!"#! $%&'(!)!")!''*+, $-.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "!"#! $%&'(!)!")!''*+, $-."

Transcrição

1 !"#! $%&'(!)!")!''*+, $-. $/012!.% $

2 SUMÁRIO 1 REGRAS APLICÁVEIS ÀS AQUISIÇÕES E CONTRATAÇÕES COM RECURSOS DO PROESF AQUISIÇÃO DE BENS, CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS, EXCETO CONSULTORIAS MODALIDADES PARA AQUISIÇÕES / CONTRATAÇÕES E LIMITES COMPONENTES I E II MODALIDADES PARA AQUISIÇÕES / CONTRATAÇÕES E LIMITES COMPONENTE III (FEDERAL) SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA MODALIDADES PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA E LIMITES COMPONENTES I, II e III LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA PARA OS COMPONENTES I E II LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA PARA O COMPONENTE III (FEDERAL) CLÁUSULA ANTI FRAUDE E CORRUPÇÃO PLANO DE AQUISIÇÕES PARA COMPONENTES I E II RELATÓRIO DE ADJUDICAÇÃO PARA COMPONENTE I (MUNICIPAL) OUTRAS INFORMAÇÕES PERTINENTES PARA COMPONENTES I E II AQUISIÇÃO VICIADA (MISPROCUREMENT) IDENTIFICAÇÃO DOS BENS ADQUIRIDOS OU OBRAS REALIZADAS COM RECURSOS DO PROESF MODELO DE PLAQUETA DE IMOBILIZADO MODELO DE INSCRIÇÃO EM VEÍCULOS AUTOMOTORES MODELO DE PLACA PARA IDENTIFICAÇÃO DE OBRA

3 1 REGRAS APLICÁVEIS ÀS AQUISIÇÕES E CONTRATAÇÕES COM RECURSOS DO PROESF As aquisições e contratações com recursos da Fase 2 do Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família - PROESF, financiado pelo Banco Mundial, deverão ser precedidas de processo competitivo de acordo com as Diretrizes do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento - BIRD, disponibilizadas no site do projeto, no endereço eletrônico na seção Normas. Os procedimentos para a realização de aquisições de bens e contratação de obras e serviços estão descritos nas Diretrizes para Aquisições Financiadas por Empréstimos do BIRD e Créditos da AID, datadas de maio de 2004 (revisadas em outubro de 2006), enquanto os procedimentos para a realização de contratação de consultores estão descritos nas "Diretrizes: Seleção e Contratação de Consultores pelos Mutuários do Banco Mundial", datadas de maio de 2004 (revisadas em outubro de 2006). As aquisições e contratações realizadas em desacordo com as normas do Banco Mundial poderão ser objeto de glosa, apuração de responsabilidade e restituição do montante referente à impropriedade praticada. A aplicação das normas do Banco Mundial tem respaldo: - na Lei 8.666/93, art. 42, 5º, que admite que as aquisições e contratações com recursos de contrato de empréstimo aprovado pelo Congresso Nacional sejam processadas de acordo com as regras do organismo financeiro multilateral; - no Acórdão do TCU nº 2191/2009, que afirma a legalidade da utilização das Diretrizes do Banco Mundial para aquisições e contratações com recursos decorrentes de Contrato de Empréstimo; - assinatura do Contrato de Empréstimo em 09/09/2009 comprovou a aceitação destes critérios pela República Federativa do Brasil; - a ratificação do Contrato de Empréstimo pelo Senado Federal, através da Resolução nº 4 de 2009, torna indiscutível sua validade e lhe garante a natureza de tratado internacional, conferindo-lhe força de lei ordinária; - o Termo de Compromisso que os estados e municípios assinaram estabelece como um dos compromissos adotar procedimentos previstos nas normas do Banco Mundial. 3

4 2 AQUISIÇÃO DE BENS, CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS, EXCETO CONSULTORIAS As aquisições de bens e contratação de obras e serviços deverão ser realizadas de acordo com as normas descritas nas Diretrizes para Aquisições Financiadas por Empréstimos do BIRD e Créditos da AID, datadas de maio de 2004 (revisadas em outubro de 2006), que estabelecem a possibilidade de realização do Shopping e da Contratação Direta, que são duas modalidades específicas do BIRD. Além disso, estabelece a possibilidade de utilização de algumas das modalidades da legislação brasileira, através do que o BIRD denomina NCB. Para realização de qualquer contrato de empréstimo uma equipe de projetos do Banco Mundial analisa as diferentes modalidades de licitação ou modalidades de seleção de consultores do país mutuário, a necessidade de pré-qualificação, custos estimados, exigências de revisão prévia, e período de execução e, se o Banco entender necessário, impõe algumas exigências ou restrições à utilização da legislação nacional. Assim, para que o mutuário possa utilizar a NCB descrita nas Diretrizes do Banco Mundial para Aquisições, os procedimentos da legislação do país mutuário são analisados e modificados, conforme a necessidade, para garantir, sob o olhar do Banco Mundial, economia, eficiência, transparência e ampla compatibilidade com as disposições contidas nas Diretrizes para Aquisições. O Banco Mundial analisou nossa legislação e decidiu por autorizar, a título de NCB, a utilização de apenas algumas das modalidades previstas: Concorrência; Tomada de Preços; Convite; Pregão Eletrônico (com ressalvas); e Registro de Preços (com ressalvas). Nestes casos, as aquisições e contratações sujeitam-se à Lei nº 8.666/93 (Lei Federal de Licitações e Contratos), à Lei Federal nº /02, que instituiu o Pregão Eletrônico, ao Decreto nº /01, que regulamentou o sistema de registro de preços, modificado pelo Decreto nº /02, e às disposições previstas no Contrato de Empréstimo 7545-BR, firmado entre a República Federativa do Brasil e o Banco Mundial para a Fase 2 do PROESF, cujas exigências e restrições à utilização da legislação nacional foram transcritas para este documento. As disposições das Diretrizes para Aquisições Financiadas por Empréstimos do BIRD e Créditos da AID serão aplicáveis a todos os outros aspectos das aquisições e contratações realizadas segundo os procedimentos da NCB. Assim, as modalidades de licitação, previstas nas Diretrizes para Aquisições, aplicáveis à Fase 2 do PROESF para os Componentes I, II e III são: 4

