Encaminhamento IP. Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encaminhamento IP. Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento"

Transcrição

1 Encaminhamento IP Entrega Directa e Indirecta de Datagramas Tabela de Encaminhamento

2 Encaminhamento IP Características Baseado em tabelas de encaminhamento (routing) Efectuado pelos routers e pelas máquinas Complexidade das tabelas preferencialmente nos routers Máquinas - Caminho por omissão (para todos os pacotes) Configuração de encaminhamento estática (manual) ou dinâmica (automática - protocolos) Máquinas com várias interfaces de rede podem fazer encaminhamento (routers) ISEL-DEETC-SRCD 2

3 Entrega de Datagramas Entrega directa Ocorre quando a máquina destino está na mesma rede física (IP) da máquina origem O datagrama é enviado numa trama física para a máquina com o DA do datagrama IP. Na comunicação entre duas máquinas existe sempre uma entrega directa. Entrega indirecta Ocorre quando a máquina destino não está na rede física (IP) da máquina origem O datagrama é enviado numa trama física para um router. No entanto o conteúdo do datagrama não é alterado. Na comunicação entre duas máquinas poderão existir 0 ou mais entregas indirectas ISEL-DEETC-SRCD 3

4 Conteúdo das tabelas de routing Formato das entradas de uma tabela de routing IP <End. IP destino, End.IP próximo router> Caminhos para redes Entradas do tipo < End. IP de rede, End. IP próximo router > Caminhos específicos para hosts Entradas do tipo < End. IP host, End. IP próximo router > Caminhos por defeito End. IP próximo router ISEL-DEETC-SRCD 4

5 Encaminhamento IP Network Gateway F Network Gateway G Network Gateway H Network Para chegar a hosts nas Redes Enviar para este endereço Entrega Directa Entrega directa Tabela de Routing do Router G ISEL-DEETC-SRCD 5

6 Extensões ao endereçamento IP Problemas do endereçamento IP clássico Máscara de rede/subrede Utilização de um endereço IP em várias redes físicas Generalização do algoritmo de encaminhamento

7 Problemas do endereçamento IP clássico Quando foi concebido o espaço de endereçamento IP (32 bits) pensava-se que era impossível de esgotar (Face ao número de máquinas e redes que existiam na altura) Rapidamente se percebeu que não era bem assim O encaminhamento IP obriga a que cada rede física tenha um endereço IP de rede diferente Com a popularização da Internet o número de máquinas e redes cresceu exponencialmente O esquema de classes de endereços é muito pouco flexível Provoca um grande desperdício de endereços ISEL-DEETC-SRCD 7

8 Problemas do endereçamento IP clássico O esquema de classes de endereços provoca um grande desperdício de endereços Uma rede com mais de 254 máquinas necessita de usar um endereço de rede de classe B Endereços de rede classe B são os mais requisitados Há muitas redes com mais de 254 máquinas mas com muito menos que que endereços de máquinas Endereços de rede classe B subaproveitados Não há (muitas) redes com de máquinas Endereços de rede classe A subaproveitados ISEL-DEETC-SRCD 8

9 Máscara de rede (Subnet Mask) Define onde se situa a divisão do endereço IP em parte de rede (net) e parte de máquina (host) A máscara tem 1 nos bits que correspondem à parte do endereço que identifica a rede e 0 nos bits que correspondem à parte do endereço que identifica a máquina Máscara natural da Classe 1 8/16/ /16/24 31 Classe A,B ou C net host Parte de Internet Routing Parte Local ISEL-DEETC-SRCD 9

10 Representação da Máscara de rede Notação de pontos (usada nos endereços) Ex.: Indicação dos bits da máscara em numeração decimal Notação CIDR (Classless Inter-Domain Routing) Ex.: / 24 Indicação do números de bits a 1 existentes na máscara ISEL-DEETC-SRCD 10

11 Configuração IP mínima de uma máquina ISEL-DEETC-SRCD 11

12 Subnet Addressing (Sub-Redes IP) (1) Mecanismo que permite partilhar um endereço de rede IP por várias redes físicas (sub-redes IP) Utiliza o conceito de máscara de rede Tem que haver cooperação entre hosts e routers Só são visiveis pelas máquinas e routers da rede Não são visiveis pelos routers de fora da rede As tabelas de routing passam a ter entradas do tipo: <End. IP; Máscara Rede; Próximo Router> Definido no RFC 950 [1985] ISEL-DEETC-SRCD 12

13 Conceito de sub-rede (Subnet) A classe do endereço IP divide a parte de rede e a máscara divide a parte de sub-rede (subnet) e parte de máquina (host) Ex.: subdivisão de uma classe B em várias de classes C ISEL-DEETC-SRCD 13

14 Conceito de sub-rede (Subnet) A classe do endereço IP divide a parte de rede e a máscara divide a parte de sub-rede (subnet) e parte de máquina (host) Ex.: subdivisão de uma classe B em várias subredes / ISEL-DEETC-SRCD 14

