Cartilha de segurança. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cartilha de segurança. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura"

Transcrição

1 Cartilha de segurança Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura

2 Cartilha de segurança Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 2ª edição Realização: Curitiba Set/2011 A reprodução não autorizada desta publicação constitui violação do copyright.

3 Índice 1. Introdução 2. O EPI e seu papel na prevenção. O que é preciso saber. 2.1 O que é EPI? 2.2 Qual a legislação que rege o EPI para trabalho em altura? 2.3 Quando devemos utilizar EPI? 2.4 Qual deve ser o EPI? 3. Definições e composição A. Cinturão paraquedista B. Cinturão abdominal C. Talabarte de segurança antiqueda D. Talabarte de posicionamento E. Trava-queda para uso em linha flexível F. Trava-queda para uso em linha rígida G. Trava-queda retrátil H. Absorvedor de energia I. Conector 4. Marcação do EPI 5. Sistemas de proteção contra queda 5.1 Sistema de proteção contra queda com trava-queda retrátil 5.2 Sistema de proteção contra queda com trava-queda sobre linha de vida flexível 5.3 Sistema de proteção contra queda com trava-queda sobre linha de vida rígida 5.4 Sistema de proteção contra queda para deslocamentos com talabarte de segurança 6. Riscos relacionados ao uso do equipamento 7. Como selecionar 8. Cuidados 8.1 Ações preventivas 8.2 Indicações práticas 9. Manutenção 10. Prepare-se antes de subir 11. Glossário Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 01

4

5 1 Introdução Esta cartilha tem por objetivo difundir e homogeneizar o conhecimento a respeito dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para trabalho em altura. Seu alcance deve abranger: trabalhadores, empresários e áreas governamentais. 1.1 O que é trabalho em altura? De acordo com NR 18, item 23.3, é toda a atividade executada acima de 2 metros do piso de referência, seja em elevação (escadas, andaimes, plataformas, etc) ou em profunidade (poços, escavações, dutos etc). 2m 1.2 Por que prevenir? Trabalho em altura pode apresentar diversos riscos à vida do trabalhador. A queda de pessoas e de materiais é uma das principais causas de mortes no Brasil. Para o trabalhador, a prevenção é a melhor forma de evitar acidentes e garantir sua integridade física. Já para a empresa, a prevenção representa o cumprimento das leis, produtividade, economia e principalmente respeito à vida. 1.3 Como prevenir? A principal forma de prevenção para trabalhos em altura se faz com uso correto de equipamentos e treinamento adequado para os trabalhadores e envolvidos. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 03

6 2 O EPI e seu papel na prevenção. O que é preciso saber. 2.1 O que é EPI? Equipamento de Proteção Individual (EPI) é todo dispositivo ou produto de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho - de acordo com NR 6, item Qual a legislação que rege o EPI para trabalho em altura? As condições para comercialização e exigências do Ministério do Trabalho (MTE) seguem: NR 6 - Norma Regulamentadora NBRs - Normas Técnicas INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial Cartilha de segurança Quando devemos utilizar o EPI? Sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou doenças profissionais e do trabalho, enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas e para atender a situações de emergência de acordo com NR 6, item 6.3.

7 Uma vez identificado o risco, devem ser seguidas as seguintes etapas: ELIMINAR ou ISOLAR o risco; Utilizar PROTEÇÃO COLETIVA; Utilizar EPI. 2.4 Qual deve ser o EPI? Os EPIs devem ser escolhidos adequados aos riscos pré identificados. Sua utilização é obrigatória e de extrema importância à saúde e segurança do trabalhador. Sua escolha deve se basear no estudo e avaliação de riscos existentes no local de trabalho: Tempo de exposição ao risco; Frequência; Gravidade; Condições do local de trabalho e seu entorno; Tipos de danos possíveis ao trabalhador; e Estrutura física do trabalhador (ex.: Tam. 1 e 2). São indicados para o uso somente os EPIs que possam assegurar de forma plena a proteção prevista. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 05

8 3 Definições e composição Um sistema de proteção individual contra queda de altura garante a retenção segura de uma queda, de forma que: A altura de queda seja mínima; A força de retenção (força de impacto) não provoque lesões corporais; Uma vez retida a queda, a posição do usuário deve ser adequada a espera de auxílio. Um sistema contra queda de altura é composto por: Um cinturão tipo paraquedista. Um elo entre o cinturão e um ponto de ancoragem. Um ponto de ancoragem confiável. Esse elo entre o cinturão e a ancoragem se dará por meio de um travaqueda ou de um talabarte de segurança, preferencialmente com absorvedor de energia. Vale lembrar que um cinto não protege contra os efeitos da retenção de queda. Cartilha de segurança 06

