SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR"

Transcrição

1

2 SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR 1. CNAE - Serviço de Comunicação Multimídia 2. CREA 3. ANATEL Obrigações Pós Outorga - Ato de Autorização 4. CÁLCULO ESTRUTURAL 5. COMPARTILHAMENTO DE POSTES 6. LICENÇA AMBIENTAL 7. CONTÁBIL E JURÍDICO Qualidade no Atendimento e Inovações 8. FISCALIZAÇÃO 9. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

3 CNAE SCM - (SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA) O CNAE de SCM deve constar nos seguintes documentos da sua empresa: 1. CNPJ 2. INSCRIÇÃO ESTADUAL (*De preferência na atividade principal) 3. Contrato Social ou Requerimento do Empresário

4 CREA É obrigatório que o provedor tenha um responsável técnico vinculado à sua empresa no CREA da sua região. Registro: é necessário a contratação do responsável técnico analisando as atribuições do profissional, excepcionalidade, distância e se é aceito pelo CREA. (Técnico em Telecomunicações, Engenheiros Eletricista e da Computação...) A contratação do Técnico é mediante Contrato de Prestação de serviço, Carteira assinada ou quando o profissional for sócio da empresa e deve seguir as exigências do CREA do Estado. A empresa e o Responsável Técnico deverão manter em dia a Anuidade do CREA, com vencimento no mês de março, sendo definido no final do ano anterior baseado no capital social da empresa.

5 ANATEL Definição do SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) é um serviço fixo, de interesse coletivo, prestado no âmbito nacional e internacional, e tendo como área de prestação de serviço todo o território nacional, no regime privado, que possibilita oferta de capacidade de transmissão, emissão e recepção de Informações Multimídias, permitindo inclusive o provimento de interconexão à Internet, utilizando quaisquer meios, à assinantes dentro de uma área de Serviço. O SCM não admite transmissão de Serviços de Radiodifusão, TV por assinatura ou Acesso Condicionado, assim como sinais de vídeo e de áudio, de forma irrestrita e simultânea para os assinantes, na forma e condições previstas na Regulamentação dos Serviços. A prestação do SCM depende de prévia Autorização da ANATEL através do Sistema MOSAICO. As bases para obtenção da Outorga estão descritas em Resolução onde é necessário seguir uma série de exigências e apresentação de documentações no sistema.

6 OBRIGAÇÕES PÓS OUTORGA Após a publicação da outorga (Ato de Autorização) no Diário Oficial da União, a prestadora possui diversas obrigações junto a Anatel a serem cumpridas. Além do cadastramento/licenciamento da estação para início da operação a empresa deve se atentar a seguintes obrigações: 1. Manter a Anatel atualizada em caso de alterações administrativas e técnicas; 2. Informações Mensais (SICI Mensal, Semestral e Anual, FUST, FUNTTEL, FISTEL); 3. Taxas Anuais; 4. Contratos com usuário final; 5. Documentos de cobrança e Inadimplência; 6. Central de atendimento telefônico; 7. Estações licenciadas e cadastradas; 8. Responsável técnico ativo no CREA; 9. Homologação de Equipamentos;

7 CÁLCULO ESTRUTURAL O projeto de cálculo estrutural é obrigatório e deve ser exigido pela administração pública do município e CREA, esta obrigação é para todas as empresas que fizerem construções de qualquer natureza. O projeto de cálculo estrutural atesta que a estrutura está em conformidade com as exigências. Caso a empresa não tenha o projeto de cálculo estrutural, poderá sofrer sanções (Notificações, Multas, etc.)

8 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURAS É obrigatório que o provedor seja licenciado pela Anatel além de estar em dia com as obrigações no CREA (Responsável Técnico e Anuidade) para dar entrada no projeto de Compartilhamento. Deverá ser apresentado o projeto na Concessionária de Energia do estado e após análise, a autorização será disponibilizada e firmada através de Contrato comercial entre a Concessionária e o Provedor de Internet. É necessário fazer o projeto lógico (Dimensionamento da Rede) para definir o custo-benefício e assim obter sucesso no atendimento ao usuário final.

9 LICENÇA AMBIENTAL É um ato administrativo pelo qual o órgão ambiental competente, estabelece as condições, restrições e medidas de controle ambiental que deverão ser obedecidas pelo empreendedor, pessoa física ou jurídica, para localizar, instalar, ampliar e operar empreendimentos ou atividades utilizadoras dos recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental. É necessário realizar um estudo e respectivo relatório de impacto sobre o meio ambiente podendo ser cobrado pelo Município, Estado e União.

