A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas"

Transcrição

1 A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas PORTO ALEGRE WIRELESS Eduardo Ramires 1

2 Abordagem As novas tecnologias de acesso sem fio à INTERNET. Regulação da Internet e redes municipais comunitárias. A Licitação do Wimax e a Competição setorial. 2

3 3 Wi Fi

4 4 WIMAX

5 O que são Wi Fi e Wimax? São tecnologias baseadas em padronização industrial, voltadas ao provimento de acesso local de assinante, em banda larga. São tecnologias alternativas de distribuição do acesso em banda larga em relação às redes de cabos. A tecnologia Wimax pode prover acesso em banda larga: fixo, portátil, itinerante ou mesmo móvel, em vista de sua área de cobertura, significativamente maior que o Wi Fi. - Disputas na licitação das faixas de 3,5 e 10,5 GHZ 5 - Anúncio da solução regulatória para redes municipais comunitárias.

6 Redes municipais comunitárias Prefeituras podem criar redes comunitárias: Prestação indireta (intranet e internet) Contratando empresas prestadoras do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM); Radiação restrita Faixa de freqüência autorizada Prestação direta (intranet e internet) Município obtém licença do Serviço de Rede Privado, submodalidade do Serviço Limitado Privado (SLP), de interesse restrito (para uso próprio). Radiação restrita Faixa de freqüência autorizada 6 Porque o acesso à Internet exige licença de serviço de telcomunicação?

7 A regra da internet Norma 4/95 do Minicom define Internet como Serviço de Valor Adicionado - SVA LGT Art. 61.: SVA não se confunde com Serviço de telecom de suporte SVA agrega novas utilidades para o acesso, armazenamento, apresentação, movimentação ou recuperação de informações. Provedor do SVA é usuário do serviço de telecomunicações de suporte. 7

8 Cadeia de Valor Uso / Aplicações / SVA Serviço de Telecomunicação Infra-estrutura de rede 8

9 Internet e Telecom Conteúdo/utilidades Comunicação Privada (ponto a ponto) Voz Dados Vídeo Comunicação Pública (ponto multiponto) Voz/Som Dados Vídeo Serviços fixos: -Telefonia fixa (discado) -SCM (SLE SLP) -CATV Serviços Sem Fio: -SMP -SCM (SLE SLP)? -MMDS Digital? -TVD? 9

10 Definição de Serviço de Telecom LGT - Art. 69. As modalidades de serviço Agência define em função da finalidade, âmbito de prestação, forma, meio de transmissão, tecnologia empregada ou de outros atributos. Res. 73/98 - Art. 22. Os serviços de telecom serão definidos em vista da finalidade para o usuário, independentemente da tecnologia empregada. 10 Quase todos os serviços existentes foram definidos a partir da tecnologia que empregam!

11 SCM não é: Res. 272/01 SCM: Serviço fixo de telecomunicações Prestado no interesse coletivo e regime privado A assinantes na área de prestação No âmbito nacional e internacional Para a oferta de capacidade de transmissão, emissão e recepção de informações multimídia Utilizando quaisquer meios (inclusive radiofreqüência). SCM é um sucedâneo do SLE/SLP SCM Não é STFC, SCEMA ou Radiodifusão. 11

12 Administração do espectro A ANATEL tem competência para administrar o uso do espectro rádio-elétrico. Recurso escasso Bem público Uso do espectro está condicionado: A prestação de um serviço de telecomunicação A prévia autorização para a faixa e o local. Salvo na hipótese do uso de faixas de radiação restrita (uso sempre em caráter secundário) Operação de estações de telecomunicação Prévio licenciamento (salvo estações que operam em faixas de radiação restrita) Equipamentos devem ser certificados. 12

13 Primeiras Conclusões Implantação de redes municipais comunitárias exige a escolha: Do provedor de serviços de telecomunicações Empresa licenciada no SCM ou no SLE A própria municipalidade obtém licença para o SLP Da solução de rede Intranet e/ou Internet Sistemas baseados em radiação restrita Sistemas baseados em faixas de radiofreqüência licenciadas 13