15 Subnet Addressing (Sub-Redes IP) (2) Class A/B/C 1 8/16/24 31 netid hostid Internet Routing part Local Part Exº Class B netid subnetid hostid Internet Routing part Local Part Net Mask = ISEL-DEETC-SRCD 15

16 Exercício Distribuição de endereço classe C por 4 sub-redes e0 e1 R 1 LAN 1 LAN 2 e0 e0 e1 R 2 e0 e1 R 3 e1 R 4 LAN 3 LAN ISEL-DEETC-SRCD 16

17 Variable Length Subnet Mask (VLSM) Subneting: especifíca uma máscara que divide o bloco de endereços definido pela máscara natural (i.e. classe A, B C) em subredes iguais Uma única máscara de rede (ex.: ) é usada para todas as subredes VLSM: Múltiplas máscaras definem subredes de diferentes dimensões no espaço de endereçamento de uma classe. Ex: e podem ser usadas para dividir o espaço de endereçamento de uma rede classe C Permite o uso mais eficiente do espaço de endereçamento ISEL-DEETC-SRCD 17

18 Exercício: (VLSM) Distribuição de um endereço classe C pelas LANs optimizando o número de endereços ISEL-DEETC-SRCD 18

19 Exercício: (VLSM) Distribuição do bloco /25 pelas LANs optimizando o número de endereços LAN 1 LAN 99 e0 e0 e1 R 5 e0 R 1 e1 R 2 s0 LAN 2 e1 s0 e0 e0 e1 R 3 R 4 e1 LAN 3 LAN ISEL-DEETC-SRCD 19

20 Prefixos de 31 Bit em ligações IPv4 Objectivo Uso blocos de 2 endereços (/31) em ligações ponto-a-ponto - em vez de blocos de 4 endereços (/30) - para poupar Características Os 2 endereços são considerados de host atribuídos às máquinas nas extremidades da ligação O endereço de sub-rede é o mais baixo Não existe endereço de directed broadcast para a sub-rede Ligações ponto-a-ponto não há broadcast Documentado no RFC 3021 [12/2000] ISEL-DEETC-SRCD 20

21 Superneting (1) Mecanismo que permite atribuir vários endereços IP a uma organização com várias redes física (Atribuir endereços de modo a que possam ser sumariados/aglomerados) Pretende resolver problema da falta de endereços IP Antes, redes com mais que 254 máquinas tinham que usar um endereço de rede IP de classe B (desperdiçando muitos endereços) Com Superneting, redes com até 508 máquinas podem usar 2 endereços de rede IP de classe C como se fosse uma só rede IP As tabelas de encaminhamento dos routers exteriores só precisam de ter uma entrada para cada super-rede As redes englobadas não são visíveis pelos routers de fora da rede Definido no RFC 1338 [Jun 1992] ISEL-DEETC-SRCD 21

22 Superneting (2) Os service providers atribuem a uma entidade um número N de endereços contíguos e com o mesmo prefixo (bits de maior peso iguais para ser possível aglomerar/sumariar) inicio numa potência de 2 e N também é uma potência de 2 Ex.: Supondo que foi atribuído um bloco de 1024 (1016!??) endereços a partir do endereço Decimal Equivalente binário Com máscaras ou / 22 - CIDR ISEL-DEETC-SRCD 22

23 Sumarização de Rotas (Route Aggregation) prefix prefix length prefix prefix length host host Subnetting: Criação de multiplas subnets tornando o prefixo maior Sumarização: Sumarização de multiplas subnets tornando o prefixo mais pequeno ISEL-DEETC-SRCD 23

24 CIDR Classless Inter-Domain Routing Definição: an Address Assignment and Aggregation Strategy Funcionamento Permite englobar endereços IP em gamas (prefixos) Propõe uma estratégia de atribuição de endereços de rede de acordo com a topologia física e geográfica Vantagens Atribuição por continente, país, ISP, etc Permite diminuir as tabelas de encaminhamento dos routers que só precisam de ter uma entrada para cada gama Definido nos RFC 1518 e 1519 [Set 1993] (torna obsoleto o RFC Superneting) ISEL-DEETC-SRCD 24

25 Agregação de endereços com CIDR Para se poder aproveitar a capacidade de agregação de endereços é necessário que estes sejam atribuídos de forma organizada. Ex.: Europa a /7 EUA a /7 Simplifica as tabelas de encaminhamento: Nos routers na Europa basta uma entrada na tabela para encaminhar para os EUA e vice-versa ISEL-DEETC-SRCD 25

26 CIDR Classless Inter-Domain Routing Problemas Organizações que são multi-homed (ligadas a vários ISPs) Organizações que mudam de ISP mas não de endereçamento ISEL-DEETC-SRCD 26

