CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES"

Transcrição

1 PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Diretoria do Campus Curitiba Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Eletrônica CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Nova denominação do Curso de Tecnologia em Comunicações Digitais (a partir do 1º semestre de 2007) As informações a seguir fazem parte do projeto do curso aprovado pelo MEC em dezembro de Competências a serem adquiridas nos módulos: Módulo I Fundamental Elaborar documentação técnicas utilizando normas técnicas e metodologia científica. Reconhecer os organismos de padronização em comunicações. Interpretar medidas e valores em circuitos elétricos e eletrônicos. Analisar e esquematizar circuitos elétricos. Analisar e esquematizar circuitos eletrônicos. Esquematizar circuitos digitais combinacionais. Desenvolver rotinas de programação em linguagem estruturada de programação moderna. Módulo II Sistemas de Comunicação Certificação Intermediária em Operação de Sistemas de Comunicação Identificar e descrever as técnicas para transmissão e recepção de sinais elétricos e eletromagnéticos. Empregar e analisar circuitos para a geração e detecção de sinais elétricos e eletromagnéticos. Operar, analisar e aperfeiçoar redes de telefonia fixa e radioenlace. Analisar e operar meios de transmissão metálicos. Esquematizar circuitos microcontrolados. Desenvolver rotinas de programação utilizando técnicas avançadas de programação. Analisar sistemas lineares discretos. Aplicar técnicas de gestão de produtos, serviços e processos corporativos. Planejar e gerir a implantação de novas tecnologias de comunicação digital nas empresas. Módulo III Redes de Comunicação Certificação Intermediária em Supervisão de Redes de Comunicação. Empregar, analisar e especificar redes ópticas, redes de computadores e redes sem fio. Planejar, gerir, analisar e melhorar serviços de comunicação. Identificar os principais elementos de sistemas operacionais. Identificar as principais técnicas do processamento digital de imagens. Aplicar conceitos da qualidade total em testes de aceitação de circuitos, equipamentos e sistemas. Analisar estatisticamente a incidência de problemas em circuitos, equipamentos e sistemas. Empregar técnicas de gestão de projetos na implantação de melhorias em serviços de comunicação digital. Utilizar empreendedorismo como ferramenta para a geração de emprego e renda no setor terciário da economia. 1

2 Perfil Profissional de Conclusão O aluno egresso do Curso Superior de Tecnologia em Comunicações Digitais deverá apresentar as seguintes competências: Desenvolver empreendimentos inovadores e novas oportunidades de trabalho e renda na área de Comunicações Digitais; Integrar equipes de projetos de equipamentos, redes e sistemas de Comunicações Digitais; Especificar, aplicar e executar manutenção em equipamentos, redes e sistemas de Comunicações Digitais; Especificar, implantar e integrar tecnologias e equipamentos em redes e sistemas de Comunicações Digitais; Ministrar treinamento na área de Comunicações Digitais; Organizar e coordenar os recursos necessários à prestação de serviços na área de Comunicações Digitais aplicando técnicas que viabilizem sua eficácia e sua efetividade. Prof. César Janeczko Coordenador dos Cursos Superiores de Tecnologia do DAELN Telefone: UNIDADES CURRICULARES Unidade Curricular Matemática Aplicada Período letivo: 1 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 96 horas Conceitos matemáticos de funções, limite, derivada, integral, logaritmo e números complexos aplicados às comunicações digitais. Unidade Curricular Introdução à Eletricidade Período letivo: 1 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 96 horas Lei de Coulomb, campo elétrico, energia e potencial, grandezas elétricas, lei de Ohm, leis de Kirchoff, capacitância, magnetismo, eletromagnetismo e indutância. Unidade Curricular Introdução à Eletrônica Classificação dos materiais, estudo de semicondutores e da junção p-n, diodo, circuitos eletrônicos básicos com diodos, transistor bipolar e de efeito de campo, funcionamento e polarização de transistores, circuitos básicos com transistores. Unidade Curricular Princípios de Informática Período letivo: 1 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 32 horas Conceitos básicos de computação, introdução à programação, algoritmos seqüênciais, desvios condicionais e repetições. Unidade Curricular Estatística Conceitos estatísticos de probabilidade, variáveis aleatórias, tratamento de dados, amostragem estatística, distribuições amostrais aplicadas às comunicações digitais. Unidade Curricular Comunicação e Metodologia da Pesquisa Tecnologia, técnica e ciência; classificação das ciências; pesquisa tecnológica; organização e ética da pesquisa tecnológica; normas técnicas; preparo, apresentação e comunicação de relatórios e monografias. Unidade Curricular Panorama Atual das Comunicações Período letivo: 1 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 32 horas Legislação atual, órgãos reguladores e normativos, serviços regulamentados, tendências de mercado e de tecnologias. 2

3 Unidade Curricular Sinais e Sistemas Período letivo: 2 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 64 horas Conceitos de sinal e sistema, análise de Fourier (série, transformada e espectro de freqüência), transformada de Laplace, análise de sistemas lineares no domínio do tempo e da freqüência, análise de estabilidade, lugar das raízes, resposta em freqüência, diagrama de Bode, filtros analógicos. Unidade Curricular Circuitos Elétricos Teoremas dos circuitos e associações elétricas, métodos de análise de circuitos e associações elétricas, associação de geradores, transitórios em circuitos e associações elétricas em corrente continua, corrente alternada senoidal e seus valores notáveis, comportamento de circuitos elétricos e associações em corrente alternada e resposta no domínio da freqüência, potência média. Unidade Curricular Eletrônica Analógica Circuitos com semicondutores, amplificadores, amplificador operacional, osciladores e mutivibradores. Unidade Curricular Programação Básica Linguagem de programação, compilação, tipos de dados, entradas e saídas, operadores, vetores, fluxo de controle e funções. Unidade Curricular Introdução à Eletrônica Digital Período letivo: 2 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 48 horas Sistemas numéricos, códigos numéricos, álgebra booleana, funções lógicas, mapas de Karnaugh e circuitos combinacionais. Unidade Curricular Instrumentos e Medidas Período letivo: 2 o período (Módulo I Fundamental) Carga Horária: 48 horas Grandezas básicas, multímetro digital, geradores de sinais, osciloscópios, analisadores de espectro e unidades de medida em telecomunicações. Unidade Curricular Fundamentos de Comunicação Período letivo: 3 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Introdução à modulação, modulações analógicas (AM, FM), modulações pulsadas (PAM), modulações digitais, códigos de linha, sistemas de multiplexação, técnicas de espalhamento espectral (FHSS DSSS). Unidade Curricular Meios Metálicos Período letivo: 3 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 32 horas Conceitos fundamentais e características básicas da propagação de sinais elétricos e dos fatores de degradação em meios par metálico, cabo coaxial e strip line. Unidade Curricular Radiopropagação Princípios de eletromagnetismo; propagação e degradação do sinal elétrico no espaço ao ar livre e no meio urbano; dimensionamento de radioenlace; cálculo de intensidade de sinal por área e ponto-a-ponto. Unidade Curricular Eletrônica Digital Período letivo: 3 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Análise e síntese de circuitos seqüenciais e máquinas de estados, tecnologia de circuitos integrados digitais, memórias semicondutoras, dispositivos lógicos programáveis, conversão A/D e D/A. Unidade Curricular Princípios de Telefonia Aparelho telefônico, comutação, redes telefônicas, conceitos fundamentais de tráfego, de numeração, de sinalização e de tarifação. Unidade Curricular Gestão de Empresas Organização e normas; atividades na organização; marketing; planejamento e controle da produção; papéis do administrador; ética; gestão de custos; gestão da manutenção. 3

4 Unidade Curricular Programação Avançada Período letivo: 3 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 64 horas Tipos vetoriais heterogêneos de dados, organização dos dados de um programa, estruturas de dados dinâmicas, ciclos de desenvolvimento de software, organização adequada de um programa, especificação e documentação. Unidade Curricular Comunicação de Dados Período letivo: 4 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 64 horas Princípios da comunicação no par metálico, transmissão de dados, equipamentos de comunicação de dados, controle do enlace de dados. Unidade Curricular Teoria da Informação Modelamento de um sistema de comunicação digital, análise e transmissão de sinais, conceitos fundamentais de controle de erro em enlace de dados. Unidade Curricular Antenas Parâmetros fundamentais de antenas; estudo dos tipos de antenas; sistemas de alimentação da antena. Unidade Curricular Processamento Digital de Sinais Período letivo: 4 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 64 horas Teoria da amostragem, sistemas lineares discretos, DFT, transformada Z, filtros digitais. Unidade Curricular Sistemas Microcontrolados Período letivo: 4 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Microcontroladores, arquitetura interna, hardware, interfaceamento, software, linguagem assembly. Unidade Curricular Telefonia Digital Estudo das estruturas de comunicação TDM, PCM, PDH e SDH. Unidade Curricular Gestão de Serviços Período letivo: 4 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 32 horas Conceito de serviço; Processos de serviço; Capacidade produtiva do serviço; Mensuração do desempenho; Estratégia de serviço Unidade Curricular Projeto Integrador Período letivo: 4 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 16 horas Integrar, através de uma atividade de projeto contextualizado, os conhecimentos desenvolvidos nas unidades curriculares até o Módulo II, inclusive Desenvolver habilidades de trabalho em grupo, comunicação oral e escrita, resolução de problemas, pensamento crítico, pensamento criativo, metodologia de desenvolvimento de projetos visando o desenvolvimento das competências requeridas no Módulo II. Unidade Curricular Comunicações Ópticas Física da óptica, linhas de transmissão por fibras ópticas, propagação em fibras ópticas, dispositivos ópticos, sistemas ópticos. Unidade Curricular Comunicações Sem Fio Período letivo: 5 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Estudo dos equipamentos e sistemas da radiocomunicação celular, satélite, local sem fio e técnicas de acesso. Unidade Curricular Redes Locais Período letivo: 5 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 64 horas Modelo OSI, padrão IEEE 802, arquitetura TCP/IP. 4

5 Unidade Curricular Sistemas Operacionais Processos e threads, gerenciamento de memória, sistemas de arquivos, entrada e saída, impasses (deadlocks). Unidade Curricular Processamento Digital de Imagens Período letivo: 5 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Fundamentos de imagens digitais, técnicas de modificação de histograma, filtragem, realce e suavização de imagens, morfologia matemática, compressão, codificação de imagens. Unidade Curricular Sistemas Integrados de Gestão Período letivo: 6 o período (Módulo II Sistemas de Comunicação) Carga Horária: 48 horas Sistemas de gerenciamento da qualidade; Sistemas de gerenciamento ambiental; Sistema de gerenciamento da saúde e segurança no trabalho; Normas da qualidade, saúde e segurança no trabalho e ambiental; Integração dos sistemas de gestão; Auditorias de sistemas de gestão. Unidade Curricular Empreendedorismo Período letivo: 5 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 32 horas Mercado atual e empregabilidade; bases do empreendedorismo; ambientes de apoio ao empreendedorismo; modelos de negócio; planos de negócio. Unidade Curricular Serviços Agregados à Telefonia Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 48 horas Conceito, funcionalidade e aplicação de tecnologias para serviços de valor adicionado em redes de telefonia fixa e celular. Unidade Curricular Redes de Acesso Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Conceito, funcionalidade e aplicação de tecnologias para o fornecimento de serviços banda larga aos usuários de redes de telecomunicações. Unidade Curricular Redes de Longa Distância Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 64 horas Estudo das tecnologias para redes de longa distância (X.25, Frame Relay, ATM, Gigabit Ethernet, FDDI). Unidade Curricular Gerência e Programação em Redes Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 80 horas Estudo das técnicas e conceito de gerência de redes, protocolos SNMP, MIB e RMON, técnicas básicas para programação em redes TCP/IP usando socket e rpc. Unidade Curricular Gestão de Tecnologia e Inovação Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 48 horas Conceitos de C&T&I; indicadores de P&D&E e de inovação; planejamento estratégico de tecnologia; o processo de inovação tecnológica; função tecnologia; ferramentas de GTI. Unidade Curricular Gestão de Projetos A organização por projetos; o gerente de projetos e sua equipe; planejamento e controle; gestões específicas; etapas e ferramentas; elaboração de projetos de produto/serviço/processo. Unidade Curricular Projeto Integrador Período letivo: 6 o período (Módulo III Redes de Comunicação) Carga Horária: 32 horas Integrar, através de uma atividade de planejamento de projeto, os conhecimentos desenvolvidos nas unidades curriculares até o Módulo II, inclusive. Desenvolver habilidades de trabalho em grupo, comunicação oral e escrita, resolução de problemas, pensamento crítico, pensamento criativo, metodologia de desenvolvimento de projetos visando o desenvolvimento das competências requeridas no Módulo III e a preparação do trabalho de diplomação. 5

Prof. Antonio P. Nascimento Filho. Tecnologias de rede. Ethernet e IEEE Token ring ATM FDDI Frame relay. Uni Sant Anna Teleprocessamento e Redes

Prof. Antonio P. Nascimento Filho. Tecnologias de rede. Ethernet e IEEE Token ring ATM FDDI Frame relay. Uni Sant Anna Teleprocessamento e Redes Tecnologias de rede Ethernet e IEEE 802.3 Token ring ATM FDDI Frame relay Ethernet A Ethernet é uma tecnologia de broadcast de meios compartilhados. Entretanto, nem todos os dispositivos da rede processam

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada Física Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.1T Redes de Computadores Conteúdo Programático :: 1 a Unidade 1. Conceitos básicos sobre comunicação

Leia mais

Unidade de Formação: Matemática I. Unidade de Formação: Matemática II. Unidade de Formação: Inglês

Unidade de Formação: Matemática I. Unidade de Formação: Matemática II. Unidade de Formação: Inglês Unidade de Formação: Matemática I 1. Noções elementares de funções a. Generalidades sobre funções (módulo, trigonométricas, exponencial e logaritmo); b. Limites e continuidade. 2. Números complexos a.

Leia mais

Redes de Computadores Prof. Fred Sauer

Redes de Computadores Prof. Fred Sauer Redes de Computadores Prof. Fred Sauer http://www.fredsauer.com.br fsauer@gmail.com Quem sou eu... Prof. Frederico Sauer (Fred) Mestre e Doutor UFRJ com dissertação e tese em Segurança e Gerenciamento

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Redes de Computadores Carga Horária: 100h Período: 6º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Redes de Computadores Carga Horária: 100h Período: 6º. Ementa Disciplina: Redes de Computadores Carga Horária: 100h Período: 6º Ementa PLANO DE ENSINO Contexto e aspectos gerais de redes de computadores: hardware e software de rede, modelos de referência. Camada

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular COMUNICAÇÃO DE DADOS E REDES Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular COMUNICAÇÃO DE DADOS E REDES Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular COMUNICAÇÃO DE DADOS E REDES Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. - Núcleo Básico -

Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. - Núcleo Básico - Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores - Núcleo Básico - NBT 001 - Matemática CH Teórica 120 CH Prática 00 CH Total 120 cr 6 Potenciação. Radiciação. Expressões

Leia mais

PROGRAMA. 1. Ementa. 2. Objetivos. 3. Metodologia. 4. Avaliação

PROGRAMA. 1. Ementa. 2. Objetivos. 3. Metodologia. 4. Avaliação Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina : INF363 - Teleprocessamento e Redes Pré-Requesitos : INF-375 - Sistemas Operacionais INF-359 - Pesquisa Operacional Carga

Leia mais

- Curso: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Redes de Computadores Lista de Exercício I

- Curso: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Redes de Computadores Lista de Exercício I 1- Um dos componentes de um a Rede de Teleprocessamento que tem a função de compatibilizar o sinal digital de dados ao sinal analógico para uso da Rede Pública de Telefonia é: a) UNIDADE CONTROLADORA DE

Leia mais

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO MODULAÇÃO DE PULSO Evelio M. G. Fernández - 2011 Sistemas de Comunicações Digitais Sistema digital no sentido de utilizar uma seqüência de símbolos pertencentes a um conjunto

Leia mais

Apresentação... 1 Introdução... 1

Apresentação... 1 Introdução... 1 Apresentação O objetivo principal deste texto é servir como material básico para uma disciplina introdutória sobre sistemas de comunicações em um curso de Engenharia Elétrica. Ele tem abrangência limitada,

Leia mais

Transmissão de Informação

Transmissão de Informação Transmissão de Informação 1.Multiplexação e Modulação Sempre que a banda passante de um meio físico for maior ou igual à banda passante necessária para um sinal, podemos utilizar este meio para a transmissão

Leia mais

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos A camada de Enlace Serviços e Protocolos Camada de Enlace Segunda camada do modelo OSI Primeira Camada do Modelo TCP/IP Modelo OSI Modelo TCP/IP Aplicação Apresentação Aplicação Sessão Transporte Rede

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo 4: Introdução às Telecomunicações nas Empresas Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet James A. O'Brien Editora Saraiva The McGraw-Hill Companies, Inc., 1999 Objetivos

Leia mais

CAT I - Cálculo Aplicado às Telecomunicações I

CAT I - Cálculo Aplicado às Telecomunicações I CAT I - Cálculo Aplicado às Telecomunicações I Pré-requisito: MTM Derivada. Definição de derivada. A derivada de uma função. Derivadas de funções compostas. Derivadas de ordem superior ou derivada e-nésima

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Apresentação Prof. MSc André Yoshimi Kusumoto Email: andrekusumoto.unip@gmail.com Site: http://www.kusumoto.com.br Carga horária: 2 horas-aula/semana

Leia mais

SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 CAPÍTULO 1 PROCESSOS ALEATÓRIOS 49

SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 CAPÍTULO 1 PROCESSOS ALEATÓRIOS 49 SUMÁRIO FUNDAMENTOS E VISÃO GERAL 19 1. O processo de comunicação 19 2. Principais recursos de comunicação 21 3. Fontes de informação 21 4. Redes de comunicação 27 5. Canais de comunicação 33 6. Processo

Leia mais

Disciplina: Dispositivos de Rede II. Professor: Jéferson Mendonça de Limas. 4º Semestre. Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede

Disciplina: Dispositivos de Rede II. Professor: Jéferson Mendonça de Limas. 4º Semestre. Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede 2014/2 Roteiro Introdução Adaptadores de Rede Reptidor Hub Bridge Introdução O

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações

Pós-Graduação em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações 1 Pós-Graduação em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações TL-016 - Redes IP Evandro Luís Brandão Gomes ( evandro@inatel.br ) 2016 2 Capítulo 1 Introdução ao Protocolo TCP/IP Padronização do

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede II Aula 02 Unidade II Dispositivos Básicos de Rede Prof: Jéferson Mendonça de Limas Introdução Redes LAN Dois ou mais dispositivos interligados por um

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Camada Física Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Setembro de 2011 1 / 32 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CADASTRO DE DISCIPLINAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CADASTRO DE DISCIPLINAS OBR ( ) COMPL ( ) SEMESTRE: ( ) Créditos Carga Horária ELE0509 Linhas de Transmissão e Ondas Tot Aul Lab Est Tot Aul Lab Est 4 4 - - 60 60 - -- P ELE0508 Teoria Eletromagnética P ELE0506 Circuitos Elétricos

Leia mais

Teoria para Laboratório 1º Bimestre

Teoria para Laboratório 1º Bimestre Teoria para Laboratório 1º Bimestre Prof.ª Irene 1 MODULAÇÃO As modulações utilizadas para a transmissão de informações são múltiplas. Em radiofreqüência, as mais coerentes são modulação em amplitude,

Leia mais

Meios Físicos Cont. Espectro Eletromagnético

Meios Físicos Cont. Espectro Eletromagnético Meios Físicos Cont. Pares Metálicos Cabo coaxial Par Trançado Condutores Óticos Fibra Rádio Microondas Satélites Infravermelho Espectro Eletromagnético 1 Espectro Eletromagnético Frequências 30MHz to 1GHz

Leia mais

Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP. Hermes Senger DC/UFSCar 2012

Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP. Hermes Senger DC/UFSCar 2012 Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP Hermes Senger DC/UFSCar 2012 Nota: Notas de aula do prof. Hélio Crestana Guardia. Objetivos do Curso: Apresentar a arquitetura

Leia mais

1 Exercícios da Parte 1 Introdução. Lista de Exercícios 01 - Introdução e Camada Física

1 Exercícios da Parte 1 Introdução. Lista de Exercícios 01 - Introdução e Camada Física BCC361 Redes de Computadores (2012-02) Departamento de Computação - Universidade Federal de Ouro Preto - MG Professor Reinaldo Silva Fortes (www.decom.ufop.br/reinaldo) Lista de Exercícios 01 - Introdução

Leia mais

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita No Brasil a utilização das Frequências Wireless é regulamentada pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), atualmente regida pela Resolução 365/2004. Prof. Marcel Santos Silva Redes Wireless 2

Leia mais

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO?

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? A OCUPAÇÃO DE ESPECTRO, O COMPARTILHAMENTO E OUTRAS QUESTÕES CONCEITUAIS É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO 43º ENCONTRO TELE.SÍNTESE

Leia mais

Princípios de Telecomunicações. PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014

Princípios de Telecomunicações. PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014 1 Princípios de Telecomunicações PRT60806 Aula 19: Modulação por Código de Pulso (PCM) Professor: Bruno Fontana da silva 2014 Bloco de Comunicação Genérico Emissor sinais analógicos x sinais digitais Sinais

Leia mais

Introdução a aquisição e processamento de sinais

Introdução a aquisição e processamento de sinais TAPS Introdução a aquisição e processamento de sinais Prof. Theo Z. Pavan Departamento de Física - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto-USP Roteiro Aquisição de sinais e frequência

Leia mais

Sistemas de Informação (SI) Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio (II)

Sistemas de Informação (SI) Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio (II) Sistemas de Informação (SI) Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio (II) Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Faculdade de Ciências e

Leia mais

Por que utilizar um analisador de espectro de tempo real baseado em FPGA?

Por que utilizar um analisador de espectro de tempo real baseado em FPGA? Por que utilizar um analisador de espectro de tempo real baseado em FPGA? Alexsander Loula Gerente de Desenvolvimento de Negócios RF National Instruments A história dos analisadores de RF Até o início

Leia mais

EN2611 Comunicação Digital Lista de Exercícios Suplementares 2 2 quadrimestre 2012

EN2611 Comunicação Digital Lista de Exercícios Suplementares 2 2 quadrimestre 2012 EN6 Comunicação Digital Lista de Exercícios Suplementares outuro EN6 Comunicação Digital Lista de Exercícios Suplementares quadrimestre (LATHI, DING, 9, p 77) Seja p( t ) dado por πt sin T T ( ) = u (

Leia mais

Unidade 4. Modelo OSI

Unidade 4. Modelo OSI Unidade 4 Modelo OSI Modelo OSI (Introdução) Cenário da evolução. No início o desenvolvimento de redes era desorganizado em várias maneiras. 80 s aumento na quantidade e tamanho das redes. Época da percepção

Leia mais

CCNA 1 Conceitos de Rede. Kraemer

CCNA 1 Conceitos de Rede. Kraemer CCNA 1 Conceitos de Rede Conceitos de Rede Breve história das redes de dados Dispositivos de rede Topologias Protocolos de rede Redes locais Redes de longa distância Redes metropolitanas Redes de área

Leia mais

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria

SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria SEL 0412 Tecnologia Digital Teoria Aquisição de Dados Profa. Tania Regina Tronco Conceito É a coleta de informações para fins de análise dos dados e consequente controle e monitoramento de um processo;

Leia mais

Planificação Anual da disciplina de Comunicação de dados 12º 1PE

Planificação Anual da disciplina de Comunicação de dados 12º 1PE Conteúdos 1.Conceitos básicos 1.1. Rede de Comunicação 1.2. Redes de dados 1.3. Transmissão de Dados 1.4. A Informação 2.Redes de dados 2.1. Importância 2.2. Áreas de Aplicação 2.2.1.Perspectiva de evolução

Leia mais

FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO REDE LOCAL INSTALAÇÃO

FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO REDE LOCAL INSTALAÇÃO CURSO EFA 2012 / 2013 Formando: Data: / / ÁREA/Assunto: Formador / Mediador: Avaliação Formando Formador FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO 0773 - REDE LOCAL INSTALAÇÃO COMPONENTES BÁSICOS DE UMA REDE

Leia mais

CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC)

CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC) MICROPROCESSADORES II (EMA864315) CONVERSORES AD/DA (ÁUDIO CODEC) 1 O SEMESTRE / 2017 Alexandro Baldassin MOTIVAÇÃO Sistemas digitais são usados para processar informação Informação no mundo real é analógica

Leia mais

ARQUITETURA FDDI P E D R O M O N T E I R O N º 14 G P S I

ARQUITETURA FDDI P E D R O M O N T E I R O N º 14 G P S I ARQUITETURA FDDI P E D R O M O N T E I R O N º 14 G P S I O QUE É A ARQUITETURA FDDI? FDDI é um padrão designado pela ANSI (National Standards Institute) comité X3T9.5 com a participação de várias empresas

Leia mais

Redes de Acesso em Banda Larga. Tecnologias de acesso em banda larga. MMDS : Sistema de Distribuição Multiponto Multicanal

Redes de Acesso em Banda Larga. Tecnologias de acesso em banda larga. MMDS : Sistema de Distribuição Multiponto Multicanal Redes de Acesso em Banda Larga 4 WMAN Tecnologias de acesso em banda larga MMDS : Sistema de Distribuição Multiponto Multicanal MDS : Sistema de Distribuição de ídeo por Microondas LMDS/LMCS : Serviços

Leia mais

Analisador de Espectros

Analisador de Espectros Analisador de Espectros O analisador de espectros é um instrumento utilizado para a análise de sinais alternados no domínio da freqüência. Possui certa semelhança com um osciloscópio, uma vez que o resultado

Leia mais

Escrito por webmaster Qui, 27 de Setembro de :26 - Última atualização Ter, 16 de Outubro de :08

Escrito por webmaster Qui, 27 de Setembro de :26 - Última atualização Ter, 16 de Outubro de :08 CAT II - Cálculo Aplicado às Telecomunicações Pré-requisito: CAT I Equações diferenciais ordinárias. Equações diferenciais exatas. Equações diferenciais lineares de primeira e segunda ordem. Aplicações

Leia mais

Redes sem Fio Redes Locais Wireless (WLANs) Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio Redes Locais Wireless (WLANs) Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Redes Locais Wireless (WLANs) 802.11 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Conteúdo Programático Sistemas de comunicação wireless Redes

Leia mais

I/O para Dispositivos Externos e Outros Computadores. Redes de Interconexão. Redes de Interconexão. Redes de Computadores Correntes

I/O para Dispositivos Externos e Outros Computadores. Redes de Interconexão. Redes de Interconexão. Redes de Computadores Correntes para Dispositivos Externos e Outros Computadores Processor interrupts Cache Memory - Bus Main Memory Disk Disk Graphics Network ideal: bandwidth alto, baixa latência Redes de Computadores Correntes Objetivos:

Leia mais

REDES COMPUTADORES. Camada Física Parte 2

REDES COMPUTADORES. Camada Física Parte 2 REDES COMPUTADORES Camada Física Parte 2 Agenda Transmissão Digital Analógica 1. Dados Digitais 2. Dados Analógicos 3. Dados Digitais Dados Analógicos Codificação Linha PAM ASK AM Codificação Bloco PCM

Leia mais

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão INTERCONEXÃO Parte 05 Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão Dispositivos de Interconexão NIC Hub/Repeater Bridge/Switch Router Gateways NIC (Network Interface Card) Depende do tipo de tecnologia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES AULA 4: REDE DE ACESSO CAMADA FÍSICA Prof. Luiz Leão

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES AULA 4: REDE DE ACESSO CAMADA FÍSICA Prof. Luiz Leão Prof. Luiz Leão Conteúdo Desta Aula SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO CABEAMENTO DE COBRE ORGANIZAÇÕES DE PADRONIZAÇÃO 1 2 3 4 5 CAMADA FÍSICA REDES SEM FIO PRÓXIMOS PASSOS Sistema de Comunicações Tarefa de Comunicações

Leia mais

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano REDES ETHERNET Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Redes de Comunicação 10º Ano Nome: Carina Sofia Ferreira Carvalho 2013/2014 ÍNDICE Introdução... 2 Arquitetura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - ANO LECTIVO 2013/2014 MÓDULO 2 REDE DE COMPUTADORES - FICHA DE TRABALHO Nº 1

REDES DE COMPUTADORES - ANO LECTIVO 2013/2014 MÓDULO 2 REDE DE COMPUTADORES - FICHA DE TRABALHO Nº 1 MÓDULO 2 REDE DE COMPUTADORES - FICHA DE TRABALHO Nº 1 1) Em que consiste uma rede de computadores? 2) Refira as principais vantagens e desvantagens associadas à implementação de uma rede de computadores.

Leia mais

Open Systems Interconnection

Open Systems Interconnection Introdução 0 A tecnologia LAN FDDI (Fiber Distributed Data Interface) é uma tecnologia de acesso à rede em linhas de tipo fibra óptica. 0 Trata-se, com efeito, de um par de anéis (um é primário, o outro,

Leia mais

3.1) Diga o que é uma transmissão síncrona e uma transmissão assíncrona. 3.2) Qual a principal diferença entre codificação banda básica e modulação?

3.1) Diga o que é uma transmissão síncrona e uma transmissão assíncrona. 3.2) Qual a principal diferença entre codificação banda básica e modulação? 3 a. Lista Redes de Comunicações I pg. 1/5 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REDES DE COMUNICAÇÕES 1 Prof. Flávio Alencar 3 a. LISTA (Assuntos: Dados, Sinais e Transmissão, Características do Meio,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores J. F. de REZENDE COPPE/UFRJ rezende@land.ufrj.br http://www.land.ufrj.br Redes de Computadores: Definição conjunto de módulos processadores, capazes de trocar informações e compartilhar

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA. Trena Ultrassônica

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA. Trena Ultrassônica UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA Trena Ultrassônica Desenvolvido por Thiago Ferreira Pontes Relatório Final da

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Aula-01

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Aula-01 UFSM-CTISM Comunicação de Dados Aula-01 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 s da disciplina: Analisar, projetar, implementar e avaliar sistemas de processamento de informação que utilizem

Leia mais

Transmissão da Informação - Multiplexação

Transmissão da Informação - Multiplexação Volnys B. Bernal (c) 1 Transmissão da Informação - Multiplexação Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Volnys B. Bernal (c) 2 Agenda Sinal de Voz Multiplexação Técnicas de

Leia mais

Entregue no mínimo 15 questões à sua escolha PROVA QUESTÃO 01

Entregue no mínimo 15 questões à sua escolha PROVA QUESTÃO 01 Entregue no mínimo 15 questões à sua escolha PROVA 2013-1 QUESTÃO 01 A multiplexação é usada para transmissão de vários sinais em um único meio físico (canal). Descreva as três formas como se pode fazer

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

SOCIEDADE CAMPINEIRA DE EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Média de Qualidade de cada Aspecto por ano/semestre

SOCIEDADE CAMPINEIRA DE EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Média de Qualidade de cada Aspecto por ano/semestre 1º Semestre de 2007 03/08/16 17:03 Pagina 1 de19 2º Semestre de 2007 03/08/16 17:03 Pagina 2 de19 1º Semestre de 2008 03/08/16 17:03 Pagina 3 de19 2º Semestre de 2008 03/08/16 17:03 Pagina 4 de19 1º Semestre

Leia mais

Redes de comunicação. Mod 2 Redes de computadores. Professor: Rafael Henriques

Redes de comunicação. Mod 2 Redes de computadores. Professor: Rafael Henriques Redes de comunicação Mod 2 Redes de computadores 1 Professor: Rafael Henriques Apresentação 2 Professor: Rafael Henriques Introdução às redes de computadores; Tipos de rede; Diagramas de encaminhamento;

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos

Redes de Computadores I Conceitos Básicos Redes de Computadores I Conceitos Básicos Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2009/1 v2-2009.03.11 Histórico Anos 50-60 Computadores Grandes Porte Sistemas Batch Anos 60-70 Time-sharing

Leia mais

Para obter mais informações sobre convenções de documento, consulte as Convenções de dicas técnicas Cisco.

Para obter mais informações sobre convenções de documento, consulte as Convenções de dicas técnicas Cisco. Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Bridging Bridging Transparente Exemplos de configuração Exemplo 1: Transparent Bridging Simples Exemplo 2: Transparent

Leia mais

Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP

Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP Arquitetura de Redes de Computadores e Tecnologia de Implementação de Redes 2016.1 Camada de Aplicação da Arquitetura TCP/IP Curso Técnico Integrado em Informática Turma: INT.INF.3M Arquitetura de Redes

Leia mais

Redes de Computadores. Aula: Camada de Enlace Professor: Jefferson Silva

Redes de Computadores. Aula: Camada de Enlace Professor: Jefferson Silva Redes de Computadores Aula: Camada de Enlace Professor: Jefferson Silva Agenda n Recapitulação do modelo OSI n Quais as funcionalidades da camada 2? n Quais as suas características n Endereço MAC n Comunição

Leia mais

6 Setup de Medidas e Procedimentos

6 Setup de Medidas e Procedimentos 6 Setup de Medidas e Procedimentos Neste capitulo, serão mostradas as especificações dos equipamentos utilizados para a montagem da sonda em freqüência do canal UWB. Assim como os procedimentos para que

Leia mais

Rede de computadores INTRODUÇÃO. Professor Carlos Muniz

Rede de computadores INTRODUÇÃO. Professor Carlos Muniz Rede de computadores INTRODUÇÃO Professor Carlos Muniz O QUE É UMA REDE? Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e outros dispositivos conectados entre si de modo a poderem compartilhar

Leia mais

Motor DC. Acionamento de Motor DC. Motor DC. Acionamento de Motor DC. Acionamento de Motor DC. Construção. Funcionamento. Sinais de controle do L298

Motor DC. Acionamento de Motor DC. Motor DC. Acionamento de Motor DC. Acionamento de Motor DC. Construção. Funcionamento. Sinais de controle do L298 PMR2415 Microprocessadores em Automação e Robótica Acionamento de motores Construção Motor DC Jun Okamoto Jr. Funcionamento Motor DC Acionamento de Motor DC Acionamento por Ponte H A B C D State A B C

Leia mais

Tecnologias de rede. Diversas tecnologias com características diferentes Exemplos. Ethernet FDDI ATM

Tecnologias de rede. Diversas tecnologias com características diferentes Exemplos. Ethernet FDDI ATM Tecnologias de rede Diversas tecnologias com características diferentes Exemplos Ethernet FDDI ATM Ethernet Vários tipos se diferenciam na camada física em função do tipo de cabo, da codificação e do uso

Leia mais

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES. Lista de Exercícios AV1-01. Luiz Leão

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES. Lista de Exercícios AV1-01. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 01 Cite o que motivou a criação das redes de computadores? Questão 01 Resposta Cite o que motivou a criação das redes de computadores? - Diminuição

Leia mais

UNIDADES CURRICULARES COMPETÊNCIAS, HABILIDADES E BASES TECNOLOGICAS E CARGA HORÁRIA APÓS O AJUSTE

UNIDADES CURRICULARES COMPETÊNCIAS, HABILIDADES E BASES TECNOLOGICAS E CARGA HORÁRIA APÓS O AJUSTE UNIDADES CURRICULARES COMPETÊNCIAS, HABILIDADES E BASES TECNOLOGICAS E CARGA HORÁRIA APÓS O AJUSTE 1º Período ELETRICIDADE 1 Competência 144h Analisar circuitos elétricos básicos sob regime de corrente

Leia mais

ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS

ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS ÍNDICE LISTA DE FIGURAS LISTA DE TABELAS PREFÁCIO AGRADECIMENTOS 1 O SISTEMA TELEFÓNICO 1.1 Introdução 1.2 Terminais telefónicos 1.3 Rede telefónica 1.4 Princípios de comutação telefónica 1.4.1 Introdução

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II

Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II Aula 01 Revisão: Dispositivos eletrônicos Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS.. Trimpots.. Potenciômetros..

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Apresentação da Disciplina Edmar José do Nascimento (Rede de Computadores - Semestre 2012.1) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado de Engenharia

Leia mais

Processamento Digital de Sinais:

Processamento Digital de Sinais: Processamento Digital de Sinais: Conceitos e Aplicações Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo IC-DSC-UFCG 1 Por que estudar PDS? 2 PDS Conceitos Básicos Sinais Padrões de variações que representam uma

Leia mais

GERAÇÃO E DEMODULAÇÃO DE SINAIS AM-DSB

GERAÇÃO E DEMODULAÇÃO DE SINAIS AM-DSB GERAÇÃO E DEMODULAÇÃO DE SINAIS AM-DSB OBJETIVO: GERAÇÃO DE SINAIS AM-DSB Dados e provocar a multiplicação dos dois sinais: PRODUTO s( t) = c( t) = A A [1 + k c c cos(2πf t) PORTADORA m ( t ) MENSAGEM

Leia mais

Palestra sobre Wireless

Palestra sobre Wireless Palestra sobre Wireless LUIZ HENRIQUE COLETTO e-mail: henrique@cirp.usp.br Seção Técnica de Manutenção Apresentação Os avanços da comunicação nos últimos anos, possibilitaram o surgimento de várias tecnologias,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA ANO LETIVO 2016-2017 PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO MECATRÓNICA AUTOMÓVEL DISCIPLINA: TECNOLOGIAS E PROCESSOS 12º ANO GESTÃO DO TEMPO:

Leia mais

Planificação da disciplina

Planificação da disciplina Planificação da disciplina Comunicação de Dados Duração dos Módulos: 108 horas/130 tempos Disciplina: Comunicação de Dados Professor: Lurdes Cristóvão Página 1 D e s i g n a ç ã o A C T I V I D A D E S

Leia mais

Redes de Alta Velocidade

Redes de Alta Velocidade Redes de Alta Velocidade Redes de Alta Velocidade Arquiteturas e Protocolos para Redes de Banda Larga A fibra óptica em si foi inventada pelo físico indiano Narinder Singh Kanpany Foi criada a partir de

Leia mais

Redes de Comunicação de Dados Industriais Prof. Assoc. Mário Luiz Tronco

Redes de Comunicação de Dados Industriais Prof. Assoc. Mário Luiz Tronco Redes de Comunicação de Dados Industriais Prof. Assoc. Mário Luiz Tronco SEM - EESC - USP Sumário Introdução à Comunicação de Dados; Modelo OSI / ISO - Comunicação em Rede; Protocolos de Comunicação em

Leia mais

Acesso Múltiplo por divisão de Código (CDMA) é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das

Acesso Múltiplo por divisão de Código (CDMA) é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das Acesso Múltiplo por divisão de Código () é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das informações ocorre por meio de ondas de rádio. O foi desenvolvido primeiro nos

Leia mais

Sumário. CAPÍTULO 1 A Natureza da Eletricidade 13. CAPÍTULO 2 Padronizações e Convenções em Eletricidade 27. CAPÍTULO 3 Lei de Ohm e Potência 51

Sumário. CAPÍTULO 1 A Natureza da Eletricidade 13. CAPÍTULO 2 Padronizações e Convenções em Eletricidade 27. CAPÍTULO 3 Lei de Ohm e Potência 51 Sumário CAPÍTULO 1 A Natureza da Eletricidade 13 Estrutura do átomo 13 Carga elétrica 15 Unidade coulomb 16 Campo eletrostático 16 Diferença de potencial 17 Corrente 17 Fluxo de corrente 18 Fontes de eletricidade

Leia mais

Revisão de Introdução às TCP-IP INTERNET. Redes de Computadores TCP/IP

Revisão de Introdução às TCP-IP INTERNET. Redes de Computadores TCP/IP Revisão de Introdução às Redes de Computadores TCP-IP INTERNET Redes de Computadores TCP/IP MODELO DE REFERENCIA TCP/IP FLUXO DE DADOS MODELOS DE REFERÊNCIA MODELO DE REFERENCIA TCP/IP MODELOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

AULA 03 CONCEITOS DA CAMADA 02 PARTE 01

AULA 03 CONCEITOS DA CAMADA 02 PARTE 01 1 AULA 03 CONCEITOS DA CAMADA 02 PARTE 01 CAMADA DE ENLACE 2 3 CAMADA DE ENLACE A Camada de Enlace existe como uma camada que conecta os processos de software das camadas acima dela e da camada Física;

Leia mais

Comunicação de Dados e Teleprocessamento. Estrutura de um Rede de Comunicações. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação

Comunicação de Dados e Teleprocessamento. Estrutura de um Rede de Comunicações. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Comunicação de Dados e Teleprocessamento Profa.. Cristina Moreira Nunes Estrutura de um Rede de Comunicações Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração

Leia mais

Circuitos Ativos em Micro-Ondas

Circuitos Ativos em Micro-Ondas Circuitos Ativos em Micro-Ondas Unidade 2 Topologias Típicas de Circuitos Transmissores e Receptores Prof. Marcos V. T. Heckler 1 Conteúdo Introdução Ruído em circuitos de micro-ondas Topologia de um receptor

Leia mais

Redes de Computadores II. 1 Questões Discursivas. Carlos Marcelo Pedroso. 20 de abril de 2010

Redes de Computadores II. 1 Questões Discursivas. Carlos Marcelo Pedroso. 20 de abril de 2010 Carlos Marcelo Pedroso 20 de abril de 2010 1 Questões Discursivas Exercício 1: Suponha a planta apresentada na Figura 1. Imprima a planta baixa em uma folha e, utilizando um lápis, escreva o projeto de

Leia mais

Apresentação do programa da disciplina. Definições básicas. Aplicações de sinais e sistemas na engenharia. Revisão sobre números complexos.

Apresentação do programa da disciplina. Definições básicas. Aplicações de sinais e sistemas na engenharia. Revisão sobre números complexos. FUNDAÇÃO UNVERSDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCSCO PLANO DE UNDADE DDÁTCA- PUD Professor: Edmar José do Nascimento Disciplina: ANÁLSE DE SNAS E SSTEMAS Carga Horária: 60 hs Semestre: 2010.1 Pág. 1 de

Leia mais

CONECTORES DE VÍDEO. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ MM - ETER - FAETEC

CONECTORES DE VÍDEO. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ MM - ETER - FAETEC CONECTORES DE VÍDEO Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ CONECTORES DE VÍDEO Existem vários tipos de conectores de vídeo que você

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Redes de Telecomunicações Prof. Robson Almeida INFRA-ESTRUTURA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 3 TELECOMUNICAÇÕES NAS ORGANIZAÇÕES CONCEITOS BÁSICOS Telecomunicações Reúne toda infraestrutura

Leia mais

Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A

Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A Técnicas de Interface: conversor A/D e D/A Prof. Adilson Gonzaga Interface com Conversores A/D e D/A Conversor A/D ADC Converte um Valor Analógico para Digital Conversor D/A DAC Converte um Valor Digital

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnica de

Leia mais

RUCA Avaliação da Rede em Malha do Projeto Um Computador por Aluno

RUCA Avaliação da Rede em Malha do Projeto Um Computador por Aluno RUCA Avaliação da Rede em Malha do Projeto Um Computador por Aluno Plano de Testes da Universidade Federal Fluminense Débora Christina Muchaluat Saade Célio Vinicius Neves de Albuquerque Luiz Claudio Schara

Leia mais

Matéria: Redes de Computadores/ Telemática REDES SEM FIO. Prof. Esp. Patricia Peixoto. 2 Bimestre

Matéria: Redes de Computadores/ Telemática REDES SEM FIO. Prof. Esp. Patricia Peixoto. 2 Bimestre Matéria: Redes de Computadores/ Telemática REDES SEM FIO Prof. Esp. Patricia Peixoto 2 Bimestre WIRELESS O termo wireless, significa sem fio, possui alguns sinônimos tais como: Rede sem fio Comunicação

Leia mais

Prof. Aleksander S. Paterno. Disciplina de Processamento digital de sinais SALA E05 Quintas-feiras 8:20-10:20

Prof. Aleksander S. Paterno. Disciplina de Processamento digital de sinais SALA E05 Quintas-feiras 8:20-10:20 Prof. Aleksander S. Paterno Disciplina de Processamento digital de sinais SALA E05 Quintas-feiras 8:20-10:20 PDS-- Salas E05-Graduação 1oSem.2016 Resumo da aula Informações do professor Motivação para

Leia mais

Software de cálculo em Engenharia

Software de cálculo em Engenharia Software de cálculo em Engenharia Que software é utilizado no planeamento de telecomunicações? Autores: Alexandre Valente up201304985; Anistalda Gomes up201305510; Eliseu Pereira up201303855; Fernando

Leia mais

SIMPLIFICANDO A TOPOLOGIA DE REDES ÓPTICAS. Eduardo Mayer Fagundes

SIMPLIFICANDO A TOPOLOGIA DE REDES ÓPTICAS. Eduardo Mayer Fagundes SIMPLIFICANDO A TOPOLOGIA DE REDES ÓPTICAS Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Analisando as topologias dos provedores de telecomunicações observarmos quatro arquiteturas presentes: conexões

Leia mais

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO RUÍDO EM MODULAÇÕES ANALÓGICAS Evelio M. G. Fernández - 2011 Processo Aleatório (ou Estocástico): Função aleatória do tempo para modelar formas de onda desconhecidas. Processos

Leia mais

p.1/48 Eduardo Mendes Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG, Brasil

p.1/48 Eduardo Mendes Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG, Brasil p1/48 Capítulo 4 - Métodos ão Paramétricos Eduardo Mendes Departamento de Engenharia Eletrônica Universidade Federal de Minas Gerais Av Antônio Carlos 27, elo Horizonte, MG, rasil p2/48 Introdução Os métodos

Leia mais

Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência. Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade. Resolução.

Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência. Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade. Resolução. Parâmetros importantes de um Analisador de Espectros: Faixa de frequência Exatidão (frequência e amplitude) Sensibilidade Resolução Distorção Faixa dinâmica Faixa de frequência: Determina as frequências

Leia mais