9 A. Cinturão paraquedista NBR Equipamento de proteção destinado a reter o trabalhador em caso de queda. O cinturão paraquedista é composto por fitas, fivelas de ajuste, fivelas de engate, pontos de conexão e outros elementos que quando vestido e ajustado de forma adequada, retém uma pessoa em caso de queda e depois durante a suspensão b A a Desenhos meramente ilustrativos. 1 - Fitas primárias superiores 2 - Fita secundária 3 - Fita primária subpélvica 4 - Fita primária da coxa 5 - Apoio dorsal para posicionamento 6 - Fivela de ajuste 7 - Elemento de engate dorsal para proteção contra queda 8 - Fivela de engate 9 - Elemento de engate para posicionamento a - Etiqueta de identificação b - Etiqueta de indicação de engate para proteção contra queda - "A" para ponto único e "A/2", quando existirem dois pontos simultâneos de engate. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 07

10 B. Cinturão abdominal NBR Equipamento que envolve, no mínimo, a cintura do trabalhador é ajustável e possui elemento(s) de engate aos quais é fixado o talabarte de posicionamento ou restrição. O cinturão abdominal tem a finalidade de posicionar o trabalhador. Para proteção contra queda, acima de 2 metros, será preciso utilizar também um cinturão paraquedista. Fita abdominal Pontos de conexão para o talabarte de posicionamento Fivelas de ajuste Acolchoamento interno C. Talabarte de segurança antiqueda NBR e NBR Elemento de conexão entre o cinturão paraquedista e o ponto de ancoragem. O talabarte de segurança poderá ser confeccionado em corda sintética, cabo de aço, fita sintética ou corrente. Pontos de conexão com a estrutura Ponto de conexão com o cinturão Cartilha de segurança Talabarte duplo em Y Desenhos meramente ilustrativos. 08

11 Talabarte com comprimento acima de 0,9 m precisa obrigatoriamente ter um ABS (absorvedor de energia) que atenda a NBR D. Talabarte de posicionamento NBR Elemento de conexão entre um cinturão abdominal a um ponto de ancoragem, de maneira a constituir um suporte para posicionamento ou restringir movimentação evitando assim que um indivíduo alcance zonas onde exista o perigo de queda de altura. Quando houver o risco de queda, o talabarte de posicionamento deve sempre ser utilizado em um sistema onde exista um cinturão paraquedista e um talabarte de segurança antiqueda. Ponto de conexão para o cinturão Proteção para contato com a estrutura Ponto de conexão para o cinturão Dispositivo de regulagem Talabarte de posicionamento com regulagem. Ponto de conexão para o cinturão Talabarte de posicionamento simples. Proteção para contato com a estrutura Desenhos meramente ilustrativos. Ponto de conexão para o cinturão Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 09

12 E. Trava-queda para uso em linha flexível NBR O equipamento acompanha o trabalhador durante a subida e descida, sem a necessidade de ação manual. Possui função de bloqueio automático em caso de queda. É destinado a deslizar sobre linha de vida apropriada e flexível confeccionada em corda sintética ou cabo de aço, tendo sua ancoragem fixa em um ponto acima do sistema de segurança. Trava-queda para linha flexível Extensor Corda Ponto de conexão com o cinturão Cartilha de segurança F. Trava-queda para uso em linha rígida NBR O equipamento acompanha o trabalhador durante a subida e descida, sem a necessidade de ação manual. Possui função de bloqueio automático em caso de queda. É destinado a deslizar sobre linha de vida apropriada e rígida, confeccionada em cabo de aço ou trilho. Sua fixação é realizada de forma a restringir a movimentação lateral do sistema. Trava-queda para linha rígida Cabo de aço Ponto de conexão com o cinturão 10 Desenhos meramente ilustrativos.

13 G. Trava-queda retrátil NBR Equipamento desenvolvido com um elemento de amarração retrátil, confeccionado em cabo de aço, fita sintética ou corda sintética. Possui função de liberação e retrocesso automático e de bloqueio em caso de queda. Ponto de conexão com o cinturão Ponto de conexão com a estrutura Elemento de amarração retrátil H. Absorvedor de energia NBR Através de sua deformação controlada, este equipamento absorve uma parte importante da energia de queda. Sem ele, esta energia de impacto será transmitida diretamente ao corpo do trabalhador. Pontos de conexão Dispositivo absorvedor de energia I. Conector NBR Dispositivo que abre e fecha, desenvolvido para unir diferentes componentes de um sistema de proteção contra queda. Possui versões com fechamento automático, com trava manual e com trava automática. Tipo gancho Tipo gancho pequeno Mosquetão Malha rápida Desenhos meramente ilustrativos. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 11

14 4 Marcação do EPI A marcação dos EPIs deve ser feita de forma indelével e de acordo com as exigências das normas técnicas respectivas da NR6. Exemplo de marcação de um cinturão paraquedista: Cartilha de segurança 12

15 5 Sistemas de proteção contra quedas 5.1 Sistema de proteção contra queda com trava-queda retrátil Esse sistema funciona soltando ou retraindo a amarração conforme o deslocamento vertical do trabalhador. Ao receber uma aceleração brusca (como uma queda), o trava-queda retrátil trava automaticamente. Ponto de ancoragem Trava-queda retrátil Cinturão paraquedista Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 13