27 Sumarização e CIDR Sem Sumarização Com Sumarização ISP Restante Internet ISP /16 Restante Internet ISEL-DEETC-SRCD 27

28 Máscara aplicada nas tabelas de routing Define um conjunto de endereços IP com os bits de maior peso iguais A máscara tem 1 nos bits de maior peso que definem o conjunto de endereços e 0 nos bits que podem variar As tabelas de routing passam a ter entradas do tipo: < End. IP ; Máscara; Próximo Router > Generalização da tabelas de routing IP iniciais Suporta caminhos específicos para máquinas ( ou /32) Suporta caminhos para super-redes, redes, e sub-redes (/1 a /31) Suporta caminho por omissão ( ou /0) ISEL-DEETC-SRCD 28

29 Exercício: Tabelas de routing com máscaras Interprete cada uma das entradas da tabela de routing apresentada retirada de uma máquina windows NT Network Address Netmask Gateway Address Interface Metric ISEL-DEETC-SRCD 29

30 Tabelas de routing usando máscaras Exemplo de uma tabela de routing no windows NT Network Address Netmask Gateway Address Interface Metric Router por omissão 5. Endereço Broadcast de Rede (Directa) 2. Endereço Loopback (Loopback) 6. Endereços Multicast (Directa) 3. Endereço IP local (Loopback) 7. Endereço Broadcast limitado (Directa) 4. Sub-Rede com 32 endereços classe C (Directa) 8. Super-Rede com 2 endereços de rede cl. C ISEL-DEETC-SRCD 30

31 Tabelas de routing usando máscaras Tipos de entradas de uma tabela de routing Caminhos específicos para máquinas ( ou /32) Caminhos específicos para super-redes (máscara < classe) Caminhos específicos para redes (máscara = classe) Caminhos específicos para sub-redes (máscara > classe) Caminho por omissão ( ou /0) Ordem de análise das entradas de uma tabela de routing Das entradas mais específicas (maior números de 1 na máscara) para as mais genéricas (menor números de 1 na máscara) ISEL-DEETC-SRCD 31

32 Endereços IP privados Endereços reservados para uso em redes privadas Podem ser usados internamente em várias redes privadas Não devem circular na Internet ( 10/8 ) ( /12 ) ( /16 ) Definidos pela (IANA) Internet Assigned Numbers Authority no RFC 1918 [1996] ISEL-DEETC-SRCD 32

33 Exemplo de Tabela de routing (Win2K) C:\WIN2K>route print =========================================================================== Active Routes: Network Destination Netmask Gateway Interface Metric Default Gateway: =========================================================================== Persistent Routes: Network Address Netmask Gateway Address Metric ISEL-DEETC-SRCD 33

34 Exercício Descreva as tabelas de routing dos Routers (R1, R2 e R3) Assuma que cada router conhece todas as rede da figura Máquina B IP: /26 Gw: Servidor DNS IP: /25 Gw: / / /26 Máquina A IP: /24 Gw: DNS: e1 R1.254 e1 R2.126 e1 R3.252 eo.253 eo.254 eo / ISEL-DEETC-SRCD 34

35 Exercício Descreva as tabelas de routing dos Routers (R1, R2 e R3) Assuma que cada router conhece todas as rede da figura ISEL-DEETC-SRCD 35

36 Exercício A partir da tabela de routing desenhe uma topologia de rede possível Network Address Netmask Gateway Address Interface ISEL-DEETC-SRCD 36

37 Proxy ARP (1) Objectivo Partilhar um endereço de rede IP por várias redes físicas Características Um router responde aos pedidos ARP sobre endereços de máquinas que estão noutra rede física Apenas pode ser usado em redes que utilizam o protocolo ARP para resolução de endereços. Apenas funciona em máquinas com implementações de ARP que permitam ter vários endereços IP mapeados no mesmo endereço físico. Documentado no RFC 1027 [1987] ISEL-DEETC-SRCD 37

38 Proxy ARP (2) Funcionamento As máquinas só têm conhecimento de uma rede IP, ignorando a existência de subredes (máscara de rede) O Router a fazer proxy ARP tem rotas para as subredes acessíveis através de cada interface O proxy ARP (router) Recebe os pedidos ARP acerca de endereços de máquinas que estão noutra subrede (rede física) Responde aos pedidos ARP recebidos se tem na tabela de routing uma rota específica para a sub-rede que engloba o endereço de destino Não responde se encaminha para o destino pela interface onde recebeu o pedido de ARP ISEL-DEETC-SRCD 38

39 Proxy ARP (3) IP A IP A, IP B, IP e IP C D pertencem à mesma rede IP PA A ARP Request (SIP = IP A ; SPA = PA A ; DIP = IP B ; DPA =?; ) 1) 3) Envio do pacote IP de A para R 2) ARP Reply (SIP = IP B ; SPA = PA C ; DIP = IP A ; DPA = PA A ) Router a correr proxy ARP PA C IP C IP D PA D 4) ARP Request (SIP = IP D ; SPA = PA D ; DIP = IP B ; DPA =?; ) 5) 6) Envio do pacote IP de R para B ARP Reply (SIP = IP B ; SPA = PA B ; DIP = IP D ; DPA = PA D ) PA B IP B ISEL-DEETC-SRCD 39