5 1. Licitação Pública Internacional - ICB: não 2. Licitação Pública Nacional - NCB: sujeita aos seguintes procedimentos adicionais: i) os contratos deverão ser concedidos ao licitante cuja oferta tenha sido de menor valor, sendo que esta avaliação deverá basear-se no preço e, quando apropriado, também deverá levar em consideração fatores similares àqueles descritos no parágrafo 2.52 das Diretrizes para Aquisições, ressalvando-se, entretanto, que a avaliação da oferta deverá ser sempre baseada em fatores que possam ser quantificados objetivamente, e o procedimento para essa quantificação deverá ser divulgado no edital / convite da licitação; ii) sempre que exigido pelo Banco, o edital de licitação deverá ser publicado ao menos em um jornal de circulação nacional no Brasil; iii) os acordos, em conformidade com os termos do edital de licitação, para a realização de consórcios de empresas brasileiras e estrangeiras deverá ser aprovado antecipadamente pelo Banco, em cada circunstância; iv) o edital não deverá estabelecer, para fins de aceite de ofertas, valores mínimos ou máximos com relação aos preços de contratos. Obs.: o Banco Mundial não proíbe a publicidade exigida pela Lei 8.666/93, mas sim a publicação destes valores no edital, o que não caracteriza afronta à legislação nacional, conforme entendimento proferido no acórdão nº 2191 do TCU, que pode ser acessado no site do PROESF, na seção Normas ; v) no caso de aditamento de contratos para aquisição de bens e contratação de serviços com valor superior a US$ ,00 e no caso de contratação de obras com valor superior a US$ ,00 o comprador não deverá, sem aprovação prévia do Banco Mundial, expedir qualquer ordem de alteração de um contrato que venha a aumentar ou reduzir em mais de 15% a quantidade de bens (e serviços correlatos) sem qualquer alteração nos preços unitários ou em outros termos e condições de venda. OBS.: os limites deverão ser respeitados considerando a somatória do valor do contrato e do aditamento. 3. Shopping 4. Contratação Direta No que se refere à utilização do pregão eletrônico, o Banco Mundial permite sua utilização no âmbito da Licitação Pública Nacional - NCB, mas especifica que o pregão deverá ser realizado mediante um dos sistemas eletrônicos homologado pelo BIRD: Comprasnet; Banco do Brasil; Banco Real (em Pernambuco denomina-se Rede Compras); Portal de Compras (do estado de Minais Gerais); 5

6 Pregão On Line Banrisul (do Rio Grande do Sul); Bolsa Eletrônica de Compras - BEC (do Estado de São Paulo). O registro de preços poderá ser utilizado desde que realizado por concorrência ou por pregão eletrônico, sendo que, neste caso, deverá ser realizado por um dos sistemas homologados pelo Banco Mundial. A adesão a ata de registro de preços é aceitável desde que atendidas as seguintes condições: seja proveniente de concorrência ou pregão eletrônico; tenha sido realizado mediante sistema homologado pelo Banco (no caso de pregão eletrônico); seja possível inserir a cláusula-padrão do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção no instrumento contratual, conforme minuta disponibilizada no site do PROESF. No caso específico da realização de pregão eletrônico, não poderá haver negociação para obtenção de melhor preço após o encerramento da etapa de lances, cuja informação está disposta nos editais-padrões do Banco Mundial, disponibilizados no site de cada sistema eletrônico homologado pelo BIRD, que deverão ser utilizados pelos participantes do projeto. Em qualquer processo competitivo para aquisições e contratações deverá haver um preâmbulo no edital ou convite da licitação informando que a aquisição ou contratação será realizada com recursos da Fase 2 do PROESF, financiado pelo Contrato de Empréstimo nº 7545-BR, firmado entre a República Federativa do Brasil e o Banco Mundial. Além disso, a cláusula-padrão do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção deverá estar presente em todos os instrumentos contratuais para aquisições e contratações realizadas com recursos do PROESF, conforme redação constante no item 5 deste documento. Mesmo no caso de utilização de um instrumento contratual, que não exige a assinatura das partes, é necessário emitir um documento complementar, como condição para execução do instrumento contratual, conforme minuta sugerida no site do PROESF, comprovando que o fornecedor concorda com a cláusula do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção. Este documento complementar deverá conter, no mínimo: referência ao número do instrumento contratual emitido; razão social e CNPJ da empresa contratada; descrição resumida do objeto e valor total (ou então o valor unitário e as respectivas quantidades); informar que a aquisição / contratação está sendo realizada com recursos da Fase 2 do PROESF, financiado pelo BIRD; cláusula anti-fraude e corrupção; 6

7 assinatura do fornecedor comprovando sua anuência à cláusula anti fraude e corrupção. Vale frisar que o Banco Mundial não financia aquisições e contratações realizadas mediante: 1) Dispensa de Licitação; 2) Inexigibilidade de Licitação; 3) Pregão Presencial, bem como a utilização de Atas de Registro de Preços dele decorrentes; 4) Pregão Eletrônico mediante sistema não homologado pelo Banco Mundial, bem como a utilização de Atas de Registro de Preços dele decorrentes. A lista de insumos financiáveis com recursos da Fase 2 do PROESF para os Componentes I, II e III está disposta no Manual Operacional, nos respectivos volumes referentes a cada Componente, bem como no Termo de Compromisso assinado por cada estado e município participante do projeto. Na categoria de bens dos Componentes I e II estão incluídos: livros, periódicos, publicações, materiais de aprendizado; tecnologia da informação e comunicação e equipamento eletrônico; software; equipamentos e mobiliário médico e odontológico; veículos (exceto ambulâncias) e etc. Na categoria de obras dos Componentes I e II estão incluídas: construção e reabilitação de instalações de assistência básica. Na categoria de serviços, exceto consultoria, dos Componentes I e II estão incluídos: serviços de telecomunicação, serviços de impressão; aluguel de instalações e veículos; despesas de viagem; logística para seminários, reuniões de grupos de trabalho e treinamentos (incluindo transporte, diárias, acomodações e material de treinamento) e etc. Na categoria de bens do Componente III (federal) estão incluídos: equipamentos e software de tecnologia da informação. Não está prevista a realização de obras pelo Componente III. Na categoria de serviços, exceto consultoria, do Componente III estão incluídos: serviços de impressão, produção de vídeo, campanhas de comunicação e custos de telecomunicação; logística para seminários, reuniões de grupos de trabalho e treinamentos (incluindo transporte, diárias, acomodações e material de treinamento) e etc. Bens e Serviços: Modalidades nacionais aceitas pelo BIRD (Licitação Pública Nacional NCB) 7

8 8

9 2.1 MODALIDADES PARA AQUISIÇÕES / CONTRATAÇÕES E LIMITES COMPONENTES I E II Tipo de Aquisição Bens Serviços, exceto consultoria Obras Valor da Aquisição Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Modalidade de Licitação NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping As aquisições e contratações com valor superior ao limite estabelecido para realização da NCB estarão sujeitas à Licitação Pública Internacional ICB. Entretanto, nenhuma Licitação Pública Internacional ICB é esperada para os Componentes I e II. 2.2 MODALIDADES PARA AQUISIÇÕES / CONTRATAÇÕES E LIMITES COMPONENTE III (FEDERAL) Tipo de Aquisição Bens Serviços, exceto consultoria Valor da Aquisição Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Modalidade de Licitação NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping As aquisições e contratações com valor superior ao limite estabelecido para realização da NCB estarão sujeitas à Licitação Pública Internacional ICB. Não há previsão de contratação de obras sob responsabilidade do Componente III. 9

10 3 SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA As contratações de consultorias, tanto de pessoa jurídica como de pessoa física, deverão ser realizadas de acordo com normas descritas nas "Diretrizes: Seleção e Contratação de Consultores pelos Mutuários do Banco Mundial", datadas de maio de 2004 (revisadas em outubro de 2006), sem possibilidade de utilização das modalidades de licitação previstas na legislação nacional. As modalidades de licitação, previstas nas Diretrizes para Consultoria, aplicáveis à Fase 2 do PROESF para os Componentes I, II e III são: 1. Seleção Baseada na Qualidade e no Custo SBQC; 2. Seleção baseada nas Qualificações do Consultor SQC; 3. Consultoria Individual (para contratação de pessoa física); 4. Contratação Direta (ou Seleção de Fonte Única); 5. Seleção pelo Menor Custo SMC; 6. Seleção com Orçamento Fixo SOF. Em linhas gerais, as Diretrizes para Consultoria estabelecem que, para a seleção de consultoria de pessoa jurídica, uma Manifestação de Interesse deverá ser publicada e uma lista curta deverá ser formada com 6 empresas interessadas que estejam qualificadas para realizar a consultoria. Em seguida, deverá ser solicitada uma proposta técnica e financeira apenas à empresa que possua as melhores qualificações para o serviço específico. Apesar de que as Diretrizes, em seu par. 2.5 exigem que as solicitações de manifestação de interesse sejam publicadas em âmbito nacional, para os contratos com valor inferior a US$ equivalentes, excepcionalmente, no âmbito dos subprojetos municipais e estaduais (Componentes I e II), o Banco Mundial autoriza que essa publicação seja limitada a um jornal de circulação estadual ou ao Diário Oficial do estado, sob o respaldo do par. 3.10(c) das Diretrizes. Em qualquer processo competitivo para contratações de consultorias deverá haver um preâmbulo no edital ou convite da licitação informando que a aquisição ou contratação será realizada com recursos da Fase 2 do PROESF, financiado pelo Contrato de Empréstimo nº 7545-BR, firmado entre a República Federativa do Brasil e o Banco Mundial. Além disso, a cláusula-padrão do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção deverá estar presente em todos os instrumentos contratuais realizados com recursos do PROESF, conforme redação descrita no item 5 deste documento. No âmbito dos Componentes I e II poderá ser necessária a contratação de consultorias para o fortalecimento da capacidade de gerenciamento dos estados e municípios; desenvolvimento de ferramentas de monitoramento e avaliação; criação ou refinamento de sistemas de informação; e para atividades de treinamento. 10

11 Os serviços de consultoria oferecidos por empresas sob o Componente III (federal) poderão ser necessários para preparar análise de custos e sistemas de controle; protocolos de saúde; diplomas acadêmicos avançados em Saúde da Família; cursos de aprendizado à distância; estudos e pesquisas; programas de qualidades; formação de capacidade; e avaliações e etc. A contratação de consultorias também poderá ser necessária para auxiliar os estados e municípios participantes do projeto na elaboração de planos de gerenciamento baseado em resultados e planos de monitoramento e avaliação. Não são esperadas listas de candidatos de consultores internacionais para a Fase 2 do PROESF, uma vez que o Parágrafo 2.7 das Diretrizes para Consultores estabelecem que, nas consultorias com valor inferior a US$ ,00 por contrato, as listas de candidatos de consultores poderá ser composta totalmente por consultores nacionais. As consultorias com custo estimado igual ou superior a US$ ,00 deverão ser contratadas por Seleção Baseada na Qualidade e no Custo SBQC. Outroa modalidades serão aplicáveis caso preencham todos os requisitos dispostos nas Diretrizes para Consultoria. Consultores individuais nacionais e internacionais poderão ser contratados para oferecer assistência técnica ao Ministério da Saúde, estados e municípios para a implementação, supervisão e monitoramente das atividades relacionadas com o projeto. Neste caso aplicam-se as disposições da Seção V das Diretrizes para Consultoria. 3.1 MODALIDADES PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA E LIMITES COMPONENTES I, II e III Tipo de Contrato Valor do Contrato Modalidade de Licitação Acima de US$ Seleção Baseada na Qualidade e no Pessoa Jurídica Entre US$ e US$ Até US$ Custo - SBQC Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC, Seleção com Orçamento Fixo SOF, Seleção pelo Menor Custo SMC e Seleção baseada nas Qualificações do Consultor - SQC Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC, Seleção com Orçamento Fixo SOF, Seleção pelo Menor Custo SMC, Seleção baseada nas Qualificações do Consultor - SQC e Contratação Direta Pessoa Física Qualquer valor Consultoria Individual 11

12 4 LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA Alguns processos de aquisições e contratações deverão ser submetidos à revisão prévia do Banco Mundial, conforme descrito na tabela a seguir. Todos os outros processos de aquisições e contratações estarão sujeitos à revisão posterior por parte do Banco. 4.1 LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA PARA OS COMPONENTES I E II Tipo de Contrato Bens Serviços, exceto consultoria Obras Consultoria de Pessoa Jurídica Consultoria de Pessoa Física Valor do Contrato Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Acima de US$ Entre US$ e US$ Modalidade de Licitação NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC, Seleção com Orçamento Fixo SOF, Seleção pelo Menor Custo SMC e Seleção baseada nas Qualificações do Consultor - SQC Processos sujeitos à Revisão Prévia Todos Todos Até US$ Contratação Direta Qualquer valor Consultoria Individual 12

13 4.2 LIMITES DE REVISÃO PRÉVIA PARA O COMPONENTE III (FEDERAL) Tipo de Contrato Bens Serviços, exceto consultoria Obras Consultoria de Pessoa Jurídica Consultoria de Pessoa Física Valor do Contrato Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Até US$ Acima de US$ Entre US$ e US$ Modalidade de Licitação NCB NCB ou Shopping NCB NCB ou Shopping NCB NCB Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC Seleção Baseada na Qualidade e no Custo - SBQC, Seleção com Orçamento Fixo SOF, Seleção pelo Menor Custo SMC e Seleção baseada nas Qualificações do Consultor - SQC Processos sujeitos à Revisão Prévia Todos Todos Até US$ Contratação Direta Qualquer valor Consultoria Individual 13

14 5 CLÁUSULA ANTI FRAUDE E CORRUPÇÃO A cláusula-padrão do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção deverá estar presente em todos os instrumentos contratuais para aquisições e contratações realizadas com recursos do PROESF, conforme redação abaixo: CLÁUSULA xxx - DA FRAUDE E DA CORRUPÇÃO Os licitantes e o contratado devem observar e fazer observar, por seus fornecedores e subcontratados, se admitida subcontratação, o mais alto padrão de ética durante todo o processo de licitação, de contratação e de execução do objeto contratual. SUBCLÁUSULA PRIMEIRA - Para os propósitos desta cláusula, definem-se as seguintes práticas: a) prática corrupta : oferecer, dar, receber ou solicitar, direta ou indiretamente, qualquer vantagem com o objetivo de influenciar a ação de servidor público no processo de licitação ou na execução de contrato; b) prática fraudulenta : a falsificação ou omissão dos fatos, com o objetivo de influenciar o processo de licitação ou de execução de contrato; c) prática conluiada : esquematizar ou estabelecer um acordo entre dois ou mais licitantes, com ou sem o conhecimento de representantes ou prepostos do órgão licitador, visando estabelecer preços em níveis artificiais e não-competitivos; d) prática coercitiva : causar dano ou ameaçar causar dano, direta ou indiretamente, às pessoas ou sua propriedade, visando influenciar sua participação em um processo licitatório ou afetar a execução do contrato. e) prática obstrutiva : (i) destruir, falsificar, alterar ou ocultar provas em inspeções ou fazer declarações falsas aos representantes do organismo financeiro multilateral, com o objetivo de impedir materialmente a apuração de alegações de prática prevista acima; (ii) atos cuja intenção seja impedir materialmente o exercício do direito de o organismo financeiro multilateral promover inspeção. SUBCLÁUSULA SEGUNDA - Na hipótese de financiamento, parcial ou integral, por organismo financeiro multilateral, mediante adiantamento ou reembolso, este organismo imporá sanção sobre uma empresa ou pessoa física, inclusive declarando-a inelegível, indefinidamente ou por prazo determinado, para a outorga de contratos financiados pelo organismo se, em qualquer momento, constatar o envolvimento da empresa, diretamente ou por meio de um agente, em práticas corruptas, fraudulentas, colusivas, coercitivas ou obstrutivas ao participar da licitação ou da execução um contrato financiado pelo organismo. SUBCLÁUSULA TERCEIRA - Considerando os propósitos das cláusulas acima, a CONTRATADA concorda e autoriza que, na hipótese de o contrato vir a ser financiado, em parte ou integralmente, por organismo financeiro multilateral, 14

15 mediante adiantamento ou reembolso, o organismo financeiro e/ou pessoas por ele formalmente indicadas possam inspecionar o local de execução do contrato e todos os documentos, contas e registros relacionados à licitação e à execução do contrato. 6 PLANO DE AQUISIÇÕES PARA COMPONENTES I E II Os estados e municípios participantes da Fase 2 do PROESF deverão elaborar e apresentar, por intermédio do Sistema de Gerenciamento da Fase 2 do PROESF SGP2, um Plano de Aquisições para a análise e aprovação do Núcleo Operacional do PROESF, sendo que as aquisições e contratações com recursos do projeto deverão ser realizadas de acordo com o que foi previamente programado e aprovado. Estes planos serão utilizados para acompanhar a execução do projeto e para realizar o controle das transferências de recursos financeiros. O Plano de Aquisições deverá ser atualizado pelo menos uma vez por ano, ou quando necessário, para refletir as necessidades reais de implementação do projeto e melhorias na capacidade institucional. 7 RELATÓRIO DE ADJUDICAÇÃO PARA COMPONENTE I (MUNICIPAL) O relatório de adjudicação é o documento legal de compromisso de compra necessário para iniciar o processo de transferência de recursos do PROESF aos municípios participantes do projeto e que permite a disponibilização do recurso financeiro para que então possam ser firmados os contratos decorrentes de licitações. Entretanto, quando o município firma o instrumento contratual antes de receber o recurso financeiro, o próprio instrumento contratual é documento suficiente para a realização transferência do recurso, sendo dispensável o envio do relatório de adjudicação. Todas as informações registradas no SGP2 deverão estar de acordo com o descrito no relatório de adjudicação ou instrumento contratual, que deverão informar, no mínimo: 1. Razão social do adjudicatário; 2. CNPJ do adjudicatário / contratado; 3. Modalidade e número da licitação realizada. Em se tratando de pregão eletrônico, deverá ser possível identificar se o sistema eletrônico utilizado é homologado pelo BIRD; 4. Descrição resumida do objeto, não sendo suficiente informar apenas o número do item ou lote; 5. Valor total adjudicado / contratado, ou então a informação do valor unitário e as respectivas quantidades; 6. Data de emissão do relatório de adjudicação / instrumento contratual; 7. Assinatura da autoridade competente / das partes. 15

16 Ressalte-se que, no caso de encaminhamento do instrumento contratual no lugar do relatório de adjudicação para iniciar o processamento da transferência de recursos financeiros, o instrumento contratual deverá conter também: 1. Referência à Fase 2 do PROESF, financiado pelo Contrato de Empréstimo nº 7545-BR, firmado entre a República Federativa do Brasil e o Banco Mundial; 2. A cláusula-padrão do Banco Mundial para prevenção e combate à fraude e corrupção, conforme mencionado anteriormente neste documento. 8 OUTRAS INFORMAÇÕES PERTINENTES PARA COMPONENTES I E II Os estados e municípios participantes do projeto deverão garantir a presença dos profissionais responsáveis pelas aquisições e contratações nas eventuais capacitações, fornecidas pelo Ministério da Saúde e/ou Banco Mundial, sobre o tema. As faturas, notas fiscais, recibos e quaisquer outros documentos comprobatórios referentes às contratações firmadas no âmbito do PROESF deverão ser devidamente identificados com referência à Fase 2 do PROESF, financiado pelo Contrato de Empréstimo nº 7545-BR, firmado com o Banco Mundial, e deverão ser submetidas ao Núcleo Operacional do projeto por intermédio do Sistema de Gerenciamento da Fase 2 do PROESF - SGP2. 9 AQUISIÇÃO VICIADA (MISPROCUREMENT) O Banco Mundial não financia despesas relativas a aquisições e contratações que não tenham sido realizadas em conformidade com as disposições estabelecidas em suas normas e detalhadas no Plano de Aquisições. Nestes casos, o Banco declarará viciado o processo de aquisição e, de acordo com a sua política, irá cancelar a parcela do empréstimo correspondente aos contratos realizados em tais circunstâncias. Mesmo que o contrato tenha sido outorgado após a obtenção da não-objeção do Banco, este ainda poderá declarar a aquisição viciada se concluir que a nãoobjeção foi emitida com base em informações incompletas, imprecisas ou enganosas prestadas pelo Mutuário, ou se considerar que os termos ou condições do contrato foram modificados sem a sua aprovação. Assim, no caso da constatação de contratos decorrentes de processo declarado viciado, como resultado de revisão prévia, posterior e independente, o estado ou município responsável ficará obrigado a restituir à conta do projeto os recursos correspondentes à impropriedade praticada. O processo poderá ser declarado viciado nos seguintes casos: I. Desvios do Plano de Aquisições, efetivados sem a aprovação prévia do Núcleo Operacional da Fase 2 do PROESF e/ou do Banco Mundial; II. Não consentimento, sob responsabilidade do executor, para os processos ordinários de revisão prévia ou posterior, incluindo a realizada por órgãos oficiais de controle da União; 16

17 III. Fracionamentos de licitação, para evitar os pressupostos legais da concorrência internacional (ICB) ou para alterar a modalidade da licitação; IV. Falta de registros ou informações pertinentes aos processos licitatórios e de contratação; V. Aquisições e contratações realizadas em desacordo com as normas do Banco Mundial; VI. Constatação, sob responsabilidade dos órgãos de controle governamental ou por decisão judicial, de que as aquisições e contratações foram realizadas em desacordo com as disposições da legislação nacional pública; e 10 IDENTIFICAÇÃO DOS BENS ADQUIRIDOS OU OBRAS REALIZADAS COM RECURSOS DO PROESF Deverá ser realizada a identificação dos bens adquiridos e das obras realizadas utilizando recursos do projeto, conforme modelos que seguem MODELO DE PLAQUETA DE IMOBILIZADO Deverá ser afixada nos bens adquiridos com recursos do PROESF, além da plaqueta de tombamento patrimonial da Secretaria de Saúde adquirente, a seguinte plaqueta: PARA MUNICÍPIOS PREFEITURA DE NONONO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ADQUIRIDO COM RECURSO DO PROESF/MS BIRD 7545-BR PARA ESTADOS ESTADO DE NONONO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE ADQUIRIDO COM RECURSO DO PROESF/MS BIRD 7545-BR 17

18 PARA DISTRITO FEDERAL GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE SAÚDE ADQUIRIDO COM RECURSO DO PROESF/MS BIRD 7545-BR Os bens que, devido ao seu tamanho reduzido, não possibilitam a afixação de plaqueta, mas que contam com gravação do número de patrimônio, deverão ter acrescentados na gravação os termos PROESF 7545-BR MODELO DE INSCRIÇÃO EM VEÍCULOS AUTOMOTORES Deverá ser afixada no veículo automotor adquirido, conforme diretrizes abaixo. VEÍCULO ADQUIRIDO COM RECURSOS DO PROESF MINISTÉRIO DA SAÚDE / BIRD 7545-BR Esta inscrição deverá ser aposta no local de maior visibilidade do veículo. A dimensão dos dizeres será proporcional ao tamanho do veículo. As letras, no tipo Arial, e o logotipo, segundo este modelo, terão tamanhos proporcionais ao tamanho dos dizeres. As cores das letras serão em tonalidade que contraste com a cor predominante do veículo. 18

19 10.3 MODELO DE PLACA PARA IDENTIFICAÇÃO DE OBRA Esta placa deverá permanecer afixada no local da obra, após sua conclusão. Obra: Valor total da obra: Valor recursos federais: Data de início: Prazo para entrega: Empregos gerados: Ministério da Saúde (LOGOTIPO DA PREFEITURA OU ESTADO) Ministério da Saúde Governo Federal PROESF / BIRD 7545-BR Dimensões mínimas da placa: 1,5m x 3,0m. Tamanho das letras (no tipo Arial ) e dos logotipos proporcional ao tamanho da placa, segundo este modelo. Cores das letras em tonalidade escura, contrastando com o fundo claro. 19

Revisado em 20/01/2011 1

Revisado em 20/01/2011 1 PROESF Fase 2 Aquisições e Contratações Regras Gerais Revisado em 20/01/2011 1 Contrato de Empréstimo: - Regras para Aquisições e Contratações; - Diretrizes do Banco Mundial; - Contrato aprovado pelo Congresso

Leia mais

Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família. (PROESF Fase 2) SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIAS

Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família. (PROESF Fase 2) SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIAS Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família (PROESF Fase 2) SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIAS Aquisições através das Regras do Banco Mundial O Artigo 42 5º da Lei 8.666 permite que os órgãos

Leia mais

Anexo 8: Arranjos de Implementação das Aquisições

Anexo 8: Arranjos de Implementação das Aquisições A. GERAL Anexo 8: Arranjos de Implementação das Aquisições Esta operação é um empréstimo de US$ 240 milhões, voltado a diversos setores. Ela contém um componente SWAP de US$ 237 milhões e um componente

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DA POLUIÇÃO COSTEIRA E DE ÁGUAS DO ESPÍRITO SANTO. Projeto Águas Limpas PLANO DE AQUISIÇÕES

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DA POLUIÇÃO COSTEIRA E DE ÁGUAS DO ESPÍRITO SANTO. Projeto Águas Limpas PLANO DE AQUISIÇÕES 49910 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DA POLUIÇÃO COSTEIRA E DE ÁGUAS DO ESPÍRITO SANTO Projeto Águas Limpas CONTRATO BIRD 7248-BR E OPERAÇÃO DE CRÉDITO ADICIONAL (PAD Nº 43275-BR) I - Geral 1. Informações do

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA LICITAÇÃO RECOMENDAÇÃO PARA ADJUDICAÇÃO DO CONTRATO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA LICITAÇÃO RECOMENDAÇÃO PARA ADJUDICAÇÃO DO CONTRATO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA LICITAÇÃO E RECOMENDAÇÃO PARA ADJUDICAÇÃO DO CONTRATO Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Nome

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE Especificação técnica para contratação de empresa especializada em serviços de tradução simultânea para

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE Termo de Referência para contratação de empresa especializada em serviços de design gráfico para confecção

Leia mais

Serviço Público Estadual GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária COMISSÃO DE PREGÃO BANCO MUNDIAL - BIRD

Serviço Público Estadual GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária COMISSÃO DE PREGÃO BANCO MUNDIAL - BIRD BANCO MUNDIAL - BIRD PROJETO DE DESENVOLVIMENTOS RURAL SUSTENTÁVEL EM MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS RIO RURAL EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO N.º 019/2013 PROCESSO N.º E-02/001/00583/2013 ANEXO VI MINUTA DE CONTRATO

Leia mais

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), por meio da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (PROSIS) torna público o presente EDITAL

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 GABINETE DO GOVERNADOR D E C R E T O Nº 1.093, DE 29 DE JUNHO DE 2004 Institui, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Registro de Preços

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA DECRETO N.º 2356/2013 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Rosane Minetto Selig, Prefeita Municipal de Ouro

Leia mais

[TEXT OF COVER LETTER TO SR INFO NOTE FOR BORROWERS]

[TEXT OF COVER LETTER TO SR INFO NOTE FOR BORROWERS] Prezado/a Senhor/a, [TEXT OF COVER LETTER TO SR INFO NOTE FOR BORROWERS] Temos o prazer de passar a suas mãos a Nota Informativa anexa sobre reformas do regime de sanções do Banco aprovadas pelos Diretores

Leia mais

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços.

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. FRANCISCO JOSÉ COELHO BEZERRA Gestor de Registro de Preços Fortaleza 26 a 28/11/2014 SORAYA QUIXADÁ BEZERRA Gestora

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL O QUE MUDA COM O NOVO MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL LEI N. 13.019/2014 REALIZAÇÃO INSTITUTO ATUAÇÃO ELABORAÇÃO Porf. Dr. FERNANDO BORGES MÂNICA DISTRIBUIÇÃO INSTITUTO GRPCom O QUE

Leia mais

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 058/2012 NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE O Conselho Municipal de Saúde,

Leia mais

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE SOLUÇÃO DE VÍDEO MONITORAMENTO CFTV

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE SOLUÇÃO DE VÍDEO MONITORAMENTO CFTV CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE SOLUÇÃO DE VÍDEO MONITORAMENTO CFTV Control Teleinformática Ltda SRTV/Sul Qd. 701 Conj. L Bloco 1, 38 Sobreloja sala 24 Pag. 1 de 10 Brasília, setembro

Leia mais

Nota Técnica nº. 003/2015/GECOG Vitória, 02 de setembro de 2015.

Nota Técnica nº. 003/2015/GECOG Vitória, 02 de setembro de 2015. Nota Técnica nº. 003/2015/GECOG Vitória, 02 de setembro de 2015. Assunto: Orientações sobre o controle de obrigações contratuais no SIGEFES a partir de 10 de setembro de 2015. 1. Com base no art. 105 da

Leia mais

Ferramentas do Sistema de Registro de Preços. Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão

Ferramentas do Sistema de Registro de Preços. Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão Ferramentas do Sistema de Registro de Preços Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão OBJETIVO Divulgar ferramentas e alternativas que auxiliam os gestores no planejamento e execução das despesas:

Leia mais

PROJETO RN SUSTENTÁVEL GUIA DE LICITAÇÕES/ CONTRATAÇÕES

PROJETO RN SUSTENTÁVEL GUIA DE LICITAÇÕES/ CONTRATAÇÕES PROJETO RN SUSTENTÁVEL GUIA DE LICITAÇÕES/ CONTRATAÇÕES Licitação e Aquisição de Bens Segundo as Normas do Banco Mundial ESTE ANEXO É PARTE INTEGRANTE DO MANUAL OPERATIVO DO PROJETO RN SUSTENTÁVEL E TEVE

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 9, DE 2 DE MARÇO DE 2011 (*) Estabelece os procedimentos a serem adotados para aquisição de materiais e bens e contratação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 7 DE 23 DE ABRIL DE 2010 Estabelece as normas para que os Municípios, Estados e o Distrito Federal

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO I V S E M I N Á R I O D E E X E C U Ç Ã O F I N A N C E I R A D E P R O J E T O S F I N A N C I A D O S C O M R E C U R S O S E X T E R N O S MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. PROJETO IDF SAÚDE Nº 07/2014 2. TÍTULO Consultoria individual especializada em Tecnologia da Informação - TI 3. ENQUADRAMENTO DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE APOIO AO MUSEU CASA DE PORTINARI ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS E LOCAÇÕES SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO CAPÍTULO II DAS COMPRAS Titulo

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA

EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA O CONASS: O Conselho Nacional de Secretários de Saúde é uma entidade

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 16/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇO RELATIVA AO PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 13/2015-SEGUP/PA.