16 5.2 Sistema de proteção contra queda com trava-queda sobre linha de vida flexível Ponto de ancoragem Corda (linha de vida flexível) Trava-queda Cinturão paraquedista Cartilha de segurança 14

17 5.3 Sistema de proteção contra queda com trava-queda sobre linha de vida rígida Ponto de ancoragem Cabo de aço ou trilho (linha de vida rígida) Trava-queda Cinturão paraquedista Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 15

18 5.4 Sistema de proteção contra queda para deslocamentos com talabarte de segurança Esse sistema funciona apenas com talabartes duplos em "Y", garantindo que o trabalhador esteja sempre conectado por pelo menos um ponto com a estrutura, durante o seu deslocamento. Ponto de ancoragem Cinturão paraquedista Talabarte com absorvedor de energia Cartilha de segurança 16

19 6 Riscos relacionados ao uso do equipamento A queda em si é considerada o principal risco, porém, existem outros atrelados que devem ser considerados: Ergonomia inadequada; Limitação de movimentos; Tropeço em talabartes; A força de retenção de queda (força de impacto); Queda com pêndulo e conseqüente choque contra estrutura; Ajuste correto do cinturão paraquedista; Suspensão no equipamento a espera de resgate. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 17

20 7 Como selecionar A escolha correta de um EPI para trabalho em altura deve ser feita por um profissional capacitado contando sempre com o auxílio do trabalhador. É de suma importância o conhecimento aprofundado sobre o local de trabalho, uma boa noção de EPI e as técnicas de trabalho em altura. Recomendações para escolha correta: Análise da atividade; Acessórios adequados ao trabalho; Ergonomia correta (tamanho); Influências externas. Cartilha de segurança 18

21 8 Cuidados 8.1 Ações preventivas Para fornecer uma proteção eficaz contra riscos, o EPI para trabalho em altura deve se manter útil, durável e resistente, frente às inúmeras ações e influências, de forma que sua função de proteção seja garantida durante toda sua vida útil. Entre as ações que podem comprometer sua segurança estão: Armazenamento, limpeza e manutenção inadequados; Envelhecimento com a exposição desnecessária a raios solares e unidade; Escolha do EPI errado para a tarefa; Utilização não recomendada; Contato com produtos químicos como óleos, ácidos e solventes; Não observar o desgaste devido à natureza do trabalho, abrasão, sujeira, radiação e respingo de solda. Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 19

22 8.2 Indicações práticas A ancoragem deve resistir às forças originadas pela retenção de uma queda e, pela NR 18, devem ter uma resistência pontual de no mínimo kgf; > kgf Os pontos de ancoragem deverão ser acessados antes do trabalhador se expor ao risco de queda; Os talabartes e linhas de vida não devem passar por arestas agudas ou afiadas; É necessário que cada usuário de um EPI contra queda de altura esteja familiarizado com suas instruções de uso. O empregador ou o responsável que foi delegado deve providenciar formação adequada em função das necessidades; Normalmente os EPIs não devem ser utilizados por vários trabalhadores, pois sua ergonomia e proteção máxima se dá por meio de adaptação de tamanho e ajuste individual; Cartilha de segurança 20 Todos os empregados devem receber treinamentos admissional e periódico, visando a garantir a execução de suas atividades com segurança (conforme pede a NR18).

23 9 Manutenção Algumas recomendações para a manutenção correta do EPI são: Inspeção visual periódica; Armazenamento em local seco e arejado, longe de fontes de calor e protegido de luz solar; Manter protegido de substâncias químicas; Proteger o EPI durante o transporte; Atender as recomendações do fabricante com relação à lavagem; Mesmo que não sejam utilizadas, as fibras sintéticas sofrem envelhecimento. Seu EPI é o seu maior aliado na prevenção de acidentes. Cuide bem dele! Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 21

24 10 Prepare-se antes de subir Cuidados a serem tomados para o trabalho em altura: Planeje. Nunca subestime os riscos; Evite o trabalho em altura se existir alternativa; Escolha equipamentos adequados para o trabalho; Inspecione. A manutenção dos equipamentos deve ser freqüente; Supervisione para ter certeza do método correto de trabalho; Nunca trabalhe sozinho. Cartilha de segurança 22

25 11 Glossário ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas ABS - Absorvedor de energia CA - Certificado de Aprovação EPI - Equipamento de proteção individual INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial MTE - Ministério do Trabalho e Emprego NBR - Norma Brasileira de Regulamentação NR - Norma Regulamentadora Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura 23

