SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público"

Transcrição

1 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Disponibilidade Hídrica, Demanda e Abastecimento Público

2 . MUNICÍPIO POPULAÇÃO 2010 (hab) % ATEN. ÁGUA 1 Baldim ,85 2 Belo Horizonte ,93 3 Betim ,94 4 Brumadinho ,39 5 Caeté Capim Branco ,99 7 Confins ,20 8 Contagem ,17 9 Esmeraldas ,91 10 Florestal ,00 11 Ibirité ,15 12 Igarapé ,27 13 Itaguara Itatiaiuçu ,58 15 Jaboticatubas ,78 16 Juatuba ,88 17 Lagoa Santa ,91 18 Mário Campos ,63 19 Mateus Leme ,70 20 Matozinhos ,83 21 Nova Lima ,95 22 Nova União ,27 23 Pedro Leopoldo ,41 24 Raposos ,80 25 Ribeirão das Neves ,75 26 Rio Acima Rio Manso ,07 28 Sabará ,35 29 Santa Luzia ,15 30 São Joaquim de Bicas ,94 31 São José da Lapa ,18 32 Sarzedo ,63 33 Taquaraçu de Minas ,40 34 Vespasiano ,90 TOTAL Região Metropolitana de Belo Horizonte

3 SISTEMA INTEGRADO DE ABASTECIMENTO DA RMBH Municípios 1-Belo Horizonte 2-Betim Contagem 3-Esmeraldas (Parcial - 19%) 4-Ibirité 5-Igarapé (Parcial 70%) 6-Juatuba 7-Lagoa Santa (Parcial 34%) 8-Mário Campos 9-Mateus Leme 10-Matozinhos (Parcial 9%) 11-Nova Lima (Parcial-97%) 12-Pedro Leopoldo (Parcial 97%) 13-Raposos 14-Ribeirão das Neves 15-Sabará (Parcial- 98%) 16-Santa Luzia 17-São Joaquim de Bicas 18-São José da Lapa (Parcial- 80%) 19-Sarzedo 20-Vespasiano (Parcial 70%) Serra Azul Rio Manso Várzea das Flores Ibirité Catarina Morro Redondo Rio das Velhas Municípios do Sistema Integrado

4 SISTEMA INTEGRADO DE ABASTECIMENTO DA RMBH Sistemas Produtores Bacia do Rio Paraopeba Sistema Várzea das Flores Sistema Serra Azul Sistema Rio Manso Sistema Ibirité Sistema Catarina Várzea das Flores Bacia do Rio das Velhas Sistema Rio das Velhas Serra Azul Sistema Morro Redondo Ibirité Sistema Cercadinho Rio das Velhas Catarina Rio Manso Morro Redondo Municípios do Sistema Integrado

5 Municípios 1-Baldim 2-Brumadinho 3-Capim Branco 4-Confins 5-Esmeraldas (Parcial 81%) 7-Florestal 8-Igarapé (Parcial 30%) 9-Itatiaiuçu 10-Jaboticatubas 11-Lagoa Santa (Parcial 66%) 12-Matozinhos (Parcial - 91 %) 13-Nova Lima (Parcial - 3%l) 14-Nova União 15-Pedro Leopoldo (Parcial 3%) 16-Rio Manso 17-Sabará (Parcial -2%) 18-São José da Lapa (Parcial -20 %) 19-Taquaraçu de Minas 20-Vespasiano (Parcial 30%) SISTEMA INDEPENDENTES

6 ETAs de pequeno porte Brumadinho Igarapé Florestal Macacos (N.Lima) Casa Branca (N. Lima) Ravena (Sabará) Itatiaiuçu Jaboticatubas Taguaraçu Nova União Rio Manso Souza (Rio Manso) SISTEMA INDEPENDENTES Poços Artesianos Baldim Capim Branco Confins Esmeraldas Lagoa Santa Pedro Leopoldo Saõ José da Lapa Vespasiano Matozinhos Jaboticatubas Municípios com Sistemas Independentes

7 Sistema de Abastecimento de Água na RMBH Sistema Paraopeba Capacidade Produção (L/s) Vazão (L/s)* hab. Sistemas Rio das Velhas Capacidade Produção (L/s) Vazão (L/s) hab. Outros TOTAL Capacidade Produção (L/s) Capacidade Produção (L/s) Vazão (L/s)* Vazão (L/s) hab hab. * Jan a set de 2015

8 Sistema de Abastecimento de Água na RMBH Sistema % Rio das Velhas 47,7 Rio Manso 31,8 Vargem das Flores 5,9 Serra Azul 3,2 Morro Redondo 3,0 Ibirité 2,1 Barreiro 0,9 Catarina 0,7 Outros 4,7 Média vazão no período de janeiro a setembro/2015

9 PRINCIPAIS SISTEMAS DE PRODUÇÃODE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

10 Sistema Rio das Velhas Localização: Bela Fama - Nova Lima Operação desde 1969 Vazão média: L/s Capacidade de produção: L/s Tratamento de ciclo completo * Média jan a set de 2015

11 Sistema Rio Manso Localização: Brumadinho Operação desde 1991 Vazão média: L/s Capacidade de produção: L/s Tratamento de ciclo completo * Média jan a set de 2015

12 Sistema Serra Azul Localização: Juatuba Operação desde 1982 Vazão média: 830 L/s Capacidade de produção média: L/s Tratamento por filtração direta * Média jan a set de 2015

13 Sistema Vargem das Flores Localização: Contagem e Betim Operação desde 1978 Vazão média: 457 L/s Capacidade de produção: L/s Tratamento de ciclo completo - Flotação * Média jan a set de 2015

14 Sistema Morro Redondo Localização: Belo Horizonte Operação: 1958 (reservatório) e 1972 (ETA) Vazão média: 427 L/s Capacidade de produção: 750 L/s Tratamento de ciclo completo * Média jan a set de 2015

15 Sistema Ibirité Localização: Ibirité Operação: Operação: década de 20 (tratamento simplificado) e 1970 (ETA) Vazão média: 292 L/s Capacidade de produção: 430 L/s Tratamento de ciclo completo * Média jan a set de 2015

