ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA"

Transcrição

1 ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

2 PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle ou interferência da / na produção. Por isso, eles eram nômades, ou seja, instalavam-se onde havia alimento e, quando este acabava, migravam para outras regiões.

3 PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle ou interferência da / na produção. Por isso, eles eram nômades, ou seja, instalavam-se onde havia alimento e, quando este acabava, migravam para outras regiões.

4

5 PRIMEIROS CAMPONESES Esses caçadores e coletores perceberam que as plantas produzem sementes e que estas tranformam-se em novas plantas. Ao cultivar, o ser humano passou a selecionar as plantas que traziam algum benefíci o para ele.

6 REVOLUÇÃO AGRÍCOLA A partir da descoberta do ciclo reprodutivo das plantas e das técnicas de cultivo e criação de animais, a vida do homem mudou extraordinariamente. De nômade, o homem passou a sedentário, já que agora poderia controlar os estoques de comida sem precisar mudar de lugar.

7 INDUSTRIALIZAÇÃO E REVOLUÇÃO VERDE Com a urbanização e a industrialização, a demanda por alimentos aumentou, tornando necessário o crescimento da produção agrícola. Existem duas formas para conseguir esse crescimento: Ampliação das terras produtivas Aumento da produtividade.

8 REVOLUÇÃO VERDE É, PORTANTO... O grande aumento da produção de alimentos causado pelo aumento da produtividade (consequência do aumento da produção) e da expansão das áreas de produção.

9 TERRAS PRODUTIVAS São as terras com potencial agrícola, ou seja, cujo solo é possível de receber um plantio produtivo. Exemplos de terras que não eram e passaram a ser produtivas: Deserto ou semi-áridos (Israel / Petrolina (PE)) Cerrado brasileiro

10 EX. DE AUMENTO DAS TERRAS PRODUTIVAS: CULTIVO NOS DESERTOS DE ISRAEL Fonte:http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,ERT ,00.html

11

12 PETROLINA SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO

13

14 EX. DE AUMENTO DAS TERRAS PRODUTIVAS: PETROLINA SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO

15

16 EX. DE EXPANSÃO DAS TERRAS AGRÍCOLAS: CERRADO BRASILEIRO Os solos do cerrado tem como característica a grande acidez, o que inviabiliza o cultivo das plantas com grande valor no mercado de exportação as commodities. Com as pesquisas da EMBRAPA Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias -, descobriu-se como corrigir os solos, o que deu início à transformação do cerrado em área de cultivo agrícola.

17 AUMENTO DA PRODUTIVIDADE Ou seja: ampliação do rendimento médio das plantas seja através de uma produção maior por safra (colheita) ou pelo aumento do número de colheitas por ano. Técnicas que aumentam a produtividade: uso de sementes especiais (modificadas geneticamente), irrigação, fertilizantes, agrotóxicos, mecanização etc.

18 CONSEQUÊNCIAS DA REVOLUÇÃO VERDE Aumento da produção de alimentos: hoje são produzidos 3 vezes mais comida que o necessário (contudo, ainda existem pessoas que não comem. Por quê?). Redução da vegetação original, substituída por pastagens (Desmatamento...) Contaminação dos solos e da água, devido ao uso de agrotóxicos e fertilizantes. Aumento da erosão e esgotamento dos solos. Aumento da produção das espécies que são matéria prima para a indústria, em detrimento de outras espécies tradicionais (veja os exemplos a seguir)

19 EX.: BATATAS PERUANAS ESPÉCIES DE BATATAS PERUANAS HOJE (4000 TIPOS DE BATATAS) BATATAS MAIS CONSUMIDAS NAS FEIRAS: 4 ESPÉCIES. QUAL A ESPÉCIE FAVORITA DO AGRONEGÓCIO (GRANDES PRODUTORES CAPITALISTAS NA AGRICULTURA)? AS QUATRO ESPÉCIES MAIS CONSUMIDAS...OS OUTROS TIPOS SOBREVIVEM GRAÇAS À AGRICULTURA DE SUBSISTÊNCIA. OU DEIXARÃO DE EXISTIR...

