aiminhojornalwww.aiminho.pt 121 Julho 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "aiminhojornalwww.aiminho.pt 121 Julho 2011"

Transcrição

1 No interior tudo sobre a campanha novos associados aiminho Fique informado de todas as vantagens, veja na página 3 Juntos, somos ainda mais fortes! aiminhojornalwww.aiminho.pt 121 Julho 2011 preço de capa 1 (oferta para empresas associadas e entidades) Desafio Ousar regressa para apoiar 10 novas ideias de negócio PÁG. 3 prefeitos das duas cidades brasileiras estiveram na aiminho Empresários portugueses podem beneficiar de excelentes condições de investimento em Aquiraz e Uberaba, no Brasil PÁG. 4 e 5 3ª Actividade Integradora do curso EFA de Nível Secundário Segurança e Higiene no Trabalho Curso EFA da AIMinho promove sessão de Sensibilização sobre Segurança PÁG. 4 No âmbito do primeiro Open Days realizado em Braga, António Marques, presidente da AIMinho, defendeu Universidades estão longe da realidade empresarial apostar na formação-acção PÁG. 7

2 1º plano Nova edição abre candidaturas a 19 de Setembro Desafio Ousar regressa para apoiar dez novas ideias de negócio Em 2010, a primeira edição do Desafio OUSAR apoiou a criação de 20 novas empresas Prémios pecuniários, consultoria, mentoring, incubação e apoio na procura de financiamento são alguns dos prémios a concurso Dez novas ideias de negócio inovadoras vão poder contar com o apoio da AIMinho para a sua concretização. O Desafio Ousar, o concurso de apoio ao empreendedorismo da AIMinho, regressa já em Setembro e promete dar seguimento ao sucesso da primeira edição. O Desafio Ousar decorre entre 19 de Setembro e 16 de Dezembro de 2011 e tem como objectivo despertar a capacidade de iniciativa e criatividade dos potenciais empreendedores, assim como desenvolver competências empreendedoras e cimentar ideias de negócios. Actuando na área do Empreendedorismo e Espírito Empresarial, o projecto baseia a sua intervenção numa filosofia de apoio e incentivo ao empreendedorismo, através de um trabalho em rede com algumas das principais entidades da região. O desafio proporciona aos potenciais empreendedores a passagem por algumas situações que lhes permitirão aferir se possuem as capacidades para serem um empreendedor, permitindo-lhes também pensar mais aprofundadamente nesta questão, uma vez que é proporcionada informação, novos conhecimentos e aquisição de competências etapa a etapa. A iniciativa conta com o apoio de diferentes entidades do sistema de Ensino Superior, ligadas ao financiamento, inovação, gestão e empreendedorismo, e entidades associativas de apoio às empresas. Para ficar a saber mais sobre o Desafio visite o site, em www. ousar.pt, ou contacte o gabinete OUSAR, através do telefone e do Os prémios em jogo Os dez projectos melhor classificados que pretendam avançar para a criação da própria empresa irão beneficiar de apoio na elaboração do Plano de Negócio, aconselhamento e assistência técnica ao arranque do negócio. Este apoio será facultado através da disponibilização de 70 horas de consultoria técnica especializada. Adicionalmente, os dez melhores classificados terão acesso a um Programa de Mentoring, no qual lhes será atribuído um mentor com grande experiência e conhecimentos na área de negócio do projecto, que irá dar apoio no avanço da ideia de negócio. Finalmente, estas dez ideias beneficiarão também de apoio na procura de financiamento, através do encaminhamento e análise dos Planos de Negócio a Sociedades de Capital de Risco e/ou apresentação dos projectos/plano de negócios, se oportuno, a um conjunto de empresários. Os cinco melhores projectos obterão, ainda, apoio na incubação das suas empresas, traduzido na oferta de seis meses em incubadoras de empresas com as quais, no âmbito desta iniciativa, a AIMinho estabeleça Protocolos de Colaboração. Os três melhores projectos do desafio Ousar receberão ainda prémios pecuniários nos seguintes valores - 1º Classificado 2.500,00 Euros, 2º Classificado 2.000,00 Euros e 3º Classificado 1.500,00 Euros. Para beneficiar dos prémios/apoios, os dez melhores classificados deverão fazer prova da constituição da empresa até 30 dias após a divulgação dos resultados, embora seja admissível que o início de actividade da respectiva empresa possa acontecer até um ano após a data da sua constituição. 2

3 1º PLANO Sobre o Desafio OUSAR? A quem se destina e qual a área geográfica abrangida? Constituem o público-alvo do Projecto Ousar jovens com idades entre os 18 e os 35 anos, com qualificações iguais ou superiores ao nível IV (Ensino Secundário e nível 3 de formação nível IV de qualificação). No que diz respeito à área geográfica, o Projecto OUSAR abrange as regiões NUTS II Norte (Distritos de Braga, Viana do Castelo, Porto, Bragança e Vila Real) e Centro do País (Distritos Aveiro, Coimbra, Leiria, Viseu, Guarda e Castelo Branco). Quais são os sectores preferenciais? Serão consideradas todas as ideias de negócio em qualquer sector de actividade, sendo os sectores das Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica, Biotecnologia, Saúde e Bem-estar, Energia e Indústrias Criativas preferenciais. De que consta o Desafio? A participação no Desafio Ousar implica que o potencial empreendedor ultrapasse um desafio que contempla oito etapas, todas elas diferentes e dedicadas às diversas áreas do empreendedorismo. Os participantes terão que percorrer as oito etapas para aferir o seu grau de aptidão para empreender um negócio próprio. As etapas são Motivação para o Empreendedorismo, Perfil do Empreendedor, A Ideia, Os Meios, A Envolvente Externa, O Plano Financeiro, A Constituição da Empresa e O Arranque do Negócio. Como se concorre? A participação no Desafio Ousar deverá ser formalizada e submetida directamente no site do projecto (www.ousar.pt), nomeadamente através do preenchimento do formulário electrónico disponível. Apenas serão consideradas válidas as candidaturas totalmente concluídas e com todas as etapas ultrapassadas. Ao abrigo do Regulamento, um empreendedor poderá apresentar mais do que uma candidatura, desde que associada a diferentes ideias. Como são avaliadas as candidaturas? As candidaturas serão avaliadas através do indicador Mérito Empreendedor (ME), em função de um conjunto de critérios de selecção, e com base em metodologia de cálculo definida no regulamento. As candidaturas serão posteriormente organizadas por ordem decrescente em função do ME e, em caso de igualdade, constituirão factores de desempate, em primeiro lugar, os sectores de actividade preferenciais definidos pelo projecto, e, em segundo lugar, a data de entrada da candidatura. 3

