TEMAS DA PROVA DIDÁTICA. Redes Industriais: Topologias de redes Redes Industriais: Protocolos de comunicação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEMAS DA PROVA DIDÁTICA. Redes Industriais: Topologias de redes Redes Industriais: Protocolos de comunicação"

Transcrição

1 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIVISÃO DE SELEÇÃO E CONCURSO Concurso Público Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Edital de Normas Gerais 77/13, de 21 de junho de 2013) T E M A S D A P R O V A D I D Á T I C A UNIDADE / DEPARTAMENTO / ARAXÁ 78/13 Automação Eletrônica de Processos Elétricos e Industriais e Controle de Processos Eletrônicos e Retroalimentação 0 Redes Industriais: Topologias de redes Redes Industriais: Protocolos de comunicação SDCD Sistemas Distribuídos: Serviço de arquivos distribuídos Sistemas operacionais distribuídos Sistemas inteligentes de controle baseados em lógica fuzzy Sistemas inteligentes de controle baseados em redes neurais Sistemas inteligentes de controle baseados em algoritmos genéticos Sistemas Supervisórios e Interfaces Homem-Máquina Sistemas supervisórios: programação de alarmes ARAXÁ 78/13 Geologia A tectônica de placas como teoria unificadora Ciclo hidrológico e as águas subterrâneas O tempo geológico e a evolução da vida Distribuição dos depósitos minerais no tempo geológico O sistema mineralizador supergênico ARAXÁ 78/13 Material de Construção Civil e Tecnologia das Construções Civis 0 Locação de obras Execução de fundações Execução das estruturas de concreto armado Execução de alvenarias Execução de revestimentos Argamassas Propriedades, dosagem experimental e ensaios de controle do concreto Madeira para Construção Civil Materiais Cerâmicos Aglomerantes minerais

2 ARAXÁ 78/13 Mineração: Lavra Lavra de Mina a Céu Aberto Lavra de Mina Subterrânea Planejamento de Lavra Perfuração e Desmonte de Mina a Céu aberto por explosivo Mecânica dos Sólidos Mecânica das Rochas ARAXÁ 78/13 Mineração: Tratamento de Minérios 0 Amostragem Moagem Britagem Classificação em meio fluido Peneiramento industrial Flotação Concentração gravítica Concentração magnética Espessamento Filtragem CONTAGEM 79/13 Biologia, Microbiologia e Microbiologia Aplicada Bioindicadores da qualidade da água Bioprospecção Biorreemediação Biotecnologia Ciclo do nitrogenio Coevolução

3 CONTAGEM 79/13 Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos e Teoria Geral dos Circuitos Elétricos Teoremas aplicados na análise de circuitos elétricos em corrente contínua. Teoremas aplicados na análise de circuitos elétricos em corrente alternada. Circuitos Lineares com Amplificadores Operacionais. Conversores Estáticos de Potência. Métodos de partida de motores. Aplicações com JFET em circuitos de corrente contínua. CONTAGEM 79/13 Desenvolvimento de Software Normalização Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados Modelos de desenvolvimento de sistemas de software Diagrama Estruturais da UML Recursividade Complexidade de algoritmos Sistemas dinâmicos: criação de aplicações Web Conectividade de Sistemas Web com Banco de Dados CONTAGEM 79/13 Física Conservação do Momento Angular Entropia e 2.a Lei da Termodinâmica Interferência da Luz Lei de Indução de Faraday Relatividade Restrita

4 A regionalização do espaço mundial e a divisão internacional do trabalho: Implicações socioeconômicas. O novo rural brasileiro: o transbordamento do urbano e a criação de espaços multifuncionais. CONTAGEM 79/13 Geografia, Controle Ambiental Mudanças climáticas locais, regionais e globais: Causas, indicadores e implicações geográficas. Processos erosivos: fatores causadores, consequências ambientais e formas de manejo. Princípios de ecologia: ecossistemas, comunidades, aplicações e sustentabilidade. Fundamentos de controle ambiental da poluição: água, ar e solo. CONTAGEM 79/13 Hardware, Sistemas Operacionais e Redes de Computadores 0 Sistemas embutidos Aritmética computacional Interfaces entre processadores e periféricos Escalonamento de processos Gerenciamento de memória Operações de entrada e saída Protocolo IP V4 Equipamentos de rede Rede sem fio Modelos de referência Teaching and learning English via textual genres approach: autonomy development Teaching and learning English via textual genres approach: motivation management CONTAGEM 79/13 Línguas Estrangeiras Modernas: Inglês Teaching and learning English via textual genres approach: learners' agency stimulation Teaching and learning English via textual genres approach: valuing learners' identity Teaching and learning English via textual genres approach: digital literacy development Teaching and learning English via textual genres approach: critical literacy development CONTAGEM 79/13 Matemática, Matemática Aplicada e Matemática Computacional Conceito de limite de funções de uma variável. Conceito de derivada de funções de uma variável Conceito de derivada parcial Teorema fundamental do cálculo Teorema do Núcleo e da Imagem de uma transformação linear.

5 Cálculo da Armadura longitudinal em uma viga de concreto armado sujeita a flexão simples CURVELO 80/13 Estruturas de Concreto Armado, Desenho Arquitetônico, Projeto Arquitetônico, Utilização do CAD em Arquitetura Dimensionamento de estruturas de concreto armado: Estados limites de utilização Características e propriedades do concreto Compatibilização de projetos Qualidade e durabilidade das estruturas de concreto armado Projeto e representação de elementos de circulação vertical Leitura e interpretação de projetos de estruturas de concreto armado CURVELO 80/13 Física Lei de conservação do momento angular Entropia e segunda lei da termodinâmica Lei da indução de Faraday Difração e interferência da luz Teoria da relatividade restrita CURVELO 80/13 Instrumentação e Controle de Processo: Sistemas Digitais 0 Função de transferência Pólos, zeros e resposta do sistema Sistemas de primeira ordem Mapa de Karnaugh Modelos do TJB: (a) Modelo Re; (b) Modelo Híbrido Equivalente Retificadores Trifásicos Controle com realimentação Instruções de Temporização para PLC em Ladder Instruções de Contagem para PLC em Ladder Sinais Analógicos em PLC na linguagem Ladder Ensino de Língua Portuguesa e suas literaturas na perspectiva dos letramentos. Formação de escritores competentes de textos literários e não-literários no ensino técnico e tecnológico. CURVELO 80/13 Língua Portuguesa Uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a formação de leitores competentes no ensino técnico e tecnológico. Literatura Comparada e Crítica cultural. História literária e formação do público leitor.

