Capítulo 1: Introdução. :. Em Reformulação! Guia Foca GNU/Linux: Nível Intermediário. Resumo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 1: Introdução. :. Em Reformulação! Guia Foca GNU/Linux: Nível Intermediário. Resumo"

Transcrição

1 Capítulo 1: Introdução Data: Tipo: Curso Assunto: Linux: Guia Foca GNU/Linux Nível Intermediário Por: Gleydson Mazioli da Silva :. Em Reformulação! Guia Foca GNU/Linux: Nível Intermediário Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um guia de consulta, operação e configuração de sistemas Linux (e outros tipos de *ix). A última versão deste guia pode ser encontrada na Página Oficial do Foca GNU/Linux. Novas versões são lançadas com uma frequência mensal e você pode receber avisos de lançamentos preenchendo um formulário na página Web. Nota de Copyright Copyleft Gleydson Mazioli da Silva. Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the terms of the GNU Free Documentation License, Version 1.1 or any later version published by the Free Software Foundation; with the Invariant Sections being LIST THEIR TITLES, with the Front-Cover Texts being LIST, and with the Back-Cover Texts being LIST. A copy of the license is included in the section entitled "GNU Free Documentation License". Uma cópia física ou verbal deste documento pode ser distribuída ou colocada em meios de distribuição eletrônicos (tais como Homepages, servidores FTP, Gopher, disquetes, etc) livremente sem a permissão do autor. Reproduções, distribuições comerciais devem ser feitas com a autorização do autor. A distribuição comercial é encorajada, no entanto o autor deve ser notificado e todas as informações de direitos reservados devem permanecer intactos. A inclusão de partes deste documento em outros trabalhos ou pequenas citações, podem ser feitas desde que contenha um aviso constando o documento de origem. Conteúdo 1 Introdução o 1.1 Antes de começar o 1.2 Pré-requisitos para a utilização deste guia o 1.3 O Linux Algumas Características do Linux o 1.4 Software Livre 2 Explicações Básicas o 2.1 Interpretador de comandos

2 o 2.2 Terminal Virtual (console) o 2.3 Curingas o 2.4 Arquivos de Log 3 Hardware o 3.1 Placa de expansão o 3.2 Nomes de dispositivos o 3.3 Configuração de Hardware IRQ - Requisição de Interrupção Prioridade das Interrupções DMA - Acesso Direto a Memória Conflitos de DMA I/O - Porta de Entrada/Saída o 3.4 Hardwares configuráveis por jumpers, dip-switches, jumperless e Plug-and-Play Jumpers Dip-Switches Jumperless (sem jumper) Plug-and-Play Entendendo o arquivo de configuração isapnp.conf o 3.5 Conflitos de hardware o 3.6 Barramento o 3.7 Placas on-board / off-board o 3.8 Hardwares específicos ou "For Windows" o 3.9 Dispositivos específicos para GNU/Linux 4 Para quem esta migrando (ou pensando em migrar) do DOS/Windows para o Linux o 4.1 Quais as diferenças iniciais o 4.2 Comandos equivalentes entre DOS e Linux Arquivos de configuração o 4.3 Usando a sintaxe de comandos DOS no Linux o 4.4 Programas equivalentes entre Windows/DOS e o Linux 5 Discos e Partições o 5.1 Partições o 5.2 Sistema de Arquivos o 5.3 Partição EXT2 (Linux Native) Criando um sistema de arquivos EXT2 em uma partição Criando um sistema de arquivos EXT2 em um arquivo Partição EXT2 ou Arquivo? o 5.4 Partição Linux Swap (Memória Virtual) Criando sistema de arquivos Swap em uma partição Criando um sistema de arquivos Swap em um arquivo Partição Swap ou Arquivo? o 5.5 O sistema de Arquivos /proc o 5.6 Formatando disquetes Formatando disquetes para serem usados no Linux Formatando disquetes compatíveis com o DOS/Windows Programas de Formatação Gráficos o 5.7 Pontos de Montagem o 5.8 Identificação de discos e partições em sistemas Linux o 5.9 Montando (acessando) uma partição de disco fstab o 5.10 Desmontando uma partição de disco 6 Gerenciadores de Partida (boot loaders)

3 o 6.1 LILO Criando o arquivo de configuração do LILO Opções usadas no LILO Um exemplo do arquivo de configuração lilo.conf o 6.2 LOADLIN Opções do LOADLIN Exemplo de inicialização com o LOADLIN o 6.3 syslinux Criando um disquete de inicialização com o syslinux O arquivo SYSLINUX.CFG Formatação dos arquivos de tela do syslinux 7 Execução de programas o 7.1 Tipos de Execução de comandos/programas o 7.2 Executando programas em sequência o 7.3 ps o 7.4 top o 7.5 Controle de execução de processos Interrompendo a execução de um processo Parando momentaneamente a execução de um processo jobs fg bg kill killall killall Sinais do Sistema o 7.6 nohup o 7.7 nice o 7.8 Fechando um programa quando não se sabe como sair o 7.9 Eliminando caracteres estranhos 8 Comandos para manipulação de diretório o 8.1 ls o 8.2 cd o 8.3 pwd o 8.4 mkdir o 8.5 rmdir 9 Comandos para manipulação de Arquivos o 9.1 cat o 9.2 tac o 9.3 rm o 9.4 cp o 9.5 mv 10 Comandos Diversos o 10.1 clear o 10.2 date o 10.3 df o 10.4 ln o 10.5 du o 10.6 find o 10.7 free o 10.8 grep o 10.9 head o nl

4 o more o less o sort o tail o time o touch o uptime o dmesg o mesg o echo o su o sync o uname o reboot o shutdown o wc o chattr o lsattr o cut o cmp o dirname o diff o pr o patch o whereis o which o zforce o gzexe o znew 11 Comandos de rede o 11.1 who o 11.2 Telnet o 11.3 finger o 11.4 ftp o 11.5 whoami o 11.6 dnsdomainname o 11.7 hostname o 11.8 talk o 11.9 ping o rlogin o rsh o w o traceroute o netstat o wall 12 Comandos para manipulação de contas o 12.1 adduser o 12.2 addgroup o 12.3 passwd o 12.4 newgrp o 12.5 userdel o 12.6 groupdel o 12.7 lastlog

5 o 12.8 last o 12.9 sg o Adicionando um novo grupo a um usuário o chfn o id o logname o users o groups 13 Permissões de acesso a arquivos e diretórios o 13.1 Donos, grupos e outros usuários o 13.2 Tipos de Permissões de acesso o 13.3 Etapas para acesso a um arquivo/diretório o 13.4 Exemplos práticos de permissões de acesso Exemplo de acesso a um arquivo Exemplo de acesso a um diretório o 13.5 Permissões de Acesso Especiais o 13.6 A conta root o 13.7 chmod o 13.8 chgrp o 13.9 chown o Modo de permissão octal 14 Redirecionamentos e Pipe o 14.1 > o 14.2 >> o 14.3 < o 14.4 (pipe) o 14.5 Diferença entre o " " e o ">" o 14.6 tee 15 Rede o 15.1 O que é uma rede o 15.2 Protocolo de Rede o 15.3 Endereço IP Classes de Rede IP Para instalar uma máquina usando o Linux em uma rede existente Endereços reservados para uso em uma rede Privada o 15.4 Interface de rede A interface loopback Atribuindo um endereço de rede a uma interface (ifconfig) o 15.5 Roteamento Configurando uma rota no Linux o 15.6 Resolvedor de nomes (DNS) O que é um nome? Arquivos de configuração usados na resolução de nomes /etc/resolv.conf /etc/host.conf /etc/hosts /etc/networks Executando um servidor de nomes o 15.7 Serviços de Rede Serviços iniciados como Daemons de rede Serviços iniciados através do inetd /etc/inetd.conf