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 16/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇO RELATIVA AO PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 13/2015-SEGUP/PA. ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 16/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇO RELATIVA AO PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 13/2015-SEGUP/PA. Aos vinte e cinco dias do mês de junho do ano de 2015, o Secretário Adjunto de Gestão

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE COLOMBO REGULAMENTO

PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE COLOMBO REGULAMENTO Versão 1 (1128/02/2012) PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE COLOMBO REGULAMENTO I DEFINIÇÕES 1.1. O Programa de Fidelidade do Colombo Park Shopping, doravante denominado simplesmente Programa de Fidelidade CLUBE

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte e equiparadas nas contratações de bens, prestação de serviços e execução de obras, no âmbito

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Aos 06 de Maio de 2014, nos termos do art. 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de um lado o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ, por meio da, representada pelo

Leia mais

COLETA DE PREÇOS nº 06/2013 1. PREÂMBULO

COLETA DE PREÇOS nº 06/2013 1. PREÂMBULO COLETA DE PREÇOS nº 06/2013 1. PREÂMBULO 1.1. A ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL, torna pública a realização de Seleção de Fornecedores na modalidade Coleta de Preços, pelo critério menor preço, objetivando

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

ANEXO C PROCEDIMENTO ALTERNATIVO PARA LICITAÇÕES

ANEXO C PROCEDIMENTO ALTERNATIVO PARA LICITAÇÕES ANEXO C LEG/OPR1/IDBDOCS: 547205 PROCEDIMENTO ALTERNATIVO PARA LICITAÇÕES Programa de Modernização do Sistema de Controle Externo dos Estados, Distrito Federal e Municípios Brasileiros - PROMOEX (Fase

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE

NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE NORMAS E INSTRUÇÕES DE ACOMPANHAMENTO Anexo à Resolução nº 660/87 1 - APLICABILIDADE As presentes Normas aplicam-se ao acompanhamento de beneficiário de colaboração financeira, objetivando manter o Sistema

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE TERMOS DE COOPERAÇÃO Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para celebração, execução e prestação de contas

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 82, incisos V e VII, da Constituição do Estado,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 82, incisos V e VII, da Constituição do Estado, DECRETO N 42.434, DE 09 DE SETEMBRO DE 2003, DOERS. Regulamenta, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, a modalidade de licitação denominada pregão, por meio eletrônico, para a aquisição de bens e serviços

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 01/06/2006 Emissão inicial 05/06/2007 Primeira Revisão Elaborado: 05/06/2007 Superintendente e ou Gerente da unidade Revisado: 05/06/2007

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESPECIALISTA EM LICITAÇÕES PARA O

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

EDITAL. Pregão Presencial Nº 000002/2014

EDITAL. Pregão Presencial Nº 000002/2014 Pregão Presencial Nº 000002 Data: 11 de março de 2014 ÀS 08:30 Processo Nº: 000002/2014 PREAMBULO A PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DE SÃO FRANCISCO, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, com sede na Rua Desembargador

Leia mais

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CGFPHIS Nº 016, DE 28 DE MAIO DE 2013

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CGFPHIS Nº 016, DE 28 DE MAIO DE 2013 Deliberação Normativa nº 016, de 28 de maio de 2013. Reedita, com alterações, a Deliberação Normativa nº 014, de 11 de setembro de 2012, que aprovou a implantação do PROGRAMA CASA PAULISTA APOIO AO CRÉDITO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE Termo de Referência para Contratação de Serviço de Consultoria (Pessoa Jurídica) para Reestruturação do Portal da Transparência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1 Contratação de serviço de fornecimento de assinatura de jornais impressos e revistas, assim como acesso às matérias on line dos respectivos jornais e revistas para

Leia mais

Manual de Contratação de bens e serviços via Shopping e de execução de Eventos com recursos externos 2012

Manual de Contratação de bens e serviços via Shopping e de execução de Eventos com recursos externos 2012 Manual de Contratação de bens e serviços via Shopping e de execução de Eventos com recursos externos 2012 REVISADO EM OUTUBRO DE 2015 1 Abreviações BID: Banco Interamericano de Desenvolvimento BIRD: Banco

Leia mais

GRUPO. CEP: 57020-670 - Cel. 8830-6001. WAPPE PUBLICIDADE E EVENTOS LTDA Unidade de Cursos www.wap.com.br CNPJ: 05.823.069/0001-39

GRUPO. CEP: 57020-670 - Cel. 8830-6001. WAPPE PUBLICIDADE E EVENTOS LTDA Unidade de Cursos www.wap.com.br CNPJ: 05.823.069/0001-39 Curso de Licitações, Contratos e Sistema de Registro de Preços (SRP) - 20 e 21 de Março Módulo i- licitação Definição O dever de licitar Quem pode licitar Pressuposto Natureza jurídica e fundamentos Legislação

Leia mais

Relatório de Auditoria Exercício de 2013

Relatório de Auditoria Exercício de 2013 Relatório de Auditoria Exercício de 2013 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Controladoria-Geral da União Banco Intern. para Reconstrução e Desenvolvimento BIRD Projeto 7632-BR Belo Horizonte/MG, 2015 PRESIDÊNCIA

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO Brasília, 10 de Janeiro de 2013. Prezadas Senhoras, Prezados Senhores, A ONU Mulheres Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres solicita

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*)

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) Disciplina no âmbito do IFPR as Orientações acerca da Execução Orçamentária e Financeira, relativas à Concessão de Suprimentos

Leia mais

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 11/2015-BNDES Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO

PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO PROGRAMA DE FIDELIDADE INTERLAGOS CARD REGULAMENTO I DEFINIÇÕES 1.1. O Programa de Fidelidade do INTERLAGOS CARD é uma ação de relacionamento com clientes, caracterizada como programa de fidelização, que

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

PROGRAMA PROGOVERNO BIRD

PROGRAMA PROGOVERNO BIRD PROGRAMA PROGOVERNO BIRD TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2013 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA DE EMPRESA ESPECIALIZADA QUE IRÁ DESENVOLVER E MINISTRAR TREINAMENTO NA ELABORAÇÃO DE TERMO DE

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS

REGULAMENTO DE COMPRAS REGULAMENTO DE COMPRAS A SPDM /PAIS Associação Paulista Para O Desenvolvimento da Medicina, vem por meio deste dar publicidade ao Regulamento Próprio utilizado contendo os procedimentos que adotará para

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

Carta Convite LICITAÇÃO PARA CONFECÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO

Carta Convite LICITAÇÃO PARA CONFECÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO Carta Convite LICITAÇÃO PARA CONFECÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO CARTA CONVITE Nº 001/2015 A Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial CETEFE, situada em SAIS Área 2ª ED. ENAP Ginásio de

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA ARMADA PARA AS INSTALAÇÕES DO ONS EM BRASÍLIA/DF

INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA ARMADA PARA AS INSTALAÇÕES DO ONS EM BRASÍLIA/DF INSTRUÇÕES AOS PROPONENTES CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA ARMADA PARA AS INSTALAÇÕES DO ONS EM BRASÍLIA/DF Ref: Aviso de Edital ADG nº 003/2014 publicado em 28/10/2014. 1 1. OBJETO A

Leia mais

a.1.4) Em caso de Associação Civil, a aceitação de novos associados, na forma do estatuto;

a.1.4) Em caso de Associação Civil, a aceitação de novos associados, na forma do estatuto; CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 002/2014 QUALIFICAÇÃO DE ENTIDADES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL NA ÁREA DE SAÚDE O Município de Fontoura Xavier, Estado do Rio Grande do Sul, pessoa jurídica

Leia mais

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI Dispõe sobre as atribuições dos agentes de compras

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.007, DE 9 DE OUTUBRO DE 2013. Altera a Portaria MEC nº 168, de 07 de março de 2013, que dispõe sobre a oferta da Bolsa-Formação no âmbito do Programa Nacional de Acesso

Leia mais

UNIDADE DE COORDENAÇÃO DO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

UNIDADE DE COORDENAÇÃO DO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES Plano de Licitação I.Considerações Gerais. Informações sobre o Projeto País: Brasil Mutuário: Estado de São Paulo Nome do Projeto: Projeto de Recuperação de Matas Ciliares Doação Nº.: TF 05509 Secretaria

Leia mais

PROJETO PROBIO II TF-091515-BR

PROJETO PROBIO II TF-091515-BR PROJETO PROBIO II TF-091515-BR Aquisições e Contratações de Bens, Serviços, Obras e Serviços de Consultoria Objetivos Apresentar as normas e procedimentos específicos aplicáveis às aquisições e contratações

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 01/03 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Decisões Nº 04/96, 24/00, 1/02, 16/02 e 30/02 do Conselho

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 477, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre o Seguro Garantia, divulga Condições Padronizadas e dá outras providências. O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015)

BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015) ESTADO DE PERNAMBUCO PROCURADORIA GERAL DO ESTADO BOLETIM INFORMATIVO DA PROCURADORIA CONSULTIVA Nº 03/2015 (MARÇO DE 2015) 1. Instruções para prorrogações de convênios celebrados pela Administração Direta

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO - PESSOA FÍSICA EDITAL Nº 002/11/SMADS/CGP

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO - PESSOA FÍSICA EDITAL Nº 002/11/SMADS/CGP EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO - PESSOA FÍSICA EDITAL Nº 002/11/SMADS/CGP Telefone (061) 3038 9300 Fax (061) 3038 9009 Internet: registry@undp.org.br

Leia mais

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA Apólice: 024612013000107750002827 Processo SUSEP : 15414.004045/2010-49 Endosso: 0000000 Número de Controle Interno: 7202Ě CONDIÇÕES PARTICULARES A Austral Seguradora

Leia mais

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO:

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: Considerando: - A Lei nº 12.232/10 estabelece no seu art. 4º que, para participar de licitações públicas, as agências

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ.

EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ. PREÃMBULO 1994 EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ. A Prefeitura Municipal de Marabá, por intermédio

Leia mais

Dispõe sobre a redução do valor global das gratificações de encargos especiais nos casos em que menciona e dá outras providências.

Dispõe sobre a redução do valor global das gratificações de encargos especiais nos casos em que menciona e dá outras providências. DECRETO Nº 25.826, DE 14 DE DEZEMBRO DE 1999. Publicado no D.O. nº 237, de 15 Dez 99, Pág, 04 e 05 e 06 e Transcrito no Boletim da SEDEC nº 179, de 15 Dez 99. Dispõe sobre a redução do valor global das

Leia mais

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Legislação Tributária ARRECADAÇÃO Ato: Lei Número/Complemento Assinatura Publicação Pág. D.O. Início da Vigência Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Ementa: Cria

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. PROJETO IDF SAÚDE Nº 06/2014 2. TÍTULO Consultoria individual especializada em Engenharia Clínica/Biomédica. 3. ENQUADRAMENTO NO PROJETO Componente

Leia mais

Luxemburgo-Luxemburgo: BEI - Assistência em serviços de documentação, biblioteca, gestão de documentos e arquivos para o Grupo BEI 2015/S 016-023877

Luxemburgo-Luxemburgo: BEI - Assistência em serviços de documentação, biblioteca, gestão de documentos e arquivos para o Grupo BEI 2015/S 016-023877 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:23877-2015:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: BEI - Assistência em serviços de documentação, biblioteca, gestão de documentos

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS EDITAL Nº 008/2015

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS EDITAL Nº 008/2015 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS EDITAL Nº 008/2015 CONVÊNIO Nº: 812779/2014 SDH/PR PROCESSO LICITATÓRIO Nº: 012/2015 TIPO: Cotação prévia de preços / Menor preço OBJETO: Contratação de Seguro contra Acidentes

Leia mais

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR Objeto da Concorrência

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL

SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL 1. OBJETO Este regulamento estabelece as regras gerais da Seleção Pública Petrobras Cultural Minas Gerais Edição 2014. São

Leia mais

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Edital DIRPPG 19/2012

Ministério da Educação. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Edital DIRPPG 19/2012 lwrpr Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE TECNOLOGICA. FEDERAL 00 PARANA Edital DIRPPG 19/2012 PROGRAMA

Leia mais

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331. Convite à manifestação de interesse

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331. Convite à manifestação de interesse 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:98331-2014:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331 Convite à manifestação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Aracaju Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento

Prefeitura Municipal de Aracaju Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento 1 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de serviços de Consultor Ambiental para compor a unidade de gerenciamento do Programa Integrado De Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social PROCIDADES/BID CONTRATO 2258/OC-BR.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PROCESSO: 0007733-93.2015.4.02.5110 (2015.51.10.007733-0) AUTOR: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL REU: MUNICIPIO DE BELFORD ROXO Fls

Leia mais

IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização

IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização INTRODUÇÃO 1. O processo de venda de ativos, de modo geral, e de participações societárias, principalmente as majoritárias, em particular,

Leia mais