6 Teaching and learning English via textual genres approach: autonomy development Teaching and learning English via textual genres approach: motivation management CURVELO 80/13 Línguas Estrangeiras Modernas: Inglês Teaching and learning English via textual genres approach: learners' agency stimulation Teaching and learning English via textual genres approach: valuing learners' identity Teaching and learning English via textual genres approach: digital literacy development Teaching and learning English via textual genres approach: critical literacy development Característica do conjugado e operação do motor assíncrono Dimensionamento dos dispositivos para acionamento de motores de indução trifásico CURVELO 80/13 Máquinas Elétricas, Instalações e Acionamentos Elétricos Fluxo de potência e determinação do rendimento do motor de corrente contínua Extra baixa tensão de segurança Dimensionamento de condutores em sistemas industriais para condições de curto-circuito Cálculo de Demanda em Instalações Elétricas CURVELO 80/13 Silvicultura, Solos e Legislação Ambiental O licenciamento ambiental em Minas Gerais Alterações no Código Florestal Brasileiro e suas implicações do ponto de vista ecológico Influência das florestas sobre o solo, a água e o clima Fitogeografia Brasileira Aspectos positivos e negativos da cultura de Eucalipto Sistemas Silvipastoris e Agrossilvipastoris Sistemas Agroflorestais recuperadores de áreas degradadas e conservadores da biodiversidade tropical 0 Metais pesados e remediação de solos contaminados Propriedades químicas do solo Técnicas de controle à erosão do solo

7 Levantamento Planialtimetrico Locação de obras civis CURVELO 80/13 Topografia, Cartografia e Sistemas Georeferenciados, Mecânica dos Solos e Fundações Propagação das tensões no solo Resistência ao cisalhamento: circulo de Mohr Dimensionamento geotécnico de fundações Fluxo em meios porosos Estabilidade de taludes DIVINÓPOLIS 81/13 Circuitos Elétricos e Eletrônicos Transitórios RLC no domínio do tempo Filtros Passivos: RC, RL e RLC Circuitos trifásicos: análise das tensões, correntes e impedâncias Configurações de amplificadores utilizando o modelo do TBJ Amplificadores a FET Amplificador Diferencial. Amplificador operacional como amplificador, integrador e derivador Amplificadores com realimentação Amplificadores em cascata Movimento plano de corpos rígidos: forças e acelerações DIVINÓPOLIS 81/13 Projetos Mecatrônicos, Cinemática e Dinâmica, Vibrações Mecânicas, Projeto O diagrama S-N (ou curva de Wöhler) e suas relações com o projeto de máquinas Sistemas articulados de 4 barras: determinação de velocidades e acelerações Vibrações mecânicas sem amortecimento Introdução à Manufatura Assistida por Computador

8 Análise e projeto de sistemas não-lineares. Análise e projeto de sistemas fuzzy. Otimização convexa aplicada à área de controle de sistemas, automação ou identificação de sistemas. DIVINÓPOLIS 81/13 Teoria de Controle, Automação ou Identificação de Sistemas 0 Otimização multiobjetivo aplicada à área de controle de sistemas, automação ou identificação de sistemas. Controle de robôs. Controle de eventos a sistemas discretos. Controle de Sistemas Híbridos. Aplicações de redes neurais, sistemas fuzzy ou sistemas nebulosos no controle, automação ou identificação de sistemas. Sistemas de controle adaptativos Sistemas de controle multivariaveis LEOPOLDINA 82/13 Controle de Processos e Automação Controlador Lógico Programável Sensores de Vazão Amplificadores Operacionais Acionamentos de Máquinas Elétricas Modelagem de Sistemas por Função de Transferência Conceitos de programação orientada a objetos: Classes, Objetos, Métodos, Sobrecarga; Herança, Polimorfismo e Interfaces. Linguagem Java: Variáveis, Operadores, Expressões, Controle de fluxo, Tipos enumerados, Classes, Genéricos e Reflexão. Desenvolvimento Java: JEE; EJB - Enterprise Javabeans; Hibernate; JSF; JBoss Seam e APIs Java. Ferramentas RAD: Ambientes de desenvolvimento, Ferramentas incorporadas; Prototipagem. LEOPOLDINA 82/13 Estrutura de Dados com Programação Orientada a Objetos e PRAD Técnicas de depuração de aplicações: Introdução a ferramentas de depuração (DEBUG), Utilização de pontos de interrupção (break points), Execução de código passo-a-passo, Observação de variáveis. Componentes visuais: Formulários, Componentes para entrada de dados, Componentes para apresentação de dados; Menus: Menu principal, Itens de menu, Menus suspensos; Componentes gráficos; Componentes avançados: Barras de ferramentas, Caixas de diálogo; Programação com gráficos e multimídia. Integração com Banco de Dados: Conexão com Banco de Dados, Execução de consultas, Apresentação de resultados, Gerência do Banco de Dados. Relatórios: Introdução a ferramentas para criação de relatórios, Geração de relatórios, Geradores de relatórios automáticos; Gerador de Programas Instaladores: Ferramentas para geração de instalador de softwares.

9 LEOPOLDINA 82/13 Fabricação Metal-Mecânica Ajustagem Mecânica aplicada a uma peça que exija operações de limar, fresar ou aplainar, furar, escarear, rosquear com macho. Usinagem Convencional aplicada a uma peça que exija no mínimo operações de torneamento para execução de canal, chanfro de 45, raio e rosca. Retífica: máquinas e processos. Usinagem CNC aplicada a uma peça usando torno ROMI Centur 30D, sem torre, com linguagem de programação MACH 9. Usinagem CNC aplicada a uma peça usando centro de usinagem DISCOVERY 560 com linguagem de programação SIEMENS. LEOPOLDINA 82/13 História América Colonial. Críticas e Contestações ao Capitalismo no Século XIX. O Grande Século XIX Brasileiro. A República Oligárquica. A crise do Estado Liberal. Introdução a Algoritmos: Conceituação, Refinamentos sucessivos: conceito, Algoritmos estruturados: Português estruturado (Portugol), Diagrama de blocos; Itens fundamentais: Constantes, Variáveis, Operações aritméticas, Operações lógicas, Expressões literais, Comandos de atribuição, Comandos de entrada e saída Estruturas de controle: Estrutura sequencial, Estrutura condicional, Estrutura de repetição Introdução às estruturas de dados: Estruturas de dados homogêneas, Estruturas de dados heterogêneas (Registros). LEOPOLDINA 82/13 Lógica, Programação, Estrutura de Dados e Desenvolvimento WEB Modularização: Introdução, Refinamentos sucessivos e módulos funcionais, Ferramentas para modularização: Escopo de variáveis, Módulos funcionais, Passagem de parâmetros, Módulos funcionais recursivos; Noções gerais a respeito de persistência de dados (Arquivos): Conceito Design de Interfaces: CSS3. HTML5. DHTML, XHTML. Web 2.0. Padrões W3C. Melhores práticas. Linguagens e tecnologias de script: Orientação a objetos e design patterns com Javascript; XML, Acesso ao DOM. Ajax. Acesso a banco de dados, segurança; Plataforma Java: implementação de sistemas web, acesso a banco de dados, comunicação em rede, collections, templates; Linguagens de programção client-server: applets, servlet, JSP, acesso a banco de dados Arquitetura Orientada a Serviços (SOA): conceitos, características, protocolos, serviços, segurança. Padrões de projetos para web: conceitos, categorias, aplicações, implementações em Java.

10 NEPOMUCENO 83/13 Automação e Controle 0 Função de transferência Pólos, zeros e resposta do sistema Sistemas de primeira ordem Hardware, periféricos e princípios de eletrônica digital Programação de microcontroladores em linguagem C e assembly Interfaceamento, temporização e interrupções Comunicação serial Instrução de Temporização para PLC em Ladder Instrução de Contagem para PLC em Ladder Sinais Analógicos em PLC na linguagem Ladder NEPOMUCENO 83/13 Eletrônica e Eletrotécnica Dispositivos Semicondutores Conversores Estáticos de Potência Motor de Indução Trifásico Rotor Gaiola Transformadores Monofásicos e Trifásicos Circuitos Lógicos Combinacionais Circuitos Lógicos Sequenciais NEPOMUCENO 83/13 Física 1a e 2a Leis da Termodinâmica. Difração e interferência. Princípio de funcionamento de um motor de corrente contínua. Oscilador Harmônico Simples Conservação do Momento Angular Lei da Indução de Faraday Conservação da Energia Efeito fotoelétrico NEPOMUCENO 83/13 Máquinas Elétricas, Eletromagnetismo e Sistemas Elétricos de Potência Equações de Maxwell. Aplicações das Equações de Maxwell em fenômenos estáticos. Motor de indução trifásico rotor gaiola Transformadores monofásicos e trifásicos Curto-circuito em sistemas elétricos de potência Fluxo de potência

11 Estrutura atômica e propriedades dos materiais Ligações químicas e propriedades dos materiais Cinética NEPOMUCENO 83/13 Química Eletroquímica Estrutura e propriedades dos compostos orgânicos Comparação entre compostos orgânicos e inorgânicos - tipo de ligações, definições, critérios de classificação, relações entre estrutura química e propriedades NEPOMUCENO 83/13 Redes de Computadores 0 Tecnologia, Infraestrutura e organização das redes LAN, MAN e WAN Tecnologia de cabeamento estruturado Tecnologias de interligação de redes Pilha de serviços TCP/IP Equipamentos de rede Tecnologia de roteamento de pacotes Gerência de redes Serviços de diretório Segurança de redes Redes sem Fio TIMÓTEO 84/13 Automação e Controle de Processos Sintonia de Controladores P, PI e PID Modelagem matemática de sistemas físicos Lugar das raízes Sensores e atuadores Estabilidade de sistemas dinâmicos TIMÓTEO 84/13 Física Conservação do Momento Angular. Entropia e segunda lei da termodinâmica. Interferência luminosa. Lei de Faraday Teoria da relatividade restrita.

12 Paradigmas de aprendizagem de máquina: simbólico, estatístico, baseado em exemplos, conexionista e genético. Redes Neurais Artificiais: conceitos; estruturas; tipos de aprendizado; algoritmos. Sistemas neuro-fuzzy: conceitos; principais abordagens; arquiteturas; aprendizado em sistemas neurofuzzy. TIMÓTEO 84/13 Inteligência Computacional Algoritmos metaheurísticos: definição; diferenças entre metaheurísticas e heurísticas convencionais; principais metaheurísticas; aplicações de metaheurísticas à resolução de problemas de otimização combinatória. Algoritmos genéticos: revisão de genética, evolução e seleção natural; definição de algoritmos genéticos; métodos de busca global e otimização de funções complexas; codificação de parâmetros em cromossomos, genes e alelos; função de avaliação e função fitness; operadores Genéticos: crossover e mutação; avaliação da convergência de um AG; aplicações diversas de AGs. TIMÓTEO 84/13 Línguas Estrangeiras Modernas: Inglês Teaching and learning English via textual genres approach: autonomy development Teaching and learning English via textual genres approach: motivation management Teaching and learning English via textual genres approach: learners' agency stimulation Teaching and learning English via textual genres approach: valuing learners' identity Teaching and learning English via textual genres approach: digital literacy development Teaching and learning English via textual genres approach: critical literacy development TIMÓTEO 84/13 Topografia, Mecânica dos Solos, Geotécnica Aplicada, Fundações e Contenções O uso de técnicas de topografia em processos de locação de obras. O uso de técnicas de topografia em processos de controle de movimentação de terra e recalque de estruturas. O funcionamento estrutural de fundações diretas e fundações profundas. Definição da umidade ótima e energia de compactação de solo e controle de campo. Critérios de verificação de segurança estrutural em estruturas de contenção.

