RÁDIO, MOBILE E INTERATIVIDADE: UMA ANÁLISE DE RÁDIO INTEGRADA A APP EM FORTALEZA-CE 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RÁDIO, MOBILE E INTERATIVIDADE: UMA ANÁLISE DE RÁDIO INTEGRADA A APP EM FORTALEZA-CE 1"

Transcrição

1 Performances Interacionais e Mediações Sociotécnicas Salvador - 10 e 11 de outubro de 2013 RÁDIO, MOBILE E INTERATIVIDADE: UMA ANÁLISE DE RÁDIO INTEGRADA A APP EM FORTALEZA-CE 1 Nayane Monteiro de ALMEIDA 2 W. Gabriel de OLIVEIRA 3 Resumo: As rádios podem gerar mais interatividade e agregar valor de marca com experiências positivas junto aos ouvintes com a realização de ações mobile, aproveitando o crescimento de consumo de recursos tecnológicos móveis e internet. Esta pesquisa de caráter exploratório teve como objeto a Rádio Beach Park e o aplicativo mobile Vitrola Mobile Jukebox, ambos com atuações na cidade de Fortaleza-CE. Trouxe como problemática saber se e como é possível atuar com integração online e off-line no meio rádio, em Fortaleza-CE, promovendo interações recíprocas entre a estrutura das rádios e seu público-ouvinte. Concluiu-se que há diversas maneiras de realizar ações interativas mútuas entre ouvintes e a estrutura da rádio, mediadas pelo aplicativo móvel. Apesar da constatação, percebeu-se que ainda há muito a avançar no cenário de rádios em Fortaleza-CE, no que tange uso de recursos interativos e de relacionamento com seu cliente mediado pela internet. Palavras-chave: interações, convergência, integração, rádio, mobilidade. Abstract: Radio can generate more interactivity and add brand value with positive experiences with the listeners with the holding of shares mobile, taking advantage of the growth of resource consumption and technological mobile internet. This exploratory study had as its object the Beach Park Radio and mobile app Vitrola Mobile Jukebox, both with performances in the city of Fortaleza,CE. It brought as problematic whether and how you can work with online and offline integration in radio in Fortaleza,CE promoting reciprocal interactions between the structure and its listener. It was concluded that there are several ways to accomplish mutual interactive actions between listeners and radio structure, mediated by mobile app. Despite the finding, it was realized that there is still much to learn in the setting of radios in Fortaleza, regarding the use of interactive and relationship with your customer mediated by the internet. Keywords: interactions, convergence, integration, radio, mobility. 1 Artigo submetido ao NT 1 (Sociabilidade, novas tecnologias e práticas interacionais) do SIMSOCIAL MBA Executivo em Marketing pela FGV - Fundação Getúlio Vargas, professora vinculada à Divisão de Pós- Graduação da Unifor - Universidade de Fortaleza e à graduação da Faculdade Lourenço Filho. 3 Mestre em Administração e Controladoria, com pesquisa em Marketing, pela UFC - Universidade Federal do Ceará e professor vinculado ao CCG - Centro de Ciências da Comunicação e Gestão da Unifor - Universidade de Fortaleza.

2 1 INTRODUÇÃO Estamos vivenciando intensas modificações nos meios de comunicação e suas relações com o público. Essas modificações podem estar relacionadas a diversos aspectos da vida cotidiana, como a entrada das novas tecnologias, a ascensão de ambientes que promovem laços sociais ou até o amadurecimento da população quanto às manobras da mídia de massa para noticiar fatos ou retratar realidades em telenovelas distantes da realidade da maioria. A comunicação que antes era regida pelos meios de comunicação de massa, pode agora se vê obrigada a adaptar-se ao empoderamento do consumidor, na qual ele se configura cada vez mais participativo, tornando-se parte da marca. Se considerarmos o mercado de rádios como mídia de massa, esse se encontra em conflitos constantes, devido ao crescimento da internet e das novas possibilidades de consumo de áudio de forma individualizada. Dessa forma vemos um cenário que do crescimento das novas tecnologias e da popularidade das plataformas móveis podem sugerir uma saída à necessidade de inovação das estruturas tradicionais da mídia de massa, vistas aqui nesta pesquisa. 2 DA CULTURA DE MASSAS À CIBERCULTURA A cultura de massas, segundo Santaella (2003, p. 79), teve origem com o jornal, intensificou-se com o cinema - reforçada pela recepção coletiva - e consolidou-se com a televisão, nos anos 60. Nesse contexto, é possível encontrar um grande número de indivíduos ditos alienados no que se refere às mensagens recebidas (SANTAELLA, 2003, p. 79). Castells (1999) analisa que a ideia de mídia de massa refere-se, na realidade, a um sistema tecnológico, e não a um tipo de cultura. Para Castells, temos tecnologias de massa, e não uma cultura de massa. De acordo com Thompson (2002, 32-37) o fluxo de comunicação em um sistema de comunicação de massa possui um caráter unidirecional, ou seja, transmissionista, nãodialógico. Mesmo que os receptores possam intervir no processo comunicativo com eventos e conteúdos, a densidade desta interferência é restrita. Com isso, tem-se a ausência da interação direta, do diálogo com o consumidor. Em contrapartida, reforça-se o caráter institucionalizado de produção e distribuição genérica de mensagens, além da multiplicidade de destinatários.

3 Esse aspecto de recepção alienada o qual encontramos na cultura de massa começa a ser descontruído de maneira gradual com a Cultura das Mídias, termo proposto por Santaella (1992) para designar o período marcado por elementos emergentes que trouxeram flexibilidade à dinâmica de comunicação midiática, como as máquinas de fotocópias e de fax, o videocassete, os videogames, os walkmans e a TV a cabo. Observamos que tais meios oferecem ao público a ampliação da escolha, gerando uma segmentação da audiência e diminuindo, de certa forma, a experiência em massa. Diante dessa descentralização da comunicação, Sabbah (1985, apud Castells 1999) ponderou a nova conjuntura: ainda que a audiência permanecesse quantitativamente massiva, dois sustentáculos da comunicação de massa haviam sido atingidos a simultaneidade e a uniformidade da mensagem recebida. Acompanhando essas modificações no tempo-espaço da comunicação, observamos a existência das mais intensas transformações com a difusão das tecnologias. Observa-se aí o surgimento do ciberespaço que, para Levy (1999), é um novo meio de comunicação fruto da interconexão mundial de computadores. O conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento desta rede (LEVY, 1999, p. 17) é denominado de cibercultura. Dentro desse novo contexto, observamos um ambiente propício para mais uma reestruturação dos processos comunicacionais. Os indivíduos, agora conectados, possuem a capacidade de estar em rede não só com outros indivíduos, mas também com as marcas e estas podem aproveitar dessa capacidade interacional para agregar valor, seja de simpatia, acessibilidade ou informacional. Conforme afirmado por Kotler et. al. (2010) e reforçado por Jenkins (2008), hoje analisamos um fluxo de comunicação no qual a participação ativa dos consumidores é fundamental. Isso ocorre porque os conteúdos de novas e velhas mídias se tornam híbridos, resignificando a conexão entre as tecnologias, empresas, mercados e públicos. (OLIVEIRA; MONTEIRO, 2013, p. 6) 3 CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA E INTERATIVIDADE Levy (1999) ressalta que, com a codificação digital proporcionada pela tecnologia, é possível preservar a integridade das informações quando copiadas e transmitidas incessantemente. Outra vantagem da codificação é que as informações digitalizadas podem