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle

Leia mais

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS AGRICULTURA: HISTÓRICO Os primeiros camponeses (habitantes do campo) foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos

Leia mais

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA

ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA ORIGEM DA AGRICULTURA E DA PECUÁRIA PRIMEIROS CAMPONESES Os primeiros camponeses foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos da natureza, sem qualquer controle

Leia mais

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO COMO ENTENDER A SITUAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL? COMO ENTENDER A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS NO BRASIL E NO MUNDO? Tipos de agropecuária: intensiva e extensiva Principais modelos

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I

Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I Milena Mendes Barra da Estiva Julho / 2015 AGRICULTURA I - Ementa Origem, histórico e evolução; Aspectos morfológicos e fisiológicos; Distribuição Geográfica;

Leia mais

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO Sistema Famato Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso. Criada em 1965, é a representante máxima da estrutura que compõe o Sistema Sindical Rural do Estado

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

Definição. O prefixo agro tem origem no latim agru que. significa terra cultivada ou cultivável. Assim define-se agricultura como sendo o conjunto

Definição. O prefixo agro tem origem no latim agru que. significa terra cultivada ou cultivável. Assim define-se agricultura como sendo o conjunto Definição O prefixo agro tem origem no latim agru que significa terra cultivada ou cultivável. Assim define-se agricultura como sendo o conjunto de técnicas desenvolvidas pelo ser humano com o objetivo

Leia mais

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo;

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; A agricultura A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; Paisagem agrária: É a forma de cultivo e a divisão dos campos; É condicionada por

Leia mais

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 2 o bimestre

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 2 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao segundo bimestre escolar ou à Unidade 2 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê Geografia 4 o ano Avaliação 2 o bimestre 1 Avaliação Geografia NOME: ESCOLA:

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 6º ANO PERCURSO 26 O EXTRATIVISMO MINERAL

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 6º ANO PERCURSO 26 O EXTRATIVISMO MINERAL COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 6º ANO PERCURSO 26 O EXTRATIVISMO MINERAL Tipos de Extrativismo Mineral 1 GARIMPAGEM Exploração de recursos minerais realizado de forma

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

5. O PAPEL DAS REGIÕES BRASILEIRAS NA ECONOMIA DO PAÍS

5. O PAPEL DAS REGIÕES BRASILEIRAS NA ECONOMIA DO PAÍS GEOGRAFIA 5. O PAPEL DAS REGIÕES BRASILEIRAS NA ECONOMIA DO PAÍS 1. Observe os mapas: Mapa 1 Fonte: IBGE. Atlas geográfico escolar. 6. ed. Rio de Janeiro, 2012. Adaptação. Parte integrante do livro didático

Leia mais

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Disciplina - Geografia 2 a Série Ensino Médio CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Professor: Gelson Alves Pereira 1- INTRODUÇÃO Revolução Neolítica Importância Em primeiro plano fornecer alimentos.

Leia mais

Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova. Prof. Matheus

Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova. Prof. Matheus Lembro a todos que estes slides não servem como embasamento TOTAL para a prova Prof. Matheus Agropecuária Prof. Matheus Agronegócio e Economia Modernização Agrária no Brasil: Séc. XX: diversificação e

Leia mais

Meio Rural X Meio Agrário:

Meio Rural X Meio Agrário: Introdução Rural X Urbano: Urbano: presença de construções (casas, prédios, comércio, escolas, hospitais, etc.); Rural: presença maior da natureza e atividades agrárias; Meio Rural X Meio Agrário: Rural:

Leia mais

MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA E ATIVIDADES NÃO-AGRÍCOLAS. META Demonstrar o caráter excludente da modernização tecnológica da agricultura brasileira.

MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA E ATIVIDADES NÃO-AGRÍCOLAS. META Demonstrar o caráter excludente da modernização tecnológica da agricultura brasileira. Aula MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA E ATIVIDADES NÃO-AGRÍCOLAS META Demonstrar o caráter excludente da modernização tecnológica da agricultura brasileira. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: identificar

Leia mais

Introdução. Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado.

Introdução. Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado. Economia- MS Introdução Neste livro o tema abordado será a economia de Mato Grosso do Sul, o qual, com dedicação dos autores, será explicado. Sumário Introdução...01 Quais são as elas?...03 Quais são elas?