6 o 15.8 Segurança da Rede e controle de Acesso /etc/ftpusers /etc/securetty O mecanismo de controle de acessos tcpd /etc/hosts.allow /etc/hosts.deny /etc/hosts.equiv Verificando a segurança do TCPD e a sintaxe dos arquivos Firewall o 15.9 Outros arquivos de configuração relacionados com a rede /etc/services /etc/protocols 16 Kernel e Módulos o 16.1 O Kernel o 16.2 Módulos o 16.3 Como adicionar suporte a Hardwares e outros dispositivos no kernel o 16.4 kmod o 16.5 lsmod o 16.6 insmod o 16.7 rmmod o 16.8 modprobe o 16.9 depmod o modconf o Recompilando o Kernel o Arquivos relacionados com o Kernel e Módulos /etc/modules modules.conf o Aplicando Patches no kernel 17 Compactadores o 17.1 O que fazem os compactadores/descompactadores? o 17.2 Extensões de arquivos compactados o 17.3 gzip o 17.4 zip o 17.5 unzip o 17.6 tar o 17.7 bzip2 o 17.8 rar 18 A distribuição Debian GNU/Linux o 18.1 Porque usar a Debian? o 18.2 Pacotes existentes na Debian o 18.3 O que é unstable/frozen/stable? o 18.4 Como obter a Debian o 18.5 Programas de configuração o 18.6 Arquivos de inicialização o 18.7 Níveis de Execução Entendendo o funcionamento dos níveis de execução do sistema (runlevels) o 18.8 Bug tracking system o 18.9 Onde encontrar a Debian para Download? o Lista de pacotes para uma instalação rápida e manual Pacotes Básicos (Altamente Recomendado) Compilação do Kernel e programas em linguagem C

7 X11 (básico) Window Managers para o X Impressão (texto e gráfico com sistema de spool) Som (mixer, mp3, Midi, wav, CD-Player) Programas de Internet (clientes) Acessórios Rede 19 Sistema de gerenciamento de pacotes o 19.1 DPKG Pacotes Instalar pacotes Dependências Listar pacotes existentes no sistema Removendo pacotes do sistema Removendo completamente um pacote Mostrar descrição do pacote Procura de pacotes através do nome de um arquivo Status do pacote Procurando pacotes com problemas de instalação Mostrando a lista de pacotes do sistema Obtendo uma lista de pacotes para instalar no sistema Configurando pacotes desconfigurados Listando arquivos de um pacote o 19.2 apt O arquivo /etc/apt/sources.list O arquivo /etc/apt/apt.conf Copiando a lista de pacotes disponíveis Instalando novos pacotes Removendo pacotes instalado Atualizando sua distribuição Removendo pacotes baixados pelo apt Verificando pacotes corrompidos Corrigindo problemas de dependências e outros erros 20 Personalização do Sistema o 20.1 Variáveis de Ambientes o 20.2 Modificando o Idioma usado em seu sistema o 20.3 alias o 20.4 Arquivo /etc/profile o 20.5 Arquivo.bash_profile o 20.6 Arquivo.bashrc o 20.7 Arquivo /etc/environment o 20.8 Diretório /etc/skel 21 Impressão o 21.1 Portas de impressora o 21.2 Imprimindo diretamente para a porta de impressora o 21.3 Imprimindo via spool o 21.4 Impressão em modo gráfico Ghost Script o 21.5 Magic Filter Instalação e configuração do Magic Filter Outros detalhes técnicos sobre o Magic Filter 22 Configuração do sistema o 22.1 Acentuação

8 Acentuação em modo Texto Acentuação em modo gráfico o 22.2 Número de Cores do ambiente gráfico Configurando o número de cores para quem inicia pelo prompt Configurando o número de cores para quem inicia pelo XDM Ajustando o alinhamento da imagem no X e outras configurações Sobre o número de cores para jogos que funcionam no X 23 Compilação o 23.1 O que é compilação? o 23.2 Compilador 24 Manutenção do Sistema o 24.1 Checagem dos sistemas de arquivos fsck.ext2 o 24.2 fsck.minix o 24.3 badblocks o 24.4 defrag o 24.5 Limpando arquivos de LOGS o 24.6 Tarefas automáticas de manutenção do sistema o 24.7 cron O formato de um arquivo crontab 25 Principais arquivos de configuração do diretório /etc o 25.1 Diretório /etc/alternatives o 25.2 Arquivo /etc/default/devpts o 25.3 Arquivo /etc/default/rcs o 25.4 Arquivo /etc/kbd/config o 25.5 Diretório /etc/menu-methods o 25.6 Arquivo /etc/menu-methods/menu-translate o 25.7 Arquivo /etc/networks o 25.8 Arquivo /etc/networks/interfaces o 25.9 Arquivo /etc/networks/options o Arquivo /etc/networks/spoof-protect o Diretório /etc/pam.d o Diretório /etc/ppp o Diretório /etc/security o Arquivo /etc/security/access.conf o Arquivo /etc/security/limits.conf o Arquivo /etc/crontab o Arquivo /etc/fstab o Arquivo /etc/group o Arquivo /etc/gshadow o Arquivo /etc/host.conf o Arquivo /etc/hostname o Arquivo /etc/hosts o Arquivo /etc/hosts.allow o Arquivo /etc/hosts.deny o Arquivo /etc/hosts.equiv o Arquivo /etc/inetd.conf o Arquivo /etc/inittab o Arquivo /etc/inputrc o Arquivo /etc/isapnp.conf

9 o Arquivo /etc/isapnp.gone o Arquivo /etc/issue o Arquivo /etc/issue.net o Arquivo /etc/lilo.conf o Arquivo /etc/login.defs o Arquivo /etc/modules o Arquivo /etc/modules.conf o Arquivo /etc/motd o Arquivo /etc/mtab o Arquivo /etc/networks o Arquivo /etc/passwd o Arquivo /etc/printcap o Arquivo /etc/protocolos o Arquivo /etc/resolv.conf o Arquivo /etc/serial.conf o Arquivo /etc/services o Arquivo /etc/shadow o Arquivo /etc/shells o Arquivo /etc/syslog.conf o Arquivo /etc/timezone 26 Conectando seu computador a Internet o 26.1 Conectando-se a Internet o 26.2 Navegando na Internet o 26.3 Recebimento de s através do fetchmail Processamento de mensagens através do procmail 27 X Window (ambiente gráfico) o 27.1 O que é X Window? o 27.2 A organização do ambiente gráfico X Window o 27.3 Iniciando o X o 27.4 Servidor X 28 Aplicativos para Linux o 28.1 Aplicativos Básicos Editores de Texto Aplicativos para Escritório Internet Emuladores Utilitários Administração do Sistema o 28.2 Listagem de Aplicativos para GNU/Linux Periféricos / Gerenciamento de Hardware Internet Conferência de audio/video via Internet/Intranet Gerenciamento de WebSites / Linguagem HTML Multimídia Som Comunicação/Fax X Window Editoração Gráfica/Visualizadores Emuladores/Ferramentas p/ Interação com outros SO Programação / Bancos de Dados / Acesso a Dados Impressão Texto Kernel