10 CONTÁBIL E JURÍDICO Será obrigatória a emissão de Nota Fiscal após a publicação da Licença de Estação, momento em que a empresa está legalizada para explorar comercialmente o Serviço de Comunicação Multimídia. O contador da sua empresa deverá consultar a Secretaria da Fazenda Estadual SEFAZ, e verificar se o Estado já está adequado à emissão da Nota Fiscal 21 eletrônica, havendo Estados que adotam a Nota Fiscal modelo 22 de Telecomunicações também para o exercício do SCM. Além de respeitar e atender as normas da Anatel, a Prestadora deve atentar-se as demais normas vigentes para os consumidores, previstas na Legislação Extravagante, em especial no Código de Defesa do Consumidor. A SCM ENGENHARIA conta com um serviço especializado de telecomunicações para prestar um serviço de excelência ao usuário final.

11 QUALIDADE NO ATENDIMENTO O Art. 40 da resolução 614/2013 da Anatel cita alguns parâmetros de qualidade para o SCM, como o rápido atendimento e reclamações dos clientes, onde a Anatel poderá solicitar a qualquer momento essas informações por meio de seus sistemas interativos ou via oficio. A SCM Engenharia realiza pesquisa mensal com clientes de seu provedor afim de verificar o grau de satisfação com os serviços de telecomunicações oferecidos. Mensalmente elaboramos um relatório demonstrando os resultados da pesquisa com sugestões, elogios e possíveis reclamações realizadas pelos clientes. Este serviço é voltado para a qualidade do provedor, onde poderá prover melhorias, e fidelizar o cliente pela qualidade do serviço e atendimento. INOVAÇÕES As novidades da SCM Engenharia em termos de aplicações de Inovações é um forte diferencial competitivo, além da assistência constante e direta que a SCM mantém normalmente com seus clientes, o que assegura sempre um relacionamento forte e duradouro. Um canal direto, como um Portal atualizado permanentemente pela SCM Engenharia, ajuda na venda de novos serviços e orientação aos Clientes que tenham dúvidas.

12 FISCALIZAÇÃO A Anatel através da Portaria n 214 de 3/3/2015 aprovou as formas de verificação do cumprimento das obrigações técnicas do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM). Agentes da Anatel podem ir até o local de sua estação ou empresa para fiscalização ou solicitar documentos ou dados da prestadora a qualquer momento. Na fiscalização poderá ser solicitado desde contratos com os clientes ou outras prestadoras a dados técnicos e contábeis da empresa. Em caso de descumprimento a empresa poderá sofres Processo Administrativo PADO e sansões conforme art. 183 da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997: I - Advertência; II - Multa; III - Suspensão temporária; IV - Obrigação de fazer (ordem para praticar uma conduta lícita); V - Obrigação de não fazer (ordem para deixar de praticar uma conduta ilícita); VI Caducidade (Perda da autorização)

13 INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Este guia é dedicado aos atuais e futuros clientes para orientarem-se sobre alguns deveres e obrigações que o Provedor de Internet deve cumprir a fim de evitar sanções administrativas e jurídicas perante os órgãos competentes mencionados. É importante salientar que a sede da SCM está localizada em Brasília próximo à Anatel e estamos à disposição para ajudá-los diariamente. Agradecemos aos 10 anos de confiança e parceria com a SCM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES. #SCM10ANOS #SCMENGENHARIA (61)

14

CONSULTORIA COMPLETTA PARA FM

CONSULTORIA COMPLETTA PARA FM CONSULTORIA COMPLETTA PARA FM Projeto inicial ou alteração do Serviço Auxiliar de Ligação para Transmissão de Programas LINK e Reportagem Externa; Requerimento e cadastro para uso temporário de radiofrequência;

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA MAIS HD

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA MAIS HD 1. Aplicação PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA MAIS HD Plano de Serviço Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Claro S/A (Sucessora por incorporação da Net Serviços de Comunicação S/A),

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA LIGHT HD

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA LIGHT HD 1. Aplicação PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA LIGHT HD Plano de Serviço Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Claro S/A (Sucessora por incorporação da Net Serviços de Comunicação S/A),

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA CONEXÃO

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA CONEXÃO 1. Aplicação PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA CONEXÃO Plano de Serviço Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Claro S/A (Sucessora por incorporação da Net Serviços de Comunicação S/A),

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA 1. Aplicação PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA Plano nº 207 Pacote Família HD Max Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Embratel TV Sat Telecomunicações S.A., denominada doravante como

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL HD

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL HD PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL HD 1. Aplicação Plano de Serviço Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Claro S/A (Sucessora por incorporação da Net Serviços de Comunicação

