TERMINOLOGIA. T - Temperatura F - Vazão R - Registrador C - Controladora C - Controlador V - Válvula P - Pressão L - Nível I - Indicador G Visor

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMINOLOGIA. T - Temperatura F - Vazão R - Registrador C - Controladora C - Controlador V - Válvula P - Pressão L - Nível I - Indicador G Visor"

Transcrição

1 Os instrumentos de controle empregados na indústria de processos (química, siderúrgica, papel etc.) têm sua própria terminologia. Os termos utilizados definem as características próprias de medida e controle dos diversos instrumentos: indicadores, registradores, controladores, transmissores e válvulas de controle. A terminologia empregada é unificada entre os fabricantes, os usuários e os organismos que intervêm direta ou indiretamente no campo da instrumentação industrial. As normas de instrumentação estabelecem símbolos, gráficos e codificação para identificação alfanumérica de instrumentos ou funções programadas que deverão ser utilizadas nos diagramas e malhas de controle de projetos de instrumentação. De acordo com a norma ISA-S5, cada instrumento ou função programada será identificada pôr um conjunto de letras que o classifica funcionalmente e um conjunto de algarismos que indica a malha à qual o instrumento ou função programada pertence. Eventualmente, para completar a identificação, poderá ser acrescido um sufixo. A figura abaixo mostra um exemplo de instrumento identificado de acordo com a norma pré estabelecida. Onde: P - Variável medida - Pressão R - Função passiva ou de informação - Registrador C - Função ativa ou de saída - Controlador 0 - Área de atividade, onde o instrumento atua - Número sequencial da malha A Sufixo De acordo com a tabela da próxima página pode-se obter combinações possíveis de acordo com o funcionamento dos dispositivos automáticos. Exemplos: T - Temperatura F - Vazão R - Registrador C - Controladora C - Controlador V - Válvula P - Pressão L - Nível I - Indicador G Visor

2 SÍMBOLOS UTILIZADOS NOS FLUXOGRAMAS DE PROCESSO SIMBOLOGIA GERAL EM INSTRUMENTAÇÃO

3 TABELA DE IDENTIFICAÇÃO FUNCIONAL DOS INSTRUMENTOS PRINCIPAIS SISTEMAS DE MEDIDA Os sistemas podem ser classificados quanto à natureza de suas unidades fundamentais, quanto ao valor dessas unidades e também quanto às relações escolhidas na determinação dos derivados.

4 - Quanto à Natureza: Dois são os sistemas principais: L.M.T. e L.F.T. a) L.M.T. - Tem como grandezas fundamentais: comprimento = L massa = M tempo = T b) L.F.T. - Tem como grandezas fundamentais: comprimento = L força = F tempo = T - Quanto ao Valor Atribuído: As unidades fundamentais, temos: a) Tipo L.M.T. 1o) Físico ou Cegesimal (C.G.S.): centímetro, grama, segundo. 2o) Industrial Francês (M.T.S.): metro, tonelada, segundo. 3o) Métrico Decimal (M.K.S.): metro, quilograma, segundo. 4o) Absoluto Inglês (Ft, Pd, S): pé, libra, segundo. b) Tipo L.F.T. 1o) Prático, Terrestre ou Gravitatório (M.Kgf.S.): metro, quilograma força, segundo. 2o) Prático Inglês (Ft, Pd, Sec.): pé, libra-força, segundo. - Quanto às Relações: Se forem escolhidas na derivação, pode haver, às vezes, liberdade de escolha. Citaremos como exemplo, a unidade de volume.

5

6 PLANTA PARA OPERAÇÃO DE PROCESSO CONTÍNUO Desenvolvida por profissionais da área e docentes do IFSP-SP, a planta de instrumentação industrial e controle de processos contínuos permite o estudo de sistemas de controle de processo contínuo. Trata-se de um sistema completo que traz consigo uma proposta didática contendo a teoria e sequências de experimentos práticos necessários para o estudo do controle das variáveis de Nível, Vazão, Pressão e Temperatura. CARACTERÍSTICAS GERAIS DA PLANTA DIDÁTICA A Planta Didática foi concebida para permitir facilidade no transporte. Não necessita que nenhum de seus elementos seja retirado ou desmontado para efetuar seu transporte a curtas ou longas distâncias; Possui rodas para deslocamento; Pesa o suficiente para ser deslocada com grande facilidade por duas pessoas de porte médio em um piso plano. Possui um tanque principal de Acrílico com capacidade de 100 litros e um segundo de Aço Inox com capacidade de 120 litros.

7 Possui um painel elétrico que é composto externamente por controladores PID digital, indicador digital, Interface Homem Máquina (IHM), botoeiras, botão de emergência e chave seletora. Internamente é composto por inversor de frequência, controlador de potência, controlador lógico programável (PLC), disjuntores, fusíveis etc. EXPERIMENTOS As estratégias que podem ser implementadas, apenas por modificações no software de configuração do CLP, são muitas, porém, a planta já vem com uma configuração básica instalada e configurada para realimentação negativa de nível, de vazão e de pressão, entre outras. IRA-ESTRUTURA BÁSICA A Infra-estrutura básica para a adequada instalação da Planta Didática é a seguinte: Alimentação Elétrica: 220 Vca, 60 Hz; Suprimento de ar: 6 kgf/cm2; Ligação para entrada de água; Ligação para entrada de ar; Ligação para saída de água para escoamento. Software de programação do CLP chamado WINSUP de fornecimento da empresa ATOS.