16 IMPACTO DA ESTIAGEM NO SISTEMA INTEGRADO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

17 5,0 3,3 0,0 22,9 18,5 13,1 10,3 11,0 1,8 2,7 12,4 12,6 27,8 40,7 78,7 48,1 45,6 73,7 78,7 69,4 67,5 96,7 Precipitação (mm) 103,9 103,8 122,8 138,1 187,5 175,3 215,5 238,2 235,8 237,7 263,8 314,5 329,1 ÍNDICE PLUVIOMÉTRICO NA RMBH em 2014 e ,0 INSTITUTO NACIONAL DE METEREOLOGIA - INMET Chuva acumulada mensal x chuva (Normal Climatológica ) Estação ,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 Jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Atualizado até 06/11/2015 Precipitação acumulada de janeiro a outubro 2015 foi 53,6% superior a : até final de outubro 590,5 mm (total de 2014: 944,1 mm) 2015: 906,8 mm Mês MÉDIA

18

19 VOLUME (%) SISTEMA PARAOPEBA VOLUME DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA PARAOPEBA , % 75% 33,88 97% 20, % 09/11/ /11/ /11/ % 7%

20 Volume (m 3 ) SISTEMA PARAOPEBA VOLUME DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA PARAOPEBA % 75% % % 47% 09/11/ /11/ /11/2015 Rio Manso Serra Azul Vargem das Flores 7%

21 Volume (%) Volume dos reservatórios do Sistema Paraopeba mês a mês entre 2013 e VOLUME DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA PARAOPEBA 90 89,3 91,2 91,6 92,1 92,7 91,2 89,4 85, ,6 76,8 77,0 74,3 72,7 72,5 70,0 68,7 65,9 61, ,1 51, , ,1 39,0 39,0 37,9 35,0 35,5 33,5 33,3 32,4 29,9 30,2 28,4 26,2 21, Dia

22 VOLUME (%) RESERVATÓRIO DO SISTEMA RIO MANSO VOLUME DO RESERVATÓRIO DO SISTEMA RIO MANSO 87, ,60 99% 78% 97% 70% 09/11/ /11/ /11/ ,77 47% 33%

23 Volume (%) Volume do reservatório Rio Manso mês a mês entre 2013 e VOLUME RESERVATÓRIO RIO MANSO 99,9 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 99,4 96,7 95,8 95,4 92,3 91,7 88,1 87,7 88,3 86,2 85,7 80,5 75,0 69,5 64,0 57,9 53,0 53,2 52,2 50, ,1 48,8 44,2 42,8 47,4 43, ,6 36,2 31, Dia

24 RESERVATÓRIO DO SISTEMA RIO MANSO 99% Jan/12 Jan/15 Vazão regularizada pelo barramento em projeto: L/s Vazão média operada em 2015: L/s Captação de 56% da vazão projetada 29,77% (9/11/15)

25 VOLUME (%) RESERVATÓRIO DO SISTEMA VARGEM DAS FLORES VOLUME DO RESERVATÓRIO DO SISTEMA VARGEM DAS FLORES , % 78% 31,73 97% 70% 19, /11/ /11/ /11/ % 33%

26 Volume (%) Volume do reservatório Vargem das Flores mês a mês entre 2013 e VOLUME RESERVATÓRIO VARGEM DAS FLORES ,4 82,4 80,3 78,6 79,4 79,2 75, ,6 70,3 67,0 61,1 62,4 60,3 59, , ,7 53,0 51,7 51,4 48,3 43, ,4 39,2 40,8 39,5 36,4 33,5 33,7 33,5 33,0 28,4 29,8 28,4 24,6 20, Dia

27 RESERVATÓRIO DO SISTEMA VARGEM DAS FLORES Jan/12 99% 80% 97% 70% Jan/15 Vazão regularizada pelo barramento em projeto: L/s Vazão média operada em 2015: 457 L/s Captação de 33% da vazão projetada 19% (9/11/15)

28 VOLUME (%) RESERVATÓRIO DO SISTEMA SERRA AZUL VOLUME DO RESERVATÓRIO DO SISTEMA SERRA AZUL , % 75% 97% 4,82 5,83 53% 47% 0 09/11/ /11/ /11/2015

29 Volume (%) Volume do reservatório Serra Azul mês a mês entre 2013 e VOLUME RESERVATÓRIO SERRA AZUL ,6 82,4 84,3 84,9 81,6 78,8 76,2 73, , ,9 56, ,7 50,3 47,4 44, ,2 35, ,7 26,1 21, ,7 15,0 15,8 15,8 15,0 13,5 11, ,7 5,2 5,9 7,0 6,4 9,1 10,0 6,7 0 Dia

30 RESERVATÓRIO DO SISTEMA SERRA AZUL 99% 79% 97% Fev/14 Jan/15 Vazão regularizada pelo barramento em projeto: L/s Vazão média operada em 2015: 830 L/s Captação de 31% da vazão projetada 5,83% (9/11/15)

31 SISTEMA RIO DAS VELHAS

32 SISTEMA RIO DAS VELHAS

33 Vazão (m 3 /s) COMPORTAMENTO DO RIO DAS VELHAS EM HONÓRIO BICALHO 2013, 2014 E 2015 VAZÃO DO RIO DAS VELHAS (Honório Bicalho - Nova Lima) ,2 127, ,8 118,9 105,1 110,1 112,8 112, , , ,2 52,4 40,4 31,3 46,1 31,3 30,9 48,6 21,9 21, ,2 0 7,8 16,7 15,0 10,4 8,4 8,0 9,3 11,3 13, Dia 08/11 23,19 m3/s

34 VAZÃO (m 3 /s) HISTÓRICO DAS VAZOES EM HONÓRIO BICALHO ,0 VAZÃO DO RIO DAS VELHAS , ,2 112,8 128, ,1 36,3 27,8 12,9 15,6 14,8 19,5 21,1 8,0 7, (*) ANO MÍNIMA MÉDIA MÁXIMA * até 8/11

