RECUPERADORES DE CALOR < SALAMANDRAS < AQUECIMENTO CENTRAL<

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RECUPERADORES DE CALOR < SALAMANDRAS < AQUECIMENTO CENTRAL<"

Transcrição

1 REUPERADORES DE ALOR < SALAMANDRAS < ENTRAL<

2 > A empresa foi fundada na década de 50, tendo começado no ramo da fundição metal. No decorrer da década de 90 e devido a uma crescente necessidade de mercado, deu-se lugar a uma reestruturação da empresa que levou a uma especialização na área de recuperadores de calor. Actualmente, a Albicalor é uma das empresas de referência na área. A Albicalor tem como missão fabricar e comercializar equipamentos para energias alternativas que satisfaçam as necessidades dos nossos clientes, através de um serviço de qualidade, assente no profissionalismo e empatia de todos os seus colaboradores assim como numa perspectiva de sustentabilidade do nosso planeta. Para cumprimento da missão, a Albicalor vive o seu dia-a-dia assente em valores que considera cruciais para o seu desenvolvimento e crescimento enquanto empresa. Por tal, pauta-se pela persistência na busca dos seus sonhos e objectivos estratégicos, exigência e qualidade nos equipamentos que produz e comercializa, profissionalismo e simpatia nos contactos com clientes, parceiros e fornecedores.

3 ÍNDIE < Pág. 05 > IOMASSA energia renovável > LENHA as propriedades ideais Pág. 09 > REUPERADORES A AR com ventilação forçada O conforto do seu lar é a nossa prioridade. Pág. 33 > SALAMANDRAS com ventilação forçada Pág. 43 > REUPERADORES A ÁGUA para aquecimento central Pág. 62 > EQUIPAMENTOS para aquecimento de águas sanitárias > RESUMO TAELA > Pág. 3

4 > A Albicalor tem como missão fabricar e comercializar equipamentos de aquecimento doméstico, através de energias limpas e renováveis, que satisfaçam as necessidades dos nossos clientes numa perspectiva de sustentabilidade do nosso planeta. A iomassa é a unica energia renovável que pode ser convertida em combustível gasoso, líquido ou sólido e o seu uso reduz a pegada ecológica.

5 > Na combustão, o dióxido de carbono libertado é apenas aquele que foi utilizado no processo de fotossíntese, tornando assim a iomassa neutra em termos de emissões de O2. > ENERGIA SOLAR A energia solar disponível excede em vezes a energia necessária ao consumo humano. Através da fotossíntese a natureza armazena essa energia sob a forma de iomassa (massa biológica), nas folhas, caules, troncos, etc. IOMASSA < > Para criar um metro cúbico de madeira, a árvore consome uma tonelada de dióxido de carbono da atmosfera. Desta, 250 Kg são armazenados como carbono na madeira e 750 Kg são libertados como oxigénio para a atmosfera. > A combustão direta de iomassa é a transformação da energia química em calor. O consumo de oxigénio neste processo é compensado no processo de desenvolvimento dos vegetais. O 2 O 2 O 2 > Neste ciclo, a energia calorífica libertada durante a combustão (quantificada em KiloWatts) é recuperada para criar conforto na casa. Se optar pela instalação de recuperador Albicalor obtém mais economia e a garantia de uma temperatura amena constante. kw H 2 O > Quando a árvore morre, inicia-se um processo gradual de decomposição no qual são quebradas as cadeias de carbono da árvore. No ciclo natural de decomposição ou combustão fria é libertada a mesma quantidade de energia que foi armazenada. No processo de decomposição é libertado exatamente a mesma quantidade de dióxido de carbono. > Pág. 5

6 > A lenha é o combustível por excelência dos recuperadores de calor. Para a obtenção do rendimento desejado destes aparelhos temos que equacionar sempre dois aspetos. Para além das qualidades que a madeira revela quando arde, devemos também obter a madeira de forma seletiva para garantir a sustentabilidade deste recurso. > ESPÉIES PROTEGIDAS Excluímos desta apresentação as espécies protegidas, percentagens de coberto inferiores a 50% e populações arborícolas mistas. Estas áreas de coberto, inferiores a 50% no território nacional são importantes manchas arborícolas, mas para tornar evidente a localização das espécies mais apropriadas ou abundantes não foram consideradas nos dados apresentados. Distribuição das espécies de árvores > As tabelas apresentam uma disposição que identifica a região agrária onde as especies mais representativas se encontram, tipo de árvore, composição da floresta pura, percentagem de coberto e área de coberto. > ENTRE DOURO E MINHO omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Eucalipto ha Pinheiro-ravo ha arvalho 3.691ha astanheiro 380ha > EIRA LITORAL omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Pinheiro-bravo ha Eucalipto ha arvalhos ha Pinheiro-manso 611ha astanheiro 2.539ha > RIATEJO E OESTE omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Pinheiro-bravo ha Eucalipto ha arvalhos 3.151ha Pinheiro-manso 5.156ha

7 > TRÁS-OS-MONTES omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto pinheiro-bravo ha Eucalipto ha arvalhos ha astanheiro ha Outras resinosas ha > EIRA INTERIOR omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Pinheiro-bravo ha Eucalipto ha arvalhos ha astanheiro 1.365ha > ALENTEJO omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Eucalipto ha arvalhos 1.144ha Pinheiro-manso ha > ALGARVE omposição da floresta: pura oberto: > 50% floresta densa Espécie Área de coberto Eucalipto ha Pinheiro-bravo 3.365ha Pinheiro-manso 4.839ha Principais qualidades da lenha por tipo de árvore Emissão de fumo LENHA < Abaixo sugerimos a analise da tabela de eficiencia (calculo aproximado) de alguns aspectos considerados pertinentes na utilização de tipos de madeira mais comuns. De novo, e por opção, excluimos desta tabela as espécies protegidas. Produção de calor onsumo de Madeira Pinheiro-ravo Pinheiro-Manso arvalho Eucalipto astanheiro A leitura da tabela apresenta valores numéricos de 0 a 10. Por exemplo na emissão de fumo, o Pinheiro ravo apresenta valores baixos (2), precisamente devido ao facto de que a sua lenha, ao ser queimada emite pouco fumo. Da mesma forma, o arvalho apresenta valores elevados (9) pelo que indica elevada emissão de fumos na queima da sua lenha. > Pág. 7

8 200 > REUPERADOR DE ALOR A AR O recuperadores de calor a ar são a forma mais eficaz de tornar a utilização de uma lareira mais económica e eficiente. 350 A Albicalor fabrica uma vasta gama e > NEESSÁRIO volume da área recuperadores que vão desde as linhas rústicas até às linhas minimalistas, O que permite responder 200 a todas as necessidades arquitetonicas 150 e dimensões dos espaços Os recuperadores de calor permitem 150 subir o rendimento das lareiras convencionais dos 15 a 20% para os 60 a % de kw aproveitamento de calor. 0 0 rendimento necessário Isolamento térmico 5 da habitação: bom: médio: mau: m > ENSAIOS & QUALIDADE Ensaios realizados de acordo com a norma: EN13229-W Directiva de compatibilidade electromagnética: 93/68/E Directiva de baixa tensão: 73/23/E Ensaios realizados no ATIM: EN13229:2001 EN13229:2001A:2003 EN13229:2001A1:2003 EN13229:2001A2:

9 REUPERADORES A AR < LINHA MINIMALISTA OSÍRIS PLUS > Pág.11 OSÍRIS RISTAL > Pág.13 OSÍRIS PLUS DUPLA FAE > Pág.15 OSÍRIS RISTAL DUPLA FAE > Pág.17 VISION > Pág.19 GUILHOTINE > Pág.21 OSÍRIS MULTIFAES > Pág.23 RÚSTIOS JÚPITER / ETA / SATURNO > Pág.25 M. D. PRISMA / TERRANO II / EURO V > Pág.27 TERRANO I / MEDI-ETA / MARTE > Pág.29 APOLO > Pág.31 OPIONAL: EM TODOS OS MODELOS DE REUPERADOR A AR QUENTE DA LINHA RÚSTIA E MINIMA- LISTA PODEM SER APLIADOS GRELHADOR E TAMÉM SERPENTINA EM AÇO INOX PARA DE ÁGUAS SANITÁRIAS. > Pág. 9