13 VARGINHA 85/13 Elementos de Máquina, Processos de Fabricação, Projetos de Máquina, Fundamentos Gerais de Máquinas, Máquinas Motores e Equipamentos Projeções Ortogonais e Cortes Processos de Torneamento (Ferramentas e Máquinas) Processos de Fresamento (Ferramentas e Máquinas) Ferramenta de Corte em Usinagem Engrenagens: Fundamentos, Aplicações e Dimensionamento AUTO-CAD: Desenhos em Perspectivas Isométricas e seus Sistemas de Cotas (Isometric Snap) VARGINHA 85/13 Física Conservação do momento angular Entropia e segunda lei da termodinâmica Lei de Faraday Interferência luminosa Teoria da relatividade restrita Ensino de Língua Portuguesa e suas literaturas na perspectiva dos letramentos Formação de escritores competentes de textos literários e não-literários no ensino técnico e tecnológico VARGINHA 85/13 Língua Portuguesa Uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a formação de leitores competentes no ensino técnico e tecnológico Literatura Comparada e Crítica cultural História literária e formação do público leitor

14 Teaching and learning English via textual genres approach: autonomy development Teaching and learning English via textual genres approach: motivation management Teaching and learning English via textual genres approach: learners' agency stimulation VARGINHA 85/13 Línguas Estrangeiras Modernas: Inglês Teaching and learning English via textual genres approach: valuing learners' identity Teaching and learning English via textual genres approach: digital literacy development Teaching and learning English via textual genres approach: critical literacy development VARGINHA 85/13 Metodologia e Técnica de Computação Paradigmas de Projeto de Algoritmos Programação Orientada a Objetos e Estruturas de Dados Básicas Pesquisa em Memória Primária Utilizando Programação Orientada a Objetos Algoritmos em Grafos Utilizando Programação Orientada a Objetos Processamento de Cadeias de Caracteres Utilizando Programação Orientada a Objetos VARGINHA 85/13 Sistemas de Computação Qualidade de Serviço em Redes de Computadores Interligação entre Redes LAN, MAN e WAN Questões de Desempenho em Redes LAN, MAN e WAN Segurança em Redes de Computadores IPv4 x IPv6 Química 86/13 Físico-Química As Leis dattermodinâmcia Equilíbrio Químico Diagrama de Fases Equilíbrio Eletrolítico Cinética Química O Átomo de Hidrogênio Fundamentos de Espectroscopia Vibracional e Rotacional

15 Química 86/13 Química Estrutura atômica Ligações covalentes Equilíbrio químico Termoquímica Estereoquímica Química 86/13 Química Analítica Espectrometria de Absorção Atômica Titulometria de Precipitação Análise Potenciométrica Titulometria de Neutralização Espectrometria de Emissão Atômica Titulometria de Oxidação-redução Química 86/13 Química Inorgânica Sólidos inorgânicos: estrutura e propriedades Ligações químicas Forças intermoleculares Teorias ácido-base Química de coordenação Teoria de grupos e espectroscopia vibracional Espectroscopia eletrônica

16 Embalagem: características dos materiais de embalagem e aplicações nas indústrias de alimentos, legislação. Conservação de alimentos por: calor, desidratação, frio. Influência na qualidade dos alimentos. Química 86/13 Tecnologia de Alimentos Conservação de alimentos por: irradiação, micro-ondas, aditivos, salga, cura e defumação. Influência na qualidade dos alimentos. Carboidratos: classificação, estrutura, função e reações em alimentos. Aminoácidos e proteínas: classificação, estrutura, função e reações em alimentos. Enzimas: classificação, atividade e aplicações na indústria alimentícia. Operações unitárias nas indústrias de alimentos. Fundamentos, mecanismos, aplicações e equipamentos utilizados: esterilização e processamento térmico; refrigeração e congelamento. Operações unitárias nas indústrias de alimentos. Fundamentos, mecanismos, aplicações e equipamentos utilizados: filtração, fragmentação de sólidos e tamisação, mistura de sólidos e líquidos. Operações unitárias nas indústrias de alimentos. Fundamentos, mecanismos, aplicações e equipamentos utilizados: extração por solvente, cristalização, desidratação e liofilização. Modelos de simulação aplicados aos recursos hídricos e meio ambiente DEPTO CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AMBIENTAL 87/13 Recursos Hídricos, Planejamento, Análise de Sistemas Ambientais, Modelagem Ambiental Técnicas de otimização para avaliação de alternativas em problemas de recursos hídricos Análise de sensibilidade e análise de incerteza Operação de sistemas de recursos hídricos Gestão integrada de recursos hídricos