35 DELIBERAÇÃO NORMATIVA CERH/MG 49 DE 23/03/2015: Estado de atenção: Média de vazão de 7 dias consecutivos < 200% do Q7,10; Estado de Alerta: Média de vazões diárias de 7 dias consecutivos < ou = a 100% do Q7,10 Balanço hídrico apresentar riscos de não atendimento de usos reservatório e a jusante até o final do período seco. Estado de restrição hídrica: SITUAÇÃO CRÍTICA DE ESCASSEZ HÍDRICA Média das vazões diárias de 7 dias consecutivos < 70% do Q7,10 para Balanço hídrico apresentar riscos acima de 70% de não atendimento de usos para reservatório e a jusante até o final do período seco. Portaria IGAM decretando situação de situação de escassez hídrica nos reservatório do sistema do Paraopeba: Portaria 13,14 e 15 de 08/04/2015 validade 30 dias Redução 20% do volume outorgado pata captações de água para consumo humano e dessedentação de animais, redução de 25% para irrigação, redução de 30% para consumo industrial e agroindustrial 50% para outros usos Renovadas pelas Portarias 17 (08/05), 20(04/06) e 26 (05/08) Restrição finalizada em outubro/2015

36 ESTRATÉGIAS OPERACIONAIS PARA GARANTIA DO ABASTECIMENTO

37 AMPLIAÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SISTEMA RIO DAS VELHAS CONDIÇÃO ATUAL LINHA AZUL Paraopeba VAZÕES TRANSFERIDAS Até 2014: L/s 2015: L/s L/s (março/2015) (outubro/2015) Rio das Velhas

38 REDUÇÃO DA PRODUÇÃO NO SISTEMA SERRA AZUL E VARGEM DAS FLORES (m³/s) Vazões Médias Produzidas Capacidade Instalada Várzea das Flores 0,9 0,7-0,8 1,4 Serra Azul 1,5 0,25-0,7 2,7

39 AMPLIAÇÃO DA PRODUÇÃO NO SISTEMA PARAOPEBA SBP Vazão Obra Custo (R$) Prazo da Obra L/s Rio Manso 128,4 milhões Dezembro de 2015 SBV

40 NOVA CAPTAÇÃO DO PARAOPEBA DE L/S PARA ETA RIO MANSO BRUMADINHO

41 DADOS DO PROJETO Vazão de Projeto: L/s Captação: Canal de tomada com gradeamento no rio Paraopeba; EE Baixo Recalque: 6 conjuntos moto-bomba (1 reserva), vazão de cada conjunto de 1,0 m³/s, potência de 250 cv, 440V, cada, bombas submersíveis; Adutora Baixo Recalque: adutora de 420 m, da captação até a elevatória de alto recalque, em aço carbono DN 1500; Desarenador: A montante da elevatória alto recalque, em concreto armado, e perfis metálicos, composto por 04 câmaras de L/s cada; Reservatório de sucção: metálico, volume de m³; EE Alto Recalque: 6 conjuntos moto-bomba (1 reserva), vazão de cada conjunto de 1,0 m³/s, potência de cv, 6.600V cada, bombas horizontais bi-partidas; Adutora Alto Recalque: adutora de m, da elevatória de alto recalque até a ETA do Sistema Rio Manso, em aço carbono DN 1500; Unidades complementares: sub-estação; 03 travessias; 03 TABs; drenagem; urbanização; acessos internos; portões, cercas e muros; salas de apoio; cerca elétrica; sistema automação, via fibra ótica ligando ao COR/SRM. Valor do investimento: R$ ,00

42 99% 97% 70% DN m

43 LAY-OUT PROJETADO DA CAPTAÇÃO / EAB ALTO RECALQUE

44 ETA RIO MANSO

45 PLANO DIRETOR DE ÁGUA NA RMBH ESTABELECER DIRETRIZES PARA: IMPLANTAÇÃO E/OU AMPLIAÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA; IDENTIFICAÇÃO E/OU DEFINIÇÃO DE NOVAS FONTES DE PRODUÇÃO DE ÁGUA; POTENCIAL DE ÁGUA SUBTERRÂNEA;

46 OBRIGADO!

Foi base para a estruturação da Lei Nº /2014 Estatuto da Metrópole. Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006

Foi base para a estruturação da Lei Nº /2014 Estatuto da Metrópole. Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006 1 SBC 09/06/2016 1 2 Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006 Cidade Pólo: Belo Horizonte Foi base para a estruturação da Lei Nº 13.089 /2014 Estatuto da Metrópole Área: 9.472,4 Km 2 (1,6%

Leia mais

taxa de crescimento da população (TXP) densidade demográfica (habitantes/km 2 ) área (km 2 ) população reestimada (Pr) diferença (Pr-P)

taxa de crescimento da população (TXP) densidade demográfica (habitantes/km 2 ) área (km 2 ) população reestimada (Pr) diferença (Pr-P) ano população P (n.º de habitantes) Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH) Tabela 241 - Indicadores populacionais de Belo Horizonte (1991-2014) com populações reestimadas

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017

MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017 MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017 FAR EMPRESAS: VALOR MÁXIMO POR UH Os valores máximos permitidos na RMBH: Nome Limite Apto Limite Casa Belo Horizonte 88.000 85.000 82.000

Leia mais

A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015

A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015 A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015 As concessões de água no Estado 853 municípios SISTEMA DE ABASTECIMENTO DA RMBH COPASA: Concessões em COPANOR: Concessões em Total concessões

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017

MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017 MINHA CASA, MINHA VIDA Principais alterações nas normas 17/05/2017 PMCMV - PRINCIPAIS ALTERAÇÕES Foram publicadas no dia 24/03/2017, as alterações normativas: Portaria n 267, que trata do MCMV FAR Empresas;

Leia mais

Estatuto da Metrópole e a Região Metropolitana de Belo Horizonte

Estatuto da Metrópole e a Região Metropolitana de Belo Horizonte Estatuto da Metrópole e a Região Metropolitana de Belo Horizonte Agência RMBH 10 de agosto de 2016 Região Metropolitana de Belo Horizonte - RMBH RMBH 34 municípios 4,8 milhões habitantes Colar Metropolitano

