CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35"

Transcrição

1 Planilha atualizada em 21/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Administração Administração da Produção Administração da produção e Operação. Planejamento da capacidade. Localização das instalações. Projeto do produto e do processo. Arranjo físico das instalações. Programação e Controle da Produçao. Material Requirement Planning (MRP). Plano de Produção. Plano Mestre de Produção. Planejamento agregado. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15 4h Doutor Graduação em Administração ou áreas afins Luiz 22/01/2015 Estoril 2 Administração Administração da Produção Administração da produção e Operação. Planejamento da capacidade. Localização das instalações. Projeto do produto e do processo. Arranjo físico das instalações. Programação e Controle da Produçao. Material Requirement Planning (MRP). Plano de Produção. Plano Mestre de Produção. Planejamento agregado. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 4h Doutor Graduação em Administração ou áreas afins Luiz 22/01/2015 Estoril 1 Engenharia Civil Alvenaria Estrutural Terça-feira das 7h40 às 9h20 2 Engenharia Civil Cálculo Numérico 3 Engenharia Civil Turma B Sistemas Lineares. Interpolação. Ajuste de Curvas. Integração Numérica. Zeros de funções reais. Quadrados mínimos lineares. Aproximação de funções. Interpolação polinomiais. Solução Numérica de equações diferenciais. Gauss e de Stokes. Quarta, quinta e sextafeira de 9h35 às 11h15 Terça 9h35 às 11h15 e Quinta 7h40 às 9h20 em Ciência da Computação, Engenharia química, civil ou elétrica izabela - 22/01/2015 até 12h Estoril

2 4 Engenharia Civil Gauss e de Stokes. Terça 7h40 às 9h20 e Quinta 9h35 às 11h15 5 Engenharia Civil Materias de Construção Elementos de Ciências dos Materias; Materias Pétreos Naturais; Características ensaios físicos e mecânicos de: agregados, aglomerantes inorgânicos e aglomerados; Materias Cerâmicos, Madeiras, materias metálicos, vidros, plásticos, tintas e vernizes; Normalização e atividades de laboratório. Segunda de 7h40 às 11h15 e Quarta-feira de 07h40 às 11h15 8 Mestre 6 Engenharia Civil Planejamento, Controle e gerenciamento de Obras Características da construção civil. Organização do trabalho na construção civil. Produtividade. Gestão e novas filosofias de produção. Macrocomplexo construção civil. Força de trabalho na Industria da construção civil. Mega-tendências na construção. discussão de problemas existentes na obra considerados como falta de planejamento. Processo de planejamento e controle. Planejamento hierárquico. Linha de balanço, Redes PERT-CPM, Gráfico de Gantt, Planejamento no MSProject, compor 90. Terça-feira de 9h35 às 11h15 7 Engenharia Civil Resistência dos Materias Conceito de tensão. Tração e Compressão Simples. Cisalhamento simples. Tensões nas vigas. Energia de Deformação. Segunda, terça e sexta das 7h40 às 9h20. 8 Engenharia Civil Tecnologia das Construções Procedimentos executivos de estruturas portantes, elementos vedantes, coberturas, impermeabilização, revestimentos de tetos, paredes e pisos, esquadrias e ferragens, vidros, circulação vertical e pintura. Estudo do projeto de implantação do canteiro de obras, de movimento de terra, de locação de obras, da execução de fundações, de manutenção de edificação e das patologias em edificações. Segunda de 7h40 às 9h20, quarta e sexta de 9h35 às 11h15