26 Referências bibliográficas NRs Normas Regulamentadoras da Portaria 3.214, de 8/6/1978. NR6 Equipamentos de Proteção Individual. NR-18 Norma Regulamentadora sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Trava-quedas deslizante guiado em linha flexível. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Trava-quedas guiado em linha rígida. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Trava-quedas retrátil. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Absorvedor de energia. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Talabarte de segurança. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Cinturão de segurança. tipo abdominal e talabarte de segurança para posicionamento e restrição. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Cinturão de segurança tipo paraquedista. NBR Equipamento de proteção individual contra queda de altura - Conectores. Diretiva Européia 89/686/EEC de 30 de novembro de Cartilha de segurança Seleção e utilização de EPI para trabalho em altura Iniciativa: Altiseg - Segurança em Altura Criação gráfica e ilustrações: Proxima Studio Cartilha de segurança 24 Contribuíram para a produção desta cartilha: Marcos Amazonas Alessandro Luszczynski Patricia dos Santos Carlos Eduardo Lana Neves Paula Caldas Ribeiro Bruna Luszczynski Ibrahim Kleber Daniel Schuch Paulo Ricardo

27

28 2ª edição Set/2011

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

Considerações sobre Proteção Contra Quedas

Considerações sobre Proteção Contra Quedas Para desenvolver e implementar um sistema de proteção contra quedas é importante estar familiarizado com as seguintes considerações e conceitos: Queda Livre: É a distância entre o ponto que o trabalhador

Leia mais

Cinto de segurança para trabalhos em locais elevados. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cinto de segurança para trabalhos em locais elevados. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cinto de segurança para trabalhos em locais elevados Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo Orientar sobre a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança para todos que

Leia mais

Principais atualizações nas normas de EPI para o trabalho em altura

Principais atualizações nas normas de EPI para o trabalho em altura Principais atualizações nas normas de EPI para o trabalho em altura Estrutura antes da atualização NBR 11370:2001 Cinturão e talabarte de segurança NBR 14626:2000 Trava queda guiado em linha flexível NBR

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014 PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA Eng. Alberto Delgado Gerente de Treinamento Região América Latina 2 AGENDA Estatísticas dos Acidentes no Trabalho Riscos típicos de Trabalhos em Altura Revisão

Leia mais

Bem Vindos ao Work Shop Trabalho em Altura PROT-CAP / CAPITAL SAFETY. Abril de 2012. Fabio Cruz. cruz.fabio@protcap.com.br

Bem Vindos ao Work Shop Trabalho em Altura PROT-CAP / CAPITAL SAFETY. Abril de 2012. Fabio Cruz. cruz.fabio@protcap.com.br Work Shop Trabalho em Altura Bem Vindos ao Work Shop Trabalho em Altura PROT-CAP / CAPITAL SAFETY Abril de 2012 Fabio Cruz cruz.fabio@protcap.com.br Programação Inicio das Atividades Apresentação Prot-Cap

Leia mais

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a A aplicação de uma competente estratégia pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de um programa de proteção contra quedas, bem como justificar o tempo investido em sua elaboração e administração.

Leia mais

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX 1 Sumário Treinamento específico e essencial.... 3 Manutenção, serviço e armazenamento.... 3 Inspeção... 3 Uso... 4 Tempo de vida do Produto.... 4 Garantia... 4

Leia mais

Manual para trabalhos em altura.

Manual para trabalhos em altura. Manual para trabalhos em altura. Montagem de andaimes. O trabalho de montagem de andaimes possui características peculiares, pois em geral, os pontos de ancoragem são o próprio andaime, o que requer uma

Leia mais

QUANDO O ASSUNTO É PROTEÇÃO NINGUÉM FAZ MELHOR.

QUANDO O ASSUNTO É PROTEÇÃO NINGUÉM FAZ MELHOR. QUANDO O ASSUNTO É PROTEÇÃO NINGUÉM FAZ MELHOR. ALTISEG, A PRIMEIRA EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA EM ALTURA A POSSUIR O SELO DE CONFORMIDADE INMETRO. Fundada em 1987, a Altiseg é uma marca líder em seu

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA NORMA REGULAMENTADORA - NR 35 Trabalho em Altura 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PÁG. 1/11 1. OBJETIVO Sistematizar os procedimentos de execução de trabalho em altura acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda. 2. ÁREA DE ABRANGÊNCIA Esta instrução de

Leia mais

CONFORMIDADE LEVADA A SÉRIO.

CONFORMIDADE LEVADA A SÉRIO. CONFORMIDADE LEVADA A SÉRIO. CATÁLOGO DE PRODUTOS 2015 ALTISEG, A PRIMEIRA EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA EM ALTURA A POSSUIR O SELO DE CONFORMIDADE INMETRO. CUSTON custon pro 1180147-1 (P-M) 1180149-2

Leia mais

A STEELFLEX, nova marca da BSB, chega ao mercado de EPIs com um portifólio de produtos diferenciados, de alta performance e design arrojado.

A STEELFLEX, nova marca da BSB, chega ao mercado de EPIs com um portifólio de produtos diferenciados, de alta performance e design arrojado. A STEELFLEX, nova marca da BSB, chega ao mercado de EPIs com um portifólio de produtos diferenciados, de alta performance e design arrojado. Com o objetivo de oferecer soluções cada vez mais eficazes para

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência...

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência... A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural Gianfranco Pampalon E o homem, a natureza equipou com inteligência... 1 Definição: 6.1 EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual do Tipo Cadeirinha Mecânica Cabo Passante O Balancim Individual Manual AeroAndaimes é um equipamento para movimentações verticais realizadas através do guincho de

Leia mais

11/12/2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. 08/12/2011 São Paulo

11/12/2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. 08/12/2011 São Paulo MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO 08/12/2011 São Paulo 1 CAUSAS DE ACIDENTES GRAVES E FATAIS Queda é a uma das principais p causas acidentes fatais no Brasil eno mundo. de Início da queda Fases de uma queda

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Item 35.5 da NR-35 (Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem)

CONSULTA PÚBLICA Item 35.5 da NR-35 (Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem) MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para revisão do Item 35.5 (Equipamentos de Proteção Individual,

Leia mais

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Forças geradas por uma queda

Forças geradas por uma queda Forças geradas por uma queda Avaliar os riscos envolvidos em cada uma das etapas de trabalho e usar o equipamento adequado nem sempre é procedimento suficiente para impedir um acidente. É preciso considerar

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação de Norma Regulamentadora sobre Trabalho em Altura

Leia mais

Legislação de aprovação de produtos. Responsabilidades INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial

Legislação de aprovação de produtos. Responsabilidades INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Legislação de aprovação de produtos O processo de aprovação envolve 5 partes: Processos de Aprovação Brasil Silvia Pini Arruda Silvia.pini@msasafety.com 11 40705997 Ministério do trabalho (governo); Agência

Leia mais

NR 35 TRABALHO EM ALTURA

NR 35 TRABALHO EM ALTURA Márcio F Batista Bombeiro e Tecnólogo de Segurança NR 35 TRABALHO EM ALTURA Objetivos Estabelecer os procedimentos necessários para a realização de trabalhos em altura, visando garantir segurança e integridade

Leia mais

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 1987-2012 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Legislação

Leia mais

NR.35 TRABALHO EM ALTURA

NR.35 TRABALHO EM ALTURA NR.35 TRABALHO EM ALTURA Objetivo e Campo de Aplicação Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução,

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria MTE n.º 593, de 28 de abril

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS INDIVIDUAIS PARA MOVIMENTAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL EM TRABALHOS EM ALTURA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS INDIVIDUAIS PARA MOVIMENTAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL EM TRABALHOS EM ALTURA. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS INDIVIDUAIS PARA MOVIMENTAÇÃO VERTICAL E HORIZONTAL EM TRABALHOS EM ALTURA. REVISÃO 11/2010 1 INTRODUÇÃO A adoção das novas especificações técnicas dos equipamentos

Leia mais

Catálogo Eletrônico. Email: montich@ Contato: (11) 2356-6456 / (11) 99857-9813 2013

Catálogo Eletrônico. Email: montich@ Contato: (11) 2356-6456 / (11) 99857-9813 2013 Catálogo Eletrônico Email: montich@ 2013 APRESENTAÇÃO A MONTICH ENGENHARIA, fundada em julho de 2013, com sede própria, hoje é especializada diretamente no seguimento de Fabricação, Projetos e Instalações

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

Não devemos esquecer que a escolha dos equipamentos deverá, em qualquer situação, garantir conforto e segurança ao trabalhador nas três operações:

Não devemos esquecer que a escolha dos equipamentos deverá, em qualquer situação, garantir conforto e segurança ao trabalhador nas três operações: TRABALHO EM ESPAÇOS CONFINADOS O objetivo deste informativo é apresentar, de forma simples, as quatro escolhas básicas que deverão ser feitas para especificação de um conjunto de equipamentos, exigidos

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 35 - NR35 TRABALHO EM ALTURA

NORMA REGULAMENTADORA Nº 35 - NR35 TRABALHO EM ALTURA NORMA REGULAMENTADORA Nº 35 - NR35 TRABALHO EM ALTURA Obs: 1- A Portaria MTE 593/2014 entra em vigor na data de sua publicação(28.04.2014), com exceção dos itens 2.1, alínea "b", e 3.2 do Anexo I - Acesso

Leia mais

Figura 1: Plataforma de trabalho do andaime. Figura 2: Piso metálico da plataforma de trabalho.