4 ser manuseadas e produzidas instantaneamente e em grande volume. Este processo possibilitou o fenômeno da convergência de todas as mídias anteriores em um único dispositivo, uma vez que dissociou a informação de um suporte específico: papel, película, fita magnética, etc. (SANTAELLA, 2003, p ). Nesse sentido, observamos que ocorre um encontro entre as mídias de massa e as alternativas que é apoiado por múltiplas plataformas, originando a convergência midiática: uma das principais características da cibercultura. Se o paradigma da revolução digital presumia que as novas mídias substituiriam as antigas, o emergente paradigma da convergência presume que novas e antigas mídias irão interagir de formas cada vez mais complexas (JENKINS, 2008, p. 30). Garcia apud Santaella (2007) aborda as convergências tecnológicas, reforçando que essa é uma tendência que está apenas começando: Como se pode constatar, as inovações e mudanças no universo digital são exponenciais. Estamos no olho do furacão e as convergências tecnológicas estão apenas começando. Tendo se iniciado com a fotografia seguida pelo cinema, rádio, TV, áudio, vídeo, e agora a internet, a hipermídia, a realidade virtual, aumentada, misturada, as mídias locativas e a computação pervasiva as linguagens tecnológicas transformam-se de modo assoberbante, gerando associações, interações, convergências, intertraduções e hibridismos cada vez mais intensos de linguagens, técnicas, formas, padrões, em que o texto impresso, o discurso falado, a voz, a música, o som ambiente, gestos, linguagem matemática, linguagens de programação de software, fotografia, cinema, vídeo, animação bi e tri-dimensionais, teatro, artes plásticas, dança etc. tornam-se, agora, graças ao computador, elementos descategorizados do seu sentido original enquanto meio ou linguagem (GARCIA apud SANTAELLA, 2007, p.94). A convergência das mídias nos remete a outro conceito que perpassa a cibercultura: a interatividade. A proposta de estudo de Primo (2000) para o conceito de interatividade está fundamentada na diferenciação instituída entre o que é interativo e o que é reativo. Um sistema interativo trabalha dando autonomia ao espectador, enquanto um sistema reativo trabalha com um conjunto de possibilidades pré-definidas. Vale ressaltar que no sistema interativo pode-se afirmar que existe um diálogo, há troca comunicativa.

5 A partir dos conceitos de interativo e reativo, o autor expõe dois tipos de interação: mútua e reativa. Quanto aos sistemas que compõem, pode-se dizer que a interação mútua se caracteriza como um sistema aberto, enquanto a interação reativa se caracteriza como um sistema fechado. A interação mútua forma um todo global. Não é composto por partes independentes; seus elementos são interdependentes. Onde um é afetado, o sistema total se modifica. O contexto oferece importante influência ao sistema, por existirem constantes trocas entre eles. Por conseguinte, os sistemas interativos mútuos estão voltados para a evolução e desenvolvimento. E por engajar agentes inteligentes, os mesmos resultados de uma interação podem ser alcançados de múltiplas formas, mesmo que independente da situação inicial do sistema (princípio da equifinalidade). Já os sistemas reativos fechados têm características opostas às relatadas há pouco. Por apresentar relações lineares e unilaterais, o reagente tem pouca ou nenhuma condição de alterar o agente. Além disso, tal sistema não percebe o contexto e, portanto, não reage a ele. Por não efetuar trocas com o ambiente, o sistema não evolui. Nesses sistemas não se presencia a equifinalidade. Se uma situação não for prevista em sua fase inicial, ela não poderá produzir o mesmo resultado que outra situação planejada anteriormente apresentaria; e pode até mesmo não produzir qualquer resultado. (PRIMO, 2000, p.7-8) Como podemos observar, os princípios da cibercultura se aproximam bem mais da interação mútua do que da interação reativa. Em meio às ferramentas ciberculturais, abordaremos mais adiante como alguns aplicativos para dispositivos móveis podem facilitar essa interação mútua citada por Primo (2000). 4 A MOBILIDADE NA CIBERCULTURA Umas das principais ferramentas de cibercultura são os dispositivos móveis, que vão de smarthphones e tablets, passando por PDAs (computadores de bolso) e plataformas de jogos e chegando até a MP3 player como o ipod Touch. Com informações obtidas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) entre 2005 e 2011, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou recentemente dados relacionados ao uso dos telefones celulares no Brasil. Entre o período da pesquisa, o aumento do uso pessoal do celular por brasileiros com mais de dez anos foi de 107,2%. Os números de acesso à

6 internet foram ainda maiores, registrando um aumento de 143,8% no mesmo período. (TECMUNDO, 2013) De acordo com a pesquisa realizada por uma empresa especializada em análises do mercado móvel, a Flurry, a quantidade de smartphones e tablets ativos no país mais do que duplicou no período de abril/2012 a abril/2013. O estudo não revelou números exatos do Brasil, mas o classificou na faixa de crescimento de 100% a 199%. (TELETIME, 2013) Esse crescimento exponencial dos dispositivos móveis amplia as possibilidades de interações entre os indivíduos e as marcas através dos chamados mobile advertising (ações ligadas à veiculação) e mobile marketing (ações que envolvem interações), definições trazidas por Cavallini et al (2010). Tal aumento mostra também as tendências que as sociedades contemporâneas estão imersas, conforme citado por Lemos (2004): (...) processo de territorializações e desterritorializações sucessivas (Deleuze e Guattari, 1986), de práticas nômades e tribais, tanto em termos de subjetividade como de deslocamentos e afinidades (Maffesoli, 1997); de reconfiguração dos espaços urbanos (Mitchell, 2003; Horan, 2000; Meyrowitz, 2004) e de constituição de uma sociologia da mobilidade (Urry, 2000; Urry, 2003, Cooper, Green, Murtagh, Harper, 2002). (LEMOS, 2004) Através dos dispositivos móveis, é possível realizar um alto número de ações como: enviar e receber SMS e MMS, acessar o calendário e agenda de compromissos, fotografar, armazenar contatos, conectar-se a mapas e GPS, ouvir música, grava e compor sons, ler, editar arquivos, filmar, visualizar e compartilhar arquivos, fotos e filmes, armazenar bilhetes aéreos, utilizar calculadora e bússola, saber a temperatura, saber a cotação da bolsa de valores, acessar a internet, consultar s e até efetuar ligações. Além disso, é possível explorar inúmeras possibilidades através dos milhões de aplicativos disponíveis nas lojas dos sistemas operacionais dos smartphones. É possível encontrar aplicativos que permitem ações como: acessar as redes sociais da internet, utilizar o flash da câmera como lanterna, ler QR-Codes, traduzir uma palavra ou um texto, jogar sozinho ou com outros conhecidos que também possuam smartphone, atualizar-se das notícias, fazer o check-in de viagens, saber as novidades do dia nos sites de compras