7.4 Encaminhamento IP

7.4 Encaminhamento IP 7.4 Encaminhamento IP Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia, Electrónica, Telecomunicações e Computadores Redes de Computadores Encaminhamento IP Características Baseado

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte III Endereçamento IP e roteamento. Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte III Endereçamento IP e roteamento. Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte III Endereçamento IP e roteamento Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Formato do endereço Classes de endereços Endereços especiais Sub-rede e máscara VLSM (Variable Length

Leia mais

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR Introdução as Redes TCP/IP Roteamento com CIDR LAN = Redes de Alcance Local Exemplo: Ethernet II não Comutada Barramento = Broadcast Físico Transmitindo ESCUTANDO ESCUTANDO A quadro B C B A. DADOS CRC

Leia mais

VLSM (Variable Length Subnet Mask)

VLSM (Variable Length Subnet Mask) VLSM e CIDR VLSM (Variable Length Subnet Mask) VLSM (Variable Length Subnet Mask) Técnica que permite que mais de uma máscara de sub-rede seja definida para um dado endereço IP. O campo prefixo de rede

Leia mais

Aula 06 Revisão Endereçamento IP Subnetting / VLSM / CIDR

Aula 06 Revisão Endereçamento IP Subnetting / VLSM / CIDR Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 06 Revisão Endereçamento IP Subnetting / VLSM / CIDR 2014/1 Roteiro de Aula Endereçamento IP Segundo Filippetti

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Endereçamento IP Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Esquema de endereçamento Todos os interfaces numa rede devem ter um endereço

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES UALG/FCT/DEEI 2005/2006

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES UALG/FCT/DEEI 2005/2006 ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES Endereçamento IPv4 NAT-Network Access Translation Engª de Sistemas e Informática Licenciatura em Informática UALG/FCT/DEEI 2005/2006 1 Endereçamento com classes ou

Leia mais

ASIST. Orlando Sousa. Aula 4. Subnetting, VLSM Encaminhamento interno dinâmico: RIP v2

ASIST. Orlando Sousa. Aula 4. Subnetting, VLSM Encaminhamento interno dinâmico: RIP v2 ASIST Orlando Sousa Aula 4 Subnetting, VLSM Encaminhamento interno dinâmico: RIP v2 Subnetting - Permite construir várias redes lógicas através da utilização de uma rede (classe A, B ou C) - Uma solução

Leia mais

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo?

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo? ENDEREÇAMENTO IP Cada máquina na Internet possui um ou mais endereços de rede que são únicos, ou seja, não podem haver dois endereços iguais. Este endereço é chamado de número Internet, Endereço IP ou

Leia mais

VLSM Variable-Length Subnetwork Mask

VLSM Variable-Length Subnetwork Mask VLSM Variable-Length Subnetwork Mask Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br Exemplo 1 (O Problema) Dado o bloco de endereços classe C da rede abaixo, implementar um esquema

Leia mais

M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL)

M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL) M3 Redes de computadores avançado (36 horas - 48 TL) Redes de Comunicação Ano lectivo 2013/2014 Camada de rede do modelo OSI Routers e portos de interface de routers (I) 2 Nesta camada imperam os routers.

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I AULA 06 VLSM / CIDR / Sumarização de Rotas Prof: Jéferson Mendonça de Limas Endereçamento IP Segundo Filippetti (2008), endereço IP é um identificador

Leia mais

ENDEREÇO CLASSFULL E CLASSLESS

ENDEREÇO CLASSFULL E CLASSLESS REDES PARA TODOS ENDEREÇO CLASSFULL E CLASSLESS rffelix70@yahoo.com.br Endereço IP classful Quando a ARPANET foi autorizada em 1969, ninguém pensou que a Internet nasceria desse humilde projeto inicial

Leia mais

Entendendo o IPv6 (I)

Entendendo o IPv6 (I) Entendendo o IPv6 (I) SNNAngola IPv6 Series http://www.snnangola.wordpress.com Nataniel Baião. IPv4 - Limitações Esgotamento do protocolo finito IPv4. IPv4: 32 bits, 4 Octetos. Ex: 1.1.1.1, 10.11.12.13

Leia mais

Conteúdo. Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing

Conteúdo. Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing EndereçamentoIP Conteúdo Endereçamento IP Sub-redes VLSM Variable Length Subnetwork Mask CIDR Classless Inter-Domain Routing Endereçamento IP Serviço de Comunicação Universal Um sistema de comunicação

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Protocolo TCP/IP É um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes sistemas operativos. Cada computador deve

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Encaminhamento Arq. de Redes - Pedro Brandão - Encaminhamento Conceito Terminal. Descobrir NA de Term. Term estáem. Enviar Router. Descobrir HA de Router Terminal HA-R HA-T NA-T NA-T

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolo IP

Redes de Computadores. Protocolo IP Redes de Computadores Protocolo IP Sumário! Endereços IP Classes de endereços Tipos de endereços Endereços especiais Máscaras Redes privadas Endereçamento IP dinâmico 2 Esquema de endereçamento IPv4! Endereços