Figura 1: Plataforma de trabalho do andaime. Figura 2: Piso metálico da plataforma de trabalho. INSTRUÇÕES DE USO ANDAIME TUBULAR 1. Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas. 2. O piso de trabalho dos andaimes deve

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 1 SUMÁRIO Acessórios 03 Instruções de montagem 04 Dicas Importantes 10 Acesso dos Andaimes 11 Informações de Segurança 12 2 ACESSÓRIOS 3 ANDAIME FACHADEIRO INSTRUÇÕES

Leia mais

INSTRUÇÃO DE EXAMES CANDIDATO INS-002

INSTRUÇÃO DE EXAMES CANDIDATO INS-002 Página 1 de 14 1. OBJETIVO Fornecer ao candidato as instruções necessárias para execução do exame prático de Acesso por Corda de acordo com o Sistema de Certificação ANEAC. 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS - NAC-005

Leia mais

Honeywell Produtos de Segurança. Proteção em Altura Como atender a nova NR-35 quando o assunto for EPI. Política de Segurança Inteligente

Honeywell Produtos de Segurança. Proteção em Altura Como atender a nova NR-35 quando o assunto for EPI. Política de Segurança Inteligente Honeywell Produtos de Segurança Proteção em Altura Como atender a nova NR-35 quando o assunto for EPI Política de Segurança Inteligente 1 Índice Introdução 3-6 Seu equipamento de proteção de queda é um

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Técnicas de escalada, movimentação e salvamento em estruturas elevadas de subestações

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 Página 1 de 25 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 5 7. CONDIÇÕES GERAIS... 5 8. SELO

Leia mais

NR 35 Trabalho em Altura

NR 35 Trabalho em Altura Professor Flávio Nunes NR 35 Trabalho em Altura CLT: Art.200 www.econcursando.com.br 1 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para

Leia mais

08/08/2013 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Deuteronômios 22.8

08/08/2013 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Deuteronômios 22.8 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Deuteronômios 22.8 09/08/2013 Quando edificares uma casa nova, farás um parapeito, no eirado (terraço), para que não ponhas culpa de sangue na tua casa, se alguém de algum

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

Considerando a importância de que tais componentes, comercializados no país, apresentem requisitos mínimos de segurança;

Considerando a importância de que tais componentes, comercializados no país, apresentem requisitos mínimos de segurança; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 388, de 24 de julho de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL: 1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica. 2.0 - APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica à montagem,

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

\\\\\\\\\\\\\\\\\\ \\\\\\\\\\\\\\\ MANUAL DE INSTRUÇÕES

\\\\\\\\\\\\\\\\\\ \\\\\\\\\\\\\\\ MANUAL DE INSTRUÇÕES \\\\\\\\\\\\\\\\\\ \\\\\\\\\\\\\\\ MANUAL DE INSTRUÇÕES FLEX MACA FLEX ATENÇÃO NÃO PERMITIR CONTATO COM MATERIAIS CORROSIVOS OU AGRESSIVOS. MANTER MACA E COMPONENTES AFASTADOS DE FONTES DE CALOR. INSPECIONAR

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS

ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS MÉTODO UTILIZADO As orientações constantes deste documento são uma compilação das exigências

Leia mais

A V I D A A C I M A D E T U D O. C A T Á L O G O D E P R O D U T O S v. 3. 2

A V I D A A C I M A D E T U D O. C A T Á L O G O D E P R O D U T O S v. 3. 2 A V I D A A C I M A D E T U D O S O L U Ç Õ E S E M A L T U R A E E S P A Ç O C O N F I N A D O C A T Á L O G O D E P R O D U T O S v. 3. 2 E Q U I P A M E N T O S T R E I N A M E N T O S S E R V I Ç O

Leia mais

Suport-ES debate a necessidade da aplicação da NR 35 Trabalho em Altura

Suport-ES debate a necessidade da aplicação da NR 35 Trabalho em Altura Boletim Informativo do Sindicato Unificado da Orla Portuária SUPORT-ES 19 de março de 2015 Jornalista Cristiane Brandão Suport-ES debate a necessidade da aplicação da NR 35 Trabalho em Altura O Suport-ES,

Leia mais

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA Portaria SIT nº313/12 Todo trabalho em altura começa no solo OBJETIVO DO CURSO Promover a capacitação dos trabalhadores que realizam trabalhos em altura, no que diz respeito a prevenção de acidentes no

Leia mais

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO CINTAS QUALITY FIX Condições gerais de segurança... 4 As cores na movimentação... 5 Fator de Segurança... 5 A etiqueta azul de rastreabilidade... 6 Dicas de movimentação... 6 Certificado

Leia mais

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Mãos e dedos Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Nenhum empregado foi exposto ao perigo para produzir esse material. As fotos simulam possíveis situações de risco no seu dia de

Leia mais

Conjunto para Proteção de Trabalho em Altura e Conjunto para Resgate Aéreo

Conjunto para Proteção de Trabalho em Altura e Conjunto para Resgate Aéreo NORMA TÉCNICA CELG D Conjunto para Proteção de Trabalho em Altura e Conjunto para Resgate Aéreo NTS-08 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3. TERMINOLOGIA

Leia mais

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001

Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 Portaria nº 30 de 20 de Dezembro de 2001 A SECRETÁRIA DE INSPEÇAO DO TRABALHO e o DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições legais que lhe conferem o Decreto n.º