4 Iniciativas Prefeito visitou AIMinho e conheceu realidade da região Cidade de Uberaba apresentada aos empresários da região Anderson Adauto, prefeito da cidade brasileira de Uberaba, esteve na AIMinho e reuniu com algumas empresas da região Vice-presidente da AIMinho, José Neves, com o director-geral da associação e o prefeito de Uberaba O prefeito da cidade brasileira Uberaba, Anderson Adauto, esteve recentemente na AIMinho e reuniu com vários empresários da região. O objectivo era dar a conhecer a cidade e as oportunidades existentes e ficar a conhecer melhor a realidade empresarial do Minho e o que as empresas têm para oferecer. Uberaba é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na região do Triângulo Mineiro. A sua população, segundo o Censo 2010 de IBGE, é de habitantes e está entre as oito maiores cidades do estado. A cidade tem, segundo o prefeito, muitas características semelhantes ao Minho. Neste momento, Uberaba está a viver um momento de crescimento, mas ainda está atrasada relativamente ao país. Há muito que as regiões podem fazer uma pela outra, afirmou, considerando que existem condições para se avançar com uma parceria. Oferece uma posição estratégica no país, situando-se a cerca de 500 km dos principais centros económicos do Brasil e é forte em termos de riquezas naturais como os minérios. É onde está a matéria-prima, explica Anderson Arauto. A metalomecânica é uma área com muita procura. Acção enquadra-se na 3ª Actividade Integradora do curso EFA de Nível Secundário Segurança e Higiene no Trabalho Curso EFA da AIMinho promove sessão de Sensibilização sobre Segurança Infantil Iniciativa apresentou principais medidas de prevenção O curso EFA de Nível Secundário de Segurança e Higiene no Trabalho da AIMinho desenvolveu uma Sessão de Sensibilização sobre Segurança Infantil, que decorreu no Centro Cultural e Social de Santo Adrião. A acção enquadrou-se na 3ª Actividade Integradora do curso EFA de Nível Secundário (NS) Segurança e Higiene no Trabalho. A iniciativa foi aberta à comunidade e baseou-se numa sessão de apresentação sobre os diferentes tipos de acidentes mais constantes com crianças e na divulgação à audiência das principais medidas de prevenção a adoptar para evitar ou minimizar a ocorrência deste tipo de acidentes. A actividade proporcionou mais um momento de aprendizagem prática para os formandos do curso, que assumiram um papel activo em toda a sessão, aplicando os conhecimentos adquiridos no decorrer da formação tecnológica e de base. O curso EFA NS Segurança e Higiene no Trabalho é uma das ofertas formativas de dupla certificação escolar e profissional que a AIMinho está a desenvolver, homologado pela ACT, no âmbito da sua estratégia de intervenção para a qualificação dos recursos humanos da região. Este curso teve início em Julho de 2010 e terminará em Agosto de 2011 e inclui um período de formação prática em contexto de trabalho e empresa, já em curso desde 1 de Julho. Acção de sensibilização sobre Segurança Infantil 4

5 INICIATIVAS Mercados da construção e do imobiliário têm forte potencial de expansão e de valorização na região do Ceará Empresários portugueses podem beneficiar de excelentes condições de investimento em Aquiraz Conhecer o mercado de Aquiraz e as oportunidades existentes para as empresas nacionais foi um dos objectivos da sessão Presidente da AIMinho dirige sessão de trabalho com o prefeito de Aquiraz e vários empresários A forte política de incentivos, a costa de excelência e potencial de crescimento e de valorização dos mercados da construção e do imobiliário e as boas acessibilidades rodoviárias são algumas das principais características da região de Aquiraz, no Brasil, apresentadas no seminário Oportunidades de Negócio no Brasil - Aquiraz, Fortaleza, Ceará, que a AIMinho promoveu recentemente e que contou com a presença do prefeito da cidade, Edson Sá. Nos próximos dez anos, Aquiraz será a maior cidade do Ceará na área do investimento imobiliário e do turismo, refere Edson Sá. O prefeito destaca ainda o facto da cidade ser muito promissora, dadas todas as condições que reúne, bem como a localização e o clima. Os investidores estão a chegar lá e a valorização tem sido muito rápida, acrescentou o governante. O estado tem apoiado fortemente o investimento na região, beneficiando os investidores interessados com várias medidas de incentivo e de apoio, nomeadamente através da doação do terreno para implementação do negócio. Por outro lado, têm sido criadas medidas que simplificam os entraves burocráticos, sem prejuízo do meio ambiente, e que têm contribuído para aproximar muitos investidores. Segundo José Augusto Rosário Dias, advogado especialista no apoio a investimentos no Brasil, o país trata tão bem qualquer imigrante que o procura. O Brasil é o país do futuro e a região do nordeste está a ter um desenvolvimento muito grande. Criar uma sociedade limitada, em vez de uma sociedade anónima foi um dos conselhos do advogado, tendo em conta a simplificação do processo aquando da criação da empresa. Actualmente, os portugueses são os maiores investidores em Aquiraz, principalmente na área dos imóveis. A JSQIMO e a Golden Construções são dois exemplos de empresas nacionais, concretamente do Minho, a actuar no mercado brasileiro e com sucesso. A contratação de um advogado e de um contabilista foi uma das acções destacadas pelo empresário português, Ermelando Sequeira, da JSQIMO, para quem o Brasil é um país motivador, estável e organizado. Analisar muito bem o mercado, como funciona e qual é a atitude a tomar é fundamental, acrescentou o investidor que reforçou a importância da exportação. Luís Nunes Filho, da Golden Construções, referiu a elevada carência ao nível de habitação, nomeadamente da segunda habitação (turismo) e as oportunidades de investimento geradas por esta situação. Com um índice de crescimento exageradamente grande em relação ao resto do Brasil, Aquiraz é uma cidade muito próspera e com preços mais competitivos e baratos em relação ao sul, por exemplo, São Paulo. O empresário explicou ainda como funciona o modelo de parcerias no Brasil, alertando para a necessidade de existir a figura do gerente/administrador (não precisa de ser sócio mas tem de ser uma pessoa brasileira) para a criação de uma empresa. As parcerias com as empresas locais são importantes até se ter um nome no mercado porque trazem credibilidade, conclui o empresário. Publicidade 5

6 INICIATIVAS AIMinho recebe seminário Energia e Sustentabilidade em Edifícios Públicos e de Serviços no âmbito do Projecto Readi Ferramenta de autodiagnóstico permite avaliar consumo energético dos edifícios Ferramenta auxilia as micro e pequenas empresas a avaliar a eficácia energética das suas instalações Seminário sobre energia e sustentabilidade A ferramenta de autodiagnóstico desenvolvida no âmbito do Projecto Readi é uma mais-valia pois permite às empresas um melhor conhecimento do seu real consumo de energia sem que seja necessário conhecimento técnico especializado. A ideia de António Rocha, coordenador da União das Associações Empresariais da Região Norte (UERN), foi apresentada recentemente no seminário Energia e Sustentabilidade em Edifícios Públicos e de Serviços, nas instalações da AIMinho, em Braga. A ferramenta baseia-se em dois regulamentos, o SGCIE Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia (dirigido à indústria) e o RCESE Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios (dirigido aos serviços). Na sessão, Luís Caturna, da Siemens, defendeu que a eficiência energética é um dos aspectos que mais contribui para a rentabilidade das empresas. Estas tendem, contudo, a confundir gestão energética com controlo. Segundo o orador, só a recolha aprofundada de informação e o tratamento e cruzamento dos dados obtidos permitem chegar a decisões fundamentadas e eficientes, com impacto real e maximizado, que vão além da simples implementação de medidas académicas de redução de custo. Nelson Soares, da Smartwatt, explicou a necessidade de apostar nesta área e realçou ainda o papel que pode ser desempenhado pelas energias renováveis. O crescimento da necessidade de energia vai ser galopante e as energias renováveis permitem colmatar a dependência do petróleo, o que não só reduz custos como diminui a dependência externa. Para Nelson Soares, isto assume especial importância em edifícios públicos e de serviços, pois permite recorrer à produção autónoma e reduzir as emissões de CO2. O seminário Energia e Sustentabilidade em Edifícios Públicos e de Serviços integra-se num ciclo de sessões que vai decorrer na região norte e centro de Portugal, no âmbito do Projecto Readi, promovido pela União das Associações Empresariais da Região Norte (UERN) e pela Câmara de Comércio e Indústria do Centro (CEC/CCIC). Curso de Gestão de Fluxos Financeiros e Controlo de Tesouraria IEMinho estabelece parceria com EGS - Health & Business School As empresas incubadas no IEMinho têm condições de acesso preferenciais a formação intensiva da EGS Os empreendedores do IEMinho passaram a dispor de novas vantagens na área da formação, através de uma parceria que o instituto estabeleceu com a EGS Health & Business School, uma das suas empresas incubadas. Assim, todas as empresas instaladas no IEMinho e seus colaboradores vão poder frequentar o curso de Gestão de Fluxos Financeiros e Controlo de Tesouraria, com um desconto de 10 por cento na inscrição. Este curso decorre nas instalações do IEMinho e é desenvolvido no formato FTP - Fast Trainig Program. Os FTP são formações intensivas, de apenas com dez horas de formação. A EGS Health & Business School é um projecto de formação avançada especializada que congrega duas áreas no seu interior: a EGS Health School e a EGS Business School. Apresentar ao mercado algo novo, diferente e inovador na área da formação pós-graduada, que dote as instituições e os seus quadros de conhecimentos e práticas de excelência em tempo real e útil é o objectivo da formação desenvolvida O IEMinho está sempre à procura de novas oportunidades para as empresas incubadas. Foi neste sentido e procurando sempre identificar oportunidades que possam ser do interesse das empresas que se estabeleceu esta nova parceria. Mais informações sobre o curso e inscrições em 6

