CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS )"

Transcrição

1 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS ) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC estrutural teórica Ensaios de compressão em paredes ou pilares Provas de carga em lajes, sistemas de pisos, coberturas, terraços etc. Solicitações mecânicas em guarda-corpos Impactos de corpo mole (fachadas, divisórias, portas, pilares, painéis, lajes de piso, coberturas acessíveis) Impactos de corpo duro (paredes, estrutura, revestimentos, pisos etc) Capacidade de suporte de peças suspensas (paredes e tetos) Carga lateral uniformemente distribuída em paredes e esquadrias Fechamento brusco de portas, Fechamento de portas c/ obstrução Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de portas Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de janelas Resistência de coberturas / telhados sob ação do vento Ação do granizo e outras cargas acidentais em telhados 282

2 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB estrutural teórica Ensaios de compressão em paredes ou pilares Provas de carga em lajes, sistemas de pisos, coberturas, terraços etc. Solicitações mecânicas em guarda-corpos Impactos de corpo mole (fachadas, divisórias, portas, pilares, painéis, lajes de piso, coberturas acessíveis) Impactos de corpo duro (paredes, estrutura, revestimentos, pisos etc) Capacidade de suporte de peças suspensas (paredes e tetos) Carga lateral uniformemente distribuída em paredes e esquadrias Fechamento brusco de portas, Fechamento de portas c/ obstrução Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de portas Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de janelas Resistência de coberturas / telhados sob ação do vento Ação do granizo e outras cargas acidentais em telhados 283

3 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC Centro Cerâmico do Brasil - CCB estrutural teórica Ensaios de compressão em paredes ou pilares Provas de carga em lajes, sistemas de pisos, coberturas, terraços etc. Solicitações mecânicas em guarda-corpos Impactos de corpo mole (fachadas, divisórias, portas, pilares, painéis, lajes de piso, coberturas acessíveis) Impactos de corpo duro (paredes, estrutura, revestimentos, pisos etc) Capacidade de suporte de peças suspensas (paredes e tetos) Carga lateral uniformemente distribuída em paredes e esquadrias Fechamento brusco de portas, Fechamento de portas c/ obstrução Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de portas Segurança no manuseio / manobra de diferentes tipos de janelas Resistência de coberturas / telhados sob ação do vento Ação do granizo e outras cargas acidentais em telhados 284

4 CAPACITAÇÃO SEGURANÇA AO FOGO (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS E OUTROS) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos - EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Análises de projeto, análises teórico-experimentais Resistência ao fogo de paredes, divisórias, portas corta-fogo, portas de elevadores etc Resistência ao fogo de coberturas, lajes e outros elementos horizontais Propagação de chamas componentes das estruturas, paredes, revestimentos Propagação de chamas de pisos, forros, subcoberturas, superfície superior de coberturas e outros Densidade ótica de fumaça Incombustibilidade Ignitibilidade Reação ao fogo (propagação de chamas - visual, elevação de temperatura, densidade de fumaça) po de cobertura - 285

5 CAPACITAÇÃO SEGURANÇA AO FOGO (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Análises de projeto, análises teórico-experimentais Resistência ao fogo de paredes, divisórias, portas corta-fogo, portas de elevadores etc Resistência ao fogo de coberturas, lajes e outros elementos horizontais Propagação de chamas componentes das estruturas, paredes, revestimentos Propagação de chamas de pisos, forros, subcoberturas, superfície superior de coberturas e outros Densidade ótica de fumaça Incombustibilidade Ignitibilidade Reação ao fogo (propagação de chamas - visual, elevação de temperatura, densidade de fumaça) po de cobertura - 286

6 CAPACITAÇÃO SEGURANÇA AO FOGO (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Análises de projeto, análises teórico-experimentais Resistência ao fogo de paredes, divisórias, portas corta-fogo, portas de elevadores etc Resistência ao fogo de coberturas, lajes e outros elementos horizontais Propagação de chamas componentes das estruturas, paredes, revestimentos Propagação de chamas de pisos, forros, subcoberturas, superfície superior de coberturas e outros Densidade ótica de fumaça Incombustibilidade Ignitibilidade Reação ao fogo (propagação de chamas - visual, elevação de temperatura, densidade de fumaça) po de cobertura - 287

7 CAPACITAÇÃO ESTANQUEIDADE À ÁGUA (PAREDES, CAIXILHOS, COBERTURAS, PISOS ETC.) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Análise de projeto Ensaio de estanqueidade à água de paredes de fachada e paredes internas em áreas molhadas - de à água de paredes internas e externas Ensaio de estanqueidade à água de janelas Ensaio de estanqueidade à água de coberturas / telhados Estanqueidade à água ascendente em pisos Ensaio de estanqueidade à água de pisos em áreas molhadas Estanqueidade de instalações 288