10 Notebooks Gravação de CD/DVD Computação Paralela/Clusters PalmTop / Palm Pilot / Computadores de Mão Backup Utilitários Compactadores/Descompactadores/Arquivadores Dispositivos X-10 (Controle de eletrodomésticos e aparelhos via PC) Outros 29 Como obter ajuda no sistema o 29.1 Páginas de Manual o 29.2 Info Pages o 29.3 Help on line o 29.4 help o 29.5 apropos/whatis o 29.6 locate o o 29.7 which 29.8 Documentos HOWTO's Listagem de HOWTO's Introdução ao Sistema / Instalação / Configurações / Kernel Adaptação do GNU/Linux para idiomas específicos Discos / Sistemas de Arquivos / Desempenho Escrita de Documentação / Editores Hardware Software Plataformas não Intel (x86) Programação / Compiladores / Banco de Dados Computação Paralela / Clusters Configuração de Teclado / Vídeo / Console Ambiente Gráfico Suporte ao Sistema / Grupos de Usuários / Listas de Discussão Migração / Convivência com Outras Plataformas Tarefas Específicas Rede / Administração / Firewall / Proxy / Segurança Outros Listagem de Mini-HOWTOs Introdução ao Sistema / Instalação / Configuração / Kernel Discos / Sistema de Arquivos / Desempenho Escrita de Documentação / Editores Hardware Software Plataformas não Intel (x86) Programação / Compiladores / Banco de Dados Configuração de Teclado / Video / Console Ambiente Gráfico Migração/Convivência com outras plataformas Tarefas Específicas

11 Rede / Administração / Firewall / Segurança Outros o 29.9 Documentação de Programas o FAQ o RFC's o Internet Páginas Internet de Referência Listas de discussão 30 Apêndice o 30.1 Sobre este guia o 30.2 Onde encontrar a versão mais nova do guia? o 30.3 Colaboradores do Guia o 30.4 Marcas Registradas o 30.5 Futuras versões o 30.6 Chave Criptográfica Bem vindo ao Foca Linux. A versão que esta lendo contém o(s) nível(is) de aprendizado: Intermediário Entre o conteúdo do guia, você encontrará: Explicações necessárias para conhecer, operar, configurar, desenvolver, personalizar seus programas e arquivos. Uma lista de aplicativos clientes para serem usados em seu sistema GNU/Linux, com suas características, equipamento mínimo requerido e espaço em disco recomendado para instalação. Criação de partições e arquivos contendo o sistema de arquivos ext2 (para gravação de dados) e swap (memória virtual) e as vantagens/desvantagens de se utilizar um arquivo ou partição para armazenamento de dados. Compilação de programas/kernel, com explicações sobre cada uma das opções ajudando-o a decidir sobre a inclusão ou não. Manipulação de módulos do kernel Explicações sobre hardwares (Interrupções, Dma, Jumpers, Jumperless, Plugand-Play) e como configura-los no Linux, valores padrões e resolução de conflitos entre hardwares. Dicas de como avaliar e comprar bons hardwares para que seu computador tenha o melhor desempenho (também válido para DOS, Windows e outras plataformas). Desta maneira você saberá porque algumas placas de faxmodens custam 3 vezes mais caro que outras e o que a placa traz de especial para ter este diferencial. Como modificar facilmente o idioma usado em seu sistema (localização) para o modo texto e modo gráfico. Utilização de compactadores de disco Mais opções para os comandos existentes na versão Iniciante do guia e novos comandos.

12 Conhecer os arquivos de configuração e arquivos básicos de segurança e aprender para que eles servem e como usa-los. Dicas de como saber escolher bons periféricos para uso no GNU/Linux e outros sistemas operacionais Manutenção básica do computador (verificação do disco, desfragmentação) e manutenção automática feita através dos programas de e scripts configurados. Introdução a rede no Linux (com a configuração de dispositivos de rede, etc.). Configurações básicas de segurança de Rede Gerenciadores de inicialização, o que são e como funcionam e como criar um arquivo de inicialização para inicializar o GNU/Linux pelo disco rígido ou mais de um Sistema Operacional. Particionamento de disco Criação de Memória virtual no disco rígido e em arquivo. Os materiais contidos na versão intermediário são ideais para quem já tem um conhecimento básico do sistema GNU/Linux mas que deseja se aprofundar neste sistema conhecendo os arquivos necessários para o funcionamento do GNU/Linux, como modifica-los e como estas modificações afetam o funcionamento do sistema. Para melhor organização, dividi o guia em 3 versões: Iniciante, Intermediário e Avançado. Sendo que a versão Iniciante é voltada para o usuário que não tem nenhuma experiência no GNU/Linux. A última versão deste guia pode ser encontrada em: Foca Linux HomePage. Caso tiver alguma sugestão, correção, crítica para a melhoria deste guia, envie um e- mail para O Foca Linux é atualizado frequentemente, por este motivo recomendo que preencha a ficha do aviso de atualizações na página web em Foca Linux HomePage no fim da página principal. Após preencher a ficha do aviso de atualizações, você receberá um e- mail sobre o lançamento de novas versões do guia e o que foi modificado, desta forma você poderá decidir em copia-la caso a nova versão contém modificações que considera importantes. 1.1 Antes de começar O capítulo Introdução e básico contém explicações teóricas sobre o computador, GNU/Linux, etc., você pode pular este capítulos caso já conheça estas explicações ou se desejar partir para a prática e quiser ve-los mais tarde, se lhe interessar. Se você já é um usuário do DOS e Windows, recomendo ver o Para quem esta migrando (ou pensando em migrar) do DOS/Windows para o Linux, Capítulo 4. Lá você vai encontrar comparações de comandos e programas DOS/Windows e GNU/Linux. Para quem está começando, muita teoria pode atrapalhar o aprendizado, é mais produtivo ver na prática o que o computador faz e depois porque ele faz isto. Mesmo assim, recomendo ler estes capítulos pois seu conteúdo pode ser útil... Coloquei abaixo algumas dicas para um bom começo: Recomendo que faça a leitura deste guia e pratique o que aprendeu imediatamente. Isto facilita o entendimento do programa/comando.