7 No âmbito do primeiro Open Days realizado em Braga, António Marques, presidente da AIMinho, defendeu INICIATIVAS Universidades estão longe da realidade empresarial do Norte de Portugal e Galiza Investigação, Desenvolvimento e Inovação estiveram em debate no segundo dia do Open Days, iniciativa organizada pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Galiza e Norte de Portugal Open Days decorreu no INL As universidades do Norte de Portugal e Galiza são de excelência, mas longe da realidade empresarial da região transfronteiriça, defendeu António Marques, presidente da AIMinho, que reforçou a ideia com o facto das empresas estarem longe do conhecimento científico e dos projectos de investigação & desenvolvimento (I&D) desenvolvidos pelos investigadores e universidades. As conclusões foram apresentadas no segundo dia do Open Days Integrar espaços, Desafios Transfronteiriços da Europa que decorreu em Braga, no auditório do INL Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia. O evento local da euro-região Norte de Portugal e Galiza contou com a presença de cerca de uma centena e meia de investigadores, autarcas e empresários, em sessão moderada por Ana Teresa Lehman, vice-presidente da CCDR-Norte. António Marques revelou que se tem investido bastante em I&D, mas que para a prática empresarial, este investimento não está a ser traduzido em resultados. A realidade do meio empresarial galego e português não é a mesma das universidades. O que nós temos são empresas pequenas, empresários sem conhecimentos e desconfiados. Estas mudanças são rápidas no macromundo dos negócios. Há uma grande distância da excelência dos centros tecnológicos relativamente ao perfil das nossas empresas. António Cunha, reitor da UM, admitiu alguma descoordenação entre centros académicos mas defendeu que a região tem grande potencial uma vez que conta com mais de 120 mil alunos universitários, 15 mil docentes e investigadores e com vários institutos de excelência que é preciso capitalizar ainda mais. As universidades têm de se articular melhor e os centros de investigação também. É um caminho que tem de ser feito em articulação com as autoridades deste território com uma integração mais efectiva, resumiu o reitor da UM. A iniciativa foi organizada pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Galiza e Norte de Portugal, com o apoio da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e a Xunta de Galicia. Os primeiros Open Days realizaram-se também em Vigo e no Porto, tendo por objectivo promover a investigação, a inovação, o desenvolvimento, a mobilidade e o turismo. empresa actua nas áreas da construção, hidráulica fluvial e marítima e arranjos urbanísticos Aurélio Martins Sobreiro & Filhos marca presença em Angola e Moçambique Fundada em Setembro de 1970 e com sede em Viana do Castelo, a Aurélio Martins Sobreiro & Filhos, S.A. é uma referência na região do Minho. Hoje, a internacionalização faz parte da estratégia da empresa, que marca presença em alguns mercados externos, nomeadamente em Angola e Moçambique. Recentemente, conquistou novos negócios em Moçambique, reforçando assim a sua posição naquele país. Actualmente, o Grupo Sobreiro conta com um total de 370 colaboradores e 70 por cento da facturação da empresa provém de obras fora da região. Ao longo de mais de quatro décadas de actividade, a Aurélio Martins Sobreiro & Filhos, S.A. tem-se dedicado à execução de obras públicas e privadas, com especial destaque nas obras de infra-estruturas viárias. Além da área da construção, a empresa executa ainda obras de hidráulica fluvial e marítima, bem como arranjos urbanísticos e obras de arte em betão armado. A pavimentação é outra das áreas de actividade onde a empresa é bastante competitiva. A Aurélio Martins Sobreiro & Filhos, S.A. comercializa ainda inertes e artefactos de cimento, que têm fabrico próprio nas instalações do estaleiro central. Desde 1997, passou também a produzir, aplicar e comercializar produtos acabados de granito serrado, através das novas instalações construídas em Vila Praia de Âncora 7

8 Actualidade No âmbito do memorando troika Legislação laboral terá 100 novas medidas até Setembro Área Jurídica da AIMinho prepara documento síntese das principais alterações a entrar em vigor ainda este ano 8 O Governo português terá de implementar, ainda em 2011, cerca de 200 medidas estabelecidas no memorando troika, em troca do acordo de financiamento de 78 mil milhões, no âmbito do pedido de auxílio financeiro externo solicitado por Portugal. Destas, 100 medidas deverão estar concretizadas até ao final do próximo mês de Setembro. Assim, no presente mês de Julho deverá ser submetida à Assembleia da República legislação, no sentido de implementar desde já algumas das reformas previstas, nomeadamente ao nível da legislação laboral em que se prevê a alteração das regras de cálculo para as compensações por cessação de contrato de trabalho em relação às novas contratações, medida que reduzirá os custos para as empresas e vai fomentar a criação de novos postos de trabalho. Os alvos a atingir são o sector empresarial do Estado, reformar a administração pública, os tribunais e o funcionamento da justiça, a administração fiscal, o sector da saúde (com o já anunciado aumento das taxas moderadoras e o recurso mais generalizado dos medicamentos genéricos,o sector bancário, o sector energético, com maior impacto no sector das energias renováveis, o mercado do trabalho com alterações à legislação laboral (quer para o sector privado quer para função pública), a Lei do Arrendamento Urbano, Lei nº 6/2006, que sofrerá alterações com vista a tornar este mercado mais dinâmico e eficiente, a reabilitação do imobiliário, procurando-se simplificar todos os procedimentos administrativos em matéria de reabilitação, a Lei da Concorrência, o Código de Insolvência, entre muitas outras medidas em sectores que afectam a vida dos cidadãos e das empresas, constantes do documento divulgado este mês, online, pelo Ministério das Finanças. Também ao nível da política fiscal estão anunciadas diversas medidas e iniciativas, conducentes ao aumento de impostos, tais como a extinção e redução de benefícios fiscais, redução das deduções fiscais, estando previstas alterações ao nível do IRS, IRC e IVA com a revisão da lista I (taxa reduzida) anexa ao Código do IVA bem como ao nível do imposto sobre veículos (ISV) e imposto sobre o tabaco. Estão igualmente previstas alterações ao nível da tributação dos impostos sobre o património, com o agravamento do IMI (imposto municipal sobre imóveis) e IMT (que deverá sofrer uma ligeira redução). Ainda para reforçar a competitividade das empresas está prevista a redução da taxa social única (TSU) a cargo das entidades empregadoras em pelo menos quatro pontos percentuais, admitindo-se que tal redução possa vir a ser ainda mais acentuada. No âmbito da legislação laboral e das relações de trabalho, quer para o sector da Administração Pública quer para o sector privado, estão previstas numerosas medidas a implementar no curto prazo. As de maior impacto são as medidas previstas ao nível das alterações ao Código do Trabalho, com vista à redução das indemnizações pela cessação dos contratos de trabalho, e as de redução das contribuições para a segurança social (taxa social única), com vista a reduzir os custos laborais e melhorar a competitividade das empresas. Consulte no portal da AIMinho, em os quadros síntese desenvolvidos pela Área Jurídica da AIMinho, das medidas que merecem desde já maior atenção pelo impacto e repercussão junto das empresas ao nível da legislação laboral, das prestações sociais e das políticas de emprego.