3 9 Engenharia Civil Teoria das Estruturas 10 Engenharia Civil Turma A Esforços internos nas estruturas: treliças, vigas; Diagramas de esforço cortante, normal, momentos fletores e momento torçor. Vinculação: estruturas hipostáticas, isostáticas, e hiperstáticas. Estruturas de alma cheia e estruturas treliçadas. Vigas Gerber. Triarticulados: pórticos e arcos. Cabos. Processo de Cross. Linhas de influêcia. Energia de deformação. Teorema de Castigliano e Menabrea. Método dos esforços. Equação dos três momentos. Método dos deslocamentos. Matrizes estruturais: rigidez e flexibilidade. Segunda, quinta e sexta de 9h35 às 11h15 Terça-feira de20h55 às 11 Engenharia Civil Turma B Quarta-feira de 20h55 às 12 Engenharia Civil Quinta-feira de 20h55 às 2 Metre

4 13 Engenharia Civil Turma E Quarta-feira de 19h às 20h40 14 Engenharia Civil Cálculo Numérico Sistemas Lineares. Interpolação. Ajuste de Curvas. Integração Numérica. Zeros de funções reais. Quadrados mínimos lineares. Aproximação de funções. Interpolação polinomiais. Solução Numérica de equações diferenciais. Terça de 19h00 às 20h40, Segunda e Sextafeira de 20h55 às em Ciência da Computação, Engenharia química, civil ou elétrica 15 Engenharia Civil Gauss e de Stokes Segunda e terça-feira de 20h55 às 16 Engenharia Civil Turma D Gauss e de Stokes Quinta-feira de 19h às 20h40 e Sexta-feira de 20h55 às 17 Engenharia Civil Turma E Gauss e de Stokes Segunda e Quarta-feira de 19h às 20h40

5 18 Engenharia Civil Equipamentos de Construção Civil - Turma A Tipos de equipamentos para madeira; para corte e montagem de armadura; para elevação e transporte de materiais; para produção de concreto e argamassa; para atividades da construção. Escolha. Quantificação. Operação. Manutenção. Desempenho e Produtividade. Viabilidade econômica do seu emprego. Estudo dos equipamentos de construção e suas finalidades. Tipos, rendimento, potência, variação de potência, implementos e manutenção. Custos, escolha e dimensionamento dos equipamentos. Instalações no canteiro de obra. Quinta-feira de 19h00 às 20h40 19 Engenharia Civil Equipamentos de Construção Civil - Turma C ipos de equipamentos para madeira; para corte e montagem de armadura; para elevação e transporte de materiais; para produção de concreto e argamassa; para atividades da construção. Escolha. Quantificação. Operação. Manutenção. Desempenho e Produtividade. Viabilidade econômica do seu emprego. Estudo dos equipamentos de construção e suas finalidades. Tipos, rendimento, potência, variação de potência, implementos e manutenção. Custos, escolha e dimensionamento dos equipamentos. Terça-feira de 19h às 20h40 20 Engenharia Civil Física Mecânica 21 Engenharia Civil Física, Ótica e Ondas Cinemática da partícula. Leis de Newton. Estática e dinâmica da partícula. Trabalho e energia. Conservação da energia. Movimento linear e sua conservação. Colisões. Movimento angular da partícula e de sistemas de partículas. Rotação de corpos rígidos. Óptica física: natureza e propagação da luz. Reflexão e refração em superfícies planas. Interferência, difração. Redes de difração e espectros. Polarização. Oscilações. Ondas em uma corda. Ondas sonoras. Ondas eletromagnéticas. Imagens Segunda e quarta de 19h00 às 20h40 Segunda de 19h00 às Izabela - 23/01/2015 até 12h Estoril

6 22 Engenharia Civil Terra - Turma A Segunda e Quinta-feira de 20h55 às ou 23 Engenharia Civil Terra - Turma B Terça e Sexta-feira de 19h00 às 20h40 ou 24 Engenharia Civil Terra - Quarta de 19h00 às 20h40 e Sexta-feira de 20h55 às ou 25 Engenharia Civil Terra - Turma E Quarta-feira de 20h55 às e Quinta-feira de 19h às 20h40 ou