7 coletivas, ouvir rádios on-line e até escolher a música que deseja ouvir em um determinado local. Diante desse mundo de possibilidades, Cavallini et al (2010) exemplificam os principais tipos de ações mobile entre marcas e público-alvo: SMS, SMS broadcast (base optin das operadoras), MMS, WAP, banners, mídia em aplicativos e jogos, mobile search, TV móvel, chip advertising, bluetooth, download de conteúdo patrocinado, publicidade em telas interativas, mobile site, torpedo de voz, aplicativos e advergames, interface com outros meios e pontos de venda e sampling 4. São apontados ainda como tendência pelos autores: mobile payment, NFC, femtocell, MVNO e 4G. 5 RADIO OFF-LINE E ON-LINE Eco (2000) contextualiza que o rádio foi o primeiro meio de difusão, surgido em 1916 com David Sarnoff, na Inglaterra. Sendo que apenas em 1921 que iniciaram efetivamente as transmissões radiofônicas (aqui no Brasil, somente a partir de 1923) e o rádio foi, assim, se tornando um meio de comunicação de massa. Os primeiros ouvintes não possuíam interesse pelo aspecto estético, desejavam apenas ouvir música em casa. Dessa forma, a função musical foi a primeira desempenhada pelo rádio, com um alcance só estudado um bom tempo depois (ECO, 2000). Com o surgimento da TV, pensou-se talvez que o rádio iria desaparecer. Contrariando tal hipótese, esse tradicional meio de comunicação permanece, talvez diante da segmentação, demográfica e psicográfica, de seus públicos. A mobilidade do rádio possibilita que ele possa estar presente em vários lugares, acompanhando seu público no carro, no trabalho, na academia ou na faculdade, por exemplo. Escutar rádio ainda se configura como um hábito da população mundial, tendo em vista a quantidades de rádios ainda existentes, apesar da existência de tocadores individuais de música, como mp3 players e outros. Com a popularização da internet, surgiu um novo modelo de rádio: a rádio on-line (também conhecida como web rádio ou rádio via internet). Ela é o serviço de difusão de áudio via internet, por exemplo, com a tecnologia streaming, originando áudio em tempo real, havendo possibilidade de emitir programas ao vivo ou até gravados. Para realizar a transmissão de uma rádio on-line, por exemplo, via streaming, é necessário enviar o arquivo 4 Para saber mais sobre as ações mobile, consultar o livro Mobilize.

8 de áudio a um servidor que irá realizar a codificação (encoder) e a transmissão (broadcast) aos usuários. A facilidade e os baixos custos de montar uma rádio on-line democratizam parte da retransmissão em rádio. Isso promove o acesso à música on-demand, pois o ouvinte pode ouvir os tipos de música que desejar (através das rádios segmentadas por estilos) e na hora que desejar. Trigo-de-Souza (2004) comenta: (...) Isso possibilita a criação de produtos radiofônicos que permitam a audição numa sequência particular para cada ouvinte, incluindo a opção de suprimir trechos ou escolher entre dois enfoques de interesse. (Trigo-de-Souza apud Bufarah, 2004, p. 09) Muitas estações tradicionais retransmitem na internet a mesma programação do meio convencional (difusão analógica por ondas de rádio, limitada ao alcance do sinal), conseguindo, assim, a possibilidade de alcançar uma audiência global. Já outras estações existem somente no meio on-line. Se a rádio lançar um aplicativo mobile, ela poderá alcançar não apenas audiência para além dos tradicionais aparelhos de rádio ou de seu site, mas também ter acesso a mais informações sobre os ouvintes, como , sexo, idade, localização etc. Isso porque um dos requisitos para baixar alguns aplicativos é o preenchimento de um cadastro simples por parte do usuário. Em troca, o usuário poderá realizar ações exclusivas para os ouvintes, via aplicativo, como promoções, bonificações e informações segmentadas através de pushings (alertas), em acréscimo ao que Cavallini et al (2010) exemplifica na relação marca-público. A internet potencializa as ações interacionais presentes na rádio, como o pedido de músicas pelo telefone. Com a tecnologia, é possível reforçar uma relação horizontal entre emissor/receptor, na qual o usuário pode interagir com a programação se comunicando até de forma assíncrona, porém mais imediata do que por cartas e telefone, como nas formas tradicionais. O trabalho das rádios via internet podem proporcionar não apenas mais facilidade para ouvir a rádio e aumentar a audiência, mas também uma ferramenta de relacionamento e promoção junto aos ouvintes. Tais ações de aproximação dos ouvintes e abertura à intervenção em suas estruturas, como programação, dão às rádios on-line uma chance competitiva diante da concorrência por outros macanismos audiofônicos e formas de acessar entretenimento e informação.

9 6 ANÁLISE DE AÇÕES INTERATIVAS DE RÁDIO INTEGRADA COM MOBILE A pesquisa de caráter exploratório deve como objeto da Rádio Beach Park e o aplicativo mobile Vitrola Mobile Jukebox, ambos com atuações na cidade de Fortaleza-CE. A problemática levantada foi saber como é possível atuar com integração on-line e off-line na área de rádios em Fortaleza-CE, promovendo interações mútuas entre a estrutura das rádios e seu público-ouvinte. Com tal cenário, a investigação se deu sobre pesquisa documental e bibliográfica como parte inicial, para que abrisse horizonte para uma posterior pesquisa dissertativa aprofundada sobre mais possibilidades interativas entre rádios, os recursos mobile e comportamento do consumidor. 6.1 RADIO BEACH PARK FM O Complexo Beach Park é um agrupamento de empreendimentos de turismo e lazer que comporta parque aquático, barracas de praia e resorts, com apoio ainda de uma rádio e de outros empreendimentos. Nascido em 1985, o complexo Beach Park se auto classifica hoje como um dos maiores complexos aquáticos da América Latina (BEACH PARK, 2013). Possui seu foco principal no parque aquático, mas também demonstra atuar fortemente com seus resorts, que são 4, e atuações em praia, como barracas, lanchonetes, lounge e espaço de eventos. Apesar de não se classificar como um negócio principal, de acordo com a análise realizada nos destaques dados a seus empreendimentos em seu site, a rádio do referido complexo empresarial mantém atuação em Fortaleza-CE e regiões próximas e desponta na área de comunicação como uma rádio de posicionamento competitivo dentro do nicho de jovens-adultos. A Rádio Beach Park FM teve o início de suas transmissões em 1º de janeiro de 2011, depois de algumas semanas de campanha-teaser prometendo a entrada de uma rádio diferente e interativa. A frequência inicialmente escolhida foi a 101,7 MHZ, com cobertura em Fortaleza-CE. Esta frequência já havia sido utilizada pela Rádio Oi FM, que também chegara à capital do Ceará com a promessa de interatividade, trazendo músicas e informações com toques alternativos.