14 Licitação das faixas de 3,5 GHz e 10,5 GHz Outorga do direito de uso de blocos de radiofreqüência nas faixas de 3,5 GHz e 10,5 GHz Expedição de Autorização para prestação do Serviço de Comunicação Multimídia associado às RF licitadas Expedição de Autorização para prestação do Serviço Telefônico Fixo Comutado associado às RF licitadas. Edital elaborado pela Anatel proibiu as concessionárias do STFC de adquirirem freqüências nas áreas em que atuam como concessionárias. 14

15 15 Áreas de prestação

16 16 O espectro disponível

17 Conclusão final A licitação das autorizações de uso das faixas de 3,5 e 10,5 GHZ dificilmente será retomada da forma original. Prováveis alterações: Preços mínimos serão elevados Concessionários disputarão licenças em suas áreas de concessão assumindo compromissos de atendimento do interesse social. 17

18 OBRIGADO! Eduardo Augusto de Oliveira Ramires URL: Fone: (11) Fax: (11)

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires A REGULAÇÃO DO WIMAX WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires 1 Abordagem O que é o WIMAX? A Regulação dos serviços de Telecom. Administração do espectro. A Licitação do Wimax e a Competição

Leia mais

Painel Telebrasil Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro

Painel Telebrasil Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro Painel Telebrasil 2017 Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro Setembro/2017 Fonte: Smart Insights Demanda e Investimentos Fonte: The Boston Consulting Group, com adaptações.

Leia mais

Anatel. As Ações Públicas para Incentivo a Programas de Cidade Digitais. IV Seminário de Telecomunicações Inovar para Crescer - FIERGS

Anatel. As Ações Públicas para Incentivo a Programas de Cidade Digitais. IV Seminário de Telecomunicações Inovar para Crescer - FIERGS Anatel As Ações Públicas para Incentivo a Programas de Cidade Digitais IV Seminário de Telecomunicações Inovar para Crescer - FIERGS Porto Alegre, 20 de agosto de 2009. Eng. João Jacob Bettoni Gerente

Leia mais

- ORLE - SOR - ANATEL

- ORLE - SOR - ANATEL S e r v i ç o d e C o m u n i c a ç ã o M u l t i m í d i a - S C M Carlos Evangelista Gerência de Outorga e Licenciamento de Estações - ORLE Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação - SOR Agência

Leia mais

A expansão da Banda Larga no contexto da revisão do Modelo Setorial

A expansão da Banda Larga no contexto da revisão do Modelo Setorial A expansão da Banda Larga no contexto da revisão do Modelo Setorial Março/2017 Do Marco Legal de Telecomunicações Conforme a Lei Geral de Telecomunicações (LGT), quanto ao Regime Jurídico de Prestação,

Leia mais

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em 2017 Momento Regulatório Novembro/2016 Aspectos Constitucionais Constituição de 1988: Art. 21. Compete à União: (...) XI - explorar, diretamente

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 78, DE 18 DEZEMBRO DE 1998

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 78, DE 18 DEZEMBRO DE 1998 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 78, DE 18 DEZEMBRO DE 1998 Aprova o Regulamento sobre Diretrizes para Destinação de Faixas de Freqüências para Sistemas de Acesso Fixo sem Fio, para Prestação

Leia mais

Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira. Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações

Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira. Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações Outubro/2017 Causalidade entre Banda Larga e Crescimento Econômico Fonte: Smart Insights

Leia mais

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Agosto/2018 Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Crescimento Exponencial de Serviços e Tráfego de dados Demanda exponencial de Tráfego Necessidade de mais capacidade

Leia mais

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita No Brasil a utilização das Frequências Wireless é regulamentada pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), atualmente regida pela Resolução 365/2004. Prof. Marcel Santos Silva Redes Wireless 2

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 José Leite Pereira Filho Conselheiro 2 de Junho de 2007 Conteúdo OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 1. UNIVERSALIZAÇÃO 2. COMPETIÇÃO 3. QUALIDADE 4. EXCELÊNCIA REGULATÓRIA

Leia mais

Fiscalização do Serviço de Comunicação Multimídia

Fiscalização do Serviço de Comunicação Multimídia Sumário Conceitos Relevantes Tipos básicos de estações do Serviço de Comunicação Multimídia(SCM). Caso típico de provedor de acesso sem fio à internet, utilizando radiação restrita. Dos contratos de prestação