Leia mais

UMA BREVE ANÁLISE DOS FLUXOS MIGRATÓRIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

UMA BREVE ANÁLISE DOS FLUXOS MIGRATÓRIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE UMA BREVE ANÁLISE DOS FLUXOS MIGRATÓRIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE Breno A. T. D. de Pinho Fausto Brito Alane Siqueira Rocha RESUMO O objetivo deste artigo é analisar os fluxos migratórios

Leia mais

TABELA SIMPLIFICADA JULHO DE 2016

TABELA SIMPLIFICADA JULHO DE 2016 TABELA SIMPLIFICADA JULHO DE 2016 LINHA AMIL: 400 500 700 Ambulatorial + Hospitalar com Obstetrícia ÁREA DE COMERCIALIZAÇÃO: TODO ESTADO DE MG (Exceto Entidade SECBHRM) DEPENDENTES: Cônjuge, Companheiro

Leia mais

Lista de endereço das Prefeituras da Região Metropolitana de Belo Horizonte

Lista de endereço das Prefeituras da Região Metropolitana de Belo Horizonte Baldim Prefeito: Ivan Martins da Costa Diniz Aniv: 08/03/1958 Vice Prefeito: Luís Eduardo Neiva Rodrigues Endereço Prefeitura: Rua Vitalino Augusto, 635 Centro CEP: 35.706 000 Telefone Geral: 3718 1255/1256/1257

Leia mais

LEI /03 - TAXA DE INCÊNDIO 2016

LEI /03 - TAXA DE INCÊNDIO 2016 LEI 14.938/03 - TAXA DE INCÊNDIO 2016 A CDL em conjunto com outras entidades, impetrou no ano de 2004, um mandado de segurança coletivo no TJMG, contra a exigência de pagamento da taxa de incêndio instituída

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM SIMULAÇÃO HIDROLÓGICA E BALANÇO HÍDRICO DO RESERVATÓRIO POÇO DA CRUZ (PE) Alfredo Ribeiro Neto Cristiane Ribeiro de Melo Djalena Marques de Melo José Almir Cirilo Objetivo O objetivo deste trabalho é simular

Leia mais

Plano de Negócios Referencial

Plano de Negócios Referencial Plano de Negócios Referencial Belo Horizonte Janeiro 2012 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO...8 2 INTRODUÇÃO...12 2.1 Estrutura do Plano de Negócios Referencial...12 2.1.1 Premissas para modelagem...12 2.1.2

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

PANORAMA DO GERENCIAMENTO DE PNEUS NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE/MG

PANORAMA DO GERENCIAMENTO DE PNEUS NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE/MG PANORAMA DO GERENCIAMENTO DE PNEUS NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE/MG Thayrinne Marcella Borges (*), Cícero Antonio Antunes Catapreta * Engenheira Sanitarista e Ambiental (CEFET MG), Mestranda

Leia mais

Desenho da Rede de Urgência e Emergência Macro Centro. Coordenação de Urgência e Emergência Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Desenho da Rede de Urgência e Emergência Macro Centro. Coordenação de Urgência e Emergência Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Desenho da Rede de Urgência e Emergência Macro Centro Coordenação de Urgência e Emergência Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Uma Base Conceitual Uma população- Região Os Componentes: 1.Pontos

Leia mais

ANEXO VIII PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL. Belo Horizonte

ANEXO VIII PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL. Belo Horizonte ANEXO VIII PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL Belo Horizonte JULHO/2013 49 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO... 8 2 INTRODUÇÃO... 11 2.1 Estrutura do Plano de Negócios Referencial... 11 2.1.1 Premissas para modelagem...

Leia mais

Região Metropolitana de Belo Horizonte

Região Metropolitana de Belo Horizonte Capítulo 4 Baseado em: . Acesso em: 24 jul. 2010. e < https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp14.htm >. Acesso em 28 jul.

Leia mais

Vulnerabilidade social e criminalidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 1

Vulnerabilidade social e criminalidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 1 Vulnerabilidade social e criminalidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 1 Luciana Teixeira de Andrade 2 Fernanda Odilla Vasconcellos de Figueiredo 3 O objetivo deste trabalho é analisar a criminalidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REDE DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO DA COPASA THE IMPORTANCE OF THE HYDROLOGICAL MONITORING NETWORK OF COPASA

A IMPORTÂNCIA DA REDE DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO DA COPASA THE IMPORTANCE OF THE HYDROLOGICAL MONITORING NETWORK OF COPASA A IMPORTÂNCIA DA REDE DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO DA COPASA Karoline Tenório da Costa 1 ; Alice Silva de Castilho 2 ; Ana Maria Alvim 3 ; André dos Anjos Cardoso 4 ; Geraldo Eduardo Porto Ferreira 5 Resumo

Leia mais

Paraiba. Santa Catarina. Área de Cobertura

Paraiba. Santa Catarina. Área de Cobertura Paraiba Santa Catarina Área de Cobertura Área de cobertura 1 - Amazonas: 1 - Manaus (implantação) Canal UHF. 20 2 - Bahia: 1 - Camaçari Canal UHF. 50 2 - Lauro Freitas Canal UHF. 28 Cabo RCA 3 - Teixeira

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 11 - JUNHO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio da Perdição em Tapiraí Jusante - março/2013

Leia mais

1. DENOMINAÇÕES Egresso: recém formado em escola pública da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

1. DENOMINAÇÕES Egresso: recém formado em escola pública da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Instituto Cultural Sérgio Magnani OSCIP CNPJ 06.992.630/0001 08 Plug Minas Centro de Formação e Experimentação de Cultural Digital Processo seletivo 2011 Edital nº 01/2010 O Instituto Cultural Sérgio Magnani,

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 07 - ABRIL Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio Pouso Alegre em Fazenda Cachoeira em julho de

Leia mais

-> A Bacia Hidrográfica do rio Paraopeba, UPGRH SF3 situa-se a sudeste do estado de Minas Gerais e abrange uma área de km2.

-> A Bacia Hidrográfica do rio Paraopeba, UPGRH SF3 situa-se a sudeste do estado de Minas Gerais e abrange uma área de km2. CBH PARAOPEBA -> A Bacia Hidrográfica do rio Paraopeba, UPGRH SF3 situa-se a sudeste do estado de Minas Gerais e abrange uma área de 13.643 km2. -> O rio Paraopeba, tem como seus principais afluentes o

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS EM REGIÕES METROPOLITANAS A EXPERIÊNCIA DA COPASA NA RMBH. Ligações Água (10 6 ) 3,0. Ligações - Esgoto (10 6 ) 1,4

GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS EM REGIÕES METROPOLITANAS A EXPERIÊNCIA DA COPASA NA RMBH. Ligações Água (10 6 ) 3,0. Ligações - Esgoto (10 6 ) 1,4 GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS EM REGIÕES METROPOLITANAS A EXPERIÊNCIA DA COPASA NA RMBH COPASA - Visão Geral A Copasa está presente em 60 cidades de MG Desde 963, fornece serviços de abastecimento de água e

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 05 - MARÇO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio Urucuia em Buritis - março/2013 Rio Urucuia

Leia mais

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Premissas de trabalho Articulação entre profissionais da engenharia/técnicos MG, por meio da Câmara Temática de Mobilidade; Ausência

Leia mais

Alturas mensais de precipitação (mm)

Alturas mensais de precipitação (mm) Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos AGUASPARANÁ - Instituto das Águas do Paraná Sistema de Informações Hidrológicas - SIH Alturas mensais de precipitação (mm) Estação: Município: Tipo: Altitude:

Leia mais

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo 15/12/2015 - Vitória/ES AGENDA A CESAN Principais resultados alcançados Cenário hídrico Ações e projetos futuros 52 municípios atendidos 72 % da população

Leia mais

Gabriela Lima Diniz 2 Ana Márcia Moreira Alvim 3

Gabriela Lima Diniz 2 Ana Márcia Moreira Alvim 3 MOVIMENTOS PENDULARES NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: A distribuição dos pendulares por motivo de trabalho conforme o nível de instrução em 2010 1* Gabriela Lima Diniz 2 Ana Márcia Moreira Alvim

Leia mais

OBRAS EMERGENCIAS FACE ESTIAGEM 2014 PARAÍBA DO SUL

OBRAS EMERGENCIAS FACE ESTIAGEM 2014 PARAÍBA DO SUL OBRAS EMERGENCIAS FACE ESTIAGEM 2014 PARAÍBA DO SUL 10/02/2015 1 ABRANGÊNCIA DAS OBRAS BARRA DO PIRAÍ VASSOURAS SAPUCAIA SÃO FIDELIS SÃO JOÃO DA BARRA 10/02/2015 2 BARRA DO PIRAÍ SISTEMA ETA NELSON CARNEIRO

Leia mais

Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015

Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015 Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015 Solução para o abastecimento da RMSP Programa de Bônus Utilização da Reserva Técnica Estratégia para enfrentamento da crise Transferência

Leia mais

ANÁLISE DE CENÁRIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DO HIDROGRAMA AMBIENTAL NO BAIXO TRECHO DO RIO SÃO FRANCISCO

ANÁLISE DE CENÁRIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DO HIDROGRAMA AMBIENTAL NO BAIXO TRECHO DO RIO SÃO FRANCISCO Salvador/ 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA Grupo de Recursos Hídricos - GRH ANÁLISE DE CENÁRIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DO HIDROGRAMA AMBIENTAL NO BAIXO TRECHO DO RIO SÃO FRANCISCO Yvonilde Dantas Pinto

Leia mais

BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO: Medidas Adicionais de Gestão para enfrentamento da Crise Hídrica

BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO: Medidas Adicionais de Gestão para enfrentamento da Crise Hídrica BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO: Medidas Adicionais de Gestão para enfrentamento da Crise Hídrica Caracterização da bacia Área 639.219 km² Precipitação média anual na Bacia Extensão 2.863 km População 14,3

Leia mais

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água 3.6 LEOPOLDINA O sistema de abastecimento público de água em Leopoldina é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, empresa de âmbito estadual, através do sistema operacional

Leia mais

An assessment of NRM-20 efficacy as a guideline and as an enforcement tool to mine closure in Brazil

An assessment of NRM-20 efficacy as a guideline and as an enforcement tool to mine closure in Brazil An assessment of NRM-20 efficacy as a guideline and as an enforcement tool to mine closure in Brazil Hernani Lima & José Cruz Flores (Ufop); Jardel Dias (DNPM) Esse trabalho é resultado da Dissertação

Leia mais

ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL

ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL Andrea Sousa Fontes Anderson Lima Aragão Yvonilde Dantas Pinto Medeiros Introdução Controle ar/ficial do fluxo x componentes

Leia mais

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

CONSIDERAÇÕES INICIAIS CONSIDERAÇÕES INICIAIS Fundação Helena Antipoff CNPJ16.789.398/0007-27 PlugMinas - Centro de Formação e Experimentação Digital Processo Seletivo 2017 1º Semestre Edital nº 003/2016 Considerando que o PlugMinas

Leia mais

ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL PÁGINA 1 DE 6 I INTRODUÇÃO Os trabalhos e análises destinados à preparação dos documentos antecedentes e indispensáveis à abertura do processo licitatório

Leia mais

PARTAGE SHOPPING BETIM

PARTAGE SHOPPING BETIM PARTAGE SHOPPING BETIM O Partage Shopping Betim, inaugurado em julho de 2013, é o maior centro de compras da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Conta com um grande mix de lojas, sendo ao todo 240,

Leia mais

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Workshop ZCAS/MONÇÃO Cachoeira Paulista, 20 a 22/07/2015 A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Américo de Oliveira Sampaio Coordenador de Saneamento

Leia mais

Região Metropolitana de Belo Horizonte

Região Metropolitana de Belo Horizonte RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO N ORTE PARAÍBA PIAUÍ PERNAMBUCO ACRE TOCANTINS ALA GOAS RONDÔNIA SERGIPE MATO G ROSSO BAHIA GOIÁS DF MINAS GERAIS MATO G ROSSO DO S UL E SPÍRITO

Leia mais

intersetorial do Estado e a articulação do poder executivo estadual com os demais órgãos e entidades da administração pública, municípios e com os seg

intersetorial do Estado e a articulação do poder executivo estadual com os demais órgãos e entidades da administração pública, municípios e com os seg Decreto nº 44.500, de 03 de abril de 2007. Institui o Plano de Governança Ambiental e Urbanística da Região Metropolitana de Belo Horizonte e dá outras providências. (Publicação - Diário do Executivo -

Leia mais

Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água)

Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água) Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água) Franco da Rocha Bragança Paulista Mairiporã Nazaré Paulista Piracaia São Paulo Escassez hídrica:

Leia mais

AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE

AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE AUMENTO DA OFERTA DE ÁGUA TRATADA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE JUSTIFICATIVA PARA O INVESTIMENTO Este projeto permitirá o aumento de oferta de

Leia mais

GVT Minas Gerais. Lista de Cidades Longa Distância Nacional BELO HORIZONTE

GVT Minas Gerais. Lista de Cidades Longa Distância Nacional BELO HORIZONTE GVT Minas Gerais Lista de Cidades Longa Distância Nacional Área Local AMANDA BALDIM CUIA GAMELEIRA DA PALMA MOCAMBO SAO VICENTE SUMIDOURO DO ROTULO VARGEM GRANDE BARREIRO VENDA NOVA BETIM CHARNECA LIBERATOS

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 03 - FEVEREIRO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio São Francisco em Três Marias. Foto de Soraya

Leia mais

Chuvas Intensas e Cidades

Chuvas Intensas e Cidades Chuvas Intensas e Cidades Mario Thadeu Leme de Barros Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental lda Escola Politécnica da USP Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH) EVENTOS EXTREMOS:

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUA BRUTA DO PAU D ALHO E MOMBAÇA 16 DE AGOSTO DE 2016; Agência Reguladora de Itu

CAPTAÇÃO DE ÁGUA BRUTA DO PAU D ALHO E MOMBAÇA 16 DE AGOSTO DE 2016; Agência Reguladora de Itu CAPTAÇÃO DE ÁGUA BRUTA DO PAU D ALHO E MOMBAÇA 16 DE AGOSTO DE 2016; Agência Reguladora de Itu A QUESTÃO DA ÁGUA EM ITU. 18 DE MARÇO DE 2015 Maurício Dantas Superintendente da Agência Reguladora de Itu.

Leia mais

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CERH/MG N.º 49, DE 25 DE MARÇO DE 2015.

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CERH/MG N.º 49, DE 25 DE MARÇO DE 2015. DELIBERAÇÃO NORMATIVA CERH/MG N.º 49, DE 25 DE MARÇO DE 2015. Estabelece diretrizes e critérios gerais para a definição de situação crítica de escassez hídrica e estado de restrição de uso de recursos

Leia mais

INVENTÁRIO DOS DIREITOS MINERÁRIOS - VALE ESCRITURA DEBÊNTURES

INVENTÁRIO DOS DIREITOS MINERÁRIOS - VALE ESCRITURA DEBÊNTURES VALE S.A. DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS MINERAIS - DIPM INVENTÁRIO DOS DIREITOS MINERÁRIOS - VALE ESCRITURA DEBÊNTURES ATUALIZADO EM 30/06/2011 DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 18 de agosto de 2016. Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação média espacial, acumulada durante a estação

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

MOBILIDADE URBANA E GESTÃO METROPOLITANA EM BELO HORIZONTE

MOBILIDADE URBANA E GESTÃO METROPOLITANA EM BELO HORIZONTE SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA: Desafios e perspectivas para as cidades brasileiras Rio de Janeiro, 7 de novembro de 2014 MOBILIDADE URBANA E GESTÃO METROPOLITANA EM BELO HORIZONTE Prof. Dr. Ronaldo Guimarães

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N 472 FLUXOS MIGRATÓRIOS INTRAMETROPOLITANOS: O CASO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE,

TEXTO PARA DISCUSSÃO N 472 FLUXOS MIGRATÓRIOS INTRAMETROPOLITANOS: O CASO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE, TEXTO PARA DISCUSSÃO N 472 FLUXOS MIGRATÓRIOS INTRAMETROPOLITANOS: O CASO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE, 1970-2010 Breno Aloísio T. Duarte de Pinho Fausto Brito Abril de 2013 1 Ficha catalográfica

Leia mais

Coleta para XVII Congresso Eucaristico Nacional em Belém

Coleta para XVII Congresso Eucaristico Nacional em Belém Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos 100,00 0,78 99,22 Paróquia Jesus Missionário 150,00 0,78 149,22 Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Indústrias)

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IPEÚNA

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IPEÚNA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IPEÚNA PRESTADOR: SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS, SERVIÇOS PÚBLICOS E SANEAMENTO BÁSICO. Relatório R4 Não Conformidades

Leia mais

PESQUISA 5ª ASSEMBLEIA DO POVO DE DEUS ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE. Pré - Relatório

PESQUISA 5ª ASSEMBLEIA DO POVO DE DEUS ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE. Pré - Relatório PESQUISA 5ª ASSEMBLEIA DO POVO DE DEUS ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE Pré - Relatório Algumas observações 2 Este documento trata de um pré-relatório da Pesquisa 5ª Assembleia do Povo de Deus. Os dados

Leia mais

Capítulo 12. Precipitações nas capitais

Capítulo 12. Precipitações nas capitais Capítulo 12 Precipitações nas capitais 12-1 Capítulo 12- Precipitações nas capitais 12.1 Introdução Vamos mostrar as precipitações médias mensais das capitais no Brasil no período de 1961 a 1990 fornecidas

Leia mais

Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves

Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves Avaliação Qualitativa da Porosidade /Permeabilidade de Aquíferos em Função da Dinâmica Sazonal das Precipitações e das Vazões na Bacia Hidrográfica do Rio Verde-BA. Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves Novembro

Leia mais

SALTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

SALTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SALTO PRESTADOR: SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SALTO SAAE E CONASA SANESALTO S/A Relatório R2 Não Conformidades Americana,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 SINDICATO DOS TRABALHADORES BOMBEIROS PROFISSIONAIS CIVIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 09.237.148/0001-19, neste ato representado por seu Presidente, Sr.