Leia mais

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Segurança em Redes Prof. Rafael R. Obelheiro Semestre: 2009.1 Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Endereçamento IP Endereços IP possuem 32 bits, o que possibilita 2 32 = 4.294.967.296 endereços Na

Leia mais

Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários

Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários Endereçamento de IP e colocação em sub-rede para novos usuários Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações adicionais Convenções Entendendo endereços IP Máscaras de

Leia mais

Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT

Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT Protocolo IPv4, cálculo de sub-rede, Classless InterDomain Routing- CIDR e Endereçamento Network Address Translation-NAT Apresentar os conceitos da camada de rede e seus principais protocolos. Camada de

Leia mais

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados Endereçamento IP V.4 e Roteamento Estático Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados em 5 classes, de acordo

Leia mais

Endereçamento e Roteamento IP

Endereçamento e Roteamento IP Endereçamento e Roteamento IP Redes TCP/IP O objetivo deste módulo é explicar como funciona a atribuição de endereços IP com classe e sem classe e como configurar logicamente tabelas de roteamento. Obs.

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA ÁREA DEPARTAMENTAL DE ENGENHARIA DE ELECTRÓNICA E TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES Redes de Computadores (LEIC/LEETC/LERCM) Nome: Nº de aluno: 3ª Ficha de Avaliação

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Rede Endereçamento

Redes de Computadores. Camada de Rede Endereçamento Redes de Computadores Camada de Rede Endereçamento Motivação Desperdício de endereços Qualquer endereço de rede somente pode ser alocada a uma única rede física Esquema de endereçamento original mostrou-se

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

Endereçamento IP. Luiz Arthur

Endereçamento IP. Luiz Arthur 1 Um sistema de comunicação permite que qualquer host se comunique com qualquer host. E para tornar o sistema de comunicação universal, ele precisa de um método aceito globalmente a fim de identificar

Leia mais

Redes de Comunicações

Redes de Comunicações A Camada de Rede da arquitectura TCP/IP O Protocolo IP (Internet Protocol) O Protocolo ARP (Adress Resolution Protocol) O Protocolo RARP (Reverse Address Resolution Protocol) O Protocolo ICMP (Internet

Leia mais

Endereços IP Sem Classe, Endereços Privados e NAT. Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática

Endereços IP Sem Classe, Endereços Privados e NAT. Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática Endereços IP Sem Classe, Endereços Privados e NAT Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática Tópicos Máscaras de Rede com Classe Classless Inter-Domain Routing - CID Notação CIDR

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica Capítulo 4 Endereçamento IP Internet opens a new world of possibilities... 1 Endereçamento IP O protocolo TCP/IP utiliza três esquemas para encaminhar dados através das redes até o hospedeiro: 1. Endereçamento:

Leia mais

Sub-Redes, VLSM e CIDR

Sub-Redes, VLSM e CIDR Sub-Redes, VLSM e CIDR Sub-Redes Sub-Redes Mecanismo introduzido originalmente para minimizar o problema do crescimento das tabelas de rotas na Internet (RFC 950/1985). Reduz o tamanho das tabelas de rotas

Leia mais

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto.

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto. Endereçamento IP Para que uma rede funcione, é necessário que os terminais dessa rede tenham uma forma de se identificar de forma única. Da mesma forma, a interligação de várias redes só pode existir se

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 1. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 1. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 1 Prof. Dr. S. Motoyama 1 O Problema de Interconexão de redes Problema: Como interconectar efetivamente redes heterogêneas? Três problemas com interconexão a nível de enlace

Leia mais

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Lembrar a estrutura organizacional do cliente ajuda a planejar a atribuição de endereços e nomes O mapa topológico também ajuda, pois indica onde há hierarquia

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Curso Técnico em Informática Estrutura de Endereçamento IP e Mascara de Subrede Endereçamento IP e Classes Autoridade para Atribuição de Números da Internet http://www.iana.org/

Leia mais

Endereçamento IP. Rede 2 Roteador 2 1

Endereçamento IP. Rede 2 Roteador 2 1 O protocolo TCP/IP é roteável, isto é, ele foi criado pensando-se na interligação de diversas redes onde podemos ter diversos caminhos interligando o transmissor e o receptor -, culminando na rede mundial

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O IP e a Máscara de Sub-Rede O IP se baseia em duas estruturas para efetuar o roteamento de datagramas:

Leia mais

A camada de rede do modelo OSI

A camada de rede do modelo OSI A camada de rede do modelo OSI 1 O que faz a camada de rede? (1/2) Esta camada tem como função principal fazer o endereçamento de mensagens. o Estabelece a relação entre um endereço lógico e um endereço

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores TCP/IP Adriano Lhamas, Berta Batista, Jorge Pinto Leite Março de 2007 Pilha TCP/IP Desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos EUA Objectivos: garantir a comunicação sob quaisquer circunstâncias garantir

Leia mais

Oficina de sub-redes. versão 1.1. Jackson Costa Fundação Bradesco Natal /RN. CCNA rev 6 2008 Cisco Systems, Inc. All rights reserved.