8 CAPACITAÇÃO ESTANQUEIDADE À ÁGUA (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Análise de projeto Ensaio de estanqueidade à água de paredes de fachada e paredes internas em áreas molhadas - de à água de paredes internas e externas Ensaio de estanqueidade à água de janelas Ensaio de estanqueidade à água de coberturas / telhados Estanqueidade à água ascendente em pisos Ensaio de estanqueidade à água de pisos em áreas molhadas Estanqueidade de instalações 289

9 CAPACITAÇÃO ESTANQUEIDADE À ÁGUA (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Análise de projeto Ensaio de estanqueidade à água de paredes de fachada e paredes internas em áreas molhadas - de à água de paredes internas e externas Ensaio de estanqueidade à água de janelas Ensaio de estanqueidade à água de coberturas / telhados Estanqueidade à água ascendente em pisos Ensaio de estanqueidade à água de pisos em áreas molhadas Estanqueidade de instalações 290

10 CAPACITAÇÃO DURABILIDADE (ESTRUTURA, FACHADAS, COBERTURAS, PISOS E OUTROS) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Alterações de cor, aparência e propriedades de produtos sob exposição ambiental - dação de rochas, materiais pétreos, madeiras Corrosão de metais / estruturas metálicas Corrosão de armaduras ensaios em campo ou laboratório Reações expansivas em concretos e argamassas (RAA, ação de sulfatos) Ensaios de durabilidade de sistemas de pinturas Ensaio de choque térmico Durabilidade frente à ação do calor e da umidade (portas de madeira, divisórias etc) Ciclos de abertura e fechamento de portas e janelas (para os diferentes tipos de portas e janelas) Resistência ao desgaste por abrasão pisos pétreos Resistência ao desgaste por abrasão pisos esmaltados Resistência ao desgaste por abrasão pisos laminados, vinílicos, carpetes 291

11 CAPACITAÇÃO DURABILIDADE (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Alterações de cor, aparência e propriedades de produtos sob exposição ambiental - dação de rochas, materiais pétreos, madeiras Corrosão de metais / estruturas metálicas Corrosão de armaduras ensaios em campo ou laboratório Reações expansivas em concretos e argamassas (RAA, ação de sulfatos) Ensaios de durabilidade de sistemas de pinturas Ensaio de choque térmico Durabilidade frente à ação do calor e da umidade (portas de madeira, divisórias etc) Ciclos de abertura e fechamento de portas e janelas (para os diferentes tipos de portas e janelas) Resistência ao desgaste por abrasão pisos pétreos Resistência ao desgaste por abrasão pisos esmaltados Resistência ao desgaste por abrasão pisos laminados, vinílicos, carpetes 292

12 CAPACITAÇÃO DURABILIDADE (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Alterações de cor, aparência e propriedades de produtos sob exposição ambiental - dação de rochas, materiais pétreos, madeiras Corrosão de metais / estruturas metálicas Corrosão de armaduras ensaios em campo ou laboratório Reações expansivas em concretos e argamassas (RAA, ação de sulfatos) Ensaios de durabilidade de sistemas de pinturas Ensaio de choque térmico Durabilidade frente à ação do calor e da umidade (portas de madeira, divisórias etc) Ciclos de abertura e fechamento de portas e janelas (para os diferentes tipos de portas e janelas) Resistência ao desgaste por abrasão pisos pétreos Resistência ao desgaste por abrasão pisos esmaltados Resistência ao desgaste por abrasão pisos laminados, vinílicos, carpetes 293

13 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO TÉRMICO E LUMÍNICO (PAREDES, COBERTURAS E PISOS) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Análise de projeto considerando dias típicos de verão e de inverno, local da obra, orientação das fachadas, tipo de janelas, etc Avaliação do desempenho térmico / medições em protótipos Ensaios de condutibilidade térmica de materiais Emissividade de superfícies à radiação solar Ensaios de transmitância e Avaliação do desempenho lumínico / medições em protótipos 294

14 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO TÉRMICO E LUMÍNICO (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Análise de projeto - derando dias típicos de verão e de inverno, local da obra, orientação das fachadas, tipo de janelas, etc Avaliação do desempenho térmico / medições em protótipos Ensaios de condutibilidade térmica de materiais Emissividade de superfícies à radiação solar Ensaios de transmitância e Avaliação do desempenho lumínico / medições em protótipos 295

15 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO TÉRMICO E LUMÍNICO (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Análise de projeto considerando dias típicos de verão e de inverno, local da obra, orientação das fachadas, tipo de janelas, etc Avaliação do desempenho térmico / medições em protótipos Ensaios de condutibilidade térmica de materiais Emissividade de superfícies à radiação solar Ensaios de transmitância e Avaliação do desempenho lumínico / medições em protótipos 296