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA Plano nº 209 Pacote MIX HD 1. Aplicação Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Embratel TV Sat Telecomunicações S.A., denominada doravante como Claro

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA 1. Aplicação PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA Plano nº 201 Pacote Essencial Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Embratel TV Sat Telecomunicações S.A., denominada doravante como Claro

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO PADRONIZADO PARA SOLICITAÇÃO DE RTV SECUNDÁRIA. Excelentíssimo Sr. Ministro de Estado das Comunicações,

ANEXO I FORMULÁRIO PADRONIZADO PARA SOLICITAÇÃO DE RTV SECUNDÁRIA. Excelentíssimo Sr. Ministro de Estado das Comunicações, ANEXO I FORMULÁRIO PADRONIZADO PARA SOLICITAÇÃO DE RTV SECUNDÁRIA 1. REQUERIMENTO Excelentíssimo Sr. Ministro de Estado das Comunicações, A , CNPJ nº , com endereço na

Leia mais

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL

PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL PLANO DE SERVIÇO TV POR ASSINATURA NET ESSENCIAL 1. Aplicação Plano de Serviço Este Plano de Serviço de TV é aplicável a autorizatária Claro S/A (Sucessora por incorporação da Net Serviços de Comunicação

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 03/2010 DATA DA ENTRADA: 25 de janeiro de 2010 INTERESSADO: Dr. C. F. G. G. CONSELHEIRO

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS

TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS TERMO DE PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES DE ENCOMENDAS 1 OBJETO DO TERMO Com o intuito de retribuir a preferência dos clientes de serviços de encomendas dos CORREIOS que possuem

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Agência Nacional de Telecomunicações RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Aprova a Norma Sobre Condições de Prestação de Serviços de Telefonia para Chamadas Destinadas a "Assinante 0300". O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SEÇÃO I MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES GERÊNCIA-GERAL DE FISCALIZAÇÃO ESCRITÓRIO REGIONAL NA BAHIA DESPACHOS DO GERENTE O GERENTE DO ESCRITÓRIO REGIONAL DA BAHIA E SERGIPE DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES,

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade INFOCAP TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LTDA A presente Política regula as condições gerais de coleta, uso, armazenamento, tratamento e proteção de dados nos sites, plataformas e aplicações

Leia mais

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE Foi publicada no Diário Oficial da União - DOU de 11/11/16 a RN 412/16 que dispõe sobre a solicitação de cancelamento do contrato do

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 107 - Vivo Controle 60 Requerimento de Homologação Nº 8123 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária VIVO, em

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 568, DE 15 DE JUNHO DE 2011.

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 568, DE 15 DE JUNHO DE 2011. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 568, DE 15 DE JUNHO DE 2011. Republica, com alterações, o Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofrequências na Faixa de 148 MHz a 174

Leia mais

CONVERSANDO COM A SET

CONVERSANDO COM A SET Departamento de Outorgas CONVERSANDO COM A SET Patrícia Ávila / William Ivo Brasília, agosto de 2012 REGULAMENTO DO SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO E RTV/RpTV Decreto nº 7.670, de 2012 Análise mais rigorosa da

Leia mais

PORTARIA N.º 560, DE 03 DE NOVEMBRO DE 1997

PORTARIA N.º 560, DE 03 DE NOVEMBRO DE 1997 PORTARIA N.º 560, DE 03 DE NOVEMBRO DE 1997 O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, e CONSIDERANDO que, enquanto

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001 MANUAL DO CLIENTE Certificado NBR ISO 9001 SEJA BEM VINDO À PRATIKA Prezado cliente, este é o Manual do Cliente Prátika, que apresenta o nosso compromisso com a qualidade e o respeito por quem se relaciona

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO

SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO SET EXPO 2016 Vitor Elisio Goes de Oliveira Menezes Superintendente Sistema de Controle de Radiodifusão SCR O que é o Mosaico? Administração Administração

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS

PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS PROCEDIMENTO PARA LIGAÇÕES PROVISÓRIAS 1. Da Resolução Art. 44. É de responsabilidade exclusiva do interessado o custeio das obras realizadas a seu pedido nos seguintes casos: I extensão de rede de reserva;

Leia mais

EDITAL Nº 20/2010 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE FISCALIZAÇÃO DO ISS

EDITAL Nº 20/2010 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE FISCALIZAÇÃO DO ISS EDITAL Nº 20/2010 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE FISCALIZAÇÃO DO ISS 1. OBJETIVO DO CURSO Reunir estudos, jurisprudências, doutrinas e informações sobre a tributação do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF DECRETO Nº 36.992, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015 Estabelece a nova tabela de preços cobrados pelos serviços solicitados ao Instituto do Meio

Leia mais

Plano específico para a modalidade LDN (Longa Distância Nacional) utilizando o CSP (Código de Seleção da Prestadora) 17 da Transit.

Plano específico para a modalidade LDN (Longa Distância Nacional) utilizando o CSP (Código de Seleção da Prestadora) 17 da Transit. A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço LDN (Longa Distância Nacional). C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço LDN (Longa Distância Nacional).

Leia mais

Procedimento para ligações provisórias

Procedimento para ligações provisórias Procedimento para ligações provisórias Da Resolução Art. 44. É de responsabilidade exclusiva do interessado o custeio das obras realizadas a seu pedido nos seguintes casos: I extensão de rede de reserva;

Leia mais

Por meio deste aditamento, alteramos o edital, conforme segue: 1. No Item 3. RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS, das Instruções à Proponente, onde se lê:

Por meio deste aditamento, alteramos o edital, conforme segue: 1. No Item 3. RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS, das Instruções à Proponente, onde se lê: Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 16/03323 Objeto: Contratação de empresa especializada para a prestação de serviço de apoio e assessoria no planejamento e definição dos projetos básicos preliminares

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente LICENÇA DE OPERAÇÃO A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual nº 9.077 de 04/06/90, registrada no Ofício do Registro Oficial em 01/02/91, e com seu Estatuto aprovado pelo Decreto

Leia mais

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio.

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. 2 Apresentação Milhões de brasileiros já estão aproveitando os benefícios de ser um Microempreendedor Individual.

Leia mais

O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira

O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira 1 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Ações 2011. 2 Comunicação Eletrônica A comunicação eletrônica está em fase de transição tecnológica

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação:

SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação: SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação: 304-16 Em conformidade com o Regulamento de Compras e Contratações de Obras e Serviços da Organização Social de Cultura Associação Amigos do Projeto Guri, decreto nº.

Leia mais

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas

Leia mais

REGULAMENTO DUX COWORKING E FREELANCER PARCERIA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS São Paulo, 03 de dezembro de TÍTULO I GENERALIDADES

REGULAMENTO DUX COWORKING E FREELANCER PARCERIA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS São Paulo, 03 de dezembro de TÍTULO I GENERALIDADES REGULAMENTO DUX COWORKING E FREELANCER PARCERIA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS São Paulo, 03 de dezembro de 2012. TÍTULO I GENERALIDADES CONSIDERANDO a intenção de atender, com excelência, as demandas do

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 011 A. Empresa: OI (TELEMAR NORTE LESTE S.A.), autorizatária do Serviço Telefônico Fixo Comutado na Modalidade Local, na Região III e no Setor 3 da Região 1 do Plano Geral

Leia mais

Processo de Adaptação do serviço de RTV para tecnologia digital

Processo de Adaptação do serviço de RTV para tecnologia digital Processo de Adaptação do serviço de RTV para tecnologia digital PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES 1. O que são Entidades Cedentes de Programação ECP? São as entidades geradoras de televisão que disponibilizam

Leia mais

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Regulamenta a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 para tratar das exceções à neutralidade de rede e indicar procedimentos para a guarda de dados por provedores

Leia mais

Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações

Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações Regulamentação das Condições de Uso de Faixas de Radiofrequências e Homologação de Equipamentos SEMINÁRIO DE GESTÃO E DEFESA

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 094 DE 06 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe sobre critérios e procedimentos destinados à atividade de Licenciamento Ambiental no Município de Belford Roxo e estabelece a Taxa de Licenciamento

Leia mais

PROCEDIMENTO CADASTRAL

PROCEDIMENTO CADASTRAL PROCEDIMENTO CADASTRAL SERVIÇOS DE LIMPEZA CONTROLE DE PRAGAS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE PILHAS E BATERIAS COLETA, TRANSPORTE DESCONTAMINAÇÃO E DESTINAÇÃO

Leia mais

Manual. Hipermercados e rede de Supermercados. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo III

Manual. Hipermercados e rede de Supermercados. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo III Manual A Engenharia nos Empreendimentos Hipermercados e rede de Supermercados Anexo III HIPERMERCADOS E REDE DE SUPERMERCADOS 1- Empreendimento Descrição: Entende-se como hipermercados e rede de supermercados

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 159

PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 159 PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 159 A. Empresa: Telemar Norte Leste S/A B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço Nº 159 C. Identificação para a Anatel: Plano Alternativo de Serviço Nº 159 D. Modalidade

Leia mais

I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Dispõe sobre a atividade e a Responsabilidade Técnica na produção de sementes e mudas florestais e ornamentais. A CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA FLORESTAL, DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA

Leia mais

Consultoria e Assessoria Pública Ltda

Consultoria e Assessoria Pública Ltda Consultoria e Assessoria Pública Ltda Ofício n.º xxxxxxxx Araçatuba, xx de março de 2012. A Sua Excelência o Senhor Nome do destinatário Cargo do destinatário Assunto: Cronograma de das NBCASP (Portaria

Leia mais

RESOLUÇÃO ATR Nº. 060/2011 de 15 de junho de 2011.