10

11 OSÍRIS PLUS < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) OM VENTILAÇÃO FORÇADA ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO FEHO ROMADO OPIONAL INOX 45 mm > INOX ESOVADO ANTRAITE 90mm > OR IGUAL AO REUPERADOR MOLDURAS OM 3 LADOS > DISPONÍVEL APENAS OM O AAAMENTO ANTRAITE. H 1,5-2,9 kg/h 2,0-3,9 kg/h PLUS 700/545 PLUS 700/600 71% 71% 260 m³ 295 m³ 1,8-3,2 kg/h 71% 74% 275 m³ PLUS 800/600 PLUS 1000/600 3,2-6,1 kg/h 420 m³ NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NA PÁGINA 63 A E D I ARATERÍSTIAS PLUS PLUS PLUS PLUS 700/ / / /600 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,4-12,6 6,9-13,1 8,6-15,4 11,9-20,1 POTÊNIA NOMINAL (kw) 9, EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,27 0,28 0,32 0,45 EMISSÕES O₂ (%) 8,2 8,3 9,4 11,2 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OSÍRIS REFERÊNIAS A D E F G H I PLUS 700/ PL PLUS 700/ PL PLUS 800/ PL PLUS 1000/ PL > Pág. 11

12

13 OSÍRIS RISTAL< MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) OM VENTILAÇÃO FORÇADA ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO FEHO ROMADO OPIONAL INOX 45 mm > INOX ESOVADO ANTRAITE 90mm > OR IGUAL AO REUPERADOR 1,5-2,9 kg/h 2,0-3,9 kg/h RISTAL 700/545 RISTAL 700/600 71% RISTAL 800/600 RISTAL 1000/600 71% 260 m³ 295 m³ 1,8-3,2 kg/h 3,2-6,1 kg/h 71% 74% 275 m³ 420 m³ MOLDURAS OM 3 LADOS > DISPONÍVEL APENAS OM O AAAMENTO ANTRAITE. NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NA PÁGINA 63 A H E D I ARATERÍSTIAS RISTAL RISTAL RISTAL RISTAL 700/ / / /600 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,4-12,6 6,9-13,1 8,6-15,4 11,9-20,1 POTÊNIA NOMINAL (kw) 9, EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,27 0,28 0,32 0,45 EMISSÕES O₂ (%) 8,2 8,3 9,4 11,2 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OSÍRIS REFERÊNIAS A D E F G H I RISTAL 700/ RT RISTAL 700/ RT RISTAL 800/ RT RISTAL 1000/ RT > Pág. 13

14

15 DUPLA FAE < OSÍRIS PLUS < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) OM VENTILAÇÃO FORÇADA ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO FEHO ROMADO OPIONAL INOX 45 mm > INOX ESOVADO ANTRAITE 90mm > OR IGUAL AO REUPERADOR DUPLA FAE PLUS 700/545 1,7-3,1 kg/h 74% 270 m³ DUPLA FAE PLUS 700/600 1,9-3,2kg/h 74% 285 m³ MOLDURAS OM 3 LADOS > DISPONÍVEL APENAS OM O AAAMENTO ANTRAITE. NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NA PÁGINA 63 H DUPLA FAE PLUS 800/600 2,1-4 kg/h 74% 325 m³ DUPLA FAE PLUS 1000/600 3,4-6,3 kg/h 74% 450 m³ A E D I I ARATERÍSTIAS DUPLA FAE DUPLA FAE DUPLA FAE DUPLA FAE PLUS 700/545 PLUS 700/600 PLUS 800/600 PLUS 1000/600 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,6-13,4 6,8-15,2 8,2-17,8 12,5-23,5 POTÊNIA NOMINAL EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,29 0,29 0,35 0,47 EMISSÕES O₂ (%) 9,1 9,3 10,2 12,2 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OSÍRIS DUPLA FAE REFERÊNIAS A D E F G H I PLUS 700/ PL PLUS 700/ PL PLUS 800/ PL PLUS 1000/ PL > Pág. 15

16

17 DUPLA FAE < OSÍRIS RISTAL < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) OM VENTILAÇÃO FORÇADA ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO FEHO ROMADO OPIONAL INOX 45 mm > INOX ESOVADO ANTRAITE 90mm > OR IGUAL AO REUPERADOR MOLDURAS OM 3 LADOS > DISPONÍVEL APENAS OM O AAAMENTO ANTRAITE. 1,7-3,1 kg/h 2,1-4 kg/h DUPLA FAE 700/545 DUPLA FAE 700/600 74% 270 m³ 1,9-3,2kg/h 74% 285 m³ DUPLA FAE 800/600 DUPLA FAE 1000/600 74% 325 m³ 3,4-6,3 kg/h 74% 450 m³ NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NA PÁGINA 63 A H E D I I ARATERÍSTIAS DUPLA FAE DUPLA FAE DUPLA FAE DUPLA FAE PLUS 700/545 PLUS 700/600 PLUS 800/600 PLUS 1000/600 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,6-13,4 6,8-15,2 8,2-17,8 12,5-23,5 POTÊNIA NOMINAL EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,29 0,29 0,35 0,47 EMISSÕES O₂ (%) 9,1 9,3 10,2 12,2 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) REFERÊNIAS DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OSÍRIS DUPLA FAE A D E F G H I RISTAL 700/ RT RISTAL 700/ RT RISTAL 800/ RT RISTAL 1000/ RT > Pág. 17

18

19 VISION < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) OM VENTILAÇÃO FORÇADA FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE P/ VISION > OR IGUAL AO REUPERADOR NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NA PÁGINA 63 H E 3,0-5,5 kg/h 74% VISION m³ 3,5-6,5 kg/h 74% VISION m³ A D ARATERÍSTIAS VISION VISION POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 12,5-20,5 12,7-23,3 POTÊNIA NOMINAL (kw) EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,43 0,45 EMISSÕES O₂ (%) 11,1 11,7 PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) VISION REFERÊNIAS A D E F G H I 700 REF. Vision REF. Vision > Pág. 19

20

21 GUILHOTINE < OM VENTILAÇÃO FORÇADA I I I H RISTAL DUPLA FAE RISTAL A A 3,8-7,1 kg/h 74% 600 m³ 3,9-7,5 kg/h 74% 660 m³ D D ARATERÍSTIAS RISTAL DUPLA FAE RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 14,1-25,9 15,4-28,6 POTÊNIA NOMINAL (kw) EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,51 0,53 EMISSÕES O₂ (%) 12,3 12,5 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) GUILHOTINE REFERÊNIAS A D E F G H I RISTAL DUPLA FAE RISTAL > Pág. 21

22

23 MULTIFAES OSÍRIS < H H A A OM VENTILAÇÃO FORÇADA 2,1-4 kg/h 1 FAE LATERAL 74% 280 m³ 2 FAES + 1 FAE LATERAL 2,5-4,5 kg/h 74% 340 m³ FEHO ROMADO OPIONAL H H G A A 1 FAE + 2 FAES LATERAIS 2,2-4,1 kg/h 74% 295 m³ 3,3-6,2 kg/h 74% 4 FAES 400 m³ ARATERÍSTIAS 1 FAE 1 FAE 2 FAES LATERAL + 2 LATERAIS + 1 LATERAL 4 FAES POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,5-13,5 6,8-15,2 7,8-18,2 8,9-21,1 POTÊNIA NOMINAL (kw) EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,27 0,28 0,32 0,48 EMISSÕES O₂ (%) 8,7 8,9 9,1 10,2 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) MULTIFAE OSÍRIS REFERÊNIAS A D E F G H I 1 FAE LATERAL FAE + 2 LATERAIS FAES + 1 LATERAL FAES > Pág. 23

24

25 RÚSTIOS < OM VENTILAÇÃO FORÇADA H E JÚPITER ETA SATURNO A G 2,2-4,3 kg/h 74% 415 m³ D I ARATERÍSTIAS JÚPITER / ETA / SATURNO POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 9,8-18,3 POTÊNIA NOMINAL (kw) 14 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,82 EMISSÕES O₂ (%) 11,2 PESO (kg) 140 SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 180 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) RÚSTIO REFERÊNIAS A D E F G H I JÚPITER ETA SATURNO 0200A > Pág. 25

26

27 RÚSTIOS < OM VENTILAÇÃO FORÇADA H TERRANO II MD PRISMA EURO V G E 2,3-4,5 kg/h 74% 305 m³ 2,2-3,9 kg/h 72% 366 m³ 2,3-4,3 kg/h 74% 305m³ A D I ARATERÍSTIAS TERRANO II M.D PRISMA EURO V POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 9,6-17,4 8,9-16,2 9,6-17,4 POTÊNIA NOMINAL (kw) 13,5 12,5 13,5 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,52 0,23 0,51 EMISSÕES O₂ (%) 11,2 10,1 11,1 PESO (kg) SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 2X100 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) RÚSTIO REFERÊNIAS A D E F G H I TERRANO II 0900 A M.D PRISMA 1000 A EURO V 1100 A > Pág. 27