7 26 Engenharia Civil 27 Engenharia Civil Introdução a Geologia - Turma A Introdução a Geologia - Turma B Gênese e características de minerais, rochas, estruturas geológicas, solos e as suas implicações nas condições técnicas das obras e de emprego como materias de constrição. Distribuição granulométrica. Índices físicos dos solos. Estrutura do solo, plasticidade, contracidade, consistência, classificação. Gênese e características de minerais, rochas, estruturas geológicas, solos e as suas implicações nas condições técnicas das obras e de emprego como materias de constrição. Distribuição granulométrica. Índices físicos dos solos. Estrutura do solo, plasticidade, contracidade, consistência, classificação. Sexta das 19h00 às 20h40 Segunda das 20h55 às em Geologia ou áreas correlatas em Geologia ou áreas correlatas 28 Engenharia Civil Teoria das Estruturas - Esforços internos nas estruturas: treliças, vigas; Diagramas de esforço cortante, normal, momentos fletores e momento torçor. Vinculação: estruturas hipostáticas, isostáticas, e hiperstáticas. Estruturas de alma cheia e estruturas treliçadas. Vigas Gerber Terça, Quinta-feira de 19h00 às 20h40 e Quarta-feira de 20h55 ás 29 Engenharia Civil Teoria das Estruturas - Turma E Esforços internos nas estruturas: treliças, vigas; Diagramas de esforço cortante, normal, momentos fletores e momento torçor. Vinculação: estruturas hipostáticas, isostáticas, e hiperstáticas. Estruturas de alma cheia e estruturas treliçadas. Vigas Gerber Segunda-feira de 19h00 às 20h40, Terça e Quinta-feira de 20h55 às 1 GTI Inglês Instrumental Estratégias de leitura com aprofundamento da percepção dos princípios lógicos envolvidos no processo da leitura. Estudo das diferenças entre tipologias de textos. Desenvolvimento de habilidades de estudo: anotações, resumos Segunda-feira de 19h às 20h40 e Sexta-feira de 20h55 às em Letras

Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35

Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35 Planilha atualizada em 22/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Administração

Leia mais

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS DISCIPLINAS: Mecânica Geral I; Estruturas de Aço; Estrutura de Concreto Armado I; Estrutura de Concreto Armado II. 1. Equilíbrio dos Corpos Rígidos em 2D e 3D;

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

4.ª SÉRIE 99-9033-02 ESTRUTURAS DE CONCRETO II 80 0 080 99-9034-03

4.ª SÉRIE 99-9033-02 ESTRUTURAS DE CONCRETO II 80 0 080 99-9034-03 MATRIZ CURRICULAR Curso: ENGENHARIA CIVIL Graduação: BACHARELADO Regime: SERIADO ANUAL - MATUTINO Duração: 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Tecnólogo em Construção Civil PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMISSÃO REGIONAL DE OBRA / 5 Processo de Seleção do Cadastro de Reserva de Vagas 2015/2016 EST/EBST Conteúdo Programático ENGENHARIA CIVIL Controle, Orçamentação

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 275/2014, que altera o Currículo do Curso de Engenharia Civil para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

1º período. 2º período

1º período. 2º período 1º período Eixo Disciplina CH Pré-requisito Correquisito (C) 1 Cálculo I 90 9 Contexto Social e Profissional do Engenheiro Civil 30 7 Desenho Técnico 30 1 Geometria Analítica e Álgebra Vetorial 90 2 Laboratório

Leia mais

CAMPUS CRUZ DAS ALMAS Edital 01/2010. Área de Conhecimento

CAMPUS CRUZ DAS ALMAS Edital 01/2010. Área de Conhecimento CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR CAMPUS CRUZ DAS ALMAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CETEC Área de Conhecimento Materiais, Estrutura e Sistemas Eletromecânicos PONTOS DO

Leia mais

C U R S O D E AR Q U ITETURA E U R B A N ISMO Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 PLANO DE CURSO

C U R S O D E AR Q U ITETURA E U R B A N ISMO Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 PLANO DE CURSO C U R S O D E AR Q U ITETURA E U R B A N ISMO Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 Componente Curricular: TÉCNICA DAS EDIFICAÇÕES I Código: ARQ-045 Pré-requisito: ----- Período

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Aplicação de softwares na confecção de textos, planilhas, e projetos. 2. Interpretação e desenvolvimento de desenhos técnicos e de projetos arquitetônicos

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PONTOS PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR EDITAL 001/2009 Matéria/Área do Conhecimento: MATEMÁTICA 1. Transformações Lineares e Teorema do Núcleo

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2016s1-A 2016 Noturno

Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre: Turma: Ano: Período: 1º 2016s1-A 2016 Noturno 1º 2016s1-A 2016 Noturno Comunicação e Expressão Fundamentos de Cálculo Informática Aplicada à Engenharia Desenho Técnico Aux. por Computador Física Geral Introdução à Engenharia Civil Fundamentos de Cálculo

Leia mais

Quinta-feira de 20h55min às 22h35min / Sexta-feira de 19h às 22h35min. 6 Doutorado Graduação na área da Saúde Bruno - bruno.alves@unibh.

Quinta-feira de 20h55min às 22h35min / Sexta-feira de 19h às 22h35min. 6 Doutorado Graduação na área da Saúde Bruno - bruno.alves@unibh. Planilha atualizada em /0/05 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus Fisioterapia Bioquímica

Leia mais

Uma estrutura pode estar em equilíbrio ou movimento.

Uma estrutura pode estar em equilíbrio ou movimento. 1. INTRODUÇÃO Uma estrutura pode estar em equilíbrio ou movimento. Existem estruturas que são dimensionadas para estarem em equilíbrio (edifícios, pontes, pórticos, etc.) e as que são dimensionadas para

Leia mais

SUBÁREA DE FÍSICA E QUÍMICA PLANEJAMENTO ANUAL PARA A DISCIPLINA DE FÍSICA 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 2014. Identificação e Conteúdo Programático

SUBÁREA DE FÍSICA E QUÍMICA PLANEJAMENTO ANUAL PARA A DISCIPLINA DE FÍSICA 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 2014. Identificação e Conteúdo Programático UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO - CEPAE ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA SUBÁREA DE FÍSICA E QUÍMICA PLANEJAMENTO ANUAL

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES.

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. ETEC DOUTORA RUTH CARDOSO, SÃO VICENTE. PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. AVISO N 194/05/2015 DE 23/09/2015 PROCESSO Nº 3705/2015 AVISO DE DEFERIMENTO

Leia mais

1. Definição dos Elementos Estruturais

1. Definição dos Elementos Estruturais A Engenharia e a Arquitetura não devem ser vistas como duas profissões distintas, separadas, independentes uma da outra. Na verdade elas devem trabalhar como uma coisa única. Um Sistema Estrutural definido

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PRIMEIRO PERÍODO Calculo I 4 72 60 - Geometria Analítica 4 72 60 - Introdução a Engenharia Civil 4 72 60 - Metodologia Cientifica 4 72 60 - Filosofia Geral

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

1º PERÍODO P R O G R A M A

1º PERÍODO P R O G R A M A 1º PERÍODO ADJUNTA DISCIPLINA: Desenho de Arquitetura H114585 Expressão e Representação gráfica. Convenções adotadas no desenho dos Projetos de Arquitetura, de acordo com as normas vigentes (ABNT). Instrumentos

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA - TEÓFILO OTONI CURSO DE GRADUAÇÃO - ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURA CURRICULAR

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil 1º Semestre 1. Cálculo Diferencial e Integral I 2. Desenho Básico 3. Física I 4. Laboratório de Física I 1º Básica 5. Química Geral 6. Introdução a Engenharia

Leia mais

EMENTA: PROGRAMA: MEDIÇÃO DE VETORES

EMENTA: PROGRAMA: MEDIÇÃO DE VETORES DISCIPLINA: FÍSICA I CRÉDITOS: 04 CARGA HORÁRIA: 60 h/a OBJETIVOS: Identificar fenômenos naturais em termos de quantidade e regularidade, bem como interpretar princípios fundamentais que generalizam as

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL- 2015/02

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL- 2015/02 Horário das Disciplinas 1º Período A Introdução à Civil Fernanda Rangel Geometria Analítica Fernando José Geometria Descritiva Português Instrumental Renato Resgala Introdução à Civil Fernanda Rangel Química

Leia mais

GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS

GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS Grupo I PROJETO, FISCALIZAÇÃO E CONSULTORIA Categoria I.1. Conservação e Restauro

Leia mais

- Generalidades sobre laje Treliça

- Generalidades sobre laje Treliça - Generalidades sobre laje Treliça São lajes em que a viga pré-fabricada é constituída de armadura em forma de treliça, e após concretada, promove uma perfeita solidarização, tendo ainda a possibilidade

Leia mais

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período QUÍMICA Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão 74471 Química Estrutural 34 Química Química Inorgânica para Ciências Farmacêuticas OU 68 68977 Ciências Farmacêuticas 2008

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 068/2011 DO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Matriz curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Produção da UFERSA a partir de 2011.2. (Adequada à Matriz curricular do Curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia) Período Disciplinas Obrigatórias

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 006/2013 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

Gestão de Custos. Conteúdo. Planejamento Integrado. Gestão de Custos. Conceitos Básicos de Gestão de Custos Integraçãoda Gestãode Custoscom o

Gestão de Custos. Conteúdo. Planejamento Integrado. Gestão de Custos. Conceitos Básicos de Gestão de Custos Integraçãoda Gestãode Custoscom o Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Especialização em Gerenciamento de Obras Planejamento Integrado Gestão de Custos Prof. Dayana Bastos Costa Conteúdo

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. (Vigência a partir de 2011/1)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. (Vigência a partir de 2011/1) Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 11/10 CONSUNI, de 21 de setembro de 2010. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL (Vigência a partir de 2011/1) Fase Cód. Disciplina Pré- Req. I II III

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO EDITAL COMPLENTAR N 001 AO EDITAL N 003/2012 UNAT A, no uso de suas atribuições legais e em cumprimento das normas previstas no artigo 37, inciso IX, da Constituição Federal, de 5 de outubro de 1988, Decreto

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO DE FUNDAÇÕES Todo projeto de fundações

Leia mais

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS ÓTICA, ONDAS E ELETROMAGNETISMO QUÍMICA GERAL E EXPERIMENTAL ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Eng. Civil- Campus Mossoró) 3ª série Funções

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica Resolução CONSUN Nº 34/2014 de 29/10/2014 COD. NOME DA DISCIPLINA T P CH Pré-Requisito 1º SEMESTRE Introdução à 04 00 60 Introdução ao Cálculo 04 00 60 Química Geral Antropologia 02 00 30 Desenho Técnico

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Definição de solo Ciências aplicadas Contexto

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1 MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 DESENHO TÉCNICO... 4 02 FÍSICA GERAL... 4 03 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL... 4 04 INTRODUÇÃO AO CÁLCULO...

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED 1º MED DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Especificação de elementos que compõem projetos; técnicas de desenho técnico e de representação gráfica correlacionadas com seus fundamentos matemáticos e geométricos;

Leia mais

SISTEMAS ESTRUTURAIS

SISTEMAS ESTRUTURAIS SISTEMAS ESTRUTURAIS ENGENHARIA CIVIL Prof. Dr. Lívio Túlio Baraldi Fontes: Sales J.J., et all Sistemas Estruturais EESC/USP; Rebello Y.C.P. A concepção estrutural e a arquitetura Zigurate. 1 Elementos

Leia mais

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES 2. VINCULAÇÕES DAS LAJES 3. CARREGAMENTOS DAS LAJES 3.1- Classificação das lajes retangulares 3.2- Cargas acidentais

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º PERÍODO LETIVO AV2 6º ANO

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º PERÍODO LETIVO AV2 6º ANO 6º ANO 17/04 quarta-feira Ciências 18/04 quinta-feira 19/04 sexta-feira Informática 25/04 quinta-feira Matemática 26/04 sexta-feira Inglês 29/04 segunda-feira Historia 30/04 terça-feira Geografia Música

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-479/2012,

Leia mais

CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS )

CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS ) CAPACITAÇÃO DESEMPENHO ESTRUTURAL (PILARES, VIGAS, LAJES, PAREDES, COBERTURAS, PISOS ) 1 - CIENTEC - Fundação de Ciência e Tecnologia 2 - Concremat Engenharia e Tecnologia S/A 3 - Escola de Engenharia

Leia mais

MIEC MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL 2014/2015 PROPOSTA DE TEMAS PARA DISSERTAÇÃO RAMO DE ESPECIALIZAÇÃO/ ÁREA CIENTÍFICA: ESTRUTURAS

MIEC MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL 2014/2015 PROPOSTA DE TEMAS PARA DISSERTAÇÃO RAMO DE ESPECIALIZAÇÃO/ ÁREA CIENTÍFICA: ESTRUTURAS 1 EST1 AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE DEFORMAÇÃO DE ELEMENTOS TUBULARES EM AÇO José Miguel Castro CO Um dos passos essenciais no processo de avaliação da segurança sísmica de estruturas consiste na comparação

Leia mais

Sistemas de mecanização. Engª Elza Nakakura

Sistemas de mecanização. Engª Elza Nakakura Sistemas de mecanização Engª Elza Nakakura Etapas de serviços de revestimento Etapas Convencional Projetado Recebimento/armazenagem Dosagem da argamassa 3 produtos Baias Peneirar areia Quantificação dos

Leia mais

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao acabamento de edificações.

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao acabamento de edificações. Detalhes da Disciplina Código ENG2333 Nome da Disciplina CONSTRUÇÃO CIVIL II Carga Horária 60 Créditos 4 As fases de obra fina da construção de um edifício. Instalações prediais na fase de acabamento.

Leia mais

2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 2012 Duração prevista: até 4 horas.

2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 2012 Duração prevista: até 4 horas. 2 a Prova de EDI-49 Concreto Estrutural II Prof. Flávio Mendes Junho de 212 Duração prevista: até 4 horas. Esta prova tem oito (8) questões e três (3) laudas. Consulta permitida somente ao formulário básico.

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

Objetivo do Programa

Objetivo do Programa Objetivo do Programa O Programa Futuros Engenheiros visa favorecer o desenvolvimento de competências técnicas e habilidades comportamentais de universitários dos cursos de Engenharia para atuar na indústria.

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 147/2012, que altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS

FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS FEAMIG FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINAS PERIODIZAÇÃO - EMENTAS CÁLCULO I DISCIPLINAS DO 1 PERÍODO 6 0 6 108 0 108 90 0 90 Ementa: O conjunto dos números Reais.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

UNIVERSIDADE DE MARÍLIA UNIVERSIDADE DE MARÍLIA Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Tecnologia SISTEMAS ESTRUTURAIS (NOTAS DE AULA) Professor Dr. Lívio Túlio Baraldi MARILIA, 2007 1. DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS Força: alguma causa

Leia mais

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br

KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 2a. parte: ECONÔMICA-ESTUDO DE CASO KEPLER ROCHA PASCOAL Engenheiro Civil 98-8833-6064 - kepler@franere.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 187 ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Gabriella Fernandes

Leia mais

Patologia em Revestimentos de Fachada

Patologia em Revestimentos de Fachada PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES Revestimentos de 1 Nome:Fernando Marques Ribeiro Matricula: 27667 Docente: Orlando Carlos B. Damin Artigo: Fonte: Editora: Ordem dos Engenheiros Região Norte / 2011 Autores: Ana

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ FÍSICA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA 1 MECÂNICA COMPETÊNCIAS

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ FÍSICA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA 1 MECÂNICA COMPETÊNCIAS 1.1 Conceitos fundamentais: Posição, deslocamento, velocidade e aceleração. 1.2 Leis de Newton e suas Aplicações. 1.3 Trabalho, energia e potência. 1.4 Momento linear e impulso. UNIVERSIDADE DO ESTADO

Leia mais

Caso (2) X 2 isolado no SP

Caso (2) X 2 isolado no SP Luiz Fernando artha étodo das Forças 6 5.5. Exemplos de solução pelo étodo das Forças Exemplo Determine pelo étodo das Forças o diagrama de momentos fletores do quadro hiperestático ao lado. Somente considere

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. CARGA HORÁRIA: 80 h/a TURNO: Manhã TURMA: EDI 01/T6 DIRETOR(A) GERAL DO Marcelo Eder Lamb

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. CARGA HORÁRIA: 80 h/a TURNO: Manhã TURMA: EDI 01/T6 DIRETOR(A) GERAL DO Marcelo Eder Lamb EIXO TECNOLÓGICO: CURSO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial ( ) PROEJA (

Leia mais

EMENTÁRIO DE COMPONENTES CURRICULARES

EMENTÁRIO DE COMPONENTES CURRICULARES Disciplinas obrigatórias: ICIA39 Administração de Unidades de Básica EMENTA: Conceitos de informação e gestão de organizações. Qualidade e competitividade (noções). Estudo de serviços de informação em

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS ENGENHARIA CIVIL HORÁRIOS 2014-1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS ENGENHARIA CIVIL HORÁRIOS 2014-1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS ENGENHARIA CIVIL HORÁRIOS 2014-1 1º PERÍODO Química Geral Prof. Adão Química Geral Prof. Adão () Prof. Regiani Turma B Prof. Marielle (Turma B) Prof. Adão () Prof. Christian

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...);

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...); A TECNIKA iniciou suas atividades em meados de 2003, impulsionada pela demanda do mercado, sempre preocupada em buscar e oferecer soluções técnicas inovadoras, tendo como focos principais as áreas de impermeabilização

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 187 Engenheiro Civil ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho das atividades profissionais previstas

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: TÉCNICAS DE EDIFICAÇÕES II Código: ARQ 055 Pré-requisito:

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENADORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA. Plano de Ensino

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA. Plano de Ensino DISCIPLINA: Teoria Eletromagnética. CÓDIGO: MEE007 Validade: Carga Horária: 45 horas-aula Créditos: 03 Área de Concentração / Módulo: Sistemas Elétricos / Formação Básica Ementa: Análise Vetorial. Equações

Leia mais

1ª ETAPA - TURMA E e F

1ª ETAPA - TURMA E e F Atualizado em: 20/05/2013 1/7 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PF 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PF 3 ÉTICA E CIDADANIA I PF 3 FÍSICA GERAL I PF 3 GEOMETRIA ANALITICA E VETORES PF 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA TÉCNICO DE LABORATÓRIO/FÍSICA REQUISITO DE QUALIFICAÇÃO PARA INGRESSO NO CARGO: ESCOLARIDADE: Ensino Médio Profissionalizante nas áreas de Eletricidade, Eletrônica, Eletrotécnica ou Mecânica ou Ensino

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013 PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013 FÍSICA CARLOS 3ª MÉDIO Srs. pais ou responsáveis, caros alunos, Encaminhamos a Programação de Etapa, material de apoio para o acompanhamento dos conteúdos e habilidades que

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: AJUDANTE DE OBRAS - PRONATEC 160 horas ÁREA: CONSTRUÇÃO MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CT GURUPI Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08

Leia mais

ÍNDICE E TERMOS BIBLIOTECA VIRTUAL

ÍNDICE E TERMOS BIBLIOTECA VIRTUAL ÍNDICE E TERMOS BIBLIOTECA VIRTUAL Acesse nosso Site para Comprar outros Cursos e Treinamentos: http://www.escoladesoftware.com Caro aluno, Nós da Escola de Software agradecemos pela compra de um dos nossos

Leia mais

Física Interação e Tecnologia

Física Interação e Tecnologia Apontamentos das obras LeYa em relação as Orientações Teórico-Metodológicas para o Ensino Médio do estado de PERNAMBUCO Física Interação e Tecnologia 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012

Plano de Trabalho Docente 2012 Plano de Trabalho Docente 0 ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Indústria Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Mecânica Qualificação:

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CICLO BÁSICO 1º BIMESTRE INTRODUÇÃO À ENGENHARIA 40 horas Fundamentos da Engenharia e Suas Grandes Áreas; Inovação e Desenvolvimento de Produto; O Modo

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

EDITAL Nº03/2015/PR/ES

EDITAL Nº03/2015/PR/ES EDITAL Nº03/2015/PR/ES PROCESSO SELETIVO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA DE ESTAGIÁRIO DE ENGENHARIA CIVIL DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL NO ESPÍRITO SANTO (VITÓRIA/ES). O Procurador-Chefe em exercício

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA Av. Gal. Rodrigo Otávio Jordão Ramos, 3000 Japiim CEP: 69077-000 - Manaus-AM, Fone/Fax (0xx92) 644-2006 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Leia mais

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados e tilt-up Vitor Faustino Pereira Engenheiro Civil Professor Adjunto UEL Sócio Diretor:

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

RESOLUÇÃO. Curitiba, 17 de dezembro de 2007. Frei Nelson José Hillesheim, OFM Reitor CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE

RESOLUÇÃO. Curitiba, 17 de dezembro de 2007. Frei Nelson José Hillesheim, OFM Reitor CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE RESOLUÇÃO CONSEPE 31/2007 ALTERA AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO 1º, 2º, 3º E 4º ANO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12 1ª ETAPA - TURMA E CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PAIE 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PAIE 3 ÉTICA E CIDADANIA I PAIE 3 FÍSICA GERAL I PAIE 3 GEOMETR ANALITICA E VETORES PAIE 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

FÍSICA EXPERIMENTAL II 30 CÁLCULO II 60 CÁLCULO I FÍSICA GERAL I 60 GEOMETRIA ANALÍTICA CÁLCULO I INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO 60

FÍSICA EXPERIMENTAL II 30 CÁLCULO II 60 CÁLCULO I FÍSICA GERAL I 60 GEOMETRIA ANALÍTICA CÁLCULO I INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO 60 Matriz curricular Engenharia Civil 1º PERIODO CÁLCULO I 90 FÍSICA EXPERIMENTAL I 30 QUIMICA 60 GEOMETRIA DESCRITIVA 60 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA 30 GEOMETRIA ANALÍTICA 60 SOCIOLOGIA 60 Carga Horária Total

Leia mais

18 a QUESTÃO Valor: 0,25

18 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a A 0 a QUESTÃO FÍSICA 8 a QUESTÃO Valor: 0,25 6 a QUESTÃO Valor: 0,25 Entre as grandezas abaixo, a única conservada nas colisões elásticas, mas não nas inelásticas é o(a): 2Ω 2 V 8Ω 8Ω 2 Ω S R 0 V energia

Leia mais

TECNICAS CONSTRUTIVAS I

TECNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TECNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br FUNDAÇÕES Fundações em superfície: Rasa, Direta

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Abril / 2016 25 Segunda-feira 17h, e 19h 25 e 26/04 27 Quarta-feira 17h, e 19h 27 e 28/04 29 Sexta-feira 17h, e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Maio / 2016 02 Segunda-feira 17h, e 19h 02 e 03/05 04 Quarta-feira

Leia mais

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC.

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Comprometida com a qualidade e o desenvolvimento dos nossos produtos investimos continuamente

Leia mais