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO N o 557, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. Aprova o Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências na Faixa de 380 MHz a 400 MHz. O CONSELHO

Leia mais

WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS. Novo Marco Legal das Telecomunicações

WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS. Novo Marco Legal das Telecomunicações WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS Novo Marco Legal das Telecomunicações Julho/2017 Fonte: Smart Insights Demanda e Investimentos Fonte: The Boston Consulting Group, com adaptações. No Ecossistema Digital Visão

Leia mais

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012 Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta Brasília/DF Janeiro/2012 Aspectos gerais Implementação do Decreto 7.512, de 30 de junho de 2011 Art. 3º A ANATEL deverá, para fins de ampliação

Leia mais

BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS. Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01)

BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS. Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01) BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01) Fevereiro de 2018 - Cenário dos Provedores Regionais no País

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 164, de 2 de Setembro de Aprova o Regulamento sobre Condições de Uso da Faixa de Freqüências de 3,5 GHz

RESOLUÇÃO nº 164, de 2 de Setembro de Aprova o Regulamento sobre Condições de Uso da Faixa de Freqüências de 3,5 GHz RESOLUÇÃO nº 164, de 2 de Setembro de 1999 Aprova o Regulamento sobre Condições de Uso da Faixa de Freqüências de 3,5 GHz O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Revisão dos Contratos de Concessão: o que precisa mudar? Perspectivas sobre o futuro das concessões de STFC 39º Encontro Tele.Síntese Ministério das Comunicações Evolução dos serviços de telecomunicações

Leia mais

A REGULAÇÃO E OS DESAFIOS DA EXPANSÃO DA INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

A REGULAÇÃO E OS DESAFIOS DA EXPANSÃO DA INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES A REGULAÇÃO E OS DESAFIOS DA EXPANSÃO DA INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação Setembro de 2017 Como promover a expansão

Leia mais

O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços?

O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços? O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços? Eng. Maximiliano Salvadori Martinhão Gerente-Geral de Certificação e Engenharia do Espectro maximiliano@anatel.gov.br

Leia mais

Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais?

Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais? 52º ENCONTRO TELE.SÍNTESE O Bem Escasso: o que deve mudar na ocupação e nos limites do espectro? Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais? VITOR ELÍSIO GÓES DE OLIVEIRA MENEZES Superintendente

Leia mais

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados 1 AGENDA: Panorama da internet no mundo Panorama da internet no Brasil Aplicações da internet no Brasil e no mundo Mercados O que a Anatel está fazendo por você? O que está por vir? 2 Panorama da internet

Leia mais

Perspectivas para o Leilão de Espectro nas faixas de MHz, MHz, MHz e MHz

Perspectivas para o Leilão de Espectro nas faixas de MHz, MHz, MHz e MHz Perspectivas para o Leilão de Espectro nas faixas de 1.800 MHz, 1.900 MHz, 2.500 MHz e 3.500 MHz JOSÉ ALEXANDRE BICALHO Superintendente de Planejamento e Regulamentação Anatel 31/08/2015 Agenda Política

Leia mais

Internet para Todos Uma estratégia focada nos municípios

Internet para Todos Uma estratégia focada nos municípios Internet para Todos Uma estratégia focada nos municípios Municípios Digitais Rio de Janeiro 17 de abril de 2008 PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO Conselheiro Anatel ATO N o 66.198, DE 27 DE JULHO DE 2007 RESOLVE:

Leia mais

Sem inário sobre Inclusão D igital e D esenvolvim ento P rogram a Cidades D igitais

Sem inário sobre Inclusão D igital e D esenvolvim ento P rogram a Cidades D igitais Sem inário sobre Inclusão D igital e D esenvolvim ento P rogram a Cidades D igitais R egina Cunha Parreira G erente de R egulam entação Superintendência de Serviços Privados ÍN D ICE 1. Disposições Regulamentares

Leia mais

I Forum Lusófono de Comunicações. Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas

I Forum Lusófono de Comunicações. Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas I Forum Lusófono de Comunicações Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas Experiências Brasileiras de Sucesso na Regulação Nelson Mitsuo Takayanagi ANATEL 30 de abril de 2010 Experiências