8 FLUXOGRAMA SIMPLIFICADO Dreno TQ - RESERVATÓRIO SUPERIOR WT LSH LT AQ TQ - RESERVATÓRIO IERIOR LIT TE TIC I CJ TSH FSL FI PSH PIT FIC B - ABASTECIMENTO TC - M LV FV WI FAL PAH PIC LI LI I I XV LIT 03 LI 03 TT XV Dreno LSH TI FIT FE PI PI LAH LAH TAH PI M V-1 V-2 V-5 V-3 V-6 V-7 V-4 ATM Dreno TQ - RESERVATÓRIO SUPERIOR WT LSH LT AQ TQ - RESERVATÓRIO IERIOR LIT TE TIC I CJ TSH FSL FI PSH PIT FIC B - ABASTECIMENTO TC - M LV FV WI FAL PAH PIC LI LI I I XV LIT 03 LI 03 TT XV Dreno LSH TI FIT FE PI PI LAH LAH TAH PI M V-1 V-2 V-5 V-3 V-6 V-7 V-4 ATM

9 DETALHAMENTO DOS COMPONENTES Especificação dos componentes da planta didática. LOCALIZAÇÃO E DESCRIÇÃO DOS DISPOSITIVOS INSTRUMENTOS DE CAMPO PESO Célula de Carga (WT-) WT - WT - WT -

10 Célula de Carga (WT-) Localização: Tanque TQ- Faixa de medição: 0 a 200 kgf Instalação: apoiada na parte inferior do tanque (reservatório) Sinal de saída 4 a 20 ma com ligação a 2 fios Alimentação: 24 Vcc com indicação digital no painel para medição do peso bruto e líquido Serviço: Medição de Nível através de peso NÍVEL Chave de Nível - Tipo Mini-Bóia (LSH- e LSH-) LSH - LSH - Chaves de Nível Tipo Bóia Localização: TQ- e TQ- Descrição: lateral, saída a reed switch. Serviço: Segurança de nível do TQ- Transmissor de Nível Tipo Bóia Magnética (LT-) LT - LT -

11 Transmissor de Nível Tipo Bóia Magnética (LT-) Localização: Instalado no TQ- Faixa de medição: 600 mm Instalação: Topo do TQ- Sinal de saída: 4 a 20 ma com ligação à 2 fios Alimentação: 24 Vcc. Serviço: Medição de Nível Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial, tipo capacitivo, para Medição de Nível (LIT-) LIT - LIT - Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial, tipo capacitivo para Medição de Nível (LIT-) Localização: Instalado no TQ- Comunicação Digital: Protocolo HART Alcance: 0 a 600 mmh2o Calibração: 0 a 415 mmh2o Sinal de Saída: 4 a 20 ma a 2 fios com alimentação de 12 a 45 Vcc Indicador: Digital local Serviço: Medição de Nível do TQ- Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial Capacitivo para Medição de Pressão (LIT-03) LIT - 03

12 Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial Capacitivo para Medição de Pressão (LIT-03) Localização: Instalado no TQ- Comunicação Digital: Protocolo HART Alcance: 0 a mmh2o Calibração de 0 a 600 mmh2o Sinal de Saída: 4 a 20 ma a 2 fios com alimentação de 12 a 45 Vcc Indicador: Digital local Conexão: Processo 1/2", suporte 2" e dreno Serviço: Medição de Nível do TQ- PRESSÃO Pressostato de Segurança (PSH-) PSH - Pressostato de Segurança (PSH-) Localização: Instalado no TQ- Conexão: ½ BSP Tipo do Sensor: Diafragma em buna, teflon ou aço inox; Diferencial Ajustável: Entre 10 e 30% da faixa; Faixa de ajuste 0 a 8 Kgf/cm2 Serviço: Segurança da Pressão do TQ- Manômetro tipo Petroquímico (PI-) PI -

13 Manômetro tipo Petroquímico (PI-) Localização: Instalado no TQ- Diâmetro: 4 ½ Conexão: ½ BSP Indicação: mmh2o Faixa: 0 a 1000 mmh2o Classe de Precisão: 1% Serviço: Medição da Pressão do TQ- Manômetro tipo Petroquímico (PI-) PI - Manômetro tipo Petroquímico (PI-) Localização: Instalado na Saída da B- Diâmetro: 4 ½ Conexão: ½ BSP Indicação: PSI e Kgf/cm2 Faixa: 0 a 2,5 Kgf/cm2 e 0 a 35 PSI Classe de Precisão: 1% Serviço: Medição da Pressão na Saída da B- Transmissor Inteligente de Pressão Manométrico, tipo capacitivo (PIT-) PIT -

14 Transmissor Inteligente de Pressão Manométrico, tipo capacitivo (PIT-) Localização: Instalado na saída do TC- Comunicação Digital: Protocolo HART Sinal de Saída: 4 a 20 ma a 2 fios com alimentação de 12 a 45 Vcc Faixa: 0 a 4 kgf/cm2 Calibração: 0 a 2 Kgf/cm2 Indicador: Digital local Serviço: Medição de Pressão da rede na saída do TC- TEMPERATURA Termostato de Segurança (TSH-) TSH - Termostato de Segurança (TSH-) Localização: Instalado no TQ- Conexão ao Processo: ½ BSP Descrição: Haste rígida com comprimento de 150 mm e faixa de ajuste de 0 a 220ºC Serviço: Segurança de Temperatura alta no TC- Set Point 40ºC Sensor de Temperatura tipo PT-100 (TE-) com Transmissor Incorporado (TT-) TE/TT -

15 Sensor de Temperatura tipo PT-100 (TE-) com Transmissor Incorporado (TT-) Localização: Instalado no TQ- Tipo: Inserção com cabeçote em alumínio Comprimento: 150 mm Sinal de Saída: 4 a 20 ma (ligação à 2 fios) Serviço: Medição da Temperatura do TQ- Termômetro tipo Capela Angular (TI-) TI - TI - Termômetro tipo Capela Angular (TI-) Localização: Instalado na saída do Trocador de Calor (TC-) Tipo: Haste de latão de 40 mm Conexão ao processo: ½ BSP, Escala: 0 a 100ºC Serviço: Medição da Temperatura após do TC- VAZÃO Rotâmetro para Medição de Vazão de Água (FI-) FI -

16 Rotâmetro para Medição de Vazão de Água (FI-) Localização: Instalado na saída do trocador de calor após válvula de controle Faixa de Trabalho: l/h Temperatura Máx: 100ºC Serviço: Medição da vazão na rede na saída do TC- Placa de Orifício (FE-) FE - Placa de Orifício (FE-) Localização: Instalado na saída do trocador de calor após válvula de 3 vias Tubulação: ½ Material: aço inox 316 Faixa: 0 a 3000 l/h Serviço: Medição da vazão na rede na saída do TC- Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial, tipo capacitivo, para Medição de Vazão (FIT-) FIT - FIT -