Oficina de sub-redes. versão 1.1. Jackson Costa Fundação Bradesco Natal /RN. CCNA rev 6 2008 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Oficina de sub-redes versão 1.1 Jackson Costa Fundação Bradesco Natal /RN 1 Conteúdo u Conversão Binário - Decimal v Determinar endereços de rede e broadcast Método Binário (AND) Método Prático w Determinar

Leia mais

Um sistema de comunicação necessita de um método de identificação de seus computadores. Numa rede TCP/IP, cada computador recebe um

Um sistema de comunicação necessita de um método de identificação de seus computadores. Numa rede TCP/IP, cada computador recebe um Endereçamento IP Um sistema de comunicação necessita de um método de identificação de seus computadores. Numa rede TCP/IP, cada computador recebe um endereço inteiro de 32 bits (endereço IP). Precisa ser

Leia mais

TUDO SOBRE ENDEREÇOS IP

TUDO SOBRE ENDEREÇOS IP TUDO SOBRE ENDEREÇOS IP Revisão: Endereços IP são números de 32 bits, geralmente representados em notação decimal (xxx.xxx.xxx.xxx). Cada número decimal (xxx) representa oito bits em binário, e por isso,

Leia mais

Máscaras de sub-rede. Fórmula

Máscaras de sub-rede. Fórmula Máscaras de sub-rede As identificações de rede e de host em um endereço IP são diferenciadas pelo uso de uma máscara de sub-rede. Cada máscara de sub-rede é um número de 32 bits que usa grupos de bits

Leia mais

CIDR. Classless Inter-Domain Routing. Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br

CIDR. Classless Inter-Domain Routing. Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br CIDR Classless Inter-Domain Routing Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br O Problema Crescimento exponencial da Internet impactando no sistema de roteamento da Internet

Leia mais

CIDR. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Redes e Serviços

CIDR. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Redes e Serviços CIDR Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Redes e Serviços 1 Sub Net Mask 2 Fraquezas do endereço IP Quando uma máquina muda de uma rede para outra, ela deve mudar

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

Funções da camada de rede

Funções da camada de rede Funções da camada de rede As duas funções fundamentais desta camada são: 1. Endereçamento ou addressing atribuição de um código único a cada interface de estação, tornando possível enviar e receber pacotes

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES CAMADA DE REDE Teresa Vazão 2 INTRODUÇÃO Internetworking, ligar o mundo em rede.. 1982 Bolt, Beranek and Newman: Inventores do protocolo de interligação de rede Exterior

Leia mais

3 Interligação de redes (Camada de rede)

3 Interligação de redes (Camada de rede) 3 Interligação de redes 3 Interligação de redes (Camada de rede) 1/66 3.1 Conceitos 3.1 Conceitos de interligação de redes Internetworking 2/66 Introdução Objectivos da interligação de redes através do

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL OUTLINE DHCP PROTOCOLO RELAY AGENT EXEMPLO LINUX EXEMPLO IOS DHCP Dynamic Host Configuration Protocol, ou DHCP, é um dos protocolos de suporte

Leia mais

Endereçamento IP. Figura 1 Estrutura hierárquica do endereço IP

Endereçamento IP. Figura 1 Estrutura hierárquica do endereço IP Endereçamento IP 1. Introdução: A partir da segunda metade dos anos 90, a Internet se tornou uma rede muito diferente daquela existente em sua concepção no início dos anos 80. Hoje, a Internet tornou-se

Leia mais

Redes de Computadores 3ª Colecção Exercícios diversos 16 de Dezembro de 2005 Spanning Tree, Protocolo IP, Encaminhamento em redes IP e Cam.

Redes de Computadores 3ª Colecção Exercícios diversos 16 de Dezembro de 2005 Spanning Tree, Protocolo IP, Encaminhamento em redes IP e Cam. I Bridging Transparente Spanning Tree 1) Considere a rede local, da figura. Admitindo que as bridges são transparentes e correm o algoritmo Spanning Tree (IEEE 802.1d) HOST Y HOST Z HOST X Bridge Prioridade

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço Endereçamento Endereçamento IP Para que dois sistemas quaisquer comuniquem-se, eles precisam ser capazes de se identificar e localizar um ao outro. Um computador pode estar conectado a mais de uma rede.

Leia mais

IP - endereçamento. Endereço IP. Ex.: Identificador de 32 bits para interfaces de roteadores e hospedeiros

IP - endereçamento. Endereço IP. Ex.: Identificador de 32 bits para interfaces de roteadores e hospedeiros Endereço IP Ex.: Identificador de 32 bits para interfaces de roteadores e hospedeiros 223.1.1.1 = 11011111 00000001 00000001 00000001 223 1 1 1 Endereços de interfaces e sub-redes (fonte: Kurose) No ex.,

Leia mais

Capítulo 2 - Sumário. Endereçamento em Sub-redes, Super-Redes (CIDR) e VLSM

Capítulo 2 - Sumário. Endereçamento em Sub-redes, Super-Redes (CIDR) e VLSM 1 Endereço IP Classe de Endereços IP Endereços IP Especiais Endereços IP Privativos Capítulo 2 - Sumário Endereçamento em Sub-redes, Super-Redes (CIDR) e VLSM Endereçamento Dinâmico (DHCP) Mapeamento IP