13 É preciso ter interesse em aprender, se você tiver vontade em aprender algo, você terá menos dificuldade do que em algo que não gosta e está se obrigando a aprender. Decorar não adianta pelo contrário, só atrapalha no aprendizado. Você precisa entender o que o comando faz, deste modo você estará também usando e desenvolvendo sua interpretação, e entenderá melhor o assunto (talvez até me de uma força para melhorar o guia ;-) Curiosidade também é importante. Você talvez possa estar procurando um comando que mostre os arquivos que contém um certo texto, e isto fará você chegar até o comando grep, depois você conhecerá suas opções, etc. Não desanime vendo outras pessoas que sabem mais que você, lembre-se que ninguém nasce sabendo :-). Uma pessoa pode ter mais experiência em um assunto no sistema como compilação de programas, configuração, etc., e você pode ter mais interesse em redes. Ninguém pode saber tudo da noite para o dia, não procure saber tudo sobre o sistema de uma só vez senão não entenderá NADA. Caso tenha dúvidas sobre o sistema, procure ler novamente a seção do guia, e caso ainda não tenha entendido procure ajuda nas página de manual (veja a Páginas de Manual, Seção 29.1), ou nas listas de discussão (veja a Listas de discussão, Seção ) ou me envie uma mensagem Certamente você buscará documentos na Internet que falem sobre algum assunto que este guia ainda não explica. Muito cuidado! O GNU/Linux é um sistema que cresce muito rapidamente, a cada semana uma nova versão é lançada, novos recursos são adicionados, seria maravilhoso se a documentação fosse atualizada com a mesma frequencia. Infelizmente a atualização da documentação não segue o mesmo ritmo (principalmente aqui no Brasil). É comum você encontrar na Internet documentos da época quando o kernel estava na versão , , etc. Estes documentos são úteis para pessoas que usem as versões antigas do Kernel Linux, mas pode trazer problemas ou causar má impressão do GNU/Linux em outras pessoas. Por exemplo, você pode esbarrar pela Internet com um documento que diz que o Kernel não tem suporte aos "nomes extensos" da VFAT (Windows 95), isto é verdade para kernels anteriores ao , mas as versões mais novas que a reconhecem sem problemas os nomes extensos da partição Windows VFAT. Uma pessoa desavisada pode ter receio de instalar o GNU/Linux em uma mesma máquina com Windows por causa de um documento como este. Para evitar problemas deste tipo, verifique a data de atualização do documento, se verificar que o documento está obsoleto, contacte o autor original e peça para que ele retire aquela seção na próxima versão que será lançada. O GNU/Linux é considerado um sistema mais difícil do que os outros, mas isto é porque ele requer que a pessoa realmente aprenda e conheça computadores e seus periféricos antes de fazer qualquer coisa (principalmente se você é um técnico em manutenção, redes, instalações, etc., e deseja oferecer suporte profissional a este sistema).

14 Você conhecerá mais sobre computadores, redes, hardware, software, discos, saberá avaliar os problemas e a buscar a melhor solução, enfim as possibilidades de crescimento neste sistema operacional depende do conhecimento, interesse e capacidade de cada um. A interface gráfica existe, mas os melhores recursos e flexibilidade estão na linha de comando. Você pode ter certeza que o aprendizado no GNU/Linux ajudará a ter sucesso e menos dificuldade em usar qualquer outro sistema operacional. Peça ajuda a outros usuários do GNU/Linux quando estiver em dúvida ou não souber fazer alguma coisa no sistema. Você pode entrar em contato diretamente com outros usuários ou através de listas de discussão (veja a Listas de discussão, Seção ). Boa Sorte e bem vindo ao GNU/Linux! gleydson 1.2 Pré-requisitos para a utilização deste guia É assumido que você tenha entendido a função de boa parte dos comandos que consta na versão iniciante do Foca Linux, arquivos e permissões de acesso. Em resumo, que saiba decidir quando e qual(is) comando(s) deve usar em cada situação. Caso não entenda as explicações da versão INTERMEDIÁRIO, recomendo que faça a leitura da versão INICIANTE do Foca Linux que pode ser encontrada em Este guia não cobre a instalação do sistema. Para detalhes sobre instalação, consulte a documentação que acompanha sua distribuição GNU/Linux. 1.3 O Linux O GNU/Linux é um sistema operacional criado em 1991 por Linus Torvalds na universidade de Helsinky na Finlândia. É um sistema Operacional de código aberto distribuído gratuitamente pela Internet. Seu código fonte é liberado como Free Software (software gratuito) o aviso de copyright do kernel feito por Linus descreve detalhadamente isto e mesmo ele está proibido de fazer a comercialização do sistema. Isto quer dizer que você não precisa pagar nada para usar o Linux, e não é crime fazer cópias para instalar em outros computadores, nós inclusive incentivamos você a fazer isto. Ser um sistema de código aberto pode explicar a performance, estabilidade e velocidade em que novos recursos são adicionados ao sistema. Para rodar o GNU/Linux você precisa, no mínimo, de um computador 386 SX com 2 MB de memória e 40MB disponíveis em seu disco rígido para uma instalação básica e funcional. O sistema segue o padrão POSIX que é o mesmo usado por sistemas UNIX e suas variantes. Assim, aprendendo o GNU/Linux você não encontrará muita dificuldade em

15 operar um sistema do tipo UNIX, FreeBSD, HPUX, SunOS, etc., bastando apenas aprender alguns detalhes encontrados em cada sistema. O código fonte aberto permite que qualquer pessoa veja como o sistema funciona (útil para aprendizado), corrija alguma problema ou faça alguma sugestão sobre sua melhoria, esse é um dos motivos de seu rápido crescimento, do aumento da compatibilidade de periféricos (como novas placas sendo suportadas logo após seu lançamento) e de sua estabilidade. Outro ponto em que ele se destaca é o suporte que oferece a placas, CD-Roms e outros tipos de dispositivos de última geração e mais antigos (a maioria deles já ultrapassados e sendo completamente suportados pelo sistema operacional). Este é um ponto forte para empresas que desejam manter seus micros em funcionamento e pretendem investir em avanços tecnológicos com as máquinas que possui. Hoje o GNU/Linux é desenvolvido por milhares de pessoas espalhadas pelo mundo, cada uma fazendo sua contribuição ou mantendo alguma parte do kernel gratuitamente. Linus Torvalds ainda trabalha em seu desenvolvimento e também ajuda na coordenação entre os desenvolvedores. O suporte ao sistema também se destaca como sendo o mais eficiente e rápido do que qualquer programa comercial disponível no mercado. Existem centenas de consultores especializados espalhados ao redor do mundo. Você pode se inscrever em uma lista de discussão e relatar sua dúvida ou alguma falha, e sua mensagem será vista por centenas de usuários na Internet e algum irá te ajudar ou avisará as pessoas responsáveis sobre a falha encontrada para devida correção. Para detalhes, veja a Listas de discussão, Seção Algumas Características do Linux É de graça e desenvolvido voluntariamente por programadores experientes, hackers, e contribuidores espalhados ao redor do mundo que tem como objetivo a contribuição para a melhoria e crescimento deste sistema operacional. Muitos deles estavam cansados do excesso de propaganda (Marketing) e baixa qualidade de sistemas comerciais existentes Convivem sem nenhum tipo de conflito com outros sistemas operacionais (com o DOS, Windows, OS/2) no mesmo computador. Multitarefa real Multiusuário Suporte a nomes extensos de arquivos e diretórios (255 caracteres) Conectividade com outros tipos de plataformas como Apple, Sun, Macintosh, Sparc, Alpha, PowerPc, ARM, Unix, Windows, DOS, etc. Proteção entre processos executados na memória RAM Suporte ha mais de 63 terminais virtuais (consoles) Modularização - O GNU/Linux somente carrega para a memória o que é usado durante o processamento, liberando totalmente a memória assim que o programa/dispositivo é finalizado Devido a modularização, os drivers dos periféricos e recursos do sistema podem ser carregados e removidos completamente da memória RAM a qualquer