17 Transmissor Inteligente de Pressão Diferencial, tipo capacitivo, para Medição de Vazão (FIT-) Localização: Instalado na saída do TC- Comunicação Digital: Protocolo HART Sinal de Saída: 4 a 20 ma a 2 fios com alimentação de 12 a 45 Vcc Range: 0 a mmh2o Faixa: 0 a l/h Indicador: Digital local Serviço: Medição da vazão na rede na saída do TC- Chave de Fluxo (FSL-) FSL - Chave de Fluxo (FSL-) Localização: Instalado na saída do trocador de calor após válvula de controle Características Elétricas: contato reversível SPDT 10 A Ajuste: Vazão de 300 l/h Serviço: Chave de Vazão VÁLVULAS Válvulas Solenóide - Tipo Diafragma (XV- e XV-) XV - XV - Válvulas Solenóide - Tipo Diafragma (XV- e XV-) Instalação: Entrada (XV-) e saída do TQ- (XV-) Descrição: Diâmetro de ½, normalmente fechada, alimentação 220 Vca Serviço: XV- drenagem do tanque TQ- e XV- alimentação do tanque TQ-

18 Válvula de Controle (LV-) LV - Válvula de Controle (LV-) Localização: Instalado na saída do TQ- Diâmetro: 1/2" BSP Classe: 150 lbs Tipo de Atuador: Diafragma Corpo: Aço carbono e internos em aço inox 316 Sinal de Entrada: 4 a 20 ma Sinal de Saída: 3 a 15 PSI Serviço: Controle de nível do TQ- Válvula de Controle (FV-) FV -

19 Válvula de Controle (FV-) Localização: instalado na saída do trocador de calor após válvula de 3 vias Diâmetro: 1/2" BSP Classe: 150 lbs Tipo de Atuador: Diafragma Corpo: Aço carbono e internos em aço inox 316 Sinal de Entrada: 4 a 20 ma Sinal de Saída: 3 a 15 PSI Vazão Máxima: Na ordem de 5000 l/h na linha de entrada do reservatório Serviço: Controle da Vazão INSTRUMENTOS DE PAINEL Controlador Digital de Processo Microprocessado PID para controle da Temperatura e Vazão (TIC- e FIC-) Controlador Digital de Processo Microprocessador PID Instalação: Frontal do Painel de Controle Tamanho: 48x48 mm (altura x largura) Sinais: Entrada 4 a 20 ma e saída 4 a 20 ma Display: 4 ½ dígitos Alimentação: 220 Vca Indicação: Variável de Processo e Set-Point Serviço: TIC - Controle da temperatura do TC- e FIC- Controle da Vazão na saída do TC-

20 Indicador Digital de Processo Microprocessador para Pressão (PI-) Indicador Digital de Processo Microprocessador Instalação: Frontal do Painel de Controle Tamanho: 48x48 mm (altura x largura) Sinais: Entrada 4 a 20 ma Display: 4 ½ dígitos Alimentação: 220 Vc Indicação: Variável de Processo Serviço: Indicação da Pressão na saída da B- Controlador de Potência tipo PWM (CJ-) Controlador de Potência tipo PWM (CJ-) Instalação: Interno ao Painel de Controle Alimentação: 110/220 Vac Sinal de Entrada: Entrada de controle de 4 a 20 ma Sinal de Saída: Pulso Potência: 40A

21 Controlador Lógico Programável (CLP) Controlador Lógico Programável (CLP) Localização: Interno ao Painel de Controle Entrada Analógica: 8 entradas configuráveis de 0 a 10V e 4 a 20 ma Saída Analógica: 2 saídas configuráveis de 0 a 10 V e 4 a 20 ma para controle das malhas envolvidas no processo Entrada Digital: 8 entradas de 24 Vdc Saída Digital: 8 saídas digitais a relê Alimentação: 110/220 Vac Inversor de Frequência Inversor de Frequência Localização: Interno ao Painel de Controle Alimentação: 220 Vac Monofásico Potência: ¼ CV Serviço: Acionamento do motor da B-

22 IHM (Interface Humano Maquina) Construída em um gabinete de plástico injetado de alto impacto (grau de proteção IP65) e dotada de um display de cristal líquido, a IHM da série Interactive possibilita leitura, sinalização e mudança de parâmetros de uma forma amigável. Todas as mensagens, teclas de função, alarmes, edição e visualização de campos de dados são gerenciadas pelo processador principal, sem usar instruções de Ladder. Sua programação fica a cargo do A1 / WinSUP, que através do editor de telas da IHM disponibiliza todas as ferramentas para a configuração e confecção das telas. A interface do editor de telas é orientada a objetos, ou seja, campos de edição, visualização, bargraphs, seletoras de estados e outras mais são posicionados e configurados na tela com o mouse. Em aplicações onde existe a necessidade de se carregar um conjunto de parâmetros diferentes várias vezes em uma mesma máquina ou processo, utiliza-se a função Receita que, através das teclas de função da IHM, permite alterar um conjunto de parâmetros (definidos durante sua programação) sempre que necessário, dispensando assim a utilização de instruções Ladder para este fim. A função Alarmes da IHM série Interactive permite ao programador alertar, através de mensagens em seu display, a ocorrência de alarmes/alertas ocorridos na máquina ou processo. Sua programação, da mesma forma que a função Receita, é feita sem utilizar instruções Ladder, através da configuração de hardware dos aplicativos A1 / WinSUP.

23 ENTER ESTAMPA DA MÃO IHM Localização: Externo ao Painel de Controle Display: 2 linhas com 20 caracteres

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo 1 1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Conhecer os instrumentos e equipamentos industriais. 2. Conhecer o funcionamento

Leia mais

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo 1 2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de um determinado nível na

Leia mais

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo

1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo 1 1.ª Prática Componentes da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Conhecer os instrumentos e equipamentos industriais. 2. Conhecer o funcionamento

Leia mais

3.ª Prática Controle (PID) DE VAZÃO EM UMA TUBULAÇÃO da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo

3.ª Prática Controle (PID) DE VAZÃO EM UMA TUBULAÇÃO da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo 1 3.ª Prática Controle (PID) DE VAZÃO EM UMA TUBULAÇÃO da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de Vazão em uma Tubulação na planta

Leia mais

DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO

DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO 1 4.ª Prática Controle (PID) DE PRESSÃO EM UMA RESPECTIVA TUBULAÇÃO da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos Contínuos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de Pressão

Leia mais

Simbologia e Identificação

Simbologia e Identificação www.iesa.com.br 1 Simbologia e Identificação As normas de instrumentação estabelecem símbolos gráficos e codificações para a identificação alfa-numérica de instrumentos que deverão ser utilizadas nos diagramas

Leia mais

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo

2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo 1 2.ª Prática Controle (PID) do Nível da Caldeira (Tanque 02) da Planta de Instrumentação Industrial e Controle de Processos da De Lorenzo OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de um determinado nível na

Leia mais

CARACTERÍSTICAS. Todos os tanques são em Aço Inox e a tubulação em Aço Carbono pintado garantindo uma boa longevidade.