Leia mais

manutenção e configuração de redes

manutenção e configuração de redes manutenção e configuração de prof. Mateus Pelloso Conteúdo Endereçamento IP Classes cheias Máscara de rede Como o roteador envia/recebe pacotes? CIDR Endereços especiais Como adquirir um range de endereços

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Avaya Networking Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Programação 1. Introdução (02/set - 10:00) 2. Conceitos básicos I (16/set - 10:00) 3. Conceitos básicos II (07/out - 10:00) 4. Conhecimento

Leia mais

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica

Capítulo. Endereçamento IP. Internet opens a new world of possibilities... Autor: Constantino Seixas Filho UFMG Departamento de Engenharia Eletrônica Capítulo 4 Endereçamento IP Internet opens a new world of possibilities... 1 Endereçamento IP O protocolo TCP/IP utiliza três esquemas para encaminhar dados através das redes até o hospedeiro: 1. Endereçamento:

Leia mais

Arquitetura Internet (TCP/IP)

Arquitetura Internet (TCP/IP) Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 TCP/IP ENDEREÇAMENTO IP O roteamento dos datagramas através das subredes são feitos baseados no seu endereço

Leia mais

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4.

Camada de rede: IP. Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Camada de rede: IP Cabeçalho IP, encaminhamento de pacotes IP, sub-redes, máscara de sub-redes e processos de cálculo, NAT e PAT, futuro do IPv4. Internet Rede 2 Rede 1 Internet Rede 4 Rede 3 Rede 5 O

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP Modelos OSI e TCP/IP Modelo em camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Comparação dos modelos Endereçamento de rede Modelo de camadas Encapsulamento Desencapsulamento Modelo OSI Sistema

Leia mais

TCP/IP O guia definitivo para cálculos

TCP/IP O guia definitivo para cálculos ENTENDENDO O CÁLCULO DE SUB-REDES IP por Eduardo Parise Para que seja possível a comunicação entre máquinas em uma mesma rede é necessário que cada uma possua um endereço IP exclusivo naquela rede. Um

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Encaminhamento IPv4 Encaminhamento estático e encaminhamento dinâmico. Protocolos de encaminhamento: RIP, RIPv2, EIGRP e OSPF. Sistemas autónomos e redistribuição

Leia mais

9.5.2. Preparando um esquema de endereçamento de sua rede

9.5.2. Preparando um esquema de endereçamento de sua rede Guia Internet de Conectividade - Cyclades - Endereçamento IP - página 1 9.5. Identificação dos Hosts em uma rede Todo sistema ou host que você quiser conectar em sua rede deve ter uma única identificação

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.!

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.! Laboratório wireshark Número de sequencia: syn syn ack ack Cisco Packet Tracer Roteador trabalha em dois modos de operação: - Modo Normal - símbolo > - Modo Root - símbolo # ##################################################################

Leia mais

Bacharelado em Informática TCP/IP TCP/IP. Disciplina: Internet e Arquitetura TCP/IP. Protocolos Inter-rede. Inter-rederede

Bacharelado em Informática TCP/IP TCP/IP. Disciplina: Internet e Arquitetura TCP/IP. Protocolos Inter-rede. Inter-rederede Bacharelado em Informática Disciplina: Internet e Arquitetura Arquitetura OSI Arquiteturas de Arquitetura IEEE Arquitetura Internet Inter-rede Apresentação Sessão Prof. Sérgio Colcher colcher@inf.puc-rio.br

Leia mais

ESTUDOS REALIZADOS. Camada Física. Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE. Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA:

ESTUDOS REALIZADOS. Camada Física. Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE. Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA: Redes de Computadores AULA 13 CAMADA DE REDE Profº Alexsandro M. Carneiro Outubro - 2005 ESTUDOS REALIZADOS Camada Física Camada de Enlace Subcamada de Acesso ao Meio AGORA: Camada de Rede Camada Física

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000 4 Camada de Rede: O papel da camada de rede é transportar pacotes de um hospedeiro remetente a um hospedeiro destinatário. Para fazê-lo, duas importantes funções da camada de rede podem ser identificadas:

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

Redes IP. Capítulo 2 - Endereçamento e Roteamento IP

Redes IP. Capítulo 2 - Endereçamento e Roteamento IP Redes IP Capítulo 2 - Endereçamento e Roteamento IP Endereço IP Classe de Endereços IP Endereços IP Especiais Endereços IP Privativos Pontos Fracos do Endereçamento IP Mapeamento de Endereço IP em Endereço

Leia mais

Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes

Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes 1 Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes 5.1 Conceitos Quando um host se comunica com outro usa o endereço de enlace dele. Os endereços de hardware das placas de rede, ou MAC Address, são constituídos

Leia mais

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 Endereçamento IP S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 2.1 Endereçamento IP...04 2.2 Conversão decimal/binário...05 2.3 Endereçamento IPv4...06 2.4 Endereços