16 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ACÚSTICO (PAREDES, CAIXILHOS, COBERTURAS, PISOS ETC) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de paredes, portas, janelas e outros Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de lajes de piso, forros, carpetes e outros Medições de campo ou laboratório - isolação ao ruído de impacto em lajes de piso/ entrepisos. Medições de campo ou laboratório - isolação ao ruído de impacto em lajes de piso / entrepisos Atenuação e absorção acústica de pequenas amostras Ruído aéreo ambiente (aeroportos, avenidas, estradas etc) Mapeamento de ruído aéreo em campo ou no interior de edifícios Análise teórica / simulação da qualidade acústica de ambientes Análise teórica / simulação da propagação de som aéreo em ambientes abertos / ruído urbano 297

17 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ACÚSTICO (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de paredes, portas, janelas e outros Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de lajes de piso, forros, carpetes e outros Medições de campo isolação ao ruído aéreo de fachadas, paredes de geminação e entrepisos Medições de campo ou laboratório - isolação ao ruído de impacto em lajes de piso / entrepisos Atenuação e absorção acústica de pequenas amostras Ruído aéreo ambiente (aeroportos, avenidas, estradas etc) Mapeamento de ruído aéreo em campo ou no interior de edifícios Análise teórica / simulação da qualidade acústica de ambientes Análise teórica / simulação da propagação de som aéreo em ambientes abertos / ruído urbano 298

18 CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ACÚSTICO (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de paredes, portas, janelas e outros Ensaios de isolação acústica e absorção acústica de lajes de piso, forros, carpetes e outros Medições de campo ou laboratório - isolação ao ruído de impacto em lajes de piso/ entrepisos. Medições de campo ou laboratório - isolação ao ruído de impacto em lajes de piso / entrepisos Atenuação e absorção acústica de pequenas amostras Ruído aéreo ambiente (aeroportos, avenidas, estradas etc) Mapeamento de ruído aéreo em campo ou no interior de edifícios Análise teórica / simulação da qualidade acústica de ambientes Análise teórica / simulação da propagação de som aéreo em ambientes abertos / ruído urbano 299

19 CAPACITAÇÃO SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS (ÁGUA POTÁVEL, ESGOTO, ÁGUAS PLUVIAIS) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP 4 - L.A. Falcão Bauer C.T.C.Q Ltda 5 - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - FAUUSP 6 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão 7 - IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas Est. de São Paulo 8 ITEP - Instituto de Tecnologia de Pernambuco 9 - NORIE 10 - Fudação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará - NUTEC Funcionamento de instalações de água, de esgotos e de águas pluviais Preservação da qualidade da água potável Consumo de água de válvulas e caixas de descarga, torneiras, etc. Estanqueidade de instalações de água fria, água quente, águas pluviais e esgoto Resistência mecânica de vasos sanitários, lavatórios, reservatórios de água e outros Resistência mecânica de tubulações aparentes Solicitações hidráulicas estáticas e dinâmicas em tubulações e peças dos sistemas hidrossanitários Desempenho de aquecedores elétricos ou a gás Esforços de manobra / riscos de ferimentos em torneiras, registros Durabilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais Manutenibilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais 300

20 CAPACITAÇÃO SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS (CONTINUAÇÃO) 11 - Universidade Da Amazônia - UNAMA 12 - Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ 13 Universidade Estadual de Londrina - UEL 14 - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS 15 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG 16 - Universidade Federal do Pará - UFPA 17 - Universidade Federal do Paraná - UFPR 18 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar 19 - Universidade Presbiteriana Mackenzie 20 - Universidade Regional de Blumenau - FURB Funcionamento de instalações de água, de esgotos e de águas pluviais Preservação da qualidade da água potável Consumo de água de válvulas e caixas de descarga, torneiras, etc. Estanqueidade de instalações de água fria, água quente, águas pluviais e esgoto Resistência mecânica de vasos sanitários, lavatórios, reservatórios de água e outros Resistência mecânica de tubulações aparentes Solicitações hidráulicas estáticas e dinâmicas em tubulações e peças dos sistemas hidrossanitários Desempenho de aquecedores elétricos ou a gás Esforços de manobra / riscos de ferimentos em torneiras, registros Durabilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais Manutenibilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais 301

