STJ AMÉRICO LUÍS MARTINS DA SILVA DIREITO DE FAMÍLIA UNIÕES CONJUGAIS, ESTÁVEIS, INSTÁVEIS E COSTUMES ALTERNATIVOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "STJ AMÉRICO LUÍS MARTINS DA SILVA DIREITO DE FAMÍLIA UNIÕES CONJUGAIS, ESTÁVEIS, INSTÁVEIS E COSTUMES ALTERNATIVOS"

Transcrição

1 AMÉRICO LUÍS MARTINS DA SILVA ~~Sd±=======================~C=:~ ~~=d±=======================~c=:~ DIREITO DE FAMÍLIA UNIÕES CONJUGAIS, ESTÁVEIS, INSTÁVEIS E COSTUMES ALTERNATIVOS A família e as uniões sexuais em seus aspectos naturais e culturais; Evolução histórica da família e das uniões sexuais; A realidade atual das uniões sexuais e da família nas sociedades humanas; As modalidades de uniões sexuais e de constituição da família, sua natureza e seus aspectos jurídicos; Casamento e as normas jurídicas que o regulam; As uniões estáveis heteroafetivas reconhecidas e não reconhecidas; Uniões instáveis heteroafetivas; Uniões estáveis poliafetivas; Uniões estáveis homoafetivas; Família monoparental; Legitimação das normas jurídicas, direito vivo e costumes alternativos "t4 CRONUS

2 EDITORA CRONUS América Lu{s Martins Da Silva Procurador Federal. Professor de Direito Econômico, de Direito Empresarial, Direito Imobiliário, Direito Civil e Planejamento Tributário da Escola de Pós-Graduação em Economia - EPGE da Fundação Getúlio Vargas - FGV. Professor de Direito Societário da Escola Brasileira de Administração Pública - EBAP da Fundação Getúlio Vargas - FGV. Professor de Direito Societário da Escola da Magistratura do Rio de Janeiro - EMERJ. Professor de Direito Tributário do Curso de Pós-Graduação em Direito Tributário da Universidade Cândido Mendes - UCAM. Professor de Direito Comercial do Curso de Graduação em Direito da Universidade Estácio de Sá. Especialista em Direito Empresarial, pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília - CEUB. Pós-graduado em Direito Civil pela Escola Superior da Magistratura do Distrito Federal. Mestre em Direito Empresarial, pela Universidade Gama Filho - UGF do Rio de Janeiro. Capa: IDÉE. Arte e Comunicação Revisão: América Luís Martins Da Silva Produção Gr4fica: Editora Cronus Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, a violação dos direitos autorais é punível como crime, previsto no Código Penal e na Lei de direitos autorais (Lei n , de ). Todos os direitos desta edição reservados à EDITORA CRONUS Rua Rui Rocha, n. 156 ]d. Colonial Claudia Leme/SP CEP: (19)

3 CAPÍTULO I A FAMÍLIA E AS UNIÕES SEXUAIS EM SEUS ASPECTOS NATURAIS E CULTURAIS 1.1. Introdução O estado de natureza O estado de cultura ou de sociedade Distinção entre fatos do estado de natureza e fatos do estado de cultura Leis naturais e leis convencionais Leis convencionais universais Intervenção da cultura na união sexual natural Subsistência de tendências naturais contrárias às instituições culturais Modalidades de uniões sexuais como instituições naturais ou como instituições culturais CAPÍTULO 11 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA FAMÍLIA E DAS UNIÕES SEXUAIS 2.1. Introdução O estado primitivo de promiscuidade dos sexos As uniões experimentais intermediárias O matrimônio por grupos O matrimônio sindiásmico A monogamia As uniões sexuais na Grécia antiga Casamento por captura, por compra e por serviços prestados ao pai da noiva As uniões sexuais no Direito Romano O cristianismo e as uniões sexuais

4 2.11. A influência do Direito Canônico na estrutura das uniões sexuais O Direito Burguês e as uniões sexuais baseadas no amor sexual moderno Influência das condições econômicas e sociais sobre as uniões sexuais Evolução histórica das uniões sexuais no Brasil colonial e o direito vigente na época A estrutura jurídica das uniões sexuais no Brasil imperial e no Brasil republicano CAPÍTULO UI A REALIDADE ATUAL DAS UNIÕES SEXUAIS E DA FAMÍLIA NAS SOCIEDADES HUMANAS 3.1. Introdução Família tradicional e família moderna Influências pré-históricas sobre a família moderna Reestruturação da família As novas definições de "família" e o conceito de "unidade doméstica" Dados estatísticos sobre a situação atual das uniões sexuais Situação atual das minorias CAPÍTULO IV AS MODALIDADES DE UNIÕES SEXUAIS E DE CONSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA, SUA NATUREZA E SEUS ASPECTOS JURÍDICOS 4.1. Introdução Elementos diferenciadores das modalidades de uniões sexuais Oficialidade e não-oficialidade Conceito e requisitos da união sexual estável CAPÍTULO V CASAMENTO E AS NORMAS JURÍDICAS QUE O REGULAM 5.1. Definição de casamento Natureza jurídica do casamento Fins do casamento Princípios do casamento

5 5.5. Características do casamento Fases do casamento Fase da habilitação dos contraentes e publicação dos proclamas Capacidade dos contraentes Impedimentos matrimoniais Conceito e características do impedimento Evolução histórica do impedimento matrimonial Espécies de impedimento Impedimento matrimonial dos entre ascendentes e os descendentes Impedimento matrimonial entre parentes afins em linha reta Impedimento matrimonial entre o adotante e o cônjuge do adotado e o adotado e o cônjuge do adotante Impedimento matrimonial entre irmãos, unilaterais ou bilaterais, e demais colaterais, até o terceiro grau inclusive Impedimento matrimonial entre o adotado e o filho do adotante Impedimento matrimonial entre pessoas casadas Impedimento matrimonial entre o cônjuge sobrevivente e o condenado por homicídio do seu consorte Impedimentos matrimoniais entre nubentes de nacionalidades diferentes Impedimentos matrimoniais canônicos Causas suspensivas do casamento Conceito e características das causas suspensivas Espécies de causas suspensivas Casamento de viúvo ou viúva sem inventário e partilha dos bens Casamento de viúva ou de mulher cujo casamento foi anulado ou se desfez até dez meses depois da viuvez ou da dissolução Casamento de divorciado, enquanto não homologada ou decidida a partilha dos bens Casamento envolvendo o tutor, ou o curador, e respectivos parentes, com a pessoa tutelada ou curatelada Oposição dos impedimentos e das causas suspensivas Conceito de oposição Legitimação para apresentar oposição Forma da oposição Oportunidade para apresentação da oposição Procedimento da oposição Efeitos da oposição Dispensa dos impedimentos e das causas suspensivas Fases do processo de habilitação

6 Documentação que instruem a habilitação Requerimento para habilitação matrimonial Identificação dos contraentes Certidão de nascimento dos contraentes Comprovante de residência Autorização ou anuência dos pais ou responsáveis Suprimento judicial do consentimento Declaração de duas testemunhas Declaração de estado civil, de domicilio e de residência dos contraentes e respectivos pais Certidão de óbito do cônjuge falecido, de nulidade ou de anulação do casamento ou averbação do divórcio Habilitação de menores de dezesseis anos Proclamas Certidão Registro Exame pré-nupcial Peculiaridades do exame pré-nupcial Exames pré-nupciais para o casal Exames pré-nupciais para as mulheres Exames pré-nupciais para os homens Fase da celebração do matrimônio Formalidades da celebração do matrimônio Suspensão da celebração do matrimônio Celebração do matrimônio por procuração Celebração do matrimônio religioso com efeitos civis Assento do casamento no Livro de Registro Prova do casamento e estado de casado Invalidade do casamento Casamento inexistente Identidade de sexos Falta de celebração matrimonial Ausência total de consentimento Casamento nulo Características da nulidade matrimonial Causas taxativas da nulidade matrimonial Legitimidade para promover a nulidade matrimonial Ação de nulidade matrimonial absoluta Efeitos jurídicos da nulidade matrimonial