28

29 RÚSTIOS < OM VENTILAÇÃO FORÇADA H E MEDI-ETA TERRANO I MARTE A G 1,9-2,3 kg/h 74% 298 m³ D I ARATERÍSTIAS MEDI-ETA / TERRANO I / MARTE POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 7,1-12,9 POTÊNIA NOMINAL (kw) 10 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,82 EMISSÕES O₂ (%) 5,9 PESO (kg) 95 SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 180 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) RÚSTIO REFERÊNIAS A D E F G H I MEDI-ETA TERRANO I 0500 A MARTE > Pág. 29

30

31 RÚSTIOS < OM VENTILAÇÃO FORÇADA 1,5-2,9 kg/h 72% APOLO 281 m³ A H G E D I ARATERÍSTIAS APOLO POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,6-12,4 POTÊNIA NOMINAL (kw) 9,5 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,23 EMISSÕES O₂ (%) 6,4 PESO (kg) 75 SAÍDAS DE AR QUENTE 2X100 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 180 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) RÚSTIO REFERÊNIAS A D E F G H I APOLO > Pág. 31

32 > SALAMANDRAS A descoberta do fogo por parte dos nossos antepassados, permitiu a sobrevivência e evolução da raça humana. Desde esses dias não mais parámos de evoluir formas de o controlar e usar em nosso benefício. O controlo desse elemento natural por parte do homem, conduziu a que equipamentos domésticos, possam trazer às nossas casas, sensações de conforto térmico outrora impensáveis, assim como sensações relaxantes de nostalgia pela proximidade da chama. Do estilo clássico ao moderno, de vários materiais e acabamentos, as salamandras são sem dúvida um sistema de aquecimento sinónimo de conforto e bem-estar na sua casa. As salamandras a lenha são fontes de biomassa consideradas neutras, relativamente a danos climáticos. > ENSAIOS & QUALIDADE Ensaios realizados de acordo com a norma: EN13229-W Directiva de compatibilidade electromagnética: 93/68/E Directiva de baixa tensão: 73/23/E Ensaios realizados no ATIM: EN13229:2001 EN13229:2001A:2003 EN13229:2001A1:2003 EN13229:2001A2:

33 SALAMANDRAS < OSIRIS STAND > Pág.35 OLIMA FRENTE > Pág.37 OLIMA ANTO > Pág.39 LINEA > Pág.41 > Pág. 33

34

35 OSÍRIS STAND < A H E D A H A H A H E D OM VENTILAÇÃO FORÇADA FEHO ROMADO OPIONAL OM PÉ / LANHEIRO DUPLA FAE / LANHEIRO DUPLA FAE / LANHEIRO DUPLO 1,5-2,9 kg/h 71% 265 m³ 1,6-3,2 kg/h 75% 234 m³ ARATERÍSTIAS OM PÉ / OSÍRIS STAND /LANHEIRO DUPLA FAE POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 8,4-13,6 6,9-13,1 POTÊNIA NOMINAL (kw) EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,38 0,24 EMISSÕES O₂ (%) 9,8 11,3 PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OSÍRIS STAND REFERÊNIAS A D E F G H I STAND OM PÉ SPL STAND / LANHEIRO SL STAND DUPLA FAE / LANHEIRO SL STAND DUPLA FAE / LANHEIRO DUPLO SL > Pág. 35

36

37 FRENTE < OLIMA < OM VENTILAÇÃO FORÇADA H A HAPA DE AÇO GRANITO INZA GRANITO ROSA 1,7-3,3 kg/h 76% 310 m³ ARATERÍSTIAS OLIMA FRENTE POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 7,3-13,7 POTÊNIA NOMINAL (kw) 10,5 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,75 EMISSÕES O₂ (%) 10,2 PESO (kg) 120 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 150 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OLIMA FRENTE REFERÊNIAS A D E F G H I HAPA DE AÇO 700 HP GRANITO INZA GRANITO ROSA 200 R > Pág. 37

38

39 ANTO < OLIMA < OM VENTILAÇÃO FORÇADA H E A HAPA DE AÇO GRANITO INZA GRANITO ROSA D 1,7-3,3 kg/h 76% 330 m³ ARATERÍSTIAS OLIMA ANTO POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 7,3-13,7 POTÊNIA NOMINAL (kw) 10,5 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,75 EMISSÕES O₂ (%) 10,2 PESO (kg) 120 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 150 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OLIMA ANTO REFERÊNIAS A D E F G H I HAPA DE AÇO 701 HP GRANITO INZA GRANITO ROSA 201 R > Pág. 39

40

41 A H A H A H E A H E LINEA < OM VENTILAÇÃO FORÇADA D D FRENTE 1,4-2,9 kg/h FRENTE / FORNO ANTO ANTO / FORNO 77% 265 m³ 1,4-2,9 kg/h 77% 265 m³ ARATERÍSTIAS FRENTE FRENTE ANTO ANTO OM FORNO OM FORNO POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 6,2-11,8 6,2-11,8 6,2-11,8 6,2-11,8 POTÊNIA NOMINAL (kw) EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,70 0,70 0,70 0,70 EMISSÕES O₂ (%) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) LINEA REFERÊNIAS A D E F G H I FRENTE LINEA V FRENTE LINEA / FORNO V/F ANTO LINEA V ANTO LINEA /FORNO V > Pág. 41

42 200 > REUPERADOR A ÁGUA Em termos comuns, um recuperador a água permite reutilizar o calor residual para aquecer água, que por sua vez é enviada para toda a casa, através de tubagens para os sistemas de radiadores de aquecimento do ar, e para os acumuladores de aquecimento das águas sanitárias. Permite o aquecimento de toda a casa, não se limitando apenas a aquecer a divisão onde foi instalado o recuperador. Este conforto proporcionado pelo aumento regulado da temperatura ambiente, acontece sem alterar a qualidade do ar que respiramos. O aquecimento central é a solução que em termos energéticos pode ainda ser conjugada com outras soluções verdes, tais como o aproveitamento da energia solar térmica. > ENTRAL > ENSAIOS & QUALIDADE De acordo com as normas: EN 13229:2001 EN 13229:2001/A1:2003 EN 13229:2001/A2:2004 EN 13229:2001/A:2006 EN 13229:2001I A2:2004/A:2006 EN 13229:2001/A2:2004/A:2007 Ensaios realizados de acordo com a directiva de reservatórios sob pressão: 97 /23/E

43 REUPERADORES A ÁGUA < PARA ENTRAL LINHA MINIMALISTA ELEGANE > Pág.45 SINERGIE > Pág.47 SINERGIE DUPLA FAE > Pág.49 ALFA SUPER > Pág.51 OMEGA > Pág.53 OMEGA DUPLA FAE > Pág.55 GUILHOTINE > Pág.57 RÚSTIOS ALEX OM RUZ > Pág.59 OSMOS > Pág.59 ALEX SEM RUZ > Pág.59 SUPER ALEX OM RUZ > Pág.59 SUPER OSMOS > Pág.59 SUPER ALEX SEM RUZ > Pág.59 INOVA > Pág.61 EQUIPAMENTOS > Pág.62 PARA DE ÁGUAS SANITÁRIAS RESUMO TAELA > Pág.63 > Pág. 43

44

45 ELEGANE < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR H E G A D PLUS RISTAL 4,2-8,7 kg/h 72% 910 m³ I ARATERÍSTIAS ELEGANE PLUS/RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 23,9-44,6 POTÊNIA NOMINAL (kw) 34,3 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 24 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,55 EMISSÕES O₂ (%) 10,1 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) 68 PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) 90 PESO (kg) 205 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 200 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) ELEGANE REFERÊNIAS A D E F G H I PLUS 080 PL RISTAL 080 RT > Pág. 45

46

47 SINERGIE < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR ELEGANE SINERGIE PLUS 3,8-7,9 kg/h 72% 830 m³ ELEGANE SINERGIE RISTAL 3,8-7,9 kg/h 72% 830 m³ NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 H G E ALFA SUPER SINERGIE PLUS ALFA SUPER SINERGIE RISTAL A D 5,3-10,2 kg/h 72% m³ 5,3-10,2 kg/h 72% m³ I ARATERÍSTIAS ELEGAN. SINERG ALFA S. SINERG PLUS /RISTAL PLUS /RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 21,5-39,9 33,1-61,4 POTÊNIA NOMINAL (kw) 30,6 47,2 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 21,9 33,6 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,45 0,59 EMISSÕES O₂ (%) 9,9 12,2 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) ELEGANE REFERÊNIAS A D E F G H I SINERGIE PLUS 090 PL SINERGIE RISTAL 090 RT ALFA SUPER REFERÊNIAS A D E F G H I SINERGIE PLUS 095 PL ALFA SINERGIE RISTAL 095 RT > Pág. 47