21 CAPACITAÇÃO SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS (continuação) 21 - UNISINOS 22 - Universidade Federal do Paraná - Laaica 23 - Instituto Tecnologico da Construção Civil - ITEC 24 - Centro Cerâmico do Brasil - CCB Funcionamento de instalações de água, de esgotos e de águas pluviais Preservação da qualidade da água potável Consumo de água de válvulas e caixas de descarga, torneiras, etc. Estanqueidade de instalações de água fria, água quente, águas pluviais e esgoto Resistência mecânica de vasos sanitários, lavatórios, reservatórios de água e outros Resistência mecânica de tubulações aparentes Solicitações hidráulicas estáticas e dinâmicas em tubulações e peças dos sistemas hidrossanitários Desempenho de aquecedores elétricos ou a gás Esforços de manobra / riscos de ferimentos em torneiras, registros Durabilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais Manutenibilidade de instalações hidráulicas, de esgotos e de águas pluviais 302

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 09 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A. IPT CENTRO TECNOLÓGICO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO - CETAC

Leia mais

Norma de Desempenho. Conceitos e Histórico NBR 15575:2013

Norma de Desempenho. Conceitos e Histórico NBR 15575:2013 NBR 15575:2013 Eng Roberto Gonçalves Dias Conceitos e Histórico Conceito de : Origem na exigências de segurança estrutural na Segunda Guerra Mundial Evolução nos Congressos da Construção Civil em 1962

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4?

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527 O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? Luciana Alves de Oliveira Slides da Palestra apresentada

Leia mais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho Perícias judiciais IBAPE SP - AGOSTO 2011 1 NORMAS TÉCNICAS Zona de fronteira Direito Engenharia 2 Norma de Desempenho

Leia mais

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A.

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. Concreto PVC A Utilização do Sistema Royal para construção de casas populares. Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. O Sistema Construtivo O sistema construtivo Royal (Concreto-PVC) nasceu

Leia mais

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H PBQP-H INMETRO Programas Setoriais da Qualidade EGT credenciada pelo PBQP-H e acreditada pelo INMETRO Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H Mais de 250 ensaios acreditados pelo INMETRO SINAT

Leia mais

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências.

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito de Nova Mutum, Estado

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo: TORRE 5 100% executado 98% executado - Revestimento fachada; 100% concluído - Aplicação de textura; 100% concluído - Execução do telhado; 100%

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo SUMÁRIO DO PROJETO TORRE 5: 100% executado 95% executado - Revestimento fachada; - 100% concluído - Aplicação de textura; - 95% concluído -

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO. Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO. Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES Seminário: Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES Arnoldo Wendler Sistema Construtivo Estudo de viabilidade Anteprojeto arquitetônico Comercialização

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084. Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084. Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172084 Sistemas construtivos inovadores X avaliação técnica com abordagem de desempenho X SINAT Luciana Alves de Oliveira Palestra apresentada no SIMPÓSIO ALAGOANO DE ENGENHARIA

Leia mais

OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA

OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA Prof. ENEDIR GHISI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Departamento

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

TOMADA DE PREÇO IIRS Nº 002/09-TP

TOMADA DE PREÇO IIRS Nº 002/09-TP TOMADA DE PREÇO IIRS Nº 002/09-TP ERRATA Nº 01 ONDE SE LÊ: ANEXO III OBRA : UBS Jd. Das Palmas. Descrição dos Serviços ESCOPO DETALHE UN. Quantidade Preço Unitário Prop. Material Parcial Mat. M.O 01. Gerenciamento

Leia mais

ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244

ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244 ANDRÉ MONTENEGRO DE HOLANDA www.casasole.com.br Tel.: +55 (85) 3273 5244 Objetivo O Sistema Casas Olé tem como objetivo apresentar um novo processo para fabricação de habitações, com alta qualidade, através

Leia mais

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA TRABALHANDO. PRINCIPAIS ENSAIOS

Leia mais

REF.: RTM 145/13 - RELATÓRIO DA CONSULTORIA ACÚSTICA PARA A RESIDÊNCIA JOÃO BASILIO - JARDIM PERNAMBUCO RIO DE JANEIRO

REF.: RTM 145/13 - RELATÓRIO DA CONSULTORIA ACÚSTICA PARA A RESIDÊNCIA JOÃO BASILIO - JARDIM PERNAMBUCO RIO DE JANEIRO 1 À LAER ENGENHARIA ATENÇÃO : DRA. LAILA CANEDO e-mail : laila@laer.com.br fabio@laer.com.br Rio de Janeiro, 24 de abril de 2013. REF.: RTM 145/13 - RELATÓRIO DA CONSULTORIA ACÚSTICA PARA A RESIDÊNCIA

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS

MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS Estado do Rio Grande do Norte PREFEITURA MUNICIPAL DE CAICÓ Av. Cel. Martiniano, 993 Caicó (RN) CNPJ 08.096.570/0001-39 MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS QUADRA COBERTA; 1-SERVIÇOS PRELIMINARES Locação

Leia mais

CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS

CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS 0 CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS 1 Redução significativa do tempo de construção: módulos chegam montados prontos para instalação Módulos são fabricados enquanto o local é preparado, minimizando