Leia mais

METODOLOGIA DE RESGATE COM LINHA DE VIDA

METODOLOGIA DE RESGATE COM LINHA DE VIDA METODOLOGIA DE RESGATE COM LINHA DE VIDA Autor Carmelindo Monteiro Neto COMPANHIA ENERGÉTICA DO CEARÁ - COELCE RESUMO Este trabalho apresenta metodologias bastante simples de instalação de linha de vida

Leia mais

O EPI e seus sistemas dentro da nova NR 35 Trabalho

O EPI e seus sistemas dentro da nova NR 35 Trabalho O EPI e seus sistemas dentro da nova NR 35 Trabalho em altura. Por: Marcos Amazonas, Gerente Técnico da Honeywell Produtos de Segurança. NR de Trabalho em altura Especificidade Há muito aguardada, entrou

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO, INSPEÇÃO E SEGURANÇA BALANCIM MANUAL TIPO CABO PASSANTE

PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO, INSPEÇÃO E SEGURANÇA BALANCIM MANUAL TIPO CABO PASSANTE PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO, INSPEÇÃO E SEGURANÇA BALANCIM MANUAL TIPO CABO PASSANTE Os Andaimes Suspensos da AeroAndaimes, são caracterizados por serem versáteis, proporcionando movimentações rápidas e

Leia mais

Prof. Casteletti. Segurança na Operação de Ponte Rolante

Prof. Casteletti. Segurança na Operação de Ponte Rolante Segurança na Operação de Ponte Rolante Material elaborado pelo Professor LUÍS FRANCISCO CASTELETTI Formação: Técnico em Segurança do Trabalho Técnico Mecânico Licenciatura Plena em Pedagogia Pós Graduação

Leia mais

Abraçadeira Absorvedor de energia Análise de Risco Ancoradouro Andaime Andaime de Encaixe Rápido Andaime de Quadro Andaime em Balanço

Abraçadeira Absorvedor de energia Análise de Risco Ancoradouro Andaime Andaime de Encaixe Rápido Andaime de Quadro Andaime em Balanço Abraçadeira - Componente de união no andaime tubular convencional fabricado em aço-mola forjado, temperado e revenido, pesando aproximadamente 1,24Kg por peça, composta de um corpo principal e dois parafusos

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

Manual do Locatário ANDAIME TUBULAR Instruções para Instalação e Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO ANDAIMES Andaimes são estruturas metálicas tubulares para acesso à altura para trabalho aéreo

Leia mais

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA.

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para Substituição e Manutenção de Chaves Fusíveis de Transformador em rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

O QUE É A NR 35? E-Book

O QUE É A NR 35? E-Book Nós da DPS Consultoria e Assessoria em Segurança do Trabalho, queremos inicialmente manifestar nossa satisfação pelo seu interesse em nosso E-book. Nossa meta é proporcionar a você um material para auxiliar

Leia mais

O uso correto de talabartes duplos

O uso correto de talabartes duplos O uso correto de talabartes duplos Por: Marcos Amazonas, Gerente Técnico Trabalho em Altura Honeywell Produtos de Segurança. O TALABARTE DENTRO DO SISTEMA O sistema individual de proteção de queda é formado

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

DO TRABALHO E MP R EGO

DO TRABALHO E MP R EGO M I N I S T É R I O DO TRABALHO E E MP R EGO 15/06/2011 CAUSAS DE ACIDENTES GRAVES E FATAIS Queda é a uma das principais causas de acidentes fatais no Brasil e no mundo. ACIDENTES NA CONSTRUÇÃO

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

Implantação da NR 35 nos canteiros de obras

Implantação da NR 35 nos canteiros de obras SEMINÁRIO GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS CANTEIROS DE OBRA Implantação da NR 35 nos canteiros de obras BH 17/08/2012 Atividades dos Trabalhos em Altura Construção civil Taludes e Telhados Telecomunicações

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

ManSafe para a indústria

ManSafe para a indústria Brochura sobre aplicações ManSafe para a indústria Sistemas de proteção contra queda para aplicações industriais Sistemas de suspensão Sistemas horizontais LadderLatch VersiRail Trava quedas retrátil (SRL,

Leia mais

Orientações Básicas. para. Trabalhos em Telhados

Orientações Básicas. para. Trabalhos em Telhados Orientações Básicas para Trabalhos em Telhados Caderno de Prevenção 1 2 TRABALHO EM TELHADOS O objetivo deste estudo é apenas apresentar os procedimentos de segurança a serem observados na realização de

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Determinar a metodologia para substituição de condutor de média tensão, em vão de rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

artigo Análise da aplicação da norma NBR 15.836: 2011 Cintos de Segurança Tipo Paraquedista em

artigo Análise da aplicação da norma NBR 15.836: 2011 Cintos de Segurança Tipo Paraquedista em artigo Envie artigo para: techne@pini.com.br. O texto não deve ultrapassar o limite de 15 mil caracteres (com espaço). Fotos devem ser encaminhadas separadamente em JPG nálise da aplicação da norma NR