16 momento. Os drivers (módulos) ocupam pouco espaço quando carregados na memória RAM (cerca de 6Kb para a Placa de rede NE 2000, por exemplo) Não há a necessidade de se reiniciar o sistema após a modificar a configuração de qualquer periférico ou parâmetros de rede. Somente é necessário reiniciar o sistema no caso de uma instalação interna de um novo periférico, falha em algum hardware (queima do processador, placa mãe, etc.). Não precisa de um processador potente para funcionar. O sistema roda bem em computadores 386sx 25 com 4MB de memória RAM (sem rodar o sistema gráfico X, que é recomendado 8MB de RAM). Já pensou no seu desempenho em um 486 ou Pentium ;-) O crescimento e novas versões do sistema não provocam lentidão, pelo contrario, a cada nova versão os desenvolvedores procuram buscar maior compatibilidade, acrescentar recursos úteis e melhor desempenho do sistema (como o que aconteceu na passagem do kernel 2.0.x para 2.2.x). Não é requerida uma licença para seu uso. O GNU/Linux é licenciado de acordo com os termos da GNU Acessa sem problemas discos formatados pelo DOS, Windows, Novell, OS/2, NTFS, SunOS, Amiga, Atari, Mac, etc. Utiliza permissões de acesso a arquivos, diretórios e programas em execução na memória RAM. NÃO EXISTEM VIRUS NO LINUX! Em 9 anos de existência, nunca foi registrado NENHUM tipo de vírus neste sistema. Isto tudo devido a grande segurança oferecida pelas permissões de acesso do sistema que funcionam inclusive durante a execução de programas. Rede TCP/IP mais rápida que no Windows e tem sua pilha constantemente melhorada. O GNU/Linux tem suporte nativo a redes TCP/IP e não depende de uma camada intermediária como o Winsock. Em acessos via modem a Internet, a velocidade de transmissão é 10% maior. Jogadores do Quake ou qualquer outro tipo de jogo via Internet preferem o GNU/Linux por causa da maior velocidade do Jogo em rede. É fácil rodar um servidor Quake em seu computador e assim jogar contra vários adversários via Internet. Roda aplicações DOS através do DOSEMU. Para se ter uma idéia, é possível dar o boot em um sistema DOS qualquer dentro dele e ao mesmo tempo usar a multitarefa deste sistema. Roda aplicações Windows através do WINE Suporte a dispositivos infravermelho Suporte a rede via rádio amador Suporte a dispositivos Plug-and-Play Suporte a dispositivos USB Vários tipos de firewalls de alta qualidade e com grande poder de segurança de graça Roteamento estático e dinâmico de pacotes Ponte entre Redes Proxy Tradicional e Transparente Possui recursos para atender a mais de um endereço IP na mesma placa de rede, sendo muito útil para situações de manutenção em servidores de redes ou para a emulação de "mais computadores" virtualmente.

17 O servidor WEB e FTP podem estar localizados no mesmo computador, mas o usuário que se conecta tem a impressão que a rede possui servidores diferentes. O sistema de arquivos usado pelo GNU/Linux (Ext2) organiza os arquivos de forma inteligente evitando a fragmentação e fazendo-o um poderoso sistema para aplicações multi-usuárias exigentes e gravações intensivas. Permite a montagem de um servidor Web, , News, etc. com um baixo custo e alta performance. O melhor servidor Web do mercado, o Apache, é distribuído gratuitamente junto com o Linux. O mesmo acontece com o Sendmail Por ser um sistema operacional de código aberto, você pode ver o que o código fonte (o que foi digitado pelo programador) faz e adapta-lo as suas necessidades ou de sua empresa. Esta característica é uma segurança a mais para empresas sérias e outros que não querem ter seus dados roubados (você não sabe o que um sistema sem código fonte faz na realidade enquanto esta processando o programa). Suporte a diversos dispositivos e periféricos disponíveis no mercado, tanto os novos como obsoletos Pode ser executado em 10 arquiteturas diferentes (Intel, Macintosh, Alpha, Arm, etc.) Consultores técnicos especializados no suporte ao sistema espalhados por todo o mundo Entre muitas outras características que você descobrirá durante o uso do sistema. TODOS OS ITENS DESCRITOS ACIMA SÃO VERDADEIROS E TESTADOS PARA QUE TIVESSE PLENA CERTEZA DE SEU FUNCIONAMENTO. 1.4 Software Livre Softwares Livres são programas que possuem o código fonte incluído (o código fonte é o que o programador digitou para fazer o programa) e você pode modificar ou distribui-los livremente. Existem algumas licenças que permitem isso, a mais comum é a General Public Licence (ou GPL). Os softwares livres muitas vezes são chamados de programas de código aberto (ou OSS). Muito se acredita no compartilhamento do conhecimento e tendo liberdade de cooperar uns com outros, isto é importante para o aprendizado de como as coisas funcionam e novas técnicas de construção. Existe uma longa teoria desde 1950 valorizando isto, muitas vezes pessoas assim são chamadas de "Hackers Éticos". Outros procuram aprender mais sobre o funcionamento do computador e seus dispositivos (periféricos) e muitas pessoas estão procurando por meios de de evitar o preço absurdo de softwares comerciais através de programas livres que possuem qualidade igual ou superior, devido a cooperação em seu desenvolvimento. Você pode modificar o código fonte de um software livre a fim de melhora-lo ou acrescentar mais recursos e o autor do programa pode ser contactado sobre a alteração e os benefícios que sua modificação fez no programa, e esta poderá ser incluída no programa principal. Deste modo, milhares de pessoas que usam o programa se beneficiarão de sua contribuição.