7 Imprescritibilidade da nulidade matrimonial Casamento anulável Características da anulabilidade matrimonial Causas da anulabilidade matrimonial Legitimidade e prazo para promover a anulabilidade matrimonial Ação de anulação matrimonial Efeitos jurídicos da anulabilidade matrimonial Casamento putativo Eficácia do casamento Efeitos do casamento em geral Deveres de ambos os cônjuges Deveres conjugais explícitos Dever conjugal de fidelidade recíproca Dever conjugal de coabitação Dever conjugal de mútua assistência Dever conjugal de sustento, guarda e educação dos filhos Dever conjugal de respeito e consideração mútuos Deveres conjugais recíprocos implícitos Direitos dos cônjuges Direção da sociedade conjugal Direção unilateral e exclusiva da família Representação legal da sociedade conjugal Administração dos bens comuns e particulares do cônjuge Participação no sustento da família e na educação dos filhos Escolha do domicílio do casal Acréscimo do sobrenome do cônjuge Planejamento fanuliar Dissolução da sociedade e do vínculo conjugal Distinção da dissolução da sociedade conjugal e da dissolução do casamento Separação de corpos e afastamento temporário do lar conjugal Separação conjugal Separação conjugal judicial Separação conjugal extrajudicial ou admirustrativa Restabelecimento da sociedade conjugal Dissolução matrimonial pelo divórcio Evolução histórica do divórcio Divórcio nas antigas civilizações orientais Carta de repúdio no Código de Hamurabi Divórcio nas leis de Moisés e nas Escrituras

8 Divórcio no Direito Hebraico Divórcio na antiga Grécia Divórcio na Roma antiga Divórcio no âmbito eclesiástico Divórcio na época contemporânea Divórcio no Brasil até a década de Divórcio no Brasil após a Lei 6.515, de Divórcio no Brasil após a Constituição Federal de Divórcio no Brasil após a Emenda Constitucional no 66, de Divórcio extrajudicial Homologação de sentença estrangeira de divórcio Da proteção da pessoa dos filhos Legislação sobre a proteção dos filhos Definição de guarda Espécies de guarda Guarda comum Guarda unilateral e guarda compartilhada Guarda unilateral Desdobramento da guarda unilateral em guarda jurídica e material Guarda compartilhada Processo de guarda unilateral ou compartilhada Guarda derivada Guarda de fato Guarda provisória Guarda definitiva Guarda por terceiro ou por instituições Guarda para fim previdenciário Guarda alternada Aninhamento ou nidação Redução das prerrogativas da guarda e destituição do poder familiar Regulamentação excepcional da proteção dos filhos Guarda dos filhos e novas núpcias Direito de visita e sua extensão Descumprimento da guarda e sua subtração Relações de parentesco Peculiaridades do parentesco Definição e ordem de parentesco

9 Espécies de parentesco Linha de parentesco Grau de parentesco Filiação Conceito de filiação Espécies de filiação Princípio da igualdade da filiação Reconhecimento dos filhos Filiação na constância do casamento Filiação fora do casamento Reconhecimento da filiação pelo registro de nascimento Reconhecimento voluntário de filiação sem registro Oposição ao reconhecimento de filho maior e de filho menor Reconhecimento antes do nascimento ou após o falecimento do filho Ação anulatória de reconhecimento de filiação Reconhecimento judicial da paternidade Efeitos jurídicos do reconhecimento Reprodução Humana Assistida - RHA ou fecundação artificial Evolução história da procriação substituta Modalidades de inseminação artificial Contrato de gestação por substituição Regulamentação das técnicas de Reprodução Assistida - RA Consentimento do cônjuge na Reprodução Assistida - RA Investigação de paternidade pelo filho concebido por Reprodução Assistida - RA Inseminação artificial heteróloga e os direitos e obrigações do filho assim concebido Negatória de paternidade daquele que autorizou a inseminação artificial heteróloga Adoção Evolução histórica da adoção Definição e natureza jurídica da adoção Sujeito passivo e sujeito ativo da adoção Formas de adoção Requisitos da adoção Princípio da isonomia de direitos Adoção internacional Procedimento para a adoção

10 Efeitos da adoção Poder familiar Evolução histórica do poder familiar Conceito e características do poder familiar Titularidade do poder familiar Conteúdo do poder familiar Poder familiar quanto à pessoa dos filhos Poder familiar quanto aos bens dos filhos Cessação, suspensão e perda do poder familiar Regime de bens entre os cônjuges Conceito de regime de bens Princípios fundamentais do regime de bens Princípio da variedade do regime de bens Princípio da liberdade do pacto antenupcial Mutabilidade justificada do regime adotado Modalidades de regime de bens Regime da comunhão parcial de bens Regime da comunhão universal Regime de participação final nos aquestos Regime da separação de bens Usufruto e administração dos bens de filhos menores A incapacidade dos filhos e o usufruto e administração dos seus bens O usufruto pelos pais dos bens dos filhos menores A administração pelos pais dos bens dos filhos menores Proibições legais impostas aos pais Conflito de interesses Bens excluídos da administração e do usufruto dos pais Alimentos Definição e natureza dos alimentos Espécies de alimentos Classificação quanto à origem Classificação quanto à natureza Classificação quanto ao momento procedimental para sua concessão Classificação quanto ao momento de concessão Características do direito aos alimentos Obrigação legal alimentar Obrigação alimentar decorrente do parentesco Obrigação alimentar para com nascituro

11 Obrigação alimentar conjugal Revisão, exoneração e extinção da obrigação alimentar Revisão da obrigação alimentar Exoneração da obrigação alimentar Extinção da obrigação alimentar Ações de alimentos Ações de alimentos que cabem ao beneficiário Ações alimentares oriundas do Direito de Família Ações alimentares oriundas do Direito das Obrigações Ações alimentares oriundas do Direito da Sucessão Peculiaridades da ação de alimentos da Lei n 5.478, de Pedido e contestação Audiência de conciliação e julgamento Recurso, ação rescisória e revisão da sentença Peculiaridades da ação de reconhecimento de paternidade cumulada com alimentos Ação de alimentos que cabem ao alimentante Ação de oferta de alimentos Ação declaratória de exoneração do encargo alimentício Execução da prestação de alimentos Cumprimento da sentença que fixa alimentos ou homologatória de acordo Disposições que regulam a execução da prestação de alimentos Medidas processuais para cumprimento efetivo da sentença Desconto em folha de pagamento Desconto em folha de pagamento de funcionário público Desconto em folha de pagamento de militar Desconto em folha de pagamento de celetista Desconto em folha de pagamento de benefícios previdenciários Recebimento das rendas do alimentante Constituição de usufruto de bens do alimentante devedor Execução específica através de penhora e arrematação Prisão civil do alimentante Bem de família Conceito, característica e regulamentação do bem de família Evolução histórica do bem de família Bem de família involuntário ou legal (Lei no 8.009, de )

