vencimento, o ganho ou perda é transferido para receitas financeiras, na demonstração do resultado. (iii) Investimentos de "private equity" O negócio de "private equity" consiste dos investimentos feitos por GPCP3 e GPCP4. Para fins de USGAAP, os investimentos são registrados pelos valores justos de mercado, com resultados realizados e não-realizados decorrentes de mudanças no valor justo de mercado, incluídos na linha de "Ganhos (perdas) não realizados em investimentos". 21

22 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado (iv) Mensuração do valor justo de mercado (SFAS no. 157) A Companhia adotou o SFAS no. 157, "Fair Market Measurements" ("SFAS no. 157"), a partir de 1o. de janeiro de 28. O SFAS no. 157 define o valor justo de mercado, estabelece uma estrutura para mensurar o valor justo de mercado em princípios contábeis geralmente aceitos e amplia a divulgação sobre as medições do valor justo de mercado. O SFAS no. 157 requer, entre outras determinações, a utilização de técnicas de avaliação do valor justo que maximizem o uso de critérios observáveis e que reduzam a adoção de critérios não observáveis. As aplicações financeiras em títulos mobiliários e investimentos são classificadas de acordo e os seus valores de mercado são baseados numa das seguintes categorias:. Nível I - cotações de mercado (sem ajustes) em mercados ativos para ativos e passivos idênticos, nos quais a Companhia tem acesso na data base da avaliação. Um mercado ativo para um ativo ou passivo é um mercado no qual as transações desses ativos e passivos ocorrem com freqüência e volume suficientes para proporcionar informações de precificação em bases correntes.. Nível II - outras variáveis que não cotações de mercado consideradas no Nível I e que são observáveis para ativos e passivos, direta ou indiretamente, tais como: cotações de mercado para ativos e passivos similares em mercados ativos ou não, e outras variáveis que não cotações de mercado observáveis (por exemplo, taxas de juros e retornos esperados observáveis para situações similares de intervalo, volatilidade, prépagamentos, risco de crédito e nível de inadimplência). Determinados ajustes para essas variáveis podem ser adotados, baseados, por exemplo, no volume e nível de atividade nos mercados nos quais tais variáveis são observáveis.. Nível III - variáveis não observáveis para ativos e passivos. Variáveis não observáveis são utilizadas para avaliar o valor justo, na medida em que tais variáveis observáveis não estão disponíveis e representam as premissas adotadas pela Companhia acerca das premissas que os demais participantes do mercado utilizariam para precificar tais ativos e passivos. Variáveis não observáveis devem ser desenvolvidas de acordo com a informação disponível mais adequada nas circunstâncias, sendo de um alto grau de subjetividade, na avaliação da Companhia. 22

23 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado (g) Perda permanente de valor residual A Companhia tem seguido as políticas previstas no EITF 3-1, "The Meaning of Other Than Temporary Impairment and Its Application to Certain Investments", relacionada às divulgações de títulos mobiliários contabilizados de acordo com o SFAS no Além das divulgações já exigidas pelo SFAS no. 115, o EITF 3-1 exige divulgações quantitativas e qualitativas complementares de ações negociáveis e títulos de dívida. A administração da Companhia concluiu que não há perda permanente de valor residual nos períodos apresentados. (h) Móveis e equipamentos Móveis e equipamentos estão apresentados ao custo de aquisição, sendo depreciados pelo método linear tendo por base a sua vida útil estimada. (i) Passivo circulante e exigível a longo prazo São demonstrados por seu valor conhecido ou estimado, acrescidos, quando aplicável, dos respectivos encargos. A provisão para férias é registrada pelo regime de competência. Despesas gerais e administrativas incluem despesas de remuneração pagas a alguns dos executivos da Companhia que prestam serviços à Companhia e que são também acionistas da mesma. Esses montantes são pagos em sua condição de executivos e não como acionistas da Companhia. O cálculo da provisão para remuneração variável é feito com base em parâmetros determinados pelo Comitê de Compensação e Nomeação da Companhia. (j) Resultado abrangente Resultado abrangente é apresentado na demonstração das mutações do patrimônio líquido e é formado pelo lucro líquido (prejuízo) dos períodos, ganhos e perdas não realizados de aplicações financeiras em títulos mobiliários disponíveis para venda e ajustes de conversão de moeda estrangeira. (k) Lucro por ação A Companhia calcula os lucros (prejuízos) básicos por ação dividindo o lucro líquido (prejuízo) 23