17 DEPTO CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AMBIENTAL 87/13 Tratamento de Águas de Abastecimento e Residuais, Saneamento Básico Tratamento de efluentes industriais Tratamento de esgotos domésticos Concepção de sistemas de esgotamento sanitário Projeto de redes coletoras de esgotos Interceptores e emissários Estação elevatória Coordenação de Transportes 88/13 Topografia O uso da ferramenta CAD para construção de desenhos topográficos A contribuição da computação nos trabalhos de geodésia, topografia e cartografia. Exemplos de aplicativos para a área de Transportes. O uso do GPS nas obras viárias Etapas de um projeto geométrico de vias Locação de curvas em vias de transportes Engenharia Mecânica 89/13 Engenharia Térmica, Fenômenos de Transporte Primeira Lei da Termodinâmica para volumes de controle Teroma do Transporte de Reynolds: Equação da quantidade de movimento Escoamento reais em dutos: Perda de carga Condução de calor unidimensional Ciclo de Refrigeração: Ciclo de compressão de vapor

18 Engenharia Civil 90/13 Construção Civil PBQP-H: Gestão da Qualidade na Indústria da Construção Civil Alvenaria Racionalizada Sistemas Construtivos Pré-fabricados Gestão do canteiro de obras: a influência de equipamentos e novas tecnologias construtivas Resíduos da Construção Civil: características e aplicações como matéria-prima para novos materiais de construção Polímeros na Construção Civil: propriedades e aplicações Projeto de Revestimento Cerâmico (Projeto para produção de edificações) Engenharia Civil 90/13 Estruturas Tração e compressão: conceituação e aplicação na Engenharia de Estruturas Flexão normal simples de vigas: conceituação e exemplos de aplicação Deflexão de vigas (concreto ou aço ou madeira) Reforço e recuperação de estruturas Pilares ou colunas (concreto ou aço ou madeira)

19 Educação 91/13 Educação Multiculturalimso, teorias sociais e educação; Ambientes de aprendizagem e práticas educativas; Trabalho, educação e competências; Teoria e prática na formação docente; Estado e direito à educação; Educação e modelos de organização e gestão do trabalho; Reforma do ensino técnico profissional no Brasil A construção argumentativa em textos midiáticos: categorias linguístico-discursivas. A produção de sentido centrada no léxico e no discurso em diferentes gêneros. Linguagem e Tecnologia 92/13 Letras, Comunicação social e Desenho Industrial Prosa e poesia: a literatura como possibilidade de problematização das questões tecnológicas contemporâneas. Memória: a velocidade da informação nos novos suportes midiáticos e as consequências para a produção do conhecimento. Valor literário e valor de mercado: o papel do editor na legitimação de obras e autores. Processos erosivos: fatores causadores, consequências ambientais e formas de manejo. Geografia e História 93/13 Geografia Física, Climatologia e Pedologia. Mudanças climáticas locais, regionais e globais: Causas indicadores e implicações geográficas. Pedogênese, características e classificação dos solos. Fundamentos de climatologia: escalas de análise, elementos e fatores climáticos. Energia, recursos naturais, meio ambiente e práticas para o desenvolvimentos sustentável na sociedade contemporânea.

20 Computação 94/13 Arquitetura e Organização de Computadores Algoritmos de multiplicação e divisão em hardware Hazards nos processores MIPS Linguagem Assembly de MIPS Memória cache multinível Padrão IEEE 754 Paralelismo no nível de instruções Paralelismo no nível de threads Sistemas de coerência de cache Minimização de critério quadrático e alocação de polos como técnicas de controle de sistemas dinâmicos contínuos e discretos. Computação 94/13 Controle de Sistemas Dinâmicos Propriedades estruturais do controle realimentado de sistemas dinâmicos: estabilidade; controlabilidade; observabilidade. considerações sobre erro de regime permanente Projeto de controladores P, PI, PID no espaço de estados. Controle de sistemas dinâmicos não lineares contínuos e discretos. Teoria e implementação de observadores. Computação 94/13 Rede de Computadores Mídias de Comunicação Arquitetura Redes Privadas Virtuais - VPN Pilha de Serviços TCP-IP Roteamento Estático e Dinâmico Endereçamento IP Serviço Sistemas de Detecção de Intrusos - IDS Serviço DNS Base de Informações de Gerenciamento - MIB 0 Algoritmos de Chaves Públicas Computação 94/13 Robótica 0 Atuadores: Harmonic Drive e Cycloidal Drive Modelagem de Manipuladores Robóticos: Cinemática Direta Programação de Robôs Industriais Modelagem de Robôs Móveis Controle de Robôs Móveis Controle de Manipuladores com Aprendizagem Cinemática Diferencial: Obtenção da Matriz Jacobiano Modelagem Dinâmica pelo Método de Euler-Lagrange Geração de trajetórias para Manipuladores Definição de trajetórias para Robôs Móveis Computação 94/13 Sistemas Distribuídos Comunicação entre Processos. Modelos de Sistemas Distribuídos. Sistemas de Arquivos Distribuídos. Memória Compartilhada Distribuída. Sincronização em Sistemas Distribuídos.

21 DEPTO CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 95/13 Empreendedorismo e Estratégia Avaliação Econômico-Financeira de Projetos de Investimento Formação de preços Processos de Produção Elaboração de Plano de Marketing Plano Organizacional e de Pessoas Processo de Compras Plano de operações: Capacidade instalada e Arranjo físico. Engenharia Elétrica 96/13 Aterramento Elétrico, Descargas Atmosféricas, Transitórios Eletromagnéticos e Coordenação de Isolamento Influência do aterramento no desempenho do sistema elétrico. Modelagem eletromagnética de aterramento elétrico para determinação de seu desempenho transitório frente a descargas atmosféricas. Influência da inclusão da variação com a frequência no comportamento impulsivo de aterramentos elétricos. Princípios de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) Transitórios em sistemas modelados por parâmetros concentrados e por parâmetros distribuídos. Métodos determinísticos e estocásticos de coordenação de isolamento. Física e Matemática 97/13 Física Conservação do Momento Linear Conservação do Momento Angular 2a Lei da Termodinâmica Lei de Faraday-Lenz do Eletromagnetismo. Conservação da Energia Física e Matemática 97/13 Matemática, Matemática Aplicada, Matemática Computacional Limite e continuidade de funções reais em uma variável. Derivadas e aplicações da derivada. Integral de Riemann. Gradiente e derivada direcional. Operadores auto-adjuntos. Sistemas de equações diferenciais ordinárias. Equação da onda. Fórmula Integral de Cauchy. Equação do calor.