12 Definição e natureza do bem de família involuntário Titularidade do bem de família involuntário Forma de instituição do bem de família involuntário Objeto do bem de família involuntário Elementos essenciais para validade do bem de família involuntário Propriedade do bem de família involuntário Destinação do bem de família involuntário Solvabilidade de certas dívidas Ausência da inalienabilidade Extensão e valor do bem de família involuntário Efeitos do bem de família involuntário Casos de penhorabilidade do bem de família involuntário Penhorabilidade dos veículos de transporte, obras de arte e adornos suntuosos Penhorabilidade para garantir créditos de trabalhadores da própria residência e das respectivas contribuições previdenciárias Penhorabilidade para garantir crédito decorrente do financiamento destinado à construção ou à aquisição do imóvel Penhorabilidade para garantir crédito decorrente de pensão alimentícia Penhorabilidade para garantir crédito decorrente de impostos, predial ou territorial, taxas e contribuições devidas em função do imóvel familiar Penhorabilidade para garantir crédito decorrente de execução de hipoteca sobre o bem de família Penhorabilidade do bem de família adquirido com produto de crime e para garantir crédito decorrente de execução de sentença penal condenatória a ressarcimento, indenização ou perdimento de bens Penhorabilidade para garantir crédito decorrente de fiança concedida em contrato de locação Penhorabilidade no caso de aquisição de ma-fé imóvel mais valioso para transferir a residência familiar Extinção do bem de família involuntário Bem de família voluntário ou convencional (Código Civil de 2002) Definição do bem de família voluntário Quem pode instituir o bem de família voluntário Objeto do bem de família voluntário Limite do valor para o bem de família voluntário Elementos essenciais para a constituição do bem de família voluntário Propriedade do bem de família voluntário Destinação do bem de família voluntário

13 Solvabilidade do instituidor do bem de família voluntário Forma de instituição do bem de familia voluntário Efeitos da instituição do bem de família voluntário Impenhorabilidade Inalienabilidade Aplicação subsidiária da Lei no 8.009, de Procedimento de instituição do bem de familia voluntário Administração do bem de familia voluntário Vigência e extinção do bem de família voluntário Tutela Definição de tutela Espécies de tutela Tutela testamentária Tutela legal Tutela dativa Tutelados Tutores e protutores Incapazes de exercer a tutela Escusa dos tutores Exercício da tutela Bens do tutelado Prestação de contas pelo tutor Cessação da tutela Curatela Conceito de curatela Interditos Curadores Curatela do nascituro e do enfermo ou portador de deficiência física Requisitos da curatela Espécies de curatela Exercício da curatela Prestação de contas do curador Cessação da curatela Modelos Escritura Pública de Reconhecimento de Paternidade de Filha Maior Escritura Pública de Divórcio Consensual sem Bens Instrumento de Doação Voluntária de Sêmen

14 CAPÍTULO VI UNIÕES ESTÁVEIS HETEROAFETIVAS RECONHECIDAS E NÃO RECONHECIDAS 6.1. União de fato estável entre heterossexuais União de fato estável não reconhecida (concubinato) Evolução histórica do concubinato Conceito de concubinato Espécies de concubinato Proteção jurídica do concubinato União de fato estável e reconhecida Interpretação do 3 do art. 226 da Constituição Federal de Conceito de união estável Evolução histórica da união estável entre pessoas de sexos diferentes Requisitos básicos da união estável Espécies de união estável Conversão da união estável em casamento União estável e casamento oficial Regulamentação da conversão Legitimidade para requerer a conversão Forma da conversão Pacto antenupcial na conversão Efeitos da conversão Regime de bens na união estável Contrato de convivência Evolução legislativa do contrato de convivência Especificidade do contrato de convivência Momento do ajuste do contrato de convivência Cláusulas do contrato de convivência Clausula de regime de bens do contrato de convivência Alteração e extinção do contrato de convivência Validade dos atos frente ao contrato de convivência Necessidade de registro imobiliário do contrato de convivência Alimentos decorrentes da união estável Direitos sucessórios na união estável Dissolução da união estável e seus efeitos

15 6.4. Modelos Escritura Pública Declaratória de União Estável Regime da Comunhão Universal de Bens Escritura Pública de Dissolução de União EstáveL Escritura Pública de Pacto Antenupcial de Comunhão Universal de Bens durante União Estável CAPÍTULO VII UNIÕES INSTÁVEIS HETEROAFETIVAS 7.1. Introdução Uniões sexuais instáveis reprimidas pelas normas jurídicas Estupro Conceito de estupro Evolução histórica do estupro Espécies de estupro Estupro na legislação brasileira Violação sexual mediante fraude Conceito de violação sexual mediante fraude Pena da violação sexual mediante fraude Distinção entre violação sexual mediante fraude e estupro vulnerável Elementos da violação sexual mediante fraude Sujeito ativo e sujeito passivo da violação sexual mediante fraude Elemento subjetivo da violação sexual mediante fraude Consumação da violação sexual mediante fraude Forma qualificada da violação sexual mediante fraude Assédio sexual Conceito de assédio sexual Requisitos do assédio sexual Formas de assédio sexual Assédio sexual na legislação penal Estupro de vulnerável Conceito de estupro de vulnerável Evolução histórica do estupro de vulnerável Elemento subjetivo do estupro de vulnerável Consumação e tentativa do estupro de vulnerável Modalidades de estupro de vulnerável Classificação de estupro de vulnerável

16 Penas cominadas para o estupro de vulnerável..., Ação penal do estupro de vulnerável Presunção de violência e objetividade fática Corrupção de menores Corrupção de menores do Código Penal brasileiro Evolução histórica da corrupção de menores do Código PenaL Objeto jurídico da corrupção de menores do Código PenaL Sujeitos ativo e passivo na corrupção de menores do Código Penal Elementos objetivos da corrupção de menores do Código Penal Elemento subjetivo da corrupção de menores do Código Penal Consumação e tentativa na corrupção de menores do Código Penal Concurso de crimes na corrupção de menores do Código Penal Corrupção de menores do Estatuto da Criança e do Adolescente Evolução histórica da corrupção de menores do ECA Tipificação penal da corrupção de menores do ECA..., Sujeitos ativo e passivo da corrupção de menores do ECA Elementos objetivos da corrupção de menores do ECA Elementos subjetivos da corrupção de menores do ECA Consumação e tentativa na corrupção de menores do ECA Concurso de crimes na corrupção de menores do ECA Conduta equiparada à corrupção de menores do ECA Causa especial de aumento da pena da corrupção de menores do ECA Satisfação de lascívia mediante presença de menor Definição de satisfação de lascívia mediante presença de menor Objetividade jurídica da satisfação de lascívia mediante presença de menor Sujeito ativo e passivo da satisfação de lascívia mediante presença de menor Conduta na satisfação de lascívia mediante presença de menor Elementos objetivos e normativos na satisfação de lascívia mediante presença de menor Elementos subjetivos na satisfação de lascívia mediante presença de menor Consumação e tentativa na satisfação de lascívia mediante presença de menor Aumento de pena na satisfação de lascívia mediante presença de menor Favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Definição de favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Objetividade jurídica do favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável

17 Sujeito ativo e passivo do favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Conduta no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Elementos objetivos e normativos no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Elemento subjetivo no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Consumação e tentativa no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Situações equiparadas no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Aplicação cumulativa da pena de multa e aumento de pena no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Ação penal e segredo de justiça no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável Casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Conceito de crime de casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Bem jurídico protegido no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Sujeito ativo e passivo no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Elemento objetivo no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Elemento subjetivo no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Consumação e tentativa no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Ação penal no casamento oficial com conhecimento prévio de impedimento matrimonial Casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Conceito de crime de casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Bem jurídico protegido no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Sujeito ativo e passivo no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Elemento objetivo no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial

18 Elemento objetivo no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Consumação e tentativa no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Ação penal no casamento oficial com induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento matrimonial Simulação de autoridade para celebração de casamento Conceito de crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Bem jurídico protegido no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Sujeito ativo e passivo no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Elemento objetivo no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Elemento subjetivo no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Consumação e tentativa no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Ação penal no crime de simulação de autoridade para celebração de casamento Simulação de casamento oficial Conceito de crime de simulação de casamento oficial Bem jurídico protegido no crime de simulação de casamento oficial Sujeito ativo e passivo no crime de simulação de casamento oficial Elemento objetivo no crime de simulação de casamento oficial Elemento subjetivo no crime de simulação de casamento oficial Consumação e tentativa no crime de simulação de casamento oficial Concurso no crime de simulação de casamento oficial Ação penal no crime de simulação de casamento oficial Prostituição Introdução Classificação da prostituição Definição de prostituição Causas da prostituição Aspectos jurídicos e profissionalização da prostituição Prostituição e exploração sexual de menores Novas formas de prostituição Prostituição na internet Prostituição corporativa Marginalização da prostituição

19 Crimes de lenocínio e tráfico de pessoa para fim de prostituição ou outra forma de exploração sexual Mediação para servir a lascívia de outrem Conceito do crime de mediação para servir a lascívia de outrem Objetividade jurídica do crime de mediação para servir a lascívia de outrem Sujeitos do crime de mediação para servir a lascívia de outrem Tipicidade do crime de mediação para servir a lascívia de outrem Forma típica simples da mediação para servir a lascívia de outrem Formas típicas qualificadas da mediação para servir a lascívia de outrem Conflito aparente de normas na mediação para servir a lascívia de outrem Aumento de pena na mediação para servir a lascívia de outrem Ação pena e segredo de justiça na mediação para servir a lascívia de outrem Favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Conceito do crime de favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Objetividade jurídica do favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Sujeitos no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Tipicidade do crime de favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Forma tipica simples de favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Formas tipicas qualificadas do favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Elemento subjetivo do favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Consumação e tentativa no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Aumento de pena no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Ação penal e segredo de justiça no favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual Casa de prostituição Conceito de casa de prostituição Definição do crime de manutenção de casa de prostituição Tipificação penal da manutenção de casa de prostituição

20 Sujeitos do crime de manutenção de casa de prostituição Elemento objetivo do crime de manutenção de casa de prostituição Consumação e tentativa no crime de manutenção de casa de prostituição Elemento subjetivo do crime de manutenção de casa de prostituição Rufianismo Conceito de rufianismo Definição do crime de rufianismo Tipificação penal do crime de rufianismo Elemento objetivo do crime de rufianismo Sujeitos do crime de rufianismo Consumação e tentativa no crime de rufianismo Elemento subjetivo do crime de rufianismo Tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Definição do crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Objetividade jurídica do tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Sujeitos do crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Tipificação penal do tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Elementos do tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual... '" Consumação e tentativa do crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Condutas típicas equiparadas ao crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Causas de aumento da pena de reclusão e aplicação cumulativa da pena de multa Ação penal e segredo de justiça no crime de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual Tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Definição do crime de tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Objetividade jurídica do tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Sujeitos do crime de tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Tipificação penal do tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Elementos do tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual

21 Consumação e tentativa do crime de tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Condutas típicas equiparadas ao crime de tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Causas de aumento da pena de reclusão e aplicação cumulativa da pena de multa Ação penal e segredo de justiça no crime de tráfico interno de pessoa para fim de exploração sexual Profissionalização da prostituição Reconhecimento da prostituição como profissão Projeto de Lei no 4.211/ Não legalização da profissão do sexo e o controle de doenças sexualmente transmissíveis Prostituição e normas trabalhistas Prostituição e normas previdenciárias CAPÍTULO VIII UNIÕES ESTÁVEIS POLIAFETIVAS 8.1. Introdução A bigamia oficial e a bigamia de fato, instáveis ou estáveis, e as normas jurídicas de repressão Crime de bigamia Conceito de bigamia Evolução histórica da bigamia Objetividade jurídica do crime de bigamia Conduta no crime de bigamia Sujeito ativo e passivo do crime de bigamia Elemento subjetivo no crime de bigamia Consumação e tentativa no crime de bigamia Ação penal no crime de bigamia União estável poliafetiva Reconhecimento da união estável poliafetiva Posição da jurisprudência dos Tribunais CAPÍTULO IX UNIÕES ESTÁVEIS HOMOAFETIVAS 9.1. Homossexualismo: definição e tipos Definição de homossexualismo

22 Tipos de homossexualismo Homossexualismo masculino Homossexualismo feminino Designações utilizadas para o homossexualismo As origens do homossexualismo e os seus aspectos jurídicos Criminalização da homossexualidade Reconhecimento de uniões entre pessoas do mesmo sexo no Brasil Do registro de uniões homoafetiva em cartório de títulos e documentos até o reconhecimento do direito de celebração do casamento civil e conversão da união estável homoafetiva em casamento Reconhecimento das uniões homoafetivas no âmbito do Poder Legislativo Repressão à discriminação por orientação sexual A homofobia no mundo A homofobia no Brasil Legislação antidiscriminatória Uniões estáveis homoafetivas perante à Previdência SociaL Adoção por casais homossexuais Companheiro homoafetivo estrangeiro Modelos Escritura Pública Declaratória de União Homoafetiva EstáveL CAPíTULO X FAMíLIA MONOPARENTAL Conceito de família monoparental Fenômeno da monoparentalidade Características da família monoparental Fatores determinantes da família monoparentalidade Fatores principais da monoparentalidade Celibato Separação de corpos, separação de fato, separação judicial ou divórcio União livre ]\,tlães solteiras Viuvez Fatores secundários Entrada da mulher no mercado de trabalho Controle contraceptivo

23 Enfraquecimento da influência religiosa na vida das pessoas e mudança da mentalidade social Tendência global da legislação ordinária mais liberal e igualitária Direitos da família monoparental Modelos Escritura Pública Declaratória de Estado de Celibato/Civil CAPÍTULO XI LEGITIMAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS, DIREITO VIVO E COSTUMES ALTERNATIVOS Conceito de legititnidade Princípios da legitimidade Distinção das classes de legitimidade, segundo Max Weber: legitimidade carismática, legitimidade tradicional e legitimidade racional ou legal A legitimidade racional material baseada numa moral justificadora A legitimidade e a efetividade na concepção do positivismo jurídico A teoria sociológica da legitimação de Nildas Luhmann As leis politicamente incorretas A necessidade de as normas jurídicas se adequarem às mudanças sociais O direito positivo, o "direito vivo" e o costume alternativo O equilibrio entre as necessidades da sociedade e a liberdade individual A deslegitimação da norma jurídica e o surgimento de costumes alternativos ou paralelos A restrição da liberdade irrenunciável As minorias e o problema da força coercitiva O reconhecimento de direitos às minorias como mecanismo necessário à mais ampla eficácia das normas jurídicas CAPÍTULO XII CONCLUSÃO Conclusão Bibliografia