24 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado pela média ponderada do número de ações em circulação durante o período. A Companhia calcula o lucro (prejuízo) por ações diluído dividindo o lucro líquido (prejuízo) pela média ponderada do número de ações em circulação, incluindo os impactos das opções concedidas no SFAS no. 123R, "Shared-Based Payment". As informações referentes a 31 de dezembro e 3 de setembro de 27 foram ajustados retrospectivamente em função do desmembramento das ações de Classe A e de Classe B occorido em 7 de abril de 28 (Nota 15). (l) Impostos sobre a renda As Ilhas Virgens Britânicas ("BVI") e Bermudas não cobram impostos sobre renda, ganhos societários ou de capital. Assim, não foi constituída nenhuma provisão para impostos sobre a renda nas Informações Financeiras Primárias em relação à Companhia, GPPE e GPCM. GP3, GP4, GP5 e GP Holdings são sociedades constituídas nas Ilhas Cayman, estando isentas de impostos. A BRZ Asset, sociedade sediada no Panamá, não registra quaisquer rendimentos de fontes panamenhas e, portanto, também não se faz necessária a constituição de provisão para impostos sobre a renda. GP Inv e BRZ são sociedades brasileiras sujeitas ao imposto de renda no Brasil. Os impostos sobre a renda no Brasil incluem o imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro líquido. GP México, como uma companhia Mexicana, está sujeita ao imposto de renda no México. Para efeito das Informações Financeiras Primárias, a Companhia aplicou o SFAS no. 19 "Accounting for Income Taxes" para todos os períodos apresentados. Os impostos brasileiros diferidos decorrentes de prejuízos fiscais não prescrevem, apesar de sua compensação estar limitada a 3% do lucro tributável anual. Caso haja probabilidade "mais-do-que-possível" dos impostos diferidos ativos não serem recuperados, é registrada uma provisão para perda sobre os mesmos. (m) Informações por segmentos A Companhia atua em dois segmentos, o segmento de "private equity" da Companhia, que inclui a administração dos "Limited Partnerships" e também o negócio de administração de recursos de terceiros. 24

25 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado (n) Plano de opções de compra de ações A Companhia adotou o SFAS no. 123R que requer que todos os pagamentos baseados em ações para os funcionários, incluindo a concessão de plano de opções de compra de ações, sejam reconhecidos nas demonstrações financeiras com base no seu valor justo de mercado. (o) Apresentação de ativos e passivos expostos a variações de índices de juros e outros Ativos e passivos expostos a variações de índices de juros e outros estão apresentados no balanço patrimonial consolidado pelo valor do principal devido, acrescido de juros, correção monetária e variação cambial. (p) Despesas diferidas de captação Representam os gastos incorridos na emissão de bônus perpétuo e estão registrados pelo seu valor de custo menos a amortização acumulada. A amortização é calculada utilizando-se o método linear com base no prazo mínimo da captação (cinco anos para o bônus perpétuo). (q) Pronunciamentos contábeis de acordo com os US GAAP emitidos recentemente O FASB emitiu recentemente vários SFAS e interpretações que ainda não foram adotados. Em dezembro de 27, o FASB emitiu o SFAS No. 141 (revisado em 27), "Business Combination" (Combinação de Negócios), que substitui o SFAS No. 141, (emitido em 21) Business Combinations (Combinações de Negócios). Esse Pronunciamento contém as exigências fundamentais do SFAS No. 141 de que o método de aquisição (que o SFAS No. 141 chamava de método de compra) seja utilizado para todas as combinações de negócios e para que um adquirente seja identificado para cada combinação de negócios. Esse Pronunciamento define o adquirente como a entidade que obtém o controle de um ou mais negócios, dentro da combinação de negócios, e estabelece a data de aquisição como a data em que o adquirente passa a exercer o controle. O SFAS No. 141 não definiu o adquirente, embora incluísse orientação para sua identificação, como o faz este Pronunciamento. O escopo deste Pronunciamento é mais abrangente do que o do SFAS No. 141, que se aplicou somente às combinações de negócios em que o controle foi obtido por meio da transferência de considerações. 25

26 GP Investments, Ltd. Notas explicativas da administração às informações financeiras em reais em 3 de setembro de 28 e 31 de dezembro de 27 Em milhares de reais, exceto quando indicado O resultado da aplicação da orientação do SFAS No. 141 no reconhecimento e na avaliação dos ativos e passivos na fase da aquisição foi estimá-los numa combinação de custos históricos e valores justos, uma prática que forneceu informações menos relevantes, confiáveis, e comparáveis do que resultará da aplicação deste Pronunciamento. Além disso, a exigência desse Pronunciamento de avaliar a participação minoritária na empresa adquirida ao valor justo resultará no reconhecimento do ágio atribuível à participação minoritária, além daqueles atribuíveis ao adquirente, o que torna a informação resultante mais completa e a mais comparável entre as entidades. Ao aplicar o mesmo método contábil, o método de aquisição, a todas as transações e outros eventos em que uma entidade obtém o controle de um ou mais negócios, este Pronunciamento melhora a comparabilidade das informações sobre as combinações de negócios apresentadas nos relatórios financeiros. Esse Pronunciamento aplica-se prospectivamente às combinações de negócios para as quais a data de aquisição é no início ou após o primeiro período de apresentação do relatório anual a iniciar a partir de 15 de dezembro de 28. Uma entidade não pode aplicá-lo antes daquela data. A data de vigência desse Pronunciamento é a mesma que a informada no SFAS No. 16, "Participações minoritárias nas Demonstrações Financeiras Consolidadas". A Companhia aplicará esse pronunciamento de maneira prospectiva para cada nova combinação de negócios. Em dezembro de 27, o FASB emitiu o SFAS No. 16, "Noncontrolling Interests in Consolidated Financial Statements - an amendment of ARB No. 51" (Participação Minoritária nas Demonstrações Financeiras Consolidadas - uma alteração do ARB No. 51), que esclarece que uma participação minoritária em uma controlada é uma participação acionária na entidade consolidada que deve ser relatada como patrimônio nas demonstrações financeiras consolidadas. Esse Pronunciamento entra em vigor nos exercícios fiscais, e períodos intermediários dentro dos exercícios fiscais, que se iniciam a partir de 15 de dezembro de 28 (ou seja, 1o. de janeiro de 29, para entidades com ano fiscal encerrado). A adoção prévia é proibida. A data de vigência deste Pronunciamento é a mesma que a do respectivo SFAS No. 141(R). Este Pronunciamento será aplicado prospectivamente a partir do início do ano fiscal em que este Pronunciamento for aplicado inicialmente, exceto quando forem exigidas as apresentações e divulgações. As exigências de apresentação e divulgação serão aplicadas retroativamente para todos os períodos apresentados. Em março de 28, o FASB emitiu o SFAS no. 161, "Disclosures about Derivatives Instruments and Hedging Activities" ("SFAS no. 161"). As novas normas pretendem aperfeiçoar a emissão de relatórios financeiros sobre instrumentos derivativos e atividades de hedge ao exigir divulgações aprimoradas para permitir aos investidores entenderem melhor os efeitos sobre a posição financeira, o desempenho financeiro e os fluxos de caixa da entidade. 26

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01910-0 CAROACI PARTICIPAÇÕES S.A. 04.032.433/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01910-0 CAROACI PARTICIPAÇÕES S.A. 04.032.433/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/22 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01991-7 IGARATINGA PARTICIPAÇÕES S.A. 06.977.739/0001-34 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01991-7 IGARATINGA PARTICIPAÇÕES S.A. 06.977.739/0001-34 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 08002-0 GP INVESTMENTS, LTD. 07.857.850/0001-50 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 08002-0 GP INVESTMENTS, LTD. 07.857.850/0001-50 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/28 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS - BDR Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01907-0 CALAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 04.034.792/0001-76 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01907-0 CALAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 04.034.792/0001-76 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/28 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2009 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00414-6 KARSTEN S.A. 82.640.558/0001-04 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

01279-3 FIBRIA CELULOSE SA 60.643.228/0001-21 6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX

01279-3 FIBRIA CELULOSE SA 60.643.228/0001-21 6 - DDD 7 - TELEFONE 8 - TELEFONE 9 - TELEFONE 10 - TELEX DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/29 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/03/1999 01462-1 GLOBO CABO S.A. 00.108.786/0001-65

EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/03/1999 01462-1 GLOBO CABO S.A. 00.108.786/0001-65 08.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE A Globo Cabo é a maior operadora de TV a Cabo no Brasil, com participação acionária em 18 sistemas de TV a Cabo e 1 de MMDS, incluindo as três

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

Segue abaixo comentários referente ao desempenho da GP Investments no exercício findo em 31 de dezembro de 2006:

Segue abaixo comentários referente ao desempenho da GP Investments no exercício findo em 31 de dezembro de 2006: Relatório da Administração As demonstrações financeiras da GP Investments, Ltd ( GP Investments ou Companhia ) são elaboradas de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos nos Estados Unidos

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Graal Investimentos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional)

Graal Investimentos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras Período de 10 de agosto de 2011 (data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2011 (em

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.)