Leia mais

51º Encontro Tele.Síntese. PLC 79/2016: Criação de Valor

51º Encontro Tele.Síntese. PLC 79/2016: Criação de Valor 51º Encontro Tele.Síntese PLC 79/2016: Criação de Valor Novembro/2017 Do Marco Legal de Telecomunicações (LGT nº 9.472/97) Regime Público: Regime Privado: 1) Obrigações de Universalização e de Continuidade;

Leia mais

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Humberto Pontes Chefe da Assessoria Técnica - Anatel Junho/2019 Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Agenda 1 2 3 4 5 Anatel Panorama Setorial Desafios do Setor

Leia mais

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL As mudanças nos limites de frequências para a telefonia celular 1 Introdução 2 Comparação internacional

Leia mais

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU:

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: Universidade de Brasília UnB Faculdade de Direito Núcleo de Direito Setorial e Regulatório Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: principais questões jurídicas e seus encaminhamentos PAULO FIRMEZA

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Marco Regulatório Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Panorama do Setor Em 1997, na corrida pelo usuário, a telefonia fixa era o destaque

Leia mais

Tendências para Utilização do Espectro de Radiofrequências

Tendências para Utilização do Espectro de Radiofrequências Tendências para Utilização do Espectro de Radiofrequências Evolução do uso do espectro, da regulação e principais projetos da Anatel sobre o tema RFCEE/RFCE/SRF AGENDA Evolução do uso do espectro de RF

Leia mais

31º Encontro Provedores Regionais SALVADOR/BA, 25/04/2017

31º Encontro Provedores Regionais SALVADOR/BA, 25/04/2017 31º Encontro Provedores Regionais SALVADOR/BA, 25/04/2017 Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC A POLITICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL A política nacional de telecomunicações

Leia mais

Quando não é necessário autorização para uso de Frequências no Brasil

Quando não é necessário autorização para uso de Frequências no Brasil Quando não é necessário autorização para uso de Frequências no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos para a utilização de freqüências que não necessitam autorização de uso de radiofreqüência

Leia mais

ANATEL sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofrequências. Aplicação das Resoluções 558/ /2011 Consulta Pública 016/2013

ANATEL sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofrequências. Aplicação das Resoluções 558/ /2011 Consulta Pública 016/2013 Processo de Outorga e Regulamentos da ANATEL sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofrequências Aplicação das Resoluções 558/2010 568/2011 Consulta Pública 016/2013 Visão Que ferrovia desejamos no

Leia mais

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO ESPECIAL DA LGT BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2015 MODALIDADES DE SERVIÇOS PREVISTAS NA LGT Serviço Público Outorga: Concessão

Leia mais

Políticas de incentivo a provedores regionais

Políticas de incentivo a provedores regionais 14º Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo a provedores regionais Montes Claros, julho de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE, PNAD Acessos fixos e móveis

Leia mais

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Autorização STFC: Teste seu entendimento 1) Você precisa de uma autorização

Leia mais

A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais

A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais 43 º Encontro Tele.Síntese A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais Brasília, DF, 01 de dezembro de 2015 José Leite Pereira Filho Professor da Universidade de Brasília e Consultor Conselheiro

Leia mais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Representatividade dos provedores regionais Grandes Médios Pequenos > 900 mil clientes de 20 mil a 900 mil clientes < 20 mil clientes

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS: REGULAÇÃO INTERNET NA AMÉRICA LATINA E A CONTRIBUIÇÃO ECONÔMICA DO ECOSSISTEMA DIGITAL

POLÍTICAS PÚBLICAS: REGULAÇÃO INTERNET NA AMÉRICA LATINA E A CONTRIBUIÇÃO ECONÔMICA DO ECOSSISTEMA DIGITAL POLÍTICAS PÚBLICAS: REGULAÇÃO INTERNET NA AMÉRICA LATINA E A CONTRIBUIÇÃO ECONÔMICA DO ECOSSISTEMA DIGITAL CNI CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 15 DE SETEMBRO DE 2016 Quem

Leia mais

Desafios da Tributação das Telecomunicações

Desafios da Tributação das Telecomunicações Desafios da Tributação das Telecomunicações Serviços de Comunicação. O Campo Impositivo e suas Balizas Gilberto fraga gfraga@fblaw.com.br Serviços de Comunicação. O Campo Impositivo e suas Balizas 1 Emenda

Leia mais

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO?