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85

5 Celebração e Prova do Casamento, Ritos matrimoniais, Cerimônia do casamento, Suspensão da cerimônia, 85 Sumário Nota do Autor à lfi edição, xiii 1 Introdução ao Direito de Família, 1 1.1 Compreensão, 1 1.2 Lineamentos históricos, 2 1.3 Família moderna. Novos fenômenos sociais, 5 1.4 Natureza jurídica da

Leia mais

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento

Introdução ao Direito de Família Casamento e União Estável Formalidades Preliminares. Habilitação para o Casamento Sumário 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Compreensão 1.2 Lineamentos Históricos 1.3 Família Moderna. Novos Fenômenos Sociais 1.4 Natureza Jurídica da Família 1.5 Direito de família 1.5.1 Características

Leia mais

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos Direito Matrimonial o Conceito: o Natureza jurídica do casamento: o Finalidades do casamento: o Princípios do casamento: o Esponsais

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Previsão encontra-se art do C.C.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Previsão encontra-se art do C.C. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Nelson Sussumu Shikicima 1-) Prática de família e sucessões: B-) Parentesco: Previsão encontra-se art. 1.591 do C.C. Art.

Leia mais

Instituições de Direito Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 31

Instituições de Direito Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 31 Instituições de Direito Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 31 DIREITO DE FAMÍLIA Conceito é o conjunto de normas jurídicas que disciplina a entidade familiar, ou seja, a comunidade formada por qualquer

Leia mais

2 DO DIREITO MATRIMONIAL 1. Casamento Conceito, fins e natureza jurídica do casamento 23 1 INTRODUÇÃO SUMÁRIO

2 DO DIREITO MATRIMONIAL 1. Casamento Conceito, fins e natureza jurídica do casamento 23 1 INTRODUÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO Prefácios Apresentações... Nota do autor xi xv XIX 1 INTRODUÇÃO 1. Histórico, conceito e conteúdo do Direito de Família... 1 2. Conceito moderno, espécies e função social da família... 3 3. Princípios

Leia mais

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito de Família. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito de Família Prof. Marcio Pereira Direito de Família O Direito de Família divide-se em quatro espécies: direito pessoal, direito patrimonial, união estável, tutela e curatela. Casamento

Leia mais

ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS

ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS ROTEIRO DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PARA ANALISTA DO BACEN NOÇÕES GERAIS 1) Espécies de Entidade familiar a. Família matrimonial (casamento). b. Família informal (união estável). c. Família monoparental

Leia mais

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 Sumário 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO DE FAMÍLIA... 21 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 1.2. O AVANÇO DA INTERVENÇÃO ESTATAL E SUA INEFICIÊNCIA...

Leia mais

Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7

Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7 Sumário PALAVRAS PRÉVIAS... 5 PREFÁCIO... 7 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO DE FAMÍLIA... 21 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 1.2. O AVANÇO DA INTERVENÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Unidade de Ciências Sociais Aplicadas Curso: Direito Disciplina: Direito Civil VI Carga horária semestral: 64 h/a Teórica: 54 H Prática: 10 H Semestre/ano:1º/2016

Leia mais

Causas suspensivas. 1 Causas Suspensivas: CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO.

Causas suspensivas. 1 Causas Suspensivas: CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO. CASAMENTO PARTE III: CAUSAS SUSPENSIVAS. INEXISTÊNCIA, INVALIDADE E INEFICÁCIA. EFEITOS DO CASAMENTO. Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima Não geram a nulidade ou anulabilidade do casamento; Norma inibitória:

Leia mais

CASAMENTO. Vitor F. Kümpel PALESTRA CASAMENTO

CASAMENTO. Vitor F. Kümpel PALESTRA CASAMENTO PALESTRA CASAMENTO 1 1. VISÃO CONSTITUCIONAL - A Constituição Federal de 1988 inovou ao estabelecer novas formas constitutivas de família, além do casamento; - A família só era constituída pelo casamento;

Leia mais

CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO AO DIREITO

CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO AO DIREITO SUMARIO CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO AO DIREITO 1. Conceito de Direito............... 15 2. Distinção entre Direito e Moral...... 15 3. Direito positivo e direito natural... 16 4. Direito objetivo e direito

Leia mais

Requisitos da União Estável

Requisitos da União Estável Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 6 DA UNIÃO ESTÁVEL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO DE FAMÍLIA TÍTULO

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 25/10/2017. Divórcio estrangeiro. O divórcio feito no estrangeiro precisava ser homologado no STF para

Leia mais

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Tipo de aula. Semana

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Tipo de aula. Semana PLANO DE CURSO DISCIPLINA: DIREITO DAS FAMÍLIAS (CÓD. ENEX 60137) ETAPA: 7ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos,

Leia mais

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO DE FAMÍLIA Temas recorrentes FAMÍLIA casamento; regime de bens partilha Alteração SUCESSÕES vocação

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam:

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam: PLANO DE ENSINO CURSO: Direito SÉRIE: 5º Semestre DISCIPLINA: Proteção Penal ao Indivíduo CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 horas/aula I EMENTA Crimes contra a pessoa. Homicídio.

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO

ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO ÍNDICE SISTEMÁTICO OBRAS DO AUTOR PRÓLOGO Capítulo I DIREITO DE FAMÍLIA 1. Conceito 2. Divisão 3. Natureza do direito de família 4. Fontes do direito de família 5. A família 6. Autonomia da comunhão de

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO O aviamento... 3

ÍNDICE SISTEMÁTICO O aviamento... 3 ÍNDICE SISTEMÁTICO Apresentação Xlii I O Fundo de Comércio do Profissional Liberal na Meação Conjugal I 11 Fundo de comércio I 12 O aviamento 3 13 A clientela 6 14 A aval iação do aviamento (goodwilf)

Leia mais

Pós-Graduação. Direito das Famílias e das Sucessões

Pós-Graduação. Direito das Famílias e das Sucessões Pós-Graduação Direito das Famílias e das Sucessões - 2017 Disciplinas: 1) Evolução Histórica do Direito das Famílias: do Patriarcalismo à Afetividade, Avanços e Retrocessos 2) Contornos Contemporâneos

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 18/09/2017. Parentesco. Os parentes em linha reta são os ascendentes e os descendentes, os graus na linha

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL DIREITO DE FAMÍLIA PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Conceito de família; Conteúdo e Conceito do Direito de Família; Natureza da Divisão; Divisão da matéria; Eficácia horizontal dos

Leia mais

16.7.1 Execução de alimentos. Prisão do devedor, 394

16.7.1 Execução de alimentos. Prisão do devedor, 394 1 Introdução ao Direito de Família, 1 1.1 Compreensão, 1 1.2 Lineamentos históricos, 3 1.3 Família moderna. Novos fenômenos sociais, 5 1.4 Natureza jurídica da família, 7 1.5 Direito de família, 9 1.5.1

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Código da Disciplina: 2742 Vigência: 1 / 2004 Disciplina: DIREITO CIVIL VI - FAMILIA Código do Curso: 17 Curso: Direito Unidade: NÚCLEO UNIV BH Turno: NOITE Período: 8 Créditos: 4 Carga Horária TOTAL 60

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

Direito Penal. Crimes Contra a Dignidade Sexual III

Direito Penal. Crimes Contra a Dignidade Sexual III Direito Penal Crimes Contra a Dignidade Sexual III Estupro de Vulnerável Art. 217-A do CP: Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos: Pena reclusão, de oito a quinze anos.