Leia mais

Bigcompra. "Qualidade mundial na distribuição e fabricação de Equipamentos de Proteção ao Homem"

Bigcompra. Qualidade mundial na distribuição e fabricação de Equipamentos de Proteção ao Homem Bigcompra "Qualidade mundial na distribuição e fabricação de Equipamentos de Proteção ao Homem" A Bigcompra Ltda é uma empresa especializada na fabricação e importação de E.P.I. (Equipamentos de Proteção

Leia mais

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO e MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO Trabalho em Altura Uma das principais causas de acidentes de trabalho graves e fatais se deve a eventos envolvendo quedas de trabalhadores de diferentes

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS Em 2009 a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho

Leia mais

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho

Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho Obrigações legais no trabalho com máquinas e equipamentos de trabalho 1 1. A campanha MET 2. Aquisição de máquinas seguras 3. Utilização de equipamentos de trabalho bem adaptados 4. Locais de trabalho

Leia mais

TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS

TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS INTRODUÇÃO: O crescente desenvolvimento das técnicas de montagem das estruturas espaciais torna, a cada dia, mais rápida a colocação das colunas e vigas, porém, os atuais

Leia mais

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 ANEXO X Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Página 1 de 5 1 - CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1 As normas aplicáveis aos serviços a serem

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

MANUAL TÉCNICO JIRAU PASSANTE ELÉTRICO

MANUAL TÉCNICO JIRAU PASSANTE ELÉTRICO MANUAL TÉCNICO SUMÁRIO Introdução 03 Descrição da plataforma 04 Instruções de montagem 08 Informações de segurança 12 INTRODUÇÃO O ANDAIME SUSPENSO ELÉTRICO JIRAU é recomendado para trabalhos em altura

Leia mais

Engª Luisa Tânia - Agosto/2012.

Engª Luisa Tânia - Agosto/2012. Engª Luisa Tânia - Agosto/2012. Instrumento de referência para que o TA seja realizado de forma segura. Requisitos mínimos NR a ser complementada por anexos que contemplarão as especificidades das mais

Leia mais

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1 Riscos adicionais Riscos adicionais De altura; De ambientes confinados; De áreas classificadas; De umidade; Condições atmosféricas; Ataque de animais peçonhentos/domésticos. Altura Trabalho em altura é

Leia mais

CADERNO DE PROTEÇÕES COLETIVAS

CADERNO DE PROTEÇÕES COLETIVAS Quando edificares uma casa nova, farás um parapeito, no eirado, para que não ponhas culpa de sangue na tua casa, se alguém de algum modo cair dela. Moisés (1473 A.C.). Deuteronômio 22.8 CADERNO DE PROTEÇÕES

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM

Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM Descrição O Miller SkyORB TM é um dispositivo de ancoragem portátil com braço giratório especialmente projetado para sistemas de elonamento, carregamento/

Leia mais

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela.

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÂO POP 005000-OM -06 1/2 PINTURA DE PAREDE COM USO DE ANDAIME REVISÃO: 00 FOLHA 1- OBJETIVO ESTE PROCEDIMENTO ESTABELECE OS REQUISITOA MÍNIMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DE PINTURA.

Leia mais

Protecção Anti-QuedA

Protecção Anti-QuedA Protecção Anti-Queda INFORMAÇÃO TÉCNICA ANTI-QUEDA NORMAS E CARACTERISTICAS PROTECÇÃO CONTRA QUEDAS EM ALTURA NORMAS: EN 341 EN 353-1 EN 353-2 EN 354 EN 355 EN 363 EN 364 EN365 EN 813 EN 1891 Equipamentos

Leia mais

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha Isolantes de Índice Instruções Gerais EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) 5 8 Luvas Isolantes de Borracha 10 Mangas Isolantes de Borracha 12 EPC s (Equipamentos de Proteção Coletiva) 14 Manta Isolante

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança e Higiene no Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIV Protecção Individual um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTE NOS TRABALHOS EM ALTURA

PREVENÇÃO DE ACIDENTE NOS TRABALHOS EM ALTURA PALESTRA PREVENÇÃO DE ACIDENTE NOS TRABALHOS EM ALTURA OBJETIVO: PASSAR CONHECIMENTO E EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES EM TRABALHO EM ALTURA O QUE DIZ A LEI SEGUNDO A LEI, A CULPA ESTÁ

Leia mais

Índice. Página. 1.1. Redes de Segurança... 2 1.2. Guarda-corpos... 4 1.3. Andaimes metálicos... 4 1.4. Bailéus... 5

Índice. Página. 1.1. Redes de Segurança... 2 1.2. Guarda-corpos... 4 1.3. Andaimes metálicos... 4 1.4. Bailéus... 5 !""#$!""%&'( Índice Página 1.1. Redes de Segurança... 2 1.2. Guarda-corpos..... 4 1.3. Andaimes metálicos...... 4 1.4. Bailéus........ 5 EPC 1/6 EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO COLECTIVA (texto provisório) 1.1

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais