MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA"

Transcrição

1 MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço Autônomo de Água e Esgoto SAAE de Alagoinhas-Bahia. Graziane de Jesus Santos Assistente Social (UCSAL), Assistente Social do Serviço Autônomo de Água e Esgoto SAAE de Alagoinhas-Bahia Endereço (1) : Largo da Independência S/N - Centro, CEP , Alagoinhas - Bahia; Tel.: (75) ; Palavras-chave: Reciclagem, Resíduos Sólidos, geração de renda 1

2 MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA INTRODUÇÃO Fundamentalmente, a necessidade de se buscar o melhor gerenciamento dos resíduos sólidos gerados no mundo se torna imperativo, em função de garantir a sobrevivência dos recursos naturais que ainda nos resta. A produção de lixo é cada vez maior, seja com o aumento da população ou com o surgimento de novas tecnologias, ocasionando com isso, o crescimento dos custos na busca da melhor forma de tratamento destes. Dessa forma, com o intuito de minimizar os danos à saúde dos nossos rios, ar, solo, economia e conseqüentemente da população humana, é que se almeja uma gestão de resíduos viável, haja vista o quanto se é disponibilizado pelos governos apenas para a coleta e o transporte. Para tanto, com o objetivo de instigar governos municipais, estaduais, ong s, instituições ambientais, pessoas envolvidas com as causas afins a refletirem e viabilizarem a melhor forma de beneficiamento e reaproveitamento de determinados resíduos, que possa contemplar os chamados catadores, que há muito já vem contribuindo para diminuir os danos causados com descartes aleatórios, surgiu a necessidade de colocar em prática o Projeto Meu negócio é Reciclagem, gerando trabalho e renda aos catadores do Município de Alagoinhas, através da organização da atividade da catação do componente reciclável do lixo. O desemprego estrutural, a economia informal e a precarização do trabalho, aliado a má distribuição de renda, devem continuar gerando uma grande massa de trabalhadores que necessitam de políticas alternativas de geração de renda. 2

3 A maioria dos municípios brasileiros, desperdiça grandes oportunidades de diminuir consideravelmente os problemas ambientais provocados pela destinação do lixo urbano, e, ao mesmo tempo, perdendo com isso condições favoráveis de transformar resíduos em recursos. A geração de resíduos sólidos urbanos no Brasil está próxima de ton/dia, com cerca de 60 a 70% ainda sendo destinada a lixões. Este aspecto influi diretamente na questão da disposição final em aterros. O alto índice de geração de resíduos orgânicos pode ser em parte explicado pela ausência de utilização de embalagens adequadas para diversos produtos, principalmente na etapa de distribuição, além de uma cultura de desperdício. O benefício que os catadores de rua trazem para a limpeza urbana é muito significativo, porém passa despercebido. A catação em lixão é uma opção para milhares de brasileiros estima-se hoje que mais de pessoas estejam vivendo da catação nas ruas. Este aspecto permite concluir que não é possível simplesmente copiar modelos de coleta seletiva de outros países, como por exemplo da Europa Ocidental, Estados Unidos e Japão. Faz-se necessário desenvolver metodologias próprias que deverão variar em cada região do país. Da totalidade dos municípios brasileiros, apenas 451 mantêm programas de coleta seletiva, porém, não contam com estruturas administrativas que permitam implantar e gerenciar corretamente o destino final dos resíduos urbanos produzidos. Baseados na afirmativa, a cidade de Alagoinhas está inserida no contexto acima descrito, visto que foi identificado pela Secretaria de Assistência Social do Município a existência de 136 famílias sobrevivendo da catação dos componentes recicláveis do lixo. Logo, faz-se necessário a busca de alternativas que envolvam sociedade civil e poder público para encontrar soluções e possibilidades concretas com o objetivo de vencer o grande abismo que separa os excluídos de nossa sociedade. 3