Leia mais

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres.

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. Casamento O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. PRAZO PARA DAR ENTRADA No mínimo 40 (quarenta) dias antes da data prevista para celebração do casamento.

Leia mais

SUMÁRIO. Abreviaturas Capítulo I Lei de Alimentos Lei nº 5.478, de 25 de julho de 1968

SUMÁRIO. Abreviaturas Capítulo I Lei de Alimentos Lei nº 5.478, de 25 de julho de 1968 SUMÁRIO Abreviaturas... 33 Capítulo I Lei de Alimentos... 35 Lei nº 5.478, de 25 de julho de 1968 Art. 1º... 1. Conteúdo do Direito de Alimentos... 2. Rito especial da Lei de Alimentos...... 4. Da concessão

Leia mais

Direito Civil. Do Casamento. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Do Casamento. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Do Casamento Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil CASAMENTO Art. 1.517. O homem e a mulher com dezesseis anos podem casar, exigindo-se autorização de

Leia mais

SUMÁRIO. FURTO DE COISA COMUM (ART. 156 DO CP) Introdução...14 Classificação doutrinária...14 Objeto material...14

SUMÁRIO. FURTO DE COISA COMUM (ART. 156 DO CP) Introdução...14 Classificação doutrinária...14 Objeto material...14 SUMÁRIO FURTO (ART. 155 DO CP) Introdução...2 Classificação doutrinária...3 Objeto material...3 Bem juridicamente protegido...3 Sujeitos...3 Consumação e tentativa...3 Elemento subjetivo...5 Modalidades

Leia mais

REQUERIMENTO DE PENSÃO

REQUERIMENTO DE PENSÃO Versão 14 REQUERIMENTO DE PENSÃO SEGURADO (A) Segurado(a): CPF nº: Cargo: Órgão de origem: DATA DO ÓBITO: / / Ativo: ( ) Inativo: ( ) Falecimento motivado por acidente de qualquer natureza ou doença profissional

Leia mais

CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 PLANO DE ENSINO

CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 PLANO DE ENSINO CURSO: DIREITO NOTURNO - CAMPO BELO SEMESTRE: 1 ANO: 2016 C/H: 33 AULAS: 40 DISCIPLINA: DIREITO CIVIL V PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Entender o Direito de Família, obtendo uma formação crítica e social diante

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 01 Parte Geral e Obrigações 01 Direito Civil Constitucional. Conceito, princípios e aplicação prática. Os princípios do Código Civil de 2002: eticidade, socialidade e operabilidade. 02 Lei de introdução

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO DIREITO DA FAMÍLIA DISCIPLINA DO 4 ANO DA LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA PLANO DE CURSO ANO LECTIVO DE 2017/2018 Professor: Manuel Trigo Bibliografia

Leia mais

SUMÁRIO Sexualidade, medo e preconceito Expressões, nomes e nomenclaturas Antes O papel das religiões...

SUMÁRIO Sexualidade, medo e preconceito Expressões, nomes e nomenclaturas Antes O papel das religiões... SUMÁRIO APRESENTAÇÃO À 7.ª EDIÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO À 6.ª EDIÇÃO... 15 APRESENTAÇÃO À 5.ª EDIÇÃO... 19 APRESENTAÇÃO À 4.ª EDIÇÃO... 25 APRESENTAÇÃO À 3.ª EDIÇÃO... 27 APRESENTAÇÃO À 2.ª EDIÇÃO... 29 APRESENTAÇÃO

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL E PROCESSO CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL E PROCESSO CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL E PROCESSO CIVIL OBJETIVOS: Preparar o profissional da área cível para atuar num mercado cada vez mais competitivo, com plena compreensão das questões que são mais cobradas

Leia mais

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança Sumário 1. Noções Introdutórias 1.1 Sucessão. Compreensão do Vocábulo. O Direito das Sucessões 1.2 Direito das Sucessões no Direito Romano 1.3 Ideia Central do Direito das Sucessões 1.4 Noção de Herança

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 Disciplina: Direito Civil V Departamento II: Direito Privado Docente Responsável: Daniele Cristina Pavin Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 5º Ano Objetivos:

Leia mais

STJ ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO

STJ ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO ~d c:~ FAMÍLIA SUCESSÕES INVENTÁRIO PARTILHA ADOçÃO ALIMENTOS DIVÓRCIO INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE UNIÃO ESTÁVEL CONCUBINATO ~ ~ 2015,,~ CRONÜS EDITORA CRONUS 2015 Revisão:

Leia mais

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I

DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I DIREITO CIVIL IX FAMÍLIA I CASAMENTO PUTATIVO EMBORA NULO OU ANULÁVEL FOI CONTRAÍDO EM BOA-FÉ, ART. 1.561 CC. REQUISITOS: SUBJETIVO (BOA-FÉ) E A CIRCUNSTÂNCIA DO CASAMENTO SER CONSIDERADO NULO OU ANULÁVEL

Leia mais

CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11

CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11 CÓDIGO DO REGISTO CIVIL Decreto-Lei nº 131/95, de 6 de Junho 7 Decreto-Lei nº 324/2007, de 28 de Setembro 11 título i Disposições gerais 25 capítulo i Objecto e valor do registo civil 25 capítulo ii Órgãos

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 02/10/2017. Variedade do regime de bens. Comunhão parcial de bens. Bens que não se comunicam na comunhão

Leia mais

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Casamento.

Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Casamento. Pós Graduação Direito de Família e Sucessões. Prof. Nelson Sussumu Shikicima. Aula ministrada dia 20/09/2017. Impedimentos. Casamento. O artigo 1.521 traz os impedimentos para o casamento, se casar será

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO DIVORCIADO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Casamento com averbação de divórcio, original e cópia simples; 1.2. Cópia simples da petição inicial, sentença e certidão

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007 PROJETO DE LEI N.º, DE 2007 Regulamenta o artigo 226 3º da Constituição Federal, união estável, institui o divórcio de fato. O Congresso Nacional decreta: DA UNIÃO ESTAVEL Art. 1º- É reconhecida como entidade

Leia mais

Sumário. 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Conceito e generalidades 1.2 Conteúdo do direito de família no Código Civil Resumo do capítulo

Sumário. 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Conceito e generalidades 1.2 Conteúdo do direito de família no Código Civil Resumo do capítulo Sumário 1 Introdução ao Direito de Família 1.1 Conceito e generalidades 1.2 Conteúdo do direito de família no Código Civil 2 Do Casamento 2.1 Conceito 2.2 Natureza jurídica 2.3 Evolução histórica 2.4 Dos

Leia mais

Cód. Barras: STJ (2013) Nota Explicativa Direito de Família. 1 A Constitucionalização das Relações Familiares... 25

Cód. Barras: STJ (2013) Nota Explicativa Direito de Família. 1 A Constitucionalização das Relações Familiares... 25 Cód. Barras: STJ00095599 (2013) Nota Explicativa... 7 L Direito de Família 1 A Constitucionalização das Relações Familiares... 25 l.1 Aspectos da evolução histórica da família............ 25 l.2 Uma nova

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO UFAL Dados Básicos do Instituidor SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO Siape: O servidor era beneficiário da GEAP? NÃO SIM,

Leia mais

Modificações no Estatuto das Famílias

Modificações no Estatuto das Famílias Modificações no Estatuto das Famílias Projeto de Lei 2.285/2007, apensado ao PL 675/2007 PROJETO ORIGINAL deputado Sérgio Barradas (PT-BA) Art. 91 Constituindo os pais nova entidade familiar os direitos