22 Engenharia de Materiais 98/13 Conformação Mecânica de Metais, Siderurgia e Fundição Principais processos de fundição Desenho (traçado) de peças fundidas, modelos para fundição Projeto de fundição (sistemas de alimentação e enchimento) Elaboração de ligas metálicas ferrosas, fusão e vazamento nos moldes Qualidade das peças fundidas e defeitos de fundição Materiais Cerâmicos: técnica de conformação de pós Engenharia de Materiais 98/13 Materiais Não Metálicos: Cerâmica e Transformação de Materiais Sinterização em materiais cerâmicos: tipos, variáveis críticas e controle do processo. Diagramas ternários de equilíbrio de fase de materiais cerâmicos Dispersões de Pós Cerâmicos Vidros e Vitrocerâmicas Tolerância de fabricação, forma e posição Engenharia de Materiais 98/13 Processos de Fabricação: Usinagem Convencional, Usinagem Não Convencional, Usinagem por Comando Numérico. Programação em código MACH9 torneamento Desenho técnico mecânico: tipos de corte e seções Usinagem por abrasão Ferramentas de usinagem

EDITAL ÁREA DO CONCURSO RECURSOS DIDÁTICOS DISPONÍVEIS SOFTWARES INSTALADOS NO COMPUTADOR. Mineração: Tratamento de Minérios

EDITAL ÁREA DO CONCURSO RECURSOS DIDÁTICOS DISPONÍVEIS SOFTWARES INSTALADOS NO COMPUTADOR. Mineração: Tratamento de Minérios CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIVISÃO DE SELEÇÃO E CONCURSO Concurso Público Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Edital de Normas Gerais 77/13, de 21 de junho de 2013) ETAPA DA

Leia mais

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE CEFET-MG Concurso Público EBTT 23 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE De acordo com o item 3.3.1.2 do de Normas Gerais 077/13 de 21 de junho de 23, havendo compatibilidade de cronograma

Leia mais

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS

PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS PONTOS PARA AS PROVAS ESCRITAS E DIDÁTICAS DISCIPLINAS: Mecânica Geral I; Estruturas de Aço; Estrutura de Concreto Armado I; Estrutura de Concreto Armado II. 1. Equilíbrio dos Corpos Rígidos em 2D e 3D;

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PONTOS PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR EDITAL 001/2009 Matéria/Área do Conhecimento: MATEMÁTICA 1. Transformações Lineares e Teorema do Núcleo

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED 1º MED DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Especificação de elementos que compõem projetos; técnicas de desenho técnico e de representação gráfica correlacionadas com seus fundamentos matemáticos e geométricos;

Leia mais

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico;

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico; EMENTA DE CONTEÚDOS Eletricidade Conceitos fundamentais da eletricidade; Circuitos elétricos de corrente contínua; Tensão alternada; Gerador de funções; Operação do osciloscópio; Tensão e corrente alternadas

Leia mais

CAMPUS CRUZ DAS ALMAS Edital 01/2010. Área de Conhecimento

CAMPUS CRUZ DAS ALMAS Edital 01/2010. Área de Conhecimento CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR CAMPUS CRUZ DAS ALMAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CETEC Área de Conhecimento Materiais, Estrutura e Sistemas Eletromecânicos PONTOS DO

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CONVÊNIO COM O SENAI Matriz Curricular válida para os acadêmicos

Leia mais

Ementário das Disciplinas

Ementário das Disciplinas Ementário das Disciplinas As ementas das disciplinas estão agrupadas em semestres para uma melhor visualização da organização da matriz curricular. As referências bibliográficas serão especificadas no

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO

ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO QUADRO RESUMO FORMAÇÃO UFCD (H) Análise de circuitos em corrente contínua 6008 25 Corrente alternada 6010 25 Eletrónica industrial 6023 25 Instalações elétricas - generalidades 6075

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 66303 ESTRUTURA DE DADOS I 68/0 ENG. DE

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

Áreas do Conhecimento - Engenharias

Áreas do Conhecimento - Engenharias Áreas do Conhecimento - Engenharias Engenharias Engenharia Civil Construção Civil Materiais e Componentes de Construção Processos Construtivos Instalações Prediais Estruturas Estruturas de Concreto Estruturas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 235, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Carga Horária Total

Leia mais

1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010

1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010 A) No item: 1. DA ESPECIFICAÇÃO: Inclusão de Vagas: 1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010 094 Mineração 01 Belém Graduado em Engenharia de Minas 094 Mineração Belém 1. Desmonte de Rochas 2. Planejamento de Lavra

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEB PRORROGAÇÃO DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTE

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEB PRORROGAÇÃO DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTE CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEB PRORROGAÇÃO DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTE A Pró-Reitora de Graduação do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos UniFEB

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso Técnico em Informática, em Nível Médio Subseqüente, será organizado de forma semestral, com aulas presenciais, compostos por disciplinas, com conteúdos estabelecidos, tendo

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: Algoritmo e Programação I A disciplina aborda o estudo de algoritmos, envolvendo os conceitos fundamentais: variáveis, tipos de dados, constantes,

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular PlanoCurricular

Plano Curricular Plano Curricular PlanoCurricular Área de formação 522. Eletricidade e Energia Curso de formação Técnico/a de Instalações Elétricas Nível de qualificação do QNQ 4 Componentes de Sociocultural Duração: 775 horas Científica Duração: 400

Leia mais

CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35

CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35 Planilha atualizada em 21/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Administração

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE 2005 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Controle e Automação para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-481/2012,

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ENG JR ELETRON 2005 29 O gráfico mostrado na figura acima ilustra o diagrama do Lugar das Raízes de um sistema de 3ª ordem, com três pólos, nenhum zero finito e com realimentação de saída. Com base nas

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Eletricidade, Máquinas e Medidas Elétricas: 1.1. Princípios da Eletrodinâmica: Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistores Elétricos, Potência Elétrica e Leis de OHM; 1.2. Circuitos

Leia mais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 1º SEMESTRE Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 8 Créditos Desenvolver a lógica de programação através da construção de algoritmos utilizando português estruturado Representar a solução de problemas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Fase Cód. Disciplina Prérequisitos Carga Horária

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014.

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. CURSO LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR 1.1 QUADRO GERAL DA ESTRUTURA CURRICULAR Carga Horária LOTAÇÃO Módulo Disciplina Teoria Prática

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1/5 ANEXO II RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 31/2005 EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO I SEMESTRE Algoritmos e Estruturas de Dados I Fundamentos da Computação Fundamentos Matemáticos para a Computação

Leia mais

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio.

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio. 1 Disciplina de Sistemas de Controle Prof. Luciano Menegaldo e-mail: lmeneg@ime.eb.br home-page: http://lmeneg-aulas.tripod.com Aula 1 Introdução 1. Idéias gerais e exemplos de sistemas de controle - Assunto

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 24/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Fase

Leia mais

Fonte: emcefetmg.blogspot.com

Fonte: emcefetmg.blogspot.com Fonte: emcefetmg.blogspot.com PERFIS DOS CURSOS TÉCNICOS DA EPTNM Fonte: CNCT-2001 Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança TÉCNICO EM EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS Planeja e executa a instalação de equipamentos

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica - Niterói O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST EM GESTÃO AMBIENTAL Nome da disciplina Semestre básica Introdução à Gestão Ambiental 1 o Industrialização; demografia e impactos ambientais; poluição: ar-águasolo; tecnologias

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial João Marques Salomão Rodrigo Varejão Andreão Inteligência Artificial Definição (Fonte: AAAI ): "the scientific understanding of the mechanisms

Leia mais

Automação Industrial. Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki. http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html

Automação Industrial. Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki. http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html Automação Industrial Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html -Duas Aulas quinzenais -Datas: Engenharia Elétrica 08 e 18 de agosto 01, 15, 29 de setembro 13 e 27

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - DCT. CURSO: BCT (Disciplinas Obrigatórias)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - DCT. CURSO: BCT (Disciplinas Obrigatórias) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - DCT CURSO: BCT (Disciplinas Obrigatórias) Cálculo em Várias Variáveis FUV ou Calculo I Algoritmos e Estrutura de Dados Lógica de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA - TEÓFILO OTONI CURSO DE GRADUAÇÃO - ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURA CURRICULAR

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA Bases Tecnológicas DESENHO TÉCNICO I Utilização de instrumentos para a elaboração de desenhos; Construções geométricas; Normas gerais de desenho técnico; Projeções ortogonais;

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMPUTAÇÃO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMPUTAÇÃO EMENTAS DAS S DO CURSO DE COMPUTAÇÃO INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA EMENTA: Conceito de Informática, informação, dados e computadores; evolução histórica dos computadores; anatomia de um computador conceitos

Leia mais

TEMAS PARA SORTEIO. Quadro I Campus João Pessoa. Perfil Habilitação Exigida

TEMAS PARA SORTEIO. Quadro I Campus João Pessoa. Perfil Habilitação Exigida Quadro I Campus João Pessoa Modalidade ou Nível UCs de Manutenção de Computadores e de Periféricos e/ou de Arquitetura de Computadores. Código 01 UCs de Projetos de Instalações Elétricas Prediais e Industriais

Leia mais

Rendimento EscolarFrequência : Obrigatório Critério de Avaliação : NOTA. DependênciasCritérios: Este curso não admite dependências.

Rendimento EscolarFrequência : Obrigatório Critério de Avaliação : NOTA. DependênciasCritérios: Este curso não admite dependências. Titulação : Eletricista Nome Abreviado : Eletricista Nível : Aprendizagem Tipo de Curso : Aprendizagem Industrial Área : Eletroeletrônica Segmento de Área : Eletricidade Estratégia : Presencial Carga Horária

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 05/03/2014 10:06. Centro de Ciências Exatas e Naturais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 05/03/2014 10:06. Centro de Ciências Exatas e Naturais 5// :6 Centro de Ciências Exatas e Naturais Curso: Ciência da Computação (Noturno) Currículo: 7/ CMP.8.- Introdução à Computação Ementa: O que é Ciência da Computação. História da Computação. Estrutura

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO Area de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas DISCIPLINA: PRÁTICAS INVESTIGATIVAS I H111926 03 60 Introdução e ensaio da prática investigativa. Procedimentos metodológicos

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pelo Campus Rio Paranaíba são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, ligadas a cada instituto, seguidas

Leia mais

A pós graduação em eletrónica e automação desenvolve se em dois semestres letivos.

A pós graduação em eletrónica e automação desenvolve se em dois semestres letivos. NOME DO CURSO PÓS GRADUAÇÃO EM ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO DATA INICIO/DATA FIM 1 de outubro de 2015 APRESENTAÇÃO A pós graduação em eletrónica e automação desenvolve se em dois semestres letivos. Com esta

Leia mais

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EDA 1601 - INGLÊS INSTRUMENTAL I (2.0.0)2 English for Specific Purposes": introdução. Leitura e compreensão de texto: estratégias de leitura. Organização e partes

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte)

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) SESTINFO-2008 São Bernardo do Campo/março/2008 Áreas da Tecnologia que estão definindo nosso Futuro

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: INFORMÁTICA)

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: INFORMÁTICA) MATRIZ CURRICULAR CURSO: GRADUAÇÃO: REGIME: DURAÇÃO: INTEGRALIZAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: ) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS MÍNIMO:

Leia mais

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante

Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante. Investimento: R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos) por participante CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS ELÉTRICOS - CESE - ÊNFASE GERAÇÃO 2013 - www.cese.unifei.edu.br CALENDÁRIO CESE GERAÇÃO 1 MÉTODOS COMPUTACIONAIS APLICADOS A SISTEMAS ELÉTRICOS 11/03/13 a 15/03/13 2

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2014/1 Fase Cod Disciplina Pré-Req.