CARACTERÍSTICAS. Todos os tanques são em Aço Inox e a tubulação em Aço Carbono pintado garantindo uma boa longevidade. INTRODUÇÃO E CARACTERÍSTICAS O objetivo da Planta SMAR é demonstrar didaticamente a operação das diversas malhas de controle utilizando os mesmos equipamentos e ferramentas de configuração, em software,

Leia mais

Aula 2 Instrumentação na Ind. Química. Prof. Gerônimo

Aula 2 Instrumentação na Ind. Química. Prof. Gerônimo Aula 2 Instrumentação na Ind. Química Prof. Gerônimo Instrumentos para controle de processos Classificação dos instrumentos As diversas funções necessárias ao correto funcionamento de uma malha de controle

Leia mais

Normas de Instrumentação Industrial: Simbologia e Identificação

Normas de Instrumentação Industrial: Simbologia e Identificação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Normas de Instrumentação Industrial: Simbologia e Identificação Heitor Medeiros Florencio Objetivos da aula

Leia mais

Aula IV Simbologia e Diagramas de Instrumentação

Aula IV Simbologia e Diagramas de Instrumentação Aula IV Simbologia e Diagramas de Instrumentação Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br)

Leia mais

Instrumentação Aplicada

Instrumentação Aplicada Instrumentação Aplicada Simbologia Não é que eu procure falar difícil, é que as coisas têm nome João Guimarães Rosa Assuntos Conceitos Simbologia Representação Exercícios Assunto Conceitos Conceitos SIMBOLOGIA

Leia mais

Simbologia e Identificação

Simbologia e Identificação www.iesa.com.br 1 Simbologia e Identificação As normas de instrumentação estabelecem símbolos gráficos e codificações para a identificação alfa-numéricade instrumentos que deverão ser utilizadas nos diagramas

Leia mais

Instrumentação. Instrumentação e CLP. Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior

Instrumentação. Instrumentação e CLP. Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior Instrumentação Instrumentação e CLP Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior Andouglas G. da Silva Júnior ( Professor: Instrumentação Andouglas Gonçalves da Silva Júnior 1 / 18 1 Conceito Denição

Leia mais

2.ª Prática Bancada da Bomba Centrífuga

2.ª Prática Bancada da Bomba Centrífuga 1 2.ª Prática Bancada da Bomba Centrífuga OBJETIVO: 1. Por em operação os equipamentos instalados na Bancada da Bomba centrífuga. 2. Entender o funcionamento de um sistema de bombeamento de água. DATA:

Leia mais

Multimedidor MKM-G. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas.

Multimedidor MKM-G. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas. [1] Introdução O Multimedidor MKM-G é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a monitoração dos parâmetros básicos de um GMG (grupo moto gerador). Pode ser

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO. Prof. Adrielle C. Santana

INSTRUMENTAÇÃO. Prof. Adrielle C. Santana INSTRUMENTAÇÃO Prof. Adrielle C. Santana Instrumentação A instrumentação é o campo da Engenharia que estuda os instrumentos e seus princípios científicos, utilizados para medir, indicar, transferir e/ou

Leia mais

3.ª Prática Controle (PID) de Vazão na Bancada da Bomba Centrífuga

3.ª Prática Controle (PID) de Vazão na Bancada da Bomba Centrífuga 1 3.ª Prática Controle (PID) de Vazão na Bancada da Bomba Centrífuga OBJETIVO: 1. Fazer o controle (PID) de Vazão na bancada da bomba centrífuga. DATA: / /. Nome dos alunos: São Paulo - 2016 Prof. Dr.

Leia mais

Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos

Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos 107484 Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos Prof. Eduardo Stockler Tognetti Departamento de Engenharia Elétrica Universidade de Brasília UnB 1 o Semestre 2016 E. S. Tognetti

Leia mais

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes DCA-CT-UFRN

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes DCA-CT-UFRN Redes para Automação Industrial Capítulo 1: Automação Industrial Luiz Affonso Guedes DCA-CT-UFRN 2005.1 Objetivos do Capítulo Estudo sistêmico de sistemas de automação industrial. Caracterização dos elementos

Leia mais

ABB Automação. Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional

ABB Automação. Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional Indicador Digital Processos Pt100 e TAP s MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada Características

Leia mais

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2 TERMOREGULADOR Sua variação de controle poder chegar até 0,5ºC, esta precisão se da pelo controle de PID gerido pelo controlador GEFRAN instalado estrategicamente em seu painel frontal e fácil acesso ao

Leia mais

STD Transmissor de Pressão com Display LCD Local

STD Transmissor de Pressão com Display LCD Local STD Transmissor de Pressão com Display LCD Local Características Alta flexibilidade para as exigências dos processos Industriais. Cabeçote Ex proof (Ex d) Robusto com corpo em Aço Inox Cabeçote em Aluminío

Leia mais

Instrumentação Industrial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Instrumentação Industrial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) 6395 - Instrumentação Industrial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos Básicos de Instrumentação Industrial 1.1. Processo...... 23 1.2. Classificações dos Processos Industriais......

Leia mais

Descritivo Técnico. Sistema Dosador Antiespumante

Descritivo Técnico. Sistema Dosador Antiespumante Folha 1 de 7 Sistema Dosador Antiespumante Folha 2 de 7 Sumário 1 geral... 3 2 Funcionamento... 3 2.1 Operação... 4 2.2 Descritivo de aplicação... 4 2.3 Exemplo de aplicação... 4 3 Especificações técnicas...

Leia mais

P&ID - Piping & Instrument Diagram

P&ID - Piping & Instrument Diagram P&ID - Piping & Instrument Diagram Fluxograma de Engenharia Leitura e interpretação de Fluxogramas e Diagramas de Processo Muitos de nós podemos nos lembrar de experiências na infância, quando se desenhavam

Leia mais

Sistema TermoMistura

Sistema TermoMistura Sistema TermoMistura TermoMisturador O sistema é enviado de fabrica com reposição automática e dreno manual podendo ser instalado como opcional o sistema de drenagem automática de molde. Sua variação de

Leia mais

VANTAGENS CARACTERISTICAS GERAIS CHAVE DE NÍVEL CAPACITIVA RÁDIO FREQUÊNCIA

VANTAGENS CARACTERISTICAS GERAIS CHAVE DE NÍVEL CAPACITIVA RÁDIO FREQUÊNCIA O dispositivo tem capacidade para medir e controlar o nível mínimo, máximo ou estimar valores intermediários em controle de processos em diversos produtos na fase sólida, pó ou líquida. A haste utilizada

Leia mais

ZAP 900. Controlador Lógico Programável ZAP900/901. Diagrama esquemático. Apresentação. Módulo ZMB900 - Características Gerais. Dados Técnicos.

ZAP 900. Controlador Lógico Programável ZAP900/901. Diagrama esquemático. Apresentação. Módulo ZMB900 - Características Gerais. Dados Técnicos. Diagrama esquemático Usuário Processo Display 2x16 (*1) Teclado com 15 teclas (*1) Entradas Digitais Saídas Digitais Módulo ZMB900 Apresentação A família de controladores lógicos programáveis ZAP900 foi

Leia mais

KPF-12. Controlador de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão

KPF-12. Controlador de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão [1] Introdução Controladores de fator de potência são instrumentos utilizados para medição e compensação de potência reativa em instalações elétricas. O fator de potência, definido pela razão entre potência

Leia mais

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas Sistema Resistivo Os sistemas tipo Resistivo podem ser empregados em máquinas de pequeno e médio porte que necessitem de uma lubrificação a óleo dosada e freqüente. Uma bomba de acionamento manual ou elétrico

Leia mais

ezap 900 Controlador Lógico Programável ezap900/901 Diagrama esquemático Apresentação Módulo ZMB900 - Características Gerais Dados Técnicos

ezap 900 Controlador Lógico Programável ezap900/901 Diagrama esquemático Apresentação Módulo ZMB900 - Características Gerais Dados Técnicos Caixa Aço carbono zincado Grau de proteção IP20 Dimensões 98 (L) x 98 (A) x 125 (P) mm Diagrama esquemático Apresentação A família de controladores lógicos programáveis ZAP900 foi desenvolvida para atender

Leia mais

VPT10-H TRANSMISSOR DE PRESSÃO HART. Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação HART 7. LCD de 5 dígitos, rotativo, multifuncional com bargraph

VPT10-H TRANSMISSOR DE PRESSÃO HART. Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação HART 7. LCD de 5 dígitos, rotativo, multifuncional com bargraph VPT10-H TRANSMISSOR DE PRESSÃO HART Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação HART 7 LCD de 5 dígitos, rotativo, multifuncional com bargraph 7 Faixas de Pressão: 765 mmh2o a 210 kgf/cm 2 2 Classes

Leia mais

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K [1] Introdução O Multimedidor Mult-K é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 44 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada

Leia mais

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes 2006

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes 2006 Redes para Automação Industrial Capítulo 1: Automação Industrial Luiz Affonso Guedes affonso@dca.ufrn.br 2006 Objetivos do Capítulo Estudo sistêmico de sistemas de automação industrial. Caracterização

Leia mais

Norma ISA D5.1. Adrielle de Carvalho Santana

Norma ISA D5.1. Adrielle de Carvalho Santana Norma ISA D5.1 Adrielle de Carvalho Santana Norma ISA D5.1 Estabelecida pela International Society of Automation (ISA) a ISA D5.1 padroniza os símbolos gráficos e codificação para identificação alfanumérica

Leia mais

Sistema TermoMistura

Sistema TermoMistura Sistema TermoMistura ESTABILIZADOR DE TEMPERATURA Linha MGE- 90 Aquecedores para Molde Sistema sem reservatório com bomba Sistema de troca direta ( Alta Vazão de água Alto poder de refrigeração ) O estabilizador

Leia mais

Transdutor Digital MKM-01

Transdutor Digital MKM-01 [1] Introdução O Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de até 33 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA). Para

Leia mais

VVP10-P POSICIONADOR DE VÁLVULAS PROFIBUS PA. Alto Desempenho, Compacto, Alta Robustez em Condições Severas* Tecnologia de Bobina Eletrônica

VVP10-P POSICIONADOR DE VÁLVULAS PROFIBUS PA. Alto Desempenho, Compacto, Alta Robustez em Condições Severas* Tecnologia de Bobina Eletrônica VVP10-P POSICIONADOR DE VÁLVULAS PROFIBUS PA *Com Qualidade do Ar de Instrumentação. Alto Desempenho, Compacto, Alta Robustez em Condições Severas* Tecnologia de Bobina Eletrônica Sensor de Posição sem

Leia mais

STD-96. Transmissor de Pressão com Display LCD local

STD-96. Transmissor de Pressão com Display LCD local STD-96 Transmissor de Pressão com Display LCD local STD-96 Transmissor de Pressão com Display LCD Local Características Alta flexibilidade para as exigências dos processos Industriais. Ampla variedade

Leia mais

Manual de Instruções UMIDOSTATO / TERMOSTATO MICROPROCESSADO CAUT

Manual de Instruções UMIDOSTATO / TERMOSTATO MICROPROCESSADO CAUT Manual de Instruções UMIDOSTATO / TERMOSTATO MICROPROCESSADO CAUT 1 UMIDOSTATO / TERMOSTATO MICROPROCESSADO - CAUT Controlador microprocessado para controle de umidade e temperatura, constando de: Controle

Leia mais

Chave de Nível tipo Boia Magnética Série CBM-SS - Boia Ø 50 mm - Cabeçote IP 65

Chave de Nível tipo Boia Magnética Série CBM-SS - Boia Ø 50 mm - Cabeçote IP 65 CARACTERÍSTICAS GERAIS A chave de Nível CBM-SS é um equipamento utilizado na detecção e controle de nível em tanques ou reservatórios onde são armazenados materiais líquidos como água, produtos químicos

Leia mais

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação.

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação. Indicador Digital Processos MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada - Temperatura: 0 350ºC Sensor

Leia mais

A Exsto Tecnologia atua no mercado educacional, desenvolvendo kits didáticos para o ensino tecnológico.