48

49 DUPLA FAE < SINERGIE < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR 3,4-7,1 kg/h ELEGANE SINERGIE DUPLA FAE PLUS 72% 740 m³ 3,4-7,1 kg/h ELEGANE SINERGIE DUPLA FAE RISTAL 72% 740 m³ NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 A H E G 5-9,3 kg/h ALFA SUPER SINERGIE DUPLA FAE PLUS 72% m³ 5-9,3 kg/h ALFA SUPER SINERGIE DUPLA FAE RISTAL 72% m³ D I I ARATERÍSTIAS ELEGANE DUPLA ALFA SUPER DUPLA FAE PLUS / RISTAL FAE PLUS / RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 19,7-36,6 31,3-58,2 POTÊNIA NOMINAL (kw) 28,1 44,7 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 19,6 31,3 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,4 0,57 EMISSÕES O₂ (%) 8,9 11,1 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) ELEGANE SINERGIE REFERÊNIAS A D E F G H I DUPLA FAE PLUS PL DUPLA FAE RISTAL RT ALFA SUPER SINERGIE REFERÊNIAS A D E F G H I DUPLA FAE PLUS PL DUPLA FAE RISTAL RT > Pág. 49

50

51 ALFA SUPER< MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR H E G SUPER PLUS SUPER RISTAL A D 6,0-11,4 kg/h 74% m³ I ARATERÍSTIAS SUPER PLUS / SUPER RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 37,1-68,9 POTÊNIA NOMINAL (kw) 53,1 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 37,1 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,7 EMISSÕES O₂ (%) 13,7 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) 90 PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) 90 PESO (kg) 250 DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) 200 DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) ALFA REFERÊNIAS A D E F G H I SUPER PLUS 085 PL SUPER RISTAL 085 RT > Pág. 51

52

53 OMEGA< MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR H E 7,2-13,9 kg/h SUPER 1000 PLUS 80% m³ 7,2-13,9 kg/h SUPER 1000 RISTAL 80% m³ A G D 8,9-18,5 kg/h SUPER 1200 PLUS 80% m³ 8,9-18,5 kg/h SUPER 1200 RISTAL 80% m³ I ARATERÍSTIAS OMEGA SUPER PLUS / RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 44,0-81,8 51,0-94,7 POTÊNIA NOMINAL (kw) 62,9 73 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 44 51,1 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,82 1,1 EMISSÕES O₂ (%) 14,4 17,1 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) OMEGA SUPER REFERÊNIAS A D E F G H I 1000 PLUS PL RISTAL RT PLUS PL RISTAL RT > Pág. 53

54

55 DUPLA FAE < OMEGA < MOLDURAS 4 LADOS OMPATÍVEIS (OPIONAIS) FEHO ROMADO OPIONAL ANTRAITE 45 mm > OR IGUAL AO REUPERADOR RISTAL 45 mm > VIDRO PRETO INOX 45 mm > INOX ESOVADO DESIGN ANTRAITE 100mm > OR IGUAL AO REUPERADOR 6,8-13,1 kg/h SUPER 1000 PLUS 78% 1.261m³ 6,8-13,1 kg/h SUPER 1000 RISTAL 78% m³ NOTA: VER MEDIDAS DAS MOLDURAS NA TAELA RESUMO NAS PÁGINAS 65 E 66 A H G E D SUPER 1200 PLUS SUPER 1200 RISTAL 8,5-17,7 kg/h 78% m³ 8,5-17,7 kg/h 78% m³ I I ARATERÍSTIAS SUPER 1000 SUPER 1200 OMEGA DUPLA FAE PLUS / RISTAL PLUS / RISTAL POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 41,7-77,5 48,5-94,9 POTÊNIA NOMINAL (kw) 59,6 69,7 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 41,7 48,7 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,8 1 EMISSÕES O₂ (%) 13,9 15,6 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) OMEGA SUPER DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) DUPLA FAE REFERÊNIAS A D E F G H I 1000 PLUS PL RISTAL RT PLUS PL RISTAL RT > Pág. 55

56

57 GUILHOTINE< I H E H E A G A G D D 6,8-11,2 kg/h SUPER RISTAL 74% m³ SUPER RISTAL DUPLA FAE 6,5-10,5 kg/h 74% m³ I I I ARATERÍSTIAS RISTAL RISTAL GUILHOTINE SUPER DUPLA FAE POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 41,7-77,5 39,4-73,3 POTÊNIA NOMINAL (kw) 59,7 56,3 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 41,7 39,4 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,6 0,5 EMISSÕES O₂ (%) APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) GUILHOTINE SUPER REFERÊNIAS A D E F G H I RISTAL DUPLA FAE RISTAL > Pág. 57

58

59 RÚSTIOS < ALEX / RUZ OSMOS ALEX S/ RUZ 4,2-8,7 kg/h 72 % 910 m³ H E G A D SUPER ALEX / RUZ SUPER OSMOS SUPER ALEX S/ RUZ 6,0-11,4 kg/h 74 % m³ I ARATERÍSTIAS ALEX / RUZ SUPER ALEX / RUZ OSMOS SUPER OSMOS RÚSTIOS ALEX S/ RUZ SUPER ALEX S/ RUZ POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kw) 23,9-44,6 37,1-68,9 POTÊNIA NOMINAL (kw) 34,3 53,1 POTÊNIA UTILIZAÇÃO (kcal) POTÊNIA MÉDIA DA ÁGUA (kw) 24 37,1 EMISSÕES O (A 13% DE OXIGÉNIO) 0,5 0,7 EMISSÕES O₂ (%) 10,1 13,7 APAIDADE VOLUMÉTRIA DE ÁGUA (LT) PRESSÃO MÁXIMA DE TRAALHO (AR) 3 3 TEMPERATURA MÁXIMA DE SERVIÇO (º) PESO (kg) DIÂMETRO DA HAMINÉ (mm) DIMENSÕES DISPONÍVEIS (mm) RÚSTIOS REFERÊNIAS A D E F G H I ALEX / RUZ 050 A OSMOS ALEX S/ RUZ SUPER A D E F G H I SUPER ALEX / RUZ 065 A SUPER OSMOS SUPER ALEX S/ RUZ > Pág. 59

Soluções Biomassa. Recuperadores de calor ventilados a lenha. Recuperadores de calor ventilados a pellets. Recuperadores de calor a água a lenha

Soluções Biomassa. Recuperadores de calor ventilados a lenha. Recuperadores de calor ventilados a pellets. Recuperadores de calor a água a lenha Soluções Biomassa Recuperadores de calor ventilados a lenha Recuperadores de calor ventilados a pellets Recuperadores de calor a água a lenha Recuperadores de calor a água a pellets Salamandras ventiladas

Leia mais

RECUPERADORES DE CALOR < SALAMANDRAS < AQUECIMENTO CENTRAL<

RECUPERADORES DE CALOR < SALAMANDRAS < AQUECIMENTO CENTRAL< RECUPERADORES DE CALOR < SALAMANDRAS < CENTRAL< > A empresa foi fundada na década de 50, tendo começado no ramo da fundição de metal. No decorrer da década de 90 e devido a uma crescente necessidade de

Leia mais

SOLUÇÕES DE AQUECIMENTO

SOLUÇÕES DE AQUECIMENTO SOLUÇÕES DE AQUECIMENTO Escolha o sistema de aquecimento que melhor se adapta a sua casa, deve ter em conta a utilização que vai ter, a área a aquecer, assim assim como a energia que cada aparelho consome

Leia mais

CALDEIRAS MURAIS DE CONDENSAÇÃO

CALDEIRAS MURAIS DE CONDENSAÇÃO CALDEIRAS MURAIS DE CONDENSAÇÃO BIOS CLASSE 5 NO X MELHORAR A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA É UMA DAS GRANDES METAS DA NOSSA SOCIEDADE NO SÉCULO XXI. A GAMA BIOS, BASEADA NA TECNOLOGIA DA CONDENSAÇÃO É UM DOS

Leia mais

FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ

FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ Os Pellets são um combustível ideal, limpo e de CO2 neutro. Podem ser produzidos através

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

3 HISTÓRIA 4 ELEGANCE 5 DESIGN 6 MEDILUXO MESA INOX / MESA AÇO FORJADO 7 MEDILUXO MESA VITROCERÂMICA 8 INDUSTRIAL 9 LUXO/RÚSTICO ANTIGO 10 VICTÓRIA