18 Capítulo 2: Explicações Básicas Este capítulo traz explicações sobre os principais componentes existentes no computador e do sistema operacional. 2.1 Interpretador de comandos Também conhecido como "shell". É o programa responsável em interpretar as instruções enviadas pelo usuário e seus programas ao sistema operacional (o kernel). Ele que executa comandos lidos do dispositivo de entrada padrão (teclado) ou de um arquivo executável. É a principal ligação entre o usuário, os programas e o kernel. O GNU/Linux possui diversos tipos de interpretadores de comandos, entre eles posso destacar o bash, ash, csh, tcsh, sh, etc. Entre eles o mais usado é o bash. O interpretador de comandos do DOS, por exemplo, é o command.com. Os comandos podem ser enviados de duas maneiras para o interpretador: interativa e não-interativa: Interativa Os comandos são digitados no aviso de comando e passados ao interpretador de comandos um a um. Neste modo, o computador depende do usuário para executar uma tarefa, ou próximo comando. Não-interativa São usados arquivos de comandos criados pelo usuário (scripts) para o computador executar os comandos na ordem encontrada no arquivo. Neste modo, o computador executa os comandos do arquivo um por um e dependendo do término do comando, o script pode checar qual será o próximo comando que será executado e dar continuidade ao processamento. Este sistema é útil quando temos que digitar por várias vezes seguidas um mesmo comando ou para compilar algum programa complexo. O shell Bash possui ainda outra característica interessante: A completação dos nomes de comandos. Isto é feito pressionando-se a tecla TAB, o comando é completado e acrescentado um espaço. Isto funciona sem problemas para comandos internos, caso o comando não seja encontrado, o Bash emite um beep. Exemplo: ech (pressione TAB). 2.2 Terminal Virtual (console) Terminal (ou console) é o teclado e tela conectados em seu computador. O GNU/Linux faz uso de sua característica multi-usuária usando os "terminais virtuais". Um terminal

19 virtual é uma segunda seção de trabalho completamente independente de outras, que pode ser acessada no computador local ou remotamente via telnet, rsh, rlogin, etc. No GNU/Linux, em modo texto, você pode acessar outros terminais virtuais segurando a tecla ALT e pressionando F1 a F6. Cada tecla de função corresponde a um número de terminal do 1 ao 6 (o sétimo é usado por padrão pelo ambiente gráfico X). O GNU/Linux possui mais de 63 terminais virtuais, mas apenas 6 estão disponíveis inicialmente por motivos de economia de memória RAM (cada terminal virtual ocupa aproximadamente 350 Kb de memória RAM, desative a quantidade que não estiver usando para liberar memória RAM para uso de outros programas!). Se estiver usando o modo gráfico, você deve segurar CTRL+ ALT enquanto pressiona uma tela de <F1> a <F6>. Um exemplo prático: Se você estiver usando o sistema no Terminal 1 com o nome "joao" e desejar entrar como "root" para instalar algum programa, segure ALT enquanto pressiona <F2> para abrir o segundo terminal virtual e faça o login como "root". Será aberta uma nova seção para o usuário "root" e você poderá retornar a hora que quiser para o primeiro terminal pressionando ALT+<F1>. 2.3 Curingas Curingas (ou referência global) é um recurso usado para especificar um ou mais arquivos ou diretórios do sistema de uma só vez. Este é um recurso permite que você faça a filtragem do que será listado, copiado, apagado, etc. São usados 3 tipos de curingas no GNU/Linux: * - Faz referência a um nome completo/restante de um arquivo/diretório.? - Faz referência a uma letra naquela posição [padrão] - Faz referência a um padrão contido em um arquivo. Padrão pode ser: o [a-z][1-0] - Faz referência a caracteres de a até z ou de 1 até 10. o [a,z][1,0] - Faz a referência aos caracteres a e z ou 1 e 10 naquela posição. o [a-z,1,0] - Faz referência aos caracteres de a até z e 1 e 10 naquela posição. A procura de caracteres é "Case Sensitive" assim se você deseja que sejam localizados todos os caracteres alfabéticos você deve usar [a-za-z]. Caso a expressão seja seguida de um ^, faz referência a qualquer caracter exceto o da expressão. Por exemplo [^abc] faz referência a qualquer caracter exceto a, b e c. Lembrando que os 3 tipos de curingas (*,? e []) podem ser usados juntos. Para entender melhor vamos a prática: Vamos dizer que tenha 5 arquivo no diretório /usr/teste: teste1.txt, teste2.txt, teste3.txt, teste4.new, teste5.new.

20 Caso deseje listar todos os arquivos do diretório /usr/teste você pode usar o curinga * para especificar todos os arquivos do diretório: cd /usr/teste e ls * ou ls /usr/teste/*. Não tem muito sentido usar o comando ls com * porque todos os arquivos serão listados se o ls for usado sem nenhum Curinga. Agora para listar todos os arquivos teste1.txt, teste2.txt, teste3.txt com excessão de teste4.new, teste5.new, podemos usar inicialmente 3 métodos: 1. Usando o comando ls *.txt que pega todos os arquivos que começam com qualquer nome e terminam com.txt. 2. Usando o comando ls teste?.txt, que pega todos os arquivos que começam com o nome teste, tenham qualquer caracter no lugar do curinga? e terminem com.txt. Com o exemplo acima teste*.txt também faria a mesma coisa, mas se também tivessemos um arquivo chamado teste10.txt este também seria listado. 3. Usando o comando ls teste[1-3].txt, que pega todos os arquivos que começam com o nome teste, tenham qualquer caracter entre o número 1-3 no lugar da 6a letra e terminem com.txt. Neste caso se obtém uma filtragem mais exata, pois o curinga? especifica qualquer caracter naquela posição e [] especifica números, letras ou intervalo que será usado. Agora para listar somente teste4.new e teste5.new podemos usar os seguintes métodos: 1. ls *.new que lista todos os arquivos que terminam com.new 2. ls teste?.new que lista todos os arquivos que começam com teste, contenham qualquer caracter na posição do curinga? e terminem com.new. 3. ls teste[4,5].* que lista todos os arquivos que começam com teste contenham números de 4 e 5 naquela posição e terminem com qualquer extensão. Existem muitas outras formas de se fazer a mesma coisa, isto depende do gosto de cada um. O que pretendi fazer aqui foi mostrar como especificar mais de um arquivo de uma só vez. O uso de curingas será útil ao copiar arquivos, apagar, mover, renomear, e nas mais diversas partes do sistema. Alias esta é uma característica do GNU/Linux: permitir que a mesma coisa possa ser feita com liberdade de várias maneiras diferentes. 2.4 Arquivos de Log A maioria das atividades dos programas são registradas em arquivos localizados em /var/log. Estes arquivos de registros são chamados de logs e normalmente contém a data, hora e a mensagem emitida pelo programa(violações do sistema, mensagens de error, alerta e outros eventos). Alguns programas possuem um diretório com seu nome dentro de /var/log para melhor organização, devido a quantidade de arquivos de log gerados. Por exemplo, o servidor WEB Apache mantém seu arquivos em /var/log/apache.