A Exsto Tecnologia atua no mercado educacional, desenvolvendo kits didáticos para o ensino tecnológico. A Exsto Tecnologia atua no mercado educacional, desenvolvendo kits didáticos para o ensino tecnológico. Em um mundo digital, a tecnologia evolui de forma rápida e constante. A cada dia novos equipamentos,

Leia mais

ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO. smar

ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO. smar ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO smar DESCRIÇÃO O Atuador Cilíndrico Pneumático ACP301 alia a força de cilindros pneumáticos às potencialidades do posicionador inteligente microprocessado FY301, permitindo

Leia mais

CLIENTE: Alpes Programação Industrial

CLIENTE: Alpes Programação Industrial www.alpespi.com CLIENTE: Alpes Programação Industrial PROJETO: APInjet Número do projeto: 01 Revisão: R02 Data: 29/10/2012 qualquer fim, que não o previamente acordado, sem autorização da mesma. 1 SUMÁRIO

Leia mais

CONTROLADOR DE TEMPERATURA DIGITAL MICROPROCESSADO XMT-904

CONTROLADOR DE TEMPERATURA DIGITAL MICROPROCESSADO XMT-904 CONTROLADOR DE TEMPERATURA DIGITAL MICROPROCESSADO XMT-94 1-CARACTERISTICAS PRINCIPAIS Alimentação 1 ~24Vca. 2 Display LED de alto brilho de 4 dígitos cada. Multi-entrada : Termopar, termoresistência,

Leia mais

BIBLIOTECA INSTRUMENTAÇÃO

BIBLIOTECA INSTRUMENTAÇÃO BIBLIOTECA INSTRUMENTAÇÃO Nome do arquivo: INST.lib (biblioteca) Versão: 1.0 Última atualização: LIB 27/06/2013 DOC 27/06/2013 1. INTRODUÇÃO A norma ANSI/ISA-S5.1 1984 (R1992) Instrumentation Symbols and

Leia mais

Conversores/Transmissores Os conversores de sinais tem a função de converter sinais elétricos, padronizados ou não-padronizados, em outro sinal padronizado. São montados em caixas ABS norma DIN, próprias

Leia mais

Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX

Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX MANUAL DE INSTRUÇÕES E INSTALAÇÃO ÍNDICE. Características Gerais pag. 0. Princípios de Funcionamento pag. 0. Características Técnicas pag. 0 4. Módulos Eletrônicos

Leia mais

TRANSMISSOR DE PRESSÃO SÉRIE MTP TRANSMISSOR DE PRESSÃO MOVIMATIC SÉRIE MTP MOVIMATIC ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E COMÉRCIO LTDA

TRANSMISSOR DE PRESSÃO SÉRIE MTP TRANSMISSOR DE PRESSÃO MOVIMATIC SÉRIE MTP MOVIMATIC ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E COMÉRCIO LTDA TRANSMISSOR DE PRESSÃO SÉRIE MTP 1 INTRODUÇÃO O Transmissor de Pressão Diferencial a dois fios é um polivalente instrumento inteligente digitalizado desenvolvido que e de a pressão através de um sensor

Leia mais

Características. O medidor multivariável WM-22/23-VTP faz leituras de vazão, temperatura, pressão e densidade, com um unico dispositivo instalado.

Características. O medidor multivariável WM-22/23-VTP faz leituras de vazão, temperatura, pressão e densidade, com um unico dispositivo instalado. Série WM-22 / WM-23 Medidores de Vazão Mássicos Vórtex Características O medidor de vazão WM-22/23-V é uma solução barata de monitoramento de fluxo volumétrico para a maioria dos liquidos. O medidor de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JÚLIO DE MESQUITA FILHO" Campus de Guaratinguetá, Departamento de Energia

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Guaratinguetá, Departamento de Energia UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JÚLIO DE MESQUITA FILHO" Campus de Guaratinguetá, Departamento de Energia Disciplina: Laboratório de Sistemas Térmicos Professor: José Alexandre Matelli LEVANTAMENTO DO

Leia mais

A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle.

A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle. www.iesa.com.br 1 Introdução A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle. Instrumento é qualquer dispositivo, ou conjunto de dispositivos, utilizado com a finalidade

Leia mais

PRODUTO: CHM-T-C-P FOLHA TÉCNICA 1/5

PRODUTO: CHM-T-C-P FOLHA TÉCNICA 1/5 PRODUTO: CHM-T-C-P FOLHA TÉCNICA 1/5 APLICAÇÃO O sistema de comprovação de estanqueidade é aplicado de modo a possibilitar a identificação da ocorrência de vazamento de combustível através das válvulas

Leia mais

Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro

Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro Questão 1 Em um projeto de automação e controle de um parque industrial, encontramos o fluxograma simplificado de tubulação e instrumentação (P&ID)

Leia mais

VPT10-P TRANSMISSOR DE PRESSÃO PROFIBUS PA. Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação Profibus PA

VPT10-P TRANSMISSOR DE PRESSÃO PROFIBUS PA. Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação Profibus PA VPT10-P TRANSMISSOR DE PRESSÃO PROFIBUS PA Transmissor a 2 Fios com Protocolo de Comunicação Profibus PA LCD de 5 dígitos, rotativo, multifuncional com bargraph 7 Faixas de Pressão: 765 mmh2o a 210 kgf/cm

Leia mais

Mini Chiller Linha Ice Control Mini Chiller compactos com condensação a AR

Mini Chiller Linha Ice Control Mini Chiller compactos com condensação a AR Mini Chiller Linha Ice Control Mini Chiller compactos com condensação a AR A linha de Unidades trocadora de CALOR (MGA ) Ice Control é uma solução econômica e compacta desenvolvida para atender diversas

Leia mais

Bancada Didática para Controlador de Demanda e Fator de Potência - XE 501 -

Bancada Didática para Controlador de Demanda e Fator de Potência - XE 501 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para Controlador de Demanda e Fator de Potência - XE 501 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para

Leia mais

Indicador Digital TM-2000/AN. Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08

Indicador Digital TM-2000/AN. Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08 Indicador Digital TM-2000/AN Manual de usuário Série: E Indicador Digital MAN-DE-TM2000AN Rev.: 02.00/08 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Indicador Digital TM200/ANX. Para garantir o uso correto

Leia mais

CONVERSOR DE SINAL PROFIBUS PA PARA PNEUMÁTICO

CONVERSOR DE SINAL PROFIBUS PA PARA PNEUMÁTICO PROFIBUS PA FP303 CONVERSOR DE SINAL PROFIBUS PA PARA PNEUMÁTICO Características Baixo Consumo de ar. Configuração e Parametrização através de ferramentas disponíveis no mercado, ou seja, utilizando PC

Leia mais

PRODUTO: FOLHA TÉCNICA 1 /7

PRODUTO: FOLHA TÉCNICA 1 /7 PRODUTO: FOLHA TÉCNICA 1 /7 O sistema de comprovação de estanqueidade é aplicado de modo a possibilitar a identificação da ocorrência de vazamento de combustível através das válvulas de bloqueio automáticas

Leia mais

Inversor de Freqüência

Inversor de Freqüência Descrição do Produto A linha de Inversores de Freqüência NXP da Altus atende a grandes aplicações, que necessitam de robustez, desempenho dinâmico, precisão estática e potência. Possui uma vasta gama de

Leia mais

Transmissor de Posição por Efeito Hall

Transmissor de Posição por Efeito Hall Transmissor de Posição por Efeito Hall Descrição O transmissor de posição THP utiliza o sensor de posição de efeito Hall, sem contato físico, que o torna imune as vibrações mecânicas. Este sensor magnético

Leia mais

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA MODELO: EE0204.EE0003 DESCRIÇÃO O Kit de Eletrotécnica (EE0003) é composto de módulos de placas individuais e removíveis para montagem na Bancada Principal (EE0204), contendo

Leia mais

Chave de Nível tipo Boia Magnética Miniatura Série CBM-MD - Boia Ø 28 mm - Conector DIN

Chave de Nível tipo Boia Magnética Miniatura Série CBM-MD - Boia Ø 28 mm - Conector DIN CARACTERÍSTICAS GERAIS A chave de Nível CBM-MD é um equipamento utilizado na detecção e controle de nível em tanques ou reservatórios onde são armazenados materiais líquidos como água, produtos químicos

Leia mais

2. Simbologia de Instrumentação

2. Simbologia de Instrumentação SUFIXO 2. Simbologia de Instrumentação Com objetivo de simplificar e globalizar o entendimento dos documentos utilizados para se representar as configurações dos instrumentos e das malhas de instrumentação,

Leia mais

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO DE TESTE E MANUTENÇÃO DE BOMBAS MODELO: EE0576A A Bancada Didática para Treinamento de Teste e Manutenção de Bombas (EE0576A) é confeccionada em perfil de alumínio, contendo

Leia mais

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O Medidor TKE-120 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (VArh) em sistemas de corrente alternada (CA). Possui

Leia mais

CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO EM CLP (IEC )

CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO EM CLP (IEC ) CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO EM CLP (IEC 61131-3) FINAME: 3117197 MODELO: EE0005/EE00357 APRESENTAÇÃO A linha de Bancadas Didáticas, foi desenvolvida com alta tecnologia, visando às necessidades das Escolas

Leia mais

Conceitos de instrumentação ITIA4

Conceitos de instrumentação ITIA4 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Conceitos de instrumentação ITIA4 Instrumentação, controle e automação dos processos

Leia mais

Indicadores Digitais DG48/96

Indicadores Digitais DG48/96 [1] Introdução Os indicadores digitais DG 48 e DG 96 são instrumentos para medição de tensão, corrente, temperatura ou outra variável de processo. A indicação é sempre feita de forma linear. [2] Princípio

Leia mais

Manual de Operação AET - AP

Manual de Operação AET - AP Manual de Operação AET - AP (Atuador Eletrônico de Temperatura para Alimentadores à Palha) Revisão A HIGH-Z VALE INDÚSTRIA ELETRÔNICA LTDA. Av: Sebastião Reginaldo da Cunha 451A - Jardim dos Estados CEP

Leia mais

Disponibiliza a forma de onda em três tensões e corrente, no buffer de comunicação em todas as versões.

Disponibiliza a forma de onda em três tensões e corrente, no buffer de comunicação em todas as versões. Ficha técnica MGE G3 SA Multimedidor Multimedidor para sistemas trifásicos ou monofásicos com medição de mais de 50 variáveis elétricas, memória de massa não volátil, saídas digitais e saídas analógicas.

Leia mais

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA MODELO: EE0003 APRESENTAÇÃO O Kit de Eletrotécnica (EE0003B) é composto de módulos de placas individuais e removíveis para montagem na Bancada Principal (EE0204), contendo

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP VRP9-01 pressão de trab. 07bar WWW.ARFUSION.COM.BR Resfriador de painel VORTEX Os Resfriadores com Ar Comprimido - Vortex são destinados à aplicações especiais

Leia mais

Multimedidor MKM-D. Ficha técnica K0006. Revisão /12/2012. [1] Introdução. [5] Precisão. [2] Princípio de funcionamento

Multimedidor MKM-D. Ficha técnica K0006. Revisão /12/2012. [1] Introdução. [5] Precisão. [2] Princípio de funcionamento [1] Introdução O Multimedidor MKM-D é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 33 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA).

Leia mais

Controlador Lógico Programável Orion s8100

Controlador Lógico Programável Orion s8100 CLP Orion s8100 Controlador Lógico Programável Orion s8100 Descrição: O CLP Orion s8100 é uma nova geração de controladores programáveis que supera o nível de integração de componentes em relação a séries

Leia mais

Princípio de funcionamento Aplicações Características elétricas Características mecânicas Entrada de tensão (medição)

Princípio de funcionamento Aplicações Características elétricas Características mecânicas Entrada de tensão (medição) 1 ANO DE GARANTIA Apresentação Os transdutores analógicos de potência têm por nalidade converter a potência ativa e/ou reativa de um sistema em um sinal contínuo (de tensão ou corrente) e isolado galvanicamente

Leia mais

TMV-300. Manual de Instruções MÓDULO ELETRÔNICO PARA MEDIDORES DE VAZÃO TECNOFLUID PAINEL

TMV-300. Manual de Instruções MÓDULO ELETRÔNICO PARA MEDIDORES DE VAZÃO TECNOFLUID PAINEL Português TMV-300 PAINEL MÓDULO ELETRÔNICO PARA MEDIDORES DE VAZÃO Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote

Leia mais

Instrumentação Norma ISA 5.1

Instrumentação Norma ISA 5.1 Introdução: Instrumentação Norma ISA 5.1 A Norma ISA 5.1 (Instrument Society of America) estabelece uma padronização para designar os instrumentos e sistemas de instrumentação usados para medição e controle

Leia mais

Controle e Monitoramento de pressão para óleo hidráulico

Controle e Monitoramento de pressão para óleo hidráulico Controle e Monitoramento de pressão para óleo hidráulico Índice 02...Índice 03... Pressostato Sdca 04... Transmissor de pressão T2000 05... Transmissor de pressão T2000 06... Manômetros Séria M03 / M04

Leia mais

Disponibiliza a forma de onda em três tensões e corrente no buffer de comunicação

Disponibiliza a forma de onda em três tensões e corrente no buffer de comunicação Ficha técnica IDM 144 Multimedidor Multimedidor para sistemas trifásicos ou monofásicos com medição de mais de 40 variáveis elétricas. Possui três displays de LCD alfanuméricos de fácil visualização, interface

Leia mais

LC4200. Manual do Usuário

LC4200. Manual do Usuário LC4200 Manual do Usuário Índice 1. Descrição Geral... 3 2. Aplicações (exemplo)... 3 3. Características Técnicas... 3 4. Dimensões... 4 5. Instalação... 5 6. Esquema de Ligação... 5 7. Calibração... 6

Leia mais

Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1

Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 Prof. Eduardo Stockler Tognetti Laboratório de Automação e Robótica (LARA) Dept. Engenharia Elétrica - UnB Introdução Norma S51 ISA (International

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para compra. Itens Integrantes

Descrição do Produto. Dados para compra. Itens Integrantes Descrição do Produto A linha de Inversores de Freqüência NXS da Altus possui uma ampla gama de potências que vão de 1 a 215 CV e tensão de alimentação de 208 a 500 Vca (trifásico), para aplicações denominadas

Leia mais

Benefícios de um CLP:

Benefícios de um CLP: Benefícios de um CLP: a) Permitir fácil diagnóstico de funcionamento ainda na fase de projeto do sistema e/ou de reparos em falhas que venham a ocorrer durante a sua operação. b) Ser instalado em cabines

Leia mais

MEDIDOR DE VAZÃO TIPO ENGRENAGEM

MEDIDOR DE VAZÃO TIPO ENGRENAGEM CONTROLE DE VAZÃO E FLUXO MEDIDOR DE VAZÃO TIPO ENGRENAGEM SÉRIE ENGR JV-ENGR Características Acoplado diretamente a tubulação do processo. Prova de Tempo/Prova de explosão - grau de proteção BR-Ex d llb

Leia mais

22/08/16. Introdução. Unidades de Medida. Unidades Fundamentais do SI. Método Científico AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO)

22/08/16. Introdução. Unidades de Medida. Unidades Fundamentais do SI. Método Científico AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO) AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO) Prof. Fabricia Introdução A história da instrumentação está ligada com a necessidade do homem de realizar medidas; } Essa necessidade levou o

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Catalogo ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP4 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERISTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS DE TIPO ATENDIDOS... 4 DIMENSÕES...

Leia mais

Modelo Display de cristal líquido Nº de teclas

Modelo Display de cristal líquido Nº de teclas HMI DSP9 Human Machine Interface DSP9 HMI DSP9 Descrição: O módulo HMI DSP9 (Human Machine Interface) constitui uma interface homem máquina, que possibilita a visualização de informações e interação do

Leia mais

Rele de Fuga a Terra RFT-8V

Rele de Fuga a Terra RFT-8V Rele de Fuga a Terra RFT-8V [] Introdução Os Reles de fuga à terra são instrumentos utilizados para auxiliar na proteção de pessoas, painéis e equipamentos em geral. Acoplados a sensores de corrente toroidais

Leia mais

Princípio de Funcionamento

Princípio de Funcionamento Treinamento Princípio de Funcionamento Programa Teclados Chaves Botoeiras IHM s Fins de Curso Sensores etc... Protocolos Padrões Elétricos Tensão Corrente etc... Relés Contatores etc... SKIP BK Descrição

Leia mais

SOFT STARTER DE BAIXA TENSÃO TRACCON

SOFT STARTER DE BAIXA TENSÃO TRACCON SOFT STARTER DE BAIXA TENSÃO TRACCON 144 Varixx Soluções Inovadoras em Eletrônica varixx.com.br APLICAÇÕES Partida suave de motores elétricos de indução trifásicos BENEFÍCIOS Fácil e rápida instalação

Leia mais

Fernando ROCHA ABB Brasil Marketing Control 2015 Relé Inteligente UMC100.3 Produtividade e Eficiência para o seu Processo

Fernando ROCHA ABB Brasil Marketing Control 2015 Relé Inteligente UMC100.3 Produtividade e Eficiência para o seu Processo Fernando ROCHA ABB Brasil Marketing Control 2015 Relé Inteligente UMC100.3 Produtividade e Eficiência para o seu Processo Introdução do UMC100.3...produtos adequados para cada aplicação ABB oferece soluções

Leia mais

ü Na década de 1920 os dispositivos mecânicos foram substituídos pelos relés; ü O uso da lógica de relés dificultava modificações do processo;

ü Na década de 1920 os dispositivos mecânicos foram substituídos pelos relés; ü O uso da lógica de relés dificultava modificações do processo; O que são? CLP - CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL ü O CLP é um computador industrial, capaz de implementar funções de controle (sequência lógica, contagem e temporização), operações lógicas e aritméticas,

Leia mais

SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS

SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS DLB MAQCA 1893 SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS Este conjunto didático de equipamentos foi idealizado para possibilitar

Leia mais

Medidor de Energia e Transdutor Digital de Grandezas Elétricas Mult-K 120. [5] Precisão

Medidor de Energia e Transdutor Digital de Grandezas Elétricas Mult-K 120. [5] Precisão [1] Introdução O Medidor de Energia e Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de até 44 parâmetros elétricos em sistema de corrente

Leia mais

CS-MaxPoint. Figura I - Chave seletora CS-MaxPoint. Manual da Chave Seletora CS-MaxPoint

CS-MaxPoint. Figura I - Chave seletora CS-MaxPoint. Manual da Chave Seletora CS-MaxPoint I - INTRODUÇÃO A chave seletora CS-MaxPoint é destinada à monitoração de 1 a 12 entradas de sinais analógicos (4-20mA, 0-10Vcc e Pt-100 (0 a 500 C), a chave seletora CS-MaxPoint pode centralizar e mostrar

Leia mais