RESOLUÇÃO ATR Nº. 060/2011 de 15 de junho de 2011. RESOLUÇÃO ATR Nº. 060/2011 de 15 de junho de 2011. Dispõe sobre o Programa de Inspeção Veicular, destinado à vistoria obrigatória nos veículos autorizados a operar no Sistema de Transporte Público Intermunicipal,

Leia mais

ÍNDICE. 1 Introdução Definições Pontos de Interconexão (POI) Compartilhamento de Infra-estrutura...4

ÍNDICE. 1 Introdução Definições Pontos de Interconexão (POI) Compartilhamento de Infra-estrutura...4 ÍNDICE 1 Introdução...1 2 Definições...2 3 Pontos de Interconexão (POI)...3 4 Compartilhamento de Infra-estrutura...4 5 Características de Rede...6 6 Qualidade, Confiabilidade e Disponibilidade da Interconexão...8

Leia mais

SUMÁRIO a. OBJETIVO... 3 b. SOBRE O MANUAL... 3 c. CRITÉRIOS Estatuto Regimento Interno Ata de Eleição e Posse da Gestão em

SUMÁRIO a. OBJETIVO... 3 b. SOBRE O MANUAL... 3 c. CRITÉRIOS Estatuto Regimento Interno Ata de Eleição e Posse da Gestão em SUMÁRIO a. OBJETIVO... 3 b. SOBRE O MANUAL... 3 c. CRITÉRIOS... 3 1. Estatuto... 3 2. Regimento Interno... 4 3. Ata de Eleição e Posse da Gestão em Exercício... 4 4. Ficha cadastral da pessoa jurídica

Leia mais

Planos de Suporte Terrazul

Planos de Suporte Terrazul Planos de Suporte Terrazul Introdução Serviços de Suporte...02 Planos...02 Cobrança...03 Formas de Pagamento...03 Termos e Condições...04 Abertura de Chamado...04 Abertura de Chamados Expresso...05 Classificação

Leia mais

Manual. Empresas de perfuração de poços tubulares para captação de água subterrânea. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo IV

Manual. Empresas de perfuração de poços tubulares para captação de água subterrânea. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo IV Manual A Engenharia nos Empreendimentos Empresas de perfuração de poços tubulares para captação de água subterrânea Anexo IV EMPRESAS DE PERFURAÇÃO DE POÇOS TUBULARES PARA CAPTAÇÃO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão Passagem Bradesco ( CPB ), pessoa jurídica nas Bandeiras Visa e MasterCard SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO/DEFENSORIA

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO/DEFENSORIA MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO/DEFENSORIA A ART relativa à execução de obra ou à prestação de serviço, objeto de contrato único, deve ser registrada antes do início da respectiva atividade

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Pelo presente instrumento particular, de um lado, a EMPRESA, qualificada no TERMO DE ADESÃO À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais:

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais: Publicada no Diário Oficial nº 5.546, de 10 de julho de 2001. LEI Nº 2.257, DE 9 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre as diretrizes do licenciamento ambiental estadual, estabelece os prazos para a emissão de

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA De acordo com a Lei Federal 6.839/1980, é obrigatório o registro das entidades prestadoras de serviços nos órgãos competentes para a fiscalização.

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO PA nº 266

PLANO ALTERNATIVO PA nº 266 PLANO ALTERNATIVO PA nº 266 A. Empresa Telefônica Brasil S.A. B. Nome do Plano Fixo: Técnico: Ilimitado Fixo Local Comercial: a definir C. Identificação para a Anatel: Plano Alternativo Nº 266 D. Modalidade

Leia mais

REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA COMO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA COMO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA COMO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conforme tabela de atividades econômicas no Portal do Empreendedor para enquadramento no momento da emissão do MEI, alertamos que, a única

Leia mais

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X Manual A Engenharia nos Empreendimentos Cartório de registro Anexo X CARTÓRIO DE REGISTRO 1 Empreendimento Descrição: Cartório de Registro é o empreendimento cuja atividade exercida está sob a responsabilidade

Leia mais

O Prefeito do Município de Tupãssi, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, D E C R E TA:

O Prefeito do Município de Tupãssi, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, D E C R E TA: DECRETO Nº 059/2011 Cria a Sala do Empreendedor, e dá outras providências. O Prefeito do Município de Tupãssi, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, D E C R E TA: Capítulo I Das disposições

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO.

EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO. CHAMAMENTO PÚBLICO EDITAL Nº 001-2016 EDITAL DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS DE URUAÇU-GO. 1. DO OBJETIVO A SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GABINETE DO CONSELHEIRO PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GABINETE DO CONSELHEIRO PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO ANÁLISE N. º 114/2007-GCPJ DATA: 12/03/2007 Proposta de Autorização para Prestação de Serviço de Telecomunicações, com o objetivo de prover acesso a uma rede comunitária Municipal. Ref.: SICAP n. º 53500.032166/2006

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 24 de setembro de 2013 Agenda Contextualização do Setor Qualidade Indicadores

Leia mais

SUMÁRIO. Nora dos AUltlrC' 2. E TRlITI IR-\ RE(,U I. He)I{1 \ : ELfME0!TOS RFC\fI.J\TÓRIO~ 47. Prefá ' io Gn.ll..."...,...

SUMÁRIO. Nora dos AUltlrC' 2. E TRlITI IR-\ RE(,U I. He)I{1 \ : ELfME0!TOS RFC\fI.J\TÓRIO~ 47. Prefá ' io Gn.ll......,... SUMÁRIO Abrevia(Unl ~............,..........,.............. 9 Prefá ' io Gn.ll..................."......,.... Nora dos AUltlrC' 1.1. A descentralização dos serviços de telecomunicações no Brasil.......

Leia mais

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ O presente regulamento visa estabelecer normas, procedimentos de funcionamento e atividades atribuídas à Gerência de Serviços, conforme estabelecido no Capítulo

Leia mais

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS Versão 2016.1 Editada em abril de 2016 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. DA POLÍTICA... 2 2.1. Dos prestadores de serviços... 2 2.2. Atribuições e responsabilidades...

Leia mais

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 CONCEITOS RESÍDUO: Resíduos nos estados sólido, semi-sólido ou líquido resultantes de atividades industriais, domésticas, hospitalar,

Leia mais

CREA-SP CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO

CREA-SP CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO 01 CREA-SP CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO 02 No Brasil, existem profissões: Regulamentadas E não regulamentadas O Estado regulamenta uma profissão se entender que

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Migração de Pacotes Vivo HDTV

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Migração de Pacotes Vivo HDTV REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Migração de Pacotes Vivo HDTV Esta Promoção é realizada pela Vivo. A Promoção decorre de oferta do serviço de TV por Assinatura, nas seguintes condições: 1. Das Definições Para

Leia mais

1. DO OBJETO: 2. ESPECIFICAÇÕES:

1. DO OBJETO: 2. ESPECIFICAÇÕES: Cotação Prévia de Preço n 28/2016 Convênio nº 792864/2012 MTE/CAMP. Projeto: Fortalecimento e Expansão das Iniciativas de Fundos Solidários na Região Sul Critério: Menor Preço e Melhor Técnica. Cotação

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL RESOLUÇÃO CONJUNTA N o 4, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o preço de referência para o compartilhamento de postes

Leia mais

1 SOBRE A ÁREA RESTRITA EMPRESA

1 SOBRE A ÁREA RESTRITA EMPRESA Sumário 1 Sobre a área restrita Empresa...3 1.1 Apresentação...3 1.2 Acessando a área restrita Empresa...3 1.3 Acesso contribuintes aptos...4 1.4 Acesso contribuintes não aptos...5 1.5 Pesquisar contribuinte...5

Leia mais

Área exclusiva do Contador. Versão 2.3 (03/2016) Versão 2.3 (03/2016)

Área exclusiva do Contador. Versão 2.3 (03/2016) Versão 2.3 (03/2016) Área exclusiva do Contador Versão 2.3 (03/2016) Versão 2.3 (03/2016) SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 APRESENTAÇÃO... 4 O QUE É GISSONLINE?... 4 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 4 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE...