3 HISTÓRIA 4 ELEGANCE 5 DESIGN 6 MEDILUXO MESA INOX / MESA AÇO FORJADO 7 MEDILUXO MESA VITROCERÂMICA 8 INDUSTRIAL 9 LUXO/RÚSTICO ANTIGO 10 VICTÓRIA 3 HISTÓRIA 4 ELEGANCE 5 DESIGN 6 MEDILUXO MESA INOX / MESA AÇO FORJADO 7 MEDILUXO MESA VITROCERÂMICA 8 INDUSTRIAL 9 LUXO/RÚSTICO ANTIGO 10 VICTÓRIA FERRO FUNDIDO 11 RÚSTICO FERRO FUNDIDO 12 CLASSIC FERRO

Leia mais

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE solar biomassa bombas de calor Condensação gasóleo/gás Inisol A.Q.S. solar individual EASYLIFE O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido

Leia mais

CALDEIRAS DE CHÃO DE CONDENSAÇÃO POWER HT

CALDEIRAS DE CHÃO DE CONDENSAÇÃO POWER HT CALDEIRAS DE CHÃO DE CONDENSAÇÃO POWER HT POWER HT MELHORAR A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA É UMA DAS GRANDES METAS DA NOSSA SOCIEDADE NO SÉCULO XXI. A GAMA POWER HT, BASEADA NA TECNOLOGIA DA CONDENSAÇÃO É UM

Leia mais

biomassa florestal calor, aquecimento e água quente www.silvaplus.com

biomassa florestal calor, aquecimento e água quente www.silvaplus.com biomassa florestal calor, aquecimento e água quente www.silvaplus.com A biomassa florestal As florestas portuguesas são constituídas por uma enorme variedade de espécies que apresentam poderes caloríficos

Leia mais

REDE E SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E AQUECIMENTO DE ÁGUAS USANDO FONTES RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS

REDE E SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E AQUECIMENTO DE ÁGUAS USANDO FONTES RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS GUIA PARA A REABILITAÇÃO REDE E SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E AQUECIMENTO DE ÁGUAS USANDO FONTES RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus Autoria do Relatório Consultoria

Leia mais

www.chamilar.com Gama Pellets e Lenha

www.chamilar.com Gama Pellets e Lenha www.chamilar.com 2015 Gama Pellets e Lenha Cadel é natural... Tecna como você gosta! Adquirir os equipamentos Cadel significa respeitar o ambiente, pois usam combustíveis naturais, tais como a madeira

Leia mais

O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia

O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia REINVENTÁMOS EQUIPAMENTOS QUE FAZEM PARTE DO DIA-A-DIA A pensar no conforto dos Clientes, a Galp Energia reinventou equipamentos

Leia mais

ESQUENTADORES SENSOR GREEN

ESQUENTADORES SENSOR GREEN ESQUENTADORES SENSOR GREEN SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice A eficiência na produção de água quente em grandes quantidades 03 Aplicações e Utilizações 05 Benefícios para o Instalador 06 Líder em Tecnologia

Leia mais

GT 120 CALDEIRAS EM FERRO FUNDIDO DE CHÃO A GASÓLEO/GÁS EXTREMAMENTE SILENCIOSAS PERFORMANCES ELEVADAS SOLUÇÕES E CONFORTO PERSONALIZADOS

GT 120 CALDEIRAS EM FERRO FUNDIDO DE CHÃO A GASÓLEO/GÁS EXTREMAMENTE SILENCIOSAS PERFORMANCES ELEVADAS SOLUÇÕES E CONFORTO PERSONALIZADOS GT 120 CALDEIRAS EM FERRO FUNDIDO DE CHÃO A GASÓLEO/GÁS EXTREMAMENTE SILENCIOSAS PERFORMANCES ELEVADAS SOLUÇÕES E CONFORTO PERSONALIZADOS FORNECE A QUALIDADE DE UM SISTEMA INTEGRADO PERFEIÇÃO DE TODAS

Leia mais

Albicalor, Lda. Rua Comendador Martins Pereira 3850-089 Albergaria-a-Velha

Albicalor, Lda. Rua Comendador Martins Pereira 3850-089 Albergaria-a-Velha Para produzir a cerâmica Majolica são necessárias duas semanas. O resultado é um produto exclusivo que não desgasta e tem propriedades termo condutoras. As imperfeições minusculas, tais como as micro pepitas,

Leia mais

LOWCOST. Qualidade e design num conceito económico. Made in Portugal

LOWCOST. Qualidade e design num conceito económico. Made in Portugal LOWCOST Qualidade e design num conceito económico Made in Portugal distribuidor d Estética do fogo www.herkell.pt Qualidade e design num conceito económico A HERKELL desenvolveu uma linha de produtos LOWCOST,

Leia mais

PAINEIS SOLARES MEGASUN

PAINEIS SOLARES MEGASUN PAINEIS SOLARES MEGASUN Há mais de uma década a actuar no sector do aquecimento doméstico, a Jaqueciprolar é importador e representante dos Painéis Solares MEGASUN. A MEGASUN é um conceituado fabricante

Leia mais

A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento

A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento Este projeto recebe financiamento da União Europeia no âmbito do programa de investigação e inovação Horizonte 2020, sob o contrato No649905 A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento

Leia mais

CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S BLOCO SOLAR ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS AQUECIMENTO CENTRAL CLIMATIZAÇÃO DE PISCINAS

CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S BLOCO SOLAR ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS AQUECIMENTO CENTRAL CLIMATIZAÇÃO DE PISCINAS CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S BLOCO SOLAR ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS AQUECIMENTO CENTRAL CLIMATIZAÇÃO DE PISCINAS ECONOMIA CONFORTO ECOLOGIA TRABALHA DE DIA, NOITE, COM CHUVA

Leia mais

G Ferro fundido S Aço. B Condensação E Thermostream K Standard

G Ferro fundido S Aço. B Condensação E Thermostream K Standard Nomenclatura das caldeiras Buderus Exemplo: caldeira em ferro fundido (G) de condensação (B) potência entre 200kW a 400kW (4) de modelo original (0) estanque e queimador a gás (2) Logano Tipo de caldeira

Leia mais

O SEU PAINEL DE AQUECIMENTO RADIANTE

O SEU PAINEL DE AQUECIMENTO RADIANTE 2011 Marca: Heatwafer Modelo: HW1 Área Aquecida: 3-4 m3 Consumo: 80 W O SEU PAINEL DE AQUECIMENTO RADIANTE Custo por 1 hora: 0,01 Custo por 24 Horas: 0,17 Dimensões (p*w*h): 35*200*300 mm HEATWAFER * baseado

Leia mais

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica Geração de Energia Elétrica 1º Seminário sobre a Utilização de Energias Renováveis veis para Eletrificação Rural do Norte e Nordeste do Brasil Dr. Osvaldo Stella Martins Centro Nacional de Referência em

Leia mais

Catálogo geral 2016 O MEULAR

Catálogo geral 2016 O MEULAR Catálogo geral 2016 O MEULAR A Rocal oferece o calor e o toque de distinção de que o seu lar necessita. Proporcionamos sistemas de aquecimento de lenha adaptados a diferentes espaços, ambientes e necessidades.