Leia mais

CIDR - CLASSLESS INTER-DOMAIN ROUTING

CIDR - CLASSLESS INTER-DOMAIN ROUTING CIDR - CLASSLESS INTER-DOMAIN ROUTING Leandro José da Silva 1 Juliane Oliveira 2 RESUMO Neste trabalho é apresentado uma breve explicação do CIDR (Classless Inter-Domain Routing). Este protocolo foi introduzido

Leia mais

Introdução a Sub-redes

Introdução a Sub-redes Sub Redes Introdução a Sub-redes Sub-redes de uma rede significa usar a máscara de sub-rede para dividir a rede e quebrar uma grande rede em segmentos menores, mais eficientes e gerenciáveis, ou sub-redes.

Leia mais

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Topologia Objetivos Parte 1: Identificar os diferentes tipos de endereços IPv6 Analisar os diferentes tipos de endereço IPv6. Corresponder o endereço IPv6

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do

Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP (Internet Protocol) Características do Protocolo IP Serviço de datagrama não confiável Endereçamento Hierárquico Facilidade de Fragmentação e Remontagem de pacotes Identificação da importância

Leia mais

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Rede Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Internet Protocol IP; Fragmentação do Datagrama IP; Endereço IP; Sub-Redes; CIDR Classes Interdomain Routing NAT Network Address Translation

Leia mais

Tecnologias de Redes Informáticas 2ª Avaliação de Frequência (D) 60 minutos * 18.1.2012

Tecnologias de Redes Informáticas 2ª Avaliação de Frequência (D) 60 minutos * 18.1.2012 1 1. Esta teste serve como avaliação de frequência. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. 3. Escreva as suas respostas apenas na folha de respostas que é dada em separado. 4. Entregue apenas

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes 2 O que acontece na camada de rede Transporta segmentos do hospedeiro transmissor para o receptor Roteador examina campos de cabeçalho em todos os datagramas

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Redes de Computadores I CIDR & NAT Prof. Helcio Wagner da Silva Introdução Endereços IP

Leia mais

Endereçamento IP. Aula Extra Prof. Fred Sauer, D.Sc.

Endereçamento IP. Aula Extra Prof. Fred Sauer, D.Sc. Endereçamento IP Aula Extra Prof. Fred Sauer, D.Sc. Questões Típicas A qual Classe IP pertence um endereço Quais endereços são privados ou reservados Endereço de rede e broadcast de um endereço de host

Leia mais

Arquitetura TCP/IP Sub Rede. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Arquitetura TCP/IP Sub Rede. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Arquitetura TCP/IP Sub Rede Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Sub Rede Cálculo de Sub Rede Sub Rede (Classe) CIDR Classless Inter-Domain Routing Prof. Armando Martins

Leia mais

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes

Serviço de datagrama não confiável Endereçamento hierárquico. Facilidade de fragmentação e remontagem de pacotes IP Os endereços IP são números com 32 bits, normalmente escritos como quatro octetos (em decimal), por exemplo 128.6.4.7. A primeira parte do endereço identifica uma rede especifica na interrede, a segunda

Leia mais

Sub Rede Classe C CIDR Classless Inter-Domain Routing. Leandro Ramos www.professorramos.com

Sub Rede Classe C CIDR Classless Inter-Domain Routing. Leandro Ramos www.professorramos.com Sub Rede Classe C CIDR Classless Inter-Domain Routing Leandro Ramos www.professorramos.com IP Classe C 2...X 255.255.255. IP Classe C 2...X 255.255.255. 254 Host s 2... até 2...254 RANGE 2... REDE 2...255

Leia mais

NÃO AUTORIZO O USO DE QUALQUER EQUIPAMENTO DE ÁUDIO E VÍDEO!

NÃO AUTORIZO O USO DE QUALQUER EQUIPAMENTO DE ÁUDIO E VÍDEO! Endereçamento IP Endereçamento IP O crescimento explosivo da Internet tem ameaçado esgotar o estoque de endereços IP (Previsão inicial 2008). São usados para expandir o endereçamento IP sem que esse estoque

Leia mais

Redes de Computadores II INF-3A

Redes de Computadores II INF-3A Redes de Computadores II INF-3A 1 ROTEAMENTO 2 Papel do roteador em uma rede de computadores O Roteador é o responsável por encontrar um caminho entre a rede onde está o computador que enviou os dados

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva ROTEADOR Roteador CISCO 2600: INTERFACES DE UM ROTEADOR - Interface p/ WAN - Interface p/ LAN - Interface p/

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados:

Protocolo TCP/IP. Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados: Protocolo TCP/IP Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados: Número IP Máscara de sub-rede O Número IP é um número no seguinte formato: x.y.z.w Não podem existir

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 Disciplina Fundamentos de Redes Introdução ao Endereço IP 1 Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 PROTOCOLO TCP - ARQUITETURA Inicialmente para abordamos o tema Endereço IP, é necessário abordar

Leia mais