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2013 e Relatório dos Auditores

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01765-5 TELE NORTE LESTE PARTICIPAÇÕES S/A 02.558.134/0001-58 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01765-5 TELE NORTE LESTE PARTICIPAÇÕES S/A 02.558.134/0001-58 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CVM - COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea Data-Base - 31/12/29 Divulgação

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00599-1 VICUNHA TÊXTIL S.A 07.332.190/0001-93. Rod. Dr. Mendel Steinbruch, s/nº

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00599-1 VICUNHA TÊXTIL S.A 07.332.190/0001-93. Rod. Dr. Mendel Steinbruch, s/nº ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 469, DE 2 DE MAIO DE 2008

INSTRUÇÃO CVM Nº 469, DE 2 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera as Instruções CVM n 247, de 27 de março de 1996 e 331, de 4 de abril de 2000. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01945-3 ECORODOVIAS INFRAESTRUT. E LOGÍSTICA S/A 04.149.454/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01945-3 ECORODOVIAS INFRAESTRUT. E LOGÍSTICA S/A 04.149.454/0001-80 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária Alcance 1. Uma entidade que prepara e apresenta Demonstrações Contábeis sob o regime de competência deve aplicar esta Norma

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02043-5 TECNISA S.A. 08.065.557/0001-12 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02043-5 TECNISA S.A. 08.065.557/0001-12 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o Documento de Revisão de Pronunciamentos Técnicos nº 06 referente aos Pronunciamentos CPC 04, CPC 05, CPC 10, CPC 15, CPC 22, CPC 25, CPC 26, CPC 27, CPC 28, CPC 33, CPC 38, CPC 39 e CPC 46 emitidos

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.137/08 Aprova a NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Instituto Ling. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 em 31 de dezembro de 2013 e 2012. em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de superávit

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00121-0 BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S/A 92.702.067/0001-96 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00121-0 BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S/A 92.702.067/0001-96 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS INSTITUIÇÃO FINANCEIRA Data-Base - 31/12/29 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/26 Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER

Leia mais

INSTRUMENTOS FINANCEIROS

INSTRUMENTOS FINANCEIROS INSTRUMENTOS FINANCEIROS Afonso Henrique Carvalho França* DEFINIÇÕES O Comitê de Pronunciamento Contábil emitiu durante o ano de 2009 os seguintes pronunciamentos sobre os instrumentos financeiros: CPC

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 2

Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 2 Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 2 INVESTIMENTOS PERMANENTES Avaliados pelo método de equivalência patrimonial MEP Procedimentos

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 2 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores do Banco Daycoval S.A. São Paulo - SP Examinamos as demonstrações

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

Relatório da Administração Dommo 2014

Relatório da Administração Dommo 2014 Relatório da Administração Dommo 2014 A Administração da Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios

Leia mais

CPC 15. Combinações de Negócios. Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT

CPC 15. Combinações de Negócios. Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT CPC 15 Combinações de Negócios Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT Agenda Introdução e Objetivos Alcance Definições e Escopo Tipos de Aquisições Aplicação do Método de Aquisição Ativos e Passivos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/06/2010 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 ANHANGUERA EDUCACIONAL PARTICIPAÇÕES S.A 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 ANHANGUERA EDUCACIONAL PARTICIPAÇÕES S.A 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 KPMG Assurance Services Ltda. Agosto de 2012 KPDS 41367 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Relatório dos auditores

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02090-7 BHG S.A. - BRAZIL HOSPITALITY GROUP 08.723.106/0001-25 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02090-7 BHG S.A. - BRAZIL HOSPITALITY GROUP 08.723.106/0001-25 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Contato RI. Teleconferência de Resultados do 2T06

Contato RI. Teleconferência de Resultados do 2T06 29 de Agosto de 2006 - GP Investments, Ltd ( GP Investments ou Companhia ) [BOVESPA: GPIV11], um dos líderes no mercado de private equity no Brasil anuncia um lucro líquido de US$4,9 milhões e receitas

Leia mais

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL)

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO Prof. Emanoel Truta Conceito É uma demonstração contábil que visa evidenciar as variações ocorridas em todas as contas que compõem o Patrimônio

Leia mais

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS, em 31 de dezembro de 2013 e Relatório dos

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02094-0 AÇÚCAR GUARANI S/A 47.080.619/0001-17 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02094-0 AÇÚCAR GUARANI S/A 47.080.619/0001-17 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01732-9 TRACTEBEL ENERGIA S.A. 02.474.103/0001-19 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS. Banco Santander (Brasil) S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS. Banco Santander (Brasil) S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS Banco Santander (Brasil) S.A. 31 de Dezembro de 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS ÍNDICE

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais