Realização: Instituto Venture e Ecos da Sardenha

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Realização: Instituto Venture e Ecos da Sardenha"

Transcrição

1 o Fórum Internacional de Resíduos Sólidos Realização: Instituto Venture e Ecos da Sardenha Curitiba PR 12 a 14 de junho de 2017

2 8o Fórum Internacional de Resíduos Sólidos III Intercâmbio de práticas e ferramentas de gestão em organizações de catadores

3 DISTRITO FEDERAL(57 anos): Panorama sobre resíduos Segundo maior lixão ativo do mundo (40 milhões t) Desde década de 60 conta com catadores no local SLU Responsável pela LU e MRS Último concurso servidores SLU em 1990 Toda operação terceirizada Maior renda per capita do Brasil Grande desigualdade social

4

5 Desafios Governador Rollemberg RSU (2015/18) 1- Encerrar as atividades irregulares no lixão; 2 Inaugurar o Aterro Sanitário; 3 Implantar uma coleta seletiva eficiente; 4 - Incorporar os catadores como prestadores de serviços; 5 Universalizar a prestação dos serviços; 6 Modernizar e Reestruturar o SLU.

6 PROCESSO DE TRANSIÇÃO BRASÍLIA DF (2015/2017) 1: PPP do Lixo encerramento contratação do PGIRS 2: Capacitação + envolvimento dos catadores 3: Prioridade de Governo coordenação central 4: Plano de transição AC AS: 17 órgãos GDF + representações catadores 5: Controle social CONLURB 6: Contratação de catadores coleta seletiva + triagem materiais 7: Inauguração do Primeiro Aterro Sanitário da história de Brasília 8: Ampliação da coleta seletiva Infra estrutura + Apoio aos catadores 9: Encerramento das atividades do antigo Lixão 10: Modernização dos serviços (Papa Lixo+Entulho+compostagem)

7 1: ENCERRAMENTO DA PPP DO LIXO DE 2014

8 2: CAPACITAÇÃO + ENVOLVIMENTO DOS CATADORES

9 2: CAPACITAÇÃO + ENVOLVIMENTO DOS CATADORES Votação de representação de 6 organizações catadores do ACJ e eleição de mais 8 representantes da categoria

10 3: PRIORIDADE DO GOVERNO: DECRETO COM 17 ÓRGÃOS

11 4: PLANO TRANSIÇÃO: LIXÃO ATERRO CONTROLADO 6 km cerca e foço (manutenção diária) Instalação 3 entrada e controle entrada e saída Instalação drenos gás e recirculação do chorume Reforma da guarita e balanças Retirada caminhões e caçambas estacionados Melhorias nos acessos internos Estudos contaminação plantações no entorno Ações sociais e rodas de conversas com os catadores Fórum Lixo e Cidadania

12 4: PLANO TRANSIÇÃO: LIXÃO ATERRO CONTROLADO

13 4: PLANO TRANSIÇÃO: LIXÃO ATERRO CONTROLADO Atendimento ACJ (Documentação, saúde integral, primeiros socorros, etc) Melhorias operacionais (cerca, foço, pesagem, acessos) Retirada de rejeitos destinados ao ASB Instalação do Espaço Catador e Banheiros Químicos

14 4: PLANO TRANSIÇÃO: LIXÃO ATERRO CONTROLADO Comunicação constante com os catadores

15 4: PLANO DE TRANSIÇÃO AÇÃO JUNTO AOS CATADORES

16 5: CONTROLE SOCIAL CONLURB Lei nº 660, de 27 de janeiro de Os 1º membros do Conselho de Limpeza Urbana (CONLURB) foram empossados em 2015 no Canteiro de Obras do Aterro Sanitário de Brasília

17 5: CONTROLE SOCIAL INTERNO E EXTERNO Órgãos de fiscalização: CONLURB, ADASA, DP, IBRAM, ICMBIO, MPDFT, TCDF. Compromisso por Brasília - Órgãos Convidados: ABES Associação Brasileira de Eng. Sanitária e Ambiental; ASSEMAE Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento; AIDIS Associação Interamericana de Eng. Sanitária e Ambiental; ISWA Associação Internacional de Resíduos Sólidos; WIEGO Mulheres em Trabalhos Informais: globalizando e organizando.

18 6: Contratação de catadores coleta seletiva + triagem (prestadores de serviços)

19 6: Contratação de catadores mobilização e educação ambiental

20 6: Contratação de catadores mobilização e educação ambiental *Aproveitamento de 76% de materiais recicláveis com coleta feita por cooperativas e de 30% quando feito por empresa.

21 7 INAUGURAÇÃO DO PRIMEIRO ATERRO SANITÁRIO DA CAPITAL (1956/2017)

22 7 INAUGURAÇÃO DO PRIMEIRO ATERRO SANITÁRIO DA CAPITAL

23 8: Ampliação da coleta seletiva+infra estrutura + Apoio catadores Ampliação coleta seletiva (prioridade catadores) 100% das 31 RA (2017) Todo material da coleta seletiva é destinado às organizações de catadores Contratação catadores (prestadores de serviços de: Coleta Seletiva (4 cooperativas) e processamento (9 cooperativas ) Chamadas abertas (processo continuado) opção `(Lei /2007)

24 8 Infraestrutura Instalações Recuperação Resíduos

25 8 Infraestrutura Instalações Recuperação Resíduos

26 9: Encerramento do Lixão da Estrutural - catadores Aluguel temporário e reformas de galpões Construção de galpões Bolsa Agente de Cidadania Ambiental 900/ R$300,00 Bolsa de Compensação financeira 1200/ R$360,00 Bolsa capacitação 1450/ R$330,00 Bolsa Jovem candango 49/R$1.050,00 Contratação col seletiva R$ ,00/equipe mês Contratação triagem R$ 92,00/t

27 9: Encerramento do Lixão da Estrutural - área Estudos para aproveitamento da área Recuperação Ambiental Uso para Área de Processamento de Resíduos da Construção Viabilidade técnica e econômica para usos futuros

28 10: Modernização dos serviços (Papa Entulho+Lixo+Compostagem)

29 10: Modernização dos serviços (Papa Entulho+Lixo+Compostagem)

30 10: Modernização dos serviços (Papa Lixo+Entulho+compostagem) Coleta ponto a ponto para as áreas de difícil acesso com implantação de contêineres subterrâneos (Papa Lixo)

31 10: Modernização dos serviços (Papa Entulho+Lixo+Compostagem)

32 10: Modernização dos serviços (Papa Lixo+Entulho+Compostagem)

33 10: Modernização dos serviços (Papa Lixo+Entulho+Compostagem)

34 Obrigada Heliana Kátia Tavares Campos Diretora Presidente do SLU DF Coordenadora Nacional da Câmara Temática de RS da ABES

35

36 ATIVIDADES MOBILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL Educação ambiental para sensibilização e informação acerca do manejo adequado dos resíduos sólidos; Orientação e conscientização quanto à importância da participação da população na manutenção da limpeza urbana e do descarte adequado dos resíduos.

37 ATIVIDADES ABES Concurso Saneamentonas Escolas Nós Fazemos

38 Teatro (Arte Seletiva) ATIVIDADES Visitas Guiadas Audiências Públicas ASB e PDGIRS Ponto sujo/ponto Convivência Comunitária

39 ATIVIDADES Aproveitamento óleo cozinha ABES Conc. Pinturas boca de lobo Voluntários Estádios

40 ATIVIDADES

41 Brasília Limpa: Sua atitude faz a diferença! Corrida dos Garis Flash Mob Incentivo limpeza vias públicas SLU 24 h fora do ar Miss Gari

42 Brasília limpa: Sua atitude faz a diferença! Beco da quebrada / Beco da Esperança Blocos limpos no Carnaval

43 Brasília limpa: Sua atitude faz a diferença!

44 Imã geladeira da Coleta Seletiva Inclusiva Totem de divulgação de dia e horário de coleta seletiva

45 Obrigada Heliana Kátia Tavares Campos Diretora Presidente do SLU DF Coordenadora Nacional da Câmara Temática de RS da ABES

Campanha: "Brasília Limpa Sua atitude faz a diferença "

Campanha: Brasília Limpa Sua atitude faz a diferença Campanha: "Brasília Limpa Sua atitude faz a diferença " Brasília Limpa: sua atitude faz a diferença O GDF por meio do SLU está realizando uma série de atividades traduzidas em projetos e programas que

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00 20 SEC. DE DESENV. ECO. E TURISMO-VINCULADA 290 FUNDO EST. DE CIENCIA E TECNOLOGIA 12 EDUCACAO 18.440.915 7.869.000 6.071.915 4.500.000 363 ENSINO PROFISSIONAL 11.741.915 5.871.000 5.870.915 1157 EDUCACAO

Leia mais

35.000.000 DISTRITO FEDERAL F 3 2 90 0 300 200.000 F 5 2 90 0 112 5.740.126 F 5 2 90 0 300 19.361.703 F 5 2 90 0 312 9.698.171

35.000.000 DISTRITO FEDERAL F 3 2 90 0 300 200.000 F 5 2 90 0 112 5.740.126 F 5 2 90 0 300 19.361.703 F 5 2 90 0 312 9.698.171 ORGAO : 26000 - MINISTERIO DA EDUCACAO UNIDADE : 26290 - INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANISIO TEIXEIRA ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 1449

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

Exercício: 2013 Data base: 31/12/2013

Exercício: 2013 Data base: 31/12/2013 Prefeitura Municipal de Alvorada Página: 000001 Orgão: 01 CAMARA MUNICIPAL DE VEREADORES 01 LEGISLATIVA 41.087,91 6.600.377,60 0,00 6.641.465,51 01.031 ACAO LEGISLATIVA 41.087,91 5.758.613,76 0,00 5.799.701,67

Leia mais

LOA 2004 - Execução Orçamentária do Órgão: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

LOA 2004 - Execução Orçamentária do Órgão: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa (Cod/Desc) Dotação Inicial Autorizado Empenhado Liquidado R$ 1,00 0068 - ERRADICACAO DO TRABALHO INFANTIL 122.773 122.773 76.000 76.000 76.000 0071 - COMUNIDADE ATIVA 0 0 0 0 0 0073 - COMBATE

Leia mais

TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE 13.779.252 TOTAL - GERAL 13.779.252

TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE 13.779.252 TOTAL - GERAL 13.779.252 UNIDADE : 33101 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL 0087 GESTAO DA POLITICA DE PREVIDENCIA SOCIAL 903.304 09 122 0087 2272 GESTAO E ADMINISTRACAO DO PROGRAMA 903.304 09 122 0087 2272 0001 GESTAO E ADMINISTRACAO

Leia mais

Diagnóstico Analítico da Gestão dos Resíduos Sólidos no Brasil

Diagnóstico Analítico da Gestão dos Resíduos Sólidos no Brasil Diagnóstico Analítico da Gestão dos Resíduos Sólidos no Brasil OPAS - Ministério das Cidades Realização: Água e Vida Confiabilidade das Informações * Terminologia adotada * Informações técnicas * Qualidade

Leia mais

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC /SG/PR EXPERIÊNCIAS DA COLETA SELETIVA E SUBSÍDUOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA PNRS. SÃO

Leia mais

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Ordinario Vinculado Total

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Ordinario Vinculado Total 01.000.0000 Legislativa 55.548.990,00 55.548.990,00 01.031.0000 Acao Legislativa 55.544.400,00 55.544.400,00 01.031.0010 Prover a Camara Municipal de 16.350.000,00 16.350.000,00 infra-estrutura fisica

Leia mais

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Cláudia Lins Consultora Ambiental Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS fixou obrigações para União, Estados e

Leia mais

PLANO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 2013 A 2016. CANDIDATO A PREFEITO JOSÉ OTAVIO CHIAPATI RIGIERI TAVINHO

PLANO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 2013 A 2016. CANDIDATO A PREFEITO JOSÉ OTAVIO CHIAPATI RIGIERI TAVINHO PLANO DE GOVERNO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 2013 A 2016. CANDIDATO A PREFEITO JOSÉ OTAVIO CHIAPATI RIGIERI TAVINHO CANDIDATO A VICE-PREFEITO DENZIL JUNIO DA COSTA SAÚDE - Manter

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL E O PROJETO DE LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL E O PROJETO DE LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ISWA 2005 - Hacia un sistema integral de residuos solidos urbanos Buenos Aires Argentina GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL E O PROJETO DE LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Victor Zular Zveibil

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 68.062.776 AT I V I D A D E S

CREDITO SUPLEMENTAR 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 68.062.776 AT I V I D A D E S ORGAO : 33000 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL UNIDADE : 33201 - INSTITUTO NACIO DO SEGURO SOCIAL 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 68.062.776 09 271 0083 2A57 REMUNERACAO DOS SERVICOS POSTAIS 38.000.000

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente Abril 2013 COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Criada em 23 de janeiro de 1963, a Companhia de Saneamento do Paraná

Leia mais

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e Propostas 2013-2016 Coligacao Uma Cidade Forte se Constr6i corn Uniao Candidato: Prefeito Claudia Viveani de Moraes - Vice Prefeito Antonio Jose de Lima Geracao de Emprego e Renda Continuacao com a Politica

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN Allyson Leandro Bezerra Silva (*), Paulo Alexandre da Rocha Morais. * UFERSA, Universidade Federal Rural do Semi-Árido Campus

Leia mais

Agili Softwares para Area Publica

Agili Softwares para Area Publica ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER ÓRGÃO: 01 CAMARA MUNICIPAL UNIDADE: 001 CAMARA MUNICIPAL PROGRAMA: 0001 ACAO DO LEGISLATIVO 2001 Manutencao das Atividades da Camara Meta Física 144,00

Leia mais

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total Orgao...: 10 CAMARA LEGISLATIVA DE MACAE Unidade Orcamentaria: 10.01 Plenario da Camara 01.000.0000.0.000.000 Legislativa 6.000.000,00 6.000.000,00 01.031.0000.0.000.000 Acao Legislativa 6.000.000,00 6.000.000,00

Leia mais

Inovações e Desafios para a Democratização dos Serviços de Saneamento

Inovações e Desafios para a Democratização dos Serviços de Saneamento PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL Inovações e Desafios para a Democratização dos Serviços de Saneamento Universalização e regulação dos serviços públicos de saneamento básico Eng. Marcos Helano Montenegro

Leia mais

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado.

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. Ribeirão Preto, 08 de junho de 2011 Semana do Meio Ambiente AEAARP Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto

Leia mais

Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos. São Paulo, 15/10/2012

Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos. São Paulo, 15/10/2012 Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos São Paulo, 15/10/2012 Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto

Leia mais

Produtos/Unidades de Medidas das Ações - 15.000 4.350 34.492 1.020 23.472 10.000 - 233.865.819 130.644.995 42.000.957 163.089 3.099.937 38.737.

Produtos/Unidades de Medidas das Ações - 15.000 4.350 34.492 1.020 23.472 10.000 - 233.865.819 130.644.995 42.000.957 163.089 3.099.937 38.737. RELATÓRIO SIMPLIFICADO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA - 2º QUADRIMESTRE DE 2011 [Art. 17, 1º, inciso IV da Lei 12.309, de 9 de agosto de 2010 - LDO/2011] Orçamento Fiscal e da Seguridade Social - Ministério Público

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

Edital MCT/CNPq/CT-Agro/CT-Hidro nº 018/2005

Edital MCT/CNPq/CT-Agro/CT-Hidro nº 018/2005 Edital MCT/CNPq/CT-Agro/CT-Hidro nº 018/2005 Resultado da Seleção Pública de Propostas para Apoio a Projetos de Tecnologias Sociais para Inclusão Social dos Catadores de Materiais Recicláveis Comitê Temático

Leia mais

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Natal Área 170,298

Leia mais

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS A atuação do TCE-RS. Arq. Andrea Mallmann Couto Eng. Flavia Burmeister Martins

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS A atuação do TCE-RS. Arq. Andrea Mallmann Couto Eng. Flavia Burmeister Martins PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS A atuação do TCE-RS Arq. Andrea Mallmann Couto Eng. Flavia Burmeister Martins BASE LEGAL Lei Federal 11.445/2007 e Decreto 7.217/2010 Lei Federal

Leia mais

LOA 2005 - Execução Orçamentária do Órgão: MINISTÉRIO DA CULTURA

LOA 2005 - Execução Orçamentária do Órgão: MINISTÉRIO DA CULTURA Programa (Cod/Desc) Dotação Inicial Autorizado Empenhado Liquidado 0089 - PREVIDENCIA DE INATIVOS E PENSIONISTAS DA UNIAO 46.060.144 46.373.018 45.738.314 41.348.841 41.348.841 0167 - BRASIL PATRIMONIO

Leia mais

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo

Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Em 20 anos, Brasil poderá gerar 280 MW de energia do lixo Fabíola Ortiz - 28/02/13 Potencial de produção de energia vinda dos aterros pode dobrar em 20 anos, se a lei de resíduos sólidos for cumprida.

Leia mais

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal 01.000.0000.0.000.000 Legislativa 2.159.894,63 2.159.894,63 01.031.0000.0.000.000 Acao Legislativa 2.159.894,63 2.159.894,63 01.031.0001.0.000.000

Leia mais

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF HISTÓRIA DO APL Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007 Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF Instituições do setor produtivo que constituiu o APL ASCOLES;CENTCOOP

Leia mais

Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Situação e Perspectivas. Odair Luiz Segantini ABRELPE

Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Situação e Perspectivas. Odair Luiz Segantini ABRELPE Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Situação e Perspectivas Odair Luiz Segantini ABRELPE Introdução A ABRELPE ABRELPE Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, fundada

Leia mais

A lei na prática. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo. Cooperativas de catadores

A lei na prática. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo. Cooperativas de catadores Política Nacional de Resíduos Sólidos Cooperativas de catadores A lei na prática Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo Em vigor desde agosto de 2010, a nova lei sobre resíduos urbanos

Leia mais

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 10 CAMARA MUNICIPAL DE MACAE Unidade Orcamentaria: 10.01 Plenario da Camara

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 10 CAMARA MUNICIPAL DE MACAE Unidade Orcamentaria: 10.01 Plenario da Camara Orgao...: 10 CAMARA MUNICIPAL DE MACAE Unidade Orcamentaria: 10.01 Plenario da Camara 01.000.0000.0.000.000 Legislativa 600.000,00 2.200.000,00 2.800.000,00 01.031.0000.0.000.000 Acao Legislativa 600.000,00

Leia mais

Parceria Público Privada Serviços de Coleta e Destinação Final de Resíduos Sólidos

Parceria Público Privada Serviços de Coleta e Destinação Final de Resíduos Sólidos Parceria Público Privada Serviços de Coleta e Destinação Final de Resíduos Sólidos O que é uma PPP? Parceria entre a Administração Pública e a Iniciativa Privada, onde o Parceiro Privado projeta, financia,

Leia mais

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e logística reversa Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Relatório da Pesquisa Pagamento por Serviços Ambientais

Leia mais

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total Estado do Parana Programa de Trabalho Folha: 1 Orgao...: 02 GOVERNO MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 02.01 GABINETE DO PREFEITO 04.000.0000.0.000.000 Administracao 31.191,67 31.191,67 04.122.0000.0.000.000

Leia mais

F 4 2 90 0 100 2.800.000 TOTAL - FISCAL 2.800.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 2.800.000

F 4 2 90 0 100 2.800.000 TOTAL - FISCAL 2.800.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 2.800.000 ORGAO : 03000 - TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIAO UNIDADE : 03101 - TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIAO ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0550 CONTROLE EXTERNO 2.800.000

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

01 Legislativa. 031 Acao Legislativa. 0135 Gestao Administrativa do Poder Legi 0136 Gestao Legislativa 0289 Recuperacao de Localidades Atingida

01 Legislativa. 031 Acao Legislativa. 0135 Gestao Administrativa do Poder Legi 0136 Gestao Legislativa 0289 Recuperacao de Localidades Atingida CLASSIFICACAO FUNCIONAL-PROGRAMATICA: CODIGO E ESTRUTURA ANEXO 05 DA LEI 4.320/64 10/03/2015 FOLHA: 1 01 Legislativa 02 Judiciaria 03 Essencial a Justica 04 Administracao 031 Acao Legislativa 032 Controle

Leia mais

1.000.000 NACIONAL F 4 2 90 0 100 1.000.000 TOTAL - FISCAL 1.000.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 1.000.000

1.000.000 NACIONAL F 4 2 90 0 100 1.000.000 TOTAL - FISCAL 1.000.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 1.000.000 ORGAO : 12000 - JUSTICA FEDERAL UNIDADE : 12101 - JUSTICA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU 0569 PRESTACAO JURISDICIONAL NA JUSTICA FEDERAL 1.000.000 02 061 0569 4257 JULGAMENTO DE CAUSAS NA JUSTICA FEDERAL 1.000.000

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

Site Terra, 05 de Junho de 2013

Site Terra, 05 de Junho de 2013 Site Terra, 05 de Junho de 2013 Mesmo com data para acabar, lixões subsistem no Brasil. Mais da metade dos municípios brasileiros não impõe a destinação adequada ao lixo. Assim, cerca de 75 mil toneladas

Leia mais

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO Joana Fidelis da Paixão (*), Esaú Alisson Sousa Santos, Lizza Adrielle Nascimento Santos * Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

TRATAMENTO MECÂNICO BIOLÓGICO PARA VALORIZAÇÃO DE RSU: CASO DE SUCESSO EM BRASÍLIA / DF

TRATAMENTO MECÂNICO BIOLÓGICO PARA VALORIZAÇÃO DE RSU: CASO DE SUCESSO EM BRASÍLIA / DF TRATAMENTO MECÂNICO BIOLÓGICO PARA VALORIZAÇÃO DE RSU: CASO DE SUCESSO EM BRASÍLIA / DF Engº Gilson Mansur Realização: VALOR AMBIENTAL Ltda. Fundada em 2004 Atuação: execução de atividades de coleta (domiciliar,

Leia mais

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SETEMBRO, 2014 INSTRUMENTOS LEGAIS RELACIONADOS À CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA E DO PLANO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei n. 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total 01.000.0000 Legislativa 300.000,00 3.280.900,00 3.580.900,00 01.031.0000 Acao Legislativa 300.000,00 3.280.900,00 3.580.900,00 01.031.0001 Dotar a Camara Municipal com moveis e 300.000,00 275.000,00 575.000,00

Leia mais

Desafios na Implementação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Ricardo S. Coutinho Eng. Sanitarista e Ambiental Técnico Pericial Ambiental do MP-GO

Desafios na Implementação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Ricardo S. Coutinho Eng. Sanitarista e Ambiental Técnico Pericial Ambiental do MP-GO Desafios na Implementação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos Ricardo S. Coutinho Eng. Sanitarista e Ambiental Técnico Pericial Ambiental do MP-GO Introdução O Plano Nacional de Resíduos Sólidos é um

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000184 - SISTEMAS DE INFORMACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS CENTRO CULTURAL CARMÉLIA MARIA DE SOUZA - TEATRO CARMÉLIA Responsável: Antônio Carlos Carvalho Fundação: 2010 Telefone: (27) 3132-8372 Endereço: Rua Eng Manoel Passos de Barros, s/n Bairro: Mário Cypreste

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS Renata Soares Pinto (*), Washington Luiz Nunes Apolinário, Carlos Fernando Lemos, Denise

Leia mais

POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ

POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ JBRJ POLÍTICA E PLANO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - RJ Victor Zveibil Superintendente de Políticas de Saneamento SUPS/SEA outubro de 2013 O PACTO PELO SANEAMENTO - decreto estadual 42.930/11 SUBPROGRAMA

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Gestão Sustentável de Resíduos Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Belo Horizonte / MG VENDA NOVA NORTE PAMPULHA NORDESTE NOROESTE LESTE OESTE CENTRO-SUL BARREIRO População: 2.350.564 (IBGE 2004)

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000407 - REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00

CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 UNIDADE : 25101 - MINISTERIO DA FAZENDA 0681 GESTAO DA PARTICIPACAO EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS 5 9. 11 5 04 212 0681 0368 CONTRIBUICAO AO GRUPO DE ACAO FINANCEIRA CON- 59. 115 TRA A LAVAGEM DE DINHEIRO

Leia mais

Principais ações desenvolvidas pela empresa

Principais ações desenvolvidas pela empresa AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DESENVOLVIDAS PELA JCGONTIJO Principais ações desenvolvidas pela empresa 1. Re- uso de água 2. Adoção de tecnologias limpas em seus produtos 3. Financiamento de planos

Leia mais

Anexo 07. Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa

Anexo 07. Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa Anexo 07 Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa DEMONSTRATIVO DA DESPESA DO ESTADO DISCRIMINADA A NIVEL DE PROGRAMA ANEXO 07 DA LEI 4.320/64 FOLHA: 1 01 LEGISLATIVA 1.052.751,74

Leia mais

Plano de Saneamento Regional e Municipais

Plano de Saneamento Regional e Municipais 3º Seminário Internacional de Saneamento e 1ª Conferência Regional dos Planos de Saneamento do Consórcio Pró-Sinos Plano de Saneamento Regional e Municipais FEEVALE Novo Hamburgo 02 e 03/12/2013 Resíduos

Leia mais

1º SEMINÁRIO DESAFIOS DO SANEAMENTO ASSEMAE RS

1º SEMINÁRIO DESAFIOS DO SANEAMENTO ASSEMAE RS 1º SEMINÁRIO DESAFIOS DO SANEAMENTO ASSEMAE RS A sustentabilidade e a integração prática das diferentes modalidades do saneamento: água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos Porto Alegre, 01 de dezembro

Leia mais

A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. Quanto à origem Sujeitos à lei

A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. Quanto à origem Sujeitos à lei A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. A política Nacional de resíduos sólidos é muito importante na história do gerenciamento de

Leia mais

PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU

PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU PLANEJAMENTO DA GESTÃO DE RSU copyright A criatividade com visão de longo prazo Planejamento da Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos 27/08/2015 1 SUMÁRIO 1 ENQUADRAMENTO LEGAL 2 PLANO DE GESTÃO INTEGRADA

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000654 - TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

2.000.000 DE MATERIAIS DA CAMARA DOS DEPUTADOS, NO SETOR DE INDUSTRIA E ABASTECIMENTO - SIA F 3 2 80 0 100 1.500 TOTAL - FISCAL 2.001.

2.000.000 DE MATERIAIS DA CAMARA DOS DEPUTADOS, NO SETOR DE INDUSTRIA E ABASTECIMENTO - SIA F 3 2 80 0 100 1.500 TOTAL - FISCAL 2.001. ORGAO : 01000 - CAMARA DOS DEPUTADOS UNIDADE : 01101 - CAMARA DOS DEPUTADOS ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0553 ATUACAO LEGISLATIVA DA CAMARA DOS DEPUTADOS 2.000.000

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Incentivo à compostagem como estratégia de aumento da reciclagem de resíduos orgânicos: aspectos regulatórios

Incentivo à compostagem como estratégia de aumento da reciclagem de resíduos orgânicos: aspectos regulatórios Incentivo à compostagem como estratégia de aumento da reciclagem de resíduos orgânicos: aspectos regulatórios Lúcio Costa Proença Analista Ambiental Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Ministério

Leia mais

SITUAÇÃO DA GESTÃO E TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA REGIÃO CENTRO OESTE

SITUAÇÃO DA GESTÃO E TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA REGIÃO CENTRO OESTE ANÁLISE DAS DIVERSAS TECNOLÓGICAS DE TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL, EUROPA, ESTADOS UNIDOS E JAPÃO SITUAÇÃO DA GESTÃO E TRATAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA REGIÃO CENTRO

Leia mais

SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH

SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH Júlio Eymard Werneck Costa Graduando em Engenharia Civil pela UFMG. Bolsista de iniciação científica. Tainá Ulhoa

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E ORGAO : 44000 - MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE UNIDADE : 44101 - MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) 0681 GESTAO DA PARTICIPACAO EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS 500000 OPERACOES

Leia mais

FÓRUM LIXO&CIDADANIA: extemporâneo face a PNRS?

FÓRUM LIXO&CIDADANIA: extemporâneo face a PNRS? ---------------------------------------- FÓRUM LIXO&CIDADANIA: extemporâneo face a PNRS? Emília Wanda Rutkowski a motivação inicial Diário de Pernambuco, 16.04.1994. 1998 PARCEIROS [17] * ABES - Associação

Leia mais

7.000 MUNICIPIO DE SANTA ROSA DO PURUS - AC F 4 2 90 0 100 7.000 TOTAL - FISCAL 7.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 7.000

7.000 MUNICIPIO DE SANTA ROSA DO PURUS - AC F 4 2 90 0 100 7.000 TOTAL - FISCAL 7.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 7.000 UNIDADE : 14102 - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ACRE 0570 GESTAO DO PROCESSO ELEITORAL 7.000 02 122 0570 5439 CONSTRUCAO DE CARTORIOS ELEITORAIS 7.000 02 122 0570 5439 5411 CONSTRUCAO DE CARTORIOS ELEITORAIS

Leia mais

INESC- INSTITUTO DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 04/2016 CONVÊNIO 007/2014 SEDEST/INESC

INESC- INSTITUTO DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 04/2016 CONVÊNIO 007/2014 SEDEST/INESC INESC- INSTITUTO DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 04/2016 CONVÊNIO 007/2014 SEDEST/INESC PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA O Instituto de Estudos Socioeconômicos INESC,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO.

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. Tainá Teixeira Furtado*; Pamela Hélia de Oliveira; Ariane Borges de

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO ATERRO SANITÁRIO DE TIMON, MA

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO ATERRO SANITÁRIO DE TIMON, MA DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO ATERRO SANITÁRIO DE TIMON, MA Sousa, N. D. C. (1) ; Saraiva, L. S. (2) ; Sena, R. S. (3) ; Silva, B. C. (4) ; Santos, L. B. (5) ; Melo, L. F. S. (4) nayaradannielle@gmail.com (1)

Leia mais

PRESTACAO DE CONTAS DO PERIODO 01/01/2009 A 30/06/2009 ENCERRAMENTO GESTÃO DE DIRETORIA TOTAL DISPONIBILIDADES EXERCICIO ATUAL

PRESTACAO DE CONTAS DO PERIODO 01/01/2009 A 30/06/2009 ENCERRAMENTO GESTÃO DE DIRETORIA TOTAL DISPONIBILIDADES EXERCICIO ATUAL ABES-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITARIA E AMBIENTAL-SEÇÃO RS Emissão: 30/06/2009 CNPJ: 33.945.015/0003-43 Período: 01/01/2009 a 30/06/2009 Processado por: Posser Consultores S/C Ltda PRESTACAO

Leia mais

Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões em Aterros de Resíduos Sólidos

Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões em Aterros de Resíduos Sólidos MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Qualidade Ambiental nos Assentamento Humanos MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Projeto para Aplicação de MDL na Redução de Emissões

Leia mais

MORUNGABA. Conferências Municipais de Resíduos Sólidos - Planejamento

MORUNGABA. Conferências Municipais de Resíduos Sólidos - Planejamento MORUNGABA Aspectos Gerais - Morungaba CISBRA Relação Populacional Morungaba x CISBRA 4% dos habitantes do CISBRA 4% da pop. urbana do CISBRA 3% da pop. rural do CISBRA Área CISBRA 2.576,553 km² Morungaba

Leia mais

Pinhalzinho. Conferências Municipais de Resíduos Sólidos - Planejamento

Pinhalzinho. Conferências Municipais de Resíduos Sólidos - Planejamento Pinhalzinho Aspectos Gerais Pinhalzinho Relação Pinhalzinho x CISBRA 5% dos habitantes do CISBRA 3% da pop. urbana do CISBRA 12% da pop. rural do CISBRA CISBRA Área CISBRA 2.576,553 km² Pinhalzinho 154,531

Leia mais

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Caro, candidato(a) à prefeito(a), após mais de 20 anos de tramitação

Leia mais

Prof. Eugênio Batista Leite eugeniobl@pucminas.br 031 99735761

Prof. Eugênio Batista Leite eugeniobl@pucminas.br 031 99735761 XI Congresso de Ecologia do Brasil e IV Seminário de Sustentabilidade na Universidade - A incorporação da sustentabilidade socioambiental na gestão e planejamento territorial do campus universitário. PUC

Leia mais

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções

Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções Renato Teixeira Brandão Diretor de Gestão de Resíduos Fundação Estadual do Meio Ambiente Políticas de Resíduos Sólidos Política Estadual de

Leia mais

Seminário Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos

Seminário Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos Seminário Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos NOVEMBRO/2010 Programas do Governo Federal operacionalizados pela CAIXA relacionados a Resíduos Sólidos Urbanos Mara Botelho Ulhoa Regional de

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Reflexos imediatos para os municípios. 10 Fórum de Saneamento e Meio Ambiente

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Reflexos imediatos para os municípios. 10 Fórum de Saneamento e Meio Ambiente POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Reflexos imediatos para os municípios 10 Fórum de Saneamento Estímulo à demanda por novos objetos Inviabilização do uso prolongado dos objetos É uma

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E ORGAO : 24000 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA UNIDADE : 24101 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) 0461 PROMOCAO DA PESQUISA E DO DESENVOLVIMENTO CIENTIFICO

Leia mais

F 3 2 90 0 100 150.000 F 4 2 30 0 100 21.500.000 TOTAL - FISCAL 21.650.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 21.650.000

F 3 2 90 0 100 150.000 F 4 2 30 0 100 21.500.000 TOTAL - FISCAL 21.650.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 21.650.000 ORGAO : 30000 - MINISTERIO DA JUSTICA UNIDADE : 30101 - MINISTERIO DA JUSTICA 0698 GESTAO E APOIO INSTITUCIONAL NA AREA DA JUSTICA 150.000 14 128 0698 4572 CAPACITACAO DE SERVIDORES PUBLICOS FEDERAIS EM

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0021 - OPERACAO

Leia mais

I-048 - ALTERNATIVAS PARA A GESTÃO E O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE/CE

I-048 - ALTERNATIVAS PARA A GESTÃO E O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE/CE I-048 - ALTERNATIVAS PARA A GESTÃO E O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE/CE Rebeca Silva de Oliveira (1) Graduanda do Curso Tecnologia em Saneamento Ambiental no Instituto

Leia mais

8.504.930 PROJETOS DE INCLUSAO DIGITAL 8.504.930 DE INCLUSAO DIGITAL - NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO F 4 2 30 0 100 8.504.930 TOTAL - FISCAL 9.904.

8.504.930 PROJETOS DE INCLUSAO DIGITAL 8.504.930 DE INCLUSAO DIGITAL - NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO F 4 2 30 0 100 8.504.930 TOTAL - FISCAL 9.904. ORGAO : 24000 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA UNIDADE : 24101 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA 0750 APOIO ADMINISTRATIVO 1.400.024 19 122 0750 2000 ADMINISTRACAO DA UNIDADE 1.400.024 19 122 0750

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE Política Nacional de Resíduos Sólidos Pernambuco - PE Desafios 1. Eliminar lixões 2. Eliminar aterro controlado 3. Implantar aterro sanitário 4. Coleta seletiva 5. Compostagem e 6. Logística reversa Legenda

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE ALIANCA DO TOCANTINS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RELAÇÃO DE EMPENHOS - 01/11/2014 A 30/11/2014

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE ALIANCA DO TOCANTINS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RELAÇÃO DE EMPENHOS - 01/11/2014 A 30/11/2014 00321-08.244.0011.2037.319011 0101 432 25/11/2014 427 8.791,66 8.791,66 00321-08.244.0011.2037.319011 0101 433 25/11/2014 428 9.611,32 00321-08.244.0011.2037.319011 0101 434 25/11/2014 429 7.312,00 9.611,32

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

Tecnologia para tratamento e disposição final de resíduos sólidos Aterro Sanitário

Tecnologia para tratamento e disposição final de resíduos sólidos Aterro Sanitário Tecnologia para tratamento e disposição final de resíduos sólidos Aterro Sanitário Engª MSc. Thelma Sumie Kamiji Junho/2014 GERAÇÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL EOLUÇÃO DO IDH BRASILEIRO DESTINAÇÃO FINAL ATERRO

Leia mais

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo DEPARTAMENTO DE LIMPEZA URBANA LIMPURB ATRIBUIÇÕES DO LIMPURB LIMPURB E ATRIBUIÇÕES TÉCNICAS LEI

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

ORGAO : 25000 - MINISTERIO DA FAZENDA UNIDADE : 25208 - SUPERINTENDENCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROGRAMA/ACAO/SUBTIT ULO/PRODUTO

ORGAO : 25000 - MINISTERIO DA FAZENDA UNIDADE : 25208 - SUPERINTENDENCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROGRAMA/ACAO/SUBTIT ULO/PRODUTO ORGAO : 250 - MINISTERIO DA FAZENDA UNIDADE : 25208 - SUPERINTENDENCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO I (SUPLEMENTACAO) PROGRAMATIC A PROGRAMA/ACAO/SUBTIT 0681 GESTAO DA PARTICIPACAO EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS

Leia mais

PROGRAMA DE TRABALHO RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 TOTAL - GERAL 4.000.000

PROGRAMA DE TRABALHO RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 TOTAL - GERAL 4.000.000 1062 DESENVOLVIMENTO DA EDUCACAO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA 12 363 1062 2E13 REFORMA E MODERNIZACAO DE INFRA-ESTRUTURA FI- NOLOGICA 12 363 1062 2E13 0139 REFORMA E MODERNIZACAO DE INFRA-ESTRUTURA FI- NOLOGICA

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO Série de procedimentos destinados a reduzir a quantidade ou o potencial poluidor dos

Leia mais