Leia mais

Aquecimento Doméstico

Aquecimento Doméstico Aquecimento Doméstico Grande variedade de escolha Dos cerca de 4.000 kwh de energia consumidos por uma família portuguesa durante o ano, 15% é destinado ao aquecimento ambiente. A zona climática, o tipo

Leia mais

Eficiência. Energética. e a energia eléctrica

Eficiência. Energética. e a energia eléctrica Eficiência Energética e a energia eléctrica > Eficiência energética A é um desafio que devemos colocar a todos nós. Está ao nosso alcance, o podermos contribuir de forma decisiva para um mundo melhor e

Leia mais

CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S ECO ÁGUA QUENTE SANITÁRIA ECONOMIA CONFORTO ECOLOGIA 85% ULTIMA POUPANÇA

CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S ECO ÁGUA QUENTE SANITÁRIA ECONOMIA CONFORTO ECOLOGIA 85% ULTIMA POUPANÇA CO N C E P Ç ÃO, DESEN VO LV I MENTO E FABRI CO P ORTUGUÊ S ECO ÁGUA QUENTE SANITÁRIA ECONOMIA CONFORTO ECOLOGIA PROVAVELMENTE O AQUECEDOR DE ÁGUA SOLAR MAIS EVOLUÍDO DO MUNDO ÁGUA QUENTE HORAS POR DIA

Leia mais

Sistemas de Climatização LARCLI Campanha Primavera -Verão www.facebook.com/larcli

Sistemas de Climatização LARCLI Campanha Primavera -Verão www.facebook.com/larcli Sistemas de Climatização LARCLI Campanha Primavera -Verão www.facebook.com/larcli Tel. 232 752 103 Fax. 232 752 655 Telm. 967 131 214 Zona Industrial de Campia, Lote 6-3670-056 Campia GPS: 40.6630476,-8.2161205

Leia mais

AQUECIMENTO SOLAR ÁGUAS QUENTES INDUSTRIAIS TUBOS DE VÁCUO

AQUECIMENTO SOLAR ÁGUAS QUENTES INDUSTRIAIS TUBOS DE VÁCUO AQUECIMENTO SOLAR ÁGUAS QUENTES INDUSTRIAIS TUBOS DE VÁCUO AQUECIMENTO 4SUN eficiência energética industrial benefícios O Sistema Solar Térmico Industrial 4Sun reduz os Consumos Energéticos associados

Leia mais

CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS

CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS EFICIÊNCIA, FIABILIDADE E TRANQUILIDADE Como funciona uma caldeira de condensação? Os gases de exaustão da caldeira passam através de um condensador, para recuperar o calor

Leia mais

Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis

Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis Chaminés Cálculos e Normas aplicáveis Chaminé de tiragem natural Tem como função permitir a evacuação dos gases, produzidos por uma determinada combustão. Aplicado na extracção de gases de combustão provenientes

Leia mais

Objetivos: Potencial para aplicação ST em grandes instalações: Água quente sanitária. Água quente de processo Água quente para arrefecimento

Objetivos: Potencial para aplicação ST em grandes instalações: Água quente sanitária. Água quente de processo Água quente para arrefecimento Objetivos: Potencial para aplicação ST em grandes instalações: Água quente sanitária. Água quente de processo Água quente para arrefecimento Introdução Potencial ST Grandes Instalações 23 out Introdução

Leia mais

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor para A.Q.S. Um novo grau de eficiência Sistemas eficientes de aquecimento de águas 03 Serviços de Apoio

Leia mais

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência.

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. 2 Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Therm 8000 S Soluções de aquecimento de água para altas

Leia mais

Sistemas Solares VELUX. Fevereiro 2009

Sistemas Solares VELUX. Fevereiro 2009 Sistemas Solares VELUX Fevereiro 2009 Racionalidade, benefícios e economia Porquê utilizar a energia solar? Racionalidade O sol produz uma quantidade de energia que nunca seremos capazes de consumir na

Leia mais

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Gama 04 Gama de 2013 O que é Therma V? 06 O que é Therma V? Vantagens Therma V 08 Elevada Eficiência Energética 10 Programação Semanal 12 Instalação

Leia mais

Água Quente: Objetivos de Projeto

Água Quente: Objetivos de Projeto Água Quente: Objetivos de Projeto FINALIDADE DO USO E TEMPERATURA ADEQUADA Hospitais e laboratórios : 100 C ou mais Lavanderias : 75 a 85 C Cozinhas : 60 a 70 C Uso pessoal e banhos : 35 a 50 C MODALIDADES

Leia mais

Bem-estar, poupança, ecologia. a Arte. da climatização central TAXA IVA. système réversible. O especialista da climatização aerotérmica

Bem-estar, poupança, ecologia. a Arte. da climatização central TAXA IVA. système <INVERTER> réversible. O especialista da climatização aerotérmica Bem-estar, poupança, ecologia XA TAXA 12% TAXA 12% TAXA 12% TAXA 12% TAXA % V a Arte da climatização central système réversible O especialista da climatização aerotérmica AIRMAT : a solução

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351.218 500 300 Novembro 2014 FICHA TÉCNICA Depósitos Gama S ZB-Solar www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE AMBIENTE TÉRMICO O ambiente térmico pode ser definido como o conjunto das variáveis térmicas do posto de trabalho que influenciam o organismo do trabalhador, sendo assim um fator importante que intervém,

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

Oferecemos um serviço muito próximo da real necessidade dos nossos clientes!

Oferecemos um serviço muito próximo da real necessidade dos nossos clientes! QUEM SOMOS Idealizada e criada a partir da crescente consciência ambiental, que se vai gerando à escala planetária, a Odem Energy não se podia alhear desta importante mutação comportamental. Oferecemos

Leia mais

Inisol EASYLIFE. O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido

Inisol EASYLIFE. O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido SOLAR BIOMASSA BOMBAS DE CALOR CONDENSAÇÃO GASÓLEO/GÁS A. Q. S. S O L A R I N D I V I D U A L O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido

Leia mais

A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA

A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA 1 O CONTEXTO ETIQUETAGEM ENERGÉTICA e DIRECTIVA ErP, PORQUÊ? Travar a mudança climática, garantir o abastecimento de energia e aumentar a competitividade industrial

Leia mais

Projecto de uma fornalha para a queima de Biomassa lenhosa para alimentar o ciclo de refrigeração por absorção

Projecto de uma fornalha para a queima de Biomassa lenhosa para alimentar o ciclo de refrigeração por absorção UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engenharia Mecânica Ramo: Termotecnia Disciplina: Projecto do Curso Projecto de uma fornalha para a queima de Biomassa lenhosa para

Leia mais

INOVAÇÃO LG, O BEM-ESTAR INSTALA-SE EM SUA CASA

INOVAÇÃO LG, O BEM-ESTAR INSTALA-SE EM SUA CASA Re Re INOVAÇÃO LG, O BEM-ESTAR INSTALA-SE EM SUA CASA THERMA V, UMA SOLUÇÃO QUE VAI DE ENCONTRO ÀS EXPECTATIVAS DO PÚBLICO Grande parte dos portugueses possuem habitação própria. Em 2006, 85% do consumo

Leia mais

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive)

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) 1 Índice: 1. Introdução: 20:20:20 2. Directiva ErP-EuP 2.1 Diretiva ErP: 2.1.1 Explicação da ErP 2.1.2 Produtos incluídos: LOTs 2.1.3 Calendário

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa Universidade Federal do Ceará Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica Universidade Federal do Ceará Biomassa Professora: Ruth Pastôra Saraiva

Leia mais

Densificação da Madeira

Densificação da Madeira Densificação da Madeira Carlos Fraza Diretor da Ipaussu Briquetes MADEN 2008-1º Seminário Madeira Energética 02 e 03 de Setembro de 2008 - Rio de Janeiro - RJ Histórico 1983 Montagem da primeira marcenaria

Leia mais

CLIMATIZAÇÃO & EFICIÊNCIA NO LAR. menos na fatura. mais no conforto

CLIMATIZAÇÃO & EFICIÊNCIA NO LAR. menos na fatura. mais no conforto CLIMATIZAÇÃO & EFICIÊNCIA NO LAR menos na fatura mais no conforto soluções de climatização PARA A SUA HABITAÇÃO 4 CLIMATIZAÇÃO & EFICIÊNCIA NO LAR A homie utiliza tecnologias economizadoras de recursos

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS CONFECÇÃO LINHA 550

CATÁLOGO DE PRODUTOS CONFECÇÃO LINHA 550 CATÁLOGO DE PRODUTOS CONFECÇÃO LINHA A verdadeira grandeza está nos detalhes. www.mjm.pt 1 Made in Portugal Empresa Made in Portugal Marcas representadas Assistência técnica 2 A Manuel J. Monteiro (MJM)

Leia mais

AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380

AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Bombas de Calor para A.Q.S. AQUAECO SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor para A.Q.S. Uma tecnologia de futuro Sistema eficiente de aquecimento de águas 03 Serviços de Apoio ao Cliente 04 Bomba

Leia mais

Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável

Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável Ano lectivo 2011-2012 Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável Concurso do Ano Internacional da Juventude - Inovação/Energias renováveis Escola Secundária Anselmo de Andrade Projecto elaborado

Leia mais

Aquecimento. Recuperadores, Salamandras, Fornos, Acessórios

Aquecimento. Recuperadores, Salamandras, Fornos, Acessórios Aquecimento Recuperadores, Salamandras, Fornos, Acessórios SALAMANDRAS A PELLETS 92% POTÊNCIA 2kW,8Kg 520m 90,7% POTÊNCIA 17kW 2,8Kg 84m + ECOLÓGICO A solução para aquecer a sua casa sem emissão de CO2.