10 Ainda com a Oi FM, algumas ações de aproximação com o público ouvinte já foram percebidas, como envio de SMS para votar em músicas e também para participar de promoções, recursos estes citado por Cavallini et al (2010) como tipos de ações mobile entre marcas e público-alvo. Além disso, a rádio também oferecia a possibilidade de ouvir a rádio ao vivo pela internet e podcasts produzidos a partir dos programas que eram veiculados durante o dia. Viu-se que a Rádio Beach Park FM trouxe de volta um legado de intenções deixado com a saída da Rádio Oi FM, como transmissão de programas com linguagem jovial, com músicas para o segmento jovem-adulto e recursos interativos que aproximassem seu público. Segundo Jenkins (2008), tais interações devem sobrepujar a razão técnica, assim como ocorre nos aparelhos que mantém recursos de convergência midiática. Assim a rádio ficou ativa na frequência 101,7 MHZ até março de 2013, pouco mais de 2 anos, quando saiu do ar por questões peculiares à administração. Entre março e abril de 2013, a rádio teve suas transmissões apenas via internet, com a continuidade dos programas e músicas ao estilo inicialmente lançado. Com um posicionamento competitivo para o mercado de rádios na cidade de Fortaleza-CE, tendo como segmentação de público um nicho não explorado em demasia pelas demais rádios, a Rádio Beach Park FM sai da frequência 101,7 MHZ, deixando mais esta lacuna. Viu-se que as experiências de interatividade exploradas pela Rádio Beach Park FM ao longo de cerca de 2 anos foram intensificadas depois que ela deixou a frequência 101,7 MHZ e passou a ser transmitida apenas pela internet, quando se autodenominou agora apenas Rádio Beach Park, retirando o termo FM do nome, já que não estava mais no dial. O início de tal intensidade sobre a internet pode ser percebida pela reformulação estrutural pela qual passou a presença online da rádio na internet, a começar pela reconstrução do site (http://radio.beachpark.com.br) e passando pela reorganização de sua página nos sites de rede social Facebook (http://facebook.com/radiobeachpark), Twitter (http://twitter.com/radiobeachpark) e Instagram (http://instagram.com/radiobeachpark), com novo layout, conteúdos mais conversarcionais do que informacionais e chamadas à participação dos ouvintes. Percebeu-se que estava havendo uma preparação para algo ainda desconhecido, mas que buscaria não apenas agregar o público, como também cercá-lo, dentro de um universo cibercultural (LEVY, 1999), com diversos pontos de contato online, de forma a este usuário ter contato com a rádio a pensar da plataforma usada.

11 Um dos principais destaques na história da então Rádio Beach Park foi seu ressurgimento na FM. Do final de março ao início de abril de 2013, a rádio lança campanha informando que, A Rádio Beach Park conquistou um time de ouvintes fieis que pediram o retorno à FM (O ESTADO, 2013). Em 1º de abril de 2013, a rádio retorna à FM, agora na frequência 92,9 MHZ. Após tal retorno e à intensificação de investimentos percebidos em internet, a rádio resolve trazer à nova frequência da FM parte das experiências de interatividade que já havia experimentado meses antes e também no curto período que passou como web rádio. Foi então que surgiu a ideia de atuar ainda mais com ações mobile. Ao que se percebeu, a ideia visava não apenas a quebra de territórios citada por Lemos (2004), nem somente a liberdade sobre as poucas plataformas de retransmissão da rádio para consumo daquela mensagem (JENKINS, 2008). Percebeu-se também uma busca por promover um maior acesso aos usuários da rádio, com maior poder de intervenção na estrutura da rádio, de forma a gerar valor agregado, sentimento de posse, familiaridade e integração. 6.2 APLICATIVO VITROLA O aplicativo Vitrola Mobile Jukebox nasceu em 2011, da iniciativa de três estudantes universitários de Fortaleza-CE em criar uma opção de rádio interna para estabelecimentos comerciais. De posse do aplicativo em smartphones, por exemplo, os usuários poderia escolher, dentro do playlist definido pelo estabelecimento, a sequência de músicas. O aplicativo sugere uma interação entre o usuário e seu ambiente através da escolha de músicas, como eram as antigas máquinas Jukebox. A ideia de intervenção no espaço através do aplicativo por parte dos usuários prometia um domínio do usuário sobre aquilo que era construído no que tange a ambientação do espaço, através das músicas. Apesar dessa intervenção livre, o aplicativo disponibilizava recursos coletivos, de maneira que os amigos associados através do aplicativo pudessem comentar e também compartilhar gostos por músicas indicadas para tocar. O aplicativo trabalha com funções de socialização das informações, interação entre os membros associados e também publicidade digital, esta voltada aos anunciantes, com a abertura para veiculação de spots segmentados durante a programação. É disponibilizado nas lojas Apple Store e Google Play. Conforme a organização do Vitrola Mobile Jukebox, o

12 aplicativo dispõe de mais de 20 milhões de músicas, com a garantia de que todas as composições reproduzidas são licenciadas, originais e atualizadas. São funções apresentadas pelo Vitrola Mobile Jukebox: pedir músicas, acompanhar audição de amigos, seguir locais favoritos, dedicar músicas para amigos via Facebook e acompanhar o playlist com segmentação por público. O aplicativo está em uso, atualmente, em academias, bares e restaurantes e shoppings de Fortaleza-CE. 6.3 A INTEGRAÇÃO RÁDIO ONLINE, RÁDIO FM E APLICATIVO MOBILE Em 15 de abril de 2013, exatamente 15 dias após o relançamento da Rádio Beach Park na FM, com a frequência 92,9 MHZ, a Rádio Beach Park e o aplicativo Vitrola Mobile Jukebox anunciam parceria. Era dado início a uma integração de recursos online e off-line que envolviam ferramentas tradicionais da rádio com ações de internet, acrescentando recursos de intervenção na programação da rádio de maneira livre, sem limitações administrativas quanto à sequência das músicas nem quanto aos comentários que se distribuíam através dos sites de rede social associados. Fonte: Página de Vitrola no Facebook (FACEBOOOK VITROLA, 2013)