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA

ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA Universidade Estadual Paulista Campus de Bauru Faculdade de Engenharia www.dee.bauru..br Prof. Dr. Naasson P. de Alcantara Jr. Coordenador de Curso naasson@feb..br O que é Engenharia? Arte de aplicar conhecimentos

Leia mais

Gestão do Espectro Radioelétrico na PETROBRAS & Aplicações Futuras

Gestão do Espectro Radioelétrico na PETROBRAS & Aplicações Futuras Gerência Setorial de Relacionamento com Instituições Regulatórias TIC/CPTC/REG Gestão do Espectro Radioelétrico na PETROBRAS & Aplicações Futuras Eng. Ângelo Canavitsas D. Sc. Coordenador de Administração

Leia mais

DECLARAÇÃO. Porto Nacional - TO, 14 de dezembro de FULANO DE TAL Sócio-Administrador

DECLARAÇÃO. Porto Nacional - TO, 14 de dezembro de FULANO DE TAL Sócio-Administrador para fins de atendimento a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, inciso I, alínea e, que a requerente não é autorizada, concessionária, controlada, coligada ou controladora de autorizada ou

Leia mais

Avaliação socioambiental de fornecedores

Avaliação socioambiental de fornecedores Avaliação socioambiental de fornecedores IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: CNPJ: Material/serviço que fornece: Responsável pelas informações: Cargo: Telefone: E-mail: Questionário Gostaríamos de conhecer

Leia mais

ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO

ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO Suporte Técnico DATACOM REVISÃO 1.0 SUMÁRIO 1 INFORMAÇÕES GERAIS... 1 1.1 Controle de Revisão... 1 2 APRESENTAÇÃO... 2 2.1 Objetivo... 2 2.2 Modalidades de Atendimento... 2 2.3

Leia mais

POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12

POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12 POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12 Política de Consequências As reincidências dentro do período estipulado agravarão as penalidades Multa 1 5% sobre remuneração média Mínimo R$ 250,00

Leia mais

ANEXO 4 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO

ANEXO 4 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO SOLICITAÇÃO, PROVIMENTO E PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO DE INTERCONEXÃO 1. CONDIÇÕES GERAIS 1.1 Qualquer das Partes poderá, na forma da regulamentação pertinente, solicitar novas Interconexões ou alterações

Leia mais

Carta de Direitos e Deveres do Cliente

Carta de Direitos e Deveres do Cliente Carta de Direitos e Deveres do Cliente CONTROLO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO Versão Data Descrição Página(s) Próxima revisão 01 15.12.2009 Elaboração da 1ª versão do documento ----- Dezembro 2011 02 12.04.2010

Leia mais

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. 1) O QUE É? O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. A Lei Complementar nº 128 de 19/12/2008 que criou condições especiais

Leia mais

AMBULATÓRIO MÉDICO DE ESPECIALIDADES DE FRANCA Organização Social de Saúde Fundação Santa Casa de Mis. De Franca

AMBULATÓRIO MÉDICO DE ESPECIALIDADES DE FRANCA Organização Social de Saúde Fundação Santa Casa de Mis. De Franca PROCESSO SELETIVO 06/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL AMBULATÓRIO MÉDICO DE ESPECIALIDADES DE FRANCA - AME FRANCA A Fundação Santa Casa de Misericórdia de Franca torna pública

Leia mais

Proconve sendo classificadas como ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORA E UTILIZADORA DE RECURSOS AMBIENTAIS Passíveis de inscrição no CTF DEVIDO AO IMPACTO AMBIENTAL FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito O Personnalité, sempre preocupado em manter a total transparência com você, preparou um resumo do contrato do seu cartão. Lembre que este é apenas um

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO. TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO. TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015 PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015 1 1. OBJETO 1.1. Registro de Preços para aquisição de Aparelhos de Ar Condicionado, conforme especificações deste

Leia mais

REGULAMENTO COMBO HD 15 MEGA POR R$ 29,80 POR 06 MESES NA CONTRATAÇÃO DE PACOTE HD

REGULAMENTO COMBO HD 15 MEGA POR R$ 29,80 POR 06 MESES NA CONTRATAÇÃO DE PACOTE HD REGULAMENTO COMBO HD 15 MEGA POR R$ 29,80 POR 06 MESES NA CONTRATAÇÃO DE PACOTE HD Esta Promoção é realizada pela Vivo, nas seguintes condições. 1. Das Definições Para esta Promoção, aplicam-se as seguintes

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS

LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Gerência de Meio Ambiente Superintendência de Desenvolvimento Empresarial LICENCIAMENTO AMBIENTAL As atividades econômicas e outras das quais possam resultar intervenções

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção VIVO PLAY

REGULAMENTO. Promoção VIVO PLAY REGULAMENTO Promoção VIVO PLAY Esta promoção é realizada pela Telefônica Data S.A, aqui denominada, TDATA com sede na Avenida Tamboré, nº 341/71 - Barueri - SP, inscrita no CNPJ sob o nº 04.027.547/0001-31,