Leia mais

Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco

Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL MANANCIAL É toda fonte de água utilizada

Leia mais

PERFIL DA CRIMINALIDADE EM MINAS GERAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DE AGRUPAMENTO

PERFIL DA CRIMINALIDADE EM MINAS GERAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DE AGRUPAMENTO PERFIL DA CRIMINALIDADE EM MINAS GERAIS: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE DE AGRUPAMENTO Talita Egevardt de Castro 1 Iara Maira da Silveira 2 Viviane Silva Lírio 3 Daniel Arruda Coronel 4 Resumo: Este trabalho

Leia mais

Item Item

Item Item EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 2010/000179(7421)SL ERRATA, de 07/11/2011 OBJETO: Constitui objeto do presente credenciamento administrativo credenciar Pessoa Jurídica, inclusive empresa Individual, devidamente

Leia mais

Hidrologia - Lista de exercícios 2008

Hidrologia - Lista de exercícios 2008 Hidrologia - Lista de exercícios 2008 1) Qual seria a vazão de saída de uma bacia completamente impermeável, com área de 22km 2, sob uma chuva constante à taxa de 50 mm.hora -1? 2) A região da bacia hidrográfica

Leia mais

Campina Grande, 2015.

Campina Grande, 2015. Campina Grande, 2015. A Questão dos Recursos Hídricos No Nordeste No Brasil No Mundo Recursos Naturais do Planeta Aspectos Usos dos Recursos Hídricos Demandas Abastecimento Humano (Urbano e Rural) Agricultura

Leia mais

Bacia do rio das Velhas. Execução Apoio Técnico Realização

Bacia do rio das Velhas. Execução Apoio Técnico Realização Bacia do rio das Velhas Execução Apoio Técnico Realização PROJETO REVITALIZAÇAO DA BACIA DO RIO DAS VELHAS META 2014 Distribuição de água no Brasil BACIA HIDROGRÁFICA Usos da água GESTÃO DAS ÁGUAS E

Leia mais

ANÁLISE E REDIMENSIONAMENTO DAS ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE ARAGUARI-MG

ANÁLISE E REDIMENSIONAMENTO DAS ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE ARAGUARI-MG ASSEMAE Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 1/7 ANÁLISE E REDIMENSIONAMENTO DAS ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE ARAGUARI-MG Autor: Kleber Lúcio Borges Engenheiro civil

Leia mais

MINERAÇÃO. Setembro 2008

MINERAÇÃO. Setembro 2008 MINERAÇÃO Setembro 2008 Localizaçã ção Serra Azul 2 Localizaçã ção o e Logística Belo Horizonte Conceição do Mato Dentro Itabira Sabará Ipatinga EFVM ES Itaúna Mineraçã ção Jeceaba Mariana Mineroduto Anchieta

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa pouco mais de 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia

Leia mais

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1:

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: IPH 110 Hidráulica e Hidrologia Aplicadas Exercícios de Hidrologia Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: Tabela 1 Características

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 02 de março de 2016 Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação acumulada durante a estação seca de abril

Leia mais

Potencial energético das Estações de Tratamento de Esgoto. Potencial energético das Estações de Tratamento de Esgoto

Potencial energético das Estações de Tratamento de Esgoto. Potencial energético das Estações de Tratamento de Esgoto Informações básicas: Atua no setor de saneamento básico desde 1963 Fornece serviços de água para 97,1% da população na área de atuação Fornece serviços de esgotamento sanitário para 82,8% da população

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE GESTÃO METROPOLITANA

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE GESTÃO METROPOLITANA PPP RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS ESTUDO LOGÍSTICO Este Relatório Técnico apresenta o modelo logístico proposto para o transporte dos resíduos sólidos urbanos da RMBH e do Colar Metropolitano. O detalhamento

Leia mais

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA.

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. PROJETO E OBRA INTEGRADOS 1 Principais Projetos Saneamento 1.1 Obras do entorno da Usina Hidrelétrica Belo Monte Projeto básico e executivo de obras para atendimento

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Disciplina: SISTEMAS HIDRÁULICOS URBANOS arquivo 04 Captação em mananciais superficiais Prof.: Flavio Bentes Freire Locais apropriados para a localização da

Leia mais

Deliberação Normativa COPAM nº 14, de 28 de dezembro de (Publicação - Diário do Executivo - Minas Gerais, 29/12/1995)

Deliberação Normativa COPAM nº 14, de 28 de dezembro de (Publicação - Diário do Executivo - Minas Gerais, 29/12/1995) Deliberação Normativa COPAM nº 14, de 28 de dezembro de 1995. Dispõe sobre o enquadramento das águas da Bacia do rio Paraopeba. (Publicação - Diário do Executivo - Minas Gerais, 29/12/1995) O Conselho

Leia mais

MODULO 1 - IDENTIFICAÇÃO Identificação do requerente Pessoa física. Caixa Postal Município UF CEP DDD Fone Fax E-mail

MODULO 1 - IDENTIFICAÇÃO Identificação do requerente Pessoa física. Caixa Postal Município UF CEP DDD Fone Fax E-mail 1 Definição: Retirada de minerais (como areia, argila e etc.) do fundo dos rios com a utilização de dragas, para fins industriais ou de comercialização. Nome CPF Endereço MODULO 1 - IDENTIFICAÇÃO Identificação

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS EM UM CENÁRIO DE CRISE HÍDRICA

GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS EM UM CENÁRIO DE CRISE HÍDRICA GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS EM UM CENÁRIO DE CRISE HÍDRICA A ÁGUA NO MUNDO E NO BRASIL Um sexto da população mundial, mais de um bilhão de pessoas, não têm acesso a água potável; Segundo a ONU,