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. A ANTEVISÃO DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. A ANTEVISÃO DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. A ANTEVISÃO DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS 2.1 A dignidade da pessoa humana como princípio regente 2.2 Princípio da livre formação da personalidade 2.2.1 Personalidade 2.2.2 O

Leia mais

SUMARIO. Parte I SUCESSÃO EM GERAL I. INTRODUÇÃO AO DIREITO SUCESSÓRIO... 3

SUMARIO. Parte I SUCESSÃO EM GERAL I. INTRODUÇÃO AO DIREITO SUCESSÓRIO... 3 ~ SUMARIO Parte I SUCESSÃO EM GERAL I. INTRODUÇÃO AO DIREITO SUCESSÓRIO... 3 1.1 Considerações iniciais 3 1.2 A tenninologia adotada 5 [.3 O direito sucessório sob a perspectiva constitucional.. 7 1.4

Leia mais

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação da Segunda Edição Apresentação... 19

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação da Segunda Edição Apresentação... 19 Sumário Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15 Apresentação da Segunda Edição... 17 Apresentação... 19 Abreviaturas Utilizadas... 21 Capítulo I Lei de Alimentos... 23 Lei nº 5.478, de

Leia mais

1 Considerações Iniciais:

1 Considerações Iniciais: DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONJUGAL E DO CASAMENTO: Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima 1 Considerações Iniciais: CC/16: indissolubilidade do vínculo matrimonial. - desquite: fim dever de fidelidade e

Leia mais

Prof. Rodrigo Miranda Pereira; Profa Teodolina Batista da S. C. Vitório, Prof. Leandro Soares Lomeu DOCENTE CARGA HORÁRIA

Prof. Rodrigo Miranda Pereira; Profa Teodolina Batista da S. C. Vitório, Prof. Leandro Soares Lomeu DOCENTE CARGA HORÁRIA CURSO DISCIPLINA DOCENTE PERÍODO CARGA HORÁRIA EMENTA OBJETIVOS DIREITO Direito de Família Prof. Rodrigo Miranda Pereira; Profa Teodolina Batista da S. C. Vitório, Prof. Leandro Soares Lomeu 5 P 80 h Família.

Leia mais

A EQUIPE. A equipe é capacitada para atender seus clientes através de soluções voluntárias ou contenciosas. VALORES

A EQUIPE. A equipe é capacitada para atender seus clientes através de soluções voluntárias ou contenciosas. VALORES O ESCRITÓRIO O intuito do escritório é desenvolver, no exercício da advocacia especializada, soluções jurídicas ágeis, dinâmicas e de alta precisão, orientada por elevados princípios éticos e comprometida

Leia mais

PROGRAMA ESPECÍFICO ITEM 11.3 DO EDITAL Nº 1 TJ/PI JUIZ SUBSTITUTO, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2011 PONTO 1. Direito Civil e Processual Civil

PROGRAMA ESPECÍFICO ITEM 11.3 DO EDITAL Nº 1 TJ/PI JUIZ SUBSTITUTO, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2011 PONTO 1. Direito Civil e Processual Civil PROGRAMA ESPECÍFICO ITEM 11.3 DO EDITAL Nº 1 TJ/PI JUIZ SUBSTITUTO, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2011 PONTO 1 Direito Civil e Processual Civil DIREITO CIVIL 1. Direito da Personalidade; 2. Responsabilidade civil;

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

Direito Penal. Introdução aos Crimes Contra a Dignidade Sexual e Delito de Estupro

Direito Penal. Introdução aos Crimes Contra a Dignidade Sexual e Delito de Estupro Direito Penal Introdução aos Crimes Contra a Dignidade Sexual e Delito de Estupro Crimes Contra a Dignidade Sexual Nomenclatura Título VI do Código Penal: antes Crimes Contra os Costumes, atualmente Crimes

Leia mais

Documentação Requerente Menor de 18 anos sob tutela

Documentação Requerente Menor de 18 anos sob tutela Documentação Requerente Menor de 18 anos sob tutela Documentação do (a) requerente Certidão de Nascimento Atualizada, emitida após óbito do servidor (original e cópia) RG (original e cópia) CPF (original

Leia mais

Prefeitura do Município de Tejupá CNPJ /

Prefeitura do Município de Tejupá CNPJ / CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2016 EDITAL DE ERRATA Nº 07/2016 Valdomiro José Mota, Prefeito Municipal de Tejupá, Estado de São Paulo, torna público na forma prevista no artigo 37 da Constituição Federal, o Edital

Leia mais

Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE

Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE Passo a Passo União Estável Relação Heteroafetiva e Homoafetiva Orientações a respeito da DESIGNAÇÃO DE COMPANHEIRO(A) PARA FINS DE RECEBIMENTO DE PENSÃO POR MORTE 1. Diferença entre CÔNJUGE E COMPANHEIRO(A):

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO CIVIL VI Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito 111111111111111111111111111111111111111

Leia mais

PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido.

PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido. PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido. 2 Requisitos: a) Falecimento do servidor. b) Habilitação dos beneficiários.

Leia mais

2) Interpretação e Semiótica BIODIREITO E SEUS REFLEXOS NO DIREITO DE FAMÍLIA I- INTERPRETAÇÃO JURÍDICA. 1) Positivismo x Normativismo Concreto

2) Interpretação e Semiótica BIODIREITO E SEUS REFLEXOS NO DIREITO DE FAMÍLIA I- INTERPRETAÇÃO JURÍDICA. 1) Positivismo x Normativismo Concreto BIODIREITO E SEUS REFLEXOS NO DIREITO DE FAMÍLIA I- INTERPRETAÇÃO JURÍDICA 1) Positivismo x Normativismo Concreto 2) Interpretação e Semiótica a) Suporte Físico (Enunciado) Denis Domingues Hermida 2) Tridimensionalidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÕES COM ÊNFASE EM MEDIAÇÃO OBJETIVOS: Preparar o profissional da área cível para atuar num mercado cada vez mais competitivo, com plena compreensão das questões

Leia mais

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO DE FAMÍLIA TÍTULO

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR O ECA define três modalidades de família. São elas: NATURAL (art. 25, Caput) EXTENSA OU AMPLIADA (art. 25, único) SUBSTITUTA (art. 28) NATURAL Entende-se por família natural

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito das Sucessões; Conceito; Formas de Sucessão; Abertura da Sucessão; Sucessão Universal e Singular; Da Capacidade para

Leia mais

4) (FCC/2017) A respeito do casamento, considere.

4) (FCC/2017) A respeito do casamento, considere. QUESTÕES DE REVISÃO 1 a N1 1) (TJ-PE 2017) O casamento é um instituo jurídico regulamentado pelo Código Civil Brasileiro. O casamento é anulável em algumas situações, exceto: a) Por motivo de idade, quando

Leia mais

Referência Legislativa: artigos 3º ao 5º da Lei n /02 (Código Civil)

Referência Legislativa: artigos 3º ao 5º da Lei n /02 (Código Civil) AULA 07 PONTO: 06/07 Objetivo da aula: Pessoa natural. Conceito. Começo da personalidade natural. Individualização. Capacidade e incapacidade. Conceito. Espécies. Cessação da incapacidade. Pessoa natural.