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA

AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA Ricardo Dias Silva (1); Admir Basso () (1) DAU/UEL, e-mail: rdsilva@uel.br () EESC/USP, e-mail: admbasso@sc.usp.br RESUMO Este

Leia mais

Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer

Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer Memorial Descritivo Memorial Descritivo Condomínio Residencial Renascer Um novo tempo. Sua nova vida. Incorporação e Construção: JDC Engenharia Ltda Empreendimento: Construção de 2 torres residenciais,

Leia mais

AFAP- PVC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

AFAP- PVC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Cliente: AFAP- PVC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Referência: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PERFIS

Leia mais

Aula 7 : Desenho de Ventilação

Aula 7 : Desenho de Ventilação Aula 7 : Desenho de Ventilação Definições: NBR 10821:2001, Caixilho para edificação: Janela Caixilho, geralmente envidraçado, destinado a preencher um vão, em fachadas ou não. Entre outras, sua finalidade

Leia mais

NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES.

NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES. NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES. Arq. Cândida Maciel Síntese Arquitetura 61-34685613 candida@sintesearquitetura.com.br NBR 15575- EDIFÍCIOS HABITACIONAIS DE ATÉ

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173110. ABNT NBR 15575:2013: edificações habitacionais, desempenho.

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173110. ABNT NBR 15575:2013: edificações habitacionais, desempenho. COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173110 ABNT NBR 15575:2013: edificações habitacionais, desempenho. André Azevedo Palestra apresentado na 10.Convenção Nordeste de Cerâmica Vermelha, Teresina, PI, 2015.. A série

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS PASEO COPACABANA AVENIDA COPACABANA, Nº 953 PORTO ALEGRE - RS

MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS PASEO COPACABANA AVENIDA COPACABANA, Nº 953 PORTO ALEGRE - RS MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS PASEO COPACABANA AVENIDA COPACABANA, Nº 953 PORTO ALEGRE - RS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. O PROJETO 2.1 Localização 2.2 O empreendimento 3. ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

Leia mais

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao acabamento de edificações.

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao acabamento de edificações. Detalhes da Disciplina Código ENG2333 Nome da Disciplina CONSTRUÇÃO CIVIL II Carga Horária 60 Créditos 4 As fases de obra fina da construção de um edifício. Instalações prediais na fase de acabamento.

Leia mais

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS MEMORIAL DESCRITIVO: APRESENTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: LOCALIZAÇÃO: Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS DESCRIÇÃO: Edifício

Leia mais

LINHA PREMIUM TESTES DE LABORATÓRIOS CREDENCIADOS ACUSTIMIX (SOUNDMIX) ISOLAMENTO E ATENUAÇÃO ACÚSTICA

LINHA PREMIUM TESTES DE LABORATÓRIOS CREDENCIADOS ACUSTIMIX (SOUNDMIX) ISOLAMENTO E ATENUAÇÃO ACÚSTICA A-PDF MERGER DEMO KEMPER COMÉRCIO IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE ISOLANTES LTDA LINHA PREMIUM TESTES DE LABORATÓRIOS CREDENCIADOS LAMIX - BARREIRA ACÚSTICA ACUSTIMIX (SOUNDMIX) ISOLAMENTO E ATENUAÇÃO ACÚSTICA

Leia mais

DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS

DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS As soluções para melhorar o desempenho energético dos edifícios têm benefícios para os proprietários e utilizadores dos edifícios. Conforto: o comportamento térmico

Leia mais

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO.

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN DISCIPLINA: CONFORTO AMBIENTAL 1 ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. ARQUITETOS: KAZUYO SEJIMA E

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER

MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER MEMORIAL DESCRITIVO ÁREAS DE LAZER Ficam na cobertura, 9º andar. Esta composta por Salão de festas, Espaço gourmet, Fitness center, Sala de jogos e web, Piscina borda infinita e Solarium. - Salão Festas:

Leia mais

Edifícios Consolação I e II

Edifícios Consolação I e II Edifícios Consolação I e II Os edifícios Consolação I e II estão localizados na Rua da Consolação, 2.403/2.411/2387, na quadra delimitada Rua Bela Cintra e Antonio Carlos, Bela Vista - São Paulo, SP. Trata-se

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ISOPORTEC A ISOPORTEC é focada na produção de soluções em isopor de alta performance para a construção civil, valorizando produtos que fazem diferença nos projetos mais complexos.