Leia mais

Planos de Serviço Regulamento Oferta MegaVelocidade

Planos de Serviço Regulamento Oferta MegaVelocidade 1 Prestadora: Modalidade: Código da Oferta: W3 NETWORK LTDA EPP Planos de Serviço de Provimento de Acesso à Internet 2016MV5 1. Clientes elegíveis, vigência e área de abrangência 1.1 Estes Planos de Serviço

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 003 - Plano Brasil Controle Requerimento de Homologação Nº 11243 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço, é aplicável pela autorizatária

Leia mais

Portaria n.º 43/2008

Portaria n.º 43/2008 Portaria n.º 43/2008 Dispõe sobre a documentação necessária para abertura de processos administrativos para solicitação, renovação e alteração de Licença Sanitária de farmácias e drogarias no Estado do

Leia mais

REQUERIMENTO DE CADASTRO DE FORNECEDOR PESSOA JURÍDICA

REQUERIMENTO DE CADASTRO DE FORNECEDOR PESSOA JURÍDICA REQUERIMENTO DE CADASTRO DE FORNECEDOR PESSOA JURÍDICA Solicitamos o Cadastro de Fornecedores da UniRV - Universidade de Rio Verde, nos termos da Lei nº 8666/93 Art. 27,28 e 29 atualizada, conforme informações

Leia mais

PLANOS ALTERNATIVOS PA nº PACOTE DE MINUTOS INTRA-ESTADUAIS

PLANOS ALTERNATIVOS PA nº PACOTE DE MINUTOS INTRA-ESTADUAIS PLANOS ALTERNATIVOS PA nº. 154 - PACOTE DE MINUTOS INTRA-ESTADUAIS A. Empresa Telecomunicações de São Paulo S.A. TELESP B. Nome do Plano Nome Técnico: Pacote de Minutos Intra-estaduais Nome comercial:

Leia mais

REGULAMENTO DO CLUBE AMANA KEY

REGULAMENTO DO CLUBE AMANA KEY REGULAMENTO DO CLUBE AMANA KEY O Clube Amana é desenvolvido e administrado pela empresa AMANA-KEY Desenvolvimento e Educação Ltda., inscrita no CNPJ sob o nº 67.129.833/0001-28, com sede na Rua Nova Petrópolis,

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS - COMPROMISSO COM A SOCIEDADE - Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo

CARTA DE SERVIÇOS - COMPROMISSO COM A SOCIEDADE - Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo CARTA DE SERVIÇOS - COMPROMISSO COM A SOCIEDADE - Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo 4. Atribuições do Crea-ES Art. 34 da Lei 5.194/66 - São atribuições dos Conselhos

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS NÚCLEO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS NÚCLEO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA APRESTAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIO TODOS COM A NOTA 1. Ofício de encaminhamento da Prestação de Contas à Secretária Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Leia mais

RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 RESOLVE

RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 RESOLVE INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 Dispõe sobre a Certificação do Atuário Responsável Técnico e do Atuário Independente O Instituto Brasileiro de Atuária - IBA, por decisão de sua

Leia mais

Regulamento do Domicílio Eletrônico do Cidadão Paulistano (DEC). Novos procedimentos para cancelamento de NFS-e e emissão da NFTS.

Regulamento do Domicílio Eletrônico do Cidadão Paulistano (DEC). Novos procedimentos para cancelamento de NFS-e e emissão da NFTS. Prezados Leitores: A publicação Nota Tributária # Conselho Municipal de Tributos de São Paulo tem por objetivo atualizar nossos clientes e demais interessados sobre os principais assuntos que estão sendo

Leia mais

EDITAL 21/2016 TRANSFERÊNCIA EXTERNA

EDITAL 21/2016 TRANSFERÊNCIA EXTERNA EDITAL 21/2016 TRANSFERÊNCIA EXTERNA Dispõe sobre a Transferência Externa para cursos de graduação da Faculdade Guanambi. A Direção Acadêmica e Administrativa da Faculdade Guanambi, no uso de suas atribuições

Leia mais

GUIA DE CONTROLE AMBIENTAL. Controle de produtos e subprodutos florestais

GUIA DE CONTROLE AMBIENTAL. Controle de produtos e subprodutos florestais GUIA DE CONTROLE AMBIENTAL Controle de produtos e subprodutos florestais A Guia de Controle Ambiental Eletrônica - GCA-e é o documento obrigatório para o controle do transporte, armazenamento, consumo

Leia mais