Leia mais

CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID. Página 1

CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID. Página 1 CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID Página 1 Índice Caldeiras a Lenha - Todo o conforto com a máxima economia Uma solução de aquecimento eficiente 03 Principais Características 04 Componentes e Benefícios 05 Princípio

Leia mais

As Auditorias Energéticas e a Gestão da Energia como fator de competitividade

As Auditorias Energéticas e a Gestão da Energia como fator de competitividade As Auditorias Energéticas e a Gestão da Energia como fator de competitividade Artur Serrano CTCV Sistemas de Energia 1 ÍNDICE DOS ASSUNTOS Sistemas de Energia do CTCV - Actividades Objectivos das Auditorias

Leia mais

Gama. Pellets e Lenha. como você gosta...

Gama. Pellets e Lenha. como você gosta... Gama Pellets e Lenha como você gosta... 2014 Cadel é natural... como você gosta! Adquirir os equipamentos Cadel significa respeitar o ambiente, pois usam combustíveis naturais, tais como a madeira e pellets,

Leia mais

Pecha Kucha Ciência Viva 23 de Setembro. Energia Térmica

Pecha Kucha Ciência Viva 23 de Setembro. Energia Térmica Energia Térmica A massa e a energia conservam-se independentemente uma da outra? São duas propriedades distintas de um sistema? E = Mc 2 Energia de 1kg de massa E = (3!10 8 ) 2!1= 9!10 16 J Na combustão

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS // ABRALISO

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS // ABRALISO ABRALISO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS ABRALISO É uma organização que representa os fabricantes nacionais de lãs isolantes minerais, basicamente lã de vidro e lã de rocha.

Leia mais

USO DE BIOMASSA NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA INDÚSTRIA DE CELULOSE

USO DE BIOMASSA NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA INDÚSTRIA DE CELULOSE USO DE BIOMASSA NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA INDÚSTRIA DE CELULOSE 1 Wanderlei David Pereira, 2 João Lages Neto 1 Gerente de Recuperação e Utilidades Fibria Unidade Aracruz. 2 Especialista de Meio

Leia mais

Geografia - Clima e formações vegetais

Geografia - Clima e formações vegetais Geografia - Clima e formações vegetais O MEIO NATURAL Clima e formações vegetais 1. Estado do tempo e clima O que é a atmosfera? A atmosfera é a camada gasosa que envolve a Terra e permite a manutenção

Leia mais

O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia

O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia O DIA-A-DIA FOI REINVENTADO Catálogo de Equipamentos a Gás da Galp Energia CATÁLOGO. HOT. INT. 01/00 ABR/10 AQUECIMENTO Rua Tomás da Fonseca, Torre A, 1600-209 Lisboa Linha Galp Gás: 808 508 100 linhagalpgas@galpenergia.com

Leia mais

MODELO DE INQUÉRITO PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA

MODELO DE INQUÉRITO PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA A. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA: 1.SEDE 1.1 NOME... 1.2 ENDEREÇO.. 1.3 CÓDIGO POSTAL... 1.4 LOCALIDADE... 1.5 CONCELHO. 1.6 DISTRITO... 1.7 TELEFONE.. 1.8 TELEFAX...

Leia mais

Bem-estar, poupança, ecologia. a Arte. do aquecimento central TAXA IVA. système réversible. O especialista do aquecimento aerotérmico

Bem-estar, poupança, ecologia. a Arte. do aquecimento central TAXA IVA. système <INVERTER> réversible. O especialista do aquecimento aerotérmico Bem-estar, poupança, ecologia XA TAXA 12% IVA TAXA 12% IVA TAXA 12% IVA TAXA 12% IVA TAXA IVA % IVA V a Arte do aquecimento central système réversible O especialista do aquecimento aerotérmico

Leia mais

Qual o melhor sistema de aquecimento central para a minha casa?

Qual o melhor sistema de aquecimento central para a minha casa? Preço Qualidade Serviço profissional www.thermowatt.pt informação actualizada em 02/10/2013 Qual o melhor sistema de aquecimento central para a minha casa? O objectivo deste trabalho é contribuir para

Leia mais

Índice SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE. Esquentadores - Tecnologia, poupança, conforto e conectividade 03. Inovação e Evolução Tecnológica 04

Índice SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE. Esquentadores - Tecnologia, poupança, conforto e conectividade 03. Inovação e Evolução Tecnológica 04 ESQUENTADORES Índice Esquentadores - Tecnologia, poupança, conforto e conectividade 03 Inovação e Evolução Tecnológica 04 Serviços de Apoio ao Cliente 05 Como escolher um Esquentador 06 Condições de Instalação

Leia mais

Jogo das Energias. 2 Colar as peças (em anexo) nas cartolinas, de acordo com as cores indicadas. Energia da biomassa

Jogo das Energias. 2 Colar as peças (em anexo) nas cartolinas, de acordo com as cores indicadas. Energia da biomassa Jogo das Energias Material: - Cartolinas (amarela, vermelha, azul e verde) - Canetas/lápis de cor - Tesouras - Cola - Bostik - Giz (amarelo, vermelho, azul e verde) Procedimento: 1 Recortar as cartolinas

Leia mais

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Paulo Canaveira Seminário Tecnicelpa Bioenergias. Novas Tendências 30 Março 2007 CELPA, Associação da Indústria Papeleira Pomos o Futuro no

Leia mais

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Porquê usar o sol como fonte de energia? O recurso solar é uma fonte energética inesgotável, abundante em todo o planeta e principalmente no

Leia mais

Apresentação Geral W2E Bioenergia. Empresa Produtos Soluções Tecnologia Diferenciais Meio Ambiente. www.w2ebioenergia.com.br

Apresentação Geral W2E Bioenergia. Empresa Produtos Soluções Tecnologia Diferenciais Meio Ambiente. www.w2ebioenergia.com.br Apresentação Geral W2E Bioenergia Empresa Produtos Soluções Tecnologia Diferenciais Meio Ambiente 1 www.w2ebioenergia.com.br 1 - A Empresa A W2E Bioenergia foi criada em 2010 tendo como base um desafio

Leia mais

CÁLCULO DO RENDIMENTO DE UM GERADOR DE VAPOR

CÁLCULO DO RENDIMENTO DE UM GERADOR DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br CÁLCULO DO RENDIMENTO DE UM 1 INTRODUÇÃO: A principal forma

Leia mais

Aquecimento Ventilaçгo Ar Condicionado

Aquecimento Ventilaçгo Ar Condicionado Aquecimento Ventilaçгo Ar Condicionado 2015 Esta gama de produtos está destinada às tubagens flexíveis e rígidas para ventilação, ar condicionado e aquecimento. Tubos flexíveis Alumínio Compacto - página

Leia mais

CALDEIRAS MURAIS A GAS DOMÉSTICAS MODULOS TÉRMICOS CONDENSAÇÃO - ALTA POTÊNCIA

CALDEIRAS MURAIS A GAS DOMÉSTICAS MODULOS TÉRMICOS CONDENSAÇÃO - ALTA POTÊNCIA ÍNDICE CALDEIRAS MURAIS A GAS DOMÉSTICAS A1. CALDEIRAS STANDARD 1.1 TAURA D - Mista...05 1.2 NINFA - Só aquecimento...05 A2. CALDEIRAS SEMI-CONDENSAÇÃO 2.1 NINFA N LOW NOX - Mista...05 A3. CALDEIRAS CONDENSAÇÃO

Leia mais

Serviço duplo Theta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw

Serviço duplo Theta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw Serviço duplo heta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw Módulo para aquecimento através da instalação de água quente para uso doméstico Serpentina de placas com bomba de AQS, válvula

Leia mais

EFICIÊNCIA EM PROCESSOS DE COMBUSTÃO À GÁS. Apresentação Eng Wagner Branco wagnerbranco@zetecambiental.com.br

EFICIÊNCIA EM PROCESSOS DE COMBUSTÃO À GÁS. Apresentação Eng Wagner Branco wagnerbranco@zetecambiental.com.br EFICIÊNCIA EM PROCESSOS DE COMBUSTÃO À GÁS Apresentação Eng Wagner Branco wagnerbranco@zetecambiental.com.br Principais atividades da Zetec Tecnologia Ambiental Engenharia de Combustão Diagnósticos energéticos.

Leia mais

PLACAS DE INDUÇÃO E VITROCERÂMICAS

PLACAS DE INDUÇÃO E VITROCERÂMICAS PLACAS DE INDUÇÃO E VITROCERÂMICAS A SMEG PROPÕE UMA GAMA DE PLACAS QUE RESPONDE ÀS EXIGÊNCIAS DO CONSUMIDOR ATRAVÉS DE UMA ESTÉTICA REQUINTADA E UMA TECNOLOGIA DE VANGUARDA. AS PERFORMANCES, FIABILIDADE

Leia mais

As soluções de janelas de guilhotina ZENDOW são a escolha adequada para obras de renovação arquitectónica.