Leia mais

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Outubro, 2009 Versão Final A. DESCRIÇÃO DO PROJETO Este memorial trata da descrição e especificação básica dos elementos que deverão compor

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Texto base: XXXXXXXXXXXXXXXXX

Texto base: XXXXXXXXXXXXXXXXX revisão e unificação da NBR 5626 e NBR 7198 Sistemas prediais de água fria e água quente Procedimento PRINCIPAIS INOVAÇÕES NO PROJETO DE NORMA Engº MSc Sérgio Frederico Gnipper Secretário da Comissão de

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO HISTÓRICO O uso da alvenaria é a mais antiga forma de construção empregada pelo homem. 2 HISTÓRICO Pirâmides do Egito

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS 1. LOCALIZAÇÃO: O empreendimento localiza-se à Rua Aragão Bozano,131 Lotes 2, Quadra 57, Praia Grande, Torres/RS.

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações

Desempenho Térmico de edificações Desempenho Térmico de edificações PROFESSOR Roberto Lamberts Unidade deportiva Atanasio Girardot - Medellín ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS estrutura intro isolantes cálculos exemplos e testes 2 introdução

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02 RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE Julho 2011 Revisão 02 2 INTRODUÇÃO Os Centros de Saúde incluídos nesta categoria são unidades que foram construídas recentemente e que

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA 1 PRELIMINARES 1.1 Instalações do canteiro de obra vb 1,00 5.000,00 5.000,00 90,09 1.2 Placa de obra 2,00m x 3,00m, conforme orietações da administração vb 1,00 550,00 550,00 9,91 SUB TOTAL PRELIMINARES

Leia mais

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 2a. parte: ECONÔMICA-ESTUDO DE CASO KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

APÊNDICE K PRINCIPAIS CARACTERISTICAS e QUANTITATIVOS APROXIMADOS DO EDIFÍCIO SEDE

APÊNDICE K PRINCIPAIS CARACTERISTICAS e QUANTITATIVOS APROXIMADOS DO EDIFÍCIO SEDE APÊNDICE K PRINCIPAIS CARACTERISTICAS e QUANTITATIVOS APROXIMADOS DO EDIFÍCIO SEDE Endereço: Rua João Negrão, 1251, Bairro de Rebouças Curitiba/PR: 1. ÁREAS - Terreno... 17.560,10 m². - Imóvel... 47.257,26

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MAIO DE 2015 Andamento das obras no período Obras no Ático: Início da instalação de luminárias iniciado; Conclusão das

Leia mais

Estrutura do Ministério das Cidades

Estrutura do Ministério das Cidades Estrutura do Ministério das Cidades Ministro Conselho Nacional das Cidades Secretarias Gabinete Sec. Executiva Habitação Saneamento Ambiental Transporte e da Mobilidade Urbana Programas Urbanos PBQP-H

Leia mais

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos Eng. Valdemir Romero Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Segurança

Leia mais

Informações Gerais. I. Incorporação, Construção e Vendas. Projeto de Arquitetura

Informações Gerais. I. Incorporação, Construção e Vendas. Projeto de Arquitetura Informações Gerais I. Incorporação, Construção e Vendas Formatta Engenharia Ltda. II. Projeto de Arquitetura Formatta Engenharia M² Arquitetura Lugar Arquitetura III II. Endereço do Empreendimento Rua

Leia mais

INFRAERO VT.06/506.92/04740/00 2 / 5

INFRAERO VT.06/506.92/04740/00 2 / 5 REV MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Coordenador Contrato: Autor do Projeto Resp. Técnico: Co-Autor: MARGARET SIEGLE 4522D/ES ELISSA M. M. FRINHANI 5548/D-ES NUMERO: 200_PB.HS.AF.ET-300000

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 018/DAT/CBMSC) CONTROLE DE MATERIAIS DE REVESTIMENTO E ACABAMENTO

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 018/DAT/CBMSC) CONTROLE DE MATERIAIS DE REVESTIMENTO E ACABAMENTO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 018/DAT/CBMSC)

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT É uma tinta isolante térmica, composta de polímeros acrílicos elastoméricos, microesferas de cerâmicas, e aditivos especiais

Leia mais

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL MEDIDAS PARA CONTER A PROPAGAÇÃO DO INCÊNDIO NOS EDIFÍCIOS Compartimentação horizontal Compartimentação vertical Controle da

Leia mais

Imprensa Oficial da Estância de Atibaia Sábado, 7 de setembro de 2013 - nº 1524 - Ano XVII - Caderno C - Volume V de V

Imprensa Oficial da Estância de Atibaia Sábado, 7 de setembro de 2013 - nº 1524 - Ano XVII - Caderno C - Volume V de V Prefeitura da Estância de Atibaia 201 Comércio - Precário Definição: Edificações inacabadas, deficiências aparentes, construídas com tijolos ou blocos. Coberta de telha ou laje pré moldada sem acabamento,

Leia mais

Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor.

Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor. Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para a reação frente ao calor. Francisco Vecchia Departamento de Hidráulica e Saneamento Escola de Engenharia

Leia mais

1. Quais são os principais tipos de subcobertura utilizados no Brasil? De onde surgiu o conceito subcobertura?

1. Quais são os principais tipos de subcobertura utilizados no Brasil? De onde surgiu o conceito subcobertura? 1. Quais são os principais tipos de subcobertura utilizados no Brasil? De onde surgiu o conceito subcobertura? O conceito de subcobertura é algo já bem antigo no Brasil. Os profissionais mais preocupados,

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 7.992,27 1.1 74209/001 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO m2 3,91 289,92 1.133,59 1.2 73899/002 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS FURADOS S/REAPROVEITAMENTO

Leia mais

Memoria descritivo do Residencial Liguria

Memoria descritivo do Residencial Liguria ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS MEMORIAL DESCRITIVO DA CONSTRUÇÃO FUNDAÇÕES As fundações serão do tipo diretas, com utilização de sapatas, calculadas conforme solicitações de carga. ESTRUTURA O prédio terá estrutura

Leia mais

EMPREENDIMENTO SUL 1

EMPREENDIMENTO SUL 1 EMPREENDIMENTO SUL 1 LOCALIZAÇÃO: Endereço: Av. Juca Batista nº 9742, nas proximidades do melhor condomínio de alto padrão de Porto Alegre, TERRA VILLE BELÉM NOVO GOLF CLUB. PRAZO DE ENTREGA: A previsão

Leia mais

1 Desempenho térmico

1 Desempenho térmico Desempenho térmico 1 2 Desempenho térmico A norma NBR 15575 não trata de condicionamento artificial. Todos os critérios de desempenho foram estabelecidos com base em condições naturais de insolação, ventilação

Leia mais

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Motivação Esqueça o que você já ouviu falar sobre casa de madeira, isto aqui

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil

Materiais de Construção Civil. Aula 07. Gesso para Construção Civil Materiais de Construção Civil Aula 07 Gesso para Construção Civil Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Gesso para Construção Civil O gesso é um mineral aglomerante produzido a partir da calcinação da gipsita,

Leia mais

Lista de Documentos Normativos de janeiro a distribuir aos Correspondentes IPQ

Lista de Documentos Normativos de janeiro a distribuir aos Correspondentes IPQ Lista de Documentos Normativos de janeiro a distribuir aos Correspondentes IPQ DNP CEN ISO/TS 15875-7:2014 Sistemas de tubagens de plástico para instalações de água quente e fria Polietileno reticulado

Leia mais

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES 1. SEGURANÇA PATRIMONIAL E EMERGÊNCIA CONTROLE DE ACESSO DE VEÍCULOS E PEDESTRES Portão automatizado de acesso para veículos e pedestres

Leia mais

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL TABELA DOS TIPOS E PADRÕES DE CONSTRUÇÃO TIPO 1 - RESIDENCIAL - PADRÃO "E"

Leia mais

PAREDES DE CONCRETO em habitações. VELOCIDADE com QUALIDADE

PAREDES DE CONCRETO em habitações. VELOCIDADE com QUALIDADE PAREDES DE CONCRETO em habitações VELOCIDADE com QUALIDADE Por que Parede de Concreto? Boa solução para empreendimentos que tenham alta repetitividade, necessidade de padronização e rapidez na construção

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente memorial descritivo tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO VERCELLI RESIDENCIAL

MEMORIAL DESCRITIVO VERCELLI RESIDENCIAL MEMORIAL DESCRITIVO VERCELLI RESIDENCIAL Rua Firmino Toreli, 171 Torres-RS 1. LOCALIZAÇÃO: O empreendimento localiza-se à Rua Firmino toreli 171, Torres/RS. 2. INFORMAÇÕES GERAIS: O empreendimento será

Leia mais

CONDOMÍNIO VILLA TORLONIA

CONDOMÍNIO VILLA TORLONIA CONDOMÍNIO VILLA TORLONIA MEMORIAL DESCRITIVO OBS.: OS ITENS COM * SERÃO ENTREGUES PELO COMPRADOR QUANDO O IMÓVEL FOR VENDIDO NA OPÇÃO DE VENDA SEM ACABAMENTO...1 1 O IMÓVEL...3 2 ESPECIFICAÇÕES GERAIS...3

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 M² Pavimento: térreo Área do Terreno: 450,00 M² INTRODUÇÃO Este documento técnico

Leia mais

APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de

APÊNDICE D Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de A INTRODUÇÃO Neste apêndice estão discriminados os Serviços de Adequação (PSA) de menor complexidade para atendimento da dinâmica funcional da ECT,

Leia mais

PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE

PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE DOCUMENTO COMPLEMENTAR 05 PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTROS DE SAÚDE ÍNDICE A. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Tabela 1- Intensidades sonoras características em db(a)

Tabela 1- Intensidades sonoras características em db(a) Desempenho Acústico DESEMPENHO ACÚSTICO O ruído gerado pela circulação de veículos, crianças brincando no playground e música alta no apartamento vizinho são causas de desentendimentos e de estresse. Por

Leia mais

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA Arq. Mario Fundaro Seminário internacional arquitetura sustentável São Paulo 2014 A CASA SUSTENTÁVEL Conceitos

Leia mais

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora.

TRANSMISSÃO. Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. TRANSMISSÃO Ao ser atingido por uma onda sonora, o obstáculo vibra, funcionando como uma nova fonte sonora. PAREDES HOMOGÊNEAS obedecem à LEI DA MASSA : o isolamento sonoro aumenta de db a cada vez que

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre a atualização do artigo 1º, da Lei da Lei Complementar nº 241 de 24 de Fevereiro de 2015, onde trata da Tabela nº 05, Anexo II - Planta Genérica

Leia mais

Proteção Passiva Contra o Fogo

Proteção Passiva Contra o Fogo FIRE PROTECTION Proteção Passiva Contra o Fogo Introdução a SCI CMAR (Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento) Compartimentação Estruturas Metálicas 23/04/15 Porto Alegre, RS Escritório Central

Leia mais

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA ELEMENTOS DE FACHADA Belo Horizonte, 08 de maio de 2014 1- FACHADAS EM ALUMÍNIO E VIDRO 1.1 ALUMÍNIO A grande questão da utilização do alumínio em fachadas cortina é a definição do tipo de revestimento

Leia mais

Sumário. Aulas 01 e 02 Subsistema vedação vertical Revestimentos Revestimento de argamassa. Subsistema vedação vertical EM ENGENHARIA CIVIL

Sumário. Aulas 01 e 02 Subsistema vedação vertical Revestimentos Revestimento de argamassa. Subsistema vedação vertical EM ENGENHARIA CIVIL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco TR Tecnologia dos Revestimentos Aulas 01 e 02 Subsistema vedação vertical Revestimentos Revestimento

Leia mais

NTCFLOC Vermiculita Expandida. Vantagens. Na indústria. Por que devo usar Vermiculita Expandida? Aplicações. Na construção civil

NTCFLOC Vermiculita Expandida. Vantagens. Na indústria. Por que devo usar Vermiculita Expandida? Aplicações. Na construção civil NTCFLC Vermiculita Expandida Para quem busca uma argamassa de qualidade, com propriedades isolantes e que não pese na obra, a NTC tem a solução ideal: Vermiculita Expandida. A vermiculita é um minério

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo.

Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo. Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo. 85.(STM/CESPE/2011) A taipa de mão é, tradicionalmente, fabricada por meio de processos artesanais ou com forte

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.1 ENDEREÇO: Rua dos Goytacazes, nº.: 447/447-A Bairro Centro Campos dos Goytacazes RJ.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.1 ENDEREÇO: Rua dos Goytacazes, nº.: 447/447-A Bairro Centro Campos dos Goytacazes RJ. 1 DADOS INICIAIS 1.1 ENDEREÇO: Rua dos Goytacazes, nº.: 447/447-A Bairro Centro Campos dos Goytacazes RJ. 1.2 PRÉDIO MULTIFAMILIAR COMPOSTO DE 1.2.1 TÉRREO / BLOCOS 01/02 (01) Portaria, (53) cinqüenta

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL FORTALEZA. ANEXO II Memorial Descritivo

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL FORTALEZA. ANEXO II Memorial Descritivo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL FORTALEZA ANEXO II Memorial Descritivo 1. DESCRIÇÃO GERAL DO EMPREENDIMENTO. O Empreendimento, comercializado sob Condomínio Residencial Viva Bem, é composto por 04 (quatro) blocos,

Leia mais

Barulhos podem ser aéreos, propagados pelo ar, ou estruturais, causados por impacto; soluções são diferentes

Barulhos podem ser aéreos, propagados pelo ar, ou estruturais, causados por impacto; soluções são diferentes Folha De S.Paulo Domingo, 3 de março de 2013 Imóveis 4 Há uma solução para cada tipo de ruído Barulhos podem ser aéreos, propagados pelo ar, ou estruturais, causados por impacto; soluções são diferentes

Leia mais

Metodologia de desempenho e NBR 15575 na concepção e desenvolvimento de empreendimentos residenciais. Eng. Maria Angelica Covelo Silva

Metodologia de desempenho e NBR 15575 na concepção e desenvolvimento de empreendimentos residenciais. Eng. Maria Angelica Covelo Silva Metodologia de desempenho e NBR 15575 na concepção e desenvolvimento de empreendimentos residenciais Eng. Maria Angelica Covelo Silva O conceito e metodologia de desempenho Exigências de uso e operação

Leia mais