13 Foram percebidas algumas ações envolvendo a tradicional FM com recursos online anteriores à supracitada ação. Contudo, viu-se que tais ações geralmente eram administradas pela equipe de locução da rádio, quando os pedidos eram feitos via telefone ou mensagem da internet. A inovação para as rádios de Fortaleza se deu porque não apenas o aplicativo servia como uma ferramenta de sugestão de música, mas sim como pedido líquido e certo de música, havendo, então, apenas a espera do playlist chegar à música pedida para que ela pudesse ser tocada. A Rádio Beach Park, portanto, lançou esta integração com o aplicativo Vitrola durante sua programação de segunda-feira, dia em que a rádio promove o chamado Monday Free, com programação totalmente sem intervalo comercial. Dessa maneira, o Monday Free passou a ser programado pelos próprios ouvintes, dando a eles o poder de escolher a sequência de músicas dentre as disponibilizadas pelo aplicativo durante 24h. Conforme levantamento do Vitrola Labs Serviços em Tecnologia da Informação, empresa que administra o Vitrola Mobile Jukebox, foram alcançados cerca de pedidos depois da parceria com a Rádio Beach Park. Também se atingiu cerca de visitas ao aplicativo, através do qual é possível verificar o playlist e até dialogar com outros usuários que optaram por indicar uma música para tocar. Deste o início da parceria entre a rádio e o aplicativo, foram tocadas músicas até o dia 15 de julho de 2013, com visitas ao aplicativo de usuários do sexo feminino e do sexo masculino. Verificou-se também que os horários de pico das visitas ao aplicativo são de 7h às 8h, de 13h às 14h e de 16h às 19h, exatamente também os maiores horários de pico da rádio FM, comparado aos horários de pico de trânsito também. Já os horários de pico de pedidos foram de 9h às 10h, de 11h às 14h e de 16h às 19h, exatamente após ou pouco antes aos horários de pico das rádios e do trânsito. 7 CONCLUSÕES É possível observar que existe uma relação entre online e off-line que pode promover a interação mútua entre estrutura das rádios e seus ouvintes. Através da alteração da programação das rádios de acordo com o gosto do ouvinte, respeitando o repertório disponibilizado pela rádio, este ouvinte pode se aproximar não apenas da rádio como empresa

14 de transmissão de áudio, mas também como instituição de cunho afetuoso, agregando valor à marca. Também foi possível observar que existem diversas outras oportunidades interativas entre o Vitrola Mobile Jukebox e a Rádio Beach Park já aproveitando o download realizado pelos usuários sobre o referido aplicativo. Através de uma atualização do aplicativo, apresenta-se como oportunidade mais investimentos em inteligência coletiva, talvez levando ao público projetos de construção compartilhada de outras estruturas da rádio, como matérias, debates e material multimídia, aproveitando a integração também com recursos multimídia de sites de rede social. Conclui-se, por fim, que a abertura de interação mútua entre rádio e seu público mediada pelo recurso tecnológico móvel do aplicativo pode trazer ao cenário de Fortaleza-CE um novo perfil de consumo de rádio, com a exigência de maior intervenção desse público nas estruturas de mídia de massa para que seja alcançada a audiência desejada. Certamente tal questionamento enseja pesquisas futuras na área relacionada.

15 REFERÊNCIAS BEACH PARK. Conheça o Beach Park. Disponível em: <http://www.beachpark.com.br/conheca-o-beach-park/historia/> Acesso em: 10 jul BUFARAH Jr., A. Rádio e Internet: desafios e possibilidades. In: XXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Porto Alegre, CASTELLS, M. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo, Paz e Terra, v1,1999. CAVALLINI, R. XAVIER, L., SOCHACZEWSKI, A. Mobilize. 1. ed. São Paulo: Ed. dos Autores, ECO, U. Apocalípticos e Integrados. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, FACEBOOK VITROLA. Página de Vitrola. Disponível em: <https://www.facebook.com/photo.php?fbid= &set=a &type=1> Acesso em 15 abr JENKINS, H. Cultura da Convergência. Trad. Susana Alexandria. 2a ed. São Paulo: Aleph, LÉVY, P. Cibercultura. Rio de Janeiro: Ed. 34, LEMOS, A. Cibercultura e Mobilidade: a Era da Conexão. Revista Razón y Palabra, n. 41, out-nov O ESTADO. Beach Park FM retorna para rádio na frequência FM 92,9. Disponível em: < > Acesso em: 10 jul OLIVEIRA, W., MONTEIRO, N. O Curso da Minha Vida: planejamento de comunicação para uma universidade baseado nas fases de existir, atrair, relacionar-se e fidelizar. In CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE, 25, Anais... Mossoró, PRIMO, A. Interação mútua e reativa: uma proposta de estudo. Revista da Famecos, n. 12, p , jun SANTAELLA, L. As linguagens como antídotos ao midiacentrismo. In: Revista Matrizes, n.1, p , Cultura e artes do pós-humano. São Paulo; Paulus, 2003.

16 TECMUNDO. IBGE: uso de celular e internet cresceu mais de 100% no Brasil em seis anos. Disponível em: < > Acesso em 18 jul TELETIME. Crescimento móvel no Brasil ultrapassa 100%, diz estudo. Disponível em: < > Acesso em 18 jul THOMPSON, J. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS Trabalho final da disciplina Computadores, Redes, IP e Internet Professor: Walter Freire Aluno:

Leia mais

INTRODUÇÃO. Desde que a imprensa surgiu, a comunicação se baseia na tecnologia:

INTRODUÇÃO. Desde que a imprensa surgiu, a comunicação se baseia na tecnologia: INTRODUÇÃO Desde que a imprensa surgiu, a comunicação se baseia na tecnologia: 1450 Imprensa de Gutemberg 1940 Primeiras transmissões na TV 1960 Internet começa a ser desenvolvida 1973 Primeira ligação

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações.

Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações. Somos uma agência de soluções online, especializada em marketing digital e inovações. Nós criamos marcas, desenvolvemos estratégias, produzimos conteúdo, além de cuidar do posicionamento estratégico da

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br MIDIA KIT 15 www.naporteiracast.com.br O QUE É PODCAST? O termo podcast é a junção das palavras ipod (dispositivo de reprodução de arquivos digitais fabricado pela Apple) e broadcast (transmissão, em inglês).