As soluções de janelas de guilhotina ZENDOW são a escolha adequada para obras de renovação arquitectónica. GUILHOTINAS As soluções de janelas de guilhotina ZENDOW são a escolha adequada para obras de renovação arquitectónica. Com um sistema de ferragens de elevado desempenho, a solução de janelas de guilhotina

Leia mais

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedor Solar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedores de Água a Gás Pisos Condicionadores de Ar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 2 29/03/2010 15:47:21 SUA VIDA COM KOMECO

Leia mais

ALTO RENDIMENTO MODULÇÃO ELECTRONICA LIMPEZA AUTOMÁTICA 3 POTÊNCIAS: 9, 15 E 25 KW

ALTO RENDIMENTO MODULÇÃO ELECTRONICA LIMPEZA AUTOMÁTICA 3 POTÊNCIAS: 9, 15 E 25 KW ALTO RENDIMENTO MODULÇÃO ELECTRONICA LIMPEZA AUTOMÁTICA 3 POTÊNCIAS: 9, 15 E 25 KW Porquê eleger uma Caldeira BioClass? Domusa, líder Espanhol no fabrico de caldeiras de solo que utilizam combustíveis

Leia mais

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo A Energia e suas Fontes Fontes de Energia Renováveis Fontes de Energia Não-Renováveis Conclusões Energia: Capacidade de realizar trabalho Primeira Lei da Termodinâmica: No

Leia mais

A GAMA COMPLETA DE ISOLAMENTO PARA UMA POUPANÇA EFECTIVA DE ENERGIA

A GAMA COMPLETA DE ISOLAMENTO PARA UMA POUPANÇA EFECTIVA DE ENERGIA A GAMA COMPLETA DE ISOLAMENTO PARA UMA POUPANÇA EFECTIVA DE ENERGIA Tubolit O sistema de isolamento robusto e fiável para reduzir as perdas de calor em tubagens de aquecimento e fornecimento de água. Tubolit

Leia mais

Realização: Aquecimento Global. Parceiros: Apoiadores:

Realização: Aquecimento Global. Parceiros: Apoiadores: Realização: Parceiros: Aquecimento Global Apoiadores: O que é o efeito estufa? É um fenômeno natural, provocado por alguns gases da atmosfera, que mantêm o nosso planeta aquecido. Esse processo acontece

Leia mais

Miolo - Candy encastráveis 2011_list-CANDY-2010.qxd 5/20/11 3:58 PM Page 17. Catálogo Candy Encastre - PLACAS PLACAS K N O W S H O W

Miolo - Candy encastráveis 2011_list-CANDY-2010.qxd 5/20/11 3:58 PM Page 17. Catálogo Candy Encastre - PLACAS PLACAS K N O W S H O W Miolo - Candy encastráveis 2011_list-CANDY-2010.qxd 5/20/11 3:5 PM Page 17 Catálogo Candy Encastre - PLACAS 1 7 PLACAS K N O W S H O W Miolo - Candy encastráveis 2011_list-CANDY-2010.qxd 5/20/11 3:5 PM

Leia mais

Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique:

Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique: Elaborado pelos alunos do 8º A da Escola Secundária Infante D. Henrique: - Joana Moreira Lima nº16 - José Fernando nº17 - Sandra oliveira nº23 O carvão, o petróleo e o gás natural são combustíveis fósseis.

Leia mais

AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO. Crie a sua Energia!

AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO. Crie a sua Energia! AUTOCONSUMO FOTOVOLTAICO Crie a sua Energia! 2015 Energia para todas as necessidades! Habitação Piscina Jardim Produção Agrícola Campismo/Caravanismo Embarcações INTRODUÇÃO Energia Solar é a designação

Leia mais

CALDEIRAS A LENHA E A PELLETS

CALDEIRAS A LENHA E A PELLETS RS N PTS RS KMN: grandes desempenhos para sua residência... Radiador/ quecedor Produzem água quente para alimentar os aquecedores e/ou os sistemas de piso radiante Produzem água quente sanitárias para

Leia mais

A DIRECTIVA ErP E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA

A DIRECTIVA ErP E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA A DIRECTIVA ErP E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA 3 / 1. CONTEXTO 6 / 2. DIRECTIVA ECODESIGN (ErP) 7 / 3. ETIQUETAGEM ENERGÉTICA 12 / 4. O MUNDO MUDA A ARISTON FICA A SEU LADO 1 O CONTEXTO ETIQUETAGEM ENERGÉTICA

Leia mais

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser:

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser: proteção facial Proteção Facial Porquê o uso de viseiras? As viseiras são concebidas para proteger os olhos e o rosto. A protecção pode ser conferida através de uma rede metálica de malha fina ou em material

Leia mais

Tecnologia dos Esquentadores Termostáticos. Outras soluções para aquecimento de água

Tecnologia dos Esquentadores Termostáticos. Outras soluções para aquecimento de água Tecnologia dos Esquentadores Termostáticos. Outras soluções para aquecimento de água 2 ÍNDICE Grupo Bosch no Mundo Bosch Termotecnologia Tendências Produtos Vulcano 3 2. Bosch Termotecnologia 2.5. Centros

Leia mais

AQUASTAR GREEN S O L U Ç Õ E S D E Á G U A Q U E N T E

AQUASTAR GREEN S O L U Ç Õ E S D E Á G U A Q U E N T E CALDEIRAS MURAIS DE CONDENSAÇÃO AQUASTAR GREEN S O L U Ç Õ E S D E Á G U A Q U E N T E Índice Gama Aquastar Green Condensação: Vantagens e características NOVO A nova caldeira mural de condensação Aquastar

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO.

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

A sua casa respeita o ambiente?

A sua casa respeita o ambiente? A sua casa respeita o ambiente? A casa passiva com Dow - Soluções para a Construção A casa passiva isolada com produtos Dow Soluções para a Construção Um resultado extraordinário E=-92% & 0 CO 2 E=-92%

Leia mais

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08.

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08. Rio de Janeiro, 11 de junho de 2008 A Aquastore A/c. Eng.Jano Grossmann End. Bairro. Cid. Rio de Janeiro Est. RJ Tel. (0xx21) 2523-7582 CEL. 9418-6179 e-mail. janog@aquastore.com.br Ref.: Proposta comercial

Leia mais

Elitec C A L D E I R A A G Á S E M F E R R O F U N D I D O D E C H Ã O

Elitec C A L D E I R A A G Á S E M F E R R O F U N D I D O D E C H Ã O SOLAR BIOMASSA BOMBAS DE CALOR CONDENSAÇÃO GÁS/GASÓLEO Elitec C A L D E I R A A G Á S E M F E R R O F U N D I D O D E C H Ã O ADVANCE A escolha certa para muitos anos Performance, robustez e longevidade

Leia mais

CALDEIRA MURAL A GÁS CM ACUMULAÇÃ DINÂMICA Conforto inteligente Agora com H-MD Alta modulação para um maior conforto e poupança Novo Acumulação dinâmica melhorada para o utilizador de água quente mais

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento de água do Brasil. Campeã em

Leia mais

Uso de Fluidos Ref rigerantes A lternativos em S istemas de Ar Condicionado Automotivo

Uso de Fluidos Ref rigerantes A lternativos em S istemas de Ar Condicionado Automotivo Universidade Federal de Uberlandia - UFU Faculdade de Engenharia Mecânica - FEMEC Laboratório de Energia e Sistemas Térmicos LEST Uso de Fluidos Ref rigerantes A lternativos em S istemas de Ar Condicionado

Leia mais

Hoje vamos falar de... ENERGIA

Hoje vamos falar de... ENERGIA Hoje vamos falar de... ENERGIA A ENERGIA ESTÁ EM TODO O LADO. OS CARROS ANDAM COM A ENERGIA ARMAZENADA NA GASOLINA MUITOS BRINQUEDOS SÃO MOVIDOS COM A ENERGIA ARMAZENADA NAS PILHAS. OS BARCOS À VELA SÃO

Leia mais

Plano de negócio de Fogões Melhorados Mbaula. Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala. Plano de negócio

Plano de negócio de Fogões Melhorados Mbaula. Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala. Plano de negócio ADEL-SOFALA M O Ç A M B I Q U E Á F R I C A Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala Julho 2008 Plano de negócio para Produtores dos Fogões Melhorados Mbaula 1 Indice 1. Sumário Executivo...

Leia mais