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T16

Apresentação de Resultados 3T16 Estação de Tratamento de Esgoto Arrudas Apresentação de Resultados 3T16 11 de Novembro de 2016 AVISO Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de

Leia mais

8. permanência de vazão

8. permanência de vazão 8. permanência de vazão 8.1. CURVA DE PERMANÊNCIA DE VAZÃO: GENERALIDADES Uma curva de permanência de vazão, também conhecida como curva de duração, é um traçado gráfico que informa com que frequência

Leia mais

CISTERNA tecnologia social: atendimento população difusa

CISTERNA tecnologia social: atendimento população difusa Precipitação / Evapotranspiração (mm) 180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 Semi- árido: REGIME IRREGULAR DE CHUVA: variação inter-anual e sazonal necessidade de armazenamento (GARANTIA DE SUPRIMENTO) Jan

Leia mais

UHE Belo Monte. IBRACON - 53 Congresso Brasileiro de Concreto Florianópolis -SC 03/Nov./2011

UHE Belo Monte. IBRACON - 53 Congresso Brasileiro de Concreto Florianópolis -SC 03/Nov./2011 UHE Belo Monte IBRACON - 53 Congresso Brasileiro de Concreto Florianópolis -SC 03/Nov./2011 LOCALIZAÇÃO Volta Grande do Xingu Pará Altamira Transamazônica Belo Monte Vitória do Xingu Brasil Novo Anapu

Leia mais

CAPÍTULO 7 REGULARIZAÇÃO DE VAZÕES E CONTROLE DE ESTIAGENS

CAPÍTULO 7 REGULARIZAÇÃO DE VAZÕES E CONTROLE DE ESTIAGENS 7.1. Introdução CAPÍTULO 7 REGULARIZAÇÃO DE VAZÕES E CONTROLE DE ESTIAGENS A variabilidade temporal das vazões fluviais tem como resultado visível a ocorrência de excessos hídricos nos períodos úmidos

Leia mais

ARTICULAÇÃO MUNICÍPIOS

ARTICULAÇÃO MUNICÍPIOS DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DOS GESTÃO DOS RSU GESTÃO DOS RL ARTICULAÇÃO MUNICÍPIOS RMBH RECICLA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CAPACITAÇÃO PGIRSU DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DOS MUNICÍPIOS MINAS SEM LIXÃO LEVANTAMENTO JUNTO

Leia mais

ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS NO VETOR OESTE DA MANCHA CONURBADA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS NO VETOR OESTE DA MANCHA CONURBADA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS NO VETOR OESTE DA MANCHA CONURBADA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MACIEL, Marieta (1); ACHCAR, Natália (2); MEDEIROS, Mirelli (3); SCHIAVO, Priscila (4); LIMA, Mariana

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa 2016

Coleta para Lugares Santos da Terra Santa 2016 Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida Forania Cristo, Luz dos Povos Paróquia Cristo, Luz dos Povos 600,00 0,78 599,22 Paróquia Jesus Missionário 100,00 0,78 99,22 Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Indústrias)

Leia mais

Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas

Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas IX Simpósio Nacional Cerrado II Simpósio Internacional Savanas Tropicas Desafios e estratégias para o equilíbrio entre sociedade, agronegócio e recursos

Leia mais

SEMINÁRIO GERENCIAMENTO A ESCASSEZ DE ÁGUA NA INDÚSTRIA

SEMINÁRIO GERENCIAMENTO A ESCASSEZ DE ÁGUA NA INDÚSTRIA SEMINÁRIO GERENCIAMENTO A ESCASSEZ DE ÁGUA NA INDÚSTRIA CAMPINAS SP 17 DE JULHO DE 2014 Prof. Dr. Antonio Carlos Zuffo (FEC-UNICAMP) Prof. Dr. José Teixeira Filho (FEAGRI-UNICAMP) Dr. Rafael Mingoti (EMBRAPA)

Leia mais

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE LEME PRESTADOR: SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTOS DA CIDADE DE LEME - SAECIL Relatório R2 Não Conformidades Americana, junho

Leia mais

SUB-MÓDULO: DINÂMICA DEMOGRAFICA MIGRAÇÃO E MOBILIDADE POPULACIONAL PESQUISADOR: FAUSTO BRITO ASSISTENTE DE PESQUISA: MARIANA NAHAS

SUB-MÓDULO: DINÂMICA DEMOGRAFICA MIGRAÇÃO E MOBILIDADE POPULACIONAL PESQUISADOR: FAUSTO BRITO ASSISTENTE DE PESQUISA: MARIANA NAHAS SUB-MÓDULO: DINÂMICA DEMOGRAFICA MIGRAÇÃO E MOBILIDADE POPULACIONAL PESQUISADOR: FAUSTO BRITO ASSISTENTE DE PESQUISA: MARIANA NAHAS ÍNDICE 1. BELO HORIZONTE NO CONTEXTO METROPOLITANO: A INVERSÃO ESPACIAL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO CAPTAÇÃO DE ÁGUA Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website:

Leia mais

SISTEMA TAQUARIL ÁGUA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO. Apresentação: Prof. Jorge Rios

SISTEMA TAQUARIL ÁGUA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO. Apresentação: Prof. Jorge Rios SISTEMA TAQUARIL ÁGUA PARA A REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Apresentação: Prof. Jorge Rios A CRISE DE PLANEJAMENTO, A CRISE DA ÁGUA E A UTILIZAÇÃO DOS MANANCIAIS Estudo de 1973 do Massachusetts

Leia mais

NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE. Rio Xingu, Brasil

NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE. Rio Xingu, Brasil NORTE ENERGIA S.A. -NESA UHE BELO MONTE Rio Xingu, Brasil Dezembro 2010 Localização UHE BELO MONTE BREVE HISTÓRICO Estudo de Inventário do rio Xingu: realizados na década de 1970 com relatório técnico

Leia mais

BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL

BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL rio Jaguari Sistema Hidráulico do Rio Paraíba do Sul rio Paraibuna Jaguari Paraibuna Santa Branca 28 MW Funil S. Cecília I. Pombos rio Paraíba do Sul rio Paraitinga 86 MW

Leia mais