Leia mais

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal Rádio Digital Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Roberto Pinto Martins Secretário rio de Telecomunicações Ministério das Comunicações Sumário 1. Cenário

Leia mais

Ser a primeira opção para empresas que buscam soluções que combinem mobilidade, entretenimento e interatividade.

Ser a primeira opção para empresas que buscam soluções que combinem mobilidade, entretenimento e interatividade. MISSÃO Fornecer todas as ferramentas necessárias que possibilitem levar entretenimento e interatividade a todos os usuários de telefones móveis e fixo. OBJETIVO Ser a primeira opção para empresas que buscam

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

I - O que é o Mobilize-se

I - O que é o Mobilize-se Índice O que é o Mobilize-se...03 A campanha de lançamento...12 Divulgação da campanha...14 Como irá funcionar o sistema para o ouvinte da rádio...20 O que a rádio deve fazer para se inscrever no Mobilize-se...36

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.docpix.net QUEM SOMOS Somos uma agência digital full service, especializada em desenvolvimento web, de softwares e marketing online. A Docpix existe desde 2010 e foi criada com

Leia mais

Contextualização. *http://www.sophiamind.com/noticias/acesso-a-internet-movel-entre-as-mulherescresce-575-em-dois-anos/

Contextualização. *http://www.sophiamind.com/noticias/acesso-a-internet-movel-entre-as-mulherescresce-575-em-dois-anos/ Mobile Marketing Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem por cento

Leia mais

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR CONTEÚDO 1 2 3 4 5 6 Por que as empresas precisam estar conectadas ao mundo mobile Como os aplicativos mobile podem atrair mais clientes. Como os aplicativos

Leia mais

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital Apresentação Presença Digital 2012 ÍNDICE 1. GESTÃO MÍDIAS SOCIAIS... 03 2. ESTRATÉGIAS COMPLEMENTARES... 04 3. PERSONALIZAÇÃO... 05 4. CASES... 06 5. SOBRE A INTERMIDIA BRASIL... 13 6. CLIENTES... 14

Leia mais

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes REDES SOCIAIS Profº Thiago Arantes Todos os direitos reservados - IAB 2014 - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros

Leia mais

No mundo: 1,2 Bi PCs x 4,3 Bi celulares; no Brasil: 43 Mi PCs x 170 Mi celulares

No mundo: 1,2 Bi PCs x 4,3 Bi celulares; no Brasil: 43 Mi PCs x 170 Mi celulares Por que mobile? Celular: mídia pessoal, individual, 24x7 No mundo: 1,2 Bi PCs x 4,3 Bi celulares; no Brasil: 43 Mi PCs x 170 Mi celulares No Brasil os internautas passam três vezes mais tempo online do

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes REDES SOCIAIS Prof. Thiago Arantes - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S A MELHOR OPORTUNIDADE PARA O SEU NEGÓCIO ESTÁ AO SEU ALCANCE NAS REDES SOCIAIS... O MUNDO É FEITO DE REDES SOCIAIS

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

Incentivar, desenvolver, regulamentar e promover o uso dos meios interativos;

Incentivar, desenvolver, regulamentar e promover o uso dos meios interativos; Missão do IAB Brasil Incentivar, desenvolver, regulamentar e promover o uso dos meios interativos; Criar normas e padrões para o planejamento, criação, compra, venda, veiculação e mensuração de mensagens

Leia mais

Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio.

Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio. Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio. Restaurante Academia Farmácia Shopping Padaria Palestrante Concessionária Bar Balada Pizzaria Imobiliária Hotel Petshop

Leia mais

Desde 2008. Mídia Kit 2015. encontrasãopaulo. www.encontrasaopaulo.com.br

Desde 2008. Mídia Kit 2015. encontrasãopaulo. www.encontrasaopaulo.com.br Desde 2008 Mídia Kit 2015 encontrasãopaulo www.encontrasaopaulo.com.br Introdução O Mídia Kit 2015 do guia online Encontra São Paulo tem o objetivo de contextualizar a atuação do site no segmento de buscas

Leia mais

Tabela de Preços Sugeridos

Tabela de Preços Sugeridos WEBSITE Estrutura básica Área institucional Área estática: quem somos, o que fazemos, onde estamos etc. Área de contato E-mail, telefone, formulário etc. Área core Gerenciador de conteúdo para cadastro

Leia mais

Itaú Performance. Planejamento de Mídia Digital. Mobile Marketing. Instrutor: Fred Pacheco. ! 14 anos de experiência no mercado online

Itaú Performance. Planejamento de Mídia Digital. Mobile Marketing. Instrutor: Fred Pacheco. ! 14 anos de experiência no mercado online Itaú Performance Mobile Marketing 01 / Janeiro / 2013 Planejamento de Mídia Digital 1 Instrutor: Fred Pacheco! 14 anos de experiência no mercado online! Palestrante e Consultor de mídia, planejamento,

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO Instituto FA7 IBMEC MBA em Marketing Disciplina: Professor: Turma: Equipe: Marketing Eletrônico Renan Barroso Marketing II - Fortaleza Ana Hilda Sidrim, Ana Carolina Danziger PLANEJAMENTO DE MARKETING

Leia mais

... MERCADO DE GAMES NO BRASIL EM FASE DE CONSTRUÇÃO! MUITOS CAMPOS ABERTOS, PORÉM SEM A ESPECIALIZAÇÃO NECESSÁRIA. Precisa-se de mão de obra para:

... MERCADO DE GAMES NO BRASIL EM FASE DE CONSTRUÇÃO! MUITOS CAMPOS ABERTOS, PORÉM SEM A ESPECIALIZAÇÃO NECESSÁRIA. Precisa-se de mão de obra para: MERCADO DE GAMES NO BRASIL EM FASE DE CONSTRUÇÃO! Precisa-se de mão de obra para: Marketing Vendas Distribuição Finanças Localização Desenvolvimento de novos negócios Programação... MUITOS CAMPOS ABERTOS,

Leia mais

Apple Music. Diretrizes de identidade para afiliados. Junho de 2015

Apple Music. Diretrizes de identidade para afiliados. Junho de 2015 Visão geral Música boa precisa de marketing bom. O segredo para uma boa campanha de marketing são mensagens claras e eficazes. Siga estas diretrizes para atender aos requisitos da Apple e obter o máximo

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

Sistema de Mídia Digital

Sistema de Mídia Digital Sistema de Mídia Digital Sistema completo para gestão de conteúdo informativo, entretenimento e publicidade para diversos ramos mercadológicos: Supermercados; Ônibus; Academias; Shoppings; Universidades;

Leia mais

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos White Paper 24 de Setembro de 2014 Rede IPTV DX - Clubes Desportivos Alcançando e realizando o potencial do torcedor móvel IPTV Móvel para Clubes Desportivos - DX - 1 O negócio de mídia e venda para torcedores

Leia mais

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 O Rio ao Vivo é a primeira plataforma de transmissão online, em tempo real,com imagens de alta qualidade dos locais mais movimentados do Rio de Janeiro para o mundo.