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006. Resumo

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006. Resumo Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006 Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006. Resumo

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006. Resumo Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.45 - segunda, 30 de outubro de 2006 Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e

Leia mais

Linux. Wagner de Oliveira

Linux. Wagner de Oliveira Linux Wagner de Oliveira Um computador, uma mesa, um usuário. Duas pessoas não podem trabalhar em paralelo, executando o Microsoft Word na mesma máquina, simultaneamente. Windows 2003 Advanced Server +

Leia mais

Sistema Operacional LINUX

Sistema Operacional LINUX SISTEMA OPERACIONAL Sistema Operacional LINUX Para que o computador funcione e possibilite a execução de programas é necessária a existência de um sistema operacional. O sistema operacional é uma camada

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010. Resumo

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010. Resumo Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010 Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Curso Técnico em Redes de Computadores Disciplina de Sistemas Operacionais Livres SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Professora: Juliana Cristina dos Santos E-mail: professora@julianacristina.com Site:

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Conteúdo Programático Login e Logout Iniciando e Desligando o Sistema Tipos de arquivo Texto Binário Arquivos e Diretório Manipulação de

Leia mais

-------------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------------- Linux ------------------- ------------------------------------------------------------------------------- Resumo ------ Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um

Leia mais

Linux. Autor: Mauro Luiz Vivan Junior

Linux. Autor: Mauro Luiz Vivan Junior Linux Autor: Mauro Luiz Vivan Junior 1 Linux ------------------- ------------------------------------------------------------------------------- Resumo ------ Este documento tem por objetivo ser uma referência

Leia mais

Principais Comandos do Terminal no LINUX

Principais Comandos do Terminal no LINUX Principais Comandos do Terminal no LINUX Estes comandos não visam ser um compêndio completo de operação, haja vista que se possui mais comandos que esses aqui que serão listados, logo os comandos são:

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux Versão Intermediário ------------------------------------------------------------------

Guia Foca GNU/Linux Versão Intermediário ------------------------------------------------------------------ Guia Foca GNU/Linux Versão Intermediário ------------------------------------------------------------------ Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.45 - domingo, 31 de julho de 2005

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007. Resumo

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007. Resumo Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007 Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um

Leia mais

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL LINUX Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL Para que o computador funcione e possibilite a execução

Leia mais

Projeto de extensão Linux no Campus

Projeto de extensão Linux no Campus Projeto de extensão Linux no Campus Universidade Federal de Santa Maria Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação Evandro Bolzan Contatos: ebolzan@inf.ufsm.br, http://www.inf.ufsm.br/~ebolzan BUG BUG

Leia mais

Aula 02. Introdução ao Linux

Aula 02. Introdução ao Linux Aula 02 Introdução ao Linux Arquivos Central de Programas do Ubuntu A Central de Programas do Ubuntu é uma loja de aplicativos integrada ao sistema que permite-lhe instalar e desinstalar programas com

Leia mais

Conteúdo 1 Comandos Básicos. Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente?

Conteúdo 1 Comandos Básicos. Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente? Conteúdo 1 Comandos Básicos Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente? a) shutdawn b) shutdown t now c) shutdown r now d) shutdwon h now e) shutdown h now Questão 2: Que comando

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

Planejamento e Implantação de Servidores

Planejamento e Implantação de Servidores Planejamento e Implantação de Servidores Professor Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Aula 01 - Servidores Abordagem geral Teoria e práticas Servidores Linux Comandos Linux 2 Bibliografias da apoio

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Todos modems externos seriais são compatíveis com o Linux, pois, a porta serial do sistema é baseada no padrão Legacy.

Todos modems externos seriais são compatíveis com o Linux, pois, a porta serial do sistema é baseada no padrão Legacy. Configurando modems no Linux INTRODUÇÃO O Modem é um equipamento que transforma os sinais elétricos digitais em uma forma sonora transmitidas pela linha telefônica em um processo chamado Modulação. Analogamente,

Leia mais

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA 1 - Em um determinado servidor Linux, a saída do comando "df" aponta 100% de uso no "/". Isso significa que a(o): a) rede atingiu sua capacidade máxima de recepção.

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux GNU / Linux Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009 Conceitos Básico O S.O. é case sensitive, ou seja, sensível à caixa; Exemplo: o arquivo apple.txt é diferente do arquivo Apple.txt e podem conviver juntos

Leia mais

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto Sistemas Operacionais Aula 4 Comandos Básicos Linux Prof.: Roberto Franciscatto Prompt Ao iniciar o GNU/Linux, a primeira tarefa a ser executada é o login no sistema, o qual deve ser feito respondendo

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL FUNÇÃO:

SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL FUNÇÃO: SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br FUNÇÃO: GERENCIAR, ADMINISTRAR OS RECURSOS DA MÁQUINA. SISTEMA OPERACIONAL EXEMPLOS MS-DOS WINDOWS 3.1 WINDOWS 95 WINDOWS

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Objetivo: Instalar e configurar o sistema operacional Linux CentOS e efetuar suas configurações iniciais. 1- Abra o Virtuabox e clique em novo, e configure conforme

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4 Índice Introdução Librix...3 Software Livre...3 Manual Eletrônico...3 Opções de Suporte...3 Dicas para a Instalação Configuração de Dispositivos Básicos...4 Teclado...4 Mouse...5 Vídeo...5 Rede...6 Configuração

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

Entendendo o Sistema Operacinal. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Entendendo o Sistema Operacinal. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Entendendo o Sistema Operacinal Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Criando um Snapshot da Máquina Padrão Page 2 Criando um Snapshot da Máquina Padrão Page 3 Criando um

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação.

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação. Novell Linux Desktop www.novell.com 27 de setembro de 2004 INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Bem-vindo(a) ao Novell Linux Desktop O Novell Linux* Desktop (NLD) oferece um ambiente de trabalho estável e seguro equipado

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03 Prof. Gabriel Silva Temas da Aula de Hoje: Servidores Linux. Conceitos Básicos do Linux. Instalando Servidor Linux.

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Instalação e Configuração 1 Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Módulo

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Introdução ao Linux Comandos Ubuntu/Linux Michelle Nery Agenda Comandos do Sistema Comandos para Processos

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

Leia antes de instalar Mac OS X

Leia antes de instalar Mac OS X Leia antes de instalar Mac OS X Leia este documento antes de instalar o Mac OS X. Ele inclui informações sobre os computadores compatíveis, requisitos do sistema e como instalar o Mac OS X. Para obter

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

Conteúdo. Wariston Fernando Pereira. MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação;

Conteúdo. Wariston Fernando Pereira. MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação; Conteúdo Wariston Fernando Pereira MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação; Disciplinas: Sistemas de Informação; Estágio Supervisionado; Antes de Começarmos...

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002 Liberdade Manual de instalação Liberdade Manual de instalação Versão 1.0.0-31/10/2002 Versão 1.0.0-31/10/2002 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Apresentação do Curso 1 Objetivos do Curso Sistema Operacional Unix/Linux;

Leia mais

Guia do Sistema. =// GNU/Linux //= para o Usuário Desktop. Baseado no sistema. Slackware 11.0 / KDE 3.5. ### 4a. Edição ###

Guia do Sistema. =// GNU/Linux //= para o Usuário Desktop. Baseado no sistema. Slackware 11.0 / KDE 3.5. ### 4a. Edição ### Guia do Sistema =// GNU/Linux //= para o Usuário Desktop Baseado no sistema Slackware 11.0 / KDE 3.5 ### 4a. Edição ### Rio, 12 de Novembro de 2006. Copyright (C) 2002-2005 Ednei Pacheco de Melo. Permission

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Objetivos Detalhar conceitos sobre o sistema operacional Linux; Operar comandos básicos de sistemas Linux em modo Texto; Realizar a manutenção de arquivos