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? A OCUPAÇÃO DE ESPECTRO, O COMPARTILHAMENTO E OUTRAS QUESTÕES CONCEITUAIS É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO 43º ENCONTRO TELE.SÍNTESE

Leia mais

Este tutorial apresenta noções da legislação brasileira de telecomunicações.

Este tutorial apresenta noções da legislação brasileira de telecomunicações. Noções da Legislação de Telecomunicações Este tutorial apresenta noções da legislação brasileira de telecomunicações. Nele são tratados os seguintes tópicos: a origem da Lei Geral de Telecomunicações,

Leia mais

De 1997 a 2007, foi Conselheiro Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, órgão regulador de telecomunicações no Brasil.

De 1997 a 2007, foi Conselheiro Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, órgão regulador de telecomunicações no Brasil. Objetivos Estratégicos da Anatel e Agenda Regulatória para 2007 Este tutorial apresenta os Objetivos Estratégicos da Anatel e a Agenda Regulatória. São apresentadas as estratégias de abordagem que a Anatel

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N. 386, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2004

ANEXO À RESOLUÇÃO N. 386, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2004 ANEXO À RESOLUÇÃO N. 386, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2004 REGULAMENTO DE COBRANÇA DE PREÇO PÚBLICO PELO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E PELO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE SATÉLITE CAPÍTULO

Leia mais

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS A PAUTA REGULATÓRIA E AS DEMANDAS DAS PEQUENAS PRESTADORAS Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação (SPR) Outubro de 2017

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL Panorama mundial 23% dos países pesquisados ainda não tem plano de banda larga implementado. Fontes:

Leia mais

Resolução nº 625, de 11 de novembro de 2013

Resolução nº 625, de 11 de novembro de 2013 Resolução nº 625, de 11 de novembro de 2013 Aprova a Atribuição, a Destinação e o Regulamento sobre Condições de Uso de Radiofrequências na Faixa de 698 MHz a 806 MHz. Observação: Este texto não substitui

Leia mais

Cenário sobre Governança, Regulação e Internet

Cenário sobre Governança, Regulação e Internet XIX Congresso Internacional de Direito Constitucional Escola de Direito de Brasília do Instituto Brasiliense de Direito Público (EDB/IDP) Cenário sobre Governança, Regulação e Internet Outubro/2016 Aspectos

Leia mais

NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES. Secretaria de Telecomunicações

NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES. Secretaria de Telecomunicações NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES Secretaria de Telecomunicações PANORAMA STFC Declínio no interesse Fim das concessões Bens reversíveis Convergência tecnológica SMP e SCM: interesse e expansão

Leia mais

DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO

DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL SEMINÁRIO DO INSTITUTO DE DIREITO APLICADO Brasília, 21 de agosto de 2013 EDUARDO LEVY crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Paulo Bernardo Silva Ministro de Estado das Comunicações Brasília,

Leia mais

São Paulo, 7 de agosto de 2000

São Paulo, 7 de agosto de 2000 São Paulo, 7 de agosto de 2000 À Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel Superintendência de Serviços Privados Consulta Pública No. 241, de 10 de julho de 2000 Proposta de Diretrizes para Implementação

Leia mais

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA Willian Prenzler de Souza 1 TELECOM NO BRASIL Com o crescimento do serviço de banda larga fixa no Brasil, nos últimos 10 anos, hoje os provedores regionais (ISP),

Leia mais

IplanRio. Quem somos nós Fundamentos. Case - Prefeitura Iluminada Observações - Dúvidas - Conclusão

IplanRio. Quem somos nós Fundamentos. Case - Prefeitura Iluminada Observações - Dúvidas - Conclusão IplanRio A IplanRio é a Empresa de Informática da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro - Órgão vinculado à Controladoria Geral (CGM) - Situado no Teleporto do Rio de Janeiro Normatizar o uso da Tecnologia

Leia mais

SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR

SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR 1. CNAE - Serviço de Comunicação Multimídia 2. CREA 3. ANATEL Obrigações Pós Outorga - Ato de Autorização 4. CÁLCULO ESTRUTURAL 5. COMPARTILHAMENTO DE POSTES 6.

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. O que é Femtocell? Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Marco A O Tavares Gerente Operacional de Planejamento Engenharia do Espectro tavares@anatel.gov.br Agenda A Anatel neste Contexto Passos Percorridos E para

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 20/10/2003).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 20/10/2003). Autorização para Prestação de Serviço Telefônico no Brasil Este tutorial apresenta a regulamentação básica para a obtenção de autorização para a prestação de serviço telefônico no Brasil. (Versão revista

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GABINETE DO CONSELHEIRO PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GABINETE DO CONSELHEIRO PEDRO JAIME ZILLER DE ARAÚJO ANÁLISE N. º 114/2007-GCPJ DATA: 12/03/2007 Proposta de Autorização para Prestação de Serviço de Telecomunicações, com o objetivo de prover acesso a uma rede comunitária Municipal. Ref.: SICAP n. º 53500.032166/2006

Leia mais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais 56 o Painel Telebrasil O papel das telecomunicações no desenvolvimento do País Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais Miriam Wimmer Ministério das Comunicações Brasília, 29 de agosto

Leia mais

Este plano prevê valores tarifários para chamadas originadas antes e após o término do valor do consumo mínimo mensal.

Este plano prevê valores tarifários para chamadas originadas antes e após o término do valor do consumo mínimo mensal. Descritivo - Via Fone Fale Light (PAS 087-LC) PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 087-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Via Fone Fale Light Modalidade do STFC Local

Leia mais

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Diretrizes Gerais para a Abertura do Mercado de Telecomunicações (abril de 1997) O novo modelo

Leia mais

SEMINÁRIO. Aplicações para as Bandas de 2,5 e 3,5 GHz: um novo cenário para as telecomunicações

SEMINÁRIO. Aplicações para as Bandas de 2,5 e 3,5 GHz: um novo cenário para as telecomunicações SEMINÁRIO Aplicações para as Bandas de 2,5 e 3,5 GHz: um novo cenário para as telecomunicações O CENÁRIO NÃO COMPETITIVO ATUAL NAS TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS É RESPONSÁVEL PELA AUSÊNCIA DE ATENDIMENTO

Leia mais

Utilização do LTE no Serviço Limitado Privado

Utilização do LTE no Serviço Limitado Privado Utilização do LTE no Serviço Limitado Privado Painel: Long Term Evolution Alex Pires de Azevedo ANATEL Sumário Regulamentação da faixa de 700 MHz Edital de Licitação da faixa de 700 MHz Procedimento para

Leia mais

28º Encontro Provedores Regionais NOVO HAMBURGO/RS, 30/11/2016

28º Encontro Provedores Regionais NOVO HAMBURGO/RS, 30/11/2016 28º Encontro Provedores Regionais NOVO HAMBURGO/RS, 30/11/2016 Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO À BANDA LARGA O Programa Nacional de Banda

Leia mais

700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G

700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G DESTINAÇÃO DA FAIXA DE 700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 15 DE MAIO DE 2014 em 08.abr.14 o SindiTelebrasil participou

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC A POLÍTICA DE BANDA LARGA DO GOVERNO FEDERAL O Programa Nacional de Banda Larga PNBL INSTITUÍDO EM 2010 DECRETO Nº 7.175 DE 12 DE MAIO

Leia mais

Jarbas José Valente Conselheiro-Diretor

Jarbas José Valente Conselheiro-Diretor Reunião do Conselho n. 737, de 10/04/2014 Jarbas José Valente Conselheiro-Diretor Abril/2014 Agenda Objetos e Área de Prestação Destinação dada pela Resolução nº 625/2013 Áreas de Prestação Área de Prestação

Leia mais

700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G

700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G DESTINAÇÃO DA FAIXA DE 700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G CÂMARA DOS DEPUTADOS - CCTCI EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 08 DE ABRIL DE 2014 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 4%

Leia mais

PROJETO DE LEI 465/11

PROJETO DE LEI 465/11 PROJETO DE LEI 465/11 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 29 DE MAIO DE 2012 Fonte: Telebrasil mais de 328 milhões de clientes mais de

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Gerais. Seção I Objeto

CAPÍTULO I Das Disposições Gerais. Seção I Objeto ANEXO À RESOLUÇÃO N o 387, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2004 REGULAMENTO DE COBRANÇA DE PREÇO PÚBLICO PELO DIREITO DE USO DE RADIOFREQÜÊNCIA. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Seção I Objeto Art. 1.º Este Regulamento

Leia mais

PLS 181/2014. Audiência Pública Senado Federal. Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy

PLS 181/2014. Audiência Pública Senado Federal. Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy PLS 181/2014 Audiência Pública Senado Federal Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy Histórico das teles atesta a garantia da inviolabilidade da intimidade, da vida privada e do sigilo das comunicações

Leia mais

25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016

25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016 25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016 Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO À BANDA LARGA O Programa Nacional de Banda Larga

Leia mais

Painel: Modelagens de Atendimento

Painel: Modelagens de Atendimento Painel: Modelagens de Atendimento Átila Augusto Souto Departamento de Serviços de Universalização de Telecomunicações Secretaria de Telecomunicações 20-10-2010 Consulta Pública do (2008): - 300 contribuições

Leia mais

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 22 DE MARÇO DE 2012 Banda Larga

Leia mais

OS DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM GOIÂNIA

OS DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM GOIÂNIA OS DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM GOIÂNIA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR GOIÂNIA, 10 DE NOVEMBRO DE 2014 EDUARDO LEVY crescimento

Leia mais

Anatel. Regulamentação e Licenciamento para Cidades Digitais. Porto Alegre Wireless 3º Encontro Nacional de Banda Larga para Municípios

Anatel. Regulamentação e Licenciamento para Cidades Digitais. Porto Alegre Wireless 3º Encontro Nacional de Banda Larga para Municípios Anatel Regulamentação e Licenciamento para Cidades Digitais Porto Alegre Wireless 3º Encontro Nacional de Banda Larga para Municípios Porto Alegre, 4 de junho de 2009. Eng. Mauricio Peroni Especialista

Leia mais

Capítulo 1 Introdução

Capítulo 1 Introdução Capítulo 1 Introdução 1.1. Acesso sem fio Existem diversos tipos de acesso sem fio [1], dependendo do tipo de aplicação implementada. Sistemas sem fios podem ser usados de forma a permitir mobilidade ao

Leia mais

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES SÃO PAULO, 21 DE JULHO DE 2017 FIESP LGT 20 ANOS EDUARDO LEVY A Federação Brasileira de Telecomunicações é composta por 8 sindicatos, representando toda a cadeia dos

Leia mais

DECLARAÇÃO. Porto Nacional - TO, 14 de dezembro de FULANO DE TAL Sócio-Administrador

DECLARAÇÃO. Porto Nacional - TO, 14 de dezembro de FULANO DE TAL Sócio-Administrador para fins de atendimento a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, inciso I, alínea e, que a requerente não é autorizada, concessionária, controlada, coligada ou controladora de autorizada ou

Leia mais

CT-DRJ/015/00 Rio de Janeiro, 07 de agosto de 2000

CT-DRJ/015/00 Rio de Janeiro, 07 de agosto de 2000 CT-DRJ/015/00 Rio de Janeiro, 07 de agosto de 2000 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS PRIVADOS CONSULTA PÚBLICA n o 241, DE 10 JULHO DE 2000 Proposta de Diretrizes

Leia mais

Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações

Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações Um desafio a ser vencido Conselho Consultivo da Anatel Francisco Carlos Monteiro Filho Brasília, 27 de abril de 2012 Telefones fixos 43 milhões Fonte: Telebrasil,

Leia mais

Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios

Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios Maximiliano Martinhão Secretário de Telecomunicações Brasília, 3 de junho de 2013 Espectro

Leia mais

Setor de Autarquias Sul SAUS Quadra 6, Bloco F, Térreo Biblioteca Brasília DF Fax. (061)

Setor de Autarquias Sul SAUS Quadra 6, Bloco F, Térreo Biblioteca Brasília DF Fax. (061) São Paulo, 22 de junho de 2.009. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL SUPERINTENDÊNCIA DE UNIVERSALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA nº 13, DE 30 DE MARÇO DE 2009 Proposta de Consulta Pública do Plano Geral

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA IFPB Campus João Pessoa Departamento de Ensino Superior

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA IFPB Campus João Pessoa Departamento de Ensino Superior PLANO DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO CURSO: CST EM SISTEMAS DE TELECOMUNICACÕES DISCIPLINA: LEGISLAÇÃO EM TELECOMUNICAÇÕES CÓDIGO DA DISCIPLINA: TEL041 PRÉ-REQUISITO(S): SISTEMAS DE COMUNICAÇÕES UNIDADE CURRICULAR:

Leia mais

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL [. ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS - COMUNICAÇOES REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DO DIREITO DAS COMUNICAÇÔES....13

Leia mais

LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013

LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013 LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER AO PROJETO DE LEI Nº 5.013/ 2013 CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília, 30 de outubro de 2013 EDUARDO LEVY crescimento do setor

Leia mais

OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º

OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º Encontro Tele.Síntese 11 de Setembro de 2018 Juarez Quadros do Nascimento Presidente da Anatel Os arranjos institucionais atuais são compatíveis para estimular o desenvolvimento

Leia mais

ABINEE TEC Estratégias para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação e Comunicação e Componentes Eletrônicos

ABINEE TEC Estratégias para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação e Comunicação e Componentes Eletrônicos ABINEE TEC 2007 Estratégias para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação e Comunicação e Componentes Eletrônicos Igor Vilas Boas de Freitas Diretor do Depto Indústria, Ciência e Tecnologia Ministério

Leia mais

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais -

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - Brasília, 23 de Março de 2017 Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Superintendência de Competição PROCESSO

Leia mais

LEIS RESTRITIVAS A COPA DO MUNDO DE 2014 E TECNOLOGIA 4G EM CURITIBA EDUARDO LEVY CURITIBA, 18 DE MAIO DE 2012 A IMPLEMENTAÇÃO DA

LEIS RESTRITIVAS A COPA DO MUNDO DE 2014 E TECNOLOGIA 4G EM CURITIBA EDUARDO LEVY CURITIBA, 18 DE MAIO DE 2012 A IMPLEMENTAÇÃO DA LEIS RESTRITIVAS A COPA DO MUNDO DE 2014 E A IMPLEMENTAÇÃO DA TECNOLOGIA 4G EM CURITIBA EDUARDO LEVY CURITIBA, 18 DE MAIO DE 2012 Fonte: Telebrasil mais de 324 milhões de clientes 240 mais de mil km de

Leia mais

Daniela Silveira Lara 08 de novembro de 2011

Daniela Silveira Lara 08 de novembro de 2011 Como minimizar as incertezas de tributação para o setor de telecom/problemas e possíveis soluções/maior definição regulatória, edição de legislação ou Reforma Tributária Daniela Silveira Lara 08 de novembro

Leia mais

O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada

O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada Dezembro de 2016 Elaborado em Parceria com o Teleco ÍNDICE 1. Introdução... 4 2. O Setor de Telecomunicações... 5 3. O Segmento de Serviços de

Leia mais

LICENÇAS PARA INSTALAÇÃO DE ANTENAS EDUARDO LEVY. Encontro sobre Infraestrutura para Telecomunicações. Curitiba, 25 de março de 2013

LICENÇAS PARA INSTALAÇÃO DE ANTENAS EDUARDO LEVY. Encontro sobre Infraestrutura para Telecomunicações. Curitiba, 25 de março de 2013 LICENÇAS PARA INSTALAÇÃO DE ANTENAS Encontro sobre Infraestrutura para Telecomunicações Curitiba, 25 de março de 2013 EDUARDO LEVY crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 24 de setembro de 2013 Agenda Contextualização do Setor Qualidade Indicadores

Leia mais

O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada

O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada O Setor de Telecomunicações no Brasil Uma Visão Estruturada Dezembro de 2017, atualizado em dezembro de 2017. Elaborado em Parceria com o Teleco ÍNDICE 1. O Setor de Telecomunicações... 5 2. O Segmento

Leia mais

24º Encontro Provedores Regionais CUIABÁ/MT, 28/06/2016

24º Encontro Provedores Regionais CUIABÁ/MT, 28/06/2016 24º Encontro Provedores Regionais CUIABÁ/MT, 28/06/2016 Ministério das Comunicações POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO À BANDA LARGA O Programa Nacional de Banda Larga PNBL META 2014 35,0 MILHÕES DE DOMICÍLIOS

Leia mais