4 METODOLOGIA A metodologia empregada visa a participação dos beneficiários no processo de desenvolvimento do Projeto, levando em consideração sua visão de mundo e sua maneira de interagir com o meio, possibilitando sua intervenção na transformação da realidade vivenciada. De início foi realizado o cadastramento dos catadores fortalecendo a idéia de necessidade de estruturação de grupos através da absorção de alguns deles em cursos de formação e a participação em eventos municipais para catarem latinhas de alumínio. ( V. Figura 1 ). Figura 1.Visita Técnica aos catadores Diante da necessidade apresentada pelos catadores no que se refere a organização do trabalho de catação de material reciclável, o grupo tem recebido apoio da Prefeitura para a inserção de catador enquanto profissional. Será realizado amplo planejamento, abrangendo os pontos específicos em relação a atividade do catador: Preparo do material de divulgação; busca de parceiros; 4

5 reuniões com associações de bairros, associação comercial de Alagoinhas, entidades e escolas no sentido da contribuição com o incentivo ao trabalho do catador; construção do galpão de triagem e armazenamento com 500m²; efetivação de cursos de capacitação para os catadores, incluindo cursos de Associativismo e Cooperativismo, em parceria com o SEBRAE: monitoramento e avaliação das ações. RESULTADOS O Projeto Meu Negócio é Reciclagem foi implantado no Município em agosto de 2001, com o objetivo de organizar a atividade de catação dos componentes recicláveis do lixo, porém os catadores eram limitados á participação em eventos festivos da cidade, a exemplo da micareta, comemoração de 07 de Setembro e feiras agropecuárias, sob a orientação de uma Assistente Social da Secretaria Municipal de Assistência Social. A partir de fevereiro de 2004, o Projeto ganhou uma nova dimensão, pois através do governo municipal, os catadores tiveram oportunidade de participar do 1º Encontro Estadual de Catadores em Salvador, na sede do PANGEA (Organização Não Governamental que tem por objetivo assessorar a associações/cooperativas de catadores da Bahia), quando duas catadoras de Alagoinhas foram escolhidas para fazer parte da Comissão Estadual de Catadores da Bahia, oportunizando aos catadores do Município a inclusão no Movimento Nacional de Catadores. Desde então, puderam participar de cursos de cooperativismo, empreendedorismo, Encontros Estaduais e Nacional realizado em Belo Horizonte, organizado pelo Fórum Lixo e Cidadania. Hoje, o grupo está se constituindo em Cooperativa e já estão trabalhando em ritmo de cooperados, em espaço cedido pala Prefeitura, contando com o apoio de algumas empresas e comércio local na disposição do material reciclável e patrocínio de equipamentos. ( V. Figuras 2 e 3 ) 5

6 Figura 2. Material reciclável antes da seleção Figura 3. Galpão cedido pela Prefeitura O grupo está organizado com 38 catadores, com 70% de mulheres, as quais são chefes de família e vivem da renda arrecadada desta atividade. Possuem baixo nível de escolaridade e residem em péssimas condições de habitabilidade. Atualmente cada catador está perfazendo uma renda mensal equivalente a R$ 200,00 (duzentos reais), através da venda do material coletado. De acordo com o texto do II Plano Nacional de Desenvolvimento, o desenvolvimento Comunitário passou a ser visto como processo pelo qual os responsáveis locais são induzidos, por equipe técnica, a escolherem alternativas de desenvolvimento mutuamente coerentes e que se integram nas diretrizes emanadas das instâncias superiores do Governo. (AMMANN, 1981, p.148). É neste contexto que a dimensão comunitária do desenvolvimento se revela em toda a sua importância. Faz-se necessário, que as pessoas reconstruam sua identidade em torno do seu território, em torno de seu projeto. A partir disso, podemos destacar características inovadoras no Projeto Meu Negocio é Reciclagem, onde pessoas foram retiradas da invasão do aterro sanitário com uma proposta de reciclagem de latas em eventos no município de Alagoinhas. Foram cadastrados inicialmente 150 catadores de lixo, que a partir daí passaram a se reunir em torno de objetivos comuns para o alcance das metas por eles definidas, 6

7 onde através da organização comunitária, os catadores estão inseridos no Programa Crédito Solidário, uma parceria da Prefeitura Municipal de Alagoinhas com a Caixa Econômica Federal para a construção de 40 unidades habitacionais para os cooperados e seus familiares. CONCLUSÃO Diante de uma política de geração de trabalho e renda no município, a execução do Projeto de direcionar-se para até o final de 2006, oportunizando a triagem através de equipamentos apropriados, visto que durante os anos anteriores esse processo vem sendo manual. A continuação se dará também no sentido do aperfeiçoamento nas atividades por eles desenvolvidas a fim de se tornarem produtores de reciclados, pois a Central de Triagem também poderá incluir nos anos posteriores, instalações para a reciclagem no seu sentido amplo. Fato que depende da implantação do Programa de Coleta Seletiva no Município, vez que esse tipo de serviço incentiva a indústria de reciclagem oferecendo matéria prima a preços menores. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 1- AMMANN, Safira Bezerra. Ideologia do Desenvolvimento Comunitário no Brasil. São Paulo, Cortez,

8 8

9 9

Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade

Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade SEMINÁRIO Reciclagem e Valorização de Resíduos Sólidos - Meio Ambiente e Sustentabilidade Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais 27 de maio de

Leia mais

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis O Centro Mineiro de Referência em Resíduos Criado em Junho de 2007, é uma iniciativa

Leia mais

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10

Leia mais

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG.

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. (Projeto InterAção) Introdução Com a tendência de um crescimento mundial da população, gerando um desenvolvimento industrial

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA CONDER E A PARCERIA COM O COMPLEXO COOPERATIVO DE RECICLAGEM DA BAHIA

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA CONDER E A PARCERIA COM O COMPLEXO COOPERATIVO DE RECICLAGEM DA BAHIA RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DA CONDER E A PARCERIA COM O COMPLEXO COOPERATIVO DE RECICLAGEM DA BAHIA Responsabilidade Social Trata-se de um processo... relacionado a questões específicas de tempo e

Leia mais

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DOS CATADORES DE PAPEL NO COMÉRCIO DE FEIRA DE SANTANA -BA AUTORES: Celso Luiz P. da Silva, Clairton Batista Vieira, Gilmar Matias P. Júnior, Wilson Dourado Lima, Maria de Fátima

Leia mais

Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público

Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público Os Catadores de Materiais Recicláveis e a atuação do Ministério Público Promotora Marina Brandão Póvoa Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais Criação

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

III-053 - PET PÓS-CONSUMO: UMA PROPOSTA DE INCLUSÃO SOCIAL

III-053 - PET PÓS-CONSUMO: UMA PROPOSTA DE INCLUSÃO SOCIAL 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina III-053 - PET PÓS-CONSUMO: UMA PROPOSTA DE INCLUSÃO SOCIAL Maria de Fátima Nunesmaia(1)

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas

SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE Propostas aprovadas 1 SEMINARIO PRÓ-CATADOR DO ESTADO DO ACRE ENCERRAMENTO DOS LIXÕES E A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DAS CATADORAS E DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 30 de outubro de 2014 Palácio da Justiça - Rio Branco/AC

Leia mais

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO A Universidade de Cruz Alta, possui uma área construída de 35.785,92m² em seu Campus Universitário, abrigando, nesse espaço, 26 cursos de graduação, cursos de especialização e mestrado, 119 laboratórios,

Leia mais

Prefeitura de Mogi Guaçu PROGRAMA MUNICIPAL DE GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS

Prefeitura de Mogi Guaçu PROGRAMA MUNICIPAL DE GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS Objetivo Geral: Oferecer metodologias adequadas para gestão de resíduos da construção civil, demolição e volumosos, originados de atividades diversas no município de Mogi Guaçu. Objetivos Específicos:

Leia mais

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier. Parcerias : FEBRACOM

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier. Parcerias : FEBRACOM Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. Chico Xavier Parcerias : FEBRACOM PACTO PELA RECICLAGEM A partir da constatação que a

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA DE C R E T O Nº 11.347, de 25 de setembro de 2015 EMENTA:Cria o PROGRAMA MUNICIPAL DOS AGENTES AMBIENTAIS, no âmbito Administração Pública Municipal de Itabuna, e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

PROGRAMA Goiânia, 2008

PROGRAMA Goiânia, 2008 PROGRAMA Goiânia, 2008 A Problemática dos Resíduos Sólidos Ambiental A Problemática dos Saúde Social Resíduos Sólidos A Problemática dos Resíduos Sólidos Gestão Geração Aterro Sanitário 1.200 ton./dia

Leia mais

11_1. Reciclagem e a Questão Social

11_1. Reciclagem e a Questão Social Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Departamento de Geografia Curso de Especialização em Gestão Ambiental Urbana Disciplina: Gestão dos Resíduos Sólidos e Limpeza Urbana 11_1. Reciclagem e a Questão

Leia mais

PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO SOCIAL RECICLA CONQUISTA

PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO SOCIAL RECICLA CONQUISTA Doutorado em Planificação Territorial e Gestão Ambiental da Universidade de Barcelona em Convênio com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia PRODUTOS RECICLADOS COMO FONTE DE GERAÇÃO DE RENDA E INCLUSÃO

Leia mais

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Caro, candidato(a) à prefeito(a), após mais de 20 anos de tramitação

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro

Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro Seminário Fórum Estadual L & C Rio de Janeiro O FÓRUM LIXO E CIDADANIA E A COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA Sonia Dias Setembro 2008 Questões no centro do debate em torno do tema lixo e cidadania Quais são as

Leia mais

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA

PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA PLANEJAMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO DOS POTENCIAIS CATADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DE JETIBA JULHO 2014. Secretarias Parceiras: Secretaria Municipal de Técnica e Planejamento Secretaria Municipal de Trabalho,

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania

Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania Projeto Fênix - Reciclando o futuro com Cidadania A prática consiste em democratizar o acesso à justiça aos catadores de materiais recicláveis dos lixões do Distrito Federal. O problema envolvendo a produção

Leia mais

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina SERVIÇOS DE LIMPEZA URBANA E AS COOPERATIVAS DE CATADORES

Leia mais

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA LOCAL DA INSTALAÇÃO: Razão Social: Cooperativa de Reciclagem Monções Nome Fantasia: Cooperativa Monções CNPJ: 12.522.788/0001-85 Endereço: R: Anita Garibaldi, nº694- Jd.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA COOMSERC COOPERATIVA MISTA DE SERVIÇOS DO CABO DE SANTO AGOSTINHO

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA COOMSERC COOPERATIVA MISTA DE SERVIÇOS DO CABO DE SANTO AGOSTINHO PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA COOMSERC COOPERATIVA MISTA DE SERVIÇOS DO CABO DE SANTO AGOSTINHO Cabo de Santo Agostinho, 2010. ÍNDICE 1. Local do Projeto...2 2. Descrição do Projeto...2 3.

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO DE ENTREVISTA PARA LEVANTAMENTOS PRELIMINARES. Data:

ANEXO I ROTEIRO DE ENTREVISTA PARA LEVANTAMENTOS PRELIMINARES. Data: ANEXO I ROTEIRO DE ENTREVISTA PARA LEVANTAMENTOS PRELIMINARES Dados Socioeconômicos: Levantamento das Demandas do Município Responsável Técnico pelo Levantamento: Data: Município: Nome do Informante /

Leia mais

Instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e

Instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e Instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial,

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 - DECRETO NO. 7.404/2010 BASE LEGAL Lei nº 12.305/2010 - Decreto No. 7.404/2010 Lei nº 11.445/2007 - Política Federal

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, após 21 anos de tramitação no Congresso nacional Tem interação

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA COM A RECURSOS. PARTICIPAÇÃO DE COOPERATIVAS DE CATADORES: A legislação aplicada na prática

LOGÍSTICA REVERSA COM A RECURSOS. PARTICIPAÇÃO DE COOPERATIVAS DE CATADORES: A legislação aplicada na prática LOGÍSTICA REVERSA COM A RECURSOS PARTICIPAÇÃO DE COOPERATIVAS DE CATADORES: A legislação aplicada na prática REALIZAÇÃO Ana Maria Domingues Luz Ambientalista Mestra em Ciência Ambiental PROCAM/USP Presidente

Leia mais

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e

O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Parceria: O marco mundial da nova ordem ambiental é minimizar o lixo. Desde 1992, os 170 países presentes na conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a RIO/92, assinaram a Agenda 21, que

Leia mais

11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES 11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES AÇÕES 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21 2 2 2 3 24 Segmento do Estímulo à Participação (ESP) 1) Constituição da Equipe Técnica Social executora do projeto:

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

ASCAMPA ASSOCIAÇÃO DE CATADORES E CATADORAS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS DA REGIÃO NORTE DE PALMAS TO

ASCAMPA ASSOCIAÇÃO DE CATADORES E CATADORAS DE MATERIAIS RECICLÁVEIS DA REGIÃO NORTE DE PALMAS TO PLANO DE TRABALHO Reciclando Atitudes: Reciclagem e Beneficiamento de Resíduos Sólidos Rumo à Coleta Seletiva Solidaria em Palmas-to Palmas Tocantins 15 de novembro de 2011 Resumo 2.1. Introdução 03 2.2.

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Uma Mudança

Leia mais

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006

Gestão Sustentável de Resíduos. Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Gestão Sustentável de Resíduos Superintendência de Limpeza Urbana Junho/2006 Belo Horizonte / MG VENDA NOVA NORTE PAMPULHA NORDESTE NOROESTE LESTE OESTE CENTRO-SUL BARREIRO População: 2.350.564 (IBGE 2004)

Leia mais

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015.

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. CONTEÚDO 1. Políticas e Planos de Saneamento Básico e de Resíduos

Leia mais

O que é o Programa Reciclando Atitudes?

O que é o Programa Reciclando Atitudes? O que é o Programa Reciclando Atitudes? É um programa que visa despertar a reflexão da sociedade para a gestão adequada dos resíduos sólidos, através de ações socioambientais de sensibilização, formação,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA UFMG

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA UFMG IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA UFMG Ilka Soares Cintra (1) Eng a Civil pela Escola de Engenharia da UFMG-1979; Prof a Assistente do Dept o de Cartografia

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO

ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO ANÁLISE DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM ARCOS- MG: POSTURA OPERACIONAL E PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO Tatiane Castaño Valadares*, Fernando Vieira de Sousa FUNEDI/UEMG taticastanobiologia@gmail.com

Leia mais

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE

SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE SEMA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE SEMEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA PARCERIA - PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE ÁGUA DOCE DO NORTE

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental III-032 - PROPOSTA ALTERNATIVA PARA A COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA CIDADE DE CAMPO GRANDE/MS, VALORIZANDO A PARTICIPAÇÃO DOS CATADORES. Ana Luzia de Almeida Batista Martins Abrão (1)

Leia mais

Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola -

Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola - Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola - Parque Vitória. APRESENTAÇÃO ECOS DO VITÓRIA A Ecos

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Reciclando com Arte

Mostra de Projetos 2011. Reciclando com Arte Mostra de Projetos 2011 Reciclando com Arte Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria Municipal de

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MARCO LEGAL Diálogo do Governo Federal com Sociedade Civil (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis MNCR). Código Brasileiro de Ocupações - 2002 Reconhecimento a Categoria profissional

Leia mais

A lei na prática. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo. Cooperativas de catadores

A lei na prática. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo. Cooperativas de catadores Política Nacional de Resíduos Sólidos Cooperativas de catadores A lei na prática Chegou a hora de assumir o importante papel na gestão do lixo Em vigor desde agosto de 2010, a nova lei sobre resíduos urbanos

Leia mais

ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social

ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social ROTEIRO I: Projeto de Trabalho Técnico Social Timbre da Proponente (Prefeitura, quando o proponente for o poder municipal) 1 IDENTIFICAÇÃO Empreendimento: Município: UF Endereço : Bairro: Executor: Tel.:

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

EcoFiltro. Plano de Negócios

EcoFiltro. Plano de Negócios EcoFiltro Plano de Negócios EcoFiltro Perfil dos Executivos O Problema: Água contaminada e Lixo O Contexto no Brasil: Água e Lixo A Solução Custo e Viabilização Estratégia de Distribuição Escopo do Projeto

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 TRAMITAÇÃO DA PNRS 1989 Projeto de Lei Nº N 354/89 do Senado 1991 Projeto de Lei Nº N 203/91

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos São Paulo, 09 de Novembro 2011 Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidade Compartilhada entre Prefeituras, Empresas, Cidadãos e Catadores BRASIL ESTADO DE SÃO PAULO Região Metropolitana FONTE:

Leia mais

Melhoria de sua integração com a cadeia produtiva. Desenvolvimento de opções de geração de renda. Fortalecimento dos laços comunitários e solidários

Melhoria de sua integração com a cadeia produtiva. Desenvolvimento de opções de geração de renda. Fortalecimento dos laços comunitários e solidários SÍNTESE DOS RESULTADOS - ANO 1 DE EXECUÇÃO OUT 2009 A NOV 2010 Melhoria de sua integração com a cadeia produtiva Desenvolvimento de opções de geração de renda Fortalecimento dos laços comunitários e solidários

Leia mais

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva.

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva. Sete Lagoas e o resgate da cidadania Prefeitura ativa. Cidade viva. APRESENTAÇÃO A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, Minas Gerais, está desenvolvendo uma ação abrangente de resgate da cidadania, que

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções

Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções Política Nacional de Resíduos Sólidos: perspectivas e soluções Renato Teixeira Brandão Diretor de Gestão de Resíduos Fundação Estadual do Meio Ambiente Políticas de Resíduos Sólidos Política Estadual de

Leia mais

PLATAFORMA LIXO E CIDADANIA PARA O ESTADO DE SÃO PAULO. Construindo compromissos para a gestão compartilhada dos resíduos sólidos

PLATAFORMA LIXO E CIDADANIA PARA O ESTADO DE SÃO PAULO. Construindo compromissos para a gestão compartilhada dos resíduos sólidos PLATAFORMA LIXO E CIDADANIA PARA O ESTADO DE SÃO PAULO Construindo compromissos para a gestão compartilhada dos resíduos sólidos Muita gente pequena, em muitos lugares pequenos, fazendo muitas coisas pequenas,

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, após 21 anos de tramitação no Congresso nacional Tem interação

Leia mais

Município de Capanema - PR

Município de Capanema - PR LEI Nº. 1.557, DE 20 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre a política municipal de resíduos sólidos do Município de Capanema e dá outras providências. A Câmara Municipal de Capanema, Estado do Paraná, aprovou

Leia mais

1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda.

1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda. 1) NOME DO PROJETO: Reciclando oportunidades - coleta seletiva como instrumento de sustentabilidade, trabalho e renda. 2) AUTORA DO PROJETO: Vanessa Maia de Amorim Evangelista Promotora de Justiça 1ª Promotoria

Leia mais

REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá

REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá REUTILIZAÇÃO 100% Engenheiro Químico Celso Luís Quaglia Giampá PROJETO FÊNIX IMPLANTANDO SOLUÇÃO GERENCIAMENTO DOS RSU EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONTINUADA NA POPULAÇÃO COLETA SELETIVA PARA RESÍDUOS SECOS E ÚMIDOS

Leia mais

Instrumentos da PNRS: licenças ambientais, licitações e planos de resíduos sólidos 19 de maio de 2015, às 9h

Instrumentos da PNRS: licenças ambientais, licitações e planos de resíduos sólidos 19 de maio de 2015, às 9h PALESTRA: Desafios da Responsabilidade Compartilhada pela Gestão de Resíduos PALESTRANTE: ANNELISE MONTEIRO STEIGLEDER PAINEL: DATA : Instrumentos da PNRS: licenças ambientais, licitações e planos de resíduos

Leia mais

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SETEMBRO, 2014 INSTRUMENTOS LEGAIS RELACIONADOS À CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA E DO PLANO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei n. 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

Geração de Oportunidades. para a Inclusão. O que é. Importância. Objetivo. Como funciona

Geração de Oportunidades. para a Inclusão. O que é. Importância. Objetivo. Como funciona 4 112 O que é A articulação para a inclusão busca organizar a intervenção direta dos governos e a apoiar projetos desenvolvidos por estados, Distrito Federal e municípios que gerem oportunidades de inclusão

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. 536 Km REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI

LOCALIZAÇÃO. 536 Km REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI LOCALIZAÇÃO 536 Km REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Patrimônio Ecológico: MUNICÍPIO DO CRATO-CE Farias Brito Nova Olinda Caririaçu APA Área: 1.063.000 ha. Perímetro: 2.658,55 km.

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

Cidades e Biodiversidade

Cidades e Biodiversidade Cidades e Biodiversidade Curitiba, 26 a 28 de março Ronaldo Vasconcellos Vice-Prefeito de Belo Horizonte Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, é uma das maiores cidade do Brasil. BH Fica a 585 Km de

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO Joana Fidelis da Paixão (*), Esaú Alisson Sousa Santos, Lizza Adrielle Nascimento Santos * Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

EDITAL DE PROJETOS DA CESE

EDITAL DE PROJETOS DA CESE Igreja Católica Apostólica Romana Igreja Episcopal Anglicana do Brasil Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil Igreja Presbiteriana Independente do Brasil Igreja Presbiteriana Unida do Brasil

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL LIXO E CIDADANIA

FÓRUM ESTADUAL LIXO E CIDADANIA FÓRUM ESTADUAL LIXO E CIDADANIA Mobilização social em defesa da cidadania em Pernambuco HISTÓRIA, CONCEPÇÃO E AÇÃO Iniciou de forma dramática Abril de 1994, missionários da Igreja Episcopal denunciaram

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA. Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHECENDO A COLETA SELETIVA Mostra Local de: Araruna Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que estão em fase inicial) Nome da Instituição/Empresa: JK Consultoria

Leia mais

FÓRUM MUNICIPAL LIXO & CIDADANIA DE BELO HORIZONTE REGIMENTO INTERNO

FÓRUM MUNICIPAL LIXO & CIDADANIA DE BELO HORIZONTE REGIMENTO INTERNO FÓRUM MUNICIPAL LIXO & CIDADANIA DE BELO HORIZONTE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPOSIÇÃO Art.1º O Fórum Municipal Lixo e Cidadania de Belo Horizonte é uma instância que agrega interessados,

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF

HISTÓRIA DO APL. Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007. Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF HISTÓRIA DO APL Surgimento do APL - Criado em novembro de 2007 Entidades que apoiaram a criação Sebrae/DF; Unb/Lacis; Sebrae/NA; FIBRA/DF; NE/DF Instituições do setor produtivo que constituiu o APL ASCOLES;CENTCOOP

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 SILVA, Enedina Maria Teixeira 2, VIRGOLIN, Isadora Cadore 3, ISRAEL, Ana Lúcia Pinheiro 4, VERISSIMO, Fabiane 5, GUMA,

Leia mais

PRÊMIO SELO MÉRITO 2012 PROJETO AMBIENTAL E SOCIALMENTE RESPONSÁVEL

PRÊMIO SELO MÉRITO 2012 PROJETO AMBIENTAL E SOCIALMENTE RESPONSÁVEL PRÊMIO SELO MÉRITO 2012 PROJETO AMBIENTAL E SOCIALMENTE RESPONSÁVEL Nossa responsabilidade vai além da diminuição do déficit habitacional do Estado de Goiás. A prioridade é fomentar ambientes sustentáveis,

Leia mais

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Malwee Malhas LTDA. Jaraguá do Sul (SC) Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Categoria Tecnologias Socioambientais 1. Sobre a organização participante: Razão social: - Malwee Malhas

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

A mudança cultural de um país, acontece por meio da educação.

A mudança cultural de um país, acontece por meio da educação. A mudança cultural de um país, acontece por meio da educação. RECICLAGEM & SUSTENTABILIDADE Não existe prosperidade em lugar sujo. O Mundo Ficou Pequeno de Mais Para Tanto Lixo Como atingir a sustentabilidade

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

UNIDADES DE RECICLAGEM

UNIDADES DE RECICLAGEM SECRETARIA NACIONAL DE ASSUNTOS INSTITUCIONAIS SNAI DIRETÓRIO NACIONAL DO PT UNIDADES DE RECICLAGEM GESTÃO: MUNICÍPIO: FICHA DE IDENTIFICAÇÃO U.F.: 1989-1992 PORTO ALEGRE RS PREFEITO: Olívio Dutra ÓRGÃO

Leia mais

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção.

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Nádia D. de Souza 1 Kátia G. de Laia 2 Mariana O. Silva 3 Estevão L. M. Gomes 4 Tiago L. A.

Leia mais

DO PROGRAMA. www.ecolmeia.org.br

DO PROGRAMA. www.ecolmeia.org.br PROGRAMA DO PROGRAMA O Programa ECO RECICLA é uma iniciativa da OSCIP Ecolmeia em parceria com Cooperativas de Reciclagem, seus cooperados, o Primeiro e o Segundo Setor da Sociedade. Tem como objetivo

Leia mais

PROJETO GERAR PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

PROJETO GERAR PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA PREFEITURA MUNICIPAL DE GARANHUNS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO PROJETO GERAR PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Garanhuns/PE 2014 APRESENTAÇÃO O Projeto visa

Leia mais

Eixo Inclusão social. Eixo estratégico

Eixo Inclusão social. Eixo estratégico Eixo estratégico Inclusão social de catadores e catadoras de materiais recicláveis através da capacitação e de campanhas de conscientização para a sociedade. 2 Eixo Inclusão social 1 Mapeamento das necessidades

Leia mais

PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG

PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG O QUE É O CAVALO DE LATA? O Cavalo de Lata é um sonho antigo, que depois de muitas pesquisas e conversas informais, se torna cada

Leia mais

S O C I O A M B I E N TA L

S O C I O A M B I E N TA L Apresentação Todas as ações desenvolvidas pelo Banrisul estão comprometidas em preservar o meio ambiente, seja no momento de realizar um contrato de financiamento agrícola, investimento em projeto, seja

Leia mais

Convênio 76541/2011 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 0001/2013

Convênio 76541/2011 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 0001/2013 Convênio 76541/2011 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 0001/2013 Apresentação Dados disponibilizados pelo IBGE em 2002 estimaram a coleta de aproximadamente 125.281 toneladas de resíduos domiciliares por dia no Brasil

Leia mais