Leia mais

Proposta Revista MARES DE MINAS

Proposta Revista MARES DE MINAS SATIS 2011 Proposta Revista MARES DE MINAS 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5 Investimento 6

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS

TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS POLITICA COMERCIAL E VENDAS FÁBRICA DE APLICATIVOS ÍNDICE EXPLORANDO RECURSOS COMPORTAMENTO DO USUÁRIO COMO MANTER SUA

Leia mais

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL 2 + 67.500.000 + 67,5 MILHÕES DE INTERNAUTAS NO BRASIL FONTE: IBOPE/NIELSEN 58.290.000 58,2 MILHOES DE INTERNAUTAS NO BRASIL ACESSAM A INTERNET SEMANALMENTE -87% FONTE:

Leia mais

Apps de Produtividade

Apps de Produtividade Apps de Produtividade Os App s de Produtividade oferecem controle, organização e recursos para profissionalização das áreas internas e externas da empresa, proporcionando: Produtividade Controle Integração

Leia mais

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO Em nenhum momento de toda a história dos meios de comunicação modernos houve tantas mudanças fundamentais na distribuição e mensuração da mídia. Com o surgimento da transmissão

Leia mais

Estudo Hábitos. Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes

Estudo Hábitos. Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes Estudo Hábitos 2012 Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes O estudo O Estudo Hábitos é realizado anualmente pela E.life

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

Site para Celular JFPB

Site para Celular JFPB JUSTIÇA FEDERAL NA PARAÍBA Site para Celular JFPB http://m.jfpb.jus.br João Pessoa - PB Julho de 2011 JUSTIÇA FEDERAL NA PARAÍBA Sumário Página 1 Apresentação 3 2 Introdução 4 3 Oportunidade 4 4 Solução

Leia mais

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer ESTRATÉGIA DIGITAL Prof. Luli Radfahrer - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

M-Learning. Tendências da educação com o uso de dispositivos móveis.

M-Learning. Tendências da educação com o uso de dispositivos móveis. M-Learning Tendências da educação com o uso de dispositivos móveis. Mauro Faccioni Filho, Dr.Eng. Fazion Sistemas mauro@fazion.com.br Unisul Virtual mauro.faccioni@unisul.br Novembro/2008 www.fazion.com.br

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

MOBILE APPS. Principais características. Permitir que o cliente compre produtos e serviços diretamente via app

MOBILE APPS. Principais características. Permitir que o cliente compre produtos e serviços diretamente via app MOBILE APPS Aplicativo para relacionamento e marketing digital, pronto para todos os dispositivos móveis, nas plataformas ios, Android (aplicativos nativos) e mobile web, para plataformas como BlackBerry

Leia mais

Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia

Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia Objetivos Buscar compreender a audiência online no Brasil, seu envolvimento com a Internet e os diversos tipos de tecnologia (habitos), percepções e atitudes

Leia mais

CELULAR X COMPUTADOR APLICATIVO PARA CELULAR DICAS DO SEBRAE

CELULAR X COMPUTADOR APLICATIVO PARA CELULAR DICAS DO SEBRAE CELULAR X COMPUTADOR Atualmente, o Celular roubou a cena dos computadores caseiros e estão muito mais presentes na vida dos Brasileiros. APLICATIVO PARA CELULAR O nosso aplicativo para celular funciona

Leia mais

Plataforma Interativa de Vídeo

Plataforma Interativa de Vídeo Plataforma Interativa de Vídeo Milonga DWM Soluções em Comunicação e Tecnologia Interativa, empresa do Grupo Ciclotron. Desenvolvemos soluções com foco na experiência do usuário, implantado um novo conceito

Leia mais

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção.

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. estratégias online Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. serviços consultoria Benchmark Planejamento

Leia mais

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Morgana Hamester História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Contexto atual Modelização digital contemporaneidade;

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM INTRODUÇÃO/DESENVOLVIMENTO Bruna Vieira de Oliveira Ricardo Rigaud Salmito 1 Esta pesquisa pretende analisar se a criação do site da rádio São Francisco

Leia mais

A SatNext. Missão. Visão. satnext.com.br

A SatNext. Missão. Visão. satnext.com.br satnext.com.br A SatNext Com mais de 10 anos de know-how em Tecnologia de Telecomunicações voltada ao ensino à distância via satélite e com uma equipe multidisciplinar para a elaboração de sistemas educacionais

Leia mais

4 Mercado setor de telecomunicações

4 Mercado setor de telecomunicações 4 Mercado setor de telecomunicações Nesta sessão é apresentada uma pequena visão geral do mercado de telecomunicações no Brasil, com dados históricos dos acontecimentos mais relevantes a este trabalho,

Leia mais

RESUMO. Livraria Cultura 1

RESUMO. Livraria Cultura 1 Livraria Cultura 1 Júlia SCHNEIDER 2 Aline LEONARDI 3 Larissa OLIVEIRA 4 Christian Hugo PELEGRINI 5 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP RESUMO A Livraria Cultura é uma das maiores

Leia mais

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online?

AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? AMBIENTES ONLINE: que formato tem o ambiente que os jovens procuram online? Edgar Marcucci Reis 1 Jéssica Naiara dos Santos Batista 2 Resumo: O artigo apresenta uma visão sobre os ambientes online encontrados

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis

Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis Aline Santos Carlos Augusto Peterson Almeida Rafael Rodrigues Ramon Assis Marketing Digital Trabalho científico apresentado ao Professor Edvaldo Jr., docente da matéria Marketing Digital, da turma de Produção

Leia mais

Monitoramento de Redes Sociais

Monitoramento de Redes Sociais Monitoramento de Redes Sociais O QlikBrand é uma ferramenta profissional para monitoramento de mídias sociais e o primeiro "Social Mídia Discovery" com Qlikview. Localiza menções nas mídias sociais, interage

Leia mais

Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social

Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social Introdução: Com a Web 2.0 e suas ferramentas interativas (blog, fórum, sites interativos, redes sociais, etc.) as pessoas criam conteúdo e informação de

Leia mais

SEJA BEM-VINDO A RÁDIO SUPER JOVEM TABELA WWW.SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM CONTATO@SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM

SEJA BEM-VINDO A RÁDIO SUPER JOVEM TABELA WWW.SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM CONTATO@SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM SEJA BEM-VINDO A RÁDIO SUPER JOVEM TABELA WWW.SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM CONTATO@SUPERJOVEMBEBEDOURO.COM INFORMAÇÕES Vantagem! A internet tem alcance superior a 85% dos jovens e adultos. Mais de 70% da população

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Novas Mídias e Relações Sociais.

Novas Mídias e Relações Sociais. Novas Mídias e Relações Sociais. Eduardo Foster 1 1 Caiena Soluções em Gestão do Conhecimento, Av. 34-578, CEP 13504-110 Rio Claro, Brasil foster@caiena.net Resumo. A comunicação é uma disciplina que acompanha

Leia mais

Usuários Únicos. Visitas. Pageviews. Educação 6,3% Celebridades 8,0% Esportes 9,2% Notícias 14,5% Família 7,1% Entretenimento 13,1% Negócios 6,7%

Usuários Únicos. Visitas. Pageviews. Educação 6,3% Celebridades 8,0% Esportes 9,2% Notícias 14,5% Família 7,1% Entretenimento 13,1% Negócios 6,7% Lançado em julho de 2000, o clicrbs é um portal de internet voltado às comunidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Com mais de 100 canais, os usuários encontram o conteúdo dos jornais, das rádios

Leia mais

XOPVision Cloud Digital Signage

XOPVision Cloud Digital Signage XOPVision Cloud Digital Signage O que é o Digital Signage? Conceito O XOPVISION é uma ferramenta de comunicação que utiliza televisores, monitores, smartphones ou tablet s, estrategicamente localizados

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura!

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura! APRESENTAÇÃO A Informatiza Soluções Empresariais está no mercado desde 2006 com atuação e especialização na criação de sites e lojas virtuais. A empresa conta com um sistema completo de administração de

Leia mais

Website para dispositivos Móveis. O futuro na palma de sua mão!

Website para dispositivos Móveis. O futuro na palma de sua mão! Website para dispositivos Móveis O futuro na palma de sua mão! Sites Mobile A Internet está sendo cada vez mais acessada através de telefones móveis e, como resultado, sites estão recebendo uma boa quantidade

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA ASSISTÊNCIA HELP DESK P L A N O 1

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA ASSISTÊNCIA HELP DESK P L A N O 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA ASSISTÊNCIA HELP DESK P L A N O 1 1. QUADRO RESUMO DE SERVIÇOS ITEM SERVIÇOS LIMITES DO SERVIÇO 2.1 Suporte Remoto Informática 2.2 Suporte Remoto Celular 2.3 Suporte Remoto

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento.

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento. Vamos, juntos Somos agência de publicidade e consultoria em marketing digital com a missão de atender as necessidades de comunicação da sua empresa, com serviços que abrangem desde campanhas integradas

Leia mais

Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda.

Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda. Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda. Carl Jung #Mídia Kit REVISTA MANDALA /2014 Índice A Revista Mandala

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

TV SOCIAL. Márcio Carneiro dos Santos mcszen@gmail.com

TV SOCIAL. Márcio Carneiro dos Santos mcszen@gmail.com TV SOCIAL Márcio Carneiro dos Santos mcszen@gmail.com TV SOCIAL Márcio Carneiro dos Santos mcszen@gmail.com TV SOCIAL Márcio Carneiro dos Santos mcszen@gmail.com DIGITAL DIGITAL TRANSCODIFICAÇAO Manovich,

Leia mais

PLATAFORMA DE COMUNICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

PLATAFORMA DE COMUNICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE PLATAFORMA DE COMUNICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EcoD A SUA PLATAFORMA DE COMUNICAÇÃO EM SUSTENTABILIDADE IDEAL......para o seu cliente....para sua campanha....para os seus parceiros....para o seu dia

Leia mais

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO!

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! Como deixar seu negócio on-line Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! A palavra de ordem das redes sociais é interação. Comparando a internet com outros meios de comunicação em massa como

Leia mais

Um estudo da Adequação do Rádio na Internet: o Surgimento das Webrádios 1

Um estudo da Adequação do Rádio na Internet: o Surgimento das Webrádios 1 Um estudo da Adequação do Rádio na Internet: o Surgimento das Webrádios 1 Gabriele Fernandes Siqueira 2 Gislaine Zanella 3 Camila Candeia Paz 4 Universidade do Contestado UnC Concórdia/SC RESUMO Os meios

Leia mais

Paradigmas e paradoxos da sociedade da informação

Paradigmas e paradoxos da sociedade da informação Paradigmas e paradoxos da sociedade da informação As mudanças DebatePapo Mídia Dalton Pastore - ABAP Caio Barsotti - SECOM José Alves - IVC Orlando Lopes - ABA Impacto da Tecnologia Individualização Acesso

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO Conheça todas as ações realizadas.

PLANO DE COMUNICAÇÃO Conheça todas as ações realizadas. PLANO DE COMUNICAÇÃO Conheça todas as ações realizadas. Caro Expositor, Em sua 31ª edição, a EXPOMUSIC vem consolidar a parceria entre Expositores, Abemúsica e Francal Feiras nesses 31 anos de trabalho,

Leia mais

SISTEMÁTICA WEBMARKETING

SISTEMÁTICA WEBMARKETING SISTEMÁTICA WEBMARKETING Breve descrição de algumas ferramentas Sobre o Webmarketing Web Marketing é uma ferramenta de Marketing com foco na internet, que envolve pesquisa, análise, planejamento estratégico,

Leia mais

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.

SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL. Expositor. Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com. SEMINÁRIO ABMES BASES DO MARKETING DIGITAL Expositor Júlio César de Castro Ferreira julio.ferreira@produtoranebadon.com.br (61) 9613-6635 5 PILARES DO MARKETING DIGITAL 1 2 3 4 5 Presença digital: Ações

Leia mais

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos LABORATÓRIO DE CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS PROJETO DE CRIAÇÃO DE UM NOVO AMBIENTE DE APRENDIZADO COM BASE EM REDES DIGITAIS. 1 Palavras-chave: Convergência,

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL INTRODUÇÃO Já imaginou ter acesso a dados e estatísticas do website do concorrente? Com alguns aplicativos e ferramentas, isso já é possível. Com ajuda deles, você

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET

13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET 13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET AGENDA METODOLOGIA PANORAMA GERAL GRANDES APRENDIZADOS F/RADAR METODOLOGIA TÉCNICA Pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal em pontos de fluxo

Leia mais

Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população...

Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população... Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população... Serão mais de 3 bi de usuários Crescimento no próximo ano será de 6,2% Pela 1ª vez, a internet vai alcançar mais de 2 em cada 5 pessoas

Leia mais

Our Mobile Planet: Portugal

Our Mobile Planet: Portugal Our Mobile Planet: Portugal Compreender o Consumidor de Telemóveis Maio de 2013 Informações Confidenciais e de Propriedade da Google 1 Resumo Executivo Os smartphones tornaram-se uma parte indispensável

Leia mais