9 9

10 Seminário UERN Energia e Sustentabilidade nas Empresas e nos Edifícios de Serviços Reunião Prefeito Uberaba, Brasil Seminário de Apresentação do Mercado de Aquiraz 10

11 Open Days Integrar espaços, Desafios Transfronteiriços da Europa 11

12 Associados prémio revelação rh é atribuído pela revista RH Magazine Directora de Recursos Humanos do Grupo CH conquista prémio Distinção é atribuída todos os anos e pretende homenagear um profissional dos Recursos Humanos que tenha demonstrado ser uma revelação no exercício das suas funções Susete Pires, directora de RH do Grupo CH Susete Pires, 31 anos, directora de recursos humanos do Grupo CH, foi a profissional eleita pela revista RH Magazine para o Prémio Revelação RH Segundo o júri, a escolha deste prémio teve como base características excepcionais que revelam uma forte capacidade de envolver as pessoas e mostrar verdadeiramente que o ADN das empresas é feito delas próprias. A decisão foi unânime e assentou na conjugação singular de sete características paixão, versatilidade e resiliência, focalização na criação de consensos, capacidade de ouvir e ler pessoas, simplicidade na frontalidade, humildade e luta pela felicidade colectiva. Para a premiada, esta distinção representa mais um prémio da equipa (Grupo CH), do que propriamente individual. Não teria alcançado este reconhecimento se não trabalhasse com esta equipa fantástica. Susete Pires acrescentou ainda é um reconhecimento de facto muito importante para a minha carreira e para o meu desenvolvimento e crescimento profissional, mas foi especialmente relevante, pois serviu como mote para partilhar com todos, aquilo em que acredito - todos nós contribuímos com algo que merece ser reconhecido, de uma forma ou de outra. Na opinião de António Henriques, CEO do Grupo CH, esta distinção tem um significado muito especial, sublinhando bem a importância que atribuímos à gestão do talento em todas as empresas do grupo. Segundo o dirigente, o segredo do nosso êxito está nas pessoas. Elas são o principal valor da nossa organização, por isso escolhemos as melhores. Com esta distinção, o Grupo CH junta mais um reconhecimento nacional, depois de ter sido considerada a Melhor Empresa Portuguesa para Trabalhar pela revista Exame. Estes prémios enquadram-se na estratégia de comunicação iniciada este ano. A consultora tenciona partilhar com o mercado algumas das suas melhores práticas de gestão, que considera ao nível do que de melhor se faz no mundo, pretendendo desta forma afirmar-se como um exemplo positivo para outras organizações. Para a consultora, esta é a melhor forma de partilhar com o mercado a credibilidade da proposta de valor oferecida aos seus parceiros de negócio. E-Schooling BI foi apresentado a 450 directores e responsáveis por instituições de ensino em Portugal Codevision e Microsoft Portugal desenvolvem solução de BI para o sector da educação Ferramenta possibilita uma visão de alto nível da dinâmica educacional 12 A Codevision Software Engineering, em parceria com a Microsoft Portugal, desenvolveu uma nova solução inovadora de Business Intelligence especificamente para o sector da educação. O E-Schooling BI é uma aplicação que possibilita uma análise estruturada e profissional de diversos indicadores, entre os quais aproveitamento e insucesso escolar, assiduidade, indisciplina ou análise financeira. A ferramenta permite ainda aos órgãos de gestão tomadas de decisão rápidas, baseadas em análises de dados reais, de acordo com a realidade das escolas e agrupamentos. Enquanto especialista no desenvolvimento de soluções para o sector da educação, a Codevision foi a empresa seleccionada para o desenvolvimento desta ferramenta, tendo por base a experiência e know-how adquiridos junto de centenas de instituições de ensino que, neste momento, utilizam sistemas de informação desenvolvidos pela tecnológica. A parceria que possibilitou o desenvolvimento do E-Schooling BI surge assim na sequência do Programa Líderes Inovadores, promovido pela Microsoft e pelo Ministério da Educação, e que tem como objectivos desenvolver as competências de gestão e de liderança dos directores escolares e identificar áreas de melhoria de performance das suas escolas. A solução foi apresentada a 450 directores e responsáveis por instituições de ensino em Portugal, no Encontro Anual de Professores Inovadores, no âmbito da 7ª Conferência Partners in Learning, que se realizou no ISCPSP, em Lisboa. De registar que o E-Schooling BI integra totalmente com o E-Schooling Server, o sistema de informação para gestão escolar da empresa certificado pelo Ministério da Educação, sendo no entanto possível a sua integração com outras aplicações de gestão escolar. Para Marco Coelho, CEO da Codevision, a parceria com a Microsoft e o convite para o desenvolvimento desta ferramenta de BI é o reconhecimento do empenho da Codevision no desenvolvimento de produtos tecnologicamente inovadores para o sector da educação. O responsável da empresa, com escritórios em Braga e em Lisboa adianta ainda que o E-Schooling BI permite-nos alargar a oferta de produtos e disponibilizar o acesso a uma ferramenta única para instituições de ensino público e privado. Especializada no desenvolvimento de soluções para o sector da educação, hoje a Codevision é o parceiro tecnológico de centenas de clientes nos sectores público e privado, em Portugal e nos PALOP. Marco Coelho, CEO da Codevision

13 Empresa é especializada na área da limpeza e da desinfecção Quimiserve prevê resultados positivos para 2011 depois de crescer seis por cento em 2010 Empresa tem consolidado os resultados positivos, ano após ano, e estima continuar a crescer em 2011 ASSOCIADOS A Quimiserve atingiu um crescimento de dois dígitos no primeiro trimestre de 2011, esperando para o segundo semestre igual evolução, depois de em 2010 ter registado um aumento de seis por cento. Há mais de três décadas no mercado, é especialista na área da limpeza e da desinfecção, sendo hoje uma empresa de referência no mercado. Com uma forte aposta em tecnologia e investigação, a Quimiserve está dotada com um parque de máquinas, diversos meios de produção e ainda um laboratório devidamente equipado. Com uma equipa fortemente especializada, conta actualmente com 18 colaboradores, sendo que 50 por cento dos quadros são licenciados e 25 por cento têm o nível equivalente ao 12 ano. A formação é, por isso, uma das principais preocupações desta PME Excelência e, segundo Alexandre Proença, responsável pela empresa, a alta qualidade dos nossos recursos humanos e o estudo de produtos adaptados às suas condições de trabalho, visando maiores produtividades e um respeito pelo ambiente, têm justificado um pouco o êxito que a Quimiserve tem tido e que a tem ajudado a crescer. Com cinco engenheiros químicos, um agrónomo e dois economistas, tem ainda vindo a ampliar os seus quadros de vendas com colaboradores bem preparados, técnica e comercialmente. A empresa fabrica e comercializa produtos destinados a várias indústrias, tendo vindo a diversificar os mercados onde actua. A área prioritária é a indústria alimentar, onde os principais segmentos de mercado são produção e recolha de leite, indústrias de lacticínios, cervejeira, águas minerais, refrigerantes, vinhos, carnes e matadouros, conservas alimentares e afins e, ainda, padarias e pastelarias. Além disso, a empresa desenvolve produtos para outras áreas, nomeadamente ao nível da higiene industrial (hotelaria, restauração, colectividades, hospitais, empresas e lavandarias), da metalomecânica (anodização e lacagem de alumínios, esmaltagem, galvanoplastia e fabricantes de componentes metálicas), das colas industriais e, por fim, ao nível da nutrição e de matérias-primas. Produtos de limpeza e desinfecção, aditivos e componentes alimentares, colas industriais de rotulagem, sistemas de aplicação e equipamentos são algumas das soluções que a empresa disponibiliza no mercado, fornecendo ainda serviços de consultoria e de formação. Alexandre Proença, responsável pela Quimiserve Raminho - Indústria de Calçado - Unip., Lda. Concelho - Felgueiras Actividade - Fabricação de calçado Inográfica - Sociedade Unipessoal, Lda. Concelho - Braga Actividade - Actividades de preparação da impressão e de produtos media S. A. Segurança e Alarme, Lda. Concelho - Braga Actividade - Instalação e manutenção de equipamentos de segurança Barcelbrita - Britagem de Barcelos, Lda. Concelho - Barcelos Actividade - Extracção e comercialização de agregados Condocovila - Administração de Condomínios, Lda. Concelho - Vila Verde Actividade - Administração de condomínios Fuga para o Sucesso, Lda. Concelho - Guimarães Actividade - Actividades de limpeza geral em edifícios José Manuel da Cunha Fonseca & Ca., Lda. Concelho - Felgueiras Actividade - Manutenção e reparação de veículos automóveis Jorruber - Fabricação de Solas em Borracha - Unip., Lda. Concelho - Felgueiras Actividade - Fabricação de calçado José Moreira & João Moreira, Lda. Concelho - Braga Actividade - Manutenção e reparação de veículos automóveis BOassociados - Projectos de Engenharia, Lda. Concelho - Braga Actividade - Actividades de engenharia e técnicas afins Instaladora de Pichelaria e Aquecimento Central,Lda. Concelho - Vila do Conde Actividade - Instalação de canalizações 13

14 14

15 Empreendedorismo Jovens empreendedores querem dar mais relevo à imagem e ao vídeo Portal Mais Minho apostará no jornalismo de bairro O objectivo deste projecto é usar um jornalismo onde a informação é rápida e actual Rui Mendes e Sara Silva, fundadores do projecto Um portal informativo que tem por base o jornalismo hiperlocal, um conceito pouco conhecido em Portugal e que consiste na divulgação de temas de interesse local, neste caso da cidade de Braga. O Mais Minho será o primeiro meio do género em Portugal e está em processo de desenvolvimento por um grupo de três jovens da área do jornalismo e da informática. O jornalismo hiperlocal é o que em brasileiro chamam de jornalismo de bairro. As pessoas não conhecem porque em Portugal não há nenhum e na península ibérica só há um, que é em Madrid. O jornalismo hiperlocal caracteriza-se pela proximidade à comunidade que é um elemento base no jornalismo, explicou Rui Mendes. Para perceber se o projecto teria potencialidade, decidiram criar um site através do blogspot que foram actualizando diariamente, tendo obtido uma boa aceitação por parte do público. Neste momento, encontram-se a desenvolver um portal de raíz que preveêm estar em funcionamento, na sua plenitude, em Setembro, referiu Rui Mendes. A aposta na comunicação audiovisual e multimédia será uma constante no portal Mais Minho, sendo este o grande ponto de diferenciação em relação a outros meios de comunicação social de Braga. Vamos fazer foto notícias, dar mais relevo ao vídeo, à imagem e ao som, explica Rui Mendes. O objectivo é fazer reportagens com muitas hiperligações, pouco texto e bastantes imagens e vídeo, pois as gerações que se avizinham vão ler cada vez menos, acrescenta Sara Silva. Depois da participação no programa Ousar, promovido pela AI- Minho, o projecto Mais Minho obteve a possibilidade de se instalar no centro de incubação de empresas do IEMinho. Rui Mendes e Sara Silva estão muito satisfeitos com esta parceria não só pelas excelentes condições do espaço, mas também pelas sinergias que podem surgiu entre as outras empresas instaladas no IEMinho. Empresa quer aproximar sistemas do paradigma da economia digital Inforfuture aposta em software de gestão voltado para o exterior Disponibilizar às empresas sistemas de gestão direccionados para a economia digital, que as aproximem do consumidor final Aproximar as empresas do paradigma da economia digital, reforçando a ligação destas com a comunidade que as rodeia, é o principal objectivo da Inforfuture, um projecto do empreendedor Jorge Saraiva, incubado no IEMinho. A maior parte das aplicações de sistemas de gestão estão centradas na possibilidade de controlar - cortar custos, garantir margens e controlar tudo o que se passa dentro das empresas, explica Jorge Saraiva. Contudo, defende, ao focalizaremse em questões internas, as empresas frequentemente esquecem-se do que se passa no mundo exterior, do cliente e na economia actual a opinião pública tem um papel cada vez mais premente. A grande proposta de valor da Inforfuture é, então, trazer sistemas que permitam às empresas estar cientes do que se passa na sua participação no mundo interligado, em vez de se limitarem a controlar políticas e procedimentos. O sistema é open source e totalmente online. entre os sistemas actuais e os novos paradigmas da economia. O crescimento dos projectos desenvolvidos levou à necessidade de profissionalização e formalização da rede em empresas. A Inforfuture é a primeira a surgir, sendo que mais se preparam para se seguir. A criação de um grupo internacional é a próxima grande aposta. A escolha do IEMinho para local de incubação recai no mesmo paradigma. Respira-se muito mais empreendedorismo e investigação, pois existe muito networking dentro do IEMinho, afirma Jorge Saraiva. A Inforfuture nasceu de uma comunidade internacional de consultores de sistemas de gestão, que procurou explorar através dos sistemas open-source formas de colmatar o desfasamento Jorge Saraiva, responsável pela empresa 15

16 INICIATIVAS desde 1 de Maio Países que aderiram à UE em 2004 beneficiam finalmente de plenos direitos de circulação 16 Os cidadãos da República Checa, Estónia, Letónia, Hungria, Polónia, Eslovénia e Eslováquia têm finalmente livre acesso ao emprego nos Estados-Membros onde estiveram em vigor restrições ao mercado de trabalho. O dia 1 de Maio marcou assim a supressão das restrições ao direito de trabalhar em qualquer Estado-Membro aos países que aderiram à UE em Numa conferência sobre o mercado de trabalho, em Budapeste, o comissário europeu para o Emprego, os Assuntos Sociais e a Inclusão, László Andor, saudou o fim do período de transição. A supressão destes últimos obstáculos com que se deparavam os trabalhadores da UE-8 é uma grande oportunidade, não só para cada pessoa como também para toda a UE. A mobilidade é um motor essencial do crescimento do emprego e em países como a Alemanha e a Áustria ajudará a colmatar graves lacunas de competências e a preencher ofertas de emprego, salientou. No âmbito do Tratado de Adesão de 2003, e para responder aos receios quanto ao eventual impacto negativo da plena aplicação do direito da UE sobre livre circulação nos mercados de trabalho e na situação social dos 15 Estados-Membros da UE de então, foi acordado um período transitório de sete anos durante o qual os países poderiam introduzir progressivamente a livre circulação de trabalhadores. Alguns Estados-Membros abriram os seus mercados de trabalho desde o início aos trabalhadores da UE-8. Só a Alemanha e a Áustria (e, em menor medida, o Reino Unido, através do requisito de inscrição no registo nacional de trabalhadores britânico) não aplicaram o direito da UE em matéria de livre circulação aos trabalhadores dos oito países da UE até ao final deste período transitório de sete anos. Mobilidade foi positiva para a economia dos Estados-Membros Com o aproximar do termo do período de transição, a Comissão chegou à conclusão de que os receios iniciais de um afluxo maciço de trabalhadores do Leste eram exagerados. Nos dois relatórios de 2006 e 2008, que analisam o impacto da livre circulação de trabalhadores no contexto do alargamento, a Comissão constata que os trabalhadores destes países que optaram pela mobilidade tiveram um impacto amplamente positivo nas economias dos Estados-Membros e não causaram perturbações graves nos seus mercados de trabalho. Pelo contrário, estes trabalhadores deram um contributo significativo para o crescimento económico sustentado. Não se observou um agravamento do desemprego nem uma redução dos salários em consequência desta mobilidade, e a abertura dos mercados de trabalho também potenciou os esforços de erradicação do trabalho não declarado. As estatísticas mostram que a afluência de trabalhadores dos países da UE-8 foi relativamente limitada. O seu número aumentou rapidamente (sobretudo nalguns Estados-Membros, como a Irlanda e o Reino Unido) de cerca de 1 milhão em 2004 (0,3 por cento da população total) para pouco mais de 2,3 milhões em 2010 (0,6 por cento da população total). No entanto, mantém-se baixo quando comparado com os 19 milhões de cidadãos de países terceiros que residem em países da UE- 15 (um pouco menos de 5 por cento da população total). De acordo com as estimativas actuais, o número total de cidadãos dos países da UE-8 que vivem nos Estados-Membros da UE-15 aumentará para 3,3 milhões em 2015 e para 3,9 milhões em 2020 e a respectiva percentagem na população total passará dos actuais 0,6 por cento para 0,8 por cento em 2015 e um pouco menos de 1 por cento em 2020.

17

18

19 OPINIÃO De Passos Coelho a passos de lebre Joaquim Fernando da Cunha Guimarães Revisor Oficial de Contas e Docente do Ensino Superior Apesar do deficit de debate verificado no período da campanha eleitoral sobre o denominado Memorando de Entendimento da Troika, talvez estrategicamente propositado de modo a não constituir mais um incentivo à abstenção, que se verificou ser a maior de sempre, o que é certo é que o mesmo terá de ser o principal painel de bordo (tableau de bord) da gestão do Governo. Os programas dos principais partidos políticos (PS, PSD e CDS) foram, indiscutivelmente, influenciados por esse documento, pelo que também o programa do Governo teria obviamente de seguir de perto o Memorando da Troika, sob pena de a nossa credibilidade exterior poderia ser colocada em causa e, obviamente, a própria Troika e os mercados agirem em conformidade, i. e., penalizando ainda mais o nosso país (v.g. subida das taxas de juro). Há muitos anos e em diversos atos eleitorais que ouvimos referir que os principais problemas do país são a produtividade e a dependência do exterior. E o que foi feito nesse sentido? Praticamente nada. E não atiremos a culpa para o partido A, B ou C, pois todos são responsáveis. Ou melhor, todos nós somos responsáveis. Num outro prisma complementar, assinala-se a necessidade de se proceder a reformas estruturais, nomeadamente na saúde, ensino, habitação, fiscalidade, trabalho e justiça. Em abono da verdade, o Governo de José Sócrates deu alguns passos neste sentido, que, porém, foram insuficientes e que terão agora de ser revistos e recalendarizados pelo Governo no contexto supra mencionado. Sem resolvermos esses problemas estruturais, também sublinhados pela Troika, não vamos certamente cumprir os objetivos a que nos propusemos. Todos somos poucos para os concretizar. Ainda os novos sacrifícios não foram implementados e já se refere que serão os maiores alguma vez exigidos aos portugueses. Como foi sublinhado pela Troika e pelo Governo, o tempo para a execução do Memorando é bastante apertado. É neste contexto que surge a questão em título deste artigo, pois, Passos Coelho não poderá dar passos (de) coelho mas passos (de) lebre, para não ficarmos mal na fotografia. E já que falamos de tempo e de velocidade de implementação das medidas Troikanas e governamentais é caso para se dizer que, pelo menos neste aspeto, precisámos mesmo do TGV (o Governo já suspendeu o TGV, pelo tendo em conta que Sócrates referiu na campanha eleitoral que há um contrato celebrado, certamente virá mais uma fatura a pagar correspondente às indeminizações). O que é certo é que o Governo não tem grande margem de manobra para implementar tais medidas, pelo que os portugueses vão começar a sentir as suas carteiras mais vazias. A palavra de ordem é poupar. Que remédio. Note-se, porém, que, desde o 25 de Abril de 1974, nunca um Governo teve (tem) tanto conforto como o atual para implementar tais medidas impopulares, pois, na verdade, as mesmas foram sancionadas previamente nas urnas. Como prova evidente desse fato aponta-se o imposto extraordinário sobre o Subsídio de Natal que, por um lado, aumentará as receitas dos impostos, por outro lado, esse efeito será minimizado com a retração económica e a consequente diminuição dos impostos sobre o rendimento (menos lucros para as empresas, especialmente as do pequeno comércio) e o IVA. É óbvio, porém, que o efeito líquido dos impostos será positivo daí o seu contributo para a diminuição do deficit. E para terminar, uma palavra para o ex-primeiro Ministro que, pelos vistos, vai fazer um retiro espiritual e filosófico em Paris, visando, segundo dizem as más (ou boas?) línguas a preparação da sua candidatura a Presidente da República. Na verdade, aquela nota curricular não deixa de ser importante para atingir tal desiderato. Assim, esperemos que Sócrates aproveite bem o seu tempo e desenvolva os seus estudos filosóficos, e já agora, em particular, o pensamento do seu homónimo, de forma a que o seu regresso possa ter um enquadramento na definição (ligeira) de filosofia, ou seja, a da procura da verdade, pois esta foi muitas vezes inevitavelmente esquecida. FICHA TÉCNICA Director: Nuno Martins Coordenação Editorial: Filipe Fadigas do Vale Redacção e Produção: LK Comunicação, Avª Dr. Francisco Pires Gonçalves, 45, Braga Propriedade: AIMinho - Associação Empresarial, Av. Dr. Francisco Pires Gonçalves, 45, Braga Impressão: LK Comunicação Tiragem: 2500 exemplares NIF: Registo ICS: Periodicidade: Mensal. 19

20

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa Regulamento Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa 2011/2012 Artigo 1º Organização e objetivo A AIMinho Associação Empresarial (AIMinho) leva a efeito o Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte

Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Incentivos às empresas Amarante, 06 de Março de 2012 Centro de Desenvolvimento Empresarial do Norte Os Incentivos na estratégia do IAPMEI para as PME Facilitar e assistir as PME nas suas estratégias de

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Painel: Desafio Demográfico na Europa (11h45-13h00) Auditório da Assembleia da República, Lisboa,

Leia mais

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O relatório de avaliação do sistema de ensino superior em Portugal preparado pela equipa internacional

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP PME em Números PME em Números 1 Nota introdutória De acordo com o disposto na definição europeia 1, são classificadas como PME as empresas com menos de 250 trabalhadores cujo volume de negócios anual não

Leia mais

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT?

O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Cosme 1 O QUE ABORDAMOS, EM PARTICULAR, NESTE EU REPORT? Neste EU Report abordamos, em particular, o COSME, o novo programa quadro europeu para a competitividade das Empresas e das PME (pequenas e médias

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Sistemas de Incentivos

Sistemas de Incentivos Sistemas de Incentivos Apoios para PME na colaboração com entidades do SCT Lurdes Pinho (Secretária Técnica Sistemas de Incentivos ON.2) 1 Enquadramento 2 Estrutura ON.2 Eixo Prioritário FEDER % PO I -

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 FISCALIDADE VERDE Foi aprovado no passado dia 31 de Dezembro, a Lei n.º 82-D/2014 que promove reforma da tributação ambiental, regulamentando assim a Fiscalidade

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 07/SI/2010 1 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin A Presidência Portuguesa na área dos Assuntos Económicos e Financeiros irá centrar-se na prossecução de três grandes objectivos, definidos

Leia mais

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS 04-06-2008 Índice A. NOVO PERÍODO DE PROGRAMAÇÃO 2007-2013. B. ACÇÃO INTEGRADA DO IDE-RAM NO PERÍODO 2007-2013. C. APOIOS À ACTIVIDADE

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

DOSSIER II EDIÇÃO DO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS. 4 de Maio a 12 de Outubro

DOSSIER II EDIÇÃO DO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS. 4 de Maio a 12 de Outubro DOSSIER II EDIÇÃO DO CURSO DE EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS 4 de Maio a 12 de Outubro Índice 1. Denominação 2. Objectivos 3. Destinatários 4. Avaliação 5. Conteúdo Programático 6. Programa indicativo

Leia mais

ÍNDICE: Novembro de 2009

ÍNDICE: Novembro de 2009 ÍNDICE: 1. Início Ano Lectivo 2. Portugal Tecnológico 3. Gripe A Plano Contingência 4. Espaço de Leitura 5. Sonangol 6. Novos Órgãos Sociais da ETLA 7. Medalha de Mérito Concelho de Santiago do Cacém 8.