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS... 4 04 TEORIA

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

DISCIPLINA CRED CH PRÉ-REQUISITO 1ª FASE Algoritmos

DISCIPLINA CRED CH PRÉ-REQUISITO 1ª FASE Algoritmos CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AUTORIZAÇÃO: Resolução nº 89/2007 CONSUNI RECONHECIMENTO: Decreto Estadual nº 858/2012 renovado pela Resolução CEE nº 3/2015 PERÍODO DE CONCLUSÃO: Mínimo:

Leia mais

4. Controlador Lógico Programável

4. Controlador Lógico Programável 4. Controlador Lógico Programável INTRODUÇÃO O Controlador Lógico Programável, ou simplesmente PLC (Programmiable Logic Controller), pode ser definido como um dispositivo de estado sólido - um Computador

Leia mais

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EMBALADORA DE TABULEIROS DE DAMAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ENGENHARIA ELÉTRICA. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ENGENHARIA ELÉTRICA 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado GRAU ACADÊMICO: Engenheiro Eletricista PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 9 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO No desenvolvimento industrial

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FICHA DE COMPONENTE CURRICULAR CÓDIGO: COMPONENTE CURRICULAR: CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS (CLPs) E DISPOSITIVOS INDUSTRIAIS UNIDADE ACADÊMICA OFERTANTE: SIGLA:

Leia mais

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS O documento que serviu de base para a análise a seguir é o denominado "Diretrizes Curriculares

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL ESPECÍFICO Nº 82/23, DE 21 DE JUNHO DE 23. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 2ª ETAPA 2014 ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 2ª ETAPA 2014 ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014 CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014 1ª SÉRIE - 06/ 08/ 2014 - Capítulo 6 Citoplasma e organelas citoplasmáticas; - Capítulo 7 Núcleo e cromossomos; - Capítulo 8 Divisão celular:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2014/1 Fase Cod

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profª Danielle Casillo Nome: Automação e Controle Créditos: 4 60 horas Período: 2010.2 Horário: quartas e sextas das 20:40 às 22:20

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá RESOLUÇÃO Nº 061/2010-CTC CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 21/09/2010. Aprova projeto pedagógico do curso de graduação em Engenharia de

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

Cod.Disc Requisito Administração 252 2 Matemática Financeira 3114 Matemática 3531

Cod.Disc Requisito Administração 252 2 Matemática Financeira 3114 Matemática 3531 Curso Grade Periodo Disciplina Cod.Disc Disciplina Requisito Cod.Disc Requisito Administração 22 2 Matemática Financeira 11 Matemática 1 22 Total Contabilidade Gerencial 111 Contabilidade Geral 09 Administração

Leia mais

1ª ETAPA - TURMA E e F

1ª ETAPA - TURMA E e F Atualizado em: 20/05/2013 1/7 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PF 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PF 3 ÉTICA E CIDADANIA I PF 3 FÍSICA GERAL I PF 3 GEOMETRIA ANALITICA E VETORES PF 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Centro de Treinamento Nova Didacta

Centro de Treinamento Nova Didacta Centro de Treinamento Nova Didacta A Nova Didacta Fundada em 2004 por profissionais da área de Tecnologia, o Grupo NOVA DIDACTA está comprometido com o sucesso de seus clientes e parceiros. Em 2013 a NOVA

Leia mais

Sistemas de Automação

Sistemas de Automação Sistemas de Automação Introdução Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Leia mais

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS

CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CÁLCULO DE DUAS VARIAVEIS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS ÓTICA, ONDAS E ELETROMAGNETISMO QUÍMICA GERAL E EXPERIMENTAL ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Eng. Civil- Campus Mossoró) 3ª série Funções

Leia mais

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si) ; Uso de máquinas para controlar e executar suas tarefas quase sem interferência humana, empregando

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 23/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase I

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CICLO BÁSICO 1º BIMESTRE INTRODUÇÃO À ENGENHARIA 40 horas Fundamentos da Engenharia e Suas Grandes Áreas; Inovação e Desenvolvimento de Produto; O Modo

Leia mais

041 - ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY

041 - ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY São Paulo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO,

Leia mais

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa Catarina UFSC DAS 5101 - Aula 7 p.1/47

Leia mais

LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS

LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS 1. As humanidades e suas repercussões sobre o pluralismo cultural 2. Humanidades e ciências: o debate transcultural em contextos plurais 3. Pedagogias

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

Primeiro Semestre. Programas das disciplinas do curso de engenharia de controle e automação do IFRS - Campus Farroupilha

Primeiro Semestre. Programas das disciplinas do curso de engenharia de controle e automação do IFRS - Campus Farroupilha Programas das disciplinas do curso de engenharia de controle e automação do IFRS - Campus Farroupilha Primeiro Semestre Introdução a Engenharia de Controle e Automação Carga Horária: 36 horas Objetivo:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Metodologia da Pesquisa Científica Técnicas para elaboração de

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2015 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 1 Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores

Leia mais

TEMAS DAS BANCAS DIDÁTICAS CONCURSO EDITAL 06/2015

TEMAS DAS BANCAS DIDÁTICAS CONCURSO EDITAL 06/2015 TEMAS DAS BANCAS DIDÁTICAS CONCURSO EDITAL 06/2015 Vaga 01: Comunicação/Produção de Áudio e Vídeo Tema 1: Produção audiovisual, cinema e mídia em seus contextos históricos, sociais e políticos. Tema 2:

Leia mais

Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 -

Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para CLP SCHNEIDER _ TWIDO - XC113 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para CLP Schneider TWIDO

Leia mais