Leia mais

ÍNDICE-SUMÁRIO CÓDIGO DO TRABALHO

ÍNDICE-SUMÁRIO CÓDIGO DO TRABALHO CÓDIGO DO TRABALHO LIVRO I PARTE GERAL 7 TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho 7 CAPÍTULO I Fontes do direito do trabalho 7 CAPÍTULO II Aplicação do direito do trabalho 8 TÍTULO II Contrato

Leia mais

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES I. SUCESSÃO EM GERAL II. SUCESSÃO LEGÍTIMA III. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA IV. INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. Conceito 2. Parentesco 3. Sucessão por direito próprio e por

Leia mais

UNIÃO ESTÁVEL. 1 Introdução: 1 Introdução: 28/09/2014. União Estável vs. Família Matrimonializada. CC/16: omisso. CF/88: art.

UNIÃO ESTÁVEL. 1 Introdução: 1 Introdução: 28/09/2014. União Estável vs. Família Matrimonializada. CC/16: omisso. CF/88: art. UNIÃO ESTÁVEL Prof.a Dra Cíntia Rosa Pereira de Lima União Estável vs. Família Matrimonializada CC/16: omisso CF/88: art. 226, 3º Hoje: CC/02 (arts. 1.723 a 1.726) Concubinato. Já está superada a divergência

Leia mais

Conceito de família. João Benício Aguiar. João Benício Aguiar

Conceito de família. João Benício Aguiar. João Benício Aguiar Conceito de família O que é família? Arranjos familiares: Família tradicional: pai, mãe e um ou mais filhos. Monoparental: composta por apenas um dos progenitores: pai ou mãe. Os motivos que possibilitam

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INCLUSÃO DE DEPENDENTES

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INCLUSÃO DE DEPENDENTES UFAL Dados do Interessado Nome Completo: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INCLUSÃO DE DEPENDENTES Cargo: Siape: Telefone: E-mail: Lotação:

Leia mais

Sumário DIREITO DAS FAMÍLIAS Planejamento Familiar e Paternidade Responsável Monogamia: Princípio Familiarista?...

Sumário DIREITO DAS FAMÍLIAS Planejamento Familiar e Paternidade Responsável Monogamia: Princípio Familiarista?... DIREITO DAS FAMÍLIAS Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS FAMÍLIAS... 27 1. Conceito Dinamizado pela Perspectiva Histórico-Axiológica... 27 1.1. Qual a Natureza Jurídica da Família? Seria Pessoa Jurídica?..

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO SOLTEIRO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Nascimento, original e cópia simples, essas não poderão conter rasuras nem emendas; 1.2. Cópia simples da identidade e

Leia mais

O PROCESSO DE HABILITAÇÃO E A CELEBRAÇÃO DO CASAMENTO CIVIL

O PROCESSO DE HABILITAÇÃO E A CELEBRAÇÃO DO CASAMENTO CIVIL O PROCESSO DE HABILITAÇÃO E A CELEBRAÇÃO DO CASAMENTO CIVIL Isis Kopczynski Ribeiro (UEPG) e-mail: isiskr@hotmail.com 1 Orientadora: Prof a. Dra. Jeaneth Stefaniak (UEPG) 2 Resumo: A presente pesquisa

Leia mais

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL Aspectos Relevantes 1 2 Introdução O presente trabalho não tem o intuito de exaurir o tema, haja vista sua extensão e as particularidades de cada caso,

Leia mais

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Horário para entrada do processo de habilitação no cartório: das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO E COMARCA DE JOINVILLE Rua Blumenau 953, 5º Andar, fone: (47) 3026-3760 REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, INTERDIÇÕES E TUTELAS, TÍTULOS

Leia mais

Organização da Justiça do Trabalho, Competência... 25

Organização da Justiça do Trabalho, Competência... 25 SUMÁRIO Organização da Justiça do Trabalho, Competência... 25 1.1. Organização da Justiça do Trabalho... 25 1.1.1. Introdução... 25 1.1.2. Tribunal Superior do Trabalho... 26 1.1.3. Tribunais Regionais

Leia mais

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado * O Poder Constituinte * Processo Legislativo

Leia mais

Coordenadora: Alcione Ferreira TJ-MG JUIZ ESTADUAL

Coordenadora: Alcione Ferreira TJ-MG JUIZ ESTADUAL Coordenadora: Alcione Ferreira TJ-MG JUIZ ESTADUAL 2018 DIREITO CIVIL Alcione Ferreira e Fabiana Reis Brandão Nunes Carneiro - provas aplicadas nos anos de 2012 e 2014 pela autora Alcione Ferreira. Dentre

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado *Aspectos de Direito Eleitoral *Controle

Leia mais

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS Sumário SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS TENDÊNCIAS PARA OS CONCURSOS PÚBLICOS... 15 CÓDIGO PROCESSUAL CIVIL... 37 PARTE GERAL LIVRO I DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS... 37 TÍTULO ÚNICO DAS NORMAS

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I SÚMULAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL CAPÍTULO I DIREITO ADMINISTRATIVO... 19

SUMÁRIO PARTE I SÚMULAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL CAPÍTULO I DIREITO ADMINISTRATIVO... 19 SUMÁRIO 7 SUMÁRIO PARTE I SÚMULAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL CAPÍTULO I DIREITO ADMINISTRATIVO... 19 1. Atos administrativos... 19 2. Bens públicos... 24 3. Concurso público... 26 4. Desapropriação...

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO DIREITO PATRIMONIAL DA FAMÍLIA E DAS SUCESSÕES DISCIPLINA DO 4 ANO DA LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA PLANO DE CURSO ANO LECTIVO DE 2017/2018 Professor:

Leia mais

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN RODRIGO TOSCANO DE BRITO Doutor e Mestre em Direito Civil pela PUC-SP. Professor de Direito Civil da UFPB e da Escola da Magistratura.

Leia mais

Seus direitos na Hungria

Seus direitos na Hungria Seus direitos na Hungria Uma breve introdução à legislação sobre lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans Descriminalização e idade de consentimento A prática de atos sexuais entre homens com consentimento

Leia mais

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002 Código Civil Lei 10.406, 10 de Janeiro de 2002 DA PERSONALIDADE E DA CAPACIDADE Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento

Leia mais

ENSALAMENTO - APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS 16/08/2017 SALA 01

ENSALAMENTO - APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS 16/08/2017 SALA 01 ENSALAMENTO - APRESENTAÇÃO DE S 16/08/2017 SALA 01 30min 11h SISTEMA CARCERÁRIO: UM OLHAR SOBRE A SITUAÇÃO DAS MULHERES PRESAS NO BRASIL A IMPORTÂNCIA DA LEI PENAL EM BRANCO A DIMINUIÇÃO DA MAIORIDADE

Leia mais

SUMÁRIO 1. ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO, COMPETÊNCIA

SUMÁRIO 1. ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO, COMPETÊNCIA SUMÁRIO 1. ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO, COMPETÊNCIA 1.1. Organização da Justiça do Trabalho 1.1.1. Introdução 1.1.2. Tribunal Superior do Trabalho 1.1.3. Tribunais Regionais do Trabalho 1.1.4. Juízes

Leia mais

índice 5 nota de apresentação 17 nota de apresentação à 2ª edição 19 quadro de abreviaturas 21

índice 5 nota de apresentação 17 nota de apresentação à 2ª edição 19 quadro de abreviaturas 21 ÍNDICE índice 5 nota de apresentação 17 nota de apresentação à 2ª edição 19 quadro de abreviaturas 21 I. Reconstituição de assentos 23 em geral 25 modelo de auto de notícia 25 1. Reconstituição havendo

Leia mais