Leia mais

Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do. IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final

Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do. IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final TENDÊNCIAS NOS NEGÓCIOS PARA 2015 Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final de 2014. Não deixe de estar por dentro

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 A Estratégia de Lisboa e o Plano Tecnológico Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 1. Estratégia de Lisboa Estratégia de Lisboa : uma resposta a novos desafios A Globalização e a emergência de novas potências

Leia mais

AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020

AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020 AGENDA PARA A COMPETITIVIDADE DO COMÉRCIO, SERVIÇOS E RESTAURAÇÃO 2014-2020 18 dezembro 2014 Colocar os setores do Comércio, Serviços e Restauração virado para o exterior e a liderar a retoma económica

Leia mais

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado 17-03-2006 13:11:00. Fonte LUSA. Notícia SIR-7829164 Temas: economia portugal finanças sociedade LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado DATA:. ASSUNTO: Conferência

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico.

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico. Síntese APRESENTAÇÃO O Relatório da Competitividade é elaborado anualmente, com o objectivo de monitorizar a evolução de um conjunto de indicadores ( Carteira de Indicadores ) em Portugal e a sua comparação

Leia mais

REABILITAÇÃO URBANA E ARRENDAMENTO: OPORTUNIDADES DO NOVO REGIME JURÍDICO. Conferência na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

REABILITAÇÃO URBANA E ARRENDAMENTO: OPORTUNIDADES DO NOVO REGIME JURÍDICO. Conferência na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa REABILITAÇÃO URBANA E ARRENDAMENTO: OPORTUNIDADES DO NOVO REGIME JURÍDICO Conferência na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 18 de maio de 2012 Intervenção do Presidente da CIP Minhas Senhoras

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA. (1.ª Edição - 2011)

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA. (1.ª Edição - 2011) EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ACTIVIDADE IMOBILIÁRIA (1.ª Edição - ) Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado pela Lei n.º 62/2007,

Leia mais

SIPPE-RAM Sistemas de Incentivos a Pequenos Projectos Empresariais da Região Autónoma da Madeira

SIPPE-RAM Sistemas de Incentivos a Pequenos Projectos Empresariais da Região Autónoma da Madeira SIPPE-RAM Sistemas de Incentivos a Pequenos Projectos Empresariais da Região Autónoma da Madeira O presente documento pretende fazer um resumo do Decreto Legislativo Regional n.º 21/2/M de 21 de Agosto

Leia mais

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 08 Abril 2015 Há quase três décadas que Portugal recebe fundos europeus, mas o próximo quadro comunitário de apoio está a merecer uma

Leia mais

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes

12. Da discussão e dos seminários, surgiu um consenso sobre as ideias seguintes Conclusões «Inovação e sustentabilidade ambiental. A inovação e a tecnologia como motor do desenvolvimento sustentável e da coesão social. Uma perspectiva dos governos locais». 1. O Fórum irá estudar,

Leia mais

Empresas que se mexem, são empresas que crescem!

Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Apresentação do Projecto/ Abertura de inscrições Introdução A Adere-Minho - Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, entidade de natureza associativa

Leia mais

NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES

NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES NEWSLETTER Nº 8 AGOSTO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES Resultado da cimeira "particularmente positivo para Portugal" A cimeira europeia de quinta-feira

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006. 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder

1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006. 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder Revista de Imprensa 08-11-2010 DNA 1 - Rádio Ocidente.pt, 29-10-2010, Mais de cem empresas criadas pela DNA Cascais desde 2006 2 - Diário Económico, 28-10-2010, A não perder 3 - Diário Económico, 28-10-2010,

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1 MANUAL DA QUALIDADE Rev.: 02 Data: 05-07-2013 pág. 1 Designação Social: Dupliconta Sociedade de Contabilidade, Consultadoria e Gestão Lda. Morada: Caminho do Pilar, Conjunto Habitacional do Pilar, Lote

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

MBA EM GESTÃO E PROMOÇÃO DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS 12ª EDIÇÃO RECONHECIDO PELA CMVM

MBA EM GESTÃO E PROMOÇÃO DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS 12ª EDIÇÃO RECONHECIDO PELA CMVM MBA EM GESTÃO E PROMOÇÃO DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS 12ª EDIÇÃO RECONHECIDO PELA CMVM Objectivos Dotar os alunos de conhecimentos e consciência crítica sobre a teoria e a prática da Gestão e da Promoção Imobiliária,

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

Regras de enquadramento do POPH. O presente documento técnico integra fichas de síntese das principais Tipologias de Intervenção do POPH.

Regras de enquadramento do POPH. O presente documento técnico integra fichas de síntese das principais Tipologias de Intervenção do POPH. Regras de enquadramento do POPH O presente documento técnico integra fichas de síntese das principais Tipologias de Intervenção do POPH. Este documento é orientativo da regulamentação do Programa, não

Leia mais

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual Benefícios Fiscais O Estatuto dos Benefícios Fiscais consagra um conjunto de medidas de isenção e redução da carga fiscal para diversos tipos de projectos e investimentos. Os incentivos e benefícios fiscais

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

III Encontro Nacional de BIC s

III Encontro Nacional de BIC s de BIC s de BIC s Decorreu a 18 de Maio, em Abrantes, num hotel com uma vista magnífica para a Barragem de Castelo de Bode o 3º Encontro de BIC s (Business Innovation Centers Portugueses). Neste encontro

Leia mais

A Comissão promove os Mercados Europeus de Capital de Risco

A Comissão promove os Mercados Europeus de Capital de Risco IP/98/305 Bruxelas, 31 de Março de 1998 A Comissão promove os Mercados Europeus de Capital de Risco A Comissão Europeia lançou uma vasta iniciativa para promover o desenvolvimento de um importante mercado

Leia mais

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são:

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Operadores financeiros que prestam às instituições bancárias as garantias que lhes permitem disponibilizar às PME empréstimos em condições mais favoráveis. Ao partilhar

Leia mais

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário Overview pela fiscalidade no sector imobiliário A perspectiva do pequeno investidor II Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa Sociedade de Geografia 16 de Abril de 2015 ÍNDICE DE CONTEÚDOS I INCENTIVOS

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS Reforço dos Capitais Permanentes Nuno Gonçalves nuno.goncalves@iapmei.pt Linhas de Crédito Linhas LINHAS DE FINANCIAMENTO VALOR Operações Entradas Operações

Leia mais

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico.

Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.07.2002 C (2002) 2943 Assunto: Auxílio estatal N 254/2002 Portugal Linha de crédito bonificada a investimentos do sector turístico. Excelência, PROCEDIMENTO Por carta n.º

Leia mais

CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL

CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL I. INTRODUÇÃO No âmbito dos compromissos assumidos pelo Governo em sede de Concertação Social, o Governo apresentou

Leia mais

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes

Iniciativa JESSICA. Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA Perguntas Frequentes Iniciativa JESSICA: Perguntas Frequentes 1 - Como nasceu a iniciativa JESSICA? A iniciativa JESSICA (Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas)

Leia mais

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO

PRAIE PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO EMPRESARIAL NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO ANEXO 1 - NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO ENQUADRAMENTO 1) O Programa de Apoio ao Investimento Empresarial, adiante designado

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

QUEM SOMOS. O clube tem como objectivo apoiar projectos em todas as áreas de actividade, inclusive nas áreas mais tradicionais.

QUEM SOMOS. O clube tem como objectivo apoiar projectos em todas as áreas de actividade, inclusive nas áreas mais tradicionais. QUEM SOMOS O Business Angels Club de Lisboa é constituído por um grupo de pessoas ligadas há mais de 20 anos ao mundo empresarial e ao empreendedorismo com larga experiência no desenvolvimento e triagem

Leia mais

Global Incentives Solutions*

Global Incentives Solutions* Incentives Solutions Global Incentives Solutions* Informação sobre incentivos ao investimento Número 6, Outubro de 2007 *connectedthinking What s hot Assinatura dos Programas Operacionais (PO) No passado

Leia mais

Sistemas de Incentivos Portugal 2020

Sistemas de Incentivos Portugal 2020 Sistemas de Incentivos Portugal 2020 Portugal 2020 Acordo de parceria entre Portugal e a Comissão Europeia no qual se consagra a política de desenvolvimento económico, social e territorial a promover entre

Leia mais

Março 2016 139 - - - - - Visitas Portal AIRO Fevereiro www.airo.pt

Março 2016 139 - - - - - Visitas Portal AIRO Fevereiro www.airo.pt Março 2016 139 - Formação Ação PME - Editorial - Caldas Empreende - Cartão de Saúde AIRO - Missão Empresarial Multisectorial - Fiscalidade - Programa SOU MAIS - Formação em Gestão para a Agro-Indústria

Leia mais

Proposta de Alteração de Delimitação das Áreas de Reabilitação Urbana

Proposta de Alteração de Delimitação das Áreas de Reabilitação Urbana Proposta de Alteração de Delimitação das Áreas de Reabilitação Urbana Núcleo Histórico da Vila da Lousã Fundo de Vila Área Urbana Central Nascente da Vila da Lousã Área Urbana Central Poente da Vila da

Leia mais

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes

NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012. Alterações Fiscais Relevantes NEWSLETTER FISCAL Setembro 2012 Alterações Fiscais Relevantes 1. Introdução O passado mês de Agosto foram publicados vários diplomas legais com impacto na vida das empresas e das organizações em geral.

Leia mais

SAÚDE DURANTE AS FÉRIAS. Já tem o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença?

SAÚDE DURANTE AS FÉRIAS. Já tem o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença? SAÚDE DURANTE AS FÉRIAS Boletim Informativo nº 10 Julho 2010 Já tem o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença? Se estiver num outro Estado-Membro, em viagem de negócios, de férias ou a estudar, o Cartão

Leia mais

Regulamento. Preâmbulo

Regulamento. Preâmbulo Regulamento Preâmbulo As Empresas e os Empreendedores são a espinha dorsal de qualquer economia, em termos de inovação, de criação de emprego, de distribuição de riqueza e de coesão económica e social

Leia mais

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010 Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado Batalha, 8 Julho de 2010 As vossas necessidades... O apoio aos Empreendedores e às PME s

Leia mais

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à de Empresas e Criação do Próprio Emprego IEFP,I.P. 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

Impacto das Novas Tecnologias na Contabilidade. A. Domingues de Azevedo

Impacto das Novas Tecnologias na Contabilidade. A. Domingues de Azevedo Tecnologias na Contabilidade 1 SUMÁRIO 1. Introdução Impacto das Novas 2. Impacto das Novas Tecnologias na Economia e na Sociedade a) A Empresa na Hora b) A Empresa On-line c) A informação Empresarial

Leia mais

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial COMPETIR + O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável da economia regional,

Leia mais

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS Plano de Actividades e Orçamento Exercício de 2012 Plano de Actividades e Orçamento para o exercício de 2012 Preâmbulo: O Plano de Actividades do ano de 2012 foi concebido com a prudência que resulta da

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

DECLARAÇÃO CONJUNTA DA COESS E DA UNI-EUROPA SOBRE A HARMONIZAÇÃO EUROPEIA DAS LEGISLAÇÕES QUE REGULAM O SECTOR DA SEGURANÇA PRIVADA

DECLARAÇÃO CONJUNTA DA COESS E DA UNI-EUROPA SOBRE A HARMONIZAÇÃO EUROPEIA DAS LEGISLAÇÕES QUE REGULAM O SECTOR DA SEGURANÇA PRIVADA DECLARAÇÃO CONJUNTA DA COESS E DA UNI-EUROPA SOBRE A HARMONIZAÇÃO EUROPEIA DAS LEGISLAÇÕES QUE REGULAM O SECTOR DA SEGURANÇA PRIVADA INTRODUÇÃO O sector da segurança privada, na União Europeia, está em

Leia mais

Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Guia de Medidas de Apoio à Contratação Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Conteúdo do Guia Enquadramento Estágios Emprego Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Apoio à Contratação

Leia mais

aedição de 2001 da PME Excelência

aedição de 2001 da PME Excelência 26 PME Excelência com mais qualidade Criado com o objectivo de distinguir as PME que apresentem em cada ano os melhores desempenhos económico-financeiros e de gestão, o Estatuto PME Excelência tem associado

Leia mais

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento S E M I N Á R I O AUDITORIAS DE VALOR 11 de Outubro de 2010 A. Novo Paradigma de Desenvolvimento 2007/2013 Passagem do Objectivo 1 (Convergência) para o Objectivo 2 (Competitividade e Emprego). Alteração

Leia mais

INICIATIVAS URBAVERDE

INICIATIVAS URBAVERDE Evento: 7ª UrbaVerde Feira das Cidades Sustentáveis Organização: Jornal Arquitecturas Datas: dias 23, 24 e 25 de Fevereiro de 2011 Local: Centro de Congressos do Estoril A 7ª UrbaVerde, composta por um

Leia mais

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt Pedro Gomes Nunes Director Executivo Lisboa, Fevereiro 2014 RISA - Apresentação ÁREAS DE NEGÓCIO Estudos e Projectos + 20 anos de experiência + 1.500 candidaturas a Fundos Comunitários aprovadas. + 1,6

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China 2ª Edição Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Realizar Negócios na China é o sonho de qualquer empresário, mas pode ser uma realidade para os que

Leia mais

Ninho de Empresas de Mortágua

Ninho de Empresas de Mortágua mortágua ninho de empresas Ninho de Empresas de Mortágua REGULAMENTO Preâmbulo Inserindo-se numa estratégia de Desenvolvimento do Concelho de Mortágua que dá prioridade ao Crescimento Económico e ao Empreendedorismo,

Leia mais

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA INSTITUTO DA CONSTRUÇÃO E DO IMOBILIÁRIO IISEMANA DARE- ABILITAÇÃO ASSIMFOI URBANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA C o n f e r ê n c i a s E x p o s i

Leia mais

INVESTIR EM PORTUGAL

INVESTIR EM PORTUGAL INVESTIR EM PORTUGAL 投 资 与 移 民 门 道 是 专 门 提 供 投 资 与 移 民 服 务 的 独 立 咨 询 机 构 我 们 的 多 学 科 团 队 精 心 研 究, 旨 在 为 客 户 提 供 最 佳 的 商 业 战 略 和 国 际 投 资 方 案 INVESTIMENTO E EMIGRAÇÃO A GATEWAY É UMA CONSULTORA INDEPENDENTE,

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA. CIP FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO PASSO Seminário 16 de abril de 2012 Intervenção do Presidente da CIP Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Leia mais