Leia mais

Prof. Clésio Farrapo

Prof. Clésio Farrapo Prof. Clésio Farrapo Podemos dividir a área agrícola em dois tipos de Iavoura: cultura permanente e cultura temporária. No primeiro caso, as culturas Ievam mais de um ano para produzir; podem ser retiradas

Leia mais

NORDESTE. by Your User Name

NORDESTE. by Your User Name NORDESTE by Your User Name Clima Semiárido Baixas médias de pluviosidade anual, com altas temperaturas. Clima semiárido A existência desse clima se deve a dois fatores: 1. A barreira orográfica

Leia mais

Missão da Embrapa Semiárido

Missão da Embrapa Semiárido Experimentação Agrícola com Plantas Oleaginosas realizada pela Embrapa no Semiárido Pernambucano Marcos Antonio Drumond, drumond@cpatsa,embrapa.br Embrapa Semi-Árido, BR 428, Km 152, Zona Rural, 56302-970,

Leia mais

Exercícios Revolução Verde

Exercícios Revolução Verde Exercícios Revolução Verde 1. Considerando os conhecimentos sobre o espaço agrário brasileiro e os dados apresentados no gráfico, é correto afirmar que, no período indicado, *Soja, Trigo, Milho, Arroz

Leia mais

Organização produtiva - associativismo e cooperativismo

Organização produtiva - associativismo e cooperativismo Organização produtiva - associativismo e cooperativismo Dinâmica dos palitos Fábio Gelape Faleiro Dinâmica da Cruz Organização para compra de insumos Organização para a venda da produção Busca de informações

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

pelo agricultor 3 etapas para tomada de decisão Produzido sob a orientação de Alexandre Mendonça de Barros

pelo agricultor 3 etapas para tomada de decisão Produzido sob a orientação de Alexandre Mendonça de Barros www.portalsyngenta.com.br 3 etapas para tomada de decisão pelo agricultor Produzido sob a orientação de Alexandre Mendonça de Barros E-book complementar ao webinar O mundo Agro e a Economia 3 etapas para

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CICLO DE VIDA NA ÁREA DE AGRICULTURA. Marília Folegatti Embrapa Meio Ambiente

AVALIAÇÃO DE CICLO DE VIDA NA ÁREA DE AGRICULTURA. Marília Folegatti Embrapa Meio Ambiente AVALIAÇÃO DE CICLO DE VIDA NA ÁREA DE AGRICULTURA Marília Folegatti Embrapa Meio Ambiente Sumário Importância da agricultura brasileira. Importância dos estudos de ACV para o agronegócio brasileiro. Diferenças

Leia mais

Tabela 1. Dados comparativos da safra anterior em relação à atual.

Tabela 1. Dados comparativos da safra anterior em relação à atual. 11º Levantamento da Safra Baiana de Grãos De acordo com o décimo primeiro levantamento (realizado entre os dias 24 a 28 de julho de 2017), estima-se que nessa safra sejam colhidas 8.032,3 mil toneladas

Leia mais

O que é o Crea-SP Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo Fiscalização

O que é o Crea-SP Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo Fiscalização O que é o Crea-SP Crea-SP é a sigla que identifica o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo - o maior Conselho de Fiscalização de Exercício Profissional da América Latina e

Leia mais

Aula Ao Vivo(18/04/2013) - Geografia Agrária do Brasil

Aula Ao Vivo(18/04/2013) - Geografia Agrária do Brasil Aula Ao Vivo(18/04/2013) - Geografia Agrária do Brasil IFCE 1 - O agronegócio, também conhecido por seu nome em inglês "agribusiness", cujas cadeias produtivas se baseiam na agricultura e na pecuária,

Leia mais

Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade

Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade AGRICULTURA E PECUÁRIA Percursos 27 e 28 Expedições Geográficas - 6ºano Profª Bruna Andrade AGRICULTURA CONDIÇÕES NATURAIS: Apesar do grande desenvolvimento técnico e científico ela ainda depende do solo,

Leia mais

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb -ECOLOGIA APLICADA * É o estudo dos efeitos causados pelo homem nos sistemas ecológicos, e o consequente manejo desses sistemas e recursos em benefício da sociedade. Espécies símbolos Questões Prevenção

Leia mais

Grãos no Brasil Desafios e Oportunidades Futuros Luiz Lourenço. Maringá (PR) Agosto 2012

Grãos no Brasil Desafios e Oportunidades Futuros Luiz Lourenço. Maringá (PR) Agosto 2012 Grãos no Brasil Desafios e Oportunidades Futuros Luiz Lourenço Maringá (PR) Agosto 2012 Evolução da Cadeia Produtiva do Agronegócio 1. Brasil e Grãos (1976/77 a 2012/13) Nesses anos: Recordes sucessivos

Leia mais

Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na

Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na Transgênicos Objetivo da Aula agricultura. Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na Organismos transgênicos ou Organismos Geneticamente Modificados (OGM) são

Leia mais

Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil

Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil AGRICULTURA Conceito: técnica de plantio e uso do solo. Objetivos: alimentação, matéria-prima;. FATORES

Leia mais

Arthur Santos nº 03 Giovanna Macedo nº11 Gustavo Tinen nº13 João Pedro Oliveira nº17 Maria Eduarda de Godoi nº24 Matheus Souza nº25

Arthur Santos nº 03 Giovanna Macedo nº11 Gustavo Tinen nº13 João Pedro Oliveira nº17 Maria Eduarda de Godoi nº24 Matheus Souza nº25 Arthur Santos nº 03 Giovanna Macedo nº11 Gustavo Tinen nº13 João Pedro Oliveira nº17 Maria Eduarda de Godoi nº24 Matheus Souza nº25 Os Estados Unidos possuem uma grande extensão territorial, e grande parte

Leia mais

O AGRONEGÓCIO E AS RELAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS NO SUDOESTE GOIANO

O AGRONEGÓCIO E AS RELAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS NO SUDOESTE GOIANO O AGRONEGÓCIO E AS RELAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS NO SUDOESTE GOIANO Roberto Eduardo Castillo Pizarro 1 Introdução O Sudoeste Goiano é sem dúvida, a região do estado de Goiás com maior dinâmica associada ao

Leia mais

Atividade Agrária no Brasil e no mundo. Prof. Andressa Carla

Atividade Agrária no Brasil e no mundo. Prof. Andressa Carla Atividade Agrária no Brasil e no mundo Prof. Andressa Carla Solo- toda camada da litosfera, formada por rochas onde se desenvolve a vida microbriana. Clima- influencia no tipo de cultivo. O uso de tecnologia

Leia mais

GEOGRAFIA AGRÁRIA CACD. Professor Rodolfo Visentin.

GEOGRAFIA AGRÁRIA CACD. Professor Rodolfo Visentin. GEOGRAFIA AGRÁRIA CACD Professor Rodolfo Visentin. QUE É GEOGRAFIA AGRÁRIA A estrutura agrária reúne as condições sociais e fundiárias de um espaço, envolvendo aspectos referentes á legalidade das terras,

Leia mais

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão O ESPAÇO RURAL E A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA PROFº CLAUDIO F GALDINO - GEOGRAFIA AGRICULTURA É o cultivo de espécies de plantas FINALIDADES: Produção de: ALIMENTOS

Leia mais

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul.

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul. PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 7º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - PARTE 1 ============================================================================================= 01- Analise

Leia mais

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral 0 Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral Paulo Rodrigo Santos de Souza Zootecnista, Msc. Produção Animal 1 Pecuária Brasileira no Mundo Brasil é o maior

Leia mais

1) (FGV-SP) Analise o mapa.

1) (FGV-SP) Analise o mapa. Aula ao vivo de geografia 19/03/2014 Revolução Verde e a questão agrária no Brasil 1) (FGV-SP) Analise o mapa. O produto destacado no mapa é: a) a cana-de-açúcar. b) o algodão. c) o café. d) o feijão.

Leia mais

A ATIVIDADE AGRÍCOLA

A ATIVIDADE AGRÍCOLA A ATIVIDADE AGRÍCOLA AGRICULTURA Atividade que consiste no plantio de sementes e na colheita de vegetais. PECUÁRIA Atividade que consiste na criação de rebanhos. AGROPECUÁRIA Junção das atividades rurais:

Leia mais

O ESPAÇO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE ESPERANÇA/PB: DESAFIOS E PERSPECTIVAS À AUTO-SUSTENTABILIDADE NO ASSENTAMENTO RURAL CARRASCO

O ESPAÇO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE ESPERANÇA/PB: DESAFIOS E PERSPECTIVAS À AUTO-SUSTENTABILIDADE NO ASSENTAMENTO RURAL CARRASCO O ESPAÇO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE ESPERANÇA/PB: DESAFIOS E PERSPECTIVAS À AUTO-SUSTENTABILIDADE NO ASSENTAMENTO RURAL CARRASCO Autor: Crisólogo Vieira de Souza Graduando do Curso de Licenciatura

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis Competências a serem trabalhadas nesta aula Conhecer o segmento econômico da Agroindústria

Leia mais

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica 10º Congresso Brasileiro de Algodão Foz do Iguaçu - PR, Setembro/2015 OBJETIVOS Discutir

Leia mais

Agricultura no Brasil. Luciano Teixeira

Agricultura no Brasil. Luciano Teixeira LUCIANO TEIXEIRA Agricultura no Brasil Luciano Teixeira Agricultura Extensiva Caracterizada geralmente pelo uso de técnicas rudimentares ou tradicionais na produção. Normalmente é utilizada para mercado

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL CHEFE DO DEPARTAMENTO: PROF. PEDRO CHRISTOFOLLETTI DISCIPLINA LPV 0480 FLORICULTURA E PLANTAS ORNAMENTAIS : PROF. PAULO HERCÍLIO OLERICULTURA : PROF. PAULO CESAR PROF.

Leia mais

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE TOMATE NO NORDESTE.

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE TOMATE NO NORDESTE. O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE TOMATE NO NORDESTE Ano 4 2010 Nº 21 O nosso negócio é o desenvolvimento

Leia mais

RUI MANGIERI A AGROPECUÁRIA NO MUNDO

RUI MANGIERI A AGROPECUÁRIA NO MUNDO RUI MANGIERI A AGROPECUÁRIA NO MUNDO A agropecuária na América Anglo- Saxônica I- Os norte-americanos são os principais representantes da agropecuária comercial no mundo,com cultivos e criações intensamente

Leia mais

Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono

Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DA AGRICULTURA DIVISÃO DE POLÍTICA, PRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO COORDENAÇÃO DO PLANO ABC NO RIO GRANDE DO SUL Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono -Plano

Leia mais

A Origem da Agricultura. (A Agronomia e seu estado-da-arte)

A Origem da Agricultura. (A Agronomia e seu estado-da-arte) A Origem da Agricultura (A Agronomia e seu estado-da-arte) O Planeta Terra Quais os aspectos diferenciadores? As plantas A população Sem o ser humano? Sem as plantas? Oxigênio Comida Roupas Corantes Ceras

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA SOJA E MILHO NA REGIÃO DA ALTA MOGIANA

A IMPORTÂNCIA DA SOJA E MILHO NA REGIÃO DA ALTA MOGIANA 7 A IMPORTÂNCIA DA SOJA E MILHO NA REGIÃO DA ALTA MOGIANA ISSUE DOI 10.3738/1982.2278.288 CLEMENTE FILHO, Arlindo 1 LEÃO, Paulo César da Luz 2 LOPES, Luis Gustavo 3 INTRODUÇÃO A região da Alta Mogiana

Leia mais

Migração da Agricultura no Brasil

Migração da Agricultura no Brasil Migração da Agricultura no Brasil Expansão da Agricultura Dos Anos 1960 aos 1990 Fonte: MAPA,. Escola Superior de Guerra, Agosto de 2013 Evolução e Expansão da Soja no Brasil 1960 1975 2006 1960 1975 1980

Leia mais

Marco Abreu dos Santos

Marco Abreu dos Santos Módulo 07 Capítulo 2 As paisagens rurais e os sistemas agrários Marco Abreu dos Santos marcoabreu@live.com www.professormarco.wordpress.com Organização do espaço agrário Quase todos os países do planeta

Leia mais

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária

Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Responsabilidade ambiental na produção agropecuária Sumário Análise de conjuntura; Impactos das atividades agropecuárias sobre o meio ambiente; Responsabilidade ambiental; Boas práticas produtivas. Organograma

Leia mais

ESPAÇO AGRÁRIO: AGRONEGÓCIO E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO

ESPAÇO AGRÁRIO: AGRONEGÓCIO E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO ESPAÇO AGRÁRIO: AGRONEGÓCIO E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO CONTEÚDOS Agronegócio e agricultura familiar Complexos agroindustriais Revolução Verde e biotecnologia AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS O espaço agropecuário

Leia mais

Carteira de projetos Manejo da cultura do feijão-comum

Carteira de projetos Manejo da cultura do feijão-comum Carteira de projetos Manejo da cultura do feijão-comum Goiânia, 20 de março de 2013 Objetivo Desenvolver e disponibilizar tecnologia para produção com uso eficiente de recursos e que assegurem a sustentabilidade

Leia mais

VEGETAÇÃO BRASILEIRA. DIVIDE-SE EM: 1) Formações florestais ou arbóreas 2) Formações arbustivas e herbáceas 3) Formações complexas e litorâneas

VEGETAÇÃO BRASILEIRA. DIVIDE-SE EM: 1) Formações florestais ou arbóreas 2) Formações arbustivas e herbáceas 3) Formações complexas e litorâneas VEGETAÇÃO BRASILEIRA DIVIDE-SE EM: 1) Formações florestais ou arbóreas 2) Formações arbustivas e herbáceas 3) Formações complexas e litorâneas Floresta Amazônica ou Equatorial Características: Latifoliada,

Leia mais

Conjunturas do Mercado Cafeeiro

Conjunturas do Mercado Cafeeiro O U T U B R O, 2 0 1 6 NELSON CARVALHAES PRESIDENTE CECAFÉ Conjunturas do Mercado Cafeeiro Brasil é o maior caso de sucesso no mundo do café Panorama Café foi introduzido em 1727 Área recorde de 4,9 milhões

Leia mais

Agricultura e Recursos Hídricos

Agricultura e Recursos Hídricos Agricultura e Recursos Hídricos Uma visão territorial José Dilcio Rocha, Eng. Qui. Dr. Área de Transferência de Tecnologia Rafael Mingoti, Eng. Agr. Dr. Supervisor do Núcleo de Análises Técnicas Embrapa

Leia mais

Mercado e comercialização

Mercado e comercialização Cultivo do Milho Economia da Produção Zoneamento Agrícola Clima e Solo Ecofisiologia Manejo de Solos Fertilidade de Solos Cultivares Plantio Irrigação Plantas daninhas Doenças Pragas Colheita e pós-colheita

Leia mais

Importância do Manejo de Solos

Importância do Manejo de Solos CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO IMPORTÂNCIA DO SOLO O seu uso adequado, além de garantir o suprimento de água para Importância do Manejo de Solos as culturas, criações e comunidades; previne a erosão

Leia mais

MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL

MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL Eleusio Curvelo Freire - Cotton Consultoria Wat sap 83-981555398 POR QUE USAR MELHORES PRATICAS DE MANEJO NO BRASIL? ASPECTOS TECNICOS Reduzir disparidades

Leia mais

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Eduardo Correa Riedel Vice-Presidente e Diretor da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA Relações Brasil -

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Col.Naval 2014) Leia o trecho a seguir. Um dos graves problemas que o Brasil vem enfrentando desde 2001 é a crise de energia com ameaças dos apagões. Para minimizar tal preocupação, muito se fala na

Leia mais

Importância e objetivos do melhoramento de plantas

Importância e objetivos do melhoramento de plantas Universidade Federal de Rondônia Curso de Eng. Florestal Melhoramento genético Florestal Importância e objetivos do melhoramento de plantas Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Introdução

Leia mais

Palavras-Chave: Adubação mineral. Adubação orgânica. Cama de Peru. Glycine max.

Palavras-Chave: Adubação mineral. Adubação orgânica. Cama de Peru. Glycine max. RENDIMENTO DE SOJA (GLICINE MAX) SUBMETIDO A SUBISTITUIÇÃO DO ADUBO QUIMICO POR CAMA DE PERU Leonardo Citelli Dias 1, Rejane Aparecida de Carvalho Pohlmann 1 Egresso do Curso de Agronomia UNIFIMES, Rua

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA Antonio Carlos Centeno Cordeiro Eng. Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o agronegócio

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MELHORAMENTO VEGETAL. Prof. Olayr Modesto Jr.

INTRODUÇÃO AO MELHORAMENTO VEGETAL. Prof. Olayr Modesto Jr. INTRODUÇÃO AO MELHORAMENTO VEGETAL Prof. Olayr Modesto Jr. DEFINIÇÃO Melhoramento de plantas é arte e ciência, aplicadas em processos que buscam alterar geneticamente as plantas de modo a atender às necessidades

Leia mais

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 Linha Risco Beneficiários (1) Finalidade Limites (R$) Juros Prazo/Carência CUSTEIO Pronaf Custeio Grupo "A/C" (2) /FCO Assentados da Reforma Agrária

Leia mais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia Agroecologia Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Capítulo

Leia mais

Revisão. Geografia - Thiago Rebouças

Revisão. Geografia - Thiago Rebouças Revisão Geografia - Thiago Rebouças Transição do sistema Feudalista para Capitalista O avanço tecnológico da época foi responsável pelo fim do feudalismo como sistema econômico, político e social. A evolução

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 1 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 CONSÓRCIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA: COMPREENDENDO OS RISCOS DO ESTRESSE HÍDRICO NA

Leia mais

COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA

COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA COMPARATIVO DE LUCRATIVIDADE ENTRE O PLANTIO DE MILHO SEQUEIRO/SOJA E O ARRENDAMENTO DA ÁREA Mariana S. de Proença 1, Leonel J. Ribeiro 2, Maria C. Ferrari 3, Flavia C. Cavalini 4 1 Graduanda em Agronegócio,

Leia mais

Propriedade Intelectual no Campo

Propriedade Intelectual no Campo Propriedade Intelectual no Campo Departamento de Propriedade Intelectual e Tecnologia da Agropecuária /DEPTA/ SDC/MAPA Roberto Lorena B. Santos Grãos Produção Se o Brasil mantivesse a mesma tecnologia

Leia mais

PROTAGONISMO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO: ASPECTOS JURÍDICOS

PROTAGONISMO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO: ASPECTOS JURÍDICOS PROTAGONISMO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO: ASPECTOS JURÍDICOS RENATO BURANELLO Doutor e mestre em Direito Comercial pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Graduado em Ciências Jurídicas

Leia mais

Brasil: características naturais - litosfera. Páginas 12 à 27

Brasil: características naturais - litosfera. Páginas 12 à 27 Brasil: características naturais - litosfera Páginas 12 à 27 Refúgio Ecológico Caiman Miranda - MS Parque Nacional do Monte Roraima - RR Serra dos Órgãos Teresópolis - RJ Parque Nacional dos Aparados da

Leia mais

6.4 O CONSUMO DOS RECURSOS NATURAIS E OS SEUS IMPACTOS

6.4 O CONSUMO DOS RECURSOS NATURAIS E OS SEUS IMPACTOS 6.4 O CONSUMO DOS RECURSOS NATURAIS E OS SEUS IMPACTOS O consumo dos recursos naturais e os seus impactos A crescente pressão sobre o consumo é provocada por: Aumento populacional Exigência dos padrões

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU

RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM DEGRADADA ATRAVÉS DO CONSÓRCIO COM FEIJÃO GUANDU Josiane da Silva Costa¹, Ana Carolina Alves² ¹Acadêmica do Curso de Agronomia da UEMS, Unidade Universitária de Cassilândia; E-mail:

Leia mais

Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima

Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima Características e Desempenho Produtivo de Cultivares de Arroz de Terras Altas Recomendadas para Roraima Antonio Carlos Centeno Cordeiro. Eng. Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o cultivo

Leia mais

Apoio ao Desenvolvimento das Cadeias Produtivas Agrícolas: Cadeia Produtiva do Caju

Apoio ao Desenvolvimento das Cadeias Produtivas Agrícolas: Cadeia Produtiva do Caju Apoio ao Desenvolvimento das Cadeias Produtivas Agrícolas: Cadeia Produtiva do Caju Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuário Coordenador de Produção Integrada da Cadeia Agrícola

Leia mais

Bibliografia. EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p.

Bibliografia. EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p. Bibliografia EPAGRI A cultura do feijão em Santa Catarina. Florianópolis, 1992, 285p. Sartoratto, A.; Rava, C.A. Principais doenças do feijoeiro e seu controle. EMBRAPA, 1994, 300p. Feijão no inverno.

Leia mais

Trabalho no campo ou no meio rural

Trabalho no campo ou no meio rural Trabalho no campo ou no meio rural Compreender o que é o trabalho rural passa, antes, por uma compreensão sócioeconômica e histórica deste contexto Herança colonial Exploração do ser humano e da natureza

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO: Prestar assistência e consultoria técnicas, orientando diretamente produtores sobre produção agropecuária, comercialização e procedimentos

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGA 2 a edição revisada e ampliada Embrapa Informação

Leia mais

HISTÓRICO DE DADOS. Evolução da área de cana cultivada. Milhões de ha. Fonte de dados safra 2003 a 2013: INPE

HISTÓRICO DE DADOS. Evolução da área de cana cultivada. Milhões de ha. Fonte de dados safra 2003 a 2013: INPE INÍCIO O Canasat é o único projeto brasileiro de monitoramento agrícola com imagens de satélite em escala regional. Foi desenvolvido em 2003 pela nossa equipe em sua passagem pelo Instituto Nacional de

Leia mais

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios Movimento dos Pequenos Agricultores MPA Raul Ristow Krauser www.mpabrasil.org.br MUNDO EM CRISE Crise Alimentar: 1 Bilhão de pessoas famintas

Leia mais

VARIEDADES PARA A PRODUÇÃO DE UVAS SEM SEMENTES NO NORDESTE BRASILEIRO. Patrícia Coelho de Souza Leão¹; Emanuel Élder Gomes da Silva²

VARIEDADES PARA A PRODUÇÃO DE UVAS SEM SEMENTES NO NORDESTE BRASILEIRO. Patrícia Coelho de Souza Leão¹; Emanuel Élder Gomes da Silva² VARIEDADES PARA A PRODUÇÃO DE UVAS SEM SEMENTES NO NORDESTE BRASILEIRO Patrícia Coelho de Souza Leão¹; Emanuel Élder Gomes da Silva² 1 Eng. Agr, M.Sc., Pesquisadora Embrapa Semi-Árido, BR 428, Km 152,

Leia mais

Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP

Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP Diretoria de Agronegócios Gerag São Paulo Safra 2012/2013 Programa ABC Agricultura de Baixo Carbono ABC - Mitigar a Emissões de GEE pela Agropecuária

Leia mais

DEFACIONAMENTO DE SÉRIE TEMPORAL DO PREÇO DA SOJA NEGOCIADA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 INTRODUÇÃO

DEFACIONAMENTO DE SÉRIE TEMPORAL DO PREÇO DA SOJA NEGOCIADA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 INTRODUÇÃO DEFACIONAMENTO DE SÉRIE TEMPORAL DO PREÇO DA SOJA NEGOCIADA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL André Luiz Martins Jeronimo 1, Ricardo Ghantous Cervi 2 Paulo André de Oliveira 3 Sergio Augusto Rodrigues 4 1

Leia mais

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO Equipe Técnica Responsável técnico RURALTINS Carlos Rodrigo Xavier Oliveira Técnico/Tecnólogo em Agropecuária Responsável técnico EMBRAPA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: I e II Faculdade responsável: Agronomia Matriz 120 Programa em vigência

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo

Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo Hortaliças: Importância e Cultivo Werito Fernandes de Melo Importância do agronegócio para o Brasil. Algodão produção de 1,2 milhões/t em 2004 (5º); cresceu 22% em 2003; exportações em de 400 mil t (3º);

Leia mais

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE Marcos Antônio Drumond 1, José Barbosa dos Anjos 1, Máira Milani 2, Luiz Balbino Morgado 1, e José Monteiro

Leia mais

Cultivo do Milheto. Sumário. Importância econômica. Apresentação. Importância econômica. Produção

Cultivo do Milheto. Sumário. Importância econômica. Apresentação. Importância econômica. Produção Sumário Importância econômica Cultivo do Milheto Embrapa Milho e Sorgo Sistemas de Produção,3 ISSN 1679-012X Versão Eletrônica - 1 ª edição Set./2009 João Carlos Garcia Jason de Oliveira Duarte Apresentação

Leia mais