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010. Resumo

Guia Foca GNU/Linux. Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010. Resumo Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 5.65 - segunda, 12 de julho de 2010 Resumo Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um

Leia mais

Laboratório de Sistemas Operacionais

Laboratório de Sistemas Operacionais Laboratório de Sistemas Operacionais Módulo 1 Gerência de Memória e de Processos Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Comandos para gerenciamento de processos: top, htop, ps, kill,

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO O Linux se refere aos itens de hardware como dispositivos (devices), e os referencia como arquivos. Os arquivos de

Leia mais

Atualizando do Windows XP para o Windows 7

Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizar o seu PC do Windows XP para o Windows 7 requer uma instalação personalizada, que não preserva seus programas, arquivos ou configurações. Às vezes, ela

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 9-1. O KERNEL DO LINUX Nos sistemas GNU/Linux, todas as distribuições baseadas nos sistemas GNU/Linux existentes são compatíveis, graças ao uso de um kernel único desenvolvido por uma equipe de

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais Não-Proprietários II

Administração de Sistemas Operacionais Não-Proprietários II Faculdade Senac Porto Alegre - FSPOA Administração de Sistemas Operacionais Não-Proprietários II UC: Administração de Redes Aula 01 1/15 Faculdade Senac Porto Alegre - FSPOA Revisão 2/15 Linux e Distribuições

Leia mais

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Conteúdo Etapa 1: Saiba se o computador está pronto para o Windows 7... 3 Baixar e instalar o Windows 7 Upgrade Advisor... 3 Abra e execute o Windows 7

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

Guia de Instalação SIAM. Procedimento de Instalação do Servidor SIAM

Guia de Instalação SIAM. Procedimento de Instalação do Servidor SIAM Guia de Instalação SIAM Procedimento de Instalação do Servidor SIAM Documento Gerado por: Amir Bavar Criado em: 18/10/2006 Última modificação: 27/09/2008 Guia de Instalação SIAM Procedimento de Instalação

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Painel de Controle e Configurações

Painel de Controle e Configurações Painel de Controle e Configurações Painel de Controle FERRAMENTAS DO PAINEL DE CONTROLE: - Adicionar Hardware: Você pode usar Adicionar hardware para detectar e configurar dispositivos conectados ao seu

Leia mais

Guia Foca Linux Nível Iniciante

Guia Foca Linux Nível Iniciante Table of Contents Resumo...1 1.1 Sistema Operacional...1 1.2 O Linux...1 1.2.1 Algumas Características do Linux...2 1.3 Distribuições do Linux...5 1.4 Software Livre...9 1.5 Desligando o computador...10

Leia mais

AULA 5 Sistemas Operacionais

AULA 5 Sistemas Operacionais AULA 5 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professora: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Partições Formatação Fragmentação Gerenciamento

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

Introdução ao Linux: Parte I

Introdução ao Linux: Parte I Data: Introdução ao Linux: Parte I Marcelo Ribeiro Xavier da Silva marceloo@inf.ufsc.br Histórico 3 Origem do GNU Linux Em 1983, Richard Stallman fundou a Free Software Foundation, com o intuito de criar

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux Estrutura de um Sistema Linux Por ter sua origem universitária, a forma como o Linux foi concebido é de perfeito agrado para o seu estudo.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Tipos de Sistemas Operacionais Com o avanço dos computadores foram surgindo alguns tipos de sistemas operacionais que contribuíram para o desenvolvimento do software. Os tipos de

Leia mais

Guia Rápido de Instalação Ilustrado

Guia Rápido de Instalação Ilustrado Livre S.O. Guia Rápido de Instalação Ilustrado Introdução Este guia tem como objetivo auxiliar o futuro usuário do Livre S.O. durante o processo de instalação. Todo procedimento é automatizado sendo necessárias

Leia mais

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves 1 Introdução ao Linux e Instalação do Ubuntu Linux História Em 1973, um pesquisador da Bell Labs, Dennis Ritchie, reescreveu todo o sistema Unix numa

Leia mais

Conteúdo. Capítulo 1 Explicações Básicas. Hardware e Software. Arquivos. Extensão de arquivos. Tamanho de arquivos. Arquivo texto e binário.

Conteúdo. Capítulo 1 Explicações Básicas. Hardware e Software. Arquivos. Extensão de arquivos. Tamanho de arquivos. Arquivo texto e binário. Conteúdo Capítulo 1 Explicações Básicas Hardware e Software Arquivos Extensão de arquivos Tamanho de arquivos Arquivo texto e binário Diretório Diretório Raíz Diretório atual Diretório home Diretório Superior

Leia mais

Labgrad. Usúario: Senha: senha

Labgrad. Usúario: <matricula> Senha: senha Suporte A equipe do Suporte é responsável pela gerência da rede do Departamento de Informática, bem como da manutenção dos servidores da mesma, e também é responsável pela monitoria do LabGrad e do LAR.

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Fundamentos de Hardware Aula 3 - Software

Fundamentos de Hardware Aula 3 - Software Fundamentos de Hardware Aula 3 - Software Informática Setembro/2014 Roteiro Apresentação. BIOS Softwares de Manutenção Drivers. Sistemas Operacionais. Tema da Apresentação 15 de março de 2015 2 Apresentação

Leia mais

VirtuOS vrs. 4.00 para usuários da vrs. 3.01a R.10

VirtuOS vrs. 4.00 para usuários da vrs. 3.01a R.10 VirtuOS vrs. 4.00 para usuários da vrs. 3.01a R.10 Este documento resume as principais diferenças entre a vrs. 4.00 em relação à vrs. 3.01a R.10 do Sistema VirtuOS e se destina aos usuários que dela estão

Leia mais

Guia Foca GNU/Linux. Versão 3.98 - quinta, 19 de agosto de 2004. Abstract

Guia Foca GNU/Linux. Versão 3.98 - quinta, 19 de agosto de 2004. Abstract Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva Versão 3.98 - quinta, 19 de agosto de 2004 Abstract Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e

Leia mais

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20

Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 1/20 Tutorial para particionamento, instalação do Kurumin GNU/Linux 6.0 e configuração de boot loader. Tutorial Kurumin GNU/Linux 6.0 2/20 Introdução... 3 Requisitos... 4

Leia mais

Hardware e Software. Exemplos de software:

Hardware e Software. Exemplos de software: Hardware e Software O hardware é a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos. Em complemento ao

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013 1 2 INTRODUÇÃO A LINUX ADRIANO SILVEIRA ADR_SILVEIRA@YAHOO.COM.BR Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais Kernel núcleo do

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

Faculdades Senac Pelotas

Faculdades Senac Pelotas Faculdades Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Introdução a informática Alunos Daniel Ferreira, Ícaro T. Vieira, Licurgo Nunes Atividade 4 Tipos de Arquivos Sumário 1 Tipos

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Cronologia 1. 1969 Univ Berkeley, Califórnia, cria-se o SO UNIX para uso geral em grandes computadores 1. Década de 70

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional Curso de Linux Básico com o Felipe Buarque de Queiroz felipe.buarque@gmail.com Unidade Gestora de Tecnologia da Informação - UGTI Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Maio de 2009

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais